Programação 2ºSemestre MEEC /2011. Programação 2º Semestre 2010/2011 Enunciado do projecto

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programação 2ºSemestre MEEC - 2010/2011. Programação 2º Semestre 2010/2011 Enunciado do projecto"

Transcrição

1 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Programação 2º Semestre 2010/2011 Enunciado do projecto O projecto a desenvolver pelos alunos consistirá numa sistema de monitorização, controlo e facturação de portagens. 1 Introdução Com a introdução da cobrança de portagens em estradas não desenhadas para tal, os sistemas de controlo e facturação dos percursos realizados pelos veículos são de difícil implementação: a criação das praças de portagem é, em muitos casos, difícil e de custos elevados e o uso do emissor da Via Verde não está totalmente difundido. Assim, o uso de sistemas de reconhecimento de matrículas permite a cobrança dos percursos realizados pelos veículos que circulam nessas auto-estradas. O sistema a implementar recebe informação da passagem de veículos pelas portagens, acede a uma tabela com os custos e no fim de cada dia emite uma listagem com os valores a cobrar. O sistema lê inicialmente de um ficheiro a matriz de custos entre portagens e lê continuamente de um canal as mensagens referentes às passagem de viaturas, armazenando numa lista os dados referentes a essas viaturas. No fim do dias esses dados são usados para criar o ficheio de facturação. 2 Arquitectura O sistema final será composto por várias aplicações, uma será desenvolvidas pelos alunos, outras fornecidas pelo corpo docente: Aplicação de facturação (desenvolvida pelo alunos) Gestor do Canal de Comunicação (fornecido) Portagens (fornecidos) Portagem 1 Portagem 2 /tmp/canal_1 Aplicação de facturação Back-end Consola Portagem n Gestor do canal portagens backup 1/13

2 Em cada portagem está instalado um sistema de reconhecimento de matrículas que envia pelo canal a notificação da passagem de um veículo. Todas as portagens enviam estas mensagens pelo mesmo canal. Todas estas mensagens são enviadas em formato de texto, como se descreverá mais adiante. A aplicação principal lerá continuamente do canal e dependendo do tipo de informação recebida (entrada, saída do veículos) assim executará determinadas acções. Em paralelo com a leitura das mensagens do canal, a aplicação também permitirá a resposta a comandos dados pelo operador. 3 Gestor do Canal (fornecido) O canal a usar é um tipo especial de ficheiro que permite a comunicação entre diversas aplicações a executar na mesma máquina. Várias aplicações podem escrever neste ficheiro especial, mas só uma o pode ler. De modo a facilitar a criação do canal é fornecida uma aplicação (gest_canal) que permite a criação e eliminação deste ficheiro especial. Só depois de garantida a existência do canal se pode começar a usar as outras aplicações. 4 Portagens (fornecidos) Em cada portagem estão instalados sistemas de reconhecimento de matrículas que detectam a entrada ou saída de veículos das autos estradas. Associado a cada portagem existe uma aplicação especiais que envia para um canal pré existente a informação acerca das viatura que por aí passam: sentido da passagem (entrada ou saída) matrícula nome da portagem hora data Exemplos de mensagens enviadas por uma portagem: VIATURA ENTRADA AA A5_ VIATURA SAIDA AA A1_ O formato destas mensagens será definido na secção 7. 5 Aplicação de Facturação (implementar pelos alunos) Esta aplicação lê a informação enviada pelas portagens, armazena-a, processa-a e responde aos 2/13

3 pedidos efectuados pelo operador. Durante todo o seu período e sem intervenção do utilizador a componente de back-end realizará o seguinte: Registo automático da passagem de viaturas; Registo do valor a cobrar ao proprietário (quando a viatura sai da auto-estrada); Criação da listagem para efeitos de facturação; Criação do ficheiro de backup. Simultaneamente, esta aplicação deverá ler os comandos dados pelo utilizador na consola: Impressão das listagens de viaturas em transito nas auto-estradas Impressão das estatísticas de tráfego entre portagens Impressão de um gráfico de tráfego de uma portagem 5.1 Valores a cobrar Aquando da inicialização da aplicação, é lido um ficheiro com os dados das portagens. Esta informação será usada para calcular o valor a cobrar aos proprietários dos veículos e para a criação do gráfico. O ficheiro chama-se portagens.dat e tem o seguinte formato: portagens.dat numero_portagens dados_portagem dados_portagem INICIO Nome_portagem Numero FIM Numero custo Coordenada_x Coordenada_y O ficheiro começa com a indicação do número de portagens, sempre menor ou igual a 200. Para cada portagem,o ficheiro contém uma linha (começada por INICIO) contendo o nome da 3/13

4 portagem e o número. Após esta linha, aparece o custo da viagem entre essa e todas as outras portagens possíveis. As linha que começam com a palavra FIM correspondem ao fim do percurso (com o custo correspondente). Após a apresentação dos custos associados à portagem, aparece uma linha com as coordenadas da mesma (valores reais positivos). O nome das portagens é formado por uma palavra (começada por uma letra e contendo letras e dígitos) seguido por um underscore ( _ ) seguido de um número inteiro positivo. O tamanho máximo dos nomes das portagens é de 10 caracteres. Custo é um real positivo. Este sistema apenas comporta informação de, no máximo, 200 portagens. Esta matriz de valores deverá ser lida no início do programa e armazenada em memória para posterior consulta A cada portagem está associado um número inteiro maior ou igual a zeros que zero. Não podem existir duas portagens com números identificadores iguais. Aquando da leitura deste ficheiro deverá ser aberta uma janela gráfica com o desenho das ligações entre portagens. 5.2 Passagem de uma viatura Sempre que uma viatura passa numa portagem, esta envia uma mensagem que é lida e processada pela aplicação de facturação. Quando a viatura entra numa auto-estrada, é registada a sua entrada (hora, dia, e numero da portagem). Quando uma viatura sai da auto-estrada é cobrado o valor correspondente à viagem entre a portagem de entrada e de saída. O valor correspondente ao percurso foi lido no início da aplicação (secção 5.1) Os dados das viaturas devem ser armazenados numa lista. Se ainda não existir nenhum registo com informação acerca dessa viatura, o mesmo deverá ser criado e inserido na lista. 5.3 Mudança de dia As mensagens enviadas pelas portagens contêm informação acerca do dia a que se referem. Sempre que muda o dia (recepção de uma mensagem com uma data diferente), deverá ser escrito um ficheiro com os dados de facturação. O nome deste ficheiro segue o seguinte formato: dia-mes-ano.fact (sendo criado um ficheiro com nomes distintos para cada dia) Os dados estão organizados do seguinte modo: 4/13

