MicroscopiaElectrónica SEM, TEM

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MicroscopiaElectrónica SEM, TEM"

Transcrição

1 12 MicroscopiaElectrónica SEM, TEM

2 Escolha do equipamento Qual a resolução necessária para estudar certa amostra? areia gravilha Massa da par artícula negro de fumo células de sangue amianto amido bactérias pigmento TiO fumo madeira partículas atmosfera fumo tabaco cinza cabelo seda de aranha vírus macromoléculas átomos Diâmetro em µm TEM olho nu MO estéreo MO SEM

3 Qual a profundidade de campo? D = 0,2 / α M (mm) α divergência (rad) M - ampliação MO M=1200 -> D=6,08 µm SEM D=100 a 500 µm grãos de pólen Tamanho mínimo de partículas analizadas por TEM ~ 5 Å Sensibilidade da amostra a danos devidos a radiação, estabilidade mecânica e humidade?

4 Microscopia Electrónica de Varrimento (Scanning Electron Microscopy) - SEM Interacção entre os electrões e a amostra > electrões e fotões Feixe incidente raios-x Através da espessura Informação sobre composição (ver XRF) electrões Auger Sensível à superfície Informação sobre composição (ver XRF) Electrões retrodifundidos primários Informação sobre nº atómico e topografia Catodoluminescência Informação eléctrica Electrões secundários Informação sobre topografia Amostra Corrente da amostra Informação eléctrica

5 Instrumentação Detector EDS ou WDS Canhão de electrões Lente condensadora Diafragma da objectiva Bobina de varrimento Detector secundário Detector retrodifusão Lente objectiva Circuito de varrimento Amostra Detector de sinal Amplificador de sinal de vídeo Bobina de deflexão Tubo de raios catódicos (CRT) Amplificação M=d/L L: tamanho da imagem no CRT D: tamanho do feixe de electrões na amostra

6 Uso de diferentes tipos de sinais Sinal Modo de operação Informação Electrões secundários SEI Observação topográfica da superfície Electrões retro-difundidos BEI Observação composicional da superfície raios-x raios-x Análise elementar da amostra Electrões transmitidos TEI Observação da estrutura interna Catodo-luminescência CL Observação de características internas Força electromotora EBIC Observação de características internas Electrões secundários ECP Observação do domínio magnético Electrões retrodifundidos MDI Observação do domínio magnético

7 Electrões secundários Feixe de electrões incidente amostra contraste Dependência angular dos electrões secundários grande profundidade de campo Os electrões retro-difundidos (saem da superfície com grande energia) dão informação da topografia e constituição química (efeito de retro-difusão tanto maior quanto maior o nº atómico) electrões secundários electrões retro-difundidos

8 Análise de raios-x em SEM Al Ca Cl Fe K Mn Na O Si Amostra de ar de área urbana com partículas poluentes (cidade do México)

9 Microscopia Electrónica de Transmissão (Transmission Electron Microscopy) - TEM Feixe de e - incidente e - retro-difundidos raios-x e - Auger Catadoluminescência e - secundários Volume de interacção e - difundidos não elasticamente Amostra e - difundidos elasticamente e - não difundidos e - transmitidos

10 Instrumentação Alta voltagem Canhão de electrões Lente condensadora Diafragma do condensador Lente condensadora Diafragma do condensador Suporte da amostra Feixe de electrões Écran fluorescente e câmara

11 Preparação de amostras Amostras pouco condutoras devem ser revestidas com filmes condutores Quando os electrões secundários deixam uma amostra não condutora, geram um excesso de cargas positivas na sua superfície estas deflectem os electrões que passam em direcção do detector, originando uma imagem desfocada cobrindo a amostra com um filme metálico evaporado (usualmente Au-Pd), torna a superfície condutora Em TEM, as amostras devem ser moídas e espalhadas num suporte metálico, ou preparada uma lâmina muito fina

12 Aplicações Mural de Cacaxtla, cultura Mesoamericana, México Pigmento azul Maia Mural de Bonampak, cultura Mesoamericana, México

13 Pigmento azul Maia Imagem TEM de alta resolução da argila Alta resolução Baixa resolução a) Imagem SEM de Sacalum b) Espectro EDS Espectro EELS (electron energy loss spectroscopy) de azul Maia obtido por TEM

14

15

ANDRÉ LUIZ PINTO CBPF

ANDRÉ LUIZ PINTO CBPF 1 MICROSCOPIA ELETRÔNICA ANDRÉ LUIZ PINTO CBPF Roteiro Introdução Fundamentos Fontes de elétrons Lentes de elétrons Interação elétron-matéria Microscópio Eletrônico de Varredura Microscópio Eletrônico

Leia mais

RELATÓRIO N DE ANÁLISE POR MICROSCOPIA. Foram recebidos 02 (dois) recipientes de material particulado, ambos identificados

RELATÓRIO N DE ANÁLISE POR MICROSCOPIA. Foram recebidos 02 (dois) recipientes de material particulado, ambos identificados Porto Alegre, 10 de Junho de 2011 RELATÓRIO N 01.06.11 DE ANÁLISE POR MICROSCOPIA 1 Dados Cadastrais 1.1 Solicitante Grimaldo Costa Furtado Sobrinho T.M.F Indústria e Comércio Ltda 1.2 Material Recebido

Leia mais

interação feixe de elétrons-amostra [3] Propriedades do elétron:

interação feixe de elétrons-amostra [3] Propriedades do elétron: [3] Propriedades do elétron: 1> Comprimento de onda do feixe de elétrons (λ): V [kv] λ [pm] 1 38,7 5 17,3 10 12,2 15 9,9 20 8,6 25 30 120 200 7,6 6,9 3,3 2,5 λ = λ = 2 e V m 1,5 h e 2 + ( ) 6 2 V + 10

