Informação SUS, Não SUS e Filantropia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Informação SUS, Não SUS e Filantropia"

Transcrição

1 Informação SUS, Não SUS e Filantropia O que esses temas têm em comum e quais as implicações para prestadores e gestores. João Alfredo Carvalho Rodrigues Gonçalves Águas de Lindóia 12/09/2012

2 Agenda da Apresentação F AT OS Tema Slides A Santa Casa de Santos 8 Filantropia: Legislação 4 Gestão da Informação 8 Informação em Saúde 10 Cálculo da Filantropia 6 Considerações Finais 3 Total 39

3 Linha do Tempo: ISCMS Colônia Império República 1500 a a Atual F AT OS 1.500: Descobrimento do Brasil 1.543: S. C. Santos 1º Prédio 1.665: S. C. Santos 2º Prédio 1.836: S. C. Santos 3º Prédio 1.945: S. C. Santos 4º Prédio 1.988: C. F. Criação do SUS 1.990: Lei Regulamentação PERÍODO

4 Princípio de Atuação: Filantropia 468 anos F AT OS CASA DE DEUS PARA OS HOMENS, PORTA ABERTA AO MAR... Braz Cubas

5 Complexo: ISCMS Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Santos Hospital Desde Operador a Desde Serviço Funerário Desde F AT OS Centros- Médicos: Cubatão; Guarujá; Praia Grande; Santos, e São Vicente. Desde Pronto- Atendimento: Guarujá e Praia Grande. Desde Assistência Médica e Odontológica 120 mil vidas, e Maior Operadora do segmento filantrópico. Apoio ao Luto Integral para os Necessitados, e Transporte para o IML.

6 Perfil: ISCMS Hospital de Ensino com: o15 Programas de Residência Médica oresidência Multiprofissional em: Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Pedagogia, Psicologia, Serviço Social Terapia Ocupacional. ocampo de Estágio para ; Graduação e Nível Técnico em Exatas e Humanas; F AT OS 37 Especialidades Médicas com oplantão 24 x 7 : Anestesia; Cardiologia; Oftalmologia; Pediatria; Ginecologia e Obstetrícia; Cirurgias: Geral, Plástica, Pediátrica, Neurologia e Trauma-Ortopedia; 724 Leitos, sendo: o600 Operacionais; 85 Complementares e 39 de Observação e Emergência. 3 Centros Cirúrgicos, sendo: ocentral, Obstétrico e Oftalmológico, com 23 Salas Operatórias Alta Complexidade em: ocardio-vascular; Nefrologia; Neurologia e Neurocirurgia ; Oftalmologia; Oncologia (CACON); Terapia Nutricional Enteral e Parenteral, e Trauma-Ortopedia; Unidade de Terapia Intensiva Tipo III Adulta, Pediátrica e Neo-Natal; Tipo III em Urgência; Enfermaria de Queimados e Medicina Hiperbárica Recursos Humanos: o3.900 Empregados Diretos; o600 Médicos; o120 Médicos-Residentes; o40 Residentes Multiprofissionais, e o1.000 Voluntários: Amarelinhas, Rosinhas e Verdinhas Área Física: m2, sendo: o Área Construída com m2

7 ISCMS: Referência na RMBS F AT OS 9 (nove) municípios: Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente; Área: Km2 População: (oscilando nas férias): 14º lugar Nacional, 3º lugar Estadual e Evolução de Idosos (estrutura típica).

8 ISCMS: Atendimentos ao SUS Atendimentos Realizados Região Observação Internação Internações ,42% 1º Lugar da Região (de 16) e 47º do Estado (de 595). Paciente-Dia ,03% 1º Lugar da Região (de 16) e 48º do Estado (de 595). Diária de UTI ,17% 1º Lugar da Região (de 16) e 13º do Estado (de 227). Ambulatório Oncologia ,69% Apenas 4 estabelecimentos na região. F AT OS Quimioterapia ,20% Radioterapia ,78% Nefrologia ,84% Fonte: TABWIN no ano de Apenas 4 estabelecimentos na região. 1º Lugar da Região e 15º lugar do Estado (de 64). Apenas 2 estabelecimentos na região. 1º Lugar da Região e 28º lugar do Estado (de 36). Apenas 4 estabelecimentos na região. 1º Lugar da Região e 42º lugar do Estado (de 142).

9 Linha do Tempo: Legislação F AT OS 1.500: Descobrimento do Brasil 1.543: S. C. Santos 1º Prédio 1.665: S. C. Santos 2º Prédio 1.836: S. C. Santos 3º Prédio 1.945: S. C. Santos 4º Prédio 1.988: C. F. Criação do SUS 1.990: Lei Regulamentação 2009: Lei Dispõe sobre a Certificação : Decreto Regulamenta a Lei : Portaria Dispõe sobre Processo CEBAS PERÍODO

10 Filantropia: Legislação Vigente Lei nº , de 27 de novembro de 2009: Dispõe sobre a certificação das entidades beneficentes de assistência social; (...); e dá outras providências. Decreto nº 7.237, de 20 de julho de 2010: Regulamenta a Lei no , de 27 de novembro de 2009, para dispor sobre o processo de certificação das entidades beneficentes de assistência social para obtenção da isenção das contribuições para a seguridade social, e dá outras providências. Portaria nº 1.970, de 16 de agosto de 2011: Dispõe sobre o processo de Certificação das Entidades Beneficentes de Assistência Social na área da Saúde (CEBAS-SAÚDE).

11 Filantropia: Legislação Vigente A entidade de saúde deverá ainda informar, obrigatoriamente, ao Ministério da Saúde, na forma por ele estabelecida: I - a totalidade das internações e atendimentos ambulatoriais realizados para os pacientes não usuários do SUS; II - a totalidade das internações e atendimentos ambulatoriais realizados para os pacientes usuários do SUS; e III - as alterações referentes aos registros no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES. Parágrafo único. A entidade deverá manter o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES atualizado, de acordo com a forma e o prazo determinado pelo Ministério da Saúde. Artigo 5º da Lei nº /09

12 Filantropia: Legislação Vigente A entidade de saúde deverá ainda informar, obrigatoriamente, ao Ministério da Saúde, na forma por ele estabelecida: I - a totalidade das internações e atendimentos ambulatoriais realizados para os pacientes não usuários do SUS; II - a totalidade das internações e atendimentos ambulatoriais realizados para os pacientes usuários do SUS; e III - as alterações referentes aos registros no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES. Parágrafo único. A entidade deverá manter o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES atualizado, de acordo com a forma e o prazo determinado pelo Ministério da Saúde. Artigo 5º da Lei nº /09

13 Jornal O Estado de S. Paulo 29/07/ º AUDHOSP Motivo: SUS x Não-SUS Por que atender ao Não-SUS? Equilíbrio Financeiro! As dívidas das Santas Casas e Hospitais Filantrópicos, acumulados até maio, passam de R$ 11 bilhões...

