ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves

Save this PDF as:
Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves"

Transcrição

1 ISSN Versão Eletrônica Outubro, 2011 Documentos 147 ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves

2

3 ISSN Versão Eletrônica Outubro, 2011 Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária Embrapa Suínos e Aves Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Documentos147 ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves Jonas Irineu dos Santos Filho Marcos Venícius Novaes de Souza Editores Embrapa Suínos e Aves Concórdia, SC 2011

4 Exemplares desta publicação podem ser adquiridos na: Embrapa Suínos e Aves Rodovia BR Km , Concórdia-SC Caixa Postal 21 Fone: (49) Fax: (49) Comitê de Publicações da Embrapa Suínos e Aves Presidente: Gilberto S. Schmidt Secretário-Executivo: Tânia M.B. Celant Membros: Gerson N. Scheuermann Jean C.P.V.B. Souza Helenice Mazzuco Nelson Morés Rejane Schaefer Suplentes: Mônica C. Ledur Coordenação editorial: Tânia M.B. Celant Revisão técnica: Dirceu J.D. Talamini e Jean C.P.V.B. Souza Normalização bibliográfica: Claudia A. Arrieche Editoração eletrônica: Vivian Fracasso Ilustração da capa: Geordano Dalmédico e Roberto C. Marca 1ª edição Versão eletrônica (2011) Todos os direitos reservados. A reprodução não-autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei nº 9.610). Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Embrapa Suínos e Aves Anuário estatístico avicultura: central de inteligência da Embrapa Suínos e Aves / Organizadores: Jonas Irineu dos Santos Filho e Marcos Novaes de Souza. - Concórdia: Embrapa Suínos e Aves, p.: il.; 29 cm. - (Documentos/Embrapa Suinos e Aves, ISSN ; 147). 1. Avicultura. 2. Economia. 3. Carne 4. Produção 5. Custo. I. Santos Filho, Jonas Irineu. Org. II. Souza, Marcos Novaes. III. Título. CDD Embrapa 2011

5 Editores Jonas Irineu dos Santos Filho Engenheiro agrônomo, D.Sc. em Ciência (Economia Aplicada), pesquisador da Embrapa Suínos e Aves, Concórdia, SC, Marcos Venícios Novaes de Souza Administrador, B.Sc. em Produção e logística, analista da Embrapa Suínos e Aves, Concórdia, SC,

6

7 Apresentação A informação é a matéria prima fundamental para o processo de inteligência competitiva, pois é a base para a construção do conhecimento. Nesse sentido, é importante resgatar os conhecimentos sobre os termos dados, informações e conhecimentos. "... dados são simples observações sobre o estado do mundo, são facilmente estruturados, obtidos por máquinas, frequentemente quantificados e facilmente transferidos; informações são dados dotados de relevância e propósito, requer unidade de análise, exige consenso em relação ao significado e necessariamente exige a meditação humana; conhecimento é a informação valiosa da mente humana, inclui reflexão, síntese e contexto, além disso é de difícil estruturação, transferência e captura em maquinas, bem como é frequentemente tácito (DAVENPORT, 1998, p. 18) Para que os dados possam se transformar em conhecimento ele precisa ser primeiramente conhecido, validado e analisado para posteriormente ser aplicado. Assim, visando disseminar os dados existentes sobre os aspectos econômicos das cadeias produtivas de suínos e aves a Embrapa, através da sua Central de Inteligência da Avicultura e Suinocultura apresenta aos usuários o Anuário Estatístico da Avicultura. Este anuário é composto por tabelas, gráficos e mapas produzidos pela Embrapa e outras fontes, nacionais e internacionais, oficiais ou não, que descrevem a dinâmica econômica, espacial e temporal da avicultura. Jonas Irineu dos Santos Filho Editor

8

9 Listas de Tabelas Tabela 1. Conjuntura avícola mundial em 2010 (1.000 toneladas) Tabela 2. Conjuntura avícola mundial em 2011 preliminar (1.000 toneladas) Tabela 3. Estoques iniciais mundiais de carne de frango (1.000 toneladas) Tabela 4. Produção mundial de carne de frango (1.000 toneladas) Tabela 5. Importação mundial de carne de frango (1.000 toneladas) Tabela 6. Exportação mundial de carne de frango (1.000 toneladas) Tabela 7. Consumo mundial de carne de frango (1.000 toneladas) Tabela 8. Plantel mundial de matrizes de frangos (1.000 cabeças) Tabela 9. Abate mundial de frangos (1.000 cabeças) Tabela 10. Produção mundial de carne de frango (1.000 toneladas) Tabela 11. Preço ao produtor - carne de frango (US$ / toneladas) Tabela 12. Exportação mundial de carne de frango (toneladas) Tabela 13. Exportação mundial de carne de frango (1.000 US$) Tabela 14. Importação mundial de carne de frango (toneladas) Tabela 15. Importação mundial de carne de frango (1.000 US$) Tabela 16. Consumo mundial de carne de frango (toneladas) Tabela 17. Consumo per capita de carne de frango (Kg / habitante) Tabela 18. Produção de frangos na União Européia / abate (1.000 toneladas) Tabela 19. Abate nacional de frangos (Cabeças) Tabela 20. Custos de Produção de Frangos em Santa Catarina, Climatizado Positivo (R$/Kg)... Tabela 21. Custos de Produção de Frangos em Santa Catarina, Climatizado Positivo (R$/Kg)... Tabela 22. Custos de Produção de Frangos no Mato Grosso do Sul, Climatizado Positivo (R$/Kg)... Tabela 23. Custos de Produção de Frangos no Mato Grosso do Sul, 2010 Climatizado Positivo (R$/Kg)

10 Tabela 24. Produção Mundial de Ovos (toneladas) Tabela 25. Exportação Mundial de Ovos em Casca (toneladas) Tabela 26. Exportação Mundial de Ovos em Casca (1.000 US$) Tabela 27. Importação Mundial de Ovos em Casca (toneladas) Tabela 28. Importação Mundial de Ovos em Casca (1.000 US$) Tabela 29. Exportação Mundial de Ovos Líquidos (toneladas) Tabela 30. Exportação Mundial de Ovos Líquidos (1.000 US$) Tabela 31. Importação Mundial de Ovos Líquidos (toneladas) Tabela 32. Importação Mundial de Ovos Líquidos (1.000 US$) Tabela 33. Exportação Mundial de Ovos em Pó (toneladas) Tabela 34. Exportação Mundial de Ovos em Pó (1.000 US$) Tabela 35. Importação Mundial de Ovos em Pó (toneladas) Tabela 36. Importação Mundial de Ovos em Pó (1.000 US$)... 40