Leia mais

TÉCNICAS DE MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA PARA CARACTERIZAÇÃO DE MATERIAIS PMT-5858

TÉCNICAS DE MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA PARA CARACTERIZAÇÃO DE MATERIAIS PMT-5858 TÉCNICAS DE MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA PARA CARACTERIZAÇÃO PMT-5858 3ª AULA Interação entre elétrons e amostra Prof. Dr. André Paulo Tschiptschin (PMT-EPUSP) 1. INTERAÇÃO ELÉTRONS AMOSTRA O QUE

Leia mais

Física Laboratorial Ano Lectivo 2003/04 OSCILOSCÓPIO

Física Laboratorial Ano Lectivo 2003/04 OSCILOSCÓPIO 1. Introdução OSCILOSCÓPIO O osciloscópio (fig. 1) é o mais útil e versátil dos instrumentos utilizados para testes de circuitos electrónicos, uma vez que nos permite visualizar a evolução de uma diferença

Leia mais

Microscopia e o Espectro Eletromagnético

Microscopia e o Espectro Eletromagnético Microscopia e o Espectro Eletromagnético O limite de resolução inferior de um microscópio é determinado pelo fato de que, nestes instrumentos, se utiliza ondas eletromagnéticas para a visualização Não

Leia mais

Parte II Elementos básicos do microscópio. II Encontro da Rede Mineira de Química - UFSJ - Maio de 2012

Parte II Elementos básicos do microscópio. II Encontro da Rede Mineira de Química - UFSJ - Maio de 2012 Parte II Elementos básicos do microscópio 18 Elementos básicos do microscópio Condensadora Lente Objetiva Tela fluorescente Objeto Plano focal Primeira imagem 19 Canhões de Elétrons Além da fonte de elétrons,

Leia mais

Técnicas de microscopia eletrônica de varredura para caracterização de materiais PMT-5858

Técnicas de microscopia eletrônica de varredura para caracterização de materiais PMT-5858 Técnicas de microscopia eletrônica de varredura para caracterização de materiais PMT-5858 Prática Laboratorial Prof. Dr. André Paulo Tschiptschin (PMT-EPUSP) DEPENDÊNCIA ENTRE OS CONCEITOS BÁSICOS DE OPERAÇÃO

Leia mais

Teoria da ligação química

Teoria da ligação química FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA E FARMÁCIA Caderno de problemas para as aulas teórico-práticas e tutoriais Teoria da ligação química 2009/2010 Radiação Electromagnética. Teoria

Leia mais

ESPECTROMETRIA DE RAIOS X

ESPECTROMETRIA DE RAIOS X ESPECTROMETRIA DE RAIOS X 1. Resumo Neste trabalho pretende se estudar o espectro de baixa energia essencialmente constituído por raios X de vários isótopos recorrendo a um detector para baixas energias

Leia mais

Descoberta dos Raios-X

Descoberta dos Raios-X Descoberta dos Raios-X 1895 - Wilhelm Conrad Roentgen Experimentos com tubo de raios catódicos brilho em um cristal fluorescente perto do tubo mesmo mantendo o tubo coberto Raios invisíveis, natureza desconhecida:

Leia mais

SEMAT / UM Caracterização de Materiais por Difracção de Electrões Retrodifundidos (EBSD) Centro de Materiais da Universidade do Porto (CEMUP)

SEMAT / UM Caracterização de Materiais por Difracção de Electrões Retrodifundidos (EBSD) Centro de Materiais da Universidade do Porto (CEMUP) SEMAT / UM Caracterização de Materiais por Difracção de Electrões Retrodifundidos (EBSD) Centro de Materiais da Universidade do Porto (CEMUP) Rui Rocha rrocha@reit.up.pt Resumo 1. Fundamentos da técnica

Leia mais

Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais

Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais Preparação de Amostras para MET em Ciência dos Materiais I Escola de Microscopia Eletrônica de Transmissão do CBPF/LABNANO Junho/2008 Ana Luiza Rocha Sumário 1. Condições de uma amostra adequada para MET

Leia mais

Raios-x. Proteção e higiene das Radiações Profª: Marina de Carvalho CETEA

Raios-x. Proteção e higiene das Radiações Profª: Marina de Carvalho CETEA Raios-x Proteção e higiene das Radiações Profª: Marina de Carvalho CETEA Materiais Radioativos 1896 o físico Francês Becquerel descobriu que sais de Urânio emitia radiação capaz de produzir sombras de

Leia mais

Níveis de energia do átomo

Níveis de energia do átomo Níveis de energia do átomo Para um átomo de hidrogénio, a energia das orbitas é: 13.6 ev E n = n 2 Quando um eletrão salta de uma órbita para outra absorve ou perde energia: Δ E=E i E j = 13.6 ev ( 1 n

Leia mais

Origens históricas dos raios-x. Tubos de Crookes

Origens históricas dos raios-x. Tubos de Crookes Origens históricas dos raios-x Tubos de Crookes http://www.answers.com/topic/crookes-tube Origens históricas dos raios-x Tubo de Raios-X http://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/energianuclear/imagens/energia-nuclear99.jpg

Leia mais

Aplicações da Mecânica Quântica

Aplicações da Mecânica Quântica Aplicações da Mecânica Quântica LASER I Amplificação da luz por emissão estimulada da radiação As bases teóricas para o laser foram estabelecidas por Einstein em 1917. O primeiro laser foi construído em

Leia mais

O campo eléctrico é definido em termos de uma. Por convenção esta partícula tem carga positiva

O campo eléctrico é definido em termos de uma. Por convenção esta partícula tem carga positiva FÍSICA 12º ANO CAMPO - 2014 CAMPO CARGA DE PROVA O campo eléctrico é definido em termos de uma carga chamada de carga de prova q carga, chamada de carga de prova, q o Por convenção esta partícula tem carga

Leia mais

Contextualização. O aparecimento da Física Atómica teve o contributo de diversas descobertas. Contam-se: 1) Os espectros de absorção e de emissão.

