Agrobiotecnologia: ponto de vista técnico-científico

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agrobiotecnologia: ponto de vista técnico-científico"

Transcrição

1 Agrobiotecnologia: ponto de vista técnicocientífico Como se produz uma planta transgénica? Sofia Duque Introdução ao DNA: DNA DNA- Ácido desoxirribonucleico ( deoxyribonucleic acid ) Esta molécula armazena a informação genética do organismo e regula o processo metabólico da vida. Encontra-se em todas as células dos organismos vivos e em alguns vírus (vírus de DNA). Cromossoma Estruturas constituídas por DNA e que permitem a transmissão da informação genética. Cada espécie possui um numero característico de cromossomas (ex: 46 nas células humanas não reprodutoras). 1

2 Genes Um gene é uma unidade hereditária constituída por uma sequencia de DNA e que ocupa uma posição especifica num cromossoma. Um gene contem a informação necessária para a construção de uma proteína especifica. É responsável por uma característica geneticamente determinada (ex: resistência a um herbicida, resistência a vírus). Informação genética A informação genética está contida na sequencia de quatro moléculas (bases azotadas) que são: adenina (A), citosina (C), guanina (G) e timina (T). Estas unidades encontram-se ligadas a um açúcar C5 (desoxirribose) e a um ácido fosfórico, criando uma estrutura denominada nucleótido. RNA RNA- Ácido ribonucleico ( ribonucleic acid ) Esta molécula copia a informação que recebe do DNA e traduz essa informação de modo a que sejam produzidas as proteínas necessárias a vida. Transcrição Tradução DNA mrna Proteína Característica Tradução da informação genética A informação genética contida no DNA é copiada para o RNA, por emparelhamento das bases azotadas (C::G) e (A::U). Nota: No RNA a base timina (T) é substituída pelo uracilo (U). No RNA, estas unidades encontram-se ligadas a um açúcar (ribose) e a um acido fosfórico. O RNA e usualmente uma molécula linear. 2

3 Proteínas Proteínas são longos polímeros de aminoácidos ligados por ligações peptídicas. Existem 20 aminoácidos diferentes e é a ordem e tipo de aa ligados que caracterizam uma proteína. Os genes codificam para diferentes proteínas, estas podem funcionar como enzimas (catalizadores de reacções químicas), como unidades estruturais ou de armazenamento na célula. O código genético O código genético; que é estabelecido pela ligação sequencial das quatro moléculas anteriormente referidas: adenina (A), citosina (C), guanina (G) e timina (T); é posteriormente transcrito para o RNAm (sob a forma de U, G, C e A) e traduzido para ligar aminoácidos com vista a formar proteínas. Agrobiotecnologia: ponto de vista tecnico-cientifico O que é um OGM? OGMs Organismos geneticamente modificados são organismos que são manipulados por engenharia genética (EG). A EG ou tecnologia do DNA recombinante é o processo de transferência de genes individuais, seleccionados, de um organismo para outro, com o objectivo de reproduzir características da espécie original. Quais as vantagens? Saúde: Produtos mais baratos e mais seguros; fonte mais barata de vacinas; aumento do valor nutricional em alimentos. Agricultura: Resistência a pestes e doenças; tolerância a factores ambientais; resistência a herbicidas; aumento de produtividade; maior tempo de armazenamento; alteração da cor e do sabor. Biotecnologia 3

4 Exemplos: Produção de fármacos Primeiro fármaco (insulina) produzido por engenharia genética (EG) consistiu na clonagem de DNA humano em bactérias. (Inicialmente a insulina comercial era derivada de suínos). Alguns agentes biofarmacêuticos produzidos por EG e aprovados para comercialização. Nome comercial Substancia Finalidade Laboratorio Humulin Insulina Tratamento da diabetes (Dezembro, 1990). Lilly Farma humana Activase alteplase Tratamento enfarte do miocárdio (Novembro, 1987) Genentech, Inc. recombinante e embolismo pulmonar agudo (Junho, 1990). Adagen adenosina Tratamento de bebés e crianças com Enzon, Inc. diaminase imunodeficiência severa (Março, 1990). Engerix-B - Vacina recombinante contra hepatite B (Setembro, 1989). Humatrope somatropina Tratamento da deficiência na hormona de crescimento em crianças (Março, 1987). SmithKline Beecham Eli Lilly & Co. Plantas geneticamente modificadas Plantas geneticamente modificadas foram patenteadas em No entanto, só na década seguinte foram comercializadas as primeiras plantas transgénicas (tomate FlavrSavr, Calgene). Fonte:USDA Outros exemplos: Cultivares Bt resistentes a insectos "Bt" de Bacillus thuringiensis. Uma bactéria do solo cujos esporos contem uma proteína cristalina (CRY). No sistema digestivo do insecto esta proteína degrada-se e liberta uma toxina, denominada delta-endotoxina. Esta toxina paralisa o sistema digestivo provocando a morte do insecto. 4

5 O que são cultivares Bt? Cultivares em que foi inserido, no próprio DNA da planta, uma versão modificada do gene Cry da bactéria. A planta passa a produzir a toxina e quando o insecto se alimenta da planta, ingere a toxina e morre em poucos dias. Fonte:CIB Fonte:USDA Broca do milho (esquerda) e do algodão (direita), são duas pestes controladas pelo milho e algodão Bt, respectivamente. A utilização de variedades Bt reduziu drasticamente o uso de pesticidas químicos. Milho Bt (esquerda) e convencional (direita) Fonte:CIB Campo de milho Bt (Odemira, Portugal)-Out 05 Como se produz uma planta transgénica? Engenharia Genética ou Tecnologia do DNA recombinante Inserção estável, no genoma de uma planta, de uma sequência codificante e expressável. Essa sequência tem que ser transferida e expressa na descendência. 1) Seleccionar genes responsáveis por características de interesse: É o processo mais limitativo desta tecnologia. Consiste no isolamento e caracterização de sequencias de DNA responsáveis por características agronomicamente relevantes. Conhecer os genes responsáveis pelo aumento da produtividade, melhoria na tolerância os stress, alteração de propriedades químicas, ou outros, que possam afectar as características das plantas. Identificar um gene responsável por uma característica não e normalmente suficiente; é necessário conhecer os mecanismos reguladores, que outros efeitos poderá ter na planta e como interactua com outros genes. 5