14 Informação SUS, Não SUS e Filantropia Gestão da Informação SUS SUS Não- SUS

15 Informação: Conceito Informação: é o resultado do processamento, manipulação e organização de dados, de tal forma que represente uma modificação (quantitativa ou qualitativa) no conhecimento do sistema que a recebe (disponível em Dados Dados Informações Tecnologia da Informação Conhecimento

16 Gestão da Informação: Relevância Peter Drucker defende o primado da informação como a base e a razão para um novo tipo de gestão, em que se perspectiva a troca do binômio capital/trabalho pelo binômio informação/conhecimento como fatores determinantes no sucesso empresarial.

17 Gestão da Informação: Relevância Peter Drucker defende o primado da informação como a base e a razão para um novo tipo de gestão, em que se perspectiva a troca do binômio capital/trabalho pelo binômio informação/conhecimento como fatores determinantes no sucesso empresarial.

18 Aplicação: Informação em Saúde Faturamento x Informação Essa é a relação aplicada! O FATURAMENTO é apenas uma DIMENSÃO do PROCESSO!

19 Fluxo da Informação: Realidade Atendimento Ambulatorial (ou Urgência e Emergência) Recepção Médic o Enfermeir a Mat. & Med / SADT Atendimento Internação Médicos Fisioterapeuta Médicos Fisioterapeuta Enfermagem Nutricionista Enfermagem Nutricionista SADT s Medicamentos SADT s Medicamentos

20 Fluxo da Informação: Realidade Faturamento Gestor Prontuário do Paciente

21 11º AUDHOSP Internação Ambulatório Internação + Ambulatório: Filantropia Atendimento SUS Não-SUS Internação SIH CIHA Ambulatório SIA CIHA Internação Internação Internação SUS Paciente-Dia Ambulatório SUS Atendimentos (ou Procedimentos) Filantropia (%) Internação Não-SUS Paciente-Dia Ambulatório Não-SUS Atendimentos (ou Procedimentos) SUS: 60% (mínimo)

22 Macrofluxo: Prestador x Gestor SIH / SIA Hospital CIHA CNES Gestor DATASUS - MS

23 Internação: Paciente-Dia PACIENTE-DIA:Unidade de medida que representa a assistência prestada a um paciente internado durante um dia hospitalar. O dia da alta só será computado se a alta ocorrer no mesmo dia da internação. Portaria 312 de 2 de maio de DATA DE ALTA DATA DE INTERNAÇÃO PACIENTE-DIA = DATA DE ALTA DATA DE INTERNAÇÃO Alta Internação Paciente-Dia 31/05/ /06/ /07/ /07/ /05/ /06/ /07/ /07/ NÃO CONSIDERAR O DIA DA ALTA!

24 Internação: Paciente-Dia PACIENTE-DIA:Unidade de medida que representa a assistência prestada a um paciente internado durante um dia hospitalar. O dia da alta só será computado se a alta ocorrer no mesmo dia da internação. Portaria 312 de 2 de maio de DATA DE ALTA DATA DE INTERNAÇÃO PACIENTE-DIA = 1 Alta Internação Paciente-Dia 31/05/ /05/ /06/ /06/ /07/ /07/ /07/ /07/ /08/ /08/ /09/ /09/ SEMPRE 1

25 Hospita l 11º AUDHOSP Internação: Paciente-Dia SUS PACIENTE-DIA SUS: A análise será pelos dados do faturamento! SUS ATENDIMENTO FATURAMENTO Permanência Clique para editar os estilos do texto mestre Segundo nível Terceiro nível Quarto nível Quinto nível Ano

26 Hospita l 11º AUDHOSP Internação: Paciente-Dia Não-SUS (ALTA)! PACIENTE-DIA NÃO-SUS: A análise será pelo atendimento ATENDIMENTO ALTA Permanência Não-SUS Ano

27 Internação: Paciente-Dia Não-SUS PACIENTE-DIA NÃO-SUS: Outra forma de análise... Relatório do Aplicativo CIHA

28 Ambulatório: Atendimentos (Procedimentos) Número de Atendimentos / Procedimentos: Representa o total de procedimentos/atendimentos realizados no ambulatório. ATENDIMENTO PROCEDIMENTO Considerar a quantidade de atendimentos ambulatoriais realizados, agrupando os Atendimentos Individualizados e Consolidados.

29 Hospita l 11º AUDHOSP Ambulatório: Atendimentos (Procedimentos) SUS Atendimento / Procedimento: A análise será pelo faturamento! SUS Frequência Ano

30 Hospita l 11º AUDHOSP Ambulatório: Atendimentos (Procedimentos) Não-SUS Número de Atendimentos / Procedimentos: A análise será pelo atendimento (ALTA)! ATENDIMENTO Não-SUS ALTA Permanência Ano

31 Ambulatório: Atendimentos (Procedimentos) Não-SUS Número de Atendimentos / Procedimentos: Outra forma de análise... Relatório do Aplicativo CIHA

32 Informação SUS, Não SUS e Filantropia Cálculo do Percentual de Filantropia

33 % SUS: Internação TOTAL DE PACIENTE- DIA SUS % SU S INT TOTAL DE PACIENTE-DIA SUS e NÃO- SUS NÃO 60 % SIM 100 % SU S INT

34 % SUS: Ambulatório TOTAL DE Procedimento ssus TOTAL DE Procedimentos SUS e NÃO- SUS 100 % SUS AMB % SUS AM B LIMITADO EM: 10 %

35 % SUS: Ações Prioritárias Plano Ação Regional (Portaria MS 1.970/ Artigo 33) Acréscimo I - Atenção obstétrica e neonatal: 1,5% II - Atenção oncológica; 1,5% III - Atenção às urgências e emergências; 1,5% IV - Atendimentos voltados aos usuários de álcool, crack e outras drogas; e 1,5% V - Hospitais de Ensino 1,5% SOMA: % SUS Ações

36 Prestação: Percentual SUS % SUS INT % SUS AMB % SUS Ações Percentual de Atendimento NÃO SUS SIM 60% Hipótese: Complementar com Gratuidade

37 Fehosp: Planilha de Apoio

38 Inovação Vamos enxergar de outra forma?

39 Tratamento DESIGUAL Procedimento Ambulatorial de Alta Complexidade, geralmente recebe a mesma complexidade de uma internação

40 Agradecimentos Muito Obrigado! A maneira como você coleta, gerencia e utiliza as informações, determina se você vai vencer ou perder. Bill Gates João Alfredo

Discussão sobre a Regulamentação da Lei nº 12.101, de 27 de novembro de 2009.