11 Listas de Mapas Mapa 1. Estoques iniciais mundiais de carne de frango, em 2010 (1.000 toneladas) Mapa 2. Produção mundial de carne de frango em 2010 (1.000 toneladas) Mapa 3. Importação mundial de carne de frango em 2010 (1.000 toneladas) Mapa 4. Exportação mundial de carne de frango em 2010 (1.000 toneladas Mapa 5. Consumo mundial de carne de frango em 2010 (1.000 toneladas) Mapa 6. Rebanho mundial de frangos em 2009 (1.000 cabeças) Mapa 7. Produção mundial de carne de frangos em 2008 (toneladas) Mapa 8. Exportação mundial de carne de frango em 2009 (toneladas Mapa 9. Exportação mundial de carne de frango em 2009 (1.000 US$) Mapa 10. Importação mundial de carne de frango em 2009 (toneladas) Mapa 11. Importação mundial de carne de frango em 2009 (1.000 US$) Mapa 12. Rebanho nacional de frangos em 2009 (cabeças) Mapa 13. Produção Mundial de Ovos em 2009 (toneladas) Mapa 14. Exportação Mundial de Ovos em Casca, ano 2009 (toneladas) Mapa 15. Importação Mundial de Ovos em Casca, ano 2009 (toneladas) Mapa 16. Exportação Mundial de Ovos Líquidos, ano 2009 (toneladas) Mapa 17. Importação Mundial de Ovos Líquidos, ano 2009 (toneladas) Mapa 18. Exportação Mundial de Ovos em Pó, ano 2009 (toneladas) Mapa 19. Importação Mundial de Ovos em Pó, ano 2009 (toneladas)... 39

12

13 Anuário Estatístico - Avicultura Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves Jonas Irineu dos Santos Filho Marcos Venícius Novaes de Souza Tabela 1. Conjuntura avícola mundial em 2010 (1.000 toneladas) País Estoques Iniciais Produção Importações Exportações Consumo Doméstico Estados Unidos China Brasil UE México Índia Rússia Argentina Irã África do Sul Japão Tailândia Colômbia Canadá Malásia Indonésia Austrália Filipinas Fonte: USDA

14 12 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Tabela 2. Conjuntura avícola mundial em 2011 preliminar (1.000 toneladas) País Estoques Iniciais Produção Importações Exportações Consumo Doméstico Estados unidos China Brasil UE México Índia Rússia Argentina Irã Tailândia África do Sul Japão Colômbia Canada Malásia Indonésia Austrália Filipinas Fonte: USDA Tabela 3. Estoques iniciais mundiais de carne de frango (1.000 toneladas) País / Ano Estados Unidos Japão Canadá Tailândia Singapura Coréia do Sul Hong Kong Fonte: USDA

15 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 13 Mapa 1. Estoques iniciais mundiais de carne de frango, em 2010 (1.000 toneladas) Fonte: USDA Tabela 4. Produção mundial de carne de frango (1.000 toneladas) País / Ano Estados Unidos China Brasil UE México Índia Rússia Argentina Irã Tailândia África do Sul Japão Colômbia Canadá Malásia Indonésia Austrália Filipinas Ucrânia Coréia do Sul Outros Fonte: USDA

16 14 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Mapa 2. Produção mundial de carne de frango em 2010 (1.000 toneladas) Fonte: USDA Tabela 5. Importação mundial de carne de frango (1.000 toneladas) País / Ano Japão Arábia Saudita UE México Rússia Vietnã Hong Kong Iraque Emirados Árabes Venezuela Angola África do Sul China Kuwait Cuba Ucrânia Canadá Singapura Geórgia Cazaquistão Outros Fonte: USDA

17 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 15 Mapa 3. Importação mundial de carne de frango em 2010 (1.000 toneladas) Fonte: USDA Tabela 6. Exportação mundial de carne de frango (1.000 toneladas) País / Ano Brasil Estados Unidos UE Tailândia China Argentina Canadá Chile Kuwait Ucrânia Emirados Árabes Austrália Jordânia México África do Sul Coréia do Sul Arábia Saudita Singapura Rússia Filipinas Outros Fonte: USDA

18 16 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Mapa 4. Exportação mundial de carne de frango em 2010 (1.000 toneladas) Fonte: USDA Tabela 7. Consumo mundial de carne de frango (1.000 toneladas) País / Ano Estados Unidos China Brasil UE México Rússia Índia Japão Irã África do Sul Argentina Arábia Saudita Colômbia Canadá Malásia Indonésia Venezuela Tailândia Filipinas Austrália Outros Fonte: USDA

19 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 17 Mapa 5. Consumo mundial de carne de frango em 2010 (1.000 toneladas) Fonte: USDA Tabela 8. Plantel mundial de matrizes de frangos (1.000 cabeças) País / Ano China Estados Unidos Indonésia Brasil Índia Irã México Rússia Paquistão Japão Turquia Tailândia Bangladesh Malásia Vietnã França Canadá Reino Unido Outros

20 18 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Mapa 6. Rebanho mundial de frangos em 2009 (1.000 cabeças) Tabela 9. Abate mundial de frangos (1.000 cabeças) País / Ano Estados Unidos China Brasil Indonésia México Rússia Irã Tailândia Reino Unido França Índia Filipinas Japão Mianmar Turquia Canadá África do Sul Coréia Outros

21 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 19 Tabela 10. Produção mundial de carne de frango (1.000 toneladas) País / Ano Estados Unidos China Brasil México Rússia Irã Argentina Reino Unido Indonésia Japão Turquia Espanha Tailândia França Canadá Colômbia África do Sul Malásia Outros Mapa 7. Produção mundial de carne de frangos em 2008 (toneladas)

22 20 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Tabela 11. Preço ao produtor - carne de frango (US$ / toneladas) País / Ano Indonésia 2.163, , , , ,4 Turquia 1.808, , , , ,9 Argentina 2.208, , , , ,9 Áustria 2.162, , , , ,2 Japão 2.002, , , , ,6 Irã 1.477, , , , ,3 Rússia 1.970, , , , ,2 China 1.437, , , , ,2 Canadá 1.626, , , , ,1 África do Sul 1.793, , , , ,0 Colômbia 1.779, , , , ,1 França 1.491, , , , ,1 Espanha 1.478, , , , ,8 Tailândia 1.417, , , , ,6 México 1.646, , , , ,3 Malásia 1.359, , , , ,6 Reino Unido 1.319, , , , ,4 Estados Unidos 1.316, , , , ,8 Brasil 976, , , , ,4 Tabela 12. Exportação mundial de carne de frango (toneladas) País / Ano Estados Unidos Brasil Holanda China, Hong Kong França Bélgica Alemanha Polônia Argentina Unido China Canada Turquia Dinamarca Chile Espanha Itália Hungria Outros

