Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download ""

Transcrição

1 Introdução teórica: O VIH é adquirido durante a vida e vai provocar uma falência do sistema imunitário produzindo assim a síndrome. A Sida é, então, a Síndrome de Imunodeficiência Humana Adquirida: S: Síndrome, que significa conjunto de sinais e sintomas de uma doença; I: Imunodeficiência, refere-se ao sistema imunitário que nos protege dos microrganismos patogénicos que são os causadores de doenças e infecções; D: Deficiência, ou falha, mau funcionamento; A: Adquirida, ou desenvolvida durante a vida. O VIH pode transmitir-se através de relações sexuais desprotegidas, partilha de objectos cortantes ou através da via peri-natal (mãe-filho). As formas de prevenção do VIH são a utilização correcta e consistente do preservativo e a não partilha de objectos cortantes (Ministério da Saúde, 1997). Objectivos a atingir neste módulo: Conhecer os modos de Transmissão; Conhecer os modos de Prevenção; Conhecer os efeitos da discriminação. 135

2 Jogo do Risco FICHA DE ACTIVIDADE: A Objectivos: Dinamizar a discussão sobre formas de transmissão de infecção VIH-SIDA. Duração: Recursos: Jogo do Risco da Coordenação Nacional da Infecção de VIH Sida: 37 Cartas de actividades 3 Cartas de risco (alto risco, baixo risco e sem risco) Passo a passo: Usa-se o baralho de cartas para se discutir qual o risco de transmissão da infecção pelo VIH/sida e quais os comportamentos que cada um pode adoptar para não vir a ser infectado. As actividades que são apresentadas em cada uma das cartas são classificadas como situações que poderão transmitir o vírus (alto ou baixo risco) ou não transmitir (sem risco). Este jogo mostra que as vias de transmissão da infecção pelo VIH/sida estão identificadas (as relações sexuais, o sangue e de mãe para filho) e que é possível prevenir a sua propagação. Dinâmica do jogo: 136 Podem ser usadas todas as cartas do baralho, ou serem seleccionadas de acordo com o grupo de participantes e o tempo disponível para a realização do jogo. Continua v.f.p.f

3 Jogo do Risco (continuação) Formar grupos de 4 a 8 participantes. Distribuir a cada grupo um baralho de cartas. Cada grupo deve colocar as 3 cartas do risco do seu baralho sobre uma mesa. Pedir aos elementos de cada grupo que discutam qual é o nível de risco da actividade apresentada em cada carta e que em seguida as vão colocando em fila junto do cartão de risco correspondente. Quando todos os grupos terminarem, discute-se a posição de cada carta de actividade. Um participante de cada grupo justifica perante os outros grupos a razão que levou esse grupo a colocar uma das cartas de actividade em determinada posição correcta daquela carta Assim se vai discutindo a colocação das cartas de actividades. É permitido, durante a discussão, mudar a posição das cartas. Fonte: Coordenação Nacional para a infecção VIH/ Sida. 137

4 Jogo do Contágio FICHA DE ACTIVIDADE: B Objectivos: Discutir os conceitos: risco e comportamento de risco; Tomar consciência da facilidade de propagação das IST; Reflectir sobre a pressão dos pares. Duração: Recursos: Canetas (1 por aluno) Cartões para todos os alunos. Anexo da actividade B Passo a passo: Sentar os alunos em círculo, em redor da sala; Entregar a cada um dos alunos um cartão com uma indicação especifica, solicitando que a mantenha em segredo e que a sigam; Dar início ao jogo, pedindo aos participantes que se levantem e circulem pela sala. À medida que vão circulando pela sala, solicitam aos outros alunos, 3 assinaturas no seu cartão; Quando todos tiverem recolhido as 3 assinaturas, sentam-se novamente. O dinamizador pede: Ao elemento cuja ficha está marcada com um X que se levante; Continua v.f.p.f. 138

5 Jogo do Contágio (continuação) A todos os elementos que têm a assinatura do participante X, ou que assinaram o seu cartão, que se levantem; A todos os elementos que têm assinaturas dos que já estão em pé, ou que assinaram os seus cartões, que se levantem também. Apenas ficaram sentados os 3 elementos com as fichas Não siga as minhas instruções : O P significa a utilização de preservativo. O X significa infectado por VIH/sida. 139

6 ANEXO DA ACTIVIDADE: B X SEGUE AS MINHAS INSTRUÇÕES SEGUE AS MINHAS INSTRUÇÕES P Não SEGUE AS MINHAS INSTRUÇÕES SIGAS AS MINHAS INSTRUÇÕES 140

7 FICHA DE ACTIVIDADE: C VIH/ SIDA/IST perguntas e respostas Objectivos: Adquirir conhecimentos básicos sobre o VIH/SIDA/IST Duração: Recursos: Ficha: VIH/ SIDA/IST perguntas e respostas Anexo da Actividade C Ficha: VIH/ SIDA/IST perguntas e respostas. Solicitar aos alunos que leiam a banda desenhada. Discutir com os alunos as informações/perguntas e respostas que se encontram na banda desenhada. Esclarecer quaisquer dúvidas que ainda persistam. Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 1, actividade 1. (adaptado) 141

8 ANEXO DA ACTIVIDADE: C VIH/ SIDA/IST perguntas e respostas 142

9 Falando de SIDA FICHA DE ACTIVIDADE: D Objectivos: Avaliar os conhecimentos sobre VIH/SIDA/IST Duração: Recursos: Questionário: Falando sobre SIDA Anexo da actividade D Passo a passo: Distribuir pelos alunos um questionário: Falando de SIDA Pedir aos alunos que preencham o questionário com Verdadeiro ou falso. Atribuir a pontuação final aos alunos e comentar com eles o significado desse resultado. Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 1, actividade 2. (adaptado) 143

10 ANEXO DA ACTIVIDADE: D 1. Responde verdadeiro ou falso colocando um círculo à volta de F ou V; 2. Quando o teu professor der as respostas correctas, coloca um (1) no quadrado que se encontra no lado esquerdo de cada afirmação no caso de teres acertado, ou um (0) no caso de teres falhado; 3. Soma a tua pontuação e coloca o resultado no quadrado apresentado no final do teste; 4. Compara o teu resultado com O que significa o teu resultado para verificares o teu nível de conhecimentos. O que sabes sobre SIDA? 1 F V O VIH é causado pela SIDA. 2 F V A SIDA destrói o sistema de defesa do organismo. 3 F V Não existe cura para a SIDA. 4 F V As pessoas com SIDA morrem geralmente de doenças graves. 5 F V DST significa Departamento de Saúde e Tratamento 6 F V Uma pessoa pode estar infectada pelo VIH ou ter uma 7 F V Não existe forma de te protegeres contra a SIDA ou DST. 8 F V Gonorreia é um exemplo de DST. 9 F V É improvável que as mulheres contraiam SIDA. 10 F V Se fores forte e saudável não terás hipóteses de contrair VIH/SIDA/DST. 144 Total Continua v.f.p.f