6 Que características se podem introduzir nas plantas com recurso à Engenharia Genética? Resistência a insectos, nematodes, fungos, bactérias e vírus. Resistência ao frio, à seca, à salinidade, a determinado herbicida e a determinado metal pesado. Alteração do conteúdo nutricional em aminoácidos, vitaminas, antioxidantes, fibras, ácidos gordos, hidratos de carbono, micronutrientes. Alteração da cor, do sabor, da fragrância, e da textura 2) Clonagem de genes seleccionados Após selecção de um gene de interesse é necessário uma série de modificações antes da efectiva inserção na planta. Isolar e clonar as sequências do DNA Escolher um promotor Possibilidade de alterar o gene clonado (ex: no gene Bt, nucleótidos A-T foram substituídos por G-C, aumentando a produção da proteína em plantas) Incluir uma sequência terminadora Adicionar um gene marcador ou de selecção Acção da enzima de restrição EcoRI Gene de selecção promotor transgene ter 6

7 3) Métodos de transferência Transformação mediada pelo Agrobacterium As primeiras tentativas de transferência de genes para plantas consistiram na utilização do Agrobacterium tumefaciens utilizando o sistema natural de transferência de DNA que na natureza produz a doença conhecida por crown gall Agrobacterium tumefaciens É uma bactéria do solo (Gram-), capaz de colonizar geneticamente as plantas devido a presença de um plasmídeo, plasmídeo Ti ( tumor inducing ). Uma região do plasmídeo Ti, T-DNA ( Transferred- DNA ), é transferida e integrada no genoma da planta durante o processo de infecção. Célula de Agrobacterium tumefaciens. Nota: A transformação é feita célula a célula Transformação de uma planta com Agrobacterium tumefaciens. 7

8 Plasmídeo Ti T-DNA region Cytokinin Auxin Opine Left border Right border kbp vir genes ori Opine catabolism Como se constrói um vector para transformação 8

9 1 3 2 Transformação de uma planta com Agrobacterium tumefaciens. 1 - Co-cultura; 2 - Diferenciação em presença de agente selectivo; 3 - interacção entre a bactéria e a célula vegetal. (adaptado de várias publicações) 4) Sistema de selecção dos tecidos transformados Após a inserção do transgene na célula vegetal os tecidos são transferidos para um meio selectivo. Este meio contém um antibiótico ou herbicida, dependendo do gene de selecção que foi introduzido no plasmídeo. Apenas as plantas que expressam o gene de selecção irão sobreviver, assumindo-se que essas plantas também possuem o transgene de interesse. Nos passos subsequentes do processo apenas serão utilizadas plantas que sobreviveram a selecção. Em meio selectivo sobrevivem apenas as plantas que integraram o transgene. 9

10 5) Sistema de regeneração A indução e diferenciação de embriões somáticos em Medicago truncatula Transformação da M. truncatula Ferimento dos explantes com lâmina infectada numa suspensão de Agrobacterium Meio de indução de embriões (com fitoreguladores : 2,4 D e Zeatina) 5 dias co-cultura, escuras Selecção tecidos transgénicos em 100mg/l Canamicina Eliminação do Agrobacterium em 500 mg/l Carbenicilina Diferenciação e maturação dos embriões somáticos (meio sem fitoreguladores) 10

11 Agrobiotecnologia: ponto de vista tecnico-cientifico Aclimatação e transferência para a estufa das plantas in vitro. Resultados Um processo relativamente moroso explants 64 embriões somáticos 33 potenciais linhas transgénicas 75 Can R agregados embriogénicos 40 linhas Can R enraizaram em 50 mg/l Can Transferidas para a estufa para obter sementes 1-2 meses 2-3 meses 3-5 meses 9-10 meses 11

12 Agrobiotecnologia: ponto de vista tecnico-cientifico 6) Análise dos Transformantes Diferentes passos numa reacção de PCR PCR ( Polymerase Chain Reaction ) Extracção DNA Amplificação exponencial dum gene por PCR Usando primers específicos para o transgene 1.5 Kbp Transformantes WT C+ Verificação do produto de PCR em gel 12

13 6) Análise dos Transformantes Análise da descendência (segregação de sementes) Plantas Semente Kan 400 mg/l Semente Can R T 1 Plantas T 2 Homozigóticas Plantas T o Plantas T 1 (Plantas auto-polinizadas) No entanto, não basta analisar as plantas transgénicas por métodos de Biologia Molecular É preciso verificar se a expressão destes genes resulta numa alteração fenotípica de valor acrescentado Ensaios de campo! 13

14 7) Avaliação e Melhoramento Processo de avaliação exaustivo: Actividade do gene introduzido. Estabilidade do gene introduzido (transmissão e expressão na descendência). Inexistência de efeitos indesejáveis no crescimento, qualidade e produtividade. Mesmo que uma planta passe nestes ensaios, provavelmente não será utilizada directamente na agricultura, mas será cruzada com variedades agronomicamente relevantes. (Apenas algumas variedade podem ser eficientemente transformadas e essas não são por vezes as de maior interesse comercial!) O próximo passo no processo são os ensaios em estufas e no campo com vista a testar o efeito do transgene e a performance geral. Nesta fase também se inclui a avaliação do impacto ambiental e segurança alimentar. 14

15 Fontes: Agbios AgBiotechNet Agroecology/ Sustainable Agriculture Program Biotechnology & GMOs Centro de Informação de Biotecnologia - CIB Library of Crop Technology Lesson Modules Transgenic Crops: An Introduction and Resource Guide 15

OGMs no Contexto da Agro-biotecnologia - Breve explicação científica / prática - Pedro Fevereiro psalema@itbq.unl.pt

OGMs no Contexto da Agro-biotecnologia - Breve explicação científica / prática - Pedro Fevereiro psalema@itbq.unl.pt OGMs no Contexto da Agro-biotecnologia - Breve explicação científica / prática - Pedro Fevereiro psalema@itbq.unl.pt www.cibpt.org Seminário Biotecnologia Uma Inovação na Agricultura Portuguesa Feira Nacional

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos

VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos Rio de Janeiro, 21-25 setembro de 2009 Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ Construções Mais Comuns

Leia mais

DO GENE À PROTEÍNA ALGUNS CONCEITOS BASICOS COMO SE ORGANIZAM OS NUCLEÓTIDOS PARA FORMAR O DNA?

