Resumo do Simpósio dos 4 lugares dos dois lados do Estreito de Taiwan sobre o aumento da capacidade da governação pública, 2012

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resumo do Simpósio dos 4 lugares dos dois lados do Estreito de Taiwan sobre o aumento da capacidade da governação pública, 2012"

Transcrição

1 Administração n.º 98, vol. XXV, º, Resumo do Simpósio dos 4 lugares dos dois lados do Estreito de Taiwan sobre o aumento da capacidade da governação pública, 2012 Pang Xinxin* Organizada conjuntamente pela Direcção dos Serviços de Administração Pública do Governo da RAE de Macau, Universidade de Macau, Instituto Regional de Pesquisa da Administração Pública, Universidade da cidade de Hunan, Departamento da Administração Publica da província de Fujian e Universidade de Taiwan, Taipei, o Simpósio dos 4 lugares dos dois lados do Estreito de Taiwan sobre o aumento da capacidade da governação pública, 2012 foi realizada em 27 de junho de 2012, com participantes oriundos da China Continental, Hong Kong, Macau e Taiwan. Participaram no simpósio mais de 50 especialistas e estudiosos e mais de 100 funcionários públicos de Macau. Especialistas e estudiosos discutiram em profundidade áreas como o Sistema do Pessoal da Administração Pública, A Governanção Pública de Macau, Governanção Pública, Cooperação Regional. O simpósio produziu resultados frutíferos e sugestões sobre governanção pública. A cerimónia de abertura do seminário foi realizada na Biblioteca Internacional da Universidade de Macau, na manhã de 27 de junho. Florinda Chan, Secretária para a Administração e Justiça, Zhu Wai Gon, director do Gabinete do Serviço Civil, Prof Rui Martins, vice-reitor da Universidade de Macau, Cong Yuan Dong, da Organização do Comité do Partido Provincial de Fujian, Gu Mu Qing, director da Universidade de Taipei, Presidente Honorário Chan Soi Lin, do Instituto Regional de Pesquisa em Administração Pública de Macau e professor Liu Bolong, da Universidade Chinesa Contemporâneo de Ciências Sociais e Centro de Investigação em Macau, participaram na abertura do Simpósio. * Candidata ao doutoramento da Administração Pública na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade de Macau.

2 1194 A secretária Florinda Chan disse no seu discurso que o apoio do Governo Central, desde o estabelecimento da Região Administrativa Especial de Macau, ajudou a implementar Um País, Dois Sistemas, num alto grau de autonomia para Macau e para as suas gentes as políticas de acordo com a lei, em estrita conformidade com a Lei Básica de Macau e a manter o conceito orientado pqara o povo na construção do Governo promissor e na aplicação da governação científica, bem como a desenvolver activamente uma economia diversificada e a fortalecer a cooperação inter-regional. Ao mesmo tempo, o Governo da RAEM tem o compromisso de promover a reforma da administração pública, melhorar a eficiência administrativa e a qualidade dos serviços, a fim de tornar os serviços públicos mais conformes, com as expectativas do público e de melhorar a qualidade de vida dos moradores. O Governo da RAEM também dá grande importância à participação governamental e civil, através da melhoria contínua do mecanismo de consultas, para ter uma compreensão atempada da sociedade e da opinião pública fortalecendo a cientificidade e transparência na tomada de decisões e melhorando os padrões da governanção, a fim de alcançar o objectivo de construir uma sociedade harmoniosa e promover o desenvolvimento económico para benefício de todos os residentes. Ela acredita que, face ao rápido desenvolvimento da informatização e à globalização na era do conhecimento, os governos nacionais e locais, para promoverem eficazmente o conceito de governabilidade e das políticas governamentais, comprometeram-se com a inovação do governo, para melhorarem a sua eficiência e competitividade. E não há excepção para o Governo da RAEM, para seguir de perto a tendência da administração pública em todo o mundo, e reforçar continuamente a optimização da administração, considerando-a sempre de extrema importância para melhorar o desempenho administrativo como uma das prioridades políticas do Governo. Finalmente, ela propôs que, após anos de esforços de todos os funcionários públicos e departamentos do governo de Macau, através do apoio dos residentes de Macau, associações públicas e organizações relacionadas, a reforma da administração pública da RAEM tem feito algumas conquistas. O Governo da RAEM estabeleceu uma rede de serviços públicos e profissionais de alta qualidade, reforçou a política de

3 1195 coordenação e mecanismos de funcionamento administrativo, melhorou a institucionalização da gestão dos funcionários públicos, a contínua melhoria da qualidade da governação global e estabeleceu as bases para o desenvolvimento sustentável de Macau. O Governo da RAEM dá grande importância à participação do governo e do sector civil, para fortalecer a cientificidade e transparência política na formulação de políticas, na esperança de alcançar o objectivo de beneficiar a população. Ela acredita que através deste Simpósio a inspiração e as novas ideias podem ser trazidas para melhorar a eficiência do desempenho da administração pública. Rui Martins, vice-reitor da Universidade de Macau, no seu discurso, também concluiu que a política do Governo da RAEM em 2012 é para optimizar o modelo da política, a melhoria do desempenho operacional, aumentar a qualidade dos serviços públicos como princípio geral, para integrar a consulta pública e a prova científica, para fortalecer as organizações governamentais e a coordenação e gestão dos recursos humanos e optimizar o modelo de prestação de serviços e a capacidade de resposta, para o progresso da reforma da administração pública de uma forma sustentada e organizada, para se concentrar no desenvolvimento do sistema político do Governo da RAEM; para fortalecer o plano da reforma da lei, da coordenação central e da formação jurídica para melhorar a construção da lei. No momento crítico do rápido desenvolvimento de Macau, o reforço das capacidades de governação do Governo da RAEM já trouxe um desafio global. No seminário, cinco especialistas e académicos provenientes das quatro localiades do Estreito proferiram as suas palestras, incluindo Cong Yuan Dong, vice-ministro do Departamento de Organização do Comité da Provincia de Fujian, Gu Mu Qing, director da Universidade de Taipei, Taiwan, Professor Cao Jingjun, Departamento do Governo e Administração Pública da Universidade Chinesa de Hong Kong, Zhang Shixian, Professor da Universidade de Taipei, Taiwan e Liu Bolong, Professor do Centro de Estudos das Ciências Sociais de Investigação da China Contemporânea da Universidade de Macau, apresentaram uma análise aprofundada sobre recursos humanos nos serviços públicos, ética administrativa, gestão de crises, política governativa para o desenvolvimento de Hengqin, com a participação e discussão activa de convidados, académicos e funcionários públicos.

4 1196 I. Estabelecimento de uma Zona de Talentos e Abertura ao Desenvolvimento de Pingtan O vice-ministro do comité partidário da província de Fujian, Cong Yuan Dong, acredita que a abertura e desenvolvimento de Pingtan é uma importante decisão estratégica do Governo Central. O Plano de Desenvolvimento Experimental da Zona de Pingtan atribui a esta, políticas mais favoráveis, quando comparada com a Zona Económica Especial. Os Ministérios centrais, a Comissão Provincial e o Governo de Fujian dão o total apoio à abertura e desenvolvimento de Pingtan e à implementação de planos conjuntos, desenvolvimento e operação conjunta, gestão e benefícios conjuntos, com o objectivo de explorar Five-Joints e novos modelos de cooperação na construção de uma pátria comum aos compatriotas de ambos os lados. A abertura e o desenvolvimento de Pingtan necessitam de um forte apoio de recursos humanos para construção da respectiva Zona de Talentos e para promover o seu desenvolvimento. O desenvolvimento da Zona de Talentos passa por desenvolver em Pingtan uma zona pivot de intercâmbios e cooperação de talentos através do Estreito, área experimental do sistema inovador do mecanismo e gestão de talentos e áreas de trabalho-central habitáveis e adquadas à qualidade dos talentos. A tarefa principal é fortalecer a cooperação, no domínio do Estreito, de uma quaklidade de recursos educacionais, para acelerar o fomento de práticas orientadas de talentos; introduzir e focar-se em talentos de inovação empresarial como portadores de desenvolvimento industrial, para exercer plenamente todos os tipos de talentos com inovação institucional; optimizar o ambiente de vida e de trabalho e produzir serviços públicos de qualidade. As principais medidas incluem esforços para atrair talentos empresariais e inovação para promover o intercâmbio e a partilha de talentos, para estabelecer uma cobertura abrangente, inter-ligada, um sistema de incentivos a políticas e mecanismos para completar a salvaguarda do pessoal de apoio dos serviços, para implementar o Projeto Four Thousand e para promover o desenvolvimento da Zona de talentos de Pingtan. 1. Abertura e Desenvolvimento de Pingtan estabeleceu na realidade uma base para a construção da Zona de Talentos 1) O governo Central coloca elevadas esperanças sobre a abertura e desenvolvimento de Pingtan e oferece políticas mais favoráveis e especiais do que aqueles que beneficiam a Zona Económica Especial. Com base na