11 ANEXO DA ACTIVIDADE: D (Continuação) O que significa o teu resultado? 10 És um génio, és um perito! Podes ensinar a tua turma. 8-9 Bom! Estás no caminho para te tornares um perito em SIDA! 5-7 Nada mau, mas é melhor reveres de novo a informação! Revê a informação. Certamente não queres apanhar SIDA ou uma DST! Tens Sorte por isto ser apenas um teste. Farás melhor na próxima vez. 145

12 VIH/SIDA/IST o que significam? FICHA DE ACTIVIDADE: E Objectivos: Avaliar os conhecimentos sobre VIH/SIDA/IST. Duração: Recursos: Ficha: VIH/SIDA/IST o que significam? Anexo da actividade E Passo a passo: Distribua um anexo da actividade E por cada aluno; Solicite aos alunos que: Leiam a história A; Façam corresponder cada definição contida no quadro B ao respectivo local no quadro C (esclareça mais os alunos acerca destes conceitos); Completem as frases de O professor pergunta. Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 1, actividade 3. (adaptado) 146

13 História A ANEXO DA ACTIVIDADE: E B A Maria quis saber o significado de todas aquelas palavras qual a sua gravidade. Podes ajudá-la? Um vírus que enfraquece o sistema de defesa, permitindo que outras doenças aquém organismo. Doenças que ocorrem quando o sistema de defesa do organismo está enfraquecido. C SIDA VIH Um tipo de IST que poderá danificar os órgão reprodutores. Doenças que são transmissíveis por contacto sexual. IST GONORREIA O professor pergunta: Completa as frases, exprimindo o que pensas e/ou sentes: a. Quando eu penso em SIDA penso. b. VIH/SIDA é grave porque c. As IST são graves porque d. As pessoas infectam com VIH porque 147 Recorta e coloca na caixa de perguntas do teu professor : Uma pergunta que eu gostaria de saber sobre o VIH/SIDA ou IST é:

14 Não se contrai SIDA por FICHA DE ACTIVIDADE: F Objectivos: Adquirir ou aumentar os conhecimentos sobre VIH. Duração: Recursos: Ficha: Não se contrai SIDA por Anexo da actividade F Passo a passo: Distribua um anexo da actividade G por cada aluno; Em cada figura o aluno descreve o que as pessoas estão a fazer. O professor informa que o VIH não se transmite através de qualquer destas actividades e que se pode e deve dar apoio e conforto a alguém que tenha SIDA, sem qualquer preocupação. Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 1, actividade 5. (adaptado) 148

15 ANEXO DA ACTIVIDADE: F O VIH não se transmite através do contacto social diário com pessoas infectadas. Assim, não precisamos de nos preocupar com as actividades do nosso dia-a-dia.

16 FICHA DE ACTIVIDADE: G Qual é a tua opinião? Objectivos: Diagnosticar os conhecimentos sobre VIH. Duração: Recursos: Questionário: Qual é a tua opinião? Anexo da actividade G Passo a passo: Distribua um questionário por cada aluno. Solicite o preenchimento individual. Transmita as respostas correctas. Esclareça quaisquer dúvidas que possam persistir. Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 1, actividade 6. (adaptado) 150

17 Qual é a tua opinião? ANEXO DA ACTIVIDADE: G Um questionário de Verdadeiro e falso sobre VIH/Sida/IST. V F 1. O VIH, vírus da SIDA, pode ser transmitido através de um aperto de mão. 2. O VIH, vírus da SIDA, pode ser transmitido durante a relação sexual. 3. As mulheres grávidas podem transmitir o vírus da SIDA ao feto. 4. Uma pessoa ao doar sangue pode contrair o VIH. 5. É possível contrair o VIH através do assento de uma sanita. 6. O VIH é transmissível pelo beijo. 7. O VIH, vírus da SIDA, está presente no sangue de uma pessoa infectada. 8. Os consumidores de drogas, podem transmitir o VIH a outros consumidores se partilharem seringas ou agulhas. 9. Apenas os homens podem ser infectados pelo VIH, vírus da SIDA. 10. Deve evitar-se tocar numa pessoa com SIDA. 11. É arriscado utilizar o mesmo bebedouro que uma pessoa com SIDA utilizou. 12. Se fores forte e saudável não contrairás o vírus da SIDA. 13. É possível ver, através da sua aparência, se uma pessoa está infectada pelo vírus da SIDA. 14. Não há risco de contraíres o vírus da SIDA se te cortares com uma faca com que outra pessoa também se cortou. 15. Não há problema se usares o mesmo preservativo várias vezes. 16. Se tiveres vários parceiros sexuais aumenta o risco de contraíres o VIH/IST. 17. Não há problema de partilhar roupa de cama ou loiça usadas com uma pessoa com SIDA. 18. Não há problema em partilhar uma lâmina da barbear usada com uma pessoa com SIDA. 19. Os jovens não estão expostos ao VIH, vírus da SIDA Durante a menstruação é maior o risco de contrair o vírus VIH através de relações sexuais não protegidas.

18 O que farias? FICHA DE ACTIVIDADE: H Objectivos: Saber que certas situações/actividades são de alto risco, baixo risco ou não contém risco de contrair o VIH. Duração: Recursos: Ficha: O que farias? Anexo da actividade H Passo a passo: Distribua um questionário por cada aluno; Leia as seguintes instruções: Lê cada história. Responde às perguntas colocadas no fim de cada história. Coloca um X na coluna respectiva de acordo com o risco de o João, o Pedro e a Maria contraírem o VIH. Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 1, actividade 7. (adaptado) 152

19 ANEXO DA ACTIVIDADE: I Agora já sabes como se transmite ou não se transmite o VIH, vírus da SIDA. E também importante saberes que certas situações/actividades são de alto risco, baixo risco ou não contém risco. O que farias? História Alto Risco História 2 Baixo Risco História Nenhum Risco

20 Quem discrimina? FICHA DE ACTIVIDADE: J Objectivos: Reflectir sobre como a discriminação pode afectar as pessoas com SIDA. Duração: Recursos: Ficha: Quem discrimina? Anexo da actividade J Passo a passo: Distribua uma ficha por cada aluno; Leia as seguintes instruções: 1. Lê a definição e os exemplos de discriminação. 2. Lê cada acção discriminatória contra pessoas com VIH/SIDA. 3. Completa as afirmações incompletas. 4. Responde às afirmações de O professor pergunta. Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 4, actividade 1. (adaptado) 154