DO GENE À PROTEÍNA ALGUNS CONCEITOS BASICOS COMO SE ORGANIZAM OS NUCLEÓTIDOS PARA FORMAR O DNA? DO GENE À PROTEÍNA O processo de formação das proteínas no ser humano pode ser difícil de compreender e inclui palavras e conceitos que possivelmente nos são desconhecidos. Assim, vamos tentar explicar

Leia mais

As bactérias operárias

As bactérias operárias A U A UL LA As bactérias operárias Na Aula 47 você viu a importância da insulina no nosso corpo e, na Aula 48, aprendeu como as células de nosso organismo produzem insulina e outras proteínas. As pessoas

Leia mais

Hoje estudaremos a bioquímica dos ácidos nucléicos. Acompanhe!

Hoje estudaremos a bioquímica dos ácidos nucléicos. Acompanhe! Aula: 2 Temática: Ácidos Nucléicos Hoje estudaremos a bioquímica dos ácidos nucléicos. Acompanhe! Introdução: Os ácidos nucléicos são as moléculas com a função de armazenamento e expressão da informação

Leia mais

Genética Molecular. Fundamentos Aplicações científicas Biotecnologia

Genética Molecular. Fundamentos Aplicações científicas Biotecnologia Genética Molecular Fundamentos Aplicações científicas Biotecnologia Genética Molecular DNA RNA Proteínas Universo Celular Ciclo celular Ciclo Celular: Mitose Célula animal Núcleo Celular: Cromossomas Cromossoma:

Leia mais

CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS

CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS CULTURA DE TECIDOS VEGETAIS Transformação Genética Vegetal Prof. Fernando Domingo Zinger INTRODUÇÃO A transformação genética é a transferência (introdução) de um ou vários genes em um organismo sem que

Leia mais

TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE E TRANSGÊNICOS

TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE E TRANSGÊNICOS TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE E TRANSGÊNICOS As décadas de 1970 e de 1980 marcaram as grandes transformações por que passaria a biologia com as descobertas da organização do funcionamento e da variação

Leia mais

Transformação genética e suas aplicações em pesquisa e biotecnologia

Transformação genética e suas aplicações em pesquisa e biotecnologia GaTE Lab Genomics and Transposable Elements Transformação genética e suas aplicações em pesquisa e biotecnologia Profa. Dra. Magdalena Rossi Que é um organismo geneticamente modificado (OGM)? São aqueles

Leia mais

GENÉTICA VII APLICAÇÕES DO CONHECIMENTO GENÉTICO

GENÉTICA VII APLICAÇÕES DO CONHECIMENTO GENÉTICO GENÉTICA VII APLICAÇÕES DO CONHECIMENTO GENÉTICO Prof. Jose Amaral/2012/2013 Metabolismo de controle O metabolismo é controlado pelos ácidos nucléicos, compostos que coordenam uma série de reações em que

Leia mais

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ==============================================================================================

BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== PROFESSOR: Leonardo Mariscal BANCO DE QUESTÕES - BIOLOGIA - 1ª SÉRIE - ENSINO MÉDIO ============================================================================================== Ácidos Nucleicos 01- Os

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com O NÚCLEO E A SÍNTESE PROTEÍCA O núcleo celular, descoberto em 1833 pelo pesquisador escocês Robert Brown, é uma estrutura

Leia mais

Capítulo 3 Clonagem de plantas proliferação de meristemas e organogénese... 75 3.1. Introdução... 75 3.2. Tipos de meristemas... 76 3.2.1.

Capítulo 3 Clonagem de plantas proliferação de meristemas e organogénese... 75 3.1. Introdução... 75 3.2. Tipos de meristemas... 76 3.2.1. Sumário 7 Apresentação... 13 Lista de abreviaturas... 16 Capítulo 1 Introdução Geral... 19 1.1. O problema da alimentação à escala planetária... 19 1.2. O conceito de Biotecnologia... 27 1.3. A utilização

Leia mais

PLANTAS TRANSGÊNICAS

PLANTAS TRANSGÊNICAS Plantas Transgênicas 15 PLANTAS TRANSGÊNICAS 5.2 A transformação genética é a transferência (introdução) de um ou vários genes em um organismo sem que haja a fecundação ou o cruzamento. Os organismos transformados

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA INFORMAÇÃO NAS MOLÉCULAS DE DNA E RNA

COMUNICAÇÃO DA INFORMAÇÃO NAS MOLÉCULAS DE DNA E RNA COMUNICAÇÃO DA INFORMAÇÃO NAS MOLÉCULAS DE DNA E RNA Andréia Cristina Hypólito José 11075810 Fernando Caldas Oliveira 11085410 Giovana Zaninelli 11017210 Renato Fernandes Sartori 11061110 Rodrigo de Mello

Leia mais

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são

O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são Atividade extra Fascículo 2 Biologia Unidade 4 Questão 1 O DNA é formado por pedaços capazes de serem convertidos em algumas características. Esses pedaços são chamados de genes. Assinale abaixo quais

Leia mais

A transgenia não é a única estratégia para a transformação genética de plantas

A transgenia não é a única estratégia para a transformação genética de plantas A transgenia não é a única estratégia para a transformação genética de plantas MARIA HELENA BODANESE ZANETTINI - DEPARTAMENTO DE GENÉTICA, INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, UFRGS maria.zanettini@ufrgs.br A base

Leia mais

DNA r ecomb m i b n i a n nt n e

DNA r ecomb m i b n i a n nt n e Tecnologia do DNA recombinante DNA recombinante molécula de DNA contendo sequências derivadas de mais de uma fonte. As primeiras moléculas de DNA recombinante 1972 Paul Berg : vírus SV40 + plasmídeo 1973:

Leia mais

Os primeiros indícios de que o DNA era o material hereditário surgiram de experiências realizadas com bactérias, sendo estas indicações estendidas

Os primeiros indícios de que o DNA era o material hereditário surgiram de experiências realizadas com bactérias, sendo estas indicações estendidas GENERALIDADES Todo ser vivo consiste de células, nas quais está situado o material hereditário. O número de células de um organismo pode variar de uma a muitos milhões. Estas células podem apresentar-se

Leia mais

Plantas Transgênicas

Plantas Transgênicas Plantas Transgênicas Organismo geneticamente modificado (OGM): Transgênico Organismo que recebeu um ou mais genes de outro organismo e passa a expressar uma nova característica de especial interesse. DNA

Leia mais

Princípios moleculares dos processos fisiológicos

Princípios moleculares dos processos fisiológicos 2012-04-30 UNIVERSIDADE AGOSTINHO NETO FACULDADE DE CIÊNCIAS DEI-BIOLOGIA ---------------------------------------------- Aula 5: Princípios moleculares dos processos fisiológicos (Fisiologia Vegetal, Ano

Leia mais

Seleção Artificial. "A seleção feita pelo homem visa apenas seu próprio bem; a da natureza visa, de forma exclusiva, o bem do indivíduo modificado".