23 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 21 Mapa 8. Exportação mundial de carne de frango em 2009 (toneladas) Tabela 13. Exportação mundial de carne de frango (1.000 US$) País / Ano Brasil Estados Unidos Holanda França Bélgica Alemanha China, Hong Kong Polônia Unido China Argentina Dinamarca Canada Chile Turquia Itália Espanha Hungria Outros

24 22 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Mapa 9. Exportação mundial de carne de frango em 2009 (1.000 US$) Tabela 14. Importação mundial de carne de frango (toneladas) País / Ano Rússia China China, Hong Kong Arábia Saudita México Japão Emirados Árabes Holanda Unido Vietnã Alemanha França Kuwait África do Sul Ucrânia Angola Cuba Canada Outros

25 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 23 Mapa 10. Importação mundial de carne de frango em 2009 (toneladas) Tabela 15. Importação mundial de carne de frango (1.000 US$) País / Ano Unido China, Hong Kong China Japão Arábia Saudita Rússia Alemanha França Holanda Emirados Árabes México Kuwait Vietnã Canada Bélgica Espanha Ucrânia Iraque Outros

26 24 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Mapa 11. Importação mundial de carne de frango em 2009 (1.000 US$) Tabela 16. Consumo mundial de carne de frango (toneladas) País / Ano China , , , , ,45 Estados Unidos , , , , ,67 Brasil , , , , ,22 Rússia , , , , ,48 México , , , , ,43 Japão , , , , ,57 Reino Unido , , , , ,67 Irã , , , , ,00 Indonésia , , , , ,24 França , , , , ,75 Alemanha , , , , ,05 Canadá , , , , ,71 África do Sul , , , , ,24 Espanha , , , , ,48 Argentina , , , , ,33 Turquia , , , , ,00 Arábia Saudita , , , , ,43 Colômbia , , , , ,86 Outros

27 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 25 Tabela 17. Consumo per capita de carne de frango (Kg / habitante) País / Ano Estados Unidos 49,0 51,1 51,8 52,2 50,7 Arábia Saudita 38,0 36,2 41,3 39,4 40,7 Canadá 36,2 36,5 36,6 36,8 37,5 Brasil 32,5 34,2 27,6 29,6 31,7 México 25,6 26,6 28,7 29,3 29,4 Reino Unido 29,8 31,0 30,8 30,8 29,1 Espanha 29,8 26,9 27,1 26,1 27,6 Argentina 19,6 22,0 24,3 27,7 26,7 África do Sul 21,9 22,3 23,7 25,5 25,0 Rússia 16,2 15,8 17,5 20,1 22,3 Colômbia 17,0 17,2 18,4 20,3 21,7 França 24,6 24,4 20,9 20,2 21,1 Irã 16,0 16,7 17,4 19,0 19,6 Japão 15,8 14,9 16,8 17,3 17,2 Alemanha 13,8 14,8 14,8 14,2 15,6 Turquia 12,4 12,3 12,7 12,4 14,1 China 10,5 10,3 10,9 11,2 11,8 Indonésia 5,3 5,6 5,3 5,8 6,0

28 26 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Tabela 18. Produção de frangos na União Européia / abate (1.000 toneladas) País / Ano França 1.796, , , , , ,0 Reino Unido 1.581, , , , , ,9 Alemanha 993, , , , , ,6 Espanha 1.287, , , , , ,4 Polônia 1.035, , , , , ,3 Itália 1.013,1 918, , , , ,9 Holanda 671,1 661,0 721,0 738,6 782,0 798,6 Bélgica 469,3 505,5 Hungria 374,6 385,0 376,0 387,8 360,0 360,0 Portugal 251,5 247,3 271,3 284,1 291,6 296,3 Romênia 292,0 266,0 305,0 343,1 289,9 287,5 Republica Tcheca 241,3 230,6 216,7 210,3 194,3 188,2 Dinamarca 186,1 169,7 171,1 176,2 167,4 184,3 Grécia 162,9 153,7 162,3 171,8 174,1 178,0 Irlanda 142,3 130,0 122,0 117,4 112,1 123,6 Suécia 103,7 108,0 111,9 114,0 110,0 119,4 Áustria 107,2 101,6 109,2 109,1 109,2 112,7 Finlândia 87,0 87,2 95,3 100,9 94,9 96,3 Bulgária 98,5 107,4 116,4 91,2 98,6 96,0 Lituânia 56,5 65,7 68,2 70,6 65,4 71,9 Eslováquia 92,2 94,2 84,3 77,7 68,1 64,0 Eslovênia 53,4 48,1 58,9 58,7 59,5 61,4 Croácia 99,5 87,9 93,1 92,4 62,0 60,2 Chipre 33,2 27,0 28,8 28,7 27,1 27,7 Latvia 17,2 20,6 20,6 23,1 23,2 23,4 Estônia 13,7 12,8 12,1 13,3 14,8 15,9 Malta 4,5 3,9 4,6 5,0 4,7 4,4 Luxemburgo 0,1 0,1 0,1 0,1 0,0 Fonte: EuroStat

29 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 27 Tabela 19. Abate nacional de frangos (Cabeças) BRASIL Rondônia Acre Amazonas Roraima Pará Tocantins NORTE Maranhão Piauí Ceará Rio Grande do Norte Paraíba Pernambuco Alagoas Sergipe Bahia NORDESTE Minas Gerais Espírito Santo Rio de Janeiro São Paulo SUDESTE Paraná Santa Catarina Rio Grande do Sul SUL Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Distrito Federal CENTRO-OESTE Fonte: IBGE

30 28 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Mapa 12. Rebanho nacional de frangos em 2009 (cabeças) Fonte: IBGE Tabela 20. Custos de Produção de Frangos em Santa Catarina, Climatizado Positivo (R$/Kg) PRODUTOR JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ MED. 1. Custo Variável (A) 0,1077 0,1080 0,1085 0,1088 0,1090 0,1091 0,1089 0,1108 0,1110 0,1120 0,1115 0,1119 0, Água Assistência Técnica Calefação 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0139 0,0141 0,0148 0,0143 0,0147 0, Cama 0,0174 0,0174 0,0174 0,0174 0,0174 0,0174 0,0174 0,0174 0,0173 0,0174 0,0174 0,0174 0, Energia Elétrica 0,0109 0,0109 0,0109 0,0109 0,0109 0,0109 0,0109 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0, Funrural 0,0026 0,0028 0,0031 0,0034 0,0035 0,0035 0,0033 0,0034 0,0034 0,0035 0,0033 0,0032 0, Licença Ambiental 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0,0005 0, Manutenção 0,0070 0,0070 0,0071 0,0071 0,0072 0,0073 0,0073 0,0074 0,0074 0,0075 0,0076 0,0077 0, Mão de Obra 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0,0377 0, Outros Pintos Produtos Veterinários Ração Seguro 0,0025 0,0025 0,0025 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0027 0,0027 0,0027 0,0028 0, Serviço de Apanha 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0,0127 0, Transportes Despesas Financeiras (Giro) 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0, Eventuais 0,0031 0,0031 0,0031 0,0031 0,0032 0,0032 0,0032 0,0032 0,0032 0,0032 0,0032 0,0032 0, Custo Fixo (B) 0,0613 0,0619 0,0623 0,0628 0,0638 0,0640 0,0641 0,0648 0,0655 0,0662 0,0673 0,0675 0, Depreciação 0,0383 0,0387 0,0390 0,0393 0,0399 0,0400 0,0401 0,0405 0,0410 0,0414 0,0421 0,0422 0, Remuneração sobre capital méd 0,0230 0,0232 0,0234 0,0235 0,0239 0,0240 0,0240 0,0243 0,0246 0,0248 0,0252 0,0253 0,0241 Total do Produtor (A + B) 0,1690 0,1700 0,1708 0,1716 0,1728 0,1731 0,1730 0,1757 0,1766 0,1782 0,1788 0,1794 0,1741 Fonte: Embrapa