Contextualização. O aparecimento da Física Atómica teve o contributo de diversas descobertas. Contam-se: 1) Os espectros de absorção e de emissão. Contextualização histórica No século XIX existiam as seguintes áreas da Física bem definidas: Mecânica Clássica Electromagnetismo Termodinâmica Física Estatística (tentava compreender a termodinâmica à

Leia mais

Electromagnetismo e Óptica

Electromagnetismo e Óptica Electromagnetismo e Óptica Experiência de Thomson (Grupos D e E) OBJECTIVOS Observar o efeito da força de Lorentz. Medir o campo de indução magnética produzido por bobinas de Helmholtz. Determinar experimentalmente

Leia mais

Microscopia eletrônica de Transmissão: Aspectos básicos e aplicações. Douglas Rodrigues Miquita Centro de Microscopia da UFMG

Microscopia eletrônica de Transmissão: Aspectos básicos e aplicações. Douglas Rodrigues Miquita Centro de Microscopia da UFMG Microscopia eletrônica de Transmissão: Aspectos básicos e aplicações. Douglas Rodrigues Miquita Centro de Microscopia da UFMG Parte I Introdução aos aspectos básicos Por que precisamos de TEM 2 Prólogo

Leia mais

Microscopia para Microeletrônica

Microscopia para Microeletrônica QuickTime and a Photo - JPEG decompressor are needed to see this picture. Microscopia para Microeletrônica Prof. Dr. Antonio Carlos Seabra acseabra@lsi.usp.br Microscopia Tipos de análise Morfológica (espessura,

Leia mais

PROJECTO PULSAR EFEITOS DA RADIAÇÃO CÓSMICA EM PELÍCULA HOLOGRÁFICA

PROJECTO PULSAR EFEITOS DA RADIAÇÃO CÓSMICA EM PELÍCULA HOLOGRÁFICA 1 of 6 PROJECTO PULSAR - Efeitos da radiação cósmica em película holográfica Alexandre Cabral (INETI), Paulo Pires (INCM), José Manuel Rebordão (INETI) LISBOA, 24 DE JUNHO DE 2002 ACTIVIDADE Efeitos da

Leia mais

Microscopia de transmissão de elétrons - TEM TEM. NP de Magnetita. Microscópio de Alta-resolução - HRTEM. Nanocristais Ni 03/04/2014

Microscopia de transmissão de elétrons - TEM TEM. NP de Magnetita. Microscópio de Alta-resolução - HRTEM. Nanocristais Ni 03/04/2014 CQ135 FUNDAMENTOS DE QUÍMICA INORGÂNICA IV Microscopia de transmissão de elétrons - TEM Prof. Dr. Herbert Winnischofer hwin@ufpr.br Técnicas de caracterização Microscopia e difração de raio X TEM NP de

Leia mais

Termodinâmica e Estrutura da Matéria

Termodinâmica e Estrutura da Matéria Termodinâmica e Estrutura da Matéria Laboratório 2 (Grupos A, B e C) Efeito fotoeléctrico OBJECTIVOS Estudar o efeito fotoeléctrico. Determinar a constante de Planck. 1. INTRODUÇÃO O efeito fotoeléctrico

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICASF. 1

CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICASF. 1 CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICASF 1 http://www.cbpf.br MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA ANDRÉ LUIZ PINTO CBPF Roteiro Aplicações da Microscopia à Nanotecnologia Introdução O que é Nanotecnologia?

Leia mais

Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Materiais 2º semestre de Informações e instruções para a resolução da prova

Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Materiais 2º semestre de Informações e instruções para a resolução da prova Programa de Pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Materiais 2º semestre de 2015 Informações e instruções para a resolução da prova 1. A prova deve ser realizada sem consulta; 2. A duração da prova é

Leia mais

Introdução ao Teste de Microcircuitos

Introdução ao Teste de Microcircuitos Introdução ao Teste de Microcircuitos 1/30 Sumário 1. Introdução 1.1 Fases da Produção de um Microcircuito 1.2 Tipos de Testes 2. Engenharia de Testes 2.1 Interacção entre as fases de fabrico 2.2 A importância

Leia mais

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra

Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra Departamento de Zoologia da Universidade de Coimbra Armando Cristóvão Adaptado de "The Tools of Biochemistry" de Terrance G. Cooper Espectrofotometria de Absorção Uma das primeiras características químicas

Leia mais

Técnicas de Caracterização de Materiais DEMEC TM049 Prof Adriano Scheid

Técnicas de Caracterização de Materiais DEMEC TM049 Prof Adriano Scheid Técnicas de Caracterização de Materiais DEMEC TM049 Prof Adriano Scheid Análise Metalográfica Análise Metalográfica Histórico Henry Clifton Sorby 1863 observou pela primeira vez uma microestrutura em microscópio.