Seleção Artificial. A seleção feita pelo homem visa apenas seu próprio bem; a da natureza visa, de forma exclusiva, o bem do indivíduo modificado. Biotecnologia Seleção Artificial Processo conduzido pelo ser humano de cruzamentos seletivos com o objetivo de selecionar características desejáveis em animais, plantas e outros seres vivos. "A seleção

Leia mais

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (2004) 20 QUESTÕES ACERCA DE PRODUTOS ALIMENTARES GENETICAMENTE MODIFICADOS (GM)

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (2004) 20 QUESTÕES ACERCA DE PRODUTOS ALIMENTARES GENETICAMENTE MODIFICADOS (GM) ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (2004) 20 QUESTÕES ACERCA DE PRODUTOS ALIMENTARES GENETICAMENTE MODIFICADOS (GM) Estas perguntas e respostas foram preparadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em resposta

Leia mais

Equipe de Biologia. Biologia

Equipe de Biologia. Biologia Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 5B Ensino Médio Equipe de Biologia Data: Biologia Ácidos nucléicos Os ácidos nucléicos são moléculas gigantes (macromoléculas), formadas por unidades monoméricas menores

Leia mais

Núcleo Celular. Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause

Núcleo Celular. Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause Núcleo Celular Biomedicina primeiro semestre de 2012 Profa. Luciana Fontanari Krause Núcleo Celular Eucarioto: núcleo delimitado por membrana nuclear (carioteca) Portador dos fatores hereditários e controlador

Leia mais

BIOLOGIA MOLECULAR. Ácidos Nucléicos e Síntese de Proteínas

BIOLOGIA MOLECULAR. Ácidos Nucléicos e Síntese de Proteínas BIOLOGIA MOLECULAR Ácidos Nucléicos e Síntese de Proteínas Nucleotídeos São moléculas formadas pela união de um açúcar ou pentose, uma base nitrogenada e um grupo fosfato. Os Ácidos Nucléicos (DNA e RNA)

Leia mais

> ESTUDO DO RNA. (C) O ácido nucléico I é DNA e o II, RNA. (D) O ácido nucléico I é RNA e o II, DNA. (E) I é exclusivo dos seres procariontes.

> ESTUDO DO RNA. (C) O ácido nucléico I é DNA e o II, RNA. (D) O ácido nucléico I é RNA e o II, DNA. (E) I é exclusivo dos seres procariontes. Biologia > Citologia > Sintese Protéica > Alunos Prof. Zell (biologia) (C) O ácido nucléico I é DNA e o II, RNA. (D) O ácido nucléico I é RNA e o II, DNA. (E) I é exclusivo dos seres procariontes. > ESTUDO

Leia mais

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. Sgrillo.ita@ftc.br

Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo. Sgrillo.ita@ftc.br Dra. Kátia R. P. de Araújo Sgrillo Sgrillo.ita@ftc.br São macromoléculas gigantescas, com massa molecular maior que 100 milhões. Os ácidos nucléicos foram isolados pela primeira vez a partir do núcleo

Leia mais

MEDICINA VETERINÁRIA. Disciplina: Genética Animal. Prof a.: D rd. Mariana de F. Gardingo Diniz

MEDICINA VETERINÁRIA. Disciplina: Genética Animal. Prof a.: D rd. Mariana de F. Gardingo Diniz MEDICINA VETERINÁRIA Disciplina: Genética Animal Prof a.: D rd. Mariana de F. Gardingo Diniz TRANSCRIÇÃO DNA A transcrição é o processo de formação de uma molécula de RNA a partir de uma molécula molde

Leia mais

Problemas de Engenharia Genética

Problemas de Engenharia Genética Engenharia Genética Secção de Genética e Dinâmica de Populações Departamento de Biologia Vegetal Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Problemas de Engenharia Genética 2. Técnicas de análise

Leia mais

Replicação Quais as funções do DNA?

Replicação Quais as funções do DNA? Replicação Quais as funções do DNA? Aula nº 4 22/Set/08 Prof. Ana Reis Replicação O DNA é a molécula que contém a informação para todas as actividades da célula. Uma vez que as células se dividem, é necessário

Leia mais

Aplicações da Biotecnologia na Agricultura

Aplicações da Biotecnologia na Agricultura Aplicações da Biotecnologia na Agricultura Cultura de Células e Tecidos Anticorpos Monoclonais e Sondas de Ácidos Nucléicos para diagnóstico Engenharia genética de plantas para a introdução de novas características

Leia mais

Estrutura e Função de Ácidos Nucléicos

Estrutura e Função de Ácidos Nucléicos UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO INSTITUTO DE QUÍMICA DEPARTAMENTO DE BIOQUÍMICA QBQ0313 Estrutura e Função de Ácidos Nucléicos Flavia Carla Meotti Os Ácidos Nucléicos Função: armazenamento e transmissão da informação

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 3F

CADERNO DE EXERCÍCIOS 3F Questão CADERNO DE EXERCÍCIOS 3F Ensino Médio Ciências da Natureza II Conteúdo 1. Ligações de hidrogênio interação intermolecular Habilidade da Matriz da EJA/FB H27 2. Ligações de hidrogênio e tensão superficial

Leia mais

DNA A molécula da vida. Prof. Biel Série: 9º ano

DNA A molécula da vida. Prof. Biel Série: 9º ano DNA A molécula da vida Prof. Biel Série: 9º ano DNA FINGER-PRINTING A expressão DNA "Finger-Print" (ou Impressões Genéticas) designa uma técnica de separação de segmentos de DNA que permite a identificação

