A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências"

Transcrição

1 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona A Intervenção das Farmácias no Tratamento das Toxicodependências Relatório de 2008

2

3 Uma contribuição vital A intervenção das Farmácias nos Programas de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona é uma contribuição vital para o dia-a-dia do doente, já que lhe permite seguir o tratamento na sua área de residência ou actividade profissional, com benefício para a (re)integração social do indivíduo, enquanto membro da sociedade. Em 1998, o Serviço de Prevenção e Tratamento de Toxicodependência (SPTT), a Ordem dos Farmacêuticos (OF) e a Associação Nacional das Farmácias (ANF) assinaram um protocolo de colaboração com o objectivo de suportar o Programa de Administração de Metadona em Farmácias. Este Programa estendeu-se, em 2001, à administração da Naltrexona e, em 2004, à Buprenorfina. Através dos referidos protocolos, as Farmácias pelas suas características técnicas e profissionais e pela sua distribuição geográfica por todo o País, passaram a ser parceiros dos Centros de Atendimento ao Toxicodependente (CAT), permitindo-lhes construir uma rede mais alargada de distribuição e acompanhamento dos doentes. As Farmácias Portuguesas prestam não só um serviço de conveniência como de qualidade a estes doentes, sendo criada uma relação de confiança e simpatia com o Farmacêutico, tendo este último um papel importante e activo na vida destes doentes. A contribuição das Farmácias é reflectida no número de doentes integrados nos Programas. Desde 1998, já foram acompanhados nas Farmácias, 2176 doentes no âmbito do Programa de Metadona. João Cordeiro Presidente da Associação Nacional das Farmácias Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

4 4 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

5 Índice Introdução... 7 Programa Terapêutico de Administração de Metadona... 9 Evolução do Número de Farmácias / Doentes... 9 Número de Farmácias com Doentes em Seguimento, por Equipa de Tratamento Situação dos Doentes Distribuição por Sexo e por Idade Tempo de Permanência Total de Doentes em Seguimento nas Farmácias, por Ano Programa Terapêutico de Administração de Buprenorfina e Naltrexona Reuniões e Formações Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

6 6 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

7 Introdução O envolvimento dos farmacêuticos de oficina nos Programas de Substituição Terapêutica com Metadona surge em Junho de 1998, com a assinatura de um protocolo de colaboração entre o Serviço de Prevenção e Tratamento da Toxicodependência (SPTT), a Associação Nacional das Farmácias (ANF) e a Ordem dos farmacêuticos (OF). Em Junho de 2001 foi assinado o Protocolo no âmbito da Naltrexona e em Janeiro de 2004 alargou-se a colaboração, assinando-se um protocolo relativo à Buprenorfina. Em Janeiro de 2004 foram actualizados os protocolos de colaboração, integrando nos mesmos mais uma entidade, a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P. (Infarmed) com a função de garantir todo o enquadramento legal do Programa tendo, o Instituto da Droga e da Toxicodependência (IDT), antigo SPTT, dado continuidade ao projecto. As Farmácias pela sua distribuição geográfica e pelas características técnicas dos seus profissionais passaram a ser parceiras dos Centros de Respostas Integradas (CRI) e das Equipas de Tratamento (ET) antigos Centros de Atendimento ao Toxicodependente (CAT) na administração da Metadona, Naltrexona e Buprenorfina. A participação das Farmácias permite alargar a rede de distribuição de Metadona e acompanhamento dos doentes, funcionando sempre em articulação com as ET. A colaboração entre as Farmácias e as ET nestes programas é uma contribuição vital para o dia a dia do doente, já que lhe permite seguir o tratamento na sua área de residência ou actividade profissional. Desta forma, a integração social e a vida privada do doente vai ser facilitada, sendo um dos grandes objectivos destes programas. Estes programas nas Farmácias destinam-se a doentes já integrados em Programas Terapêuticos nas ET, sendo estes doentes seleccionados pelas mesmas. Os farmacêuticos convidados a integrar os programas, terão de assistir previamente a cursos de formação organizados pelo IDT, ANF e OF, sendo o conteúdo programático definido pelos técnicos das ET e gestor da ANF. Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona 7

8 8 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

9 Programa Terapêutico de Administração de Metadona (MTD) Evolução do número de farmácias / doentes Desde o início do programa até 31 de Dezembro de 2008 tinham integrado este programa 482 farmácias, 711 farmacêuticos e doentes. Das 482 farmácias, 203 seguiram doentes no ano de n.º total de farmácias integradas n.º total de farmácias com doentes n.º total de doentes Gráfico 1 Evolução do n.º de farmácias / doentes no programa À data de 31 de Dezembro de 2008 colaboraram com as farmácias 31 ET, mais 4 que no ano 2007, com a seguinte distribuição geográfica: Zona Norte ET Braga ET Gondomar ET Guimarães ET Ocidental Porto ET Oriental Porto ET Viana do Castelo ET Vila Nova de Gaia Zona Centro ET Aveiro ET Castelo Branco ET Covilhã ET Figueira da Foz ET Guarda ET Leiria ET Peniche Zona de Lisboa e Vale do Tejo ET Abrantes ET Almada ET Amadora ET Barreiro ET Loures ET Oeiras ET Parede ET Restelo ET Santarém ET Setúbal ET Taipas ET Torres Vedras ET Sintra ET Xabregas Zona Alentejo e Algarve ET Beja ET Litoral Alentejano ET Olhão Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona 9

10 Número de Farmácias com doentes em seguimento, por ET Tendo em conta a possibilidade de a mesma farmácia ter doentes em seguimento de diferentes ET, no gráfico seguinte, fazendo a análise por ET, o número total de farmácias para administração de metadona, à data de 31 de Dezembro de 2008, era N.º de Farmácias Santarém 15 Loures Viana do Castelo Almada Leiria Setúbal Gaia Abrante 9 9 Guimarães 9 Sintra 8 Oeiras Guarda 7 7 Peniche Barreiro Braga Olhão Oriental porto Parede Xabregas 4 Amadora 3 Figueira da Foz Gondomar Ocidental Porto Torres Vedras Beja Castelo Branco Covilhã Litoral Alentejo Restelo Taipas Gráfico 2 N.º de farmácias com doentes em seguimento sob toma observada, por ET Zona Norte Braga Gondomar Guimarães n.º de farmácias Ocidental Oriental Viana do Castelo n.º de doentes 10 Vila Nova de Gaia Gráfico 3 - N.º de farmácias e n.º de doentes activos por ET na zona norte 10 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

