Controle de Qualidade e Diferenciais Analíticos em Análises Ambientais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Controle de Qualidade e Diferenciais Analíticos em Análises Ambientais"

Transcrição

1 Controle de Qualidade e Diferenciais Analíticos em Análises Ambientais Marcelo Takata Gerente Técnico Brasil ALS Life Sciences Division / Corplab RIGHT S O L U T I O N S RIGHT PARTNER

2 Controle de Qualidade Objetivo: Obtenção de dados consistentes que permitam uma base segura para tomada de decisões em avaliações ambientais. Como atingir? Plano QA/CQ QA (Qualidade Assegurada) -> Medidas gerenciais que conduzem a produção de dados com precisão e exatidão conhecidos. CQ (Controle de Qualidade) -> Sistema de atividades técnicas incluindo amostragem, calibração e procedimentos analíticos que evidenciam QA. RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 2

3 Garantia da Qualidade dos Resultados Recebimento de Amostras: Integridade dos frascos e caixas térmicas; Frascos devidamente identificados; Temperatura apropriada; Cadeia de custódia corretamente preenchida; RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 3

4 Garantia da Qualidade dos Resultados Atenção: Tipo de frasco; Preservação das amostras (Temperatura, Preservante Químico, ph, etc.); Holding Time (Prazo de validade da amostra); Consequência do não cumprimento dos critérios acima: Recusa do laudo pelo órgão ambiental. RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 4

5 Garantia da Qualidade dos Resultados RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 5

6 Garantia da Qualidade dos Resultados Preparação de Amostras Branco do método; LCS (Laboratory Control Sample Amostra de Controle do Laboratório); Duplicata; MS (Matrix Spike Matriz Fortificada); MSD (Matrix Spike Duplicate Duplicata da Matriz Fortificada); Surrogate (Para compostos orgânicos); Instrumental Brancos de Checagem > (ICB Initial Calibration Blank / CCB Continuous Calibration Blank) Padrões de Checagem > (ICV Initial Calibration Verification / CCV Continuous Calibration Verification) RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 6

7 Garantia da Qualidade dos Resultados: Preparação de Amostras Branco do Método: Amostra que consiste de água ou areia, livres de contaminações, que contém reagentes na mesma proporção em que são utilizadas nas amostras; Utilizado para determinar se há contaminação proveniente do laboratório e se esta contaminação pode afetar a qualidade dos resultados analíticos; Passa exatamente pelo mesmo processo o qual as amostras serão submetidas; O valor do branco deve ser menor que o limite de quantificação do método; RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 7

8 Garantia da Qualidade dos Resultados: Preparação de Amostras LCS (Laboratory Control Sample Amostra Controle de Laboratório) Amostra que consiste de água ou areia, livres de contaminações, que contém reagents na mesma proporção em que são utilizadas nas amostras, o qual são fortificadas com concentrações conhecidas dos compostos de interesse; Evidencia o desempenho de um método analítico (por exatidão); Passa exatamente pelo mesmo processo o qual as amostras serão submetidas; Os resultados de amostra LCS devem estar dentro de faixa aceitável de recuperação; RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 8

9 Garantia da Qualidade dos Resultados: Preparação de Amostras Duplicata: Coleta em duplicata de uma mesma amostra para análise no laboratório; Verifica a qualidade do trabalho de amostragem em campo; Verifica a homogeneidade da análise no laboratório; Desvio padrão relativo entre os dois resultados deve ser menor do que 20%; Dupl. RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 9

10 Garantia da Qualidade dos Resultados: Preparação de Amostras MS/MSD (Matrix Spike / Matrix Spike Duplicate): Na amostra, aplica-se padrão de concentração conhecida dos compostos de interesse; Verifica interferência de matriz na medida dos compostos de interesse; MS mede a exatidão dessa verificação; MSD mede exatidão e reprodutibilidade dessa verificação; Padrão Padrão MS MSD RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 10

11 Garantia da Qualidade dos Resultados: Preparação de Amostras Surrogate: 1) Padrões bromados ou deuterados que são incorporados às amostras para análise de compostos orgânicos (VOC, SVOC, Pesticidas, entre outros). 2) Têm características similares aos compostos de interesse mas não são encontrados em amostras ambientais 3) A recuperação é usada como uma medida de exatidão e para julgar o efeito da matriz da amostra na recuperação dos compostos de interesse. Padrão Surrogate RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 11

12 Garantia da Qualidade dos Resultados Preparação de Amostras Branco do método; LCS (Laboratory Control Sample Amostra de Controle do Laboratório); Duplicata; MS (Matrix Spike Matriz Fortificada); MSD (Matrix Spike Duplicate Duplicata da Matriz Fortificada); Surrogate (Para compostos orgânicos); Instrumental Brancos de Checagem > (ICB Initial Calibration Blank / CCB Continuous Calibration Blank) Padrões de Checagem > (ICV Initial Calibration Verification / CCV Continuous Calibration Verification) RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 12

13 Garantia da Qualidade dos Resultados: Instrumental RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 13

14 Garantia da Qualidade dos Resultados: Instrumental ICB/CCB: Checagem de branco de instrumento; CCB/CCV: Checagens da calibração do instrumento; ICB ICV Amostras + CQ Prep. CCB CCV Carryover RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 14

15 Garantia da Qualidade dos Resultados Preparação de Amostras Branco do método (Resultado < LQ); LCS - Laboratory Control Sample (Resultado em % Recuperação); Duplicata (RSD 20%); MS - Matrix Spike (Resultado em % Recuperação); MSD - Matrix Spike Duplicate (Resultado em % Recuperação + RSD 20% c/ MS); Surrogate (Resultado em % Recuperação); Instrumental ICB / CCB (Resultado < LQ); ICV / CCV (Resultado em % Recuperação); RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 15

16 Garantia da Qualidade dos Resultados Limites de Detecção e de Quantificação Limite de detecção (LD): é a menor quantidade de analito presente na amostra, que pode ser detectada mas não necessariamente quantificada, independentemente do ruído com 99% de probabilidade de ser diferente do sinal do branco; Limite de quantificação (LQ): é a menor quantidade de analito presente na amostra, que pode ser determinado com exatidão e precisão aceitável; Como são obtidos? Estudo de MDL (Method Detection Limit); RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 16