Discussão sobre a Regulamentação da Lei nº 12.101, de 27 de novembro de 2009. MINISTÉRIO DA SAÚDE Discussão sobre a Regulamentação da Lei nº 12.101, de 27 de novembro de 2009. Organizadores: Comissão de Educação, Cultura e Esporte e Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal.

Leia mais

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN DIMENSIONAMENTO DE SERVIÇOS ASSISTENCIAIS E DA GERÊNCIA DE ENSINO E PESQUISA BRASÍLIA-DF, 27 DE MARÇO DE 2013. Página 1 de 20 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1.

Leia mais

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade PAI ASSOCIACAO SANTAMARENSE DE BENEFICENCIA DO GUARUJA / ASSOCIACAO SANTAMARENSE DE QUINTO BERTOLDI 40 VILA MAIA GUARUJA SP

Leia mais

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO

MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO MANIFESTO DOS TERAPEUTAS OCUPACIONAIS À REDE DE HOSPITAIS PÚBLICOS FEDERAIS DO RIO DE JANEIRO O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão editou a portaria n 292 no dia 4 de julho de 2012 que autoriza

Leia mais

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II

I SEMINÁRIO NACIONAL DO PROGRAMA NACIONAL DE REORIENTAÇÃO DA FORMAÇÃO PROFISIONAL EM SAÚDE PRÓ-SAÚDE II Ministério da Educação Secretaria de Ensino Superior Diretoria de Hospitais Univ ersitários e Residências em Saúde A articulação da Graduação em Saúde, dos Hospitais de Ensino e das Residências em Saúde

Leia mais

HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO

HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO U N I V E R S I D A D E D E B R A S Í L I A (UnB) CENTRO DE SELEÇÃO E DE PROMOÇÃO DE EVENTOS (CESPE) HOSPITAL DOS SERVIDORES DO ESTADO RIO DE JANEIRO Processo Seletivo Simplificado GABARITOS OFICIAIS PRELIMINARES

Leia mais

GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS

GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS O sistema GSUS é uma aplicação WEB para gestão operacional da assistência de saúde executada a nível hospitalar ou ambulatorial, tendo como foco

Leia mais

A CERTIFICAÇÃO DA FILANTROPIA NA PRÁTICA. Porto Alegre, 10 de outubro de 2012.

A CERTIFICAÇÃO DA FILANTROPIA NA PRÁTICA. Porto Alegre, 10 de outubro de 2012. A CERTIFICAÇÃO DA FILANTROPIA NA PRÁTICA Porto Alegre, 10 de outubro de 2012. BREVE HISTÓRICO DA LEGISLAÇÃO Lei nº 8.212, de 24/7/1991 Institui o Conselho Nacional da Seguridade Social (CNSS) e estabelece

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Cleusa Bernardo

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Cleusa Bernardo MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE CERTIFICAÇÃO DE ENTIDADES BENEFICENTES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL EM SAÚDE DCEBAS Cleusa Bernardo Recentes avanços no âmbito da Certificação

Leia mais

Nutrição e dietética:

Nutrição e dietética: O sistema permite o cadastro de vários almoxarifados, e controla os estoques separadamente de cada um, bem como o cadastro de grupos de estocagem, visando o agrupamento dos insumos estocáveis, classificados

Leia mais

Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade. Experiência da Contratualização no Município de Curitiba

Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade. Experiência da Contratualização no Município de Curitiba Atenção de Média e Alta Complexidade Hospitalar: Financiamento, Informação e Qualidade Experiência da Contratualização no Município de Curitiba 9º - AUDHOSP Águas de Lindóia Setembro/2010 Curitiba População:1.818.948

Leia mais

As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos. Erimar Carlos Brehme de Abreu

As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos. Erimar Carlos Brehme de Abreu As novidades da Saúde Suplementar e seus Impactos Assistência Farmacêutica, Qualificação de Prestadores, Ouvidoria, CNS e Pagamento por Pacotes Erimar Carlos Brehme de Abreu Águas de Lindóia 13/09/2012

Leia mais

Treinamento Data Horário Carga Horária Valor

Treinamento Data Horário Carga Horária Valor Treinamento Data Horário Carga Horária Valor SUS AIH Macro fluxo do processo Principais Cadastros Preços Função SUS AIH ο Laudo ο Procedimentos Realizados ο Contas ο Protocolos Inconsistências Relatórios

Leia mais

REAL SOCIEDADE ESPANHOLA DE BENEFICÊNCIA (RSEB) HOSPITAL REGIONAL DE SANTA MARIA/DF (HRSM) GABARITO OFICIAL DEFINITIVO.

REAL SOCIEDADE ESPANHOLA DE BENEFICÊNCIA (RSEB) HOSPITAL REGIONAL DE SANTA MARIA/DF (HRSM) GABARITO OFICIAL DEFINITIVO. EMPREGO 1: ASSISTENTE SOCIAL TIPO A Gabarito D X D A C B A D C A D A A A D Gabarito D B B X C C C D C C D C C C D EMPREGO 2: CIRURGIÃO BUCO-MAXILO-FACIAL TIPO A Gabarito D X D A C B A D C A B A C A D Gabarito

Leia mais

ANEXO I CARGOS, VAGAS, VENCIMENTO INICIAL, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS MÍNIMOS EXIGIDOS, E TAXA DE INSCRIÇÃO. Vencimento Inicial em reais.

