HISTÓRICO DA BIOSSEGURANÇA NO BRASIL. Dra. Luciana Di Ciero.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HISTÓRICO DA BIOSSEGURANÇA NO BRASIL. Dra. Luciana Di Ciero. e-mail: ldiciero@esalq.usp.br www.anbio.org.br"

Transcrição

1 HISTÓRICO DA BIOSSEGURANÇA NO BRASIL Simpósio sobre biossegurança de Organismos Geneticamente Modificados Dra. Luciana Di Ciero Diretora Científica da ANBIO

2 Histórico INFECÇÕES LABORATORIAIS 1941 Meyer e Eddie 74 casos de brucelose associados a laboratório aerossol Em 1941, Meyer e Eddie2 publicaram uma pesquisa de 74 casos de brucelose associados a laboratório, ocorrido nos Estados Unidos, e concluíram que a manipulação de culturas ou espécies ou ainda a inalação da poeira contendo a bactéria Brucella é eminentemente perigosa para os trabalhadores de um laboratório.inúmeros casos foram atribuídos à falta de cuidados ou a uma técnica de manuseio ruim de materiais infecciosos.

3 1949 Sulkin e Pike 222 infecções virais Em 1949, Sulkin e Pike3, publicaram a primeira de uma série de pesquisas sobre infecções associadas a laboratórios. Eles constataram 222 infecções virais, sendo 21 delas fatais. Em pelo menos um terço dos casos, a provável fonte de infecção estava associada ao manuseio de animais e tecidos infectados. Acidentes conhecidos foram registrados em 27 (12%) dos casos relatados.

4 1951 Sulkin e Pike 1342 casos: brucelose mais frequente e tuberculose, tularemia, tifo, infecção estreptocócica 72% das infecções Em 1951, Sulkin e Pike4, publicaram a segunda de uma série de pesquisas baseada em um questionário enviado a laboratórios. Somente um terço dos casos citados foram relatados na literatura. A Brucelose era a infecção mais freqüentemente encontrada nos relatórios em relação às infecções contraídas em um laboratório e juntamente com a tuberculose, a tularemia, o tifo, e a infecção estreptocócica contribuíam para 72% de todas as infecções bacterianas e 31% das infecções causadas por outros agentes. O índice total de mortalidade era de 3%. Somente 16% de todas as infecções relatadas estavam associadas a um acidente documentado. A maioria destes estavam relacionados ao uso de pipetas, seringas e agulhas.

5

6 Biossegurança: uma ciência emergente Biossegurança é um conjunto de medidas voltadas para minimização dos riscos para o homem, animais e meio ambiente 1974 Classificação de risco de agentes etiológicos - CDC 1980 Precauções universais para manipulação de fluídos corpóreos (HIV)

7 Brasil O surgimento da Biossegurança 1984 primeiro Workshop de Biossegurança (Biossegurança em laboratórios ) - Fiocruz 1986 primeiro levantamento de riscos em laboratório na Fiocruz - INCQS década de 90 a Biossegurança começa a ser direcionada para a tecnologia do DNA recombinante. Primeiro projeto de fortalecimento das ações em Biossegurança Ministério da Saúde Núcleo de Biossegurança 1995 Lei brasileira de Biossegurança Lei 8974/95

8 Uma breve história da Biotecnologia Moderna Descoberta da estrutura do DNA anos 70 - Métodos para transferência de genes simples Conferência de Asilomar anos 80 Grandes avanços nas técnicas para análise e transferência dos genes - Primeiros produtos na medicina (Insulina, 1983) - Primeiros produtos para alimentos: (Quimosina para produção de queijos, 1985) anos 90 - Primeiras plantas comerciais - FlavrSavr tomate (1995) - Soja, milho, algodão (1995-6) Protocolo de Cartagena

9 REGULAMENTAÇÃO DA BIOSSEGURANÇA NO MUNDO União Européia - Diretiva 219 / 90 - Diretiva 220 / 90 Estados Unidos - Não possui regulação específica (1986) (guidelines do NIH para recombinantes)

10 REGULAMENTAÇÃO DA BIOSSEGURANÇA NO BRASIL 1995 LEI 8974 estabelece regras para o trabalho com DNA recombinante no Brasil, incluindo pesquisa, produção e comercializáção de OGM s de modo a proteger a saúde do homem, animais e meio ambiente Decreto 1752 formaliza a comissão Técnica Nacional de Biossegurança CTNBio e define suas competências no âmbito do Ministério da ciência e Tecnologia.

11 LEI Nº , DE 24 DE MARÇO DE 2005 Art. 1o Esta Lei estabelece normas de segurança e mecanismos de fiscalização sobre a construção, o cultivo, a produção, a manipulação, o transporte, a transferência, a importação, a exportação, o armazenamento, a pesquisa, a comercialização, o consumo, a liberação no meio ambiente e o descarte de organismos geneticamente modificados OGM e seus derivados, tendo como diretrizes o estímulo ao avanço científico na área de biossegurança e biotecnologia, a proteção à vida e à saúde humana, animal e vegetal, e a observância do princípio da precaução para a proteção do meio ambiente.

12 Biossegurança como ciência 1999 fundação da Associação Nacional de Biossegurança ANBio ( Primeiro Congresso Brasileiro de Biossegurança 2000 início da introdução da Biossegurança como disciplina científica no currículum universitário 2001 CNPq lança programa de indução das ações em Biossegurança

13 Biossegurança como ciência Biossegurança latu sensu inclui Biossegurança de laboratórios e OGMs Biossegurança strictu sensu apenas segurança de transgênicos

14 Laboratório de segurança máxima em torno de 20 laboratórios no mundo Brasil não dispõe de BL4

15

16 HOME PAGE

17 Visitem meu Blog: Luciana Di Ciero LARGBIO/ ESALQ/ USP Fone: (19) Conselheira do Pró-Terra

PROJETO DE LEI Nº,DE 2009. (Do Sr. Cândido Vaccarezza)

PROJETO DE LEI Nº,DE 2009. (Do Sr. Cândido Vaccarezza) PROJETO DE LEI Nº,DE 2009. (Do Sr. Cândido Vaccarezza) Altera a Lei Nº 11.105, de 24 de março de 2005, que regulamenta os incisos II, IV e V do 1 o do art. 225 da Constituição Federal, estabelece normas

Leia mais

Transgênicos. Aspectos legais, éticos e de biossegurança. Victor Martin Quintana Flores

Transgênicos. Aspectos legais, éticos e de biossegurança. Victor Martin Quintana Flores Transgênicos Aspectos legais, éticos e de biossegurança Victor Martin Quintana Flores Plantas geneticamente transformadas Aspectos relevantes das plantas transgêncas aumento da produtividade das lavouras,

Leia mais

Curso Básico de Biossegurança Curso on-line: biossegurancahospitalar.com Aula: Qualidade e Biossegurança Professor Marco Antônio F.

