Editorial EDITORIAL. MeGAZINE 3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Editorial EDITORIAL. MeGAZINE 3"

Transcrição

1

2

3 EDITORIAL Editorial Olá amigos, THE CLUB Av. Celso Ferreira da Silva, 190 Jd. Europa - Avaré - SP - CEP Informações: (0xx14) Suporte: (0xx14) Fax: (0xx14) Internet Cadastro: Suporte: Informações: Dúvidas Correspondência ou fax com dúvidas devem ser enviados ao - THE CLUB, indicando "Suporte". Opinião Se você quer dar a sua opinião sobre o clube em geral, mande a sua correspondência para a seção "Tire sua dúvida". Reprodução A utilização, reprodução, apropriação, armazenamento em banco de dados, sob qualquer forma ou meio, de textos, fotos e outras criações intelectuais em cada publicação da Revista The Club são terminantemente proibidos sem autorização escrita dos titulares dos direitos autorais. Estamos aqui com mais uma edição da The Club Megazine, tão esperada por todos nós! Começamos esta edição com um artigo do nosso consultor Claudinei Rodrigues, onde atendendo solicitações de vários associados, demonstra como criar um Control Panel Extension, ou seja, um item no Painel de Controle do Windows. Ainda falando em controles do Windows, nosso consultor André Colavite aborda em seu artigo como criar uma aplicação para rodar como serviço no Windows, utilizando a classe TService do Delphi. Nosso amigo Emerson Faculte traz um artigo bem diferente de seus artigos anteriores e aborda a metodologia XP, não deixe de conferir! Na seqüência, apresentamos duas dicas bem interessante a respeito do controle RichEdit e criação de hyperlinks em aplicações Delphi. A matéria de capa deste mês é do nosso consultor Alessandro Ferreira, onde ele apresenta 10 dicas bem interessante acerca do controle DBGrid, não deixe de conferir! Prosseguindo com sua série de artigos e rumo a publicação de seu livro, nosso amigo Marcelo Nogueira fala da importância de métricas no processo de produção de software, vale a pena conferir. E finalizando, trazemos nossa consagrada sessão Perguntas e Respostas, com algumas das solicitações que chegaram até nossos consultores neste mês. Abraço e sucesso à todos, até a próxima! Copyright The Club 2005 Impressão e acabamento: GRAFILAR Tel.: (0xx14) Fax: (0xx14) Rua Cel. Amando Simôes, Cep São Manuel - SP Tiragem: exemplares Diretor - Presidente Celso Jefferson M. Paganelli Diretor Técnico Mauro Sant Anna Colaboradores Emerson Facunte, Marcelo Nogueira Delphi é marca registrada da Borland International, as demais marcas citadas são registradas pelos seus respectivos proprietários. Celso Jefferson Paganelli Presidente - The Club Editorial Criando um Control Panel Extension Criando um Serviço do Windows via Delphi Metodologia XP - Crie coragem para um novo mundo 09 Imprimindo um RichEdit para Metafiles Adicionando Hyperlinks em seus forms DBGrid Especial - 10 dicas para facilitar seu dia-a-dia. 16 A importância da utilização de métricas no processo de produção de software Perguntas & Respostas MeGAZINE 3

4 Criando um Control Panel Extension Por Claudinei Rodrigues Nas ultimas semanas alguns de nossos associados nos ligaram para perguntar sobre como criar um arquivo.cpl. Baseado nisto resolvi escrever este artigo mostrando como executar esta tarefa. Para quem não sabe o arquivo CPL (Control Panel Extension) nada mais é do que um aplicativo reconhecido pelo Windows como conteúdo do Painel de Controle, ele possui a mesma estrutura de um arquivo executável. Este tipo de arquivo pode ser criado através do Delphi de uma forma muito simples. Other... e na palheta New selecione o ícone Control Panel Application, como está sendo mostrado na figura 2. Figura 2: Selecionando o item Control Panel Application Feito isto você terá acesso a um pequeno formulário intitulado AppletModule1 como é mostrado na figura 3. Figura 1: Painel de controle Como você pode ver cada ícone que aparece no painel de controle representa um arquivo.cpl que está localizado no diretório..windows\system32 Vamos ver agora como é simples criar um aplicativo.cpl. Vamos criar um novo projeto. No menu do Delphi vá até a opção File New Application. Feito isto eu lhe aconselharia a gravar este novo projeto. Volte ao menu do Delphi e clique na opção File Save Project As. Vamos dar ao projeto o nome MeuCPL.dpr. Agora que já estamos com o nosso projeto criado, vamos dar continuidade a criação do arquivo.cpl. Volte novamente ao menu do Delphi e clique em File New Figura 3: AppletModule O AppletModule encapsula a funcionalidade do Control Panel Applet. Tem a função de especificar como o ícone para o applet irá aparecer no painel de controle, incluindo a ajuda que aparece quando você pressiona a tecla F1. Agora vamos criar um novo form. Para isto vá até o menu do Delphi e clique em File New Form. Agora vamos voltar ao AppletModule1 e no Object Inspector acesse o evento OnActivate. 4 MeGAZINE

5 Neste evento vamos chamar o nosso form. Veja a listagem 1: procedure TAppletModule1.AppletModuleActivate(Sender: TObject; Data: Integer); Form2 := TForm2.Create(self); Form2.ShowModal; Form2.Free; Listagem 1: Evento OnActivate do TAplletModule1 Agora vamos alterar algumas propriedades do AppletModule1 da seguinte forma: AppletIcon: Ícone que vai ser exibido no Painel de Controle. Você pode selecionar um arquivo com a extensão.ico. Você pode encontrar várias imagens no diretório C:\Program Files\Common Files\Borland Shared\Images\Icons. Caption: Aqui você irá digitar o texto que irá aparecer abaixo do ícone, representando o nome da aplicação. Digite por exemplo: Meu CPL Help: Aqui você irá digitar o texto que será exibido na barra de status do painel de controle. Digite por exemplo: Meu primeiro arquivo CPL. Agora vá até o menu do Delphi na opção Project View Source e remova a criação do form que estamos utilizando neste exemplo. Veja o exemplo mostrado na listagem 2. library MeuCpl; uses CtlPanel, Unit1 in Unit1.pas {AppletModule1: TAppletModule}, Unit2 in Unit2.pas {Form2}; exports CPlApplet; {$R *.RES} {$E cpl} Application.Initialize; Application.CreateForm(TAppletModule1, AppletModule1); //Application.CreateForm(TForm2, Form2); Application.Run; end. Listagem 2: Arquivo MeuCPL.dpr. Agora salve o seu projeto. Vá até ao objeto AppletModule1, clique com o botão direito do mouse sobre ele e selecione a opção Install Control Panel Applet. Ao selecionar esta opção o Delphi irá compilar a sua aplicação e irá copiá-la para o diretório System32 do Windows. Veja a seguir mais algumas informações importantes. Propriedades do TAppletModule AppletIcon Ícone que será mostrado no Painel de Controle. Caption Texto que irá aparecer abaixo do ícone, mostrando o nome da aplicação. Help Texto que será mostrado na barra de status do painel de controle. OldCreateOrder Especifica quando os eventos OnCreate e OnDestroy ocorrem. ResidIcon Indica o número do ícone a ser exibido. Você irá utilizar esta opção apenas se você possuir vários ícones na aplicação. ResidInfo Indica o número do resource da string do help. Várias strings de Help só podem ser incluidos através de um editor de recursos. ResidName Indica o número do resource da string referente ao Caption. Vários Captions só podem ser incluídos através de editor de recursos. Eventos do TAppletModule OnActivate Ocorre quando o usuário inicia a aplicação através do painel de controle. OnCreate Ocorre quando o AppletModule é instanciado. OnDestroy Ocorre quando o AppletModule é removido da memória. OnInquiry Ocorre quando o Painel de Controle lê as informações de recurso do aplicativo, como ícones, textos e outros. OnNewInquiry Ocorre quando o Painel de Controle lê as informações de recurso que foram modificadas. OnStartWParams Ocorre quando o aplicativo é iniciado por outro aplicativo, e não pelo usuário. OnStop Ocorre quando o Painel de Controles inicia o processo de ShutDown do aplicativo. Conclusão Este foi um exemplo bem simples de criação de um arquivo.cpl. Espero que todos tenham gostado e até a próxima. Arquivo para download: download/cpl zip Sobre o autor Claudinei Rodrigues, Consultor Técnico do The Club MeGAZINE 5

