TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM)"

Transcrição

1 COMPETIÇÕES NACIONAIS TORNEIO NACIONAL DE SUB-14 (MASC. E FEM) Modelo Competitivo -Proposta de Alteração- Elaborado por: Directores Técnicos das Associações de Basquetebol de VIANA DO CASTELO, BRAGA, PORTO, AVEIRO, COIMBRA E LEIRIA Revisto em 02/07/2008

2 INTROD NTRODUÇÃO A presente proposta resultou de uma preocupação há muito existente pela maioria das Associações, no que concerne à necessidade de reformulação das provas nacionais dos escalões de formação. Consciente de que a mudança deverá ser realizada de forma pensada e consistente, consideramos também que não há modelos competitivos perfeitos. Assim a nossa proposta pretende ser um contributo para um novo conceito de prova nacional. A escolha do escalão de Sub-14 pretende dar coerência e continuidade ao forte incremento e desenvolvimento do Minibasquete. Há mais praticantes nos escalões de Minibasquete pelo que existe uma responsabilidade colectiva de criarmos um ambiente propício para os fidelizarmos. Esta proposta é um dos muitos contributos possíveis para esse fim. Consideramos igualmente, que a reformulação das provas nacionais não deverá ficar por aqui, sendo possível que este modelo possa ser extensível ao escalão de Sub-16. Contudo é importante que se dêem passos seguros e que possa haver uma avaliação global sobre o impacto desta iniciativa, a nível nacional. Por último importa esclarecer que a actual proposta abrange o sector masculino e feminino. AB Viana Castelo; AB Braga; AB Porto; AB Aveiro; AB Coimbra; AB Leiria; 1

3 PRINCÍPIOS GERAIS DA PROPOSTA DE ALTERAÇÃO - TORNEIO NACIONAL DE SUB 14 MASCULINOS E FEMININOS UB-14 Possibilita o acesso ao Torneio Nacional de um maior número de equipas (34 equipas: 18 a NORTE e 16 a SUL); Possibilita uma maior participação dos clubes representantes das Associações de menor implantação; Prevê a existência de um momento inicial de qualificação onde todas as Associações (de acordo com a sua representatividade a nível nacional) poderão apresentar as suas melhores equipas; O número de equipas participantes (18 a NORTE e 16 a SUL) procura ter em consideração a existência de uma maior concentração de equipas a Norte (112) comparativamente com o Sul (77); Aumenta progressivamente o nível qualitativo da competição; Organiza a competição respeitando o princípio da proximidade geográfica; Permite equilibrar a calendarização anual do escalão fazendo coincidir as mudanças de Fase de Competição com as interrupções lectivas, evitando períodos desnecessários s/ competição e/ou períodos competitivos demasiado sobrecarregados; AB Viana Castelo; AB Braga; AB Porto; AB Aveiro; AB Coimbra; AB Leiria; 2

4 /I FASE DISTRITAL ISTRITAL/I /INTERDISTRITAL Realizada em cada associação, até Dezembro, permite apurar as equipas para a 1ª Fase do Torneio Nacional; O apuramento será realizado de acordo com o número de equipas existentes no respectivo Campeonato Distrital e segundo os critérios definidos pela respectiva Associação; Só poderão ser apurados para o Torneio Nacional de Sub-14 1ª Fase os clubes que tenham tomado parte em Campeonatos Regionais com a participação de um mínimo de quatro clubes, os quais tenham efectuado um mínimo de seis jogos; As Associações que não tenham possibilidade de organizar Campeonatos com um mínimo de quatro clubes, poderão inscrever os seus clubes na competição da Associação mais próxima das sedes dos clubes inscritos nesta prova; Após obtida autorização da FPB para esse efeito, a Associação vizinha incluirá obrigatoriamente o (s) clube (s) interessado (s) na prova respectiva. NOTA: Esta normativa não se aplica às Regiões Autónomas, uma vez que estas serão responsáveis por encontrar uma fórmula própria de definição dos seus representantes. Sugere-se que, tal como já acontece (por ex.: Torneio InterAssociações a Norte), as Associações organizem e calendarizem provas interdistritais que contemplem a participação das equipas não apuradas para a 1ª/2ª Fase do Torneio Nacional de Sub-14; AB Viana Castelo; AB Braga; AB Porto; AB Aveiro; AB Coimbra; AB Leiria; 3

5 TORNEIO NACIONAL 1ª FASE Formação de Grupos: Zona Norte 18 Equipas divididas por 3 séries de 6 equipas cada SÉRIES NORTE A NORTE B CENTRO ASSOCIAÇÕES REPRESENTADAS (1º) Porto; Viana do Castelo; Braga; Bragança (6 equipas) (2º) Porto; Vila Real; (1º) Aveiro; (2º) Coimbra; (6 equipas) (2º) Aveiro; Viseu; Guarda; (1º) Coimbra; (6 equipas) Zona Sul 16 Equipas divididas por 4 séries de 4 equipas cada SÉRIES ASSOCIAÇÕES REPRESENTADAS CENTRO-SUL Leiria; (1º) Santarém; Castelo Branco; (4 equipas) SUL A (2º) Santarém; (1º) Lisboa; (2º) Setúbal; (4 equipas) SUL B (2º) Lisboa; (1º) Setúbal; (*) Alentejo; (4 equipas) SUL - C Algarve; (*) Alentejo; (4 equipas) (*) No caso do Alentejo e atendendo a extensão territorial desta Associação o factor de seriação será o de proximidade geográfica em detrimento da classificação, ou seja, equipa apurada mais a norte integrará a Série SUL B, enquanto que a equipa apurada mais a sul integrará a Série SUL C; Em caso de idêntica proximidade geográfica aplicar-se-á o critério classificativo; NOTA: A composição das séries bem como o diferenciado número de equipas integrantes das séries da Zona Norte (6), comparativamente com a Zona Sul (4), resulta do compromisso entre os critérios desportivos, geográficos e a representatividade das Associações envolvidas, particularmente nas 4 séries da Zona Sul. Participação: A composição de cada série deverá estar de acordo com a percentagem de clubes por Associação não apurados para o Torneio em referência. O critério para a selecção de representantes tem por base a classificação dos clubes nos respectivos Campeonatos Regionais (critério regulamentar já existente na definição dos participantes das Taças Nacionais). NOTA: Sempre que duas ou mais Associações se encontrem empatadas na percentagem de clubes não apurados para o Torneio Nacional, o desempate obedecerá ao seguinte critério: AB Viana Castelo; AB Braga; AB Porto; AB Aveiro; AB Coimbra; AB Leiria; 4