31 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 29 Tabela 21. Custos de Produção de Frangos em Santa Catarina, Climatizado Positivo (R$/Kg) AGROINDÚSTRIA JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ MED. 3. Custo Variável (C) 1,1397 1,1227 1,0530 1,0355 1,0607 1,0694 1,0614 1,0897 1,1307 1,1920 1,2327 1,2810 1, Água 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0, Assistência Técnica 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0,0113 0,0096 0,0083 0, Calefação Cama Energia Elétrica Funrural Licença Ambiental Manutenção Mão de Obra Outros Pintos 0,2121 0,2121 0,2278 0,2632 0,2828 0,2828 0,2710 0,2710 0,2710 0,2789 0,2849 0,2852 0, Produtos Veterinários 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0,0026 0, Ração 0,8240 0,8288 0,7401 0,6912 0,6965 0,7014 0,7090 0,7333 0,7778 0,8308 0,8694 0,9174 0, Seguro Serviço de Apanha 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0,0191 0, Transportes 0,0623 0,0407 0,0444 0,0407 0,0407 0,0444 0,0407 0,0444 0,0407 0,0407 0,0382 0,0393 0, Despesas Financeiras (Giro) 0,0076 0,0075 0,0070 0,0069 0,0071 0,0071 0,0071 0,0073 0,0076 0,0080 0,0082 0,0086 0, Eventuais Custo Fixo (D) Depreciação Remuneração sobre capital méd Total da Agroindústria (C + D) 1,1397 1,1227 1,0530 1,0355 1,0607 1,0694 1,0614 1,0897 1,1307 1,1920 1,2327 1,2810 1,1224 Fonte: Embrapa Tabela 22. Custos de Produção de Frangos no Mato Grosso do Sul, Climatizado Positivo (R$/Kg) PRODUTOR JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ MED. 1. Custo Variável (A) 0,1060 0,1063 0,1083 0,1097 0,1138 0,1140 0,1140 0,1141 0,1117 0,1077 0,1079 0,1092 0, Água Assistência Técnica Calefação 0,0244 0,0244 0,0244 0,0244 0,0281 0,0281 0,0281 0,0281 0,0257 0,0207 0,0207 0,0220 0, Cama 0,0165 0,0165 0,0165 0,0175 0,0175 0,0175 0,0175 0,0175 0,0175 0,0185 0,0185 0,0185 0, Energia Elétrica 0,0180 0,0180 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0,0195 0, Funrural 0,0027 0,0029 0,0033 0,0035 0,0036 0,0038 0,0038 0,0038 0,0038 0,0038 0,0038 0,0038 0, Licença Ambiental Manutenção 0,0066 0,0066 0,0067 0,0067 0,0068 0,0069 0,0069 0,0070 0,0070 0,0071 0,0072 0,0072 0, Mão de Obra 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0,0316 0, Outros Pintos Produtos Veterinários Ração Seguro 0,0024 0,0024 0,0024 0,0024 0,0025 0,0025 0,0025 0,0025 0,0025 0,0026 0,0026 0,0026 0, Serviço de Apanha Transportes Despesas Financeiras (Giro) 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0,0007 0, Eventuais 0,0031 0,0031 0,0031 0,0032 0,0033 0,0033 0,0033 0,0033 0,0032 0,0031 0,0031 0,0032 0, Custo Fixo (B) 0,0565 0,0571 0,0575 0,0579 0,0588 0,0590 0,0591 0,0598 0,0605 0,0611 0,0620 0,0623 0, Depreciação 0,0348 0,0352 0,0354 0,0357 0,0362 0,0364 0,0364 0,0368 0,0372 0,0376 0,0382 0,0384 0, Remuneração sobre capital méd 0,0217 0,0219 0,0221 0,0222 0,0226 0,0227 0,0227 0,0230 0,0232 0,0234 0,0238 0,0239 0,0228 Total do Produtor (A + B) 0,1625 0,1634 0,1658 0,1676 0,1726 0,1730 0,1732 0,1739 0,1721 0,1688 0,1699 0,1715 0,1695 Fonte: Embrapa

32 30 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Tabela 23. Custos de Produção de Frangos no Mato Grosso do Sul, Climatizado Positivo (R$/Kg) AGROINDÚSTRIA JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ MED. 3. Custo Variável (C) 1,1989 1,1127 1,1026 1,0852 1,1228 1,1331 1,1434 1,1688 1,1931 1,2992 1,3340 1,3562 1, Água 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0,0006 0, Assistência Técnica 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0,0079 0, Calefação Cama Energia Elétrica Funrural Licença Ambiental Manutenção Mão de Obra Outros Pintos 0,1854 0,1854 0,1854 0,1854 0,1854 0,1854 0,1772 0,1772 0,1772 0,1772 0,1772 0,1772 0, Produtos Veterinários 0,0034 0,0034 0,0034 0,0034 0,0034 0,0034 0,0032 0,0032 0,0032 0,0032 0,0032 0,0032 0, Ração 0,9402 0,8546 0,8445 0,8273 0,8646 0,8758 0,8935 0,9187 0,9429 1,0483 1,0829 1,1049 0, Seguro Serviço de Apanha 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0,0216 0, Transportes 0,0318 0,0318 0,0318 0,0318 0,0318 0,0308 0,0318 0,0318 0,0318 0,0318 0,0318 0,0318 0, Despesas Financeiras (Giro) 0,0080 0,0074 0,0074 0,0073 0,0075 0,0076 0,0076 0,0078 0,0080 0,0087 0,0089 0,0091 0, Eventuais Custo Fixo (D) Depreciação Remuneração sobre capital méd Total da Agroindústria (C + D) 1,1989 1,1127 1,1026 1,0852 1,1228 1,1331 1,1434 1,1688 1,1931 1,2992 1,3340 1,3562 1,1875 Fonte: Embrapa Tabela 24. Produção Mundial de Ovos (toneladas) País / ano China Estados Unidos Índia Japão México Rússia Brasil Indonésia França Ucrânia Turquia Espanha Itália Irã Alemanha Nigéria Polônia Holanda Outros