Curso Básico de Biossegurança Curso on-line: biossegurancahospitalar.com Aula: Qualidade e Biossegurança Professor Marco Antônio F. Publicado na Revista CIPA N. 253 de janeiro de 2002 BIOSSEGURANÇA: elo estratégico de SST Eng. Marco Antonio F. da Costa, DSc - Fiocruz / EPSJV Eng. Maria de Fátima B. da Costa, DSc - Fiocruz / ENSP Contato:

Leia mais

Mesa de controvérsia sobre transgênicos

Mesa de controvérsia sobre transgênicos Mesa de controvérsia sobre transgênicos Transgênicos: questões éticas, impactos e riscos para a Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional e o Direito Humano à Alimentação Adequada e Saudável Posição

Leia mais

Um dos grandes problema agrários do Brasil é a sua estrutura fundiária: de um lado, um pequeno número de grandes proprietários de terras

Um dos grandes problema agrários do Brasil é a sua estrutura fundiária: de um lado, um pequeno número de grandes proprietários de terras Um dos grandes problema agrários do Brasil é a sua estrutura fundiária: de um lado, um pequeno número de grandes proprietários de terras A distribuição das propriedades rurais O Instituto Brasileiro de

Leia mais

Jardel Peron Waquim Engenheiro Agrônomo

Jardel Peron Waquim Engenheiro Agrônomo Jardel Peron Waquim Engenheiro Agrônomo São os organismos que tiveram inseridos em seu código genético, genes estranhos de qualquer outro ser vivo Isolar o gene desejado, retirando-o da molécula de DNA

Leia mais

RELAÇÕES DE CONSUMO FRENTE AOS ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS. Leonardo Ayres Canton Bacharel em Direito

RELAÇÕES DE CONSUMO FRENTE AOS ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS. Leonardo Ayres Canton Bacharel em Direito RELAÇÕES DE CONSUMO FRENTE AOS ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS Leonardo Ayres Canton Bacharel em Direito INTRODUÇÃO A primeira norma a tratar sobre as atividades envolvendo organismos geneticamente

Leia mais

Legislação de Biossegurança e Rotulagem de OGMs Patrícia Fukuma

Legislação de Biossegurança e Rotulagem de OGMs Patrícia Fukuma Legislação de Biossegurança e Rotulagem de OGMs Patrícia Fukuma Kayatt e Fukuma Advogados e Consultores Jurídicos Legislação de Biossegurança a) Lei 8974/95- chamada de Lei de Biossegurança foi aprovada

Leia mais

PORTARIA Nº 493 DE 27/02/2002

PORTARIA Nº 493 DE 27/02/2002 PORTARIA Nº 493 DE 27/02/2002 A REITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, no uso de suas atribuições, e considerando a Lei nº 9.279 de 14/05/96, que regula os direitos e obrigações relativos

Leia mais

BIOTECNOLOGIA, BIOSSEGURANÇA E PRODUTOS TRANSGÊNICOS: ESCLARECENDO DÚVIDAS À SOCIEDADE.

BIOTECNOLOGIA, BIOSSEGURANÇA E PRODUTOS TRANSGÊNICOS: ESCLARECENDO DÚVIDAS À SOCIEDADE. BIOTECNOLOGIA, BIOSSEGURANÇA E PRODUTOS TRANSGÊNICOS: ESCLARECENDO DÚVIDAS À SOCIEDADE. Priscila Carvalho da Silva 1 ; Amanda Colombo 2 ; Mariana Kurihara 2 ; Romário Oliveira 2 ; Emerson Machado de Carvalho

Leia mais

TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE E TRANSGÊNICOS

TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE E TRANSGÊNICOS TECNOLOGIA DO DNA RECOMBINANTE E TRANSGÊNICOS As décadas de 1970 e de 1980 marcaram as grandes transformações por que passaria a biologia com as descobertas da organização do funcionamento e da variação

Leia mais

Assembléia Legislativa do Estado do Paraná Centro Legislativo Presidente Aníbal Khury Comissão de Constituição e Justiça

Assembléia Legislativa do Estado do Paraná Centro Legislativo Presidente Aníbal Khury Comissão de Constituição e Justiça SUBSTITUTIVO GERAL AO PROJETO DE LEI 307/2003. SÚMULA: Veda o cultivo, a manipulação, a importação, a industrialização e a comercialização de Organismos Geneticamente Modificados (OGMs) no Estado do Paraná,

Leia mais

Mentira: O homem não precisa plantar transgênicos Mentira: As plantas transgênicas não trarão benefícios a sociedade

Mentira: O homem não precisa plantar transgênicos Mentira: As plantas transgênicas não trarão benefícios a sociedade Como toda nova ciência ou tecnologia, ela gera dúvidas e receios de mudanças. Isto acontece desde os tempos em que Galileo afirmou que era a Terra que girava em torno do Sol ou quando Oswaldo Cruz iniciou

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO VIII DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO II DA SEGURIDADE SOCIAL... Seção II Da Saúde... Art. 199. A assistência à saúde é livre à iniciativa privada. 1º

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA,

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, LEI Nº 12.128, de 15 de janeiro de 2002 Procedência - Governamental Natureza PL 509/01 DO- 16.826 DE 16/01/02 * Revoga Leis: 11.403/00; 11.463/00; e 11.700/01 * Ver Lei Federal 8.974/95 Fonte ALESC/Div.Documentação

Leia mais

BIOTECNOLOGIA Aspectos Legais e Regulatórios

BIOTECNOLOGIA Aspectos Legais e Regulatórios BIOTECNOLOGIA Aspectos Legais e Regulatórios Valter Matta vmatta@tozzinifreire.com.br Elysangela Zorzo ezorzo@tozzinifreire.com.br Ana Carolina D Atri adatri@tozzinifreire.com.br Biotecnologia Aspectos

Leia mais

A transgenia não é a única estratégia para a transformação genética de plantas

A transgenia não é a única estratégia para a transformação genética de plantas A transgenia não é a única estratégia para a transformação genética de plantas MARIA HELENA BODANESE ZANETTINI - DEPARTAMENTO DE GENÉTICA, INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, UFRGS maria.zanettini@ufrgs.br A base

Leia mais

REVISTA ÂMBITO JURÍDICO O protocolo de cartagena e o Brasil: os reflexos econ?os e a lei de biosseguran?

REVISTA ÂMBITO JURÍDICO O protocolo de cartagena e o Brasil: os reflexos econ?os e a lei de biosseguran? REVISTA ÂMBITO JURÍDICO O protocolo de cartagena e o Brasil: os reflexos econ?os e a lei de biosseguran? Sumário: 1. Introdução; 2. Protocolo de Cartagena; 2.1 Origem; 2.2 Objetivo geral do Protocolo;

Leia mais

Instrução Normativa CTNBio nº 6, de 28.02.97

Instrução Normativa CTNBio nº 6, de 28.02.97 Instrução Normativa CTNBio nº 6, de 28.02.97 Dispõe sobre as normas de classificação dos experimentos com vegetais geneticamente modificados quanto aos níveis de risco e de contenção. A COMISSÃO TÉCNICA

Leia mais

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE BIOSSEGURANÇA DA CTNBio*

NORMAS E PROCEDIMENTOS DE BIOSSEGURANÇA DA CTNBio* NORMAS E PROCEDIMENTOS DE BIOSSEGURANÇA DA CTNBio* Vania Moda Cirino, Instituto Agronômico do Paraná IAPAR, Área de Melhoramento e Genética, CP481, CEP86001-970 Londrina PR. e-mail: vamoci@iapar.br Com

Leia mais

ANÁLISE DE RISCO - sistematização de informações disponíveis visando identificar o perigo potencial e avaliar a possibilidade de exposição.

ANÁLISE DE RISCO - sistematização de informações disponíveis visando identificar o perigo potencial e avaliar a possibilidade de exposição. ANÁLISE E IMPACTOS DO PROTOCOLO DE CARTAGENA PARA O BRASIL 41 Deise M. F. Capalbo* A análise de risco é um processo comparativo que deve ser conduzido, caso a caso, com embasamento cientifico e por processo

Leia mais

ALIMENTOS TRANSGÊNICOS E BIOSSEGURANÇA

ALIMENTOS TRANSGÊNICOS E BIOSSEGURANÇA 1 ALIMENTOS TRANSGÊNICOS E BIOSSEGURANÇA Luiz Carlos Bresser Pereira Ministro da Ciência e Tecnologia Trabalho escrito maio de 1999 para ser publicado no site do MCT. O País presencia hoje intenso debate

Leia mais

BIOSSEGURANÇA. Maria Emilia Aracema aracema@terra.com.br Farmacêutica-Bioquímica

BIOSSEGURANÇA. Maria Emilia Aracema aracema@terra.com.br Farmacêutica-Bioquímica BIOSSEGURANÇA Maria Emilia Aracema aracema@terra.com.br Farmacêutica-Bioquímica BIOSSEGURANÇA Biossegurança GERENCIAMENTO PONTO DE PARTIDA Risco O que entendemos por RISCO? CONCEITOS BÁSICOS RISCO (2000)

Leia mais

Legislação de Biossegurança no Brasil ADRIANA C.P.VIEIRA 1 ; ADRIANA R.CORNÉLIO 2 ; JAMILTON P. SANTOS 3 ; PEDRO A.VIEIRA 4

Legislação de Biossegurança no Brasil ADRIANA C.P.VIEIRA 1 ; ADRIANA R.CORNÉLIO 2 ; JAMILTON P. SANTOS 3 ; PEDRO A.VIEIRA 4 Legislação de Biossegurança no Brasil Previous Top Next ADRIANA C.P.VIEIRA 1 ; ADRIANA R.CORNÉLIO 2 ; JAMILTON P. SANTOS 3 ; PEDRO A.VIEIRA 4 Msc. Advogada e Professora. e-mail: dricpvieira@terra.com.br;

Leia mais

conceitos e componentes Deise M F Capalbo

conceitos e componentes Deise M F Capalbo Biossegurança e Análise de Risco: conceitos e componentes Deise M F Capalbo SEMINÁRIO Comunicação de Risco CURSO TALLER LACbiosafety na biossegurança de OGM Armonización de técnicas para recolección y

Leia mais

Melhoramento Genético

Melhoramento Genético Melhoramento Genético Cibele Lima Douglas de Alencar Matheus Paiva Silva Pablo Medeiros Pedro Vierira César Rogério Ayres Alves O melhoramento genetico é uma ciência utilizada para a obtenção de indivíduos

Leia mais

2 Criança com idade de 2 a 24 meses 1º teste Abaixo do limite de detecção Repetir o teste após 2 meses Detectável Abaixo do limite de detecção Repetir o teste Imediatamente com nova

Leia mais

Avaliação do risco ambiental. Paulo Paes de Andrade TargetDNA e UFPE andrade@ufpe.br

Avaliação do risco ambiental. Paulo Paes de Andrade TargetDNA e UFPE andrade@ufpe.br Avaliação do risco ambiental Paulo Paes de Andrade TargetDNA e UFPE andrade@ufpe.br ILSI-Brasil 2011 - Águas de S. Pedro - SP Avaliação do risco ambiental O tema é muito amplo: aqui trataremos apenas do

Leia mais

Em alguns países como o Estados Unidos, não existe regulamentação específica para o controle do uso da tecnologia de DNA/RNA recombinante.

