PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012"

Transcrição

1 Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 1º ano 2º semestre Trabalho Final Reservas de viagens de avião Paulo da Fonseca Pinto

2 2

3 1 Introdução O trabalho final consiste numa sequência de procedimentos de dificuldade crescente que tratam de reservas de lugares de avião. O trabalho cobre várias perspectivas: Operações que um operador de transporte aéreo tem de efectuar (Ex. atribuir um tipo de avião a um voo); Operações que um viajante tem de efectuar (Ex. reserva de um lugar num avião) Operações com um caracter mais de programação que foram necessárias para a realização deste enunciado e que se exigem dos alunos para a obtenção de uma classificação mais elevada (Ex. preenchimento automático de uma percentagem da capacidade de um avião) Os alunos devem começar pelo início (evidentemente) fazendo sequencialmente os vários procedimentos. As classificações mostradas são apenas indicativas da classificação que o aluno poderá ter. Outras considerações podem fazer com que a nota seja diferente: avaliação de cada aluno ao longo do semestre nas aulas de laboratório, outras considerações sobre este próprio trabalho, como: qualidade do código; legibilidade; indentação; simplicidade; etc. 2 Ficheiros iniciais 2.1 Airbus3xx Vai-se considerar apenas os aviões da Airbus com corredor único e capacidade inferior a 200 passageiros (a família Airbus 320, que tem quatro tipos). Como sabe, o número de filas de um avião é dependente da vontade do operador (os operadores de baixo custo usam aviões de cada tipo com mais filas, por exemplo). Como o número de filas de cada tipo pode ser variável, existem ficheiros com a estrutura de um dado tipo de avião: Airbus318, Airbus319, Airbus320, e Airbus321. Se existissem duas versões diferentes de um mesmo tipo, por exemplo o Airbus318, existiriam dois ficheiros com a estrutura de cada um deles (por exemplo, Airbus318a e Airbus318b ). Vamos considerar apenas uma estrutura de avião por tipo neste trabalho. O ficheiro Airtbus3xx é um ficheiro de texto e contém em cada linha o número de cadeiras em cada fila, por ordem crescente. Quando existem quatro cadeiras a classe é a executiva. Quando existem seis cadeiras, a classe é a turística. Como pode ver, quando estiver a programar, a capacidade do avião que está a tratar nesse momento varia. Assim, por exemplo, tem de ter um número máximo de posições para tratar o maior avião, mas pode ser que esteja a utilizar os dados que definiu somente em parte. Aconselha-se que tenha duas variáveis com a capacidade real do avião que está a tratar (filas de executiva e filas de turística) e que definirão o máximo de posições a usar nesse momento. Assuma os valores máximos do Airbus321. 3

4 Os ficheiros criados têm a seguinte estrutura para os quatro aviões (na última coluna estão indicados os números de passageiros sugeridos pela Airbus) Modelo Executiva Turística Filas Lug. Filas Lug. Total Airbus Airbus Airbus Airbus Airbus Nomes e Apelidos Existem dois ficheiros de texto com nomes próprios Portugueses e Apelidos Portugueses. São ficheiros de texto com os nomes nomes e apelidos e contêm um nome/apelido em cada linha. Considere que o máximo são 900 nomes ou apelidos e que cada um pode estar guardado num vector de 20 posições. Existem outros dois ficheiros com informação não tratada de nomes e apelidos. Foram os ficheiros que foram usados para se produzir os anteriores. Estes ficheiros têm o nome de nomes_original e apelidos_original. Só serão usados se o aluno quiser fazer um trabalho na faixa dos 18 aos 20 valores. Cada tipo de avião tem um ficheiro em tantas linhas como filhas de cadeiras no avião e cada linha tem o número de lugares na respectiva fila. Uma fila com 4 cadeiras pertence à classe executiva e uma fila com seis cadeiras à classe turística. 3 Ficheiros de voos Cada voo tem um ficheiro binário para o descrever. Por exemplo, o voo TP1048 de Lisboa para Barcelona tem um ficheiro com o nome TP1048. Este ficheiro começa com um inteiro com o número do avião (318, 319, 320, ou 321). Depois tem um conjunto de dados para cada lugar. O total desses conjuntos é a dimensão do avião. Por exemplo, se um avião tem 150 lugares, existem 150 conjuntos de dados após o primeiro inteiro. Como se sabe quantos conjuntos são, e de que classe? ATENÇÃO: Depois de se ler o primeiro inteiro, tem de se ir ler o ficheiro Airbus3xx para saber quantos conjuntos de dados estão gravados no ficheiro TP1048, e de que classe são. Aconselha-se os alunos a fazer uma função que lê ficheiros do tipo Airbus3xx e devolva o número de filas de executivo e de turístico. Deste modo, não tem sempre de estar a escrever o código para ler o ficheiro em cada função do menu do programa em que tal for preciso (basta chamar a função). Para cada lugar a informação contante é a seguinte: char ocupado; char nome [100]; char checked_in; int id_bagagem; int id_cod_reserva; 4

5 Quando um lugar está reservado o valor de ocupado é 1 (inteiro) e a restante informação está preenchida. Quando o lugar está vazio o valor de ocupado é zero (inteiro) e a informação que pode estar nos outros campos é indefinida. Por exemplo: Num avião que tenha 4 filas de executiva e 20 filas de turística, o ficheiro de voo começa com um inteiro com o valor do tipo do avião (cujo ficheiro tem a informação das filas), seguido de 136 estruturas (4x4+6x20) como a de cima tudo em binário. 4 Programa A execução do programa está dividida em quatro grupos de dificuldade crescente. O menu total tem 10 opções e está mostrado em baixo com uma linha de intervalo para identificar os vários grupos Recorda-se os alunos que não é permitido o uso de variáveis globais. Como a variável que vai conter as reservas de um voo é de dimensão muito reduzida, não há necessidade de a declarar como static (ver livro). Negócio Aéreo 0 - Sair do programa 1 - Mostrar a estrutura de um avião 2 - Mostrar a ocupação de um voo 3 - Mostrar o nome dos passageiros com reserva num voo 4 - Efectuar a reserva de um voo com escolha de lugar 5 - Alterar o lugar de uma reserva 6 - Atribuir um avião a um voo específico (abertura de voo) 7 - Preencher um voo com passageiros aleatórios 8 - Histograma de ocupação de voo por tipo de lugar 9 - Geração do ficheiro de nomes e apelidos 5