ANEXO I CARGOS, VAGAS, VENCIMENTO INICIAL, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS MÍNIMOS EXIGIDOS, E TAXA DE INSCRIÇÃO. Vencimento Inicial em reais. ANEXO I CARGOS, VAGAS, VENCIMENTO INICIAL, CARGA HORÁRIA, REQUISITOS MÍNIMOS EXIGIDOS, E TAXA DE INSCRIÇÃO. Cód. Cargo 1 Ajudante de Carga e Descarga Vagas Vagas Reservadas Deficientes Vencimento Inicial

Leia mais

PLANOS UNIMED CONVÊNIO ASDEP Contato: convênios@asdep.com.br

PLANOS UNIMED CONVÊNIO ASDEP Contato: convênios@asdep.com.br PLANOS UNIMED CONVÊNIO ASDEP Contato: convênios@asdep.com.br 1. PLANO UNIMAX COLETIVOS POR ADESÃO Características: Apresentam abrangência Nacional, com atendimentos e ampla utilização na rede Unimed, contando

Leia mais

TABELA DO PLANO INDIVIDUAL

TABELA DO PLANO INDIVIDUAL TABELA DO PLANO INDIVIDUAL NÃO TEM TABELA FAMILIAR Plano Premium Premium Platinum Platinum Standard Executivo Standard Executivo Acomodação Enfermaria Apartamento Enfermaria Apartamento Abrangencia Regional

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA Nº 44, DE 10 DE JANEIRO DE 2001 DO 9-E, de 12/1/01 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria SAS/MS nº 224, de

Leia mais

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Ambulatorial ALERGIA E IMUNOLOGIA (ALERGOLOGISTA) CARDIOLOGISTA CIRURGIAO EM GERAL Pagina 1 de 8 CIRURGIAO VASCULAR CLINICO

Leia mais

REDE HOSPITALAR DE SANTAS CASAS E FILANTRÓPICOS BRASILEIROS

REDE HOSPITALAR DE SANTAS CASAS E FILANTRÓPICOS BRASILEIROS REDE HOSPITALAR DE SANTAS CASAS E FILANTRÓPICOS BRASILEIROS HOSPITAIS ATENDIMENTOS AMBULATORIAIS SUS 240.430.247 1.753 TOTAL SUS LEITOS 170.869 126.883 (74%) INTERNAÇÕES SUS TOTAL 11.590.793 100% FILANTRÓPICOS

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento

Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento 1 Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Economia da Saúde e Desenvolvimento I Congresso Informação de Custos e Qualidade do Gasto no Setor Público Oficina II Informação de Custo para

Leia mais

Pesquisa da relação entre. médicos, dentistas e fisioterapeutas. com planos de saúde

Pesquisa da relação entre. médicos, dentistas e fisioterapeutas. com planos de saúde Pesquisa da relação entre médicos, dentistas e fisioterapeutas Abril / 2013 Objetivo Conhecer a opinião dos médicos especialistas, cirurgiões-dentistas e fisioterapeutas sobre a relação com os planos ou

Leia mais

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ Origem A preocupação com as questões sociais fez com que o professor e sacerdote italiano D. Luigi Maria Verzé chegasse ao Brasil, em 1974, através do Monte

Leia mais

Prestadores do SUS devem ser contratados;

Prestadores do SUS devem ser contratados; Prestadores do SUS devem ser contratados; Respeitar: Princípios e Diretrizes do SUS : regionalização, pactuação, programação, parâmetros de cobertura assistencial e a universalidade do acesso. Contratualização

Leia mais

Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades:

Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades: Vagas e requisitos Para a Categoria Funcional de Nível Superior, nas seguintes áreas/especialidades: Áreas/Especialidades Vagas Pré-Requisitos Análises Clínicas (Biologia) 01 a) Formação Superior Completa

Leia mais

1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

1 DAS DISPOSIÇÕES GERAIS EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO VOLUNTÁRIO NO HOSPITAL GERAL (HG), NO INSTITUTO DE MEDICINA DO ESPORTE (IME) E NA CLÍNICA DE FISIOTERAPIA (CLIFI) NA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO

Leia mais

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014

PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 PORTARIA Nº 375, DE 10 DE MARÇO DE 2014 Regulamenta a aplicação das emendas parlamentares que adicionarem recursos à Rede SUS no exercício de 2014 para aplicação em obras de ampliação e construção de entidades

Leia mais

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO

CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO CARTA DE SERVIÇOS AO CIDADÃOADÃO Hospital Universitário Dr. Miguel Riet Corrêa Jr. Rua Visconde de Paranaguá, nº 24 Campus Saúde CEP: 96.200-190 Bairro Centro Rio Grande Rio Grande do Sul/RS Brasil Acesso

Leia mais

Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB FGV. Debates. As tendências do Sistema Único de Saúde

Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB FGV. Debates. As tendências do Sistema Único de Saúde Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB Debates FGV As tendências do Sistema Único de Saúde Hospitais sem fins lucrativos Estabelecimentos de saúde que

Leia mais

Gabarito Preliminar 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 E D E A B A B B B E A C A C E C A A A D E C C B E

Gabarito Preliminar 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 E D E A B A B B B E A C A C E C A A A D E C C B E Gabarito Preliminar MATERNIDADE ESCOLA ASSIS CHATEAUBRIAND DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ - MEAC-UFC E HOSPITAL UNIVERSITÁRIO WALTER CANTÍDIO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ - HUWC-UFC CONCURSO PÚBLICO

Leia mais

Modelo GFACH - Anexo 1 Indicadores mais Utilizados na Gestão Hospitalar no Brasil

Modelo GFACH - Anexo 1 Indicadores mais Utilizados na Gestão Hospitalar no Brasil Gestão do Relacionamento Externo Posicionamento no Sistema de Saúde Coeficiente de Mortalidade Nº de Óbitos / Nº de Indivíduos da Amostra * 1.000 Geral (toda a amostra), por idade (ex: infantil), por sexo

Leia mais

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade

Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Plano de Saúde - Santa Casa de Santos Relação de Prestadores por Especialidade Ambulatorial ALERGIA E IMUNOLOGIA (ALERGOLOGISTA) CARDIOLOGISTA CIRURGIAO EM GERAL Pagina 1 de 9 CIRURGIAO VASCULAR CLINICO

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA SAD/FUNSAU n. 1, DE 19 DE SETEMBRO DE 2014.