21 ANEXO DA ACTIVIDADE: J Porquê? Quando negamos a certas pessoas os direitos e privilégios que damos a outras, estamos a discriminálas. Nesta actividade vamos falar da discriminação de que são alvo as pessoas com SIDA. Quem discrimina? 155

22 História das duas comunidades FICHA DE ACTIVIDADE: L Objectivos: Reflectir sobre como a discriminação pode afectar as pessoas com SIDA. Duração: Recursos: Fichas: História das duas comunidades Anexos da actividade L Passo a passo: Distribua uma ficha por cada aluno; Leia a introdução Leia as seguintes instruções: 1. Lê as situações descritas pelo Paulo sobre a comunidade A e sobre a comunidade B (depois de ter saído da Comunidade A): 2. Responde: Quais os três procedimentos que mais magoaram o Paulo na comunidade A? Quais os três procedimentos que mais ajudaram o Paulo na comunidade B? Como é que te sentes em relação às pessoas da comunidade A e da comunidade b? Por que haverá tanta diferença entre as duas comunidade? 156 Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 4, actividade 2. (adaptado)

23 ANEXO DA ACTIVIDADE: L Se nunca foste discriminado é difícil compreenderes como se sente alguém que já foi. Nestas duas comunidades tenta imaginar o que o Paulo e como isso o pode ter afectado. Esta é uma história verdadeira de uma pessoa com VIH. História das duas comunidades Procedimentos da comunidade A Os que mais magoaram Porquê? 157

24 História das duas comunidades ANEXO DA ACTIVIDADE: L (Continuação) Procedimentos da comunidade B Os que mais ajudaram Porquê? 158

25 Porquê ser solidário? FICHA DE ACTIVIDADE: M Objectivos: Reflectir sobre as razões para ser solidário com as pessoas que têm SIDA. Duração: Recursos: Ficha: Porquê ser solidário? Anexo da actividade M Passo a passo: Distribua uma ficha por cada aluno; Leia as seguintes instruções: 1. Lê as Razões para ser solidário com as pessoas que têm SIDA. 2. Pensa noutras 5 razões. 3. Escolhe duas razões que consideres importantes para ti e coloca um X na coluna As minhas duas razões. 4. Responde à pergunta de O professor pergunta. Fonte: Educação para a saúde na escola para prevenção da Sida e de outras DST. Actividades para os alunos: unidade 4, actividade 3. (adaptado) 159

26 Porquê: ANEXO DA ACTIVIDADE: M O nosso mundo necessita que as pessoas sejam solidárias. Solidariedade é compreender os problemas dos outros e querer ajudar. Porquê ser solidário? As minhas duas razões: Razões: 1. Todas as pessoas devem ser tratadas com compreensão. 2. Têm uma doença que não tem cura. 3. É bom pensar em alguém para além de nós próprios. 4. Outra: 5. Outra: 6. Outra: 7. Outra: 8. Outra: 9. Outra: 10. Outra: O professor pergunta: Porque será fácil para algumas pessoas demonstrar solidariedade enquanto o mesmo é difícil para outras? 160

27 Entrevista familiar sobre SIDA FICHA DE ACTIVIDADE: N Objectivos: Incentivar os alunos a falar com os seus familiares acerca da SIDA. Duração: (em sala de aula) Recursos: Folha de trabalho: Entrevista familiar sobre SIDA Pontos de discussão. Anexo da actividade N Passo a passo: Solicite aos alunos que façam uma entrevista sobre SIDA aos seus familiares (adultos): pai, mãe, tia, tio, avô, avó ou irmã(o). Forneça a Folha de trabalho: Entrevista familiar sobre SIDA assegurando-se que todos compreendem as perguntas e sabem aplicá-las. Peça ao grupo que preencha o formulário sobre SIDA enquanto fala com o familiar. Sugira aos alunos que depois de aplicar a entrevista falem com os familiares e lhes forneçam as respostas correctas. Na aula seguinte peça aos alunos que façam o intercâmbio das respostas recebidas e debatam em torno dos pontos de discussão. Obs. Deverá ter em conta a situação familiar do aluno antes de promover esta actividade. 161 Fonte: Educación sexual de adolescentes y jóvenes: actividade 7. pág. 215 (adaptado).

28 ANEXO DA ACTIVIDADE: N Entrevista familiar sobre SIDA Lê ao teu familiar: Na escola, estamos a estudar o problema da SIDA. Como trabalho de casa tenho que fazer uma entrevista sobre SIDA a um adulto. Gostava de saber a tua opinião sobre estas questões 1. Já ouviste falar sobre a SIDA? (Se responder sim passa à pergunta 2, se responder não, termina a entrevista e apresentar-lhe informação sobre SIDA) 2. Onde ouviste falar mais sobre SIDA? 3. Sabes o que é a SIDA? Explica pelas tuas próprias palavras o que é. 4. Qual a diferença entre SIDA e infecção por VIH? 5. Parece-te que o problema da SIDA no nosso país é muito importante 6. Como pensas que as pessoas contraem a SIDA? 7. Beberias da mesma garrafa de uma pessoa com SIDA? 8. Como achas que as pessoas se devem proteger contra a propagação da SIDA? 9. Qual a informação sobre SIDA que te parece mais importante? Onde podemos obter mais informações sobre SIDA?

29 Pontos de discussão ANEXO DA ACTIVIDADE: N (Continuação) O que sentiram ao fazer a entrevista? Algumas perguntas foram mais difíceis? Alguns familiares tinham informações erradas? Esta entrevista gerou uma conversa mais alargada, acerca deste tema, com os familiares? Sentem-se mais confortáveis agora a falar com estes familiares acerca deste tema? 163

30 OUTRAS ACTIVIDADES Actividade Pág. Livro/cd* Autor Editora Vamos falar sobre SIDA e outras DST Unidade 4 CD Saúde na Escola. Desenvolvimento de Competências Preventivas: Crianças dos 11 aos 13 anos. Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida. * O(s) livro(s) indicado(s) foram disponibilizados pelo PRESSE. 164

31 BIBLIOGRAFIA CD Saúde na Escola. Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida. Nacional de Luta Contra a SIDA (2002). Educação para a Saúde na Escola para Prevenção da SIDA e de outras DST. Documento para o desenvolvimento de programas escolares. Actividades para os Alunos. Comissão Lisboa. Ministério da Saúde (1997) O VIH/sida na Comunidade Escolar - Aprender a prevenir. Informação para os alunos Programa de Promoção e Educação para a Saúde do Ministério da Educação e Comissão Nacional de Luta Contra a Sida. 165