6 5 Grupo 1: Manipulação básica de ficheiros e visualização simples de informação O primeiro conjunto de procedimentos consiste nas opções 0 a 3. Elas versam a manipulação básica de ficheiros de texto e binário, como a sua leitura e escrita, assim como a manipulação e visualização básica de dados. A classificação indicativa para os alunos que tenham executado apenas esta parte com sucesso é de 10 a 13 valores. 5.1 Mostrar a estrutura de um avião A primeira opção consiste em mostrar a estrutura de um certo tipo de avião em termos de filas das classes executiva e turística. O programa deve perguntar quais dos A3xx se pretende. Lê esse ficheiro e coloca a informação no ecrã. A mostragem da estrutura de um avião pode ser feita de dois modos: 1. Se o programa for corrido sem parâmetros, mostra o menu e tem de se seleccionar a opção 1 e o programa pede o tipo do avião. 2. Se o programa for corrido com um parâmetro (como está mostrado em baixo) ele lê logo o ficheiro com o nome fornecido, mostra a estrutura e vai depois para o menu. $./tunl A318 O programa deve também poder ser corrido de um modo habitual no Linux para se saber como é a sintaxe dos programas. Ao ser chamado como mostrado em baixo o programa deve escrever os modos como pode ser corrido $./tunl -h 5.2 Mostrar a ocupação de um voo Esta opção mostra os vários lugares do avião para um certo voo (ex. TP1048) indicando quais os livres e os ocupados. Atenção que o número de filas depende do avião que está a ser usado nesse voo e essa indicação aparece no primeiro campo do ficheiro de voo. Tem de ler o ficheiro do tipo de avião primeiro, e depois ler o do voo mostrando a informação no final. 5.3 Mostrar o nome dos passageiros com reservas num voo Esta opção é semelhante à anterior no que diz respeito à obtenção de informação de um voo. O que se pretende agora é que sejam escritos para cada lugar ocupado a fila, a cadeira e o nome da pessoa que vai viajar. 6

7 6 Grupo 2: Tratamento elaborado de informação O segundo conjunto de procedimentos consiste no manuseamento mais elaborado da informação. A classificação indicativa para os alunos que tenham executado a parte anterior e esta parte é de 13 a 16 valores. 6.1 Efectuar reserva de um voo Esta opção permite reservar um lugar num voo. Obviamente, o voo tem de existir, pelo que o programa deve perguntar o nome do voo (ex. TP1048). Abre o ficheiro para ver que tipo de avião o vai executar, lê o ficheiro do avião para saber a estrutura (opç e depois lê o ficheiro até ao fim. Mostra a ocupação ao utilizador (igual à opção 2) e pergunta a fila e o lugar ao utilizador. Se esse lugar estiver vazio aceita a reserva pedindo a informação necessária. No final escreve o ficheiro com os dados actualizados, mantendo o mesmo nome, evidentemente. 6.2 Alterar o lugar de uma reserva Esta opção permite que um utilizador que já tenha uma reserva possa mudar de lugar. A segurança é feita pedindo ao utilizador o nome e comparando com o nome onde o utilizador diz que está. É muito parecida com a opção anterior, mas em vez de o utilizador indicar um lugar para o reservar para si, indica um lugar onde presumivelmente está e se escrever o nome correcto, deve indicar outro lugar para onde deseja ir. Claro que este novo lugar tem de estar vago (tal como na opção anterior, desta vez). 6.3 Atribuir um avião a um voo (abertura de voo) Esta opção permite criar um voo. Por exemplo, o voo TP1048. O programa deve perguntar o nome do voo que será o nome do ficheiro. Depois deve perguntar o tipo de avião para esse voo. O programa deve ir ler o ficheiro do tipo de avião que foi escolhido para saber quantas filas há e de que classe. Depois deve escrever o inteiro do tipo de avião no ficheiro novo e escrever os dados para todos os lugares indicando que estão vazios. Esta opção deve poder ser executada a partir da linha de comandos do seguinte modo: $./tunl TP1048 A318 7

8 7 Grupo 3: Tratamento avançado de informação O terceiro conjunto de procedimentos consiste no tratamento avançado de informação. A classificação indicativa para os alunos que tenham executado todas as partes incluindo esta é de 16 a 18 valores. 7.1 Preencher um voo com passageiros aleatórios Esta opção permite encher um voo aleatoriamente. A percentagem de ocupação do avião deve ser determinada aleatoriamente, os lugares onde os passageiros se vão sentar devem ser determinados aleatoriamente, os nomes próprios dos utilizadores assim como os seus apelidos devem ser determinados aleatoriamente a partir dos ficheiros nomes e apelidos, e finalmente os identificadores de bagagem e de reserva também devem ser determinados aleatoriamente. 8

