Atividade Complementar Resolução de exercícios

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Atividade Complementar Resolução de exercícios"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Projeto PIBID/Matemática Bolsista: Victor Lucas Andrade Sá Atividade Complementar Resolução de exercícios Objetivos Específicos Conteúdos Metodologia Recursos Tempo Avaliação Construir arvores de possibilidades Resolver problemas usando o método multiplicativo de Contagem. Princípio multiplicativo de contagem Método indutivo-dedutivo. Solicitar aos alunos que estabeleçam experimentos de contagem e generalizem suas conclusões Listas de exercícios previamente elaborados. Marcador para quadro Branco Papel A4 50 minutos Observar o desempenho dos alunos no desenvolvimentos dos problemas propostos no desenvolvimento da aula. Desenvolvimento Iniciar com a pergunta: Iniciamos com uma atividade solicitando aos alunos que construam uma solução para o seguinte problema. Para ir a uma festa, Ana dispõem de duas blusas e duas calças. De quantas maneiras diferentes Ana pode se vestir? Solicitar aos alunos que examinem a figura abaixo e verifiquem se cada ramo do gráfico corresponde todas as possibilidades de Ana se vestir. Com a calça 1 e camisa 1 Com a calça 1 e camisa 2 Com a calça 2 e camisa 1 Com a calça 2 e camisa 2 Esta figura é denominada de árvore de possibilidades. Construa uma arvore de possibilidades para o caso em que Ana possui 5 pares de sapatos, 8 calças e 4 camisas.

2 Propor os seguintes desafios: Quando ia para Stº. Ives, encontrei um homem com sete mulheres, cada mulher tinha sete saco, cada saco tinha sete gato, cada gato tinha sete gatinho. Quantos gatinhos, gatos, sacos e mulheres iam para Stº. Ives? Resolver este problema: Propor o seguinte problema: Em um terreno tem 3 aterros, cada aterro tem 3 árvores, cada árvore tem 3 ramos, cada ramo tem 3 ninhos, cada ninho tem 3 pássaros, cada pássaro tem 3 filhotes, cada filhote tem 3 pernas, cada pena tem nove cores. Quantos são ao todo? Construa a árvore de possibilidades para os aterros, arvores, ramos, ninhos, pássaros e filhotes.

3 Atividade 1: De Quantas maneiras posso obter um dos 4 carros esportes, E 1, E 2, E 3 e E 4 disponíveis no mercado com duas versões, motor 1.0 e motor 1.4 se cada uma é oferecida em três cores, c 1, c 2 e c 3. PRINCIPIO FUNDAMENTAL DA CONTAGEM OU PRINCIPIO MULTIPLICATIVO Observe, que todos acontecimentos que vimos é composto de etapas e sucessivas independentes e cada etapa com um específico de possibilidades, e o número total de possibilidades foi obtido multiplicando-se os números de possibilidades em cada etapa. Enunciar o princípio fundamental da contagem: Se um acontecimento é composto de n etapas sucessivas e independentes de tal maneira que: N 1 é o número possibilidade da 1ª etapa;

4 N 2 é o número possibilidade da 2ª etapa; N 3 é o número possibilidade da 3ª etapa; ; N n é o número possibilidade da n-ésima etapa Então o número de possibilidades do acontecimento é; N N = = NN NN 2. 2 N. 3. N N. n Atividade: Com os algarismos 3, 4, 6, 7, 8, 9 desejamos forma números com três algarismos. Quantos números podemos formar? Neste problema, a 1ª etapa é a escolha dos algarismos das centenas 2ª etapa é a escolha dos algarismos das dezenas 3ª etapa é a escolha dos algarismos das unidades Centenas Dezenas Unidades Escolha o número de possibilidade para cada etapa? Quantos números com algarismos distintos podem ser formados? Centenas Dezenas Unidades Atividade: Num sistema de emplacamento de veículos, as placas são iniciadas com 2 vogais seguidas de 3 dígitos numéricos. Qual é o número máximo de veículos que podem ser licenciados nesse sistema? Vogais dígitos numéricos

5 Avaliação: Aplicar uma lista de exercícios semelhantes aos resolvidos em sala, auxiliando se necessário e percebendo as dificuldades individuais, e o desempenho da turma como um todo. Recursos Didáticos: Quadro e Pincel. Livro Didático. Lista de exercícios.

quadro branco. obter resultados particulares.

quadro branco. obter resultados particulares. UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA PROJETO PIBID/LICENCIATURA MATEMÁTICA E.E.E.F.M. Prof.ª Olivina Olívia C. Cunha. Nome do professor: José Roberto. Bolsista: Erkthon Silva dos Santos. Disciplina: Matemática

Leia mais

Ciclo 1 Encontro 2 PRINCÍPIO MULTIPLICATIVO E PRINCÍPIO ADITIVO. Nível 3 PO: Márcio Reis 11º Programa de Iniciação Científica Jr.

Ciclo 1 Encontro 2 PRINCÍPIO MULTIPLICATIVO E PRINCÍPIO ADITIVO. Nível 3 PO: Márcio Reis 11º Programa de Iniciação Científica Jr. 1 Ciclo 1 Encontro 2 PRINCÍPIO MULTIPLICATIVO E PRINCÍPIO ADITIVO Nível 3 PO: Márcio Reis 11º Programa de Iniciação Científica Jr. Fórum está aberto! 2 Princípio multiplicativo e princípio aditivo 3 Texto:

Leia mais

Paulo chegou a uma lanchonete e encontrou as seguintes opções de bebidas disponíveis:

Paulo chegou a uma lanchonete e encontrou as seguintes opções de bebidas disponíveis: Analise Combinatória 1 1.1 Princípio Aditivo Exemplo 1.1 Paulo chegou a uma lanchonete e encontrou as seguintes opções de bebidas disponíveis: 4 opções de refrigerante: R 1, R 2, R 3 e R 4 ; 3 opções de

Leia mais

Rumo Curso Pré Vestibular Assistencial - RCPVA Disciplina: Matemática Professor: Vinícius Nicolau 12 de Setembro de 2014

Rumo Curso Pré Vestibular Assistencial - RCPVA Disciplina: Matemática Professor: Vinícius Nicolau 12 de Setembro de 2014 Sumário 1 Análise Combinatória 1 1.1 Princípio Multiplicativo.............................. 1 1.1.1 Exercícios................................. 4 1.2 Permutação Simples................................