Em alguns países como o Estados Unidos, não existe regulamentação específica para o controle do uso da tecnologia de DNA/RNA recombinante. 32 Em alguns países como o Estados Unidos, não existe regulamentação específica para o controle do uso da tecnologia de DNA/RNA recombinante. Os OGMs liberados no meio ambiente são regulados pelas agências

Leia mais

Alimentos Transgênicos

Alimentos Transgênicos Alimentos Transgênicos Daiany Fiorati 1, Fernanda Garcia 1, Giovana Colombo 1, Juliana Nonose 1, Luciana Osaku 1, Mariana Dalose 1, Renata Nonose 1, Renato Pinheiro 1, Tatiana Giovanini 1, Letícia Feitoza

Leia mais

2. ARAÚJO, J.C. DE. & MERCADANTE, M. Produção Transgênica na Agricultura. Diretoria Legislativa, Consultoria Legislativa. Brasília, DF, abr. 1999.

2. ARAÚJO, J.C. DE. & MERCADANTE, M. Produção Transgênica na Agricultura. Diretoria Legislativa, Consultoria Legislativa. Brasília, DF, abr. 1999. Cita-se abaixo algumas referências bibliográficas que fazem parte do acervo sobre alimentos transgênicos e que embasam os documentos redigidos pelo CFN. 1. ALENCAR, G. Os Aspectos Jurídicos, a Pesquisa

Leia mais

Tutela do Patrimônio Genético (Tutorship of the Genetic Patrimony) Luís Paulo Sirvinskas Procurador de Justiça, mestre e doutor pela PUC-SP

Tutela do Patrimônio Genético (Tutorship of the Genetic Patrimony) Luís Paulo Sirvinskas Procurador de Justiça, mestre e doutor pela PUC-SP Tutela do Patrimônio Genético (Tutorship of the Genetic Patrimony) Luís Paulo Sirvinskas Procurador de Justiça, mestre e doutor pela PUC-SP Haverá um dia em que o homem conhecerá o íntimo dos animais.

Leia mais

Os impactos das plantas transgênicas no sistema de produção de alimentos

Os impactos das plantas transgênicas no sistema de produção de alimentos Os impactos das plantas transgênicas no sistema de produção de alimentos ENTREVISTA Entrevista concedida a Lucas Tadeu Ferreira e Maria Fernanda Diniz Avidos Foto: Cláudio Bezerra Produtos geneticamente

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Lei nº 8.974, de 05.01.95 Regulamenta os incisos II e V do 1º do art. 225 da Constituição Federal, estabelece normas para o uso das técnicas de engenharia genética e liberação no meio ambiente de organismos

Leia mais

BIOSSEGURANÇA DA TEORIA À PRÁTICA NO ENSINO DE BIOTECNOLOGIA. Dra. Maria Antonia Malajovich Instituto de Tecnologia ORT do Rio de Janeiro

BIOSSEGURANÇA DA TEORIA À PRÁTICA NO ENSINO DE BIOTECNOLOGIA. Dra. Maria Antonia Malajovich Instituto de Tecnologia ORT do Rio de Janeiro ANBIO - VI Congresso Brasileiro de Biossegurança (2009) BIOSSEGURANÇA DA TEORIA À PRÁTICA NO ENSINO DE BIOTECNOLOGIA Dra. Maria Antonia Malajovich Instituto de Tecnologia ORT do Rio de Janeiro MariaAntonia@ort.org.br

Leia mais

Aula 8. Convenção sobre Diversidade Biológica. Biossegurança

Aula 8. Convenção sobre Diversidade Biológica. Biossegurança Convenção sobre Diversidade Biológica Biossegurança Convenção sobre Diversidade Biológica Biossegurança 2 1. Biodiversidade no Brasil 2. Convenção da ONU sobre Diversidade Biológica (1992) 3. Protocolo

Leia mais

PESQUISAS COM AGENTES BIOLÓGICOS POTENCIALMENTE PERIGOSOS

PESQUISAS COM AGENTES BIOLÓGICOS POTENCIALMENTE PERIGOSOS PESQUISAS COM AGENTES BIOLÓGICOS POTENCIALMENTE PERIGOSOS Projetos que utilizem microorganismos (bactérias, vírus, viróides, fungos, parasitas, etc.), tecnologias com DNA recombinante (rdna) ou tecidos,

Leia mais

Inovação Biotecnológica e Cultivares: Proteção e Apropriação No Agronegócio Elza Durham Rio de Janeiro, 20 de agosto de 2013

Inovação Biotecnológica e Cultivares: Proteção e Apropriação No Agronegócio Elza Durham Rio de Janeiro, 20 de agosto de 2013 Inovação Biotecnológica e Cultivares: Proteção e Apropriação No Agronegócio Elza Durham Rio de Janeiro, 20 de agosto de 2013 Tópicos - Agricultura e Biotecnologia - Proteção e Apropriação na Agroindústria

Leia mais

Definido o contexto: monitoramento pós-liberação comercial de plantas geneticamente modificadas. Paulo Augusto Vianna Barroso

Definido o contexto: monitoramento pós-liberação comercial de plantas geneticamente modificadas. Paulo Augusto Vianna Barroso Definido o contexto: monitoramento pós-liberação comercial de plantas geneticamente modificadas Paulo Augusto Vianna Barroso Experimentação com OGM Regulada pela Lei de Biossegurança (11.105/2005) Experimentação

Leia mais

Normas e Procedimentos de Biossegurança para Atividades em Contenção. Vania Moda Cirino AMG/IAPAR Rio de Janeiro RJ Setembro de 2009

Normas e Procedimentos de Biossegurança para Atividades em Contenção. Vania Moda Cirino AMG/IAPAR Rio de Janeiro RJ Setembro de 2009 Normas e Procedimentos de Biossegurança para Atividades em Contenção Vania Moda Cirino AMG/IAPAR Rio de Janeiro RJ Setembro de 2009 A lógica da avaliação de riscos de OGMs Princípios gerais: A informação

Leia mais

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE BIOSSEGURANÇA RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE BIOSSEGURANÇA RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2011 Nº 232 05/12/11 Seção 1 - p.47 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO COMISSÃO TÉCNICA NACIONAL DE BIOSSEGURANÇA RESOLUÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 2 DE DEZEMBRO DE 2011 Dispõe sobre as normas de monitoramento

Leia mais

ISSN 1518-4277 Dezembro, 2009. Manual de Biossegurança da Embrapa Milho e Sorgo

ISSN 1518-4277 Dezembro, 2009. Manual de Biossegurança da Embrapa Milho e Sorgo ISSN 1518-4277 Dezembro, 2009 90 Manual de Biossegurança da Embrapa Milho e Sorgo ISSN 1518-4277 Dezembro, 2009 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Centro Nacional de Pesquisa de Milho e Sorgo

Leia mais

Estabelece diretrizes socioambientais relativas ao processo de crédito do Itaú Unibanco para empresas.

Estabelece diretrizes socioambientais relativas ao processo de crédito do Itaú Unibanco para empresas. RISCO SOCIOAMBIENTAL Estabelece diretrizes socioambientais relativas ao processo de crédito do Itaú Unibanco para empresas. 1. OBJETIVO Formalizar os critérios socioambientais que são adotados pelo Itaú

Leia mais

Alimentos transgênicos: mitos e verdades

Alimentos transgênicos: mitos e verdades Alimentos transgênicos: mitos e verdades Celeste Aparecida Pimentel Professora do Departamento de Ciências Humanas Campus VI UNEB celesteaparecidapei@yahoo.com.br Resumo Neste estudo apresento os alimentos

Leia mais

Ambiente Regulatório Legislação de Biossegurança

Ambiente Regulatório Legislação de Biossegurança AVALIAÇÃO DO RISCO AMBIENTAL E ALIMENTAR DAS PLANTAS GENETICAMENTE MODIFICADAS - II CONGRESSO NACIONAL ILSI Ambiente Regulatório Legislação de Biossegurança 08/04/11 Patrícia Fukuma Fukuma Advogados SUMÁRIO

Leia mais

BIOSSEGURANÇA. Dra. MARIA ANTONIA MALAJOVICH Coordenadora de Biotecnologia do Instituto de Tecnologia ORT Diretora Científica da ANBIO

BIOSSEGURANÇA. Dra. MARIA ANTONIA MALAJOVICH Coordenadora de Biotecnologia do Instituto de Tecnologia ORT Diretora Científica da ANBIO BIOSSEGURANÇA Dra. MARIA ANTONIA MALAJOVICH Coordenadora de Biotecnologia do Instituto de Tecnologia ORT Diretora Científica da ANBIO INSTITUTO DE TECNOLOGIA ORT 08/07/2013 Sociedade científica sem fins

Leia mais

BIOTECNOLOGIA - REGRAS BÁSICAS DE PROTEÇÃO E LUCRATIVIDADE

BIOTECNOLOGIA - REGRAS BÁSICAS DE PROTEÇÃO E LUCRATIVIDADE BIOTECNOLOGIA - REGRAS BÁSICAS DE PROTEÇÃO E LUCRATIVIDADE Gabriel Di Blasi Di Blasi,, Parente, Soerensen Garcia & Associados BIOTECNOLOGIA Conceito: A biotecnologia é definida como a aplicação de técnicas

Leia mais

Precaução padrão e Isolamento

Precaução padrão e Isolamento Precaução padrão e Isolamento Precauções de Isolamento no Perioperatório Enf Dra.Valeska Stempliuk IEP/HSL Pontos importantes Modos de transmissão de patógenos Por que isolar? Quem deve saber que o paciente

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NO ÂMBITO. DE ATUAÇÃO DA CTNBIO, como forma de. controle social dos Processos Decisórios e. de Regulação naquele colegiado.

PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NO ÂMBITO. DE ATUAÇÃO DA CTNBIO, como forma de. controle social dos Processos Decisórios e. de Regulação naquele colegiado. PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE NO ÂMBITO DE ATUAÇÃO DA CTNBIO, como forma de controle social dos Processos Decisórios e de Regulação naquele colegiado. Princípio da precaução e análise de risco dos Organismos

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROJETO DE LEI Estabelece normas de segurança e mecanismos de fiscalização de atividades que envolvam organismos geneticamente modificados - OGM e seus derivados, cria o Conselho Nacional de Biossegurança

Leia mais

Sumário Executivo. Contaminação transgênica global persiste

Sumário Executivo. Contaminação transgênica global persiste Sumário Executivo Este é o terceiro relatório Registros de Contaminação Transgênica (http://www.gmcontaminationregister.org), que analisa casos de contaminação, plantios ilegais e liberação de organismos

Leia mais

MEL BRASILEIRO EM RISCO!

MEL BRASILEIRO EM RISCO! MEL BRASILEIRO EM RISCO! Manifesto pela retirada de todos pedidos de liberação de eucalipto transgênico na CTNBIO. Depois da soja e do milho transgênico, agora é a vez do Eucalipto. Está em processo de

Leia mais

Biossegurança RISCOS BIOLOGICOS. UNISC Departamento de Biologia e Farmácia Prof. Jane Renner

Biossegurança RISCOS BIOLOGICOS. UNISC Departamento de Biologia e Farmácia Prof. Jane Renner Biossegurança RISCOS BIOLOGICOS UNISC Departamento de Biologia e Farmácia Prof. Jane Renner Risco biológico Definição Agente de origem biológica que possui a capacidade de produzir efeitos deletérios em

Leia mais

de organismos geneticamente modificados

de organismos geneticamente modificados 159 LEI NÚM. 11.105, DE NORMAS DE SEGURANÇA E MECANISMOS DE FISCALIZAÇÃO DE ATIVIDADES QUE ENVOLVAM ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS, DE 24 DE MARÇO DE 2005 * Regulamenta os incisos II, IV e V do 1o.

Leia mais

VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos

VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos VI Congresso Brasileiro de Biossegurança Simpósio Latino-Americano de Produtos Biotecnológicos Rio de Janeiro, 21-25 setembro de 2009 Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ Construções Mais Comuns

Leia mais

VÍRUS E BACTÉRIAS. Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias

VÍRUS E BACTÉRIAS. Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias Disciplina: Ciências Série: 6ª série EF - 1º TRIM Professora: Ivone Azevedo da Fonseca Assunto: Vírus e Bactérias VÍRUS E BACTÉRIAS Vírus e bactérias foram, por muito tempo, juntamente com seres unicelulares

Leia mais

Análise de risco em alimentos, com foco na área de resistência microbiana

Análise de risco em alimentos, com foco na área de resistência microbiana IV CONGRESSO BRASILEIRO DE QUALIDADE DO LEITE Análise de risco em alimentos, com foco na área de resistência microbiana Perigo (hazard): agente biológico, químico ou físico, ou propriedade do alimento

Leia mais

Plantas Transgênicas

Plantas Transgênicas Plantas Transgênicas Organismo geneticamente modificado (OGM): Transgênico Organismo que recebeu um ou mais genes de outro organismo e passa a expressar uma nova característica de especial interesse. DNA

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ

LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ LEVANTAMENTO DOS RISCOS DE CONTAMINAÇÃO EM UM LABORATÓRIO DE ANÁLISES CLÍNICAS NO CENTRO- OESTE DO ESTADO PARANÁ Guilherme Viero, Marlise Shoenhals, Franciele A.C. Follador, Darlan Clóvis Vettorello Rech,

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA e POLÍTICA RURAL. REQUERIMENTO Nº 2003 (Do Deputado Waldemir Moka)

COMISSÃO DE AGRICULTURA e POLÍTICA RURAL. REQUERIMENTO Nº 2003 (Do Deputado Waldemir Moka) COMISSÃO DE AGRICULTURA e POLÍTICA RURAL REQUERIMENTO Nº 2003 (Do Deputado Waldemir Moka) Requeiro, nos termos regimentais, seja realizado o Seminário INOVAÇÕES BIOTECNOLÓGICAS NA AGRICULTURA, dividido

Leia mais

PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA A ÁREA DE BIOSSEGURANÇA NA FIOCRUZ

PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA A ÁREA DE BIOSSEGURANÇA NA FIOCRUZ MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ PEDRO CÉSAR TEIXEIRA SILVA PROPOSTA PARA CRIAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA A ÁREA DE BIOSSEGURANÇA NA FIOCRUZ Rio de Janeiro Agosto de 2004 MINISTÉRIO

Leia mais

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à :

Risco Biológico. A ocorrência do evento danoso está ligado à : RISCO BIOLÓGICO Risco Biológico A ocorrência do evento danoso está ligado à : 1) Existência ou não de medidas preventivas Níveis de Biossegurança. 2) Existência ou não de medidas preventivas que garantam

Leia mais

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (2004) 20 QUESTÕES ACERCA DE PRODUTOS ALIMENTARES GENETICAMENTE MODIFICADOS (GM)

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (2004) 20 QUESTÕES ACERCA DE PRODUTOS ALIMENTARES GENETICAMENTE MODIFICADOS (GM) ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (2004) 20 QUESTÕES ACERCA DE PRODUTOS ALIMENTARES GENETICAMENTE MODIFICADOS (GM) Estas perguntas e respostas foram preparadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em resposta

Leia mais

Mesa de Controvérsias sobre Transgênicos Brasília, 10 de julho de 2013

Mesa de Controvérsias sobre Transgênicos Brasília, 10 de julho de 2013 Mesa de Controvérsias sobre Transgênicos Brasília, 10 de julho de 2013 Painel Os Processos Decisórios e de Regulamentação e o Controle Social na Construção da Política de Biossegurança Leonardo Melgarejo

Leia mais

TÍTULO: RESPONSABILIDADE PENAL E CIVIL DOS MANIPULADORES DE ALIMENTOS TRANSGÊNICOS

TÍTULO: RESPONSABILIDADE PENAL E CIVIL DOS MANIPULADORES DE ALIMENTOS TRANSGÊNICOS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: RESPONSABILIDADE PENAL E CIVIL DOS MANIPULADORES DE ALIMENTOS TRANSGÊNICOS CATEGORIA: CONCLUÍDO

Leia mais

ROTULAGEM DE OGMs : NORMAS, PROCEDIMENTOS E FISCALIZAÇÃO

ROTULAGEM DE OGMs : NORMAS, PROCEDIMENTOS E FISCALIZAÇÃO ROTULAGEM DE OGMs : NORMAS, PROCEDIMENTOS E FISCALIZAÇÃO Curitiba, 08 e 12 de novembro de 2004 ROTULAGEM DE OGMs Hoeck Miranda Assessor Técnico Gerência de Produtos Especiais da Gerência Geral de Alimentos

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO MILTON CAMPOS RODRIGO MONTANARI CABRAL REGULAMENTAÇÃO DOS ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA

FACULDADE DE DIREITO MILTON CAMPOS RODRIGO MONTANARI CABRAL REGULAMENTAÇÃO DOS ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA FACULDADE DE DIREITO MILTON CAMPOS RODRIGO MONTANARI CABRAL REGULAMENTAÇÃO DOS ORGANISMOS GENETICAMENTE MODIFICADOS NA LEGISLAÇÃO BRASILEIRA NOVA LIMA MG 2012 RODRIGO MONTANARI CABRAL REGULAMENTAÇÃO DOS

Leia mais

The basis of biosafety training in Brazil

The basis of biosafety training in Brazil Universidade Federal de Santa Catarina Departamento de Microbiologia, Imunologia e Parasitologia The basis of biosafety training in Brazil Edmundo C. Grisard, Ph.D. Universidade Federal de Santa Catarina

Leia mais

L 68/28 Jornal Oficial da União Europeia 13.3.2009

L 68/28 Jornal Oficial da União Europeia 13.3.2009 L 68/28 Jornal Oficial da União Europeia 13.3.2009 DECISÃO DA COMISSÃO de 10 de Março de 2009 que autoriza a colocação no mercado de produtos que contenham ou sejam produzidos a partir de colza geneticamente

Leia mais

O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI

O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI O USO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO PELOS ALUNOS E TÉCNICOS DA FACULDADE NOVAFAPI Francisca Miriane de Araújo- NOVAFAPI Lorena Bezerra Barros- NOVAFAPI Marcela de Lacerda Valença- NOVAFAPI Márcio Edivandro

Leia mais

Transgênicos: uma questão ética

Transgênicos: uma questão ética MINISTÉRIO DA SAÚDE FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ ESCOLA POLITÉCNICA DE SAÚDE JOAQUIM VENÂNCIO CURSO TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO EM SAÚDE Transgênicos: uma questão ética Por Lilian Lessa França (especialização em Visa)

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO DEPARTAMENTO CIÊNCIAS AMBIENTAIS E TECNOLÓGICAS BACHARELADO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO DEPARTAMENTO CIÊNCIAS AMBIENTAIS E TECNOLÓGICAS BACHARELADO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMIÁRIDO DEPARTAMENTO CIÊNCIAS AMBIENTAIS E TECNOLÓGICAS BACHARELADO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA ANÁLISE DE RISCO BASEADA NOS CRITÉRIOS DE BIOSEGURANÇA EM LABORATÓRIO DE MICROBIOLOGIA

Leia mais

NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014

NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014 NORMATIVO SARB Nº 14, de 28 DE AGOSTO DE 2014 O Sistema de Autorregulação Bancária da Federação Brasileira de Bancos - FEBRABAN institui o NORMATIVO DE CRIAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM BIOTECNOLOGIA Departamento de Biotecnologia, Genética e Biologia Celular Centro de Ciências Biológicas Universidade Estadual de Maringá Coordenador: Prof. Dr. João Alencar Pamphile

Leia mais

Monitoramento de variedades geneticamente modificadas

Monitoramento de variedades geneticamente modificadas Monitoramento de variedades geneticamente modificadas As falhas da Comissão Européia em proteger seus Estados-Membro O Greenpeace acusa a Comissão Européia de expor seus Estados-Membro aos riscos irreversíveis

Leia mais

ADN. Ficha de Trabalho. 1 - Identifique algumas das aplicações das análises de ADN?

ADN. Ficha de Trabalho. 1 - Identifique algumas das aplicações das análises de ADN? Pág 1 ADN Ficha de Trabalho 1 - Identifique algumas das aplicações das análises de ADN? R: As aplicações são efectuadas em: Medicina Forense, testes de ADN e Engenharia genética. 1- Quais as potencialidades

Leia mais

PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR-PCIH

PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR-PCIH Código: PCIH. SCIH. 001 Versão: 1.0 Revisão: 00 Página: 1de 9 PROGRAMA DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR-PCIH 2013 Código: PCIH. SCIH. 001 Versão: 1.0 Revisão: 00 Página: 2de 9 Programa de Atividades

Leia mais

PROTOCOLO DE CARTAGENA SOBRE BIOSSEGURANÇA DA CONVENÇÃO SOBRE DIVERSIDADE BIOLÓGICA

PROTOCOLO DE CARTAGENA SOBRE BIOSSEGURANÇA DA CONVENÇÃO SOBRE DIVERSIDADE BIOLÓGICA PROTOCOLO DE CARTAGENA SOBRE BIOSSEGURANÇA DA CONVENÇÃO SOBRE DIVERSIDADE BIOLÓGICA As Partes do presente Protocolo, Sendo Partes da Convenção sobre Diversidade Biológica, doravante denominada "a Convenção",

Leia mais

Com auxílio da bioinformática, grupo da USP gera catálogo de genes de espécies de Eimeria

Com auxílio da bioinformática, grupo da USP gera catálogo de genes de espécies de Eimeria Com auxílio da bioinformática, grupo da USP gera catálogo de genes de espécies de Eimeria Os pesquisadores Arthur Gruber e Alda Madeira, professores do Instituto de Ciências Biomédicas da USP e seu grupo

Leia mais

BIOSSEGURANÇA. com ênfase na RDC ANVISA 302. Prof. Archangelo P. Fernandes

BIOSSEGURANÇA. com ênfase na RDC ANVISA 302. Prof. Archangelo P. Fernandes BIOSSEGURANÇA com ênfase na RDC ANVISA 302 Prof. Archangelo P. Fernandes BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Atitude Bom Senso Comportamento BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Atitude Bom Senso Comportamento Conhecimento

Leia mais

FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM ENFª MARÍLIA M. VARELA

FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM ENFª MARÍLIA M. VARELA FUNDAMENTOS DA ENFERMAGEM ENFª MARÍLIA M. VARELA INFECÇÃO As infecções são doenças que envolvem bactérias, fungos, vírus ou protozoários e sua proliferação pode ser vista quando o paciente tem os sintomas,

Leia mais

Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde. IV Encontro Nacional de Tuberculose

Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde. IV Encontro Nacional de Tuberculose Biossegurança em Unidades Primárias de Saúde IV Encontro Nacional de Tuberculose Jorge Eduardo Pio Assistente da S/SUBPAV/CLCPE/GPS Diretor Científico da SOPTERJ 20210-2011 1 Biossegurança em Tuberculose

Leia mais

Capítulos 16 e 19 - Acesso e Transferência de Tecnologia, Repartição de Benefícios e Uso Seguro de Biotecnologias

Capítulos 16 e 19 - Acesso e Transferência de Tecnologia, Repartição de Benefícios e Uso Seguro de Biotecnologias ESTRATÉGIA NACIONAL PARA A IMPLEMENTAÇÃO DA CONVENÇCÃO SOBRE A DIVERSIDADE BIOLÓGICA Capítulos 16 e 19 - Acesso e Transferência de Tecnologia, Repartição de Benefícios e Uso Seguro de Biotecnologias Versão

Leia mais

Biotecnologia e Biossegurança Integração e Oportunidades no Mercosul

Biotecnologia e Biossegurança Integração e Oportunidades no Mercosul Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Meio Ambiente Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Biotecnologia e Biossegurança Integração e Oportunidades no Mercosul Katia Regina Evaristo

Leia mais

ASPECTOS LEGAIS E TÉCNICOS DA SEGURANÇA ALIMENTAR: ROTULAGEM DOS PRODUTOS.