32 Bibliografia Afectividade geral Este documento é o resultado do contributo directo e indirecto de vários autores de trabalhos na área da Educação Sexual. CD Saúde na Escola. Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida. Dias, A., Ramalheira, C., Marques, L., Seabra, M. & Antunes, M. (2002). Educação da sexualidade no dia-a-dia da prática educativa. Braga: Edições Casa do Professor. Educação para a Saúde na Escola para Prevenção da SIDA e de outras DST Documento para o desenvolvimento de programas escolares Actividades para os Alunos. Comissão Nacional de Luta Contra a SIDA, 2002 Lisboa; Frade, A., Marques, A. M., Vilar, D. (2006). Educação Sexual na Escola Guia para Professores, Formadores e Educadores. Lisboa: Texto Editores. Ló, A. C. (1998). Prevenir a Brincar. Projecto VIDA. López Sanchez, F. (1995). Educación sexual de adolescentes y jóvenes. Madrid: Siglo Veintiuno de España Editores, S.A.. Marques, A. M., Vilar, D., Forreta, F. (2002). Educação Sexual no 1º Ciclo Um Guia para Professores e Formadores. Lisboa: Texto Editora. Marques, A., Vilar, D., & Forreta, F. (2002). Os Afectos e a Sexualidade na Educação Pré-Escolar um Guia para Educadores e Formadores. Lisboa: Texto Editora Prazeres, V. (2003). Adolescentes, Pais e tudo o mais. Lisboa: Texto Editora. Robert, J. (2006). A minha sexualidade dos 9 aos 13 anos. Porto: Porto Editora. Sites: [on line] disponível a 14 de Novembro de [on line] disponível a 11 de Dezembro de

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO Presentemente, a infeçãovih/sida não tem cura e a prevenção é a única medida eficaz. A infeçãovih/sida tem uma história relativamente recente, mas já dramática

Leia mais

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes

ENSINO CURRICULUM NACIONAL. Vírus do Herpes Este módulo tem por objectivo ensinar aos alunos o modo como a actividade sexual pode levar à transmissão de micróbios e doenças. O Capítulo 2.3, Infecções Sexualmente Transmissíveis, ensina aos alunos

Leia mais

cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA

cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA cartões de bolso serié 4 VIH/ SIDA 1 O que é VIH? É o vírus que causa a SIDA. Vírus é um microbio muito pequeno, que não se consegue ver a olho nu, ou seja, é preciso ajuda de um microscópio. VIH significa:

Leia mais

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos

Conhece os teus Direitos. A caminho da tua Casa de Acolhimento. Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Conhece os teus Direitos A caminho da tua Casa de Acolhimento Guia de Acolhimento para Jovens dos 12 aos 18 anos Dados Pessoais Nome: Apelido: Morada: Localidade: Código Postal - Telefone: Telemóvel: E

Leia mais

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses

iagnóstico de Situação Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses No Marco Sabemos Mais Sobre @ Doenças Sexualmente Transmissíveis / Métodos Contracetivos (SMS@DST) Dia iagnóstico de Situação na Escola Secundária com 3º Ciclo do Marco de Canaveses Realizado pela: ASSOCIAÇÃO

Leia mais

VAMOS FALAR SOBRE. AIDS + DSTs

VAMOS FALAR SOBRE. AIDS + DSTs VAMOS FALAR SOBRE AIDS + DSTs AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS. A Motivação no Ensino Aprendizagem. Questionário sobre as aulas de Inglês

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS. A Motivação no Ensino Aprendizagem. Questionário sobre as aulas de Inglês Anexo 2 INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS A Motivação no Ensino Aprendizagem Questionário sobre as aulas de Inglês O objectivo deste questionário é ajudar-te a teres um conhecimento melhor de ti próprio

Leia mais

Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2

Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2 Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2 Fases do método PHAST... 3 1. Técnica: Historias Comunitárias... 4 2. Técnica: Enfermeira Felicidade... 5 3. Técnica: Mapeamento comunitário... 6

Leia mais

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa

A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa NSW Health Factsheet - Portuguese A relação entre a tuberculose e o VIH/HIV Folha Informativa The connection between TB and HIV Esta é uma folha informativa sobre tuberculose (TB) e o Vírus de Imunodeficiência

Leia mais

O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões de crianças e jovens.

O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões de crianças e jovens. Os Serviços de Saúde Amigos das Crianças Crianças e Jovens: digam-nos o que pensam! O Conselho da Europa é uma organização internacional com 47 países membros. O seu trabalho afecta a vida de 150 milhões

Leia mais

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS

cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS cartões de bolso serié 3 Transmissão das ITS 1 O que são ITS? São infecções causadas por vírus, bactérias ou outros micróbios, que se transmitem de pessoas infectadas para outras, através das relações

Leia mais

Ficha de Actividade. - Identificar formas de contágio da doença e comportamentos de risco;

Ficha de Actividade. - Identificar formas de contágio da doença e comportamentos de risco; Ficha de Actividade Actividade: Trabalho de grupo e debate (continuação do tema A Sida) Objectivos: - Fomentar o trabalho de grupo; - Identificar formas de contágio da doença e comportamentos de risco;

Leia mais

Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul. Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5

Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul. Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5 Escola E.B. 2/3 Ciclos do Paul Trabalho elaborado por: Frederico Matias 8ºA nº8 João Craveiro 8ºA nº5 Introdução Este trabalho foi-nos proposto na aula de Área de Projecto pela Professora. Pretendemos

Leia mais

Infecções sexualmente transmissíveis

Infecções sexualmente transmissíveis Escola secundária com 2º e 3º ciclos Anselmo de Andrade Infecções sexualmente transmissíveis 9ºD Ciências Naturais 2011/2012 Professora: Isabel Marques Trabalho realizado por: Inês Pinto nº9 Mariana Cantiga

Leia mais

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida?

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Para NÃO APANHAR nas relações intimas e sexuais: 1. Não fazer sexo enquanto não se sentir preparado para usar o preservativo (pode experimentar primeiro

Leia mais

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT APOIO: Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD Casa de Cultura da Beira/CCB CERjovem ATENÇAÕ MULHER MENINA! Fundação Portugal - África RESPOSTAS

Leia mais

Área - Relações Interpessoais

Área - Relações Interpessoais Área - Relações Interpessoais Eu e os Outros ACTIVIDADE 1 Dar e Receber um Não. Dar e Receber um Sim. Tempo Previsível 60 a 90 m COMO FAZER? 1. Propor ao grupo a realização de situações de role play, em

Leia mais

EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO

EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO In: Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem /IIE Lisboa: IIE, 1994 (...) tenho de observar o mundo a partir de outra óptica, outra lógica, e outros métodos

Leia mais

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis

Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis Guião Terceira Sessão Infeções Sexualmente Transmissíveis SLIDE 1 Introdução do trabalho: Bom dia, estamos aqui para falar a cerca das infeções sexualmente transmissíveis, os problemas associados e o modo

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque é um parceiro VIH positivo numa relação com um homem.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque é um parceiro VIH positivo numa relação com um homem. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INICIAL - HOMEM VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Após inscrição no estudo, os participantes devem preencher este questionário de avaliação inicial. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado. Após o

Leia mais

LIÇÃO Interacção na Internet - Web 2.0

LIÇÃO Interacção na Internet - Web 2.0 LIÇÃO Interacção na Internet - Web 2.0 Idade-alvo recomendada: 11 anos Guia da lição Os alunos irão desenvolver uma compreensão básica das considerações de segurança envolvidas na comunicação online. Objectivos

Leia mais

4ª - Sim, já instalei o programa em casa e tudo. Vou fazer muitas músicas e gravar-me a cantar nelas também.

