É possível trocar Análise custo benefício. Sumário da 4ª aula. Qual é o meu preço mínimo? E a outra pessoa quer comprar? Qual é o meu preço mínimo?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "É possível trocar Análise custo benefício. Sumário da 4ª aula. Qual é o meu preço mínimo? E a outra pessoa quer comprar? Qual é o meu preço mínimo?"

Transcrição

1 Sumário da 4ª aula Análise custo benefício (cont.) 27 Preço de reserva 29 Custo de oportunidade 30 Custo afundado 32 Análise custo/benefício marginal 35 Análise custo - benefício de cabazes não separáveis 41 Exercícios resolvidos 43 É possível trocar Análise custo benefício Preço relativo k = 5 morangos por maçã Custo: Tenho V(5) 0 e passo a ter V(4) 0 89,94 83,50 = 6,44 vales Benefício: Tenho V(0) 1 e passo a ter V(5) 1 17,20 0 = 17,20 vales Benefício Líquido = Benefício Custo Quero vender a maçã porque BL= 10,76 vales > 0 E a outra pessoa quer comprar? Custo: Tem V(50) 1 e passa a ter V(45) 1 91,75 88,77 = 2,98 vales Benefício: Tem V(0) 0 e passa a ter V(1) 0 34,36 0 = 34,36 vales Quer comprar a maçã pois BL = 31,38 vales >0 Qual é o meu preço mínimo? k =5 é o preço relativo: se uma maçã custa 1 Euro, um morango custa 0,2 Euro. Há um preço limite abaixo do qual eu não quero vender a 5ª maçã O custo da 5ª maçã é independente do preço e igual a 6,44 vales Qual é o meu preço mínimo? O benefício diminui com o preço Benefício: V(k) 1 V(0) 1 Para k < 1,797 morangos por maçã, o benefício da venda é menor que o custo: Não vender a maçã O que é o preço de reserva? O preço k = 1,797 morangos por maçã é o preço de reserva do vendedor: Eu, vendedor, não vendo para um preço menor que o preço de reserva ou Vendo quantidade zero para um preço menor que o preço de reserva

2 E a outra pessoa? O benefício de uma maçã é 34,36 vales O custo varia com o preço Tem V(50) 1 e passa a ter V(50-k) 1 Para k > 29,44, o benefício da compra é menor que o custo O que é o preço de reserva? O preço 29,44 morangos por maçã é o preço de reserva do comprador: O comprador não compra para um preço maior que o preço de reserva ou O comprador compra quantidade zero para um preço maior que o preço de reserva Não comprar a maçã Custo de oportunidade Em termos genéricos, o custo é o que não se pode fazer em alternativa ao estamos a pensar fazer Como a 5ª maçãs ou vendo-a? Fico a dormir ou vou à aula? Vou a pé, de autocarro ou de táxi? Afectação alternativa Vender a mação tem um custo porque eu, em alternativa, posso comê-la. O custo de oportunidade será o máximo benefício que poderia ter em vez de Vamos supor que eu em alternativa posso Comer a 5ª maçã; Vender a 5ª maçã por uma pêra. Custo de oportunidade Comer a 5ª maçã V(5) 0 -V(4) 0 = 6,44 vales Comer uma pêra (V() 2 igual a V() 0 ) V(1) 2 = 34,36 vales É custo de oportunidade é o máximo dos dois: 34,36 vales e não 6,44 vales Realizo a venda por morangos? O benefício para k = 5 morangos por maçã é 17,20 vales Então, não vendo a 5ª maçã por 5 morangos mas vendo-a por 1 pêra

3 Cabazes não separáveis Considerei que o valor da maçãs é separável do valor dos morangos e das peras Quanto vale ter gasolina se não tenho carro? Quanto vale ter maçãs se já comi 100 morangos? Quanto vale ter cana de pesca se não tenho minhocas e estou numa aula? Os bens formam um cabaz E o seu valor de cada bem está dependente do conjunto do cabaz V(x 1,x 2,,x n ) Isto altera a análise custo/benefício Mas não altera o resultado Cabazes conjuntos alternativos O custo é o valor dos cabazes alternativos: Ter 5 maçãs, 0 morangos e 0 peras C = V(5) 0 + V(0) 1 + V(0) 2 = 89, vales Ter 4 maçãs, 0 morangos e 1 pêra C = V(4) 0 + V(0) 1 + V(1) 2 = 83, ,20 = 117,86 vales O custo de oportun. é 117,86 vales Benefício do cabaz Ter 4 maçãs, 5 morangos e 0 pêra B = V(4) 0 + V(5) 1 + V(0) 2 =83,50+17,20+0 = 100,70 vales BL=100,70-117,86 = -17,16 vales Benefício é inferior ao custo de oportunidade Separável: C= 34,36, B= 17,20, BL = -17,16 O que é um custo afundado? Já paguei e não o posso recuperar Quando chego à praia, já fiz a viagem A minha decisão de ficar na esplanada ou ir nadar não tem em consideração a viagem Paguei o bilhete de cinema à entrada Depois de estar na sala, a decisão de ver ou não o filme não depende do custo do bilhete Estou sem alternativa Um supermercado encomendou-me couves a 15$ cada para o dia de Natal. Eu planto as couves e cada custa-me 10$ Chegado o dia de Natal, o supermercado oferece-me apenas 5$ por cada couve. Devo vender? Mando-as para o lixo? Terei afectação alternativa?

4 Qual o valor do dinheiro? Qual a necessidade que o dinheiro satisfaz? Nenhuma? De onde vem o seu valor? Tem poder aquisitivo de bens e serviços Como o valor marginal dos bens é decrescente, o do dinheiro também é. Análise C/B marginal Eu tenho m maçãs e n morangos Devo vender mais um bocadinho m de maçã por k. m bocadinhos de morangos? Custo: [V(m) 0 V(m m) 0 ] Benefício: [V(n+k m) 1 V(n) 1 ] V(m, n) = Benefício Custo = [V(n+k m) 1 V(n) 1 ] [V(m) 0 V(m m) 0 ] Análise C/B marginal Posso dividir o ganho por m V(m, n) / m = = [V(n+k m) 1 V(n) 1 ] / m [V(m) 0 V(m m) 0 ] / m Podemos encontrar o lim m 0 Análise C/B marginal dv(m, n)/dm = [V(n+k dm) 1 V(n) 1 ] / dm [V(m) 0 V(m dm) 0 ] / dm Aproximação linear de Taylor dv(m, n)/dm = k [V(n+dm) 1 V(n) 1 ] / dm [V(m) 0 V(m dm) 0 ] / dm = k V (n) 1 V (m) 0 Se for positivo, vendo Onde está o máximo? k V (n) 1 V (m) 0 = 0 É a cond. de 1ª ordem da maximização O preço é relativo, k = P 0 / P 1 P 0 / P 1 = V (m) 0 / V (n) 1 V (m) 0 / P 0 = V (n) 1 / P 1 Porque é o ar tão barato? Quantidade óptima a vender Partindo da situação em que tenho m maçãs e 0 morangos e o preço k É óptimo vender x maçãs tal que V (m-x) 0 = k.v (k.x) 1 Se m = 5 e k=5, resulta x*: V (5-x) 0 = 5.V (5.x) 1 É óptimo vender x* = 2,195 maçãs

5 Onde está o máximo? Exercício 1 Vou trabalhar para o Porto? Cada Euro vale 10 vales C1) Se ficar em Braga com 10 h e 5 Euro (RIS) Cada hora de descanso vale 10 vales C2) Se trabalhar em Braga 9,5 horas em Braga a 6,0 Euro a hora O tempo a trabalhar vale 5 vales por hora B) Vou trabalhar para o Porto? Viagem de 1 h (vale 5 vales ) e custa 3 Euro 8 horas a 7,5 Euro a hora O tempo a trabalhar vale 3 vales por hora Cabaz não separado (mais fácil) C1) 10x10 + 5x10 = 150 vales C2) [0,5x10+9,5x5]+(9,5x6)x10 = 622,5 vales Custo de oportunidades é 622,5 vales B) [1x10+1x5+8x3]+(8x7,5-3)x10 =609 vales Não vou trabalhar para o Porto Qual o meu preço de reserva? Que me faz ir trabalhar para o Porto É o salário que faz o Benefício pelo menos igual ao custo de oportunidade [ ]+(8x W-3)x10 > 622,5 vales W > [(622,5-39)/10+3]/8 W > 7,66875 Euro por hora Exercício 2 Vou ver a Mandona? Cada Euro vale 10 vales Ontem tinha 100 Euro e comprei um bilhete para ver o concerto da Mandona (50 Euro) Vou hoje ao concerto? C) Se ficar em casa Vejo 3 horas de televisão (10 vales por hora) Fico com o bilhete (que não vale nada) e 50 Euro B) Se vou ao concerto Viajo de 1 hora (5 vales) e pago 10 Euro (táxi) 2 horas de concerto a 60 vales por hora Fico com 40 Euro Cabaz não separado C) 3x x10= 530 vales Custo de oportunidades é 530 vales B) [1x5+2x60]+0+(50-10)x10 =525 vales B<C Não vou ver a Mandona O preço do bilhete é irrelevante

6 Exercício 3 Quanto tempo vou trabalhar? Cada hora a descansar vale 10 vales Cada hora a trabalhar recebo 10 Euro O valor de cada Euro é 1 vale O valor médio do tempo a trabalhar é: HorasT 4 h 8 h 12 h 16 h 20 h VmédT Supondo que tenho 20 horas de tempo Horas T Vméd T Valor Total x10+4x10+4*10 = 240 vales x10+8x8+8*10 = 264 vales x10+12x6+12*10 = 272 vales x10+16x4+16*10 = 264 vales x10+20x2+20*10 = 240 vales Pensar no caso deter 20 horas de tempo.

Custo afundado. Sumário aula 3-4. Custo afundado. Custo afundado. Custo afundado. Custo afundado

Custo afundado. Sumário aula 3-4. Custo afundado. Custo afundado. Custo afundado. Custo afundado Sumário aula 3-4 1) 2) Valor médio / valor marginal 3) Custo e Benefício marginais Exemplos Vimos que o custo de oportunidade incorpora todas as alternativas possíveis No entanto, há coisas que custaram

Leia mais

Introdução à teoria do consumidor

Introdução à teoria do consumidor 2 Introdução à teoria do consumidor Pedro Cosme da Costa Vieira Introdução à Teoria do Consumidor Autor e Editor: Pedro Cosme da Costa Vieira Faculdade de Economia do Porto R. Dr. Roberto Frias, s/n 42-464

Leia mais

MICROECONOMIA I Relatório de uma disciplina. Pedro Cosme da Costa Vieira

MICROECONOMIA I Relatório de uma disciplina. Pedro Cosme da Costa Vieira MICROECONOMIA I Relatório de uma disciplina Pedro Cosme da Costa Vieira Faculdade de Economia do Porto 26 2 Este relatório vem responder ao previsto no parágrafo 2 do artigo 9.º do Decreto n.º 31/72, de

Leia mais

Aprender a Pensar com Números Divisão (5)

Aprender a Pensar com Números Divisão (5) Aprender a Pensar com Números Divisão (5) Na aula 7, sobre divisão, vimos que ao distribuir 6 livros entre 3 alunos encontramos a resposta: 2 livros/aluno. Neste problema, a quantidade de livros foi dividida

Leia mais

Princípios microeconómicos. Sumário aula 1-2. Princípios microeconómicos. Princípios microeconómicos. Exemplos de Custo/Benefício

Princípios microeconómicos. Sumário aula 1-2. Princípios microeconómicos. Princípios microeconómicos. Exemplos de Custo/Benefício Sumário aula 1-2 1) Princípios Os agentes económicos têm necessidades Os recursos são escassos / preço de reserva 2) Custo e Benefício 3) Custo de oportunidade Exemplos 1) Cada indivíduo tem necessidades

Leia mais

01/09/2009. Entrevista do Presidente da República

01/09/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de encerramento do 27º Encontro Econômico Brasil-Alemanha (EEBA) Vitória-ES, 1º de setembro de 2009

Leia mais

Valorıze-se, organıze-se! Cláudio Ramos

Valorıze-se, organıze-se! Cláudio Ramos Valorıze-se, organıze-se! Cláudio Ramos Índice 8 A felicidade pode estar na valorização? Pode, digo eu! 11 1. CASA 13 COMPRAS E POUPANÇA 15 DECORAÇÃO 29 2. ROUPA 40 GUARDA-ROUPA BÁSICO: O Que Todas as

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais. Organização Industrial

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais. Organização Industrial UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA Faculdade de Ciências Económicas e Empresariais Organização Industrial Discriminação de Preços Exercício 1 Um monopolista vende o seu produto a clientes cujas procuras

Leia mais

Resolvendo equações. 2 = 26-3 α φ-1

Resolvendo equações. 2 = 26-3 α φ-1 A UA UL LA Resolvendo equações Introdução À medida que os problemas se tornam mais complicados, o método algébrico vai se impondo naturalmente ao método aritmético. Resolver equações fará parte das nossas

Leia mais

Introdução à teoria do consumidor. Pedro Cosme da Costa Vieira

Introdução à teoria do consumidor. Pedro Cosme da Costa Vieira Introdução à teoria do consumidor Pedro Cosme da Costa Vieira Faculdade de Economia do Porto 2004 2 P. C. C. Vieira Introdução à Teoria do Consumidor Autor e Editor: Pedro Cosme da Costa Vieira Faculdade

Leia mais

Uso dos pronomes pessoais e colocação dos pronomes átonos

Uso dos pronomes pessoais e colocação dos pronomes átonos Uso dos pronomes pessoais e colocação dos pronomes átonos Pronomes pessoais Uso dos pronomes pessoais retos e oblíquos Eu e tu pronomes pessoais retos (= sujeito): Ela trouxe o livro para eu ler ; Ela

Leia mais

HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16. Agrupamento de Escolas de Sampaio

HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16. Agrupamento de Escolas de Sampaio HISTÓRIAS DA AJUDARIS 16 Agrupamento de Escolas de Sampaio JOÃO FRAQUINHO Era uma vez um menino que estava muito fraquinho, não tinha força para nada nem para se pôr de pé. Estava deitado no chão da rua,

Leia mais

Economia do Trabalho OFERTA DE TRABALHO. CAP. 2 Borjas

Economia do Trabalho OFERTA DE TRABALHO. CAP. 2 Borjas Economia do Trabalho OFERTA DE TRABALHO CAP. 2 Borjas 1. INTRODUÇÃO Indivíduos procuram maximizar bem estar, consumindo bens e lazer Existe trade-off entre trabalho e lazer Indivíduos precisam de trabalho

Leia mais

EXAME FINAL DE NÍVEL A2

EXAME FINAL DE NÍVEL A2 ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO EXAME FINAL DE NÍVEL A2 PPT (Português para Todos) 8 Páginas Duração: 90 minutos + 30 minutos de tolerância junho de 2016 Versão B (A preencher pelo aluno) Nome:

Leia mais

Por exemplo, vamos obter os termos de uma progressão geométrica de razão 2, partindo do número 3.

Por exemplo, vamos obter os termos de uma progressão geométrica de razão 2, partindo do número 3. Definição: Progressão geométrica (ou simplesmente PG) é uma seqüência de números não nulos em que cada um deles, multiplicado por um número fixo, fornece o próximo elemento da seqüência. Esse número fixo

Leia mais

Lidando com Conflitos e Mudanças na Família

Lidando com Conflitos e Mudanças na Família Lidando com Conflitos e Mudanças na Família ... por uma vida plena A única coisa da qual podemos ter certeza é que as coisas mudam. As pessoas são, naturalmente, contra as mudanças? Nós pensamos frente

Leia mais

Computação I: Representações de Algoritmos

Computação I: Representações de Algoritmos Computação I: Representações de Algoritmos reginaldo.re@utfpr.edu.br * Parte da apresentação foi gentilmente cedida pelo prof. Igor Steinmacher Agenda Objetivos Relembrando... Algoritmos para desenvolver

Leia mais

Quanto ela receberá de salário se ela vender um total de R$ ,00?

Quanto ela receberá de salário se ela vender um total de R$ ,00? Uma vendedora recebe um salário mínimo R$ 788,00 mais comissão de 5% sobre o total de suas vendas durante o mês. Se X é o quanto ela vendeu no mês, qual a lei de formação que Melhor caracteriza a lei de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto Departamento de Economia

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto Departamento de Economia REC110 MICROECONOMIA II EXERCÍCIOS SOBRE MONOPÓLIO, MONOPSÔNIO E DISCRIMINAÇÃO DE PREÇOS. ROBERTO GUENA DE OLIVEIRA 1. Uma empresa vende seu produto em dois mercados distintos. A demanda por esse produto

Leia mais

Antes de iniciar a sua prova, tenha em atenção os seguintes aspectos:

Antes de iniciar a sua prova, tenha em atenção os seguintes aspectos: Nome Completo: (tal como consta do processo do aluno) Nº de Processo: Turma: Curso: Antes de iniciar a sua prova, tenha em atenção os seguintes aspectos: A duração da prova é de duas horas e trinta minutos

Leia mais

DICAS PARA SER TOP EM VENDAS MARY KAY. Mayara Soberano Diretora de Vendas Ind. Mary Kay

DICAS PARA SER TOP EM VENDAS MARY KAY. Mayara Soberano Diretora de Vendas Ind. Mary Kay DICAS PARA SER TOP EM VENDAS MARY KAY Mayara Soberano Diretora de Vendas Ind. Mary Kay 1- Experimente, estude e aplique Use tudo que recebeu e aprenda sobre eles. Treine na frente do espelho. Estude o

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico Olá! Eu sou o Feliphe Rainerte e fico muito feliz de saber que você deu esse importante passo em sua vida. O ebook abaixo, tem como objetivo nortear você com sacadas geniais para

Leia mais

Gregas/Semanas Inicio (1ª e 2ª) Meio (3ª) Final (4ª) Gamma BAIXO MÉDIO ALTO Theta ALTO MÉDIO BAIXO Delta BAIXO/MÉDIO MÉDIO ALTO

Gregas/Semanas Inicio (1ª e 2ª) Meio (3ª) Final (4ª) Gamma BAIXO MÉDIO ALTO Theta ALTO MÉDIO BAIXO Delta BAIXO/MÉDIO MÉDIO ALTO Aula Prática Gregas/Semanas Inicio (1ª e 2ª) Meio (3ª) Final (4ª) Gamma BAIXO MÉDIO ALTO Theta ALTO MÉDIO BAIXO Delta BAIXO/MÉDIO MÉDIO ALTO Supondo que o ativo esteja cotado a R$ 10,00. Tipo/Semanas Inicio

Leia mais

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT

INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT INQUÉRITO - PROJECTO DE TUTORIA A ESTUDANTES ERAMUS OUT Desde já, agradecemos a sua participação nesta nova etapa do Projecto de Tutoria a Estudantes ERASMUS versão OUT. Com este inquérito, pretendemos

Leia mais

A MICROECONOMIA estuda como os preços podem harmonizar a OFERTA e a DEMANDA, gerando equilíbrio.

A MICROECONOMIA estuda como os preços podem harmonizar a OFERTA e a DEMANDA, gerando equilíbrio. Microeconomia A MICROECONOMIA estuda como os preços podem harmonizar a OFERTA e a DEMANDA, gerando equilíbrio. É responsável pela análise de formação de preços no mercado, ou melhor, como a empresa e o

Leia mais

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após visita ao 26º Salão Internacional do Automóvel

Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após visita ao 26º Salão Internacional do Automóvel Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após visita ao 26º Salão Internacional do Automóvel São Paulo-SP, 29 de outubro de 2010 Presidente: Vocês querem começar

Leia mais

EXAME FINAL DE NÍVEL A2

EXAME FINAL DE NÍVEL A2 ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO EXAME FINAL DE NÍVEL A2 PPT (Português para Todos) 8 Páginas Duração: 90 minutos + 30 minutos de tolerância junho de 2016 Versão A (A preencher pelo aluno) Nome:

Leia mais

Sugestão de cronograma das aulas de Introdução à Economia

Sugestão de cronograma das aulas de Introdução à Economia Aula Data 1 29/out 1 30/out Ter 2 31/out Qua 2 1/nov Qui Sugestão de cronograma das aulas de Introdução à Economia Conteúd o Especificado Economia: análise (ec. positiva ) e política (ec. normativa ),

Leia mais

Sumário. Gestão Empresarial e Economia. Economia. Microeconomia. Mercado e concorrência perfeita Procura. Oferta. Equilíbrio de mercado

Sumário. Gestão Empresarial e Economia. Economia. Microeconomia. Mercado e concorrência perfeita Procura. Oferta. Equilíbrio de mercado Gestão Empresarial e Economia Economia Microeconomia Sumário Mercado e concorrência perfeita Procura o Procura individual o Procura de mercado Oferta o Oferta individual o Oferta de mercado Equilíbrio

Leia mais

Fichas de Português. Bloco V. Estruturas Gramaticais. Números cardinais ; 101 a Количественные числительные... Numerale cardinale...

Fichas de Português. Bloco V. Estruturas Gramaticais. Números cardinais ; 101 a Количественные числительные... Numerale cardinale... Fichas de Português Bloco V Estruturas Gramaticais Números cardinais ; 101 a 1 000 000 000. Количественные числительные... Numerale cardinale... Preposição + pronomes pessoais. Пpeдлoг + мecтoимeниe. Prepoziţii

Leia mais

BANCO DE EXERCÍCIOS - 24 HORAS

BANCO DE EXERCÍCIOS - 24 HORAS BANCO DE EXERCÍCIOS - HORAS 9º ANO ESPECIALIZADO/CURSO ESCOLAS TÉCNICAS E MILITARES FOLHA Nº GABARITO COMENTADO ) A função será y,5x +, onde y (preço a ser pago) está em função de x (número de quilômetros

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº08

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº08 Nome: Ano: º Ano do E.M. Escola: Data: / / 1. Conceitos básicos 3º Ano do Ensino Médio Aula nº08 Assunto: Funções, Equações e Inequações do 1º grau Introdução: Representação de uma equação com 2 variáveis

Leia mais

Módulo 1 Potenciação, equação exponencial e função exponencial

Módulo 1 Potenciação, equação exponencial e função exponencial Módulo 1 Potenciação, equação exponencial e função exponencial 1. Potenciação e suas propriedades 1.1. Potência de expoente natural Potenciação nada mais é do que uma multiplicação de fatores iguais. Casos

Leia mais

Capítulo 6 Trabalho e Energia Cinética

Capítulo 6 Trabalho e Energia Cinética Capítulo 6 Trabalho e Energia Cinética Muitos problemas de Mecânica não têm solução simples usando as Leis de Newton Eemplo: velocidade de um carrinho de montanha-russa durante seu percurso (mesmo desprezando

Leia mais

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016

EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 EDITAL DE RECUPERAÇÃO PARALELA SEMESTRAL 1º SEMESTRE/2016 Aluno: Ano: Professora: Disciplina: No Colégio Pentágono trabalhamos com a Recuperação Contínua e Paralela. A Recuperação Contínua ocorre durante

Leia mais

1ª PARTE NÍVEL 1 SOLUÇÕES QUESTÃO 1

1ª PARTE NÍVEL 1 SOLUÇÕES QUESTÃO 1 1ª PARTE NÍVEL 1 SOLUÇÕES QUESTÃO 1 Numa sala de aula, os estudantes participam da seguinte brincadeira. Um dos alunos conta em voz alta os números inteiros de 1 até 100, enquanto todos os outros batem

Leia mais

Definição. Características. Classificações da Opções. Valor das Opções. Modelo Black & Scholes. Gregas. Estratégias de Opções

Definição. Características. Classificações da Opções. Valor das Opções. Modelo Black & Scholes. Gregas. Estratégias de Opções Definição Características Classificações da Opções Valor das Opções Modelo Black & Scholes Gregas Estratégias de Opções O que é uma opção? É um contrato acordo - que lhe dá o direito de negociar um determinado

Leia mais

Sumário, aula 13. Impostos/subsídios. Impostos/subsídios. Impostos/subsídios. Impostos/subsídios. Impostos/subsídios

Sumário, aula 13. Impostos/subsídios. Impostos/subsídios. Impostos/subsídios. Impostos/subsídios. Impostos/subsídios Sumário, aula 13 Intervenções do Governo Exercícios sobre Subsídios e Impostos Distribuição dos benefícios Efeito dos I/S em função da elasticidade Em equilíbrio de mercado O preço de venda é igual ao

Leia mais

Advérbios. Os advérbios modificam o sentido de um verbo, de um adjectivo, de outro advérbio ou de uma oração inteira.

Advérbios. Os advérbios modificam o sentido de um verbo, de um adjectivo, de outro advérbio ou de uma oração inteira. Advérbios Os advérbios modificam o sentido de um verbo, de um adjectivo, de outro advérbio ou de uma oração inteira. Advérbios de tempo: quando? agora, ainda, amanhã, antes, antigamente, cedo, dantes,

Leia mais

Tradução da 6a. edição norte-americana

Tradução da 6a. edição norte-americana N. Gregory Mankiw Economia Introdução à Tradução da 6a. edição norte-americana 1 Dez princípios de economia Depois de ler este capítulo, responda às seguintes questões: Que tipos de perguntas a economia

Leia mais

COMO A ECONOMIA FUNCIONA? Por Sérgio Birchal

COMO A ECONOMIA FUNCIONA? Por Sérgio Birchal Caderno de Economia 6 COMO A ECONOMIA FUNCIONA? Por Sérgio Birchal O entendimento de como a economia funciona pode vir da experiência cotidiana. Nós nos deparamos com o mercado quando estamos à busca de

Leia mais

REVISÃO Lista 03 Matemática financeira. Juros compostos: os juros são aplicados sobre a quantia obtida anteriormente

REVISÃO Lista 03 Matemática financeira. Juros compostos: os juros são aplicados sobre a quantia obtida anteriormente NOME: ANO: 3º Nº: PROFESSOR(A): Ana Luiza Ozores DATA: REVISÃO Lista 03 Matemática financeira Definições Porcentagem: razão cujo denominador é 100 Juros simples: os juros são sempre aplicados sobre a quantia

Leia mais

10,00 (dez) pontos distribuídos em 20 itens. 2. A soma dos fatores primos obtidos na fatoração completa do número 360 é igual a:

10,00 (dez) pontos distribuídos em 20 itens. 2. A soma dos fatores primos obtidos na fatoração completa do número 360 é igual a: QUESTÃO ÚNICA MÚLTIPLA ESCOLHA 10,00 (dez) pontos distribuídos em 20 itens Marque no cartão de respostas a única alternativa que responde de maneira correta ao pedido de cada item: MATEMÁTICA 1. Qual a

Leia mais

Salmo 23:! Viva uma vida com tranquilidade

Salmo 23:! Viva uma vida com tranquilidade Anésio Rodrigues Salmo 23 Salmo 23:! Viva uma vida com tranquilidade Salmo 23 O SENHOR é o meu pastor; e nada me faltará. Salmo 23 Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranquilas.

Leia mais

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil

Exercícios de gramática do uso da língua portuguesa do Brasil Sugestão: estes exercícios devem ser feitos depois de estudar a Unidade 4 por completo do livrotexto Muito Prazer Unidade 4 I Verbos regulares no futuro do presente simples indicativo Estar Ser Ir Eu estarei

Leia mais

Informática Aplicada I Lista: Fluxograma

Informática Aplicada I Lista: Fluxograma UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO CAMPUS DE GUARATINGUETÁ Colégio Técnico Industrial de Guaratinguetá Informática Aplicada I Lista: Fluxograma 1) Escreva um fluxograma que armazene

Leia mais

SOLUÇÕES. pág. 64. pág. 66. pág. 67. Aventura 4 Números e operações com números naturais. Figuras no plano 2.1

SOLUÇÕES. pág. 64. pág. 66. pág. 67. Aventura 4 Números e operações com números naturais. Figuras no plano 2.1 SOLUÇÕES pág. Aventura Números e operações com números naturais. Figuras no plano pág.. N.º de dias.º dia.º dia.º dia.º dia.º dia 0.º dia Conchas 0 0 0 0 00 R.: A Estrela demorou 0 dias a fazer a sua coleção..

Leia mais

NOVEMBRO MARY KAY. Conquiste seu 13º salário!

NOVEMBRO MARY KAY. Conquiste seu 13º salário! NOVEMBRO MARY KAY Conquiste seu 13º salário! O que é Estabilidade? Qualidade daquilo que é estável, solidez, segurança... Estabilidade econômica diz respeito à inexistência de mudanças bruscas na

Leia mais

Tempos e modos verbais

Tempos e modos verbais Tempos e modos verbais Modo verbal é a forma como a ação é expressa: Indicativo: é o modo que dá uma indicação sobre o momento em que se desenvolve a ação. Ele permite situar o processo no tempo. Subjuntivo:

Leia mais

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO

BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO BALANÇO DA OCUPAÇÃO DO TEMPO DURANTE A SEMANA DE PREENCHIMENTO DA GRELHA - 1º ANO PROFESSORA Bom dia meninos, estão bons? TODOS Sim. PROFESSORA Então a primeira pergunta que eu vou fazer é se vocês gostam

Leia mais

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA Diz-me em que contexto estás, dir-te-ei o que codificarás: efeito do contexto sobre a utilização de categorias sociais na codificação da informação ANEXOS

Leia mais

Seis pessoas pretendem entrar num elevador, onde há um cartaz dizendo que o peso máximo permitido é de 420 quilos.

Seis pessoas pretendem entrar num elevador, onde há um cartaz dizendo que o peso máximo permitido é de 420 quilos. Seis pessoas pretendem entrar num elevador, onde há um cartaz dizendo que o peso máximo permitido é de 420 quilos. Quanto deve ser, em média, o peso de cada pessoa que entrar no elevador? Uma pessoa que

Leia mais

Finanças Pessoais 1º passo para a Cultura de Bolso. Sejam bem-vindos! Aleksander Avalca

Finanças Pessoais 1º passo para a Cultura de Bolso. Sejam bem-vindos! Aleksander Avalca Finanças Pessoais 1º passo para a Cultura de Bolso Sejam bem-vindos! Aleksander Avalca Algumas estatísticas 2011 maior nível de inadimplência nos últimos 9 anos Algumas estatísticas 2011 maior nível de

Leia mais

À vista ou a prazo? Um dos problemas matemáticos mais 20% DE DESCONTO À VISTA OU EM 3 VEZES SEM ACRÉSCIMO

À vista ou a prazo? Um dos problemas matemáticos mais 20% DE DESCONTO À VISTA OU EM 3 VEZES SEM ACRÉSCIMO A UA UL LA À vista ou a prazo? Introdução Um dos problemas matemáticos mais comuns no dia-a-dia é a decisão entre comprar à vista ou a prazo. As lojas costumam atrair os consumidores com promoções como

Leia mais

Como fazer o cálculo do teu preço por hora enquanto freelancer

Como fazer o cálculo do teu preço por hora enquanto freelancer Como fazer o cálculo do teu preço por hora enquanto freelancer 1. Qual é o salário mensal que queres/precisas de ter? Calcula as tuas despesas mensais para perceberes quanto dinheiro precisas de ter por

Leia mais

COMEÇA JÁ A LER LANÇAMENTO MUNDIAL!

COMEÇA JÁ A LER LANÇAMENTO MUNDIAL! COMEÇA JÁ A LER LANÇAMENTO MUNDIAL! 01.11.16 A mãe está sempre a dizer que eu tenho muita sorte por ter a avó Nana a olhar mim, lá do céu. Acho que ela diz isso para me fazer sentir bem, mas eu tenho um

Leia mais

PROBLEMA 1 O retorno mensal de certo investimento de risco pode ser modelado pela variável aleatória R com função de probabilidade dada abaixo :

PROBLEMA 1 O retorno mensal de certo investimento de risco pode ser modelado pela variável aleatória R com função de probabilidade dada abaixo : Módulo básico - Tópicos de Estatística e obabilidade ONS 006/007 - ofa. Mônica Barros LISTA DE EXERCÍCIOS # PROBLEMA O retorno mensal de certo investimento de risco pode ser modelado pela variável aleatória

Leia mais

9 passos para criar um negócio sem largar o emprego

9 passos para criar um negócio sem largar o emprego 9 passos para criar um negócio sem largar o emprego Antes de mais nada gostaria de deixar claro uma coisa: Em um determinado momento você vai precisar escolher entre trabalhar para alguém e trabalhar para

Leia mais

***** ÍNDICE ***** Este texto propõe uma reflexão leve e bem humorada sobre o tema de educação financeira.

***** ÍNDICE ***** Este texto propõe uma reflexão leve e bem humorada sobre o tema de educação financeira. Introdução Pizza gelada combina com Educação Financeira Por Samuel Marques Edição do Smashwords ISBN 9781311595836 PUBLICADO no Smashwords pelo: Instituto Samuel Marques O lado humano das finanças Copyright

Leia mais

a) Pelo resultado dos exames, os alunos da minha sala foram considerados brilhantes. b) O almoço do dia dos pais na casa de meu avô estava delicioso.

a) Pelo resultado dos exames, os alunos da minha sala foram considerados brilhantes. b) O almoço do dia dos pais na casa de meu avô estava delicioso. 5. A ANÁLISE DOS FATOS 1. Nos parágrafos a seguir há algumas falas de personagens que deveriam estar destacadas. Identifique essas falas e destaque-as com aspas. 2. Identifique os substantivos a que se

Leia mais

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA MATEMÁTICA 4ºANO

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA MATEMÁTICA 4ºANO AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA MATEMÁTICA 4ºANO Escola: Professor(a): Aluno: Data de Nascimento: / / 2013 QUESTÃO 1 Ana é uma menina que tem 1,40m de altura. Sua altura em centímetros é (A) 140 cm (B) 124 cm (C)

Leia mais

Quando eu era pequeno, à noite, e já estava sentado na cama, a mãe dizia

Quando eu era pequeno, à noite, e já estava sentado na cama, a mãe dizia MÃE Quando eu era pequeno, à noite, e já estava sentado na cama, a mãe dizia com Deus me deito aqui vai o Tóino pela cama abaixo eu ia, ela apagava a luz, e logo a seguir manhã. Hoje sonhei que estava

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.8 - Derivativos

Conhecimentos Bancários. Item 3.8 - Derivativos Conhecimentos Bancários Item 3.8 - Derivativos Conhecimentos Bancários Item 3.8 - Derivativos São instrumentos financeiros que têm seus preços derivados (daí o nome) do preço de mercado de um bem ou de

Leia mais

Introdução à Microeconomia. Prof. Dr. Jorge Henrique Caldeira de Oliveira

Introdução à Microeconomia. Prof. Dr. Jorge Henrique Caldeira de Oliveira Introdução à Microeconomia Bibliografia da aula PINDYCK, R. S. e RUBINFELD, D. L., cap.11. Objetivos da aula Compreender a importância da precificação; Compreender a complexidade do tema pricing dentro

Leia mais

Qual veículo eu devo escolher para falar exatamente com este perfil de consumidor?

Qual veículo eu devo escolher para falar exatamente com este perfil de consumidor? MARKETING DIRETO Qual veículo eu devo escolher para falar exatamente com este perfil de consumidor? Mulher, idade entre 23 e 25 anos, renda de R$ 6.200,00, casada, moradora de São Paulo e Natal. Antes

Leia mais

INEQUAÇÕES ESPECIALIZAÇÃO EM INSTRUMENTAÇÃO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA. Prof. M.Sc. Armando Paulo da Silva 1

INEQUAÇÕES ESPECIALIZAÇÃO EM INSTRUMENTAÇÃO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA. Prof. M.Sc. Armando Paulo da Silva 1 ANÁLISE DE MÉTODOS M MÁTEMÁTICOSTICOS INEQUAÇÕES Prof. M.Sc. Armando Paulo da Silva 1 ANÁLISE DE MÉTODOS M MÁTEMÁTICOS TICOS I INEQUAÇÕES 1º GRAU Prof. M.Sc. Armando Paulo da Silva 2 INEQUAÇÕES DE 1º 1

Leia mais

COMO UTILIZAR AS TAXA DE APLICAÇÃO E CAPTAÇÃO DO DINHEIRO NA FORMAÇÃO DO PREÇO A VISTA E A

COMO UTILIZAR AS TAXA DE APLICAÇÃO E CAPTAÇÃO DO DINHEIRO NA FORMAÇÃO DO PREÇO A VISTA E A COMO UTILIZAR AS TAXA DE APLICAÇÃO E CAPTAÇÃO DO DINHEIRO NA FORMAÇÃO DO PREÇO A VISTA E A Qual o efeito da utilização da taxa de aplicação do dinheiro na formação do preço a prazo? Qual o efeito da utilização

Leia mais

ESPECTATIVAS PARA AS COMPRAS DE NATAL

ESPECTATIVAS PARA AS COMPRAS DE NATAL ESPECTATIVAS PARA AS COMPRAS DE NATAL Andressa Malagutti Assis Com a proximidade do Natal, a economia é aquecida pelo aumento da produção para atender à demanda que nessa época do ano é sempre maior que

Leia mais

Proposta de teste de avaliação Matemática 6

Proposta de teste de avaliação Matemática 6 Proposta de teste de avaliação Matemática 6 Nome da Escola Ano letivo 0 /0 Matemática 6.º ano Nome do Aluno Turma N.º Data Professor / / 0 PARTE 1 Nesta parte é permitido o uso da calculadora. 1. Na figura

Leia mais

ão: Custos da Tributação

ão: Custos da Tributação Aplicação ão: Custos da Tributação Introdução à Economia Mankiw, N.G. Capítulo 8 Copyright 2001 by Harcourt, Inc. All rights reserved. Requests for permission to make copies of any part of the work should

Leia mais

Risco. Definição: Uma lotaria é qualquer evento com um resultado incerto. Exemplos: Investimento, Jogos de Casino, Jogo de Futebol.

Risco. Definição: Uma lotaria é qualquer evento com um resultado incerto. Exemplos: Investimento, Jogos de Casino, Jogo de Futebol. Risco Definição: Uma lotaria é qualquer evento com um resultado incerto. Exemplos: Investimento, Jogos de Casino, Jogo de Futebol. Definição: A probabilidade de um resultado (de uma lotaria) é a possibilidade

Leia mais

3. Filtragem e Distorção de Sinal

3. Filtragem e Distorção de Sinal 3. Filtragem e Distorção de Sinal Este capítulo pretende dar exemplos de distorções de sinal provocadas por sistemas lineares. Vão ser vistos exemplos de distorções de amplitude e de fase, para se ter

Leia mais

Jardim de Infância Azurva 2 12 crianças - 3, 4 e 5 anos

Jardim de Infância Azurva 2 12 crianças - 3, 4 e 5 anos Jardim de Infância Azurva 2 12 crianças - 3, 4 e 5 anos Esta sessão, tratando-se de crianças do pré-escolar, considerou-se pertinente fazer algumas adaptações. Pensou-se que seria conveniente sentarem-se,

Leia mais

a) A quais situações da vida essas imagens fazem referência? d) Você já arrumou malas para viajar? Quais foram as dificuldades encontradas?

a) A quais situações da vida essas imagens fazem referência? d) Você já arrumou malas para viajar? Quais foram as dificuldades encontradas? UNIDADE: Meus planos / Brasil SITUAÇÃO DE USO Planejamento e organização de atividades. EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM - Ampliar vocabulário adequado para preparação de planos de viagens. - Determinar prioridades

Leia mais

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos)

I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. (5 pontos) I. Complete o texto seguinte com as formas correctas dos verbos ser ou estar. Hoje. domingo e o tempo. bom. Por isso nós. todos fora de casa.. a passear à beira-mar.. agradável passar um pouco de tempo

Leia mais

Por vezes podemos identificar, em várias situações práticas, variáveis que estão em relação de dependência.

Por vezes podemos identificar, em várias situações práticas, variáveis que estão em relação de dependência. Título : B1 FUNÇÕES Conteúdo : 1. FUNÇÕES Na matemática, uma relação é apenas um conjunto de pares requisitados. Se utilizamos {} como o símbolo para o conjunto, temos abaixo alguns exemplos de relações

Leia mais

Teoria do Consumidor: Equilíbrio do Consumidor

Teoria do Consumidor: Equilíbrio do Consumidor Teoria do Consumidor: Equilíbrio do Consumidor Roberto Guena de Oliveira 16 de março de 2012 Roberto Guena de Oliveira () Equilíbrio 16 de março de 2012 1 / 36 Sumário 1 Restrição orçamentária 2 Restrição

Leia mais

Rosália do Vale COMO FAZER UMA FANPAGE DE SUCESSO SEM GASTAR NADA!

Rosália do Vale COMO FAZER UMA FANPAGE DE SUCESSO SEM GASTAR NADA! Rosália do Vale COMO FAZER UMA FANPAGE DE SUCESSO SEM GASTAR NADA! Sobre o e-book Antes de começar O Facebook é sem dúvida a principal rede social atualmente. Fazer uma fanpage da sua empresa ou do seu

Leia mais

A Matemática é assim: ela representa objetos por símbolos. Podemos interpretar o desenho da figura anterior de duas maneiras: r-- ~

A Matemática é assim: ela representa objetos por símbolos. Podemos interpretar o desenho da figura anterior de duas maneiras: r-- ~ Aula 9 Vamos imaginar o seguinte: você precisa saber quanto é 14 x 12, mas ainda não sabe fazer esta conta e, também, não dispõe de uma calculadora para ajudá-ia. Um amigo sugeriu que você fizesse 140

Leia mais

Associação dos Profissionais Tradutores / Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais de Mato Grosso do Sul - APILMS

Associação dos Profissionais Tradutores / Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais de Mato Grosso do Sul - APILMS Curso Básico de LIBRAS Comunicando com as Mãos de Judy Esminger Associação dos Profissionais Tradutores / Intérpretes de Língua Brasileira de Sinais de Mato Grosso do Sul - Curso Básico de LIBRAS Ilustração:

Leia mais

Tipos de Estratégia de Vendas

Tipos de Estratégia de Vendas Este conteúdo faz parte da série: Vendas Ver 7 posts dessa série Quando o assunto é vender mais, não existe um empresário ou gestor que não esteja interessado em aprender um pouco mais do que fazer para

Leia mais

Microeconomia I. Ficha 1: Capítulos 2, 3 e 4. Exercícios propostos. Capítulo 2

Microeconomia I. Ficha 1: Capítulos 2, 3 e 4. Exercícios propostos. Capítulo 2 Microeconomia I Ficha 1: Capítulos 2, 3 e 4 Exercícios propostos Capítulo 2 1.1. A Ana tem um rendimento mensal de 60, que gasta em pão e vinho. Um pão custa 1.50, e um litro de vinho custa 3. Prepare

Leia mais

Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional

Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional Sociedade Brasileira de Matemática Mestrado Profissional em Matemática em Rede Nacional MA12 Matemática Discreta Avaliação - GABARITO AV 3 - MA 12 13 de julho de 2013 1. (2,0) Seja (a n ) uma progressão

Leia mais

Administração de Finanças Pessoais e de Família. Prof. Dr. Fabio Junges - Módulo II

Administração de Finanças Pessoais e de Família. Prof. Dr. Fabio Junges - Módulo II Administração de Finanças Pessoais e de Família Prof. Dr. Fabio Junges - fabio@fabiojunges.com.br Módulo II Alguma mudança nestas últimas duas semanas em relação às suas finanças e da sua família? Módulo