6 A É apurada a Associação com maior número de clubes participantes no Campeonato Regional; B Se o empate subsistir é apurada a Associação com maior representação no Torneio Nacional; C Se o empate ainda subsistir, o desempate será feito pelo maior número de equipas inscritas nos campeonatos regionais, não contando para este efeito os seniores e o Minibasquete. Sistema de Disputa: Disputa-se em cada série, em poule a duas voltas, todos contra todos, nos campos dos clubes apurados; CALENDARIZAÇÃO Torneio Nacional - 1ª Fase 1ª Jornada 2ª Jornada 3ª Jornada 4ª Jornada 5ª Jornada Janeiro 11 Janeiro 18 Janeiro 25 Fevereiro 1 Fevereiro 8* 6ª Jornada 7ª Jornada 8ª Jornada 9ª Jornada 10ª Jornada Fevereiro 15* Março 1* Março 8* Março 15* Março 22* *Séries Centro-Sul, Sul A, Sul B e Sul C por serem compostas por 4 equipas apenas necessitam de 6 datas para esta Fase AB Viana Castelo; AB Braga; AB Porto; AB Aveiro; AB Coimbra; AB Leiria; 5

7 TORNEIO NACIONAL 2ª FASE Formação de Grupos: Zona Norte 1 Série com 6 equipas ZONA NORTE 1º Classificado Série Norte A 2º Classificado Série Norte A 1º Classificado Série Norte B 2º Classificado Série Norte B 1º Classificado Série Centro 2º Classificado Série Centro Zona Sul 1 Série com 6 equipas ZONA SUL 1º Classificado Centro-Sul 1º Classificado Sul A 2º Classificado Sul A 1º Classificado Sul B 2º Classificado Sul B 1º Classificado Sul C NOTA: O número diferenciado de equipas qualificadas de cada série da Zona Sul justifica-se com base no já referido compromisso entre os critérios desportivos, geográficos e a representatividade das Associações envolvidas. Sistema de Disputa: Disputa-se em cada serie, em poule a duas voltas, todos contra todos, nos campos dos clubes apurados; AB Viana Castelo; AB Braga; AB Porto; AB Aveiro; AB Coimbra; AB Leiria; 6

8 CALENDARIZAÇÃO Torneio Nacional - 2ª Fase 1ª Jornada 2ª Jornada 3ª Jornada 4ª Jornada 5ª Jornada Abril 19 Abril ª Jornada 7ª Jornada 8ª Jornada 9ª Jornada 10ª Jornada Junho 10 AB Viana Castelo; AB Braga; AB Porto; AB Aveiro; AB Coimbra; AB Leiria; 7

9 Torneio Nacional - Fase Final Participação FASE FINAL 1º Classificado da Zona Norte 2º Classificado da Zona Norte 1º Classificado da Zona Sul 2º Classificado da Zona Sul Representante da Madeira Representante dos Açores Será disputada em jornadas concentradas, de acordo com o Regulamento Técnico-Pedagógico e sob regime de fim-de-semana prolongado, em poule simples a uma volta. O sorteio e respectivo calendário serão condicionados de modo a: 1 Atender às distâncias a percorrer pelas equipas participantes, bem como às equipas que se deslocam na véspera do primeiro dia da prova; 2 Evitar que qualquer clube jogue duas vezes seguidas, do período da manhã para o da tarde, ou da tarde para o período da noite, ou ainda de um dia para o outro. CALENDARIZAÇÃO Torneio Nacional Fase FinalF Junho 19 Junho 20 Junho 21 AB Viana Castelo; AB Braga; AB Porto; AB Aveiro; AB Coimbra; AB Leiria; 8

A. Disposições Gerais

A. Disposições Gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO Direcção Técnica Nacional Sector juvenil Versão de 29 de Maio de 2008 REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES NORMAS RELACIONADAS COM OS ESCALÕES DO ATLETISMO JUVENIL A. Disposições

Leia mais

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00

Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015. Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar 15:00 Calendários e Regulamentos das Competições Federativas Nacionais 2015 1. Calendário Federativo Nacional Data Dia da Semana Evento Pesagens (horário provisório) 07/02 Sábado VIII Supertaça Fernando Gaspar

Leia mais

A Mulher portuguesa e o Desporto O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 21/05/2014

A Mulher portuguesa e o Desporto O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 21/05/2014 O TÉNIS DE MESA PORTUGUÊS NO FEMININO 2 A Mulher portuguesa e o Desporto 1º FÓRUM NACIONAL DE TÉNIS DE MESA 24 maio 2014 Propostas para discussão e reflexão Manuela Simões O Ténis de Mesa não é, a este

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20)

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20) REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL GIRA-PRAIA (SUB. 16,18 e 20) I DISPOSIÇÔES GERAIS ARTIGO 1º O Campeonato Nacional Gira-Praia é uma competição de Voleibol de Praia de âmbito nacional, organizada pela

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DO ALENTEJO Rua das 5 Cepas (Antiga Escola EBI) - Canaviais 7005-376 Évora Email da direcção: direccao@abalentejo.

ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DO ALENTEJO Rua das 5 Cepas (Antiga Escola EBI) - Canaviais 7005-376 Évora Email da direcção: direccao@abalentejo. ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DO ALENTEJO Rua das 5 Cepas (Antiga Escola EBI) - Canaviais 7005-376 Évora Email da direcção: direccao@abalentejo.com COMUNICADO DA DIRECÇÃO COMUNICADO Nº 019 ÉPOCA: 2013/2014

Leia mais

CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23 EM PISTA COBERTA

CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23 EM PISTA COBERTA CAMPEONATOS DE PORTUGAL EM PISTA COBERTA E CAMPEONATO NACIONAL DE SUB-23 EM PISTA COBERTA 1. NOTA INTRODUTÓRIA Nos Campeonatos de Portugal Absolutos de Pista Coberta serão atribuídos os títulos individuais

Leia mais

TAÇA DE PORTUGAL POR EQUIPAS REGULAMENTO

TAÇA DE PORTUGAL POR EQUIPAS REGULAMENTO REGULAMENTO Época 2015 / 2016 Informação de 1 de outubro de 2015 A Taça de Portugal por Equipas (Taça), organizado pela Federação Portuguesa de Xadrez (FPX) com o apoio do Instituto Português do Desporto

Leia mais

CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015. - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única.

CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015. - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única. CAMPEONATOS NACIONAIS DE EQUIPAS 2014 / 2015 I DIVISÃO - SENIORES MASCULINOS - Este Campeonato será disputado por 10 (dez) equipas incluídas numa Zona Única. - O Campeonato compreenderá duas fases distintas:

Leia mais

Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica

Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Transição dos quadros distritais de vinculação para o quadro de zona pedagógica Ministério da Educação Portaria n.º 1298/03 de de Novembro A unificação

Leia mais

09H30 AF Vila Real / AF Braga. 09H30 AF Viana Castelo / AF Porto. 15H00 Apuramento do 3º e 4º classificados. 16H00 Final

09H30 AF Vila Real / AF Braga. 09H30 AF Viana Castelo / AF Porto. 15H00 Apuramento do 3º e 4º classificados. 16H00 Final 09H30 AF Vila Real / AF Braga 09H30 AF Viana Castelo / AF Porto 15H00 Apuramento do 3º e 4º classificados 16H00 Final XXVII TORNEIO DE NATAL 2013 SUB/14 DR.MACEDO VIEIRA PROGRAMA GERAL 23.DEZ.13 (2ª Feira)

Leia mais

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito

ÍNDICE. I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito ÍNDICE I. DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º - Âmbito II. ORGANIZAÇÃO DE PROVAS Artigo 2º - Modelo Competitivo Artigo 3º - Sistema Competitivo Artigo 4º - Ordem dos Jogos Artigo 5º - Duração dos Jogos Artigo

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS Critérios específicos de apoio para época desportiva 2011/2012 Introdução O Regulamento n.º 635/2010 Regulamento Municipal de Apoio às Entidades

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014 REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL DE GIRA-PRAIA DE SUB. 16,18 e 20-2014 ARTIGO 1º O Campeonato Nacional de Gira- Praia de Subs é uma competição de Voleibol de Praia de âmbito nacional, organizada pela

Leia mais

Regulamento Específico de Basquetebol

Regulamento Específico de Basquetebol Regulamento Específico de Basquetebol Regulamento Basquetebol 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ESCALÕES ETÁRIOS / BOLA DE JOGO... 4 3. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA... 4 4. MESA DE JOGO... 4 5. ARBITRAGEM... 5

Leia mais

REGULAMENTO GERAL JOGOS DESPORTIVOS 2011. 1 Introdução

REGULAMENTO GERAL JOGOS DESPORTIVOS 2011. 1 Introdução REGULAMENTO GERAL JOGOS DESPORTIVOS 1 Introdução Fazerem parte de uma equipa, aperceberem-se de que sozinhos e isolados muito pouco conseguirão, entenderem o valor da amizade e do apoio dos companheiros,

Leia mais

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL ÍNDICE CAPITULO I - O JOGO DE MINIVOLEIBOL - REGRA 1 - Concepção do Jogo - REGRA 2 - A quem se dirige - REGRA 3 - Finalidade do Jogo CAPITULO II - INSTALAÇÕES E MATERIAL - REGRA

Leia mais

CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS

CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS CAMPEONATO ESCOLAR DE BASQUETEBOL 3X3 COMPAL AIR REGULAMENTO DOS TORNEIOS INTRODUÇÃO No Campeonato Escolar Compal Air estão incluídos um conjunto de Torneios 3x3, correspondentes às fases Local, Regional

Leia mais

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas

PQS GLOBAIS. (c). Tempo de estabelecimento de chamada para chamadas nacionais (segundos) que correspondem ao percentil 95% das chamadas mais rápidas PQS GLOBAIS Anacom Objetivo SU Ano1 SU PQS 1 PQS 1 (a) PQS1. Prazo de fornecimento da ligação inicial (a) Demora no fornecimento das ligações, quando o cliente não define uma data objetivo (dias) PQS 1

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS PORTUGUESES DE DERBY ATRELADO PARA 2009

PROPOSTA DE REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS PORTUGUESES DE DERBY ATRELADO PARA 2009 PROPOSTA DE REGULAMENTO DOS CAMPEONATOS PORTUGUESES DE DERBY ATRELADO PARA 2009 A partir de 1 de Janeiro de 2009 entra em vigor o presente Regulamento revogando o Regulamento do Campeonato de Derbies de

Leia mais

Torneio de Futsal Inter-Associações de Mortágua

Torneio de Futsal Inter-Associações de Mortágua CÂMARA MUNICIPALL DE MORTTÁGUA TORNEIO DE FUTSAL DE 2015 INTER-ASSOCIAÇÕES DE MORTÁGUA TORNEIO DE FUTSAL INTER-ASSOCIAÇÕES 2015 1º ORGANIZAÇÃO 1- O Município de Mortágua será responsável pela estruturação

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DO ALENTEJO Rua das 5 Cepas (Antiga Escola EBI) - Canaviais 7005-376 Évora Email: ass.basq.alentejo@mail.telepac.

ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DO ALENTEJO Rua das 5 Cepas (Antiga Escola EBI) - Canaviais 7005-376 Évora Email: ass.basq.alentejo@mail.telepac. ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DO ALENTEJO Rua das 5 Cepas (Antiga Escola EBI) - Canaviais 7005-376 Évora Email: ass.basq.alentejo@mail.telepac.pt COMUNICADO DA DIRECÇÃO COMUNICADO Nº 017 ÉPOCA: 2013/2014 DATA:

Leia mais

Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS. Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07

Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS. Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07 Federação Portuguesa de Minigolfe UPD REGULAMENTO GERAL DE PROVAS Aprovado na Assembleia Geral de 2013-12-07 REGULAMENTO GERAL DE PROVAS DESPORTIVAS 1. PROVAS FEDERATIVAS 1.1. São consideras Provas Federativas

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ESGRIMA REGULAMENTO DE PROVAS

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ESGRIMA REGULAMENTO DE PROVAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ESGRIMA REGULAMENTO DE PROVAS 1. RESPONSABILIDADE Os atiradores armam-se, equipam-se, vestem-se e combatem sob a sua própria responsabilidade e por sua conta e risco, nos termos