4ª - Sim, já instalei o programa em casa e tudo. Vou fazer muitas músicas e gravar-me a cantar nelas também. Entrevistas: Por escrito: A_5: 1ª - É fazer uma música sozinha, como eu gosto, com a ajuda do computador. Abrimos a Ableton Live, criamos as faixas que precisamos, escolhemos a forma e como é que cada

Leia mais

CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA

CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA CONSELHO CIENTÍFICO-PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE ESTÁGIO, PROJECTO, OFICINA DE FORMAÇÃO E CÍRCULO DE ESTUDOS Formulário de preenchimento obrigatório,

Leia mais

2. REDUZINDO A VULNERABILIDADE AO HIV

2. REDUZINDO A VULNERABILIDADE AO HIV 2. REDUZINDO A VULNERABILIDADE AO HIV 2.1 A Avaliação de risco e possibilidades de mudança de comportamento A vulnerabilidade ao HIV depende do estilo de vida, género e das condições socioeconómicas. Isso

Leia mais

GERAL INSTRUÇÕES. portuguese

GERAL INSTRUÇÕES. portuguese 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 2 3 4 5 6 1 2 3 GERAL portuguese Este jogo destina-se a famílias e comunidades onde as pessoas são hiv+ ou têm SIDA. Ele foi desenvolvido

Leia mais

Eu sei o que quero! Eu compro o que quero!

Eu sei o que quero! Eu compro o que quero! Eu sei o que quero! Eu compro o que quero! As pessoas com dificuldades de aprendizagem têm o poder para escolher os seus serviços de apoio. Este folheto está escrito em linguagem fácil. O que é um consumidor?

Leia mais

SEXUALIDADE NA EDUCAÇÃO: PRÁTICAS INTEGRATIVAS SOBRE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS

SEXUALIDADE NA EDUCAÇÃO: PRÁTICAS INTEGRATIVAS SOBRE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS SEXUALIDADE NA EDUCAÇÃO: PRÁTICAS INTEGRATIVAS SOBRE DOENÇAS SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS Renata de Barros Oliveira (UFPE/CAV) José Phillipe Joanou Santos (UFPE/CAV) Janaina Patrícia Dos Santos (Escola Estadual

Leia mais

1. No último ano, alguém fez uso da força para te tirar algo (roubar) que tu transportavas ou vestias?

1. No último ano, alguém fez uso da força para te tirar algo (roubar) que tu transportavas ou vestias? Questionário de Vitimação Juvenil Versão curta, Formato retrospectivo para Jovens (Magalhães, 2008; Adaptado de Hamby, Finkelhor, Ormrod & Turner, 2004) De seguida serão apresentadas algumas questões acerca

Leia mais

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO

cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO cartões de bolso serié 2 SEXO SEGURO 1 O que quer dizer sexo seguro? Sexo seguro quer dizer, práticas sexuais responsáveis sem riscos de engravidar, ou de contrair uma infecção transmitida sexualmente,

Leia mais

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro Notícias - 18/06/2009, às 13h08 Foram realizadas 8 mil entrevistas com homens e mulheres entre 15 e 64 anos. A análise das informações auxiliará

Leia mais

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015)

Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) Oficina de Formação Educação Sexual e Violência (Data de início: 28/011/2015 - Data de fim: 15/04/2015) I - Autoavaliação (formandos) A- Motivação para a Frequência da Ação 1- Identifique, de 1 (mais importante)

Leia mais

INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E HIV/AIDS: CONHECIMENTOS E PERCEPÇÃO DE RISCO DE IDOSOS DE UMA COMUNIDADE EM JOÃO PESSOA-PB

INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E HIV/AIDS: CONHECIMENTOS E PERCEPÇÃO DE RISCO DE IDOSOS DE UMA COMUNIDADE EM JOÃO PESSOA-PB INFECÇÕES SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEIS E HIV/AIDS: CONHECIMENTOS E PERCEPÇÃO DE RISCO DE IDOSOS DE UMA COMUNIDADE EM JOÃO PESSOA-PB Nívea Maria Izidro de Brito (UFPB). E-mail: niveabrito@hotmail.com Simone

Leia mais

Glossário M DIA NO CAMPO DE FUTE-

Glossário M DIA NO CAMPO DE FUTE- O HIV (VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA HUMANA) É UM VÍRUS QUE DANIFICA O SISTEMA DE DEFESA DO CORPO HUMANO. O HIV INFECTA AS CÉLULAS DO SISTEMA IMU- NOLÓGICO E DESTRÓI O SEU FUNCIONA- MENTO, LEVANDO À "IMUNODEFICIÊNCIA".

Leia mais

Escola Secundária com 3º CEB de Coruche EDUCAÇÃO SEXUAL

Escola Secundária com 3º CEB de Coruche EDUCAÇÃO SEXUAL Escola Secundária com 3º CEB de Coruche 0 EDUCAÇÃO SEXUAL INTRODUÇÃO A Educação da sexualidade é uma educação moral porque o ser humano é moral. É, também, uma educação das atitudes uma vez que, com base

Leia mais

Gtp+ PROGRAMAS E PROJETOS Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo (GTP+) Fundação em 2000, Recife-PE O Grupo de Trabalhos em Prevenção Posithivo é a única ONG da Região Nordeste do Brasil coordenada

Leia mais

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo.

Estudo PARTNER. Foi convidado a participar neste estudo porque tem uma relação em que é o parceiro VIH positivo. Informação ao participante e consentimento informado para o parceiro VIH positivo Estudo PARTNER O estudo PARTNER é um estudo levado a cabo com casais em que: (i) um parceiro é VIH positivo e o outro é

Leia mais

1.1 - Como funciona a campanha? 1.2 - Nesta campanha queremos...