11 Castelo Branco Covilhã Zona Centro 21 Figueira da Foz n.º de farmácias 7 78 n.º de doentes Guarda Leiria Peniche Gráfico 4 - N.º de farmácias e n.º de doentes activos por ET na zona centro Zona de Lisboa e Vale do Tejo Abrantes Almada Amadora 6 Barreiro Loures 31 8 Oeiras Parede Restelo Santarém Setúbal 9 Sintra Xabregas n.º de farmácias n.º de doentes Gráfico 5 - N.º de farmácias e n.º de doentes activos por ET na zona de Lisboa e Vale do Tejo Zona Alentejo e Algarve Beja Litoral Alentejano Olhão n.º de farmácias n.º de doentes Gráfico 6 - N.º de farmácias e n.º de doentes activos por ET na zona Alentejo e Algarve Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona 11

12 Situação dos Doentes À data de 31 de Dezembro de 2008 estavam em Programa de Metadona nas Farmácias, 579 indivíduos, designados por activos (mais 108 doentes que na mesma data em 2007). Pode observar-se no gráfico 7 que indivíduos já não estavam integrados no programa nesta data Activo 104 Abandono 198 Alta 40 Comunidade Terapêutica Detido Hospitalizado 53 Morte Mudança de Local 28 Outras Terapêuticas 73 Suspenso 18 Outros Total Gráfico 7 - Situação dos doentes em programa A causa mais frequente de saída de doentes do programa (cerca de 48% em 2.154) é por mudança de local. A transferência para outros locais está relacionada, na maioria dos casos, com a actividade laboral dos doentes. É de salientar que, desde o início do programa até à data de 31 de Dezembro de 2008, 198 doentes tiveram alta, após cumprirem o esquema terapêutico de redução de doses. 12 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

13 Distribuição por Sexo e por Idade Desde o início do programa em 1998 até à data de 31 de Dezembro de 2008, dos doentes que integraram o mesmo, a maioria dos indivíduos (cerca de 77%) são do sexo masculino (1.665 em 2.176). 511; 23% 1665; 77% Feminino Masculino Gráfico 8 Divisão dos doentes por sexo Podemos verificar, através do gráfico, que é nas faixas etárias dos anos aos anos que se concentram a maioria dos doentes >46 Feminino Masculino Gráfico 9 Distribuição dos doentes por faixa etária e por sexo Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona 13

14 Tempo de Permanência No processo de recuperação dos doentes, existem diversas vertentes que necessitam de ser trabalhadas, pelo que o tempo de retenção em programa é importante, pois permite aos diversos profissionais envolvidos ter espaço necessário para trabalhar com os doentes. No ano de 2008, o tempo médio de permanência dos doentes activos foi de 22 meses a 3 meses 90 3 a 6 meses a 12 meses a 2 anos 92 2 a 3 anos 58 3 a 4 anos 23 4 a 5 anos 79 >5 anos Total Gráfico 10 - Tempo de permanência dos doentes em programa Total de Doentes em Seguimento nas Farmácias, por ano O n.º de doentes em seguimento nas farmácias (ou seja, com, pelo menos, uma toma na farmácia) em 2008 foi de N.º de doentes Gráfico 11 N.º de doentes em seguimento nas farmácias em Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

15 Programa Terapêutico de Administração de Buprenorfina (BPN) e Naltrexona (NTX) Desde o início do programa da Buprenorfina integraram este projecto 217 farmácias e 364 farmacêuticos, estando em programa 14 doentes, em 31 de Dezembro de Desde o início do programa da Naltrexona integraram este projecto 234 farmácias e 392 farmacêuticos, estando em programa 1 doente, em 31 de Dezembro de n.º de farmácias integradas n.º de farmacêuticos com formação Programa da Buprenorfina Programa da Naltrexona Gráfico 12 - N.º de farmácias e n.ºfarmacêuticos integrados nos programas terapêuticos de administração de BPN e NTX Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona 15

16 16 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

17 Reuniões e Formações Desde Maio de 2008 (data de início de funções da nova gestora) até 31 de Dezembro do mesmo ano foram realizadas 26 reuniões entre ET, Farmácias e Gestor da ANF, por forma a dinamizar a articulação entre as diferentes entidades e apoiar e acompanhar as farmácias que seguem doentes no âmbito destes programas. Estas reuniões são marcadas trimestralmente ou semestralmente de acordo com as necessidades das farmácias, ET e a zona onde estão inseridas. Nestas reuniões são discutidos vários pontos, tais como: Percurso dos doentes activos nas farmácias; Critérios de exigência do programa (se estão a ser cumpridos); Evolução do programa nas farmácias; Formação às farmácias já em programa e a novas farmácias; Casos práticos relevantes; Apresentação teórica de novos doentes; Outros assuntos importantes do momento. No dia 8 de Agosto de 2008 houve uma reunião entre João Goulão e José Pádua (IDT), Cristina Santos, Anabela Madeira e Isabel Jacinto (ANF), para dar conhecimento aos parceiros da nova gestora dos programas e também para definir estratégias para os mesmos. Durante o ano de 2008, a gestora visitou 3 farmácias que receberam doentes em tratamento com Metadona, uma vez que estas necessitavam de uma reciclagem de conhecimentos pois fizeram a formação em 2005 e nunca tinham tido doentes antes. No 2º Semestre de 2008 foram realizadas 6 formações resultantes de solicitações de várias ET e Farmácias. Nestas formações inscreveram-se, por vezes, mais do que um farmacêutico por farmácia. Cursos Dia Local Parceiro FC FP NF FCTP NFCT BPN/NTX (para farmácias que fizeram formação só para a MTD) 23/06/2008 Santarém CRI Ribatejo MTD/BPN/NTX 27/10/2008 Lisboa CRI Oeste MTD/BPN/NTX 03/11/2008 Lisboa CRI Penísula de Setúbal MTD/BPN/NTX 10/11/2008 Porto ET Braga e Gaia MTD/BPN/NTX 05/12/2008 Santarém CRI Ribatejo MTD/BPN/NTX 10/12/2008 Aveiro CRI Aveiro Totais Tabela 1 Formações realizadas em 2008 (FC - Farmácias que confirmaram presença; FP Farmácias que estiveram presentes; NF Novas Farmácias; FCTP Farmacêuticos que estiveram presentes; NFCT Novos Farmacêuticos) Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona 17

18 18 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona

19 Programas Terapêuticos de Administração de Metadona, Buprenorfina e Naltrexona 19

20 Rua Marechal Saldanha, Lisboa Telefone: Fax:

Centros de Recursos. Profissional de Vila Real TORRE DE MONCORVO. Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS APACI

