Política e Alternativas de Investimentos. Alessandra Cardoso Towers Watson

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Política e Alternativas de Investimentos. Alessandra Cardoso Towers Watson"

Transcrição

1 Política e Alternativas de Investimentos Alessandra Cardoso Towers Watson

2 Processo de gestão de recursos Governança Definir Definição dos objetivos Alocação dos recursos Estrutura de investimento Executar Seleção de gestores Implementação das estratégias Avaliação de retorno e risco Monitorar Atendimento à legislação e aos mandatos

3 Novo ambiente financeiro: sofisticação das Políticas de Investimentos Práticas atuais adotadas nas Políticas de Investimentos Alocações estratégicas nas subclasses da renda fixa: prefixados, pós-fixados e indexados à inflação Exposição desejada ao risco de crédito Diversificação em renda variável: Liquidez,Sustentabilidade, Governança, Small, Mid e Large Caps Tendências nas Políticas de Investimentos para os próximos anos Adoção de investimentos alternativos (Resolução CMN /09/2009): Fundos de Investimentos Imobiliário, de Participações, de Investimento em Empresas Emergentes e Fundos Multimercado Desafio é saber como essas classes se correlacionam Praticamente impossível sem o uso de modelos matemáticos

4 Benchmark de renda fixa Resultado da Pesquisa realizada com gestores 27,5% % % 33% % 45% 67% 0% 60% 27% 27,5% CDI IMA Sub do IMA Meta atuarial Resultado da Pesquisa realizada com as EFPC EFPC 4% 19% 44% 33%

5 abr-10 jul-06 out-06 jan-07 abr-07 jul-07 out-07 jan-08 abr-08 jul-08 out-08 jan-09 abr-09 jul-09 out-09 jan-10 abr-06 jan-06 out-05 jul Índices renda fixa IMA IMA-B (IPCA) IMA-C (IGPM) IMA-S (pós) IRFM (pré) 113% 109% 97% 96% 85% 5 abr-05

6 Trajetória da taxa de juros Percentual (%) 06/ / / / / / / / / / / / / /2009 Taxa Selic anual

7 Benchmark de renda variável Resultado da Pesquisa realizada com gestores % 22% 0% 14% 11% 57% 29% 56% Ibovespa IBrX-50 IBrX Outros Resultado da Pesquisa realizada com as EFPC EFPC 2% 12% 13% 73%

8 jan-10 abr-10 abr-06 jul-06 out-06 jan-07 abr-07 jul-07 out-07 jan-08 abr-08 jul-08 out-08 jan-09 abr-09 jul-09 out-09 jan-06 out-05 jul Índices de renda variável Ibovespa IBrX SMLL IGC ISE * ** * Este índice começou em dezembro/08 e seu histórico foi retroagido pela BOVESPA até dezembro/06 ** Este índice começou em novembro/05 184% 177% 172% 92% 31% 8 abr-05

9 Estratégias diferenciadas de renda variável Resultado da Pesquisa realizada com gestores Apenas 1 gestor não sugeriu a utilização de estratégias diferenciadas na gestão de renda variável para 2010 A alocação média sugerida foi de 36% dos recursos da carteira de renda variável em estratégias diferenciadas Small caps Middle caps Large caps Valor Crescimento Setorial Dividendos Retorno total Ações inter Sustentab 0% 0% 0% - 11% 11% 18 % 15 % 18 % 18 % 18 % 15 % 22% 27% 23% 33% 36% 33% 31% 31% 46% 46% 56% 67% 64% 69% 64% 69% 85% % 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90%

10 Fundos de Investimento Imobiliário Definição Fundos destinados à aplicação em empreendimentos imobiliários Objetivos Fundos de incorporação: aquisição de imóveis ou de direitos a eles relativos com a finalidade de venda, incorporação e/ou construção Fundos de renda: aquisição de imóveis ou de direitos a eles relativos com a finalidade locação ou arrendamento Características Condomínio fechado - não é permitido o resgate de cotas Prazo fixo ou indeterminado Pagamento semestral tipo dividendos Distribuição de, no mínimo, 95% do fluxo de caixa do empreendimento

11 Fundos de Investimento Imobiliário Vantagens Diversificação dos investimentos Acesso a diversos empreendimentos através de um único investimento Acesso a empreendimentos de grande porte Diminuição do risco de inadimplência Acesso a inquilinos confiáveis empresas idôneas ou atividades reconhecidas Negociação das cotas na bolsa ou mercado de balcão Terceirização da administração Expertise no negócio Burocracias Lastreado a um patrimônio Desvantagens Liquidez reduzida Dificuldade na avaliação dos investimentos Falta de benchmarks Falta de critérios padronizados na precificação dos ativos Falta de transparência na gestão dos imóveis Riscos Questões macroeconômicas e regulatórias Atrasos nas obras Inadimplência ou uma taxa de vacância que afete a rentabilidade do imóvel ao longo do tempo