RESOLUÇÃO CONJUNTA SAD/FUNSAU n. 1, DE 19 DE SETEMBRO DE 2014. RESOLUÇÃO CONJUNTA SAD/FUNSAU n. 1, DE 19 DE SETEMBRO DE 2014. APROVA O PLANO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS E A TABELA DE TEMPORALIDADE DE DOCUMENTOS DAS ATIVIDADES-FIM DA FUNDAÇÃO SERVIÇOS DE SAÚDE DE

Leia mais

Gestão Estratégica da Cadeia de Suprimentos: Modelos e Tendências SANTA CASA DE SÃO PAULO. Dr. Antonio Carlos Forte

Gestão Estratégica da Cadeia de Suprimentos: Modelos e Tendências SANTA CASA DE SÃO PAULO. Dr. Antonio Carlos Forte Gestão Estratégica da Cadeia de Suprimentos: Modelos e Tendências SANTA CASA DE SÃO PAULO Dr. Antonio Carlos Forte SANTA CASA DE SÃO PAULO Complexo hospitalar formado por dez unidades de assistência a

Leia mais

APRESENTAÇÃO DIRETORIA

APRESENTAÇÃO DIRETORIA APRESENTAÇÃO Com mais de 50 anos de dedicação á SAÚDE, o Hospital São Marcos se tornou referência no assunto. Aliamos a vanguarda tecnológica com a tradição do maior e melhor corpo de profissionais do

Leia mais

Registro Eletrônico de Saúde para a Odontologia 9º SINPLO. Painel Tecnológico 09 de maio de 2014

Registro Eletrônico de Saúde para a Odontologia 9º SINPLO. Painel Tecnológico 09 de maio de 2014 Registro Eletrônico de Saúde para a Odontologia 9º SINPLO Painel Tecnológico 09 de maio de 2014 Registro Eletrônico de Saúde 9º SINPLO SP 09/05/2014. 1 Marizélia Leão Moreira Graduada em Ciências Sociais

Leia mais

Audiência Pública no Senado Federal

Audiência Pública no Senado Federal Audiência Pública no Senado Federal Comissão de Educação, Cultura e Esporte Brasília DF, 7 de maio de 2008 1 Audiência Pública Instruir o PLS n o 026 de 2007, que Altera a Lei n o 7.498, de 25 de junho

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL

ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL ATRIBUIÇÕES DA EQUIPE MULTIPROFISSIONAL Das Atribuições dos Profissionais dos Recursos Humanos Atribuições comuns a todos os profissionais que integram a equipe: Conhecer a realidade das famílias pelas

Leia mais

Diário Oficial Imprensa Nacional

Diário Oficial Imprensa Nacional Diário Oficial Imprensa Nacional REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL BRASÍLIA - DF Nº 115 16/06/11 Seção 1 - p.164 CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL RESOLUÇÃO Nº 387, DE 8 DE JUNHO DE 2011

Leia mais

Internação Hospitalar

Internação Hospitalar Internação Hospitalar José Carlos Prado Jr Subsecretario Geral 09 de dezembro de 2014 Plataforma de Liberação de Internação Hospitalar Portaria S/SUBGE n o 002 de 01/dez/2014 Serve para liberação de numeração

Leia mais

EDITAL HRTN 01/2013, de 30 de dezembro de 2013 CONCURSO PÚBLICO 01/2013 ERRATA

EDITAL HRTN 01/2013, de 30 de dezembro de 2013 CONCURSO PÚBLICO 01/2013 ERRATA EDITAL HRTN 01/2013, de 30 de dezembro de 2013 CONCURSO PÚBLICO 01/2013 ERRATA A Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (FUNDEP) e o Hospital Risoleta Tolentino Neves (HRTN) COMUNICA que foram efetuadas

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo

II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo II Seminário de Hospitais de Ensino do Estado de São Paulo Conhecendo o Grupo 18 COLÉGIOS - PR / SC / RJ / SP/ RS 1 HOSPITAL UNIVERSITÁRIO - HUSF FUNCLAR FUNDAÇÃO CLARA DE ASSIS UNIFAG UNIDADE DE PESQUISA

Leia mais

LISTA TELEFÔNICA DO HCE LOCALIZAÇÃO DDD PABX RAMAL RITEX + RAMAL CENTRAL TELEFÔNICA

LISTA TELEFÔNICA DO HCE LOCALIZAÇÃO DDD PABX RAMAL RITEX + RAMAL CENTRAL TELEFÔNICA LISTA TELEFÔNICA DO HCE LOCALIZAÇÃO DDD PABX RAMAL RITEX + RAMAL CENTRAL TELEFÔNICA 21 3891 7000 816+Ramal DIREÇÃO Gabinete do Diretor 21 Tel. Direto 3860-6570 Gabinete do Diretor (FAX) 21 Tel. Direto

Leia mais

FUNDAÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS

FUNDAÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS FUNDAÇÃO HOSPITALAR DO ESTADO DE MINAS GERAIS CONCURSO PÚBLICO REGIDO PELO EDITAL FHEMIG Nº. 01/2009, PARA PROVIMENTO DE CARGOS DAS CARREIRAS DE MÉDICO, PROFISSIONAL DE ENFERMAGEM, ANALISTA DE GESTÃO E

Leia mais

DESCRIÇÃO DO PERFIL DOS HOSPITAIS SOB GESTÃO INDIRETA

DESCRIÇÃO DO PERFIL DOS HOSPITAIS SOB GESTÃO INDIRETA DESCRIÇÃO DO PERFIL DOS HOSPITAIS SOB GESTÃO INDIRETA SOB GESTÃO TERCEIRIZADA 1. Hospital Regional Castro Alves Castro Alves-4ª DIRES (S.A. de Jesus) O HRCA está programado para compor a rede assistencial

Leia mais

Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes

Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes Município de Guarulhos População: 1.244.518 habitantes 1 2 EQUIPAMENTOS DE SAÚDE NO MUNICÍPIO Hospitais Municipais: 03 Hospitais Estaduais: 02 Hospitais Filantrópicos: 02 Policlínicas: 06 Unidade de Pronto

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2016/2017

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2016/2017 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2016/2017 1. Analise dos pontos críticos em 2015 2. Estabelecimento de Plano de Ação por área Metas Institucionais 3. Levantamento das necessidades Metas Institucionais definidas:

Leia mais

VIII JORNADA DE EXTENSÃO Mostra de Trabalhos Grupo 1 - Área: Saúde 12/11 08:00 Hall do Centro Educacional

VIII JORNADA DE EXTENSÃO Mostra de Trabalhos Grupo 1 - Área: Saúde 12/11 08:00 Hall do Centro Educacional VIII JORNADA DE EXTENSÃO Mostra de Trabalhos Grupo 1 - Área: Saúde 12/11 08:00 Hall do Centro Educacional Nº CAVALETE TÍTULO 1 25 ANOS DO CURSO DE ENFERMAGEM DA UFTM: TRAJETORIAS 2 A ATENÇÃO A USUÁRIOS

Leia mais

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório

Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Melhorar sua vida, nosso compromisso Redução da Espera: tratar câncer em 60 dias é obrigatório Maio de 2013 Magnitude do Câncer no Brasil 518 mil novos casos em 2013 Câncer de pele não melanoma deve responder

Leia mais

ATENÇÃO: Os cargos estão listados em ordenação alfabética por nível decrescente de escolaridade (superior, médio e fundamental).