1.1 - Como funciona a campanha? 1.2 - Nesta campanha queremos... Guia de Campanha ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO À CAMPANHA 1.1 - Como funciona a campanha? 1.2 - Nesta campanha queremos... 2 - APENAS QUATRO PASSOS PARA REALIZAR UM TESTE 3 - A CAMPANHA 3.1 - Fase 1 - Oferta e

Leia mais

Sexualidades e Afectos

Sexualidades e Afectos Sexualidades e Afectos A Sexualidade está sempre presente... Em todas as fases da vida: antes do nascimento quando bebés em criança na adolescência na juventude na vida adulta na maturidade quando envelhecemos

Leia mais

Material Folhas brancas e caneta. Duração Aproximadamente 25 min. Apresentação da instrutora e quebragelo Apresento o meu colega ;

Material Folhas brancas e caneta. Duração Aproximadamente 25 min. Apresentação da instrutora e quebragelo Apresento o meu colega ; Sessão nº 1 comportamento assertivo Apresentação da instrutora e dos membros; Desenvolvimento da coesão do grupo; Apresentação e discussão do programa, colheita de sugestões dos alunos para enriquecer

Leia mais

Silencioso. mas. Implacável

Silencioso. mas. Implacável Silencioso mas Implacável Autores Acácio Diniz Ana Fonte Ana Francisco André Coutinho Carla Monteiro Diana Ferreira Luís Dinis Luís Francisco Patrícia Filipe Paula dos Santos Pedro Cardeira Ricardo Santos

Leia mais

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE MAIO - 2001 Ministério da Saúde Departamento de Saúde da Comunidade 1 INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE No mês de Julho de 2001, o Programa

Leia mais

Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata.

Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata. PORTAL DA SAÚDE Síndroma da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) Saiba o que é a sida, como se transmite, como se pode prevenir e como se trata. O que é a sida? A sida (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida)

Leia mais

Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN)

Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN) Instituto Superior Técnico Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN) Núcleo de Engenharia Biológica Em primeiro lugar, a direcção do NEB gostaria de deixar claro que a resposta de forma

Leia mais

Raiz Quadrada de um Número Racional Objectivos de aprendizagem:

Raiz Quadrada de um Número Racional Objectivos de aprendizagem: 3 Raiz Quadrada de um Número Racional Objectivos de aprendizagem: No final desta lição, você será capaz de: Determinar a raiz quadrada de quadrados perfeitos. Determinar quadrados de raizes quadradas.

Leia mais

Instituições de Solidariedade Social

Instituições de Solidariedade Social Instituições de Solidariedade Social Trabalho realizado por: Alexandre d Eça, nº1 Ana Margarida Oliveira, nº3 João André Fortunato, nº14 Margarida Milheiro, nº18 9ºC Introdução O tema deste trabalho é

Leia mais

Texto: Zainab Aziz Redacção: Andrea Schmidt/Christine Harjes/Guy Degen Tradução: Maria Kremer

Texto: Zainab Aziz Redacção: Andrea Schmidt/Christine Harjes/Guy Degen Tradução: Maria Kremer LEARNING BY EAR - Aprender de Ouvido As Jovens 8º Episódio Higiene pessoal Texto: Zainab Aziz Redacção: Andrea Schmidt/Christine Harjes/Guy Degen Tradução: Maria Kremer Personagens: [Characters] Ancora:

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FOLLOW-UP - HOMEM VIH NEGATIVO

QUESTIONÁRIO DE FOLLOW-UP - HOMEM VIH NEGATIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Os participantes no estudo devem preencher o questionário de follow-up com intervalos regulares de -6 meses. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado.

Leia mais

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil.

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. É legal saber! Gravidez Transar uma única vez, pode engravidar? Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. Minha menstruação na desceu. Estou grávida? Depende. É importante cada mulher

Leia mais

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança.

Material: Uma copia do fundo para escrever a cartinha pra mamãe (quebragelo) Uma copia do cartão para cada criança. Radicais Kids Ministério Boa Semente Igreja em células Célula Especial : Dia Das mães Honrando a Mamãe! Principio da lição: Ensinar as crianças a honrar as suas mães. Base bíblica: Ef. 6:1-2 Texto chave:

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FOLLOW-UP - HOMEM VIH POSITIVO

QUESTIONÁRIO DE FOLLOW-UP - HOMEM VIH POSITIVO INSTRUÇÕES PARA A EQUIPA DO ESTUDO: Os participantes no estudo devem preencher o questionário de follow-up com intervalos regulares de - meses. Certifique-se de que é distribuído o questionário adequado.

Leia mais

OS JOVENS PORTUGUESES E O CONSUMO DE DROGAS

OS JOVENS PORTUGUESES E O CONSUMO DE DROGAS OS JOVENS PORTUGUESES E O CONSUMO DE DROGAS Tema 1, Nº 2 Junho 2001 Margarida Gaspar de Matos e Susana Fonseca Carvalhosa Equipa do Aventura Social e Saúde Estudo realizado em co-financiamento pela Faculdade

Leia mais

Construir uma estratégia

Construir uma estratégia Aula 7 Construir uma estratégia Construindo um Percurso - Programa de Empreendedorismo para o 3º Ciclo do Ensino Básico - Aula 7 - Página: 1 / 21 Programa de Empreendedorismo para o 3º Ciclo do Ensino

Leia mais

EDUCAÇÃO SEXUAL E AFETIVA

EDUCAÇÃO SEXUAL E AFETIVA Nome: N.º: Ano/Turma: A. Lê o texto da página 3, A adolescência, e assinala verdadeiro ou falso. 1. A puberdade é marcada pela entrada em funcionamento dos órgãos sexuais. 2. Os rapazes entram mais cedo

Leia mais

Resumo do Protocolo Partner

Resumo do Protocolo Partner Resumo do Protocolo Partner Estudo em casais serodiscordantes em relação ao VIH para estimativa da taxa de transmissão de VIH e investigação de factores associados à utilização de preservativo. Partners

Leia mais

Tema 1, Nº 1 Junho 2001

Tema 1, Nº 1 Junho 2001 Tema 1, Nº 1 Junho 2001 Margarida Gaspar de Matos e Susana Fonseca Carvalhosa Equipa do Aventura Social e Saúde Estudo realizado no âmbito do protocolo entre a Faculdade de Motricidade Humana e o Gabinete

Leia mais

O jardim de infância. Informações destinadas aos pais. na região de língua alemã do cantão de Berna. Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna

O jardim de infância. Informações destinadas aos pais. na região de língua alemã do cantão de Berna. Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna O jardim de infância na região de língua alemã do cantão de Berna Informações destinadas aos pais Direcção da Instrução Pública do Cantão de Berna Ficha técnica: Edição e Copyright: Direcção da Instrução

Leia mais

Vera L. Cardoso Neto encontra-se a realizar uma Dissertação de Mestrado intitulada ão e Formação: uma Trajetória de Reconciliação com o Sistema

Vera L. Cardoso Neto encontra-se a realizar uma Dissertação de Mestrado intitulada ão e Formação: uma Trajetória de Reconciliação com o Sistema Anexos 71 Anexo I Exmo. Sr. Encarregado de Educação Vera L. Cardoso Neto encontra-se a realizar uma Dissertação de Mestrado intitulada ão e Formação: uma Trajetória de Reconciliação com o Sistema Este