Leia mais

Matéria: Matemática Assunto: Princípios da Contagem Prof. Dudan

Matéria: Matemática Assunto: Princípios da Contagem Prof. Dudan Matéria: Matemática Assunto: Princípios da Contagem Prof. Dudan Matemática Princípio da Contagem Os primeiros passos da humanidade na matemática estavam ligados a necessidade de contagem de objetos de

Leia mais

RESPOSTA Princípio Fundamental da contagem

RESPOSTA Princípio Fundamental da contagem RESPOSTA Princípio Fundamental da contagem Monitores: Juliana e Alexandre Exercício 1 Para resolver esse exercício, devemos levar em consideração os algarismos {0, 2, 3, 5, 6, 7, 8 e 9}. Para que esse

Leia mais

PRICÍPIO DA MULTIPLICAÇÃO: Podemos agora enunciar o princípio da multiplicação ou princípio fundamental da contagem, segue:

PRICÍPIO DA MULTIPLICAÇÃO: Podemos agora enunciar o princípio da multiplicação ou princípio fundamental da contagem, segue: ANÁLISE COMBINATÓRIA Prof. Aurimenes A análise combinatória é a parte da matemática que estuda os problemas de contagem, isto é, podemos calcular a quantidade de subconjuntos de um dado conjunto finito,

Leia mais

Raciocínio Lógico. 06- A quantidade de anagramas que podem ser formados com as letras da palavra MINISTÉRIO é inferior a

Raciocínio Lógico. 06- A quantidade de anagramas que podem ser formados com as letras da palavra MINISTÉRIO é inferior a Raciocínio Lógico 01- Se Carlos é surfista, então Julia não é tenista. Se Julia não é tenista, então Michelle anda de skate. Se Michelle anda de skate, então Lucas não é patinador. Ora, Lucas é patinador.

Leia mais

Análise Combinatória

Análise Combinatória Análise Combinatória PFC Princípio Fundamental da Contagem O princípio fundamental da contagem está diretamente ligado às situações que envolvem as possibilidades de um determinado evento ocorrer, por

Leia mais

Análise Combinátorio. 1 - Introdução. 2 - Fatorial

Análise Combinátorio. 1 - Introdução. 2 - Fatorial Análise Combinátorio 1 - Introdução Foi a necessidade de calcular o número de possibilidades existentes nos chamados jogos de azar que levou ao desenvolvimento da Análise Combinatória, parte da Matemática

Leia mais

Então ao todo ela pode se vestir de 3+3=6 modos diferentes. Veja estas possibilidades na figura a seguir.

Então ao todo ela pode se vestir de 3+3=6 modos diferentes. Veja estas possibilidades na figura a seguir. Contagem 5: resolução de exercícios Desde a primeira aula de contagem estamos estudando o princípio multiplicativo e o princípio aditivo. Também estudamos o conceito de permutação e nas últimas aulas foram

Leia mais

Princípio da Multiplicação Gerando todas as palavras de um alfabeto. > Princípios de Contagem e Enumeração Computacional 0/18

Princípio da Multiplicação Gerando todas as palavras de um alfabeto. > Princípios de Contagem e Enumeração Computacional 0/18 Conteúdo 1 Princípios de Contagem e Enumeração Computacional Princípio da Multiplicação Gerando todas as palavras de um alfabeto Permutações > Princípios de Contagem e Enumeração Computacional 0/18 Objetivos

Leia mais

Elementos de Matemática

Elementos de Matemática Elementos de Matemática Exercícios de Análise Combinatória - Atividades de 2007 Versão compilada no dia 11 de Setembro de 2007. Departamento de Matemática - UEL Prof. Ulysses Sodré: ulysses(a)uel(pt)br

Leia mais

Professor Zé Moreira QUESTÕES PROPOSTAS

Professor Zé Moreira QUESTÕES PROPOSTAS QUESTÕES PROPOSTAS 01 - Uma dama tem 3 saias e 4 blusas. De quantas maneiras poderá sair usando sala e blusa sem repetir o mesmo conjunto? 02 - Quantos números de 3 algarismos distintos podemos formar

Leia mais

Matemática Discreta. Aula 01: Análise Combinatória I. Tópico 01: Princípio fundamental de contagem

Matemática Discreta. Aula 01: Análise Combinatória I. Tópico 01: Princípio fundamental de contagem Tópico 01: Princípio fundamental de contagem Aula 01: Análise Combinatória I A principal função da análise combinatória é desenvolver técnicas para a contagem de conjuntos. Dito assim, parece simples e

Leia mais

PROBABILIDADE. Prof. Patricia Caldana

PROBABILIDADE. Prof. Patricia Caldana PROBABILIDADE Prof. Patricia Caldana Estudamos probabilidade com a intenção de prevermos as possibilidades de ocorrência de uma determinada situação ou fato. Para determinarmos a razão de probabilidade,

Leia mais

Atividade Complementar Resolução de exercícios

Atividade Complementar Resolução de exercícios UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Projeto PIBID/Matemática Bolsista: Victor Lucas Andrade Sá 11318110 Colégio sesquicentenário Atividade Complementar Resolução de exercícios Objetivos Específicos Conteúdos

Leia mais

Matemática Discreta. Aula 01: Análise Combinatória I. Tópico 02: Arranjos com e sem repetição. Solução. Arranjos com Repetição.