Leia mais

Estrutura e função dos ácidos nucléicos. Profa. Melissa de Freitas Cordeiro-Silva

Estrutura e função dos ácidos nucléicos. Profa. Melissa de Freitas Cordeiro-Silva Estrutura e função dos ácidos nucléicos Profa. Melissa de Freitas Cordeiro-Silva > Polímeros de nucleotídeos Funções: DNA (ácido desoxirribonucléico) : > Armazenar as informações necessárias para a construção

Leia mais

ISOLAMENTO E MANIPULAÇÃO DE UM GENE

ISOLAMENTO E MANIPULAÇÃO DE UM GENE ISOLAMENTO E MANIPULAÇÃO DE UM GENE ISOLAMENTO E MANIPULAÇÃO DE UM GENE Importância da Engenharia Genética Diversidade biológica X Diversidade gênica Etapas básicas da Clonagem Escolha e amplificação do

Leia mais

PCR technology for screening and quantification of genetically modified organisms (GMOs)

PCR technology for screening and quantification of genetically modified organisms (GMOs) Universidade do Algarve Faculdade de Ciências do Mar e do Ambiente Curso de Licenciatura em Biologia Marinha e Pescas PCR technology for screening and quantification of genetically modified organisms (GMOs)

Leia mais

- Ácido ribonucléico (ARN ou RNA): participa do processo de síntese de proteínas.

- Ácido ribonucléico (ARN ou RNA): participa do processo de síntese de proteínas. 1- TIPOS DE ÁCIDO NUCLÉICO: DNA E RNA Existem dois tipos de ácidos nucléicos: - Ácido desoxirribonucléico (ADN ou DNA): é o principal constituinte dos cromossomos, estrutura na qual encontramos os genes,

Leia mais

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com

Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com Criado e Desenvolvido por: RONNIELLE CABRAL ROLIM Todos os direitos são reservados 2015. www.tioronni.com ÁCIDOS NUCLEICOS ÁCIDOS NUCLÉICOS: são substâncias formadoras de genes, constituídas por um grande

Leia mais

Ficha Informativa nº11 Fundamentos de Engª.Genética

Ficha Informativa nº11 Fundamentos de Engª.Genética FICHA INFORMATIVA Nº11 FUNDAMENTOS DE ENGª.GENÉTICA Ficha Informativa nº11 Fundamentos de Engª.Genética Durante 25 anos, desde 1950 a 1957, a molécula de DNA foi considerada intocável. A partir da década

Leia mais

DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º

DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º DOCUMENTO DE APOIO AO ESTUDO BIOLOGIA E GEOLOGIA 11.º Avisos 1.EstedocumentoapenasservecomoapoioparcialàsaulasdeBiologiaeGeologia11.ºano Unidade5 lecionadas na Escola Secundária Morgado Mateus(Vila Real)

Leia mais

UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO

UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO Biologia 12º ano Cap.2.1. Alterações do Material Genético Mutações UN.2 -PATRIMÓNIO GENÉTICO E ALTERAÇÕES AO MATERIAL GENÉTICO Situação Problemática

Leia mais

Transgênicos - 3º. Colegial Professor Fernando

Transgênicos - 3º. Colegial Professor Fernando Transgênicos - 3º. Colegial Professor Fernando 1. (Ufsm) Bioma é uma região com o mesmo tipo de clima, possui plantas e animais característicos [Planeta Terra: Ecossistemas, 2008]. Mas, como a interferência

Leia mais

BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA. Profa. Maria Paula

BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA. Profa. Maria Paula BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA Profa. Maria Paula FERRAMENTAS Enzimas: de restrição, DNA-ligase, DNA-polimerase, transcriptase Vetores: plasmídeos, vírus 1) PGH O número de genes é muito menor do

Leia mais

BIOLOGIA 12º ANO ANO LECTIVO 2008/2009 NOME DO ALUNO. Teste 5

BIOLOGIA 12º ANO ANO LECTIVO 2008/2009 NOME DO ALUNO. Teste 5 BIOLOGIA 12º ANO ANO LECTIVO 2008/2009 NOME DO ALUNO PROFESSORA: Isabel Dias N.º Classificação: Teste 5 1. Considere os seguintes processos usados para obtenção de organismos. I. Substituir o núcleo de

Leia mais

DNA E SÍNTESE PROTEICA

DNA E SÍNTESE PROTEICA Genética Animal DNA e síntese proteica 1 DNA E SÍNTESE PROTEICA Estrutura do DNA: -Molécula polimérica, cujos monômeros denominam-se nucleotídeos. -Constituição dos nucleotídeos: açúcar pentose (5 -desoxirribose)

Leia mais

O que são os «OGM s»???

O que são os «OGM s»??? O que são os «OGM s»??? Em Portugal, como em toda a União Europeia, apenas está autorizada a libertação deliberada no ambiente para o cultivo do milho geneticamente modificado, ou como vulgarmente é denominado,

Leia mais

Genética Bacteriana. Prof (a) Dra. Luciana Debortoli de Carvalho

Genética Bacteriana. Prof (a) Dra. Luciana Debortoli de Carvalho Universidade Federal de Juiz de Fora Departamento de Microbiologia, Parasitologia e Imunologia Genética Bacteriana Prof (a) Dra. Luciana Debortoli de Carvalho Introdução O DNA existe como uma hélice de

Leia mais

ÁCIDOS NUCLÉICOS E CÓDIGO GENÉTICO. Transmissão das características hereditárias DNA + RNA controle da produção de

ÁCIDOS NUCLÉICOS E CÓDIGO GENÉTICO. Transmissão das características hereditárias DNA + RNA controle da produção de ÁCIDOS NUCLÉICOS E CÓDIGO GENÉTICO Os genes são formados por DNA; Transmissão das características hereditárias DNA + RNA controle da produção de proteínas da célula; 2 1.A estrutura dos ácidos nucléicos

Leia mais

Painéis Do Organismo ao Genoma

Painéis Do Organismo ao Genoma Painéis Do Organismo ao Genoma A série de 5 painéis do organismo ao genoma tem por objetivo mostrar que os organismos vivos são formados por células que funcionam de acordo com instruções contidas no DNA,