5 ficheiro de facturação matricula custo_total De modo a reduzir a quantidade de dados armazenados, após a escrita do ficheiro com os dados de facturação, os registos correspondentes aos veículos que não se encontram nesse momento em transito numa qualquer auto-estrada são eliminados. 5.4 Ficheiro de backup Durante a execução da aplicação de facturação deverá existir um ficheiro de backup (chamado backup.txt), que, em caso de falha da aplicação, permitirá a recuperação dos dados. Este ficheiro deverá conter as mensagens recebidas desde o início do dia: Sempre que passa uma viatura, a mensagem recebida deverá ser escrita neste ficheiro Sempre que muda o dia este ficheiro deverá ser limpo. Após a limpeza diária, deverão ser re-escritos os dados referentes às viaturas em trânsito. Este ficheiro é lido no início da aplicação e deverá ser actualizado durante a sua execução. O formato dos dados deste ficheiro é semelhante ao das mensagens do canal. 5.5 Comandos do operador O operador pode dar diversos comando na consola: TRANSITO FACTURACAO ESTATISTICA GRAFICO Apresenta-se de seguida a sintaxe de cada um dos comandos possíveis Comando TRANSITO Para executar este comando o operador deverá escrever no teclado a palavra TRANSITO (sem nenhum argumento). Este comando imprime uma lista das viaturas que se encontram nesse momento a circular na autoestrada: aquelas que passaram por uma portagem de entrada, mas que ainda não saíram Comando FACTURACAO Para executar este comando o operador deverá escrever no teclado a palavra FACTURACAO (sem 5/13

6 nenhum argumento). Este comando imprime uma lista dos valores cobrados às viaturas que nesse dia já passaram nas auto-estradas. Esta listagem é impressa no écran, mas segue o mesmo formato que o do ficheiro de facturação (Secção 5.3 ) Comando ESTATISTICA Para executar este comando o operador deverá escrever no teclado a palavra ESTATISTICA (sem nenhum argumento). Este comando imprime para cada uma das portagens o seguinte: Número total de viaturas que passaram nessa portagem no dia actual; Listagem das portagens de origem e destino (com indicação do número de viaturas que efectuaram esses trajectos no dia actual) Exemplo: A5_1 50 A5_2 25 A5_6 12 A9_1-10 A9_5 3 A5_2 40 A5_1 25 A5_ Comando ESTATISTICA (parcial) Para executar este comando o operador deverá escrever no teclado a palavra ESTATISTICA seguida do nome de uma portagem. Este comando imprime para a auto-estrada indicada o seguinte: Número total de viaturas que por lá passaram; Listagem das portagens de origem e destino (com indicação do número de viaturas que por efectuaram esse trajecto). 6/13

7 5.5.5 Comando GRAFICO (parcial) Para executar este comando o operador deverá escrever no teclado a palavra GRAFICO seguida do nome de uma portagem. Este comando desenha um mapa num ficheiro, contendo linhas a unir a portagem indicada e todas as outras de onde foi gerado tráfego (por onde entraram/saíram viaturas que passaram nesta portagem). A grossura de cada linhas deve ser proporcional ao tráfego representado. 6 Informação armazenada Os dados referentes aos custos de trajectos entre portagens deverão ser armazenados num vector ou matriz. Os dados referentes às viaturas que circulam nas auto-estradas deverão ser armazenados numa lista dinâmica. Quando se recebe uma mensagem enviada por uma portagem, dever-se-á verificar a existência de um registo associado ao veículo. Se tal registo não existir, deverá ser criado e inserido na lista. No fim do dia os registos dos veículos que circularam nesse dia, deverão ser removidos da lista. Deverão, no entanto, manter-se os registos dos veículos que ainda circulam numa auto-estrada (entraram num dia e sairão no seguinte). Para cada veículo deverá ser armazenado o custo total acumulado e a portagem de entrada (caso estejam em trânsito). Não é necessário armazenar o histórico de viagens de uma viatura. 7 Mensagens permitidas no canal No canal apenas passam mensagens enviadas pelas portagens. Estas mensagens seguem o seguinte formato: Mensagem VIATURA VIATURA ENTRADA SAIDA Matrícula Nome_auto_estrada Hora Data 7/13