Leia mais

ESTUDO DE COMPOSTOS INTERMETÁLICOS DE Au Al, OBTIDOS POR DIFUSÃO NO ESTADO SÓLIDO, USANDO A MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA (MEV)

ESTUDO DE COMPOSTOS INTERMETÁLICOS DE Au Al, OBTIDOS POR DIFUSÃO NO ESTADO SÓLIDO, USANDO A MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA (MEV) ESTUDO DE COMPOSTOS INTERMETÁLICOS DE Au Al, OBTIDOS POR DIFUSÃO NO ESTADO SÓLIDO, USANDO A MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA (MEV) A. S. S NEVES 1, L. M. M. DIAS 2, M. V. R. da SILVA 3, F. A. de SÁ

Leia mais

Revisão de Conceitos e Fundamentos de Física das Radiações (B)

Revisão de Conceitos e Fundamentos de Física das Radiações (B) Revisão de Conceitos e Fundamentos de Física das Radiações (B) Augusto Oliveira adoliv@ctn.ist.utl.pt PSR WP4 ARIAS 2014 Resumo 1. A radiação 2. Energia 3. O jogo do lego da natureza 4. O átomo 5. Níveis

Leia mais

Origens históricas dos raios-x. Tubos de Crookes

Origens históricas dos raios-x. Tubos de Crookes Origens históricas dos raios-x Tubos de Crookes http://www.answers.com/topic/crookes-tube Origens históricas dos raios-x Tubo de Raios-X http://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/energianuclear/imagens/energia-nuclear99.jpg

Leia mais

Pequenas diferenças de atenuação dos tecidos mamários requerem o uso de equipamentos e técnicas especiais para detecção do câncer de mama

Pequenas diferenças de atenuação dos tecidos mamários requerem o uso de equipamentos e técnicas especiais para detecção do câncer de mama Mamografia Pequenas diferenças de atenuação dos tecidos mamários requerem o uso de equipamentos e técnicas especiais para detecção do câncer de mama São essenciais técnicas que minimizem as doses e otimizem

Leia mais

Elementos sobre Física Atómica

Elementos sobre Física Atómica Elementos sobre Física Atómica Carla Silva Departamento de Física da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve 1 ÍNDICE OS MODELOS ATÓMICOS O modelo de Pudim de Passas de Thomson O

Leia mais

Escola Secundária Alexandre Herculano 2009/2010

Escola Secundária Alexandre Herculano 2009/2010 Escola Secundária Alexandre Herculano 2009/2010 Curso Profissional de Programação e Gestão de Sistemas Informáticos Física e Química Teste de Avaliação - Módulo F3 11ºAno Turma M Número: Nome: Classificação:

Leia mais

NOTA: Os primeiros aparelhos emitiam radiação praticamente na faixa de Raios X duros, sendo extremamente perigosos, podendo causar danos biológicos.

NOTA: Os primeiros aparelhos emitiam radiação praticamente na faixa de Raios X duros, sendo extremamente perigosos, podendo causar danos biológicos. As colisões dos elétrons com alta energia cinética no tubo fluorescente provocam transições eletrônicas que envolvem orbitais internos. Raios X moles (de maior λ e fraco poder de penetração, e.g. λ=150å

Leia mais

QUESTÕES DE FÍSICA MODERNA

QUESTÕES DE FÍSICA MODERNA QUESTÕES DE FÍSICA MODERNA 1) Em diodos emissores de luz, conhecidos como LEDs, a emissão de luz ocorre quando elétrons passam de um nível de maior energia para um outro de menor energia. Dois tipos comuns

Leia mais

Trabalho prático: Espectrometria gama com detectores de cintilação

Trabalho prático: Espectrometria gama com detectores de cintilação Trabalho prático: Espectrometria gama com detectores de cintilação O detector de NaI(Tl) Durante a década de 1950 começaram a ser desenvolvidos detectores de cintilação de elevada eficiência, grande rapidez

Leia mais

O espectro eletromagnético

O espectro eletromagnético Difração de Raios X O espectro eletromagnético luz visível raios-x microondas raios gama UV infravermelho ondas de rádio Comprimento de onda (nm) Raios Absorção, um fóton de energia é absorvido promovendo

Leia mais

Técnica Básicas para Análises de Células e Tecidos

Técnica Básicas para Análises de Células e Tecidos Técnica Básicas para Análises de Células e Tecidos Visão panorâmica da célula Algumas grandezas... 1km 1.000m 1m 100 cm 1cm 10 mm 1mm 1000 µm 1 µm 1000 nm 1Å (Angstron Angstron) 10 10-10 m Visão panorâmica

Leia mais

Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos Bacharelado em Ciências Físicas e Biomoleculares Microbiologia 2017

Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos Bacharelado em Ciências Físicas e Biomoleculares Microbiologia 2017 Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos Bacharelado em Ciências Físicas e Biomoleculares Microbiologia 2017 A. Componentes do microscópio óptico Aula Prática 01: MICROSCOPIA ÓPTICA

Leia mais

Capítulo 12. Catodoluminescência. Ruth Hinrichs 1,2*, Carla Cristine Porcher 1,3. Instituto de Geociências, UFRGS

Capítulo 12. Catodoluminescência. Ruth Hinrichs 1,2*, Carla Cristine Porcher 1,3. Instituto de Geociências, UFRGS Capítulo 12 Catodoluminescência Ruth Hinrichs 1,2*, Carla Cristine Porcher 1,3 1 Instituto de Geociências, UFRGS 2 Laboratório de Microanálise, Instituto de Física, UFRGS 3 Laboratório de Geologia Isotópica,

Leia mais

Estudo de superfícies de sólidos Maria da Conceição Paiva 1

Estudo de superfícies de sólidos Maria da Conceição Paiva 1 Estudo de superfícies de sólidos 18-12-2006 Maria da Conceição Paiva 1 Estudo de Superfícies de Sólidos - XPS Métodos de caracterização química e físico-química de superfícies: Espectroscopia fotoelectrónica

Leia mais

Aplica-se à observação de microorganismos vivos, sem preparação prévia (coloração)

Aplica-se à observação de microorganismos vivos, sem preparação prévia (coloração) Campo Escuro Campo Escuro Constitui uma técnica especializada de iluminação que utiliza a luz oblíqua para reforçar o contraste em espécimes que não estão bem definidas sob condições normais de iluminação