6 Criando um Serviço do Windows via Delphi por André Colavite Um serviço do Windows é um aplicativo 32 bits que pode ser executado sem necessitar que um usuário esteja logado. Neste artigo iremos apresentar como criar, instalar e configurar um serviço do windows escrito em Delphi. Serviços no windows podem ter diversas funcionalidades, olhando os serviços que estão rodando podemos encontrar Web Server, FTP server, firewall, entre outros. Serviços podem ser executados de duas maneiras, automaticamente ou manualmente e eles podem ser desligados. Criando o Projeto O nosso projeto terá uma funcionalidade bem simples, pois iremos monitorar um determinado diretório a cada 30 segundos verificando se foi descarregado algum arquivo neste diretório. Caso encontre algum arquivo iremos apresentar um ShowMessage, mas isso somente é para mostrar que o serviço pode interagir com o Desktop, pois na verdade devemos tirar o ShowMessage para que o Serviço possa ser executado livremente. Vamos criar o nosso projeto, sendo assim estando com o Delphi aberto, selecione o menu File / New e escolha a opção Service Application. Em seguida grave o projeto como MonitoraDir.dpr e a unit com umonitor.pas. Abrindo o arquivo.dpr podemos encontrar o seguinte código: program MonitoraDir; uses SvcMgr, umonitor in umonitor.pas {Service1: TService}; {$R *.RES} Application.Initialize; Application.CreateForm(TService1, Service1); Application.Run; end. Podemos observar que o código é bem parecido com um projeto comum do Delphi, porem a variável Application não é do tipo TApplication e sim do tipo TServiceApplication. Na unit umonitor podemos observar que o código gerado é similar a um DataModule. E como um DataModule, você somente pode trabalhar com componente não visuais. Se tentar colocar um componente visual receberá uma mensagem de exceção. Configurando o Serviço. Propriedades: Visualizando o Service1 que foi criado encontramos algumas propriedades que podem ser configuradas através do Object Inspector, abaixo vamos descrever um pouco algumas das propriedades mais importantes: AllowPause: Indica se o cliente pode dar uma pausa (Pause) e reiniciar a execução do Serviço. Quando está com o valor True, o evento onpause ocorre antes 6 MeGAZINE

7 do serviço ser pausado e o evento oncontinue ocorre quando o serviço é reiniciado. AllowStop: Indica se o cliente pode parar (Stop) o serviço. Quando está com o valor True, o evento onstop ocorre antes do serviço ser parado. DisplayName: Identifica o nome do serviço no Microsoft Management Console. Coloque nesta propriedade o nome como MonitorDir. ErrorSeverity: Indica o controle do serviço se houver falha quando o mesmo for iniciado. As opções que podemos adotar estão listadas a seguir: esignore <-> Gera um Log de erro e continua. esnormal <-> Gera um Log de erro, apresenta uma mensagem e continua; essevere <-> Gera um Log de erro e continua somente se o última configuração conhecida for iniciada. escritical <-> Gera um Log de erro e inicia a última configuração instanciada. Se esta é a última configuração a operação de inicialização é falhada. Interactive: Indica se o serviço poderá ter comunicação com o Desktop, por exemplo ShowMessage. Coloque True nesta propriedade para mostrar o nosso ShowMessage; ServiceStartName é o nome da conta a qual o serviço processado é logado e quando é executado. Password é a senha utilizada pela conta indicada da propriedade ServiceStartName para acessar o serviço. ServiceType: Indica o tipo do serviço. Para um serviço Win32 devemos configurá-lo como stwin32. StartType: especifica como e porque o serviço é inicializado. Os valores disponíveis são, stauto, stboot, stdisabled, stmanual ou stsystem. Para um serviço Win32 somente podemos utilizar os valores Auto e Manual. Eventos BeforeInstall e AfterInstall: Ocorre imediatamente antes e após o serviço ser registrado no Console; BeforeUninstall e AfterUninstall: Ocorre imediatamente antes e após o serviço ser removido do Console; oncontinue: Ocorre quando o serviço é reiniciado. Após isso o mesmo pode ser pausado. onexecute: Ocorre quando o serviço é iniciado. Neste evento iremos colocar um while que irá verificar enquanto o serviço estiver rodando, veja exemplo: procedure TService1.ServiceExecute(Sender: TService); // init... while not Terminated do ServiceThread.ProcessRequests(True);// wait for termination // exit... Coloque um componente Timer no projeto e volte ao evento onexecute onde iremos colocar também a instrução para habilitar e desabilitar o componente Timer ao qual irá monitorar o diretório. Veja como ficará a instrução do evento: procedure TService1.ServiceExecute(Sender: TService); Timer1.Enabled := True; while not Terminated do ServiceThread.ProcessRequests(True);// wait for termination Timer1.Enabled := False; No componente Timer iremos configurar a propriedade Interval com o valor ao qual indica que o seu evento ontimer será disparado a cada 30 segundos. A propriedade Enabled deixaremos igual a False para que o timer seja processado somente quando o Serviço estiver em funcionamento. No evento ontimer colocaremos a instrução que irá monitorar o diretório verificando se algum arquivo é gravado no mesmo. O evento ficará da seguinte forma: procedure TService1.Timer1Timer(Sender: TObject); var path: string; SearchRec : TSearchRec; // Desliga o timer somente para processar o evento Timer1.Enabled := False; path := C:\CONTROLE\ ; MeGAZINE 7

8 try // Verifica se existe algum arquivo no diretório especificado if FindFirst(path+ *.*, faarchive, SearchRec) = 0 then ShowMessage( Foi encontrado o arquivo +SearchRec.Name+ no diretório especificado. ); finally FindClose(SearchRec); // Liga o timer ao final do processo Timer1.Enabled := True; Pronto nosso código está pronto, agora iremos instalar e executar o serviço. Instalando o Serviço Para instalar o serviço, devemos primeiro compilar o projeto MonitoraDir e depois executá-lo com o parametro /INSTALL na linha de comando, conforme figura 1: Figura 2. neste diretório que iremos pesquisar os arquivos. Para testar simplesmente copie ou crie um arquivo dentro deste diretório, sendo assim quando o serviço encontrar o arquivo um ShowMessage é apresentado, conforme figura 3. Figura 3. Figura 1. Para desinstalar utilize o /UNINSTALL. Uma vez que o serviço esteja instalado, você pode visualizá-lo através do Console. Para acessar o console no Windows XP, acesse o menu Iniciar / Painel de controle / Ferramentas Administrativas e em seguida selecione o ícone Serviço. Pronto será aberto o Console conforme figura 2. Observe que o nosso serviço está configurado como automático, porém não está funcionando ainda. Nós devemos iniciá-lo explicitamente pelo menos a primeira vez. Clique com o botão direito do mouse sobre o Serviço MonitorDir e selecione a opção Iniciar, pronto o mesmo já começou a trabalhar. Não se esqueça de criar o diretório C:\CONTROLE pois é Lembre-se o Serviço irá buscar arquivos no diretório a cada 30 segundos, portanto após colocar o arquivo pode demorar alguns segundos para que o mesmo seja visível. Conclusão Bem, aqui podemos observar que criar um serviço para rodar do windows através do Delphi é bastante simples, espero que tenham gostado e até a próxima. Download do projeto de exemplo: Sobre o autor André Colavite Consultor Técnico do The Club 8 MeGAZINE