8 Este é também o formato da informação armazenada no ficheiro de backup (secção 5.2 ) 8 Robustez Devido ao facto desta aplicação interagir com elementos externos (portagens, ficheiros de backup e o próprio utilizador) é necessário garantir que os dados lidos e originados externamente não comprometem o funcionamento da aplicação. Assim, a aplicação de facturação deverá ser robusta, de modo a garantir o correcto funcionamento caso os ficheiros estejam corrompidos, caso receba mensagens incorrectas (mal formatadas, ou com informação em falta), e caso o utilizador se engane na escrita dos comandos. Os alunos deverão decidir quais as acções que o programa deve tomar caso encontre algum erro (nos ficheiros, nas mensagens, ou nos comandos dados pelo utilizador) 8.1 Leitura do mapa.dat Durante a leitura dos ficheiros, o programa deverá verificar se este segue as regras descritas neste documento. Se o ficheiro tiver erros, a aplicação deverá tomar medidas adequadas, por exemplo: ignorar linha incorrecta, ou tentar recuperar desse erro. 8.2 Leitura do canal As mensagens permitidas (e seu formato) foram anteriormente descritas. Qualquer mensagem que não siga o formato apresentado, deve ser ignorada. Os alunos devem decidir que fazer quando uma mensagem está mal formada. É necessário verificar se os percurso efectuados pelas viaturas são válidos, mostrado uma mensagem de erro na consola caso se detecta algum dos casos seguintes: Entrar numa auto-estrada sem ter saído anteriormente (entra duas vezes seguidas); Sair duma auto-estrada sem ter entrado anteriormente (sair duas vezes seguidas); Efectuar um percurso impossível (entra e sair em portagens sem ligação). 8.3 Leitura dos comandos do utilizador Também os utilizadores se podem enganar, pelo que os comandos lidos a partir do teclado devem ser verificados e validados. A aplicação deverá tomar uma acção caso um comando dado não exista ou esteja mal formado. 9 Entrega Intermédia Para a entrega intermédia os alunos deverão desenvolver as seguintes funcionalidades: 8/13

9 Leitura do ficheiro backup.dat, com verificação do formato do mesmo e indicação dos erros possíveis e aí existentes. Leitura do ficheiro portagens.dat, com verificação do formato do mesmo e indicação dos erros possíveis e aí existentes. Implementação de um esqueleto da aplicação em que são lidas simultaneamente mensagens do canal (sem verificação) e comandos na consola (com verificação e indicação dos erros) Na entrega intermédia os alunos deverão entregar 3 aplicações distintas, cada uma correspondente a cada um dos itens atrás apresentados. 9/13

Projecto de Programação MEEC - 2010/2011-1ºSemestre. Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Projecto de Programação MEEC - 2010/2011-1ºSemestre. Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Programação 2010/2011 Enunciado do projecto O projecto a desenvolver pelos alunos consistirá numa sistema de monitorização do estado de

Leia mais

COMPUTAÇÃO e PROGRAMAÇÃO

COMPUTAÇÃO e PROGRAMAÇÃO COMPUTAÇÃO e PROGRAMAÇÃO Projecto (em C++) Ano lectivo 2008/2009 MEMec e LEAN Data e hora limite de entrega: 19 de Dezembro de 2008, até às 16h30m Local da entrega: Secretaria da Área Científica de Controlo,

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotécnica e Computadores Software de Localização GSM para o modem Siemens MC35i Manual do Utilizador Índice

Leia mais

Versão 1.0. GEP Gabinete de Estratégia e Planeamento. aneamento. Rua Castilho, Nº 24 Lisboa 1250-069 Lisboa Homepage : http://www.gep.mtss.gov.

Versão 1.0. GEP Gabinete de Estratégia e Planeamento. aneamento. Rua Castilho, Nº 24 Lisboa 1250-069 Lisboa Homepage : http://www.gep.mtss.gov. Versão 1.0 GEP Gabinete de Estratégia e Planeamento aneamento. Rua Castilho, Nº 24 Lisboa 1250-069 Lisboa Homepage : http://www.gep.mtss.gov.pt Índice Folha 2 ÍNDICE Folha 1 - Requisitos -------------------------------------------------------------

Leia mais

1 - Imprimir documentos na rede da escola.

1 - Imprimir documentos na rede da escola. 1 - Imprimir documentos na rede da escola. 1.1 - Entrar no sistema interno da escola (escopal.edu) Inserir o seu Nome de Utilizador Inserir a sua Palavra - passe Seleccionar ESCOPAL 1.2 Instalar a impressora

Leia mais

SOFTWARE. Equipamentos de gestão para controlo de acessos

SOFTWARE. Equipamentos de gestão para controlo de acessos SOFTWARE Fácil utilização. Ambiente Windows XP Profissional. Controle individual dos operadores com diferentes níveis de acesso. Registo de todas as entradas, pagamentos, saídas e de anomalias. Informação

Leia mais

1 Introdução. 2 Funcionamento da Aplicação. Projeto de Programação - Entrega Final MEEC - 2012/2013-2.Semestre Farm:TamagoISTi

1 Introdução. 2 Funcionamento da Aplicação. Projeto de Programação - Entrega Final MEEC - 2012/2013-2.Semestre Farm:TamagoISTi Projeto de Programação - Entrega Final MEEC - 2012/2013-2.Semestre Farm:TamagoISTi 1 Introdução Tamagotchi foi um dos primeiros animais de estimação virtuais, extremamente popular no final do último século

Leia mais

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida

WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida WorkinProject 8 Manual de Referência Rápida Flagsoft, Lda 2015 Índice 1. Introdução...3 2. Integrador - Interface com o utilizador...4 3. Registo de actividade - Folha de horas...5 4. Agenda e colaboração...7

Leia mais

Java Mail Server. Manual do Utilizador

Java Mail Server. Manual do Utilizador Java Mail Server Manual do Utilizador Introdução às Redes e Comunicações 2002/2003 Java Mail Client Janela de Ligação O Java Mail Client (JMC), assim que é inicializado, mostra uma janela que irá possibilitar

Leia mais

O cliente pode escolher as transações que quer pagar na Loja CTT? Não, pode escolher os dias (valor total para um dia) que pretende pagar.

O cliente pode escolher as transações que quer pagar na Loja CTT? Não, pode escolher os dias (valor total para um dia) que pretende pagar. FAQ 1. Sistema Pós-Pago Quais os custos administrativos associados? Os custos administrativos são cobrados no momento do pagamento, dependendo do número de viagens cobradas (0,26 +IVA por viagem até um

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 1º ano 2º semestre Trabalho Final Reservas de viagens

Leia mais

Especificação do Trabalho Prático

Especificação do Trabalho Prático Especificação do Trabalho Prático O trabalho prático da disciplina consiste em desenvolver um programa utilizando a linguagem de programação C. A seguir, encontram-se a descrição do problema, a forma de

Leia mais

Sistemas Operativos - 2005/2006. Trabalho Prático v1.0

Sistemas Operativos - 2005/2006. Trabalho Prático v1.0 Instituto Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia de Viseu Engenharia de Sistemas e Informática Sistemas Operativos - 2005/2006 Trabalho Prático v1.0 Introdução O presente trabalho prático visa

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

Aplicação da Qualidade. Manual do Utilizador. Versão 1 2006-05-30

Aplicação da Qualidade. Manual do Utilizador. Versão 1 2006-05-30 Aplicação da Qualidade Versão 1 2006-05-30 Índice 1. Introdução 2. Acesso à Aplicação 3. Menu principal 3.1. Processo 3.1.1. Registo da Ocorrência - Fase 1 3.1.2. Análise das Causas - Fase 2 3.1.3. Acção

Leia mais

1. Lançamento em Contas Bancárias Liquidação de Clientes

1. Lançamento em Contas Bancárias Liquidação de Clientes Título: MÓDULO DE GESTÃO DE BANCOS & CONTROLO LETRAS Pag.: 1 Módulo Gestão Contas Bancárias O módulo Gestão de Contas Bancárias, tem como principal objectivo, permitir ao utilizador saber num exacto momento,

Leia mais

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Ambiente Gráfico Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e que comunique com o exterior. Actualmente o Windows é

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 3 - MANUAL DO UTILIZADOR Diogo Mateus 3.1. REQUISITOS MÍNIMOS * Computador Pessoal com os seguintes Programas * Microsoft Windows 95 * Microsoft Access 97 A InfoMusa

Leia mais

XD 2013 - Fase B - Novas Implementações

XD 2013 - Fase B - Novas Implementações XD 2013 - Fase B - Novas Implementações Novas funcionalidades - Fichas Técnicas Foram implementadas Fichas Técnicas na Ficha de Artigos para que os clientes possam já começar a organizar o seu sistema

Leia mais

Engenharia de Software. Enunciado da Quarta Parte do Projecto

Engenharia de Software. Enunciado da Quarta Parte do Projecto LEIC-A, LEIC-T, LETI, MEIC-T, MEIC-A Engenharia de Software 2 o Semestre 2013/2014 Enunciado da Quarta Parte do Projecto 1. Introdução Nesta parte final do projecto de ES e SD pretende-se: Estender a solução

Leia mais

Gestor de ligações Manual do Utilizador

Gestor de ligações Manual do Utilizador Gestor de ligações Manual do Utilizador 1.0ª Edição PT 2010 Nokia. Todos os direitos reservados. Nokia, Nokia Connecting People e o logótipo Nokia Original Accessories são marcas comerciais ou marcas registadas

Leia mais

Curso de Licenciatura em Engenharia Informática Cadeira de Algoritmia

Curso de Licenciatura em Engenharia Informática Cadeira de Algoritmia Curso de Licenciatura em Engenharia Informática Cadeira de Algoritmia Projecto de avaliação 2006/2007. Este projecto visa a criação de um back-end para geração de facturas para um sistema de facturação

Leia mais

Índice. Índice de figuras

Índice. Índice de figuras PASSO-A-PASSO Índice 1 Entrar no Portal das Escolas 3 2 Registo 3 2.1 Preencher o registo 3 2.2 Campos de registo a preencher 4 2.3 Autorização para tratamento de dados do Portal das Escolas 6 2.4 Mensagem

Leia mais

O prime gestão é um software online constituído por vários módulos:

O prime gestão é um software online constituído por vários módulos: O prime gestão é um software online constituído por vários módulos: Assistências Técnicas (indicado para empresas que façam deslocações, intervenções ex: sector de jardinagem, informática, reparação de

Leia mais

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2º Semestre, 2007/2008 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: Loja Virtual Fevereiro de 2008 Índice Índice...2 Índice de Figuras...3 1 Introdução...4

Leia mais

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual de Utilização Direcção dos Serviços de Economia do Governo da RAEM Novembro de 2014 SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual

Leia mais

Plataforma de Benefícios Públicos Acesso externo

Plataforma de Benefícios Públicos Acesso externo Índice 1. Acesso à Plataforma... 2 2. Consulta dos Programas de Beneficios Públicos em Curso... 3 3. Entrar na Plataforma... 4 4. Consultar/Entregar Documentos... 5 5. Consultar... 7 6. Entregar Comprovativos

Leia mais

Instruções de utilização do portal Web da Visteon

Instruções de utilização do portal Web da Visteon FORD MOTOR COMPANY LIMITED Issued by European Warranty Operations Ford Customer Service Division Instruções de utilização do portal Web da Visteon 1. Entrar Na janela de endereço no seu browser da internet,

Leia mais

Um sistema SMS 1 simplificado

Um sistema SMS 1 simplificado 1 Introdução Um sistema SMS 1 simplificado Projecto de Redes de Computadores I - 2007/2008 LEIC IST, Tagus Park 10 de Setembro de 2007 Pretende-se com este projecto que os alunos implementem um sistema

Leia mais

Manual de Serviços WEB

Manual de Serviços WEB Manual de Serviços WEB Guias www.expresso24.pt Env_R1.1 Pag. 1 de 6 I Guias inserção de nova guia A opção de Guias permite fazer a gestão de guias do dia: Gravação Consulta Eliminação Logo que entra na

Leia mais

Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores. Projecto de. Arquitectura de Computadores.

Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores. Projecto de. Arquitectura de Computadores. Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Projecto de Arquitectura de Computadores Jogo dos Blocos (variante do Arkanoid) (Versão 1.0) 2008/2009 Índice 1 Objectivo...

Leia mais

Trabalhos Práticos. Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores

Trabalhos Práticos. Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores Trabalhos Práticos Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores 1. Objectivos 2. Calendarização 3. Normas 3.1 Relatório 3.2 Avaliação 4. Propostas Na disciplina de Programação

Leia mais

GIAE VERSÃO 2.2.0 24 ABRIL DE 2012. Com o objetivo de unificar a versão todos os módulos do GIAE são atualizados para a versão 2.2.0.

GIAE VERSÃO 2.2.0 24 ABRIL DE 2012. Com o objetivo de unificar a versão todos os módulos do GIAE são atualizados para a versão 2.2.0. GIAE VERSÃO 2.2.0 24 ABRIL DE 2012 Com o objetivo de unificar a versão todos os módulos do GIAE são atualizados para a versão 2.2.0. Muito Importante: Antes de efetuar qualquer procedimento de instalação,

Leia mais

Manual do utilizador. Animal RFID Integrator. Universidade de Évora Escola de Ciências e Tecnologia

Manual do utilizador. Animal RFID Integrator. Universidade de Évora Escola de Ciências e Tecnologia Manual do utilizador Animal RFID Integrator Universidade de Évora Escola de Ciências e Tecnologia RESUMO Aplicação para recolha de informação no campo. O Animal RFID Integrator é um interface que permite

Leia mais

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Sistema Operativo Conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e comunique com o exterior; Windows: sistema operativo mais utilizado nos

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento

Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento AUTOR: DGITA DATA: 2007-02-22 VERSÃO: 1.0 Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento Sistema de Impostos Especiais sobre o Consumo

Leia mais

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Oficina do Correio Para saber mais sobre Correio electrónico 1. Dicas para melhor gerir e organizar o Correio Electrónico utilizando o Outlook Express Criar Pastas Escrever

Leia mais

Alteração do POC (Decreto de Lei nº. 35/2005) no sispoc

Alteração do POC (Decreto de Lei nº. 35/2005) no sispoc DOSPrinter Manual do Utilizador Alteração do POC (Decreto de Lei nº. 35/2005) no sispoc Data última versão: 20.03.2006 Versão : 1.1 Data criação: 01.03.2006 Faro R. Dr. José Filipe Alvares, 31 8005-220

Leia mais

E-MAIL ACÇÃO DE FORMAÇÃO ESE VISEU PÓLO DE LAMEGO 10/04/2003 ANA C. C. LOUREIRO ÁREA DAS TIC

E-MAIL ACÇÃO DE FORMAÇÃO ESE VISEU PÓLO DE LAMEGO 10/04/2003 ANA C. C. LOUREIRO ÁREA DAS TIC E-MAIL ACÇÃO DE FORMAÇÃO ESE VISEU PÓLO DE LAMEGO 10/04/2003 ANA C. C. LOUREIRO ÁREA DAS TIC O E-MAIL O Email (Electronic Mail) ou Correio Electrónico é um sistema de troca de mensagens entre dois ou mais

Leia mais

8. Perguntas e Respostas

8. Perguntas e Respostas Arquimedes Manual do Utilizador 185 8. Perguntas e Respostas 8.1. Aparência Para conservar a disposição na qual estão expostas as B.D. no ecrã e para que em posteriores sessões de trabalho tenham a mesma

Leia mais

Principais correcções efectuadas

Principais correcções efectuadas GIAE Versão 2.0.5 Setembro de 2010 Com o objectivo de unificar a versão em todos os módulos do GIAE, incluindo o GestorGIAE, alguns módulos passam directamente da versão 2.0.x para a versão 2.0.5. Muito

Leia mais

PHC Frota CS. Controle todos os custos e utilizadores da frota

PHC Frota CS. Controle todos os custos e utilizadores da frota PHCFrota CS DESCRITIVO O módulo PHC Frota contém ferramentas para o controlo total sobre os custos da frota, manutenção e estado da mesma. PHC Frota CS Controle todos os custos e utilizadores da frota

Leia mais

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador

Acronis Servidor de Licença. Manual do Utilizador Acronis Servidor de Licença Manual do Utilizador ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 1.1 Descrição geral... 3 1.2 Política de licenças... 3 2. SISTEMAS OPERATIVOS SUPORTADOS... 4 3. INSTALAR O SERVIDOR DE LICENÇA

Leia mais

Guia de Acesso/Apresentação de Pedidos de Apoio Sistema de Informação RURAL

Guia de Acesso/Apresentação de Pedidos de Apoio Sistema de Informação RURAL Guia de Acesso/Apresentação de Pedidos de Apoio Sistema de Informação RURAL Índice 1. Introdução...3 2. Home Page...3 3. Pedido de Senha...4 3.1 Proponente...5 3.2 Técnico Qualificado...5 3.3 Proponente/Técnico

Leia mais

SRCT Sistema de Gestão de Receitas e Cobrança de Taxas

SRCT Sistema de Gestão de Receitas e Cobrança de Taxas 01-01-2006 SRCT Sistema de Gestão de Receitas e Cobrança de Taxas Rev 1.0 1 INDICE 1 Indice... 2 2 Introdução... 3 2.1 Acesso ao sistema... 3 3 Login... 4 3.1 Primeiro Login... 4 4 Gestão de Declarações...

Leia mais

Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2

Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2 Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2 Última actualização: 12 March 2009 Este manual fornece informações sobre a utilização das funções de correio

Leia mais

Manual Upgrade para a Versão 6

Manual Upgrade para a Versão 6 Manual Upgrade para a Versão 6 Gabinete de Manutenção Informática Unipessoal, Lda. Rua Rui de Pina, 1B 2805-241 Almada Tel. 21 274 34 41 Fax. 21 274 34 43 www.gmi.co.pt * geral@gmi.mail.pt -1- Conteúdo

Leia mais

Manual do Gestor da Informação do Sistema

Manual do Gestor da Informação do Sistema Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura Informática e Computação Laboratório de Informática Avançada Automatização de Horários Manual do Gestor da Informação do Sistema João Braga

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Gestão de Stocks Local. v2011

ZS Rest. Manual Avançado. Gestão de Stocks Local. v2011 Manual Avançado Gestão de Stocks Local v2011 1 1. Índice 2. Introdução... 3 3. Iniciar o ZSRest FrontOffice... 4 4. Produto... 5 b) Activar gestão de stocks... 5 i. Opção: Faz gestão de stocks... 5 ii.

Leia mais

Ministério Público. Guia de Consulta Rápida

Ministério Público. Guia de Consulta Rápida Ministério Público Ministério Público Guia de Consulta Rápida Versão 3 (Outubro de 2009) - 1 - ÍNDICE 1. ACEDER AO CITIUS MINISTÉRIO PÚBLICO... 4 2. BARRA DE TAREFAS:... 4 3. CONFIGURAR O PERFIL DO UTILIZADOR...

Leia mais

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO

A VISTA BACKSTAGE PRINCIPAIS OPÇÕES NO ECRÃ DE ACESSO DOMINE A 110% ACCESS 2010 A VISTA BACKSTAGE Assim que é activado o Access, é visualizado o ecrã principal de acesso na nova vista Backstage. Após aceder ao Access 2010, no canto superior esquerdo do Friso,

Leia mais

Microsoft Access 2010. Para conhecermos o Access, vamos construir uma BD e apresentar os conceitos necessários a cada momento

Microsoft Access 2010. Para conhecermos o Access, vamos construir uma BD e apresentar os conceitos necessários a cada momento Microsoft Access 2010 Para conhecermos o Access, vamos construir uma BD e apresentar os conceitos necessários a cada momento 1 Principais objetos do Access Tabelas Guardam a informação da BD (Base de Dados)

Leia mais

POSTOUCH. Manual Software

POSTOUCH. Manual Software POSTOUCH Manual Software Introdução Introdução POS TOUCH é uma solução direcionada a pequenos postos de venda, que tem necessidade de criação de muitos talões de uma forma linear e rápida. A solução implementa

Leia mais

Ambiente de trabalho. Configurações. Acessórios

Ambiente de trabalho. Configurações. Acessórios Ambiente de trabalho Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e comunique com o exterior. Actualmente, o Windows é

Leia mais

O Manual do Desktop Sharing. Brad Hards Tradução: Pedro Morais

O Manual do Desktop Sharing. Brad Hards Tradução: Pedro Morais Brad Hards Tradução: Pedro Morais 2 Conteúdo 1 Introdução 5 2 O protocolo do Remote Frame Buffer 6 3 Utilizar o Desktop Sharing 7 3.1 Gerir convites do Desktop Sharing............................ 9 3.2

Leia mais

Resolução de avarias de MPEG

Resolução de avarias de MPEG Resolução de avarias de MPEG Esta secção é para utilizadores de cardiologia que visualizam MPEGs. Consulte os seguintes tópicos para o ajudarem a resolver problemas detectados ao visualizar MPEGs. Componentes

Leia mais

MAIL DINÂMICO O QUE É? . É UM MÓDULO DO SIGARRA QUE PRETENDE FACILITAR A COMUNICAÇÃO

MAIL DINÂMICO O QUE É? . É UM MÓDULO DO SIGARRA QUE PRETENDE FACILITAR A COMUNICAÇÃO MAIL DINÂMICO O QUE É?. É UM MÓDULO DO SIGARRA QUE PRETENDE FACILITAR A COMUNICAÇÃO. PERMITE O ENVIO DE MENSAGENS DE CORREIO ELECTRÓNICO PARA UM OU PARA VÁRIOS DESTINATÁRIOS EM SIMULTÂNEO. FUNCIONA DE

Leia mais

Documento de actualização funcional. Refª JURI-DEV-20121221-v1

Documento de actualização funcional. Refª JURI-DEV-20121221-v1 Documento de actualização funcional Refª JURI-DEV-20121221-v1 21 de Dezembro de 2012 Índice 1 Certificação com envio de ficheiro SAFT-PT para AT... 3 1.1 Sobre a Certificação... 3 1.2 Novas regras para

Leia mais

WINCODE SOFTWARE E CONTABILIDADE S.A. MyEnsino Manual da Área Reservada de Professores

WINCODE SOFTWARE E CONTABILIDADE S.A. MyEnsino Manual da Área Reservada de Professores MyEnsino Manual da Área Reservada de Professores ENTRADA: Abrir o browser de internet e digitar um dos seguintes endereços: Para aceder à área reservada de alunos: http://myescola.exemplo.pt Para aceder

Leia mais

[MANUAL DO NOVO PROGRAMA DE GESTÃO DE UNIVERSIDADES SENIORES]

[MANUAL DO NOVO PROGRAMA DE GESTÃO DE UNIVERSIDADES SENIORES] Dez 2014, v1 RUTIS Associação Rede de Universidades da Terceira idade [MANUAL DO NOVO PROGRAMA DE GESTÃO DE UNIVERSIDADES SENIORES] Desenvolvido por RUTIS Manual do Novo programa de Gestão de Universidades

Leia mais

SSS Slide Show System

SSS Slide Show System SSS Slide Show System Licenciatura em Ciências da Computação Programação Imperativa 2009 Segundo Projecto Versão de 21 de Março de 2009 Alberto Simões José C. Ramalho Instruções Este projecto deve ser

Leia mais

Procedimento de Gestão PG 02 Controlo de Documentos e Registos

Procedimento de Gestão PG 02 Controlo de Documentos e Registos Índice 1.0. Objectivo. 2 2.0. Campo de aplicação 2 3.0. Referências e definições....... 2 4.0. Responsabilidades... 3 5.0. Procedimento... 3 5.1. Generalidades 3 5.2. Controlo de documentos... 4 5.3. Procedimentos

Leia mais

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A

Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A Redes de Computadores I Licenciatura em Eng. Informática e de Computadores 1 o Semestre, 26 de Outubro de 2005 1 o Teste A Número: Nome: Duração: 1 hora O teste é sem consulta O teste deve ser resolvido

Leia mais

ACÇÃO 1.1.2 INVESTIMENTOS DE PEQUENA DIMENSÃO GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO

ACÇÃO 1.1.2 INVESTIMENTOS DE PEQUENA DIMENSÃO GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO ACÇÃO 1.1.2 INVESTIMENTOS DE PEQUENA DIMENSÃO GUIA DE PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO INSTRUÇÕES PARA UMA CORRECTA UTILIZAÇÃO DO FORMULÁRIO Funcionamento genérico Os formulários estão disponíveis apenas nos

Leia mais

Novas funcionalidades do Snc2010. e melhoramentos em relação ao Poc2005. Versão 7.0

Novas funcionalidades do Snc2010. e melhoramentos em relação ao Poc2005. Versão 7.0 Novas funcionalidades do Snc2010 e melhoramentos em relação ao Poc2005 Versão 7.0 1. Sistema de Normalização Contabilística: 1.1 Tabela de equivalências do POC para o SNC. 1.2 Conversão automática do plano

Leia mais

Manual do utilizador. Aplicação de agente

Manual do utilizador. Aplicação de agente Manual do utilizador Aplicação de agente Versão 8.0 - Otubro 2010 Aviso legal: A Alcatel, a Lucent, a Alcatel-Lucent e o logótipo Alcatel-Lucent são marcas comerciais da Alcatel-Lucent. Todas as outras

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA BALANÇA ELECTRÓNICA MEDINES JA2

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA BALANÇA ELECTRÓNICA MEDINES JA2 MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA BALANÇA ELECTRÓNICA MEDINES JA2 FUNÇÕES PAG. 1. MODELO SEM IMPRESSORA Funções Operativas 2 Preço de produtos pesados 2 Soma de Preços Externos 2 Subtracção de Preços Externos 3

Leia mais

Engenharia de Software. Enunciado da Segunda Parte do Projecto

Engenharia de Software. Enunciado da Segunda Parte do Projecto LEIC-A, LEIC-T, LETI, MEIC-T, MEIC-A Engenharia de Software 2 o Semestre 2013/2014 Enunciado da Segunda Parte do Projecto 1. Segunda Parte do Projecto ES A segunda parte do projecto consiste na realização

Leia mais

Especificação do Trabalho Prático

Especificação do Trabalho Prático Especificação do Trabalho Prático O trabalho prático da disciplina consiste em desenvolver um programa utilizando a linguagem de programação C. A seguir, encontram-se a descrição do problema, a forma de

Leia mais

Seu manual do usuário HP PAVILION DV6-1325SA http://pt.yourpdfguides.com/dref/4151621

Seu manual do usuário HP PAVILION DV6-1325SA http://pt.yourpdfguides.com/dref/4151621 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para HP PAVILION DV6-1325SA. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual

Leia mais

Programação III / Estruturas de Dados. Enunciado do Trabalho Prático

Programação III / Estruturas de Dados. Enunciado do Trabalho Prático Programação III / Estruturas de Dados Enunciado do Trabalho Prático 1. Objectivo Pretende-se implementar uma base de dados que sirva para ajudar uma agência de viagens a planear as viagens a realizar pelos

Leia mais

Ficha de Fornecedor. Conta Corrente lançada manualmente no qual é calculado um saldo em dívida

Ficha de Fornecedor. Conta Corrente lançada manualmente no qual é calculado um saldo em dívida Ficha de Fornecedor Conta Corrente lançada manualmente no qual é calculado um saldo em dívida Consulta de todas as entradas de material deste Fornecedor Poderá realizar Notas de Encomenda, Devoluções,

Leia mais

Tolerância a Faltas. 8/28/2003 José Alves Marques. Sistema Computacional

Tolerância a Faltas. 8/28/2003 José Alves Marques. Sistema Computacional Tolerância a Faltas Sistema Computacional Sistema computacional: Formado por um conjunto de componentes internas Contém um estado interno Está sujeito a um conjunto de entradas, ou estímulos externos Tem

Leia mais

Manual Gespos Passagem de Dados Fecho de Ano

Manual Gespos Passagem de Dados Fecho de Ano Manual Gespos Passagem de Dados Fecho de Ano ÍNDICE PASSAGEM DE DADOS / FECHO DE ANO... 1 Objectivo da função... 1 Antes de efectuar a Passagem de dados / Fecho de Ano... 1 Cópia de segurança da base de

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES. Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde. Contacto: taxa.04@infarmed.

Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES. Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde. Contacto: taxa.04@infarmed. Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde Contacto: taxa.04@infarmed.pt 2008/Setembro NOTAS EXPLICATIVAS 1. As Declaração de Vendas a que se referem

Leia mais

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho Outlook 2003 Nivel 1 Objectivos gerais Enviar e Responder a mensagens de correio electrónico, e gestão de contactos, marcação de compromissos e trabalhar com notas. Objectivos específicos Começar a trabalhar

Leia mais

Manual do programa EXPERT PARK Versão 1.x

Manual do programa EXPERT PARK Versão 1.x Manual do programa EXPERT PARK Versão 1.x Ifox Eletrônica Ltda página: 1 de 31 1 Índice 1 ÍNDICE...2 2 APRESENTAÇÃO...3 3 TELA PRINCIPAL...4 3.1 TELA DE CADASTRAMENTOS E RELATÓRIOS F9...4 3.1.1 CADASTRA

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO E REFERÊNCIA ECR8200S/8220SPROGRAMMING UTILITY. P Code: 578413

