Regras do jogo equipe de evolução de software /6/2006 versão 2.1

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regras do jogo equipe de evolução de software /6/2006 versão 2.1"

Transcrição

1 Regras do Jogo Objetivo do jogo: Os jogadores competem para terminar um projeto de software. É vencedor quem consegue implantar o projeto em primeiro lugar. Através do jogo os jogadores aprendem conceitos de engenharia de software, sob a ótica de evolução. Peças do Jogo: Cartas, tabuleiro, projeto, dado. São os seguintes os tipos de cartas: 1. engenheiros de software (cartas que descrevem típicos engenheiros de software). Essas cartas são o principal recurso que o jogador terá para progredir no jogo. São os engenheiros de software que produzem os artefatos, que são necessários para se cumprir o projeto. Seu verso indica seu tipo com as iniciais ES 2. problemas, cartas que descrevem problemas clássicos de engenharia de software resultantes de falhas no processo de produção. Essas cartas são utilizadas, para criar obstáculos ao progresso dos engenheiros de software dos outros jogadores. Seu verso indica seu tipo com as iniciais PR 3. conceitos, cartas que descrevem boas práticas de engenharia de software. Essas cartas podem ser utilizadas pelos jogadores para avançarem face ao seu objetivo. Seu verso indica seu tipo com as iniciais CN. 4. artefatos, cartas que simbolizam os artefatos produzidos. Esses artefatos podem ser de boa qualidade ou de má qualidade. Através da composição dos artefatos um jogador será o vencedor assim que atender o que foi determinado no projeto. Seu verso é ou da cor branca ou da cor cinza, sem nada escrito. O tabuleiro é uma área onde cada jogador coloca seus engenheiros de software em colunas e os artefatos em linhas. Os artefatos podem ser dos seguintes tipos: requisitos, desenho, código, ajuda e rastreabilidade

2 A figura abaixo procura dar uma idéia de como é o tabuleiro. As cartas de artefatos são colocadas nas células da matriz (tabuleiro). Um tabuleiro comporta até seis engenheiros, caso o jogador possa contratar mais de 6 jogadores, ele terá que utilizar outro tabuleiro. Software 1 Software 2 Software 3 Software 4 Software 5 Software 6 Definição Desenho Código Rastros Exemplo do tabuleiro (Vale observar que, número de Engenheiros de Software pode variar de 0 até o limite do orçamento do projeto) O projeto é escolhido aleatoriamente de uma série de projetos padrão, que determinam uma série de condições sobre como compor o produto final, bem como descrevem os recursos disponíveis. Cada projeto tem as seguintes informações. - Complexidade: Quantos pontos de tempo um engenheiro de software precisa gastar para completar um bom artefato. Há duas possibilidades para esse número: 2 ou 4. - Tamanho: quantos componentes integrados devem ser completados para integrar e terminar o projeto. - Qualidade: Esse número representa o quanto livre de defeitos deve estar o produto final. O número indica o número mínimo de componentes sem defeitos. - Orçamento: quantidade de dinheiro que você terá para gastar com o projeto e será uma restrição para contratação de engenheiros de software bem como para o uso de cartas de conceitos. Visão Geral:

3 Podem jogar de 4 a 9 jogadores. Os jogadores sentam-se na mesa de jogo. Cada jogador deve ter um espaço próximo a si para montar seu tabuleiro de jogo. Um projeto é sorteado do conjunto de projetos. As informações desse projeto devem ficar visíveis a todos os jogadores (sugere-se que o projeto fique no centro da mesa). As cartas são separadas em quatro (4) montes: um para as cartas engenheiros de software, outro para as cartas de problemas e conceitos um para as cartas de artefato de verso branco e outro para cartas de artefato de verso cinza. Todas as cartas deverão estar viradas com a face para baixo. Com o dado escolhe-se quem começa o jogo. O jogo deve prosseguir no sentido horário. O jogador da vez joga o dado e de acordo com o número tirado, retira tantas cartas quantas as indicadas pelo dado dos montes de engenheiros de software e de problemas e conceitos. Dessas, o jogador seleciona 2 cartas de sua escolha (vendo seu conteúdo) e descarta as outras.. O descarte significa que as cartas rejeitadas retornam ao monte na parte inferior. Caso o jogador tenha tirado o número 1 ele joga o dado novamente. Caso o jogador tenha tirado o número 2, não haverá descarte. O jogador pode retirar dos montes de artefatos tantas cartas quanto lhe convier, desde de que esteja dentro de seu orçamento (capacidade dos engenheiros de software). As cartas brancas requerem esforço padrão enquanto as cartas cinzas requerem a metade do esforço padrão. Exemplo: É a vez de Maria. Ela joga o dado. O número tirado é 4. Maria retira 4 cartas de cada um dos montes de engenheiros de software e de problemas e conceitos. Escolhe cartas de cada monte. Se as cartas forem de problemas/conceitos, ela as guarda na sua mão. Se as cartas forem de engenheiros ela coloca-os no tabuleiro iniciando uma nova coluna. As cartas de artefatos são retiradas de acordo com os engenheiros de software já presentes no seu tabuleiro. Um engenheiro de software só pode ser colocado no tabuleiro se o orçamento do projeto permitir que Maria contrate aquele engenheiro, caso contrário, à carta é devolvida a parte inferior do monte dos jogadores. Ao fim de sua jogada. O jogador está apto a receber dos seus adversários as cartas de problemas. Ele pode receber cartas de problemas dos 3 jogadores que jogaram imediatamente antes dele. Claro, que na primeira jogada esse caso não ocorrerá, já que ninguém jogou ainda. Cada um dos 3 jogadores pode colocar um obstáculo para o jogador da vez. As cartas de problemas recebidas, ou alteram diretamente o estado do tabuleiro do jogador ou devem ser guardadas. O conteúdo das cartas deve ser lido em voz alta pelo jogador que coloca o obstáculo. Cabe a todos os outros jogadores prestarem atenção aos efeitos do problema ocorrido. Se o jogador que recebe o problema tem na mão uma carta de conceito que pode invalidar o problema então ele diz que a carta problema não se aplica. Para isso ele terá que ler em voz alta o que diz a carta de

