PECUÁRIA. Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PECUÁRIA. Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos"

Transcrição

1 PECUÁRIA Janeiro de 2018 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

2 DESEMPENHO DA PECUÁRIA o o Carne bovina O consumo doméstico de carne bovina registrou recuo nos dois últimos anos e continuou enfraquecido em 2017, refletindo as elevadas taxas de desemprego. No primeiro semestre do ano passado, as exportações registraram retração, como efeito da operação Carne Fraca (março) e das delações (maio), que geraram crise de confiança internacional no produto brasileiro. O resultado foi um desequilíbrio na cadeia produtora de carne bovina, com recuo acentuado de abates e queda de preços do boi gordo. A partir de agosto as exportações passaram a reagir, já que a demanda internacional está em expansão. Para 2018, a demanda interna deverá apresentar sinais de melhora com a recuperação da renda real da população, favorecendo a retomada dos preços do boi, que porém deverão ficar abaixo dos níveis registrados no ano passado, quando as exportações apresentavam sinais de forte expansão. Carne Avícola e Carne Suína As exportações passaram a registrar incremento a partir de agosto, refletindo a expansão da demanda externa. O consumo doméstico deverá dar sinais de melhora nos meses à frente, refletindo a melhora da renda real da população. Os custos da ração permaneceram mais baixos em 2017, por conta da sobre oferta de milho no mercado doméstico, contribuindo para a melhora das margens. Em 2018, os preços de milho devem subir, mas excesso de estoque limita a alta das cotações.

3 INDICADORES DO COMPLEXO DE CARNES * Produção Mil Ton Mil Ton % Mil Ton % Bovina ,8% ,6% Suína ,6% ,0% Avícola ,6% ,3% Fonte: USDA, Bradesco 3

4 EXPORTAÇÕES DO COMPLEXO CARNES Mil toneladas Carnes jan-nov/16 jan-nov/17 Var. % Carne Avícola ,8% Carne Bovina ,5% Carne Suína ,8% Total ,6% Fonte: SECEX, Bradesco

5 CONSUMO DOMÉSTICO DE CARNES Em kg/hab/ano , , ,4 5 Carne Bovina Carne de Frango Carne Suína 42,8 32,5 14, Fonte: CONAB, Bradesco

6 * Fonte e projeção: USDA Elaboração: Bradesco em mil toneladas Produção Nacional do Complexo Carnes PRODUÇÃO NACIONAL DO COMPLEXO CARNES Mil toneladas Bovina Avícola Suína Fonte: USDA, Bradesco

7 EXPORTAÇÕES DO COMPLEXO CARNES USDA, mil toneladas Fonte e (*) Projeção: USDA Elaboração: Bradesco Exportações Brasileiras do Complexo Carnes em -mil 1997 toneladas Bovina Frango Suínos Fonte: USDA, Bradesco *

8 PRODUÇÃO BRASILEIRA DO COMPLEXO CARNES Fonte e Projeção: USDA Mil toneladas Produção Part. % no mundo * ,0% % 10,5% % 10% 10% 10,0% 9,5% 9,0% 8,5% 8,0% 7,5% ,0% ,5% Fonte: USDA, Bradesco

9 EXPORTAÇÕES DE CARNES EM VOLUME Exportações de carne bovina, suína e avícola - acumulado 12 meses em mil toneladas - fonte: Secex Elaboração: Bradesco Acumulado de 12 meses, em mil toneladas BOVINA SUÍNO FRANGO Fonte: SECEX, Bradesco

10 EXPORTAÇÕES DE CARNES Exportações de carne bovina, suína e avícola - acumulado 12 meses em mil toneladas - fonte: Secex Elaboração: Bradesco Var. em volume, acumulado de 12 meses 45,0% BOVINA SUÍNO FRANGO 35,0% 25,0% 15,0% 5,0% -5,0% 6,2% -1,6% -4,8% -15,0% -25,0% Fonte: SECEX, Bradesco

11 Carne Avícola

12 EXPORTAÇÕES DE CARNE DE FRANGO - MAIORES PLAYERS Mil toneladas Fonte e (*) projeção: USDA Elaboração: Bradesco * Brasil EUA União Europeia Fonte: USDA, Bradesco

13 em mil toneladas Exportações Brasileiras de Carne de Frango EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE DE FRANGO Mil toneladas Fonte: USDA * ,2% Carne de Frango - Exportações Part. % no mundo 39,9% 34,0% 38,6% 50,0% 45,0% 40,0% 35,0% 30,0% 25,0% 20,0% 15,0% 10,0% 5,0% 0,0% Fonte: USDA, Bradesco

14 Fonte: USDA Coeficiente de Exportações de Carne de Frango COEFICIENTE DE EXPORTAÇÕES DE CARNE DE FRANGO 35,0% 30,0% 25,0% 25% 29% 29% 27% 28% 29% 29% 27% 27% 28% 28% 28% 29% 30% 30% 31% 20,0% 19% 21% 15,0% 15% 10,0% * Fonte: USDA, Bradesco

15 * em mil toneladas Produção Brasileira de Carne de Frango PRODUÇÃO BRASILEIRA DE CARNE DE FRANGO Mil toneladas Fonte e Projeção: USDA Produção Part. % no mundo ,0% % 16% 16,0% 14,0% ,0% % (*) 10,0% 8,0% ,0% Fonte: USDA, Bradesco

16 cabeças ABATES DE AVES Acumulado de 12 meses, em milhões de aves abatidas Fonte: IBGE, Bradesco

17 PREÇOS DO FRANGO VIVO Em R$ por kg Praça Paraná, em R$ por kg FRANGO VIVO PREÇO AO PRODUTOR - PRAÇA PR Fonte: DERAL 3,2 3,0 2,8 2,6 2,4 2,2 2,0 1,8 1,6 1,4 1,2 1,0 0,8 3,08 2,46 2,54 2,15 1,81 1,65 1,40 1, ,45 Fonte: DERAL, Bradesco

18 Carne suína

19 * Exportações de Carne Suína dos maiores exportadores EXPORTAÇÕES DE CARNE SUÍNA - MAIORES PLAYERS em mil toneladas Mil toneladas Fonte: USDA Brasil EUA União Europeia Canadá Fonte: USDA, Bradesco

20 * EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE SUÍNA EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE SUÍNA Mil toneladas Carne Suína - Exportações Part. % no mundo Fonte: USDA % % 13% % % % % % % 16,0% 14,0% ,0% 10% 10% 10,0% 8,0% 6,0% 4,0% 2,0% - 0,0% Fonte: USDA, Bradesco

21 Fonte: USDA COEFICIENTE DE EXPORTAÇÕES DE CARNE SUÍNA Coeficiente de Exportações de Carne Suína * 30,0% 28% 25,0% 20,0% 15,0% 15% 23% 24% 24% 24% 23% 23% 22% 22% 22% 21% 19% 20% 18% 18% 18% 16% 10,0% 5,0% 5% 6% 6% 8% 0,0% Fonte: USDA, Bradesco

22 PRODUÇÃO BRASILEIRA DE CARNE SUÍNA Produção Brasileira de Carne Suína Fonte e Projeção: USDA * em mil toneladas Produção Part. % no mundo 3% 3,5% 3% 3,0% % 2,5% ,0% ,5% Fonte: USDA, Bradesco

23 em mil cabeças ABATES DE SUÍNOS Acumulado de 12 meses, em mil animais abatidos Fonte: IBGE, Bradesco

24 Em R$ por kg PREÇOS DO SUÍNO VIVO PREÇOS DO SUÍNO VIVO PRAÇA PARANÁ Praça paraná, R$ por kg Fonte: DERAL 4,3 3,8 3,3 2,8 2,85 2,76 3,10 3,91 2,76 3,34 3,54 2,3 1,8 1,3 1,64 1,84 0, Fonte: DERAL, Bradesco

25 Carne bovina

26 * EXPORTAÇÕES DE CARNE BOVINA MAIORES PLAYERS Mil toneladas Exportações de Carne Bovina dos maiores exportadores Fonte e Projeção: USDA Elaboração: Bradesco Brasil Austrália EUA Índia Fonte: USDA, Bradesco

27 * PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA - MAIORES PLAYERS em mil toneladas Mil toneladas Produção de Carne Bovina dos maiores exportadores Fonte e Projeção: USDA Elaboração: Bradesco Brasil Austrália EUA Índia Fonte: USDA, Bradesco

28 em m il t REBANHO DE BOVINOS - PAÍSES SELECIONADOS Mil toneladas em m il t * Fonte: USDA, Bradesco Brasil Argentina EUA Austrália

29 * EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE BOVINA Mil toneladas em mil toneladas Carne Bovina - Exportações Fonte: USDA Part. % no mundo % 32,0% 28,0% 24,0% % 20% 20,0% 18% 16,0% 12,0% 8,0% 4,0% 200 0,0% Fonte: USDA, Bradesco

30 COEFICIENTE DE EXPORTAÇÕES DE CARNE BOVINA Fonte: USDA Coeficiente de Exportações de Carne Bovina 25,0% 23% 24% 20,0% 15,0% 20% 18% 17% 15% 16% 19% 20% 18% 18% 19% 19% 10,0% 5,0% 0,0% Fonte: USDA, Bradesco *

31 * PRODUÇÃO BRASILEIRA DE CARNE BOVINA Mil toneladas em mil toneladas Produção Brasileira de Carne Bovina Fonte e Projeção: USDA Participação % no Mundo 18,0% % 16% 16% 16% 16,0% % 14,0% (*) 12,0% ,0% Fonte: USDA, Bradesco

32 REBANHO DE BOVINOS - PAÍSES SELECIONADOS Fonte e (*) Projeção: USDA Elaboração: Bradesco Exportações Brasileiras do Complexo Carnes em mil toneladas Mil cabeças Brasil Argentina EUA Austrália * Fonte: USDA, Bradesco

33 ABATES DE BOVINOS Acumulado 12 meses, mil animais mil sacas de 60 kg Fonte: IBGE, Bradesco

34 PREÇOS DO BOI GORDO São Paulo, R$ por arroba 160,0 157,7 140,0 120,0 109,6 125,2 124,3 142,2 100,0 80,0 93,3 74,5 90,8 60,0 40,0 20, Fonte: CEPEA ESALQ, BLOOMBERG, Bradesco o Projeção de preço: média dos preços futuros na BMF

35 08 RELAÇÃO DE TROCA ENTRE BOI GORDO E BEZERRO ,4 QUANTIDADE DE BEZERROS QUE É POSSÍVEL COMPRAR COM UMA CABEÇA DE BOI. QUANTO MENOR PIOR INDICA AUMENTO DE CUSTOS COM A REPOSIÇÃO. 2,3 2,2 2,1 2,0 2,01 1,9 1,8 1,7 Fonte: CEPEA ESALQ, Bradesco

36 PREÇO DO BEZERRO R$ / arroba , Fonte: CEPEA ESALQ, Bradesco

37 ABATES DE BOIS E VACAS E PREÇOS DE BEZERRO Acumulado 12 meses, participação no n de animais abatidos, R$/cabeça EM R$ POR CABEÇA Abate de vacas Abate de bois Preço de Bezerro 60% 55% 50% 45% 40% 35% 30% 25% % % Fonte: IBGE, CEPEA, Bradesco

38 Perfil Setorial

39 PARTICIPAÇÃO NO COMPLEXO CARNES Produção, 2016 Produção de carnes - USDA - mil ton Carne Bovina 35,8% Carne Suína 14,1% Carne de Frango 50,1% Fonte: USDA, Bradesco

40 CONSUMO DE CARNES NO BRASIL E NO MUNDO 2016 Carne Bovina 37,9% Carne Suína 14,2% BRASIL Carne de Frango 47,9% Carne Bovina 23,1% Carne Suína 42,5% MUNDO Carne de Frango 34,5% Fonte: USDA, Bradesco

41 Sazonalidade

42 O ciclo produtivo no setor avícola é curto, ou seja são 45 dias entre o nascimento e o abate das aves.

43 O ciclo produtivo no setor suinícola é de 1 ano e meio, ou seja 18 meses entre o nascimento e o abate do suíno.

44 PECUÁRIA BOVINA SAFRA E ENTRESSAFRA o Ocorre no 1º semestre do ano, no período de chuvas, quando há pastagens abundantes; o Com maior oferta de boi para abate, os preços do boi gordo nesse período são menores; o O ciclo da pecuária bovina é longo 2,5 anos contando desde o nascimento do bezerro até o abate do animal com aproximadamente 15 arrobas.

45 ENTRESSAFRA BOVINA o A entressafra bovina ocorre no 2º semestre, período da seca, quando o frio e as geadas secam as pastagens. O boi perde peso e há menor oferta de boi para abate. No entanto os preços do boi se elevam nesse período, porque a oferta é maior de boi de confinamento, cujo custo de produção é mais elevado; o Além disso a demanda é maior nos últimos meses do ano, influenciando a alta de preços; o Outro aspecto é que há redução do abate de vacas no 2º semestre, notadamente entre setembro e outubro, que é o período de monta, ou seja, a fase de reprodução.

46 ENTRESSAFRA BOVINA o Durante a entressafra bovina, com a elevação dos preços, há um leve acréscimo de consumo de carne de frango e de suíno. o Nas festas natalinas há aumento do consumo de aves em geral e de suínos.

47 CONFINAMENTO o Primeiro giro do confinamento entre maio e julho o Segundo giro do confinamento entre agosto e novembro o O boi fica cerca de 90 dias no confinamento

48 SAZONALIDADE DO CONFINAMENTO 5,1% 14,6% 28,3% 25,8% 5,1% 14,7% 14,6% 5,6% 28,3% 25,8% 14,7% 5,6% 40% 35% Entrada de animais Saída de animais 30% 25% 20% 15% 10% 5% 0% jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez Fonte: ASSOCON, Bradesco

49 Custos de Produção

50 FRANGO DE CORTE EM SANTA CATARINA Custos de produção Custos de Produção de frango de corte em Santa Catarina - climatizado Forração 0,95% Energia Elétrica 1,19% Mão-de-Obra 1,44% Transportes 2,44% Calefação 0,82% Outros 7,44% Pintinhos 13,24% Ração 72,48% Fonte: CONAB, Bradesco

51 CUSTOS DE PRODUÇÃO DE SUÍNOS EM SANTA CATARINA Custos de Produção de suíno vivo em Santa Catarina Energia Elétrica 0,60% Manutenção 1,00% Produtos Veterinários 2,30% Transportes 2,50% Depreciações 3,40% Outros 8,50% Mão-de-Obra 4,40% Ração 77,30% Fonte: CONAB, Bradesco

52 CUSTOS DE CONFINAMENTO DE BOVINOS São Paulo Administração 8% Itens Veterinários 3% Alimentação 35% Boi Magro 54% Fonte: CEPEA ESALQ, Bradesco

53 Ranking

54 Carne avícola

55 PRODUÇÃO DE CARNE DE FRANGO Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Produção de Carne de Frango Outros 23,2% EUA 20,6% Argentina 2,5% México 3,7% Brasil 15,1% Rússia 4,1% Índia 4,7% União Europeia 12,0% China 14,2% Fonte: USDA, Bradesco

56 CONSUMO DE CARNE DE FRANGO Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Consumo de Carne de Frango Outros 29,2% EUA 17,4% China 14,5% Japão 2,6% Rússia 4,3% México 4,7% Índia 4,8% Brasil 10,8% União Europeia 11,8% Fonte: USDA, Bradesco

57 EXPORTAÇÃO DE CARNE DE FRANGO Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Exportação de Carne de Frango China 3,5% Outros 13,2% Tailândia 5,9% Brasil 38,0% União Europeia 11,0% EUA 28,4% Fonte: USDA, Bradesco

58 IMPORTAÇÃO DE CARNE DE FRANGO Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Importação de Carne de Frango Outros 36,7% Japão 10,4% Arábia Saudita 10,3% México 9,2% Rússia 1,5% Angola 3,0% Hong Kong 3,5% China 4,1% Iraque 7,7% África do Sul 5,4% União Europeia 8,3% Fonte: USDA, Bradesco

59 Carne suína

60 PRODUÇÃO DE CARNE SUÍNA Ranking mundial, 2016 Japão 1,2% México 1,3% Filipinas 1,3% Canadá 1,8% Vietnã 2,3% Rússia 2,4% Brasil 3,3% Outros 5,9% EUA 10,4% China 48,9% União Europeia 21,3% Fonte: USDA, Bradesco

61 CONSUMO DE CARNE SUÍNA Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Consumo de Carne Suína Japão 2,4% Brasil 2,7% Rússia 2,8% EUA 8,7% Outros 14,4% China 50,1% União Europeia 19,0% Fonte: USDA, Bradesco

62 EXPORTAÇÃO DE CARNE SUÍNA Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Exportação CARNE de SUÍNA Carne Suína - Exportação - em mil t China 3,0% Brasil 8,8% Canadá 16,4% Outros 6,7% União Europeia 34,1% EUA 31,0% Fonte: USDA, Bradesco

63 IMPORTAÇÃO DE CARNE SUÍNA Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Importação de Carne Suína Outros 21,9% Japão 18,3% Rússia 4,9% Hong Kong 5,7% EUA 7,4% Coréia 8,5% México 15,3% China 18,0% Fonte: USDA, Bradesco

64 Carne bovina

65 REBANHO BOVINO Ranking mundial, 2016 Ranking de rebanho por países Rússia 1,9% Austrália 2,8% Argentina 5,3% União Europeia 9,1% México 1,7% Outros 5,7% Índia 31,1% EUA 9,4% China 10,3% Brasil 22,5% Fonte: USDA, Bradesco

66 ABATE DE BOVINOS Ranking mundial, 2016 Rússia 2,8% Austrália 3,5% Nova Zelândia 1,9% México 2,6% Argentina 5,2% União Europeia 11,5% Outros 5,4% China 20,7% Brasil 16,7% EUA 13,1% Índia 16,6% Fonte: USDA, Bradesco

67 PRODUÇÃO DE CARNE BOVINA Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Produção de Carne Bovina Canadá 1,8% Rússia 2,2% Paquistão 3,0% México 3,2% Outros 14,3% EUA 19,2% Austrália 3,7% Brasil 16,3% Argentina 4,5% Índia 7,3% China 11,5% União Europeia 13,0% Fonte: USDA, Bradesco

68 CONSUMO DE CARNE BOVINA Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Consumo de Carne bovina México 3,1% Índia 4,1% Japão 2,1% Paquistão 3,0% Rússia 3,4% Argentina 4,3% Outros 19,3% China 13,3% EUA 20,2% União Europeia 13,5% Brasil 13,7% Fonte: USDA, Bradesco

69 EXPORTAÇÃO DE CARNE BOVINA Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Exportação de Carne bovina CARNE BOVINA - Exportação - em mil t Canadá 4,3% União Europeia 3,3% Paraguai 3,9% Argentina 2,4% Outros 9,2% Índia 20,2% Uruguai 3,9% Nova Zelândia 6,1% Brasil 19,2% EUA 11,6% Austrália 15,8% Índia: inclui exportação de carne de búfalo Fonte: USDA, Bradesco

70 IMPORTAÇÃO DE CARNE BOVINA Ranking mundial, 2016 Ranking Mundial de Importação de Carne bovina CARNE BOVINA - Importação - em mil t Outros 31,3% EUA 17,1% China 10,7% Egito 3,7% Canadá 3,7% União Europeia 4,7% Hong Kong 5,2% Rússia 8,1% Coréia do Sul 5,9% Japão 9,4% Fonte: USDA, Bradesco

71 Regionalização

72 SUÍNOS E AVES o A região Sul do país tem perfil mais exportador no segmento de carnes suínas e de frango; o Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul respondem por 80% das exportações; o São Paulo e Minas Gerais têm perfil mais voltado para o mercado interno.

73 ABATE DE AVES Por estado Goiás 4,3% Mato Grosso do Sul 3,6% São Paulo 5,4% Outros 2,5% Santa Catarina 25,4% Mato Grosso 5,6% Minas Gerais 12,6% Rio Grande do Sul 19,7% Paraná 21,0% Fonte: IBGE, Bradesco

74 ABATE DE SUÍNOS Por estado Mato Grosso 4,1% Mato Grosso do Sul 2,8% Outros 7,6% Goiás 6,1% Paraná 31,3% Minas Gerais 7,9% São Paulo 10,6% Santa Catarina 14,9% Rio Grande do Sul 14,2% Fonte: IBGE, Bradesco

75 ABATE DE BOVINOS Por estado Bahia 3,9% Rio Grande do Sul 6,4% Tocantins 3,5% Paraná 4,1% Rondônia 7,4% Outros 11,7% Minas Gerais 8,3% Pará 9,2% Mato Grosso 15,5% Mato Grosso do Sul 11,1% São Paulo 9,4% Goiás 9,5% Fonte: IBGE, Bradesco

76 Fornecedores

77 FORNECEDORES DE INSUMO PARA OS CRIADORES o Fabricantes de medicamentos e vacinas; o Fabricantes de ração.

78 Consumidores

79 COEFICIENTE DE EXPORTAÇÕES DO COMPLEXO CARNES BRASILEIRO 2016 Carne Bovina BOVINOS Carne Suína SUÍNOS Exportações; 19,9% Exportações; 24,3% Mercado Interno; 80,1% AVES Carne de Frango Mercado Interno; 75,7% Exportações; 30,2% Mercado Interno; 69,8% Fonte: USDA, Bradesco

80 EXPORTAÇÕES DE CARNE DE FRANGO Países de destino Outros 19,3% África do Sul 5,3% Hong Kong 5,9% Países Árabes 39,3% Japão 9,4% União Europeia 9,4% China 11,4% Fonte: SECEX, Bradesco

81 EXPORTAÇÕES DE CARNE SUÍNA Países de destino 2016 Outros 18,3% Uruguai 4,0% Rússia 34,0% Angola 4,1% Cingapura 4,5% China 12,2% Hong Kong 22,8% Fonte: SECEX, Bradesco

82 EXPORTAÇÕES DE CARNE BOVINA Países de destino 2016 Outros 26,8% Hong Kong 21,1% União Européia 8,4% Países Árabes 21,1% Rússia 10,3% China 12,2% Fonte: SECEX, Bradesco

83 Fatores de risco

84 o Riscos sanitários contaminação pela gripe aviária, por meio de aves migratórias o Barreiras sanitárias e sanções comerciais o Setor exportador dependente do comportamento do câmbio o Setor sensível aos aumentos de custos do milho e da soja

85 DEPEC-BRADESCO O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas por suas publicações e projeções. Todos os dados ou opiniões dos informativos aqui presentes são rigorosamente apurados e elaborados por profissionais plenamente qualificados, mas não devem ser tomados, em nenhuma hipótese, como base, balizamento, guia ou norma para qualquer documento, avaliações, julgamentos ou tomadas de decisões, sejam de natureza formal ou informal. Desse modo, ressaltamos que todas as consequências ou responsabilidades pelo uso de quaisquer dados ou análises desta publicação são assumidas exclusivamente pelo usuário, eximindo o BRADESCO de todas as ações decorrentes do uso deste material. Lembramos ainda que o acesso a essas informações implica a total aceitação deste termo de responsabilidade e uso.

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CARNE BOVINA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NA PRODUÇÃO Produção de carnes NACIONAL - USDA - mil ton DO COMPLEXO CARNES - 2014 Carne Bovina

Leia mais

CRESCIMENTO DO PIB MUNDIAL (%)

CRESCIMENTO DO PIB MUNDIAL (%) 1 1980 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987 1988 1989 1990 1991 1992 1993 1994 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 CRESCIMENTO DO PIB

Leia mais

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015 JURANDI MACHADO - DIRETOR Cenário Carnes 2014/2015 Oferta e Demanda de Carne Suína CARNE SUÍNA 2014 (a)* no Mundo (Mil toneladas) 2015 (b)* Var % (b/a) PRODUÇÃO 110.606 111.845 1,12 CONSUMO 109.882 111.174

Leia mais

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS

mensário estatístico - exportação Janeiro 2011 CAFÉ EM GRÃOS mensário estatístico - CAFÉ EM GRÃOS CONDIÇÕES Este relatório foi preparado pela Linus Galena Consultoria Econômica exclusivamente para uso de seus clientes e não poderá ser circulado, reproduzido, distribuído

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TÊXTIL E CONFECÇÕES MAIO DE 2016

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TÊXTIL E CONFECÇÕES MAIO DE 2016 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TÊXTIL E CONFECÇÕES MAIO DE 2016 1 PRODUTOS 2 A CADEIA TÊXTIL É DIVIDIDA EM 3 SEGMENTOS: FIBRAS E FILAMENTOS TÊXTIL CONFECÇÕES 3 FATURAMENTO DA CADEIA

Leia mais

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro

A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro A Economia Global e as Perspectivas para o Agronegócio Brasileiro Henrique de Campos Meirelles Julho de 20 1 pico = 100 Valor de Mercado das Bolsas Mundiais pico 100 Atual 80 Japão 60 40 crise 1929 20

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Outubro de 2013 Panorama Macroeconômico As atenções do mercado externo seguem concentradas nos EUA, tanto em relação aos próximos passos do Fed como aos impasses políticos. A

Leia mais

BOVINOCULTURA DE CORTE

BOVINOCULTURA DE CORTE ISS 36-9 BOVINOCULTURA DE CORTE Os preços médios da arroba do boi e da vaca, em Mato Grosso do Sul, no mês de fevereiro, foram de R$8,8 e R$,99, respectivamente. Em relação ao mês anterior, houve um avanço

Leia mais

Mercado do Boi Gordo

Mercado do Boi Gordo Mercado do Boi Gordo Perspectivas para os próximos anos SIC Esteio - RS Agosto 2006 Fabiano R. Tito Rosa Scot Consultoria Índice 1. Brasil: país pecuário 2. Comportamento dos preços internos 3. Perspectivas

Leia mais

CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009

CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009 CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009 MERCADO INTERNACIONAL O Brasil teve uma performance impressionante na produção de carnes nos últimos anos: tornou-se o maior exportador

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO

AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO AGRONEGÓCIO BRASIL EM FOCO Outubro de 2012 Panorama Macroeconômico Após nova rodada de afrouxamento monetário implementado pelos Bancos Centrais dos EUA, da Europa e do Japão, os preços dos instrumentos

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Maio de 2015 Benefício do câmbio mais depreciado sobre as exportações de carnes será limitado pela queda da demanda de mercados relevantes Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

Conjuntura Macroeconômica e Setorial

Conjuntura Macroeconômica e Setorial Conjuntura Macroeconômica e Setorial O ano de 2012 foi um ano desafiador para a indústria mundial de carnes. Apesar de uma crescente demanda por alimentos impulsionada pela contínua expansão da renda em

Leia mais

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15

Soja Análise da Conjuntura Agropecuária MUNDO SAFRA 2014/15 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2014 MUNDO SAFRA 2014/15 Devido ao aumento das cotações nas últimas safras, principalmente na comparação com o milho, o cultivo da soja vem aumentando

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos LEITE E DERIVADOS NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS 0,5% Exportação 46% Leite 41% Leite Condensado e Creme de Leite 55% Venezuela 11% Argélia Leite Fluido 34

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A. Desafio da Industria Brasileira

Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A. Desafio da Industria Brasileira Carlos Eduardo Rocha Paulista Grupo JBS S/A Desafio da Industria Brasileira Carlos Eduardo Rocha Paulista Zootecnista FAZU Msc. Melhoramento Genético UNESP MBA em Marketing FEA USP AUSMEAT Curso de Formação

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 CALENDÁRIO AGRÍCOLA - FEIJÃO Safra 1ª - Safra das Águas 2ª - Safra da Seca 3ª - Safra de Inverno Principais Regiões Sul, Sudeste,

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos SUCO DE LARANJA NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS DISTRIBUIÇÃO DA PRODUÇÃO DE LARANJA NO CINTURÃO CITRÍCOLA 49% Farelo 85% laranja para indústria 45% Suco 98%

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL Em 2011: Registrou incremento de 5,2% Em 2011, o setor cresceu 5,2%, movimentou R$ 40 bilhões em insumos e produziu 64,5 milhões de toneladas de ração e 2,35milhões de suplementos

Leia mais

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária fevereiro de 2013. 1 - Considerações Iniciais A Suinocultura é uma das atividades da agropecuária mais difundida e produzida no mundo. O porco, espécie

Leia mais

PANORAMA DA AGROPECUÁRIA

PANORAMA DA AGROPECUÁRIA PANORAMA DA AGROPECUÁRIA SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO BELO HORIZONTE-MG NOVEMBRO/2006 ÍNDICE 1. Estado de Minas Gerais 2. Informações do Agronegócio 3. Produção agrícola

Leia mais

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013

Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária RETROSPECTIVA DE 2012 E PERSPECTIVAS PARA 2013 dezembro, 2012 Índice 1. Algodão 2. Soja 3. Milho 4. Boi Gordo 5. Valor Bruto da Produção ALGODÃO Mil toneladas

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Feicorte 2007 Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria Médica Veterinária Andréa Veríssimo M. Appl. Sc. Farm Management Lincoln

Leia mais

Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014

Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014 Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014 Brasil PARTICIPAÇÃO NO SUPRIMENTO MUNDIAL DE CARNES 2013 Bovino Frango Suíno Produção 2º 3º 4º Consumo 2º 3º 5º Exportação 2º 1º 4º Fonte:

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

Tabela 1 - Preço médio da Soja em MS - Período: 02/06 á 06/06 junho de 2014 - Em R$ por saca de 60Kg. Praça 02/jun 03/jun 04/jun 05/jun 06/jun Var.

Tabela 1 - Preço médio da Soja em MS - Período: 02/06 á 06/06 junho de 2014 - Em R$ por saca de 60Kg. Praça 02/jun 03/jun 04/jun 05/jun 06/jun Var. SOJA» MERCADO INTERNO O preço da saca de 6 Kg de soja em grãos experimentou recuo na primeira semana de junho. A cotação média no dia 6/Jun foi de R$ 62,6, valor este 3,12% inferior ao verificado em 2/Jun.

Leia mais

As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário

As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário As mudanças que o Investment grade pode trazer para o setor agropecuário JOSÉ VICENTE FERRAZ JULIANA MORETTI ANGELO 20 de Junho 2008 Investment Grade Investimentos Estrangeiros Diretos no Brasil (milhões

Leia mais

Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14

Figura 1 Principais índices de inflação, em variação % jul/13 ago/13 set/13 out/13 nov/13 dez/13 jan/14 fev/14 mar/14 abr/14 mai/14 jun/14 jul/14 Conjuntura Econômica A conjuntura econômica do último mês e da primeira quinzena de agosto foi marcada por redução do IPCA no Mato Grosso do Sul e estabilidade no Brasil. Além disso, acertou-se a expansão

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PNEUS E BORRACHA MAIO DE 2016 1 PRODUTOS 2 Borracha Natural Consumo Interno 300 mil toneladas/ano 64% Importação 262 mil toneladas/ano 36% Produção

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção

Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Alta do dólar reforça aumento dos custos de produção Por Prof. Dr. Sergio De Zen e Graziela Correr; Equipe Pecuária de Corte Se, de um lado, a forte alta do dólar frente ao Real tem contribuído para elevar

Leia mais

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009.

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Para os produtores de sorgo o ano de 2008 pode ser considerado como bom. As condições climatológicas foram favoráveis durante todo o ciclo

Leia mais

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE

ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE ANÁLISE BOVINOCULTURA DE CORTE MERCADO INTERNO: Para o inicio do ano, em relação ao mês de dezembro de 212, os preços da arroba do boi e da vaca mantiveram-se praticamente estáveis, tendo o valor médio

Leia mais

PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003. Carne bovina

PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003. Carne bovina PRODUTO CARNES PERÍODO: 29/09 a 03/10/2003 Carne bovina A estimativa da Conab para a produção brasileira de carne bovina, no ano de 2003, as previsões quanto às importações, exportações e a disponibilidade

Leia mais

CONJUNTURA ECONÔMICA

CONJUNTURA ECONÔMICA CONJUNTURA ECONÔMICA A conjuntura econômica do último mês foi marcada por aceleração dos principais índices de inflação em todo Brasil. Em janeiro, o IPCA avançou 1,24% em nível de Brasil, esta foi a maior

Leia mais

Perspectivas de Mercado

Perspectivas de Mercado Perspectivas de Mercado Estratégico Nível Gestão Gerencial Nível Caixa Nível Operacional Pecuária Custos de Corte Tecnologia do uso da informa ção Alcides Torres Insumos Bens de Fabiano R. Tito Rosa Scot

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Junho de 2015 Cotação do açúcar deve seguir em baixo patamar, refletindo elevado nível de estoques globais Priscila Pacheco Trigo Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos O nível de estoques de açúcar

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no

Leia mais

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento agronegócio brasileiro em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 2010 ranking Ranking Brasileiro da Produção e Exportação Fonte: USDA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

Indústria avícola paranaense

Indústria avícola paranaense Indústria avícola paranaense Evoluçã o do consumo de fãrelo de sojã e milho pãrã criãçã o de frãngos no Pãrãnã Ana Luiza Lodi analuiza.lodi@intlfcstone.com Thadeu Silva thadeu.silva@intlfcstone.com Natália

Leia mais

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado

Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Relatório Mercatto OABPREV RJ Fundo Multimercado Abril/11 Sumário 1. Características do Fundo Política de Gestão Objetivo do Fundo Público Alvo Informações Diversas Patrimônio Líquido 2. Medidas Quantitativas

Leia mais

CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA O MECARDO LÁCTEO

CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA O MECARDO LÁCTEO CONFEDERAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA DO BRASIL CENÁRIO E PERSPECTIVAS PARA O MECARDO LÁCTEO JUNHO-2013 Rodrigo Sant Anna Alvim Presidente da Comissão Nacional de Pecuária de Leite da CNA AGENDA: 1. Números

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAFÉ NOVEMBRO DE 2015

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAFÉ NOVEMBRO DE 2015 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAFÉ NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS SAFRA 2008/2009 67% Exportação 89% Café verde 18% Alemanha 18% EUA 10% Japão 9% Itália CAFÉ 49,2 milhões de sacas de

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL

A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL Jonas Irineu dos Santos Filho Pesquisador da Embrapa Suínos e Aves O consumo de proteína animal no mundo

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

O Complexo Agroindustrial da Carne Bovina. Prof. Dr. João Batista Padilha Junior Departamento de Economia Rural - UFPR

O Complexo Agroindustrial da Carne Bovina. Prof. Dr. João Batista Padilha Junior Departamento de Economia Rural - UFPR O Complexo Agroindustrial da Carne Bovina Prof. Dr. João Batista Padilha Junior Departamento de Economia Rural - UFPR Aspectos abordados Carne no mundo (Visão Geral) Histórico: ambiente institucional e

Leia mais

PRODUTO CARNES PERÍODO: 15 a 19/09/2003. Carne bovina

PRODUTO CARNES PERÍODO: 15 a 19/09/2003. Carne bovina PRODUTO CARNES PERÍODO: 15 a 19/09/2003 Carne bovina A estimativa da Conab para a produção brasileira de carne bovina, no ano de 2003, as previsões quanto às importações, exportações e a disponibilidade

Leia mais

Agronegócio. Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ. Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze. 41 3379 8719 brandalizze@uol.com.

Agronegócio. Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ. Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze. 41 3379 8719 brandalizze@uol.com. Agronegócio Realidade e Perspectivas Foco no ARROZ Araranguá SC, Fevereiro de 2014 Vlamir Brandalizze 41 3379 8719 brandalizze@uol.com.br GRÃOS Produção (milhões de T. USDA - Fevereiro de 2014; Projeções

Leia mais

Mercado Halal para Carne de Frango

Mercado Halal para Carne de Frango RICARDO SANTIN Vice Presidente Mercado Halal para Carne de Frango Principais Produtores Mundiais de Carne de Frango (milhões de ton) Brasil continua como terceiro maior produtor mundial de carne de frango.

Leia mais

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi);

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi); Abril / 2014 Resultados de Abril de 2014 - Exportação: US$ 19,7 bi em valor e média de US$ 986,2 milhões, 5,2% acima da média de abr-13 (US$ 937,8 milhões); 2ª maior média de exportação para abril (1º

Leia mais

TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS

TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRATORES E MÁQUINAS AGRÍCOLAS OUTUBRO DE 2015 1 PRODUTOS 2 Os tratores e máquinas agrícolas são movidos a diesel. São fabricados os seguintes tipos

Leia mais

Histórico. Roteiro. Oferta e Demanda. Mercado. Logística. Tendências de Mercado

Histórico. Roteiro. Oferta e Demanda. Mercado. Logística. Tendências de Mercado relatório Expedição Avicultura 2015 ÍNDICE 4 Histórico 7 Roteiro 8 Oferta e Demanda 14 Mercado 22 Logística 24 Tendências de Mercado 2 3 HISTÓRICO Realizada pela primeira vez em 2012, a Expedição Avicultura

Leia mais

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 2012 ABIH-RJ FECOMÉRCIO-RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

Estatísticas da suinocultura no Brasil e no mundo

Estatísticas da suinocultura no Brasil e no mundo AZ44 - Suinocultura Estatísticas da suinocultura no e no mundo Prof. Marson Bruck Warpechowski PRODUÇÃO MUNDIAL DE CARNE SUÍNA EM 28 3% 2% 23% 1% % 3% 46% Vietnã Filipinas Taiwan Chile Belarus Australia

Leia mais

O MERCADO DE MANDIOCA NA REGIÃO CENTRO-SUL DO BRASIL EM 2012

O MERCADO DE MANDIOCA NA REGIÃO CENTRO-SUL DO BRASIL EM 2012 O MERCADO DE MANDIOCA NA REGIÃO CENTRO-SUL DO BRASIL EM 2012 ELABORAÇÃO: EQUIPE MANDIOCA CEPEA/ESALQ APRESENTAÇÃO: Lucilio Rogerio Aparecido Alves Prof. Dr. da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz

Leia mais

ESTUDO SOBRE POSSÍVEL MUDANÇA NA GEOGRAFIA ARROZ

ESTUDO SOBRE POSSÍVEL MUDANÇA NA GEOGRAFIA ARROZ ESTUDO SOBRE POSSÍVEL MUDANÇA NA GEOGRAFIA INTERNACIONAL DO ARROZ PANORAMA DO MERCADO MUNDIAL DE ARROZ PRINCIPAIS PRODUTORES (em milhões de toneladas) Região 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014* Var % (14*/13)

Leia mais

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015

Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades. Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Economia Brasileira e o Agronegócio Riscos e Oportunidades Roberto Giannetti da Fonseca Maio 2015 Cenário Macro Econômico Brasileiro 2015 Economia em forte e crescente desequilibrio Deficit Fiscal 2014

Leia mais

RUI EDUARDO SALDANHA VARGAS VICE Presidente. Estimativas, Mercados e Desafios para a Exportação de Carne Suína Brasileira

RUI EDUARDO SALDANHA VARGAS VICE Presidente. Estimativas, Mercados e Desafios para a Exportação de Carne Suína Brasileira RUI EDUARDO SALDANHA VARGAS VICE Presidente Estimativas, Mercados e Desafios para a Exportação de Carne Suína Brasileira Localização da Suinocultura Norte e Nordeste Abates: 2% Exportações: 0% Matrizes

Leia mais

Balança Comercial. Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG

Balança Comercial. Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG Edição 01 Janeiro Balança Comercial Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG 3 Exportações As exportações do agronegócio mineiro totalizaram

Leia mais

Edição 37 (Março2014)

Edição 37 (Março2014) Edição 37 (Março2014) Cenário Econômico: PIB brasileiro cresce 2,3% em 2013 e chega a R$ 4,8 trilhões A economia brasileira cresceu 0,7% no quarto trimestre de 2013, na comparação com os três meses anteriores,

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

Análise Bovinocultura

Análise Bovinocultura Análise Bovinocultura BOLETIM SEMANAL MÊS PARADO: No primeiro mês do ano de 2013 o preço da arroba do boi gordo à vista em Mato Grosso seguiu firme na casa dos R$ 84/@, registrando na última cotação de

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CIMENTO SETEMBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CIMENTO SETEMBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CIMENTO SETEMBRO DE 2015 PRODUTOS MERCADO DE CIMENTO NO BRASIL - 2012 26 mil toneladas EXPORTADO (0,05%) 53% Paraguai 34% Bolívia 68,8 MILHÕES DE TONELADAS

Leia mais

Boletim nº VIII, Agosto de 2012 Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná Ocepar, Curitiba. agroexportações

Boletim nº VIII, Agosto de 2012 Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná Ocepar, Curitiba. agroexportações agroexportações EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS DO PARANÁ De Janeiro a Julho de 2012 Contexto Nacional Cooperativas do Paraná 1,15 bilhão de dólares em exportações 36% das exportações brasileiras de cooperativas

Leia mais

Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG. Balança Comercial

Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG. Balança Comercial Edição 08 Agosto 1 2 3 Balança Comercial Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG 4 Comportamento Acumulado de janeiro a julho 2015 As exportações

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos da Criança

Declaração Universal dos Direitos da Criança Declaração Universal dos Direitos da Criança Aprovada pelas Nações Unidas em 3 de Novembro de 1959 Todas as crianças têm direito À igualdade, sem distinção de raça, religião ou nacionalidade. A especial

Leia mais

ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ

ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ 2014 ABIH-RJ FECOMÉRCIO- RJ ANUÁRIO ESTATÍSTICO DA TAXA DE OCUPAÇÃO HOTELEIRA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO Pesquisa mensal da ABIH-RJ que visa acompanhar a taxa de ocupação nas unidades de hospedagem da

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014

Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 Coletiva de imprensa ESTIMATIVA DA SAFRA 2013/2014 São Paulo, 29 de abril de 2013 ROTEIRO I. Safra 2012/2013 na região Centro-Sul: dados finais Moagem e produção Mercados de etanol e de açúcar Preços e

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA SEMANA DE 21 A 25 DE SETEMBRO de 2009 Semana de preço estável no mercado de Boi Gordo no Rio Grande do Sul, com o preço encerrando a semana a R$ 4,61/kg carcaça.

Leia mais

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período: 09/12 á 16/12 de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg.

Preço médio da Soja em Mato Grosso do Sul Período: 09/12 á 16/12 de 2013 - Em R$ por saca de 60 kg. ISS 2316-119 SOJA» MERCADO INTERNO A segunda semana de dezembro foi de leve depreciação com valor médio de R$ 69,56 no preço da saca de 6 Kg de soja em grãos, representando uma queda de 2% em relação aos

Leia mais

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013

JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013 JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013 Apresentadores Wesley Batista Presidente Global da JBS André Nogueira Presidente da JBS USA Miguel Gularte Presidente da JBS Mercosul

Leia mais

BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011

BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011 BRF- Brasil Foods Conferência Santander Janeiro 2011 Os resultados do terceiro trimestre de 2010 consolidam as Empresas BRF - Brasil Foods S.A. e Sadia S.A. (subsidiária integral). Os resultados da Sadia

Leia mais

COMÉRCIO EXTERIOR GLOBAL BRASIL: janeiro-dezembro 2015

COMÉRCIO EXTERIOR GLOBAL BRASIL: janeiro-dezembro 2015 Secretaria-Geral ALADI/SEC/di 2668 12 de janeiro de 2016 COMÉRCIO EXTERIOR GLOBAL BRASIL: janeiro-dezembro 2015 Os fluxos globais do comércio exterior brasileiro contraíram-se significativamente em 2015

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Janeiro - 2008. Wang Wei Chang Diretor de Finanças, Controle e Relações com Investidores

Janeiro - 2008. Wang Wei Chang Diretor de Finanças, Controle e Relações com Investidores Janeiro - 2008 Wang Wei Chang Diretor de Finanças, Controle e Relações com Investidores 1 2 Exportações Brasileiras Mil Toneladas 7.000 6.705 6.000 5.000 4.000 15% 41% 3.000 2.000 1.000 0 1.013 1998 1999

Leia mais

Economic Outlook October 2012

Economic Outlook October 2012 Economic Outlook October 2012 Agenda Economia global Consolidação de crescimento global fraco. Bancos centrais estão atuando para reduzir riscos de crise. Brasil Crescimento de longo prazo entre 3.5% e

Leia mais

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações no ano (3.907 postos).

Na atividade de têxtil e confecção ocorreu o maior volume de contratações no ano (3.907 postos). Sumário Executivo MAR/2016 No mês de março de 2016, o saldo de empregos em Santa Catarina recuou em relação a fevereiro (-3.803 postos e variação de -0,2%). A indústria de transformação teve desempenho

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CALÇADOS OUTUBRO DE 2015

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CALÇADOS OUTUBRO DE 2015 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CALÇADOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS CADEIA PRODUTIVA DO SETOR DE CALÇADOS Pecuária Couros Importação de insumos Importação de calçados prontos Petroquímica

Leia mais

Carta Mensal Novembro 2015

Carta Mensal Novembro 2015 Canvas Classic FIC FIM (nova razão social do Peninsula Hedge FIC FIM) Ao longo de novembro, a divergência na direção da política monetária conduzida pelos dois mais relevantes bancos centrais do mundo

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE MÓVEIS Importação 3,3% Residenciais 67,7% Mercado interno 96,4% Escritório 16,6% INDÚSTRIA

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/11/10 05/12/10 05/01/11 05/02/11 05/03/11 05/04/11 05/05/11 05/06/11 05/07/11 05/08/11 05/09/11 05/10/11 05/11/11 05/12/11 05/01/12 05/02/12 05/03/12

Leia mais

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Uma função social no Município de Coronel Xavier Chaves Aluno: Alexandre Rodrigues Loures A

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS

INDÚSTRIA DE ALIMENTOS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE ALIMENTOS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE ALIMENTOS NO BRASIL 2012 EXPORTAÇÕES US$ 43 Bilhões (23%) 23% Ásia 22% União Europeia FATURAMENTO

Leia mais

InfoCarne Informativo Sinduscarne: Notícias do setor da carne Edição 27

InfoCarne Informativo Sinduscarne: Notícias do setor da carne Edição 27 21 de Dezembro de 2015 InfoCarne Informativo Sinduscarne: Notícias do setor da carne Edição 27 Nesta Edição Destaque Guia para o Exportador é lançado na FIEMG / apoio do Sinduscarne A FORÇA DA INDÚSTRIA

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento Duarte Vilela chgeral@cnpgl.embrapa.br Audiência Pública - 18/05/2010 Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento

Leia mais

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO

RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO PANORAMA. A informação é nossa, a decisão é sua! GR. Boi Gordo Mercado Físico RS Período Gráfico DIÁRIO PANORAMA RELATÓRIO DE COMMODITIES BOI GORDO SEMANA DE 10 A 14 DE AGOSTO de 2009 Semana de nova estabilidade no preço do Boi Gordo no mercado físico do Rio Grande do Sul, fechando a semana em R$ 5,28/kg

Leia mais

EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA

EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA EFEITOS DA CRISE FINANCEIRA GLOBAL SOBRE A AGRICULTURA BRASILEIRA GUSTAVO ROBERTO CORRÊA DA COSTA SOBRINHO E JOSÉ MACIEL DOS SANTOS Consultores Legislativos da Área X Agricultura e Política Rural MARÇO/2009

Leia mais

21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo. O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo. Alexandre Mendonça da Barros

21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo. O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo. Alexandre Mendonça da Barros 21º Congresso Internacional do Trigo Abitrigo O mercado de Commodities e as Novas Tendências para o Trigo Alexandre Mendonça da Barros 20 de Outubro de 2014 Índice As transformações da economia agrícola

Leia mais

PREÇOS CORRENTES 15/03/2013

PREÇOS CORRENTES 15/03/2013 PREÇOS CORRENTES 15/03/2013 SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. Cotações Base Agrícola 05. Açúcar 07.

Leia mais

AGRONEGÓCIOS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS NO BRASIL E NO MUNDO EM 2015/2016. Carlos Cogo Outubro/2015

AGRONEGÓCIOS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS NO BRASIL E NO MUNDO EM 2015/2016. Carlos Cogo Outubro/2015 AGRONEGÓCIOS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS NO BRASIL E NO MUNDO EM 2015/2016 Carlos Cogo Outubro/2015 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 115 110 105 100 95 90 85 80 75 70 65 60 55 CARNES: EVOLUÇÃO

Leia mais

Panorama do setor de frango de corte no Brasil e a participação da indústria avícola paranaense.

Panorama do setor de frango de corte no Brasil e a participação da indústria avícola paranaense. Panorama do setor de frango de corte no Brasil e a participação da indústria avícola paranaense. Luciano de Souza Costa (UNIOESTE) lucianosouzacosta@hotmaisl.com Luis Alberto Ferreira Garcia (UNIOESTE)

Leia mais

Mercado Externo. Preço do milho (ZCN5) Índice Dólar (DXY) Fonte: TradingView, CMEGroup

Mercado Externo. Preço do milho (ZCN5) Índice Dólar (DXY) Fonte: TradingView, CMEGroup Mercado Externo Segundo relatório de abril do U.S Departament of Agriculture USDA, a produção de milho dos EUA será 2,8% maior do que na safra anterior, com uma estimativa de produção total de 361,1 milhões

Leia mais