9 Metodologia XP Crie coragem para um novo mundo por Emerson Facunte Salve DotNetianos! Vocês já ouviram falar em extreme Programming (XP)? Segundo o criador da metodologia XP, Kent Beck, Extreme Programming é uma metodologia ágil para equipes pequenas e médias, desenvolvendo software com requisitos vagos e em constante mudança. Com XP você desenvolve software com maior precisão, envolvendo todas as pessoas do ciclo de desenvolvimento. Desde o usuário, até os gerentes e diretores. Vejamos os princípios básicos do XP. Simplicidade Em todos as fases do projeto, a simplicidade deve imperar, seja na análise do requisito, nos testes, até a execução do projeto. Comunicação Importante em qualquer situação. Deve haver comunicação entre equipes e clientes, clientes, entre as próprias equipes e equipes e gerentes. Feedback Feedback de informações entre os membros da equipe e também na relação com o cliente, desde responder s, telefonemas e demais meios. Devido a isso, é um mecanismo para melhorar a prática de comunicação explanada acima. Coragem Saber dizer NÃO quando necessário, ou então para dizer que o projeto vai demorar além do estimado, pois os novos requisitos precisam ser codificados ou o código já em funcionamento precisa ser refatorado. Ter coragem para cobrar desenvolvedores, clientes, gerentes, enfim, todos os envolvidos do processo. Características Mudanças de requisitos são bem-vindas, a qualquer momento durante o projeto. Todo código de produção é programado em duplas (pair programming). A medição de progresso num projeto XP é feita através de funcionalidade em execução e não através de documentação obscura para o cliente. Diferente do que ocorre no RAD, num projeto XP o código está sempre na sua forma mais manutenível, mais extensível e mais clara possível. O cliente pode começar a testar o produto. Qualquer desenvolvedor pode trabalhar em qualquer código fonte (o fonte não está restrito a um desenvolvedor, ele não é o dono do fonte). Não há necessidade de documentação de projeto durante o desenvolvimento. Todo código é testado por meio de units de testes (exemplo: DUNIT). Todos os scripts de teste são desenvolvidos ANTES do respectivo código; O design é feito DEPOIS da implementação e não antes; XP requer muita disciplina por parte da equipe. Embora a disciplina não seja burocrática. XP dá aos gerentes incomparável agilidade na alocação e desalocação de desenvolvedores em seus projetos. MeGAZINE 9

10 Vejamos os passos para o desenvolvimento: Release Planning Propriedades, releases, estimativas, entre outras Interation Planning Diretrizes, iterações StandUp Meeting Respostas aos problemas de interação Pair Negotiation Resposta aos problemas diários Continuous integration Testes CRC e tarefas cumpridas Unit Testing Detalhes Pair Programming (Programação em Pares) Confirmação, desenvolvimento em si. A quem se destina? Grupos de dois a 12 programadores Projetos de 1 a 36 meses Mil a 250 mil linhas de código Ambientes dinâmicos com mudanças freqüentes Quando não usar XP? Quando clientes ou programadores não aceitam as regras do jogo Grupos grandes Não é possível realizar testes Feedback rápido não é possível Custo das mudanças é exponencial Comparativo entre metodologias ágeis e tradicionais (planejamento) (ver tabela). O objetivo deste artigo é o de despertar interesse na metodologia XP e não ensiná-la de maneira plena. Como sugestão, relacionei os livros consultados, bem como alguns sites interessantes sobre a metodologia. Bibliografia e fontes consultadas - Programação Extrema (XP) Explicada Acolha as mudanças Beck, Kent Editora Bookman, 2004 ISBN Extreme Programming Guia Prático Astel,Dave; Mille, Granville Editora Campus, 2002 Para saber mais Sobre o autor Facunte é co-owner Framework.Net Microsoft, evangelista de aplicações e-business, publicou 6 livros e mais de 80 artigos, ministrou palestra para cerca de pessoas em todo o país (Borcon, TechWeek-SP-POA-RJ,.Net 2005 RoadShow), membro-fundador do DUG-BR, lider do grupo Go.Net, consultor sênior do grupo DevMedia e Arquiteto de Software do Grupo Saraiva. Nos tempos livres curte programação MSX, Cinema, Basquete e uma boa pista de dança! Principais Áreas Metodologias Ágeis Metodologias guiadas por Planejamento Desenvolvedores Clientes Requisitos Ágil, voltado ao conhecimento, arranjado e colaborativo. Dedicado, voltado ao conhecimento, arranjado, colaborativo, representativo e com poder. Largamente emergentes, mudanças rápidas. Orientado ao planejamento, habilidades adequadas, acesso ao conhecimento externo. Acesso ao conhecimento, colaborativo, representativo e clientes com poder. Conhecidos previamente, largamente estáveis. Arquitetura Projetada para requisitos atuais. Projetada para requisitos atuais e futuros. Refatoração Barata. Cara. Tamanho Pequenos times e produtos. Grandes times e produtos. Objetivo Primário Valor rápido. Garantia elevada. 10 MeGAZINE

11 Imprimindo um RichEdit para Metafiles Algumas vezes, você talvez queira guardar o conteúdo de um controle rich edit em um metafile. Este artigo faz um esboço de como guardar o conteúdo deste tipo de controle em arquivos metafile avançados, uma página por metafile. O código abaixo demonstra como jogar o conteúdo de um controle rich edit para arquivos EMF (um por página). unit RichEditEMFPrint; interface uses Windows, SysUtils, RichEdit, commdlg, classes, messages, Comctrls; procedure RichEditToMetaFile(AControl : TRichEdit; AFileName : string); implementation // GetPrinterDC() // retorna uma impressora DC // use Printer Common Dialog function GetPrinterDC : HDC; var pdlg : TPRINTDLG; FillChar(pdlg, sizeof(tprintdlg), 0); pdlg.lstructsize := sizeof( TPRINTDLG ); pdlg.flags := PD_RETURNDC; PrintDlg(pdlg); Result := pdlg.hdc; // Pega o tamanho, em caracteres, // do texto no controle function GetRTFTextLength(hWndRTF : HWND) : integer; Result := SendMessage(hWndRTF, WM_GETTEXTLENGTH, 0, 0 ); // RTFToEMF Diz ao controle para // desenhar a si mesmo ao EMF // Parâmetros: // hrefdc é usado para criar o EMF // pszmetafilename é o nome do arquivo // do novo EMF (pode ser nil) // prcmeta é o RECT usado no // CreateEnhMetaFile(), em 0.01mm // unidades (não pode ser nil) // hwndrtf é o controle de interesse // nstart é o character de localização // inicial // pend é um inteiro que recebe a // posição do próximo character a // ser impresso após esta página function RTFToEMF(hRefDC : HDC; pszmetafilename : LPCTSTR; prcmeta : TRECT; hwndrtf : HWND; nstart : integer; var pend : integer) : HENHMETAFILE; var hmetadc : HDC; fr : FORMATRANGE; ntextprinted : integer; // Cria o EMF hmetadc := CreateEnhMetaFile ( hrefdc, nil ); if( hmetadc = 0 ) then MeGAZINE 11

12 Result := 0; Exit; sizeof(fr)); // Ajusta a página //(converte 0.01mm para twips) fr.rcpage.top := prcmeta.left*1440 div 2540; fr.rcpage.left := prcmeta.top*1440 div 2540; fr.rcpage.right := prcmeta.right*1440 div 2540; fr.rcpage.bottom := prcmeta.bottom*1440 div 2540; // Ajusta as margens fr.rc := fr.rcpage; // Ajusta o tamanho do texto a ser // impresso, de nstart até o fim // do documento fr.chrg.cpmin := nstart; fr.chrg.cpmax := -1; fr.hdctarget := hmetadc; fr.hdc := fr.hdctarget; // Diz ao controle para desenhar a si // mesmo em nosso (meta) DC ntextprinted := SendMessage(hWndRTF, EM_FORMATRANGE, 1, pend := ntextprinted; Result := CloseEnhMetaFile( hmetadc ); // DumpRTFToPagedEMFs demonstra o uso de // RTFToEMF() para criar um EMF // para cada página do controle RTF // Parâmetros: // hwndrtfcontrol - o controle // szemffiletitlebase nome de arquivo // base para os arquivos EMF, o número é // anexado procedure DumpRTFToPagedEMFs(hWndRTFControl : HWND; szemffiletitlebase : LPTSTR); var szmetaname : string; nrtftextlength, nstart, npage : integer; hrefdc : HDC; rcmeta : TRECT; hemf : HENHMETAFILE; // Primeiro, determine quantos // caracteres tem no RTF nrtftextlength := GetRTFTextLength ( hwndrtfcontrol ); // Pegue uma DC de referência // (baseado na impressora) hrefdc := GetPrinterDC(); // Ajuste um meta RECT para 0.01mm // unidades rcmeta := Classes.Rect( 0, 0, GetDeviceCaps(hRefDC, HORZSIZE)*100, GetDeviceCaps(hRefDC, VERTSIZE)*100 ); npage := 0; nstart := 0; while nstartdo // Loop enquanto não alcançarmos o // final do texto no controle // construa um nome de arquivo para // esta página szmetaname := Format( %s%d.emf, [szemffiletitlebase, npage]); // chame a função acima para desenhar // esta porção do RTF no EMF hemf := RTFToEMF( hrefdc, PChar(szMetaName), rcmeta, hwndrtfcontrol, nstart, nstart ); // Limpe DeleteEnhMetaFile( hemf ); inc(npage); if nstart = 0 then break; procedure RichEditToMetaFile(AControl : TRichEdit; AFileName : string); DumpRTFToPagedEMFs(AControl.Handle, PChar(AFileName)); end. 12 MeGAZINE