Leia mais

Biologia Molecular de Corinebactérias Produtoras de Aminoácidos: Análise do Genoma de Brevibacterium lactofermentum ATCC 13869

Biologia Molecular de Corinebactérias Produtoras de Aminoácidos: Análise do Genoma de Brevibacterium lactofermentum ATCC 13869 Biologia Molecular de Corinebactérias Produtoras de Aminoácidos: Análise do Genoma de Brevibacterium lactofermentum ATCC 13869 António Carlos Matias Correia Dissertação apresentada à Universidade de Aveiro

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE PARASITOLOGIA, MICROBIOLOGIA E IMUNOLOGIA Genética Bacteriana Disciplina: Microbiologia Geral e Aplicada à Enfermagem Professora:Luciana Debortoli de

Leia mais

II AS OLIMPÍADAS DE BIOTECNOLOGIA

II AS OLIMPÍADAS DE BIOTECNOLOGIA II AS OLIMPÍADAS DE BIOTECNOLOGIA Duração da prova: 120 minutos 2007 1ª ELIMINATÓRIA Na folha de respostas preencha o cabeçalho com os seus dados e os da escola que representa. O teste tem a duração de

Leia mais

Mutação e Engenharia Genética

Mutação e Engenharia Genética Mutação e Engenharia Genética Aula Genética - 3º. Ano Ensino Médio - Biologia Prof a. Juliana Fabris Lima Garcia Mutações erros não programados que ocorrem durante o processo de autoduplicação do DNA e

Leia mais

ÁCIDOS NUCLEÍCOS RIBOSSOMO E SÍNTESE PROTEÍCA

ÁCIDOS NUCLEÍCOS RIBOSSOMO E SÍNTESE PROTEÍCA ÁCIDOS NUCLEÍCOS RIBOSSOMO E SÍNTESE PROTEÍCA ÁCIDOS NUCLÉICOS: Moléculas orgânicas complexas, formadas polimerização de nucleotídeos (DNA e RNA) pela Contêm a informação que determina a seqüência de aminoácidos

Leia mais

Tecnologia do DNA Recombinante-TDR

Tecnologia do DNA Recombinante-TDR Tecnologia do DNA Recombinante-TDR (clonagem de DNA) CONSTRUINDO A MOLÉCULA DE DNA RECOMBINANTE, BIOTECNOLOGIA:Engenharia genética. A utilização de microorganismos, plantas e animais para a produção de

Leia mais

REAÇÃO EM CADEIA DA POLIMERASE (PCR)

REAÇÃO EM CADEIA DA POLIMERASE (PCR) Área de Ciências da Saúde Curso de Medicina Módulo: Saúde do Adulto e Idoso II GENÉTICA HUMANA Professora: Dra. Juliana Schmidt REAÇÃO EM CADEIA DA POLIMERASE (PCR) A molécula de DNA é um longo polímero

Leia mais

Melhoramento Genético

Melhoramento Genético Melhoramento Genético Cibele Lima Douglas de Alencar Matheus Paiva Silva Pablo Medeiros Pedro Vierira César Rogério Ayres Alves O melhoramento genetico é uma ciência utilizada para a obtenção de indivíduos

Leia mais

GABARITO BIOLOGIA REVISÃO 01 3 ANO A/B ENSINO MÉDIO

GABARITO BIOLOGIA REVISÃO 01 3 ANO A/B ENSINO MÉDIO GABARITO BIOLOGIA REVISÃO 01 3 ANO A/B ENSINO MÉDIO Resolução: 01. B 02. E 03. No alantóide da ave há uma rede de capilares sangüíneos onde ocorre a respiração. O principal excreta nitrogenado da ave é

Leia mais

7.012 Conjunto de Problemas 5

7.012 Conjunto de Problemas 5 Nome Seção 7.012 Conjunto de Problemas 5 Pergunta 1 Enquanto estudava um problema de infertilidade, você tentou isolar um gene hipotético de coelho que seria responsável pela prolífica reprodução desses

Leia mais

Breve Introdução sobre os OGM

Breve Introdução sobre os OGM DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE DESENVOLVIMENTO AGROALIMENTAR E RURAL DIVISÃO DE SANIDADE VEGETAL E SEGURANÇA ALIMENTAR Breve Introdução sobre os OGM O cultivo de variedades de milho geneticamente modificadas

Leia mais

1. (Unesp) A ilustração apresenta o resultado de um teste de paternidade obtido pelo método do DNA-Fingerprint, ou "impressão digital de DNA".

1. (Unesp) A ilustração apresenta o resultado de um teste de paternidade obtido pelo método do DNA-Fingerprint, ou impressão digital de DNA. Ácidos Nuclêicos 1. (Unesp) A ilustração apresenta o resultado de um teste de paternidade obtido pelo método do DNA-Fingerprint, ou "impressão digital de DNA". a) Segundo o resultado acima, qual dos homens,

Leia mais

PROGRAMA TEÓRICO. 2. O Dogma Central da Biologia Molecular

PROGRAMA TEÓRICO. 2. O Dogma Central da Biologia Molecular PROGRAMA TEÓRICO 1. As moléculas da Biologia Molecular: DNA, RNA e proteínas Aspectos particulares da composição e estrutura do DNA, RNA e proteínas. EG- Características bioquímicas dos ácidos nucleicos,

Leia mais

Exame de 1ª Época Engenharia Genética 16 de Janeiro de 2009 Duração: 2h30min

Exame de 1ª Época Engenharia Genética 16 de Janeiro de 2009 Duração: 2h30min Nome: Curso: Nº Exame de 1ª Época Engenharia Genética 16 de Janeiro de 2009 Duração: 2h30min As bactérias Gram-negativas como Salmonella typhi têm de se adaptar a uma variedade de stresses ambientais extremos

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 08 RIBOSSOMOS E SÍNTESE PROTEICA Fixação 1) (UNICAMP) Considere um fragmento de DNA com a seguinte sequência de bases: GTA GCC TAG E responda: a) Qual será a sequência

Leia mais

DNA E SÍNTESE PROTEICA

DNA E SÍNTESE PROTEICA 1- As acetabularias (fotografia à esquerda) são algas verdes marinhas, com 2 a 3 cm de altura, constituídas por uma base ou pé, onde está o núcleo, e um caulículo, na extremidade do qual se diferencia