4 conceitos. Nesse caso tanto a carta de problema e a carta de conceito são descartadas e retornam ao fim do monte. As cartas de conceito devem ficar na mão do jogador e podem ser utilizadas quando lhe convier, segundo sua estratégia (acima foi utilizada para barrar uma carta problema). Elas também poderão ser usadas para aumentar a produtividade da equipe de engenheiros de software. Quando forem utilizadas essas cartas devem ser lidas em voz alta e descartadas. Detalhe das Cartas As cartas de engenheiro de software têm os seguintes atributos: 1) Salário: quanto será pago ao engenheiro de software. Os engenheiro de softwares com maiores salários tomarão mais recursos de seu orçamento. 2)Habilidade: É o número de pontos de tempo que um engenheiro de software tem a cada rodada do jogo. Cada ação que o engenheiro de software toma requer um certo número de pontos de tempo e dessa maneira um engenheiro de software mais rápido pode fazer mais a cada rodada. Habilidade tem números de 1 a 5, com 5, claro, sendo o melhor. 3) Personalidade: tendência de engenheiro de softwares em serem bons trabalhadores, em uma escala de 1 a 5. Isto inclui companheirismo, profissionalismo, e quão bem eles seguem práticas adequadas de engenharia de software. Quanto menor o valor referente à personalidade, mais vulneráveis às cartas de problema eles serão. As cartas de problemas têm os seguintes atributos 1) Critério: Esta parte diz quais as condições devem ser encontradas para que você esteja apto a jogar a carta para um dado oponente. Este é a maneira da carta dizer, Esta carta só pode ser jogada quando [critério]. 2) Literatura de apoio: Aqui existe uma referência para a literatura que melhor caracteriza o referido problema. 3) Efeito: Esta é o efeito que o jogador (através de seu engenheiro de software) sofrerá quando a carta é jogada para ele. A maioria dos problemas é usada e colocada no monte de descarte. Cartas de Problemas persistentes não são descartadas imediatamente; ficam no jogo e continuam a perturbar seus receptores. As cartas de conceitos têm os seguintes atributos. 1) Custo: O uso dessa carta incorre em gastos. Seu orçamento é que dirá se a carta pode efetivamente ser usada. 2) Literatura de apoio: Aqui existe uma referência para a literatura que melhor caracteriza o referido conceito. 3) Efeito: Esta é o efeito que a carta terá no conjunto de engenheiros e artefatos do jogador. Os conceitos variam e podem ser aplicados tanto localmente ou de maneira mais geral

5 As cartas de artefatos podem ser utilizadas tanto para representar artefatos de definição, de desenho de código ou de rastro. Sua posição no tabuleiro dirá o que efetivamente representa. Os versos das cartas de artefatos podem ser de duas cores: brancas ou cinzas. As cartas de verso branco podem ter um defeito na proporção de 5 cartas brancas para um defeito e as cartas de verso cinza podem ter um defeito na proporção de 3 cartas cinza para 2 cartas com defeitos. As cartas brancas tem o custo igual a complexidade do projeto. As cartas cinza tem um custo igual a metade da complexidade do projeto. Ou seja, ao custo de uma carta branca posso ter duas cartas cinza. Construindo um Componente Vale lembrar que para terminar o jogo com sucesso devemos ter construído o número de componentes pedidos nas informações de projeto. Na vez de cada jogador, uma vez as cartas tendo sido compradas e os adversários tiverem colocado seus problemas o jogador poderá fazer uso dos seus engenheiros de software. Os engenheiros de software podem fazer as seguintes atividades. Em cada momento do jogo, depois que as cartas são compradas. Um engenheiro de software pode fazer uma série de tarefas. A habilidade do engenheiro de software determina quantos pontos de tempo ele tem e, portanto, quantas ações ele pode desempenhar. Os engenheiros de software têm 5 opções em cada rodada, e cada uma destas opções consome pontos de tempo. Os engenheiros de softwares podem fazer qualquer combinação de ações desde que ele possua pontos de tempo suficientes. As cinco ações que um engenheiro de software pode desempenhar são: Construir um Bom Artefato (carta branca) (custo = complexidade do projeto) Construir um Artefato Ruim (custo = metade da complexidade do projeto) Inspeção de Artefato (custo = 1 ponto de tempo) Desvirar, a sua escolha, uma das cartas do engenheiro de software que estão com a face virada para baixo. Esteja certo de que cartas (brancas ou cinzas) viradas com a face para cima já sofreram inspeção. Se a carta é um defeito, esta carta pode potencialmente causar problemas quando o projeto terminar. Corrigir Defeito (custo = 1 ponto de tempo) Este engenheiro de software pode corrigir um defeito por um ponto de tempo, substituindo ele por uma carta de mesma qualidade do monte de código. Integrar artefatos em um Componente (custo = 1 ponto de tempo por artefato integrado)

6 Um engenheiro de software pode integrar um componente a qualquer momento. A integração retira os artefatos do tabuleiro e os coloca separados em um monte, o monte de integração no lado esquerdo do tabuleiro. Uma vez completado uma integração aquelas cartas estão fora do jogo, isto é não serão mais alvo dos problemas colocados por adversários. A integração ideal contém 7 cartas (uma de desenho, uma de definição, uma de ajuda e duas de rastro), no entanto o engenheiro pode escolher integrar somente com um artefato (necessariamente código). A integração pode ser feita com artefatos de diferentes engenheiros de software. Condição de término Uma vez um jogador tendo completado o número de componentes necessário para o termino do projeto ele pode afirmar que completou o projeto. Nesse momento é feita a conta de tamanho menos qualidade (informações do projeto). O número resultante determina o número de jogadores que irá escolher cada um componente do jogador que declara o término. O jogador perde o jogo se: nos componentes escolhidos pelos jogadores o número de defeitos for maior que 2 ou se o numero total de cartas no software final (todos os componentes integrados) for menor que 4 vezes o número de componentes necessário para o término do projeto. Abaixo, vai uma primeira tentativa de mostrar a dinâmica do jogo usando a técnica de léxico e cenários (parcialmente). A idéia é descrevermos o jogo usando léxico e cenários.. Cenários Título: Primeira jogada Objetivo: Dar início ao jogo Contexto: Informações do projeto no centro da mesa Primeiro jogador já foi escolhido Atores: jogadores Recursos: dado, cartas, informações do projeto Episódio: Jogador lança dado. Se dado igual a 1, então jogador lança dado. Restrição: jogador só prossegue após tirar número diferente de 1. Jogador escolhe combinação de montes. Jogador escolhe 2 cartas de cada monte. Restrição: jogador deve respeitar as condições do projeto e usar estratégia de jogo. Se carta é do tipo engenheiros de software então jogador monta tabuleiro. Se carta é do tipo conceitos ou problemas jogador guarda cartas. Se carta é do tipo artefato então jogador atribui artefato a um engenheiro de software. Restrição: jogador só pode fazer isso se tiver o tabuleiro com os engenheiros de software

7 Léxico Jogo Noção: Entretenimento entre jogadores. Objetiva simular um projeto de software com caráter educativo. É composto de tabuleiro, dado, cartas, mesa e informações de projeto Impacto: Jogam de 4 a 9 jogadores. O jogo é iniciado com a escolha do primeiro jogador. O jogo termina quando um jogador completa o projeto. Informações do projeto (...) Mesa (...) Jogador / Jogadores (...) Dado (...)