ATENÇÃO: Os cargos estão listados em ordenação alfabética por nível decrescente de escolaridade (superior, médio e fundamental). 1 de 9 ATENÇÃO: Os cargos estão listados em ordenação alfabética por nível decrescente de escolaridade (superior, médio e fundamental). CARGO PERFIL PRÉ REQUISITO NÍVEL SUPERIOR Administrador Curso Superior

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA GRANDE RETIFICAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2011/ PMVG/MT, DE 21 DE SETEMBRO DE 2011.

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA GRANDE RETIFICAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 001/2011/ PMVG/MT, DE 21 DE SETEMBRO DE 2011. ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE VÁRZEA GRANDE RETIFICAÇÃO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO Nº 00/0/ PMVG/MT, DE DE SETEMBRO DE 0. A Prefeitura Municipal de Várzea Grande, no uso de suas atribuições

Leia mais

Rua Virgilio de Melo Franco, 465 - Tabajaras

Rua Virgilio de Melo Franco, 465 - Tabajaras Rua Virgilio de Melo Franco, 465 - Tabajaras MODALIDADE DO PLANO LICITADO E COBERTURAS O Plano licitado é o Ambulatorial Hospitalar com Obstetrícia Coletivo Empresarial, com atendimento em Rede Própria

Leia mais

IESUS. Anexo 1. Novas Metodologias para Vigilância Epidemiológica: Uso do SIH/SUS. Informe Epidemiológico do SUS 22

IESUS. Anexo 1. Novas Metodologias para Vigilância Epidemiológica: Uso do SIH/SUS. Informe Epidemiológico do SUS 22 IESUS Novas Metodologias para Vigilância Epidemiológica: Uso do SIH/SUS Anexo 1 Instrumentos do Sistema de Informação Hospitalar Laudo Médico para Emissão de AIH O Laudo Médico é o instrumento para solicitação

Leia mais

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXERAMOBIM GABINETE DO PREFEITO

ESTADO DO CEARÁ PREFEITURA MUNICIPAL DE QUIXERAMOBIM GABINETE DO PREFEITO ADITIVO nº 01 ADITIVO AO EDITAL nº 005/2014 Concurso Público para Provimento de Cargos Efetivos de Nível Superior para a Prefeitura Municipal de Quixeramobim O Prefeito Municipal de Quixeramobim, no uso

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ. ANEXO I DO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO n. o 001/2007-PMC CARREIRAS/CARGOS/ÁREAS DE CONHECIMENTO/REQUISTOS BÁSICOS/VAGAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ. ANEXO I DO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO n. o 001/2007-PMC CARREIRAS/CARGOS/ÁREAS DE CONHECIMENTO/REQUISTOS BÁSICOS/VAGAS PREFEITURA MUNICIPAL DE CUIABÁ ANEXO I DO EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO n. o 001/2007-PMC CARREIRAS/CARGOS/ÁREAS DE CONHECIMENTO/REQUISTOS BÁSICOS/VAGAS Carreira: Regulação e Fiscalização Especialista em

Leia mais

CEBAS da SAÚDE. Atuação do Ministério da Saúde nos procedimentos relativos ao CEBAS. Ministério da Saúde. Cleusa Bernardo

CEBAS da SAÚDE. Atuação do Ministério da Saúde nos procedimentos relativos ao CEBAS. Ministério da Saúde. Cleusa Bernardo CEBAS da SAÚDE Atuação do Ministério da Saúde nos procedimentos relativos ao CEBAS Cleusa Bernardo Ministério da Saúde ENTIDADES BENEFICENTES NO ÂMBITO DO SUS 5.5 mil estabelecimentos de saúde Mais de

Leia mais

Modelos de Gestão e Remuneração: Os artistas em cena

Modelos de Gestão e Remuneração: Os artistas em cena 24º - CONGRESSO DE PRESIDENTES, PROVEDORES, DIRETORES E ADMINISTRADORES HOSPITALARES DE SANTAS CASAS E HOSPITAIS BENEFICENTES DO ESTADO DE SÃO PAULO Modelos de Gestão e Remuneração: Os artistas em cena

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014 28/02/2014 HOSPITAL ESTADUAL ALBERTO TORRES V. Relatório referente a execução do Contrato de Gestão 31/2012 sobre as ações executadas sobre o apoio ao gerenciamento e

Leia mais

REGULAÇÃO EM SAÚDE NO SUS. Marília Louvison 2011 mariliacpl@gmail.com

REGULAÇÃO EM SAÚDE NO SUS. Marília Louvison 2011 mariliacpl@gmail.com REGULAÇÃO EM SAÚDE NO SUS Marília Louvison 2011 mariliacpl@gmail.com Regulação em saúde Macro função da gestão Pacto de gestão: Regionalização Colegiado de Gestão Regional Blocos de Financiamento Planejamento

Leia mais

Os horários poderão sofrer alteração para atender à necessidade e o interesse do serviço público.