9 8 Grupo 4: Tratamento muito avançado de informação O quarto e último conjunto de procedimentos consiste na execução de tarefas muito avançadas de manipulação de informação e sua representação gráfica. A classificação indicativa para os alunos que tenham executado todas as partes anteriores e também esta é de 18 a 20 valores. Tenha em atenção o aviso no final desta secção. 8.1 Histograma Esta opção gera um histograma da ocupação de um voo. O programa deve perguntar o nome do voo (ex., TP1048) e deve mostrar a percentagem de ocupação do voo, a percentagem de ocupação dos lugares de executiva, de turística, de lugares à janela, de lugares ao corredor, e finalmente dos lugares do meio. O máximo de asteriscos indicadores dos vários valores deve ser de 70 (ou o comprimento de uma linha no terminal) e deve ser o valor máximo de todos os anteriores. Os outros estão em proporção directa. Esta opção não foi implementada pelo corpo docente no trabalho deste semestre. 8.2 Geração dos ficheiros de nomes e apelidos Esta opção deve ser implementada num programa diferente. O objectivo é usar os ficheiros nomes_original e apelidos_original para gerar os ficheiros nomes e apelidos que são usados na opção7. AVISO: O Regente da disciplina vai comparar o código deste grupo 4 nos trabalhos de todos os alunos que o fizerem. Códigos considerados pelo Regente como semelhantes implicarão que a nota máxima do trabalho seja de 18 valores. Esta decisão não é revogável nem sujeita a recurso. Não arrisque. Programe o trabalho todo individualmente (ou no grupo) e resista ao impulso de ver soluções de outros grupos, ou de ter trocas de ideias com outros grupos de uma forma muito perto da linguagem C. 9

10 9 Relatório do Trabalho Os alunos devem produzir um relatório do trabalho seguindo as indicações do ficheiro em WORD que está no sítio do trabalho final. Neste semestre as classificações do relatório serão apenas ilustrativas, com as seguintes excepções que implicam reprovação: Um relatório com mais do que uma página. Um relatório muito ilegível e pouco claro. Um relatório sem um mínimo de informação. 10 Postura dos alunos Cada grupo deve ter em consideração o seguinte: Não perca tempo com a estética de entrada e saída de dados; Programe de acordo com os princípios gerais de uma boa codificação (utilização de indentação, apresentação de comentários, uso de variáveis com nomes conformes às suas funções...) e Proceda de modo a que o trabalho a fazer fique equitativamente distribuído pelos dois membros do grupo. 11 Datas Limite A data limite para entrega do trabalho de avaliação é o dia 3 de Junho de 2012, às 18:00 horas por correio electrónico enviado ao docente do laboratório (ver endereços nas páginas da disciplina). Deve ser entregue o ficheiro de código C (.c) e o ficheiro WORD ou PDF com o relatório. Aconselha-se os alunos a contactarem o docente o mais rapidamente possível para marcar a data da discussão, que se realizará nas semanas seguintes. Não são permitidas entregas posteriores, sendo a nota do trabalho de zero valores. Planeie metas ao longo deste período até dia 3 para não deixar acumular trabalho na última semana e com isso prejudicar outras disciplinas (tanto na parte de testes como de trabalhos). Adiante o trabalho para não sofrer muita pressão no final do prazo. Existem quatro semanas de aulas (o mês de Maio) para a execução do trabalho nas aulas de laboratório. Use-as bem para ir avançando no trabalho e executar o mínimo fora das aulas. 10

Trabalhos Práticos. Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores

Trabalhos Práticos. Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores Trabalhos Práticos Programação II Curso: Engª Electrotécnica - Electrónica e Computadores 1. Objectivos 2. Calendarização 3. Normas 3.1 Relatório 3.2 Avaliação 4. Propostas Na disciplina de Programação

Leia mais

Reservas de viagens de avião

Reservas de viagens de avião Programação de Microprocessadores 2011/12 Sem. Par Aluno: 34266 Aluno: 35335 Reservas de viagens de avião A nossa gestão do negócio aéreo foi realizada a partir de várias funções que podem ou não ser utilizadas

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotécnica e Computadores Software de Localização GSM para o modem Siemens MC35i Manual do Utilizador Índice

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012

PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2011 / 2012 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 2º semestre Trabalho nº 0 Instalação dos programas

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

Manual de Utilizador. Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais. Escola Superior de Tecnologia. Instituto Politécnico de Castelo Branco

Manual de Utilizador. Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais. Escola Superior de Tecnologia. Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior de Tecnologia Instituto Politécnico de Castelo Branco Departamento de Informática Curso de Engenharia Informática Disciplina de Projecto de Sistemas Industriais Ano Lectivo de 2005/2006

Leia mais

Manual de Access 2007

Manual de Access 2007 Manual de Access 2007 Índice Introdução... 4 Melhor que um conjunto de listas... 5 Amizades com relações... 6 A Estrutura de uma Base de Dados... 8 Ambiente do Microsoft Access 2007... 9 Separadores do

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÃO...2 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 3 CRIAÇÃO DE ENTIDADES...12 4 DEPENDÊNCIAS...17 5 BANCOS, SEGURADORAS E CONSERVATÓRIAS...

Índice 1 INTRODUÇÃO...2 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 3 CRIAÇÃO DE ENTIDADES...12 4 DEPENDÊNCIAS...17 5 BANCOS, SEGURADORAS E CONSERVATÓRIAS... Índice 1 INTRODUÇÃO...2 1.1 JANELA ÚNICA DE ENTIDADES...3 1.2 PERMISSÕES POR UTILIZADOR...4 1.3 RESTRIÇÕES À VISUALIZAÇÃO/MANIPULAÇÃO...6 2 PESQUISA DE ENTIDADES...8 2.1 CRITÉRIOS DE PESQUISA...8 2.2 LISTA

Leia mais

Engenharia de Software. Enunciado da Primeira Parte do Projecto

Engenharia de Software. Enunciado da Primeira Parte do Projecto LEIC-A, LEIC-T, LETI, MEIC-T, MEIC-A Engenharia de Software 2 o Semestre 2014/2015 Enunciado da Primeira Parte do Projecto 1. Primeira Parte do Projecto ES Este enunciado descreve o trabalho a realizar