Leia mais

20/8/2012. Raduan. Raduan

20/8/2012. Raduan. Raduan MÉTODOS DE ESTUDO: CÉLULAS E TECIDOS 1 2 3 Etapas na preparação de amostras de tecidos para estudo histológico 4 Fixação Finalidades: Evitar a autólise; Impedir a atividade e proliferação de bactérias;

Leia mais

Estrutura dos átomos

Estrutura dos átomos Estrutura dos átomos O número quântico principal n define o nível energético de base. Os outros números quânticos especificam o tipo de orbitais mas a relação com a energia pode ser complicada. Exemplos:

Leia mais

Noções Básicas em Microscopia Óptica

Noções Básicas em Microscopia Óptica Disciplina: Microbiologia Geral Noções Básicas em Microscopia Óptica Os microrganismos são pequenos demais para serem vistos a olho nú; Deve-se observá-los através de um microscópio. Latim Micro Pequeno

Leia mais

Física da Radiação - Radiação Cósmica

Física da Radiação - Radiação Cósmica Mestrado Integrado em Engenharia Biomédica N o : 58484 E-mail: miguel.amador@ist.utl.pt Instituto Superior Técnico 6 de Janeiro de 2011 Outline Introdução 1 Introdução 2 História da dos Raios Cósmicos

Leia mais

6/Maio/2013 Aula 21. Átomo de hidrogénio Modelo de Bohr Modelo quântico. Números quânticos. 29/Abr/2013 Aula 20

6/Maio/2013 Aula 21. Átomo de hidrogénio Modelo de Bohr Modelo quântico. Números quânticos. 29/Abr/2013 Aula 20 29/Abr/2013 Aula 20 Equação de Schrödinger. Aplicações: 1º partícula numa caixa de potencial 2º partícula num poço de potencial finito 3º oscilador harmónico simples 4º barreira de potencial, probabilidade

Leia mais

Para perceber porque é que os corpos quentes radiam energia é necessário perceber o que é o calor.

Para perceber porque é que os corpos quentes radiam energia é necessário perceber o que é o calor. A informação do BI dos Corpos Celestes Para perceber porque é que os corpos quentes radiam energia é necessário perceber o que é o calor. Para perceber o espectro estelar (que é mais complicado que o do

Leia mais

Aula anterior. Equação de Schrödinger a 3 dimensões. d x 2m - E -U. 2m - E -U x, y, z. x y z x py pz cin cin. E E ( x, y,z ) - 2m 2m x y z

Aula anterior. Equação de Schrödinger a 3 dimensões. d x 2m - E -U. 2m - E -U x, y, z. x y z x py pz cin cin. E E ( x, y,z ) - 2m 2m x y z 6/Maio/2013 Aula 21 Efeito de túnel quântico: decaimento alfa. Aplicações: nanotecnologias; microscópio por efeito de túnel. Equação de Schrödinger a 3 dimensões. Átomo de hidrogénio Modelo de Bohr 8/Maio/2013

Leia mais

https://sites.google.com/site/estruturabc0102/

https://sites.google.com/site/estruturabc0102/ Estrutura da Matéria Aula 3: A Descoberta do Elétron e Modelos do Átomo E-mail da turma: emufabc@gmail.com Senha: ufabcsigma https://sites.google.com/site/estruturabc0102/ A primeira Teoria atômica (~1808)

Leia mais

Sumário. Espectros, Radiação e Energia

Sumário. Espectros, Radiação e Energia Sumário Das Estrelas ao átomo Unidade temática 1 Radiação ionizante e radiação não ionizante.. E suas aplicações. APSA 5 Espectro eletromagnético.. Radiação não ionizante São radiações não ionizantes as

Leia mais

ESPESTROSCOPIA POR ENERGIA DISPERSIVA (EDS) E ESPECTROSCOPIA POR COMPRIMENTO DE ONDA DISPERSIVO (WDS)

ESPESTROSCOPIA POR ENERGIA DISPERSIVA (EDS) E ESPECTROSCOPIA POR COMPRIMENTO DE ONDA DISPERSIVO (WDS) ESPESTROSCOPIA POR ENERGIA DISPERSIVA (EDS) E ESPECTROSCOPIA POR COMPRIMENTO DE ONDA DISPERSIVO (WDS) INTRODUÇÃO 1895 Wilhelm Röngten observou os efeitos de uma radiação invisível vel Raios-X Altos graus

Leia mais

Electromagnetismo e Óptica

Electromagnetismo e Óptica Electromagnetismo e Óptica Laboratório 1 Experiência de Thomson OBJECTIVOS Observar o efeito da força de Lorentz. Medir o campo de indução magnética produzido por bobinas de Helmholtz. Determinar experimentalmente

Leia mais

Difração de raios X. Ciência dos Materiais

Difração de raios X. Ciência dos Materiais Difração de raios X Ciência dos Materiais A descoberta dos raios X Roentgen 1895 Mão da Sra. Roentgen Mão do Von Kolliker 1ª radiografia da história Tubo de Crookes 3-99 DIFRAÇÃO DE RAIOS X Difração de

Leia mais

Difracção de electrões

Difracção de electrões Difracção de electrões Objectivos: i) Verificar que electrões com energias da ordem de -0 kev são difractados por um filme de grafite, exibindo o seu carácter ondulatório; ii) verificar a relação de de

Leia mais

AULA PRÁTICA SOBRE MICROSCOPIA PARTE 1

AULA PRÁTICA SOBRE MICROSCOPIA PARTE 1 1 AULA PRÁTICA SOBRE MICROSCOPIA PARTE 1 INTRODUÇÃO: O microscópio de luz é um aparelho que destina-se a observação de objetos muito pequenos, difíceis de serem examinados em detalhes a olho nu. O tipo