Os horários poderão sofrer alteração para atender à necessidade e o interesse do serviço público. Os horários poderão sofrer alteração para atender à necessidade e o interesse do serviço público. Os servidores que trabalham na área de assistência e área médica, no regime de escala poderão ter suas

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE SANTO ANDRÉ

INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DE SANTO ANDRÉ ANEXO I EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N 008/2014 PARA CREDENCIAMENTO DE HOSPITAIS E CLÍNICAS HABILITADOS PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ALTA COMPLEXIDADE, ASSIM COMPREENDIDOS OS CENTROS DE INFUSÃO DE IMUNOBIOLÓGICOS;

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO DA USP À SAÚDE PÚBLICA DE RIBEIRÃO PRETO

CONTRIBUIÇÃO DA USP À SAÚDE PÚBLICA DE RIBEIRÃO PRETO CONTRIBUIÇÃO DA USP À SAÚDE PÚBLICA DE RIBEIRÃO PRETO Benedito Carlos Maciel Diretor Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Missão FMRP USP Oferecer educação superior de excelência,

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011

RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 RESOLUÇÃO Nº 555 DE 30 DE NOVEMBRO DE 2011 Ementa: Regulamenta o registro, a guarda e o manuseio de informações resultantes da prática da assistência farmacêutica nos serviços de saúde. O Conselho Federal

Leia mais

EDITAL 01 NÍVEL SUPERIOR

EDITAL 01 NÍVEL SUPERIOR EDITAL NÍVEL SUPERIOR Quantidade de empregos por ocupação Concurso 25 Fundasus Emprego Público de Nível Superior Médico 100h 200h Médico Acupuntura 02 - em Saúde Anestesiologia 02 - Angiologia 03 - Antroposofia

Leia mais

2 LOCAIS/ ÁREA/ VAGAS/ PERÍODO/ REQUISITOS/ ATIVIDADES

2 LOCAIS/ ÁREA/ VAGAS/ PERÍODO/ REQUISITOS/ ATIVIDADES EDITAL DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇO VOLUNTÁRIO NO ÂMBITO DA UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL, NOS SEGUINTES LOCAIS: HOSPITAL GERAL (HG), AMBULATÓRIO CENTRAL (AMCE), INSTITUTO DE MEDICINA

Leia mais

CEBAS. Documentos Formais para Prestação de Contas. Brunno Carrijo Ministério da Saúde

CEBAS. Documentos Formais para Prestação de Contas. Brunno Carrijo Ministério da Saúde CEBAS Documentos Formais para Prestação de Contas Brunno Carrijo Ministério da Saúde Lei de 12.101/09 Declaração, fornecida pelo gestor do SUS, de redução do período mínimo de cumprimento dos requisitos

Leia mais

GRÁFICO 136. Gasto anual total com transplante (R$)

GRÁFICO 136. Gasto anual total com transplante (R$) GRÁFICO 136 Gasto anual total com transplante (R$) 451 3.5.2.13 Freqüência de transplantes por procedimentos Pela tabela da freqüência anual de transplantes por procedimentos, estes cresceram cerca de

Leia mais

ANEXO I - QUADRO DE CARGOS

ANEXO I - QUADRO DE CARGOS COD NÍVEL ELEMENTAR CARGO CARGA HORÁRIA SEMANAL ANEXO I - QUADRO DE CARGOS VAGAS ÓRGÃO REQUISITO SALÁRIO BASE INICIAL E0 Auxiliar de Serviços Gerais Perfil Serviço de Copa e DAE Fundamental Incompleto

Leia mais

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP

Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP Comitê Gestor do Programa de Divulgação da Qualificação dos Prestadores de Serviço na Saúde Suplementar COGEP 6 ªReunião do GT de Indicadores Hospitalares 30/10/2012 GERPS/GGISE/DIDES/ANS Agenda Informes:

Leia mais

Usando dados do mundo real para sustentabilidade econômica do SUS

Usando dados do mundo real para sustentabilidade econômica do SUS Usando dados do mundo real para sustentabilidade econômica do SUS PAULO VAZ - DIRETOR GERAL NEWBD Conflito de interesse: Diretor Geral da NewBD, empresa especializada na produção de estudos com uso de

Leia mais

Instituto Couto Maia

Instituto Couto Maia Instituto Couto Maia Hospital Couto Maia 1853: ato de criação do Hospital de Isolamento de Monte Serrat Objetivo: assistir pacientes com febre amarela desembarcados de navios mercantes Construção de 160

Leia mais

Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social na área da Saúde CEBAS - Saúde

Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social na área da Saúde CEBAS - Saúde Certificação de Entidades Beneficentes de Assistência Social na área da Saúde CEBAS - Saúde JUNHO 2011 Lei Federal nº 12.101, de 27 de novembro de 2009, publicada em 30 de novembro de 2009, estabeleceu

Leia mais

ANEXO I INFORMAÇÕES SOBRE A UNIDADE DE SAÚDE

ANEXO I INFORMAÇÕES SOBRE A UNIDADE DE SAÚDE Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças ANEXO I INFORMAÇÕES SOBRE A UNIDADE DE SAÚDE 1. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE Nome: HOSPITAL DE DOENÇAS TROPICAIS DR. ANUAR AUAD HDT CNES: 2506661 Endereço:

Leia mais

RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014

RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014 RETIFICAÇÃO SERVIÇO SOCIAL AUTÔNOMO HOSPITAL METROPOLITANO DOUTOR CÉLIO DE CASTRO EDITAL Nº 08/2014 O Secretário Municipal Adjunto de Recursos Humanos, no uso de suas atribuições legais, comunica as alterações

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial

Rede de Atenção Psicossocial NOTA TÉCNICA 62 2011 Rede de Atenção Psicossocial Altera a portaria GM nº 1.169 de 07 de julho de 2005 que destina incentivo financeiro para municípios que desenvolvem Projetos de Inclusão Social pelo

Leia mais

Ministério da Saúde. Comunicação de Informação Hospitalar e Ambulatorial CIHA

Ministério da Saúde. Comunicação de Informação Hospitalar e Ambulatorial CIHA Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas Coordenação Geral de Sistemas de Informação CGSI/ Comunicação de Informação Hospitalar e Ambulatorial

Leia mais

Manual Brasileiro NR: MA 3 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000

Manual Brasileiro NR: MA 3 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000 Manual Brasileiro NR: MA 3 Pág: 1/1 de Acreditação - ONA Data de Emissão: 10/01/2000 ATENÇÃO AO PACIENTE/CLIENTE Esta seção agrupa todos os componentes, atividades e serviços que se relacionam aos processos

Leia mais

PLANO INDIVIDUAL OU FAMILIAR UNIMED. Cuidamos de quem é importante para você

PLANO INDIVIDUAL OU FAMILIAR UNIMED. Cuidamos de quem é importante para você PLANO INDIVIDUAL OU FAMILIAR UNIMED Cuidamos de quem é importante para você plano individual ou familiar Unimed Atenção, respeito e e ciência são pré-requisitos indispensáveis quando se pensa em uma operadora