Leia mais

Avaliação Curso de Formação Pós-Graduada da Biologia Molecular à Biologia Sintética 15 de Julho de 2011 Nome

Avaliação Curso de Formação Pós-Graduada da Biologia Molecular à Biologia Sintética 15 de Julho de 2011 Nome 1 Avaliação Curso de Formação Pós-Graduada da Biologia Molecular à Biologia Sintética 15 de Julho de 2011 Nome 1 - As enzimas de restrição ou endonucleases recebem uma designação que provem (1 valor) a)

Leia mais

EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009)

EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009) INSTITUTO POLITÉCNICO DE BEJA EXAME DE BIOLOGIA Prova de Acesso - Maiores 23 Anos (21 de Abril de 2009) Nome do Candidato Classificação Leia as seguintes informações com atenção. 1. O exame é constituído

Leia mais

NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR

NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR NÚCLEO e DIVISÃO CELULAR CÉLULA EUCARIONTE Cláudia Minazaki NÚCLEO Único; Normalmente: central Formato: acompanha a forma da célula Tamanho: varia com o funcionamento da célula Ciclo de vida da célula

Leia mais

Genética e Melhoramento de Plantas

Genética e Melhoramento de Plantas Genética e Melhoramento de Plantas AULA 1 Por: Augusto Peixe Corpo Docente: Genética: Aulas Teóricas: Profª Solange de Oliveira Aulas Práticas: Profº Paulo Oliveira? Melhoramento de Plantas: Profº Augusto

Leia mais

ÁCIDOS NUCLÉICOS. Prof. Sharline F. M. Santos UFPB CT DEQ

ÁCIDOS NUCLÉICOS. Prof. Sharline F. M. Santos UFPB CT DEQ ÁCIDOS NUCLÉICOS Prof. Sharline F. M. Santos UFPB CT DEQ ÁCIDOS NUCLÉICOS Na natureza há dois tipos de ácidos nucleicos: DNA ou ácido desoxiribonucleico e RNA ou ácido ribonucleico. Ácidos Nucléicos Os

Leia mais

Audiência Pública Nº 02/2007

Audiência Pública Nº 02/2007 Audiência Pública Nº 02/2007 Requerimentos da CIBio da Monsanto do Brasil Ltda. para liberação comercial de algodão geneticamente modificado: Processo n o 01200.004487/04-48 - Algodão MON 1445 Processo

Leia mais

OLIMPÍADAS DE BIOTECNOLOGIA

OLIMPÍADAS DE BIOTECNOLOGIA OLIMPÍADAS DE BIOTECNOLOGIA Duração da prova: 2 horas Teste Modelo Nas folhas de respostas preencha o cabeçalho com os seus dados e os da escola que representa. O teste tem a duração de 2 horas no total,

Leia mais

Fundamentos de GENÉTICA BACTERIANA. Profa Francis Moreira Borges

Fundamentos de GENÉTICA BACTERIANA. Profa Francis Moreira Borges Fundamentos de GENÉTICA BACTERIANA Profa Francis Moreira Borges As bactérias possuem material genético, o qual é transmitido aos descendentes no momento da divisão celular. Este material genético não está

Leia mais

Genética e Melhoramento de Plantas. Universidade de Évora 2005

Genética e Melhoramento de Plantas. Universidade de Évora 2005 Genética e Melhoramento de Plantas Universidade de Évora 2005 Estrutura dos ácidos nucleicos Ácido Desoxirribonucleico (DNA) Ácido Ribonucleico (RNA) Dos genes às proteínas (eucariotas): transcrição e

Leia mais

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br

Bioinformática. Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular. Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Bioinformática Conceitos Fundamentais de Biologia Molecular Paulo Henrique Ribeiro Gabriel phrg@ufu.br Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia 24 de agosto de 2015 Paulo H. R. Gabriel

Leia mais

Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano

Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano Escola Secundária do Monte de Caparica Disciplina de Biologia 10 º Ano Teste de avaliação Nome ----------------------------------------------------------------------- Numero -------------------------------

Leia mais

Genes. Menor porção do DNA capaz de produzir um efeito que pode ser detectado no organismo. Região do DNA que pode ser transcrita em moléculas de RNA.

Genes. Menor porção do DNA capaz de produzir um efeito que pode ser detectado no organismo. Região do DNA que pode ser transcrita em moléculas de RNA. Genes Menor porção do DNA capaz de produzir um efeito que pode ser detectado no organismo. Região do DNA que pode ser transcrita em moléculas de RNA. Ácidos nucleicos Os ácidos nucléicos são macromoléculas

Leia mais

BIOTECNOLOGIA. 2. Conceito de clonagem molecular

BIOTECNOLOGIA. 2. Conceito de clonagem molecular BIOTECNOLOGIA 1. Introdução Até a década de 70, o DNA era o componente celular mais difícil de ser analisado. Sua seqüência de nucleotídeos de enorme tamanho e monotonia química era geralmente analisada

Leia mais

Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes

Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Organização do Material Genético nos Procariontes e Eucariontes Procariontes Eucariontes Localização Organização Forma Disperso no citoplasma

Leia mais

DNA: Passado, Presente e Futuro

DNA: Passado, Presente e Futuro DNA: Passado, Presente e Futuro O passado O modelo do DNA que hoje nos é tão familiar foi divulgado em abril de 1953 na revista científica Nature pelos cientistas James Watson e Francis Crick. Eles afirmaram

Leia mais

Carlos Sinogas - Biotecnologia 2014/15

Carlos Sinogas - Biotecnologia 2014/15 Terapia genética Técnica para corrigir efeitos de genes responsáveis por patologias Métodos Inserção de gene normal para substituição de gene não funcional Correcção do gene anormal (mutações especí?icas,

Leia mais

Organismos Geneticamente Modificados (OGM) Paulo Monjardino

Organismos Geneticamente Modificados (OGM) Paulo Monjardino Organismos Geneticamente Modificados (OGM) Paulo Monjardino O que são OGM? Organismos que são manipulados geneticamente por técnicas de biotecnologia molecular com vista a introduzir-se ou suprimir-se

Leia mais

O processo fisiológico que está representado no gráfico é

O processo fisiológico que está representado no gráfico é Questão 01) Analise o gráfico a seguir. Disponível em: . Acesso em: 22 set. 2014. O processo fisiológico que está representado no gráfico é a) o efeito do aumento

Leia mais

Curso: Integração Metabólica

Curso: Integração Metabólica Curso: Integração Metabólica Aula 2: Breve revisão estrutura do DNA Prof. Carlos Castilho de Barros Prof. Augusto Schneider Quando se estuda metabolismo você certamente vai se deparar com termos de genéyca!