Leia mais

COMPUTAÇÃO e PROGRAMAÇÃO

COMPUTAÇÃO e PROGRAMAÇÃO COMPUTAÇÃO e PROGRAMAÇÃO 2º Trabalho Ano lectivo 2009/2010 MEMec e LEAN Data e hora limite de entrega: 6 de Janeiro de 2010, até às 23h59m Entrega: Submissão electrónica, via Fénix (ver instruções na secção:

Leia mais

Programação 2ºSemestre MEEC - 2010/2011. Programação 2º Semestre 2010/2011 Enunciado do projecto

Programação 2ºSemestre MEEC - 2010/2011. Programação 2º Semestre 2010/2011 Enunciado do projecto Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Programação 2º Semestre 2010/2011 Enunciado do projecto O projecto a desenvolver pelos alunos consistirá numa sistema de monitorização,

Leia mais

Programação 2. Trabalho Prático P4B. Efectue as tarefas de programação descritas abaixo, usando a linguagem C++ em ambiente Linux.

Programação 2. Trabalho Prático P4B. Efectue as tarefas de programação descritas abaixo, usando a linguagem C++ em ambiente Linux. Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 2006/2007 Programação 2 2º Semestre Trabalho Prático P4B Efectue as tarefas de programação descritas abaixo, usando a linguagem C++ em

Leia mais

Plataforma de Benefícios Públicos Acesso externo

Plataforma de Benefícios Públicos Acesso externo Índice 1. Acesso à Plataforma... 2 2. Consulta dos Programas de Beneficios Públicos em Curso... 3 3. Entrar na Plataforma... 4 4. Consultar/Entregar Documentos... 5 5. Consultar... 7 6. Entregar Comprovativos

Leia mais

Projecto de Programação MEEC - 2010/2011-1ºSemestre. Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Projecto de Programação MEEC - 2010/2011-1ºSemestre. Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Programação 2010/2011 Enunciado do projecto O projecto a desenvolver pelos alunos consistirá numa sistema de monitorização do estado de

Leia mais

Curso de Licenciatura em Engenharia Informática Cadeira de Algoritmia

Curso de Licenciatura em Engenharia Informática Cadeira de Algoritmia Curso de Licenciatura em Engenharia Informática Cadeira de Algoritmia Projecto de avaliação 2006/2007. Este projecto visa a criação de um back-end para geração de facturas para um sistema de facturação

Leia mais

O Processo de Programação

O Processo de Programação Programação de Computadores I Aula 04 O Processo de Programação José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/23 Algoritmo Um algoritmo é uma seqüência de

Leia mais

Instituto Politécnico de Tomar. Manual da Área de Secretariados

Instituto Politécnico de Tomar. Manual da Área de Secretariados Instituto Politécnico de Tomar Manual da Área de Secretariados Última actualização: 13 de Outubro de 2004 Índice Como aceder a Área de Secretariados...2 O que posso efectuar na Área de Secretariado (Acções)...4

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) http://curriculum.degois.pt Março de 2012 Versão 1.5 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador

Leia mais

Internet e Email no Akropole. Internet e Email no Akropole

Internet e Email no Akropole. Internet e Email no Akropole Internet e Email no Akropole Internet e Email no Akropole O Akropole tira proveito da ligação à internet, podendo efectuar várias operações de maior valia, com ou sem intervenção directa do utilizador.

Leia mais

Para criar a conta faça clique no separador. Abre um formulário com campos que terá que preencher. Basta ir seguindo

Para criar a conta faça clique no separador. Abre um formulário com campos que terá que preencher. Basta ir seguindo CRIAR UMA CONTA DE CORREIO ELECTRÓNICO Ex: No hotmail: Abrir o Explorer Na barra de endereços escrever: http://www.hotmail.com Surge a página representada na fig.1. Fig. 1 Para criar a conta faça clique

Leia mais

Manual do utilizador. Aplicação de agente

Manual do utilizador. Aplicação de agente Manual do utilizador Aplicação de agente Versão 8.0 - Otubro 2010 Aviso legal: A Alcatel, a Lucent, a Alcatel-Lucent e o logótipo Alcatel-Lucent são marcas comerciais da Alcatel-Lucent. Todas as outras

Leia mais

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL

SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual de Utilização Direcção dos Serviços de Economia do Governo da RAEM Novembro de 2014 SERVIÇ OS DO PEDIDO ONLINE DA PROPRIEDADE INTELECTUAL Manual

Leia mais

ZSRest/ZSPos. Manual de Stocks. BackOffice

ZSRest/ZSPos. Manual de Stocks. BackOffice BackOffice 1 1. Índice 2. Introdução... 3 3. Iniciar o ZSRest/ZSPos FrontOffice... 4 4. Produto... 5 Activar gestão de stocks... 5 5. Armazém... 7 a) Adicionar Armazém... 8 b) Modificar Armazém... 8 c)

Leia mais

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A.

