Liderança e Gestão de Equipas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Liderança e Gestão de Equipas"

Transcrição

1 Liderança e Gestão de Equipas

2 Procura-se que esta acção seja: prática, que forneça aos participantes soluções facilmente aplicáveis no quotidiano e permitam pilotar com eficácia e optimizar o funcionamento das suas equipas. motivadora, funcionando como incentivo à aplicação prática, desde o primeiro minuto de formação em sala; geradora de melhoria visível ao nível dos resultados operacionais, da produtividade, do desempenho dos colaboradores. De forma a responder a este objectivos, propomos uma acção adaptada ao perfil dos participantes e e aos desafios específicos que encontram no seu contexto de trabalho.

3 1. Preparação da acção de formação OBJECTIVOS Propomos fazer preceder a realização da acção de uma etapa de preparação, com o objectivo de: - identificar as prioridades operacionais do grupo de participantes e as competências individuais a desenvolver; - ajustar os conteúdos propostos às prioridades efectivas dos participantes. 3

4 Realização da acção de formação Liderança Eficaz OBJECTIVO Desenvolver competências de Liderança e dotar os participantes de ferramentas de gestão de equipas. RESULTADOS/CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS No final desta acção de Formação, cada gestor: Compreende e assume o seu papel de gestor de uma equipa; Constrói, formula e partilha com a equipa objectivos mobilizadores e mensuráveis; Conhece as ferramentas de comunicação que lhe permitem responsabilizar os elementos da sua equipa e centrar-se nas suas prioridades como gestor; 4

5 Sabe como e quando ser directivo ou participativo, de forma a assegurar a obtenção de resultados; Sabe delegar e utilizar a delegação como factor de sucesso da gestão do seu tempo; É capaz de adaptar o seu estilo de gestão de equipas ao perfil dos seus colaboradores e ao tipo de situação; Sabe anunciar uma decisão com eficácia e de forma assertiva; Privilegia a escuta, o diálogo e a recolha de ideias dos colaboradores no dia-a-dia; Dispõe de instrumentos para desenvolver a capacidade de escuta, atenção e de recolha de informação sobre as expectativas dos colaboradores; Sabe gerir conflitos de forma eficaz; É capaz de utilizar ferramentas de acompanhamento e controlo dos resultados do desempenho dos colaboradores; 5

6 Dá feed-back aos colaboradores numa perspectiva de melhoria contínua; Conduz com objectividade e de forma positiva uma entrevista de aperfeiçoamento ou de repreensão; Compreende o funcionamento da motivação como processo, os factores de motivação individuais e o seu impacte no desempenho do grupo e na sua orientação para objectivos; Sabe como integrar a avaliação do desempenho num plano de motivação e melhoria da performance do colaborador; Utiliza as ferramentas de comunicação ascendente a ganhar eficácia e reforçar a próactividade, a sua e a dos seus colaboradores; Usa ferramentas de comunicação para grupos e apoia-se na eficácia da sua comunicação para dinamizar o trabalho em equipa e optimizar resultados; Compreende o funcionamento da motivação como processo, os factores de motivação 6

7 individuais e o seu impacte no desempenho do grupo e na sua orientação para objectivos; Sabe como integrar a avaliação do desempenho num plano de motivação e melhoria da performance do colaborador; Anima de forma eficaz reuniões de partilha de objectivos, apresentação de planos de acção e acompanhamento de resultados; Reconhece as diferentes etapas para a resolução de problemas em grupo e implementa-as de forma eficaz; Sabe como envolver, responsabilizar e mobilizar o grupo na resolução de um problema e na construção de planos de acção de melhoria. 3. METODOLOGIA A eficácia desta acção resulta dos seguintes vectores de acção: 7

8 ABORDAGEM PRÁTICA Cada tema é abordado a partir de casos concretos, que os participantes analisam e resolvem. O grupo é envolvido na construção das soluções mais adequadas para cada caso e permanentemente convidado a estabelecer a ponte com as situações do seu dia-a-dia. TREINO E FEEDBACK PERSONALIZADO: Cada participante treina as diferentes situações, através de simulação de casos concretos, para os quais experimenta, observa e avalia as soluções mais adequadas para o seu caso particular e no seu contexto e actividade específicos. Na sequência das situações simuladas, cada participante recebe feedback adaptado ao seu perfil, ganhando consciência dos seus pontos fortes e recebendo indicações para o aperfeiçoamento dos pontos a desenvolver. 8

