ANEXO B. DADOS MUNDIAIS DE ENERGIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANEXO B. DADOS MUNDIAIS DE ENERGIA"

Transcrição

1 ANEXO B. DADOS MUNDIAIS DE ENERGIA 1. OFERTA MUNDIAL DE ENERGIA GRÁFICO B.1: OFERTA MUNDIAL DE ENERGIA POR FONTE GRÁFICO B.2: OFERTA MUNDIAL DE ENERGIA POR REGIÃO (*) (*) Excluindo bunkers marítimos internacionais e comércio de eletricidade (**) Sem a China 2. CONSUMO MUNDIAL DE ENERGIA 114 GRÁFICO B.3: CONSUMO FINAL DE ENERGIA POR FONTE 114

2 3 - CONSUMO SETORIAL POR FONTE - MUNDO GRÁFICO B.4: DERIVADOS DE PETRÓLEO % GRÁFICO B.5: ELETRICIDADE % GRÁFICO B.6: GÁS % GRÁFICO B.7: MINERAL % 4. PRODUÇÃO, EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO DE ENERGÉTICOS TABELA B.1: DADOS MUNDIAIS DE PETRÓLEO ANO 2000 PRODUTORES 10 6 t % MUNDIAL EXPORTADORES 10 6 t IMPORTADORES 10 6 t ARÁBIA SAUDITA ,8 ARÁBIA SAUDITA 320 ESTADOS UNIDOS 511 ESTADOS UNIDOS 354 9,9 NORUEGA 146 JAPÃO 214 RUSSIA 347 9,7 RUSSIA 144 CORÉIA 123 IRÃ 186 5,2 IRÃ 116 ALEMANHA 104 MÉXICO 179 5,0 VENEZUELA 115 ITÁLIA 90 VENEZUELA 173 4,8 IRAQUE 107 FRANÇA 86 CHINA 166 4,6 NIGÉRIA 102 CHINA 70 NORUEGA 162 4,5 REINO UNIDO 93 ÍNDIA 67 CANADÁ 125 3,5 MÉXICO 92 PAÍSES BAIXOS 61 REINO UNIDO 118 3,3 EMIRADOS ÁRABES 84 ESPANHA 59 DEMAIS PAÍSES ,7 DEMAIS PAÍSES 656 DEMAIS PAÍSES 642 TOTAL MUNDIAL ,0 TOTAL MUNDIAL TOTAL MUNDIAL Ministério de Minas e Energia - Secretaria de Energia 115

3 TABELA B.2: DADOS MUNDIAIS DE DERIVADOS DE PETRÓLEO ANO 2000 PRODUTORES 10 6 t % MUNDIAL EXPORTADORES 10 6 t IMPORTADORES 10 6 t ESTADOS UNIDOS ,7 PAÍSES BAIXOS 63 ESTADOS UNIDOS 74 JAPÃO 207 6,0 RUSSIA 54 JAPÃO 51 CHINA 196 5,6 ARÁBIA SAUDITA 53 PAÍSES BAIXOS 45 RUSSIA 174 5,0 ESTADOS UNIDOS 49 ALEMANHA 42 CORÉIA 122 3,5 SINGAPURA 41 SINGAPURA 39 ALEMANHA 116 3,3 CORÉIA 40 FRANÇA 27 ÍNDIA 101 2,9 VENEZUELA 37 CHINA 24 ITÁLIA 95 2,7 KUWAIT 26 CORÉIA 23 CANADÁ 94 2,7 ARGÉLIA 21 ITÁLIA 20 FRANÇA 89 2,6 REINO UNIDO 21 ESPANHA 20 DEMAIS PAÍSES ,0 DEMAIS PAÍSES 352 DEMAIS PAÍSES 319 TOTAL MUNDIAL TOTAL MUNDIAL 757 TOTAL MUNDIAL 684 TABELA B.3: DADOS MUNDIAIS DE GÁS NATURAL ANO 2001 PRODUTORES 10 6 m 3 % MUNDIAL EXPORTADORES 10 6 m 3 IMPORTADORES 10 6 m 3 RUSSIA ,2 RUSSIA ESTADOS UNIDOS ESTADOS UNIDOS ,3 CANADÁ ALEMANHA CANADÁ ,2 ARGÉLIA JAPÃO REINO UNIDO ,4 NORUEGA UCRÂNIA ARGÉLIA ,3 PAÍSES BAIXOS ITÁLIA BAÍSES BAIXOS ,0 TURCOMÊNIA FRANÇA INDONÉSIA ,6 INDONÉSIA CORÉIA IRÃ ,4 MALÁSIA PAÍSES BAIXOS ARÁBIA SAUDITA ,2 CATAR ESPANHA UZBEQUISTÃO ,2 REINO UNIDO BELARUS DEMAIS PAÍSES ,3 DEMAIS PAÍSES DEMAIS PAÍSES TOTAL MUNDIAL ,0 TOTAL MUNDIAL TOTAL MUNDIAL TABELA B.4: DADOS MUNDIAIS DO MINERAL ANO 2000 (10 6 t) PRODUTORES CARVÁO VAPOR EXPORTADORES IMPORTADORES CHINA * AUSTRÁLIA 193 JAPÃO 150 ESTADOS UNIDOS CHINA 91 CORÉIA 65 ÍNDIA ÁFRICA DO SUL 69 TAIPÉ CHINESA 49 AUSTRÁLIA INDONÉSIA 66 REINO UNIDO 36 ÁFRICA DO SUL ESTADOS UNIDOS 44 PAÍSES BAIXOS 30 RUSSIA RUSSIA 41 ALEMANHA 28 POLÔNIA COLÔMBIA 37 RUSSIA 28 INDONÉSIA 93 0 CANADÁ 30 ÍNDIA 21 UCRÂNIA 82 1 CAZAQUISTÃO 28 ITÁLIA 20 CAZAQUISTÃO 73 3 POLÔNIA 23 ESPANHA 19 DEMAIS PAÍSES DEMAIS PAÍSES 45 DEMAIS PAÍSES 197 TOTAL MUNDIAL TOTAL MUNDIAL 667 TOTAL MUNDIAL

4 GRÁFICO B.7: PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA ELÉTRICA POR FONTE (%) TABELA B.5: DADOS MUNDIAIS DE ELETRICIDADE ANO 2000 PRODUTORES TWh % MUNDIAL EXPORTADORES TWh IMPORTADORES TWh ESTADOS UNIDOS ,0 FRANÇA 73 ALEMANHA 45 CHINA ,8 CANADÁ 51 ITÁLIA 45 JAPÃO ,0 PARAGUAI 47 BRASIL 44 RUSSIA 876 5,7 ALEMANHA 42 ESTADOS UNIDOS 44 CANADÁ 605 3,9 SUÍÇA 31 SUÍÇA 24 ALEMANHA 567 3,7 RUSSIA 23 PAÍSES BAIXOS 23 ÍNDIA 542 3,5 NORUEGA 21 SUÉCIA 18 FRANÇA 536 3,5 REPÚBLICA TCHECA 19 CANADÁ 15 REINO UNIDO 372 2,4 ÁUSTRIA 15 IUGOSLÁVIA 15 BRASIL 349 2,3 SUÉCIA 14 REINO UNIDO 14 DEMAIS PAÍSES ,2 DEMAIS PAÍSES 153 DEMAIS PAÍSES 200 TOTAL MUNDIAL ,0 TOTAL MUNDIAL 489 TOTAL MUNDIAL 487 TABELA B.6: DADOS MUNDIAIS DE ENEGIA NUCLEAR ANO 2000 PRODUTORES TWh % MUNDIAL CAPACIDADE INSTALADA GW PAÍS (BASEADO NOS 10 PRIMEIROS PRODUTORES) I% NUCLEAR NA GERAÇÃO INTERNA ESTADOS UNIDOS ,9 ESTADOS UNIDOS 98 FRANÇA 77 FRANÇA ,0 FRANÇA 63 UCRÂNIA 45 JAPÃO ,4 JAPÃO 44 CORÉIA 37 ALEMANHA 170 6,6 ALEMANHA 21 ALEMANHA 30 RUSSIA 131 5,1 RUSSIA 20 JAPÃO 30 CORÉIA 109 4,2 CANADÁ 15 ESPANHA 28 REINO UNIDO 85 3,3 CORÉIA 13 REINO UNIDO 23 UCRÂNIA 77 3,0 REINO UNIDO 12 ESTADOS UNIDOS 20 CANADÁ 73 2,8 UCRÂNIA 11 RUSSIA 15 ESPANHA 62 2,4 SUÉCIA 9 CANADÁ 12 DEMAIS PAÍSES ,3 DEMAIS PAÍSES 51 DEMAIS PAÍSES 9 TOTAL MUNDIAL ,0 TOTAL MUNDIAL 357 TOTAL MUNDIAL 17 Ministério de Minas e Energia - Secretaria de Energia 117

5 TABELA B.7: DADOS MUNDIAIS DE GERAÇÃO HIDRELÉTRICA PRODUTORES (DADOS DE 2000) TWh % MUNDIAL CAPACIDADE INSTALADA (BASEADA NA PRODUÇÃO) (DADOS DE 1999) GW PAÍS (BASEADO NOS 10 PRIMEIROS PRODUTORES) (DADOS DE 2000) % HIDRÁULICO NA GERAÇÃO INTERNA CANADÁ ,2 ESTADOS UNIDOS 99 NORUEGA 99,5 BRASIL ,3 CANADÁ 67 BRASIL 87,3 ESTADOS UNIDOS ,2 BRASIL 59 CANADÁ 59,2 CHINA 222 8,2 CHINA 53 SUÉCIA 54,1 RUSSIA 165 6,1 JAPÃO 45 RUSSIA 18,8 NORUEGA 142 5,2 RUSSIA 44 CHINA 16,0 JAPÃO 97 3,6 NORUEGA 28 ÍNDIA 13,7 SUÉCIA 79 2,9 FRANÇA 25 FRANÇA 13,3 ÍNDIA 74 2,7 ÍNDIA 22 JAPÃO 8,9 FRANÇA 72 2,7 SUÉCIA 17 ESTADOS UNIDOS 6,8 DEMAIS PAÍSES ,9 DEMAIS PAÍSES (*) 281 DEMAIS PAÍSES 16,2 TOTAL MUNDIAL ,0 TOTAL MUNDIAL 740 TOTAL MUNDIAL 17,9 (*) FONTE: NAÇÕES UNIDAS -IEA GRÁFICO B.8: DADOS MUNDIAIS DE GERAÇÃO HIDRELÉTRICA (%) TABELA B.8: DADOS MUNDIAIS DE GERAÇÃO COM COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS ANO 2000 MINERAL TWh PETRÓLEO E DERIVADOS TWh GÁS TWh ESTADOS UNIDOS 2110 JAPÃO 159 ESTADOS UNIDOS 630 CHINA 1062 ESTADOS UNIDOS 125 RUSSIA 370 ÍNDIA 420 MÉXICO 97 JAPÃO 239 ALEMANHA 299 ITÁLIA 86 REINO UNIDO 147 JAPÃO 254 ARÁBIA SAUDITA 81 ITÁLIA 101 ÁFRICA DO SUL 193 CHINA 46 IRÃ 93 RUSSIA 176 TAIPÉ CHINESA 35 TAILÂNDIA 61 AUSTRÁLIA 161 IRAQUE 33 MALÁSIA 54 POLÔNIA 138 RUSSIA 33 ALEMANHA 53 CORÉIA 126 PAQUISTÃO 27 PAÍSES BAIXOS 52 DEMAIS PAÍSES 1074 DEMAIS PAÍSES 496 DEMAIS PAÍSES 877 TOTAL MUNDIAL TOTAL MUNDIAL TOTAL MUNDIAL

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias

EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DO CAPÍTULO 71 DA NCM. Por Principais Países de Destino. Janeiro - Dezembro. Bijuterias Bijuterias Principais Países 2010 2011 2012 2013 2014 US$ mil 2014/ 2013 Estados Unidos 5.667 3.828 2.668 3.491 5.006 43 Colômbia 407 800 748 1.112 993-11 França 1.085 931 910 998 969-3 Argentina 2.112

Leia mais

Recursos e oferta de energia - petróleo e gás natural. Ano base 2004 (Resources and energy supplies - oil and natural gas.

Recursos e oferta de energia - petróleo e gás natural. Ano base 2004 (Resources and energy supplies - oil and natural gas. Recursos e Ofertas de Energia Recursos e oferta de energia - petróleo e gás natural. Ano base 2004 (Resources and energy supplies - oil and natural gas. Base year 2004) Eng. Doutoranda Vanessa Meloni Massara

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.50% 9.00% 10.00% 10.50% 11.00%

Leia mais

JUROS E RISCO BRASIL

JUROS E RISCO BRASIL JUROS E RISCO BRASIL META DA TAXA SELIC FONTE: BANCO CENTRAL 11.75% 13.00% 13.75% 12.75% 11.25% 10.25% 8.75% 9.50% 10.25% 10.75% 11.25% 12.50% 11.00% 10.50% 9.75% 9.00% 8.50% 8.00% 7.25% 8.00% 8.50% 9.00%

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL Março/2014 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25% mar-08 jul-08 nov-08 mar-09 jul-09 nov-09 mar-10 jul-10 nov-10 mar-11 jul-11 nov-11 mar-12 jul-12 nov-12 mar-13 jul-13 nov-13 mar-14 jul-14 nov-14 mar-15 jul-15 nov-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO

COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO COMPORTAMENTO DO RISCO BRASILEIRO 11/09/12 11/10/12 11/11/12 11/12/12 11/01/13 11/02/13 11/03/13 11/04/13 11/05/13 11/06/13 11/07/13 11/08/13 11/09/13 11/10/13 11/11/13 11/12/13 11/01/14 11/02/14 11/03/14

Leia mais

Matemática. Resolução das atividades complementares. M8 Noções de estatística

Matemática. Resolução das atividades complementares. M8 Noções de estatística Resolução das atividades complementares 4 Matemática M8 Noções de estatística p. 80 1 Para compor o perfil do público consumidor, um fabricante de walkman fez uma pesquisa entre os alunos de determinada

Leia mais

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação

Membros da MIGA. Agência Multilateral de Garantia de Investimentos. Data de afiliação Membros da MIGA Agência Multilateral de Garantia de Investimentos Membro Data de afiliação África do Sul 10 de março de 1994 Albânia 15 de outubro de 1991 Alemanha 12 de abril de 1988 Angola 19 de setembro

Leia mais

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD

TABELA DE FRETES MÉDIO PRATICADOS PARA ANGOLA REFERENTE AO MÊS DE JANEIRO Moeda: USD REPÚBLICA DE ANGOLA MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES BOLSA NACIONAL DE FRETE Sede: Palácio de Vidro, 5º andar; CX Postal 2223; Telefone +(244) 222-311339/40/41; Fax 222-310555- Luanda, Angola. TABELA DE FRETES

Leia mais

POLIONU LISTA DE PAÍSES

POLIONU LISTA DE PAÍSES AGH Bolívia 2 Brasil 2 Chile 2 China 2 Colômbia 2 Cuba 2 Equador 2 Espanha 2 Estados Unidos da América 2 França 2 Honduras 2 Israel 2 Itália 2 México 2 Nigéria 2 Panamá 2 Peru 2 Reino Unido 2 Senegal 2

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE FEVEREIRO 2015 FRANCA Página População...... 2 Piso salarial do sapateiro... 2 Número de funcionários na indústria de calçados...... 2 Admissões e demissões do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DEPARTAMENTO DE QUÍMICA TEMA 4: FONTES DE ENERGIA E MEIO AMBIENTE Alunas: Erika Martins dos Reis 1 Alessandra B. R. de Azevedo Disciplina: Química do Meio Ambiente

Leia mais

ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves

ISSN Versão Eletrônica Outubro, Documentos. ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Versão Eletrônica Outubro, 2011 Documentos 147 ANUÁRIO ESTATÍSTICO - AVICULTURA Central de Inteligencia da Embrapa Suínos e Aves ISSN 0101-6245 Versão Eletrônica Outubro, 2011 Empresa Brasileira

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA

RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA RELATÓRIO MENSAL - NICC POLO FRANCA ÍNDICE AGOSTO 2012 FRANCA 01) População 02) Piso salarial do sapateiro 03) Número de funcionários na indústria de calçados 04) Admissões e demissões do setor calçadista

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 14/06/11 12/07/11 09/08/11 06/09/11 04/10/11 01/11/11 29/11/11 27/12/11 24/01/12 21/02/12 20/03/12 17/04/12 15/05/12 12/06/12 10/07/12 07/08/12 04/09/12

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 23/09/11 21/10/11 18/11/11 16/12/11 13/01/12 10/02/12 09/03/12 06/04/12 04/05/12 01/06/12 29/06/12 27/07/12 24/08/12 21/09/12 19/10/12 16/11/12 14/12/12

Leia mais

Embaixadas do Brasil no Mundo - Alemanha

Embaixadas do Brasil no Mundo - Alemanha 1. edestinos.com.br 2. Dicas de viagem Última atualização: 30.09.2016 Passagens aéreas Bagagem Check-in e serviço de bordo Como reservar passagens aéreas Saúde durante a viagem FAQ Passageiras grávidas

Leia mais

AMEAÇAS E OPORTUNIDADES PARA O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

AMEAÇAS E OPORTUNIDADES PARA O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO AMEAÇAS E OPORTUNIDADES PARA O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Junho/2008 Três Pontas/MG Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento DIMENSÃO DEMOGRÁFICO DIMENSÃO SOCIOECONÔMICA DIMENSÃO SEGURANÇA

Leia mais

INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS

INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS INTERMODAL SOUTH AMERICA CONFERÊNCIA INFRAPORTOS PAINEL PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS NO SETOR PALESTRA VIABILIDADE DAS EXPORTAÇÕES DEPENDE DOS PORTOS JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO São Paulo, 02 de abril de 2013

Leia mais

Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas

Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas Cenário Atual do Setor de Petróleo & Gás e suas Perspectivas Setembro 2014 07/10/2014 1 A Dinamus Somos uma empresa de consultoria e inteligência de mercado especializada no desenvolvimento de negócios

Leia mais

AVANÇOS EM TECNOLOGIA: - Investimentos crescentes em P&D - Aumento da capacidade não-letal e maior precisão das armas - Custos crescentes dos equipamentos - Automação e robotização - Atuação em rede x

Leia mais

JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES

JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES JUROS TAXA DE JUROS DO TÍTULO DE 10 ANOS DO TESOURO AMERICANO 2006-2013. Fonte: Bloomberg ESTADOS UNIDOS: TAXAS DE JUROS DE 10 ANOS (% a.a.) 03/04/14

Leia mais

JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES

JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS, MOEDAS E COMMODITIES JUROS 21/02/14 14/03/14 04/04/14 25/04/14 16/05/14 06/06/14 27/06/14 18/07/14 08/08/14 29/08/14 19/09/14 10/10/14 31/10/14 21/11/14 12/12/14 02/01/15

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

As importações de Equipamentos Industriais somaram US$ 2,7 bilhões no ano de 2009, cerca de 29% do consumo aparente desses produtos.

As importações de Equipamentos Industriais somaram US$ 2,7 bilhões no ano de 2009, cerca de 29% do consumo aparente desses produtos. 30 de junho de 2010 As importações de Equipamentos Industriais somaram US$ 2,7 bilhões no ano de 2009, cerca de 29% do consumo aparente desses produtos. Nos últimos anos o crescimento médio anual dessas

Leia mais

INFORMATIVO EXPORTAÇÕES

INFORMATIVO EXPORTAÇÕES INFORMATIVO EXPORTAÇÕES DEZEMBRO 2011 ÍNDICE: 1. Exportações Brasileiras de Rochas Dezembro 2010 X 2011 Pg.02 2. Exportações Capixabas Rochas Dezembro 2010 X 2011 Pg.02 3. Participação das Exportações

Leia mais

Estatística e Probabilidades

Estatística e Probabilidades Estatística e Probabilidades Nesse resumo vamos mostrar como a análise crítica de séries estatísticas podem contribuir para uma compreensão mais precisa da realidade. Todos os dias ouvimos falar sobre

Leia mais

Resultados de 2015 Perspectivas para Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio

Resultados de 2015 Perspectivas para Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Resultados de 2015 Perspectivas para 2016 Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Agronegócio na Balança Comercial 300 250 37,9% 37,1% 39,5% 41,3% 43,0% 45,9% 50% 45% 40% 200 35% 30% US$ Bilhões

Leia mais

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU

NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS. Lista da ONU NOMES DE PAÌSES EM PORTUGUÊS Lista da ONU Países-membros das Nações Unidas Segue-se a lista dos 192 países-membros das Nações Unidas, de acordo com a ordem alfabética de seus nomes em português, com as

Leia mais

DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL

DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL DADOS DAS EXPORTAÇÕES DE MEL EXPORTAÇÃO BRASILEIRA DE MEL 2009 a 2014 (NCM 04.09.00.00) ANO 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Meses US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor Kg US$ KG Valor

Leia mais

CIP sensores Clean in place. Segurança alimentar com máxima eficiência.

CIP sensores Clean in place. Segurança alimentar com máxima eficiência. CIP sensores Clean in place Segurança alimentar com máxima eficiência. Panorama de vantagens. Reduzir os custos operacionais de CIP Utilização eficiente de recursos e materiais Maior produtividade Segurança

Leia mais

Seminário Inserção de Fontes Renováveis no Brasil

Seminário Inserção de Fontes Renováveis no Brasil Seminário Inserção de Fontes Renováveis no Brasil Fontes Renováveis na Matriz Energética Amilcar Guerreiro Economia da Energia e do Meio Ambiente Diretor Rio de Janeiro, RJ 29 Abril 2014 Seminário Inserção

Leia mais

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS mensário estatístico - CAFÉ EM GRÃOS CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE MINAS CAMINHOS PARA O CRESCIMENTO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE MINAS CAMINHOS PARA O CRESCIMENTO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE MINAS PALESTRA CAMINHOS PARA O CRESCIMENTO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Belo Horizonte, 30 de agosto de 2016 2 - REALIDADE BRASIL: PAÍS EXPORTADOR DE PESO

Leia mais

Valores ambientais e compra ética

Valores ambientais e compra ética Valores ambientais e compra ética Pesquisa global GfK Abril 2015 1 Pesquisa global GfK: Valores ambientais e compra ética 1. Metodologia 2. Resultado global 3. Resultado do Brasil 2 Metodologia 3 Abrangência,

Leia mais

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro

Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro Dados estatísticos dos principais produtos do Agronegócio Brasileiro CADERNO DE ESTATÍSTICAS Uma publicação da Representação do IICA/Brasil Elaboração: Daniela Faria e Diego Machado 1. Apresentação 2.

Leia mais

Portas Automáticas. Resistentes ao Fogo

Portas Automáticas. Resistentes ao Fogo Portas Automáticas Resistentes ao Fogo 1 Criada em 1966, a Manusa é uma empresa líder no mercado das portas automáticas graças ao desenvolvimento de uma tecnologia própria e a uma equipa de profissionais

Leia mais

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS. Sede Nacional - SP ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DA INDÚSTRIA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Sede Nacional - SP Fundação: 1937 - origem em um sindicato têxtil; Possui 1.200 empresas associadas e representa 4,5 mil empresas; Sede nacional

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Dezembro Janeiro a Dezembro 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var.

Leia mais

QUALIDADE DAS INSTITUIÇÕES E CRESCIMENTO ECONÔMICO

QUALIDADE DAS INSTITUIÇÕES E CRESCIMENTO ECONÔMICO QUALIDADE DAS INSTITUIÇÕES E CRESCIMENTO ECONÔMICO Adolfo Sachsida* 1 INTRODUÇÃO O objetivo deste artigo é mostrar a importância da qualidade das instituições sobre o desenvolvimento e o crescimento econômico.

Leia mais

CIMENTO NOVEMBRO DE 2016

CIMENTO NOVEMBRO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CIMENTO NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas

Leia mais

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014

MUNDO. Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 Elaboração: EMBRAPA TRIGO/Socioeconomia JANEIRO, 2014 MUNDO Tabela 1. Área, rendimento e oferta e demanda de TRIGO no mundo, safras 2011/12, 2012/13 e 2013/14. Item 2011/2012 2012/2013(A) 2013/2014 (B)

Leia mais

Conjuntura atual e perspectivas no mercado de afretamento Internacional. Jan Skåre e Fernando Cruz

Conjuntura atual e perspectivas no mercado de afretamento Internacional. Jan Skåre e Fernando Cruz Conjuntura atual e perspectivas no mercado de afretamento Internacional Jan Skåre e Fernando Cruz Sumário Situação do Mercado Reservas Produção Consumo Preços Principais Operadoras Frota de OSV Tendências

Leia mais

2015 ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL

2015 ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL 2015 ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL O QUE É O ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL? Substituir pela versão em português 2 POR QUE USAR O ÍNDICE DE PROGRESSO SOCIAL? Substituir pela versão em português 3 DEFINIÇÃO DE

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010

Tabela ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 Tabela 3.26 - ALUNOS REGULARES ESTRANGEIROS MATRICULADOS NO MESTRADO POR PAÍS DE ORIGEM EM 2010 ALUNOS REGULARES / UNIDADE ALEMANHA - - - - - 1 - - - - 1 - - - - - - - - - 2 ANGOLA - - - - - - - 1-1 -

Leia mais

Relatório de Pesquisa Indicadores Mundiais do Setor Elétrico: Março Julho 2008

Relatório de Pesquisa Indicadores Mundiais do Setor Elétrico: Março Julho 2008 Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica Relatório de Pesquisa Indicadores Mundiais do Setor Elétrico: Março Julho 2008 Rio de Janeiro Relatório de Pesquisa Indicadores

Leia mais

Unidade II SISTEMÁTICA DE. Profa. Lérida Malagueta

Unidade II SISTEMÁTICA DE. Profa. Lérida Malagueta Unidade II SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Profa. Lérida Malagueta Comércio internacional Brasil: temos Procon / SPC Comércio Internacional: Necessidade de criação de órgãos, como: Fundo Monetário

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Julho 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Julho 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Julho Janeiro a Julho 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var. % Celulose

Leia mais

Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol)

Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol) Regras Especiais de Procedimento para o Comitê de Políticas Especiais e Descolonização (SpecPol) 1. Fluxo do debate 1.1. No debate formal, o tempo limite para discurso será de 2 (dois) minutos. 1.2. Nos

Leia mais

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS

A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS A FORMAÇÃO DOS BLOCOS ECONÔMICOS PROF. DE GEOGRAFIA: BIANCA 1º TRIM - GEOGRAFIA 2016 INTRODUÇÃO Para a formação dos blocos econômicos, os países firmam acordos comerciais, estabelecendo medidas que visam

Leia mais

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões),

- Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), Janeiro / 2015 Resultados de Janeiro de 2015 - Exportação: US$ 13,7 bi, em valor, e média diária de US$ 652,6 milhões; sobre jan-14 (US$ 728,5 bilhões), redução de 10,4%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

IMOPLATAFORMA. Introdução

IMOPLATAFORMA. Introdução Introdução A Imoplataforma é uma ferramenta totalmente online onde pode gerir a sua carteira de imóveis e maximizar o investimento feito no Imovirtual. Não tem qualquer custo acrescido e permitelhe usufruir

Leia mais

PROJECTO DE RESOLUÇÃO Nº 87/XI

PROJECTO DE RESOLUÇÃO Nº 87/XI PROJECTO DE RESOLUÇÃO Nº 87/XI Fixa a composição, distribuição e elenco dos Grupos Parlamentares de Amizade na XI Legislatura e procede à primeira alteração à Resolução da Assembleia da República n.º 6/2003,

Leia mais

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande

PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG. Vale do Rio Grande PAINEL REGIONAL DA INDÚSTRIA MINEIRA REGIONAIS FIEMG Vale do Rio Grande Julho/2016 Objetivo Prover informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria no Estado de Minas Gerais e nas Regionais

Leia mais

Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso

Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso Madeira: Soluções Globais para Investimentos de Sucesso Tratados de Dupla Tributação Documento disponível em: www.ibc-madeira.com Convenções Celebradas por Portugal para Evitar a Dupla Tributação Europa

Leia mais

Cozinhar: atitudes e tempo dedicado à tarefa

Cozinhar: atitudes e tempo dedicado à tarefa Cozinhar: atitudes e tempo dedicado à tarefa Pesquisa global GfK março 2015 1 Pesquisa global GfK: Cozinhar: atitudes e tempo dedicado à tarefa 1. Metodologia 2. Resultado global 3. Resultado do Brasil

Leia mais

4. Líderes em Sustentabilidade 2017

4. Líderes em Sustentabilidade 2017 . Líderes em Sustentabilidade 207 The Sustainability Yearbook 207 RobecoSAM 33 Anualmente, mais de 3.00 das maiores empresas do mundo são convidadas a participar da Avaliação de Sustentabilidade Corporativa

Leia mais

Relatório Mundial de Saúde 2006

Relatório Mundial de Saúde 2006 170 Relatório Mundial de Saúde 2006 Anexo Tabela 1 Indicadores básicos para todos os Estados-Membros Números computados pela OMS para assegurar comparabilidade a ; não são necessariamente estatísticas

Leia mais

A Ásia conta com enormes reservas minerais e energéticas, circunstância que tem facilitado seu recente desenvolvimento industrial.

A Ásia conta com enormes reservas minerais e energéticas, circunstância que tem facilitado seu recente desenvolvimento industrial. A Ásia conta com enormes reservas minerais e energéticas, circunstância que tem facilitado seu recente desenvolvimento industrial. Recursos minerais e energéticos de alguns países da Ásia Os principais

Leia mais

PANORAMA ATUAL DA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA

PANORAMA ATUAL DA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA PANORAMA ATUAL DA MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA Armando Guedes Coelho Conselheiro IBP Junho/2009 PANORAMA MUNDIAL SÉCULO XXI DIVERSIFICAÇÃO DAS FONTES DE ENERGIA Fonte: Nakícenovic, Grübler e MaConald,

Leia mais

Emissões de CO 2 na geração de energia

Emissões de CO 2 na geração de energia Emissões de CO 2 na geração de energia São Paulo, 03 de junho de 2008 Danielle Magalhães Ministério da Ciência e Tecnologia Coordenação-Geral de Mudança Global de Clima Compromissos dos Países na Convenção-Quadro

Leia mais

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO

ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO ALGODÃO TENDÊNCIAS PARA O MERCADO Analista de Mercado Élcio A. Bento elcio@safras.com.br ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/@ Preço Mínimo R$ 44,6/@ ALGODÃO CIF SÃO PAULO R$/2 Jul A FORMAÇÃO DE PREÇOS NO MERCADO

Leia mais

Conheça as embaixadas estrangeiras com representações no Brasil:

Conheça as embaixadas estrangeiras com representações no Brasil: Conheça as embaixadas estrangeiras com representações no Brasil: ÁFRICA DO SUL www.africadosulemb.org.br SES - Av. das Nações, quadra 801, lote 6 CEP: 70406-900 Brasília DF Telefone(s): (061) 312-9500

Leia mais

Análise econômica e suporte para as decisões empresariais

Análise econômica e suporte para as decisões empresariais Cenário Moveleiro Análise econômica e suporte para as decisões empresariais Número 08/2007 Cenário Moveleiro Número 08/2007 1 Cenário Moveleiro Análise econômica e suporte para as decisões empresariais

Leia mais

PERIGOS DA PERCEPÇÃO 2015 ESTUDO REALIZADO EM 33 PAÍSES

PERIGOS DA PERCEPÇÃO 2015 ESTUDO REALIZADO EM 33 PAÍSES PERIGOS DA PERCEPÇÃO 2015 ESTUDO REALIZADO EM 33 PAÍSES 1 Estas são as recentes descobertas da Ipsos com a pesquisa Perigos da Percepção. Os resultados destacam o quão equivocado o público de 33 países

Leia mais

Brasil FedEx International Priority. FedEx International Economy 3

Brasil FedEx International Priority. FedEx International Economy 3 SERVIÇOS E TARIFAS Soluções FedEx para o seu negócio Caso você tenha necessidade de enviar documentos urgentes, economizar em remessas regulares ou enviar cargas pesadas, a FedEx tem uma solução de transporte

Leia mais

HÁBITOS SAUDÁVEIS PARA MANTER A SAÚDE FÍSICA

HÁBITOS SAUDÁVEIS PARA MANTER A SAÚDE FÍSICA HÁBITOS SAUDÁVEIS PARA MANTER A SAÚDE FÍSICA Pesquisa Global GfK Janeiro 2015 1 Pesquisa GfK: Hábitos saudáveis para manter a saúde física 1. Metodologia 2. Resultado global 3. Resultado do Brasil 2 Metodologia

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia 15.1 Conteúdo: Principais Fontes de Energia 15.1 Habilidade: Verificar as principais fontes de energia utilizadas atualmente, analisando sua importância para o desenvolvimento da sociedade Revisão: Espaço

Leia mais

Gestão de Energia Pedro Marques (baseado nos apontamentos do Engº. Paulo Gata Amaral)

Gestão de Energia Pedro Marques (baseado nos apontamentos do Engº. Paulo Gata Amaral) Gestão de Energia Pedro Marques (baseado nos apontamentos do Engº. Paulo Gata Amaral) Energia e Ambiente - Mundo e Portugal. 1 Índice - O Mundo e a Energia; - Situação Energética Actual; - Situação Energética

Leia mais

Comparações Internacionais no Comércio de Produtos Farmacêuticos e Balança Comercial Brasileira de Medicamentos

Comparações Internacionais no Comércio de Produtos Farmacêuticos e Balança Comercial Brasileira de Medicamentos COMPARAÇÕES INTERNACIONAIS NO COMÉRCIO DE PRODUTOS FARMACÊUTICOS E BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DE MEDICAMENTOS 1 Comparações Internacionais no Comércio de Produtos Farmacêuticos e Balança Comercial Brasileira

Leia mais

Benfica Telecom Tarifário 2014 em vigor a partir de 1/1/2014

Benfica Telecom Tarifário 2014 em vigor a partir de 1/1/2014 Benfica Telecom Destino preço por minuto / sms / mms Voz Todas as redes nacionais 0,190 Voz (tarifa reduzida) Todas as redes nacionais 0,084 SMS Todas as redes nacionais 0,095 SMS (tarifa reduzida) Todas

Leia mais

PREÇOS SERVIÇO TELEFÓNICO 2016

PREÇOS SERVIÇO TELEFÓNICO 2016 I. COMUNICAÇÕES REALIZADAS EM TELEFONE PÚBLICO... 2 I.1. Comunicações Fixo-Fixo (de telefone público) 2 I.2. Comunicações Fixo PT-Prestador de serviço de voz através da internet [PT-VoIP] (de telefone

Leia mais

Ciclo do Projeto MDL Validação

Ciclo do Projeto MDL Validação Brasil e o MDL MDL Baseado na proposta brasileira de 1997 de estabelecimento de um Fundo de Desenvolvimento Limpo, adotada pelo G77 e China e, modificada como mecanismo, adotada em Quioto Brasil foi o

Leia mais

Recursos Energéticos e Meio Ambiente (REMA) Engenharia Ambiental 1º semestre/2017

Recursos Energéticos e Meio Ambiente (REMA) Engenharia Ambiental 1º semestre/2017 Recursos Energéticos e Meio Ambiente (REMA) Engenharia Ambiental 1º semestre/2017 ENERGIA DE COMBUSTÍVEIS FÓSSEIS Capítulo 6 HINRICHS, R.A. e KLEINBACH, M. Energia e Meio Ambiente. 4ª. Ed. São Paulo:

Leia mais

Tarifário 2016 Em vigor a partir de 5/9/2016

Tarifário 2016 Em vigor a partir de 5/9/2016 Uzo Original Destino Preço por Minuto/SMS/MMS Voz Todas as redes nacionais 0,193 Voz (tarifa reduzida) Todas as redes nacionais 0,145 SMS Todas as redes nacionais 0,098 SMS (tarifa reduzida) Todas as redes

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Junho 2017

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Junho 2017 >> Exportações de produtos industriais Grupos de Produtos Industriais Junho - US$ Janeiro a Junho - US$ 2016 2017 Var. % 2016 2017 Var. % Celulose e Papel 84.431.684 90.047.004 7% 522.390.072 501.962.469-4%

Leia mais

A necessidade de uma Lei de Responsabilidade Educacional

A necessidade de uma Lei de Responsabilidade Educacional A necessidade de uma Lei de Responsabilidade Educacional 1 Um diagnóstico da educação pública no Brasil 2 Um diagnóstico da educação pública no Brasil Avanços inquestionáveis: 1. Ampliação da oferta de

Leia mais

Voltagens e Configurações de Tomadas

Voltagens e Configurações de Tomadas Afeganistão C, D, F 240 V África Central C, E 220 V África do Sul C, M, 230 V Albânia C, F, L 230 V Alemanha C, F 230 V American Samoa A, B, F, I 120 V Andorra C, F 230 V Angola C 220 V Anguilla A, B 110

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO. Julho de 2017

CENÁRIO MACROECONÔMICO. Julho de 2017 CENÁRIO MACROECONÔMICO Julho de 2017 1 AMBIENTE INTERNACIONAL Riscos reduzidos de crise, com o crescimento global se sustentando em ritmo positivo, de forma generalizada. Aumento gradual de juros nos EUA.

Leia mais

Marcas: Hyundai, Kia, Samsung, Daewoo, LG e Pantech

Marcas: Hyundai, Kia, Samsung, Daewoo, LG e Pantech A Coreia do Sul possui a décima segunda maior economia do mundo, sendo o principal dos dragões asiáticos, o país atingiu um rápido crescimento económico com a exportação de produtos manufacturados. Na

Leia mais

Audiência Pública conjunta. Comissão de Minas e Energia Comissão de Defesa do Consumidor. Projeto de Lei nº 1917 Portabilidade da conta de luz

Audiência Pública conjunta. Comissão de Minas e Energia Comissão de Defesa do Consumidor. Projeto de Lei nº 1917 Portabilidade da conta de luz Audiência Pública conjunta Comissão de Minas e Energia Comissão de Defesa do Consumidor Projeto de Lei nº 1917 Portabilidade da conta de luz 1 Estabelece um cronograma para a portabilidade da conta de

Leia mais

- Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões),

- Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões), Dezembro / 2014 Resultados de Dezembro de 2014 - Exportação: US$ 17,5 bi, em valor, e média diária de US$ 795,0 milhões; sobre dez-13 (US$ 992,7 milhões), redução de 19,9%, pela média diária; - Importação:

Leia mais

Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura

Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura Rio de Janeiro, 04/julho/2013 Ministério de Fundação Getúlio Vargas Instituto Brasileiro de Economia Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura III Seminário sobre Matriz e Segurança Energética Brasileira

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

A pesquisa foi realizada em 65 países. Foram entrevistas, representando mais de 75% da população adulta global.

A pesquisa foi realizada em 65 países. Foram entrevistas, representando mais de 75% da população adulta global. A WIN é uma associação que reúne as maiores empresas independentes de Pesquisa de Mercado do mundo. É uma plataforma global para intercâmbio de negócios internacionais entre mais de 70 países, presentes

Leia mais

o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA INTRODUÇÃ

o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA INTRODUÇÃ - o BRASIL E O COMÉRCIO MUNDIAL DE CARNE BOVINA Oscar Tupy1 INTRODUÇÃ O Este trabalho tem por objetivo mostrar de forma compacta as tendências mundiais de consumo, produção e comércio de carne bovina.

Leia mais

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA

COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA COLÉGIO 7 DE SETEMBRO DISICIPLINA DE GEOGRAFIA PROF. RONALDO LOURENÇO 1º 1 PERCURSO 26 (PARTE 3) A PRODUÇÃO MUNDIAL DE ENERGIA ENERGIA: EVOLUÇÃO HISTÓRICA E CONSTEXTO ATUAL ENERGIAS NÃO RENOVÁVEIS 1 PETRÓLEO

Leia mais

PERIGOS DA PERCEPÇÃO PERILS OF PERCEPTION ESTUDO REALIZADO EM 40 PAÍSES PERILS OF PERCEPTION

PERIGOS DA PERCEPÇÃO PERILS OF PERCEPTION ESTUDO REALIZADO EM 40 PAÍSES PERILS OF PERCEPTION PERIGOS DA PERCEPÇÃO 2016 PERILS OF PERCEPTION ESTUDO REALIZADO EM 40 PAÍSES PERILS OF PERCEPTION 2016 1 ESTES SÃO OS RESULTADOS DA NOVA EDIÇÃO DA PESQUISA PERIGOS DA PERCEPÇÃO DA IPSOS. OS RESULTADOS

Leia mais

SEMINÁRIO PORTUGAL BRASIL BRASIL PORTUGAL BRASIL PORTUGAL PORTUGAL BRASIL SEMINÁRIO

SEMINÁRIO PORTUGAL BRASIL BRASIL PORTUGAL BRASIL PORTUGAL PORTUGAL BRASIL SEMINÁRIO SEMINÁRIO PORTUGAL BRASIL BRASIL PORTUGAL BRASIL PORTUGAL PORTUGAL BRASIL SEMINÁRIO TEMA PLANEJAMENTO Guimarães, Portugal Fevereiro de 2012 PLANEJAMENTO DA EXPANSÃO DO SETOR ELÉTRICO BRASILEIRO Foco na

Leia mais

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007.

Estatísticas básicas de turismo. Brasil. Brasília, novembro de 2007. Brasil Brasília, novembro de 2007. Índice Páginas I Turismo no mundo 1. Fluxo receptivo internacional 1.1 - Chegadas de turistas no Mundo por Regiões e Sub-regiões - 2002/2006 03 1.2 - Chegada de turistas:

Leia mais

Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição.

Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição. Recursos minerais explorados para a obtenção de um determinado elemento metálico que faz parte da sua constituição. Ouro Prata Ferro Magnésio Manganês Cobre Exemplos: ouro, prata, cobre, alumínio, ferro,

Leia mais

05/2009 MERCADOS POTENCIAIS PARA O BRASIL NO SETOR DE ROCHAS ORNAMENTAIS: OPORTUNIDADES E AMEAÇAS

05/2009 MERCADOS POTENCIAIS PARA O BRASIL NO SETOR DE ROCHAS ORNAMENTAIS: OPORTUNIDADES E AMEAÇAS Informe 05/2009 MERCADOS POTENCIAIS PARA O BRASIL NO SETOR DE ROCHAS ORNAMENTAIS: OPORTUNIDADES E AMEAÇAS Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS Avenida Paulista, 1313 8º andar

Leia mais

CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO. Janeiro de 2017

CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO. Janeiro de 2017 CENÁRIO MACROECONÔMICO PARA O BRASIL E MUNDO Janeiro de 2017 1 1 AMBIENTE INTERNACIONAL Fim do longo ciclo de commodities, com estabilização dos preços nos últimos meses. Desaceleração moderada da China.

Leia mais

Detalhamento do Plano

Detalhamento do Plano Plano Básico de Serviço Local A. Empresa: BLUE TELECOMUNICAÇÕES B. Nome do Plano: Plano Básico de Serviço Local BLUE C. Identificação para a Anatel: Plano Básico de Serviço Local BLUE 01/2015 D. Modalidade

Leia mais

Mineração e sua Importância na Economia Brasileira

Mineração e sua Importância na Economia Brasileira Mineração e sua Importância na Economia Brasileira 25 de novembro de 2010 2º CONGRESSO DE MINERAÇÃO DA AMAZÔNIA ANTONIO LANNES Área > 3 milhões Km² Brasil no Mundo Bangladesh Pop > 140 milhões Nigéria

Leia mais

Animais de estimação. Pesquisa global GfK. Maio 2016 GfK 2016 Animais de estimação

Animais de estimação. Pesquisa global GfK. Maio 2016 GfK 2016 Animais de estimação Animais de estimação Pesquisa global GfK Maio 2016 1 Pesquisa global GfK: Animais de estimação 1 Metodologia 2 3 Resultado global Resultado do Brasil 2 Metodologia 3 Abrangência, metodologia e amostra

Leia mais

ALUMÍNIO BAUXITA. Reserva mundial de bauxita (kt)

ALUMÍNIO BAUXITA. Reserva mundial de bauxita (kt) Não Ferrosos 54 ALUMÍNIO Reserva mundial de bauxita (kt) BAUXITA» O tem a terceira maior reserva de bauxita do mundo e é o terceiro maior produtor mundial de Bauxita e de Alumina;» As maiores reservas

Leia mais