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. WinREST Sensor Log A Restauração do Séc. XXI WinREST Sensor Log Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. 2 WinREST Sensor Log Índice Índice Pag. 1. WinREST Sensor Log...5 1.1. Instalação (aplicação ou serviço)...6

Leia mais

WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET

WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET MANUAL DO UTILIZADOR WEBSITE DEFIR PRO WWW.DEFIR.NET 1. 2. PÁGINA INICIAL... 3 CARACTERÍSTICAS... 3 2.1. 2.2. APRESENTAÇÃO E ESPECIFICAÇÕES... 3 TUTORIAIS... 4 3. DOWNLOADS... 5 3.1. 3.2. ENCOMENDAS (NOVOS

Leia mais

Instruções de utilização do portal Web da Visteon

Instruções de utilização do portal Web da Visteon FORD MOTOR COMPANY LIMITED Issued by European Warranty Operations Ford Customer Service Division Instruções de utilização do portal Web da Visteon 1. Entrar Na janela de endereço no seu browser da internet,

Leia mais

Programação III / Estruturas de Dados. Enunciado do Trabalho Prático

Programação III / Estruturas de Dados. Enunciado do Trabalho Prático Programação III / Estruturas de Dados Enunciado do Trabalho Prático 1. Objectivo Pretende-se implementar uma base de dados que sirva para ajudar uma agência de viagens a planear as viagens a realizar pelos

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE MANUAL DE UTILIZAÇÃO DA PLATAFORMA MOODLE A EQUIPA DO PTE 2009/2010 Índice 1. Entrar na plataforma Moodle 3 2. Editar o Perfil 3 3. Configurar disciplina 4 3.1. Alterar definições 4 3.2. Inscrever alunos

Leia mais

Manual de Utilizador Documentos de Transporte. TOConline. Suporte. Página - 1

Manual de Utilizador Documentos de Transporte. TOConline. Suporte. Página - 1 TOConline Suporte Página - 1 Documentos de Transporte Manual de Utilizador Página - 2 Índice Criação de um documento de transporte... 4 Definições de empresa- Criação de moradas adicionais... 9 Comunicação

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR PROFESSOR(A)

MANUAL DO UTILIZADOR PROFESSOR(A) PROFESSOR(A) INTRODUÇÃO Caro(a) professor(a), Obrigado por descarregar este manual do utilizador do Ephorus. Em caso de dúvidas, por favor contacte o utilizador principal do Ephorus no seu estabelecimento

Leia mais

Editor HTML. Composer

Editor HTML. Composer 6 Editor HTML 6 Composer Onde criar Páginas Web no Netscape Communicator? 142 A estrutura visual do Composer 143 Os ecrãs de apoio 144 Configurando o Composer 146 A edição de Páginas 148 Publicando a sua

Leia mais

Ficheiros binários 1. Ficheiros binários

Ficheiros binários 1. Ficheiros binários Ficheiros binários 1 Ficheiros binários 1. Considere que dispõe de ficheiros binários cujo conteúdo é constituído por uma ou mais estruturas como a indicada a seguir struct registo { int ref; float var;

Leia mais

Neste método o cálculo é efetuado de maneira exponencial, ou seja, juros são computados sobre os juros anteriormente calculados.

Neste método o cálculo é efetuado de maneira exponencial, ou seja, juros são computados sobre os juros anteriormente calculados. Microsoft Excel Aula 4 Objetivos Trabalhar no Excel com cálculos de juros simples e compostos Trabalhar com as funções financeiras VF e PGTO do Excel Trabalhar com a ferramenta Atingir Meta Apresentar

Leia mais

Perguntas mais frequentes sobre o sistema EudraCT

Perguntas mais frequentes sobre o sistema EudraCT Perguntas mais frequentes sobre o sistema EudraCT 1. Segurança do sistema e confidencialidade P: Como posso ter a certeza de que os dados introduzidos estarão seguros? 2. Configuração do sistema P: Como

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2º Semestre de 2006/2007 Terceiro enunciado detalhado do projecto: Portal OurDocs ic-es+alameda@mega.ist.utl.pt ic-es+tagus@mega.ist.utl.pt 1. Introdução O terceiro enunciado do

Leia mais

Índice. Manual do programa Manage and Repair

Índice. Manual do programa Manage and Repair Manual do programa Manage and Repair Índice 1 Menu Ficheiro... 3 1.1 Entrar como... 3 1.2 Opções do utilizador... 3 2 Administração... 5 2.1 Opções do Programa... 5 2.1.1 Gerais (1)... 5 2.1.2 Gerais (2)...

Leia mais

CGA Directa. Manual do Utilizador. Acesso, Adesão e Lista de Subscritores

CGA Directa. Manual do Utilizador. Acesso, Adesão e Lista de Subscritores CGA Directa Manual do Utilizador Acesso, Adesão e Lista de Subscritores Versão 1.00 de 10 de Março de 2008 Índice Pág. Introdução 3 Capítulo 1 Capítulo 2 Capítulo 3 Acesso Acesso 4 Adesão Adesão 5 2.1

Leia mais

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693

Seu manual do usuário EPSON LQ-630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/1120693 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

ZSRest. Manual Configuração. Cartão de Cliente/Fidelização. V2011-Certificado

ZSRest. Manual Configuração. Cartão de Cliente/Fidelização. V2011-Certificado Manual Configuração Cartão de Cliente/Fidelização V2011-Certificado 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Configuração... 3 4. Como acumular o saldo... 5 5. Como descontar o saldo... 8 2 2. Introdução O presente

Leia mais

Mozilla Thunderbird. Configuração inicial

Mozilla Thunderbird. Configuração inicial Mozilla Thunderbird Configuração inicial A instalação é muito simples, basta aceder ao site http://www.mozilla.com/thunderbird/ e carregar em Download, tal como apresentado na figura seguinte. Figura A

Leia mais

ÍNDICE. Acesso para agências...3. Organização por pastas...4. Download das facturas a partir do site...5. Pesquisa de facturas...8

ÍNDICE. Acesso para agências...3. Organização por pastas...4. Download das facturas a partir do site...5. Pesquisa de facturas...8 2 ÍNDICE Acesso para agências...3 Organização por pastas...4 Download das facturas a partir do site...5 Pesquisa de facturas...8 Configurar notificações por email...11 3 Bem-vindo ao manual de uso do novo

Leia mais

Guia passo a passo para o preenchimento do formulário de candidatura. Junho 2008

Guia passo a passo para o preenchimento do formulário de candidatura. Junho 2008 Guia passo a passo para o preenchimento do formulário de candidatura Junho 2008 ÍNDICE 1. Instruções gerais... 2 2. Parceria... 4 3. Grupos de tarefas... 8 4. Indicadores... 13 5. Preenchimento das outras

Leia mais

Engenharia de Software. Enunciado da Quarta Parte do Projecto

Engenharia de Software. Enunciado da Quarta Parte do Projecto LEIC-A, LEIC-T, LETI, MEIC-T, MEIC-A Engenharia de Software 2 o Semestre 2013/2014 Enunciado da Quarta Parte do Projecto 1. Introdução Nesta parte final do projecto de ES e SD pretende-se: Estender a solução

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

BearingNet - Inventário

BearingNet - Inventário Contenuto Introdução... 2 Tabela O Seu Inventário... 3 Adicionar inventário... 4 Editar ou Eliminar Inventário... 5 Tabela de Manutenção de Inventário... 7 O seu inventário/ Lista de pedido de stock...

Leia mais

NOVO Panda Antivirus 2007 Manual resumido sobre a instalação, registo e serviços Importante! Leia a secção de registo on-line deste manual atentamente. As informações contidas nesta secção são essenciais

Leia mais

ROUPA DE TRABALHO VOLVO, ENCOMENDAR NO PORTAL WEB

ROUPA DE TRABALHO VOLVO, ENCOMENDAR NO PORTAL WEB ROUPA DE TRABALHO VOLVO, ENCOMENDAR NO PORTAL WEB COMO ENCOMENDAR Antes de começar a encomendar... página 2 6 Criar uma encomenda... página 7 22 2015-02-18 ANTES DE COMEÇAR A ENCOMENDAR Esta aplicação

Leia mais

ZS Rest. Manual Avançado. Menus. v2011 - Certificado

ZS Rest. Manual Avançado. Menus. v2011 - Certificado Manual Avançado Menus v2011 - Certificado 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Iniciar o ZSRest... 3 4. Menus... 4 b) Novo Produto:... 5 i. Separador Geral.... 5 ii. Separador Preços e Impostos... 7 iii.

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Referencial do Módulo B

Referencial do Módulo B 1 Referencial do Módulo B Liga, desliga e reinicia correctamente o computador e periféricos, designadamente um scanner; Usa o rato: aponta, clica, duplo-clique, selecciona e arrasta; Reconhece os ícones

Leia mais

ZSRest. Manual Profissional. Comandos Rádio X64. V2011-Certificado

ZSRest. Manual Profissional. Comandos Rádio X64. V2011-Certificado Manual Profissional Comandos Rádio X64 V2011-Certificado 1 1. Índice 2. INTRODUÇÃO... 2 3. Configuração inicial... 3 4. Configurações X64... 5 a) Definições Gerais... 5 b) Documentos e Periféricos... 8

Leia mais

Apoio Passo-a-passo. Aprender a utilizar o seu Twinspace

Apoio Passo-a-passo. Aprender a utilizar o seu Twinspace Apoio Passo-a-passo Aprender a utilizar o seu Twinspace Como actualizar o seu perfil... 3 Como adicionar professores e visitantes ao seu Twinspace... 4 Como convidar alunos para o seu Twinspace... 7 Como

Leia mais

Manual de Utilização do Sítio da Disciplina

Manual de Utilização do Sítio da Disciplina UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA DSI Manual de Utilização do Sítio da Disciplina para: Docentes Versão 7.00 Palma de Cima 1649-023 Lisboa Portugal Tel. 21 721 42 19 Fax 21721 42 79 helpdesk@lisboa.ucp.pt

Leia mais

AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON

AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON Computadores e Programação Engª Biomédica Departamento de Física Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Ano Lectivo 2003/2004 FICHA 1 AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON 1.1. Objectivos

Leia mais

Relatório SHST - 2003

Relatório SHST - 2003 Relatório da Actividade dos Serviços de Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho Relatório SHST - 2003 Programa de Validação e Encriptação Manual de Operação Versão 1.1 DEEP Departamento de Estudos, Estatística

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO. Manual de Utilizador. Portal TRH

MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO. Manual de Utilizador. Portal TRH MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Manual de Utilizador Portal TRH Novembro de 2009 ÍNDICE 1. Introdução...2 2. Registo...4 3. Visualização e criação de operadores...8 4. Introdução

Leia mais

Trabalho Prático Sistema de Armazenagem Relatório Scada

Trabalho Prático Sistema de Armazenagem Relatório Scada Trabalho Prático Sistema de Armazenagem Relatório Scada Docente: Paulo Portugal Daniel Eduardo Miranda dos Santos ee04245 2004/2005 Índice Índice Objectivos 2 Introdução 3 Organização das variáveis para

Leia mais

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares Folha de cálculo Excel Agrupamento de Escolas de Amares Índice 1. Funcionalidades básicas... 3 1.1. Iniciar o Excel... 3 1.2. Criar um livro novo... 3 1.3. Abrir um livro existente... 3 1.4. Inserir uma

Leia mais

Registo do antivírus avast!