Leia mais

Competências Parentais

Competências Parentais ExpressARTE Recursos Didácticos para Aprender a Ser Mais Guia do Formador drmadorr1manda Competências Parentais Autor: Inês Eugénio Título: Competências Parentais Coordenação da Mala Formativa: Graça Pinto,

Leia mais

Projecto de Desenvolvimento Escolar Comenius Acção Comenius 1 - Parcerias entre escolas

Projecto de Desenvolvimento Escolar Comenius Acção Comenius 1 - Parcerias entre escolas Projecto de Desenvolvimento Escolar Comenius Acção Comenius 1 - Parcerias entre escolas Avaliação: um passo determinante para a implementação da qualidade no ensino O objectivo deste projecto é a compreensão

Leia mais

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Secretaria Regional da Saúde Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Na sequência dos comunicados emitidos pela Direcção Regional da Saúde e atendendo à informação oficial disponível,

Leia mais

RESOLUÇÃO DE CONFLITOS

RESOLUÇÃO DE CONFLITOS RESOLUÇÃO DE CONFLITOS Todas as relações interpessoais implicam duas pessoas distintas e únicas, pelo que é natural que possam ocorrer situações em que não se está de acordo, em que se têm opiniões e pontos

Leia mais

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social Semana da Liberdade de Escolha da Escola / School Choice Week & I Conferência da Liberdade de Escolha da Escola / 1st School Choice Conference Guião de apoio para divulgação junto da Comunicação Social

Leia mais

EM BUSCA DO TESOURO DAS FAMÍLIAS INSTRUÇÕES PARA AVALIAÇÃO DO PROGRAMA E UTILIZAÇÃO DOS INSTRUMENTOS:

EM BUSCA DO TESOURO DAS FAMÍLIAS INSTRUÇÕES PARA AVALIAÇÃO DO PROGRAMA E UTILIZAÇÃO DOS INSTRUMENTOS: INSTRUÇÕES PARA AVALIAÇÃO DO PROGRAMA E UTILIZAÇÃO DOS INSTRUMENTOS: Caro/a dinamizador(a) de grupo/técnico(a): Começamos por agradecer a sua colaboração na avaliação do programa. Este é um passo fundamental

Leia mais

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer.

Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. CAPITULO 3 Ele não é o Homem que eu pensei que era. Ele é como é. Não se julga um Homem pela sua aparência.. Tudo tem um tempo. Uma hora para nascer e uma hora para morrer. Eu costumava saber como encontrar

Leia mais

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente

Carrefour Guarujá. O que é DST? Você sabe como se pega uma DST? Você sabe como se pega uma DST? Enfermeira Docente Carrefour Guarujá Bárbara Pereira Quaresma Enfermeira Docente Enfª Bárbara Pereira Quaresma 2 O que é DST? Toda doença transmitida através de relação sexual. Você sabe como se pega uma DST? SEXO VAGINAL

Leia mais

Manual de Access 2007

Manual de Access 2007 Manual de Access 2007 Índice Introdução... 4 Melhor que um conjunto de listas... 5 Amizades com relações... 6 A Estrutura de uma Base de Dados... 8 Ambiente do Microsoft Access 2007... 9 Separadores do

Leia mais

Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN)

Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN) Instituto Superior Técnico Programa de Estágios do Núcleo de Engenharia Biológica (PEN) Núcleo de Engenharia Biológica Em primeiro lugar, a direcção do NEB gostaria de deixar claro que a resposta de forma

Leia mais

Anexo A - A UTILIZAÇÃO DAS TIC PELOS ALUNOS (Questionário)

Anexo A - A UTILIZAÇÃO DAS TIC PELOS ALUNOS (Questionário) ANEXOS Anexo A - A UTILIZAÇÃO DAS TIC PELOS ALUNOS (Questionário) 153 A UTILIZAÇÃO DAS TIC PELOS ALUNOS (ESCOLA E.B. 2,3 DE SOURE 7.º Ano de Escolaridade) QUESTIONÁRIO A tua colaboração no preenchimento

Leia mais

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes Como fazes os teus trabalhos escritos? Há dois métodos para fazer trabalhos 1-Vais à Net copias a informação, colas num novo documento, imprimes e já está! 2-Pesquisas informação em fontes diversas, retiras

Leia mais

Mulher, 35 anos, terceira gestação, chega em início de trabalho de parto acompanhada do marido que tossia muito e comentou com a enfermeira que

Mulher, 35 anos, terceira gestação, chega em início de trabalho de parto acompanhada do marido que tossia muito e comentou com a enfermeira que Mulher, 35 anos, terceira gestação, chega em início de trabalho de parto acompanhada do marido que tossia muito e comentou com a enfermeira que estava em tratamento para tuberculose. A mulher informa que

Leia mais

ESSA CAMPANHA VAI COLAR!

ESSA CAMPANHA VAI COLAR! ESSA CAMPANHA VAI COLAR! O selo postal é um importante veículo de comunicação dos valores de uma sociedade. Com a emissão dos 8 (oito) selos apresentados nesta Cartilha, os Correios, por meio da Filatelia,

Leia mais

O que é o Voluntariado? O que é ser Voluntário? Quais são os meus direitos como voluntário? Quais são os meus deveres enquanto voluntário?

O que é o Voluntariado? O que é ser Voluntário? Quais são os meus direitos como voluntário? Quais são os meus deveres enquanto voluntário? Perguntas frequentes sobre o voluntariado e sobre todos os pontos importantes sobre o Festival, de forma a ficares esclarecido com todas as tuas dúvidas. O que é o Voluntariado? Voluntariado é um conjunto

Leia mais

A Tua Frase Poderosa. Coaches Com Clientes: Carisma. Joana Areias e José Fonseca WWW.COACHESCOMCLIENTES.COM

A Tua Frase Poderosa. Coaches Com Clientes: Carisma. Joana Areias e José Fonseca WWW.COACHESCOMCLIENTES.COM A Tua Frase Poderosa Coaches Com Clientes: Carisma Joana Areias e José Fonseca WWW.COACHESCOMCLIENTES.COM Introdução Neste pequeno texto pretendo partilhar contigo onde os coaches falham ao apresentarem-se

Leia mais

O que procuramos está sempre à nossa espera, à porta do acreditar. Não compreendemos muitos aspectos fundamentais do amor.

O que procuramos está sempre à nossa espera, à porta do acreditar. Não compreendemos muitos aspectos fundamentais do amor. Capítulo 2 Ela representa um desafio. O simbolismo existe nas imagens coloridas. As pessoas apaixonam-se e desapaixonam-se. Vão onde os corações se abrem. É previsível. Mereces um lugar no meu baloiço.