13 Adicionando Hyperlinks em seus forms Para adicionar um label hyperlink em seus programas, você não precisa usar controles de terceiros ou criar um novo componente complicado que você precisará adicionar à sua palete de componentes. Você pode fazer uma herança inline como mostrada abaixo. Todos os componentes TStaticText do form são herdados de um TStaticText modificado. unit Unit1; interface uses Windows, Messages, SysUtils, Variants, Classes, Graphics, Controls, Forms, Dialogs, StdCtrls, ShellAPI, Registry; type TStaticText = class(stdctrls.tstatictext) private procedure WMSetFocus(var Message: TWMSetFocus); message WM_SETFOCUS; procedure WMKillFocus(var Message: TWMSetFocus); message WM_KILLFOCUS; procedure CMMouseEnter(var Message: TMessage); message CM_MOUSEENTER; procedure CMMouseLeave(var Message: TMessage); message CM_MOUSELEAVE; procedure Draw(Active: Boolean); procedure WMKeyUp(var Message: TWMKeyUp); message WM_KEYUP; function GetAnchorColor: TColor; TForm1 = class(tform) StaticText1: TStaticText; StaticText2: TStaticText; Edit1: TEdit; procedure StaticText1Click (Sender: TObject); private { Private declarations } public { Public declarations } var Form1: TForm1; implementation {$R *.dfm} procedure TStaticText.Draw (Active: Boolean); with Self.Font do if Active then // não comente esta linha se você // quiser que o hyperlink fique em // negrito // Font.Style := Font.Style + [fsbold]; // // Você pode usar a função // GetAnchorColor para pegar as mesmas // cores âncoras do IE, mas ela lê do // registro todas as vezes // que você passer o mouse ou colocar] // este controle em foco MeGAZINE 13

14 // Obs: se você escolher não usar isto, // remova-o completamente ou você terá // um aviso de compilação: // Private symbol GetAnchorColor // declared // but never used // // Color := GetAnchorColor; // // Aqui vamos ajustar o azul como // padrão como âncora de nunca clicado Color := clblue; if not Focused then Screen.Cursor := crhandpoint; end else // não comente esta linha se você // quiser que o hyperlink fique em // negrito // Font.Style := Font.Style - [fsbold]; Color := clwindowtext; if not Focused then Screen.Cursor := crdefault; procedure TStaticText.CMMouseEnter(var Message: TMessage); inherited; Draw(True); procedure TStaticText.CMMouseLeave(var Message: TMessage); inherited; Draw(False); procedure TStaticText.WMKillFocus(var Message: TWMSetFocus); inherited; Draw(False); procedure TStaticText.WMSetFocus (var Message: TWMSetFocus); inherited; Draw(True); procedure TStaticText.WMKeyUp (var Message: TWMKeyUp); if Assigned(OnClick) and (Message. CharCode = 13) then Click; function TStaticText.GetAnchorColor: TColor; { Retornará a seção ASectionNumber do texto a partir de uma string que foi delimitada pelo delimitador passado. usage: ParseDelimetedString ( ABC,123,XYZ,,,1) returns ABC ParseDelimetedString ( ABC,123,XYZ,,,2) returns 123 } function ParseDelimitedString (AString, ADelimiter: String; ASectionNumber: Integer): String; var i, micount : integer; mstr : String; result := ; micount := 1; for i:= 1 to Length(AString) do mstr := Copy(AString,i,1); if mstr = ADelimiter then micount := micount + 1 else if micount = ASectionNumber then result := result + mstr; var Reg: TRegistry; 14 MeGAZINE

15 UseHover: Boolean; RGBString: String; Reg := TRegistry.Create; try Reg.RootKey := HKEY_CURRENT_USER; if Reg.OpenKey ( \Software\Microsoft\Internet Explorer\Settings, False) then UseHover := (Reg.ReadString ( Use Anchor Hover Color ) = yes ); if UseHover then RGBString := Reg.ReadString ( Anchor Color Hover ) end else RGBString := Reg.ReadString ( Anchor Color ) Reg.CloseKey; finally Reg.Free; Result := RGB(StrToInt (ParseDelimitedString (RGBString,,, 1)), StrToInt(ParseDelimitedString (RGBString,,, 2)),StrToInt (ParseDelimitedString (RGBString,,, 3))); // Agora é isto o que será feito quando você // clicar ou pressionar o Enter // quando ele estiver em foco procedure TForm1.StaticText1Click (Sender: TObject); ShellExecute(0, open, PChar(TStaticText(Sender).Caption),,, SW_SHOW); end. DFM Text: object Form1: TForm1 Left = 192 Top = 81 Width = 870 Height = 640 Caption = Form1 Color = clbtnface Font.Charset = DEFAULT_CHARSET Font.Color = clwindowtext Font.Height = -11 Font.Name = MS Sans Serif Font.Style = [] OldCreateOrder = False PixelsPerInch = 96 TextHeight = 13 object Edit1: TEdit Left = 97 Top = 43 Width = 121 Height = 21 TabOrder = 0 Text = Edit1 end object StaticText1: TStaticText Left = 101 Top = 84 Width = 169 Height = 17 Caption = TabOrder = 1 TabStop = True OnClick = StaticText1Click end object StaticText2: TStaticText Left = 103 Top = 119 Width = 108 Height = 17 Caption = TabOrder = 2 TabStop = True OnClick = StaticText1Click end end MeGAZINE 15

16 DBGrid Especial 10 dicas para facilitar seu dia-a-dia Sobre o autor por Alessandro Ferreira, Alessandro Ferreira, Consultor Técnico do The Club Introdução Neste artigo iremos abordar algumas dicas interessantes acerca do componente DBGrid que acompanha o Delphi, demonstrando soluções práticas para o dia-a-dia que além de facilitar sua vida, darão um toque especial em seus projetos. Vamos lá! Alinhando texto mediante condição Aqui iremos demonstrar como colorir e alinhar o texto de uma coluna do DBGrid com base em uma condição. Este tratamento será feito no evento OnDrawColumnCell do próprio DBGrid, acompanha o código abaixo: { constantes para o alinhamento } const FmtCentered = DT_SingleLine or DT_VCenter or DT_NoClip or DT_Center; FmtLeft = DT_SingleLine or DT_VCenter or DT_NoClip or DT_Left; FmtRight = DT_SingleLine or DT_VCenter or DT_NoClip or DT_Right; implementation implementation {$R *.DFM} procedure TForm1.gridCountryDrawColumnCell(Sender: TObject; const Rect: TRect; DataCol: Integer; Column: TColumn; State: TGridDrawState); var Format: integer; R: TRect; if (tabcountrycontinent.asstring = North America ) and (DataCol = 1) then gridcountry.canvas.font.color := clgreen; R := Rect; Format := FmtRight; { poderá utilizar: FmtCentered, FmtLeft, FmtRight } gridcountry.canvas.fillrect(rect); DrawText(gridCountry.Canvas.Handle, PChar(Column.Field.AsString), Length(Column.Field.AsString), R, Format); if (tabcountrycontinent.asstring = South America ) and (DataCol = 1) then gridcountry.canvas.font.color := clred; R := Rect; Format := FmtCentered; { poderá utilizar: FmtCentered, FmtLeft, FmtRight } gridcountry.canvas.fillrect(rect); DrawText(gridCountry.Canvas.Handle, PChar(Column.Field.AsString), Length(Column.Field.AsString), R, Format); 16 MeGAZINE