GUIA DE INSTALAÇÃO E REFERÊNCIA ECR8200S/8220SPROGRAMMING UTILITY. P Code: 578413 GUIA DE INSTALAÇÃO E REFERÊNCIA ECR8200S/8220SPROGRAMMING UTILITY P Code: 578413 PUBLICAÇÃO EMITIDA POR: Olivetti S.p.A. www.olivetti.com Copyright 2013, Olivetti Todos os direitos reservados Chamamos

Leia mais

Manual de instruções do Servidor USB

Manual de instruções do Servidor USB Manual de instruções do Servidor USB Copyright 2010-1 - Observação referente a direitos de autoria Direitos de autoria incorporados em 2010. Todos os direitos reservados. Declaração A empresa não se responsabiliza

Leia mais

Seu manual do usuário ACRONIS BACKUP AND RECOVERY 10 SERVER FOR WINDOWS http://pt.yourpdfguides.com/dref/3184445

Seu manual do usuário ACRONIS BACKUP AND RECOVERY 10 SERVER FOR WINDOWS http://pt.yourpdfguides.com/dref/3184445 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para ACRONIS BACKUP AND RECOVERY 10 SERVER FOR WINDOWS. Você vai encontrar as respostas a todas suas

Leia mais

Projecto Gestão de Frotas (Geonaut) Manual de Utilização

Projecto Gestão de Frotas (Geonaut) Manual de Utilização Este documento pretende mostrar como utilizar todas as funcionalidades disponíveis no Projecto Geonaut através da aplicação rtfrontweb no módulo Geonaut. Módulo/Opção Descrição Disponibiliza todas as funcionalidades

Leia mais

Seu manual do usuário SONY VAIO VPCS12F7E http://pt.yourpdfguides.com/dref/3723708

Seu manual do usuário SONY VAIO VPCS12F7E http://pt.yourpdfguides.com/dref/3723708 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para SONY VAIO VPCS12F7E. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual

Leia mais

Aplicação Administrativa de Gestão

Aplicação Administrativa de Gestão Aplicação Administrativa de Gestão DIAGNIMAGEM, Sociedade Unipessoal, Lda Clínica de Exames e Diagnósticos de Imagiologia A Empresa é constituída por 4 departamentos: Gerência (1) Administrativo/ Contabilidade

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

ÍNDICE. Acesso para agências...3. Organização por pastas...4. Download das facturas a partir do site...5. Pesquisa de facturas...8

ÍNDICE. Acesso para agências...3. Organização por pastas...4. Download das facturas a partir do site...5. Pesquisa de facturas...8 2 ÍNDICE Acesso para agências...3 Organização por pastas...4 Download das facturas a partir do site...5 Pesquisa de facturas...8 Configurar notificações por email...11 3 Bem-vindo ao manual de uso do novo

Leia mais

Relatório SHST - 2003

Relatório SHST - 2003 Relatório da Actividade dos Serviços de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Relatório SHST - 2003 Programa de Validação e Encriptação Manual de Operação Versão 1.1 DEEP Departamento de Estudos, Estatística

Leia mais

Segurança no Computador

Segurança no Computador Segurança no Computador Segurança na Internet: Módulo 1 (CC Entre Mar E Serra), 2008 Segurança na Internet, CC Entre Mar E Serra 1 Segurança no Computador Um computador (ou sistema computacional) é dito

Leia mais

Manual de Access 2007

Manual de Access 2007 Manual de Access 2007 Índice Introdução... 4 Melhor que um conjunto de listas... 5 Amizades com relações... 6 A Estrutura de uma Base de Dados... 8 Ambiente do Microsoft Access 2007... 9 Separadores do

Leia mais

FAQ s para os Administradores do Sistema

FAQ s para os Administradores do Sistema FAQ s para os Administradores do Sistema Este documento disponibiliza FAQ s sobre vários temas. Clique sobre o tema que lhe interessa para aceder às respetivas FAQ s. FAQ s sobre a credenciação do Administrador

Leia mais

ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES

ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES ACUMULAÇÃO DE FUNÇÕES MANUAL DE APOIO Este manual de apoio destina-se aos docentes do ensino oficial que pretendam requerer autorização para acumular funções. Exceptuam-se aqueles que se encontram na situação

Leia mais

EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE. GestProcessos Online. Manual do Utilizador

EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE. GestProcessos Online. Manual do Utilizador EAmb V.1 ESPOSENDE AMBIENTE GestProcessos Online Manual do Utilizador GestProcessos Online GABINETE DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EAmb Esposende Ambiente, EEM Rua da Ribeira 4740-245 - Esposende

Leia mais

Encaminhamento em redes instáveis. Localização de nós em redes Peer-to-Peer Napster Gnutella Chord

Encaminhamento em redes instáveis. Localização de nós em redes Peer-to-Peer Napster Gnutella Chord Encaminhamento em redes instáveis Encaminhamento em redes Ad Hoc Introdução Descoberta de rotas Manutenção de rotas Localização de nós em redes Peer-to-Peer Napster Gnutella Chord Encaminhamento em redes

Leia mais

Software da Impressora

Software da Impressora Software da Impressora Acerca do Software da Impressora O software Epson inclui o controlador de impressão e o EPSON Status Monitor 3. O controlador de impressão é um software que permite controlar a impressora

Leia mais

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet Manual do Usuário Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Vendas...3 Os Recibos...6 Como imprimir?...7 As Listagens...9 Clientes... 10 Consulta... 11 Inclusão... 13 Alteração... 14 Exclusão...

Leia mais

Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia. Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions.

Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia. Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions. Software GEFISEME Aplicação destinada ao auxílio do serviço de Metrologia Rua D. Afonso Henriques, 1726 4435-003 Rio Tinto www.worldsolutions.pt Conteúdo Introdução... 2 Gestão de acessos... 3 Ficha de

Leia mais