Exercícios de Java Aula 20 - Matrizes

Exercícios de Java Aula 20 - Matrizes Exercícios de Java Aula 20 - Matrizes Link do curso: http://www.loiane.com/2013/10/curso-java-basico-java-se-gratuito/ 1. Gere e imprima uma matriz M 4x4 com valores aleatórios entre 0-9. Após isso determine

Leia mais

2 Jogos Educacionais. 2.1.Visão Geral de Jogos Educacionais

2 Jogos Educacionais. 2.1.Visão Geral de Jogos Educacionais 2 Jogos Educacionais Jogos estão presentes como uma prática habitual, eles tem sido concebidos como uma atividade lúdica que é bastante motivadora no processo de ensinoaprendizado. É assim que jogos educacionais

Leia mais

9 + OBJETIVO COMEÇANDO COMPONENTES: MONTAGEM

9 + OBJETIVO COMEÇANDO COMPONENTES: MONTAGEM Atenção: este brinquedo só deve ser entregue a criança após ter sido montado por um adulto. Cód. Produto: 04000 IDADE 9 + 2 6 JOGADORES ATENÇÃO: NÃO RECOMENDÁVEL PARA MENORES DE 03 ANOS, POR CONTER PARTES

Leia mais

Instruções do Jogo INSTRUÇÕES DO JOGO

Instruções do Jogo INSTRUÇÕES DO JOGO INSTRUÇÕES DO JOGO Introdução Objetivo do jogo: concluir um projeto de software Número de jogadores (primeira versão): recomenda-se de 2 a 3 jogadores, mas poderia ser jogado individualmente. Composição

Leia mais

METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA

METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA METODOLOGIA CIENTÍFICA PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA CITAÇÕES NO TEXTO REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ESTRUTURA MONOGRAFIA 1 METODOLOGIA CIENTÍFICA ELABORANDO PROJETO DE PESQUISA MONOGRAFIA 2 Abordagem Sistêmica

Leia mais

JOGO DA VIDA DICA AOS ADULTOS: LEIA AS INSTRUÇÕES A SEGUIR COM ATENÇÃO E AO MESMO TEMPO VÁ JOGANDO COM A CRIANÇA

JOGO DA VIDA DICA AOS ADULTOS: LEIA AS INSTRUÇÕES A SEGUIR COM ATENÇÃO E AO MESMO TEMPO VÁ JOGANDO COM A CRIANÇA JOGO DA VIDA DICA AOS ADULTOS: LEIA AS INSTRUÇÕES A SEGUIR COM ATENÇÃO E AO MESMO TEMPO VÁ JOGANDO COM A CRIANÇA A PARTIR DE 8 ANOS PARA 2 A 8 JOGADORES Contém: - 01 tabuleiro - 8 carrinhos - 32 pinos

Leia mais

Condottiere. Introdução. Objectivo do jogo. O objectivo em CONDOTTIERE é conquistar cidades-estado, uní-las e criar o reino mais poderoso de Itália.

Condottiere. Introdução. Objectivo do jogo. O objectivo em CONDOTTIERE é conquistar cidades-estado, uní-las e criar o reino mais poderoso de Itália. Condottiere Introdução Durante o Renascimento,a Itália estava dividida em diversas cidades-estado independentes, umas pacíficas, outras hostís. As mais conhecidas destas eram Génova, Florença, o Condado

Leia mais

Planejamento e Gerenciamento de Software. Tema 3. Gerência de Projetos Profa. Susana M. Iglesias

Planejamento e Gerenciamento de Software. Tema 3. Gerência de Projetos Profa. Susana M. Iglesias Planejamento e Gerenciamento de Software Tema 3. Gerência de Projetos Profa. Susana M. Iglesias Planejamento A primeira atividade do gerenciamento de projeto é Planejamento Depende de estimativas (Grado

Leia mais

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE. Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Introdução Modelos de Processo de Desenvolvimento de Software Os modelos de processos de desenvolvimento de software surgiram pela necessidade de dar resposta às

Leia mais

Introdução à Engenharia de Requisitos

Introdução à Engenharia de Requisitos Introdução à Engenharia de Requisitos Ana Luiza Ávila analuizaavila@yahoo.com.br É bacharel em Ciências da Computação pela Universidade Salvador (UNIFACS) e Mestre em Ciências da Computação pela PUC-Rio

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS LÚDICOS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA. Palavras-chave: Recursos lúdicos; ensino-aprendizagem; matemática.

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS LÚDICOS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA. Palavras-chave: Recursos lúdicos; ensino-aprendizagem; matemática. UTILIZAÇÃO DE RECURSOS LÚDICOS NO PROCESSO ENSINO- APRENDIZAGEM DA MATEMÁTICA Wallace Camargo Ferreira 1 IFRN, Campus Natal-Central wcf.ifrn@hotmail.com Resumo: A presente exposição tem como objetivo estimular

Leia mais

Rastros Autor: Bill Taylor, 1992

Rastros Autor: Bill Taylor, 1992 Rastros Autor: Bill Taylor, 1992 Um tabuleiro quadrado 7 por 7. Uma peça branca e peças pretas em número suficiente (cerca de 40). À medida que o jogo decorre, o tabuleiro vai ficar cada vez mais ocupado

Leia mais

Aqui você também vai encontrar o botão ""Autocompletar"", que ajuda na criação do alinhamento, caso você não consiga se decidir.

Aqui você também vai encontrar o botão Autocompletar, que ajuda na criação do alinhamento, caso você não consiga se decidir. 1. ATIVAR CARTA Nesta seção, localizada dentro do ""shopping center"", você precisa inserir o código que aparece no verso da sua carta real para adicioná-la à sua coleção virtual. Às vezes, você pode se

Leia mais

ISBN 5708-9594. Apresentação

ISBN 5708-9594. Apresentação Laboratório Inorgânico Apresentação O Laboratório Inorgânico é um jogo de tabuleiro que tem como objetivo ensinar, de forma lúdica, a associação de alguns compostos inorgânicos de uso comum e suas aplicações,

Leia mais

ISBN 5708-9594. Apresentação

ISBN 5708-9594. Apresentação Laboratório Orgânico Apresentação O Laboratório Orgânico é um jogo de tabuleiro que tem como objetivo ensinar, de forma lúdica, a associação dos compostos pertencentes às funções orgânicas: ácido orgânico,

Leia mais

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como:

Referências internas são os artefatos usados para ajudar na elaboração do PT tais como: Plano de Teste (resumo do documento) I Introdução Identificador do Plano de Teste Esse campo deve especificar um identificador único para reconhecimento do Plano de Teste. Pode ser inclusive um código

Leia mais

Governança da Informação BDQ: geração da PNI AV2 e AV3 GOVERNANÇA DA INFORMAÇÃO BDQ: GERAÇÃO DA PNI AV2 E AV3. Pá giná 1

Governança da Informação BDQ: geração da PNI AV2 e AV3 GOVERNANÇA DA INFORMAÇÃO BDQ: GERAÇÃO DA PNI AV2 E AV3. Pá giná 1 GOVERNANÇA DA INFORMAÇÃO BDQ: GERAÇÃO DA PNI AV2 E AV3 Pá giná 1 Sumá rio 1. Recomendáço es iniciáis 3 1.1 Sobre o Internet Explorer 11 4 2. Ingressár no sistemá 5 3. Gerár provás impressás (PNI) 6 3.1

Leia mais

Bolsa. _regras do jogo de tabuleiro 1 - INTRODUÇÃO 2 - OBJECTIVO E FIM DO JOGO 3 - COMPONENTES DO JOGO

Bolsa. _regras do jogo de tabuleiro 1 - INTRODUÇÃO 2 - OBJECTIVO E FIM DO JOGO 3 - COMPONENTES DO JOGO Bolsa 1 _regras do jogo de tabuleiro 1 - INTRODUÇÃO Este é um jogo para 2 a 6 jogadores que pretende simular a uma micro escala o funcionamento de uma bolsa de valores durante um período de 12 meses. Existem

Leia mais

ANÁLISE DE UM PROBLEMA DE SEMÁFORO

ANÁLISE DE UM PROBLEMA DE SEMÁFORO ANÁLISE DE UM PROBLEMA DE SEMÁFORO O jogo usualmente designado por Traffic Lights (em português, Semáforo) foi inventado por Alan Parr em 1998. Engane-se o leitor que pense que é apenas uma versão ligeiramente

Leia mais

Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO INSTRUÇÕES

Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO INSTRUÇÕES P1-MPS.BR - Prova de Introdução ao MPS.BR Data: 21 de maio de 2007 Horário: 13:00 às 15:00 horas (hora de Brasília) Nome: e-mail: Nota: INSTRUÇÕES Você deve responder a todas as questões. O total máximo

Leia mais

Um Jogo para o Ensino de Engenharia de Software Centrado na Perspectiva de Evolução

Um Jogo para o Ensino de Engenharia de Software Centrado na Perspectiva de Evolução Um Jogo para o Ensino de Engenharia de Software Centrado na Perspectiva de Evolução Eduardo Figueiredo 1,2, Cidiane Lobato 1, Klessis Dias 1, Julio Leite 1, Carlos Lucena 1 1 Departamento de Informática,

Leia mais

Índice. 2 Plano de Marketing [Escreva o nome da empresa]

Índice. 2 Plano de Marketing [Escreva o nome da empresa] Índice Introdução... 3 1. Análise e contexto... 4 1.1. Análise de Mercado... 4 1.1.1. Indústria... 4 1.1.2. Público-alvo... 5 1.2. Análise da Concorrência... 7 1.3. Análise da Empresa... 8 1.4. Contexto...

Leia mais

Vitor Amadeu Souza. vitor@cerne-tec.com.br. Jogos Matemáticos

Vitor Amadeu Souza. vitor@cerne-tec.com.br. Jogos Matemáticos Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Jogos Matemáticos 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. Torre de Hanói... 3 3. Dominó... 5 4. Baralho...... 6 5. Bingo... 7 6. Poliminó... 7 7. Soma 10... 8 8. Tabuleiro

Leia mais

Perfil do País NESsT: Brasil

Perfil do País NESsT: Brasil Párcêiros Estrátê gicos Portfólio de Negócios NESsT A NESsT já conduziu trê s compêtiço ês dê nêgo cios sociáis no Brásil dêsdê o sêu lánçámênto êm 2007. Máis dê 55 orgánizáço ês brásilêirás cándidátárám-sê

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

NIAGARA Acompanhe as figuras no original em inglês Uma alucinante aventura rio abaixo, para canoeiros destemidos a partir de 10 anos

NIAGARA Acompanhe as figuras no original em inglês Uma alucinante aventura rio abaixo, para canoeiros destemidos a partir de 10 anos NIAGARA Acompanhe as figuras no original em inglês Uma alucinante aventura rio abaixo, para canoeiros destemidos a partir de 10 anos Nas correntezas selvagens do rio Niagara, os aventureiros embarcam em

Leia mais

Stage-Gate Uma ferramenta flexível para a otimização do portfólio de projetos

Stage-Gate Uma ferramenta flexível para a otimização do portfólio de projetos Uma ferramenta flexível para a otimização do portfólio de projetos Sumário Executivo... 2 Problema: Quando um projeto não deve ser executado... 32 Base conceitual: Processo estruturado de alocação de recursos...

Leia mais

Sensoriamento A UU L AL A. Um problema. Exemplos de aplicações

Sensoriamento A UU L AL A. Um problema. Exemplos de aplicações A UU L AL A Sensoriamento Atualmente, é muito comum nos depararmos com situações em que devemos nos preocupar com a segurança pessoal e de nossos bens e propriedades. Daí decorre a necessidade de adquirir

Leia mais

第 61/2004 號 經 濟 財 政 司 司 長 對 外 規 範 性 批 示. Artigo 7.º 第 七 條 賠 率. prémios: Ao jogador que ganha pertencem o valor da aposta e os seguintes

第 61/2004 號 經 濟 財 政 司 司 長 對 外 規 範 性 批 示. Artigo 7.º 第 七 條 賠 率. prémios: Ao jogador que ganha pertencem o valor da aposta e os seguintes 724 澳 門 特 別 行 政 區 公 報 第 一 組 第 20 期 2004 年 5 月 17 日 第 七 條 賠 率 博 彩 者 中 注, 除 原 注 碼 外, 依 下 列 得 賠 率 : ( 一 ) 壹 個 號 碼 孤 丁 1 賠 35; ( 二 ) 兩 個 號 碼 兩 門 騎 1 賠 17; ( 三 ) 三 個 號 碼 三 門 一 列 1 賠 11; ( 四 ) 四 個 號 碼 四 門 騎

Leia mais

Um jogo de Yves Hirschfeld e Fabien Bleuze, ilustrado por Hervé Gourdet De 3 a 12 jogadores - 8 anos ou mais