17 Estamos utilizando a tabela COUNTRY do alias DBDemos e verificamos o conteúdo do campo Continent. Caso seja North America iremos mudar a cor da fonte para verde e o alinhamento do texto para direita, o qual será redesenhado através da API DrawText. O resultado será parecido com o apresentado na figura abaixo. depois, se o DataSet vinculado ao DBGrid está em edição e finalmente, se a mensagem foi um click do mouse pelo botão esquerdo ou direito e cancelamos a mesma. Colocando um CheckBox em uma coluna lógica Frequentemente recebemos solicitação por parte de nossos associados de como colocar um CheckBox em uma coluna referente um campo lógico apresentada no DBGrid. Aqui irei demonstrar uma abordagem bem simples que desenha uma imagem que irá imitar um CheckBox e caso o conteúdo do campo seja verdadeiro, mostraremos uma imagem checada e do contrário uma imagem desmarcada. Neste exemplo iremos codificar os eventos: OnDrawColumnCell, OnCellClick e OnEnter do DBGrid, além ainda de um componente ImageList que será responsável em armazenar e fornecer as imagens que serão desenhadas na referida coluna. Cancelar o click no mouse durante edição Em algumas situações quando utilizamos a edição diretamente no DBGrid, torna-se interessante inibir o click do mouse enquanto o DataSet estiver em modo de edição. Irei demonstrar um tratamento genérico onde iremos interceptar as mensagens do Windows através do evento OnMessage do componente ApplicationEvents (aba Additional), veja a seguir: procedure TForm1.ApplicationEvents1Message(var Msg: tagmsg; var Handled: Boolean); if (Screen.ActiveControl is TDBGrid) then if TDBGrid(Screen.ActiveControl).DataSource.State in [dsedit, dsinsert] then if (Msg.message = WM_LBUTTONDOWN) or (Msg.message = WM_RBUTTONDOWN) then Msg.message := VK_Clear; Primeiro, verificamos se o controle ativo é da classe TDBGrid, procedure TForm1.grdExemploDrawColumnCell(Sender: TObject; const Rect: TRect; DataCol: Integer; Column: TColumn; State: TGridDrawState); { Desenha CheckBox } if Column.FieldName = Situacao then grdexemplo.canvas.fillrect(rect); Imagens.Draw(grdExemplo.Canvas, Rect.Left+10, Rect.Top+1, 0); if not cdsexemplosituacao.isnull then if cdsexemplosituacao.asboolean then Imagens.Draw(grdExemplo.Canvas, Rect.Left+10, Rect.Top+1, 2) else Imagens.Draw(grdExemplo.Canvas, Rect.Left+10, Rect.Top+1, 1); procedure TForm1.grdExemploCellClick(Column: TColumn); { Quando clicar, alterna o valor True/False } if Column.FieldName = Situacao then if cdsexemplo.state = dsbrowse then cdsexemplo.edit; MeGAZINE 17

18 cdsexemplosituacao.asboolean := not cdsexemplosituacao.asboolean; procedure TForm1.grdExemploEnter(Sender: TObject); { Não permite edição na célula do CheckBox } with grdexemplo do if SelectedField = cdsexemplosituacao then Options := Options - [dgediting] else Options := Options + [dgediting]; procedure TForm1.cdsExemploNewRecord(DataSet: TDataSet); cdsexemplosituacao.asboolean := True; Neste exemplo, o campo lógico possui o nome de situacao. No evento OnDrawColumnCell verificamos se a coluna atual é situacao e conforme o valor do referido campo desenhamos a imagem correspondente. No evento OnCellClick permitimos a alteração do valor do campo que, quando estiver = true irá receber false e vice-versa. E finalizando, no evento OnEnter do DBGrid efetuamos um tratamento para não permitir a edição direta na coluna referente o campo lógico. A aparência deste DBGrid ficará semelhante a figura abaixo. demonstrar como percorrer os registros selecionados no DBGrid (através de Ctrl+Click) e ir apagando um a um após um pedido de confirmação ao usuário. O código abaixo poderá ser adicionado no evento OnClick de um botão. procedure TForm1.SpeedButton1Click(Sender: TObject); var i: integer; if DBGrid1.SelectedRows.Count = 0 then ShowMessage( Não há registros selecionados! ); Exit; Caption := IntToStr( DBGrid1.SelectedRows.Count ); if MessageDlg( Excluir este(s) +IntToStr(DBGrid1.SelectedRows.Count)+ registro(s) selecionado(s)?, mtconfirmation, [mbyes, mbno], 0) = mryes then for i := DBGrid1.SelectedRows.Count-1 downto 0 do Table1.Bookmark := DBGrid1.SelectedRows.Items[i]; Table1.Delete; DBGrid1.SelectedRows.Clear; Caption := 0 ; Explicando o código: Primeiro, verificamos se existe algum registro selecionado utilizando o objeto SelectedRows que contém a lista de registros selecioandos. Prosseguindo, iremos efetuar um laço percorrendo os registros selecionados. Observe que é necessário posicionar o DataSet (neste caso, Table1) no registro selecionado no DBGrid através de um ponteiro fornecido pelo objeto SelectedRows do DBGrid e após isso, efetuar o Delete. Ao término, limpamos a lista de registros selecionados. Apagando registros selecionados Uma característica bastante interessante do DBGrid é a possibilidade de selecionar vários registros quando habilitamos a propriedade Options dgmultiselect. Neste exemplo iremos Selecionando registros via teclado Por padrão, quando estamos com a propriedade Options dgmultiselect do DBGrid habilitada, a seleção dos registros é feita através da combinação CTRL+Click sobre o registro desejado. Contudo, muitos usuários preferem fazer esta seleção via teclado 18 MeGAZINE

19 e irei demonstrar como implementar uma rotina para seleção dos registros via teclado. Recomendo inibir o clique do mouse utilizando a dica número 2 publicada neste artigo, com isso, evitaremos problemas em relação aos registros selecionados via teclado. Neste exemplo, adicione também um componente Memo no qual iremos apresentar os registros selecionados. Vale ressaltar que todo o controle do DBGrid como navegação entre os registros, etc terá que ser implementado. Basicamente, todo o tratamento será feito no evento OnKeyDown do próprio DBGrid, acompanhe o código a seguir: procedure TForm1.DBGrid1KeyDown(Sender: TObject; var Key: Word; Shift: TShiftState); var i: Integer; (* Se for tecla para cima, move para o registro anterior *) if Key = VK_UP then Key := VK_CLEAR; Table1.MoveBy(-1); Exit; (* Se for tecla para baixo, move para o próximo registro *) if Key = VK_DOWN then Key := VK_CLEAR; Table1.MoveBy(1); Exit; (* Tecla F3 -> Marca & Desmarca Registros*) if Key in [VK_SPACE, VK_F3] then DBGrid1.SelectedRows.CurrentRowSelected := not DBGrid1.SelectedRows.CurrentRowSelected; (* Tecla F8 -> Move os registros selecionados para o Memo *) if Key = VK_F8 then for i := 0 to DBGrid1.SelectedRows.Count- 1 do Table1.Bookmark := DBGrid1.SelectedRows.Items[i]; Memo1.Lines.Add(StringOfChar(, 5- Length(Table1.Fields[0].AsString))+ Table1.Fields[0].AsString+ + Table1.Fields[2].AsString); DBGrid1.SelectedRows.Clear; Table1.First; (* Tecla F9 -> Apenas limpa a seleção e o Memo *) if Key = VK_F9 then Memo1.Clear; DBGrid1.SelectedRows.Clear; Table1.First; (* Cancela qualquer outra tecla que não as acima! *) Key := VK_Clear; Iniciamos com tratamento da tecla seta acima, ou seja, ela terá que posicionar no registo anterior quando for acionada. Depois, tratamos a seta abaixo, que terá que posicionar no registro seguinte. A tecla F3 e a Barra de Espaço serão responsáveis por marcar/desmarcar os registros. A tecla F8 irá percorrer os registros selecionados e adicioná-los no componente Memo. A tecla F9 irá limpar a seleção de registros e finalmente, cancelamos qualquer outra tecla que o usuário venha a acionar. No evento OnDrawColumnCell adicionamos um código para destacar (alterar a cor) dos registros selecionados: procedure TForm1.DBGrid1DrawColumnCell(Sender: TObject; const Rect: TRect; DataCol: Integer; Column: TColumn; State: TGridDrawState); (* Destacar a cor dos registros selecionados! *) if DBGrid1.SelectedRows.CurrentRowSelected then DBGrid1.Canvas.Font.Color := clnavy; DBGrid1.canvas.Brush.Color := claqua; DBGrid1.DefaultDrawColumnCell(Rect, DataCol, Column, State); MeGAZINE 19

20 Ordenando dados Nesta dica iremos demonstrar como efetuar a ordenação do conjunto de dados apresentados no DBGrid atavés do clique no título da coluna. Neste exemplo, recomendo utilizar além de seu DataSet (Query, Table, etc) um componente DataSetProvider e um componente ClientDataSet, visto que o ClientDataSet possibilita a indexação em memória dos dados, não necessitando de um índice previamente criado na tabela. A instrução para ordenação é muito simples, bastará atribuir o nome do campo referente a coluna que recebeu o Click à propriedade IndexFieldNames do ClientDataSet, lembrando que iremos fazê-lo no evento OnTitleClick do DBGrid. procedure TForm1.DBGrid1TitleClick(Column: TColumn); ClientDataSet1.IndexFieldNames := Column.FieldName; Bom, é interessante informar ao usuário por qual coluna nosso conjunto de dados está ordenado e mais uma vez vamos lançar mão do evento OnDrawColumnCell, verificar e colorir a coluna referente a ordenação, acompanhe o código a seguir: procedure TForm1.DBGrid1DrawColumnCell(Sender: TObject; const Rect: TRect; DataCol: Integer; Column: TColumn; State: TGridDrawState); { Se a coluna atual for igual ao campo determinado na propriedade IndexFieldNames do ClientDataSet, iremos alterar a cor da coluna } if Column.FieldName = ClientDataSet1.IndexFieldNames then DBGrid1.Canvas.Brush.Color := claqua; DBGrid1.Canvas.Font.Color := clnavy; end else DBGrid1.Canvas.Font.Color := clnavy; DBGrid1.Canvas.Brush.Color := clwhite; DBGrid1.DefaultDrawColumnCell(Rect, DataCol, Column, State); Mostrando um calendário no DBGrid Um dos meios de evitar erros na entrada dos dados é não permitir ao usuário digitar a informação e sim selecioná-la de forma visual. Neste exemplo iremos demonstrar como apresentar um calendário (DateTimePicker) em uma célula do DBGrid. Para isso, adicione um componente DateTimePicker e altere sua propriedade Visible para False. Agora, vamos efetuar algumas implementações a fim de apresentar o calendário em uma célula referente um campo data, que neste caso será o campo HireDate da tabela Employee (alias DBDemos). No evento OnColExit do DBGrid, iremos identificar quando o usuário sair da coluna HireDate e neste momento iremos esconder o calendário. Veja o código a seguir: procedure TForm1.DBGrid1ColExit(Sender: TObject); { ao sai da coluna, esconde o Calendário } if DBGrid1.SelectedField.FieldName = HireDate then Calendario.Visible := False; Mais uma vez iremos utilizar o evento OnDrawColumnCell do DBGrid, no qual iremos fazer a codificação para desenhar o calendário (DateTimePicker) exatamente na posição da célula referente do campo HireDate. procedure TForm1.DBGrid1DrawColumnCell (Sender: TObject; const Rect: TRect; DataCol: Integer; Column: TColumn; State: TGridDrawState); { Desenha o Calendario na célula do DBGrid } if (gdfocused in State) then if (Column.FieldName = HireDate ) then 20 MeGAZINE

Delphi IDE. Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br. Delphi - IDE. Integrad Development Enviroment Ambiente de Desenvolvimento Integrado

Delphi IDE. Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br. Delphi - IDE. Integrad Development Enviroment Ambiente de Desenvolvimento Integrado Delphi Integrad Development Enviroment Ambiente de Desenvolvimento Integrado IDE Jocélio Passos joceliodpassos@bol.com.br Iniciar Programas Borland Delphi X Delphi X 2/2/2007 2 Primeiro Projeto Menu File

Leia mais

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR)

PROJECT 1 Delphi Project (Extensão. DPR) CAPÍTULO2 1. A ESTRUTURA DE UM APLICATIVO Quando iniciamos uma aplicação em Delphi ele interpreta que iremos desenvolver um projeto. Este gerencia um conjunto de recursos como Forms, Units, objetos, funções

Leia mais

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10

Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Tutorial de Computação Introdução a Programação Gráfica em Lazarus Para MEC 1100 v2010.10 Linha de Equipamentos MEC Desenvolvidos por: Maxwell Bohr Instrumentação Eletrônica Ltda. Rua Porto Alegre, 212

Leia mais

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho.

AMBIENTE. FORMULÁRIO: é a janela do aplicativo apresentada ao usuário. Considere o formulário como a sua prancheta de trabalho. DELPHI BÁSICO VANTAGENS Ambiente de desenvolvimento fácil de usar; 1. Grande Biblioteca de Componentes Visuais (VCL - Visual Component Library), que são botões, campos, gráficos, caixas de diálogo e acesso

Leia mais

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox.

Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. Inserindo Dados no Banco de Dados Paradox. - Construção do Banco de Dados: Para podermos inserir algo em um banco precisaremos de um Banco de Dados, para isto iremos montar um utilizando o Programa Database

Leia mais

END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi

END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi END OF FILE: Tutorial Chat Em Delphi fórum: http://offile.umforum.net site: http://fts315.xp3.biz autor: kõdo no kami (www.facebook.com/hacker.fts315) - skype: hackefts315 greetz: mmxm, sir.rafiki, suspeit0@virtual,

Leia mais

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas

GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas GerNFe 1.0 Manual do usuário Página 1/13 GerNFe 1.0 Sistema de Gerenciador de Notas Fiscais Eletrônicas O programa GerNFe 1.0 tem como objetivo armazenar em local seguro e de maneira prática para pesquisa,

Leia mais

Manual. Pedido Eletrônico

Manual. Pedido Eletrônico Manual Pedido Eletrônico ÍNDICE 1. Download... 3 2. Instalação... 4 3. Sistema de Digitação SantaCruz... 8 3.1. Configuração... 8 4. Utilização do Sistema Digitação SantaCruz... 11 4.1. Atualizar cadastros...11

Leia mais

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual

Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma maquina virtual Maria Augusta Sakis Tutorial: Instalando Linux Educacional em uma Máquina Virtual Máquinas virtuais são muito úteis no dia-a-dia, permitindo ao usuário rodar outros sistemas operacionais dentro de uma

Leia mais

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo

Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Delphi 7 Aula 01 Área do Triângulo Prof. Gilbert Azevedo da Silva I. Objetivos Conhecer o Ambiente Integrado de Desenvolvimento (IDE) do Delphi 7, Desenvolver a primeira aplicação no Delphi 7, Aprender

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES I PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI - UTILIZANDO OPENDIALOG PARA ARMAZENAR IMAGENS EM BANCO DE DADOS Criaremos uma solução simples para criar

Leia mais

Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets

Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets Usando o evento OnFilterRecord para filtrar ClientDataSets O objetivo mais importante no desenvolvimento de um programa é fornecer ao cliente maior liberdade para usar as interfaces e ao mesmo tempo tornar

Leia mais

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Display de 7. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Display de 7 Segmentos Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 16/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado.

O computador organiza os programas, documentos, músicas, fotos, imagens em Pastas com nomes, tudo separado. 1 Área de trabalho O Windows XP é um software da Microsoft (programa principal que faz o Computador funcionar), classificado como Sistema Operacional. Abra o Bloco de Notas para digitar e participar da

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

1- Requisitos mínimos. 2- Instalando o Acesso Full. 3- Iniciando o Acesso Full pela primeira vez

1- Requisitos mínimos. 2- Instalando o Acesso Full. 3- Iniciando o Acesso Full pela primeira vez Manual Conteúdo 1- Requisitos mínimos... 2 2- Instalando o Acesso Full... 2 3- Iniciando o Acesso Full pela primeira vez... 2 4- Conhecendo a barra de navegação padrão do Acesso Full... 3 5- Cadastrando

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-control MSI Versão: 4.6 Versão do Doc.: 1.0 Autor: Aline Della Justina Data: 17/06/2011 Público-alvo: Clientes e Parceiros NDDigital Alterado por: Release Note: Detalhamento

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx

Conecta S_Line. 2.2 Downloads Para instalar o Conecta S_Line, basta acessar www.sline.com.br/downloads.aspx 1 Introdução O Conecta S_Line permite que o laboratório envie à Central S_Line os resultados de exames gerados pelo Sistema de Informação Laboratorial (LIS) em forma de arquivos digitais. Todo o processo

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-client MSI Versão: 4.2.3 Versão do Doc.: 1.0 Autor: Aline Della Justina Data: 19/11/2010 Documento destinado à: Clientes e Parceiros Alterado por: Release Note: Detalhamento

Leia mais

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS

ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS ETEC DR. EMÍLIO HENRNANDEZ AGUILAR PROGRAMAÇÃO DE COMPUTADORES II PROFESSOR RAFAEL BARRETO DELPHI FORMULÁRIO COM ABAS E BUSCAS DE REGISTROS FORMULÁRIOS COM ABAS Trabalhar com abas (ou guias) é um recurso

Leia mais

COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil.

COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. COPYRIGHT 2011 INTELECTA DISTRIBUIDORA DE TECNOLOGIA LTDA. Todos os direitos reservados. Impresso no Brasil. De acordo com as leis de Copyright, nenhuma parte desta publicação ou do software pode ser copiada,

Leia mais

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Memória Flash. PdP. Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Memória Flash Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 11/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup MANUAL DO USUÁRIO Software de Ferramenta de Backup Software Ferramenta de Backup Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para

Leia mais

SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO

SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO Macaé, Outubro de 2010 SECTEC / COORDENADORIA DE DESENVOLVIMENTO Página 1 de 38 Controle de Revisões Data Comentário Responsável 01/10/2010 Revisão e correção de texto Marcos Lemos 01/10/2010 Correção

Leia mais

Gerenciador de Imóveis

Gerenciador de Imóveis Gerenciador de Imóveis O Corretor Top é o mais completo sistema de gestão de imóveis do mercado, onde corretores terão acesso à agenda, cadastro de imóveis, carteira de clientes, atendimento, dentre muitas

Leia mais

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas

Barra de ferramentas padrão. Barra de formatação. Barra de desenho Painel de Tarefas Microsoft Power Point 2003 No Microsoft PowerPoint 2003, você cria sua apresentação usando apenas um arquivo, ele contém tudo o que você precisa uma estrutura para sua apresentação, os slides, o material

Leia mais

Estruturando um aplicativo

Estruturando um aplicativo Com o Visual FoxPro, é possível criar facilmente aplicativos controlados por eventos e orientados a objetos em etapas. Esta abordagem modular permite que se verifique a funcionalidade de cada componente

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES

Leia mais

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS

LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS 1_15 - ADS - PRO MICRO (ILM 001) - Estudo dirigido Macros Gravadas Word 1/36 LIÇÃO 1 - GRAVANDO MACROS Macro Imprimir Neste exemplo será criada a macro Imprimir que, ao ser executada, deverá preparar a

Leia mais

Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos

Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006. PdP. Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos TUTORIAL Barra de LEDs Autor: Tiago Lone Nível: Básico Criação: 19/12/2005 Última versão: 18/12/2006 PdP Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos http://www.maxwellbohr.com.br contato@maxwellbohr.com.br

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Manual das funcionalidades Webmail AASP

Manual das funcionalidades Webmail AASP Manual das funcionalidades Webmail AASP 1. Configurações iniciais 2. Regras 3. Histórico da conta 4. Autorresposta 5. Dados de acesso (alterando senha de acesso) 6. Identidade (assinatura) 7. Redirecionamento

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual

UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA. Manual do Moodle- Sala virtual UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ REITORIA DE ADMINISTRAÇÃO E PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Manual do Moodle- Sala virtual UNIFAP MACAPÁ-AP 2012 S U M Á R I O 1 Tela de Login...3 2 Tela Meus

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA MÉDICOS 1 CADASTRANDO CLIENTES 1.1 BUSCANDO CLIENTES 1.1.1 BUSCANDO CLIENTES PELO NOME 1.1.2 BUSCANDO CLIENTES POR OUTRAS BUSCAS 1.2 CAMPO OBSERVAÇÕES 1.3

Leia mais

Recursos do Outlook Web Access

Recursos do Outlook Web Access Recursos do Outlook Web Access Este material foi criado pela Secretaria de Tecnologia de Informação e Comunicação (SETIC) do Tribunal Regional do Trabalho da 17ª Região. Seu intuito é apresentar algumas

Leia mais

Treinamento de. Linx Pos

Treinamento de. Linx Pos Treinamento de caixa Linx Pos Será instalados no terminal da loja, o ícone, conforme imagem abaixo: Linx POS ÍNDICE Abertura de caixa e leitura X Lançamentos Cancelamento de itens Consulta preços no ato

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME APRESENTAÇÃO Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE WORD 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha. Programador:

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP.

PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP. PROCEDIMENTOS PARA CONVERSÃO DE IMAGENS DIGITALIZADAS EM DOCUMENTO PDF ÚNICO UTILIZANDO A IMPRESSORA FREEPDF XP. O objetivo deste manual é orientar os usuários do sistema de Processo Eletrônico a transformar

Leia mais

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede GUIA DO USUÁRIO: NOVELL CLIENT PARA WINDOWS* 95* E WINDOWS NT* Usar Atalhos para a Rede USAR O ÍCONE DA NOVELL NA BANDEJA DE SISTEMA Você pode acessar vários recursos do software Novell Client clicando

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR

Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR Microsoft Office Outlook Web Access ABYARAIMOVEIS.COM.BR 1 Índice: 01- Acesso ao WEBMAIL 02- Enviar uma mensagem 03- Anexar um arquivo em uma mensagem 04- Ler/Abrir uma mensagem 05- Responder uma mensagem

Leia mais

COMO INSTALAR O CATÁLOGO

COMO INSTALAR O CATÁLOGO Este guia tem por finalidade detalhar as etapas de instalação do catálogo e assume que o arquivo de instalação já foi baixado de nosso site. Caso não tenho sido feita a etapa anterior favor consultar o

Leia mais

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X.

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Para iniciar o sistema dê um duplo clique no ícone, que se encontra na área de trabalho. 1 Login do sistema. Esta é a tela de login

Leia mais

Manual. Rev 2 - junho/07

Manual. Rev 2 - junho/07 Manual 1.Desbloquear o software ------------------------------------------------------------------02 2.Botões do programa- --------------------------------------------------------------------- 02 3. Configurações

Leia mais

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet Manual do Usuário Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Vendas...3 Os Recibos...6 Como imprimir?...7 As Listagens...9 Clientes... 10 Consulta... 11 Inclusão... 13 Alteração... 14 Exclusão...