Leia mais

SENTE FAZ PARTILHA IMAGINA. Kit do Professor

SENTE FAZ PARTILHA IMAGINA. Kit do Professor Kit do Professor A Associação High Play pretende proporcionar a crianças e jovens um Projecto Educativo preenchido de experiências positivas que permitam o desenvolvimento de competências transversais

Leia mais

6 Estimular a Criatividade

6 Estimular a Criatividade OZARFAXINARS N.2 DEZEMBRO 2005 121 6 Estimular a Criatividade Como aspecto menos valorizado pela Escola, a criatividade pode estimular novas formas de o jovem se relacionar com o mundo, desenvolvendo atitudes

Leia mais

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos.

Entrevista A2. 2. Que idade tinhas quando começaste a pertencer a esta associação? R.: 13, 14 anos. Entrevista A2 1. Onde iniciaste o teu percurso na vida associativa? R.: Em Viana, convidaram-me para fazer parte do grupo de teatro, faltava uma pessoa para integrar o elenco. Mas em que associação? Na

Leia mais

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste

LEITURA DA ENTREVISTA 2. E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste LEITURA DA ENTREVISTA 2 E Boa tarde. Desde já quero agradecer-lhe a sua disponibilidade para colaborar neste trabalho que estou a desenvolver. Como lhe foi explicado inicialmente, esta entrevista está

Leia mais

GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA. 2º Momento

GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA. 2º Momento 4.1.8. Orientação específica de codificação: Entrevista a educadoras de infância (2º momento) (2001) GUIÃO DE ENTREVISTA ÀS EDUCADORAS DE INFÂNCIA 2º Momento I. Questões sobre a modalidade de prática pedagógica

Leia mais

DSTs. Como é contraída; Como evitar; Como tratar. PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello

DSTs. Como é contraída; Como evitar; Como tratar. PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello DSTs Como é contraída; Como evitar; Como tratar PIBID:Fernanda Alves,Fernanda Gallon,Luciana Catardo e Priscila Faccinello O que são DSTs? A sigla DSTs quer dizer doenças sexualmente transmissíveis;ou

Leia mais

Seminário Sobre Reunir Registros

Seminário Sobre Reunir Registros Seminário Sobre Reunir Registros Esta lição e seus recursos de aprendizado podem ser usados para preparar um seminário de três a quatro horas sobre preparar, reunir, processar e entregar os registros a

Leia mais

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo

Agrupamento de Escolas Pioneiras da Aviação Portuguesa EB1/JI Vasco Martins Rebolo Era uma vez a família Rebolo, muito simpática e feliz que vivia na Amadora. Essa família era constituída por quatro pessoas, os pais Miguel e Natália e os seus dois filhos Diana e Nuno. Estávamos nas férias

Leia mais

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos

Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Dicas para você trabalhar o livro Menino brinca de boneca? com seus alunos Caro professor, Este link do site foi elaborado especialmente para você, com o objetivo de lhe dar dicas importantes para o seu

Leia mais

Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês

Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês 09 dezembro de 2010 Transmissão do HIV/aids e sífilis de mães para seus bebês Mais da metade das novas infecções pelo HIV/aids que ocorrem no Brasil atinge adolescentes e jovens com idade entre 15 e 24

Leia mais

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?)

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ação nº41/2012 Formadora: Madalena Moniz Faria Lobo San-Bento Formanda: Rosemary Amaral Cabral de Frias Introdução Para se contar histórias a crianças,

Leia mais

OZARFAXINARS N.2 DEZEMBRO 2005 81 4 APRENDER A PENSAR

OZARFAXINARS N.2 DEZEMBRO 2005 81 4 APRENDER A PENSAR OZARFAXINARS N.2 DEZEMBRO 2005 81 4 APRENDER A PENSAR A organização cognitiva é algo muito pessoal. É também flexível, sofrendo desejável reestruturação no contacto com o Outro e com recurso a técnicas

Leia mais

Actividade: Criar um e-mail e trocar mensagens

Actividade: Criar um e-mail e trocar mensagens Apêndice 7 A Nota Explicativa Actividade: Criar um e-mail e trocar mensagens A aplicação desta actividade pretende dotar os alunos de competências básicas relacionadas com a utilização do e-mail como uma

Leia mais

GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL

GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL GUIA PARA OS PAIS - EDUCAÇÃO INFANTIL O QUE É? É um processo educativo que oscila entre a inserção e a autonomia. É uma etapa do sistema de educação que tem como objectivo proporcionar às crianças experiências

Leia mais

Plano de aula incluindo recursos multimédia de Química

Plano de aula incluindo recursos multimédia de Química Grupo de Multimédia, Ensino e Fronteiras da Química Centro de Investigação em Química da Universidade do Porto CIQ (U.P.) Plano de aula incluindo recursos multimédia de Química Título: Camada de ozono

Leia mais

GRUPOS NIVEL SUBNÍVEL INSTRUÇÃO RESPOSTA

GRUPOS NIVEL SUBNÍVEL INSTRUÇÃO RESPOSTA JOGO 1 NIVEL 1 Exemplos de instruções e respostas que podem ser utilizadas nos oito contextos. CONTEXTUALIZAÇÃO DESENVOLVER A COMPREENSÃO SEMÂNTICA AUMENTO DO VOCABULÁRIO VISUAL IDENTIFICAÇÃO DE ELEMENTOS

Leia mais

Levantamento do Impacto Plataforma de Beijing no desenvolvimento da rapariga

Levantamento do Impacto Plataforma de Beijing no desenvolvimento da rapariga Levantamento do Impacto Plataforma de Beijing no desenvolvimento da rapariga Há 20 anos atrás, no mês de Setembro, as Nações Unidas realizaram a Quarta Conferência sobre a Mulher em Beijing, China. Neste

Leia mais

PARTE A. Instituto da AIDS Consentimento Informado para fazer o exame de HIV

PARTE A. Instituto da AIDS Consentimento Informado para fazer o exame de HIV DEPARTAMENTO DE SAÚDE DO ESTADO DE NOVA YORK Instituto da AIDS Consentimento Informado para fazer o exame de HIV O exame de HIV é voluntário. O consentimento pode ser revogado a qualquer momento, mediante

Leia mais

PERGUNTAS FREQUENTES:

PERGUNTAS FREQUENTES: PERGUNTAS FREQUENTES: (Para veres as respostas clica na pergunta) 1. O que fazer após a realização da candidatura? 2. Onde posso ver os dados para efectuar o pagamento da candidatura? 3. Como posso actualizar

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Corro o risco de contrair Hepatite B?

Corro o risco de contrair Hepatite B? Corro o risco de contrair Hepatite B? O que é? A hepatite B é um vírus que infecta o fígado e pode provocar doenças graves do fígado. O fígado é um órgão importante e é responsável por destruir os alimentos

Leia mais