Leia mais

EFEITO FOTO-ELÉCTRICO DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE DE PLANCK

EFEITO FOTO-ELÉCTRICO DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE DE PLANCK EFEITO FOTO-ELÉCTRICO DETERMINAÇÃO DA CONSTANTE DE PLANCK Objectivo: O objectivo desta experiência é o estudo do efeito fotoeléctrico de um metal, e a determinação da constante de Planck. Introdução :

Leia mais

Física Laboratorial Ano Lectivo 2004/05 OSCILOSCÓPIO

Física Laboratorial Ano Lectivo 2004/05 OSCILOSCÓPIO 1. Introdução OSCILOSCÓPIO O osciloscópio (fig. 1) é o mais útil e versátil dos instrumentos utilizados para testes de circuitos electrónicos, uma vez que nos permite visualizar a evolução de uma diferença

Leia mais

Evolução dos monitores. Os monitores evoluíram mais devagar que os outros aparelhos eletrônicos.

Evolução dos monitores. Os monitores evoluíram mais devagar que os outros aparelhos eletrônicos. Monitores Evolução dos monitores Os monitores evoluíram mais devagar que os outros aparelhos eletrônicos. Conexões Uma parte muito importante dos monitores é a sua ligação entre o computador e o monitor.

Leia mais

Conjunto de experiências disponíveis no Campus de Gualtar (Braga)

Conjunto de experiências disponíveis no Campus de Gualtar (Braga) Conjunto de experiências disponíveis no Campus de Gualtar (Braga) Viagem pela ótica Luz e cor A radiação eletromagnética: dos raios gama às ondas rádio. Fontes de radiação visível. Interação da radiação

Leia mais

Espectometriade Fluorescência de Raios-X

Espectometriade Fluorescência de Raios-X FRX Espectometriade Fluorescência de Raios-X Prof. Márcio Antônio Fiori Prof. Jacir Dal Magro FEG Conceito A espectrometria de fluorescência de raios-x é uma técnica não destrutiva que permite identificar

Leia mais

Microscopia de Força Atômica (AFM)

Microscopia de Força Atômica (AFM) Microscopia de Força Atômica (AFM) Microscopia (AFM) Modelos AFM Center of Nanoscience, Nanotechnology and Innovation CeNano 2 I Microscopia (AFM) Figura.7.36a. Diagrama representativo de funcionamento

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Física Departamento de Física. FIS01184 Física IV-C Área 1 Lista 1

Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Instituto de Física Departamento de Física. FIS01184 Física IV-C Área 1 Lista 1 Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Física Departamento de Física FIS01184 Física IV-C Área 1 Lista 1 1.A luz do Sol no limite superior da atmosfera terrestre tem uma intensidade de

Leia mais

RADIAÇÃO. 2. Radiação Eletromagnética. 1. Introdução. Características da Radiação Eletromagnética

RADIAÇÃO. 2. Radiação Eletromagnética. 1. Introdução. Características da Radiação Eletromagnética O AQUECIMENTO DA ATMOSFERA RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE 1. Introdução RADIAÇÃO Radiação = Modo de transferência de energia por ondas eletromagnéticas única forma de transferência de energia sem a presença

Leia mais

Reabilitação e Reforço de Estruturas

Reabilitação e Reforço de Estruturas Mestrado em Engenharia Civil 2011 / 2012 Reabilitação e Reforço de Estruturas Aula 06: Métodos de inspecção e diagnóstico. 6.3. Termografia de infra-vermelho. Eduardo S. Júlio 1/22 João Ramos ESTG Leiria

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO FÍSICA III. Exercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA

INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO FÍSICA III. Exercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA INSTITUTO POLITÉCNICO DE BRAGANÇA ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E DE GESTÃO FÍSICA III Eercícios teórico-práticos FILIPE SANTOS MOREIRA Física 3 (EQ) Eercícios TP Índice Índice i Derivadas e integrais

Leia mais

MÓDULO 1 Noções Básicas de Eletricidade

MÓDULO 1 Noções Básicas de Eletricidade Técnico de Gestão de Equipamentos Informáticos ESCOLA SECUNDÁRIA DE TOMAZ PELAYO SANTO TIRSO 402916 MÓDULO 1 Noções Básicas de Eletricidade Eletrónica Fundamental Prof.: Erika Costa Estrutura da Matéria

Leia mais

FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2

FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2 FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2 Diagnóstico por imagens Radiologia convencional/digital II Geradores de raios X 1 Transformadores de alta tensão Rede elétrica do hospital 420 V Tensão de aceleração para imagens

Leia mais

Definição de uma Imagem Digital

Definição de uma Imagem Digital Definição de uma Imagem Digital Por que um objeto é visível? vel? http://www.luminous-landscape.com/tutorials/color_and_vision.shtml O olho humano o dispositivo de entrada da informação visual Funciona

Leia mais

SOLAR E TERRESTRE RADIAÇÃO O O AQUECIMENTO DA ATMOSFERA. 2. Radiação Eletromagnética. 1. Introdução. Características da Radiação Eletromagnética

SOLAR E TERRESTRE RADIAÇÃO O O AQUECIMENTO DA ATMOSFERA. 2. Radiação Eletromagnética. 1. Introdução. Características da Radiação Eletromagnética O O AQUECIMENTO DA ATMOSFERA RADIAÇÃO SOLAR E TERRESTRE 1. Introdução RADIAÇÃO Radiação = Modo de transferência de energia por ondas eletromagnéticas única forma de transferência de energia sem a presença