5 1197 actual política especial de supervisão da região pela Alfândega, para explorar ainda mais a criação de áreas especiais de fiscalização pelos serviços aduaneiros, através do Estreito de cooperação adequada nas ilhas costeiras de Fujian, para implementar políticas mais favoráveis e explorá-las como pilotos de cooperação regional entre os dois lados, em dezembro de 2011, O Plano abrangente de Desenvolvimento Experimental da Zona Mestre de Pingtan, aprovado pelo Conselho de Estado, dá a Pingtan políticas mais favoráveis do que as que gozam as Zonas Económicas Especiais. 2) O Comité e o governo provincial de Fujian avançam para o desenvolvimento e construção de Pingtan com o apoio integral da província. A fim de cumprir a decisão Central, o Comité e o governo províncial de Fujian consideram a abertura e o desenvolvimento de Pingtan como um avanço estratégico e um importante ponto de partida para implementar a construção do estreito ocidental. 3) A abertura e o desenvolvimento de Pingtan tem produzido alguns progressos incluindo a melhoria do plano de desenvolvimento, a aceleração da construção de infra-estruturas, a exploração de mecanismos inovadores institucionais, o desenvolvimento do ponto de partida para o desenvolvimento das indústrias focando-se na melhoria da segurança das condições de vida das pessoas. 4) O desenvolvimento e construção Pingtan vão impulsionar a parte oeste e vão transferir a indústra e os talentos de Taiwan. O governo provincial lançou A direcção fomentou a indústria abrangente do tipo da Zona Experimental de Pingtan, que contém nove categorias principais de indústrias. As empresas em Taiwan estão optimistas sobre estas indústrias e participam no investimento e na construção. A atracção de indústrias e projectos de desenvolvimento de talentos obriga a trazer um número considerável de profissionais de Taiwan, formando um ciclo virtuoso com indústrias de aglomeração de talentos que conduzem ao desenvolvimento industrial. Isso proporciona condições muito favoráveis ao desenvolvimento da Zona de Talentos de Pingtan. 2. Significados importantes de Pingtan e Desenvolvimento da Zona de Talentos de Pintang: 1) A Zona de Talentos é um forte apoio para a construção e origem do estreito de Pingtan é das ilhas regionais de Taiwan, o município mais

6 1198 próximo do continente, tendo por isso, algumas vantagens únicas, de localização. O desenvolvimento da Zona Experimental Abrangente de Pingtan é uma grande missão histórica de Fujian, dada pelo governo central e é o plano estratégico importante para aprofundar intercâmbios e cooperação, através do Estreito, promover o desenvolvimento pacífico das relações e promover a reunificação pacífica da pátria. Para atingir os objetivos acima, é necessário implementar o desenvolvimento prioritário da estratégia de talentos, inovar o sistema de desenvolvimento de talentos e mecanismos, para atrair grande número de talentos do exterior, incluindo profissionais de Taiwan, para participar na abertura e desenvolvimento de Pingtan. 2) A Zona de Talentos é um factor chave para alcançar o desenvolvimento de Pintang. Os recursos humanos são prioritários no desenvolvimento científico de Pingtan. O desenvolvimento da Zona de Talentos de Pingtan será benéfico para a introdução e aglomeração de alto nível de inovação e empreendedorismo de Taiwan e no exterior para exercer plenamente as suas funções e criar os efeitos do Vale de Taiwan e de talentos do exterior, para injectar um forte poder para o desenvolvimento não convencional da Zona Experimental Abrangente de Pingtan. 3) O desenvolvimento da Zona de Talentos é uma importante portadora de inovação institucional. O desenvolvimento da Zona de Talentos de Pingtan será benéfica para aperfeiçoar o mecanismo de trabalho e talento, para estabelecer a operação para atrair talentos de Taiwan e do exterior, para fornecer garantia eficaz de talentos para assegurar a zona experimental abrangente de Pingtan e poder exercer plenamente as suas vantagens retardatárias. 3. Objectivos e Posicionamento do Desenvolvimento da Zona de Talentos de Pingtan De acordo com o planeamento, desenvolvimento, empreendimento, gestão e benefícios conjuntos, o princípio da introdução e aglomeração conjunta de um lote de talentos de Taiwan e de todos os tipos de talentos do exterior, deve ser alcançado através da adesão à prioridade de talentos e ao desenvolvimento, à descoberta com grande abertura e grande desenvolvimento, por meio de grandes trocas e cooperação, com grande desenvolvimento e prosperidade, com o objetivo de implementar projectos de talentos com características especiais e políticas e explorar

7 1199 mecanismos especiais para construir plataformas especiais, para treino e criação de uma equipa talentos de qualidade, inovadores, competitivos e vantajosos. Tal inclui a área central de intercâmbios através do Estreito de talentos e de cooperação, de políticas de talentos e da instituição reformada da zona de implementação de mecanismos, bem como da área de aglomeração habitável e adequada para o trabalho dos talentos de qualidade. 4. Principais Tarefas e Medidas do Desenvolvimento da Zona de Talentos de Pingtan 1) Reforçar a cooperação de recursos educacionais através do Estreito, é urgente e necessário para acelerar a formação de talentos. Estabelecer Pingtan como base de demonstração do fomento de talentos profissionais do estreito ocidental pelo modelo de formação inovadora e do fomento de talentos, aproveitando a filosofia do ensino avançado, o conteúdo do curso, o currículo, os métodos eficientes de ensino, o ensino flexível e o mecanismo de gestão de Taiwan e introduzindo recursos de educação de qualidade de Taiwan para estabelecer a Pintang Ocean University através da cooperação entre os dois lados do estreito, para desenvolver os talentos básicos de apoio ao desenvolvimento industrial, centrado em torno de Pingtan e acelerar o desenvolvimento da educação profissional e fortalecer o surgimento de talentos práticos. 2) Aglomerar talentos empreendedores e inovadores como intervenientes do desenvolvimento industrial; aumentar a competitividade do mercado de características industriais acelerarando a introdução de R & D de instituições de Taiwan; fortalecer o intercâmbio e a cooperação com as instituições de pesquisa em Taiwan, o desenvolvimento de tecnologias e plataformas de inovação para aplicar plenamente as vantagens da indústria tecnológica de Taiwan e a experiência de gestão do mercado, bem como o desenvolvimento do parque tecnológico da zona experimental, a gestão de negócios e a inovação tecnológica. 3) Estabelecer um sistema de incentivos de políticas com mecanismos inovadores institucionais. Primeiro que tudo, deve haver um mecanismo de concorrência organizada e aberta ao mercado. Em segundo lugar, deve haver um mecanismo completo de determinação e um salário competitivo. Mais uma vez o mecanismo de incentivos e distribuição de

8 1200 talentos deve ser completo. Finalmente, tem que haver um mecanismo completo de salvaguarda de talentos. 4) Optimizar o ambiente de vida e de trabalho e fornecer serviços públicos de qualidade. Reforçar o investimento de capital e garantir o financiamento para a criação de um fundo de desenvolvimento de talentos, visando a formação, a introdução de incentivos e a construção de infra-estruturas para talentos empreendedores. Fornecer serviços de apoio para introduzir talentos de alto nível de Taiwan, abrir um green channel para empregar as suas famílias e dar escolaridade às crianças para ajudar a resolver os problemas de adaptação dos talentos do exterior. 5) Implementar uma série de projectos de talentos e promover o desenvolvimento da zona de talentos de Pingtan. Exercer vantagens regionais, focadas numa base piloto designada para formular e implementar o importante avanço político, com pensamento alargado, e aglomerar amplamente todos os tipos de talentos, especialmente os de Taiwan, para criar uma Free Island de talentos de forma conveniente, transparente e independente. II. Moralidade sobre Meios de Ética Administrativos Gu Mu Qing, Director de Administração, da Universidade de Taipei, Taiwan, pensa que a conformidade do pessoal administrativo é uma parte da ética administrativa. Na ética administrativa estão o raciocínio correcto e a prática do pessoal administrativo nas suas ações administrativas. Em suma, o pessoal administrativo realiza a verificação da correção dos seus actos administrativos, para os identificar e implementar e pelos quais serão responsáveis, a fim de evitar quaisquer actos errados. Então, o que pode ser considerado como correcto? O que pode ser considerado como errado? Basicamente, deve haver um conjunto de valores administrativas como metas e um conjunto de normas de comportamento como a base para o cumprimento. Com esses objectivos administrativos e códigos de conduta, no entanto, não há garantia de que o pessoal administrativo os cumpra fielmente, deve haver ainda mecanismos de controle, a fim de cumprir a sua função. Operacionalmente, e a fim de assegurar que o pessoal administrativo vai respeitar as metas administrativas e códigos de conduta, o mecanismo de controlo é importante e indispensável. A conformidade não é só o castigo devido pelas violações de metas administrativas e códigos de conduta por parte do pessoal administrativo, mas é

9 1201 também servir como lembrete e alerta antes de quaisquer actos de comportamentos abusivos. Gu Mu Qing entende que houve uma mudança considerável nos últimos quinze a vinte anos. Os estudos sobre os meios próprios alteraram-se de forma significativa, isto é, a partir do significado original do crescimento singular, para uma dimensão multifacetada de crescimento. Isto porque, no passado, o percurso pessoal enfatizou unicamente a ética e a formação de competências de tomada de decisão, numa tentativa de dar ao estagiário uma compreensão clara pelo facto de dilemas éticos, em que aprendem, essencialmente a formular soluções e a tomar a decisão final, por considerar uma série de casos que envolvem dilemas éticos e a sua análise. Hoje em dia, além da ênfase no aumento da capacidade de tomada de decisão ética, do fomento de certas moralidades e do estabelecimento da consciência cívica pelo pessoal administrativo também são destacadas, já que os pesquisadores das questões ético-administrativas sentem profundamente que dependem pura e simplesmente das éticas de decisão e das competências para defender o comportamento moral e tendo limitações e deficiências. O pessoal administrativo ainda tem as suas necessidades para desenvolver a moralidade necessária, como a orientação interior do seu comportamento; é também necessário estar profundamente enraizado na consciência cívica para o avanço das restrições devido aos seus papéis burocráticos, como uma forma de compensar. O caminho para a moralidade é mostrar ao pessoal administrativo a moralidade interna da ética administrativa que eles deveriam ter, a partir da qual se indica o comportamento explícito. Os princípios que regem a actuação dos funcionários públicos devem incluir a integridade, a perseverança, o sacrifício e a dedicação e a atenção ao bem-estar das pessoas. O conteúdo principal deste trabalho inclui: 1) a importância da moralidade e as razões para o aumento do seu estudo, 2) a moralidade que o pessoal administrativo deve ter, 3) as formas de cultivar a moralidade, e 4) as restrições e perguntas sobre o que significa moralidade. A conformidade ética administrativa depende exclusivamente dos estudos e da sua capacidade de decisão, cujos efeitos não são estáveis e por isso excessivamente fragmentados, podendo levar à escassez de sofismas; por sua vez, tem havido uma mudança de meios próprios da moral, dos quais os resultados são os mais estáveis e com efeitos a longo prazo. Justificada pelos resultados, o meio moral tem a função de apoiar a to-

10 1202 mada de decisão de competências. Actualmente e apenas para mencionar que o método popular para o fomento da moralidade é feito através da utilização de exemplos de modelo ético e da sua aplicação na biografia, este método é uma excelente maneira de mostrar como as decisões apropriadas podem ser tomadas em face de um dilema difícil. O método está intimamente interligado com as operações administrativas do dia-a-dia e com um alto grau de sabedoria pragmática. Nós podemos ver o modelo ético da autobiografia como um laboratório da vida ética. Através da exposição de um caso de dilema ético de um modelo ético da vida real, outros podem compreender os modelos éticos de insistência e aplicação prática da moralidade. Por fim, sugeriu-se que os meios de moralidade podem permitir os efeitos estáveis e de longo prazo sobre a ética auto-organizacional; no entanto, uma vez que a sua eficácia não é fácil de mostrar, estamos de acordo quanto aos pontos de vista da maioria dos estudiosos de que os meios da moralidade deveriam ter um papel complementar de tomada de decisão ética. Até ao momento em que o desenvolvimento dos meios se tornam mais maduros, a sua relação com a tomada de decisão ética pode, então, ser mais estudada. Em suma, os meios para a moralidade dizemnos que somente através de uma vida ética, as pessoas podem, então, viver de uma maneira completamente conforme com a natureza humana. III. Comparação entre o terremoto de Wen-Chuan e o Furacão de New Orleans O professor Cao Jingjun, da Universidade Chinesa de Hong Kong, acredita que a gestão de crises de desastres requer mobilização rápida e coordenada de todos os recursos disponíveis para reduzir a perda e destruição de vidas e bens, para aliviar o sofrimento dos implicados e os trabalhos de reconstrução posteriores. Este é um problema global que afecta todos os países. Alguns países não têm enfrentado muitas críticas em termos de responsabilização das situações; outros, no entanto, enfrentam cada vez mais críticas e censuras. Este artigo tenta abordar as seguintes questões. Que variáveis podem ser atribuídas ao sucesso ou ao fracasso da gestão de desastres? Pode haver lições aprendidas com as diferentes formas utilizadas por diferentes países quando se trata de desastres naturais? Podemos aprender uns com os outros? Se houver, qual será o caminho mais importante na redução ou até mesmo no evitar os efeitos desastrosos

11 1203 destas catástrofes naturais? O artigo utiliza dois casos, ou seja,o terramoto de Wen-Chuan da China em 12 de maio de 2008 e o furacão Katrina dos EUA, em 2005, no sentido de se fazer uma análise comparativa. Embora estes dois países sejam muito diferentes politica e economicamente, ainda podem ser capazes de encontrar algumas semelhanças e diferenças entre estes dois casos, sobre a manipulação político-administrativa. Cao Jingiun falou em quatro partes e começou com uma introdução breve. A primeira parte fornece uma visão geral sobre os esforços realizados pelo governo chinês a nível nacional e local aquando do terramoto de Wen Chuan. A segunda parte registra-se nos EUA, a níveis municipais, estaduais e federais para responder ao furacão Katrina. A terceira parte irá comparar e contrastar estes dois casos e encontrar neles alguns factores comuns. Na parte final serão tiradas lições para melhorar e reforçar a governação pública. Finalmente é tirada uma breve conclusão. O professor Cao sente que, com os princípios orientadores do plano director e a posterior coordenação das respostas entre os planos de emergência locais e departamentais, com os departamentos inter-governamentais, em resposta aos parâmetros da crise, os exemplos abundam: a 13 de janeiro de 2006, o Plano Nacional de Resposta a Terramotos foi introduzido e o de Beijing City Master Plan foi lançado em 23 de abril de Assim, num período de tempo muito curto, a China foi afectada por desastres naturais, acidentes, incidentes de saúde pública e planos de intervenção de emergência e segurança social. Existem 21 planos para lidar com estas quatro categorias prioritárias de emergências públicas, envolvendo os ministérios do Departamento de Conselho de Estado e 31 planos, 31 províncias, regiões autónomas e municípios que estão directamente sob o Governo Central, sendo executados directamente em municípios da China que adoptaram 57 destas medidas. Em suma, os chineses aprenderam a responder rapidamente. O professor Cao apontou em primeiro lugar, como sendo o mais grave, a morte de mais de 300 pessoas e perdas no valor de 1% do PIB da província. A província afectada e as autoridades locais realizaram o trabalho de resgate, enquanto o Conselho de Estado coordenou a organização e liderança de todos os trabalhos de socorro. Além disso, as autoridades locais redigiram o relatório do Conselho de Estado sobre os acontecimentos observados quatro horas antes do terramoto. Em segundo lugar e também igualmente grave, foi a morte de pessoas no terramoto,

12 1204 com a magnitude de 6,5 a 7.0, na escala de Richter. Toda a província foi responsável pelo resgate, mas o Departamento Sismológico da China e o Conselho de Estado coordenaram todos os trabalhos de socorro. De novo, e também igualmente grave, foi a perda entre 20 a 50 vidas humanas directamente relacionadas com tremores de terra, com abalos compreendidos entre 6,0 e 6,5. A província afetada foi responsável pelo resgate e o Departamento Sismológico da China providenciou a ajuda necessária. De um modo geral os terramotos com abalos entre 5.0 e 6.0 na escala Richter causam menos de 20 mortes. Os líderes provinciais e distritais em relação a estes acontecimentos, lidaram com a crise que deles advieram. A gestão de crise do pior terremoto ficou sob a liderança do Conselho de Estado ou do Congresso Nacional do Povo. Isso significa que o governo central coordena as várias unidades e departamentos e orienta todos os recursos necessários para realizar uma missão de resgate. É claro que, se a categoria for mais elevada, os trabalhos serão conduzidos pelo primeiro-ministro, Wen Jiabao. Se o terremoto ocorresse na terceira ou quarta categoria, as autoridades locais seriam responsáveis, mas o Departamento Sismológico da China forneceria ajuda. Para as organizações dos Estados Unidos, não há líderes nacionais ao mais alto nível para crises naturais. A nível federal, em resposta à liderança da Federal Coodinating Officer (FCO) por William L. Carwile, foi nomeado e designado pelo presidente Bush, Director Federal (CFO), Michael Brow; no início foi nomeado pelo Departamento de Segurança Interna, o secretário, Michael Chertoff. Finalmente, esta arquitetura provou ser confusa, e em 09 de setembro, foi nomeado para Vice-Almirante da Guarda Marinha na costa Allen, e, mais tarde, também actuou como PFO e Cartel Office. Não há informações adequadas e precisas para a liderança do país tomar uma medida tão imediata. Por exemplo, foram necessários três dias para a Federal Emergency Management Agency, encabeçada por Michael Brown, perceber que as pessoas foram evacuadas para o Centro de Convenções e Exposições em New Orleans. Os EUA e o governo federal começaram, quatro dias antes, a responder à crise. Com base no princípio da aprendizagem dos Estados Unidos, a China institucionalizou um sistema de alerta precoce em cada localidade, para lidar com a situação. Se for uma crise grave, os governos irão orientar e ajudar. Nos EUA, é da responsabilidade do governo local responder à primeira crise, no sentido de tomarem a iniciativa de procurar ajuda

13 1205 caso não resolvam os seus problemas imediatos. Os dois países lidam com a gestão de crises em relações intergovernamentais; no entanto, o sistema dos EUA, dá muitas vezes maior autonomia e iniciativa às autoridades locais. Na China, o governo central protegerá o poder local se houver uma crise grave. É ainda sob a permissão de regras, que as autoridades locais podem ignorar as normas do governo e os relatórios de outros governos e, portanto, o governo central terá um quadro completo sobre os acontecimentos. IV. Desafios e reforço das capacidades do sistema de Governação O Professor Zhang Shixian da Universidade Nacional de Taipei acha que o actual sistema de governação foi submetido a todos os tipos de desafios, tais como: chegada da sociedade globalizada, desastres naturais frequentes, crises económicas, desemprego elevado, baixa taxa de natalidade e falta de produtividade. O sistema nacional de governação tem sido insuficiente para atender a estes desafios e é necessário ajustar o sistema de governo, para aumentar a sua capacidade de governar. Em 2012 os objectivos políticos do Governo da RAEM, serão continuar a melhorar as políticas e optimizar activamente o modelo de desenvolvimento económico, para melhorar a vida das pessoas. É dada grande importância às pessoas, ao meio ambiente natural, ao desenvolvimento coordenado dos interesses dos moradores actuais e de longo prazo, aos esforços para expandir a cooperação regional, procurando diversas formas de apoio, para estabelecer uma base mais sólida para a realização do desenvolvimento sustentável, económico e social da RAEM. Além disso, o Governo de Macau vai continuar a implementação da política científica, o compromisso de elevar os padrões de administração, o fortalecimento da criação da comissão contra a corrupção e o sistema jurídico, bem como a promover totalmente a educação cívica, a concentrar-se na criação da alta qualidade do ambiente social e juntos construírem melhores casas para se viver e trabalhar. No entanto, Macau está num momento crítico de rápido desenvolvimento, o que também é um teste abrangente para as capacidades de governação do Governo da RAEM. O Governo da RAEM está a enfrentar os desafios acima citados. Terá ele começado por melhorar a capacidade do sistema de governação? Isto pode ser visto a partir da posição do próprio sistema de administração. O

14 1206 Governo da RAEM pensa que Macau deveria posicionar-se como centro mundial de viagens e lazer a fim de melhorar a qualidade global da vida das pessoas e facilitar a coordenação do desenvolvimento regional, o que inclui: 1. Entusiasmo pelo Serviço Público: o entusiasmo pelos serviços públicos precisa de ser institucionalizado por lei, de modo a que, através das leis, o Governo alcance a governação e a gestão dos assuntos nacionais e estrangeiros, para o serviço público, as organizações sociais e outras instituições e melhore a transparência política e a confiança moral do comportamento soberano, bem como reduza a oportunidade da corrupção e a má governação. 2. Projecto para melhorar as competências, incluindo a estratégia de adaptação, enfatizando o desempenho da estratégia do serviço e da estratégia do desenvolvimento e melhorando a qualidade administrativa. 3. Fortalecimento da estratégia do sistema das capacidades de governação, incluindo a capacidade para usar as instituições, exercer a capacidade de organização e usar a política, bem como a sua manipulação da mesma. Numa era rapidamente globalizada e altamente complexa, é imperativo claro realizar uma avaliação cuidadosa para reforçar as capacidades de governação na construção das competências administrativas de alto padrão, como uma plataforma de orientação e previsão do futuro, aliada à da criação da história. Sob a tendência da globalização, a importante missão da administração governativa consiste em levar o país a procurar o desenvolvimento económico, a estabelecer recursos para as pessoas e para o exército, durante tempo regulamentar e durante a guerra e, em simultâneo, a competências administrativas podem atingir a oportunidade de integração noutros assuntos internacionais. A falta de capacidade administrativa iria dificultar todos os assuntos nacionais ou a administração no seu conjunto. Por outras palavras, a administração é a origem do poder. 1. O entusiasmo pelos serviços públicos, inclui: 1) completar a vida das pessoas e o bem-estar; 2) promover o respeito pelos idosos e pelos líderes; 3) manter padrões de vida mínimos, 4) promover activamente a assistência social às famílias desfavorecidas e às comunidades; 5) aplicação de dois níveis de segurança social; 6) implementação do sistema de assistência escolar Textbook; 7) implementação das conclusões do sistema de cuidados de saúde; 8) adaptar-se às necessidades do desenvolvimento social. 2. O Projecto para reforçar as capacidades, inclui: 1) plano de recuperação cidade nova para promover o desenvolvimento regional coorde-

15 1207 nado, 2) através da cooperação regional, promover o desenvolvimento conjunto da região com a RAE de Macau, 3) reforçar a estratégia das capacidades do sistema de governo. O Professor Zhang fez uso dos desafios (rápidas mudanças, globalização, concorrência extrema, incerteza extrema), bem como da melhoria das capacidades do sistema de governo (activação dos serviços públicos, projecto para aumentar a capacidade, fortalecimento da estratégia das capacidades de governação do sistema) enfrentado pelo sistema da governação apresentado por Farazmand, para analisar as obras do Governo da RAEM em Finalmente, o Professor Zhang enfatizou particularmente Farazmand e referiu a capacidade institucional do governo da RAEM, que também estabeleceu um sistema duplo de Segurança Social, o Sistema de Assistência Textbook, a conclusão do Sistema de Saúde, o Sistema de Prestação de Contas, o Mecanismo de Consultas, a Legalização e Instituição, o sistema político de equidade e justiça, que têm reforçado a capacidade institucional do sistema de governo em Macau. A construção da capacidade institucional é muito importante para a atualização dos sistemas de governo. Sem estreitas relações interpessoais de rede, o sistema não tem suficiente capacidade de desempenho, isto é, o funcionamento do sistema baseia-se nos sistemas, em termos de relações interpessoais reguladas pelos sistemas. A partir dos vários sistemas estabelecidos no Governo da RAEM, pode ser plenamente provado que a capacidade do sistema de governação em Macau tem sido elevada. Quanto à capacidade de melhorar o sistema de governo para fazer face à rápida mudança da globalização e da competição extrema e ao desafio das incertezas extremas, o governo da RAEM também estabeleceu o mecanismo de coordenação para resolver a crise através da liderança pelo Chefe do Executivo. V. Um país, dois sistemas e a cooperação entre os governos de Guangdong e Macau: Exploração de Políticas de Desenvolvimento de Hengqin Liu Bolong, professor do Centro de Ciências de Investigação Contemporânea Chinesa da Universidade de Macau, acredita que a cooperação entre os governos de Guangdong e de Macau é uma cooperação sem precedentes. Com base em territórios aduaneiros diferentes e de acordo com o regime um país, dois sistemas, a cooperação entre Macau e o

16 1208 Continente é uma cooperação entre regiões de costumes diferentes, porque Macau é uma região aduaneira distinta e Zhuhai também pertence às zonas económicas especiais, e o governo Central tem tarifas e regimes políticos diferentes para as zonas económicas especiais e outras regiões do Continente. Em 1980, a China estabeleceu formalmente em Shenzhen, Zhuhai, Shantou e Xiamen Zonas Económicas Especiais, impulsionadas pela criação de duas Regiões Administrativas Especiais de Hong Kong e Macau. O Delta do Rio das Pérolas tornou-se a primeira região de rápido desenvolvimento na China. Um grande número de empresários de Hong Kong e de Macau continuam a instalar fábricas na região vizinha do Delta do Rio das Pérolas para tornar a região desenvolvida e uma importante base de produção no mundo. No Décimo Primeiro Quinquénio, Guangdong e Macau implementaram profundamente, e com base no Quadro do Planeamento do Delta do Rio das Pérolas, o Acordo-Quadro de Cooperação para trabalhar em conjunto e enfrentar a crise financeira internacional, promovendo a implementação do Acordo de Parceria Económica (CEPA) entre o Continente, Hong Kong e Macau e políticas piloto e testes de abertura do sector de serviços a Hong Kong e Macau. Em como acelerando a construção da ponte entre Hong Kong-Zhuhai-Macau, Zhuhai Hengqin, a Universidade de Macau no novo campus de Hengqin e outras grandes infra-estruturas e desenvolvimentos dentro do Parque de Cooperação. Os resultados têm sido notáveis. Lui Bolong acredita que a ilha de Hengqin da cidade de Zhuhai, situado na margem oeste do Estuário do Rio das Pérolas, em frente a Macau através do rio, é uma linda ilha com bom ambiente ecológico. Após anos de desenvolvimento, a realização de base dos seis passos, ou seja, pontes, estradas, abastecimento de água, fornecimento de energia elétrica, comunicações postais, e de pontos de controlo aduaneiro, como a conclusão da ponte flor de lotus, o estabelecimento de um porto de classe de âmbito nacional em primeiro lugar, a construção de redes de estradas ao redor da ilha, o abastecimento de água canalizada, uma subestação de 110 mil volts, tudo isto tem por fim criar, uma boa base para o desenvolvimento. Exercendo plenamente as vantagens da localização de Hengqin ao lado de Hong Kong e Macau e aproveitando as importantes mudanças que são dadas a conhecer para esta zona, através do Plano de Reforma e Desenvolvimento do Delta ( ) e para realizar o teste-piloto de desenvolvimento científico, para promover o desenvolvimento de uma estreita cooperação com Hong Kong e Macau, isso tem um signifi-

17 1209 cado estratégico importante indo facilitar o desenvolvimento económico do Delta do Rio das Pérolas, para formar um novo pólo de crescimento e para impulsionar moderadamente o desenvolvimento diversificado da economia de Macau, bem como a prosperidade, a longo prazo, de Hong Kong e Macau. Bolong, também apontou que as questões relacionadas com o desenvolvimento da Ilha da Montanha, Guangdong e Macau tiveram igualmente um quadro político mutuamente benéfico para a cooperação; no entanto, a reunião ainda está no início, ainda há uma série de problemas fundamentais que necessitam das autorizações de Guangdong e Macau, bem como das organizações da sociedade civil para, em conjunto, se estudarem e resolverem os problemas. Por exemplo, o acordo de cooperação Guangdong-Macau propõe claramente a autorização de carros particulares com matricula de Macau de entrada e saída livremente de Hengqin, mas ambos os lados ainda não estudaram os detalhes de implementação destas políticas. Por exemplo, suponha que uma viatura de matrícula de Macau se envolve num acidente em Hengqin? Como é que o seguro desse veículo é pago? E se há vítimas envolvidas? Como é que médicos, ambulâncias, reclamações e muitos outros aspectos serão resolvidos? Isto resulta numa necessidade de esclarecimento das pessoas de Macau que se preocupam com estes assuntos. Além disso, em termos de fluxos de capital, se a ilha da Montanha é uma zona de comércio livre, quando comparada com outras regiões, quais seriam as diferenças entre a entrada e saída de capitais? Para os empresários de Macau que investiram em Hengqin, como é que os lucros do seu investimento poderão ser repatriados para Macau? Como é que estas políticas seriam implementadas? Em termos de importações e exportações de mercadorias, a ilha da Montanha poderá ser uma zona de comércio livre? Quais serão os detalhes políticos associados? As novas empresas tecnológicas nacionais e estrangeiras da ilha da Montanha (como o Parque da Medicina Tradicional Chinesa em construção) questionam como será, se os seus produtos forem enviados através dos serviços alfandegários de Macau e Hong Kong e exportados para todo o mundo. O que fará a Alfândega de Hengqin? Será que as medidas de fiscalização aduaneira tomadas, vão ser mais rigorosas do que as do resto da região do país? Será que ambos os Governos Zhuhai-Macau pretendem estabelecer uma Área de comércio livre em Hengqin que segue padrões mais internacionais do que outras zonas económicas especiais, ou uma tarifa zero do país? Estes são problemas gerais que todo o mundo encontra

18 1210 no estabelecimento de zonas de comércio livre. A implementação específica dessas políticas preferênciais pode aumentar a confiança de empresas nacionais e estrangeiras de alta tecnologia e de empresas culturais, quando planeiam investir em Hengqin? Quanto mais detalhada, mais específica e mais humana a execução específica dessas políticas, o maior será o benefício para as políticas preferenciais e para o desenvolvimento de Hengqin. Portanto, os governos de Guangdong e Macau devem estudar e explorar com maior profundidade e seriedade cada detalhe de implementação de políticas, de modo a que a ilha de Hengqin se possa tornar uma zona de comércio livre e real. Finalmente, o académico recomenda, com base na reunião de cooperação Guangdong-Macau, uma conferência académica formada por comunidades académicas de ambos os lados. Uma série de seminários sobre as diversas políticas preferenciais de desenvolvimento da RAE de Hengqin, deve ser realizada com a participação de especialistas e académicos de ambos os lados. A discussão em profundidade de formas específicas de cooperação, de preocupações mútuas, como costumes, arranjos, veículos e seguros de pessoal, importação e exportação de mercadorias, livre circulação de capital, arranjos sobre recursos humanos e pormenosas para pesquisa académica, deve ser realizada, para facilitar aos dois governos entrarem num acordo de colaboração o mais breve possível. A discussão realizada por organizações civis e académicos seria relativamente neutra,numa atmosfera relativamente livre da influência e grupos de interesses e uma orientação do acordo alcançado será mais aceitável pelo público de ambos os lados. VI. Conclusões No Simpósio foram apresentados mais de 50 especialistas e estudiosos dos quatro lugares do estreito e discutidos 40 trabalhos. Os estudiosos basearam a discussão em torno de quatro temas: Sistema de pessoal da administração publica, Administração Pública de Macau e Cooperação Regional. O Simpósio também recebeu o apoio total dos funcionários públicos de Macau e representantes das diversas organizações de serviços públicos, para lhes proporcionar uma plataforma de intercâmbio e aprendizagem. Os funcionários públicos de Macau, especialistas e académicos de vários lugares, partilharam ideias e trocaram experiências de gestão pública, tendo a oportunidade de aprenderem muito sobre modelos

19 avançados de gestão e experiências. O Simpósio foi profissional, académico e repleto de ideias, fornecendo uma boa plataforma para os quatro lugares do Estreito e para a pesquisa e intercâmbio académico. Conduziu a definições positivas para os especialistas e académicos dos quatro lugares em todo o estreito, a fim de facultar e aprofundar os estudos sobre administração pública. 1211

20

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2004 Número 7 Publicação da Direcção de Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2004 Número 7 Publicação da Direcção de Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2004 Número 7 Publicação da Direcção de Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Assinatura do Suplemento ao CEPA com maior liberalização 2. Conferência

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2009 Número 31 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2009 Número 31 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2009 Número 31 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Ciclo de actividades Cidade-Modelo na Implementação do CEPA do ponto

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Março de 2014 Número 48 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Março de 2014 Número 48 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Março de 2014 Número 48 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Balanço da eficácia do Acordo CEPA 2013 2. Primeiro banco com sede em Macau,

Leia mais

1. Situação do desenvolvimento do sector financeiro de Guangdong

1. Situação do desenvolvimento do sector financeiro de Guangdong Intervenção do Chefe do Gabinete dos Serviços Financeiros de Guangdong, Dr. Zhou Gaoxiong, no Fórum na Área Financeira de Macau 10 de Outubro de 2012 Exma. Sra. Dra. Gao Yan, Subdirectora do Gabinete de

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2004 Número 5 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2004 Número 5 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2004 Número 5 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Promoção do investimento no Parque Industrial Transfronteiriço Zhuhai-Macau

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2006 Número 17 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2006 Número 17 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2006 Número 17 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Cerimónia de entrega de Certificados do Exame Nacional de Qualificação

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2005 Número 13 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2005 Número 13 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2005 Número 13 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Reunião conjunta de cooperação Guangdong-Macau 2005 realizada em Macau

Leia mais

1. Planos Gerais para as Zonas de Comércio Livre de Guangdong, Tianjin e Fujian, aprovados pelo Governo Central

1. Planos Gerais para as Zonas de Comércio Livre de Guangdong, Tianjin e Fujian, aprovados pelo Governo Central Boletim Informativo do CEPA Edição de Março de 2015 Número 52 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Planos Gerais para as Zonas de Comércio Livre de Guangdong, Tianjin e Fujian,

Leia mais

A China (termo que significa o Império do Meio ou o Centro do Mundo ), uma das mais antigas civilizações do planeta, conheceu, ao longo de sua

A China (termo que significa o Império do Meio ou o Centro do Mundo ), uma das mais antigas civilizações do planeta, conheceu, ao longo de sua A China (termo que significa o Império do Meio ou o Centro do Mundo ), uma das mais antigas civilizações do planeta, conheceu, ao longo de sua história, um duplo e antagônico processo: por vezes, o país

Leia mais

Actividades em Outubro do Fórum de Macau promovem investimento económico e comercial e cooperação regional

Actividades em Outubro do Fórum de Macau promovem investimento económico e comercial e cooperação regional Actividades em Outubro do Fórum de Macau promovem investimento económico e comercial e cooperação regional 1. Fórum de Jovens Empresários da China e dos Países de Língua Portuguesa Fomentar a cooperação

Leia mais

ENTERPRISE 2020 Inteligente Sustentável Inclusivo

ENTERPRISE 2020 Inteligente Sustentável Inclusivo ENTERPRISE 2020 Inteligente Sustentável Inclusivo With the support of the European Commission and the Belgian Presidency of the European Union Porquê Enterprise 2020? Os desafios económicos, sociais e

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2014 Número 50 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2014 Número 50 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2014 Número 50 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Reunião Conjunta de Cooperação Macau-Guangdong de 2014, realizada em

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO CARTA EUROPEIA DO DESPORTO Objectivo da Carta... 3 Definição e âmbito de aplicação da Carta... 3 O movimento desportivo... 4 Instalações e actividades... 4 Lançar as bases... 4 Desenvolver a participação...

Leia mais

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões:

De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 7.1 Conclusões De acordo com os objectivos previamente definidos para esta investigação, apresentamos de seguida as respectivas conclusões: 1 - Descrever os instrumentos/modelos de gestão e marketing estratégicos

Leia mais

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O relatório de avaliação do sistema de ensino superior em Portugal preparado pela equipa internacional

Leia mais

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Fevereiro de 2012 Índice 1. Resumo das actividades... 1 2. Balanço e aperfeiçoamento... 6 3. Perspectivas para os trabalhos

Leia mais

CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA

CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA CONHECER O COMISSARIADO DA AUDITORIA PARTE I - MISSÃO, VALORES, VISÃO E LINHAS DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA DO COMISSARIADO DA AUDITORIA O Comissariado da Auditoria (CA) funciona como órgão independente na

Leia mais

6º Congresso Nacional da Administração Pública

6º Congresso Nacional da Administração Pública 6º Congresso Nacional da Administração Pública João Proença 30/10/08 Desenvolvimento e Competitividade: O Papel da Administração Pública A competitividade é um factor-chave para a melhoria das condições

Leia mais

DECLARAÇÃO DE HANÔVER

DECLARAÇÃO DE HANÔVER DECLARAÇÃO DE HANÔVER de Presidentes de Câmara de Municípios Europeus na Viragem do Século XXI (versão traduzida do texto original em Inglês, de 11 de Fevereiro de 2000, pelo Centro de Estudos sobre Cidades

Leia mais

Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Março de 2013 Número 44 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Semana Dinâmica de Macau realizada na cidade de Jinan da província de Shandong

Leia mais

Quadro da Política do Desenvolvimento das Indústrias Culturais

Quadro da Política do Desenvolvimento das Indústrias Culturais Região Administrativa Especial de Macau Quadro da Política do Desenvolvimento das Indústrias Culturais Governo da Região Administrativa Especial de Macau Índice 1. Prefácio... 2 2. Posicionamento macroscópico

Leia mais

VIII Congresso da EUROSAI Lisboa, 30 de Maio 2 de Junho de 2011 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

VIII Congresso da EUROSAI Lisboa, 30 de Maio 2 de Junho de 2011 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES VIII Congresso da EUROSAI Lisboa, 30 de Maio 2 de Junho de 2011 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 1 Preâmbulo O VIII Congresso da EUROSAI realizado em Lisboa entre 30 de Maio e 2 de Junho de 2011 concentrou-se

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2011 Número 38 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2011 Número 38 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2011 Número 38 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Seminário sobre a Promoção da Cidade-Modelo (Zona) no âmbito do CEPA,

Leia mais

Construção Social e de Gestão Social na China

Construção Social e de Gestão Social na China Construção Social e de Gestão Social na China Chen Li Para promover melhor a construção da sociedade harmoniosa, nas práticas, o Partido Comunista da China, por um lado tem implementado a construção da

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO INTRODUÇÃO

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO INTRODUÇÃO CARTA EUROPEIA DO DESPORTO INTRODUÇÃO A Carta Europeia do Desporto do Conselho da Europa é uma declaração de intenção aceite pelos Ministros europeus responsáveis pelo Desporto. A Carta Europeia do Desporto

Leia mais

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau)

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Plano de Acção para a Cooperação Económica e Comercial (2014-2016) 4ª Conferência Ministerial Preâmbulo

Leia mais

OS VALORES E OS PRINCÍPIOS DA SIKA

OS VALORES E OS PRINCÍPIOS DA SIKA OS VALORES E OS PRINCÍPIOS DA SIKA SIKA UM LÍDER GLOBAL COM PRINCÍPIOS E TRADIÇÃO Fundada na Suíça pelo inventor visionário Kaspar Winkler há mais de 100 anos, a Sika tornou-se numa empresa global de sucesso

Leia mais

Descrição da Compilação

Descrição da Compilação Guia de candidatura a bolsas de investigação científica financiadas em conjunto pelo Ministério das Ciências e da Tecnologia da República Popular da China e pelo Fundo para o Desenvolvimento das Ciências

Leia mais

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades.

adaptados às características e expectativas dos nossos Clientes, de modo a oferecer soluções adequadas às suas necessidades. A Protteja Seguros surge da vontade de contribuir para o crescimento do mercado segurador nacional, através da inovação, da melhoria da qualidade de serviço e de uma política de crescimento sustentável.

Leia mais

Unidade 6: O Leste e o Sudeste Asiático

Unidade 6: O Leste e o Sudeste Asiático Unidade 6: O Leste e o Sudeste Asiático Capítulo 1: Japão - Capítulo 2: China - Capítulo 4: Tigres Asiáticos Apresentação elaborada pelos alunos do 9º Ano D Monte Fuji - Japão Muralha da China Hong Kong

Leia mais

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas

Plano de Prevenção de Riscos de Gestão. Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Plano de Prevenção de Riscos de Gestão Incluindo os de Corrupção e Infracções Conexas Introdução No âmbito da sua actividade, o Conselho de Prevenção da Corrupção (CPC), aprovou a Recomendação n.º 1/2009,

Leia mais

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin

Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin Programa de trabalho da Presidência Portuguesa para o Conselho Ecofin A Presidência Portuguesa na área dos Assuntos Económicos e Financeiros irá centrar-se na prossecução de três grandes objectivos, definidos

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

Declaração de Santa Cruz de la Sierra

Declaração de Santa Cruz de la Sierra Reunião de Cúpula das Américas sobre o Desenvolvimiento Sustentável Santa Cruz de la Sierra, Bolivia, 7 ao 8 de Dezembro de 1996 Declaração de Santa Cruz de la Sierra O seguinte documento é o texto completo

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

Linhas de Acção Governativa da Área da Economia e Finanças

Linhas de Acção Governativa da Área da Economia e Finanças Linhas de Acção Governativa da Área da Economia e Finanças (Síntese) Linhas de Acção Governativa para o ano de 2015 O ano de 2015 será o ano chave para o ajustamento da economia de Macau. Assim sendo,

Leia mais

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA

MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA MANUAL FORMAÇÃO PME GESTÃO ESTRATÉGICA 1/21 ANÁLISE DA ENVOLVENTE EXTERNA À EMPRESA... 3 1. Análise do Meio Envolvente... 3 2. Análise da Evolução do Mercado... 7 3. Análise da Realidade Concorrencial...

Leia mais

Tertiary Education for the Knowledge Society. O Ensino Superior na Sociedade do Conhecimento. Summary in Portuguese. Sumário em Português

Tertiary Education for the Knowledge Society. O Ensino Superior na Sociedade do Conhecimento. Summary in Portuguese. Sumário em Português Tertiary Education for the Knowledge Society Summary in Portuguese O Ensino Superior na Sociedade do Conhecimento Sumário em Português O Ensino Superior na Sociedade do Conhecimento fornece uma investigação

Leia mais

Suplemento II ao «Acordo de Estreitamento das Relações Económicas e Comerciais entre o Continente Chinês e Macau»

Suplemento II ao «Acordo de Estreitamento das Relações Económicas e Comerciais entre o Continente Chinês e Macau» Suplemento II ao «Acordo de Estreitamento das Relações Económicas e Comerciais entre o Continente Chinês e Macau» Com o objectivo de reforçar o intercâmbio e a cooperação económica e comercial entre o

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2013 Número 47 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2013 Número 47 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2013 Número 47 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Realizado em Macau o Encontro dos Empresários entre a China e os Países

Leia mais

No Centro da Transformação de África Estratégia para 2013-2022

No Centro da Transformação de África Estratégia para 2013-2022 Grupo do Banco Africano de Desenvolvimento No Centro da Transformação de África Estratégia para 2013-2022 Sumário Executivo A Estratégia do Banco Africano de Desenvolvimento para 2013-2022 reflecte as

Leia mais

Apenas para referência. Agências de viagem e operadores turísticos CEPA. 9. Serviços Turísticos e Outros Serviços Conexos. Sector ou.

Apenas para referência. Agências de viagem e operadores turísticos CEPA. 9. Serviços Turísticos e Outros Serviços Conexos. Sector ou. Agências de viagem e operadores turísticos CEPA A. Hotéis (incluindo prédios-apartamentos) e Restaurantes (CPC641-643) B. Agências de viagem e operadores turísticos (CPC7471) serviços 1. É permitido aos

Leia mais

Cocktail de Primavera - 2010. Discurso do Presidente do Conselho de Administração

Cocktail de Primavera - 2010. Discurso do Presidente do Conselho de Administração Cocktail de Primavera - 2010 Discurso do Presidente do Conselho de Administração Exmo. Senhor Secretário para a Economia e Finanças, Dr. Francis Tam, Exmo. Senhor Director-geral Assistente do Departamento

Leia mais

FRÁGEIS E EM SITUAÇÕES DE FRAGILIDADE

FRÁGEIS E EM SITUAÇÕES DE FRAGILIDADE PRINCÍPIOS PARA UMA INTERVENÇÃO INTERNACIONAL EFICAZ EM ESTADOS PRINCÍPIOS - Março 2008 Preâmbulo Uma saída sustentável da pobreza e da insegurança nos Estados mais frágeis do mundo terá de ser conduzida

Leia mais

Assistência Médica e Saúde

Assistência Médica e Saúde Assistência Médica e Saúde O Governo da RAEM define e prossegue as linhas de acção governativa de Tratamento seguro e adequado com prioridade para a prevenção em correspondência à directriz de elevar a

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

CARTA DAS ONGD EUROPEIAS

CARTA DAS ONGD EUROPEIAS CARTA DAS ONGD EUROPEIAS Princípios Básicos do Desenvolvimento e da Ajuda Humanitária das ONGD da União Europeia O Comité de Liaison das ONG de Desenvolvimento da UE O Comité de Liaison ONGD-UE representa,

Leia mais

Programa de Acção da Candidatura a Presidente

Programa de Acção da Candidatura a Presidente Programa de Acção da Candidatura a Presidente do Instituto Politécnico de Beja de Manuel Alberto Ramos Maçães 1 Índice I. O Porquê da Candidatura II. III. IV. Intenção Estratégica: Visão, Envolvimento

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997

DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 DECLARAÇÃO FINAL Quebec, 21 de setembro de 1997 Reunidos na cidade de Quebec de 18 a 22 de setembro de 1997, na Conferência Parlamentar das Américas, nós, parlamentares das Américas, Considerando que o

Leia mais

Sumário das actividades do IPIM em 2009

Sumário das actividades do IPIM em 2009 Sumário das actividades do IPIM em 2009 Tendo em consideração a situação do mercado internacional e o crescimento económico local, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM)

Leia mais

PEJ AÇORES. Associação Regional Parlamento Europeu dos Jovens Núcleo Açores

PEJ AÇORES. Associação Regional Parlamento Europeu dos Jovens Núcleo Açores CONTRIBUTO DA ASSOCIAÇÃO REGIONAL PARLAMENTO EUROPEU DOS JOVENS NÚCLEO AÇORES PARA O LIVRO BRANCO DO COMITÉ DAS REGIÕES SOBRE GOVERNAÇÃO A VÁRIOS NÍVEIS A (PEJ-A) responde ao desafio do Comité das Regiões

Leia mais

O Ensino Superior na Região da África Austral Tendências, desafios e recomendações actuais

O Ensino Superior na Região da África Austral Tendências, desafios e recomendações actuais O Ensino Superior na Região da África Austral Tendências, desafios e recomendações actuais Apresentação feita durante a Reunião Extraordinária dos Ministros do Ensino Superior e Formação realizada em Joanesburgo,

Leia mais

ANEXO. 1. Serviços Comerciais. Sector ou Subsector. A. Serviços Profissionais. a. Serviços Jurídicos (CPC861) Compromissos específicos

ANEXO. 1. Serviços Comerciais. Sector ou Subsector. A. Serviços Profissionais. a. Serviços Jurídicos (CPC861) Compromissos específicos ANEXO Oitavo Aditamento e Revisão dos Específicos do Interior da China relativamente a Macau no Domínio da Liberalização do Comércio de Serviços 1 1. Serviços Comerciais A. Serviços Profissionais a. Serviços

Leia mais

UEM: Desafios e perspectivas na implementação do Sistema Nacional de Avaliação, Acreditação e Garantia de Qualidade do Ensino Superior

UEM: Desafios e perspectivas na implementação do Sistema Nacional de Avaliação, Acreditação e Garantia de Qualidade do Ensino Superior UEM: Desafios e perspectivas na implementação do Sistema Nacional de Avaliação, Acreditação e Garantia de Qualidade do Ensino Superior Autores: Maida Abdulssatar Khan, Eduardo Chiziane, Luisa Santos e

Leia mais

Estudo económico e jurídico sobre a reserva de terrenos para residentes de Macau Sumário Executivo

Estudo económico e jurídico sobre a reserva de terrenos para residentes de Macau Sumário Executivo Estudo económico e jurídico sobre a reserva de terrenos para residentes de Macau Sumário Executivo Equipa de projecto do Instituto Politécnico de Macau 7 de Novembro de 2013 1 Membros da equipa de projecto

Leia mais

Trabalhos prioritários do ensino não superior e dos assuntos juvenis do ano lectivo de 2015/2016

Trabalhos prioritários do ensino não superior e dos assuntos juvenis do ano lectivo de 2015/2016 Trabalhos prioritários do ensino não superior e dos assuntos juvenis do ano lectivo de 2015/2016 Para que o início das aulas do novo ano lectivo se realize com facilidade, a Direcção dos Serviços de Educação

Leia mais

RetRospectivA De 2011 macau 2012 - Livro do Ano

RetRospectivA De 2011 macau 2012 - Livro do Ano Primeira parte Retrospectiva DE 2011 Flor de lótus cheia (Foto: GCS) Retrospectiva de 2011 I. Interpretação da Lei Básica pela Assembleia Popular Nacional Define Cinco Passos do Desenvolvimento do Sistema

Leia mais

Anexo VI (A que se refere o artigo 2.º) LISTA DE COMPETÊNCIAS DIRIGENTES INTERMÉDIOS

Anexo VI (A que se refere o artigo 2.º) LISTA DE COMPETÊNCIAS DIRIGENTES INTERMÉDIOS Anexo VI (A que se refere o artigo 2.º) LISTA DE COMPETÊNCIAS DIRIGENTES INTERMÉDIOS N.º ORIENTAÇÃO PARA RESULTADOS: Capacidade para se focalizar na concretização dos objectivos do serviço e garantir que

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA

POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA POLÍTICA E CÓDIGO DE CONDUTA E ÉTICA POLÍTICA DE ÉTICA A Política de Ética do CPCBeja está reflectida no Código de Conduta e Ética e integra os seguintes Princípios e Orientações: - Direitos e Dignidade

Leia mais

Senhora Presidente da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Maria da Conceição Saraiva da Silva Costa Bento Senhoras e Senhores,

Senhora Presidente da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Maria da Conceição Saraiva da Silva Costa Bento Senhoras e Senhores, Boa tarde Senhora Presidente da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Maria da Conceição Saraiva da Silva Costa Bento Senhoras e Senhores, Deixem-me dizer-vos que é para mim uma honra participar, na

Leia mais

DEPUY SYNTHES CÓDIGO DE CONDUTA GLOBAL

DEPUY SYNTHES CÓDIGO DE CONDUTA GLOBAL Uma Paixão pela Integridade Integridade em Acção - Conformidade nos Cuidados de Saúde A Conformidade nos Cuidados de Saúde é uma Responsabilidade de Todos A DePuy Synthes é reconhecida mundialmente pelas

Leia mais

CÓDIGO DA ÉTICA DESPORTIVA INTRODUÇÃO

CÓDIGO DA ÉTICA DESPORTIVA INTRODUÇÃO CÓDIGO DA ÉTICA DESPORTIVA INTRODUÇÃO O Código da Ética no Desporto do Conselho da Europa para o Fair play no desporto é uma declaração de intenção aceite pelos Ministros europeus responsáveis pelo Desporto.

Leia mais

Controlo interno das instituições de auditoria do governo

Controlo interno das instituições de auditoria do governo SEMINÁRIO SOBRE O DESENVOLVIMENTO DE TÉCNICAS DE AUDITORIA 26 27.02.2009 Controlo interno das instituições de auditoria do governo Autor: Lau Tak Kun (Terence) Comissariado da Auditoria de Macau Índice

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

A WaterAid e as mudanças climáticas

A WaterAid e as mudanças climáticas A WaterAid e as mudanças climáticas Kajal Gautam, 16 anos, e a prima, Khushboo Gautam, 16 anos, regressando a casa depois de irem buscar água em Nihura Basti, Kanpur, na Índia. WaterAid/ Poulomi Basu Louise

Leia mais

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP Intervenção do Secretário Executivo da CPLP Senhor Presidente, Senhores Ministros, Senhor Secretário de Estado do Turismo, Senhores Embaixadores Senhores Representantes

Leia mais

Normas de Ética e Conduta Empresarial para Terceiros

Normas de Ética e Conduta Empresarial para Terceiros Todas as actividades empresariais na Bristol-Myers Squibb (BMS) apoiam-se no alicerce do nosso compromisso com a integridade e a conformidade com todas as leis, regulamentos, directivas e códigos industriais

Leia mais

I. Introdução. Pan Wei*, Pang Xin Xin**

I. Introdução. Pan Wei*, Pang Xin Xin** Administração n.º 102, vol. XXVI, 2013-4.º, 1083-1095 1083 Explorando o Modelo de Desenvolvimento de Mercado do Parque Industrial e Tecnológico de Ciência Médica Guangdong-Macau no âmbito do conceito Um

Leia mais

Declaração conjunta dos governos da República Portuguesa e da República Popular da China sobre o reforço das relações bilaterais

Declaração conjunta dos governos da República Portuguesa e da República Popular da China sobre o reforço das relações bilaterais Declaração conjunta dos governos da República Portuguesa e da República Popular da China sobre o reforço das relações bilaterais A convite de Sua Excelência o Primeiro- -Ministro da República Portuguesa,

Leia mais

Estratégia de parceria global da IBIS 2012. Estratégia de parceria global da IBIS

Estratégia de parceria global da IBIS 2012. Estratégia de parceria global da IBIS Estratégia de parceria global da IBIS Aprovada pelo conselho da IBIS, Agosto de 2008 1 Introdução A Visão da IBIS 2012 realça a importância de estabelecer parcerias com diferentes tipos de organizações

Leia mais

Código de Ética. Grupo TAP

Código de Ética. Grupo TAP Código de Ética do Grupo TAP ÍNDICE Objectivos e Valores Fundamentais... 2 I. Âmbito... 3 II. Valores Gerais... 3 1. Responsabilidade. 3 2. Independência.. 3 3. Conflitos de Interesses.. 3 4. Desenvolvimento

Leia mais

Governo da Região Administrativa Especial de Macau da. República Popular da China. Relatório das Linhas de Acção Governativa

Governo da Região Administrativa Especial de Macau da. República Popular da China. Relatório das Linhas de Acção Governativa Governo da Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China Relatório das Linhas de Acção Governativa para o Ano Financeiro de 2012 Índice Introdução Primeira Parte Balanço das acções

Leia mais

Província de Cabinda

Província de Cabinda Província de Cabinda Conselho de Ministros Decreto-Lei n.º 1/07 De 2 de Janeiro Considerando a necessidade da aprovação do Estatuto Especial para a Província de Cabinda estabelecido nos termos do Memorando

Leia mais

PRINCÍPIOS DO RIO. Princípio 1

PRINCÍPIOS DO RIO. Princípio 1 PRINCÍPIOS DO RIO António Gonçalves Henriques Princípio 1 Os seres humanos são o centro das preocupações para o desenvolvimento sustentável. Eles têm direito a uma vida saudável e produtiva em harmonia

Leia mais

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005.

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. Cooperação empresarial, uma estratégia para o sucesso Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. É reconhecida a fraca predisposição

Leia mais

@ D @ LI Fei* Sub-director da Comissão da Lei Básica da RAEM do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional, RP da China

@ D @ LI Fei* Sub-director da Comissão da Lei Básica da RAEM do Comité Permanente da Assembleia Popular Nacional, RP da China Estudar a Fundo o Sistema da Região Administrativa Especial e Promover a Grande Prática de Um País, Dois Sistemas : Discurso no Fórum de Alto Nível sobre Um País, Dois Sistemas de 6 de Dezembro de 2011

Leia mais

(in CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE ORGANIZAÇÃO E PRINCIPIOS DE FUNCIONAMENTO DO MIBGAS ELABORADA PELA CNE E PELA ERSE, Novembro de 2007).

(in CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE ORGANIZAÇÃO E PRINCIPIOS DE FUNCIONAMENTO DO MIBGAS ELABORADA PELA CNE E PELA ERSE, Novembro de 2007). COMENTÁRIOS REN CONSULTA PÚBLICA SOBRE A PROPOSTA DE ORGANIZAÇÃO E PRINCÍPIOS DE FUNCIONAMENTO DO MIBGÁS ELABORADA PELA CNE E PELA ERSE A. INTRODUÇÃO Na sequência do compromisso assumido, a CNE e a ERSE

Leia mais

Em Entrevistas Profissionais

Em Entrevistas Profissionais Em Entrevistas Profissionais Amplie a sua performance na valorização das suas competências 2011 Paula Gonçalves [paula.goncalves@amrconsult.com] 1 Gestão de Comunicação e Relações Públicas As Entrevistas

Leia mais

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos

Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras. Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Reflexões sobre a Ética em Empresas de Tecnologia O Caso Petrobras Heitor Chagas de Oliveira Gerente Executivo Recursos Humanos Sustentabilidade e Competitividade SUSTENTABILIDADE pode ser entendida como

Leia mais

Desenvolvimento da Segurança Social no Enquadramento da Lei Básica

Desenvolvimento da Segurança Social no Enquadramento da Lei Básica Desenvolvimento da Segurança Social no Enquadramento da Lei Básica CHAN Wai Tan I. Segurança social e o regime de segurança social O grau de perfeição da segurança social que um país ou uma região fornece

Leia mais

PRINCÍPIOS ESSILOR. Os nossos princípios têm origem em características que definem a Essilor:

PRINCÍPIOS ESSILOR. Os nossos princípios têm origem em características que definem a Essilor: PRINCÍPIOS ESSILOR Cada um de nós, na nossa vida profissional, participa na responsabilidade e na reputação da Essilor. Por isso devemos conhecer e respeitar princípios que se aplicam a todos. O que significa

Leia mais

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015

CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA. 22 de junho de 2015 CONCLUSÕES DA REUNIÃO EMPRESARIAL PORTUGAL - ESPANHA UMA UNIÃO EUROPEIA MAIS FORTE 22 de junho de 2015 A União Europeia deve contar com um quadro institucional estável e eficaz que lhe permita concentrar-se

Leia mais

Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica. Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica. Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Março de 2014 Índice 1. Resumo das actividades....1 2. Perspectivas para as actividades

Leia mais

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO

PLANO DE MELHORIA CONSERVATÓRIO DE MÚSICA DO PORTO PLANO DE MELHORIA DO 2015-2017 Conservatório de Música do Porto, 30 de outubro de 2015 1. Introdução... 3 2. Relatório de Avaliação Externa... 5 Pontos Fortes... 5 Áreas de Melhoria... 6 3. Áreas Prioritárias...

Leia mais

Profissionais Jurídicos Bilingues Chinês e Português e. Direito e Desenvolvimento nos Países dos BRICS

Profissionais Jurídicos Bilingues Chinês e Português e. Direito e Desenvolvimento nos Países dos BRICS Profissionais Jurídicos Bilingues Chinês e Português e Direito e Desenvolvimento nos Países dos BRICS Dr. Eva Yixian Zhao 1 (Faculdade de Direito da Universidade de Shantou, China) Sumário: Uma vez que

Leia mais

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS

QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS QUADRO DE REFERÊNCIA PARA A AVALIAÇÃO DE ESCOLAS E AGRUPAMENTOS I Os cinco domínios 1. Resultados 2. Prestação do serviço educativo 3. Organização e gestão escolar 4. Liderança 5. Capacidade de auto-regulação

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Junho de 2010 Número 33 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Junho de 2010 Número 33 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Junho de 2010 Número 33 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Assinatura do Suplemento VII ao CEPA entre o Interior da China e Macau

Leia mais

Comemorações do 35º Aniversário do Banco de Cabo Verde. Conferência internacional sobre A mobilização de oportunidades no pós-crise

Comemorações do 35º Aniversário do Banco de Cabo Verde. Conferência internacional sobre A mobilização de oportunidades no pós-crise Comemorações do 35º Aniversário do Banco de Cabo Verde Conferência internacional sobre A mobilização de oportunidades no pós-crise Senhora Ministra das Finanças, Senhores Representantes Diplomáticos, Senhores

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO FUNDÃO + ESCOLA + PESSOA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICA 2013-2017 Agrupamento de Escolas do Fundão Página 1 Perante o diagnóstico realizado, o Agrupamento assume um conjunto de prioridades

Leia mais

11 Forum Panafricano sobre Modernização dos Serviços Públicos e Instituições do Estado

11 Forum Panafricano sobre Modernização dos Serviços Públicos e Instituições do Estado Reino de Marrocos Ministério da Função Pública e Modernização da Administração Centro Africano de Formação e Resquisa em Administração para o Desenvolvimento Fundação para o Reforço de Capacidades em Africa

Leia mais

Apenas para referência. Serviços de transporte terrestre CEPA. Sector ou. 11. Serviços de Transporte. Subsector. F. Serviços de transporte terrestre

Apenas para referência. Serviços de transporte terrestre CEPA. Sector ou. 11. Serviços de Transporte. Subsector. F. Serviços de transporte terrestre Serviços de transporte terrestre CEPA F. Serviços de transporte terrestre Transporte terrestre de mercadorias em veículos de tracção e veículos de carga (CPC7123) Transporte de passageiros por estrada

Leia mais

19º ENCONTRO DE LISBOA DAS DELEGAÇ Õ ES DOS PAÍSES AFRICANOS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA E DE TIMOR-LESTE À ASSEMBLEIA ANUAL

19º ENCONTRO DE LISBOA DAS DELEGAÇ Õ ES DOS PAÍSES AFRICANOS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA E DE TIMOR-LESTE À ASSEMBLEIA ANUAL 19º ENCONTRO DE LISBOA DAS DELEGAÇ Õ ES DOS PAÍSES AFRICANOS DE LÍNGUA OFICIAL PORTUGUESA E DE TIMOR-LESTE À ASSEMBLEIA ANUAL DE 2009 DO FUNDO MONETÁ RIO INTERNACIONAL / BANCO MUNDIAL DISCURSO DO PRESIDENTE

Leia mais

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR

POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR POLÍTICAS DE COMPETITIVIDADE PARA O SECTOR AGRO-ALIMENTAR Prioridades Estratégicas Indústria Portuguesa Agro-Alimentar Federação das Indústrias Portuguesas Agro-Alimentares XI LEGISLATURA 2009-2013 XVIII

Leia mais

Capítulo 15. Impactos Cumulativos

Capítulo 15. Impactos Cumulativos Capítulo 15 Impactos Cumulativos ÍNDICE 15 IMPACTOS CUMULATIVOS 15-1 15.1 INTRODUÇÃO 15-1 15.1.1 Limitações e Mitigação 15-1 15.1.2 Recursos e Receptores Potenciais 15-3 15.2 IMPACTO CUMULATIVO DA ZONA

Leia mais

A auditoria à Conta Geral da. Regiã o Administrativa Especial de Macau. no â mbito da prestaçã o de contas

A auditoria à Conta Geral da. Regiã o Administrativa Especial de Macau. no â mbito da prestaçã o de contas A auditoria à Conta Geral da Regiã o Administrativa Especial de Macau no â mbito da prestaçã o de contas São Tomé e Príncipe, 11-14 de Outubro de 2010 VI Assembleia Geral da OISC/CPLP Índice 1. Introdução

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Abril de 2007 Número 22 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Abril de 2007 Número 22 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Abril de 2007 Número 22 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Assinatura do Suplemento IV ao Acordo fortalece o intercâmbio e a cooperação

Leia mais

DIÁLOGO NACIONAL SOBRE EMPREGO EM MOÇAMBIQUE

DIÁLOGO NACIONAL SOBRE EMPREGO EM MOÇAMBIQUE DIÁLOGO NACIONAL SOBRE EMPREGO EM MOÇAMBIQUE CRIAÇÃO DE EMPREGO NUM NOVO CONTEXTO ECONÓMICO 27-28 demarço de 2014, Maputo, Moçambique A conferência de dois dias dedicada ao tema Diálogo Nacional Sobre

Leia mais