Leia mais

Ranking Nacional. Departamento de Combates

Ranking Nacional. Departamento de Combates Departamento de Combates ÍNDICE ARTIGO 1 - ENQUADRAMENTO 3 ARTIGO 2 - DESÍGNIO 3 ARTIGO 4 - PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS 3 ARTIGO 5 - FÓRMULA DE CÁLCULO DA PONTUAÇÃO FINAL NO EVENTO 5 ARTIGO 6 - FÓRMULA DE

Leia mais

Circular nº 05 2015/2016 24-09-2015 Carambola - Época 2015/2016

Circular nº 05 2015/2016 24-09-2015 Carambola - Época 2015/2016 Instituição de Utilidade Pública Instituição de Utilidade Pública Desportiva Membro do Comité Olímpico de Portugal Membro da Confederação do Desporto de Portugal Membro da Confédération Européenne de Billard

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL 2013-2014

REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL 2013-2014 REGULAMENTO ESPECÍFICO BASQUETEBOL 2013-2014 Índice 1. Introdução 2 2. Escalões etários 3 3. Constituição das Equipas 4 4. Regulamento Técnico Pedagógico 5 5. Classificação, Pontuação e Desempate 6 6.

Leia mais

Curso de Árbitros inicia a 13 de fevereiro

Curso de Árbitros inicia a 13 de fevereiro Newsletter da Associação de Futebol de Leiria Ano VI n.º73 10-02-2016 Curso de Árbitros inicia a 13 de fevereiro pág.6 pág.2 Site da A.F. Leiria com nova imagem A.F. Leiria já disponibiliza os resultados

Leia mais

XXII JOGOS NACIONAIS SALESIANOS - 2015

XXII JOGOS NACIONAIS SALESIANOS - 2015 ASSOCIAÇÃO DE BASQUETEBOL DO ALENTEJO Rua das 5 Cepas (Antiga Escola EB1) - Canaviais 7005-376 Évora E-mail:direccao@abalentejo.com; secretaria@abalentejo.com; dtr@abalentejo.com Website: www.abalentejo.com

Leia mais

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DAS PRIMEIRAS PAGAIADAS Em vigor a partir de 21 de Agosto de 2015 1. PRIMEIRAS PAGAIADAS 1.1. Objetivos O quadro competitivo promovido

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA 3ª LUANDA COPA DE FUTEBOL JÚNIOR - 2015

REGULAMENTO ESPECÍFICO DA 3ª LUANDA COPA DE FUTEBOL JÚNIOR - 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA 3ª LUANDA COPA DE FUTEBOL JÚNIOR - 2015 I - DAS FINALIDADES Art.º 1º - A 3ª LUANDA COPA DE FUTEBOL JÚNIOR, Competição não-profissional coordenada e organizada pela Decathlon Marketing

Leia mais

REGULAMENTO CIRCUITO SQUASH HOTEL SRA. DO CASTELO 14/15

REGULAMENTO CIRCUITO SQUASH HOTEL SRA. DO CASTELO 14/15 REGULAMENTO CIRCUITO SQUASH HOTEL SRA. DO CASTELO 14/15 O Circuito Mangualdense de Squash (Circuito Hotel Senhora do Castelo) organizado pelo Let&Stroke Secção de Squash da Casa do Povo de Mangualde, contará

Leia mais

Regulamento Municipal de Apoio Financeiro às Modalidades Desportivas

Regulamento Municipal de Apoio Financeiro às Modalidades Desportivas Regulamento Municipal de Apoio Financeiro às Modalidades Desportivas Câmara Municipal de Viana do Alentejo Divisão de Desenvolvimento Social e Humano www.cm-vianadoalentejo.pt Tel.: 266 930 010 mail: dasedu@cm-vianadoalentejo.pt

Leia mais

CARTAZ. Organização. Funcenter-Colombo. I Torneio Nacional Individual de Bowling de Surdos da APS

CARTAZ. Organização. Funcenter-Colombo. I Torneio Nacional Individual de Bowling de Surdos da APS CARTAZ Organização Associação Portuguesa de Surdos Apoio Federação Portuguesa de Bowling Funcenter-Colombo 1 Artigo 1º: Data e Local Regulamento O 1º Torneio Nacional Individual de Bowling de Surdos da

Leia mais

Apoios e Subsídios 2015/2016

Apoios e Subsídios 2015/2016 Época 2015/2016 Federação Portuguesa de Bilhar Apoios e Subsídios 2015/2016 Notas prévias: Por cada duas equipas que os Clubes inscrevam numa modalidade será dada a possibilidade de inscrição da terceira

Leia mais

CARTAZ. Organização. Bowling Caldas. II Torneio Nacional Individual de Bowling de Surdos da APS

CARTAZ. Organização. Bowling Caldas. II Torneio Nacional Individual de Bowling de Surdos da APS CARTAZ Organização Associação Portuguesa de Surdos Apoio Federação Portuguesa de Bowling Bowling Caldas 1 Artigo 1º: Data e Local Regulamento O 2º Torneio Nacional Individual de Bowling de Surdos da APS

Leia mais

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 ÉPOCA 2015/2016 Associação de Andebol do Algarve

COMUNICADO OFICIAL N.º 1 ÉPOCA 2015/2016 Associação de Andebol do Algarve Distribuição: FAP e Clubes Filiados 1. Direcção 1.1 A época desportiva 2014/2015 termina no dia 31/07/2015. A época desportiva 2015/2016 inicia-se no dia 01/08/2015. 1.2 Informamos que o horário de funcionamento

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO AO MOVIMENTO ASSOCIATIVO A Câmara Municipal de Serpa no âmbito da sua politica para as áreas sócio-cultural e desportiva, considera o movimento associativo como parceiro

Leia mais

Capítulo 1 Prova de 10 km

Capítulo 1 Prova de 10 km 17ª CORRIDA EM ATLETISMO CIDADE DE VENDAS NOVAS 16 DE MAIO DE 2010 Regulamento Capítulo 1 Prova de 10 km 1. Participação Podem participar atletas populares e federados masculinos e femininos desde que

Leia mais

VII Troféu Cidade Caldas da Rainha/I MEETING INTERNACIONAL DE NATAÇÃO MASTER Caldas da Rainha, Portugal 24 e 25 de Abril, 2010