Centros de Recursos. Profissional de Vila Real TORRE DE MONCORVO. Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS APACI DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Profissional de Vila Real VILA REAL TORRE DE MONCORVO A2000 ARDAD Centro de Emprego do Baixo Ave VILA NOVA DE FAMALICÃO ACIP SANTO TIRSO Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS

Leia mais

Projecto Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2009/2010

Projecto Nestum Rugby nas Escolas. Balanço 2009/2010 Projecto Nestum Rugby nas Escolas Balanço 2009/2010 No segundo ano (2009/2010) de implementação do projecto Nestum Rugby nas Escolas, projecto este que resulta da parceria entre a Federação Portuguesa

Leia mais

Programa Nacional de Erradicação da Poliomielite - Plano de Ação Pós-Eliminação

Programa Nacional de Erradicação da Poliomielite - Plano de Ação Pós-Eliminação MODELO 4 - Norte : Região Unidades Hospitalares (15) MÊS NORTE J F M A M J J A S O N D CH Nordeste, EPE CH Trás-os-Montes e Alto Douro, EPE CH Alto Ave, EPE CH Médio Ave, EPE CH Tâmega e Sousa, EPE CH

Leia mais

Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O

Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O Inquérito Diplomados Ciências Farmacêuticas 2011/2012 O E OBSERVATÓRIO DA EMPREGABILIDADE N O S E C T O R F A R M A C Ê U T I C O INQUÉRITO AOS DIPLOMADOS EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS 2011/2012 traçar o perfil

Leia mais

Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde

Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde 21 novembro 2013 INTRODUÇÃO A Direção-Geral da Saúde/Programa

Leia mais

Portugal Mapas e Números

Portugal Mapas e Números Plano Anual de Atividades 2011-12 Portugal Mapas e Números Código da atividade ogf3 Destinatários Toda a comunidade educativa da ESSM Intervenientes Responsáveis Prof. Augusto Cebola e Prof. Jorge Damásio

Leia mais

INATEL TURISMO PARA TODOS 267 A PREÇOS ECONÓMICOS

INATEL TURISMO PARA TODOS 267 A PREÇOS ECONÓMICOS www.inatel.pt FUNDAÇÃO INATEL TURISMO PARA TODOS PORTUGAL 2013 Desde 267 INCLUI: TRANSPORTE TERRESTRE + 5 NOITES ALOJAMENTO, REFEIÇÕES, PASSEIOS, ANIMAÇÃO E SEGURO. Descubra o que Portugal tem de melhor

Leia mais

IMPLEMENTAMOS PROJECTOS QUE ACRESCENTAM VALOR

IMPLEMENTAMOS PROJECTOS QUE ACRESCENTAM VALOR IMPLEMENTAMOS PROJECTOS QUE ACRESCENTAM VALOR Saúde do Produto para a Solução BIQ Consultores QUEM SOMOS E O QUE FAZEMOS 2011 Internacionalização 1998 Sistemas de Gestão e Organização 2010 Segurança dos

Leia mais

Mapa de Vagas IM - 2011 A - FE

Mapa de Vagas IM - 2011 A - FE Mapa de IM - 2011 A - FE Anatomia Patológica Centro Hospitalar de São João, EPE 2 Centro Hospitalar de Trás os Montes e Alto Douro, EPE Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE 1 1 Centro Hospitalar

Leia mais

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento

Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Título da comunicação: A Situação Profissional de Ex-Bolseiros de Doutoramento Evento: Local: Data: CONFERÊNCIA REGIONAL DE LISBOA E VALE DO TEJO Centro de Formação Profissional de Santarém 10 de Março

Leia mais

RELATÓRIO DO INQUÉRITO À HABITAÇÃO

RELATÓRIO DO INQUÉRITO À HABITAÇÃO RELATÓRIO DO INQUÉRITO À HABITAÇÃO Foram entregues 328 inquéritos dos quais foram validados 309. Os inquéritos validados possuem a seguinte distribuição: Famílias com menos de 5 anos 10 Famílias entre

Leia mais

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL ANEXO III RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL -- ÍNDICE ÍNDICE. OBJECTIVOS E ÂMBITO DO ESTUDO. METODOLOGIA. RESUMO. INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL. INOVAÇÃO NOS ÚLTIMOS 6 ANOS 6. APRENDIZAGEM

Leia mais

Direcção Regional do Norte

Direcção Regional do Norte BRAGANÇA Direcção Regional do Norte BRAGA Lojas Institucionais IPJ Lojas Parceiras Direcção Regional do Norte BRAGA GUIMARÃES Rua de Santa Margarida, n.º 6 4710-306 Braga Tel: 253 204 250 Fx: 253 204 259

Leia mais

" O Tratado de Lisboa" Sessões de Informação e Debate

 O Tratado de Lisboa Sessões de Informação e Debate ABRIL 2008 3ª 1 18h30 LVT Lisboa Lisboa Centro Jean Monnet Dr. Carlos Medeiros 4ª 2 5ª 3 18h30 LVT Lisboa Lisboa Centro Jean Monnet Dr. Carlos Medeiros 6ª 4 S 5 D 6 2ª 7 14h00 LVT Lisboa Lisboa Escola

Leia mais

Direcção Regional do Norte

Direcção Regional do Norte BRAGANÇA Direcção Regional do Norte BRAGA Lojas Institucionais IPDJ Lojas Parceiras Direcção Regional do Norte BRAGA GUIMARÃES Antiga Estação de Comboios Av. D. João IV Urgeses 4810-534 Guimarães Tel.

Leia mais

Organização Curricular em Educação Física

Organização Curricular em Educação Física Organização Curricular em Educação Física Análise dos dados relativos à Organização Curricular em Educação Física para o ano letivo 2012/2013. Estudo desenvolvido pelo Conselho Nacional de Associações

Leia mais

Lista de Associados. > Hospital do Montijo + Hospital Nossa Senhora do Rosário, EPE CENTRO HOSPITALAR DE ENTRE O DOURO E VOUGA, EPE

Lista de Associados. > Hospital do Montijo + Hospital Nossa Senhora do Rosário, EPE CENTRO HOSPITALAR DE ENTRE O DOURO E VOUGA, EPE ADMINISTRAÇÃO CENTRAL DO SISTEMA DE SAÚDE (ACSS) ARS DE LISBOA E VALE DO TEJO, IP ARS DO ALENTEJO, IP ARS DO ALGARVE, IP ARS DO CENTRO, IP ARS DO NORTE, IP CENTRO DE MEDICINA E REABILITAÇÃO DA REGIÃO CENTRO