9 PLANO PESSOAL DE MUDANÇA: Ao longo do seminário de formação em sala, os participantes constroem o seu plano de acção pessoal, relativo a cada um dos temas abordados, a partir do feedback que receberam e a partir dos casos e simulações que observaram. Ana Cristina Neto OGY Formação e Desenvolvimento de Recursos Humanos 9

CURSO LIDERANÇA E GESTÃO DE EQUIPAS

CURSO LIDERANÇA E GESTÃO DE EQUIPAS CURSO LIDERANÇA E GESTÃO DE EQUIPAS ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 03 2. DESENVOLVIMENTO A. Proposta pedagógica B. Investimento C. Condições de participação 03 03 04 04 3. FICHA DE INSCRIÇÃO 05 02 Moneris Academy

Leia mais

ATENDIMENTO PESSOAL E TELEFÓNICO

ATENDIMENTO PESSOAL E TELEFÓNICO ÁREA COMERCIAL ATENDIMENTO PESSOAL E TELEFÓNICO Como entusiasmar clientes pela forma de atender? Desenvolver competências técnicas e relacionais que potenciem a angariação e satisfação de clientes. Atendimento

Leia mais

DESIGNING YOUR ACHIEVEMENT PRODUTOS E SERVIÇOS

DESIGNING YOUR ACHIEVEMENT PRODUTOS E SERVIÇOS DESIGNING YOUR ACHIEVEMENT PRODUTOS E SERVIÇOS Gestão de Tempo e Produtividade Pessoal HIGHER LEVELS OF ACHIEVEMENT MORE MEANINGFUL RESULTS BETTER BALANCED LIFE-STYLE NEM SEMPRE A CAPACIDADE DE REALIZAÇÃO

Leia mais

Balanced Scorecard e a

Balanced Scorecard e a Sessões de Trabalho Balanced Scorecard e a Execução Estratégica Programa de 3 dias de Treino Inscrições até 31/Março = 375 + IVA Inscrições até 11/Abril = 750 + IVA Local: Armazém SYV (em Lisboa, na Junqueira)

Leia mais

ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL

ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL ÁREA COMPORTAMENTAL E DESENVOLVIMENTO PESSOAL COMUNICAÇÃO E IMAGEM COMO FACTORES COMPETITIVOS A sua empresa tem problemas ao nível da comunicação interna? Promover a Comunicação assertiva no relacionamento

Leia mais

LEARNING MENTOR. Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219. Perfil do Learning Mentor. Módulos da acção de formação

LEARNING MENTOR. Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219. Perfil do Learning Mentor. Módulos da acção de formação LEARNING MENTOR Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219 Perfil do Learning Mentor Módulos da acção de formação 0. Pré-requisitos para um Learning Mentor 1. O papel e a função que um Learning Mentor

Leia mais

Marketing e Comunicação Interna

Marketing e Comunicação Interna Marketing e Comunicação Interna Mestrado em Gestão e Desenvolvimento de RH 2º Semestre Cristina Mouta 2 Conteúdo Programático 2. Marketing interno 2.1. Conceito 2.2. Teorias e ferramentas do Marketing

Leia mais

Liderança. www.propeople-brasil.com.br

Liderança. www.propeople-brasil.com.br P Liderança para Chefias ara que as organizações subsistam no contexto atual é necessário que possuam colaboradores motivados, pró-ativos, dinâmicos, capazes de trabalhar em equipe e com elevado grau de

Leia mais

Anexo VI (A que se refere o artigo 2.º) LISTA DE COMPETÊNCIAS DIRIGENTES INTERMÉDIOS

Anexo VI (A que se refere o artigo 2.º) LISTA DE COMPETÊNCIAS DIRIGENTES INTERMÉDIOS Anexo VI (A que se refere o artigo 2.º) LISTA DE COMPETÊNCIAS DIRIGENTES INTERMÉDIOS N.º ORIENTAÇÃO PARA RESULTADOS: Capacidade para se focalizar na concretização dos objectivos do serviço e garantir que

Leia mais

Instituto Superior de Economia e Gestão MBA/GEI/GETI 2005/2006. Ponto 4 Recrutamento, Selecção e Socialização. Gestão de Recursos Humanos

Instituto Superior de Economia e Gestão MBA/GEI/GETI 2005/2006. Ponto 4 Recrutamento, Selecção e Socialização. Gestão de Recursos Humanos Instituto Superior de Economia e Gestão MBA/GEI/GETI 2005/2006 Ponto 4 Recrutamento, Selecção e Socialização Integração e Adaptação de Recursos: Objectivos Suprir as necessidade de pessoal e fazê-lo de

Leia mais

Avaliação de Desempenho

Avaliação de Desempenho Queremos que nossos relatórios tenham impacto em você, mas não no meio ambiente. Por favor, imprima somente as páginas que precisar. Avaliação de Desempenho Relatório Individual John Smith Example RELACIONAMENTO

Leia mais

Cegoc Moçambique O MAIOR GRUPO EUROPEU DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGORA EM MOÇAMBIQUE. cegoc.co.mz

Cegoc Moçambique O MAIOR GRUPO EUROPEU DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGORA EM MOÇAMBIQUE. cegoc.co.mz Cegoc Moçambique Formação e Consultoria em Capital Humano O MAIOR GRUPO EUROPEU DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGORA EM MOÇAMBIQUE cegoc.co.mz O maior grupo europeu de formação profissional agora em Moçambique

Leia mais

APRESENTAÇÃO. www.get-pt.com 1

APRESENTAÇÃO. www.get-pt.com 1 APRESENTAÇÃO www.get-pt.com 1 -2- CULTURA GET -1- A nossa Visão Acreditamos que o elemento crítico para a obtenção de resultados superiores são as Pessoas. A nossa Missão A nossa missão é ajudar a melhorar

Leia mais

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO ANEXO III REGULAMENTO DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Artigo 1.º Âmbito 1 - O presente regulamento de avaliação de desempenho aplica-se a todos os docentes que se encontrem integrados na carreira. 2 - A avaliação

Leia mais

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO

LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO LISTA DE COMPETÊNCIAS TÉCNICO SUPERIOR E TÉCNICO N.º ORIENTAÇÃO PARA RESULTADOS: Capacidade para concretizar eficiência os objectivos do serviço e as tarefas e que lhe são solicitadas. com eficácia e 1

Leia mais

Competir na Economia do Conhecimento

Competir na Economia do Conhecimento Competir na Economia do Conhecimento Formação Outdoor 17 de Outubro de 2007 S. Pedro de Moel Nesta acção de formação outdoor, de cariz comportamental, será dada ênfase ao trabalho em equipa, muito importante

Leia mais

Transferência da Aprendizagem conduz a resultados sustentados Optimização da Formação em 186%

Transferência da Aprendizagem conduz a resultados sustentados Optimização da Formação em 186% Transferência da Aprendizagem conduz a resultados sustentados Optimização da Formação em 186% Resumo do Estudo Para efeitos deste estudo, analisámos 32 pesquisas que comparam o impacto da formação isolada

Leia mais

GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO

GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO GLOSSÁRIO DE FORMAÇÃO Acolhimento - Acções que visam proporcionar ao colaborador um conjunto de referências e conhecimentos, relacionados com o ambiente organizacional e a função, tendo como objectivo

Leia mais

Criatividade e Inovação Organizacional: A liderança de equipas na resolução de problemas complexos

Criatividade e Inovação Organizacional: A liderança de equipas na resolução de problemas complexos Criatividade e Inovação Organizacional: A liderança de equipas na resolução de problemas complexos Dizer que o grande segredo do sucesso das empresas, especialmente em tempos conturbados, é a sua adaptabilidade

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

Sales Coaching Melhorar o Desempenho

Sales Coaching Melhorar o Desempenho Sales Coaching Melhorar o Desempenho SALES COACHING O que traz de novo? Um componente chave na gestão das pessoas, é ajudá-las a formar as suas capacidades e desenvolver as suas potencialidades. Uma forma

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Manual de Políticas da CERCI Elaborado por/data Departamento de Gestão da Qualidade/Março 2013 Aprovado por/data Direção/18.03.2013 Revisto por/data Índice 1. Política e Objetivos

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

sistema de gestão do desempenho e potencial Directório de Competências e de Perfis Profissionais

sistema de gestão do desempenho e potencial Directório de Competências e de Perfis Profissionais SGDP sistema de gestão do desempenho e potencial :: Directório de Competências e de Perfis Profissionais :: Directório de Competências e de Perfis Profissionais ÍNDICE Competências Inovação e Criatividade

Leia mais

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de

A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de A Importância dos Recursos Humanos (Gestão de Pessoas) na Gestão Empresarial Marketing Interno Licenciatura de Comunicação Empresarial 3º Ano Docente: Dr. Jorge Remondes / Discente: Ana Teresa Cardoso

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A.

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. Empresa especializada na concepção, instalação e manutenção de equipamentos para a indústria hoteleira, restauração e similares. Primeira empresa do sector a nível

Leia mais

Referencial técnico-pedagógico da intervenção

Referencial técnico-pedagógico da intervenção Referencial técnico-pedagógico da intervenção De seguida explicitamos os referenciais técnico-pedagógicos das fases do MOVE-PME que carecem de uma sistematização constituindo factores de diferenciação

Leia mais

PROPOSTA DE SERVIÇOS RECURSOS HUMANOS EXCELLING BUSINESSES THROUGH PEOPLE

PROPOSTA DE SERVIÇOS RECURSOS HUMANOS EXCELLING BUSINESSES THROUGH PEOPLE PROPOSTA DE SERVIÇOS RECURSOS HUMANOS SABIA QUE Organizações que contam com RH eficientes, têm resultados económicos 2 vezes superiores do que aquelas que praticam uma fraca gestão das pessoas? Creating

Leia mais

ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL A profissionalização dos membros da Organização, enquanto factor determinante da sua eficácia na prevenção e no combate aos incêndios florestais, requer a criação de um programa

Leia mais

CAPÍTULO 2 INTRODUÇÃO À GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES

CAPÍTULO 2 INTRODUÇÃO À GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES Processos de Gestão ADC/DEI/FCTUC/2000/01 CAP. 2 Introdução à Gestão das Organizações 1 CAPÍTULO 2 INTRODUÇÃO À GESTÃO DAS ORGANIZAÇÕES 2.1. Conceito de Gestão Vivemos numa sociedade de organizações (dos

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO

COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO DEFINIÇÕES OPERACIONAIS E INDICADORES COMPORTAMENTAIS Pag. 1 Elaborada por Central Business Abril 2006 para o ABRIL/2006 2 COMPETÊNCIAS CHAVE PARA O EMPREENDEDORISMO

Leia mais

Our people make the difference

Our people make the difference Our people make the difference 1 Paulo Renato Pereira Exponor, 04.05.2006 Gestão por Competências Breve introdução: Gestão por competências Importância das competências transversais Exemplos de competências

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

As promoções no ponto de venda Ir ao encontro do seu consumidor

As promoções no ponto de venda Ir ao encontro do seu consumidor As promoções Neste curso serão abordadas as melhores práticas na comunicação e gestão do design aplicadas aos espaços comerciais, no seu contributo para a rentabilidade das empresas. Porquê participar

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt Telf: Lisboa +351 217 931 365 Luanda: +244 94 112 60 90 Maputo: +258 82 019 0748

www.highskills.pt geral@highskills.pt Telf: Lisboa +351 217 931 365 Luanda: +244 94 112 60 90 Maputo: +258 82 019 0748 Índice Designação do Curso... 3 Apresentação do Curso... 3 Carga horária:... 4 Perfil de saída... 4 Pré-Requisitos... 4 Objetivos gerais... 4 Objetivos específicos... 4 Conteúdos Programáticos... 5 Metodologia...

Leia mais

Gestão de Projectos. Área de Management/ Comportamental

Gestão de Projectos. Área de Management/ Comportamental Gestão de Projectos Área de / Comportamental INFORMAÇÕES E INSCRIÇÕES Tel. (+351) 21 314 34 50 Fax. (+351) 21 314 34 49 e-mail. cursos@globalestrategias.pt Web. www.globalestrategias.pt 63 Project Fundamentals

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT PROJECTOS DE CRIAÇÃO E REFORÇO DE COMPETÊNCIAS INTERNAS DE I&DT: NÚCLEOS DE I&DT AVISO N.º 08/SI/2009 REFERENCIAL DE ANÁLISE DO MÉRITO DO PROJECTO Regra geral, o indicador

Leia mais

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.

AGENDA 21 escolar. Pensar Global, agir Local. Centro de Educação Ambiental. Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89 N 9º15'50. AGENDA 21 escolar Pensar Global, agir Local Centro de Educação Ambiental Parque Verde da Várzea 2560-581 Torres Vedras 39º05'08.89" N 9º15'50.84" O 918 773 342 cea@cm-tvedras.pt Enquadramento A Agenda

Leia mais

Prover conhecimento, aprimorar habilidades e inspirar novas atitudes de pessoas ou empresas através de diagnóstico comportamental e da aplicação

Prover conhecimento, aprimorar habilidades e inspirar novas atitudes de pessoas ou empresas através de diagnóstico comportamental e da aplicação Prover conhecimento, aprimorar habilidades e inspirar novas atitudes de pessoas ou empresas através de diagnóstico comportamental e da aplicação contínua de treinamentos e palestras Eduardo Amati em Treinamentos

Leia mais

Coaching Para a EXCELÊNCIA

Coaching Para a EXCELÊNCIA Coaching Para a EXCELÊNCIA António Santos António Santos Coaching ferramenta que permite elevar o nível de lucidez Mudanças que alargam horizontes. COACHING para a EXCELÊNCIA Mudanças que alargam horizontes.

Leia mais

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE 3. Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete 65 66 3.1 Objectivos e Princípios Orientadores O sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete, adiante designado

Leia mais

Os 7 Pilares da Gestão - Ciclo de Workshops Qualidade da Gestão nas PMEs Portuguesas -

Os 7 Pilares da Gestão - Ciclo de Workshops Qualidade da Gestão nas PMEs Portuguesas - Vários estudos provam que a Gestão de Recursos Humanos é a área mais problemática nas organizações e a que consome grande parte do tempo do empresário. Por outro lado, a área da inovação e do Marketing

Leia mais

REGULAMENTO. 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH.

REGULAMENTO. 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH. 12 de Março de 2014 Centro de Congressos do Estoril REGULAMENTO DISPOSIÇÕES GERAIS 1) Os Masters do Capital Humano são uma iniciativa do Grupo IFE e do Salão Profissional de Recursos Humanos - EXPO RH.

Leia mais

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO Como fazemos 1. Através do Serviço de Assistência Empresarial (SAE), constituído por visitas técnicas personalizadas às

Leia mais

DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004)

DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004) DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004) por Mónica Montenegro, Coordenadora da área de Recursos Humanos do MBA em Hotelaria e

Leia mais

ÍNDICE A CATÓLICA LISBON COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL. As nossas acreditações A nossa oferta A Formação de Executivos

ÍNDICE A CATÓLICA LISBON COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL. As nossas acreditações A nossa oferta A Formação de Executivos ÍNDICE A CATÓLICA LISBON 02 As nossas acreditações A nossa oferta A Formação de Executivos COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Conteúdos Programáticos Metodologia Docente 04 05 07 07 2015 SEMINÁRIO DE COMUNICAÇÃO

Leia mais

COACHING COMERCIAL. - Um PROCESSO ao serviço do. DESENVOLVIMENTO Pessoal e. Profissional - DESENVOLVIMENTO DA PERFORMANCE COMERCIAL LACOSTE P/V 2008

COACHING COMERCIAL. - Um PROCESSO ao serviço do. DESENVOLVIMENTO Pessoal e. Profissional - DESENVOLVIMENTO DA PERFORMANCE COMERCIAL LACOSTE P/V 2008 COACHING COMERCIAL LACOSTE P/V 2008 - Um PROCESSO ao serviço do DESENVOLVIMENTO Pessoal e Profissional - 1 COACHING: do que se trata! Existem variadas definições para caracterizar o Coaching, no entanto

Leia mais

Os desafios da gestão de processos numa Instituição Financeira

Os desafios da gestão de processos numa Instituição Financeira Os desafios da gestão de processos numa Instituição Financeira Conferência BPM Lisboa 2011 José Líbano Monteiro Lisboa Museu do Oriente.:. 28 de Junho de 2011 Agenda Enquadramento O Desafio Reflexões 2

Leia mais

O Controlo Interno no Corporate Governance

O Controlo Interno no Corporate Governance O Controlo Interno no Corporate Governance Aplicação Prática no BCP Uma Perspectiva de Auditoria Direcção de Auditoria 18 de Setembro 2010 Direcção de auditoria Direcção de Auditoria Investigações Reclamações

Leia mais

Formação Pedagógica Inicial de Formadores

Formação Pedagógica Inicial de Formadores Formação Pedagógica Inicial de Formadores MÓDULOS CARGA HORÁRIA Acolhimento 1 O formador face aos sistemas e contextos de formação 8 Factores e processos de aprendizagem 6 Comunicação e Animação de Grupos

Leia mais

Manual Prático de Avaliação do Desempenho

Manual Prático de Avaliação do Desempenho Tendo em conta o planeamento das actividades do serviço, deve ser acordado conjuntamente entre o superior hierárquico e o trabalhador, o plano individual e os objectivos definidos para o período em avaliação.

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

Introdução ao controlo de gestão

Introdução ao controlo de gestão Introdução ao controlo de gestão Miguel Matias Instituto Superior Miguel Torga LICENCIATURA EM GESTÃO / 3ºANO 2ºSEM 2014/15 PROGRAMA 1. Introdução 2. Planeamento 3. Orçamentação 4. Controlo orçamental

Leia mais

Flexibilidade, Rigor e Objectividade na Identificação do Talento www.optimhom.pt A avaliação e o desenvolvimento de competências, são necessidades da gestão que, quando não são satisfeitas, desencadeiam

Leia mais

Cáritas Diocesana dos. Triénio 2004-7 Pastoral do Domingo

Cáritas Diocesana dos. Triénio 2004-7 Pastoral do Domingo Cáritas Diocesana dos AÇORES Triénio 2004-7 Pastoral do Domingo Diagnóstico: ESTADO DAS PARÓQUIAS -Como funcionam? - Que Pastoral Profética? - Que Pastoral Litúrgica? - Que Pastoral Social? - Virtudes

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

Formação Interempresas 2015 2.º semestre

Formação Interempresas 2015 2.º semestre Formação Interempresas 2015 2.º semestre 1 1 Formação Interempresas 2015 As ferramentas e metodologias seleccionadas têm como objectivo apoiar as organizações a adquirir conhecimentos que lhes permitam

Leia mais

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010

ARTIGO: SOLUÇÕES PARA O SECTOR AUTARQUIAS in IGOV Maio 2010 CÂMARA MUNICIPAL DE SANTARÉM - R EVOLUÇÃO ADMINISTRATIVA A Autarquia de Santarém, em parceria com a PT Prime, desenvolveu um sistema de soluções integradas e inter-operantes que lhe possibilitaram operacionalizar

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE CONSERVATÓRIO REGIONAL DE GAIA Ano Letivo 2013 2014 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOCENTE Regulamento Artigo 1.º Âmbito 1. O presente Regulamento de Avaliação de Desempenho aplica-se a todos os docentes com

Leia mais

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal

SAÚDEGLOBAL. AON Portugal SAÚDEGLOBAL AON Portugal Breve Apresentação do Negócio DADOS DE CARACTERIZAÇÃO Designação Comercial Saúdeglobal N.º Colaboradores N.º de Estabelecimentos Dispersão Geográfica Nacional Facturação em 2010

Leia mais

Jornadas dos Assistentes Técnicos de Saúde do CHP. Competências/ apetências e exigências no âmbito do assistente técnico no CHP

Jornadas dos Assistentes Técnicos de Saúde do CHP. Competências/ apetências e exigências no âmbito do assistente técnico no CHP Jornadas dos Assistentes Técnicos de Saúde do CHP Competências/ apetências e exigências no âmbito do assistente técnico no CHP Fui atrás de definições Competência: conhecimento aprofundado e reconhecido

Leia mais

Feedback 360 Graus. Relatório Individual John Smith Example

Feedback 360 Graus. Relatório Individual John Smith Example Queremos que nossos relatórios tenham impacto em você, mas não no meio ambiente. Por favor, imprima somente as páginas que precisar. Feedback 360 Graus Relatório Individual John Smith Example RELACIONAMENTO

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

CIRCULAR. Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar

CIRCULAR. Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar CIRCULAR Data: 11/04/2011 Circular nº.: 4 /DGIDC/DSDC/2011 Assunto: Avaliação na Educação Pré- Escolar Para: Inspecção-Geral de Educação Direcções Regionais de Educação Secretaria Regional Ed. da Madeira

Leia mais

SER+ no mundo da escola: projecto de promoção do clima psicossocial

SER+ no mundo da escola: projecto de promoção do clima psicossocial SER+ no mundo da escola: projecto de promoção do clima psicossocial Marisa Carvalho (Psicóloga escolar, Agrupamento de Escolas de Toutosa) Maria Céu Taveira (Professora Auxiliar, Universidade do Minho)

Leia mais

Balanced Scorecard: Modernidade na Gestão dos Negócios

Balanced Scorecard: Modernidade na Gestão dos Negócios Workshop A Competitividade das Empresas & o Balanced Scorecard Balanced Scorecard: Modernidade na Gestão JAIME RAMOS GUERRA JLM CONSULTORES DE GESTÃO, SA () INSTITUTO POLITECNICO DE LEIRIA jaime.guerra@jlm.pt

Leia mais

Enquadramento 02. Justificação 02. Metodologia de implementação 02. Destinatários 02. Sessões formativas 03

Enquadramento 02. Justificação 02. Metodologia de implementação 02. Destinatários 02. Sessões formativas 03 criação de empresas em espaço rural guia metodológico para criação e apropriação 0 Enquadramento 02 Justificação 02 de implementação 02 Destinatários 02 Sessões formativas 03 Módulos 03 1 e instrumentos

Leia mais

ANÁLISE DA PERFORMANCE FINANCEIRA POR SEGMENTOS PARA A NOVA ERA DA INDÚSTRIA DE TELEVISÃO

ANÁLISE DA PERFORMANCE FINANCEIRA POR SEGMENTOS PARA A NOVA ERA DA INDÚSTRIA DE TELEVISÃO ANÁLISE DA PERFORMANCE FINANCEIRA POR SEGMENTOS PARA A NOVA ERA DA INDÚSTRIA DE TELEVISÃO Projecto de Mestrado em Gestão 5 de Julho de 2010 Nuno Miguel Machado da Fonseca Orientadora: Prof.ª Doutora Ana

Leia mais

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 2014 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias

Leia mais

Centro de Formação Parlamentar e Interparlamentar. Relatório de Actividades

Centro de Formação Parlamentar e Interparlamentar. Relatório de Actividades Relatório de Actividades X LEGISLATURA 2005 2009 Centro de Formação Parlamentar e Interparlamentar 1 Relatório da Legislatura Introdução 3 Acções de Formação (Internas/Externas/E Learning) 5 Número de

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

Solidariedade em tempos de crise

Solidariedade em tempos de crise Solidariedade em tempos de crise O QUE É? Os grupos de Entreajuda na Procura de Emprego GEPE são grupos informais de pessoas desempregadas, que se reúnem periodicamente com o objectivo da procura activa

Leia mais

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho A Segurança não é negociável Na Nestlé, acreditamos que o sucesso sustentável apenas poderá ser alcançado através dos seus Colaboradores. Nenhum

Leia mais

(Anexo 1) Perfil de Competências

(Anexo 1) Perfil de Competências (Anexo 1) Perfil de Competências a) Tendo em conta as exigências constantes do posto de trabalho inerente ao cargo de direcção intermédia de 2.º grau, são consideradas essenciais para o profícuo desempenho

Leia mais

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados;

Permanente actualização tecnológica e de Recursos Humanos qualificados e motivados; VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos e electrónicos, oferecendo

Leia mais

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial

Qpoint Rumo à Excelência Empresarial 2 PRIMAVERA BSS Qpoint Rumo à Excelência Empresarial Numa era em que a competitividade entre as organizações é decisiva para o sucesso empresarial, a aposta na qualidade e na melhoria contínua da performance

Leia mais

LIDERANÇA DESPORTIVA APLICADA ÀS

LIDERANÇA DESPORTIVA APLICADA ÀS Formação LIDERANÇA DESPORTIVA APLICADA ÀS - A Liderança do Desporto para as Organizações - Luanda 17 e 18 Março 2015 Hotel Skyna **** Em parceria com Apresentação Alcançar elevados níveis de desempenho

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES OS MODELOS DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE / SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE.

QUALIFICAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES OS MODELOS DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE / SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. QUALIFICAÇÃO DAS INSTITUIÇÕES OS MODELOS DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE / SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE. Por: Cândido Pires Presidente da Direcção do Centro de Solidariedade de Braga, Licenciado em Engenharia,

Leia mais

Análise de conteúdo dos programas e planificações António Martins e Alexandre Ventura - 1

Análise de conteúdo dos programas e planificações António Martins e Alexandre Ventura - 1 1 Domínio perceptivo-cognitivo Visão global dos fenómenos Análise de uma situação Identificação de problemas Definição de estratégias para a resolução de problemas Pesquisa e selecção da informação Aplicação

Leia mais

LIDERANÇA DOCENTE E INDISCIPLINA NO ENSINO PRÉ ESCOLAR Estudo de Caso

LIDERANÇA DOCENTE E INDISCIPLINA NO ENSINO PRÉ ESCOLAR Estudo de Caso LIDERANÇA DOCENTE E INDISCIPLINA NO ENSINO PRÉ ESCOLAR Estudo de Caso Orientadora: Prof. Doutora Alice Maria Justa Ferreira Mendonça Paula Alexandra Pereira Rodrigues de Caíres Funchal 2011 Escolha do

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO

EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO EXPERIMENTAR PODE SER VOAR PARA OUTRO ESPAÇO In: Pensar avaliação, melhorar a aprendizagem /IIE Lisboa: IIE, 1994 (...) tenho de observar o mundo a partir de outra óptica, outra lógica, e outros métodos

Leia mais

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho

IDERANÇA E GESTÃO. Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho L DE PESSOAS IDERANÇA E GESTÃO Desenvolver competências que permitam acompanhar, motivar, desenvolver e avaliar equipas de trabalho Coordenadores e Chefias Intermédias Adquirir técnicas de Liderança, de

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão. Evento IDC PME 24.set.2008. Carlos Neves

Sistema Integrado de Gestão. Evento IDC PME 24.set.2008. Carlos Neves Sistema Integrado de Gestão Evento IDC PME 24.set.2008 Carlos Neves Agradecimentos Carlos Neves - 24.Set.08 2 Sumário 1. Oportunidades e desafios para as PME 2. Os projectos SI/TI e a Mudança 3. Perspectivas

Leia mais

CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE

CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE CONCORRÊNCIA E COMPETITIVIDADE Capítulo 7 Balanced Scorecard ÍNDICE 7.1 O que é o Balanced Scorecard 7.2 Indicadores de Ocorrência 7.3 O Método 7.4 Diagramas de Balanced Scorecard Capítulo 7 - BALANCED

Leia mais

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA

MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA MISSÃO, VISÃO, VALORES E POLÍTICA VISÃO Ser a empresa líder e o fornecedor de referência do mercado nacional (na área da transmissão de potência e controlo de movimento) de sistemas de accionamento electromecânicos

Leia mais

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO

AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO MINISTÉRIO Organismo/Serviço NIF FICHA DE AVALIAÇÃO PARA O PESSOAL DOS GRUPOS PROFISSIONAIS TÉCNICO PROFISSIONAL E ADMINISTRATIVO Avaliador Cargo NIF A preencher pelo avaliador Avaliado Unidade orgânica

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

Unidade 9: Diálogos deliberativos

Unidade 9: Diálogos deliberativos Unidade 9: Diálogos deliberativos Como podemos utilizar as sínteses de evidências? Informar os grupos de interesse Divulgação da síntese de políticas Informações adaptadas derivadas da síntese Meios de

Leia mais

Identificação da empresa

Identificação da empresa Identificação da empresa ANA Aeroportos de Portugal, S.A. Missão, Visão e Valores Missão da ANA A ANA - Aeroportos de Portugal, SA tem como missão gerir de forma eficiente as infraestruturas aeroportuárias

Leia mais

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Conexã Gerencial

Programa de Desenvolvimento Gerencial. Conexã Gerencial Conexão Gerencial é um programa modular de Desenvolvimento Gerencial cujos principais objetivos são: Promover um choque de cultura e competência gerencial e tornar mais efetivo o papel dos Gestores. Alinhar

Leia mais

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que:

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que: C 297/6 Resolução do Conselho e dos Representantes Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, relativa à realização dos objectivos comuns em matéria de participação e informação dos jovens para

Leia mais

SENTE FAZ PARTILHA IMAGINA. Kit do Professor

SENTE FAZ PARTILHA IMAGINA. Kit do Professor Kit do Professor A Associação High Play pretende proporcionar a crianças e jovens um Projecto Educativo preenchido de experiências positivas que permitam o desenvolvimento de competências transversais

Leia mais

Um dos melhores Programas de Capacitação de Líderes do Mundo

Um dos melhores Programas de Capacitação de Líderes do Mundo Um dos melhores Programas de Capacitação de Líderes do Mundo O Leader Coaching Traning é um programa de treinamento em Coaching para Líderes, licenciado pela World Federation of Coaching (WFC), entidade

Leia mais