VII Troféu Cidade Caldas da Rainha/I MEETING INTERNACIONAL DE NATAÇÃO MASTER Caldas da Rainha, Portugal 24 e 25 de Abril, 2010 A Secção de Natação dos PIMPÕES, com o apoio institucional da Câmara Municipal de Caldas da Rainha, com o apoio da Associação Distrital de Natação de Leiria e da Federação Portuguesa de Natação, têm o

Leia mais

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL XCM 2009

REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL XCM 2009 REGULAMENTO DO CAMPEONATO NACIONAL XCM 2009 1. INTRODUÇÃO 1.1- O CAMPEONATO NACIONAL XCM é um troféu oficial da UVP/Federação Portuguesa de Ciclismo e consta de uma prova única. A prova do Campeonato Nacional

Leia mais

PÓLO AQUÁTICO. associação de natação de lisboa. Regulamentos Específicos

PÓLO AQUÁTICO. associação de natação de lisboa. Regulamentos Específicos PÓLO AQUÁTICO Regulamentos Específicos Época 2015/2016 TORNEIO DE ABERTURA DE ABSOLUTOS MASCULINOS A divulgar em circular. 2. PARTICIPAÇÃO Podem participar os jogadores do género masculino com idade mínima

Leia mais

COPA DAS FEDERAÇÕES REGULAMENTO GERAL PARA 2014

COPA DAS FEDERAÇÕES REGULAMENTO GERAL PARA 2014 COPA DAS FEDERAÇÕES REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO Anualmente a CBT - Confederação Brasileira de Tênis promoverá a Copa das Federações, para definir o Estado Campeão Brasileiro. A Copa das

Leia mais

NORMAS ESPECIFICAS VOLEIBOL. www.inatel.pt

NORMAS ESPECIFICAS VOLEIBOL. www.inatel.pt NORMAS ESPECIFICAS www.inatel.pt NORMAS ESPECÍFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas pela Fundação

Leia mais

Futebol Feminino no Desporto Escolar. Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016

Futebol Feminino no Desporto Escolar. Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016 Futebol Feminino no Desporto Escolar Plano Plurianual de desenvolvimento do projeto 2015/2016 INTRODUÇÃO O Futebol Feminino é uma atividade que tem crescido nos últimos tempos em Portugal e por isso, sentimos

Leia mais

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA REGULAMENTO 2011 As provas Semifinal e Final nacionais do Concurso Nacional de Leitura Ler+ obedecem este ano a um novo formato: Quem quer ser Milionário Especial Ler+, cujas provas serão realizadas em

Leia mais

Portugueses com mais de 65 anos Breve caracterização estatística

Portugueses com mais de 65 anos Breve caracterização estatística E S T U D O S Cada etapa da vida tem as suas próprias especificidades mas tem, também, os seus próprios desafios e as suas próprias capacidades, para a construção de uma sociedade para todas as idades.

Leia mais

PLANO DE CARREIRA DO NADADOR DO AMINATA ÉVORA CLUBE DE NATAÇÃO

PLANO DE CARREIRA DO NADADOR DO AMINATA ÉVORA CLUBE DE NATAÇÃO PLANO DE CARREIRA DO NADADOR DO AMINATA ÉVORA CLUBE DE NATAÇÃO PLANO DE CARREIRA DO NADADOR AMINATA ÉVORA CLUBE DE NATAÇÃO Introdução O Aminata Évora Clube de Natação, sendo um clube dedicado a várias

Leia mais

Plano de Formação 2009

Plano de Formação 2009 Plano de Formação 2009 Introdução: O Departamento de Formação (DF) da FPR apresenta o plano de formação para 2009. A formação de todos os agentes desportivos treinadores, dirigentes, árbitros e fisioterapeutas

Leia mais

CAMPEONATO REGIONAL INTER CLUBES JUNIORES D FUTSAL

CAMPEONATO REGIONAL INTER CLUBES JUNIORES D FUTSAL Rua Cônsul Dabney 9900-014 Horta DATA: 24, 25 e 26 de abril de 2015 LOCAL: Complexo Desportivo Manuel Arriaga, Pavilhão Desportivo da Horta e Pavilhão Desportivo Castelo Branco / Ilha do Faial Página Net

Leia mais

REGULAMENTO DE INSCRIÇÕES E TRANSFERÊNCIAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BASQUETEBOL

REGULAMENTO DE INSCRIÇÕES E TRANSFERÊNCIAS FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE BASQUETEBOL REGULAMENTO DE INSCRIÇÕES E TRANSFERÊNCIAS DA COM AS ALTERAÇÕES APROVADAS NA ASSEMBLEIA GERAL DE 06.DEZEMBRO.2008 E NAS REUNIÕES DE DIRECÇÃO DE 28.JULHO.2011; 06.NOVEMBRO.2012; 26.FEVEREIRO. 2014 1 2 ÍNDICE

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS. Sistema de Apoio a Infra-estruturas Científicas e Tecnológicas

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS. Sistema de Apoio a Infra-estruturas Científicas e Tecnológicas AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Sistema de Apoio a Infra-estruturas Científicas e Tecnológicas Nos termos do Regulamento do Sistema de Apoio a Infra-estruturas Científicas e Tecnológicas (SAICT)

Leia mais

REGULAMENTO ESPECIFICO DE PROVAS OFICIAIS DE POLO-AQUATICO 2015/2016 INDICE... 2 PO1 CAMPEONATO NACIONAL DA 1.ª DIVISÃO MASCULINOS...

REGULAMENTO ESPECIFICO DE PROVAS OFICIAIS DE POLO-AQUATICO 2015/2016 INDICE... 2 PO1 CAMPEONATO NACIONAL DA 1.ª DIVISÃO MASCULINOS... REGULAMENTO ESPECÍFICO DE PROVAS OFICIAIS 2015/2016 INDICE INDICE... 2 PO1 CAMPEONATO NACIONAL DA 1.ª DIVISÃO MASCULINOS... 5 1 PRÉMIOS... 5... 5... 5 PO2 CAMPEONATO NACIONAL DA 2.ª DIVISÃO MASCULINOS...