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS

MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS MANUAL DE NAVEGAÇÃO DO MILLENNIUM BUSINESS 1 Conteúdo Apresentação... 3 1 Página Principal do Sistema... 4 2 Telas de busca... 8 3 Teclas de Navegação... 11 4 Tela de Menu de Relatório... 12 5 Telas de

Leia mais

Migrando para o Outlook 2010

Migrando para o Outlook 2010 Neste guia Microsoft O Microsoft Outlook 2010 está com visual bem diferente, por isso, criamos este guia para ajudar você a minimizar a curva de aprendizado. Leia-o para saber mais sobre as principais

Leia mais

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4.

Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. 1 Sumário 1. SOBRE O NFGoiana DESKTOP... 3 1.1. Apresentação... 3 1.2. Informações do sistema... 3 1.3. Acessando o NFGoiana Desktop... 3 1.4. Interface do sistema... 4 1.4.1. Janela Principal... 4 1.5.

Leia mais

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1

Despachante Express - Software para o despachante documentalista veicular DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 DESPACHANTE EXPRESS MANUAL DO USUÁRIO VERSÃO 1.1 1 Sumário 1 - Instalação Normal do Despachante Express... 3 2 - Instalação do Despachante Express em Rede... 5 3 - Registrando o Despachante Express...

Leia mais

Manual de uso PSIM Client 2010

Manual de uso PSIM Client 2010 MANUAL DE USO PSIM CLIENT VERSÃO 2010 ÍNDICE Manual de uso PSIM Client 2010 INSTALAÇÃO...2 INSTALAÇÃO LOCAL...2 INICIANDO O SISTEMA...13 UTILIZANDO O ÍCONE DA ÁREA DE TRABALHO...13 UTILIZANDO O MENU INICIAR...16

Leia mais

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.0 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 24/08/2011 No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO

Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO Manual de Apoio à Assinatura Eletrônica DISO Índice Hyperlinks Descanse o mouse na frase, aperte sem largar o botão Ctrl do seu teclado e click com o botão esquerdo do mouse para confirmar. Introdução

Leia mais

Projeto Supermercado - Produtos

Projeto Supermercado - Produtos OBJETIVO: Este projeto possibilitará fazer a manutenção dos dados da tabela de Produtos. Didaticamente, ele permite ao programador iniciante ter os primeiros contatos com os objetos de visualização individual

Leia mais

MANUAL COTAÇAO WEB MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA. [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email]

MANUAL COTAÇAO WEB MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA. [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL COTAÇAO WEB [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais Autor: Equipe

Leia mais

Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0

Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0 Cliente Microsoft Outlook do Avaya Modular Messaging Versão 5.0 Importante: as instruções contidas neste guia só serão aplicáveis se seu armazenamento de mensagens for Avaya Message Storage Server (MSS)

Leia mais

Software Ativo. Operação

Software Ativo. Operação Software Ativo Operação Página deixada intencionalmente em branco PROTEO MANUAL OPERAÇÃO SUMÁRIO 1 - INSTALAÇÃO DO SOFTWARE ATIVO... 5 2 CRIANDO PROJETO UVS/ TMS PROTEO... 10 2.1 - Estrutura do Projeto...

Leia mais

Manual Sistema de Autorização Online GW

Manual Sistema de Autorização Online GW Sistema de Autorização Online GW Sumário Introdução...3 Acesso ao sistema...4 Logar no sistema...4 Autorizando uma nova consulta...5 Autorizando exames e/ou procedimentos...9 Cancelamento de guias autorizadas...15

Leia mais

Portaria Express 3.0

Portaria Express 3.0 Portaria Express 3.0 A portaria do seu condomínio mais segura e eficiente. Com a preocupação cada vez mais necessária de segurança nos condomínio e empresas, investe-se muito em segurança. Câmeras, cercas,

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Manual Usuário Sistema Audatex

Manual Usuário Sistema Audatex Manual Usuário Sistema Audatex Conhecimento global. Foco local. www.audatex.com.br / www.solerainc.com Versão 1.0 Histórico das versões VER DATA AUTOR DESCRIÇÃO DA MODIFICAÇÃO 2.0 24.08.2010 MT Versão

Leia mais

Apostila de CmapTools 3.4

Apostila de CmapTools 3.4 Apostila de CmapTools 3.4 Índice Definição do software... 3 Criando um novo mapa... 3 Adicionando um conceito... 3 Alterando a formatação das caixas (Barra de Ferramentas Estilos Paleta Styles)... 7 Guia

Leia mais

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951

Seu manual do usuário XEROX 6279 http://pt.yourpdfguides.com/dref/5579951 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para XEROX 6279. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a XEROX 6279 no manual

Leia mais

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS

CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS CONFIGURAÇÃO DE REDE SISTEMA IDEAGRI - FAQ CONCEITOS GERAIS Servidor: O servidor é todo computador no qual um banco de dados ou um programa (aplicação) está instalado e será COMPARTILHADO para outros computadores,

Leia mais

SGCD 2.2. Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico

SGCD 2.2. Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico Atualizado em 13/AGO/2012 Sistema Gerenciador de Conteúdo Dinâmico No final de 2007, o Serviço Técnico de Informática da UNESP Marília, disponibilizou para a comunidade acadêmica e administrativa o Sistema

Leia mais

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi

Índice. Tutorial para Desenvolvimento de Conduits em Delphi Índice Índice...1 Desenvolvendo Conduits...2 (Passo a Passo)...2 Criando um Arquivo.mdb... 2 Arquivos...6 Instalando os componentes... 7 Recompilando os Comonentes do Delphi...13 Configurando a Conexão

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EAD 1

MANUAL DO ALUNO EAD 1 MANUAL DO ALUNO EAD 1 2 1. CADASTRAMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Após navegar até o PORTAL DA SOLDASOFT (www.soldasoft.com.br), vá até o AMBIENTE DE APRENDIZAGEM (www.soldasoft.com.br/cursos).

Leia mais

V 1.0 LINAEDUCA - GUIA DE USO

V 1.0 LINAEDUCA - GUIA DE USO V 1.0 LINAEDUCA - GUIA DE USO ARGO Internet ARGO.com.br 2013 Sumário 1. Instalação... 2 1.1 Windows... 2 2 Guia de Uso... 5 2.1 Inicialização... 5 2.1.1 Modo Casa... 5 2.1.2 Modo escola... 6 2.2 Cadastro

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

APOSTILA WORD BÁSICO

APOSTILA WORD BÁSICO APOSTILA WORD BÁSICO Apresentação O WORD é um editor de textos, que pertence ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de textos, cartas, memorandos, documentos, mala

Leia mais

Portal Sindical. Manual Operacional Empresas/Escritórios

Portal Sindical. Manual Operacional Empresas/Escritórios Portal Sindical Manual Operacional Empresas/Escritórios Acesso ao Portal Inicialmente, para conseguir acesso ao Portal Sindical, nos controles administrativos, é necessário acessar a página principal da

Leia mais

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP

CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA. Microsoft Windows XP CURSO BÁSICO DE INFORMÁTICA Microsoft Windows XP William S. Rodrigues APRESENTAÇÃO WINDOWS XP PROFISSIONAL O Windows XP, desenvolvido pela Microsoft, é o Sistema Operacional mais conhecido e utilizado

Leia mais

Neste capítulo discutiremos o que é uma DLL, seus aspectos e tipos e ainda, porquê é tão importante para as aplicações Windows

Neste capítulo discutiremos o que é uma DLL, seus aspectos e tipos e ainda, porquê é tão importante para as aplicações Windows DINAMIC LINK LIBRARIES Capítulo 7 Neste capítulo discutiremos o que é uma DLL, seus aspectos e tipos e ainda, porquê é tão importante para as aplicações Windows O QUE É UMA DLL? Dinamic Link Libraries

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem 1 de 20 Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem Resolvi documentar uma solução que encontrei para fazer minhas cópias de segurança. Utilizo um software gratuito chamado Cobian Backup

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

Windows XP. Backup Formatação Instalação Configuração. ronynfo.wordpress.com

Windows XP. Backup Formatação Instalação Configuração. ronynfo.wordpress.com Windows XP Backup Formatação Instalação Configuração ronynfo.wordpress.com Índice 1.1 Fazendo o Backup 1.2 Fazendo com que seja dado o Boot à partir do CD 2.1 Configurando as Partições e instalando o Windows

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais