LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO."

Transcrição

1 53 JUNHO / 2008 PROFISSIONAL DE COMUNICAÇÃO SOCIAL JÚNIOR - PUBLICIDADE E PROP OPAGAND GANDA 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o enunciado das 70 questões das Provas Objetivas, sem repetição ou falha, assim distribuídas: LÍNGUA PORTUGUESA II Questões Pontos 1 a 10 1,0 LÍNGUA INGLESA I Questões 11 a 20 Pontos 1,0 INFORMÁTICA Questões 21 a 25 Pontos 1,0 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Questões Pontos 26 a 40 1,3 41 a 55 1,7 56 a 70 2,0 b) 1 CARTÃO-RESPOSTA destinado às respostas às questões objetivas formuladas nas provas Verifique se este material está em ordem e se o seu nome e número de inscrição conferem com os que aparecem no CARTÃO-RESPOSTA. Caso contrário, notifique IMEDIATAMENTE o fiscal Após a conferência, o candidato deverá assinar no espaço próprio do CARTÃO-RESPOSTA, preferivelmente a caneta esferográfica de tinta na cor preta No CARTÃO-RESPOSTA, a marcação das letras correspondentes às respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e preenchendo todo o espaço compreendido pelos círculos, a caneta esferográfica de tinta na cor preta, de forma contínua e densa. A LEITORA ÓTICA é sensível a marcas escuras; portanto, preencha os campos de marcação completamente, sem deixar claros. Exemplo: A C D E 05 - Tenha muito cuidado com o CARTÃO-RESPOSTA, para não o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. O CARTÃO-RESPOSTA SOMENTE poderá ser substituído caso esteja danificado em suas margens superior ou inferior - BARRA DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA ÓTICA Para cada uma das questões objetivas, são apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E); só uma responde adequadamente ao quesito proposto. Você só deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcação em mais de uma alternativa anula a questão, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA As questões objetivas são identificadas pelo número que se situa acima de seu enunciado SERÁ ELIMINADO do Processo Seletivo Público o candidato que: a) se utilizar, durante a realização das provas, de máquinas e/ou relógios de calcular, bem como de rádios gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espécie; b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o Caderno de Questões e/ou o CARTÃO-RESPOSTA Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTÃO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcações assinaladas no Caderno de Questões NÃO SERÃO LEVADOS EM CONTA Quando terminar, entregue ao fiscal O CADERNO DE QUESTÕES E O CARTÃO-RESPOSTA e ASSINE A LISTA DE PRESENÇA. Obs. O candidato só poderá se ausentar do recinto das provas após 1 (uma) hora contada a partir do efetivo início das mesmas. Por razões de segurança, o candidato não poderá levar o Caderno de Questões, a qualquer momento O TEMPO DISPONÍVEL PARA ESTAS PROVAS DE QUESTÕES OBJETIVAS É DE 4 (QUATRO) HORAS As questões e os gabaritos das Provas Objetivas serão divulgados no primeiroo dia útil após a realização das provas na página da FUNDAÇÃO CESGRANRIO (www.cesgranrio.org.br).

2 2

3 LÍNGUA PORTUGUESA II TEMPO DE ESCOLHER Um homem não é grande pelo que faz, mas pelo que renuncia. (Albert Schweitzer) Muitos amigos leitores têm solicitado minha opinião acerca de qual rumo dar às suas carreiras. Alguns apreciam seu trabalho, mas não a empresa onde estão. Outros admiram a estabilidade conquistada, mas não têm qualquer prazer no exercício de suas funções. Uns recebem propostas para mudar de emprego, financeiramente desfavoráveis, porém, desafiadoras. Outros têm diante de si um vasto leque de opções, muitas coisas para fazer, mas não conseguem abraçar tudo. Todas estas pessoas têm algo em comum: a necessidade premente de fazer escolhas. Lembro-me de Clarice Lispector: Entre o sim e o não, só existe um caminho: escolher. Acredito que quase todas as pessoas passam ao longo de sua trajetória pelo dilema da virada. Um momento especial em que uma decisão clara, específica e irrevogável tem que ser tomada simplesmente porque a vida não pode continuar como está. Algumas pessoas passam por isso aos 15 anos, outras, aos 50. Algumas talvez nunca tomem esta decisão, e outras o façam várias vezes no decorrer de sua existência. Fazer escolhas implica renunciar a alguns desejos para viabilizar outros. Você troca segurança por desafio, dinheiro por satisfação, o pouco certo pelo muito duvidoso. Assim, uma companhia que oferece estabilidade com apatia pode dar lugar a outra dotada de instabilidade com ousadia. Analogamente, a aventura de uma vida de solteiro pode ceder espaço ao conforto de um casamento. PRAZER E VOCAÇÃO Os anos ensinaram-me algumas lições. A primeira delas vem de Leonardo da Vinci, que dizia que A sabedoria da vida não está em fazer aquilo que se gosta, mas em gostar daquilo que se faz. Sempre imaginei que fosse o contrário, porém, refletindo, passei a compreender que quando estimamos aquilo que fazemos, podemos nos sentir completos, satisfeitos e plenos, ao passo que se apenas procurarmos fazer o que gostamos, estaremos sempre numa busca insaciável, porque o que gostamos hoje não será o mesmo que prezaremos amanhã. Todavia, é indiscutivelmente importante aliar prazer às nossas aptidões; encontrar o talento que reside dentro de cada um de nós, ao que chamamos de vocação. Oriunda do latim vocatione e traduzida literalmente por chamado, simboliza uma espécie de predestinação imanente a cada pessoa, algo revestido de certa magia e divindade.(...) Escolhas são feitas com base em nossas preferências. E aí recorro novamente à etimologia das palavras para descobrir que o verbo preferir vem do latim 50 praeferere e significa levar à frente. Parece-me uma indicação clara de que nossas escolhas devem ser feitas com os olhos no futuro, no uso de nosso livre arbítrio. O mundo corporativo nos guarda muitas armadilhas. Trocar de empresa ou de atribuição, por exemplo, 55 são convites permanentes. O problema de recusá-los é passar o resto da vida se perguntando O que teria acontecido se eu tivesse aceitado?. Prefiro não carregar comigo o benefício desta dúvida, por isso opto por assumir 60 riscos evidentemente calculados e seguir adiante. Dizem que somos livres para escolher, porém, prisioneiros das conseqüências... Para aqueles insatisfeitos com seu ambiente de trabalho, uma alternativa à mudança de empresa é 65 postular a melhoria do ambiente interno atual. Dialogar e apresentar propostas são um bom caminho. De nada adianta assumir uma postura meramente defensiva e crítica. Lembre-se de que as pessoas não estão contra você, mas a favor delas. 70 Por fim, combata a mediocridade em todas as suas vertentes. A mediocridade de trabalhos desconectados com sua vocação, de empresas que não valorizam funcionários, de relacionamentos falidos. Sob este aspecto, como diria Tolstoi, Não se pode ser bom pela metade. 75 Meias-palavras, meias-verdades, meias-mentiras, meio caminho para o fim. Os gregos não escreviam obituários. Quando um homem morria, faziam uma pergunta: Ele viveu com paixão?. 80 QUAL SERIA A RESPOSTA PARA VOCÊ? COELHO, Tom. Disponível em: <http://www.catho.com.br/jcs/ inputer_view.phtml?id=6415>. Acesso em: 07 mai (adaptado) 1 De acordo com o texto, uma característica apresentada pela vida, que NÃO é justificativa para a necessidade de se fazer escolhas, é (A) irreversibilidade. (B) irregularidade. (C) instabilidade. (D) imprevisibilidade. (E) mutabilidade. 2 Semanticamente, o pensamento de Albert Schweitzer está ratificado no (A) 1 o parágrafo - 1 o período. (B) 1 o parágrafo - 2 o período. (C) 2 o parágrafo - 1 o período. (D) 3 o parágrafo - 1 o período. (E) 4 o parágrafo - 2 o período. 3

4 3 O substantivo abstrato cujo sentido NÃO caracteriza a atitude do profissional num momento crucial de decisão é (A) flexibilidade. (B) transigência. (C) determinação. (D) arrojo. (E) retroação. 4 No oitavo parágrafo do texto, os sentidos de armadilhas (l ) e de benefício (l. 59), respectivamente, no contexto em que se inserem, são (A) enganos e risco. (B) impasses e proteção. (C) dificuldades e conhecimento. (D) certezas e sucesso. (E) dúvidas e prazer. 5 Quanto ao tipo, o texto classifica-se predominantemente, como (A) expositivo. (B) injuntivo. (C) descritivo. (D) narrativo. (E) argumentativo. 6 Com base nas idéias apresentadas no oitavo parágrafo, qual interpretação está correta? (A) As armadilhas levam às escolhas cujas conseqüências dependem das ponderações feitas anteriormente às decisões. (B) As armadilhas geradas pelas escolhas traduzem as ponderações exigidas pelas conseqüências das decisões. (C) As decisões originam as ponderações feitas para as escolhas cujas armadilhas se traduzem pelas conseqüências. (D) As conseqüências das decisões tomadas retratam as ponderações estabelecidas pelas armadilhas impostas pelas escolhas. (E) As ponderações sobre as escolhas feitas geram as armadilhas que traduzem as conseqüências das decisões. 8 Assinale a opção em que a seqüência de verbos NÃO pode ser considerada uma locução verbal. (A) Fazer escolhas implica renunciar a alguns desejos... (l ) (B) Analogamente, a aventura de uma vida de solteiro pode ceder espaço ao conforto de um casamento. (l ) (C)...se apenas procurarmos fazer o que gostamos, (l ) (D) Escolhas são feitas com base em nossas preferências. (l ) (E) O que teria acontecido... (l ) 9 Na passagem Você troca segurança por desafio, (l ), substituindo-se o verbo destacado pelo verbo preferir, segundo o registro culto e formal da língua, teremos: (A) Você prefere mais segurança que desafio. (B) Você prefere muito mais segurança à desafio. (C) Você prefere mais segurança a desafio. (D) Você prefere segurança do que desafio. (E) Você prefere segurança a desafio. 10 As palavras destacadas em mas não têm qualquer prazer no exercício de suas funções. (l. 4-5) e Quando um homem morria, (l ) podem ser substituídas, respectivamente, sem alteração de sentido, por (A) visto que e Antes que. (B) porquanto e Posto que. (C) entretanto e Depois que. (D) portanto e de À medida que. (E) de sorte que e Visto que. 7 Em relação às idéias apresentadas no fragmento Prazer e Vocação, assinale a afirmativa IMPROCEDENTE. (A) Nem sempre as preferências implicam segurança. (B) No campo profissional, a solução para vários problemas não está numa decisão radical. (C) A vocação é um dom que se adquire com o tempo, ao longo da vida. (D) Profissionalmente, a mediocridade é um problema que não pode ser contornado. (E) Muitas escolhas têm a perda como contraponto. 4

5 LÍNGUA INGLESA I Oil could transform Brazil s economy. But not necessarily for the better The legend is that Brazil never lives up to its vast potential. When Stefan Zweig, an exiled Austrian writer, said in 1941 of his new home that it was the country of the future, popular humour quickly added and it always will be. More recently, when Goldman Sachs classified Brazil together with Russia, India and China as the BRIC countries that collectively represent the world s economic future, there was much complaining that its mediocre rate of economic growth condemned it to be an intruder in such dynamic company. Yet there are reasons to believe that South America s economic powerhouse of 190 million people is starting to count in the world. Economic growth has risen steadily, to 5.4% last year. That is modest by Chinese standards but the comparison is misleading. Brazil enjoyed Chinese rates of growth in the third quarter of the 20th century. That was when it was almost as poor as China. It is much harder for a middle-income country, as Brazil now is, to grow at such rates. And now it looks as if Brazil will become an oil power, too. Brazil s previous growth boom was derailed by debt and high oil prices, a collapse that obliged its then military government to give way to civilian rule. The early years of restored democracy saw chronic inflation, economic torpor and political drift. In the past decade and a half, however, under reforming democratic governments, Brazil has conquered inflation, opened a protected economy to the world and begun to tackle its social problems. Poverty and inequality are falling steadily. All this has gradually created a new mood among business people. Brazilian companies, traditionally inward-looking family-owned affairs, are going to the stockmarket to raise funds, in many cases to finance expansion abroad. Some, such as Vale, the world s second-biggest mining company, and Embraer, its third-largest maker of civilian aircraft, both privatised in the 1990s, are well-known. A string of others are about to become so. Many of these companies are linked to agribusiness or other primary commodities. Additionally, some economists argue that Brazil is the beneficiary of a structural shift, in which the industrialisation of Asia and the rise of a new middle class in the developing world will keep commodity prices high. Besides, Brazil produces more than just soyabeans. It has a lot of manufacturing industry too. And its newly discovered offshore fields of oil and natural gas may turn out to be bigger than those in the North Sea in the 1960s Oil wealth is lovely, of course. But it is also a cause for concern. The worry now is that a bonanza of oil will weaken an already infirm resolve to dig deeper into the economy s structural problems. These difficulties include an oppressive tax system and a labour code that makes firms cautious in hiring. Between them these have confined some 40% of the workforce to the informal economy. Compared with its past, Brazil is indeed doing much better. But before oil euphoria kicks in, Brazil s leaders should ask themselves why so many other countries have made bigger returns from a much smaller natural endowment. Apr 17th 2008 From The Economist print edition 11 According to Paragraph 1 (lines 1-10), Brazil (A) is not allowed to explore its abundant natural resources. (B) will never be ranked with countries such as Russia, India and China. (C) will never be a country of the future due to its accelerated economic growth. (D) was considered to be a promising land by the Austrian writer Stefan Zweig. (E) is condemned to play a small part among the most powerful nations of the world. 12 The sentence Yet there are reasons to believe that South America s economic powerhouse of 190 million people is starting to count in the world. (lines 11-13), which introduces Paragraph 2, (A) confirms that the several critics of Brazil were right in their predictions. (B) justifies why Brazil could not be added to the group of BRIC countries. (C) explains why Brazil should depend on South American economic powers. (D) criticizes Brazil s low rate of economic growth, compared to Chinese rates. (E) contradicts the criticism that Brazil would not have a role in the world s economic future. 13 According to Paragraph 2 (lines 11-20), (A) China has been growing faster than Brazil lately. (B) Brazil is, currently, as poor as China and needs to grow faster. (C) Brazil and China have 190 million economically active people. (D) Brazil had similar growth rates as China s in the early 20 th century period. (E) Brazil and China have both reached equal levels of income for their populations. 5

6 14 Which alternative contains a correct correspondence of meaning? (A) restored (line 24) and reestablished are antonyms. (B) tackle (line 28) and deal with are synonyms. (C) shift (line 40) is the opposite of change. (D) newly (line 45) and recently are not synonyms. (E) confined (line 53) means the same as released. 15 Check the option in which the phrase is INCORRECTLY explained. (A) South America s economic powerhouse (lines 11-12) = the economic powerhouse of South America. (B) traditionally inward-looking family-owned affairs (lines 31-32) = affairs owned by traditional families who look inwards. (C) the world s second-biggest mining company (line 34) = a mining company that is the second biggest one in the world. (D) third-largest maker of civilian aircraft (line 35) = a civilian aircraft maker that is the third largest one. (E) newly discovered offshore fields of oil and natural gas (line 45) = fields of oil and natural gas that are offshore and that have been newly discovered. 16 In terms of reference, it is correct to affirm that (A) its (line 8) refers to world s (line 7). (B) That (line 14) refers to year (line 14). (C) this (line 30) refers to new mood (line 30). (D) others (line 37) refers to business people (lines 30-31). (E) those (line 46) refers to fields (line 45). 17 The only item where the boldfaced word may be replaced by furthermore is (A) In the past decade and a half, however, under reforming democratic governments, Brazil has conquered inflation, (lines 25-27) (B) Some, such as Vale, the world s second-biggest mining company, (lines 33-34) (C) Additionally, some economists argue that Brazil is the beneficiary of a structural shift, (lines 39-40) (D) Compared with its past, Brazil is indeed doing much better. (line 55) (E) But before oil euphoria kicks in, (line 56) 18 According to Paragraph 6 (lines 48-54), oil can be considered a cause of concern because (A) economic problems can weaken Brazil s ability to explore the new oil resources. (B) Brazil s newly discovered oil resources are not as big as the experts previously expected. (C) the current oil drilling technology is not appropriate for the extraction of all the oil discovered. (D) the nation s leaders might forget the structural problems in the euphoric scenario of new oil sources. (E) the heavy taxation of oil products might maximize the economic returns of drilling the recently discovered oil wealth. 19 The fragment Brazil s leaders should ask themselves why so many other countries have made bigger returns from a much smaller natural endowment. (lines 56-58) means that Brazil s leaders (A) should not concern themselves about why other countries have been more lucrative than Brazil. (B) may be in doubt whether it is true that Brazil will eventually make as much money as countries with vast of natural resources. (C) might speculate if Brazil could make more gains if it made a better use of its scarce natural gifts. (D) would rather investigate how some countries that are not as rich as Brazil find the means to survive. (E) had better analyze why countries with fewer natural resources than Brazil have been more profitable. 20 The text as a whole is both (A) pessimistic and sarcastic. (B) optimistic and enthusiastic. (C) argumentative and watchful. (D) persuasive and comforting. (E) hopeless and terrifying. INFORMÁTICA 21 Suponha que um usuário esteja editando dois documentos, chamados doc1 e doc2, utilizando a versão em português do aplicativo Microsoft Word 2003 com suas configurações padrões. Uma possível forma de o usuário reproduzir no doc2 uma parte contínua de texto contido no doc1, sem alterar o doc1, é (A) recortar o texto desejado no doc1 e colar no doc2. (B) recortar o texto desejado no doc1 e copiar no doc2. (C) colar o texto desejado no doc1 e copiar no doc2. (D) copiar o texto desejado no doc2 e colar no doc1. (E) copiar o texto desejado no doc1 e colar no doc2. 22 Considere o editor de textos Microsoft Word 2003 em português com suas configurações padrões. Qual opção de menu o usuário deve acionar para aumentar o tamanho da fonte de um texto previamente selecionado? (A) Formatar => Fonte (B) Formatar => Parágrafo (C) Formatar => Revelar formatação (D) Formatar => Bordas e sombreamento (E) Editar => Dimensões 6

7 23 Considere o aplicativo Microsoft Excel 2003 em português com suas configurações padrões. Um usuário que deseja atribuir à célula C1 o valor da célula B1 subtraído do valor da célula A1 deve, na célula C1, especificar a seguinte fórmula: (A) B1 A1 (B) =B1 A1 (C) C1=B1 A1 (D) C1=B$1 A$1 (E) SUB(B1, A1) 24 Suponha que um usuário esteja editando uma planilha de cálculo utilizando a versão em português do aplicativo Microsoft Excel 2003 com suas configurações padrões. Uma possível forma de o usuário mesclar duas células adjacentes é selecionar (A) as duas células, selecionar a opção de formatar célula e marcar a opção que indica que as duas células devem ser mescladas. (B) uma das células e selecionar a opção editar dimensões da célula para configurá-las de modo a abranger a outra célula. (C) a opção inserir fórmula, escolher a fórmula mesclar e adicionar como argumento as duas células. (D) a opção de inserir mescla de células e adicionar as duas células a serem mescladas. (E) a opção de configurar planilha e indicar que aquelas duas células devem ser unificadas como um único objeto. 25 Suponha que um usuário esteja editando uma apresentação, chamada pres1, utilizando a versão em português do aplicativo Microsoft PowerPoint 2003 com suas configurações padrões. Uma possível opção para o usuário inserir um novo slide em pres1 é selecionar a opção (A) Arquivo => Novo. (B) Inserir => Novo arquivo (C) Inserir => Novo slide (D) Formatar => Apresentação (E) Editar => Slides 26 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A JUVENTUDE VULNERÁVEL A violência tem se tornado um flagelo para toda a sociedade, difundindo o sofrimento, generalizando o medo e produzindo danos profundos na economia. Entretanto, os efeitos mais graves de nossa barbárie cotidiana não se distribuem aleatoriamente. (...) O problema alcançou um ponto tão grave que já há um deficit de jovens do sexo masculino na estrutura demográfica brasileira. Um deficit que só se verifica nas sociedades que estão em guerra. Portanto, apesar de não estarmos em guerra, experimentamos as conseqüências típicas de uma guerra. SOARES, L.E. in Sento-Sé, V. (org). Prevenção da Violência. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005:21. As informações e os argumentos apresentados acima remetem-se, diretamente, ao problema da violência no Brasil e, no curto prazo, à necessidade de elaboração e execução de uma eficaz política (A) natalista, que estimule a expansão da faixa de jovens. (B) de segurança pública, que efetive direitos humanos. (C) de imigração, que reequilibre a estrutura sexual da população. (D) de assistência social, que expanda a geração de emprego e renda. (E) de defesa, que repare violações e perdas de guerra. 27 TATUAGENS URBANAS COMO REGISTRO VISUAL: DO GRAFITE AO ÍCONE PUBLICITÁRIO Quando sustentei que o grafite subverte uma ordem (social, lingüística ou moral) e que a marca graffiti expõe exatamente o que é proibido, o obsceno (socialmente falando), estava apontando para um tipo de escritura perversa que diz o que não se pode dizer e que, precisamente nesse jogo de dizer o que não é permitido (...), se legitima. SILVA, A. Imaginários urbanos. S. Paulo: Perspectiva, 2001:3. Considerando os grafites presentes nas grandes metrópoles do Brasil, o ponto de vista sustentado pelo autor incorpora e apresenta uma concepção do grafitismo urbano contemporâneo como arte (A) pública, que visa a um caráter crítico e a uma postura reivindicatória. (B) política, que busca legitimar as formas de poder instituído. (C) popular, que apenas reforça mecanismos e ícones publicitários. (D) ingênua, que procura os marcos da amoralidade e da perversidade. (E) informal, que atua como registro visual e lingüístico primaz. 7

8 28 Um dos mais importantes bancos brasileiros da atualidade divulga o seguinte anúncio publicitário: PORQUE A NOVA TENDÊNCIA DO MERCADO IMOBILIÁRIO É CONSTRUIR SEM DESTRUIR (...) Nós financiamos os empreendimentos, e as obras seguem práticas que reduzem o impacto ambiental e aumentam a eficiência econômica. Em outras palavras, é a idéia de que uma construção pode ser boa para quem constrói, para seus clientes, para a sociedade e para o planeta (...) Revista Veja, 23 abr O conteúdo do texto publicitário acima revela uma das tendências da gestão empresarial no Brasil de hoje. Essa tendência articula, especificamente, as seguintes propostas: (A) ecodesenvolvimento e produção flexível. (B) eficiência econômica e fusão empresarial. (C) desenvolvimento sustentável e fusão empresarial. (D) compromisso social e desenvolvimento sustentável. (E) compromisso social e produção flexível. 29 A Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) visa a regular as indústrias responsáveis por esses recursos energéticos, no Brasil, garantindo o cumprimento de regras claras e estáveis. Com relação ao papel desempenhado pela ANP, são apresentadas as seguintes expectativas: I - com mais petróleo, ratifica-se a perspectiva de consolidação da auto-suficiência nacional; II - com mais gás natural, define-se a perspectiva de redução da dependência externa do País; III - com biocombustíveis, amplia-se a perspectiva de alternativas energéticas menos custosas que suas similares estrangeiras; IV - com o conjunto dos negócios derivados das produções, reforça-se a perspectiva do aumento de royalties para a União, estados e municípios. São plausíveis as expectativas (A) I, II e III, apenas. (B) I, II e IV, apenas. (C) I, III e IV, apenas. (D) II, III e IV, apenas. (E) I, II, III e IV. 30 O mundo contemporâneo se caracteriza por ser uma sociedade de vigilância, principalmente, depois dos atentados às Torres Gêmeas, em Nova York. Qual é o conceito usado por Michel Foucault para se referir a esse tipo de fenômeno? (A) Virtualidade. (B) Anacronismo. (C) Panoptismo. (D) Solepsismo. (E) Visionismo. 31 No contexto da sociabilidade contemporânea, se acentua, cada vez mais, um processo de comunicação que tem por base a cultura (A) do corpo. (B) do espírito. (C) dos jovens. (D) dos indivíduos. (E) das redes. 32 Um fenômeno novo está surgindo no campo do jornalismo, produzido na Web. Em vez da tradicional seleção e publicação das notícias em função de critérios de espaço e relevância, a partir de interesses editoriais, o espaço, virtualmente ilimitado, associado à participação de qualquer internauta na escrita das notícias, criou o processo de (A) ombudsman. (B) gatekeeping. (C) bookkeeping. (D) gatewatching. (E) direct access. 33 Os meios, chamados massivos, estão perdendo terreno para a Internet no que diz respeito à comunicação, enquanto processo de construção social. Essa é uma realidade virtual que se caracteriza por (A) relações interativas. (B) representações fiéis. (C) estruturas digitais. (D) informações direcionadas. (E) relacionamentos efêmeros. 34 No jargão digital, o termo que normalmente se usa para transmitir informações captadas em vídeo e outros suportes para a Internet é (A) submeter. (B) encodar. (C) transferir. (D) transportar. (E) editar. 35 Ao assinar uma lista RSS (Really Simple Syndication), o leitor de um blog ou site pode (A) automatizar o recebimento das notícias mais atualizadas de um site ou blog. (B) gerenciar os hits do website através de um programa proprietário. (C) bloquear o recebimento de s não solicitados. (D) distribuir automaticamente os posts publicados. (E) publicar on-line um conteúdo colaborativo. 36 A apropriação e o uso não autorizado de conteúdo da Internet são temas emergentes que têm atraído a atenção dos autores e produtores de conteúdo para a necessidade da proteção do direito autoral. Esse cenário incentivou a criação das licenças Creative Commons (CC). Qual é o princípio defendido por essas licenças? (A) Autores e criadores de conteúdo permitem compartilhar a sua criação intelectual na Internet sem que o usuário viole as leis de direitos autorais. (B) Em caso de uso não é necessário dar o crédito ao autor original de uma obra, se ela estiver registrada no CC. (C) Em qualquer situação, uma vez licenciada, o autor libera o uso de sua obra sem a necessidade de pagamento de direitos autorais. (D) O autor cede os direitos autorais à CC, que passa a deter o controle e a propriedade da obra. (E) O uso da obra completa, ou de partes da mesma, só será permitido após passar por uma complexa avaliação da organização CC. 8

9 37 Pela ótica corporativa, a fim de se proteger de possíveis reflexos negativos em situações de crise institucional ou de imagem, a postura de uma empresa em relação ao contato com a imprensa deve ser (A) defensiva. (B) investigativa. (C) neutra. (D) proativa. (E) reativa. 38 Páginas comunitárias que possibilitam a inclusão e a edição de artigos que podem ser alterados por todos os usuários que têm direito de acesso. A esse conceito de colaboração on-line se dá o nome de (A) Hipertexto. (B) Streaming. (C) WAP. (D) Web Standards. (E) Wiki. 39 Considerados como uma evolução dos diários pessoais online, os blogs corporativos seguem a tendência de incorporar à sua estrutura várias ferramentas de colaboração características da web 2.0, tais como podcasts e feeds. Nesse sentido, o uso de um blog corporativo como ferramenta de comunicação on-line tem como objetivo (A) criar um espaço formal para apresentações institucionais. (B) diminuir o investimento no processo tradicional de distribuição de conteúdo. (C) manter-se alinhado à nova tendência da presença corporativa no mundo digital e colaborativo. (D) estreitar e incentivar uma melhor experiência de relacionamento com o público interno. (E) monitorar estatisticamente os acessos e o perfil do usuário on-line. 40 Nos últimos anos vem-se observando uma nova configuração do processo de comunicação das empresas, que passaram a usar o poder de alcance e a interatividade das novas tecnologias de informação para construir um novo tipo de comunicação e relacionamento com seus stakeholders. Nesse sentido, é correto afirmar que (A) o conteúdo, que passa a ser gerado unicamente pelo usuário, tem uma relevância maior em termos de credibilidade nesse ambiente. (B) o ambiente on-line incentiva o relacionamento bidirecional, a partir da participação ativa do usuário no processo de comunicação. (C) a Internet, facilitada pela abrangência mundial, se mostra como o canal mais adequado para falar, de forma única, com todos os públicos de uma organização. (D) a adaptação do usuário a esse novo ambiente tecnológico depende de um esforço conjunto de todos os agentes envolvidos neste processo. (E) as novas ferramentas desenvolvidas para o contexto online ainda são de difícil uso e dependem de um lento processo de implementação. 41 Uma equipe de comunicação está analisando dados sobre campanhas anteriores, com vistas ao planejamento do próximo ano. Na reunião, surgem os comentários a seguir. I - A propaganda é mais eficaz quando seu alvo é restrito, pois, embora seja difícil medir a taxa de retorno do investimento, ela é provavelmente maior para anúncios estreitamente direcionados. II - Como a taxa de retorno do investimento é mais difícil de medir no caso de marketing direto, uma alternativa seria dividir a soma do valor de todos os pedidos pelo custo total da ação. III - Se uma nova campanha de propaganda for acompanhada de aumento de preço, uma nova promoção de vendas e uma campanha de relações públicas, torna-se fácil medir o retorno de cada ação, separadamente. IV - Devemos ser cuidadosos quanto à quantia a ser gasta em comunicação, pois, se gastarmos muito pouco com anúncios, podemos estar gastando demais, uma vez que eles não captam muito a atenção. O diretor do departamento deve considerar válidos APENAS os comentários (A) I e IV (B) II e III (C) I, II e III (D) I, III e IV (E) II, III e IV 42 Ao planejar uma nova campanha promocional, um assessor de comunicação empresarial deve desenvolver um(a) (A) conceito para a marca, relacionando as peças a serem exibidas pelo target da empresa e seus fornecedores. (B) mapa de mídia, com inserções por veículo, em função dos públicos-alvos e das expectativas de retorno dos acionistas. (C) portfólio de mensagens, tanto promocionais quanto institucionais, além de mídias adequadas para sua veiculação. (D) meta de resultados plausíveis de serem atingidos, comparando os valores despendidos em cada mídia. (E) proposta de valor em torno da qual todos os elementos do marketing possam ser harmoniosamente integrados. 43 Uma rede de distribuição de combustíveis, com atuação no sudeste brasileiro, acaba de nomear um diretor para administrar a comunicação integrada de marketing. A principal tarefa desse profissional é (A) assessorar a presidência da empresa a respeito de todas as mensagens que possam comunicar algo a seus clientes. (B) mapear as diversas mídias à disposição, dividi-las em grupos e selecioná-las pelo critério do CPM custo por mil. (C) integrar as ferramentas de comunicação, com o objetivo específico de melhorar a imagem corporativa. (D) identificar os pontos de contato do cliente com a empresa e transmitir uma mensagem coerente em todos eles. (E) implantar um sistema de apoio aos canais de distribuição, com ênfase nas ferramentas de comunicação. 9

10 44 As afirmações a seguir estão relacionadas a cinco ferramentas que constituem o mix promocional de uma empresa, fazendo com que suas mensagens cheguem ao público-alvo. Indique a única INCORRETA. (A) Relações públicas a maioria das despesas com essa ferramenta representa sólidos investimentos planejados para criar e transmitir uma imagem positiva ao mercado, embora não seja tão perceptível para o público como a propaganda. (B) Propaganda é a mais poderosa ferramenta para promover a conscientização das pessoas sobre uma empresa, um produto, um serviço ou uma idéia e, em termos de custo por milhares de pessoas atingidas, dificilmente é superada. (C) Força de vendas representa uma das mais dispendiosas ferramentas de comunicação, especialmente quando sai em campo, em viagens constantes, e passa um tempo considerável à caça de clientes potenciais. (D) Promoção de vendas necessita ser cuidadosamente planejada, para não gerar oscilações nos cronogramas de produção ou nos níveis de estoque dos fabricantes, nos períodos em que for utilizada. (E) Marketing direto ferramenta que identifica todo um conjunto de pessoas influentes e formadores de opinião, que serão contatados diretamente para aumentar a chance de sucesso de um novo produto. 45 Das afirmações a seguir, sobre os conceitos de identidade e imagem, apenas uma é verdadeira. Qual? (A) Imagens são as características físicas fundamentais do produto e os ingredientes da sua personalidade e composição manufaturada, equivalendo ao território em que circulam as mais diferentes percepções sobre o produto. (B) A imagem se projeta na identidade, graças ao estabelecimento de uma marca e ao desenvolvimento de técnicas de comunicação e marketing voltadas para posicionar o produto na mente do consumidor. (C) A identidade da marca será mais consolidada quanto maiores forem seu tempo de exposição pública e os volumes e verbas publicitárias, sendo que a imagem será mais forte quanto maiores forem o volume e a homogeneidade gráfico-visual da marca. (D) A identidade se refere ao plano dos conteúdos lógicos, concretos, apreendidos pelo nível do consciente, enquanto a imagem se refere ao plano dos simbolismos, das intuições e conotações, apreendidas pelo nível do inconsciente. (E) A identidade é a verdade do produto, enquanto a imagem é sua sombra, e, assim, quanto mais próxima estiver da imagem, maior a projeção da identidade, e quanto mais distante da identidade, menos distorcida será a imagem. 46 O sistema de comunicação externa é responsável pelo posicionamento e pela imagem da organização na sociedade. Por isso, seu foco é a opinião pública. Nesse sentido, atualmente, a comunicação externa de uma empresa necessita (A) aprumar seu discurso à procura de pontos que possam justapor os interesses dos consumidores e os da empresa, sem se desviar dos compromissos éticos. (B) assumir a postura moralista nos negócios, considerando a nova realidade social e impondo padrões elevados de comportamento aos parceiros. (C) oferecer produtos honestos e de qualidade, omitindo eventuais erros e desleixos para preservar a lucratividade e o bem-estar dos funcionários. (D) efetuar uma cobrança social mais efetiva em torno dos serviços das instituições, exigindo maior clareza e mais profissionalismo. (E) avaliar de maneira cuidadosa as atitudes dos consumidores, tornando-se mais ágil nas respostas e no atendimento às demandas pelos produtos. 47 Um consultor de comunicação é contratado para desenvolver um planejamento de endomarketing para uma instituição de grande porte. Ele explica para a diretoria que existem diversas formas de comunicação nas organizações, como a administrativa e a social. Entretanto, existe também uma área que normalmente não é trabalhada operacionalmente nas organizações: a comunicação cultural, que é aquela que (A) envolve as áreas de assessoria de imprensa e relações públicas no contexto social, gerando imagem favorável à empresa. (B) comporta o clima organizacional, aferido a partir do arcabouço dos costumes, das idéias e dos valores da empresa. (C) promove a marca para o público interno, criando um clima organizacional favorável nos tempos de mudanças. (D) funciona como uma orquestra promovendo uma melodia harmoniosa e corresponde à visão sistêmica na empresa. (E) motiva o funcionário a trabalhar mais satisfeito, produzindo mais e orgulhando-se da instituição em que atua. 48 Considere as afirmações abaixo, sobre a dimensão estratégica da comunicação organizacional. I - Um clima organizacional mal trabalhado e mal administrado gerará ruídos na comunicação, o que pode ser resolvido por um boletim interno bem feito e programas de relações públicas bem elaborados. II - Cada vez mais, a comunicação ganha status de consultoria estratégica, que se desenvolve por meio de orientação, de leitura do meio ambiente, de interpretação de cenários e de assessoria aos sistemas decisórios. III - Os sistemas de informação, que agregam as informações armazenadas em bancos de dados, são importantes formas de comunicação nas organizações, afetando as comunicações social, cultural e administrativa. IV - A comunicação organizacional é comumente entendida como a comunicação administrativa que reúne os papéis, as cartas internas e os memorandos, sendo a mais desenvolvida do ponto de vista operacional. É(São) verdadeira(s) APENAS a(s) afirmação(ões) (A) II (B) I e II (C) II e III (D) I, II e III (E) II, III e IV 10

11 49 Os fluxos da comunicação numa organização exercem grande influência sobre a eficácia do processo. São eles que constituem os caminhos, os desvios e os degraus por que atravessa a comunicação. A esse respeito, é INCORRETO afirmar que (A) as comunicações descendentes, entre a cúpula (diretores e superintendentes) e os níveis gerenciais intermediários, são mais eficazes do que as comunicações entre os gerentes e as chefias subordinadas. (B) as comunicações para as bases da organização sofrem influência negativa da dispersão dos públicos-alvos, da heterogeneidade sociocultural e da retenção das informações pelas gerências e chefias intermediárias. (C) as comunicações ascendentes de baixo pra cima não têm a força do sistema formal, e grande parte das mensagens flui por meio de canais informais, as chamadas rádio-peão e rádio-corredor. (D) as comunicações laterais tratam de mensagens trocadas entre um superior e um subordinado de outra área, sendo comuns em organizações mais abertas, menos burocráticas e com programas interdepartamentais. (E) entre as queixas relativas ao fluxo lateral, aparecem considerações sobre o esconderijo de informações, explicado pela tática de não fornecer aos companheiros tudo o que se passa em certas áreas. 50 O superintendente de comunicação de uma multinacional no setor energético encomenda a uma agência de propaganda, especializada em comunicação interna, uma campanha de integração interdepartamental. Assim, a equipe de criação deverá elaborar peças que (A) apóiem o departamento de recursos humanos na reciclagem de pessoal. (B) diminuam a existência de feudos entre os diretores, gerentes e funcionários. (C) estimulem o sentido de competitividade entre os setores e as funções. (D) despertem a organização da letargia causada pela repetição de tarefas e afazeres. (E) estabeleçam mudanças nas práticas e costumes tradicionais dos funcionários. 51 A literatura de comunicação costuma ressaltar que a responsabilidade social é um dos pilares da sustentação dos negócios, tão importante hoje quanto a qualidade, a tecnologia e a capacidade de inovação. Isso porque a empresa socialmente responsável (A) atrai os consumidores e aumenta o potencial de vendas e a reputação da marca, gerando maiores lucros para os acionistas. (B) antecipa as grandes alterações que estão ocorrendo no papel de outras instituições, como o Estado e o Terceiro Setor. (C) interliga os vários contextos culturais ao redor do mundo, contribuindo para o desenvolvimento dos indivíduos. (D) incorpora novas pressões sociais e econômicas criadas pela globalização, atentando para a diversidade cultural predominante. (E) promove valores e comportamentos morais que respeitam os padrões universais de direitos humanos e cidadania empresarial. 52 Entre as ações estratégicas voltadas para o desenvolvimento e a cidadania, a Petrobras desenvolve a difusão de informações para a cidadania, atuando por intermédio de (A) repasse de recursos, de forma planejada e monitorada, a iniciativas que promovam a transformação social das comunidades mais excluídas. (B) campanhas de comunicação para mobilizar e influenciar a opinião pública, as organizações sociais e o governo para a discussão da cidadania e dos direitos humanos. (C) apoio à interação entre os agentes sociais, públicos e privados, para a formação de parcerias, alianças e trocas de experiências. (D) associação criativa com os veículos de comunicação, visando à difusão dos projetos sociais e ambientais desenvolvidos pela empresa. (E) produção de conhecimento e formulação de debate sobre políticas públicas, voltadas para a divulgação de informações sobre cidadania. 53 A Young & Rubican, uma das maiores agências de propaganda do mundo, sugere que marcas bem-sucedidas têm duas qualidades: vitalidade e estatura. Cada uma, por sua vez, é formada por duas qualidades. Uma marca tem vitalidade quando: 1) diferencia-se de outras na mente do consumidor e 2) a diferenciação é relevante para as necessidades do consumidor. A marca tem estatura quando suscita: 1) alto apreço e 2) alta familiaridade em seu mercado-alvo. Com essas dimensões, é possível concluir que (A) uma marca não é problemática quando tem alta familiaridade, porém baixo apreço. (B) uma marca com alta vitalidade, porém baixa estatura, já não precisa de publicidade pesada. (C) marcas com alto apreço, mas baixa familiaridade, são candidatas ideais para uma forte campanha publicitária. (D) muita propaganda pode salvar a falência de uma marca de baixo apreço. (E) as qualidades ou aspectos das marcas não precisam ser melhorados antes de serem anunciados. 54 O presidente de uma companhia aérea internacional decide-se por um programa de branding, que assegure experiências positivas com a marca. Com esse objetivo, ele recomenda a seus diretores que programem um sistema de (A) comunicação integrada de marketing, com o objetivo de reforçar a imagem da companhia na mente dos passageiros. (B) marketing de relacionamento, para oferecer vantagens e premiações aos passageiros que voem sempre pela companhia. (C) treinamento da equipe de atendimento aos passageiros, de forma a gerenciar todo o contato com a marca que o cliente possa ter. (D) monitoramento das ações da concorrência, cobrindo eventuais ofertas vantajosas que outras companhias venham a promover. (E) CRM (Customer Relationship Management), utilizando o banco de dados da companhia para conhecer melhor seus passageiros. 11

12 55 Nem sempre é fácil construir um slogan de sucesso e que funcione bem na mente do cliente. Por isso, as empresas devem trabalhar o slogan de maneira a (A) causar um efeito subliminar na criação da imagem da marca. (B) acrescentá-lo à marca, repetindo-os em todas as peças de divulgação. (C) alterá-lo diversas vezes, até encontrar o mais adequado para a marca. (D) atingir o subconsciente dos consumidores, por meio do merchandising. (E) ligá-lo à identidade corporativa da empresa nas campanhas institucionais. 56 Muitas empresas contratam personalidades conhecidas, na esperança de que suas qualidades sejam transferidas para a marca. No entanto, essa estratégia tem seu lado negativo, pois a celebridade escolhida pode se envolver em algum escândalo. Portanto, para evitar esse tipo de problema, as empresas poderiam desenvolver um(a) (A) nome diferente, com potencial para ser reconhecido e lembrado. (B) logotipo com desenhos abstratos, que lembre outro segmento de atuação. (C) programa de monitoramento das atividades da celebridade contratada. (D) cláusula contratual para rescindir o uso da imagem em caso de escândalos. (E) personagem animado ou um objeto que represente a marca. 57 Uma mensagem publicitária em forma de música, em que são cantados os benefícios da marca ou do produto anunciado é denominada (A) jingle. (B) spot. (C) spingle. (D) locução. (E) trilha. 58 As imagens digitais podem ser de dois tipos diferentes: vetoriais e em bitmap. Em relação a tipos de imagens, é INCORRETO afirmar que (A) imagens em bitmap costumam resultar em arquivos mais leves do que as imagens vetoriais. (B) imagens em bitmap são constituídas pelo registro seqüencial de uma sucessão de pixels. (C) imagens vetoriais são constituídas por meio de fórmulas geométricas que determinam o formato das figuras. (D) os pixels de formação da imagem, no bitmap, aparecem se ela for muito ampliada. (E) uma imagem vetorial pode ser ampliada, reduzida, esticada, ou sofrer qualquer tipo de deformação em suas dimensões, sem que apresente problemas de deformação. 59 O slogan é uma frase curta, concisa e marcante e que tem como finalidade atrair a atenção do consumidor e destacar as qualidades ou características do produto, além de ser fácil de ser lembrado e repetido. Sobre o slogan, assinale a afirmação correta. (A) As figuras de retórica não devem ser usadas em sua composição, pois estas podem levar à dificuldade de compreensão da mensagem. (B) Um bom slogan cria a imagem do produto na mente do consumidor, facilitando assim o recall da marca e/ou do produto. (C) Um bom slogan não depende da freqüência das inserções de mídia para ser lembrado. (D) Um slogan forte e memorável deve conter palavras abstratas e racionais ao mesmo tempo. (E) Um slogan publicitário deve conter argumentos implícitos em seu texto, centrados exclusivamente nas qualidades intrínsecas do produto. 60 Em propaganda, o termo share pode significar share-ofmarket, share-of-mind ou share-of-voice, dependendo do contexto no qual é utilizado. O termo share-of-voice pode ser definido como (A) comparação da participação de mercado atual de uma empresa com seu potencial de participação. (B) participação na mente do consumidor, como lembrança espontânea ou nível de conhecimento da marca. (C) participação no volume total de propaganda veiculada, ou seja, o quanto cada empresa aparece no mercado através da propaganda e outras formas de comunicação. (D) percentagem do mercado total ou de um segmento que uma empresa ou marca possui. (E) percentual de vendas alcançadas pelo investimento em campanhas de comunicação. 61 O Código Brasileiro de Auto-Regulamentação Publicitária é o documento que disciplina as normas éticas a serem obedecidas pelos Anunciantes e Agências de Publicidade na elaboração de seus anúncios. Qual(is) das atividades a seguir NÃO se submete(m) às normas dispostas neste Código? (A) Publicidade de causas, instituições sociais, fundações ou quaisquer outras atividades ou entidades sem fins lucrativos. (B) Publicidade de empresas públicas e de entidades paraestatais. (C) Publicidade governamental. (D) Publicidade indireta ou merchandising. (E) Publicity e Relações Públicas. 62 O documento no qual são feitas as indicações e planejadas as veiculações com os diversos veículos, formatos e posições recomendadas pela agência é conhecido como (A) Briefing. (B) Checking. (C) Estimativa de custos. (D) Pedido de inserção. (E) Plano de mídia. 12

13 63 O tipo de anúncio que organiza a mensagem em forma de texto, sem usar imagens para ilustrar seu conteúdo, é denominado (A) all type. (B) pure text. (C) broadside. (D) institucional. (E) saia e blusa. 64 Pela definição clássica das funções de cada área, a definição dos objetivos e metas de comunicação do cliente faz parte da seguinte fase do desenvolvimento de uma campanha publicitária: (A) Atendimento ao cliente. (B) Planejamento. (C) Briefing. (D) Criação. (E) Mídia. 65 Na prática da criação publicitária, elaborar um rough significa (A) redigir um relatório de visitas. (B) documentar o roteiro das ações propostas pela agência. (C) negociar com fornecedores, como fotógrafos e gráficas. (D) planejar as inserções de mídia nos veículos selecionados. (E) criar os primeiros rascunhos de um anúncio ou outra peça publicitária. 66 A Internet permite a criação de novos formatos de anúncios publicitários que combinam conteúdo com interatividade. Um formato de veiculação publicitária na Internet é (A) Back light. (B) Broadside. (C) Rich-media banner. (D) Videowall. (E) Totem. 67 A promoção de vendas, como um dos elementos do mix de comunicação integrada, é uma ferramenta muito utilizada para gerar vendas imediatas. Nesse contexto, é correto afirmar que (A) a duração de uma promoção de vendas pode ser ilimitada, e sua intensidade depende da verba disponível para divulgação. (B) a mecânica promocional pode ser alterada depois de ter sido anunciada, pois ela depende dos resultados nas vendas enquanto durar a promoção. (C) a propaganda cooperada incentiva uma relação de fidelidade entre o ponto de venda e o consumidor final, com o objetivo de reforçar a marca do fabricante. (D) uma vez que muitas ações envolvem redução de preço, a fidelidade do consumidor pode ser prejudicada, pois a decisão de compra naquele momento passa a ser financeira e não pela força da marca. (E) visto que seu objetivo é aumentar as vendas no curto prazo, a técnica de promoção de vendas é direcionada somente para os consumidores finais. 68 As informações levantadas pela pesquisa de mídia subsidiam os profissionais de mídia e de marketing na análise de mercado e no planejamento de mídia. O uso destes recursos técnicos busca informações sobre (A) cobertura do target. (B) comportamento e hábitos da audiência. (C) conhecimento da marca secundária. (D) disponibilidade do trade marketing. (E) exposição aos meios de comunicação dirigida. 69 No planejamento da construção de um website, uma das etapas mais importantes é a definição da arquitetura da informação. Nesse sentido, é correto afirmar que os dois elementos mais importantes nesta etapa do processo de criação de produtos interativos são (A) design e conteúdo. (B) estatísticas de acesso e uso. (C) hospedagem e manutenção. (D) layout dos gadgets e utilitários. (E) proteção contra hackers e spams. 70 Do ponto de vista estratégico, uma vez que uma empresa decida patrocinar um evento esportivo, esta decisão de patrocínio deve levar em consideração (A) o calendário de eventos a serem realizados na região de abrangência da empresa. (B) o índice de retorno nas vendas dos produtos da marca patrocinadora. (C) o retorno sobre o investimento em mídia indireta gerada pelos participantes. (D) os objetivos mercadológicos da empresa patrocinadora e a sua disponibilidade de verba para as ações de comunicação e marketing. (E) a realização de pesquisa de opinião com o público interno para identificar o melhor projeto a ser patrocinado. 13

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 10 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das

Leia mais

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames

As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames As 6 Práticas Essenciais de Marketing para Clínicas de Exames Introdução Fique atento aos padrões do CFM ÍNDICE As 6 práticas essenciais de marketing para clínicas de exames Aposte em uma consultoria de

Leia mais

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás

Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL. Profa. Ma. Andrea Morás Unidade II COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL Profa. Ma. Andrea Morás Comunicação empresarial Envolve todas as ferramentas de comunicação. Atividade multidisciplinar. Envolve conflitos, emoções, potencialidades e

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 7 EDITAL N o 02/2011 (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

SOMOS UMA AGÊNCIA JOVEM, ÁGIL E CRIATIVA QUE TEM UM PROPÓSITO BEM CLARO: TER BOAS IDEIAS PARA GERAR BONS RESULTADOS.

SOMOS UMA AGÊNCIA JOVEM, ÁGIL E CRIATIVA QUE TEM UM PROPÓSITO BEM CLARO: TER BOAS IDEIAS PARA GERAR BONS RESULTADOS. 2 plenapropaganda portfólio quem somos 3 SOMOS UMA AGÊNCIA JOVEM, ÁGIL E CRIATIVA QUE TEM UM PROPÓSITO BEM CLARO: TER BOAS IDEIAS PARA GERAR BONS RESULTADOS. A Plena é uma agência que atua sempre focada

Leia mais

Estratégias em Propaganda e Comunicação

Estratégias em Propaganda e Comunicação Ferramentas Gráficas I Estratégias em Propaganda e Comunicação Tenho meu Briefing. E agora? Planejamento de Campanha Publicitária O QUE VOCÊ DEVE SABER NO INÍCIO O profissional responsável pelo planejamento

Leia mais

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes

Unidade IV. Marketing. Profª. Daniela Menezes Unidade IV Marketing Profª. Daniela Menezes Comunicação (Promoção) Mais do que ter uma ideia e desenvolver um produto com qualidade superior é preciso comunicar a seus clientes que o produto e/ ou serviço

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina Mídia - 2015.1 Nilmar Figueiredo 1 2 3 4 Calendário Acadêmico Comentários Apresentação da Disciplina Sistema de Avaliação 1 - Apresentação da Disciplina O que é Mídia? Departamento de Mídia - Organização

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4001 Publicidade e Propaganda MISSÃO DO CURSO O curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar

Leia mais

Comunicação Integrada de marketing.

Comunicação Integrada de marketing. Comunicação Integrada de marketing. - COMPOSTO DE COMUNICAÇÃO - 4 A s - 4 C s Comunicação: é a transmissão de uma mensagem de um emissor para um receptor, de modo que ambos a entendam da mesma maneira.

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA

FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA FACULDADE ANHANGUERA DE ITAPECERICA DA SERRA Profº Paulo Barreto Paulo.santosi9@aedu.com www.paulobarretoi9consultoria.com.br 1 DO MARKETING À COMUNICAÇÃO Conceitualmente, Marketing é definido por Kotler

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Planejamento de Campanha Publicitária

Planejamento de Campanha Publicitária Planejamento de Campanha Publicitária Prof. André Wander UCAM O briefing chegou. E agora? O profissional responsável pelo planejamento de campanha em uma agência de propaganda recebe o briefing, analisa

Leia mais

LIQUIGÁS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

LIQUIGÁS LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 13 LIQUIGÁS EDITAL N o 1, LIQUIGÁS PSP - 01/2013 Conhecimentos Básicos para oa Cargos 4 a 13 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES,

Leia mais

ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL. (11) 3522-5338 - www.cvsweb.com.br comercial@cvsweb.com.br

ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL. (11) 3522-5338 - www.cvsweb.com.br comercial@cvsweb.com.br ALGUNS DADOS DA INTERNET NO BRASIL 2 + 67.500.000 + 67,5 MILHÕES DE INTERNAUTAS NO BRASIL FONTE: IBOPE/NIELSEN 58.290.000 58,2 MILHOES DE INTERNAUTAS NO BRASIL ACESSAM A INTERNET SEMANALMENTE -87% FONTE:

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ADMINISTRAÇÃO) 2 a FASE 14 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

ALISTA A DE SISTEMAS JÚNIOR - PROCESSOS DE NEGÓCIO

ALISTA A DE SISTEMAS JÚNIOR - PROCESSOS DE NEGÓCIO 31 JUNHO / 2008 ANALIST ALISTA A DE SISTEMAS JÚNIOR - 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o enunciado das 70 questões das Provas

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE) 2 a FASE 16 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

SERÁ UM ORGULHO TÊ-LO EM NOSSO TIME!!!