17 Controle de Qualidade Objetivo: Obtenção de dados consistentes que permitam uma base segura para tomada de decisões em avaliações ambientais. Como atingir? Plano QA/CQ QA (Qualidade Assegurada) -> Medidas gerenciais que conduzem a produção de dados com precisão e exatidão conhecidos. CQ (Controle de Qualidade) -> Sistema de atividades técnicas incluindo amostragem, calibração e procedimentos analíticos que evidenciam QA. RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 17

18 Qualidade OK OK OK OK OK RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 18

19 Qualidade: Medidas Gerenciais Instrumentos aplicáveis a análises ambientais; Instrumentos com LQ s para atendimento a legislações; Instrumentos sobressalentes; GC Duplo FID ICP GC-MS (CombiPal) Cromatógrafo Iônico LCMS/MS Gallery Analisador de Carbono Orgânico Total Analisador Automático de Cianeto SKALAR RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 19

20 Qualidade: Medidas Gerenciais Laboratório de Alta Resolução em Houston - EUA (Dioxinas & Furanos / Congêneres de PCB s) RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 20

21 Qualidade: Medidas Gerenciais Armazenagem segura e apropriada das amostras; Câmara Fria Elevador Monta-Carga RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 21

22 Qualidade: Medidas Gerenciais Rastreabilidade das amostras; Gerenciamento via software; RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 22

23 Qualidade: Como evidenciar? Certificação do laboratório segundo ABNT NBR O laboratório possui um sistema de qualidade; 2. O laboratório é tecnicamente competente; 3. O laboratório é capaz de gerar resultados tecnicamente válidos. RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 23

24 Garantia da Qualidade dos Resultados Amostras Certificadas Amostras reais com concentrações conhecidas dos compostos de interesse; RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 24

25 Garantia da Qualidade dos Resultados Participação em ensaios de proficiência RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 25

26 Garantia da Qualidade dos Resultados COMUNICAÇÃO LABORATÓRIO & CLIENTE RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 26

27 Obrigado por sua presença! Marcelo Takata RIGHT SOLUTIONS RIGHT PARTNER 27

Controle de Qualidade de Laboratório

Controle de Qualidade de Laboratório Controle de Qualidade de Laboratório de Ensaio Aliado à Tecnologia Paulo Henrique Muller Sary Diretor Técnico SaaS Ambiental Porto Alegre, 25 de julho de 2014. Garantia da Qualidade O programa de garantia

Leia mais

MÉTODOS DE CALIBRAÇÃO

MÉTODOS DE CALIBRAÇÃO MÉTODOS DE CALIBRAÇÃO Sinais obtidos por equipamentos e instrumentos devem ser calibrados para evitar erros nas medidas. Calibração, de acordo com o INMETRO, é o conjunto de operações que estabelece, sob

Leia mais

Ensaios de Proficiência

Ensaios de Proficiência Ensaios de Proficiência Xerém, 01 de Junho de 2007 Thiago de Oliveira Araujo Pesquisador Labin - Dquim Introdução A ISO Guia 43 Preparo das amostras Análise dos dados Conclusões Sumário Introdução Conceitos

Leia mais

ISO 17025 Versão 2005

ISO 17025 Versão 2005 1º Fórum Regional de Química - ES ISO 17025 Versão 2005 Rev. 14 Samuel Vieira JUN/2010 1 Terminologia e Siglas ABNT NBR ISO 9000:2000 Sistemas de gestão da qualidade Fundamentos e Vocabulário ABNT NBR

Leia mais

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES

O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES O IMPORTANTE PAPEL DA GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS DE ANÁLISE CONTROLE DE EFLUENTES Natália de Freitas Colesanti Perlette (1) Engenheira Ambiental formada na Universidade Estadual Paulista Júlio

Leia mais

ENSAIO PROFICIÊNCIA: UMA FERRAMENTA PARA CONTROLE DA QUALIDADE ALINE MAGALHÃES DE MATOS

ENSAIO PROFICIÊNCIA: UMA FERRAMENTA PARA CONTROLE DA QUALIDADE ALINE MAGALHÃES DE MATOS ENSAIO PROFICIÊNCIA: UMA FERRAMENTA PARA CONTROLE DA QUALIDADE ALINE MAGALHÃES DE MATOS AEQ-FUNED 1. INTRODUÇÃO Ensaio de proficiência avalia o desempenho de um laboratório, comparando-o com os de mesma

Leia mais

REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO

REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO ABNT NBR ISO/IEC 17025:2005 REQUISITOS PARA ACREDITAÇÃO OBJETIVO Demonstrar a documentação básica necessária para atender aos requisitos de acreditação para ensaios. ISO 9001 X ISO 17025 Abordagem Abrangência

Leia mais

Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição

Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição Curso Calibração, Ajuste, Verificação e Certificação de Instrumentos de Medição Instrutor Gilberto Carlos Fidélis Eng. Mecânico com Especialização em Metrologia pelo NIST - Estados Unidos e NAMAS/UKAS

Leia mais

RM 62 REQUISITOS SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE LABORATÓRIOS EM ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA SUMÁRIO

RM 62 REQUISITOS SOBRE A PARTICIPAÇÃO DE LABORATÓRIOS EM ENSAIOS DE PROFICIÊNCIA SUMÁRIO SUMÁRIO 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 METODOLOGIA 1 OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO O presente documento tem o objetivo definir os requisitos sobre a participação de laboratórios

Leia mais

CREDENCIAMENTO DE LABORATÓRIOS

CREDENCIAMENTO DE LABORATÓRIOS 1 OBJETIVO Estabelecer as responsabilidades, os procedimentos e os critérios técnicos para o credenciamento de laboratórios. 2 CAMPO DE APLICAÇÃO Esta Norma é aplicada aos laboratórios públicos ou privados

Leia mais

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS

NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS NBR ISO/IEC 17025 CONCEITOS BÁSICOS Alexandre Dias de Carvalho INMETRO/CGCRE/DICLA 1/ 28 NBR ISO/IEC 17025 Estabelece requisitos gerenciais e técnicos para a implementação de sistema de gestão da qualidade

Leia mais

GARANTIA DE QUALIDADE DOS DADOS ANALÍTICOS - FICÇÃO OU REALIDADE?

GARANTIA DE QUALIDADE DOS DADOS ANALÍTICOS - FICÇÃO OU REALIDADE? GARANTIA DE QUALIDADE DOS DADOS ANALÍTICOS - FICÇÃO OU REALIDADE? Thomas Schilling (1) Doutorado em química analítica na Universidade Técnica em Graz (Áustria). Pós-doutorado no Departamento de Tecnologia

Leia mais

Ensaio de Proficiência

Ensaio de Proficiência Ensaio de Proficiência Cromatografia de Íons - Variações de Cátions e Ânions - Bruno César Diniz Metrohm Pensalab bcd@metrohm.com.br IC - Ânions e Cátions Conteúdo Precisão X Exatidão Qualificação de Operação

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

Validação de métodos bioanalíticos. Validação: o que é? PROGRAMA DE SEGURANÇA DE QUALIDADE ANALÍTICA ETAPAS CRÍTICAS DO PROCEDIMENTO ANALÍTICO

Validação de métodos bioanalíticos. Validação: o que é? PROGRAMA DE SEGURANÇA DE QUALIDADE ANALÍTICA ETAPAS CRÍTICAS DO PROCEDIMENTO ANALÍTICO Validação de métodos bioanalíticos Material desenvolvido por: Profa. Dra. Isarita Martins FCF-UNIFAL-MG (com alguns slides de Profa. Dra. Maria Elisa P.B. de Siqueira Profa. Dra. Pierina Bonato) Validação:

Leia mais

POP FUNCIONAL. Código: Data versão inicial: Versão atual n.º: Data da vigência: Página POPTDA039 07/08/2009 06 17/10/2011 1 de 7

POP FUNCIONAL. Código: Data versão inicial: Versão atual n.º: Data da vigência: Página POPTDA039 07/08/2009 06 17/10/2011 1 de 7 POPTDA039 07/08/2009 06 17/10/2011 1 de 7 Responsável pela elaboração: Função: Gerente Técnica Nome: Tatijana Bozovic Assinatura: Data: Responsável pela aprovação: Função: Gerente da Qualidade Nome: Dra

Leia mais

Introdução a Química Analítica. Professora Mirian Maya Sakuno

Introdução a Química Analítica. Professora Mirian Maya Sakuno Introdução a Química Analítica Professora Mirian Maya Sakuno Química Analítica ou Química Quantitativa QUÍMICA ANALÍTICA: É a parte da química que estuda os princípios teóricos e práticos das análises

Leia mais

Relatório de Ensaio nº 20151376

Relatório de Ensaio nº 20151376 São Paulo, 24 agosto 2015 SAUBER SYSTEM INDUSTRIA SAUBER SYSTEM Rua Entre-Rios, N 75 - Vila Buenos Aires 03736000 São Paulo - SP Relatório de Ensaio nº 20151376 Resultados Analíticos Número / Nome do Projeto

Leia mais

PLANILHA - CPEA MS. Parâmetros. Resultado da Amostra 60422/2012. Resultado da duplicata 60424/2012 DPR (%)

PLANILHA - CPEA MS. Parâmetros. Resultado da Amostra 60422/2012. Resultado da duplicata 60424/2012 DPR (%) PLANILHA - CPEA MS Parâmetros Amostra 60422/2012 duplicata 60424/2012 DPR (%) 1,1-Dicloroeteno < 0,001 < 0,001 0 Spike adicionado (VOC) 1,2,3-Triclorobenzeno < 1 < 1 0 Spike adicionado (SVOC) 1,2,4-Triclorobenzeno

Leia mais

EXPERIÊNCIA FOZ DO BRASIL LIMEIRA NBR 17025

EXPERIÊNCIA FOZ DO BRASIL LIMEIRA NBR 17025 Consórcio PCJ: A Certificação de Qualidade no Saneamento como Fator de Sustentabilidade no Setor EXPERIÊNCIA FOZ DO BRASIL LIMEIRA NBR 17025 Gilberto Coelho Júnior Americana, 17 de Agosto de 2011 O que

Leia mais

ENG. ELVIRA LÍDIA STRAUS SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS

ENG. ELVIRA LÍDIA STRAUS SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS INDUSTRIAIS 4a Reunião Ordinária do GT Interinstitucional sobre Uso de Resíduos Industriais Indicados como Matéria-Prima para Fabricação de Produtos Fornecedores de Micronutrientes Utilizados como Insumo Agrícola

Leia mais

Análise Crítica de Certificados de Calibração

Análise Crítica de Certificados de Calibração Análise Crítica de Certificados de Calibração João Carlos Antunes de Souza Ana Cristina D. M. Follador Chefe da Divisão Chefe do de Núcleo Acreditação de Avaliação de Laboratórios- de Laboratórios DICLA/CGCRE/INMETRO

Leia mais

Renata Martins Horta Borges Divisão de Acreditação de Laboratórios Coordenação Geral de Acreditação

Renata Martins Horta Borges Divisão de Acreditação de Laboratórios Coordenação Geral de Acreditação Renata Martins Horta Borges Divisão de Acreditação de Laboratórios Coordenação Geral de Acreditação Abordagem sobre a elaboração de escopo de produtores de materiais de referência à luz da NIT-Dicla-047

Leia mais

Coordenação Geral de Acreditação

Coordenação Geral de Acreditação Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÕES AOS LABORATÓRIOS QUÍMICOS NO ATENDIMENTO DOS REQUISITOS DA ABNT NBR ISO/IEC 17025 E POLÍTICAS DE ACREDITAÇÃO DA CGCRE Documento de caráter orientativo (DOQ-Cgcre-035)

Leia mais

Aspectos gerais sobre preparo de amostras. Joaquim A. Nóbrega djan@terra.com.br

Aspectos gerais sobre preparo de amostras. Joaquim A. Nóbrega djan@terra.com.br Aspectos gerais sobre preparo de amostras Joaquim A. Nóbrega djan@terra.com.br Técnicas Espectroanalíticas - FAAS - GFAAS - ICP OES - ICP-MS - Aspecto comum: amostras são usualmente introduzidas como soluções

Leia mais

Qualidade das Técnicas Analíticas Por José André Teixeira Azevedo, Químico, DSc. 04 de setembro de 2012

Qualidade das Técnicas Analíticas Por José André Teixeira Azevedo, Químico, DSc. 04 de setembro de 2012 Qualidade das Técnicas Analíticas Por José André Teixeira Azevedo, Químico, DSc. 04 de setembro de 2012 Apresentação do palestrante 1995 Formação acadêmica: Química UFRJ Doutorado: FísicoQuímca UFRJ Professor

Leia mais

Procedimento de verificação do Potenciômetro de íon Seletivo

Procedimento de verificação do Potenciômetro de íon Seletivo Página 1 de 6 Procedimento de verificação do Potenciômetro de íon Seletivo 1- Objetivo Verificar a confiabilidade de medição da concentração de Flúor pelo método ISE 2- Aplicação Aplicável aos equipamentos

Leia mais

II Encontro Nacional dos Lacens e VISA IV Encontro de Lacens AUDITORIA INTERNA Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde

II Encontro Nacional dos Lacens e VISA IV Encontro de Lacens AUDITORIA INTERNA Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde II Encontro Nacional dos Lacens e VISA IV Encontro de Lacens AUDITORIA INTERNA Brasília, a, 08 e 09 de dezembro e de 2011 IMPORTÂNCIA Ferramenta de gestão para monitorar e verificar a eficácia da implementação

Leia mais

Comparação de requisitos para a gestão de qualidade em laboratórios segundo NBR ISO/ IEC 17025 e Boas Práticas de Laboratório (BPL)

Comparação de requisitos para a gestão de qualidade em laboratórios segundo NBR ISO/ IEC 17025 e Boas Práticas de Laboratório (BPL) ISSN 2177-4420 09 Comparação de requisitos para a gestão de qualidade em laboratórios segundo NBR ISO/ IEC 17025 e Boas Práticas de Laboratório (BPL) Apresentação Os laboratórios têm passado por intensas

Leia mais

Ensaio de Proficiência em Sucos 2ª Rodada Ácido Benzóico em Suco de Laranja

Ensaio de Proficiência em Sucos 2ª Rodada Ácido Benzóico em Suco de Laranja Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Protocolo nº 004/2014 (Dimci/Dicep) Revisão nº 00

Leia mais

METROLOGIA SENAI / SP

METROLOGIA SENAI / SP METROLOGIA SENAI / SP Rede de Laboratórios de Serviços Senai / SP Eduardo Ferreira Garcia GIT Metrologia Definição : Metrologia : Ciência da medição e suas aplicações Nota : A metrologia engloba todos

Leia mais

Leticia de A. P. Rodrigues Msc Ciência de Alimentos, doutoranda em Química Analítica Metrologia Química e volumétrica - MQV SENAI Lauro de Freitas

Leticia de A. P. Rodrigues Msc Ciência de Alimentos, doutoranda em Química Analítica Metrologia Química e volumétrica - MQV SENAI Lauro de Freitas Leticia de A. P. Rodrigues Msc Ciência de Alimentos, doutoranda em Química Analítica Metrologia Química e volumétrica - MQV SENAI Lauro de Freitas Definição de rastreabilidade metrológica VIM, 2012 Propriedade

Leia mais

Acreditação Panorama Brasil

Acreditação Panorama Brasil Acreditação Panorama Brasil 28 de novembro de 2013 Victor Pavlov Miranda Gestor de Acreditação Divisão de Acreditação de Laboratórios - Coordenação Geral de Acreditação INMETRO INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA,

Leia mais

FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025. Laboratório(s) avaliado(s): Nº

FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025. Laboratório(s) avaliado(s): Nº FR 19 CHECK-LIST PARA AVALIAÇÃO DOS REQUISITOS TÉCNICOS DA NBR ISO/IEC 17025 FORMULÁRIO REVISÃO: 04 NOV/2008 Laboratório(s) avaliado(s): Nº Período de Avaliação: Data inicial da avaliação: / / Data término

Leia mais

Programa de Ensaio de Proficiência Determinação da Concentração de Sedimentos em Suspensão

Programa de Ensaio de Proficiência Determinação da Concentração de Sedimentos em Suspensão Programa de Ensaio de Proficiência Determinação da Concentração de Sedimentos em Suspensão Protocolo de Participação 2013 1ª Rodada Registro RMMG nº 364/2013 Revisão 00 de 06/09/2013 RMMG.PEP SED 006-00

Leia mais

Uso de Materiais de Referência

Uso de Materiais de Referência Uso de Materiais de Referência Ricardo Rezende Zucchini Célia Omine Iamashita IPT Divisão de Química Agrupamento de Materiais de Referência Introdução Série de guias ISO sobre Materiais de Referência ABNT

Leia mais

Calibração em Instrumentação Pneumática, Analógica, Eletrônica e Digital.

Calibração em Instrumentação Pneumática, Analógica, Eletrônica e Digital. Calibração em Instrumentação Pneumática, Analógica, Eletrônica e Digital. Estruturada na confiabilidade. A TORR Service Center está estruturada para a manutenção na área de automação industrial e possui

Leia mais

SISTEMA DA QUALIDADE. Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade

SISTEMA DA QUALIDADE. Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade SISTEMA DA QUALIDADE Garantia da Qualidade Controle de Qualidade Rastreabilidade Não conformidade GARANTIA DA QUALIDADE Definição: Portaria 348/1997 RDC 48/2013 Todas as ações sistemáticas necessárias

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE 2015 MOD01 rev13

RELATÓRIO FINAL DE 2015 MOD01 rev13 ---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- PROGRAMA DE ENSAIOS DE

Leia mais

Treinamento: Metrologia em Química

Treinamento: Metrologia em Química Treinamento: Metrologia em Química Local: SINPROQUIM Rua Rodrigo Cláudio, 185 Aclimação - São Paulo SP MÓDULO 1 Curso: Estatística para Laboratórios Analíticos Data: 16 e 17 de junho de 2008 Horário: das

Leia mais

Vanderléia Bárbaro Valente Hemobrás 2.012

Vanderléia Bárbaro Valente Hemobrás 2.012 COMO IMPLANTAR NOVOS KITS E METODOLOGIAS: ELEMENTOS A SEREM CONSIDERADOS NAS TOMADAS DE DECISÕES, AÇÕES E CUIDADOS TÉCNICOS PARA VIABILIZAR A IMPLANTAÇÃO Vanderléia Bárbaro Valente Hemobrás 2.012 Qualidade

Leia mais

A Acreditação como Requisito num Laboratório de Referência

A Acreditação como Requisito num Laboratório de Referência A Acreditação como Requisito num Laboratório de Referência Departamento Saúde Ambiental Natália Faria; Teresa Anacleto Dia do INSA 29-09-2009 ACREDITAÇÃO DE LABORATÓRIOS (NP EN ISO/IEC 17025:2005) Requisitos

Leia mais

Proposta de Nota Técnica Cgcre. Verificação intermediária das balanças utilizadas por laboratórios que realizam ensaios químicos e biológicos

Proposta de Nota Técnica Cgcre. Verificação intermediária das balanças utilizadas por laboratórios que realizam ensaios químicos e biológicos Proposta de Nota Técnica Cgcre Verificação intermediária das balanças utilizadas por laboratórios que realizam ensaios químicos e biológicos Ana Cristina D. M. Follador Coordenação Geral de Acreditação

Leia mais

APLICAÇÃO E TESTES DO MÉTODO APHA-4500-NO3-C PARA DETERMINAÇÃO DE NITRATOS EM ÁGUAS POR LEITURA EM UV COM SEGUNDA-DERIVADA

APLICAÇÃO E TESTES DO MÉTODO APHA-4500-NO3-C PARA DETERMINAÇÃO DE NITRATOS EM ÁGUAS POR LEITURA EM UV COM SEGUNDA-DERIVADA APLICAÇÃO E TESTES DO MÉTODO APHA-5-NO-C PARA DETERMINAÇÃO DE NITRATOS EM ÁGUAS POR LEITURA EM UV COM SEGUNDA-DERIVADA Fernando Mota de Oliveira Correspondência Rua das Codornas,, ap-66, Imbuí, Salvador-BA,

Leia mais

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva

ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA. Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva ENQUALAB 2013 QUALIDADE & CONFIABILIDADE NA METROLOGIA AUTOMOTIVA Elaboração em planos de Calibração Interna na Indústria Automotiva Joel Alves da Silva, Diretor Técnico JAS-METRO Soluções e Treinamentos

Leia mais

Determinação quantitativa de amido em produtos cárneos por espectrometria

Determinação quantitativa de amido em produtos cárneos por espectrometria Página 1 de 7 1 Escopo Este método tem por objetivo quantificar amido em produtos cárneos por espectrometria molecular no. 2 Fundamentos Baseia-se na determinação espectrofotométrica a 620 nm do composto

Leia mais

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia.

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. POP n.º: I70 Página 1 de 5 1. Sinonímia Teste rápido Anti-, VIKIA Biomeriéux. 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. 3. Aplicação

Leia mais

Assim, assumimos o compromisso de investir não só em tecnologia, mas no desenvolvimento das pessoas, pois valorizamos as relações acima de tudo.

Assim, assumimos o compromisso de investir não só em tecnologia, mas no desenvolvimento das pessoas, pois valorizamos as relações acima de tudo. ECONSULTING Olá, Se você ainda não conhece a ECO, muito prazer! Se você já conhece, está na hora de olhar para ela novamente. Estamos a duas décadas trabalhando para entender e ajudar as pessoas. Entendemos

Leia mais

Documentos 75. Aspectos gerais da validação de métodos químicos, biológicos e computacionais na gestão de qualidade de resultados de pesquisa

Documentos 75. Aspectos gerais da validação de métodos químicos, biológicos e computacionais na gestão de qualidade de resultados de pesquisa Documentos 75 ISSN 1516-4691 Fevereiro, 2009 Aspectos gerais da validação de métodos químicos, biológicos e computacionais na gestão de qualidade de resultados de pesquisa ISSN 1516-4691 Fevereiro, 2009

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo

ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO. Documento de caráter orientativo Coordenação Geral de Acreditação ORIENTAÇÃO PARA A REALIZAÇÃO DE AUDITORIA INTERNA E ANÁLISE CRÍTICA EM LABORATÓRIOS DE CALIBRAÇÃO E DE ENSAIO Documento de caráter orientativo DOQ-CGCRE-002 Revisão 03

Leia mais

CQA. Controle da Qualidade Analítica. Fernando Mota de Oliveira. LABWIN Serviços Especializados Ltda

CQA. Controle da Qualidade Analítica. Fernando Mota de Oliveira. LABWIN Serviços Especializados Ltda CQA Controle da Qualidade Analítica Fernando Mota de Oliveira LABWIN Serviços Especializados Ltda 1 Demonstração Inicial de Competência (DIC) e Validação do Método... 2 1.1 Demonstração da Capacitação

Leia mais

Postes de Eucalipto Tratados

Postes de Eucalipto Tratados Postes de Eucalipto Tratados - Considerações - Destinação de Resíduos de Madeira Tratada 3º Simpósio Madeira e Construção- Agosto 2015 Flavio C. Geraldo ABPM Workshop Presidente ABRADEE Maio 2015 Flavio

Leia mais

Procedimentos de Gestão da Qualidade. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 01/09/2010 DE ACORDO

Procedimentos de Gestão da Qualidade. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 01/09/2010 DE ACORDO Versão: 2 Pág: 1/6 NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 01/09/2010 DE ACORDO Dr. Renato de Lacerda Diretor Técnico 02/09/2010 APROVADO POR Dr. Jose Carlos dos

Leia mais

Revisão. Quim. Nova, Vol. 27, No. 5, 771-780, 2004 VALIDAÇÃO EM MÉTODOS CROMATOGRÁFICOS E ELETROFORÉTICOS

Revisão. Quim. Nova, Vol. 27, No. 5, 771-780, 2004 VALIDAÇÃO EM MÉTODOS CROMATOGRÁFICOS E ELETROFORÉTICOS Quim. Nova, Vol. 27, No. 5, 771-780, 2004 VALIDAÇÃO EM MÉTODOS CROMATOGRÁFICOS E ELETROFORÉTICOS Marcelo Ribani Instituto de Tecnologia do Paraná, Rua Prof. Algacir M. Mader, 3775, 81350-010 Curitiba -

Leia mais

Objetivos. Critérios de Avaliação. Outline da disciplina PREPARO DE AMOSTRAS PARA ANÁLISE DE COMPOSTOS ORGÂNICOS

Objetivos. Critérios de Avaliação. Outline da disciplina PREPARO DE AMOSTRAS PARA ANÁLISE DE COMPOSTOS ORGÂNICOS PPGCF e PPGQ da UNIFAL-MG Disciplina QUI022 PREPARO DE AMOSTRAS PARA ANÁLISE DE COMPOSTOS ORGÂNICOS Objetivos Fornecer aos alunos do curso de PPGQ e PPGCF conhecimentos básicos sobre as principais técnicas

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade e Biossegurança em Laboratórios de Analises Clínicas Pontos Críticos

Sistema de Gestão da Qualidade e Biossegurança em Laboratórios de Analises Clínicas Pontos Críticos Sistema de Gestão da Qualidade e Biossegurança em Laboratórios de Analises Clínicas Pontos Críticos Maria Emilia Aracema maria.aracema@saude.gov.br CGLAB/SVS/MS 24 Abril 2013 Conceito: Década de 50 Japão

Leia mais

A Specanalítica organiza e desenvolve conteúdos programáticos ajustados às necessidades dos laboratórios e empresas, em áreas tão vastas como:

A Specanalítica organiza e desenvolve conteúdos programáticos ajustados às necessidades dos laboratórios e empresas, em áreas tão vastas como: PLANO DE FORMAÇÃO 2014 A Specanalítica, Equipamentos Científicos, Lda ter por objectivo oferecer condições que favoreçam a transmissão, o desenvolvimento e a aplicação de conhecimentos científicos e técnicos

Leia mais

Qualificação de equipamentos térmicos utilizados em ensaios

Qualificação de equipamentos térmicos utilizados em ensaios Qualificação de equipamentos térmicos utilizados em ensaios Marise Tenório Wanderley Hübner INCQS / FIOCRUZ QUALIFICAÇÃO Conjunto de operações que estabelece, sob condições especificadas, que os resultados

Leia mais

Apresentaçã. ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012. Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril de 2013 Curitiba - Paraná

Apresentaçã. ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012. Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril de 2013 Curitiba - Paraná Ministério da Saúde/ Diretoria de Coordenação e Articulação do Sistema Nacional - DSNVS Apresentaçã ção o da RDC nº n 11 de 16 de fevereiro de 2012 Gerência Geral de Laboratórios de Saúde Pública abril

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA METROLOGIA NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

A IMPORTÂNCIA DA METROLOGIA NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE A IMPORTÂNCIA DA METROLOGIA NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ESTE MATERIAL É EXCLUSIVO PARA USO EM TREINAMENTOS / CURSOS DA ESTATICA. CÓPIAS SOMENTE COM AUTORIZAÇÃO DO AUTOR. METROLOGIA Ciência da medição

Leia mais

Experiência no controle da qualidade analítica

Experiência no controle da qualidade analítica Experiência no controle da qualidade analítica Mario Maroto abril/ 2006 A ECOLABOR A ECOLABOR Comercial Consultoria e Análises Ltda. é uma empresa privada brasileira, fundada em 1992. Análises MICROBIOLÓGICAS,

Leia mais

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA O InterLIMS se apresenta

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO

IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DA QUALIDADE EM LABORATÓRIO Leonardo César Amstalden Gerente da Qualidade Laboratório T&E Analítica Rua Lauro Vannucci 1260 Campinas - SP (19) 3756-6600 SISTEMA DA QUALIDADE Um

Leia mais

PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO

PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO PROMOÇÃO E REALIZAÇÃO REDE METROLÓGICA DO ESTADO DE SÃO PAULO - REMESP REDE DE SANEAMENTO E ABASTECIMENTO DE ÁGUA - RESAG 29 a 31 de outubro de 2014 Local: Associação Brasileira da Indústria de Máquinas

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO 8º PROGRAMA DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL VAZÃO

RELATÓRIO FINAL DO 8º PROGRAMA DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL VAZÃO RELATÓRIO FINAL DO 8º PROGRAMA DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL VAZÃO PROCESSO CERTIFICADO ISO 9001:008 pela SGS Certificadora Certificado BR 98/0139 8-set-00 Relatório do PEP 008/010

Leia mais

O Gerenciamento de Áreas Contaminadas e as Obrigações dos Estados Frente à Resolução CONAMA 420/09

O Gerenciamento de Áreas Contaminadas e as Obrigações dos Estados Frente à Resolução CONAMA 420/09 O Gerenciamento de Áreas Contaminadas e as Obrigações dos Estados Frente à Resolução CONAMA 420/09 Seminário Sul-Brasileiro de Gerenciamento de Áreas Contaminadas ABES-RS Porto Alegre, 03 de Setembro de

Leia mais

comparações interlaboratoriais propostos pelo MAPA e avaliação do desempenho dos técnicos do laboratório em treinamentos.

comparações interlaboratoriais propostos pelo MAPA e avaliação do desempenho dos técnicos do laboratório em treinamentos. ANEXO CRITÉRIOS PARA CREDENCIAMENTO, RECONHECIMENTO, EXTENSÃO DE ESCOPO E MONITORAMENTO DE LABORATÓRIOS NO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO - MAPA Art. 1º Os critérios constantes deste

Leia mais

Módulo 2. Identificação dos requisitos dos sistemas de medição, critérios de aceitação e o elemento 7.6 da ISO/TS.

Módulo 2. Identificação dos requisitos dos sistemas de medição, critérios de aceitação e o elemento 7.6 da ISO/TS. Módulo 2 Identificação dos requisitos dos sistemas de medição, critérios de aceitação e o elemento 7.6 da ISO/TS. Conteúdos deste módulo Discriminação Decomposição da variação do sistema de medição Variação

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5

Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5 Rev. 16/06/2015 Página 1 de 5 Este anexo aplica-se às certificações cujas quais não apresentam critérios específicos para definição de laboratórios no Programa de Avaliação da Conformidade. Nestes casos,

Leia mais

22/08/2007 DEFINIÇÃO PORQUE VALIDAR? Gerson R. Luqueta. Gerson R. Luqueta

22/08/2007 DEFINIÇÃO PORQUE VALIDAR? Gerson R. Luqueta. Gerson R. Luqueta VALIDAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CONFORME NORMATIZAÇÃO (ênfase em processos de esterilização) VALIDAÇÃO DO PROCESSO DEFINIÇÃO Procedimento documentado para obtenção, registro e interpretação de resultados desejados

Leia mais

Verificação e Validação de Projetos e Inventários de Gases de Efeito Estufa conforme ISO14064

Verificação e Validação de Projetos e Inventários de Gases de Efeito Estufa conforme ISO14064 Verificação e Validação de Projetos e Inventários de Gases de Efeito Estufa conforme ISO14064 Nasario de S.F. Duarte Jr. Resumo:o mercado de créditos de carbono assume proporções econômicas elevadas, e

Leia mais

Garantir o acesso aos serviços de abastecimento de água e. buscando a universalização de modo sustentável, desenvolvimento do Estado.

Garantir o acesso aos serviços de abastecimento de água e. buscando a universalização de modo sustentável, desenvolvimento do Estado. MISSÃO Garantir o acesso aos serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário, em cooperação com os municípios, buscando a universalização de modo sustentável, contribuindo para a melhoria da

Leia mais

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025

REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 CURSO E-LEARNING REQUISITOS GERAIS PARA COMPETÊNCIA DE LABORATORIOS DE ENSAIO E CALIBRAÇÃO NBR ISO/IEC 17025 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitido a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições:

Considerando que é dever do Estado instaurar condições para a existência de concorrência justa no País, resolve baixar as seguintes disposições: MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR - MDIC INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, NORMALIZAÇÃO E QUALIDADE INDUSTRIAL-INMETRO Portaria nº 109, de 13 de junho de 2005. O PRESIDENTE DO

Leia mais

METTLER TOLEDO Tecnologia de Sensores Analíticos Digitais

METTLER TOLEDO Tecnologia de Sensores Analíticos Digitais METTLER TOLEDO Tecnologia de Sensores Analíticos Digitais ISA Distrito 4 Seção Vale do Paraíba Jacareí SP Setembro de 2009 Ciro Medeiros Bruno Especialista em Desenvolvimento de Mercado Mettler Toledo

Leia mais

Gerenciamento Inteligente do Sensor para Produção Farmacêutica

Gerenciamento Inteligente do Sensor para Produção Farmacêutica Gerenciamento Inteligente do Sensor para Produção Farmacêutica Gerenciamento Inteligente do Sensor O Gerenciamento Inteligente do Sensor, ou simplesmente ISM, é uma tecnologia digital para sistemas de

Leia mais

Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos

Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos Herramientas inteligentes para el diagnóstico de transformadores sometidos a esfuerzos electromagnéticos severos Nombre Carlos Guilherme Gonzales Correo cgonzale@cteep.com.br Empresa www.cteep.com.br Cargo

Leia mais

http://e-legis.anvisa.gov.br/leisref/public/showact.php?id=15132&word=

http://e-legis.anvisa.gov.br/leisref/public/showact.php?id=15132&word= Page 1 of 15 Legislação em Vigilância Sanitária Página Inicial Pesquisa Complementar Estatísticas do site Normas Consolidadas Publicações de Hoje Glossário Ajuda título: Resolução RE nº 899, de 29 de maio

Leia mais

Programa de Certificação de Alimentação Humana, Animal e de Produção de Sementes NÃO OGM

Programa de Certificação de Alimentação Humana, Animal e de Produção de Sementes NÃO OGM Programa de Certificação de Alimentação Humana, Animal e de Produção de Sementes NÃO OGM* (*organismos geneticamente modificados) 2ª Edição - Maio 2015 2 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DEFINIÇÃO DO ESCOPO...

Leia mais

Reunião - Orientação Técnica sobre Laudo de Cinco Bateladas. 10 de outubro de 2007 IBAMA/ CENTRE Brasília - DF

Reunião - Orientação Técnica sobre Laudo de Cinco Bateladas. 10 de outubro de 2007 IBAMA/ CENTRE Brasília - DF Reunião - Orientação Técnica sobre Laudo de Cinco Bateladas 10 de outubro de 2007 IBAMA/ CENTRE Brasília - DF I Certificado de Boas Práticas de Laboratórios BPL ou carta da autoridade de monitoramento

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade. Documentação e Controlo da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade. Documentação e Controlo da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade. Documentação e Controlo da Qualidade João Seabra e Barros INETI - Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação, Departamento de Engenharia Energética e Controlo

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO 4º PROGRAMA DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL MASSA

RELATÓRIO FINAL DO 4º PROGRAMA DE ENSAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL MASSA RELATÓRIO FINAL DO 4º PROGRAMA DE SAIO DE PROFICIÊNCIA COMPARAÇÃO INTERLABORATORIAL MASSA PROCESSO CERTIFICADO ISO 9001:2008 pela SGS Certificadora Certificado BR 98/0139 8-set-200 Relatório do PEP 004/2010

Leia mais

Investigação Confirmatória

Investigação Confirmatória MODULO 3 Gestores e Técnicos Ambientais Procedimentos para postos e sistemas retalhistas Licenciamento Ambiental Recebimento de Denúncia ou Reclamação Medidas Emergenciais Nenhuma intervenção necessária

Leia mais

AULA II CONTROLE E QUALIDADE. Prof.: Alessandra Miranda

AULA II CONTROLE E QUALIDADE. Prof.: Alessandra Miranda AULA II CONTROLE E QUALIDADE Prof.: Alessandra Miranda Conceitos: Controlar: estando a organização devidamente planejada, organizada e liderada, é preciso que haja um acompanhamento das atividades, a fim

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS

GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS Curso GESTÃO DA QUALIDADE EM LABORATÓRIOS Data: 23 de abril de 2014 Hora: 13 às 17 horas Ministrante: Eng. Químico ROBÉRIO FERNANDES ALVES DE OLIVEIRA Diretor Vice-Presidente da ABQ Meus contatos: Email:

Leia mais

ULTRA-SOM MEDIÇÃO DE ESPESSURA PROCEDIMENTO DE END PR 036

ULTRA-SOM MEDIÇÃO DE ESPESSURA PROCEDIMENTO DE END PR 036 Página: 1 de 5 1. OBJETIVO Este procedimento fixa as condições mínimas do ensaio não destrutivo por meio de ultra-som para medição de espessura em materiais metálicos, em exames de qualificação do Sistema

Leia mais

Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados

Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados Implantação e Implementação de um Sistema de Gestão da Qualidade no Processo de Produção de Materiais de Referência Certificados Lívia Gebara Muraro Serrate Cordeiro Bolsista PCI/DTI, M.Sc. Maria Alice

Leia mais

Termo de Referência Processo nº 34/15 Edital nº 27/15 Pregão 17/15. Obs.: O preço desse item deverá ser considerado por quilo na base seca.

Termo de Referência Processo nº 34/15 Edital nº 27/15 Pregão 17/15. Obs.: O preço desse item deverá ser considerado por quilo na base seca. Termo de Referência Processo nº 34/15 Edital nº 27/15 Pregão 17/15 Objeto: LOTE 1: Fornecimento parcelado de 5 (cinco) toneladas de Ortopolifosfato a 55%. Obs.: O preço desse item deverá ser considerado

Leia mais

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem

Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem Condições Gerais para Prestação de Serviços Analíticos e de Amostragem I. Apresentação A ACQUALAB Laboratório e Consultoria Ambiental S/S Ltda. atua, desde a sua constituição, nas diversas áreas da ciência

Leia mais

TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES ALTERAÇÕES QUE PODEM AFECTAR O SISTEMA

TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES ALTERAÇÕES QUE PODEM AFECTAR O SISTEMA TRANSIÇÃO DA ISO 9001:2000 PARA ISO 9001:2008 DOCUMENTO SUMÁRIO DE ALTERAÇÕES A nova norma ISO 9001, na versão de 2008, não incorpora novos requisitos, mas apenas alterações para esclarecer os requisitos

Leia mais

Ensaio de Proficiência Uma ferramenta para a melhoria da Qualidade Política do Ministério da Saúde para o Controle de Qualidade de Laboratórios

Ensaio de Proficiência Uma ferramenta para a melhoria da Qualidade Política do Ministério da Saúde para o Controle de Qualidade de Laboratórios PAUTA Ensaio de Proficiência Uma ferramenta para a melhoria da Qualidade - Aline de Matos (Funed); Política do Ministério da Saúde para o Controle de Qualidade de Laboratórios - Alex Sander Duarte (Ministério

Leia mais

Calibração de Equipamentos

Calibração de Equipamentos Vídeo Conferência Calibração de Equipamentos Instituto de Pesos e Medidas do Estado do Paraná Junho/2014 Diferença entre calibração e a verificação metrológica Calibração Estabelece o erro de medição e

Leia mais

Papel do CQ na Validação da Técnica de Produção de Hemocomponentes

Papel do CQ na Validação da Técnica de Produção de Hemocomponentes III Oficina HEMOBRÁS Controle de Qualidade no Serviço de Hemoterapia Papel do CQ na Validação da Técnica de Produção de Hemocomponentes Martha Cristina Dicencia Centro de Hematologia e Hemoterapia da UNICAMP

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

Certificação ISO. Dificuldades, vantagens e desvantagens. Marcelo Henrique Wood Faulhaber, Med. Pat. Clin., MBA

Certificação ISO. Dificuldades, vantagens e desvantagens. Marcelo Henrique Wood Faulhaber, Med. Pat. Clin., MBA Certificação ISO Dificuldades, vantagens e desvantagens. Marcelo Henrique Wood Faulhaber, Med. Pat. Clin., MBA Avanços em Medicina Laboratorial UNICAMP 2012 Introdução à Qualidade Não existem laboratórios

Leia mais

3. Materiais, amostras, procedimentos analíticos:

3. Materiais, amostras, procedimentos analíticos: 3. Materiais, amostras, procedimentos analíticos: 3.1 Materiais: A Tabela 3.1 apresenta os equipamentos e materiais utilizados, suas características principais, fornecedores, e em quais procedimentos os

Leia mais

Legislações para Solos

Legislações para Solos Legislações para Solos Biotecnologia Ambiental Prof. Denize Dias de Carvalho Solo e Água Subterrânea O solo pode atuar como um filtro (capacidade de autodepuração desse tipo de corpo receptor); Essa capacidade

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE NA. Marcelo de Souza Pinto 1

CONTROLE DA QUALIDADE NA. Marcelo de Souza Pinto 1 CONTROLE DA QUALIDADE NA INDÚSTRIA COSMÉTICA Marcelo de Souza Pinto 1 PARABÉNS!!!!!! Marcelo de Souza Pinto 2 Marcelo de Souza Pinto Químico Faculdades Oswaldo Cruz Pós Graduações : Gestão da Qualidade

Leia mais