Leia mais

PROGRAMA. 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA;

PROGRAMA. 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA; PROGRAMA 14:30h Chegada das comitivas ao Complexo Desportivo Monte da Forca, em Vila Real; 15:30h JOGO 1: AF VISEU x AF BRAGANÇA; 16:30h JOGO 2: AF x AF VISEU; 17:30h JOGO 3: AF BRAGANÇA x AF ; 18:30h

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS FUTSAL ÉPOCA 2009-2010

NORMAS ESPECÍFICAS FUTSAL ÉPOCA 2009-2010 NORMAS ESPECÍFICAS FUTSAL ÉPOCA 2009-2010 FUTSAL NORMAS ESPECÍFICAS As normas específicas são regras estabelecidas pela Direcção Desportiva, em complemento do Código Desportivo, para as provas organizadas

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO Circular n.º 023/2014 Portal F.P.T. - Inscrições Exmo. Sr. Presidente, No seguimento da Circular Nº 021/2014 Inscrições em Provas F.P.T. e depois de disponibilizarmos a possibilidade de testar/treinar

Leia mais

2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS. Normas de Funcionamento

2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS. Normas de Funcionamento 2º CAMPEONATO MUNICIPAL DE MATRAQUILHOS Normas de Funcionamento Normas de Funcionamento Considerando a importância que a promoção da dinâmica desportiva assume no concelho, a Câmara Municipal da Lourinhã,

Leia mais

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto

Paralisia Cerebral- Associação Nacional de Desporto B O C C I A REGULAMENTAÇÃO GERAL NACIONAL 2008/2009 1 INTRODUÇÃO Todos os intervenientes em competições de zona e nacionais, acções de formação e classificação médico - desportiva, deverão reger-se pelos

Leia mais

Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo Desportivo

Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo Desportivo Regulamento Municipal de Apoio ao Associativismo Desportivo Exposição dos Motivos Do conjunto das atribuições que estão confiadas aos Municípios destacam-se as intervenções nas áreas de tempos livres e

Leia mais

COMUNICADO Nº 01/2016

COMUNICADO Nº 01/2016 COMUNICADO Nº 01/2016 Exmos. Senhores, Para vosso conhecimento e como único aviso oficial, informamos V. Exas. do seguinte: SUMÁRIO Pág. 1 HÓQUEI EM PATINS 1.1 P2 do Campeonato Nacional de Seniores Femininos

Leia mais

Decreto Regulamentar n.º 41/90 de 29 de Novembro

Decreto Regulamentar n.º 41/90 de 29 de Novembro Decreto Regulamentar n.º 41/90 de 29 de Novembro O Decreto-Lei n.º 497/88, de 30 de Dezembro, estabelece o regime de férias, faltas e licenças dos funcionários e agentes da Administração Pública, disciplinando,

Leia mais

Arquitecto João Santa-Rita, adiante designado por Ordem dos Arquitectos;

Arquitecto João Santa-Rita, adiante designado por Ordem dos Arquitectos; Entre CONTRATO Ordem dos Arquitectos, pessoa colectiva nº 500802025, com sede em Lisboa, na Travessa do Carvalho, nº 23, representada neste acto pelo Presidente do Conselho Directivo Nacional, Arquitecto

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE TÉNIS DE MESA DE LISBOA

ASSOCIAÇÃO DE TÉNIS DE MESA DE LISBOA Época 2008/2009 COMUNICADO Nº. 3 3 de Dezembro de 2008 Para conhecimento das Entidades Oficiais, Federação Portuguesa de Ténis de Mesa, Associações Distritais, Associação Portuguesa de Árbitros, Juízes

Leia mais

REGULAMENTO DA 2ª ETAPA DA COPA SESI DE NATAÇÃO 2015 CAPÍTULO I CAPÍTULO IV CAPÍTULO II CAPÍTULO III

REGULAMENTO DA 2ª ETAPA DA COPA SESI DE NATAÇÃO 2015 CAPÍTULO I CAPÍTULO IV CAPÍTULO II CAPÍTULO III REGULAMENTO DA 2ª ETAPA DA COPA SESI DE NATAÇÃO 2015 CAPÍTULO I DAS FINALIDADES: Art. 1º - A Copa SESI de Natação visa desenvolver a natação entre os atletas não federados no Estado de Goiás. Com o objetivo

Leia mais

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não

Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em tudo o que não REGULAMENTO DO TORNEIO INTER-REGIONAL DE SEVENS FEMININO 2014/2015 Artigo 1.º (Regime Supletivo) Ao Torneio Inter-Regional de Sevens Feminino aplicam-se as normas do Regulamento Geral de Competições em

Leia mais

Actividades Desenvolvidas

Actividades Desenvolvidas Departamento de hóquei em Campo do Casa Pia Atlético Clube Introdução Em Outubro de 2013, iniciamos as actividades da modalidade de hóquei em Campo nos CED s da Casa Pia de Lisboa. A modalidade de hóquei

Leia mais

Direcção de Assistência Empresarial

Direcção de Assistência Empresarial Direcção de Assistência Empresarial Lisboa, 11 de Agosto de 2011 Missão das lojas da exportação Prestar apoio às empresas nas suas estratégias de exportação, facilitando e simplificando o acesso informação,

Leia mais

Ministério da Juventude e Desportos

Ministério da Juventude e Desportos Ministério da Juventude e Desportos DIPLOMA DO REGIME DE PRÉMIOS AOS ATLETAS, NA ALTA COMPETIÇÃO I SÉRIE N.º47 8 DE NOVEMBRO DE 1996 CONSELHO DE MINISTROS Decreto n.º 33/96 de 8 de Novembro O desporto

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE REMO

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE REMO Destinatários: Clubes Associados da FPR Circular Nº37/14 Proc. nº 2.1 Lisboa 2014-03-06 Assunto: Plano de apoio ao apetrechamento de clubes (PAAC 2014) 1. Introdução O desenvolvimento de uma qualquer modalidade

Leia mais

Federação Portuguesa de Canoagem

Federação Portuguesa de Canoagem Federação Portuguesa de Canoagem Plano de Alto Rendimento e Seleções Nacionais I - Introdução V - SurfSki Séniores/Sub 23/Juniores 2015 Este documento pretende enunciar os critérios de selecção da Equipa

Leia mais

COMUNICADO Nº 29/2014

COMUNICADO Nº 29/2014 COMUNICADO Nº 29/2014 Exmos. Senhores, Para vosso conhecimento e como único aviso oficial, informamos V. Exas. do seguinte: SUMÁRIO Pág. 1 HÓQUEI EM PATINS 1.1 Seguro Desportivo Época 2014/2015 1 1.2 Provas