Um jogo de Yves Hirschfeld e Fabien Bleuze, ilustrado por Hervé Gourdet De 3 a 12 jogadores - 8 anos ou mais Um jogo de Yves Hirschfeld e Fabien Bleuze, ilustrado por Hervé Gourdet De 3 a 12 jogadores - 8 anos ou mais COMPONENTES 60 cartas de Imagem 3 cartas de Regra OBJETIVO DO JOGO Ganhar o maior número de

Leia mais

Acesso ao Comercial. Ajudas para trabalhar mais eficientemente com o programa

Acesso ao Comercial. Ajudas para trabalhar mais eficientemente com o programa Acesso ao Comercial Ajudas para trabalhar mais eficientemente com o programa Neste Manual são apresentados écrans preenchidos com dados para melhor exemplificar as funcionalidades do programa. O uso do

Leia mais

Concepção e Elaboração

Concepção e Elaboração UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Análise e Projeto Orientado a Objetos Concepção e Elaboração Estudo

Leia mais

Trabalho 2 Fundamentos de computação Gráfica

Trabalho 2 Fundamentos de computação Gráfica Trabalho 2 Fundamentos de computação Gráfica Processamento de Imagens Aluno: Renato Deris Prado Tópicos: 1- Programa em QT e C++ 2- Efeitos de processamento de imagens 1- Programa em QT e C++ Para o trabalho

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DO JOGO PÓQUER NÃO BANCADO NA VARIANTE «SINTÉTICO»

PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DO JOGO PÓQUER NÃO BANCADO NA VARIANTE «SINTÉTICO» PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DO JOGO PÓQUER NÃO BANCADO NA VARIANTE «SINTÉTICO» O Regime Jurídico dos Jogos e Apostas online (RJO), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 66/2015, de 29 de abril,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI NÚCLEO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA GABARITO GRUPO: ESTATÍSTICA DATA: HORÁRIO: NOME DO CANDIDATO: CPF: ASSINATURA: INSTRUÇÕES:

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software Requisitos de Software Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.br Requisito O que é um REQUISITO? Em software: É a CARACTERIZAÇÃO do que o

Leia mais

Geoprocessamento integrado à gestão de propriedades rurais piloto COCAMAR em Jussara-PR Autor:

Geoprocessamento integrado à gestão de propriedades rurais piloto COCAMAR em Jussara-PR Autor: Geprcessament integrad à gestã de prpriedades rurais pilt COCAMAR em Jussara-PR Autr: Flavi Duran Altimari Geprcessament aplicad a gestã de prpriedades rurais Autres: Flavi D. Altimari 54 Unidades (Entrepsts)

Leia mais

2.3 Tacada legal 2. 3. 1. Manutenção da mão; 2. 3. 2. Não anúncio de bola e bolsa; 2.4 Bolas embolsadas 2.5 Bolas fora da mesa 2. 5. 1.

2.3 Tacada legal 2. 3. 1. Manutenção da mão; 2. 3. 2. Não anúncio de bola e bolsa; 2.4 Bolas embolsadas 2.5 Bolas fora da mesa 2. 5. 1. Índice 1.1 Mesas Bolas Equipamento 1.2 Saída Posicionamento das bolas 1.3 Tacada 1.4 Bola não embolsada Turno 1.5 Ordem de saída 1.6 Abertura Saída 1.7 Jogo Começo 1.8 Abertura Desvio da bola branca 1.9

Leia mais

AprendES: uma proposta lúdica para auxiliar o ensino da Engenharia de Software

AprendES: uma proposta lúdica para auxiliar o ensino da Engenharia de Software AprendES: uma proposta lúdica para auxiliar o ensino da Engenharia de Software Aldefran C. Feitosa 1, Glaucia M. M. Campos 2 Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) Av. Airton Senna, 4241

Leia mais

.::: LEGADO LÚDICO - MANCALA :::. MANCALA

.::: LEGADO LÚDICO - MANCALA :::. MANCALA Página 1 de 5 MANCALA Mancala é uma designação genérica dada pelos antropólogos a um grupo muito numeroso de jogos cultivados na África, que guardam entre si diversas semelhanças. Estes jogos se subdividem

Leia mais

Modelos e Arquiteturas de Sistemas Computacionais

Modelos e Arquiteturas de Sistemas Computacionais Modelos e Arquiteturas de Sistemas Computacionais Prof. Ricardo J. Rabelo UFSC Universidade Federal de Santa Catarina DAS Departamento de Automação e Sistemas SUMÁRIO Importância da definição da Arquitetura

Leia mais

APLICACAÇÃO DE METRICAS E INDICADORES NO MODELO DE REFERENCIA CMMI-Dev NIVEL 2

APLICACAÇÃO DE METRICAS E INDICADORES NO MODELO DE REFERENCIA CMMI-Dev NIVEL 2 APLICACAÇÃO DE METRICAS E INDICADORES NO MODELO DE REFERENCIA CMMI-Dev NIVEL 2 Renan J. Borges 1, Késsia R. C. Marchi 1 1 Universidade Paranaense (UNIPAR) Paranavaí, PR Brasil renanjborges@gmail.com, kessia@unipar.br

Leia mais

Neste método o cálculo é efetuado de maneira exponencial, ou seja, juros são computados sobre os juros anteriormente calculados.

Neste método o cálculo é efetuado de maneira exponencial, ou seja, juros são computados sobre os juros anteriormente calculados. Microsoft Excel Aula 4 Objetivos Trabalhar no Excel com cálculos de juros simples e compostos Trabalhar com as funções financeiras VF e PGTO do Excel Trabalhar com a ferramenta Atingir Meta Apresentar

Leia mais

Um jogo de Wolfgang Kramer e Markus Lübke para 3 a 5 jogadores, a partir dos 10 anos, com a duração entre 60 a 90 minutos.