33 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 31 Mapa 13. Produção Mundial de Ovos em 2009 (toneladas) Tabela 25. Exportação Mundial de Ovos em Casca (toneladas) País / Ano Holanda Polônia China Espanha Alemanha Malásia Turquia Estados Unidos Bélgica França Índia Ucrânia Bielorrússia Tailândia Itália Rússia Latvia Hungria

34 32 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Mapa 14. Exportação Mundial de Ovos em Casca, ano 2009 (toneladas) Tabela 26. Exportação Mundial de Ovos em Casca (1.000 US$) País / Ano Holanda Estados Unidos Alemanha Polônia Espanha Turquia Bélgica França China Malásia Índia Reino Unido Itália Ucrânia Hungria Brasil Canadá Bielorrússia

35 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 33 Tabela 27. Importação Mundial de Ovos em Casca (toneladas) País / Ano Alemanha França Holanda Irã Hong Kong Reino Unido Bélgica Suíça Polônia Canadá Itália Áustria República Checa Eslováquia Cazaquistão Dinamarca Afeganistão Oman Mapa 15. Importação Mundial de Ovos em Casca, ano 2009 (toneladas)

36 34 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Tabela 28. Importação Mundial de Ovos em Casca (1.000 US$) País / Ano Alemanha Holanda Irã Hong Kong França Reino Unido Singapura Bélgica Suíça Rússia Canadá Polônia Líbia Itália Áustria Romênia Dinamarca República Checa Tabela 29. Exportação Mundial de Ovos Líquidos (toneladas) País / Ano Holanda França Espanha Alemanha Estados Unidos Polônia Bélgica Portugal Dinamarca Itália Reino Unido China Tailândia Arábia Saudita Brasil Canada Grécia Finlândia

37 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 35 Mapa 16. Exportação Mundial de Ovos Líquidos, ano 2009 (toneladas) Tabela 30. Exportação Mundial de Ovos Líquidos (1.000 US$) País / Ano Holanda França Estados Unidos Alemanha Espanha Bélgica Polônia Dinamarca Reino Unido Portugal Itália Tailândia China Brasil Arábia Saudita Canada Finlândia Áustria

38 36 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Tabela 31. Importação Mundial de Ovos Líquidos (toneladas) País / Ano Alemanha Reino Unido França Bélgica Dinamarca Espanha República Checa Holanda Japão Suécia Suíça Áustria Emirados Árabes Canada Polônia Romênia Estados Unidos Itália Mapa 17. Importação Mundial de Ovos Líquidos, ano 2009 (toneladas)

39 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 37 Tabela 32. Importação Mundial de Ovos Líquidos (1.000 US$) País / Ano Alemanha Reino Unido Bélgica França Espanha Japão Dinamarca República Checa Suíça Holanda Suécia Áustria Emirados Árabes Itália Polônia Portugal Estados Unidos Canada Tabela 33. Exportação Mundial de Ovos em Pó (toneladas) País / Ano Estados Unidos Holanda Índia França Bélgica Alemanha Itália Argentina China Canada Polônia Ucrânia Áustria Espanha Romênia Suíça Bulgária República Checa

40 38 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Mapa 18. Exportação Mundial de Ovos em Pó, ano 2009 (toneladas) Tabela 34. Exportação Mundial de Ovos em Pó (1.000 US$) País / Ano Estados Unidos Holanda França Índia Ucrânia Alemanha Itália Argentina China Bélgica Polônia Canada Áustria Suíça Bulgária República Checa Espanha Romênia

41 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 39 Tabela 35. Importação Mundial de Ovos em Pó (toneladas) País / Ano Reino Unido Alemanha Japão Dinamarca Holanda França Áustria Romênia México Espanha Canada Suíça Itália Rússia Indonésia Polônia Arábia Saudita Suécia Mapa 19. Importação Mundial de Ovos em Pó, ano 2009 (toneladas)

42 40 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves Tabela 36. Importação Mundial de Ovos em Pó (1.000 US$) País / Ano Reino Unido Alemanha Japão Dinamarca Áustria França Suíça Arábia Saudita Holanda Indonésia México Suécia Espanha Polônia Itália Romênia Bélgica República Checa

43 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 41

44

45 ANUÁRIO ESTATÍSTICO AVICULTURA Central de Inteligência da Embrapa Suínos e Aves 9

ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - SUINOCULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves

ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - SUINOCULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Versão Eletrônica Outubro, 2011 Documentos 146 ANUÁRIO ESTATÍSTICO - SUINOCULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Versão Eletrônica Outubro, 2011 Empresa

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MAIO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JUNHO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 -

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES ABRIL / 2016 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS ABRIL 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES OUTUBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES SETEMBRO / 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES FEVEREIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2015 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO / 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS JULHO 2018 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO 2019 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ SER REPRODUZIDA, DESDE QUE CITADO COMO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2016 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JULHO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MARÇO 2017 SUMÁRIO Pág. 1 - ANÁLISE 3 2 - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 - DESTINOS 5 4 - COURO BOVINO POR TIPO 6 5 - DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS MARÇO 2016 As Exportações de Couros e Peles apresentadas

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES DEZEMBRO 2018 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ SER REPRODUZIDA, DESDE QUE CITADO COMO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES JANEIRO / 215 SUMÁRIO PÁG. 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 3 2 - EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES - CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES NOVEMBRO 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 - ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 4 3 DESTINOS.. 5 4 COURO BOVINO POR TIPO 6 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 7 1 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Ano 5 no 44 outubro/2012 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7494 Fax: (32) 3311-7499 e-mail: sac@cnpgl.embrapa.br home page:

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL Número de indústrias de calçados no Brasil por estado. 13 Faturamento na exportação de Calçados

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL Número de indústrias de calçados no Brasil por estado. 13 Faturamento na exportação de Calçados RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL 2017 FRANCA População e PIB do município de Franca Piso salarial do sapateiro Estimativa do número de funcionários na indústria de calçados de Franca Dados do

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA JUNHO Número de indústrias de calçados no Brasil por estado. 13 Faturamento na exportação de Calçados

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA JUNHO Número de indústrias de calçados no Brasil por estado. 13 Faturamento na exportação de Calçados RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA JUNHO 2017 FRANCA População e PIB do município de Franca Piso salarial do sapateiro Estimativa do número de funcionários na indústria de calçados de Franca Dados do