Leia mais

REGULAMENTO DE ALTA COMPETIÇÃO

REGULAMENTO DE ALTA COMPETIÇÃO REGULAMENTO DE ALTA COMPETIÇÃO ÍNDICE 1. Nota Introdutória... 2 2. Classificação dos Praticantes em Regime de Alta Competição... 3 (Portaria nº947/95 de 1 de Agosto) 3. Níveis de Qualificação... 5 4. Critérios

Leia mais

melhoria e inovação da contratação colectiva; dignificação e melhoria das condições de trabalho.

melhoria e inovação da contratação colectiva; dignificação e melhoria das condições de trabalho. REGULAMENTO O Prémio Manuel Lopes foi instituído 1 pelo Ministério do Trabalho e da Solidariedade no sentido de homenagear Manuel Lopes considerando a sua dedicação à implementação da contratação colectiva

Leia mais

ÍSTICAS ESTAT NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E E Ç Ã Ç Ã O - G E R G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A

ÍSTICAS ESTAT NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E E Ç Ã Ç Ã O - G E R G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍ ÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011

Leia mais

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2014

NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2014 NORMAS DE PARTICIPAÇÃO 2014 I Edição - Orçamento Participativo de Viana do Castelo A Câmara Municipal de Viana do Castelo (CMVC) reconhece o Orçamento Participativo (OP) como um instrumento e um importante

Leia mais

DIRETORIA DOS INTERESSES TÉCNICOS

DIRETORIA DOS INTERESSES TÉCNICOS DIRETORIA DOS INTERESSES TÉCNICOS 2 0 1 2 XXI - CAMPEONATO SUB-12 MASCULINO DA G.S.P. XLIV - CAMPEONATO SUB-13 MASCULINO DA G.S.P. LIV - CAMPEONATO SUB-14 MASCULINO DA G.S.P. LXXIII - CAMPEONATO SUB-15

Leia mais

III Virada Esportiva ATC Gênesis - 2013

III Virada Esportiva ATC Gênesis - 2013 III Virada Esportiva ATC Gênesis - 2013 CIRCUITO INTERNO DE TÊNIS ATC RANKING GERAL 2013 REGULAMENTO 4ª ETAPA VIRADA ESPORTIVA DO TORNEIO: O Ranking Geral do Alphaville Tênis Clube objetiva a melhor integração

Leia mais

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL

REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL REGULAMENTO DE MINIVOLEIBOL ÍNDICE CAPITULO I - O JOGO DE MINIVOLEIBOL - REGRA 1 - Concepção do Jogo - REGRA 2 - A quem se dirige - REGRA 3 - Finalidade do Jogo CAPITULO II - INSTALAÇÕES E MATERIAL - REGRA

Leia mais

R e g u l a m e n t o Q u a d r a n g u l a r d e A s c e n s o / D e s c e n s o N B B - 2 0 1 2 / 2 0 1 3 Página 1

R e g u l a m e n t o Q u a d r a n g u l a r d e A s c e n s o / D e s c e n s o N B B - 2 0 1 2 / 2 0 1 3 Página 1 R e g u l a m e n t o Q u a d r a n g u l a r d e A s c e n s o / D e s c e n s o N B B - 2 0 1 2 / 2 0 1 3 Página 1 1. Competição: Quadrangular de Ascenso e Descenso do NBB 2012/2013 2. Bases legais a.

Leia mais

Preâmbulo. 3. Todos os restantes apoios e subsídios serão concedidos sob a forma de protocolo. 1/7

Preâmbulo. 3. Todos os restantes apoios e subsídios serão concedidos sob a forma de protocolo. 1/7 Preâmbulo Recentemente, um estudo efectuado pela União Europeia demonstra de uma forma clara que Portugal, é o país dos "Quinze" que tem uma menor percentagem de população a praticar desporto. Urge criar

Leia mais

CoNSELHo GERAL Parecer n.º 41/PP/2012-G

CoNSELHo GERAL Parecer n.º 41/PP/2012-G J u r i s p r u d ê n c i a d o s C o n s e l h o s CoNSELHo GERAL Parecer n.º 41/PP/2012-G Relator: Miguel Salgueiro Meira Assunto: Publicidade Proposta de deliberação veio o Dr...., advogado com a cédula

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO DO CDS/PP

REGULAMENTO FINANCEIRO DO CDS/PP DO CDS/PP (APROVADO EM CONSELHO NACIONAL A 24 DE NOVEMBRO DE 2007) Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º (Âmbito de aplicação) 1. O presente Regulamento aplica-se a todos os órgãos nacionais, regionais

Leia mais

REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO

REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO REGULAMENTO DA COMPETIÇÃO 1 ÍNDICE: NOTA INTRODUTÓRIA 2 ARTIGO 1: DA INSCRIÇÃO 2 ARTIGO 2: DAS ETAPAS DA COMPETIÇÃO 3 ARTIGO 3: DO CRONOGRAMA E HORÁRIOS 3 ARTIGO 4: METODOLOGIA 4 ARTIGO 5: DOS PRÉMIOS

Leia mais

Regulamento do Circuito Smashtour 2013

Regulamento do Circuito Smashtour 2013 REGULAMENTO CIRCUITO SMASHTOUR 2014 Regulamento do Circuito Smashtour 2013 1 - O Circuito será disputado em três fases, com um mínimo de 19 provas de cada fase de desenvolvimento Mínimo de 1 e máximo de

Leia mais

CAMPEONATO DISTRITAL 2ª FASE INFANTIS FUTSAL 2015/2016

CAMPEONATO DISTRITAL 2ª FASE INFANTIS FUTSAL 2015/2016 ASSOCIAÇÃO DE FUTEBOL DE LEIRIA COMUNICADO OFICIAL N.º 268 Data: 07-03-2016 Para conhecimento dos Clubes filiados e demais entidades interessadas, se comunica: CAMPEONATO DISTRITAL 2ª FASE INFANTIS FUTSAL

Leia mais

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010

NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010 ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010 D I R E C Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2006/2010

Leia mais

Federação Gaúcha de Futebol

Federação Gaúcha de Futebol Traffic Assessoria de Comunicações Ltda. RUA FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL, 55 SÃO PAULO - SP Telefone 2189-7000 Fax 2189-7022 REGULAMENTO ESPECÍFICO DA COPA SUB 23 DE FUTEBOL PROFISSIONAL - 2010 DA DENOMINAÇÃO