Um jogo de Wolfgang Kramer e Markus Lübke para 3 a 5 jogadores, a partir dos 10 anos, com a duração entre 60 a 90 minutos. Um jogo de Wolfgang Kramer e Markus Lübke para 3 a 5 jogadores, a partir dos 10 anos, com a duração entre 60 a 90 minutos. O Imperador Titus ordenou que se organizasse a maior celebração da História Romana,

Leia mais

Exercícios Resolvidos da Distribuição Binomial

Exercícios Resolvidos da Distribuição Binomial . a. Estabeleça as condições exigidas para se aplicar a distribuição binomial? b. Qual é a probabilidade de caras em lançamentos de uma moeda honesta? c. Qual é a probabilidade de menos que caras em lançamentos

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a EAP e planejando a Qualidade Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Criando EAP. Planejando a qualidade. Criando a Estrutura Analítica do Projeto

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos

A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos A4 Projeto Integrador e Lista de Jogos 1ª ETAPA PROJETO INTEGRADOR (2 pontos na A4) Como discutido em sala de aula, a disciplina de algoritmos I também fará parte do projeto integrador, para cada grupo

Leia mais

Engenharia de Requisitos

Engenharia de Requisitos 1 Engenharia de Requisitos Gerenciamento de Requisitos Prof Ms Vinícius Costa de Souza www.inf.unisinos.br/~vinicius 2 Agenda Introdução Requisitos voláteis x estáveis Identificação Armazenamento Gerenciamento

Leia mais

JOGOS E BRINCADEIRAS PARA APRENDER MATEMÁTICA RESUMO

JOGOS E BRINCADEIRAS PARA APRENDER MATEMÁTICA RESUMO Revista Científica Eletrônica de Ciências Sociais Aplicadas da EDUVALE - ISSN 1806-6283 JOGOS E BRINCADEIRAS PARA APRENDER MATEMÁTICA SOUZA, Elisangela Ruiz de 1 MUNIZ, Valdinéia C. B. Q. 2 FORGIARINI,

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade

Gerenciamento de Qualidade UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Gerenciamento de Qualidade Engenharia de Software 2o. Semestre de

Leia mais

LISTA DE EXEMPLOS - PROBABILIDADE

LISTA DE EXEMPLOS - PROBABILIDADE LISTA DE EXEMPLOS - PROBABILIDADE EXEMPLO 1 CONVERTENDO UM ARREMESSO LIVRE Ache a probabilidade de que o jogador de basquete da NBA, Reggie Miller, converta um arremesso livre depois de sofrer uma falta.

Leia mais

TRABALHANDO COM BORDERÔ ELETRÔNICO DO BRADESCO OU ITAÚ - [PAGFOR]

TRABALHANDO COM BORDERÔ ELETRÔNICO DO BRADESCO OU ITAÚ - [PAGFOR] TRABALHANDO COM BORDERÔ ELETRÔNICO DO BRADESCO OU ITAÚ - [PAGFOR] Explicação: O borderô eletrônico é um documento que repassado ao banco via troca de arquivos remessa e retorno, cuja finalidade é autorizar/efetuar

Leia mais

Jogos - aula 2. Xadrez chinês. Exemplo de função de avaliação:

Jogos - aula 2. Xadrez chinês. Exemplo de função de avaliação: Exemplo de jogo: Xadrez chinês Jogos - aula 2 Função de avaliação? Prof. Luis Otavio Alvares 1 2 Xadrez chinês Ligue 4 Exemplo de função de avaliação: o valor das peças é de acordo com a sua posição: 12

Leia mais

André da Silva Nogueira Profiling de aplicações Web : Estudo comparativo entre aplicações Java Web e aplicações RoR

André da Silva Nogueira Profiling de aplicações Web : Estudo comparativo entre aplicações Java Web e aplicações RoR ˲ ª» ¼ ¼» ¼± Ó ² ± Û ½± ¼» Û²¹»² André da Silva Nogueira Profiling de aplicações Web : Estudo comparativo entre aplicações Java Web e aplicações RoR Outubro de 2014 ˲ ª» ¼ ¼» ¼± Ó ² ± Û ½± ¼» Û²¹»²

Leia mais

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software Pressman, Roger S. Software Engineering: A Practiotioner s Approach. Editora: McGraw- Hill. Ano: 2001. Edição: 5 Introdução Sommerville, Ian. SW Engineering. Editora: Addison Wesley. Ano: 2003. Edição:

Leia mais

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML)

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Aécio Costa A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Percebeu-se a necessidade de um padrão para a modelagem de sistemas, que fosse aceito e utilizado amplamente. Surge a UML (Unified Modeling Language)

Leia mais

Métricas de Software. Sistemas de Informação

Métricas de Software. Sistemas de Informação Métricas de Software Sistemas de Informação Objetivos Entender porque medição é importante para avaliação e garantia da qualidade de software Entender as abordagens principais de métricas e como elas são

Leia mais

Solução: X é Binomial(7; 0,4). (a) P(X = 0) = 0,6 7 = 0,0280. (b) P(X 3) = 1 P(X 2) = 1 [P(X = 0) + P(X = 1) + P(X = 2)] =

Solução: X é Binomial(7; 0,4). (a) P(X = 0) = 0,6 7 = 0,0280. (b) P(X 3) = 1 P(X 2) = 1 [P(X = 0) + P(X = 1) + P(X = 2)] = CAPÍTULO 2 Exercícios Resolvidos 1. Turbulência no avião A probabilidade de ocorrência de turbulência em um determinado percurso a ser feito por uma aeronave é de 0,4 em um circuito diário. Seja X o número

Leia mais

FINANÇAS PESSOAIS: VOCÊ SABE ADMINISTRÁ-LAS?

FINANÇAS PESSOAIS: VOCÊ SABE ADMINISTRÁ-LAS? PESQUISA COMPORTAMENTAL FINANÇAS PESSOAIS: VOCÊ SABE ADMINISTRÁ-LAS? PROCON GOIÁS GERÊNCIA DE PESQUISA E CÁLCULO JULHO/2009 OBJETIVO Mesmo através de orientações, fornecidas aos consumidores pela Superintendência

Leia mais

Diagramas de Sequência e Contrato das Operações

Diagramas de Sequência e Contrato das Operações UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Projeto e Desenvolvimento de Sistemas de informação Comportamento

Leia mais

Objetivo do Jogo: COMPONENTES. 4 cartas de REGRA 40 cartas de SINAL 10 cartas de BOLA

Objetivo do Jogo: COMPONENTES. 4 cartas de REGRA 40 cartas de SINAL 10 cartas de BOLA COMPONENTES 4 cartas de REGRA 40 cartas de SINAL 10 cartas de BOLA Objetivo do Jogo: Criar uma corrente de sinais contínua (feita com as mãos), dentro de um ritmo criado por todos os jogadores, sem errar.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE O Jogo Força e Saúde é um jogo de tabuleiro - educativo - que tem como objetivo ensinar e/ou reforçar o tema

Leia mais

Gestão da qualidade do software

Gestão da qualidade do software Gestão da qualidade do software Empenhada em assegurar que o nível de qualidade requerido de um produto de software é atingido Envolve a definição de normas e procedimentos de qualidade apropriados, e

Leia mais

Análise de Redes. Tradução/compilação: Ana Cristina B. Martes e Mauricio C. Serafim. Curso: Introdução às Ciências Sociais EESP / FGV

Análise de Redes. Tradução/compilação: Ana Cristina B. Martes e Mauricio C. Serafim. Curso: Introdução às Ciências Sociais EESP / FGV Análise de Redes Texto original: Introduction to Social Network Methods de Robert A. Hanneman, Department of Sociology University of California, Riverside. Tradução/compilação: Ana Cristina B. Martes e

Leia mais

Como comprar o seu imóvel. Um jeito único de vender.

Como comprar o seu imóvel. Um jeito único de vender. Como comprar o seu imóvel Um jeito único de vender. NOSSA MISSÃO A Impacto Engenharia investe constantemente em um relacionamento mais estreito com seus clientes e assim oferece um jeito único de servir,

Leia mais

O Guia do Scrum. O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo. Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland

O Guia do Scrum. O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo. Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland O Guia do Scrum O Guia definitivo para o Scrum As regras do jogo Julho 2011 Desenvolvido e Mantido por Ken Schwaber e Jeff Sutherland Traduzido para o Português por José Eduardo Deboni (eduardodeboni.com)

Leia mais

MÓDULO 3 // EVITANDO ARMADILHAS FINANCEIRAS INICIANTE: IDADES 11-14

MÓDULO 3 // EVITANDO ARMADILHAS FINANCEIRAS INICIANTE: IDADES 11-14 MÓDULO 3 // EVITANDO ARMADILHAS FINANCEIRAS INICIANTE: IDADES 11-14 MÓDULO 3 // BATE-BOLA FINANCEIRO O Bate-Bola Financeiro é um videogame educacional desenvolvido para ajudar estudantes a entenderem melhor

Leia mais

Levantamento do Perfil Empreendedor

Levantamento do Perfil Empreendedor Levantamento do Perfil Empreendedor Questionário Padrão Informações - O objetivo deste questionário é auxiliar a definir o seu perfil e direcioná-lo para desenvolver suas características empreendedoras.

Leia mais

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial

Parte 1 Código / Área Temática. Educação Especial NOME DO CURSO: O Ensino de Língua Portuguesa como segunda língua para estudantes surdos e/ou com deficiência auditiva Nível: Especialização Modalidade: Presencial Parte 1 Código / Área Temática Código

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS

ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS ESPECIFICAÇÃO DO ESCOPO DE SISTEMA DE SOFTWARE A PARTIR DA UTILIZAÇÃO DA ENGENHARIA DE REQUISITOS Rosiane da Silva Biscaia Discente do curso Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Faculdades

Leia mais

Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto

Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto Desenvolvimento de Sistemas Orientados a Objetos com UML UP/RUP: Projeto Engenharia de Software I Informática 2009 Profa. Dra. Itana Gimenes RUP: Artefatos de projeto Modelo de Projeto: Use-Case Realization-projeto

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO COORDENADORIA DE GESTÃO DE PESSOAS DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS SIGPEC SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO DE PESSOAS

Leia mais

Linha de Produto de Software

Linha de Produto de Software Linha de Produto de Software Jair C Leite DIMAp/UFRN O que é linha de produto de software? Técnica de produção baseada em outras engenharias fábricas que desenvolvem uma mesma família de produtos com partes

Leia mais

Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços

Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços Para fazer uma descrição adequada dos preços e serviços em seu plano de negócio, diga quais são os serviços da sua empresa, porque ela é capaz de fornecê-los,

Leia mais

Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2

Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2 Conteúdo PARAMETRIZAÇÃO STOREMANAGER... 2 CONFIGURAÇÕES DA GUIA GERAIS DO STOREMANAGER... 2 Seção Geral... 2 BOTÕES DE CONFIRMAÇÃO... 3 Seção Código de Barras... 4 Seção Abertura / Fechamento de Caixa...

Leia mais

Obtendo Sucesso. no Mundo do. passos

Obtendo Sucesso. no Mundo do. passos Obtendo Sucesso no Mundo do E-mail em10 Marketing passos 1 Prefácio EMAIL MARKETING E-mail marketing, a ferramenta com o maior retorno de investimento nos dias de hoje, com um retorno de 40 $ para cada

Leia mais

REGRAS OFICIAIS. 1.3. De cada lado deste quadrado será demarcada, à 7 metros da rede e paralela a esta, uma linha denominada linha da área de saque.

REGRAS OFICIAIS. 1.3. De cada lado deste quadrado será demarcada, à 7 metros da rede e paralela a esta, uma linha denominada linha da área de saque. REGRAS OFICIAIS 1. A QUADRA 1.1. A área de jogo trata-se de um retângulo de 10 metros de largura por 20 metros de comprimento. 1.2. Este retângulo será dividido na sua metade por uma rede, formando em

Leia mais

Lista de Exercícios. Vetores

Lista de Exercícios. Vetores Lista de Exercícios Vetores LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO PROF. EDUARDO SILVESTRI. WWW.EDUARDOSILVESTRI.COM.BR ATUALIZADO EM: 13/03/2007 Página 1/1 1. Faça um programa que crie um vetor de inteiros de 50 posições

Leia mais

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D

CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D Questão CADERNO DE EXERCÍCIOS 1D Ensino Médio Códigos e Linguagens Conteúdo 1 Leitura de tirinha em língua portuguesa Variedades linguísticas letra de 2 música Habilidade da Matriz da EJA/FB H5, H7, H8,

Leia mais

GESTÃO DE MÉTRICAS. Sistema de Gestão de Métricas

GESTÃO DE MÉTRICAS. Sistema de Gestão de Métricas GESTÃO DE MÉTRICAS 2010 Sistema de Gestão de Métricas SUMÁRIO Sumá rio Introduçá o 1 Processos de Nego cios 2 Instáláçá o 3 Operáçá o 4 Mánutençá o 29 Informáço es de contáto 41 INTRODUÇÃO Introduçá o

Leia mais

Principais problemas de cartuchos a laser Por Eng. Cássio Arrizabalaga Rodrigues, Diretor da Supplytech

Principais problemas de cartuchos a laser Por Eng. Cássio Arrizabalaga Rodrigues, Diretor da Supplytech Principais problemas de cartuchos a laser Por Eng. Cássio Arrizabalaga Rodrigues, Diretor da Supplytech Muito se fala nas revistas dos métodos de recarga dos cartuchos, mas pouco se fala dos problemas

Leia mais

SISTEMA COMO GANHAR NA LOTOFACIL

SISTEMA COMO GANHAR NA LOTOFACIL Dúvidas, Informações, Novos estudos, Sistema para outras Loterias fale Conosco: Link Contato http://www.comoganheinaloteria.com/fale_conosco.html SISTEMA COMO GANHAR NA LOTOFACIL Page2 Of 15 -DEFINITIVO.