Registo do antivírus avast! Registo do antivírus avast! Para iniciar o registo do avast! Antivirus é necessário fazer algumas alterações no programa de Controle Parental Parents Carefree de modo a podermos: 1. Criar um endereço de

Leia mais

Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Mestrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Metodologias de Apoio à Decisão FUVADI Cálculo de Funções de Valor Aditivas Trabalho realizado por: Luís Filipe Moreira Índice DESCRIÇÃO DO TRABALHO...1

Leia mais

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1. Correio Electrónico. Actividades de exploração

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1. Correio Electrónico. Actividades de exploração COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Correio Electrónico Actividades de exploração Actividade1 - Comunicar (por email) é preciso... Considere o seguinte cenário: Acabou de receber uma carta da Universidade

Leia mais

[Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Funcionários da ESTG]

[Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Funcionários da ESTG] [Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Funcionários da ESTG] Unidade De Administração de Sistemas Serviços Informáticos Instituto Politécnico de Leiria 09-06-2010 Controlo do Documento Autor

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Microsoft Word Folha

Leia mais

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27

CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 CADERNOS DE SOCIOMUSEOLOGIA Nº 14 1999 27 3 - MANUAL DO UTILIZADOR Diogo Mateus 3.1. REQUISITOS MÍNIMOS * Computador Pessoal com os seguintes Programas * Microsoft Windows 95 * Microsoft Access 97 A InfoMusa

Leia mais

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo.

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo. Impressão em série de cartas de formulário e mailings em grande número Intercalação de correio Base de Dados em Excel Comece por planear o aspecto da sua página final - é uma carta, uma página de etiquetas

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA 2005/2006. 0.5 Valores

ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA 2005/2006. 0.5 Valores ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE TOMAR DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA INFORMÁTICA INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO (ENG. INFORMÁTICA) COMPUTADORES E PROGRAMAÇÃO I (ENG. ELECTROTÉCNICA) 2005/2006 TRABALHO PRÁTICO Nº

Leia mais

REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006

REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006 UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia Departamento de Engenharia Electrotécnica REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e

Leia mais

OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto

OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto FICHA 0 OBJECTIVO Primeiros passos no processamento de texto Antes de começar a elaborar documentos com o Word é necessário que saiba o essencial sobre o funcionamento deste processador de texto. Não menos

Leia mais

RIQASNet. Instruções de utilização. Introdução. Registo para o RIQASNet

RIQASNet. Instruções de utilização. Introdução. Registo para o RIQASNet RIQASNet Instruções de utilização Introdução O RIQASNet é um sistema de entrada de dados utilizando a internet que permite aos utilizadores enviarem os resultados e alterações de método para o RIQAS, e

Leia mais

Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores. Projecto de. Arquitectura de Computadores.

Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores. Projecto de. Arquitectura de Computadores. Instituto Superior Técnico Licenciatura em Engenharia Informática e de Computadores Projecto de Arquitectura de Computadores Jogo dos Blocos (variante do Arkanoid) (Versão 1.0) 2008/2009 Índice 1 Objectivo...

Leia mais

Comunicação de Dados de Autenticação e Credenciais de Acesso para Resposta ao Inquérito

Comunicação de Dados de Autenticação e Credenciais de Acesso para Resposta ao Inquérito Mais informação Acesso ao Sistema de Transferência Electrónica de dados de Inquéritos (STEDI). Onde se acede ao sistema de entrega de Inquéritos? Deverá aceder ao sistema através do site do GEP www.gep.mtss.gov.pt

Leia mais

Ferramenta de Testagem IECL Orientações para o Aluno (PT)

Ferramenta de Testagem IECL Orientações para o Aluno (PT) Ferramenta de Testagem IECL Orientações para o Aluno (PT) Índice 1 INTRODUÇÃO 3 2 REALIZAÇÃO DOS TESTES 3 2.1 Login 3 2.2 Verificação do áudio para o teste de Audição 5 2.3 Realização de um teste 5 3 Informação

Leia mais

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6

Objectivos Gerais da Aplicação 5 Requisitos Mínimos e Recomendados 5 Processo de Instalação 6 MANUAL DO UTILIZADOR A informação contida neste manual, pode ser alterada sem qualquer aviso prévio. A Estratega Software, apesar dos esforços constantes de actualização deste manual e do produto de software,

Leia mais

ENVIAR, IMPRIMIR E GUARDAR

ENVIAR, IMPRIMIR E GUARDAR ENVIAR, IMPRIMIR E GUARDAR JusNet permite enviar um documento directamente da base de dados, imprimir, guardar e copiar. 1. Enviar um documento Um documento pode ser enviado directamente da base de dados

Leia mais

MicroMIX Comércio e Serviços de Informática, Lda.

MicroMIX Comércio e Serviços de Informática, Lda. 1 P á g i n a Procedimentos Inventário AT 2014 Software Olisoft-SIG.2014 Verificar Versão dos Módulos Instalados Em primeiro lugar deveremos verificar se o programa SIG está actualizado. Esta nova rotina

Leia mais

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1

COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Oficina do Correio Para saber mais sobre Correio electrónico 1. Dicas para melhor gerir e organizar o Correio Electrónico utilizando o Outlook Express Criar Pastas Escrever

Leia mais

A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos

A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos 1ª ETAPA PROJETO INTEGRADOR (2 pontos na A4) Como discutido em sala de aula, a disciplina de algoritmos I também fará parte do projeto integrador, para cada grupo

Leia mais

Sistema de Certificação de Competências TIC

Sistema de Certificação de Competências TIC Sistema de Certificação de Competências TIC Portal das Escolas Manual de Utilizador INDICE 1 Introdução... 5 1.1 Sistema de formação e certificação de competências TIC...6 1.1.1 Processo de certificação

Leia mais

1. Lançamento em Contas Bancárias Liquidação de Clientes

1. Lançamento em Contas Bancárias Liquidação de Clientes Título: MÓDULO DE GESTÃO DE BANCOS & CONTROLO LETRAS Pag.: 1 Módulo Gestão Contas Bancárias O módulo Gestão de Contas Bancárias, tem como principal objectivo, permitir ao utilizador saber num exacto momento,

Leia mais

Ministério Público. Guia de Consulta Rápida

Ministério Público. Guia de Consulta Rápida Ministério Público Ministério Público Guia de Consulta Rápida Versão 3 (Outubro de 2009) - 1 - ÍNDICE 1. ACEDER AO CITIUS MINISTÉRIO PÚBLICO... 4 2. BARRA DE TAREFAS:... 4 3. CONFIGURAR O PERFIL DO UTILIZADOR...

Leia mais

GRADUADO EM EDUCAÇÃO SECUNDÁRIA PROVA LIVRE. Exercício 3 ÂMBITO DE COMUNICAÇÃO: PORTUGUÊS

GRADUADO EM EDUCAÇÃO SECUNDÁRIA PROVA LIVRE. Exercício 3 ÂMBITO DE COMUNICAÇÃO: PORTUGUÊS GRADUADO EM EDUCAÇÃO SECUNDÁRIA PROVA LIVRE Exercício 3 ÂMBITO DE COMUNICAÇÃO: PORTUGUÊS MAIO 2011 Apelidos e nome. GRUPO I Leia o Texto A e consulte o vocabulário apresentado a seguir ao texto. TEXTO

Leia mais

1 Introdução. 2 Algumas funções úteis para lidar com strings

1 Introdução. 2 Algumas funções úteis para lidar com strings Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2007 / 2008 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 1º semestre Strings e apontadores http://tele1.dee.fct.unl.pt

Leia mais

ADSE DIRECTA - PROTOCOLOS DE DOCUMENTOS REGIME LIVRE MANUAL DE APOIO AOS ORGANISMOS

ADSE DIRECTA - PROTOCOLOS DE DOCUMENTOS REGIME LIVRE MANUAL DE APOIO AOS ORGANISMOS ADSE DIRECTA - PROTOCOLOS DE DOCUMENTOS REGIME LIVRE MANUAL DE APOIO AOS ORGANISMOS Este documento destina-se a apoiar os serviços processadores na elaboração dos protocolos dos documentos de despesa em

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DAS PARTICIPAÇÕES DO ESTADO

SISTEMA DE INFORMAÇÃO DAS PARTICIPAÇÕES DO ESTADO SISTEMA DE INFORMAÇÃO DAS PARTICIPAÇÕES DO ESTADO SIPART (versão Setembro/2004) Manual de Utilização ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. ACEDER À APLICAÇÃO...4 3. CRIAR NOVO UTILIZADOR...5 4. CARACTERIZAÇÃO GERAL

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

[Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Estudantes da ESTG]

[Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Estudantes da ESTG] [Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Estudantes da ESTG] Unidade De Administração de Sistemas Serviços Informáticos Instituto Politécnico de Leiria 10-07-2009 Controlo do Documento Autor

Leia mais

Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES. Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde. Contacto: taxa.04@infarmed.

Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES. Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde. Contacto: taxa.04@infarmed. Manual SRCT - v.ps.2 UTILIZADORES Apoio à gestão das Declarações de Vendas dos Produtos de Saúde Contacto: taxa.04@infarmed.pt 2008/Setembro NOTAS EXPLICATIVAS 1. As Declaração de Vendas a que se referem

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

20 Caracteres - Tipo char

20 Caracteres - Tipo char 0 Caracteres - Tipo char Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até agora vimos como o computador pode ser utilizado para processar informação que pode ser quantificada de forma numérica. No entanto,

Leia mais

Guia rápido do utilizador

Guia rápido do utilizador Guia rápido do utilizador Índice Relatório de roubo 3 Criar um novo relatório de roubo 4 Fornecer detalhes do relatório de roubo Secção 1. Especificar o computador 5 Fornecer detalhes do relatório de roubo

Leia mais

Descrição de Funcionalidades

Descrição de Funcionalidades Gestão Integrada de Documentos Descrição de Funcionalidades Registo de documentos externos e internos O registo de documentos (externos, internos ou saídos) pode ser efectuado de uma forma célere, através

Leia mais

Um sistema SMS 1 simplificado

Um sistema SMS 1 simplificado 1 Introdução Um sistema SMS 1 simplificado Projecto de Redes de Computadores I - 2007/2008 LEIC IST, Tagus Park 10 de Setembro de 2007 Pretende-se com este projecto que os alunos implementem um sistema

Leia mais

EXCEL TABELAS DINÂMICAS

EXCEL TABELAS DINÂMICAS Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL TABELAS DINÂMICAS (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina Wanzeller

Leia mais

Internet Update de PaintManager TM. Manual de registo do utilizador

Internet Update de PaintManager TM. Manual de registo do utilizador Internet Update de PaintManager TM Manual de registo do utilizador ÍNDICE O que é o registo CTS? 3 Como é realizado o pedido de registo? 3 Opção 1: Se o número de registo CTS for conhecido 3 Passo 1: 3

Leia mais

Oficina de Construção de Páginas Web

Oficina de Construção de Páginas Web COMPETÊNCIAS BÁSICAS EM TIC NAS EB1 Oficina de Construção de Páginas Web Criação e Publicação Guião Páginas WWW com o editor do Microsoft Office Word 2003 1. Introdução. 2. Abrir uma página Web. 3. Guardar

Leia mais

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL Fevereiro/2002 - Portalegre Introdução A necessidade de efectuar cálculos complexos de uma forma mais rápida e fiável,

Leia mais

www.enviarsms.smsvianetportugal.com Descrição de Como Utilizar

www.enviarsms.smsvianetportugal.com Descrição de Como Utilizar www.enviarsms.smsvianetportugal.com Descrição de Como Utilizar Este interface de utilizador, do serviço www.smsvianetportugal.com, permite a ceder à mesma conta de cliente, que através do interface simplesms.smsvianetportugal.

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando

Guia de Acesso à Formação Online Formando Guia de Acesso à Formação Online Formando Copyright 2008 CTOC / NOVABASE ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...5 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...6 5. Avaliação...7

Leia mais