Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O"

Transcrição

1 Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O

2 INQUÉRITO AOS DIPLOMADOS EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS 2011/2012 traçar o perfil dos recém diplomados essencialmente em 3 vertentes: OBJECTIVO - situação actual; - condições que antecedem esta mesma situação; - perspectivas de futuro; METODOLOGIA pedido de divulgação às IESUs + divulgação aos membros da OF inquérito de preenchimento on-line disponível entre Set. e Out RESULTADOS 143 respostas 2/15

3 Caracterização da amostra Instituição de Ensino Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto 1 8% 22% Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade da Beira Interior Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra 8% Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa 10% 2% 25% 1 Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade do Algarve Instituto Superior de Ciências da Saúde - Norte Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa Mês de Conclusão do Curso 25,9 Instituto Superior de Ciências de Saúde - Egas Moniz Faculdade de Ciências e Tecnologias da Saúde da Universidade Lusófona Percentagem 4,9 2,8 8,4 0,7 4,2 4,9 12,6 0,7 9,1 11,9 14,0 3/15

4 Caracterização da amostra Sexo Naturalidade (Distrito) 74% 26% Ano de Nascimento 1990 < Masculino Feminino Faro Horta Guarda Leiria 2% Bragança Coimbra Castelo Branco Lisboa 3 Porto 22% Ponta Delgada Portalegre % % Braga 10% Aveiro 5% Viseu Vila Real Setúbal 8% Viana do Castelo Santarém 4/15

5 Situação Actual 60,0% 50,0% 52,4% Qual a sua situação ocupacional actual? 40,0% 30,0% 20,0% 24,5% 10,0% 0,0% Emprego a t. inteiro 5,6% Emprego a t. parcial Estágio remunerado 1,4% Estágio não remunerado 7,0% Desempregado (novo emprego) 5,6% Desempregado (1º emprego) 2,8% Doutoramento 0,7% Bolseiro(a) de investigação O Estágio profissional remunerado que exerce dá-lhe perspectiva de Integração na empresa? NÃO 38% SIM 62% 5/15

6 Situação Actual Qual o seu tipo de contrato de trabalho? 49,7 50,0 Se tem emprego ou fequenta estágio remunerado - Qual o rendimento líquido mensal auferido? Percentagem 21,0 4,9 3,5 0,7 4,2 0,7 15,4 45,0 40,0 35,0 Percentagem 30,0 25,0 20,0 Qual a duração do contrato a termo certo? 45,7 15,0 10,0 5,0 Percentagem 34,3 18,6 0,0 1,4 0,0 < > S/ incentivo 3,3 10,7 38,5 9,8 4,9 0,8 1,6 0,0 0, Nº Meses C/ incentivo 0,0 20,5 7,4 2,5 0,0 0,0 0,0 0,0 0,0 6/15

7 Situação Actual Qual o sector de actividade do exercício em que se encontra inserido? 5% 2% 4% Assuntos Regulamentares Indústria Distribuição Grossista Farmácia Comunitária Director Técnico Farmácia Comunitária Farmacêutico 1 Farmácia Comunitária Farmacêutico Adjunto Farmácia Hospitalar Indústria Farmacêutica Controlo da Qualidade 62% Indústria Farmacêutica Ensaios Clínicos Indústria Farmacêutica Outra área Indústria Farmacêutica Produção Investigação 7/15

8 Situação Actual Qual localidade onde exerce a sua actividade? (região) 2% 4% 5% 26% Norte Centro 46% 1 Lisboa e Vale do Tejo Alentejo Algarve Madeira Açores Internacional 8/15

9 Situação Actual Número de horas - part-time % Qual o grau de envolvimento nas actividades da organização? Tempo parcial (part-time) 1 33, % % 22 12% Número de horas - full-time Tempo integral (full time) 89% % % 9/15

10 Situação Actual Como alcançou situação profissional em que se encontra? 2% 2% Estágio curricular Estágio profissional 10% 17% Candidatura espontânea Resposta a anúncio 2% Concurso público 2% 1 Empresa de trabalho temporário Familiares Amigos ou Colegas da Fauldade 24% 26% Professores da Faculdade que frequentou Outro SEM RESPOSTA 10/15

11 Condições que antecederam a situação actual Qual o grau de dificuldade na procura do 1º emprego regular para cada um dos aspectos indicados? Sente/sentiu dificuldades na procura de emprego regular? Não 20% Sim 80% Condições de trabalho inaceitáveis Discriminação na selecção Fraca oferta na área geográfica Fraca oferta na área científica Desinteresse das entidades empregadoras Excesso de Diplomados Nenhuma Alguma Muita Extrema Falta de experiência profissional 11/15

12 Condições que antecederam a situação actual Com que frequência desenvolve/desenvolveu as seguintes estratégias de procura de emprego? Centro Emprego Anúncios Faculdade Trabalho temporário Espontâneo Bolsa online Familiares Amigos 0 Frequentemente Por vezes Raramente Nunca 12/15

13 Condições que antecederam a situação actual Quantos empregos teve desde que terminou curso? Após a conclusão do seu curso, quanto tempo demorou a encontrar o 1º emprego regular? um 65% Procuro emprego há zero 9% três 5% dois 2 1 a 3 meses 4 a 6 meses 7 a 9 meses 10 a 12 meses Encontrei emprego há 13/15

14 Futuro 140 Aceitaria um emprego que fosse Sim Não 14/15

15 CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS Grau Superior 20% Grau Inferior 9% Considera que as funções profissionais para as quais a formação académica o habilita podiam ou podem ser realizadas por alguém... Somente com um curso idêntico ao seu Com um curso com um grau académico inferior Com um curso com um grau académico superior Curso Idêntico 7 15/15

16 OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O 16

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Evento: Local: Data: CONFERÊNCIA REGIONAL DE LISBOA E VALE DO TEJO Centro de Formação Profissional de Santarém 10 de Março

Leia mais

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II

ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05. Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES QUE INGRESSARAM PELA 1ª VEZ NUM CURSO DE NÍVEL SUPERIOR EM PORTUGAL NO ANO LECTIVO 2004/05 Dados Estatísticos PARTE II ESTUDANTES DE PÓS-LICENCIATURA (Mestrados e Doutoramentos) DSAS- Direcção

Leia mais

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL INQUÉRITO AO CRÉDITO Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Introdução O Inquérito ao Crédito Fevereiro 2009, realizado pela AIP-CE, teve como base uma amostra constituída

Leia mais

ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Círculo eleitoral dos Açores Aliança Açores Partido Social Democrata Partido Democrático do Atlântico CDS-PP. PPD/D PDA Círculo eleitoral de Aveiro Partido Cidadania e Democracia Cristã PPV/CDC PPD/D.

Leia mais

QUESTIONÁRIO A SOCIEDADE DIGITAL E O NOVO PERFIL DO TÉCNICO OFICIAL DE CONTAS

QUESTIONÁRIO A SOCIEDADE DIGITAL E O NOVO PERFIL DO TÉCNICO OFICIAL DE CONTAS Contacto: nelma.marq@gmail.com QUESTIONÁRIO A SOCIEDADE DIGITAL E O NOVO PERFIL DO TÉCNICO OFICIAL DE CONTAS O presente questionário pretende servir de apoio ao desenvolvimento de um estudo relacionado

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD

OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD UTAD 2011 OBSERVATÓRIO DO PERCURSO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DA UTAD (2003-2007) O. Enquadramento As políticas públicas de ensino superior

Leia mais

Q1 Há quanto tempo se graduou em Medicina Veterinária?

Q1 Há quanto tempo se graduou em Medicina Veterinária? Q1 Há quanto tempo se graduou em Medicina Veterinária? Respondidas: Ignoradas: 0 < 10 anos 10 a 20 anos 20 a 30 anos > 30 anos Opções de resposta < 10 anos 10 a 20 anos 20 a 30 anos > 30 anos Respostas

Leia mais

RESULTADOS DA 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO

RESULTADOS DA 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015 RESULTADOS DA 1.ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO NOTA 1. Encontra se concluída a colocação na primeira fase do 39.º concurso nacional de acesso, tendo sido admitidos,

Leia mais

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas PQS GLOBAIS Anacom Objetivo SU Ano1 SU PQS 1 PQS 1 (a) PQS1. Prazo de fornecimento da ligação inicial (a) Demora no fornecimento das ligações, quando o cliente não define uma data objetivo (dias) PQS 1

Leia mais

RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA

RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA RESULTADOS DO INQUÉRITO À COMUNIDADE GEOGRÁFICA A Associação Portuguesa de Geógrafos (APG) promoveu um inquérito online entre 5 de Novembro e 21 de Dezembro de 2009 com o objectivo de auscultar a comunidade

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CURSOS CONGÉNERES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2011

Leia mais

O contributo da EAPN Portugal / Rede Europeia

O contributo da EAPN Portugal / Rede Europeia 2011 Ano Europeu das Atividades de Voluntariado que Promovam uma Cidadania Ativa O contributo da EAPN Portugal / Rede Europeia Anti - Pobreza José Machado 22 Outubro 2011 Estrutura da Comunicação Pobreza

Leia mais

O Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas tem uma taxa de empregabilidade de 97%

O Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas tem uma taxa de empregabilidade de 97% ESTUDO EMPREGABILIDADE MESTRADO INTEGRADO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS DA EGAS MONIZ Consumer Research Novembro 2013 Qual a taxa de empregabilidade do Mestrado Qual a taxa de empregabilidade do Mestrado Integrado

Leia mais

Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal

Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal Apresentação de resultados do estudo Porto, 8 de Março de 2005 Objectivos Objectivo principal O objectivo principal deste estudo é a

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CURSOS CONGÉNERES DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2012

Leia mais

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Metodologia Dimensão da amostra Datas das entrevistas Margem de erro Idioma das entrevistas 1,000 Brasileiros adultos 23 Novembro

Leia mais

CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. no Ensino Superior

CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. no Ensino Superior CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA no Ensino Superior CET Cursos de Especialização Tecnológica no Ensino Superior Setembro 2011 DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direcção de Serviços de Suporte à

Leia mais

Relatório Anual de Atividades

Relatório Anual de Atividades Direção de Serviços de Recrutamento e Assuntos do Serviço Militar DIVISÃO DE ASSUNTOS DA PROFISSIONALIZAÇÃO DO SERVIÇO MILITAR Centro de Informação e Orientação para a Formação e o Emprego Relatório Anual

Leia mais

Violência Doméstica e Educação Análise do Envolvimento Parental na Escola em Mulheres Vítimas de Violência Conjugal

Violência Doméstica e Educação Análise do Envolvimento Parental na Escola em Mulheres Vítimas de Violência Conjugal Tema: Vítimas com Necessidades Específicas Violência Doméstica e Educação Análise do Envolvimento Parental na Escola em Mulheres Vítimas de Violência Conjugal Investigador: Miguel Rodrigues miguel.ol.rodrigues@hotmail.com

Leia mais

Os Diplomados e o Emprego na UL

Os Diplomados e o Emprego na UL Os Diplomados e o Emprego na UL NOTA PRÉVIA A Universidade de Lisboa (UL) foi pioneira no estudo da empregabilidade dos diplomados saídos dos cursos que oferece. Em 2000 e em 2005 publicaram-se dois relatórios,

Leia mais

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações 0130 0130 0130 0130 0130 0130 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina Universidade dos Açores - Ponta Delgada Universidade dos Açores -

Leia mais

Acesso ao curso de Licenciatura em ENGENHARIA DO AMBIENTE (ESTGV/IPV) para titulares de CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA*

Acesso ao curso de Licenciatura em ENGENHARIA DO AMBIENTE (ESTGV/IPV) para titulares de CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA* Acesso ao curso de Licenciatura em ENGENHARIA DO AMBIENTE (ESTGV/IPV) para titulares de CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA* * CETs referenciados pelo Conselho Técnico-Científico da ESTGV para acesso

Leia mais

Organização Curricular em Educação Física

Organização Curricular em Educação Física Organização Curricular em Educação Física Análise dos dados relativos à Organização Curricular em Educação Física para o ano letivo 2012/2013. Estudo desenvolvido pelo Conselho Nacional de Associações

Leia mais

INDEZ 2010. Pessoal existente em INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICO. Setembro 2011 V1.2 DSSRES

INDEZ 2010. Pessoal existente em INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICO. Setembro 2011 V1.2 DSSRES INDEZ 2010 Pessoal existente em INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PÚBLICO Setembro 2011 V1.2 DSSRES INDEZ 2010 Pessoal existente em Instituições de Ensino Superior Público DIRECÇÃO DE SERVIÇOS DE Direcção

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

O PANORAMA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES NOVOS SERVIÇOS NUM MERCADO EM MUDANÇA

O PANORAMA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES NOVOS SERVIÇOS NUM MERCADO EM MUDANÇA O PANORAMA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES NOVOS SERVIÇOS NUM MERCADO EM MUDANÇA IMPRENSA ESCRITA E DIGITAL DUAS FORMAS COMPLEMENTARES DE COMUNICAR PUBLICAÇÕES ATIVAS: 2008-2012 3.169 2.940

Leia mais

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações

9718 Comunicação Social e Cultura 9720 Comunicação, Cultura e Organizações Congénere 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada

Leia mais

9196 Línguas e Relações Empresariais 9196 Línguas e Relações Empresariais

9196 Línguas e Relações Empresariais 9196 Línguas e Relações Empresariais 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 8083 Ciclo Básico de Medicina 8083 Ciclo Básico de Medicina 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0130 Universidade

Leia mais

O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE

O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE ESTUDO DOS DADOS DOS FARMACÊUTICOS Consulta à base de dados da Ordem dos Farmacêuticos a 31-12-213 7 MARÇO 214 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O FARMACÊUTICOS

Leia mais

Perfil das Ideias e dos Empreendedores

Perfil das Ideias e dos Empreendedores Perfil das Ideias e dos Empreendedores I - Considerações gerais A análise que se segue tem como referência um painel 115 ideias de negócio, com proposta de desenvolvimento por 214 empreendedores, candidatos

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS 4696 Diário da República, 1.ª série N.º 151 7 de agosto de 2013 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Portaria n.º 252/2013 de 7 de agosto A 2.ª edição do Programa de Estágios Profissionais na Administração Pública

Leia mais

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS

RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS 1. Taxas de resposta RESULTADOS DO INQUÉRITO AOS NOVOS ALUNOS 21% 29% 79% 71% Responderam Não responderam Responderam Não responderam Gráfico nº 1 - Frequência percentual de respostas dos novos alunos

Leia mais

Instituição da R.A. dos Açores Curso Superior. Instituição de Ensino Superior Curso Superior Congénere. 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada

Instituição da R.A. dos Açores Curso Superior. Instituição de Ensino Superior Curso Superior Congénere. 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0201 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais 9219 Psicologia 9219 Psicologia 0203 0203 0203 0204 0204 0204 0300 0300 0300 0300 0300 0300 0300 0300 Universidade do Algarve - Faculdade

Leia mais

QUADRO I CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014 RESULTADOS POR SUBSISTEMA APÓS A COLOCAÇÃO NA 3.ª FASE

QUADRO I CONCURSO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO DE 2014 RESULTADOS POR SUBSISTEMA APÓS A COLOCAÇÃO NA 3.ª FASE NOTA 1. No ano letivo de 2014-2015 foram admitidos no ensino superior público 41 464 estudantes através do concurso nacional de acesso 1. 2. Esses estudantes distribuíram-se da seguinte forma: QUADRO I

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2012 SUPLEMENTO N.º 2 REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA CURSOS CONGÉNERES DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2012

Leia mais

3 Cursos de licenciaturas e diplomas de estudos superiores especializados constantes do Despacho n.º 25 156/2002, de 26 de Novembro, a considerar:

3 Cursos de licenciaturas e diplomas de estudos superiores especializados constantes do Despacho n.º 25 156/2002, de 26 de Novembro, a considerar: s previstos no art. 56.º do Estatuto da Carreira Docente que relevam para a aplicação da alínea c) do n.º 1 do art. 14.º do Decreto-Lei n.º35/2003, de 27 de Fevereiro, na redacção dada pelo Decreto-Lei

Leia mais

Inquérito ao Crédito. Relatório

Inquérito ao Crédito. Relatório Inquérito ao Crédito Relatório Março 2012 Destaques O crédito bancário é a fonte de financiamento mais significativa referida por cerca de 70% das empresas. O financiamento pelos sócios ou accionistas

Leia mais

IPBeja - Cursos de Especialização Tecnológica que dão acesso ao curso de Ciência e Tecnologia dos Alimentos

IPBeja - Cursos de Especialização Tecnológica que dão acesso ao curso de Ciência e Tecnologia dos Alimentos Universitário R.A.Açores Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 7264 - Corte e Tecnologia de Carnes 541 - Indústrias es Universitário R.A.Açores Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo 7109 -

Leia mais

9020 Ciência Política e Relações Internacionais

9020 Ciência Política e Relações Internacionais 0201 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais 9219 Psicologia 9219 Psicologia 0203 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências e Tecnologia 0110 Universidade dos Açores - Angra

Leia mais

Técnico Auxiliar de Farmácia - Empower Up

Técnico Auxiliar de Farmácia - Empower Up Início Empower Up Equipa Consultoria Documentação» Contactos Empower Up» Formação» Técnico Auxiliar de Farmácia Técnico Auxiliar de Farmácia 240 horas AULAS TEÓRICAS E TEÓRICO-PRÁTICAS 160 ou 320 horas

Leia mais

da Uniiversiidade de Évora

da Uniiversiidade de Évora Universidade de Évora Rellatóriio sobre o Inquériito aos Liicenciiados da Uniiversiidade de Évora Pró-Reitoria para a Avaliação e Política da Qualidade Jacinto Vidigal da Silva Luís Raposo Julho de 2010

Leia mais

8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 2

8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 2 8 de Março 2011- E urgente acabar com as discriminações que a mulher continua sujeita em Portugal Pág. 1 A SITUAÇÃO DA MULHER EM PORTUGAL NO DIA INTERNACIONAL DA MULHER DE 2011 RESUMO DESTE ESTUDO No dia

Leia mais

A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências

A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências Relatório de 2008 Uma contribuição vital A intervenção das

Leia mais

Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007

Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007 Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007 - Universidades do CRUP - Institutos Politécnicos públicos - Hospitais H. Nouws, J.T. Albergaria, E.S. Vieira, C. Delerue-Matos, J.A.N.F. Gomes Relatório

Leia mais

a 2015 Conferência Industria Automóvel: Contributo para uma mobilidade sustentável. Projecto Eco-condução ACAP, Lisboa, 24-05-2010

a 2015 Conferência Industria Automóvel: Contributo para uma mobilidade sustentável. Projecto Eco-condução ACAP, Lisboa, 24-05-2010 Reciclagem de Veículos em Fim de Vida (VFV) rumo a 2015 Conferência Industria Automóvel: Contributo para uma mobilidade sustentável. Projecto Eco-condução ACAP, Lisboa, 24-05-2010 Tópicos Empresa Sistema

Leia mais

As dividas das empresa à Segurança Social disparam com o governo de Sócrates Pág. 1

As dividas das empresa à Segurança Social disparam com o governo de Sócrates Pág. 1 As dividas das empresa à Segurança Social disparam com o governo de Sócrates Pág. 1 AS DIVIDAS DAS EMPRESAS À SEGURANÇA SOCIAL DISPARAM COM O GOVERNO DE SÓCRATES: - só em 2006 a Segurança Social perdeu

Leia mais

Regulamento de Estágios

Regulamento de Estágios Programa de Inserção Profissional Regulamento de Estágios Faculdade de Ciências Humanas Nos últimos anos, o ensino universitário tem vindo a integrar nos percursos formativos a realização de estágios curriculares

Leia mais

Boletim Estatístico. Dezembro 2014. Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado

Boletim Estatístico. Dezembro 2014. Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado Boletim Estatístico Dezembro 2014 Gabinete de Apoio ao Sobre-endividado Índice 1. PROCESSOS E PEDIDOS DE INFORMAÇÃO DE SOBRE-ENDIVIDAMENTO... 3 1.1. Processos e Pedidos de Informação de Sobre-endividamento

Leia mais

IPBeja - Cursos de Especialização Tecnológica que dão acesso ao curso de Engenharia Informática

IPBeja - Cursos de Especialização Tecnológica que dão acesso ao curso de Engenharia Informática IPBeja - s de Especialização Tecnológica que dão acesso ao de Engenharia Informática Área Barcelos ACIB - Associação Comercial e Industrial de Barcelos Aplicações Informáticas de Gestão AFTEBI - Associação

Leia mais

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6

ÍNDICE. Que expectativas académicas, que organização do estudo e conciliação entre estudos e emprego? 6 Relatório Síntese: Perfil do Trabalhador-Estudante do IST Introdução ÍNDICE Qual a proporção de trabalhadores-estudantes no IST nos últimos 5 anos lectivos? 2 Qual a População-alvo deste inquérito? 2 A

Leia mais

Maria Augusta Soares. 15-16 de Dezembro 2010

Maria Augusta Soares. 15-16 de Dezembro 2010 Maria Augusta Soares F ld d de Faculdade d Farmácia F á da d Universidade U d d de d Lisboa L b 15-16 de Dezembro 2010 Panorama Farmacêutico em Portugal Ensino em Ciências i Farmacêuticas Pré graduado

Leia mais

III PROGRAMA DE ESTÁGIOS DE VERÃO AEFFUL

III PROGRAMA DE ESTÁGIOS DE VERÃO AEFFUL III PROGRAMA DE ESTÁGIOS DE VERÃO AEFFUL 1 Enquadramento O Gabinete de Estágios e Saídas Profissionais (GESP) tem o objectivo de estabelecer uma plataforma de comunicação entre estagiários e recém-mestres

Leia mais

1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014...

1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014... Índice 1. Processos de Sobre-endividamento 1.1) Processos de Sobre-endividamento entre 2000 e 2014.3 1.2) Processos de Sobre-endividamento, durante os anos de 2012, 2013 e 2014... 4 2. Causas de Sobre-endividamento

Leia mais

INICIADOS FEMININOS - S14F

INICIADOS FEMININOS - S14F INICIADOS FEMININOS - S14F 1º 2º 3º 10º 11º 12º 5º 6º 4º 14º 15º 13º 9º 7º 8º 18º 16º 17º Aveiro Porto Açores Leiria Setúbal Vila Real Lisboa Madeira Coimbra C. Branco Viseu Braga Viana do Castelo Santarém

Leia mais

IV JORNADAS IBERO-ATLÂNTICAS DE ESTATÍSTICAS REGIONAIS 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS. João Cadete de Matos

IV JORNADAS IBERO-ATLÂNTICAS DE ESTATÍSTICAS REGIONAIS 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS. João Cadete de Matos 22 e 23 de junho de 2012 ESTATÍSTICAS FINANCEIRAS REGIONAIS João Cadete de Matos 1ª Parte Estatísticas do Banco de Portugal Estatísticas Financeiras Regionais 2 Evolução da difusão Estatística no Banco

Leia mais

e-municípios 2009 Serviços Online Municipais Avaliação dos

e-municípios 2009 Serviços Online Municipais Avaliação dos Avaliação dos Serviços Online Municipais e-municípios 2009 2 3 A. Metodologia 5 6 Serviços a avaliar Feiras e mercados Taxas municipais Certidão para efeitos de IMI Consulta de informação georreferenciada

Leia mais

RELATÓRIO DOS REGISTOS DAS INTERRUPÇÕES DA GRAVIDEZ AO ABRIGO DA LEI 16/2007 DE 17 DE ABRIL

RELATÓRIO DOS REGISTOS DAS INTERRUPÇÕES DA GRAVIDEZ AO ABRIGO DA LEI 16/2007 DE 17 DE ABRIL RELATÓRIO DOS REGISTOS DAS INTERRUPÇÕES DA GRAVIDEZ AO ABRIGO DA LEI 16/2007 DE 17 DE ABRIL Dados referentes ao período de Janeiro a Dezembro de 2008 Edição revista DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE DIVISÃO DE SAÚDE

Leia mais

ESTATÍSTICAS APAV VIOLÊNCIA SEXUAL 2012 WWW.APAV.PT/ESTATISTICAS

ESTATÍSTICAS APAV VIOLÊNCIA SEXUAL 2012 WWW.APAV.PT/ESTATISTICAS ESTATÍSTICAS APAV VIOLÊNCIA SEXUAL 2012 WWW.APAV.PT/ESTATISTICAS índice - introdução 2 - vítima 3 - autor(a) do crime 9 - vitimação 14 - crianças vítimas de violência sexual 20 1 introdução A violência

Leia mais

ANET-ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS

ANET-ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS ANET-ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS GRUPO 1 CURSOS REGISTADOS E ANALISADOS PELA ANET, CONSIDERADOS HABILITANTES PARA A REALIZAÇÃO DE TODOS OS ACTOS DA ESPECIALIDADE CURSOS REGISTADOS -GRUPO

Leia mais

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DO IST

ANÁLISE DA EVOLUÇÃO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DO IST ANÁLISE DA EVOLUÇÃO PROFISSIONAL DOS DIPLOMADOS DO IST PG4 Processo de Gestão da Qualidade SP4 Inquéritos de Avaliação dos Processos de Realização - Ensino/Aprendizagem 1- Objectivos No âmbito do SIQUIST,

Leia mais

CONTACTOS ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA EQUIPA PARLAMENTO DOS JOVENS. Marlene Viegas Freire Coordenadora. Maria Cecília Themudo Barata Assessora

CONTACTOS ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA EQUIPA PARLAMENTO DOS JOVENS. Marlene Viegas Freire Coordenadora. Maria Cecília Themudo Barata Assessora CONTACTOS ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA EQUIPA PARLAMENTO DOS JOVENS Marlene Viegas Freire Coordenadora Maria Cecília Themudo Barata Assessora Paula Faria Assessora Maria Manuela Matos Técnica de Apoio Parlamentar

Leia mais

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 NOTA METODOLÓGICA De acordo com a definição nacional, são pequenas e médias empresas aquelas que empregam menos de 500 trabalhadores, que apresentam um volume de

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010

ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010 ANÁLISE COMPARATIVA DADOS ESTATÍSTICOS EMPREGABILIDADE NOS CICLOS DE ESTUDOS DE ARQUITETURA E DESIGN EM PORTUGAL 2010 EMPREGABILIDADE A informação estatística recolhida neste documento é baseada no relatório

Leia mais

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras SEDE Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Rua Conselheiro José Silvestre Ribeiro, 4 1649-007 LISBOA Telefone: 21 7115000 Fax: 21 7161595 Direcções e Delegações Regionais DIRECÇÃO REGIONAL DO CENTRO Director

Leia mais

Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica

Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica Ministério da Educação Portaria n.º 1298/03 de de Novembro A unificação

Leia mais

Iniciativa Move-te, faz Acontecer

Iniciativa Move-te, faz Acontecer Iniciativa Move-te, faz Acontecer Entidades Promotoras: Associação CAIS (Projecto Futebol de Rua): Fundada em 1994, a Associação CAIS tem como Missão contribuir para o melhoramento global das condições

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. 356 Diário da República, 1.ª série N.º 13 18 de janeiro de 2013

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS. 356 Diário da República, 1.ª série N.º 13 18 de janeiro de 2013 356 Diário da República, 1.ª série N.º 13 18 de janeiro de 2013 Declaração de Retificação n.º 4/2013 Nos termos das disposições conjugadas da alínea r) do n.º 2 do artigo 2.º e do artigo 11.º do Decreto

Leia mais

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00 Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015 1. Calendário Federativo Nacional Data Dia da Semana Evento Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar

Leia mais

27 de Janeiro de 2006. - A Secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Carmen Madalena da Costa Gomes e Cunha Pignatelli.

27 de Janeiro de 2006. - A Secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Carmen Madalena da Costa Gomes e Cunha Pignatelli. Despacho n.º 3845/2006 (2.ª série). - O Decreto-Lei n.º 112/98, de 24 de Abril, na alínea b) do n.º 1 do artigo 9.º, prevê a prorrogação do contrato administrativo de provimento dos internos que à data

Leia mais

e-justiça Eng.ª Júlia Ladeira ( ITIJ )

e-justiça Eng.ª Júlia Ladeira ( ITIJ ) e justiça O que o sector da justiça em Portugal tem a ganhar com o desenvolvimento da SI 12 e 13 de Janeiro de 2004 Fundação Calouste Gulbenkian Eng.ª Júlia Ladeira ( ITIJ ) Patrocínio O que o sector da

Leia mais

Anexo C. Estabelecimentos de Ensino Superior. Índice

Anexo C. Estabelecimentos de Ensino Superior. Índice Anexo C Estabelecimentos de Ensino Superior Índice Anexo C1 - Estabelecimentos de Ensino Superior: Situação em 1980...c.2 Anexo C2 - Estabelecimentos de Ensino Superior: Situação em 1990...c.4 Anexo C3

Leia mais

Sistema Interno de Garantia da Qualidade

Sistema Interno de Garantia da Qualidade ISEL Sistema Interno de Garantia da Qualidade RELATÓRIO Inquérito Novos Alunos Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Gabinete de Avaliação e Qualidade Janeiro 2014 ÍNDICE 1. ENQUADRAMENTO... 4 1.1

Leia mais

PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS

PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS SEF - North Address Available from: CNAI do Porto Rua do Pinheiro, n.º 9 4050-484 Porto

Leia mais

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS Em vigor a partir de 21 de Agosto de 2015 1. PRIMEIRAS PAGAIADAS 1.1. Objetivos O quadro competitivo promovido

Leia mais

Programa Nacional de Erradicação da Poliomielite - Plano de Ação Pós-Eliminação

Programa Nacional de Erradicação da Poliomielite - Plano de Ação Pós-Eliminação MODELO 4 - Norte : Região Unidades Hospitalares (15) MÊS NORTE J F M A M J J A S O N D CH Nordeste, EPE CH Trás-os-Montes e Alto Douro, EPE CH Alto Ave, EPE CH Médio Ave, EPE CH Tâmega e Sousa, EPE CH

Leia mais

EMPREGABILIDADE DOS PSICÓLOGOS:

EMPREGABILIDADE DOS PSICÓLOGOS: EMPREGABILIDADE DOS PSICÓLOGOS: FACTOS E MITOS VÍTOR COELHO E ANA AMARO OBSERVATÓRIO DE EMPREGABILIDADE DA OPP Durante os últimos anos, periodicamente, têm sido apresentados dados contrastantes sobre os

Leia mais

Instituição. Número de Conselheiros Nacionais a eleger por Secção Sindical - 1

Instituição. Número de Conselheiros Nacionais a eleger por Secção Sindical - 1 Instituição Lugares no CN Academia Militar Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos da Universidade do Porto Centro de Investigação Marinha e Ambiental, Laboratório Associado da Universidade

Leia mais

Maria Júlia Ladeira 26 de Maio 2007

Maria Júlia Ladeira 26 de Maio 2007 Jornadas dos Administrativos da Saúde A estratégia té do IGIF para as TI na Saúde Maria Júlia Ladeira 26 de Maio 2007 A estratégia do IGIF para as TI na Saúde Programa de Transformação dos SI da Saúde

Leia mais

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 906-() Diário da República,.ª série N.º 56 de Março de 00 MINISTÉRIO DAS FINANÇAS E DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Portaria n.º 7-A/00 de de Março O Decreto -Lei n.º 8/00, de 9 de Março, prevê, no seu artigo

Leia mais

Projecto Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2009/2010

Projecto Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2009/2010 Projecto Nestum Rugby nas Escolas Balanço 2009/2010 No segundo ano (2009/2010) de implementação do projecto Nestum Rugby nas Escolas, projecto este que resulta da parceria entre a Federação Portuguesa

Leia mais

- IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL. ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

- IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL. ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria - IAE - INQUÉRITO À ACTIVIDADE EMPRESARIAL 2006 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ÍNDICE Introdução Pág. 2 1 Sumário executivo Pág. 5 2 Análise dos resultados 2.1 Situação

Leia mais

Decreto-Lei n.º 345/99 de 27 de Agosto

Decreto-Lei n.º 345/99 de 27 de Agosto Decreto-Lei n.º 345/99 de 27 de Agosto Centros de medicina desportiva do Instituto Nacional do Desporto... 2 Organização... 2 Colaboração com outras entidades... 2 Formação e Investigação... 3 Exames de

Leia mais

TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM)

TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) COMPETIÇÕES NACIONAIS TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) Modelo Competitivo -Proposta de Alteração- Elaborado por: Directores Técnicos das Associações de Basquetebol de VIANA DO CASTELO, BRAGA, PORTO,

Leia mais

«Concurso Jovem Agricultor Português»

«Concurso Jovem Agricultor Português» «Concurso Jovem Agricultor Português» Como já é tradição, desde há muito, que a Caixa não descura a intenção de apoiar e estimular a economia nacional, assim como outras áreas de interesse, mostrando com

Leia mais

ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS

ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS ANET - ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ENGENHEIROS TÉCNICOS GRUPO 2 CURSOS DE LICENCIATURA EM ENGENHARIA REGISTADOS MAS AINDA NÃO ANALISADOS PELA ANET COLÉGIO DE ENGENHARIA CIVIL. Universidade Católica Portuguesa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Decreto-Lei n.º 99/2001 de 28 Março As escolas superiores de enfermagem e de tecnologia da saúde são estabelecimentos de ensino politécnico dotados de personalidade jurídica e de

Leia mais

A rede de Euro Info Centres E I C

A rede de Euro Info Centres E I C Facilitar o acesso à União Europeia A rede de Euro Info Centres E I C Uma chave para a EUROPA A Rede de Euro Info Centres 269 Euro Info Centres 26 Membros Associados 13 Euro Info Centres de correspondência

Leia mais

estatísticas rápidas dezembro 2013

estatísticas rápidas dezembro 2013 estatísticas rápidas dezembro 213 Nº 16 Índice A. Resumo B. As energias renováveis na produção de eletricidade 1. Energia e potência por fonte de energia 2. Energia e potência por distrito 3. Comparação

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2014, 2015, 2016 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2014, 2015, 2016 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR - GUIAS PROVAS DE INGRESSO ALTERAÇÕES PARA 2014, 2015, 2016 PÚBLICO PRIVADO COMISSÃO NACIONAL DE ACESSO AO ENSINO SUPERIOR DIREÇÃO-GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direção de Serviços

Leia mais

NECiFarm Núcleo de Estudantes de Ciências Farmacêuticas da Universidade do Algarve. Estágios Extracurriculares. NECiFarm REGULAMENTO

NECiFarm Núcleo de Estudantes de Ciências Farmacêuticas da Universidade do Algarve. Estágios Extracurriculares. NECiFarm REGULAMENTO Estágios Extracurriculares NECiFarm REGULAMENTO MANDATO 2013/2014 I. Sobre o NECiFarm A 19 de dezembro de 2007, na Universidade do Algarve (UAlg), foi fundado o (NECiFarm), uma Secção Autónoma da Associação

Leia mais

CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011

CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011 Colocados CONCURSO NACIONAL DE ACESSO E INGRESSO NO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO CONTINGENTE ESPECIAL PARA PORTADORES DE DEFICIÊNCIA FÍSICA OU SENSORIAL: 2007-2011 Etapa 1: colocação dos candidatos às vagas

Leia mais

WWW.PORTAL-ENERGIA.COM

WWW.PORTAL-ENERGIA.COM estatísticas rápidas Setembro/Outubro Nº 55/56 1/22 Índice A.Resumo B. As energias renováveis na produção de electricidade 1. Energia e potência por fonte de energia 2. Energia e potência por distrito

Leia mais

Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural

Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural Convento de Refoios Ponte de Lima 21 de Junho de 2003 Distribuição Espacial do TER (SIR) Unid: Euros Distritos Nº Projectos Investimento Total Incentivo Aveiro

Leia mais

A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais

A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais Maria Cristina Canavarro Teixeira Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior Agrária,

Leia mais

RELATÓRIO FRANCHISING

RELATÓRIO FRANCHISING RELATÓRIO FRANCHISING ESTUDO DO PERFIL E SATISFAÇÃO DO FRANCHISADO EM PORTUGAL JULHO 2013 Índice ENQUADRAMENTO... 3 METODOLOGIA (FICHA TÉCNICA)... 4 ANÁLISE DE RESULTADOS... 5 CARACTERIZAÇÃO DO FRANCHISADO...

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA

REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

SIADAP 3 AT Serviços Tributários. Procedimento de Reclamação - Linhas Orientadoras

SIADAP 3 AT Serviços Tributários. Procedimento de Reclamação - Linhas Orientadoras SIADAP 3 AT Serviços Tributários Procedimento de Reclamação - Linhas Orientadoras I - Reclamação - Artigo 51º da Portaria n.º 437-B/2009, de 24.04 A Reclamação deve ser apresentada terminada a fase de

Leia mais

Índice de estabelecimentos Ensino Superior Público - Universitário 6800 Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa

Índice de estabelecimentos Ensino Superior Público - Universitário 6800 Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa Índice de estabelecimentos Ensino Superior Público - Universitário 6800 Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa Universidade dos Açores 0110 Universidade dos Açores - Angra do Heroísmo

Leia mais

Ensino Superior Universitário e Politécnico (Público; Privado; Militar e Policial; Católica)

Ensino Superior Universitário e Politécnico (Público; Privado; Militar e Policial; Católica) Ensino Superior Universitário e Politécnico (Público; Privado; Militar e Policial; Católica) Ano letivo 2012/2013 Nota informativa: esta listagem está ordenada por nome do curso da outra Intituição de

Leia mais

Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 8.586 71,4% Sexo Homem 3.625

Perfil sociodemográfico Real delivery Painel IR % Total painelistas: 8.586 71,4% Sexo Homem 3.625 1 / 7 Panel B2B Portugal Características Tamanho painel (ISO): 32.637 Pessoas perfiladas (ISO): 12.277 Taxa de resposta estimada (ISO): 41% Atualizado: 15/12/2014 Tamanho (ISO): o número de participantes

Leia mais