Leia mais

O Planejamento de Projetos Sociais: dicas, técnicas e metodologias *

O Planejamento de Projetos Sociais: dicas, técnicas e metodologias * O Planejamento de Projetos Sociais: dicas, técnicas e metodologias * Arminda Eugenia Marques Campos ** Luís Henrique Abegão *** Maurício César Delamaro **** Numa época em que os recursos públicos destinados

Leia mais

PLURI ESPECIAL DÍVIDA POR TORCEDOR DOS PRINCIPAIS CLUBES DO BRASIL

PLURI ESPECIAL DÍVIDA POR TORCEDOR DOS PRINCIPAIS CLUBES DO BRASIL PLURI ESPECIAL DÍVIDA POR TORCEDOR DOS PRINCIPAIS CLUBES DO BRASIL Autor Fernando Pinto Ferreira Economista, especialista em Pesquisa de Mercado, Gestão e Marketing do Esporte fernando@pluriconsultoria.com.br

Leia mais

Curso Superior em Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Campus Alegrete. Banco de Dados I. Cristhiano Bossardi de Vasconcellos.

Curso Superior em Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Campus Alegrete. Banco de Dados I. Cristhiano Bossardi de Vasconcellos. Curso Superior em Tecnologia de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Campus Alegrete Banco de Dados I Cristhiano Bossardi de Vasconcellos Parte 8 TRANSFORMAÇÃO ENTRE MODELOS A abordagem ER é voltada à

Leia mais

Manual do Autor Sensos-e

Manual do Autor Sensos-e Manual do Autor Sensos-e As ajudas disponibilizadas neste manual teêm como pressuposto que o utilizador já se encontra autenticado no sistema. Para mais informações consultar os vídeo existentes no menu

Leia mais

Jogos com números Números ocultos - 2ª Parte

Jogos com números Números ocultos - 2ª Parte Jogos com números Números ocultos - 2ª Parte Observe atentamente os demais números e os elementos que aparecem em cada diagrama, com o objetivo de obter a regra pela qual se formam. 1) 2) 1 3) 4) 5) 6)

Leia mais

EMPREENDEDORISMO E INCLUSAO SOCIAL: O PROJETO MUNDO + LIMPO SOB A ÓTICA DA PESQUISA AÇÃO PARTICIPANTE. Prof. Ms. Alexandre Pereira

EMPREENDEDORISMO E INCLUSAO SOCIAL: O PROJETO MUNDO + LIMPO SOB A ÓTICA DA PESQUISA AÇÃO PARTICIPANTE. Prof. Ms. Alexandre Pereira EMPREENDEDORISMO E INCLUSAO SOCIAL: O PROJETO MUNDO + LIMPO SOB A ÓTICA DA PESQUISA AÇÃO PARTICIPANTE Prof. Ms. Alexandre Pereira Sobre o que conversaremos hoje? A oficina versará sobre as articulações

Leia mais

Gestão e Projeto de TI Prof. Mauricio Faria

Gestão e Projeto de TI Prof. Mauricio Faria Gestão e Projeto de TI Prof. Mauricio Faria 2011 Lista de Exercícios 2 Semestre Gestão e Projeto de TI 1. Quais os processos que são incluídos no gerenciamento de custos? O gerenciamento de custos do projeto

Leia mais

Assuma o lugar de homens do gelo sem medo. Tente se manter no meio dos mamutes. E traga os decisivos pontos de vitória...

Assuma o lugar de homens do gelo sem medo. Tente se manter no meio dos mamutes. E traga os decisivos pontos de vitória... ALAN R. MOON & AARON WEISSBLUM Tradução: Romir G. E. Paulino Assuma o lugar de homens do gelo sem medo. Tente se manter no meio dos mamutes. E traga os decisivos pontos de vitória... VISÃO GERAL O jogo

Leia mais

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação

O quê avaliação? Unidade IV - Avaliação de Interfaces. Quem deve avaliar um produto de software? Técnicas de Avaliação Unidade IV - Avaliação de Interfaces O quê avaliação? O quê avaliação? Técnicas de Avaliação Tipos de Avaliação com Usuários Paradigmas de avaliação com usuários Avaliação rápida e suja Testes de Usabilidade

Leia mais

BRINCANDO TAMBÉM SE APRENDE: O USO DE JOGOS MATEMÁTICOS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DAS QUATRO OPERAÇÕES E DAS FRAÇÕES

BRINCANDO TAMBÉM SE APRENDE: O USO DE JOGOS MATEMÁTICOS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DAS QUATRO OPERAÇÕES E DAS FRAÇÕES BRINCANDO TAMBÉM SE APRENDE: O USO DE JOGOS MATEMÁTICOS NO ENSINO-APRENDIZAGEM DAS QUATRO OPERAÇÕES E DAS FRAÇÕES Francisca Terezinha Oliveira Alves (UFPB) Carlos Alex Alves (UFPB) Marcelino José de Carvalho

Leia mais

REGULAMENTO DA INICIATIVA PONTES PARA O FUTURO 2015 PREÂMBULO

REGULAMENTO DA INICIATIVA PONTES PARA O FUTURO 2015 PREÂMBULO REGULAMENTO DA INICIATIVA PONTES PARA O FUTURO 2015 PREÂMBULO No âmbito da sua atividade de promoção do empreendedorismo e da inovação social, e na sequência da Iniciativa Pontes Para o Futuro realizada

Leia mais

Luciane Mizael. Designer

Luciane Mizael. Designer Luciane Mizael Designer Currículo Apresentação: Sou formada em Desenho Industrial pela Universidade São Judas Tadeu. Tenho experiência no desenvolvimento de produtos infantis, comunicação visual, eletroeletrônicos,

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DO JOGO PÓQUER NÃO BANCADO NA VARIANTE «OMAHA»

PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DO JOGO PÓQUER NÃO BANCADO NA VARIANTE «OMAHA» PROJETO DE REGULAMENTO N.º ---/SRIJ/2015 REGRAS DO JOGO PÓQUER NÃO BANCADO NA VARIANTE «OMAHA» O Regime Jurídico dos Jogos e Apostas online (RJO), aprovado pelo Decreto-Lei n.º 66/2015, de 29 de abril,

Leia mais

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti.

TI Aplicada. Aula 02 Áreas e Profissionais de TI. Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http://www.edilms.eti. TI Aplicada Aula 02 Áreas e Profissionais de TI Prof. MSc. Edilberto Silva prof.edilberto.silva@gmail.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos

Leia mais

Casos de Teste de Uso: uma alternativa de especificação para o desenvolvimento dirigido por testes

Casos de Teste de Uso: uma alternativa de especificação para o desenvolvimento dirigido por testes Casos de Teste de Uso: uma alternativa de especificação para o desenvolvimento dirigido por testes Simone Tejo Salgado Beato Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo SP Brasil sisalgado@uol.com.br

Leia mais