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.50% 9.00% 10.00% 10.50% 11.00%

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 11,75% 13,00% 13,75% 12,75% 11,25% 10,25% 8,75% 9,50% 10,25% 10,75% 11,25% 12,50% 11,00% 10,50% 9,75% 9,00% 8,50% 8,00% 7,25% 8,00% 8,50% 9,00%

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 11.75% 13.00% 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.00% 8.50% 9.00%

Leia mais

Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes

Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes Carta IEDI nº 809 Indústria Mundial: O Brasil na contramão dos emergentes ANEXO ESTATÍSTICO Crescimento anual do VTI e VTI per capita, 2005-2015, (em %, em U$ constante 2010). VTI total VTI per capita

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00%

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00% abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 dez-12 abr-13 ago-13 dez-13 abr-14 ago-14 dez-14 abr-15 ago-15 dez-15 abr-16 ago-16 dez-16 META DA TAXA

Leia mais

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO 11/09/12 11/10/12 11/11/12 11/12/12 11/01/13 11/02/13 11/03/13 11/04/13 11/05/13 11/06/13 11/07/13 11/08/13 11/09/13 11/10/13 11/11/13 11/12/13 11/01/14 11/02/14 11/03/14

Leia mais

PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %)

PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %) PIB PIB PAÍSES DESENVOLVIDOS (4 trimestres, %) dez/92 jun/93 dez/93 jun/94 dez/94 jun/95 dez/95 jun/96 dez/96 jun/97 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,5%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,5% abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 dez-12 abr-13 ago-13 dez-13 abr-14 ago-14 dez-14 abr-15 ago-15 dez-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00%

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00% abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 dez-12 abr-13 ago-13 dez-13 abr-14 ago-14 dez-14 abr-15 ago-15 dez-15 abr-16 ago-16 dez-16 META DA TAXA

Leia mais

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO 22/10/12 22/11/12 22/12/12 22/01/13 22/02/13 22/03/13 22/04/13 22/05/13 22/06/13 22/07/13 22/08/13 22/09/13 22/10/13 22/11/13 22/12/13 22/01/14 22/02/14 22/03/14 22/04/14

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25% mar-08 jul-08 nov-08 mar-09 jul-09 nov-09 mar-10 jul-10 nov-10 mar-11 jul-11 nov-11 mar-12 jul-12 nov-12 mar-13 jul-13 nov-13 mar-14 jul-14 nov-14 mar-15 jul-15 nov-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL Março/2014 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População

Leia mais

IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES SETEMBRO 2017 SUMÁRIO PÁG. 1 CAPÍTULO 41 COMPLETO 3 2 ORIGENS 4 3 ORIGENS POR TIPO DE COURO 5 4 ESTADOS 6 5 POR CLASSIFICAÇÃO DAS NCMs 7 1 IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS

Leia mais

Tabelas Anexas Capítulo 1

Tabelas Anexas Capítulo 1 Tabelas Anexas Capítulo 1 Tabela anexa 1.1 População, segundo grandes regiões Brasil e Estado de São Paulo 1980-2007 1-3 Tabela anexa 1.2 Analfabetos e total de pessoas na população de 15 anos ou mais,

Leia mais

BRASILEIRAS DE ARTEFATOS DE

BRASILEIRAS DE ARTEFATOS DE DADOS DAS IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ARTEFATOS DE COURO MALAS Mercadoria: 42021100 - MALAS,MALETAS E PASTAS,DE COURO NATURAL/RECONST/ENVERN. 2005 2006 2007 País Kg US$ US$/Kg Part. Kg US$ US$/Kg Part.

Leia mais

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro. ano 2 Nº15 27/março/2012

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro. ano 2 Nº15 27/março/2012 Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Setembro/2011

PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Setembro/2011 PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Setembro/2011 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no Campo 06. Ocupação do Território Brasileiro 07. Estrutura Fundiária Brasileira 08. PIB do

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE SUÍNA JUNHO DE 2017

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE SUÍNA JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE SUÍNA JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, setembro de 2008.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, setembro de 2008. Brasil Brasília, setembro de 2008. I - Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional Índice Páginas 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2003-2007 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Coordenação Geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Equipe Técnica Kennya Beatriz Siqueira - Pesquisadora Embrapa Gado de Leite Alziro Vasconcelos Carneiro - Analista Embrapa Gado de

Leia mais

CARNE AVÍCOLA JUNHO DE 2017

CARNE AVÍCOLA JUNHO DE 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE AVÍCOLA JUNHO DE 2017 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por

Leia mais

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016

CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE AVÍCOLA NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

ANEXO B. DADOS MUNDIAIS DE ENERGIA

ANEXO B. DADOS MUNDIAIS DE ENERGIA ANEXO B. DADOS MUNDIAIS DE ENERGIA 1. OFERTA MUNDIAL DE ENERGIA GRÁFICO B.1: OFERTA MUNDIAL DE ENERGIA POR FONTE GRÁFICO B.2: OFERTA MUNDIAL DE ENERGIA POR REGIÃO (*) (*) Excluindo bunkers marítimos internacionais

Leia mais

PECUÁRIA. Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

PECUÁRIA. Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PECUÁRIA Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA PECUÁRIA o o Carne bovina O consumo doméstico de carne bovina registrou recuo nos dois últimos anos e continuou

Leia mais

TABELA - Destinos das exportações brasileiras de Laranja em NCM 8 dígitos: Sucos de laranjas, congelados, não fermentados

TABELA - Destinos das exportações brasileiras de Laranja em NCM 8 dígitos: Sucos de laranjas, congelados, não fermentados País Via de Volume Valor Preço Médio Transporte Bélgica Marítima 141.569.475 235.767.952 1.665,39 Estados Unidos Marítima 93.624.168 162.298.316 1.733,51 Países Baixos (Holanda) Marítima 78.144.511 139.108.254

Leia mais

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007. Brasil Brasília, novembro de 2007. Índice Páginas I Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2002/2006 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: POR QUE FAZER? EFEITOS DA DEMOGRAFIA EXIGEM AJUSTE DE REGRAS

REFORMA DA PREVIDÊNCIA: POR QUE FAZER? EFEITOS DA DEMOGRAFIA EXIGEM AJUSTE DE REGRAS REFORMA DA PREVIDÊNCIA: POR QUE FAZER? EFEITOS DA DEMOGRAFIA EXIGEM AJUSTE DE REGRAS 29 de março 217 198 9+ 8 8 7 7 6 6 4 4 3 3 2 2 2.. 1.. 1.... 1.. 1.. 2.. + 6 anos Fonte: IBGE (Projeção da População,

Leia mais

DIRETORIA DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS, INFORMAÇÕES E DESENVOLVIMENTO URBANO E RURAL DEPARTAMENTO DE SISTEMA DE INFORMAÇÕES