Leia mais

Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia PREZADO ASSOCIADO

Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia PREZADO ASSOCIADO Tabela Comercial UNIFAMÍLIA EMPRESARIAL POR ADESÃO COPARTICIPATIVO 50% Módulo Ambulatorial+Hospitalar +Obstetrícia Cobertura de consultas médicas de pré-natal, exames complementares bem como atendimentos

Leia mais

ANEXO I - EMPREGOS, PRÉ-REQUISITOS, VAGAS, CARGA HORÁRIA, SALÁRIOS E DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES. ENSINO SUPERIOR - ESPECIALISTA EM SAÚDE: MÉDICO

ANEXO I - EMPREGOS, PRÉ-REQUISITOS, VAGAS, CARGA HORÁRIA, SALÁRIOS E DESCRIÇÃO SUMÁRIA DAS ATIVIDADES. ENSINO SUPERIOR - ESPECIALISTA EM SAÚDE: MÉDICO FUNDAÇÃO DE APOIO AO HOSPITAL DAS CLÍNICAS EDITAL Nº 01/2012 PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOAL DA FUNDAÇÃO DE APOIO AO HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFG (FUNDAHC) ANEXO I - EMPREGOS, PRÉ-REQUISITOS,

Leia mais

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015

S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 S.R. DA SAÚDE Portaria n.º 58/2015 de 6 de Maio de 2015 A redução de listas de espera cirúrgicas, de consultas e de meios complementares de diagnóstico e terapêutica para tempos de espera clinicamente

Leia mais

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII Rua Rio Branco, 216, Centro, CEP 650-490, São Luís /MA - Fone: (98) 3878.21 Credenciado pela Portaria Ministerial nº 1764/06, D.O.U. 211 de 03.11.06, Seção 01, Folha14 ENFERMAGEM DO TRABALHO - TURMA VII

Leia mais

OSMAR DE LIMA MAGALHÃES Secretário do Governo Municipal

OSMAR DE LIMA MAGALHÃES Secretário do Governo Municipal PREFEITURA DE GOIÂNIA 1 GABINETE DO PREFEITO DECRETO Nº 1663, DE 02 DE JULHO DE 2012. Aprova o detalhamento das funções/especialidades dos cargos do Quadro Permanente da Função Saúde da Administração Pública

Leia mais

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde

EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA. Escola Superior de Ciências da Saúde EDITAL nº 103/2009 - ANEXO I CONCURSO PÚBLICO PARA O MAGISTÉRIO SUPERIOR DA UEA Escola Superior de Ciências da Saúde Período de Inscrição: 18 de janeiro de 2010 a 19 de fevereiro de 2010. Local de Inscrição:

Leia mais

INTRODUÇÃO (WHO, 2007)

INTRODUÇÃO (WHO, 2007) INTRODUÇÃO No Brasil e no mundo estamos vivenciando transições demográfica e epidemiológica, com o crescente aumento da população idosa, resultando na elevação de morbidade e mortalidade por doenças crônicas.

Leia mais

SERVMED SAÚDE MANUAL DE PREENCHIMENTO TISS

SERVMED SAÚDE MANUAL DE PREENCHIMENTO TISS SERVMED SAÚDE MANUAL DE PREENCHIMENTO TISS MAIO/2007 Blumenau-SC, 18 de maio de 2007. À Rede Credenciada Prezados Credenciados: Como é de conhecimento de todos, dia 31 de maio de 2007 é o prazo que a Agência

Leia mais

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS:

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS: 1. CADASTRO Para atuar no Hospital São Luiz, todo médico tem de estar regularmente cadastrado. No momento da efetivação, o médico deve ser apresentado por um membro do corpo clínico, munido da seguinte

Leia mais

Componente Municipal de Auditoria. Experiência de Porto Alegre

Componente Municipal de Auditoria. Experiência de Porto Alegre Prefeitura de Porto Alegre Secretaria Municipal de Saúde Componente Municipal de Auditoria Experiência de Porto Alegre Setembro 2013 Histórico da Nossa Equipe 1995 Regulamenta o SNA 1998 Porto Alegre em

Leia mais

RelatóRio de execução

RelatóRio de execução RelatóRio de execução JANEIRO/2015 CONSIDERAÇÕES INICIAIS Início de um novo ano seguindo as diretrizes de qualidade e excelência técnica preconizadas pelo Instituto D or de Gestão de Saúde Pública. O Contrato

Leia mais

Nomenclatura dos Produtos

Nomenclatura dos Produtos Nomenclatura dos Produtos Características Cobertura Global Abrange Consultas Médicas, Serviços Auxiliares de Diagnose e Terapia, Atendimentos Ambulatoriais, Internações Hospitalares e Parto. Cobertura

Leia mais

Revisão do Rol de Procedimentos ampliação da cobertura mínima obrigatória pelos planos

Revisão do Rol de Procedimentos ampliação da cobertura mínima obrigatória pelos planos Revisão do Rol de Procedimentos ampliação da cobertura mínima obrigatória pelos planos 1 Atualização do Rol A cada dois anos, lista de procedimentos de oferta obrigatória pelos planos é ampliada. Inclusão

Leia mais

EDITAL CONCURSO UNCISAL Nº 004/2014, de 20 de outubro 2014.

EDITAL CONCURSO UNCISAL Nº 004/2014, de 20 de outubro 2014. EDITAL CONCURSO Nº 004/2014, de 20 de outubro 2014. Retificado em 29/10/2014, com aviso publicado no Diário Oficial do Estado de Alagoas em 29/10/2014 Retificado em 07/11/2014, com aviso publicado no Diário

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 167, DE 9 DE JANEIRO DE 2008.

RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 167, DE 9 DE JANEIRO DE 2008. RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 167, DE 9 DE JANEIRO DE 2008. Atualiza o Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde, que constitui a referência básica para cobertura assistencial nos planos privados de assistência

Leia mais

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013.

PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM. Santa Maria, 06 de Junho de 2013. PROPOSTA DE PLANO DE SAÚDE ASSUFSM Santa Maria, 06 de Junho de 2013. INTRODUÇÃO Trata-se de uma proposta de Plano de Saúde no sistema de pré-pagamento para atender os associados da ASSUFSM de Santa Maria/RS,

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais