Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regional Nordeste Concessões e Parcerias. Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de 2015 Fortaleza"

Transcrição

1 Regional Nordeste Concessões e Parcerias Ampliação das Oportunidades de Negócios 01 de Outubro de Fortaleza

2 Programa de Gestão de PPPs do Estado do Piauí Viviane Moura Bezerra Superintendente de Parcerias e Concessões

3 Agenda 1. Ambiente Regulatório; 2. Ambiente Institucional; 3. Programa de PPP; 4. Critérios de Admissibilidade; 5. Carteira de Projetos; 6. Plataforma Logística Multimodal; 7. Transcerrados; 8. Complexo Turístico.

4 1. Ambiente Regulatório Lei Federal , de 30 de dezembro de 2004; Lei Estadual 5.494, de 19 de setembro de 2005; Lei Estadual 5.817, de 16 de dezembro de 2008; Estabeleceu a composição do Conselho Gestor; Definiu a composição do Fundo Garantidor. Lei Estadual 6.157, de 19 de janeiro de 2012; Cria mecanismo de Garantia Decreto Estadual /15, de 22 de abril de Institui o uso de PMI; Lei Estadual 6.680, de 06 de Julho de ; Resolução Normativa Nº 001/15 do CGP. Trata do procedimento de eleição de projetos prioritários.

5 2. Ambiente Institucional Secretaria de Governo; Superintendência de Parcerias; Conselho Gestor: I Governador (presidente do conselho); II - Secretário de Governo; III - Secretário de Administração; IV - Secretário de Planejamento; V Secretário de Fazenda; VI Procurador Geral do Estado. Comissões Intersetoriais; Agência de Fomento Gestor do FGP e da conta Garantia.

6 3. Programa de PPP - Propósito Maior e melhor infraestrutura; Maior eficiência; Melhor planejamento dos projetos (estudos); Recursos otimizados; Melhor alocação dos recursos; Reforço na gestão pública; Redução de custos; Controle de resultados.

7 4. Critérios de Admissibilidade Verificação do ambiente legal e institucional básico; Avaliação de aspectos técnicos e econômicos financeiros; Avaliação comparativa de mecanismos de governança; Seleção / Priorização (ranking) 16 critérios para classificação Variáveis Escolha dos projetos: Ganhos de eficiência; Padrões de tecnologia estáveis; Compromisso fiscal que cabe no orçamento estadual; Interesse público.

8 5. Carteira de Projetos Projeto Etapa Responsável 1. Organização Social - Picos Seleção SUPARC / SESAPI 2. Espaço Cidadão Estudos Preliminares Estudos Autorizados 3. Plataforma Multimodal Estudos Preliminares PMI 4. Central de Abastecimento Estudos Finais SUPARC 5. Transcerrados Estudos Preliminares SUPARC 6. Centro Administrativo Estudos Preliminares PMI 7. Terminais Rodoviários Licitação SUPARC 8. Complexo Turístico Estudos Preliminares PMI 9. Saneamento Capital Audiência Pública FIPE 10. Saneamento Interior Estudos Preliminares FIPE

9 6. Plataforma Logística Multimodal Viabilizar a construção, operação e manutenção de Plataforma Logística Multimodal Teresina; Conjunto para suprir as demandas relacionadas à logística com ênfase à distribuição de mercadorias e bens (Nacional e Internacional); Posição Geográfica estratégica de Teresina.

10 6. Plataforma Logística Multimodal Viabilizar a construção, operação e manutenção de Plataforma Logística Multimodal Teresina; Conjunto para suprir as demandas relacionadas à logística com ênfase à distribuição de mercadorias e bens (Nacional e Internacional); Posição Geográfica estratégica de Teresina.

11 Principal polo do Meio Norte brasileiro; Posicionada estrategicamente no cuore do Nordeste; Uma área de influência atual que abrange: Maranhão, Sudeste do Pará, Oeste do Ceará e Norte do Tocantins; Uma macro região que agrega um universo populacional acima de 15 milhões de habitantes.

12 Vinculada aos modais de transporte aeroviário, rodoviário e futuramente ferroviário; Composta por um conjunto de áreas funcionais, operando com os mais atuais padrões de desempenho; Atenderá a maior parte das operações logísticas de porte, necessárias ao movimento de mercadorias na RIDE Teresina e em toda a região do Meio Norte brasileiro;

13 Integrará várias atividades econômicas, possibilitando ganhos de produtividade para a economia de toda a região; O Aeroporto Internacional será a ancora principal da Plataforma Logística Multimodal, que substituirá o equipamento existente por outro com maior capacidade operacional e dimensões adequadas, convalidando melhorias no transporte aeroviário.

14 TECA/ Terminal de Carga Aérea Central de Operações vinculada ao Transporte Aeroviário e agregada ao Aeroporto. PORTO SECO Executa as operações de despacho aduaneiro de mercadorias destinadas ao mercado internacional sob fiscalização da Receita Federal.

15 CONDOMÍNIO LOGÍSTICO/ ARMAZÉNS E ESTOCAGEM Projetados para realizar também a distribuição e a articulação entre os operadores, além de funcionar como Condomínio de Centros de Distribuição. CENTRO DE TRANSPORTE TERRESTRE Dará suporte às operações de transporte pelo modal rodoviário e futuramente pelo Arco Ferroviário Metropolitano.

16 POLO DE SERVIÇOS Completo Truck Center, posicionado junto ao Rodoanel RIDE Teresina que arti cula as Rodovias BR 343/ BR 116. PATIO DE CONTEINERS RIDE THE Tanto atenderá a RIDE THE e este complexo logístico, resguardado por todas as recomendações de segurança.

17 PARQUE EMPRESARIAL E TECNOLÓGICO Núcleo tecnológico dedicado à logística, equipado com uma Central de Telemática. CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E CAPACITAÇÃO Núcleo de Ensino Tecnológico adequado à capacitação de recursos humanos destinados às demandas operacionais do empreendimento.

18 SISTEMA RODOVIÁRIO INTEGRADO O RODOANEL RIDE TERESINA articula as rodovias BR 316 e BR 343, no Maranhão. ARCO FERROVIÁRIO RIDE TERESINA Definição de um novo traçado ferroviário na RIDE THE, visando a adequação aos ditames de desenvolvimento pretendidos.

19 6. Plataforma Logística Multimodal Informações Gerais Investimentos Previstos: 1,4 Bilhões de reais; Área Total: hectares; Aeroporto Internacional: 784 hectares; Plataforma Logística Multimodal: 960 hectares. Fase Atual da Modelagem: Chamamento Público.

20 7. Transcerrados Implantação, readequação, operação e manutenção da rodovia Transcerrados (PI-397), com extensão de 331,80 km, para atender o escoamento da produção agrícola e melhorar a acessibilidade e o tráfego de veículos. Redução dos custos de frete aos agricultores da região, devido à redução do tempo de percurso;

21 7. Transcerrados Objeto: Implantação, readequação, operação e manutenção da rodovia Transcerrados (PI-397), com extensão de 331,80 km, para atender o escoamento da produção agrícola e melhorar a acessibilidade e o tráfego de veículos.

22 7. Transcerrados Localização

23 7. Transcerrados Dados Gerais: Valor de Investimentos: R$ ,00; Valor Estimado de Contraprestação: R$ R$ ,00; Primeira etapa: Conclusão do Lote I em dezembro de com aporte da União: R$ ,10; Extensão: Lote I: do km 0,0 ao km 117,06. Extensão parcial: 117,06 km Lote II: do km 117,06 ao km 235,94. Extensão parcial: 118,88 km Lote III: do km 235,94 ao km 331,80. Extensão parcial: 95,86 km

24 7. Transcerrados Benefícios Gerados: Redução dos custos de frete aos agricultores da região, devido à redução do tempo de percurso; Possibilidade de geração de receita pela cobrança de pedágio; Economia obtida pela redução de gastos com a manutenção do trecho da rodovia e; Aumento da atratividade de novos investimentos na região.

25 8. Complexo Turístico do Piauí

26 Viabilizar a estruturação de um Complexo Turístico do Estado do Piauí.

27 Premissas: Reforma e Estruturação; Ampliação; Modernização das acomodações; Garantir mínimo de vagas para servidores públicos; Construção de um Parque Aquático; Construção Auditório com 500 lugares.

28 8. Complexo Turístico Resumo - Indicadores Financeiros Investimento TOTAL R$ ,70 Outorga (30 anos) R$ ,00 Receita Total (30 Anos) R$ ,00 Despesa Total (30 Anos) R$ ,00 Lucro Acumulado (30 Anos) R$ ,24 Payback 10 Anos TIR - 30 Anos 11,08% VPL - 30 Anos (10%) R$ ,32

29

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo Secretaria de Estado de Desenvolvimento.

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo Secretaria de Estado de Desenvolvimento. Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Secretário José Eduardo de Azevedo 2015 Secretaria de Estado de Desenvolvimento. PROGRAMA ESTADUAL DE PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS Fórum Concessões

Leia mais

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Gerência de Parcerias Público-Privadas Secretaria de Estado de Desenvolvimento.

Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Gerência de Parcerias Público-Privadas Secretaria de Estado de Desenvolvimento. Secretaria de Estado de Desenvolvimento do Espírito Santo Gerência de Parcerias Público-Privadas 2015 Secretaria de Estado de Desenvolvimento. SECRETARIA DE ESTADO DE DESENVOLVIMENTO Programa Estadual

Leia mais

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP

Programa Paulista de Concessões. Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Programa Paulista de Concessões Dr. Rodrigo José Oliveira Pinto de Campos Diretor de Assuntos Institucionais da ARTESP Foz do Iguaçu, 13 de Maio de 2016 Sobre a ARTESP Criada pela Lei Complementar nº 914,

Leia mais

Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013.

Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013. Oportunidades para apoio ao desenvolvimento do Centro Oeste. 25 de junho de 2013. O Estado de Goiás Goiás, uma das 27 unidades federativas, está situado na região Centro Oeste do País ocupando uma área

Leia mais

Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades. Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman

Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades. Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman Concessão e PPP Fundamentos e oportunidades Aldo Mattos Júlio Roppa Carlos Braga Daniel Szyfman AEERJ, 27 de julho de 2016 Fonte: Radar PPP Mercado de PPPs no Brasil Principais Conceitos Contratações de

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P. Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P. Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS P P P Parcerias Público-Privadas Governo do Estado do Rio de Janeiro MODALIDADE DE PPP s Característica Contratos de Concessão Lei

Leia mais

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Enaex Agosto, 2013 Luciano Coutinho Presidente 1 Brasil apresenta fundamentos compatíveis com o crescimento sustentável de Longo Prazo País possui

Leia mais

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1

COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 COMPLEXO HOSPITALAR IMASF MODELAGEM 1 Legislação Aplicável Esta Audiência Pública está sendo realizada nos termos do ART. 39 da Lei 8.666/1993. Lei nº 11.079, de 30 de Dezembro de 2004 Lei de Parcerias

Leia mais

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO POTENCIAL DE PPPs NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RILEY RODRIGUES Conselho Empresarial de Infraestrutura Sistema FIRJAN Principais desafios Os programas precisam ser estruturados, dentro de seus setores, como

Leia mais

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem.

Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. Ferrovia é infra-estrutura que precisa existir e crescer para que outras atividades prosperem. A EMPRESA Empresa privada de logística, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste Opera com 95 locomotivas,

Leia mais

A experiência subnacional com APPs

A experiência subnacional com APPs A experiência subnacional com APPs O caso do Município de São Paulo Marco Aurélio de Barcelos Silva Diretor SP Negócios Panorama geral das PPPs nos municípios brasileiros Municípios lideram iniciativas

Leia mais

1. Ecorodovias Infraestrutura e Logística. 2. Concessionária Ecovias dos Imigrantes. 3. Impacto Rodoanel. 4. Situação Atual no SAI

1. Ecorodovias Infraestrutura e Logística. 2. Concessionária Ecovias dos Imigrantes. 3. Impacto Rodoanel. 4. Situação Atual no SAI Seminário: Acessibilidade ao Porto de Santos Agosto de 2010 Agenda 1. Ecorodovias Infraestrutura e Logística 2. Concessionária Ecovias dos Imigrantes 3. Impacto Rodoanel 4. Situação Atual no SAI 5. Projetos

Leia mais

SUFUG SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DO FGTS. Brasília, 29 abril de 2013

SUFUG SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DO FGTS. Brasília, 29 abril de 2013 SUFUG SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DO FGTS Brasília, 29 abril de 2013 Sumário 1 - Arranjo Institucional do FGTS; 2 Governança corporativa da CAIXA; 3 Grandes números do FGTS; 4 FI-FGTS e Carteiras Administradas;

Leia mais

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor

O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor O Saneamento Ambiental no BNDES: Estratégias de Financiamento ao Setor Vanessa Duarte de Carvalho Deptº de Saneamento Ambiental do BNDES Belo Horizonte, 26 de novembro de 2010 Agenda RESÍDUOS SÓLIDOS BNDES

Leia mais

SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP

SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP SISTEMA ANCHIETA IMIGRANTES WORKSHOP LOGÍSTICA FIESP Junho/2016 Área de Influência Características Gerais Capacidade Rodoviária Operações Principais Investimentos Realizados Outros Investimentos Investimentos

Leia mais

Projetos de PPPs da Bahia. Maio/2016

Projetos de PPPs da Bahia. Maio/2016 Projetos de PPPs da Bahia Maio/2016 Estrutura de Garantia Projetos de PPP Consolidados Estado da Bahia Situação Financeira do Estado Novos Projetos Estrutura de Garantia Projetos de PPP Consolidados Estado

Leia mais

Alguns casos de avanços tecnológicos...28 PERSPECTIVAS...30

Alguns casos de avanços tecnológicos...28 PERSPECTIVAS...30 APRESENTAÇÃO...11 INTRODUÇÃO...13 Definições de operadores...13 A evolução do segmento...13 O PAPEL ESTRATÉGICO DA LOGÍSTICA...15 Uma ampla cadeia de negócio.. 15 As atividades da logística...15 Importância

Leia mais

São Paulo, setembro de 2010

São Paulo, setembro de 2010 16ª SEMANA DE TECNOLOGIA METRO-FERROVIÁRIA ASSOCIAÇÃO DOS ENGENHEIROS E ARQUITETOS DE METRÔ AEAMESP. SOLUÇÕES DE TRANSPORTE MAIS ADEQUADAS PARA AS CIDADES O BNDES E OS INVESTIMENTOS NO SETOR DE TRANSPORTES

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE CONSÓRCIOS PÚBLICOS INTERMUNICIPAIS Castrolanda, 26 a 28 de outubro de 2011 ATERROS REGIONAIS

SEMINÁRIO SOBRE CONSÓRCIOS PÚBLICOS INTERMUNICIPAIS Castrolanda, 26 a 28 de outubro de 2011 ATERROS REGIONAIS SEMINÁRIO SOBRE CONSÓRCIOS PÚBLICOS INTERMUNICIPAIS Castrolanda, 26 a 28 de outubro de 2011 ATERROS REGIONAIS UMA SOLUÇÃO VIÁVEL PARA ERRADICAÇÃO DOS LIXÕES DO BRASIL Engo. ELEUSIS BRUDER DI CREDDO Conselheiro

Leia mais

Painel "Logística como Fator de Competitividade. "Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE".

Painel Logística como Fator de Competitividade. Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE. Painel "Logística como Fator de Competitividade "Importância da Ferrovia Transnordestina para o Complexo de SUAPE". Agenda Painel "Logística como Fator de Competitividade A Transnordestina Indução de Oportunidades

Leia mais

MRS Logística. Negócios nos Trilhos. Nov

MRS Logística. Negócios nos Trilhos. Nov MRS Logística Negócios nos Trilhos Nov - 2011 Quem somos Concessionária Pública de Transporte Ferroviário, que interliga os três principais centros industriais do país: São Paulo, Rio de Janeiro e Minas

Leia mais

Debate Menos Gargalos e Mais Empregos Grandes obras e sua capacidade de geração de empregos

Debate Menos Gargalos e Mais Empregos Grandes obras e sua capacidade de geração de empregos Debate Menos Gargalos e Mais Empregos Grandes obras e sua capacidade de geração de empregos 24/01/2017 Iniciou suas atividades em 1998 Oferece um amplo conjunto de serviços especializados de consultoria

Leia mais

FUNDAÇÃO FAT. Módulo Especial: "Aspectos Econômicos, Financeiros, Contratuais e Legais das Parcerias Público Privadas" TRANSPORTE DE PASSAGEIROS

FUNDAÇÃO FAT. Módulo Especial: Aspectos Econômicos, Financeiros, Contratuais e Legais das Parcerias Público Privadas TRANSPORTE DE PASSAGEIROS FUNDAÇÃO FAT TRANSPORTE DE PASSAGEIROS CURSO INTERATIVO Módulo Especial: "Aspectos Econômicos, Financeiros, Contratuais e Legais das Parcerias Público Privadas" Apresentar por partes a estrutura, o prazo,

Leia mais

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção A Urban Systems é uma empresa de Inteligência de Mercado e Soluções há 17 anos no mercado. Realizou mais de 700

Leia mais

Parcerias Público-Privadas (PPP) no Brasil

Parcerias Público-Privadas (PPP) no Brasil , Orçamento e Gestão Assessoria Econômica ASSEC Parcerias Público-Privadas (PPP) no Brasil Partenariado Multilateral Brasil-Espanha 2012 São Paulo, 13 de Junho Erika Melissa França Nassar Sumário 1. Características

Leia mais

NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS. ( ):

NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS. ( ): NOME DO PROJETO: PROJETO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL INTEGRADO E SUSTENTÁVEL PDRIS Nº ACORDO EMPRÉSTIMO: 8185-0/BR NÃO OBJEÇÃO - (TERMO DE REFERÊNCIA) Nº DO TDR: 01/2015 DATA: ( 01/03/2014) COMPONENTE:

Leia mais

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS

SECRETARIA DOS TRANSPORTES CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS SECRETARIA DOS TRANSPORTES ST CENÁRIOS DA INFRAESTRUTURA DO RS CENÁRIOS INFRAESTRUTURA DO RIO GRANDE DO SUL Cenário encontrado e dificuldades Estradas em más condições 76 municípios sem acesso asfáltico

Leia mais

Parcerias do Estado de São Paulo. Isadora Chansky Cohen Responsável pela UPPP-SP

Parcerias do Estado de São Paulo. Isadora Chansky Cohen Responsável pela UPPP-SP Parcerias do Estado de São Paulo Isadora Chansky Cohen Responsável pela UPPP-SP Agenda Parcerias do Estado de São Paulo Programa Estadual de PPP Programa Estadual de Concessões Desafios para as parcerias

Leia mais

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015

Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro. Rio Metropolitano. Jorge Arraes. 09 de julho 2015 Parcerias Público- Privadas do Rio de Janeiro Rio Metropolitano Jorge Arraes 09 de julho 2015 Prefeitura do Rio de Janeiro Secretaria Especial de Concessões e Parcerias Público-Privadas Em 2009, institucionalizou-se

Leia mais

ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE

ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE ZONA DE PROCESSAMENTO DE EXPORTAÇÃO - ZPE O Que é uma ZPE? Áreas delimitadas, especialmente designadas a indústrias exportadoras, nas quais estas usufruem de regimes tributário e cambial diferenciados,

Leia mais

MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014

MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 MOBILIDADE URBANA E AEROPORTO: TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 TPS pav. térreo TPS Vista do saguão TPS pav. superior PERSPECTIVA Lado TERRA PERSPECTIVA Lado AR Item 2011 2012 Revisão

Leia mais

Atuação CAIXA no Financiamento de Energia, Saneamento Ambiental e MDL

Atuação CAIXA no Financiamento de Energia, Saneamento Ambiental e MDL Atuação CAIXA no Financiamento de Energia, Saneamento Ambiental e MDL Nome: Denise Maria Lara de Souza Seabra Formação: Enga. Civil e Sanitarista Instituição: Caixa Econômica Federal Agenda Contextualização

Leia mais

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016 BNDES e o apoio à Infraestrutura Agosto de 2016 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952. Empresa pública de propriedade integral da União. Instrumento chave para implementação da política industrial,

Leia mais

Ministério do Trabalho FGTS. Secretaria-Executiva do Conselho Curador do FGTS

Ministério do Trabalho FGTS. Secretaria-Executiva do Conselho Curador do FGTS FGTS Secretaria-Executiva do Conselho Curador do FGTS Histórico 1943 - CLT - Garantia de estabilidade de emprego após 10 anos na mesma empresa. - Pesquisa do em 1966: apenas 15% dos trabalhadores celetistas

Leia mais

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. Secretaria de Desenvolvimento Econômico

SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS. Secretaria de Desenvolvimento Econômico SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, ENERGIA, INDÚSTRIA E SERVIÇOS Secretaria de Desenvolvimento Econômico Junho 2015 Metas SEDEIS Desenvolver PPP s e PE s (Projetos Estruturados) Melhoria do Ambiente

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

Raimundo Deusdará Filho Diretor da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação CODEVASF/AI Fortaleza/CE Junho de 2008

Raimundo Deusdará Filho Diretor da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação CODEVASF/AI Fortaleza/CE Junho de 2008 II WORKSHOP INTERNACIONAL DE INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS NA IRRIGAÇÃO e I SIMPÓSIO BRASILEIRO SOBRE O USO MÚLTIPLO DA ÁGUA Raimundo Deusdará Filho Diretor da Área de Gestão dos Empreendimentos de Irrigação

Leia mais

PRODETUR AÇÕES PREVISTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA

PRODETUR AÇÕES PREVISTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA PRODETUR AÇÕES PREVISTAS PARA IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA Secretária de Estado de Desenvolvimento do Turismo TETÉ BEZERRA O PRODETUR NACIONAL O PRODETUR Nacional tem o objetivo de fortalecer a Política Nacional

Leia mais

Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC

Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC Luis Paulo Bresciani Consórcio Intermunicipal Grande ABC Universidade Municipal de São Caetano do Sul ciclo de debates A indústria

Leia mais

Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções

Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções Mudanças no Setor Aéreo: Novas Concessões e Resoluções Infraero: Reestruturação Societária Workshop de Logística e Transportes da Fiesp 24 de Maio de 2016 Agenda 1. Institucional 2. Efeitos das concessões

Leia mais

Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015

Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015 Pesquisa Custos Logísticos no Brasil 2015 Coordenadores Paulo Tarso Vilela de Resende Paulo Renato de Sousa Paula Oliveira Bolsistas Fapemig Bruna Catão Braga Larissa de Freitas Campos Rafael Barroso de

Leia mais

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento

Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Infraestrutura de Santa Catarina para o Desenvolvimento Ministério dos Transportes PAULO SÉRGIO PASSOS Ministro de Estado dos Transportes Florianópolis, 27 de fevereiro de 2013 ASPECTOS NACIONAIS INFRAESTRUTURA

Leia mais

ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011

ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011 ESTRUTURA INSTITUCIONAL ANTT MAIO/2011 TEMAS ESTRUTURA/ORGANOGRAMA DA ANTT DIRETORIA (composição e relação com grupos de interesse) PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO (Informações) SISTEMA DE INFORMAÇÃO ( Gerenciamento,

Leia mais

Política de fomento ao desenvolvimento produtivo no Pará (PDP-PA) Maurílio Monteiro

Política de fomento ao desenvolvimento produtivo no Pará (PDP-PA) Maurílio Monteiro Política de fomento ao desenvolvimento produtivo no Pará (PDP-PA) Maurílio Monteiro Secretário de Estado de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia do Estado do Pará - SEDECT São Paulo (SP), 15 de abril

Leia mais

Nova Fronteira das Parcerias: Infraestrutura Social. Karla Bertocco Trindade Subsecretaria de Parcerias e Inovação

Nova Fronteira das Parcerias: Infraestrutura Social. Karla Bertocco Trindade Subsecretaria de Parcerias e Inovação Nova Fronteira das Parcerias: Infraestrutura Social Karla Bertocco Trindade Subsecretaria de Parcerias e Inovação Nova Fronteira das Parcerias Parcerias entre Setor Público e Iniciativa Privada - Ferramenta

Leia mais

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS

Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Concessões RODOVIAS FERROVIAS PORTOS AEROPORTOS Retomada do Planejamento em Logística O Programa de Investimentos em Logística (PIL) é a integração de 2 ações de planejamento do Governo Federal nos últimos

Leia mais

REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ

REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ REUNIÃO DO CONSELHO GESTOR CUIABÁ 12-11-2015 PAUTA 09:00 Abertura Situação das obras federais ; PIL - Programa de Investimento em Logística Plano de ação das Frentes Parlamentares FPA e FRENLOG; CTLOG

Leia mais

Atuação do BDMG na estruturação e financiamento de PPPs para resíduos sólidos e tratamento de água

Atuação do BDMG na estruturação e financiamento de PPPs para resíduos sólidos e tratamento de água Atuação do BDMG na estruturação e financiamento de PPPs para resíduos sólidos e tratamento de água Seminário e oficina Técnica ABDE-BID: O Papel das Instituições Financeiras de Desenvolvimento no Financiamento

Leia mais

Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste

Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste Consultas a editais do 2º leilão de áreas portuárias superam 3.500 acessos Novos terminais vão reduzir custos das exportações de grãos do Centro-Oeste Mais de 3.500 consultas já foram feitas aos editais

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA - 2014 Índice Santa Catarina 1 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 2 Infraestrutura de Transportes Modal

Leia mais

CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013

CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013 CENÁRIO ECONOMICO DE PERNAMBUCO MARÇO DE 2013 ECONOMIA MUNDIAL / CRESCIMENTO DO PIB Área geográfica Mundo 2005 4,8 2006 5,1 2007 5,0 2008 2,8 2009-0,6 2010 4,8 2011 4,2 Estados Unidos 3,1 2,8 2,0 0,0-2,6

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

Ponte do Desenvolvimento

Ponte do Desenvolvimento Ponte do Desenvolvimento Salvador, Março de 2017 A Região Metropolitana de Salvador é a mais importante região econômica do Norte/Nordeste do Brasil Segunda maior refinaria de petróleo do país Distrito

Leia mais

PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS E CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS

PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS E CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS CURSO DE CAPACITAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO PARCERIAS PÚBLICO PRIVADAS E CONCESSÕES DE SERVIÇOS PÚBLICOS Com análise das principais normas da Medida Provisória nº 727 de 12 de maio de 2016 que instituiu o Programa

Leia mais

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro Copa do Mundo da FIFA Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 2014 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro O MTUR e a Ponto de partida : garantias oferecidas pelo governo federal, estados e

Leia mais

7º Gestão das Cidades

7º Gestão das Cidades 7º Gestão das Cidades INVESTIMENTO PRODUTIVO NOS MUNICÍPIOS Vitória, 21 de novembro de 2012 Walsey de Assis Magalhães O BNDES e a Administração Pública Objetivo estratégico: redução das desigualdades regionais

Leia mais

Minas Gerais na Copa do Mundo de 2014

Minas Gerais na Copa do Mundo de 2014 Minas Gerais na Copa do Mundo de 2014 Brasil: sede da Copa do Mundo 2014 30/10/2007 Brasil é escolhido como sede da Copa do Mundo de 2014 (18 cidades-sede inscritas); 31/05/2009 Belo Horizonte é escolhida

Leia mais

CURSO: ADMINISTRAÇÃO

CURSO: ADMINISTRAÇÃO CURSO: ADMINISTRAÇÃO EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: MATEMÁTICA APLICADA A ADMINISTRAÇÃO Equações do primeiro e segundo graus com problemas. Problemas aplicando sistemas; sistemas com três incógnitas

Leia mais

Desafios no aumento de eficiência na Logística de petróleo e derivados no país

Desafios no aumento de eficiência na Logística de petróleo e derivados no país Desafios no aumento de eficiência na Logística de petróleo e derivados no país 2 O mercado brasileiro de derivados possui uma concentração na costa litorânea e no sul sudeste do país e o potencial de crescimento

Leia mais

PPPs e Concessões na Prefeitura de SP

PPPs e Concessões na Prefeitura de SP PPPs e Concessões na Prefeitura de SP Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) LEI Nº 8.987/95 - Art. 21. Realização de estudos pelo parceiro privado: sem caráter de exclusividade não gera direito

Leia mais

6 O Projeto da MG-050

6 O Projeto da MG-050 61 6 O Projeto da MG-050 Em 2006, foi lançado o edital do Projeto PPP da MG-050 com o objetivo de recuperação, ampliação e manutenção da Rodovia MG-050. O projeto engloba ainda trechos da BR-265 (entre

Leia mais

PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO PLANOS REGIONAIS DE SANEAMENTO BÁSICO O MCIDADES deve coordenar a elaboração dos Planos de RIDE Lei 11.445/07: Art. 52. A União elaborará, sob a coordenação do Ministério das Cidades: I ( ); II - planos

Leia mais

Uma Copa Sustentável no Amazonas

Uma Copa Sustentável no Amazonas Uma Copa Sustentável no Amazonas UGP-COPA GOVERNO DO AMAZONAS PORTFÓLIOS COPA MANAUS 2014 COMUNICAÇÃO E MARKETING FAN PARKS SUPRIMENTOS GESTÃO DE RECURSOS INFRAESTRUTURA TURÍSTICA COPA ÉTICA COPA SUSTENTÁVEL

Leia mais

Secretaria de Estado da SIE Infraestrutura. Infraestrutura - MARÇO

Secretaria de Estado da SIE Infraestrutura. Infraestrutura - MARÇO Infraestrutura - MARÇO 2012 - AEROPORTOS EM SANTA CATARINA Mafra São Francisco Xanxerê 24 aeroportos públicos Itapiranga 4 administrados pela Infraero (Florianópolis, Navegantes, Joinville e Forquilhinha)

Leia mais

O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste

O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste O Programa Luz para Todos e a Universalização do Atendimento de Energia Elétrica no Nordeste Cláudio Pitta crpitta@chesf.gov.br Programa Nacional de Universalização do Acesso e Uso da Energia Elétrica

Leia mais

Discussão Técnica sobre Ferrovias no Paraná

Discussão Técnica sobre Ferrovias no Paraná Discussão Técnica sobre Ferrovias no Paraná Macro fluxos Logísticos Conexões Marítimas e Matriz de Transportes Pretendida 2025 (PNLP) Ponto de Ruptura Fluxo Norte e Sul Matriz de Transportes - PNLP Fluxo

Leia mais

3. O transporte no Brasil

3. O transporte no Brasil 47 3. O transporte no Brasil Neste capítulo, faz-se uma breve descrição do sistema de transporte de cargas no Brasil, onde são apresentados os investimentos programados pelo Governo Federal no setor, a

Leia mais

A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC

A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC Seminário Sistema Nacional de Fomento e o Crédito do Desenvolvimento: Condições e Possibilidades Carlos André Lins Rodriguez Gerente de Clientes

Leia mais

Situação Atual da... Maioria. Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha

Situação Atual da... Maioria. Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha RESÍDUOS NO BRASIL Situação Atual da... Maioria Das catadoras e catadores de materiais recicláveis em nossa Capital Gaúcha ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS CARROCEIROS E CATADORES DE MATERIAIS RECICLAVEIS ANCAT

Leia mais

PAULO FERRAZ GUIMARÃES ATUAÇÃO REGIONAL DO BNDES. Cadernos do Desenvolvimento vol. 5 (7), outubro 2010

PAULO FERRAZ GUIMARÃES ATUAÇÃO REGIONAL DO BNDES. Cadernos do Desenvolvimento vol. 5 (7), outubro 2010 240 PAULO FERRAZ GUIMARÃES ATUAÇÃO REGIONAL DO BNDES O presente texto tem por objetivo fazer um breve relato da atuação regional recente do BNDES baseado na apresentação realizada no Seminário de Comemoração

Leia mais

Disciplina: Orçamento Empresarial. Contextualização

Disciplina: Orçamento Empresarial. Contextualização Disciplina: Orçamento Empresarial Contextualização A complexidade do ambiente onde as empresas atuam requer a adoção de estratégias e ferramentas adequadas para lidar com os constantes desafios e com a

Leia mais

Possibilidades de PPP em Saneamento

Possibilidades de PPP em Saneamento Seminário Internacional MRE BID BNDES Parceria Público-Privada Privada na Prestação de Serviços de Infra-estrutura Possibilidades de PPP em Saneamento ROGÉRIO DE PAULA TAVARES Diretor de Saneamento e Infra-estrutura

Leia mais

PPPs Uma Nova Dimensão de Parcerias. Publicado no site: - Proibido reproduzir sem autorização 1

PPPs Uma Nova Dimensão de Parcerias.  Publicado no site:  - Proibido reproduzir sem autorização 1 PPPs Uma Nova Dimensão de Parcerias 1º de Agosto de 2005 www.bndes.gov.br Publicado no site: http://www.latosensu.com.br - Proibido reproduzir sem autorização 1 SUMÁRIO Visão Geral das PPPs no Brasil Fundo

Leia mais

Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada

Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada Concessão de Serviço Público e Parceria Público-Privada Câmara de Transporte e Logística FIESC Florianópolis/SC 26 de julho de 2012 Histórico O Reino Unido foi o pioneiro na institucionalização financeira,

Leia mais

Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento

Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento Território e planejamento de longo prazo: a experiência do Estudo da Dimensão territorial do planejamento Leandro Freitas Couto Analista de Planejamento e Orçamento 27.07.2016 Retomada do planejamento

Leia mais

Ferrovias do Nordeste

Ferrovias do Nordeste Ferrovias do Nordeste Agosto 2013 ELABORAÇÃO: TLSA A Transnordestina Logística S/A, antiga Companhia Ferroviária do Nordeste CFN, obteve a concessão da Malha Nordeste SR (Recife), SR (Fortaleza) e SR (São

Leia mais

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil

As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil ESTUDO DA CNT APONTA QUE INFRAESTRUTURA RUIM AUMENTA CUSTO DO TRANSPORTE DE SOJA E MILHO As atuais condições da infraestrutura de transporte e logística do Brasil têm impacto significativo na movimentação

Leia mais

Seminário Trem de Alta Velocidade TAV 18 de Abril de 2011 Guilherme Quintella

Seminário Trem de Alta Velocidade TAV 18 de Abril de 2011 Guilherme Quintella Seminário Trem de Alta Velocidade TAV 18 de Abril de 2011 Guilherme Quintella A Participação da Indústria Brasileira e a necessidade de mão de obra especializada » Sobre a AD-Trem» UIC União Internacional

Leia mais

Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio

Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio Sistema de Disposição Oceânica (SDO) da Boca do Rio Parceria entre a Embasa e a Foz do Brasil S/A SISTEMA DE DISPOSIÇÃO OCEÂNICA DO JAGUARIBE Quem somos nós A administração está baseada na descentralização

Leia mais

Não houve condições de ser feito devido a agenda da VLI que fez uma excelente apresentação sobre o funcionamento do pátio.

Não houve condições de ser feito devido a agenda da VLI que fez uma excelente apresentação sobre o funcionamento do pátio. OFICINA: PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL DA ÁREA DE INFLUÊNCIA DA FNS TOCANTINS LOCAL: AUDITORIO DO QUARTEL DA POLICIA MILITAR COLINAS DO TOCANTINS /TO DATA: 09 DE DEZEMBRO DE 2015 HORARIO: 08 AS

Leia mais

A PPP de Iluminação Pública de Belo Horizonte. quarta-feira, 7 de setembro de 2016

A PPP de Iluminação Pública de Belo Horizonte. quarta-feira, 7 de setembro de 2016 A PPP de Iluminação Pública de Belo Horizonte quarta-feira, 7 de setembro de 2016 PPP DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA AGENDA 1. DO PROJETO 2. DA ESTRUTURAÇÃO 3. PERCEPÇÕES, APRENDIZADOS E DESTAQUES 1 DO PROJETO

Leia mais

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5

Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 Sumário Introdução, 1 Parte I Dimensões do Uso de Tecnologia de Informação, 5 1 Direcionadores do Uso de Tecnologia de Informação, 7 1.1 Direcionadores de mercado, 8 1.2 Direcionadores organizacionais,

Leia mais

DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE

DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE DISCIPLINAMENTO DA CIRCULAÇÃO DE VEÍCULOS DE CARGA CENTRO HISTÓRICO DE PORTO ALEGRE Diagnóstico Perturbações na fluidez Grandes dimensões Manobras lentas Raio de giro restrito Remoção difícil em caso de

Leia mais

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica

Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Apoio do BNDES a projetos de Energia Elétrica Eduardo Chagas Departamento de Energia Elétrica Área de Infraestrutura Maio de 2015 Papel da infraestrutura na retomada do crescimento Tendo em vista as dificuldades

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho)

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho) PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº, DE 2005 (Do Sr. Fernando de Fabinho) Autoriza o Poder Executivo a criar o Pólo de Desenvolvimento e Turismo da região geográfica Nordeste, com sede na cidade de Paulo Afonso

Leia mais

20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. O BNDES e a Mobilidade Urbana. Setembro/2014

20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária. O BNDES e a Mobilidade Urbana. Setembro/2014 20ª Semana de Tecnologia Metroferroviária O BNDES e a Mobilidade Urbana Setembro/2014 Contextualização A taxa de motorização no Brasil cresceu de 14 carros / 100 habitantes em 2001 para 26 carros / 100

Leia mais

A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade, Licenciamento Ambiental Federal

A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade, Licenciamento Ambiental Federal Ministério do Meio Ambiente Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis Diretoria de Licenciamento Ambiental - DILIC A Gestão Ambiental no Setor Ferroviário Brasileiro: Sustentabilidade,

Leia mais

As PPPs municipais: desafios e prognósticos

As PPPs municipais: desafios e prognósticos As PPPs municipais: desafios e prognósticos Frederico Bopp Dieterich 2016 www.azevedosette.com.br / Azevedo Sette Advogados Experiência em Infraestrutura VLT Carioca Iluminação Pública SP, DF e Contagem

Leia mais

Objetivos da Exposição

Objetivos da Exposição 1 Objetivos da Exposição Apresentar aos participantes do Fórum o modelo adotado pela Prefeitura Municipal de Caraguatatuba para gestão da Iluminação Pública seus principais desafios. 15 de setembro 2010

Leia mais

Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins

Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins Projeto de Desenvolvimento Regional Integrado e Sustentável do Tocantins Novembro 2015 1 Logística 2 Logística 3 Logística 4 Logística 5 Logística 6 Logística 7 Logística 8 Logística 9 Modais Comparativo

Leia mais

ENCONTRO COM O METRÔ. Obras em andamento, Concessões e PPP. Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016

ENCONTRO COM O METRÔ. Obras em andamento, Concessões e PPP. Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016 ENCONTRO COM O METRÔ Obras em andamento, Concessões e PPP Paulo Menezes Figueiredo Diretor Presidente do Metrô São Paulo 26/07/2016 Antecedentes do Serviço Metroferroviário na RMSP Anterior à Constituição

Leia mais

MODELO DE GESTÃO GERENCIAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS. Rio de Janeiro. 02 / setembro / 2009

MODELO DE GESTÃO GERENCIAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS. Rio de Janeiro. 02 / setembro / 2009 MODELO DE GESTÃO GERENCIAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS Rio de Janeiro 02 / setembro / 2009 OBJETIVO DA APRESENTAÇÃO Compartilhar a experiência na implantação de Modelo de Excelência da Gestão na Filial

Leia mais

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013

OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 OBRAS DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES ESTRATÉGICAS PARA A INDÚSTRIA DE SANTA CATARINA SUGESTÕES AO PLO 2013 Índice 10 Santa Catarina 10 Infraestrutura de Transportes Modal Rodoviário 17 Infraestrutura

Leia mais

11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira

11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira 11. Demonstrativo de Capacidade e Sustentabilidade Financeira 188 PDI 2015-2019 11.1 Planejamento orçamentário e financeiro O Orçamento Público, em sentido amplo, é um documento legal (aprovado por lei)

Leia mais

OBJETIVO FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO ABC NAS OPERAÇÕES LOGISTICAS

OBJETIVO FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO ABC NAS OPERAÇÕES LOGISTICAS OBJETIVO FOMENTAR O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO DO ABC NAS OPERAÇÕES LOGISTICAS CONSOLIDAR A REGIÃO COMO PONTO DE APOIO E SUPORTE PARA AS OPERAÇÕES DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO DA ÁREA PORTUARIA DE SANTOS

Leia mais

Vice-Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio No Brasil

Vice-Presidente da Federação das Câmaras Portuguesas de Comércio No Brasil APRESENTAÇÃO CBP-CE - A Câmara Brasil Portugal no Ceará - Comércio, Indústria e Turismo (CBP-CE), fundada em junho de 2001, é uma associação civil sem fins lucrativos com atuação no estado do Ceará, Portugal

Leia mais

SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A.

SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A. SCPar PORTO DE IMBITUBA S.A. O Porto de Imbituba está localizado numa enseada aberta junto à Ponta de Imbituba, no litoral Sul de Santa Catarina, a cerca de 90 km da capital Florianópolis. Arrendatários:

Leia mais

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM

Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Projetos de Expansão e Modernização da CPTM Jun/2012 Silvestre Eduardo Rocha Ribeiro Diretor de Planejamento e Projetos Jundiaí Várzea Paulista Campo Limpo Paulista Francisco Morato Franco da Rocha Caieiras

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO DESENVOLVIMENTO OPORTUNIDADES E DESAFIOS AVALIAÇÕES TÉCNICAS / FEVEREIRO DE 2016 LUIZ ANTONIO FAYET Consultor da CNA AGRONEGÓCIO BRASILEIRO EVOLUÇÃO HÁ 50 ANOS = IMPORTADOR

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES TERRESTRES SINALIZAÇÃO E SEGURANÇA NO TRANSPORTE FERROVIÁRIO São Paulo 14 de Agosto de 2007 HISTÓRICO DO SETOR FERROVIÁRIO DE TRANSPORTES - ATÉ A DÉCADA DE 40: FERROVIA

Leia mais