DIRETORIA DE ESTUDOS SOCIOECONÔMICOS, INFORMAÇÕES E DESENVOLVIMENTO URBANO E RURAL DEPARTAMENTO DE SISTEMA DE INFORMAÇÕES PRINCIPAIS PAÍSES DE DESTINO DA EXPORTAÇÃO DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA - 2005 2005 Estados Unidos 421.693.481 25,29 México 124.421.946 7,46 Argentina 73.091.226 4,38 Federação da Rússia 59.379.834 3,56

Leia mais

MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA

MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA MERCADO DE ALIMENTOS E BEBIDAS UNIÃO EUROPEIA E CHINA INFORMAÇÕES PARA A FEIRA ANUGA 217 COLÔNIA (ALEMANHA) US$ Bilhões EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALIMENTOS E BEBIDAS Gráfico 1 Exportações brasileiras

Leia mais

ABRIL 2016 RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA FRANCA SÃO PAULO BRASIL. Pág.

ABRIL 2016 RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA FRANCA SÃO PAULO BRASIL. Pág. RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ABRIL 2016 FRANCA População e PIB do município de Franca Piso salarial do sapateiro Estimativa do número de funcionários na indústria de calçados de Franca Dados do

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE AGOSTO 2012 FRANCA 01) População 02) Piso salarial do sapateiro 03) Número de funcionários na indústria de calçados 04) Admissões e demissões do setor calçadista

Leia mais

LISTA DE PAÍSES - POLIONU 2018 AGNU

LISTA DE PAÍSES - POLIONU 2018 AGNU LISTA DE PAÍSES - POLIONU 2018 AGNU África do Sul 1 Alemanha 1 Angola 1 Arábia Saudita 1 Argélia 1 Argentina 1 Bangladesh 1 Brasil 1 Camboja 1 Canadá 1 Cazaquistão 1 China 1 Congo 1 Coreia do Norte 1 Coreia

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Mai/13

Ranking Mundial de Juros Reais Mai/13 Ranking Mundial de Juros Reais Mai/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

PECUÁRIA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

PECUÁRIA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PECUÁRIA Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA PECUÁRIA o o Carne bovina O consumo doméstico de carne bovina registrou recuo nos dois últimos anos e ainda

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE OUTUBRO 2013 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais Ago/13

Ranking Mundial de Juros Reais Ago/13 Ranking Mundial de Juros Reais Ago/13 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

Workshop da Cadeia Produtiva da Proteína Animal Componente FRANGO

Workshop da Cadeia Produtiva da Proteína Animal Componente FRANGO Workshop da Cadeia Produtiva da Proteína Animal Componente FRANGO Pauta Boas vindas Abertura Apresentação da Metodologia de Planejamento: próximos passos Caracterização da cadeia Validação dos Problemas:

Leia mais

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO Arroz em casca AGOSTO 2018 ARROZ EM CASCA: Quadro de Suprimento Mil toneladas Posição: agosto/2018

Leia mais

Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de 2015

Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de 2015 Exportações de Carnes agronegócio Janeiro a Dezembro de 2015 1. Exportações de carnes de janeiro a dezembro de 2015 BRASIL As exportações brasileiras de carnes somaram US$ 14,7 bilhões no período de janeiro

Leia mais

Estatística e Probabilidades

Estatística e Probabilidades Estatística e Probabilidades Nesse resumo vamos mostrar como a análise crítica de séries estatísticas podem contribuir para uma compreensão mais precisa da realidade. Todos os dias ouvimos falar sobre

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES ABRIL 2019 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 6 3 DESTINOS.. 7 4 COURO BOVINO POR TIPO 8 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 9 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ

Leia mais

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO Arroz em casca JUNHO 2018 ARROZ EM CASCA: Quadro de Suprimento Mil toneladas Posição: junho/2018 MUNDO

Leia mais

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO

MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA SUMÁRIO EXECUTIVO Arroz em casca ABRIL 2018 ARROZ EM CASCA: Quadro de Suprimento Mil toneladas Posição: abril/2018 MUNDO

Leia mais

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES

EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE COUROS E PELES MAIO 2019 SUMÁRIO PÁG. 1 ANÁLISE 3 2 CAPÍTULO 41 COMPLETO 6 3 DESTINOS.. 7 4 COURO BOVINO POR TIPO 8 5 DISTRIBUIÇÃO POR ESTADO 9 QUALQUER PARTE DESTA OBRA PODERÁ

Leia mais

MB ASSOCIADOS. A agenda econômica internacional do Brasil. CINDES Rio de Janeiro 10 de junho de 2011

MB ASSOCIADOS. A agenda econômica internacional do Brasil. CINDES Rio de Janeiro 10 de junho de 2011 MB ASSOCIADOS A agenda econômica internacional do Brasil CINDES Rio de Janeiro 10 de junho de 2011 1 Cenário base 2011 2014 Crescimento mundial deverá ser da ordem de 4,0% a.a. Os países do G7 devem crescer

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE FEVEREIRO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação Membros da MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos Membro Data de afiliação África do Sul 10 de março de 1994 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 12 de abril de 1988 Angola 19 de setembro

Leia mais

Energia no Mundo Indicadores. Matrizes Energéticas. Matrizes Elétricas. Edição de 13 de dezembro de Ministério de Minas e Energia

Energia no Mundo Indicadores. Matrizes Energéticas. Matrizes Elétricas. Edição de 13 de dezembro de Ministério de Minas e Energia Energia no Mundo 215-216 Matrizes Energéticas Matrizes Elétricas Indicadores Edição de 13 de dezembro de 217 Ministério de Minas e Energia MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Ministro FERNANDO COELHO FILHO Secretário

Leia mais

SubComitê de Economia e Políticas

SubComitê de Economia e Políticas SubComitê de Economia e Políticas 1. INTRODUÇÃO Tabela 1 Maiores produtores mundiais de leite bovino (mil t), 2016 Ranking País/bloco Produção Participação mundial (%) 1 União europeia 158.156 24 2 EUA

Leia mais

AMEAÇAS E OPORTUNIDADES PARA O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

AMEAÇAS E OPORTUNIDADES PARA O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO AMEAÇAS E OPORTUNIDADES PARA O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Junho/2008 Três Pontas/MG Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento DIMENSÃO DEMOGRÁFICO DIMENSÃO SOCIOECONÔMICA DIMENSÃO SEGURANÇA

Leia mais

Membros da IFC. Corporação Financeira Internacional. Data de afiliação

Membros da IFC. Corporação Financeira Internacional. Data de afiliação Membros da IFC Corporação Financeira Internacional Membro Data de afiliação Afeganistão 23 de setembro de 1957 África do Sul 3 de abril de 1957 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 20 de julho de 1956

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE MARÇO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do setor

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro CADERNO DE ESTATÍSTICAS Uma publicação da Representação do IICA/Brasil Elaboração: Daniela Faria e Diego Machado 1. Apresentação 2.