ASPECTOS LEGAIS E TÉCNICOS DA SEGURANÇA ALIMENTAR: ROTULAGEM DOS PRODUTOS. NPI-FMR ASPECTOS LEGAIS E TÉCNICOS DA SEGURANÇA ALIMENTAR: ROTULAGEM DOS PRODUTOS. MARÇAL, G. A. 1 ; MARCHELLI, T. S. 2 ; CÉSARE, E. A. 3 ; SPADOTTO, A. J. 4. 1, 2, 3. FMR; 4. FMR/UNESP - Orientador giba198@bol.com.br;

Leia mais

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Florianópolis, Agosto 2004 Células-tronco O que são células-tronco e o que podemos fazer com elas? Qual a relação

Leia mais

Gerenciando o Monitoramento Pós-Liberação o Comercial no Brasil

Gerenciando o Monitoramento Pós-Liberação o Comercial no Brasil logo_ilsi_al... Gerenciando o Monitoramento Pós-Liberação o Comercial no Brasil O Ponto de Vista da Indústria Avaliação do Risco Ambiental de Culturas Geneticamente Modificadas Geraldo U. Berger, Ph.D.

Leia mais

AS NORMAS DE BIOSSEGURANÇA E A FISCALIZAÇÃO DE OGM NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA

AS NORMAS DE BIOSSEGURANÇA E A FISCALIZAÇÃO DE OGM NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA AS NORMAS DE BIOSSEGURANÇA E A FISCALIZAÇÃO DE OGM NO ÂMBITO DO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA ADAILTON TOMÁZ DA SILVA, Eng. Agr. M.Sc FISCAL FEDERAL AGROPECUÁRIO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA DFA/MG MEMBRO DA

Leia mais

Os alimentos transgênicos e o direito à informação no Código do Consumidor

Os alimentos transgênicos e o direito à informação no Código do Consumidor Os alimentos transgênicos e o direito à informação no Código do Consumidor Murilo de Morais e Miranda Sumário Introdução. 1. Organismos geneticamente modificados. 2. Alimentos transgênicos. 3. Os organismos

Leia mais

Decreto nº 5.591, de 22.11.2005

Decreto nº 5.591, de 22.11.2005 Decreto nº 5.591, de 22.11.2005 Regulamenta dispositivos da Lei nº 11.105, de 24 de março de 2005, que regulamenta os incisos II, IV e V do 1º do art. 225 da Constituição, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

Ref: PA nº 1.16.000.001265/2007-94; Ofício MPF/PRDF/APM nº 320/2007

Ref: PA nº 1.16.000.001265/2007-94; Ofício MPF/PRDF/APM nº 320/2007 Ref: PA nº 1.16.000.001265/2007-94; Ofício MPF/PRDF/APM nº 320/2007 Índice Páginas Respostas itens 1, 6-19 1-39 Anexo, Respostas a-d, 7.1 7.18 40-81 Bibliografia (134 referências) 82-88 Ref: PA nº 1.16.000.001265/2007-94;

Leia mais

ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META

ESPELHO DE EMENDAS DE ACRÉSCIMO DE META SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS Página: 2504 de 2619 ESPELHO DE S DE 1 Apoio à pesquisa e preservação de recursos genéticos e biotecnologia Custos financeiros: Despesas de custeio - 3

Leia mais

Resistência aos antimicrobianos em Salmonella spp.

Resistência aos antimicrobianos em Salmonella spp. Resistência aos antimicrobianos em Salmonella spp. Síntese das investigações desde a descoberta de novos antimicrobianos Final do século XIX: Pasteur efetuou relatos sobre antagonismo entre diferentes

Leia mais

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM: PRÁXIS ENFERMAGEM ESTÉTICA

CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM: PRÁXIS ENFERMAGEM ESTÉTICA Faculdade Campo Limpo Paulista CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO LATU SENSU EM: PRÁXIS ENFERMAGEM ESTÉTICA PROJETO PEDAGÓGICO 2015 Sumário 1. Curso e Área de Conhecimento 2.Objetivo 3.Público-Alvo 4.Coordenador 5.Duração

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL

NORMA PROCEDIMENTAL BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL 10.03.003 1/09 1. FINALIDADE Garantir que os princípios e normas de Biossegurança sejam implementados e seguidos permanentemente nos laboratórios e instalações do Hospital de Clínicas HC. 2. ÂMBITO DE

Leia mais

O reino moneraé composto pelas bactériase cianobactérias(algas azuis). Elas podem viver em diversos locais, como na água, ar, solo, parasitas.

O reino moneraé composto pelas bactériase cianobactérias(algas azuis). Elas podem viver em diversos locais, como na água, ar, solo, parasitas. Reino Monera O reino moneraé composto pelas bactériase cianobactérias(algas azuis). Elas podem viver em diversos locais, como na água, ar, solo, dentro de animais e plantas, ou ainda, como parasitas. Existem

Leia mais

Biotecnologia e Meio Ambiente Prof. Dr. Galdino Andrade Universidade Estadual de Londrina Laboratório de Ecologia Microbiana E-mail: andradeg@uel.

Biotecnologia e Meio Ambiente Prof. Dr. Galdino Andrade Universidade Estadual de Londrina Laboratório de Ecologia Microbiana E-mail: andradeg@uel. Biotecnologia e Meio Ambiente Prof. Dr. Galdino Andrade Universidade Estadual de Londrina Laboratório de Ecologia Microbiana E-mail: andradeg@uel.br 2. TERRA: Uma incrível, porém sensível máquina de reciclagem

Leia mais

ENFERMAGEM EM BIOSSEGURANÇA

ENFERMAGEM EM BIOSSEGURANÇA BIOSSEGURANÇA : 1-CONCEITO: É a ciência que estuda o manuseio de substâncias biológicas avaliando todas as condições que serão necessárias para a atividade de enfermagem. 1.2 Considerações gerais : Em

Leia mais