Leia mais

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO

PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO PROTOCOLO DE COLABORAÇÃO Entre: PRIMEIRA: MOVIJOVEM MOBILIDADE JUVENIL, COOPERATIVA DE INTERESSE PÚBLICO DE RESPONSABILIDADE LIMITADA, titular do Cartão de Identificação de Pessoa Colectiva número 502530863,

Leia mais

O Vereador. (João Oliveira)

O Vereador. (João Oliveira) De: Vereador João Oliveira Para: Ex.mo Sr. Presidente da Câmara Municipal Data: 15 de Março de 2010 Assunto: Contrato-Programa de Desenvolvimento Desportivo A Câmara Municipal de S. João da Madeira reconhece

Leia mais

FESTIVAL PARANAENSE DE MENORES - 2009 REGULAMENTO GERAL. Atualizado em 01.02.2010

FESTIVAL PARANAENSE DE MENORES - 2009 REGULAMENTO GERAL. Atualizado em 01.02.2010 FEDERAÇÃO DE XADREZ DO PARANÁ - FEXPAR Declarada de utilidade pública estadual - Lei 12437 de 13 de janeiro de 1999 Filiada à Confederação Brasileira de Xadrez Rua Almirante Barroso 142, São Francisco

Leia mais

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS:

NÍVEL I INTRODUÇÃO OBJECTIVOS: INTRODUÇÃO NÍVEL I O Gira-Volei é um jogo de iniciação à modalidade destinada aos jovens com idades compreendidas entre os 8 e 15 anos, onde através do jogo simplificado (2x2) e utilização do passe faz

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Gabinete do Secretário de Estado da Segurança Social DESPACHO Nº 9-I/SESS/2008

MINISTÉRIO DO TRABALHO E DA SOLIDARIEDADE SOCIAL. Gabinete do Secretário de Estado da Segurança Social DESPACHO Nº 9-I/SESS/2008 DESPACHO Nº 9-I/SESS/2008 O Despacho n.º 16790/2008, de 20 de Junho, 2.ª Série, criou a Medida de Apoio à Segurança dos Equipamentos Sociais, adiante designada por Medida de Apoio à Segurança, dirigida

Leia mais

REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO 3ª OLIMPÍADA ESTUDANTIL DE FLORIANÓPOLIS (OLESF)

REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO 3ª OLIMPÍADA ESTUDANTIL DE FLORIANÓPOLIS (OLESF) REGULAMENTO GERAL E TÉCNICO 3ª OLIMPÍADA ESTUDANTIL DE FLORIANÓPOLIS (OLESF) 03 A 14 DE OUTUBRO DE 2011 2011 REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. Este Regulamento é o conjunto

Leia mais

Regulamento da. Copa UniBH de. Futsal

Regulamento da. Copa UniBH de. Futsal Regulamento da Copa UniBH de Futsal FINALIDADE O presente regulamento contêm as normas que regem na 9ª Copa UniBH de Futsal, sendo conhecedores de seu conteúdo todos os inscritos que se submetem sem ressalvas

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASEBOL / SOFTBOL TAÇA JORNAL BASEBOL - DESPORTO ESCOLAR COIMBRA

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASEBOL / SOFTBOL TAÇA JORNAL BASEBOL - DESPORTO ESCOLAR COIMBRA REGULAMENTO ESPECÍFICO DE BASEBOL / SOFTBOL TAÇA JORNAL BASEBOL - DESPORTO ESCOLAR COIMBRA 2006-2007 DESPORTO ESCOLAR ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...3 2. ESCALÕES ETÁRIOS/ BOLA DE JOGO...4 3. CONSTITUIÇÃO DA EQUIPA...4

Leia mais

Calendário e Regulamento do Campeonato Nacional PES 2013 - WORTEN

Calendário e Regulamento do Campeonato Nacional PES 2013 - WORTEN Calendário e Regulamento do Campeonato Nacional PES 2013 - WORTEN O Campeonato Nacional PES 2013 - Worten será disputado em partidas de 1 contra 1 no Pro Evolution Soccer 2013 para a PlayStation 3 e visa

Leia mais

PROGRAMA DE FUTEBOL 10ª Classe

PROGRAMA DE FUTEBOL 10ª Classe PROGRAMA DE FUTEBOL 10ª Classe Formação de Professores do 1º Ciclo do Ensino Secundário Disciplina de Educação Física Ficha Técnica Título Programa de Futebol - 10ª Classe Formação de Professores do 1º

Leia mais

RELATÓRIO FRANCHISING

RELATÓRIO FRANCHISING RELATÓRIO FRANCHISING ESTUDO DO PERFIL E SATISFAÇÃO DO FRANCHISADO EM PORTUGAL JULHO 2013 Índice ENQUADRAMENTO... 3 METODOLOGIA (FICHA TÉCNICA)... 4 ANÁLISE DE RESULTADOS... 5 CARACTERIZAÇÃO DO FRANCHISADO...

Leia mais

Histórico de Confrontos. Rio Ave Futebol Clube. Vitória Futebol Clube

Histórico de Confrontos. Rio Ave Futebol Clube. Vitória Futebol Clube Verde Paixão #11 Histórico de Confrontos Rio Ave Futebol Clube Vitória Futebol Clube Rio Ave FC 2x0 Vitória FC - 17-08-2014 Rio Ave FC 1x1 Vitória FC - 15-01-2014 Rio Ave FC 1x0 Vitória FC - 04-01-2014

Leia mais

R E G U L A M E N T O

R E G U L A M E N T O R E G U L A M E N T O CAMPEONATO PAULISTA DE CLUBES E CAMPEONATO PAULISTA DE EQUIPES 2012 1. DA REALIZAÇÃO DO CAMPEONATO: Evento promovido, realizado e coordenado pela Federação Paulista de Boliche (FPBOL).

Leia mais

Torneio de Xadrez da União das Freguesias de S. Mamede de Infesta e Sr.ª da Hora

Torneio de Xadrez da União das Freguesias de S. Mamede de Infesta e Sr.ª da Hora Torneio de Xadrez da União das Freguesias de S. Mamede de Infesta e Sr.ª da Hora 20 de Junho, 2015 GX 113 Comemoração do 2º aniversário Apoio: Regulamento 1. O Torneio de Xadrez da União de Freguesias

Leia mais