Matemática Discreta. Aula 01: Análise Combinatória I. Tópico 02: Arranjos com e sem repetição. Solução. Arranjos com Repetição. Aula 01: Análise Combinatória I Tópico 02: Arranjos com e sem repetição Agora que demos o pontapé inicial aprendendo os Princípios Fundamentais de Contagem com e sem repetições, vamos ver que o restante

Leia mais

Matemática 2C16//26 Princípio da multiplicação ou princípio fundamental da contagem. Permutação simples e fatorial de um número.

Matemática 2C16//26 Princípio da multiplicação ou princípio fundamental da contagem. Permutação simples e fatorial de um número. Matemática 2C16//26 Princípio da multiplicação ou princípio fundamental da contagem 1. Existem 2 vias de locomoção de uma cidade A para uma cidade B e 3 vias de locomoção da cidade B a uma cidade C. De

Leia mais

Lista de Exercícios - Multiplicação

Lista de Exercícios - Multiplicação Nota: Os exercícios desta aula são referentes ao seguinte vídeo Matemática Zero 2.0 - Aula 6 - Multiplicação - (parte 1 de 2) Endereço: https://www.youtube.com/watch?v=gppmajolb1s Gabaritos nas últimas

Leia mais

Centro Educacional ETIP

Centro Educacional ETIP Centro Educacional ETIP Trabalho Trimestral de Matemática 2 Trimestre/2014 Data: 08/08/2014 Professor: Nota: Valor : [0,0 2,0] Nome do (a) aluno (a): Nº Turma: 2 M CONTEÚDO Análise Combinatória, Princípio

Leia mais

Curso: Ciência da Computação Turma: 4ª Série. Probabilidade e Estatística. Aula 2

Curso: Ciência da Computação Turma: 4ª Série. Probabilidade e Estatística. Aula 2 Curso: Ciência da Computação Turma: 4ª Série Aula 2 Análise Combinatória: Arranjo, Permutação, Combinação Simples e com Repetição Motivação Quantas ordenações são possíveis fazer com um baralho de 52 cartas?

Leia mais

COSTUREIRAS. Objetivo. A quem se destina. Sobre o curso. Requisitos. Carga horária. Formação de turmas

COSTUREIRAS. Objetivo. A quem se destina. Sobre o curso. Requisitos. Carga horária. Formação de turmas COSTUREIRAS Objetivo Capacitar para o desenvolvimento de modelagens a partir da utilização da placa do Método SESI-SP de Modelagem Plana, corte e confecção sob medida de peças do vestuário feminino, masculino

Leia mais

PESQUISA. ATIVIDADE DE MATEMÁTICA Revisão de potências. Indique às respostas a caneta. Indique as resoluções a lápis no espaço indicado.

PESQUISA. ATIVIDADE DE MATEMÁTICA Revisão de potências. Indique às respostas a caneta. Indique as resoluções a lápis no espaço indicado. OSASCO, DE DE 2011 NOME: PROF. 9º ANO Data da entrega: 29/02/12 PESQUISA Faça uma pesquisa, sobre algoritmos matemáticos utilizados em redes sociais, esta pesquisa deve ter: capa, introdução, conclusão

Leia mais

Ensino Médio. Fatorial

Ensino Médio. Fatorial As Permutações Comentários: As primeiras atividades matemáticas da humanidade estavam ligadas à contagem de objetos de um conjunto, enumerando seus elementos. As civilizações antigas, como egípcia, babilônia,

Leia mais

Cálculo Combinatório

Cálculo Combinatório Cálculo Combinatório Introdução Foi a necessidade de calcular o número de possibilidades existentes nos chamados jogos de azar que levou ao desenvolvimento da Análise Combinatória, parte da Matemática

Leia mais

Prova da primeira fase - Nível III

Prova da primeira fase - Nível III Instruções: O tempo de duração da prova é de uma hora e trinta minutos. Este é um teste de múltipla escolha. Cada questão é seguida por cinco opções (a, b, c, d, e). Somente uma resposta é correta. Marque

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 5.º ANO 2015/16

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 5.º ANO 2015/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS D. JOSÉ I - VRSA MATEMÁTICA 5.º ANO 2015/16 Ficha 4 Números naturais (revisão) NOME Turma Data 1. Considere os números 15, 25 e 30. a) Determine os divisores de 15, 25 e 30. b) A

Leia mais

setor 1102 Aula 20 PRINCÍPIOS BÁSICOS DA CONTAGEM 2 REVISÃO

setor 1102 Aula 20 PRINCÍPIOS BÁSICOS DA CONTAGEM 2 REVISÃO setor 1102 1102008 Aula 20 PRINCÍPIOS BÁSICOS DA CONTAGEM 1 PRINCÍPIOS BÁSICOS DA CONTAGEM Seja, por exemplo, uma lanchonete que vende três tipos de refrigerantes e dois tipos de cerveja. Pergunta-se:

Leia mais

INTRODUÇÃO À ANÁLISE COMBINATÓRIA

INTRODUÇÃO À ANÁLISE COMBINATÓRIA INTRODUÇÃO À ANÁLISE COMBINATÓRIA Noções Básicas Profº Aristóteles Miranda 2ªSérie O QUE É A ANÁLISE COMBINATÓRIA? A análise combinatória corresponde ao ramo da matemática que procura elaborar métodos

Leia mais

Matemática 2 Unidade I Álgebra Série 6 - Princípios básicos da contagem. Pelo princípio fundamental da contagem, temos: Resposta: A

Matemática 2 Unidade I Álgebra Série 6 - Princípios básicos da contagem. Pelo princípio fundamental da contagem, temos: Resposta: A 01 2 20 33 1 320 Resposta: A 1 02 4 3 2 24 Resposta: C 2 03 6 5 4 3 360 Resposta: E 3 04 a) 6 6 6 216 b) 6 5 4 120 c) Formar números de três algarismos com pelo menos dois algarismos iguais é equivalente

Leia mais

8º ANO; LISTA 2. Princípio fundamental da contagem AV 2 4º Bim. Escola adventista de Planaltina Professor: Celmo Xavier Aluno

8º ANO; LISTA 2. Princípio fundamental da contagem AV 2 4º Bim. Escola adventista de Planaltina Professor: Celmo Xavier Aluno 8º ANO; LISTA 2. Princípio fundamental da contagem AV 2 4º Bim. Escola adventista de Planaltina Professor: Celmo Xavier Aluno ANÁLISE COMBINATÓRIA Introdução Consideremos o seguinte problema: Uma lanchonete

Leia mais

ANÁLISE COMBINATÓRIA

ANÁLISE COMBINATÓRIA ANÁLISE COMBINATÓRIA Lucas Santana da Cunha lscunha@uel.br http://www.uel.br/pessoal/lscunha/ Universidade Estadual de Londrina 17 de maio de 2017 Introdução A Análise Combinatória é a parte da Matemática

Leia mais

NÚMEROS NATURAIS OS NÚMEROS E SEUS SIGNIFICADOS!

NÚMEROS NATURAIS OS NÚMEROS E SEUS SIGNIFICADOS! NÚMEROS NATURAIS OS NÚMEROS E SEUS SIGNIFICADOS! Você já parou para pensar como surgiram os números? Será que os números surgiram da invenção de um matemático? O número surgiu a partir do momento em que

Leia mais

Roteiro de Estudos OBMEP NA ESCOLA Grupo N2 2º Ciclo

Roteiro de Estudos OBMEP NA ESCOLA Grupo N2 2º Ciclo Roteiro de Estudos OBMEP NA ESCOLA Grupo N2 2º Ciclo - Assuntos a serem abordados: Encontro 1: Princípios aditivo e multiplicativo: identificar, modelar e resolver situaçõesproblema. Resolução de exercícios

Leia mais

Matemática Régis Cortes ANÁLISE COMBINATÓRIA

Matemática Régis Cortes ANÁLISE COMBINATÓRIA ANÁLISE COMBINATÓRIA 1 ANÁLISE COMBINATÓRIA PERMUTAÇÃO é o tipo de agrupamento ordenado em que cada grupo entram todos os elementos. Os grupos diferem pela ORDEM Pn = n! ARRANJO : é o tipo de agrupamento

Leia mais

CONTAGEM. (a) uma semana (b) um mês (c) dois meses (d) quatro meses (e) seis meses

CONTAGEM. (a) uma semana (b) um mês (c) dois meses (d) quatro meses (e) seis meses CONTAGEM Exercício 1(OBMEP 2011) Podemos montar paisagens colocando lado a lado, em qualquer ordem, os cinco quadros da figura. Trocando a ordem dos quadros uma vez por dia, por quanto tempo, aproximadamente,

Leia mais

PRINCÍPIO FUNDAMENTAL DA CONTAGEM OU PRINCÍPIO MULTIPLICATIVO

PRINCÍPIO FUNDAMENTAL DA CONTAGEM OU PRINCÍPIO MULTIPLICATIVO ESTUDO DA ANÁLISE COMBINATÓRIA A resolução de problemas é a parte principal da Análise Combinatória, que estuda a maneira de formar agrupamentos com um determinado número de elementos dados, e de determinar

Leia mais

Análise Combinatória

Análise Combinatória Introdução Análise combinatória PROBLEMAS DE CONTAGEM Princípio Fundamental da Contagem Exemplo: Um número de telefone é uma seqüência de 8 dígitos, mas o primeiro dígito deve ser diferente de 0 ou 1.

Leia mais

Encontro 5: Permutação e resolução de exercícios de contagem

Encontro 5: Permutação e resolução de exercícios de contagem Encontro 5: Permutação e resolução de exercícios de contagem Relembrando: Princípio Aditivo: Sejam e conjuntos disjuntos, isto é, conjuntos com interseção vazia. Se possui m elementos e se possui n elementos,

Leia mais

Análise Combinatória

Análise Combinatória Análise Combinatória PFC Princípio Fundamental da Contagem O princípio fundamental da contagem está diretamente ligado às situações que envolvem as possibilidades de um determinado evento ocorrer, por

Leia mais

Trabalhando com o material dourado ou similares

Trabalhando com o material dourado ou similares Essa atividade com o material dourado tem por objetivo facilitar a compreensão do aluno de forma concreta em relação ao sistema de numeração decimal. Composto por cubinhos, barrinhas e placas, esse material

Leia mais

Nome do aluno: Nº. Classificação: E.Educação:

Nome do aluno: Nº. Classificação: E.Educação: 9º Ano ESCOLA SECUNDÁRIA/3 DE SANTA MARIA DA FEIRA Ano Letivo 2012/13 TURMA: A TESTE DE MATEMÁTICA Professora Lourdes Fonseca Nome do aluno: Nº Classificação: E.Educação: 1. Observa a roleta da sorte representada

Leia mais

Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim

Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim ANÁLISE COMBINATÓRIA O PRINCÍPIO MULTIPLICATIVO A palavra Matemática, para um adulto ou uma criança, está diretamente relacionada com atividades e técnicas

Leia mais

Lista de Exercícios 01 Entrada e Saída de Dados

Lista de Exercícios 01 Entrada e Saída de Dados Lista de Exercícios 01 e de Dados Exercício 01 Uma P. A., Progressão Aritmética, fica determinada pela sua razão (r) e pelo seu primeiro termo (a 1 ). Escreva um programa que determine o n-ésimo termo

Leia mais

Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Câmpus Apucarana. Projeto Novos Talentos Edital CAPES 55/12. Professor Responsável Ivan José Coser.

Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Câmpus Apucarana. Projeto Novos Talentos Edital CAPES 55/12. Professor Responsável Ivan José Coser. 1 Universidade Tecnológica Federal do Paraná UTFPR Câmpus Apucarana Projeto Novos Talentos Edital CAPES 55/12 Professor Responsável Ivan José Coser. Atividades de Matemática Julho 2014 2 1. TANGRAM O TANGRAM

Leia mais

Conjuntos Contáveis e Não Contáveis / Contagem

Conjuntos Contáveis e Não Contáveis / Contagem Conjuntos Contáveis e Não Contáveis / Contagem Introdução A história nos mostra que desde muito tempo o homem sempre teve a preocupação em contar objetos e ter registros numéricos. Seja através de pedras,

Leia mais

ESTUDO DA ANÁLISE COMBINATÓRIA

ESTUDO DA ANÁLISE COMBINATÓRIA ESTUDO DA ANÁLISE COMBINATÓRIA A resolução de problemas é a parte principal da Análise Combinatória, que estuda a maneira de formar agrupamentos com um determinado número de elementos dados, e de determinar

Leia mais

Algoritmos alternativos da multiplicação

Algoritmos alternativos da multiplicação Algoritmos alternativos da multiplicação Método da Gelosia (janela veneziana) O método de gelosia aparece no primeiro livro de aritmética impresso em Treviso (a Itália) em 1478. Este procedimento foi introduzido

Leia mais

Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais. Paulo Cezar Pinto Carvalho

Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais. Paulo Cezar Pinto Carvalho Contagem e Probabilidade Exercícios Adicionais Paulo Cezar Pinto Carvalho Exercícios Adicionais Contagem e Probabilidade Para os alunos dos Grupos 1 e 2 1. Um grupo de 4 alunos (Alice, Bernardo, Carolina

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2013 RECUPERAÇÃO

ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2013 RECUPERAÇÃO ESCOLA ESTADUAL DR. JOSÉ MARQUES DE OLIVEIRA - ANO 2013 RECUPERAÇÃO Nome Nº Turma 1 cn02 e cn07 Data / / Nota Disciplina Matemática Prof. Elaine Valor 30 Instruções: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO ANUAL; Este

Leia mais

APOSTILA COM MATERIAL DOURADO E SND ATÉ 99

APOSTILA COM MATERIAL DOURADO E SND ATÉ 99 ESCOLA: PROFESSOR(A): SÉRIE: ALUNO(A): APOSTILA COM MATERIAL DOURADO E SND ATÉ 99 Elaborado por Eleúzia Lins da Silva As atividades da Apostila com Material Dourado e SND até 99, possui Registro de Direito

Leia mais

Aula 7 - Mais problemas com inteiros

Aula 7 - Mais problemas com inteiros Aula 7 - Mais problemas com inteiros Já vimos nas aulas anteriores alguns detalhes de operações com inteiros. a) A divisão é inteira e o resultado é truncado b) Existe o operador % (resto da divisão) c)

Leia mais

Exercícios sobre Métodos de Contagem

Exercícios sobre Métodos de Contagem Exercícios sobre Métodos de Contagem 1) Um grupo de 4 alunos (Alice, Bernardo, Carolina e Daniel) tem que escolher um líder e um vice-líder para um debate. (a) Faça uma lista de todas as possíveis escolhas

Leia mais

Introdução as Probabilidades e ao Cálculo Combinatório

Introdução as Probabilidades e ao Cálculo Combinatório Aula # 13 e 14 DISCIPLINA: PROBABILIDADE E ESTATÍSTICA Introdução as Probabilidades e ao Cálculo Combinatório Professor: Dr. Wilfredo Falcón Urquiaga Professor Titular Engenheiro em Telecomunicações e

Leia mais

Quantos Dígitos...? 1

Quantos Dígitos...? 1 1 Introdução Quantos Dígitos? 1 Roberto Ribeiro Paterlini Departamento de Matemática da UFSCar É muito comum encontrarmos, em textos de Matemática para o 1 e 2 graus, questões sobre contagem de dígitos

Leia mais

10. Fatorial e Análise combinatória

10. Fatorial e Análise combinatória 10. Fatorial e Análise combinatória 1. Definição e propriedades básicas. Seja n um número natural, n 2. Então, designamos o produto 123... (n-1)n como, que se lê n fatorial. Dessa definição, deduzimos

Leia mais

1º período. Conhecer os algarismos que compõem o SND (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9). Diferenciar algarismos e números.

1º período. Conhecer os algarismos que compõem o SND (0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9). Diferenciar algarismos e números. 1º período Os números naturais: Sistema de Numeração Decimal. (SND). Pág.30 a 32. Um pouco de história: sistema de numeração dos romanos. Pág. 33 a 35 Os números naturais. Pág. 36 e 37 Sistema de Numeração

Leia mais

Programação de Computadores I - BCC 701 Lista de Exercícios 1 Módulo 1

Programação de Computadores I - BCC 701 Lista de Exercícios 1 Módulo 1 Programação de Computadores I - BCC 701 Lista de Exercícios 1 Módulo 1 e de Dados Exercício 01 Codifique um programa que, dado dois números inteiros quaisquer, efetue a soma desses números e imprima o

Leia mais

Contagem 2: permutação e resolução de exercícios de contagem. - Assuntos a serem abordados: Contagem permutação e resolução de exercícios de contagem

Contagem 2: permutação e resolução de exercícios de contagem. - Assuntos a serem abordados: Contagem permutação e resolução de exercícios de contagem Contagem 2: permutação e resolução de exercícios de contagem - Assuntos a serem abordados: Contagem permutação e resolução de exercícios de contagem - Textos: Apresentado neste roteiro da aula Apostila

Leia mais

Módulo de Princípios Básicos de Contagem. Princípio fundamental da contagem. Segundo ano

Módulo de Princípios Básicos de Contagem. Princípio fundamental da contagem. Segundo ano Módulo de Princípios Básicos de Contagem Princípio fundamental da contagem Segundo ano Princípio Fundamental de Contagem 1 Exercícios Introdutórios Exercício 1. Considere três cidades A, B e C, de forma

Leia mais

< < < < < MATEMÁTICA. 1 Completa a reta graduada com os números que faltam. 2 Completa a sequência. 3 Ajuda o Lucas e escreve por ordem crescente.