12 Fundos de Participações (FIP) Definição Fundos destinados a aplicação em carteira diversificada de títulos de emissão de empresas abertas ou fechadas (private equity) com efetiva influência na definição de sua estratégia e gestão através de indicação de membros ao Conselho de Administração A participação no processo decisório pode ocorrer: pela detenção de ações que integrem o respectivo bloco de controle pela celebração de acordo de acionistas adoção de procedimento que assegure ao fundo influência na definição de sua política estratégica e na sua gestão

13 Fundos de Participações (FIP) Objetivos e Vantagens Buscar empresas com potencial de crescimento acima do PIB e das Blue Chips Empresas inovadoras, sub-valorizadas e/ou que pertençam a um setor promissor Participar de empresas, criando práticas de gestão e/ou levantando capital que permita grande valorização do investimento Possibilidade de ganhos de capital bem acima da RV e/ou da RF Normalmente com baixa correlação com os demais ativos Tipos de FIPs Setorial Multisetorial Única empresa ou projeto (SPE) Infraestrutura Outros, basicamente, qualquer coisa

14 Fundos de Participações (FIP) Desvantagens e Dificuldades Acertar na escolha das empresas, grande probabilidade dos negócios não darem certo Diversificação Em geral existe pouca diversificação de empresas, dado que o investimento exige participação na gestão da empresa Falta de liquidez Condomínio fechado Período longo (~10 anos) Volatilidade Falta de homogeneidade do investimento Curva J Falta de transparência na gestão e precificação das empresas Dificuldades no encerramento do fundo

15 Fundos de Investimento em Empresas Emergentes (FIEE) Definição Destinados a aplicação em carteira diversificada de títulos de emissão de empresas emergentes Empresas Emergentes Faturamento liquido anual inferior a R$100 milhões Os cotistas ou administradores não podem ter relacionamento com os sócios Objetivos e Vantagens Fomentar investimentos em pequenas empresas Gestores buscam empresas com grande oportunidade de crescimento Desvantagens Alta volatilidade Pouca liquidez Custos altos Burocratização maior que FIP inibe alguns tipos de investimentos Prazo máximo: 10 anos (prorrogável para no máximo 15 anos

16 Definição Fundos Multimercado Fundos que investem em diversas classes de ativos, renda fixa, ações, câmbio, índices de preço e derivativos. Podem ser alavancados ou não (se utilizar derivativos que gere possibilidade de perda superior ao patrimônio do fundo) Objetivos e Vantagens Retorno no longo prazo, através de deslocamentos táticos entre as diversas classes de ativos Características Podem realizar operações de day-trade, alavancagem, long / short e investimentos no exterior Fundos multimercado tradicionais ou balanceados não estão inclusos nessa classe de ativos

17 Fundos Multimercado Tipos de fundo multimercado Classificação ANBIMA Long & Short Estratégia específica Juros e moedas Macro Multiestratégias Multigestor Trading Dificuldades Real classificação Grande maioria dos fundos é classificado como Multiestratégia Definição de benchmarks adequados IHFA - Índice de Hedge Funds ANBIMA Podem apresentar altas volatilidades Altos custos

18 Tendências Uso intensivo de modelos matemáticos para a definição da estratégia de investimentos: estudos de imunização, otimização e ALM Avalie muito bem os modelos de otimização antes de escolher qual é o mais adequado para o seu plano Adoção de perfis de investimentos Utilização de modelos baseados em ciclos de vida Identifique as características de seus participantes. E defina a estratégia de gestão mais adequada a elas! Formulação de políticas de investimento menos restritivas Benchmarks diversificados Gestão baseada em risco

Política Anual de Investimentos (PAI)

Política Anual de Investimentos (PAI) Política Anual de Investimentos (PAI) 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 3 2.1 OBJETIVO GERAL... 3 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 3 VIGÊNCIA... 3 4 MODELO DE GESTÃO... 4 5 PROCESSO DE SELEÇÃO

Leia mais

POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO

POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO SERVIÇO DE PREVIDÊNCIA MUNICIPAL Rua Monsenhor Soares nº. 65 Centro Itapetininga SP Fones (015)3271-0728 e 3271-7389(telefax) E-mail: seprem@uol.com.br POLITICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO 2.011 SUMÁRIO

Leia mais

VITER GEICO. Vice-Presidência de Gestão. Gerência Nacional de Investidores Corporativos

VITER GEICO. Vice-Presidência de Gestão. Gerência Nacional de Investidores Corporativos VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos CENÁRIOS ECONÔMICOS JUROS JUROS x INFLAÇÃO x META ATUARIAL Meta Atuarial = 6,00% + IPCA (FOCUS

Leia mais

Fundos de Investimentos

Fundos de Investimentos Fundos de Investimentos 1 O que e um fundo de investimentos? Um fundo de investimentos concentra em uma unica entidade juridica, varios investidores com o mesmo objetivo e que compartilham a mesma estrategia

Leia mais

GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA RPPS PONTÃO MARÇO

GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA RPPS PONTÃO MARÇO 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO BANCO CENTRAL DO BRASIL. Focus Relatório de Mercado de 6 de março de 2015. Disponível em: http://www.bcb.gov.br/pec/gci/port/readout/r20150306.pdf.

Leia mais

Santos, 30 de setembro de 2009

Santos, 30 de setembro de 2009 Santos, 30 de setembro de 2009 Estas são nossas primeiras impressões, comentário e observações quanto a Resolução 3790/09 que regula as aplicações financeiras dos RPPS: Valorização da elaboração da política

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - MODERADA MIX 20 BENCHMARK RF:80.00% ( 100.00%CDI ) + RV:20.00% ( 100.00%IBRX 100 ) Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA MARÇO Expectativas de Mercado BACEN (17/04/2015) Pág. 2 abril de 2015 CARTEIRA DE INVESTIMENTO ATIVOS % FEVEREIRO MARÇO DISTRIBUIÇÃO POR INSTITUIÇÃO FINANCEIRA

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO-2015

RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO-2015 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE NOVO HAMBURGO RELATÓRIO MENSAL DAS APLICAÇÕES FINANCEIRAS DOS RECURSOS PREVIDENCIÁRIOS JANEIRO- ÍNDICE DEMOSTRATIVO DAS APLICAÇÕES DA

Leia mais

Nova Classificação de Fundos. Perguntas & Respostas Data: 13/04/2015

Nova Classificação de Fundos. Perguntas & Respostas Data: 13/04/2015 1 Nova Classificação de Fundos Perguntas & Respostas Data: 13/04/2015 Sumário/Índice CLASSE DE ATIVOS: RENDA FIXA... 3 1. FUNDOS DE RENDA FIXA - DURAÇÃO ALTA PODEM POSSUIR ATIVOS CUJA DURATION É INFERIOR

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA ABRIL

RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA ABRIL 2015 RELATÓRIO DE GESTÃO ECONÔMICA E FINANCEIRA ABRIL Expectativas de Mercado BACEN (15/05/2015) Pág. 2 maio de 2015 CARTEIRA DE INVESTIMENTO ATIVOS % MARÇO ABRIL DISTRIBUIÇÃO POR INSTITUIÇÃO FINANCEIRA

Leia mais

Período São Bernardo SB Zero SB 20 SB 40 CDI. Janeiro 0,92% 1,05% -0,29% -1,71% 0,93% Fevereiro 0,81% 0,74% 1,93% 3,23% 0,82%

Período São Bernardo SB Zero SB 20 SB 40 CDI. Janeiro 0,92% 1,05% -0,29% -1,71% 0,93% Fevereiro 0,81% 0,74% 1,93% 3,23% 0,82% Rentabilidade da Renda Fixa em 2015 Desde o mês de junho deste ano as carteiras de investimentos financeiros que compõem os perfis de investimentos da São Bernardo têm sofrido forte flutuação de rentabilidade,não

Leia mais

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX

Posição e Desempenho da Carteira - Resumo HSBC INSTITUIDOR FUNDO MULTIPLO - CONSERVADORA FIX BENCHMARK 100.00%CDI Relatório Gerencial Consolidado - Período de 01/04/2015 Posição e Desempenho da Carteira - Resumo a 30/04/2015 pg. 1 Posição Sintética dos Ativos em 30/04/2015 Financeiro % PL FUNDOS

Leia mais

Por dentro da Política de Investimentos IPERGS Porto Alegre (RS) Fev/2015

Por dentro da Política de Investimentos IPERGS Porto Alegre (RS) Fev/2015 Por dentro da Política de Investimentos IPERGS Porto Alegre (RS) Fev/2015 Política de Investimento Os RPPS possuem obrigação legal de elaborar anualmente sua política de investimentos; Essa política deve

Leia mais

Capítulo 7 Fundos de Investimentos

Capítulo 7 Fundos de Investimentos Capítulo 7 Fundos de Investimentos 7.1 Apresentação do capítulo O objetivo deste capítulo é apresentar as principais características e classificações de um fundo de investimento. Ao final, você terá visto:

Leia mais

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 58

CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 58 CONSELHO DE REGULAÇÃO E MELHORES PRÁTICAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO DELIBERAÇÃO Nº 58 O Conselho de Regulação e Melhores Práticas de Fundos de Investimento, no exercício das atribuições a ele conferidas

Leia mais

FUNCEF DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

FUNCEF DIRETORIA DE INVESTIMENTOS FUNCEF DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Brasília 26/03/2015 2 Recebimento de contribuições: R$ 1.746 milhões; Pagamento de benefícios e pensões: R$ 2.086 milhões; Participantes: 137,0 mil ativos e assistidos;

Leia mais

Política de Investimentos. Resultados Obtidos

Política de Investimentos. Resultados Obtidos Política de Investimentos Resultados Obtidos Política de Investimentos 2014» 2014: Ano de Transição Migração dos recursos investidos em dois fundos de investimento atrelados ao DI (BB e CAIXA) para novos

Leia mais

DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015

DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015 Junho/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Junho/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em junho, rentabilidade de 1,24%, o que representa 101,64%

Leia mais

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012

Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Como investir em 2012 Entenda como funciona cada produto financeiro : O Globo 2/fev/2012 Analistas indicam quais cuidados tomar no mercado financeiro em 2012 e quais investimentos oferecem menor probabilidade

Leia mais

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES EFETIVOS DO MUNICÍPIO DE DOIS IRMÃOS RPPSMDI

REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES EFETIVOS DO MUNICÍPIO DE DOIS IRMÃOS RPPSMDI REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES EFETIVOS DO MUNICÍPIO DE DOIS IRMÃOS RPPSMDI FUNDO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DO MUNICÍPIO DE DOIS IRMÃOS - FPSMDI POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2014 Aprovada

Leia mais

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas - PREVPEL. Política de Investimentos Exercício de 2013

Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas - PREVPEL. Política de Investimentos Exercício de 2013 Instituto de Previdência dos Servidores Públicos Municipais de Pelotas - PREVPEL Política de Investimentos Exercício de 2013 Política de Investimentos do RPPS do Município de Pelotas RS, aprovada pelo

Leia mais

A importância do asset allocation na otimização dos resultados

A importância do asset allocation na otimização dos resultados A importância do asset allocation na otimização dos resultados Joaquim Levy Diretor Superintendente da BRAM Cristiano Picollo Corrêa Portfolio Specialist da BRAM Agenda Introdução Estudo de Casos Caso

Leia mais

Simulado CPA 10 Completo

Simulado CPA 10 Completo Simulado CPA 10 Completo Question 1. O SELIC é um sistema informatizado que cuida da liquidação e custódia de: ( ) Certificado de Depósito Bancário ( ) Contratos de derivativos ( ) Ações negociadas em

Leia mais

VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros. GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos

VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros. GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos VITER Vice-Presidência de Gestão de Ativos de Terceiros GEICO Gerência Nacional de Investidores Corporativos 1 CENÁRIO ECONÔMICO Economia Internacional RECUPERAÇÃO Produção Industrial (total) 115.00 Revisões

Leia mais

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS RPPS Fundo de Aposentadoria e Pensão do Servidor FAPS DOUTOR MAURÍCIO CARDOSO-RS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2014 1. FINALIDADE DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS Este documento estabelece o modelo de investimentos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2009 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 2 2 OBJETIVOS... 2 2.1 OBJETIVO GERAL... 2 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 2 3 VIGÊNCIA... 3 3.1 MODELO DE GESTÃO... 3 3.2 PROCESSO

Leia mais

RESOLUÇÃO 3.922 -------------------------

RESOLUÇÃO 3.922 ------------------------- RESOLUÇÃO 3.922 ------------------------- Dispõe sobre as aplicações dos recursos dos regimes próprios de previdência social instituídos pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios. O Banco Central

Leia mais

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO

FUNDOS DE INVESTIMENTO EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO I Curso de Férias do Grupo de Estudos de Direito Empresarial - Direito UFMG EM AÇÕES E FUNDOS MULTIMERCADO Fernanda Valle Versiani Mestranda em Direito Empresarial pela Universidade Federal de Minas Gerais,

Leia mais

Estrutura da Apresentação

Estrutura da Apresentação Fundos de Pensão e Investimentos Socialmente Responsáveis em Mercados Emergentes Wagner Pinheiro de Oliveira Presidente da Petros Novembro de 2004 São Paulo Estrutura da Apresentação Importância Macroeconômica

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

O ETF como instrumento na gestão de recursos:

O ETF como instrumento na gestão de recursos: O ETF como instrumento na gestão de recursos: Agosto de 2013 Tendências e Oportunidades no Brasil e no mundo. Informação Pública Política Corporativa de Segurança da Informação Conteúdo Utilização de ETFs

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS JULHO - 2015. Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS JULHO - 2015. Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS JULHO - 2015 Regime Próprio de Previdência do Município de Agudo - RS INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão de Investimentos do Regime Próprio de Previdência do Município

Leia mais

Fundos de Investimento Imobiliário - FII

Fundos de Investimento Imobiliário - FII CONCEITO: Instrumento na forma de condomínio fechado, portanto não admitem resgate (saída a qualquer momento), para aplicação em empreendimentos imobiliários: Ativos imobiliários: propriedade direta de

Leia mais

Soluções em Investimentos RPPS

Soluções em Investimentos RPPS Soluções em Investimentos RPPS Março de 2012 Informação Restrita Política Corporativa de Segurança da Informação Agenda Por quê Itaú Asset Management? Cenário Econômico Produtos Informação Confidencial

Leia mais

Política de Investimentos Plano PBS Telemig

Política de Investimentos Plano PBS Telemig 1/16 Introdução Este documento formaliza os objetivos e restrições de investimento da gestão dos recursos do, através da designação dos segmentos de ativos a serem utilizados, dos ativos autorizados em

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2014

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2014 POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2014 As Diretrizes de Investimento Adotadas pelo Fundo de Previdência Social do Município de Goianésia 1. Introdução Atendendo à Resolução CMN nº. 3922, de 25 de novembro de 2010

Leia mais

Fundo Especial de Previdência do Município de LEME - LEMEPREV

Fundo Especial de Previdência do Município de LEME - LEMEPREV Fundo Especial de Previdência do Município de LEME - LEMEPREV POLÍTICA ANUAL DE INVESTIMENTOS 2011 No presente documento encontram-se diretrizes para guiar o processo de investimentos do Fundo Especial

Leia mais

R e s o l u ç ã o. B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l

R e s o l u ç ã o. B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l R e s o l u ç ã o 3 7 9 0 B a n c o C e n t r a l d o B r a s i l S u m á r i o SEÇÃO I: DA ALOCAÇÃO DOS RECURSOS E DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS... 1 Subseção I: Da Alocação dos Recursos... 1 Subseção

Leia mais

9) Política de Investimentos

9) Política de Investimentos 9) Política de Investimentos Política e Diretrizes de Investimentos 2010 Plano de Benefícios 1 Segmentos Macroalocação 2010 Renda Variável 60,2% 64,4% 28,7% 34,0% Imóveis 2,4% 3,0% Operações com Participantes

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Princípios de Investimento

Princípios de Investimento Princípios de Investimento Rentabilidade Rentabilidade é o grau de rendimento proporcionado por um investimento pela valorização do capital ao longo do tempo. Liquidez Liquidez é a rapidez com que se consegue

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS OUTUBRO - 2015. Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Antônio Carlos - SC

RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS OUTUBRO - 2015. Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Antônio Carlos - SC RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS OUTUBRO - 2015 Instituto de Previdência Social dos Servidores Públicos do Município de Antônio Carlos - SC INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão de Investimentos do Instituto

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO

1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 1. INTRODUÇÃO Atendendo à legislação pertinente aos investimentos dos Regimes Próprios de Previdência Social RPPS, em especial à Resolução n 3.922 de 25 de novembro de 2010 do Conselho Monetário Nacional

Leia mais

FUMPRESC FUNDO MULTIPATROCINADO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR SANTA CATARINA

FUMPRESC FUNDO MULTIPATROCINADO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR SANTA CATARINA POLÍTICA DE INVESTIMENTO FUMPRESC FUNDO MULTIPATROCINADO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR SANTA CATARINA Vigência: 01/01/2008 a 31/12/2012 1 ÍNDICE GERAL 1 OBJETIVOS DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO...3 2 CRITÉRIOS

Leia mais

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar.

Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. FUNDO REFERENCIADO DI Os fundos referenciados identificam em seu nome o indicador de desempenho que sua carteira tem por objetivo acompanhar. Para tal, investem no mínimo 80% em títulos públicos federais

Leia mais

Cartilha dos Perfis de Investimento

Cartilha dos Perfis de Investimento Cartilha dos Perfis de Investimento 2 Cartilha Perfis de Ivestimentos Previ Novartis Cartilha Perfis de Ivestimentos Previ Novartis 3 Índice Pág. 4 Pág. 6 Pág. 10 Pág. 16 Pág. 22 Pág. 26 Introdução Investimentos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE JAGUARÃO-RS PARA O EXERCÍCIO DE 2014

POLÍTICA DE INVESTIMENTO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE JAGUARÃO-RS PARA O EXERCÍCIO DE 2014 POLÍTICA DE INVESTIMENTO DO REGIME PRÓPRIO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES DO MUNICÍPIO DE JAGUARÃO-RS PARA O EXERCÍCIO DE 2014 1. Apresentação A presente Política de Investimentos visa atender as Portarias

Leia mais

Curso Preparatório CPA20

Curso Preparatório CPA20 Página 1 de 9 Você acessou como Flávio Pereira Lemos - (Sair) Curso Preparatório CPA20 Início Ambiente ) CPA20_130111_1_1 ) Questionários ) Passo 2: Simulado Módulo II ) Revisão da tentativa 1 Iniciado

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundos de Investimento Ano X N 112 Agosto/15 Macro se destacam com alta do dólar Em julho, mês marcado pela alta acentuada do dólar (9,39%), os fundos das categorias Cambial e, que vinham apostando na

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTO E RESUMO DO INFORMATIVO MENSAL DA BB GESTÃO DE RECURSOS DTVM Novembro/2014 1. Extrato Sintético das Aplicações FUNDOS RENDA FIXA SALDO 31.10.14 APLICAÇÃO

Leia mais

Manual SI Mercado. Nova Classificação ANBIMA Data: 01/09/2015

Manual SI Mercado. Nova Classificação ANBIMA Data: 01/09/2015 1 Manual SI Mercado Nova Classificação ANBIMA Data: 01/09/2015 Sumário/Índice... 1 Manual SI Mercado... SUMÁRIO/ÍNDICE... 2 NOVA CLASSIFICAÇÃO DE FUNDOS ANBIMA... 4 MUDANÇAS NO SISTEMA SI ANBIMA... 4 CLASSIFICAÇÃO

Leia mais

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2

Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 Programa de Atualização Certificação Profissional ANBIMA Série 10 (CPA-10) Versão 2.2 OBJETIVOS DA ATUALIZAÇÃO DA CPA-10 A Atualização dos profissionais certificados CPA-10 é parte do Código de Regulação

Leia mais

Critérios de Premiação para o Guia de Fundos Exame 2009 Fundos e Gestores

Critérios de Premiação para o Guia de Fundos Exame 2009 Fundos e Gestores Critérios de Premiação para o Guia de Fundos Exame 2009 Fundos e Gestores Prof. William Eid Junior Prof. Ricardo Ratner Rochman GV CEF Centro de Estudos em Finanças Escola de Administração de Empresas

Leia mais

Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento

Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento Fundo cotado em bolsa desde seu lançamento Esta apresentação visa apenas passar informações gerais do fundo que está sendo estruturado, e, não é e não deve ser considerada de nenhuma forma uma oferta firme,

Leia mais

Relatório Mensal. 2013 Janeiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2013 Janeiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2013 Janeiro Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Investimentos. Plano BD Plano CV I

Investimentos. Plano BD Plano CV I Investimentos Plano BD Plano CV I Julho/2015 DESEMPENHO DOS INVESTIMENTOS PLANO BD Julho/2015 ANÁLISE GLOBAL DOS INVESTIMENTOS DO PLANO Os investimentos do Plano BD apresentaram, em julho, rentabilidade

Leia mais

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011

Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Retorno dos Investimentos 1º semestre 2011 Cesar Soares Barbosa Diretor de Previdência É responsável também pela gestão dos recursos garantidores dos planos de benefícios administrados pela Sabesprev,

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Politica de Investimentos tem como objetivo

Leia mais

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV

Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV INVESTIMENTOS Esclarecimentos sobre rentabilidade das cotas do Plano SEBRAEPREV Uma questão de suma importância para a consolidação e perenidade de um Fundo de Pensão é a sua saúde financeira, que garante

Leia mais

Prezados (as) Associados (as),

Prezados (as) Associados (as), Prezados (as) Associados (as), A ANBIMA coloca em audiência pública minuta da nova classificação dos Fundos de Ações e dos Fundos Cambiais. Esta minuta é resultando da proposta realizada pelo Grupo de

Leia mais

Política de Investimentos Plano de Gestão Administrativa - PGA

Política de Investimentos Plano de Gestão Administrativa - PGA Plano de Gestão Administrativa - PGA Ano de Vigência - 2015 1/13 Introdução Este documento formaliza os objetivos e restrições de investimento da gestão dos recursos do, através da designação dos segmentos

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2013

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PARA 2013 INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE ALMIRANTE TAMANDARÉ, pessoa jurídica de direito público interno, inscrito no CNPJ 05093137/000151 sediado à Rua Trav. Paulo Bini,27,

Leia mais

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX

Renda Fixa: 88%[(78% [CDI+0,5%]+17% IMAB + 5%IMAB5)+12%(103%CDI)] Renda Variável Ativa = 100%(IBrx+6%) Inv. estruturados = IFM Inv. no exterior = BDRX Objetivo Os investimentos dos Planos Básico e Suplementar, modalidade contribuição definida, tem por objetivo proporcionar rentabilidade no longo prazo através das oportunidades oferecidas pelos mercados

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundos de Investimento Ano IX N 99 julho/214 Fundos de Ações são destaque de rentabilidade em junho Impulsionados pela alta dos principais índices acionários, os fundos da categoria Ações apresentaram

Leia mais

Contextualizando os Investimentos em 2012. O Olhar do órgão Fiscalizador

Contextualizando os Investimentos em 2012. O Olhar do órgão Fiscalizador Contextualizando os Investimentos em 2012 O Olhar do órgão Fiscalizador Brasília Maio/2012 1 Agenda A PREVIC e Dados do setor Impacto de Mudanças nas Taxas de Juros Alteração Res. CGPC 18 Guia PREVIC de

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio CONFERÊNCIA FCE - INVESTIMENTOS ALTERNATIVOS: FIDC, FII e FIP Fundos de Investimento

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2010 Tibagi Tibagiprev. - 1 - Índice pág. 1 Introdução 3 2 Objetivos 4 3 Diretrizes de Alocação dos Recursos 6 4 Diretrizes para Gestão dos Segmentos 8 Tibagi Tibagiprev. - 2

Leia mais

Classificação de Fundos. Visão geral e nova estrutura Data: 13/04/2015

Classificação de Fundos. Visão geral e nova estrutura Data: 13/04/2015 1 Classificação de Fundos Visão geral e nova estrutura Data: 13/04/2015 Sumário/Índice APRESENTAÇÃO... 3 OS USOS DE UMA CLASSIFICAÇÃO DE FUNDOS... 4 A QUEM SE DESTINA A CLASSIFICAÇÃO: PÚBLICOS-ALVO...

Leia mais

Investimentos Imobiliários. Fundos de Investimento Imobiliário FII. Definição. Vantagens

Investimentos Imobiliários. Fundos de Investimento Imobiliário FII. Definição. Vantagens Investimentos Imobiliários A estabilidade e as perspectivas para a economia do país e para a construção civil, aliadas ao controle da inflação e às taxas de juros historicamente baixas, intensificam o

Leia mais

SJPREV São José Previdência - SC

SJPREV São José Previdência - SC RELATÓRIO DE GESTÃO DE INVESTIMENTOS JANEIRO - 2015 SJPREV São José Previdência - SC INTRODUÇÃO O Relatório de Gestão de Investimentos do São José Previdência foi elaborado pela SMI Consultoria de Investimentos

Leia mais

Consultoria de investimentos para RPPS

Consultoria de investimentos para RPPS Consultoria de investimentos para RPPS (Regime Próprio de Previdência Social). www.investorbrasil.com A INVESTOR é uma empresa especializada em consultoria e implementação de soluções na área de investimentos

Leia mais

Desempenho financeiro do Portus no 1º semestre de 2007 RENDA FIXA

Desempenho financeiro do Portus no 1º semestre de 2007 RENDA FIXA Desempenho financeiro do Portus no 1º semestre de 2007 Este relatório tem como objetivo, atender a Instrução SPC nº 07 de 2005 e informar aos Participantes, Assistidos, Patrocinadores, Entidades de Classe

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS EXERCÍCIO FINANCEIRO DE 2014 IPRESI SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 3 2.1 OBJETIVO GERAL... 3 2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 3 VIGÊNCIA... 4 4 MODELO DE GESTÃO... 4 5

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Gestão Financeira Prof. Marcelo Cruz Fundos de Investimento 3 Uma modalide de aplicação financeira Decisão de Investimento 1 Vídeo: CVM Um fundo de investimento é um condomínio que reúne recursos de um

Leia mais

Fundos de Investimento

Fundos de Investimento Fundos de Investimento Ano IX N 97 maio/214 Melhora retorno dos Fundos de Investimento em abril Indústria de Fundos em Números abr/14 A continuidade na recuperação da performance dos principais indicadores

Leia mais

Acompanhamento da Política de Investimentos Nucleos 4º Trimestre de 2012

Acompanhamento da Política de Investimentos Nucleos 4º Trimestre de 2012 Acompanhamento da Política de Investimentos Nucleos 4º Trimestre de 2012 1 - Introdução e Organização do Relatório O relatório de acompanhamento da política de investimentos tem por objetivo verificar

Leia mais

DESAFIOS PARA OS FUNDOS DE PENSÃO

DESAFIOS PARA OS FUNDOS DE PENSÃO DESAFIOS PARA OS FUNDOS DE PENSÃO Marcelo Rabbat e Tais Campos Importante: Este documento não constitui uma opinião ou recomendação, legal ou de qualquer outra natureza, por parte da Vinci Partners, e

Leia mais

Política de Investimentos 2009 a 2013

Política de Investimentos 2009 a 2013 Política de Investimentos 2009 a 2013 SERPROS Fundos Multipatrocinado Índice 1. Objetivos e vigência da política de investimentos... 3 2. Princípios de governança... 3 2.1. Estrutura organizacional para

Leia mais

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10

PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 PROGRAMA DE ATUALIZAÇÃO dos Profissionais Certificados pela ANBIMA CPA-10 Controle: D.04.10.04 Data da Elaboração: 10/11/2009 Data da Revisão: 30/09/2013 Elaborado por: Certificação ANBIMA Aprovado por:

Leia mais

Impactos da 555 para Assets, Gestores e Investidores

Impactos da 555 para Assets, Gestores e Investidores Impactos da 555 para Assets, Gestores e Investidores Prof. William Eid Junior Professor Titular Coordenador do GV CEF Centro de Estudos em Finanças FGV/EAESP Escola de Administração de Empresas de São

Leia mais

20º SEMINÁRIO DE INVESTIMENTOS - CAPEF

20º SEMINÁRIO DE INVESTIMENTOS - CAPEF SEMINÁRIO 20º SEMINÁRIO DE INVESTIMENTOS - CAPEF Alocação de Investimentos Estruturados em Fundos de Pensão Luiz da Penha NOV/2013 SUMÁRIO 1. Informações sobre a Fachesf 2. Histórico da alocação das EFPCs;

Leia mais

Relatório de Análise dos Investimentos. da OABPREV SP. Julho de 2015

Relatório de Análise dos Investimentos. da OABPREV SP. Julho de 2015 Relatório de Análise dos Investimentos da OABPREV SP Julho de 2015 1. Introdução O presente Relatório de Análise dos Investimentos visa fornecer algumas análises quantitativas do mercado (indicadores financeiros),

Leia mais

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013 Veículo: Exame.com Os melhores e os piores investimentos de setembro Ibovespa fecha o mês com a maior alta, seguido pelos fundos de ações small caps; na renda fixa, a LTN, título do Tesouro prefixado,

Leia mais

TREINAMENTOS PARA OS CONSELHOS DELIBERATIVO E FISCAL

TREINAMENTOS PARA OS CONSELHOS DELIBERATIVO E FISCAL TREINAMENTOS PARA OS CONSELHOS DELIBERATIVO E FISCAL Out/2014 OBJETIVO Estratégia de Investimento Política de Investimentos, Perfis de Investimentos, Agentes Envolvidos na Gestão e Classes de Ativos. POLÍTICA

Leia mais

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII

FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO COM FOCO EM TÍTULOS DE CRÉDITO IMOBILIÁRIO ESTRUTURADO REIT RIVIERA FII Crédito lastreado em imóveis, alta rentabilidade e fluxo de caixa constante, com a solidez do concreto.

Leia mais

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução.

PRAZOS E RISCOS DE INVESTIMENTO. Proibida a reprodução. Proibida a reprodução. A Planner oferece uma linha completa de produtos financeiros e nossa equipe de profissionais está preparada para explicar tudo o que você precisa saber para tomar suas decisões com

Leia mais

O Seguro como estratégia e forma de mitigar Riscos

O Seguro como estratégia e forma de mitigar Riscos O Seguro como estratégia e forma de mitigar Riscos Os seguros de D&O e RCP (Responsabilidade Civil Profissional) raramente são pensados como uma estratégia de captação de recursos, ainda que a maioria

Leia mais

Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real;

Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real; 20-jan-2014 Baixa do dólar e recuo das Treasuries corroboram para fechamento dos juros futuros; Fatores domésticos levam a depreciação do dólar frente ao real; Ibovespa recuou 1,04% na semana, seguindo

Leia mais

Banco do Brasil - Cartilha de Fundos de Investimento Fundos de Investimento

Banco do Brasil - Cartilha de Fundos de Investimento Fundos de Investimento Fundos de Investimento O que é?...2 Tipos de Fundos...2 Fundos de curto prazo...2 Fundos renda fixa...2 Fundos referenciados DI...2 Fundos multimercado...3 Fundos de ações...3 Fundos da dívida externa...3

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS CAGEPREV - FUNDAÇÃO CAGECE DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR POLÍTICA DE INVESTIMENTOS PLANO DE BENEFÍCIO DE CONTRIBUIÇÃO VARIÁVEL Vigência: 01/01/2013 a 31/12/2017 1. OBJETIVOS A Política de Investimentos tem

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POLÍTICA DE INVESTIMENTOS Segurança nos investimentos Gestão dos recursos financeiros Equilíbrio dos planos a escolha ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 A POLÍTICA DE INVESTIMENTOS...4 SEGMENTOS DE APLICAÇÃO...7 CONTROLE

Leia mais

Manual de Marcação a Mercado

Manual de Marcação a Mercado Departamento de Controladoria de Fundos de Investimento Setor de Precificação Propriedade de SITA Corretora de Câmbio e Valores Mobiliários S/A Proibida a reprodução total ou parcial sem prévia autorização.

Leia mais

ESTUDO DE ALM SERPROS FUNDO MULTIPATROCINADO SERPRO (PSI) e SERPRO (PSII BD/PSII CD)

ESTUDO DE ALM SERPROS FUNDO MULTIPATROCINADO SERPRO (PSI) e SERPRO (PSII BD/PSII CD) ESTUDO DE ALM SERPROS FUNDO MULTIPATROCINADO SERPRO (PSI) e SERPRO (PSII BD/PSII CD) Janeiro de 2012 1 MOVIMENTOS FIC ADVANTAGE III PSI E PSII - BD Carteira Título Vencimento Alocação Atual - MTM Alocação

Leia mais

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA

1. PRINCÍPIOS BÁSICOS DE ECONOMIA, FINANÇAS E ESTATÍSTICA CONTEÚDO CURSO PREPARATÓRIO PARA A REALIZAÇÃO DE PROVA DE CERTIFICAÇÃO PARA RESPONSÁVEIS PELA GESTÃO DOS RECURSOS DOS REGIMES PRÓPRIOS DE PREVIDÊNCIA SOCIAL RPPS (CPA-20, CPA-10 e ANCOR) 1. PRINCÍPIOS

Leia mais

PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO

PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015. Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO PARECER MENSAL - 4/2015 14/05/2015 Regime Próprio de Previdência Social do município de Sorriso - MT PREVISO Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Adélio Dalmolin; Atendendo a necessidade do Instituto

Leia mais

DEMONSTRATIVO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

DEMONSTRATIVO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DEMONSTRATIVO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 1. ENTE Endereço: Bairro: Prefeitura Municipal de Itanhaém / SP AVENIDA WASHINGTON LUIS - 75 CENTRO (013) 3421-1600 Fax: (013) 3421-1600 CNPJ: Complemento: CEP:

Leia mais

INSTITUTO DE PREVIDENCIA DO MUNICIPIO DE ALMIRANTE TAMANDARÉ - IPMAT

INSTITUTO DE PREVIDENCIA DO MUNICIPIO DE ALMIRANTE TAMANDARÉ - IPMAT RESOLUÇÃO Nº. 01/2009 Em cumprimento a Resolução nº. 3790/2009 de 24 de Setembro de 2009, do Conselho Monetário Nacional, o CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DO IPMAT, no uso de suas atribuições legais e de conformidade

Leia mais

Estudo de Macro-Alocação de Ativos FUNDAÇÃO CIBRIUS

Estudo de Macro-Alocação de Ativos FUNDAÇÃO CIBRIUS Estudo de Macro-Alocação de Ativos FUNDAÇÃO CIBRIUS Esse documento apresenta as hipóteses, premissas e resultados do estudo de macro-alocação de ativos, conduzido pela ADITUS Consultoria Financeira, com

Leia mais