Leia mais

Ensino Secundário Recorrente por Módulos Capitalizáveis Matriz da Prova do Regime de Frequência Não Presencial

Ensino Secundário Recorrente por Módulos Capitalizáveis Matriz da Prova do Regime de Frequência Não Presencial Ensino Secundário Recorrente por Módulos Capitalizáveis Matriz da Prova do Regime de Frequência Não Presencial AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR.ª LAURA AYRES Matriz do exame de Biologia - módulos 1,2,3 (12ºano)

Leia mais

Atividades sobre Células-tronco, transgênicos e clonagem

Atividades sobre Células-tronco, transgênicos e clonagem CURSO TÉCNICO EM BIOTECNOLOGIA SUBSEQUENTE Aluno(a): Módulo: I Data: Professor(a): Fábio Zanella Comp. Curricular: Genética Aplicada CÉLULAS-TRONCO Atividades sobre Células-tronco, transgênicos e clonagem

Leia mais

Colónias satélite: ao fim de 2 dias (a e b) e de 4 (c)

Colónias satélite: ao fim de 2 dias (a e b) e de 4 (c) Colónias satélite: ao fim de 2 dias (a e b) e de 4 (c) 1 Regulação da expressão de genes 2 A decisão em iniciar a transcrição de um gene que codifica uma proteína em particular é o principal mecanismo

Leia mais

Projeto Genoma e Proteoma

Projeto Genoma e Proteoma Projeto Genoma e Proteoma Grupo 3: *Artur S. Nascimento *Bárbara S. Costa *Beatrice Barbosa *Tamyres S. E. Guimarães *Yara Cavalcante O que é genoma? O genoma é o conjunto de todo o material genético que

Leia mais

BASES NITROGENADAS DO RNA

BASES NITROGENADAS DO RNA BIO 1E aula 01 01.01. A determinação de como deve ser uma proteína é dada pelos genes contidos no DNA. Cada gene é formado por uma sequência de códons, que são sequências de três bases nitrogenadas que

Leia mais

TEÓRICA 6 DOCENTES: Prof. Helena Galvão (responsável componente teórico) Prof. Margarida Reis (componente prático)

TEÓRICA 6 DOCENTES: Prof. Helena Galvão (responsável componente teórico) Prof. Margarida Reis (componente prático) TEÓRICA 6 DOCENTES: Prof. Helena Galvão (responsável componente teórico) Prof. Margarida Reis (componente prático) VIRUS CONCEITOS E DEFINIÇÕES Características: 1. Não têm estrutura celular, mas multiplicam-se»

Leia mais

Biologia: Genética e Mendel

Biologia: Genética e Mendel Biologia: Genética e Mendel Questão 1 A complexa organização social das formigas pode ser explicada pelas relações de parentesco genético entre os indivíduos da colônia. É geneticamente mais vantajoso

Leia mais

Ácidos nucléicos. São polímeros compostos por nucleotídeos. Açúcar - pentose. Grupo fosfato. Nucleotídeo. Base nitrogenada

Ácidos nucléicos. São polímeros compostos por nucleotídeos. Açúcar - pentose. Grupo fosfato. Nucleotídeo. Base nitrogenada ÁCIDOS NUCLÉICOS Ácidos nucléicos São polímeros compostos por nucleotídeos Açúcar - pentose Nucleotídeo Grupo fosfato Base nitrogenada Composição dos Ácidos nucléicos pentoses: numeração da pentose: pentose

Leia mais

Química do material genético

Química do material genético 1 O NÚCLEO No núcleo estão os cromossomos, onde estão "armazenadas" as informações genéticas de cada espécie. Os seguintes componentes constituem o núcleo celular: Membrana Nuclear: também chamada de carioteca

Leia mais

Genética e Melhoramento de Plantas

Genética e Melhoramento de Plantas Genética e Melhoramento de Plantas Marcadores moleculares e sua utilização no melhoramento Por: Augusto Peixe Introdução ao uso de Marcadores moleculares Definição Marcador molecular é todo e qualquer

Leia mais

PROVA DE AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS BIOLOGIA. Nome:

PROVA DE AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS BIOLOGIA. Nome: PROVA DE AVALIAÇÃO DOS CONHECIMENTOS E COMPETÊNCIAS BIOLOGIA 13/06/2011 Nome: 1. Classifique as afirmações seguintes como verdadeira (V) ou falsa (F): a) A espermatogénese é um processo contínuo, com inicio

Leia mais

CÓDIGO GENÉTICO E SÍNTESE PROTEICA

CÓDIGO GENÉTICO E SÍNTESE PROTEICA CÓDIGO GENÉTICO E SÍNTESE PROTEICA Juliana Mara Stormovski de Andrade As proteínas são as moléculas mais abundantes e funcionalmente diversas nos sistema biológicos. Praticamente todos os processos vitais

Leia mais

Transcrição e Tradução. Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia Celular e Molecular Turmas: Biologia, enfermagem, nutrição e TO.

Transcrição e Tradução. Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia Celular e Molecular Turmas: Biologia, enfermagem, nutrição e TO. Transcrição e Tradução Profa. Dra. Juliana Garcia de Oliveira Disciplina: Biologia Celular e Molecular Turmas: Biologia, enfermagem, nutrição e TO. Tópicos abordados na aula Dogma Central da Biologia Molecular;

Leia mais

SÍNTESES NUCLEARES. O DNA éo suporte da informação genética. Parte 1 Replicação

SÍNTESES NUCLEARES. O DNA éo suporte da informação genética. Parte 1 Replicação SÍNTESES NUCLEARES O DNA éo suporte da informação genética Parte 1 Replicação Estrutura do DNA Replicação do DNA Nucleótidos A informação genética das células é armazenada sob a forma de 2 moléculas similares:

Leia mais