Leia mais

Cursos de Aprendizagem Oferta de Formação do IEFP, IP 2013 (atualizada em 2013-03-15)

Cursos de Aprendizagem Oferta de Formação do IEFP, IP 2013 (atualizada em 2013-03-15) Cursos de Aprendizagem Oferta de Formação do IEFP, IP 201 (atualizada em 201-0-15) Guarda 0 21 - Audiovisuais e Produção dos Media Técnico/a de Desenho Gráfico Guarda 2-Set-1 Médio Tejo 2 21 - Audiovisuais

Leia mais

CABELOS O primeiro franshi extensões em Portu PESTANAS UNHAS

CABELOS O primeiro franshi extensões em Portu PESTANAS UNHAS APRESENTAÇÃO O FSTudio é uma marca Portuguesa, que atua à mais de 10 anos no mercado, sendo especializada em desenvolvimento e comercialização de serviços e produtos de beleza. A sua aposta é na inovação

Leia mais

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001)

REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE. (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião Ordinária de Câmara Municipal, realizada em 21 de Novembro de 2001) REGULAMENTO DO CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE (Aprovado na 23ª Reunião

Leia mais

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006

Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Inquérito público aos Brasileiros residentes em Portugal 25 de Maio de 2006 Metodologia Dimensão da amostra Datas das entrevistas Margem de erro Idioma das entrevistas 1,000 Brasileiros adultos 23 Novembro

Leia mais

27 de Janeiro de 2006. - A Secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Carmen Madalena da Costa Gomes e Cunha Pignatelli.

27 de Janeiro de 2006. - A Secretária de Estado Adjunta e da Saúde, Carmen Madalena da Costa Gomes e Cunha Pignatelli. Despacho n.º 3845/2006 (2.ª série). - O Decreto-Lei n.º 112/98, de 24 de Abril, na alínea b) do n.º 1 do artigo 9.º, prevê a prorrogação do contrato administrativo de provimento dos internos que à data

Leia mais

Anexo I EDITAL FINANCIAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO QUE MINISTRAM CURSOS DO ENSINO ARTÍSTICO ESPECIALIZADO DA MÚSICA

Anexo I EDITAL FINANCIAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO QUE MINISTRAM CURSOS DO ENSINO ARTÍSTICO ESPECIALIZADO DA MÚSICA Anexo I EDITAL FINANCIAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DO ENSINO PARTICULAR E COOPERATIVO QUE MINISTRAM CURSOS DO ENSINO ARTÍSTICO ESPECIALIZADO DA MÚSICA Abertura ao regime de acesso ao apoio financeiro a

Leia mais

Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios)

Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios) Programa Nacional de Luta Contra a Tuberculose Ponto da Situação Epidemiológica e de Desempenho (dados provisórios) Dia Mundial da Tuberculose 24 de março de 2013 Índice Introdução... 3 Metodologia...

Leia mais

LISTAS DAS ESCOLAS PROFISSIONAIS PÚBLICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

LISTAS DAS ESCOLAS PROFISSIONAIS PÚBLICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO LISTAS DAS ESCOLAS PROFISSIONAIS PÚBLICAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO DREN: Escola Profissional de Fermil Celorico de Basto Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Carvalhais /Mirandela

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO,

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO, IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ / CONCELHO, para efeitos de ordenação, por ordem, decrescente das preferências dos candidatos abrangidos pelo Decreto-Lei n.º 29/2001, ou seja, com incapacidade

Leia mais

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários Título da Apresentação Publicação Periódica Dados Editoriais sobre o Número de Utentes Inscritos nos Dados Editoriais Dados Cuidados Editoriais de Saúde Primários 16 de fevereiro de 2015 Nota introdutória

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA

PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA S. R. PROCURADORIA-GERAL DA REPÚBLICA CONSELHO SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO MOVIMENTO DE MAGISTRADOS DE 12 DE JULHO DE 2000 BREVES NOTAS JUSTIFICATIVAS 1. As promoções a Procurador-Geral Adjunto ocorrem

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM 2009 - A Formação Específica. ANATOMIA PATOLÓGICA Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E.

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM 2009 - A Formação Específica. ANATOMIA PATOLÓGICA Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E. Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E. Hospital Central de Faro - E.P.E. Instituto Português Oncologia de Lisboa Hospital Central do Funchal Hospital Central do Funchal Preferencial Hospital Curry

Leia mais

Itinerários Complementares

Itinerários Complementares Itinerários Complementares Viana do Castelo IC28 Bragança IC14 Braga Trofa Vila do Conde Santo Tirso Paços de Ferreira IC25 Matosinhos IC1 IC23 IC2 Espinho Paredes Valongo Porto IC24 Gondomar IC29 Porto

Leia mais

Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO

Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO Grupo de Trabalho para as Questões da Pessoa Idosa, Dependente ou Deficiente de Grândola REGULAMENTO INTERNO Maio de 2011 Preâmbulo As alterações demográficas que se têm verificado na população portuguesa

Leia mais

PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS

PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS PUBLIC SERVICE BUREAUS OF THE IMMIGRATION AND BORDERS SERVICE [SEF] TO PROCESS THE PAPERWORK OF FOREIGN CITIZENS SEF - North Address Available from: CNAI do Porto Rua do Pinheiro, n.º 9 4050-484 Porto

Leia mais

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças >>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico as nossas cidades retratadas por crianças ----------------------------------------------------------- departamento de promoção da arquitectura educação pela arquitectura

Leia mais

Cardiologia Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardíaca Cirurgia Geral 1 Cirurgia Maxilofacial Cirurgia Pediátrica

Cardiologia Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardíaca Cirurgia Geral 1 Cirurgia Maxilofacial Cirurgia Pediátrica Anatomia Patológica Anestesiologia Angiologia e Cirurgia Cardiologia Cardiologia Pediátrica Cirurgia Cardíaca Cirurgia Geral Cirurgia Maxilofacial Cirurgia Pediátrica Cir. Plástica Cirurgia Torácica Dermatovenereologia

Leia mais

Pediatria Médica. Junho de 2005 Colégio de Pediatria pg 1 de 10

Pediatria Médica. Junho de 2005 Colégio de Pediatria pg 1 de 10 Pediatria Médica Idoneidade e de Serviços, para os s do Internato Complementar de Pediatria no ano 2006, atribuídas pela Direcção do Colégio de Especialidade de Pediatria Junho de 2005 Colégio de Pediatria

Leia mais

- Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais -

- Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais - - Avaliação da Cultura de Segurança do Doente em Hospitais - A segurança do doente é uma preocupação crescente nos Hospitais Portugueses, tal como acontece noutros países da Europa e do resto do mundo.

Leia mais

ANEXO III ENTIDADES COM AS QUAIS A ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE LISBOA TEM PROTOCOLOS DE FORMAÇÃO ENTIDADES HOSPITALARES

ANEXO III ENTIDADES COM AS QUAIS A ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE LISBOA TEM PROTOCOLOS DE FORMAÇÃO ENTIDADES HOSPITALARES ENTIDADES COM AS QUAIS A ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE LISBOA TEM PROTOCOLOS DE FORMAÇÃO ENTIDADES HOSPITALARES Centro Hospitalar de Lisboa Central EPE Centro Hospitalar de Lisboa Norte EPE Centro Hospitalar

Leia mais

ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA

ELEIÇÃO DA ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA Círculo eleitoral dos Açores Aliança Açores Partido Social Democrata Partido Democrático do Atlântico CDS-PP. PPD/D PDA Círculo eleitoral de Aveiro Partido Cidadania e Democracia Cristã PPV/CDC PPD/D.

Leia mais

Relatório de Integração 11/2013 VMER & SIV. Despacho n.º 14898/2011, de 3 de novembro

Relatório de Integração 11/2013 VMER & SIV. Despacho n.º 14898/2011, de 3 de novembro 11/2013 Despacho n.º 14898/2011, de 3 de novembro Ponto 7: O INEM, I. P., apresentar um relatório anual ao membro do Governo responsável pela área da saúde que permita a análise interna e a melhoria contínua

Leia mais

VARICELA OU HERPES ZOSTER EM CRIANÇAS INTERNADAS

VARICELA OU HERPES ZOSTER EM CRIANÇAS INTERNADAS VARICELA OU HERPES ZOSTER EM CRIANÇAS INTERNADAS Ana Leça - HDE Maria João Branco - ONSA / INSA Maria João Brito - HFF / HDE Catarina Gouveia HDE João Farela Neves - HDE Baltazar Nunes - ONSA / INSA Introdução

Leia mais

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL

Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL INQUÉRITO AO CRÉDITO Fevereiro 2009 ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Introdução O Inquérito ao Crédito Fevereiro 2009, realizado pela AIP-CE, teve como base uma amostra constituída

Leia mais

O ranking elaborado pela Renascença tem por base dados divulgados pelo Ministério da Educação e tratados pelo jornal Público.

O ranking elaborado pela Renascença tem por base dados divulgados pelo Ministério da Educação e tratados pelo jornal Público. O ranking elaborado pela Renascença tem por base dados divulgados pelo Ministério da Educação e tratados pelo jornal Público. Para o ensino básico foram tidos em conta as escolas com mais de 100 provas

Leia mais

COMPETIÇÕES DESPORTIVAS 1984 / 1985 / 1986

COMPETIÇÕES DESPORTIVAS 1984 / 1985 / 1986 1984 / 1985 / 1986 2 a 6 de Julh de 1986 LOCAL LISBOA Andeb l Atletis m Futeb l de 5 (Mar) (Ri) Ténis de ALMADA 4º 3º 5º Vleib l ALMEIRIM AMIAL 6º 1º 4º BARREIRO 4º 5º 6º 1º 6º BEJA 8º 4º CABRIL 6º 5º

Leia mais

Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015

Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015 23.11.2015 Mapa de Vagas para ingresso em área de especialização - Concurso IM 2015 Anatomia Patológica Centro Hospitalar de São João, EPE 2 Instituto Português de Oncologia do Porto Francisco Gentil,

Leia mais

CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO entre o SEP ( Sindicato dos Enfermeiros Portugueses) e a APHP ( Associação Portuguesa de Hospitalização Privada)

CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO entre o SEP ( Sindicato dos Enfermeiros Portugueses) e a APHP ( Associação Portuguesa de Hospitalização Privada) CONTRATO COLECTIVO DE TRABALHO entre o SEP ( Sindicato dos Enfermeiros Portugueses) e a APHP ( Associação Portuguesa de Hospitalização Privada) No dia 8 de Janeiro de 2010, foi finalmente publicado o Contrato

Leia mais

Instituição da R.A. dos Açores Curso Superior. Instituição de Ensino Superior Curso Superior Congénere. 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada

Instituição da R.A. dos Açores Curso Superior. Instituição de Ensino Superior Curso Superior Congénere. 0130 Universidade dos Açores - Ponta Delgada 0201 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais 9219 Psicologia 9219 Psicologia 0203 0203 0203 0204 0204 0204 0300 0300 0300 0300 0300 0300 0300 0300 Universidade do Algarve - Faculdade

Leia mais

Parceria 5àsec - La Redoute 1 de Janeiro a 28 de Fevereiro 2015

Parceria 5àsec - La Redoute 1 de Janeiro a 28 de Fevereiro 2015 Parceria 5àsec - La Redoute 1 de Janeiro a 28 de Fevereiro 2015 Nome Loja Cidade Distrito ÁGUEDA PINGO DOCE ÁGUEDA Distrito Aveiro ALBERGARIA-A-VELHA RUA ALBERGARIA A VELHA Distrito Aveiro AVEIRO GLICÍNIAS

Leia mais

Direcção de Assistência Empresarial

Direcção de Assistência Empresarial Direcção de Assistência Empresarial Lisboa, 11 de Agosto de 2011 Missão das lojas da exportação Prestar apoio às empresas nas suas estratégias de exportação, facilitando e simplificando o acesso informação,

Leia mais

Lig@dos para um ensino melhor

Lig@dos para um ensino melhor Conhecer e partilhar para inovar na Educação Alexandre Martins Lima alima@anpri.pt Ana Paula Jacinto Ferreira apjferreira@anpri.pt Associação Nacional de Professores de Informática Associação Nacional

Leia mais

ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008

ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008 LINHA DE CRÉDITO PARA ESTUDANTES DO ENSINO SUPERIOR COM GARANTIA MÚTUA ACTIVIDADE ACUMULADA ATÉ ABRIL DE 2008 Comissão de Acompanhamento 29 de Maio de 2008 Introdução, e principais conclusões Este documento

Leia mais

CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. no Ensino Superior

CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA. no Ensino Superior CET CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO TECNOLÓGICA no Ensino Superior CET Cursos de Especialização Tecnológica no Ensino Superior Setembro 2011 DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR Direcção de Serviços de Suporte à

Leia mais

http://www.metronews.com.pt/2010/10/11/fernando-cabrita-vence-premio-internacio...

http://www.metronews.com.pt/2010/10/11/fernando-cabrita-vence-premio-internacio... Page 1 of 5 Esta opção irá voltar ao original a home e restaurar todos os widgets e categorias fechados. Reiniciar 13 de Outubro de 2010 Ficha técnica Política de Privacidade RSS feed Home Temas Aveiro

Leia mais

A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais

A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais A Rede de Ensino Superior em Portugal e a sua cobertura geográfica com critérios de distância e temporais Maria Cristina Canavarro Teixeira Instituto Politécnico de Castelo Branco Escola Superior Agrária,

Leia mais

Valores #N/D de Avaliação Bancária. Dezembro - 2015

Valores #N/D de Avaliação Bancária. Dezembro - 2015 Valores #N/D de Avaliação Bancária Dezembro - 2015 Valores Mensais de Avaliação Bancária: Quadro Resumo Portugal Norte Centro Alentejo Algarve Açores Madeira Valor Médio (VM) 1.043/m² 916/m² 856/m² 1.267/m²

Leia mais

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS Em vigor a partir de 21 de Agosto de 2015 1. PRIMEIRAS PAGAIADAS 1.1. Objetivos O quadro competitivo promovido

Leia mais

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens 1 Abrantes Santarém 2 Águeda Aveiro 3 Albufeira Faro 4 Alcanena Santarém 5 Alcobaça Leiria 6 Alcoutim Faro 7 Alenquer Lisboa 8 Alfândega da Fé Bragança 9 Aljustrel Beja 10 Almada Setúbal 11 Almodôvar Beja

Leia mais

Concordância Geográfica de Riscos Extremos de Morte e de Internamento Hospitalar em Portugal Continental (2000-2004)

Concordância Geográfica de Riscos Extremos de Morte e de Internamento Hospitalar em Portugal Continental (2000-2004) Concordância Geográfica de Riscos Extremos de Morte e de Internamento Hospitalar em Portugal Continental (2000-2004) http:// www.insa.pt Concordância Geográfica de Riscos Extremos de Morte e de Internamento

Leia mais

A nossa empresa 8.290 COLABORADORES 1448,8 + 0,5% a empresa OS ReconhecimentOs Os nossos marcos

A nossa empresa 8.290 COLABORADORES 1448,8 + 0,5% a empresa OS ReconhecimentOs Os nossos marcos 1234567 A nossa empresa a empresa OS ReconhecimentOs Os nossos marcos 8.290 COLABORADORES 1448,8 milhões de em volume de negócios + 0,5% DE CLIENTES 8 Relatório de Sustentabilidade 2012 Auchan Portugal

Leia mais

Resultado do Processo de candidatura a apoio financeiro 2015/2016 a conceder no âmbito do Contrato de Patrocínio Lista Provisória Área da Música

Resultado do Processo de candidatura a apoio financeiro 2015/2016 a conceder no âmbito do Contrato de Patrocínio Lista Provisória Área da Música com AMVP - Academia de Música de Vilar do Paraíso 89,5 44 86 0 287 1 8 0 14 1.857.320,00 b) Cávado Escola de Música de Esposende Academia de Música de Espinho Conservatório Regional de Gaia Conservatório

Leia mais

Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: 8200-127. Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal: 2460-071

Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: 8200-127. Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal: 2460-071 Albufeira Loja de Albufeira Urbanização da Bela Vista, nº 12 A, Cód. Postal: 8200-127 Alcobaça Agente ACORDO - COMÉRCIO DE EQUIPA Av. Joaquim Vieira Natividade, nº 13 A, Cód. Postal: 2460-071 Seg. a Sex.

Leia mais

Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004

Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004 Caracterização dos doentes toxicodependentes observados pela equipa de Psiquiatria de Ligação - análise comparativa dos anos de 1997 e 2004 Joana Alexandre *, Alice Luís ** Resumo Analisaram-se as características

Leia mais

RNAE. As Agências de Energia e o Futuro do Sector Energético. Cidades Sustentáveis. Luis Fernandes. Região Sul. Lisboa, 03 de Fevereiro de 2012

RNAE. As Agências de Energia e o Futuro do Sector Energético. Cidades Sustentáveis. Luis Fernandes. Região Sul. Lisboa, 03 de Fevereiro de 2012 Região Sul RNAE As Agências de Energia e o Futuro do Sector Energético Cidades Sustentáveis Lisboa, 03 de Fevereiro de 2012 Luis Fernandes rnae.portugal@gmail.com Principais desafios Mudança de paradigma

Leia mais

Novo cluster para a mobilidade congrega 50 a 60 entidades

Novo cluster para a mobilidade congrega 50 a 60 entidades A1 Tiragem: 55364 Pág: 11 Área: 29,32 x 33,18 cm² Corte: 1 de 5 Novo cluster para a mobilidade congrega 50 a 60 entidades O plano nacional de apoio à introdução do carro eléctrico envolve empresas, institutos

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto. Orquestra Geração

Ficha de Caracterização de Projecto. Orquestra Geração Ficha de Caracterização de Projecto Orquestra Geração 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto(s) Orquestras Sinfónicas Juvenis - Orquestra Geração Sigla Orquestra Geração Morada Rua dos Caetanos

Leia mais

9020 Ciência Política e Relações Internacionais

9020 Ciência Política e Relações Internacionais 0201 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências Humanas e Sociais 9219 Psicologia 9219 Psicologia 0203 Universidade do Algarve - Faculdade de Ciências e Tecnologia 0110 Universidade dos Açores - Angra

Leia mais

Resultados de Inquérito de Satisfação

Resultados de Inquérito de Satisfação Flaviense na Ilha da Madeira. Joao Feijao, Lisboa Ricardo Domingues. Matosinhos Elementar Vector unip. Lda, Matosinhos José Velosa, Madeira JPM - Cabanas - Palmela Pedro Oliveira, sintra Marisa, Moita

Leia mais

Alexandra Serra Membro do Conselho de Administração da PPA

Alexandra Serra Membro do Conselho de Administração da PPA Alexandra Serra Membro do Conselho de Administração da PPA Hoje, divulgamos a P3LP Em Maio deste ano, no Porto, lançámos a ideia Hoje, divulgamos a P3LP Em 2014, a PPA entra oficialmente na rede GWOPA

Leia mais

Anexo C. Estabelecimentos de Ensino Superior. Índice

Anexo C. Estabelecimentos de Ensino Superior. Índice Anexo C Estabelecimentos de Ensino Superior Índice Anexo C1 - Estabelecimentos de Ensino Superior: Situação em 1980...c.2 Anexo C2 - Estabelecimentos de Ensino Superior: Situação em 1990...c.4 Anexo C3

Leia mais

Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal

Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal Caracterização das práticas contraceptivas das mulheres em Portugal Apresentação de resultados do estudo Porto, 8 de Março de 2005 Objectivos Objectivo principal O objectivo principal deste estudo é a

Leia mais

LOCALIDADE EMPRESA MORADA CONTACTOS. Rua da Cidade de Parthenay Bloco G - Loja 4 2200-235 Abrantes. Praceta Raúl Proença, 13-A 2725-116 Algueirão

LOCALIDADE EMPRESA MORADA CONTACTOS. Rua da Cidade de Parthenay Bloco G - Loja 4 2200-235 Abrantes. Praceta Raúl Proença, 13-A 2725-116 Algueirão LOCALIDADE EMPRESA MORADA CONTACTOS ABRANTES ALGUEIRÂO ALJUSTREL ALMADA ALVERCA ANGRA DO HEROÍSMO AVEIRO BARCELOS BARREIRO AGOSTINHO J.G. FIGUEIRAS PEDRO GEIRINHAS UNIPESSOAL, LDA ELECTRO CRUZ DIMATECNICA,LDA

Leia mais

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras

Serviço de Estrangeiros e Fronteiras SEDE Serviço de Estrangeiros e Fronteiras Rua Conselheiro José Silvestre Ribeiro, 4 1649-007 LISBOA Telefone: 21 7115000 Fax: 21 7161595 Direcções e Delegações Regionais DIRECÇÃO REGIONAL DO CENTRO Director

Leia mais

PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO PARA 2014

PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO PARA 2014 PLANO DE ATIVIDADES E ORÇAMENTO PARA 2014 O ano de 2014 inicia um novo ciclo de trabalho marcado por um novo mandato autárquico que trouxe uma renovação, essencialmente, no grupo de políticos que representam

Leia mais

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS 1 ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ 2 ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM 3 AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO 4 ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS

Leia mais

Information on the videoconferencing equipment in the courts of Portugal

Information on the videoconferencing equipment in the courts of Portugal Information on the videoconferencing equipment in the courts Portugal No Court name & city Equipment type and make 1 Abrantes Tribunal Judicial 3 2 Abrantes Tribunal do Trabalho 1 3 Águeda Juízo de Instrução

Leia mais

Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001

Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001 26 de Setembro de 2003 Movimentos Pendulares e Organização do Território Metropolitano: Área Metropolitana de Lisboa e Área Metropolitana do Porto, 1991-2001 PORTUGAL A análise dos movimentos pendulares

Leia mais

Acordo de Parceria. Plano Estratégico Concelhio de Prevenção das Toxicodependências (PECPT)

Acordo de Parceria. Plano Estratégico Concelhio de Prevenção das Toxicodependências (PECPT) Acordo de Parceria Plano Estratégico Concelhio de Prevenção das Toxicodependências (PECPT) 1. O presente Acordo pretende formalizar a parceria a estabelecer entre a Câmara Municipal de Odivelas, através

Leia mais

CURRICULUM VITAE. Miguel Frederico Maia de Vasconcelos Luz. Março 2009. Curriculum Vitae de Miguel Luz 1

CURRICULUM VITAE. Miguel Frederico Maia de Vasconcelos Luz. Março 2009. Curriculum Vitae de Miguel Luz 1 CURRICULUM VITAE Miguel Frederico Maia de Vasconcelos Luz Março 2009 Curriculum Vitae de Miguel Luz 1 DADOS PESSOAIS Nome Miguel Frederico Maia de Vasconcelos Luz Data de Nascimento 16 de Dezembro de 1971

Leia mais

EXPLICOLÂNDIA Centros de Estudo

EXPLICOLÂNDIA Centros de Estudo 33333330 EXPLICOLÂNDIA Centros de Estudo DE EDUCAÇÃO www.explicolandia.com PÁG: 2 / 19 A MARCA Introdução Criada em Setembro de 2005 em Sacavém, a Explicolândia Centros de Estudo tem sido ao longo dos

Leia mais

Helena Pinto [PROPOSTA VALORHOSPITAL] Proposta para o Procedimento Nº 25/CCLIN/SRLF/2012

Helena Pinto [PROPOSTA VALORHOSPITAL] Proposta para o Procedimento Nº 25/CCLIN/SRLF/2012 2011 Helena Pinto [PROPOSTA VALORHOSPITAL] Proposta para o Procedimento Nº 25/CCLIN/SRLF/2012 Para: GNR Centro Clínico De: Helena Pinto CC: Centro Clínico Data: 08.12.2011 email cari.cc.srf@gnr.pt Tel:

Leia mais

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR

CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR ACESSO AO ENSINO SUPERIOR GUIAS DO ENSINO SUPERIOR CANDIDATURA AO ENSINO SUPERIOR PÚBLICO 2011 SUPLEMENTO N.º 1 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES CURSOS CONGÉNERES DIRECÇÃO GERAL DO ENSINO SUPERIOR JULHO DE 2011

Leia mais

Relatório de Integração VMER & SIV 11/2012

Relatório de Integração VMER & SIV 11/2012 11/2012 Despacho n.º 14898/2011, de d 3 de novembro Pontoo 7: O INEM,, I. P., apresentar um relatório anual ao membro do Governo responsável pela área da saúde que permita a análise interna e a melhoria

Leia mais

RANKING 2009 Secundário - Disciplinas

RANKING 2009 Secundário - Disciplinas RANKING 2009 Secundário - Disciplinas 992_2009_Média_Portugues_A_em_c RANKING DAS ESCOLAS NO EXAME NACIONAL DE PORTUGUÊS A DO ENSINO SECUNDÁRIO 1 Conservatório de Música de Calouste Gulbenkian - Braga

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM 2014 - A Formação Específica

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM 2014 - A Formação Específica ANATOMIA PATOLOGICA Centro Hospitalar Barreiro Montijo, ANATOMIA PATOLOGICA Centro Hospitalar de Lisboa Norte, ANATOMIA PATOLOGICA ANATOMIA PATOLOGICA Centro Hospitalar Lisboa Central, ANATOMIA PATOLOGICA

Leia mais

< 5 4,28 5,57 5,86 6,41 20,48 5 a 10 4,65 6,05 6,14 6,98 28,79

< 5 4,28 5,57 5,86 6,41 20,48 5 a 10 4,65 6,05 6,14 6,98 28,79 Serviço Standard Serviço Especial Peso (Kg) 1 2 3 4 5 Entrega até às 18:00H GRUPOL10H GRUPOL13H GRUPOLSAB GRUPOLMA Entrega até às 10:00H do dia seguinte Entrega até às 13:00H do dia seguinte Entrega ao

Leia mais

AUDITORIA EXTERNA Onde estamos e para onde vamos. Amélia Gracias

AUDITORIA EXTERNA Onde estamos e para onde vamos. Amélia Gracias AUDITORIA EXTERNA Onde estamos e para onde vamos Amélia Gracias CICLO Formação Auditoria Externa Adesão Protocolo Triagem Auditoria Interna Onde estamos e para onde vamos 2005 2 Auditorias 2015 16 Auditorias

Leia mais

Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro

Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro Artigo 18.º - Obrigações dos operadores económicos - Informação aos consumidores sobre as entidades de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo SOU UMA EMPRESA OU

Leia mais

Norte. Aveiro. Braga. Porto. Viana do Castelo

Norte. Aveiro. Braga. Porto. Viana do Castelo Norte Santa Maria da Feira Escola Secundária de Santa Maria da Feira Agrupamento de Escolas Doutor Ferreira de Almeida, Santa Maria da Feira Vale de Cambra Agrupamento de Escolas das Dairas, Vale de Cambra

Leia mais

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa INOVAÇÃO e I&DT Lisboa Prioridades, Impactos, Próximo Quadro MIGUEL CRUZ Aumentar a capacidade competitiva no mercado internacional Reforçar as competências estratégicas Apoiar as PME no reforço das suas

Leia mais

Violência Doméstica e Educação Análise do Envolvimento Parental na Escola em Mulheres Vítimas de Violência Conjugal

Violência Doméstica e Educação Análise do Envolvimento Parental na Escola em Mulheres Vítimas de Violência Conjugal Tema: Vítimas com Necessidades Específicas Violência Doméstica e Educação Análise do Envolvimento Parental na Escola em Mulheres Vítimas de Violência Conjugal Investigador: Miguel Rodrigues miguel.ol.rodrigues@hotmail.com

Leia mais

o ExERCITO PORTUGUES E A

o ExERCITO PORTUGUES E A PROTOCOLO ENTRE SERHOGARSYSTEM. o ExERCITO PORTUGUES E A 1. Preambulo A celebracao do presente protocolo tern como objectivo assegurar aos militares e civis que prestam servico no Exercito Portugues, e

Leia mais

Escolas Profissionais

Escolas Profissionais Escolas Profissionais Escola Profissional Localidade Distrito Telefone Fax Email URL Escola Profissional de Alvito* Alvito Beja 284480060 284480069 secretaria@novalvito.pt www.epalvito.com EPRALIMA - Escola

Leia mais

CAPA: 835073 Blusão 838880 Camisa 828790 Calções de banho 865264 Saco 882623 Pulseira

CAPA: 835073 Blusão 838880 Camisa 828790 Calções de banho 865264 Saco 882623 Pulseira SPRING SUMMER 2014 CAPA: 835073 Blusão 838880 Camisa 828790 Calções de banho 865264 Saco 882623 Pulseira 821515 Macaco 882620 Pulseiras 882619 Pulseiras 882622 Pulseira 867627 Sandálias 860009 Saco 838909

Leia mais

CONTACTOS ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA EQUIPA PARLAMENTO DOS JOVENS. Marlene Viegas Freire Coordenadora. Maria Cecília Themudo Barata Assessora

CONTACTOS ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA EQUIPA PARLAMENTO DOS JOVENS. Marlene Viegas Freire Coordenadora. Maria Cecília Themudo Barata Assessora CONTACTOS ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA EQUIPA PARLAMENTO DOS JOVENS Marlene Viegas Freire Coordenadora Maria Cecília Themudo Barata Assessora Paula Faria Assessora Maria Manuela Matos Técnica de Apoio Parlamentar

Leia mais

Assunto: Ciclo de Formação Contratual Complementar SIFARMA 1º Semestre 2011

Assunto: Ciclo de Formação Contratual Complementar SIFARMA 1º Semestre 2011 SINTRA, 31 de Janeiro de 2011 Assunto: Ciclo de Formação Contratual Complementar SIFARMA 1º Semestre 2011 Exmos. Srs. Ao abrigo da cláusula 13ª do contrato de assistência técnica, vimos por este meio sugerir-lhe

Leia mais

Maria Júlia Ladeira 26 de Maio 2007

Maria Júlia Ladeira 26 de Maio 2007 Jornadas dos Administrativos da Saúde A estratégia té do IGIF para as TI na Saúde Maria Júlia Ladeira 26 de Maio 2007 A estratégia do IGIF para as TI na Saúde Programa de Transformação dos SI da Saúde

Leia mais

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas PQS GLOBAIS Anacom Objetivo SU Ano1 SU PQS 1 PQS 1 (a) PQS1. Prazo de fornecimento da ligação inicial (a) Demora no fornecimento das ligações, quando o cliente não define uma data objetivo (dias) PQS 1

Leia mais

CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO DE EDUCAÇÃO OFERTA FORMATIVA - CICLO DE FORMAÇÃO 2006-2009 ENSINO PRIVADO

CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO DE EDUCAÇÃO OFERTA FORMATIVA - CICLO DE FORMAÇÃO 2006-2009 ENSINO PRIVADO CURSOS PROFISSIONAIS DE NÍVEL SECUNDÁRIO DE EDUCAÇÃO OFERTA FORMATIVA - CICLO DE FORMAÇÃO 2006-2009 ENSINO PRIVADO Distrito Concelho Designação da Entidade Formadora Designação do Curso Leiria Caldas da

Leia mais

CAPACIDADE INSTALADA NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO

CAPACIDADE INSTALADA NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO CAPACIDADE INSTALADA NA REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO NÍVEL 1 NÍVEL 2 NÍVEL 3 CRICAD ARSLVT CRICAD ARSLVT HOSPITAIS DA ÁREA DE INFLUÊNCIA DA ARSLVT LISBOA NORTE (215 157) Freguesias do Concelho de Lisboa:

Leia mais

IPBeja - Cursos de Especialização Tecnológica que dão acesso ao curso de Engenharia Informática

IPBeja - Cursos de Especialização Tecnológica que dão acesso ao curso de Engenharia Informática IPBeja - s de Especialização Tecnológica que dão acesso ao de Engenharia Informática Área Barcelos ACIB - Associação Comercial e Industrial de Barcelos Aplicações Informáticas de Gestão AFTEBI - Associação

Leia mais