SERÁ UM ORGULHO TÊ-LO EM NOSSO TIME!!! A MVP é uma agência de Comunicação e Marketing Esportivo que atua de forma diferenciada no mercado, gerenciando a imagem de grandes atletas do esporte nacional desde 2006, passando pelos ciclos olímpicos

Leia mais

E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 E P E ADVOGADO ÁREA JURÍDICA EDITAL N o 001/2012 - EPE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este caderno, com os enunciados das 50 (cinquenta) questões

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUIVOLOGIA) 2 a FASE

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO (FORMAÇÃO DE ARQUIVOLOGIA) 2 a FASE 18 BNDES EDITAL N o N 02/2011 o 01/2012 - () 2 a FASE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 5 (cinco)

Leia mais

CASA DA MOEDA DO BRASIL

CASA DA MOEDA DO BRASIL CASA DA MOEDA DO BRASIL SETEMBRO 2005 ANALIST ALISTA A DE NÍVEL SUPERIOR/TREINAMENT AMENTO 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura!

APRESENTAÇÃO. Aprecie as apresentações a seguir. Boa leitura! APRESENTAÇÃO A Informatiza Soluções Empresariais está no mercado desde 2006 com atuação e especialização na criação de sites e lojas virtuais. A empresa conta com um sistema completo de administração de

Leia mais

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011

Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Curso de Marketing Disciplina: Web Marketing Professor: Roberto Marcello Estudo de Web Marketing para a Prova NP1 Dia da prova: 07/10/2011 Web Marketing Web Marketing é qualquer esforço promocional realizado

Leia mais

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO -

PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - PROJETO MULTIDISCIPLINAR DE COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL - 2013 - PLANO DE COMUNICAÇÃO - A estrutura a seguir foi desenvolvida com base no escopo da disciplina de Planejamento Estratégico de Comunicação,

Leia mais

CASA DA MOEDA DO BRASIL

CASA DA MOEDA DO BRASIL CASA DA MOEDA DO BRASIL SETEMBRO 200 ANALIST ALISTA A DE NÍVEL SUPERIOR/VENDAS 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o enunciado das

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DO CURO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA LET 02630 LÍNGUA PORTUGUESA Noções gerais da língua portuguesa. Leitura e produção de diferentes tipos de textos, em especial os relativos à comunicação de

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

CASA DA MOEDA DO BRASIL

CASA DA MOEDA DO BRASIL CASA DA MOEDA DO BRASIL SETEMBRO 200 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o enunciado das 30 questões das Provas Objetivas, sem repetição

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Estratégias de Comunicação

Estratégias de Comunicação Prof. Edmundo W. Lobassi A propaganda é parte do marketing e uma das ferramentas da comunicação. Uma boa estratégia de marketing não garante que a campanha de propaganda será boa, mas é condição essencial

Leia mais

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS

O QUE FAZEMOS MISSÃO VISÃO QUEM SOMOS O QUE FAZEMOS Provemos consultoria nas áreas de comunicação online, especializados em sites focados na gestão de conteúdo, sincronização de documentos, planilhas e contatos online, sempre integrados com

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

MBA em Gestão do Entretenimento

MBA em Gestão do Entretenimento MBA em Gestão do Entretenimento Entertainment Business Management Início em 25 de setembro de 2015 Aulas as quarta e sexta, das 7h às 9h Valor do curso: R$ 21.600,00 À vista com desconto: R$ 20.520,00

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes

Objetivos. Capítulo 16. Cenário para discussão. Comunicações de marketing. Desenvolvimento de comunicações de marketing eficazes Capítulo 16 e administração de comunicações integradas de marketing Objetivos Aprender quais são as principais etapas no desenvolvimento de um programa eficaz de comunicações integradas de marketing. Entender

Leia mais

Publicidade Legal x Publicidade Institucional

Publicidade Legal x Publicidade Institucional Aperfeiçoamento em Licitações Públicas e Contratos Administrativos Módulo 6: Contratação de serviços de publicidade Edinando Brustolin Graduado e mestre em Direito pela UFSC. Assessor jurídico da Federação

Leia mais

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA?

COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? COMO A PROPAGANDA FUNCIONA? Definição: a manipulação planejada da comunicação visando, pela persuasão, promover comportamentos em benefício do anunciante que a utiliza. Funções: cabe a propaganda informar

Leia mais

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 75/2013

WWW.ADINOEL.COM Adinoél Sebastião /// Inglês Tradução Livre 75/2013 PASSO A PASSO DO DYNO Ao final desse passo a passo você terá o texto quase todo traduzido. Passo 1 Marque no texto as palavras abaixo. (decore essas palavras, pois elas aparecem com muita frequência nos

Leia mais

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento.

Vamos, juntos. Equipe de Atendimento. Vamos, juntos Somos agência de publicidade e consultoria em marketing digital com a missão de atender as necessidades de comunicação da sua empresa, com serviços que abrangem desde campanhas integradas

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00 Páginas 1/8 1. OBJETIVO O Código de Ética é um conjunto de diretrizes e regras de atuação, que define como os empregados e contratados da AQCES devem agir em diferentes situações no que diz respeito à

Leia mais

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54

DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Registros Acadêmicos da Graduação. Ementas por Curso 09/05/2011 14:54 Curso: DIVISÃO DE REGISTROS ACADÊMICOS Centro de Ciências Humanas e da Comunicação Comunicação Social (Noturno) Ano/Semestre: 011/1 09/05/011 1:5 COM.0000.0.000- COM.0001.0.001-0 COM.0019.01.001-7 FIL.0051.00.00-3

Leia mais

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES

BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES O BANCO DO DESENVOLVIMENTO DE TODOS OS BRASILEIROS BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL - BNDES JANEIRO / 2008 PROVA DISCURSIVA PROFISSIONAL BÁSICO - LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Leia mais

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11

Integrada de Marketing. UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 O Planejamento de Comunicação Integrada de Marketing UNIBAN Unidade Marte Disciplina: Planejamento de Campanha Prof. Me. Francisco Leite Aulas: 31.03.11 Agenda: Planejamento de Comunicação Integrada de

Leia mais

Marketing e Merchandising. Facilitador: Bruno Carnevali- Consultor, BOSS Consultoria

Marketing e Merchandising. Facilitador: Bruno Carnevali- Consultor, BOSS Consultoria Marketing e Merchandising no PDV 1 Quais são as definições de Marketing Marketing 1-Todas as atividades direcionadas a fazer uma troca para satisfazer necessidades ou desejos do homem 2-Processo pelo qual

Leia mais

[ p r o p o s t a c o m e r c i a l ]

[ p r o p o s t a c o m e r c i a l ] [ p r o p o s t a c o m e r c i a l ] [ A n o 2 0 1 5 ] sobre o cidademarketing. O CidadeMarketing.com.br O CidadeMarketing é um veículo de comunicação interativo que visa produzir, informar, discutir

Leia mais

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I GESTÃO DA QUALIDADE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I GESTÃO DA QUALIDADE LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 7 EDITAL N o 04/2013 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com os enunciados das 8 (oito) questões discursivas, sem

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

CASA DA MOEDA DO BRASIL

CASA DA MOEDA DO BRASIL CASA DA MOEDA DO BRASIL SETEMBRO 2005 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o enunciado das 30 questões das Provas Objetivas, sem

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo

História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo Morgana Hamester História Diferenciações Assessoria o que é? Estrutura Comunicação x Imprensa Papéis e funções Planejamento Conteúdo Processamento interno x externo Contexto atual Modelização digital contemporaneidade;

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

OBJETIVOS DE MARKETING

OBJETIVOS DE MARKETING CASE Banco do Brasil Todo Seu O Banco do Brasil é a mais antiga instituição bancária brasileira. Reconhecido como fundamental para o desenvolvimento econômico e social do país, é também o maior banco da

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PUBLICIDADE E PROPAGANDA CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS PUBLICIDADE E PROPAGANDA QUESTÃO 1 O Briefing é um instrumento essencial para a proposição de soluções efetivas de divulgação. Marque o item que contém quesitos que NÃO estão

Leia mais

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda.

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo Copyright 2015 Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Todos os direitos reservados. Pode ser compartilhado com conteúdo,

Leia mais

Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services

Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services - Windows SharePoint Services... Page 1 of 11 Windows SharePoint Services Guia de Introdução ao Windows SharePoint Services Ocultar tudo O Microsoft Windows

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2

O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2 O JORNAL DE EMPRESA COMO UMA FERRAMENTA DE MARKETING AMBIENTAL Rebeca Morato Mangualde 1, Vinícius Valim Pereira 2 1 Graduada em Comunicação Social - UFV, Gerente de Marketing da Lifesys Informática Ltda.

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada 5 1. Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009

AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009 AVISO DE RETIFICAÇÃO II CREDENCIAMENTO N.º 502/2009 O SESI/SENAI - PR, torna pública a RETIFICAÇÃO referente ao Edital de CREDENCIAMENTO N.º 502/2009, conforme segue: Fica Incluído no ANEXO III - ÁREAS

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL

Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL Administração Central Unidade do Ensino Médio e Técnico GFAC Grupo de Formulação e Análises Curriculares Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL CAPÍTULO 3 PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO WESLLEYMOURA@GMAIL.COM RECONHECIMENTO DE ALGUNS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO ANÁLISE DE SISTEMAS ERP (Enterprise Resource Planning) Em sua essência, ERP é um sistema de gestão empresarial. Imagine que você tenha

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. 02/01/2013 rev. 00

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL. 02/01/2013 rev. 00 APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL 02/01/2013 rev. 00 PAUTA INSTITUCIONAL Sobre a Harpia OUTRAS INFORMAÇÕES Clientes Parceiros SERVIÇOS Responsabilidade Social Consultoria & Gestão Empresarial Planejamento Estratégico

Leia mais

Pós Graduação em Gestão do Entretenimento

Pós Graduação em Gestão do Entretenimento Pós Graduação em Gestão do Entertainment Business Management Público - alvo Indicado para profissionais e empreendedores que necessitam de habilidades e ferramentas para a atuação no setor de gestão, nas

Leia mais

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa

1. Apresentação. 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social. 1.2. Engajamento na Iniciativa 1. Apresentação 1.1. Conexão Digital para o Desenvolvimento Social A conexão Digital para o Desenvolvimento Social é uma iniciativa que abrange uma série de atividades desenvolvidas por ONGs em colaboração

Leia mais

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE GESTÃO DE RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Professor Wagner Luiz Aula - Como obter sucesso em uma implementação de CRM e o Processo da Comunicação. Março de 2014 São Paulo -SP Call Center & CRM 2007 CRM: do

Leia mais

G e s t ã o Colaborativa, Humanizada e Sustentável. Luiz Ildebrando Pierry Coordenador Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade

G e s t ã o Colaborativa, Humanizada e Sustentável. Luiz Ildebrando Pierry Coordenador Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade G e s t ã o Colaborativa, Humanizada e Sustentável Luiz Ildebrando Pierry Coordenador Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Mudanças Estratégias Escolhas Circunstâncias O momento que vivemos:

Leia mais

PROPAGANDA. Propaganda. Considerações iniciais. Propaganda. Propaganda. Papel da propaganda. Propaganda. Propaganda. Missão.

PROPAGANDA. Propaganda. Considerações iniciais. Propaganda. Propaganda. Papel da propaganda. Propaganda. Propaganda. Missão. PROPAGANDA Considerações iniciais É a parte mais glamourosa do Marketing Mix (exposição); Exige talento e planejamento Representa mais de 1% do PIB Todos (acham que) entendem; Papel da propaganda A compra

Leia mais

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO.

PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. PUC - Rio - 2012 Rio VESTIBULAR 2012 PROVAS DISCURSIVAS DE HISTÓRIA 2 o DIA MANHÃ GRUPO 2 Novembro / 2011 LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este

Leia mais

Email marketing: os 10 erros mais comuns

Email marketing: os 10 erros mais comuns Email marketing: os 10 erros mais comuns Publicado em: 18/02/2008 Não ter permissão dos contatos para enviar mensagens Um dos princípios fundamentais do email marketing é trabalhar apenas com contatos

Leia mais

Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora

Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora Uma nova fase de sucesso em seu negócio pode começar agora Afinal, tudo começa em sua maneira de pensar. E marketing é isto, uma questão de posicionamento. PROPOSTA DE SERVIÇOS Logotipos Web Sites Lojas

Leia mais

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE)

PROVA DISCURSIVA - PROFISSIONAL BÁSICO. FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE) 02 TARDE SETEMBRO / 2010 FORMAÇÃO: ANÁLISE DE SISTEMAS - SUPORTE (2 a FASE) LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) este Caderno, com o enunciado das

Leia mais

CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA: ELETRÔNICA

CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO / ÁREA: ELETRÔNICA 7 CEFET CARGOS DE CLASSE D TÉCNICO DE ELETRÔNICA E TÉCNICO DE LABORATÓRIO LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. 01 - O candidato recebeu do fiscal o seguinte material: a) este CADERNO DE QUESTÕES, com

Leia mais

A importância de personalizar a sua loja virtual

A importância de personalizar a sua loja virtual A importância de personalizar a sua loja virtual Ter uma loja virtual de sucesso é o sonho de muitos empresários que avançam por esse nicho econômico. Porém, como as lojas virtuais são mais baratas e mais

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética Jeito de Ser Índice 3 Introdução 3 Carta do Presidente 3 Missão do Grupo Marisa 3 Valores do Grupo Marisa 3 Código de Conduta Ética v Áreas de Relacionamento Colaboradores Fornecedores

Leia mais

Linux. Educacional. Tutorial Buzzword

Linux. Educacional. Tutorial Buzzword Linux Educacional Tutorial Buzzword Para trabalhar com o programa Buzzword online, é necessário que crie uma conta no site. Para isso acesse o endereço - https://buzzword.acrobat.com/ Para criar uma conta

Leia mais

Política de Privacidade.

Política de Privacidade. Política de Privacidade Johnson & Johnson do Brasil Indústria e Comércio de Produtos para Saúde Ltda., preocupa se com questões sobre privacidade e quer que você saiba como coletamos, usamos e divulgamos

Leia mais

Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno)

Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno) Ementa das disciplinas optativas 2011.1 (em ordem alfabética independente do curso e do turno) Disciplina Ementa Pré- requisito C.H. Curso Assessoria de Comunicação Conhecimento geral, reflexão e prática

Leia mais

Política de Comunicação Integrada

Política de Comunicação Integrada Política de Comunicação Integrada agosto 2009 Política de Comunicação Integrada 4 1 Objetivos Promover a comunicação integrada entre as empresas Eletrobras e dessas com os seus públicos de relacionamento,

Leia mais

CASA DA MOEDA DO BRASIL

CASA DA MOEDA DO BRASIL CASA DA MOEDA DO BRASIL SETEMBRO 2005 ANALIST ALISTA A DE NÍVEL SUPERIOR/SUPRIMENTOS OS 01 - Você recebeu do fiscal o seguinte material: LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO. a) este caderno, com o enunciado

Leia mais

Modelo de Questionário de Desligamento

Modelo de Questionário de Desligamento RECRUTAMENTO E SELEÇÃO Planejamento Recrutamento Seleção Integração 1ª Etapa Surgimento de uma vaga - Dispensas do empregador (demissões); - Pedidos de demissão (saídas voluntárias demissionários); - Mortes;

Leia mais

*Todos os direitos reservados.

*Todos os direitos reservados. *Todos os direitos reservados. A cada ano, as grandes empresas de tecnologia criam novas ferramentas Para o novo mundo digital. Sempre temos que nos renovar para novas tecnologias, a Karmake está preparada.

Leia mais

Resultados da Pesquisa

Resultados da Pesquisa Resultados da Pesquisa 1. Estratégia de Mensuração 01 As organizações devem ter uma estratégia de mensuração formal e garantir que a mesma esteja alinhada com os objetivos da empresa. Assim, as iniciativas

Leia mais

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB

TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB TRABALHOS TÉCNICOS Serviço de Documentação e Informação EDIÇÃO E GESTÃO DE CONTEÚDO PARA WEB Gestão do Conhecimento hoje tem se materializado muitas vezes na memória organizacional da empresa. O conteúdo

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Procedimentos Ly n ns O Rei dos Blogs Crescendo empreendedores Sumário Propósito... 3 Estrutura do Manual... 4 1. Iniciando... 5 1.1. O que é o Portal LyonBlogs... 5 1.2. Qual é o Objetivo...

Leia mais

www.comoassimblog.com.br

www.comoassimblog.com.br O espaço virtual para dúvidas reais de pais e filhos. BLOG DE EDUCAÇÃO INFORMAL PARA CRIANÇAS, ADOLESCENTES, PAIS E RESPONSÁVEIS Educação formal, educação em família, educação religiosa... Estes assuntos

Leia mais

Gerência de Comunicacão

Gerência de Comunicacão Gerência de Comunicacão Quem somos? Representação política e institucional Representação sindical Educação cooperativista, promoção social e monitoramento Gecom Marketing Publicidade e propaganda Assessoria

Leia mais

Aula 5 Ferramentas Estratégicas em RI. Geraldo Soares

Aula 5 Ferramentas Estratégicas em RI. Geraldo Soares Aula 5 Ferramentas Estratégicas em RI Gestão de Base Acionária Targeting Formador de Mercado Acompanhamento de Mercado com Analistas Estudos de Percepção Geraldo Soares Boas Vindas Geraldo Soares Ferramentas

Leia mais

Anderson L. S. Moreira

Anderson L. S. Moreira Tecnologia da Informação Aula 11 Sistemas de E-business Anderson L. S. Moreira anderson.moreira@ifpe.edu.br Instituto Federal de Pernambuco Recife PE Esta apresentação está sob licença Creative Commons

Leia mais