Leia mais

grupos dadores e aceitadores de electrões Electrões deslocalizados - Ligações duplas e/ou acompanhadas por

grupos dadores e aceitadores de electrões Electrões deslocalizados - Ligações duplas e/ou acompanhadas por Transições vibracionais iv médio ou longínquo Transições electrónicas uv-vis-iv próximo Transições entre orbitais moleculares deslocalizadas vis-uv próximo Típicas de pigmentos orgânicos e corantes (Indigo,

Leia mais

INSTRUMENTAÇÃO PARA IMAGIOLOGIA MÉDICA

INSTRUMENTAÇÃO PARA IMAGIOLOGIA MÉDICA INSTRUMENTAÇÃO PARA IMAGIOLOGIA MÉDICA TÉCNICAS DE IMAGEM POR ULTRA-SONS Licenciatura em Engenharia Biomédica da FACULDADE DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA INSTRUMENTAÇÃO PARA IMAGIOLOGIA

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO

NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO NORMAS DE SEGURANÇA NO LABORATÓRIO Usar guarda-pó abotoado; Usar preferencialmente calças compridas; Sapatos fechados; Cabelos presos; Não pipetar produto algum com a boca; Não usar produto que não esteja

Leia mais

Evolução dos Modelos Atómicos. Pág. 178

Evolução dos Modelos Atómicos. Pág. 178 Evolução dos Modelos Atómicos Pág. 178 Modelo da nuvem electrónica Nuvem electrónica Núcleo Região negativa do átomo onde se movimentam os electrões (carga -1) Carga Nuclear Região positiva do átomo onde

Leia mais

4. MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO, TÉCNICAS ESPECTROSCÓPICAS, NANOINDENTAÇÃO.

4. MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO, TÉCNICAS ESPECTROSCÓPICAS, NANOINDENTAÇÃO. Nanoidentação. 49 4. MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO, TÉCNICAS ESPECTROSCÓPICAS, NANOINDENTAÇÃO. 4.1 Microscopia Eletrônica de Transmissão (TEM) A microscopia eletrônica de transmissão é uma ferramenta

Leia mais

13/Maio/2016 Aula 20. Átomo de hidrogénio Modelo de Bohr Modelo quântico. Números quânticos. 11/Maio/2016 Aula 19

13/Maio/2016 Aula 20. Átomo de hidrogénio Modelo de Bohr Modelo quântico. Números quânticos. 11/Maio/2016 Aula 19 11/Maio/2016 Aula 19 Aplicações: - nanotecnologias; - microscópio por efeito de túnel. Equação de Schrödinger a 3 dimensões. 13/Maio/2016 Aula 20 Átomo de hidrogénio Modelo de Bohr Modelo quântico. Números

Leia mais

Entre sistemas a temperaturas diferentes a energia transfere-se do sistema com temperatura mais elevada para o sistema a temperatura mais baixa.

Entre sistemas a temperaturas diferentes a energia transfere-se do sistema com temperatura mais elevada para o sistema a temperatura mais baixa. Sumário Do Sol ao Aquecimento Unidade temática 1. Mecanismos de transferência de calor: a radiação, a condução e a convecção. O coletor solar e o seu funcionamento. Materiais condutores e isoladores do

Leia mais

Aquisição de Imagens

Aquisição de Imagens Aquisição de Imagens Etapas típicas envolvidas no processamento de imagens. Aquisição da imagem Pré-processamento Segmentação Reconhecimento dos objetos e regiões Princípios da Visão Humana Referência:

Leia mais

Características Gerais dos Detectores de Radiação

Características Gerais dos Detectores de Radiação Características Gerais dos Detectores de Radiação Princípio básico: transferência da energia da radiação incidente para o material do detector Transferência de energia: excitação ou ionização dos átomos

Leia mais

Curso Técnico em Mecânica ELETRICIDADE

Curso Técnico em Mecânica ELETRICIDADE Curso Técnico em Mecânica - 2016 ELETRICIDADE Aula 05 Resistência elétrica Prof. Dra. Giovana Tripoloni Tangerino https://giovanatangerino.wordpress.com giovanatangerino@ifsp.edu.br giovanatt@gmail.com

Leia mais

Campos de forças: campos gravítico, magnético e eléctrico... Cargas em movimento e seus efeitos em termos de criação de campos...

Campos de forças: campos gravítico, magnético e eléctrico... Cargas em movimento e seus efeitos em termos de criação de campos... RADIAÇÃO 1 As radiações são ondas electromagnéticas. O que são ondas electromagnéticas? Quais os conceitos fundamentais que os alunos precisam de entender para lhes podermos explicar o que são ondas electromagnéticas?

Leia mais

Grandezas e Unidades

Grandezas e Unidades Seja a fluência de um feixe definida pelo número de partículas, N, (incluindo fotões) por unidade de área perpendicular ao feixe, A: Φ= N A Se o feixe for uniforme, a sua fluência é independente da área

Leia mais

pesados em esgoto doméstico com uso de leito cultivado Pesquisador: Profº Dr. Ariston da Silva Melo Júnior

pesados em esgoto doméstico com uso de leito cultivado Pesquisador: Profº Dr. Ariston da Silva Melo Júnior FACULDADE DE ENGENHARIA CIVIL ARQUITETURA E URBANISMO Avaliação da remoção de metais pesados em esgoto doméstico com uso de leito cultivado Pesquisador: Profº Dr. Ariston da Silva Melo Júnior INTRODUÇÃO

Leia mais

3.5. Espectro EDS correspondente à análise dos cristais brancos da Figura

3.5. Espectro EDS correspondente à análise dos cristais brancos da Figura ÍNDICE Resumo... I Abstract... III Índice... V Índice de Figuras... VII Índice de Tabelas... XI Agradecimentos... XIII 1. Introdução... 1 1.1. Azulejaria Portuguesa do Século XVII... 1 1.2. Fontes sobre

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE EMÍDIO NAVARRO VISEU

ESCOLA SECUNDÁRIA DE EMÍDIO NAVARRO VISEU MATRIZ DA PROVA ESCRITA DE EXAME DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE FÍSICA E QUÍMICA B FORMAÇÃO CIENTÍFICA CÓDIGO 167 11º Ano de Escolaridade Cursos Tecnológicos Duração da prova escrita: 90 minutos Ano Lectivo:

Leia mais

Transformações de fase em aços [15]

Transformações de fase em aços [15] [15] Diagrama de equilíbrio transformações muito lentas divergências devido ao processamento industrial Reações / transformações em condições realísticas: resfriamento isotérmico (T-T-T) diagramas resfriamento

Leia mais

Massa Atômica e Molecular, Mol

Massa Atômica e Molecular, Mol Capítulo Massa Atômica e Molecular, Mol Leia o texto seguinte, referente ao espectrógrafo de massa, e a seguir resolva os exercícios de a 6. É um aparelho capaz de fornecer a composição isotópica qualitativa

Leia mais

Introdução às interações de partículas carregadas Parte 1. FÍSICA DAS RADIAÇÕES I Paulo R. Costa

Introdução às interações de partículas carregadas Parte 1. FÍSICA DAS RADIAÇÕES I Paulo R. Costa Introdução às interações de partículas carregadas Parte 1 FÍSICA DAS RADIAÇÕES I Paulo R. Costa Sumário Introdução Radiação diretamente ionizante Partículas carregadas rápidas pesadas Partículas carregadas

Leia mais

TEORIAS ATÔMICAS. Menor partícula possível de um elemento (Grécia antiga) John Dalton (1807)

TEORIAS ATÔMICAS. Menor partícula possível de um elemento (Grécia antiga) John Dalton (1807) TEORIAS ATÔMICAS Átomo Menor partícula possível de um elemento (Grécia antiga) John Dalton (1807) 1. Os elementos são constituídos por partículas extremamente pequenas chamadas átomos; 2. Todos os átomos

Leia mais

FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2

FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2 FÍSICA DAS RADIAÇÕES 2 Diagnóstico por imagens Radiologia convencional/digital I 1 aproximadamente K U 2 n 5 n I T 2 A IMAGEM RADIOGRÁFICA 3 contraste Qualidade da imagem ruído resolução 4 5 6 7 8 9 10

Leia mais

Métodos de estudo em microscopia de luz e eletrônica

Métodos de estudo em microscopia de luz e eletrônica Métodos de estudo em microscopia de luz e eletrônica Microscopia O microscópio é um instrumento que permite observar objetos não visíveis a olho nu. Isto se consegue através de um sistema óptico composto

Leia mais

10ª Série de Problemas Termodinâmica e Estrutura da Matéria MEBM, MEFT e LMAC

10ª Série de Problemas Termodinâmica e Estrutura da Matéria MEBM, MEFT e LMAC 10ª Série de Problemas Termodinâmica e Estrutura da Matéria MEBM, MEFT e LMAC 1. Uma antena de rádio emite com uma potência de 10 4 W, na frequência de 9,2 x 10 5 Hz. Quantos fotões são emitidos por segundo?

Leia mais

Mineralogia Óptica. T2- O Microscópio Petrográfico PEM-6020

Mineralogia Óptica. T2- O Microscópio Petrográfico PEM-6020 Mineralogia Óptica T2- O Microscópio Petrográfico PEM-6020-2010- Tipos de Preparados para Análise Luz Transmitida Luz Transmitida para a ocular Luz Refletida para a ocular Luz do polarizador prisma Objetiva

Leia mais

TÉCNICAS MICROSCÓPICAS ESTUDO DA MORFOLOGIA E DA ESTRUTURA CELULAR

TÉCNICAS MICROSCÓPICAS ESTUDO DA MORFOLOGIA E DA ESTRUTURA CELULAR TÉCNICAS MICROSCÓPICAS ESTUDO DA MORFOLOGIA E DA ESTRUTURA CELULAR (In L. McKane, J Kandel, Microbiology Essentials and Applications, McGraw Hill, 2nd ed) MICROSCÓPIO ÓPTICO COMPOSTO* * Imagem formada

Leia mais

CONCEITOS RADIOMÉTRICOS

CONCEITOS RADIOMÉTRICOS CONCEITOS RADIOMÉTRICOS Irradiância: intensidade do fluxo radiante, proveniente de todas as direções, que atinge uma dada superfície. EXCITÂNCIA fluxo deixando a superfície em todas as direções CONCEITO

Leia mais

EFEITO FOTOELÉTRICO. Propriedade corpuscular da radiação eletromagnética Reforço à teoria quântica de Planck (quanta de energia)

EFEITO FOTOELÉTRICO. Propriedade corpuscular da radiação eletromagnética Reforço à teoria quântica de Planck (quanta de energia) EFEITO FOTOELÉTRICO Elétrons são emitidos da matéria após absorverem a energia de uma radiação eletromagnética (de baixos comprimentos de onda visível ou UV) que incida sobre ela. Descoberto acidentalmente

Leia mais

CARGA ESPECÍFICA DO ELÉTRON

CARGA ESPECÍFICA DO ELÉTRON DEPARTAMENTO DE FÍSICA DO ESTADO SÓLIDO - IFUFBa 009 ESTRUTURA DA MATÉRIA I (FIS101) EMN CARGA ESPECÍFICA DO ELÉTRON 1. Objetivo do Experimento Estudar a deflexão de elétrons em um campo magnético e determinar

Leia mais