Leia mais

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro

Coordenação geral Kennya Beatriz Siqueira Alziro Vasconcelos Carneiro Ano 6 no 46 Fevereiro/2013 Embrapa Gado de Leite Rua Eugênio do Nascimento, 610 Bairro Dom Bosco 36038-330 Juiz de Fora/MG Telefone: (32) 3311-7494 Fax: (32) 3311-7499 e-mail: sac@cnpgl.embrapa.br home

Leia mais

Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA

Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, SA PAÍS/ACONDICIONAMENTO CARREGA DESCARREGA TOTAL ALEMANHA 40.621 46.091 86.712 Contentores 15.433 142 15.575 Granel líquido 0 5.135 5.135 Granel sólido 0 28.765 28.765 Roll on/off (c/propulsor) 25.187 12.050

Leia mais

Rentabilidade com Preservação de Capital. José Márcio Camargo. Opus Gestão de Recursos Admirável Mundo Novo. Abril 2011.

Rentabilidade com Preservação de Capital. José Márcio Camargo. Opus Gestão de Recursos Admirável Mundo Novo. Abril 2011. Rentabilidade com Preservação de Capital José Márcio Camargo Opus Gestão de Recursos Admirável Mundo Novo Abril 2011 Abril 2011 1 Admirável Mundo Novo 1. Taxas de juros reais negativas em todos os países

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE OUTUBRO 2014 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

Ranking Mundial de Juros Reais OUT/14

Ranking Mundial de Juros Reais OUT/14 Ranking Mundial de Juros Reais OUT/14 O Ranking Mundial de Juros Reais é um comparativo entre as taxas praticadas em 40 países do mundo e os classifica conforme as taxas de juros nominais determinadas

Leia mais

A RECONSTRUÇÃO DA ECONOMIA BRASILEIRA

A RECONSTRUÇÃO DA ECONOMIA BRASILEIRA A RECONSTRUÇÃO DA ECONOMIA BRASILEIRA RECUPERAÇÃO CÍCLICA E NECESSIDADE DE REFORMAS MARÇO DE 2017 FERNANDO HONORATO BARBOSA Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos - DEPEC 1 2 CENÁRIO GLOBAL 3 ECONOMIA

Leia mais

REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS

REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS ÁFRICA DO SUL n.º 53/08 22 Setembro n.º 222/2008 publicado em 20-11-2008 EM VIGOR DESDE 22-10-2008 ALEMANHA ANDORRA Lei 12/82 03 Junho n.º 20/2017 14 fevereiro publicado em 14-10-1982 EM VIGOR DESDE 08-10-1982

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 1 16/06/09 16/07/09 16/08/09 16/09/09 16/10/09 16/11/09 16/12/09 16/01/10 16/02/10 16/03/10 16/04/10 16/05/10 16/06/10 16/07/10 16/08/10 16/09/10 16/10/10

Leia mais

Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima?

Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima? Maio 2014 Apresentar a Indústria de MT Compreender as DIFERENÇAS e SEMELHANÇAS O que nos afasta? O que nos aproxima? Diagnosticar as NECESSIDADES MÚTUAS Do que precisamos? Do que podemos fornecer mutuamente?

Leia mais

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores. 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas

Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores. 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Ação Cultural Externa Relatório Anual 2014 Indicadores 1. Iniciativas apoiadas pelo Camões, IP a) número (total): 1071 2. Número de iniciativas apoiadas por áreas geográficas Áreas Geográficas Nº Iniciativas

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 23/09/11 21/10/11 18/11/11 16/12/11 13/01/12 10/02/12 09/03/12 06/04/12 04/05/12 01/06/12 29/06/12 27/07/12 24/08/12 21/09/12 19/10/12 16/11/12 14/12/12

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 10/11/11 08/12/11 05/01/12 02/02/12 01/03/12 29/03/12 26/04/12 24/05/12 21/06/12 19/07/12 16/08/12 13/09/12 11/10/12 08/11/12 06/12/12 03/01/13 31/01/13

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Abril/2017

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Abril/2017 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Abril/2017 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no Campo

Leia mais

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 16 de Setembro

JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 16 de Setembro JORGE SUKARIE NETO Campos de Jordão. 16 de Setembro Agenda HOJE HORÁRIO ATIVIDADE LOCAL 08h45 09h10 Abertura Brasoftware Salão Nobre 09h10 09h30 Big Data: Neoway Salão Nobre 09h30 09h50 Gestão de Conteúdo:

Leia mais

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007

Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 Quantidade de Acessos / Plano de Serviço / Unidade da Federação - Novembro/2007 REGIÃO NORTE 5.951.408 87,35 861.892 12,65 6.813.300 RONDÔNIA 760.521 88,11 102.631 11,89 863.152 ACRE 298.081 85,86 49.094

Leia mais

Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas

Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas Dados Estatísticos sobre as Comunidades Portuguesas População portuguesa e de origem portuguesa residente no estrangeiro (estimativa do Ministério dos Negócios Estrangeiros, Direcção Geral dos Assuntos

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2018

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2018 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2018 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 14/06/11 12/07/11 09/08/11 06/09/11 04/10/11 01/11/11 29/11/11 27/12/11 24/01/12 21/02/12 20/03/12 17/04/12 15/05/12 12/06/12 10/07/12 07/08/12 04/09/12

Leia mais

REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS

REDUÇÃO DE TAXAS PAÍSES DIPLOMA LEGAL TROCA DOS ÁFRICA DO SUL n.º 53/08 22 Setembro n.º 222/2008 publicado em 20-11-2008 EM VIGOR DESDE 22-10-2008 ALEMANHA Lei 12/82 03 Junho publicado em 14-10-1982 EM VIGOR DESDE 08-10-1982 15% 11º 10% a) 12º 10% ANDORRA

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 27/04/11 27/05/11 27/06/11 27/07/11 27/08/11 27/09/11 27/10/11 27/11/11 27/12/11 27/01/12 27/02/12 27/03/12 27/04/12 27/05/12 27/06/12 27/07/12 27/08/12

Leia mais

Balança Comercial Mineral da Amazônia. IBRAM AMAZÔNIA Belém, janeiro de 2009.

Balança Comercial Mineral da Amazônia. IBRAM AMAZÔNIA Belém, janeiro de 2009. Balança Comercial Mineral da Amazônia 2008 IBRAM AMAZÔNIA Belém, janeiro de 2009. Balança Comercial da Indústria Extrativa e de Transformação Mineral Em US$ FOB - 2008 Brasil Amazônia Legal Exportação

Leia mais