< < < < < MATEMÁTICA. 1 Completa a reta graduada com os números que faltam. 2 Completa a sequência. 3 Ajuda o Lucas e escreve por ordem crescente. C D U 2 0 0 duzentos 2 centenas 2 centenas são 200 1 Completa a reta graduada com os números que faltam. 100 110 2 Completa a sequência. -10-5 -10-5 -10-5 -10-5 -10-5 190 3 Ajuda o Lucas e escreve por

Leia mais

PROPOSTA DIDÁTICA. 3. Desenvolvimento da proposta didática 1 Dia (10 mim) Acomodação dos alunos e realização da chamada.

PROPOSTA DIDÁTICA. 3. Desenvolvimento da proposta didática 1 Dia (10 mim) Acomodação dos alunos e realização da chamada. PROPOSTA DIDÁTICA 1. Dados de Identificação 1.1 Nome do bolsista: Camila Dorneles da Rosa 1.2 Público alvo: Alunos do 6 ao 9 ano e Magistério. 1.3 Duração: 5 horas aula 1.4 Conteúdo desenvolvido: Operações

Leia mais

SISTEMAS DE NUMERAÇÃO. Introdução à Ciência da Computação ICC0001

SISTEMAS DE NUMERAÇÃO. Introdução à Ciência da Computação ICC0001 SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Introdução à Ciência da Computação ICC0001 2 Histórico Como surgiram os sistemas de numeração? Primeiro: As pessoas precisavam contar... Dias, rebanho, árvores e tudo mais... Segundo:

Leia mais

A construção do Sistema de Numeração Decimal SND e Testagem com criança de 6 a 9 anos

A construção do Sistema de Numeração Decimal SND e Testagem com criança de 6 a 9 anos A construção do Sistema de Numeração Decimal SND e Testagem com criança de 6 a 9 anos *as idades são referências, podem variar conforme o contexto Curso Construção de jogos, materiais e atividades de Matemática

Leia mais

MATEMÁTICA. Revisão para o testes: dicas e bizus Prof.: Danillo Alves

MATEMÁTICA. Revisão para o testes: dicas e bizus Prof.: Danillo Alves MATEMÁTICA Revisão para o testes: dicas e bizus Prof.: Danillo Alves OPERAÇÕES MATEMÁTICAS ADIÇÃO SUBTRAÇÃO MULTIPLICAÇÃO DIVISÃO DOS NÚMEROS ADIÇÃO Adição é uma das operações básicas da álgebra. Na sua

Leia mais

Módulo de Princípios Básicos de Contagem. Segundo ano

Módulo de Princípios Básicos de Contagem. Segundo ano Módulo de Princípios Básicos de Contagem Combinação Segundo ano Combinação 1 Exercícios Introdutórios Exercício 1. Numa sala há 6 pessoas e cada uma cumprimenta todas as outras pessoas com um único aperto

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Sistemas Numéricos Ageu Pacheco e Alexandre Meslin Objetivo da Aula: Conhecer e saber aplicar os métodos de conversão entre bases, com especial ênfase na conversão de números entre

Leia mais

Colégio Sagrado Coração de Jesus

Colégio Sagrado Coração de Jesus Tarefa semana 25 a 28/02 a 01/03/2013 Segunda-feira ( 25/02/2013 ) 1- Procurar no dicionário 3 palavras com B. Escrever a palavra e o seu significado. 2- Escreva como se lê de 1 a 10. 3- Sequência numérica

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Tema Transversal: Cultivar e guardar a Criação Disciplina: Matemática / ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS Ano: 3º - Ensino Fundamental Aluno(a): N o : Turma: Professora: Data: 12 / 4 / 2017

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIO DE MATEMÁTICA

LISTA DE EXERCÍCIO DE MATEMÁTICA LIST DE EXERCÍCIO DE MTEMÁTIC SÉRIE: 2º NO TURM: DT D PROV: / /2010 PROFESSOR: RI LUNO(): NOT VLOR 01.: (MCKENZIE) 9 pessoas desejam subir à cobertura de um edifício, dispondo, para isso, de dois elevadores,

Leia mais

Sistemas Numéricos - Aritmética. Conversão de Bases. Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA

Sistemas Numéricos - Aritmética. Conversão de Bases. Prof. Celso Candido ADS / REDES / ENGENHARIA Conversão de Bases 1 NOTAÇÃO POSICIONAL - BASE DECIMAL Desde os primórdios da civilização o homem adota formas e métodos específicos para representar números, para contar objetos e efetuar operações aritméticas.

Leia mais

NOME: TURMA: a) (0,1) Quantos carrinhos cabem no quadro?

NOME: TURMA: a) (0,1) Quantos carrinhos cabem no quadro? NOME: TURMA: UNIDADE: NOTA: DATA DE ENTREGA: 03 / 08 / 2017 1. Felipe coleciona miniaturas de carrinhos. Conte os carrinhos que ele já tem e observe que faltam algumas peças para completar todos os espaços

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA PRODUTO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA PRODUTO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA PRODUTO DA DISSERTAÇÃO O JOGO DE PÔQUER: UMA SITUAÇÃO REAL PARA DAR SENTIDO AOS CONCEITOS

Leia mais

ÁBACO VERTICAL. 1º. Passo: Explicar aos alunos o significado de cada pino do ábaco.

ÁBACO VERTICAL. 1º. Passo: Explicar aos alunos o significado de cada pino do ábaco. ÁBACO VERTICAL É de extrema importância que os alunos construam os conceitos de número já nas séries iniciais, a fim de que estes evoluam do concreto aos estágios de abstração. Os Parâmetros Curriculares

Leia mais

MATEMÁTICA. 1 Escreve os números por extenso de 5 em 5 até

MATEMÁTICA. 1 Escreve os números por extenso de 5 em 5 até 1 Escreve os números por extenso de 5 em 5 até 400. 305-310 - 315-320 - 325-330 - 335-340 - 345-355 - 365-375 - 385-395 - 350-360 - 370-380 - 390-400 - 2 Escreve os números de 2 em 2 desde o número 300

Leia mais

Os PCN+, por sua vez, orientam outras possibilidades no ensino de Análise Combinatória indicando que:

Os PCN+, por sua vez, orientam outras possibilidades no ensino de Análise Combinatória indicando que: Sociedade Brasileira de na Contemporaneidade: desafios e possibilidades A QUESTÃO É DE ARRANJO OU COMBINAÇÃO? UM OLHAR PARA O PRINCÍPIO FUNDAMENTAL EM ANÁLISE COMBINATÓRIA Jamille Vilas Boas Instituto

Leia mais

EMEF PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID. Plano de aula 3 - Quadrado Mágico- abril de 2015

EMEF PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID. Plano de aula 3 - Quadrado Mágico- abril de 2015 EMEF PROFª MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID Plano de aula 3 - Quadrado Mágico- abril de 2015 Bolsistas: Mévelin Maus, Patrícia Lombelo, Natacha Subtil. Supervisora: Marlete Basso Roman Disciplina: Matemática

Leia mais

CONTEÚDOS DO PRIMEIRO PERÍODO EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO DO PRIMEIRO PERÍODO

CONTEÚDOS DO PRIMEIRO PERÍODO EXERCÍCIOS DE RECUPERAÇÃO DO PRIMEIRO PERÍODO Aluno(: Nº Comp. Curricular: Estatística Data: 16/04/2012 1º Período Ensino Médio Comércio Exterior Turma: 5 3MC1/ 2 Professor: José Manuel Análise Combinatória: CONTEÚDOS DO PRIMEIRO PERÍODO 1) Fatorial

Leia mais

PROBLEMATECA GEOMÉTRICOS NUMERAÇÃO

PROBLEMATECA GEOMÉTRICOS NUMERAÇÃO COLEÇÃO MATHEMOTECA ORGANIZADORAS Kátia Katia Stocco Smole Maria Ignez Diniz Anos iniciais do ensino fundamental Resolução Materiais manipulativos de problemas nas para aulas o ensino de matemática de

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CAJAZEIRAS COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CAJAZEIRAS COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS CAJAZEIRAS COORDENAÇÃO DO CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA MATEMÁTICA I Nome: MATEMÁTICA I Curso: TÉCNICO EM INFORMÁTICA

Leia mais

01. Quantos números com 3 algarismos podem ser formandos usando-se os algarismos 2, 3, 4, 5, 6, 7?

01. Quantos números com 3 algarismos podem ser formandos usando-se os algarismos 2, 3, 4, 5, 6, 7? Colégio Santa Maria 3º ano médio 2012. Lista de exercícios Análise Combinatória (Arranjos simples, permutações e combinações simples P.F.C). Professor: Flávio Verdugo Ferreira. 01. Quantos números com

Leia mais

Estatística Básica Capítulo 2 Ayrton Barboni. Anotamos n(x) o número de elementos do conjunto X. Vejamos algumas situações:

Estatística Básica Capítulo 2 Ayrton Barboni. Anotamos n(x) o número de elementos do conjunto X. Vejamos algumas situações: 2. TÉCNICAS DE CONTAGEM Capítulo 2 Para resolver problemas de probabilidades, que serão estudados adiante, é necessário, em alguns casos, contar os elementos de um conjunto finito. 2.1. REGRAS DE CONTAGEM

Leia mais

Combinação A forma de escrita. Assim sendo, podemos interpretar este exercício como sendo:

Combinação A forma de escrita. Assim sendo, podemos interpretar este exercício como sendo: Combinação 016 1. (Fgv 015) Em uma sala estão presentes n pessoas, com n 3. Pelo menos uma pessoa da sala não trocou aperto de mão com todos os presentes na sala, e os demais presentes trocaram apertos

Leia mais

DECRETO N.º DE 28 DE FEVEREIRO DE 2011.

DECRETO N.º DE 28 DE FEVEREIRO DE 2011. DECRETO N.º 33443 DE 28 DE FEVEREIRO DE 2011. Dispõe sobre a concessão de incentivo na modalidade de sorteio de prêmios entre pessoas naturais tomadoras de serviços que receberem a Nota Fiscal de Serviços

Leia mais

Ano: 9 Turmas: 9.1 e 9.2

Ano: 9 Turmas: 9.1 e 9.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Final 3ª Etapa 2013 Disciplina: Matemática Professor (a): Valeria Ano: 9 Turmas: 9.1 e 9.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo de recuperação.

Leia mais

Instruções para a realização da Prova Leia com muita atenção. Prova da segunda fase

Instruções para a realização da Prova Leia com muita atenção. Prova da segunda fase Nível 1 Instruções para a realização da Prova Leia com muita atenção Prova da segunda fase Caro Aluno, Parabéns pela sua participação na décima primeira edição da Olimpíada de Matemática de São José do

Leia mais

EQUAÇÃO DO 1º GRAU. Toda sentença aberta expressa por uma igualdade é uma equação

EQUAÇÃO DO 1º GRAU. Toda sentença aberta expressa por uma igualdade é uma equação EQUAÇÃO DO 1º GRAU Toda sentença aberta epressa por uma igualdade é uma equação Interessante : A palavra equação apresenta o prefio equa que em latim quer dizer igual. São Equações + 12 = 21 3 + 7 = 23

Leia mais

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA II

INSTITUTO GEREMARIO DANTAS COMPONENTE CURRICULAR: MATEMÁTICA II INSTITUTO GEREMARIO DANTAS Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Fone: (21) 21087900 Rio de Janeiro RJ www.igd.com.br Aluno(a): 9º Ano: Nº Professora: Marcos Vinício Data: / /2016 COMPONENTE CURRICULAR:

Leia mais

Conversão de Bases. Introdução à Organização de Computadores 5ª Edição/2007 Página 54. Sistemas Numéricos - Aritmética. Prof.

Conversão de Bases. Introdução à Organização de Computadores 5ª Edição/2007 Página 54. Sistemas Numéricos - Aritmética. Prof. Conversão de Bases Introdução à Organização de Computadores 5ª Edição/2007 Página 54 1 NOTAÇÃO POSICIONAL - BASE DECIMAL O SISTEMA DE NUMERAÇÃO É FORMADO POR UM CONJUNTO DE SÍMBOLOS UTILIZADOS PARA REPRESENTAR

Leia mais

Ciclo 2 Encontro 2 PERMUTAÇÕES E COMBINAÇÕES. Nível 3 PO: Márcio Reis 11º Programa de Iniciação Científica Jr.

Ciclo 2 Encontro 2 PERMUTAÇÕES E COMBINAÇÕES. Nível 3 PO: Márcio Reis 11º Programa de Iniciação Científica Jr. 1 Ciclo 2 Encontro 2 PERMUTAÇÕES E COMBINAÇÕES Nível 3 PO: Márcio Reis 11º Programa de Iniciação Científica Jr. ATUALIZAR O ENDEREÇO RESIDENCIAL ATÉ 07/08! 2 ATUALIZAR O ENDEREÇO RESIDENCIAL ATÉ 07/08!

Leia mais

1).- Significado de congruência e de congruência numérica

1).- Significado de congruência e de congruência numérica 5. CONGRUÊNCIAS NUMÉRICAS 1). Significado de congruência e de congruência numérica 2). Exemplos exploratórios e a notação mod q 3). Definição geral de congruência numérica 4). Regras: somando e multiplicando

Leia mais

PERMUTAÇÃO, ARRANJO E COMBINAÇÃO Monitora Juliana

PERMUTAÇÃO, ARRANJO E COMBINAÇÃO Monitora Juliana PERMUTAÇÃO, ARRANJO E COMBINAÇÃO Monitora Juliana PERMUTAÇÕES SIMPLES Uma permutação de se denominarmos objetos distintos é qualquer agrupamento ordenado desses objetos, de modo que, o número das permutações

Leia mais

Exercícios de Programação Lista de Exercícios

Exercícios de Programação Lista de Exercícios Exercícios de Programação Lista de Exercícios 1 2016-1 Entrada e Saída de Dados Exercício 01 Codifique um programa que, dado dois números inteiros quaisquer, efetue a soma desses números e imprima o resultado

Leia mais

Professores do Ensino Básico - Variante de Educação Física. Disciplina: Matemática Data: Ficha de trabalho: 3

Professores do Ensino Básico - Variante de Educação Física. Disciplina: Matemática Data: Ficha de trabalho: 3 Instituto Politécnico de Bragança Escola Superior de Educação Professores do Ensino Básico - Variante de Educação Física Disciplina: Data: Ficha de trabalho: 3 Conteúdos: números, modelos para a numeração

Leia mais

XXIII OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA Segunda Fase Nível 2 (7 a. ou 8 a. séries)

XXIII OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA Segunda Fase Nível 2 (7 a. ou 8 a. séries) XXIII OLIMPÍADA BRASILEIRA DE MATEMÁTICA Segunda Fase Nível 2 (7 a. ou 8 a. séries) PROBLEMA 1 As peças de um jogo chamado Tangram são construídas cortando-se um quadrado em sete partes, como mostra o

Leia mais

Probabilidade. Luiz Carlos Terra

Probabilidade. Luiz Carlos Terra Luiz Carlos Terra Nesta aula, você conhecerá os conceitos básicos de probabilidade que é a base de toda inferência estatística, ou seja, a estimativa de parâmetros populacionais com base em dados amostrais.

Leia mais

Sistemas Digitais. Prof. Valbério Gonzaga

Sistemas Digitais. Prof. Valbério Gonzaga Sistemas Digitais Prof. Valbério Gonzaga Introdução. Hoje em dia, o termo digital tornou-se parte do nosso vocabulário diário. Isso se deve a sua ampla utilização em quase todas as áreas: Computadores,

Leia mais

Lista 10 Análise Combinatória e Probabilidade

Lista 10 Análise Combinatória e Probabilidade Lista 10 Análise Combinatória e Probabilidade 1) Dada a palavra AMORECO, responda as seguintes questões: a) Quantos são seus anagramas? = 2520 b) Quantas são os anagramas que começam e terminam por consoante?.

Leia mais

COLÉGIO EQUIPE DE JUIZ DE FORA MATEMÁTICA - 3º ANO EM. 1. O número de anagramas da palavra verão que começam e terminam por consoante é:

COLÉGIO EQUIPE DE JUIZ DE FORA MATEMÁTICA - 3º ANO EM. 1. O número de anagramas da palavra verão que começam e terminam por consoante é: 1. O número de anagramas da palavra verão que começam e terminam por consoante é: a) 120 b) 60 c) 12 d) 24 e) 6 2. Com as letras da palavra prova, podem ser escritos x anagramas que começam por vogal e

Leia mais