Leia mais

DIA DA SAÚDE FINANCEIRA. Despertar da Consciência Financeira. Lavínia Martins, CFP Miriam Bruno, CFP 29/10/2016

DIA DA SAÚDE FINANCEIRA. Despertar da Consciência Financeira. Lavínia Martins, CFP Miriam Bruno, CFP 29/10/2016 DIA DA SAÚDE FINANCEIRA Despertar da Consciência Financeira Lavínia Martins, CFP Miriam Bruno, CFP 29/10/2016 Finanças = Dinheiro Quais são as funções do dinheiro? Sistema de preços Meio de troca Reserva

Leia mais

Plataforma Web para venda de livros escolares usados

Plataforma Web para venda de livros escolares usados Trabalho prático de IPM: Stage 3 : 1st prototype Plataforma Web para venda de livros escolares usados Group Members: Filipe Luis, 41869 Pedro Maurício, 41916 Scenario storyboard: Storyboard do cenário

Leia mais

COMO INVESTIR E LUCRAR COM CONSÓRCIO IMOBILIÁRIO

COMO INVESTIR E LUCRAR COM CONSÓRCIO IMOBILIÁRIO COMO INVESTIR E LUCRAR COM CONSÓRCIO IMOBILIÁRIO COMO INVESTIR E LUCRAR COM CONSÓRCIO IMOBÍLIARIO Há diversas formas de lucrar através dos investimentos em consórcio. Vou explicar uma a uma em detalhes.

Leia mais

PROBLEMAS DE OPTIMIZAÇÃO

PROBLEMAS DE OPTIMIZAÇÃO PROBLEMAS DE OPTIMIZAÇÃO EXTREMOS: MÁXIMOS E MÍ IMOS As questões de optimização estão relacionados com a escolha da melhor alternativa para a resolução de um problema com base em critérios particulares.

Leia mais

Nostalgia: Pirulitos Dip n Lik

Nostalgia: Pirulitos Dip n Lik Nostalgia: n Lik Pirulitos Dip Ah, os doces de antigamente. Quanto mais coloridos, mais a criançada gostava e se tivesse alguma história de o doce faz mal, dai que se gostava ainda mais, nunca vi. Um dos

Leia mais

Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real

Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real Mestrado: 2º Ciclo em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário Disciplina: Psicologia Educacional Docente: Doutor Nuno Corte Real Tema: Elaboração de uma peça de teatro - Promoção da Saúde,

Leia mais

Não fujas da Matemática!

Não fujas da Matemática! Não fujas da Matemática! Problema: O pai do Filipe decidiu propor ao seu filho um negócio, que consistia em lavar o seu carro pagando-lhe assim uma quantia de 1,5 euros por hora. Se o Filipe demorar 3

Leia mais

MICROECONOMIA. Modelo Ricardiano de Troca. Paulo Gonçalves

MICROECONOMIA. Modelo Ricardiano de Troca. Paulo Gonçalves MICROECONOMIA Modelo Ricardiano de Troca aulo Gonçalves pgoncalves@concorrencia.pt Exercício 3 Determinação de reços numa Economia de Economia com dois agentes económicos (os linstones e os Rollingstones),

Leia mais

Aula 00. Matemática Financeira para ISS-Cuiabá. Matemática Financeira Professor: Guilherme Neves. Prof.

Aula 00. Matemática Financeira para ISS-Cuiabá. Matemática Financeira Professor: Guilherme Neves.  Prof. Aula 00 Matemática Financeira Professor: Guilherme Neves www.pontodosconcursos.com.br 1 Aula 00 Aula Demonstrativa Matemática Financeira Apresentação... 3 Modelos de questões resolvidas FGV... 4 Relação

Leia mais

============================================================================

============================================================================ Caixa de 5 marchas da RD em DT 180 presta?!?! Postado por Matheusbh - 2006/08/08 13:06 Pessoal minha DT tá parada por causa da caixa de marcha, e estou tendo certa dificuldade em encontrar a caixa de 6

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS P/ ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA

PLANO DE ESTUDOS P/ ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA PLANO DE ESTUDOS P/ ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA Informações Prévias Tempo até a prova Para fins desse planejamento vamos considerar as seguintes datas: EDITAL 30/08/3016 DATA DE INÍCIO DO

Leia mais

Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1

Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1 Aexo 3 Dados das entrevistas do grupo 1 Grupo I Informantes idade Sexo profissão Escolarida de Tempo de imigração em Portugal Língua materna E1.1 51 anos Masc. -- 6ª classe 40 anos Crioulo cv E1.2 53 anos

Leia mais

Comprador Inteligente

Comprador Inteligente Comprador Inteligente Se você quer se sentir rico, conte todas as coisas que tem e que o dinheiro não pode comprar. Provérbio Os alimentos e a água, roupa limpa e um lugar para viver: essas são coisas

Leia mais

Parte 1: Oferta, demanda e equilíbrio de mercado. Parte 2: Elasticidades. O conceito de utilidade marginal. Microeconomia - Prof. Marco A.

Parte 1: Oferta, demanda e equilíbrio de mercado. Parte 2: Elasticidades. O conceito de utilidade marginal. Microeconomia - Prof. Marco A. A lei da oferta e Parte 1: Oferta, e equilíbrio de mercado Parte 2: Elasticidades Prof. Ms. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br BLOG: www.marcoarbex.wordpress.com Dois reais......e noventa centavos

Leia mais

1.ª Semana de 22/06/2015 a 28/06/2015 Plano para Atletas que pensam fazer entre 2h50 min e as 3h15 min.

1.ª Semana de 22/06/2015 a 28/06/2015 Plano para Atletas que pensam fazer entre 2h50 min e as 3h15 min. ÚLTIMAS 20 SEMANAS 1.ª Semana de 22/06/2015 a 28/06/2015 Rolamento de 45 minutos. Rolamento lento de 20 minutos seguidos de 5 vezes 2 minutos rápidos com 2 minutos de intervalo em cada série, mais 15 minutos

Leia mais

2010 PORCENTAGEM NA 1ª FASE (ALGUMAS QUESTÕES)

2010 PORCENTAGEM NA 1ª FASE (ALGUMAS QUESTÕES) LISTA 2-2010 2 2010 PORCENTAGEM NA 1ª FASE (ALGUMAS QUESTÕES) 1) [Fuvest 77] Um vendedor ambulante vende seus produtos com um lucro de 50% sobre o preço de venda. Então seu lucro sobre o preço de custo

Leia mais