Sumário das actividades do IPIM em 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sumário das actividades do IPIM em 2009"

Transcrição

1 Sumário das actividades do IPIM em 2009 Tendo em consideração a situação do mercado internacional e o crescimento económico local, o Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau (IPIM) desenvolveu, durante o ano de 2009, variadas acções no sentido da promoção de trocas comerciais e de investimento com o exterior, avanço com a diversificação económica adequada de Macau e construção da plataforma de serviços para a cooperação económica e comercial. No tocante ao apoio às Pequenas e Médias Empresas (PMEs) na expansão dos seus negócios, para além do aperfeiçoamento das funções do Núcleo de Serviço às PMEs (ou SMEC), o apoio prioritário foi oferecido às PMEs locais na reestruturação, inovação e desenvolvimento de oportunidades de negócio através das actividades de franquias, lojas em cadeia e agenciamento de marcas. Além disso, em articulação com a promulgação das Linhas Gerais do Planeamento para a Reforma e Desenvolvimento da Região do Delta do Rio das Pérolas (adiante designadas por Linhas Gerais ), a cooperação com a Província de Guangdong foi fortalecida, com mais assistência prestada às empresas de Guangdong e Macau na exploração do mercado e na identificação das oportunidades no desenvolvimento da Região do Delta do Rio das Pérolas. No âmbito da promoção do investimento em Macau Em 2009, através do One Stop Service ao investidor, o IPIM deu atendimento a potenciais investidores, inquéritos e recebeu 120 projectos de investimento (não incluindo os projectos de serviços comerciais offshore), tendo concluído o acompanhamento de 90 projectos dessa categoria. Os projectos de investimento, que foram acompanhados pela Comissão de Investimentos e entraram na fase de implementação, contabilizaram-se em 11, enquanto 94 processos de constituição de empresas foram finalizados pela nossa notária privativa. Por outro lado, desde a rectificação da política local sobre as instituições offshore em 2005, os processos de serviços offshore aprovados pelo IPIM, até 31 de Dezembro de 2009, totalizaram 701. Em relação aos serviços de bolsas de contacto, o IPIM ajudou na realização de mais de bolsas de contacto empresarial nas diversas feiras e exposições comerciais em 2009, das quais resultou a celebração de 138 protocolos de cooperação envolvendo um leque variado de actividades, nomeadamente a cooperação no sector de convenções e exposições, investimento no turismo e hotelaria, comércio, 1

2 agenciamento de produtos, manufactura, fomento predial e serviços financeiros. No tocante aos serviços de fixação de residência, o IPIM recebeu, em 2009, 753 pedidos de fixação de residência temporária relativos a Quadros Dirigentes e Técnicos Especializados, tendo aprovado 549 pedidos dessa natureza. Deram entrada, no mesmo período, 31 pedidos de fixação de residência temporária por investimentos e projectos de investimento relevantes, com 17 casos de mesma categoria aprovados. De acordo com o Regulamento Administrativo n.º 7/2007, foi suspensa, em 4 de Abril de 2007, a recepção de pedidos de fixação de residência temporária por aquisição de bens imóveis. Os pedidos registados antes da entrada em vigor do referido regulamento somaram em mais de 4.000, os quais passaram a ser processados sucessivamente. Nestes termos, não foram registados novos pedidos de fixação de residência por aquisição de bens imóveis durante Os casos dessa categoria, processados durante o ano, dizem respeito a pedidos registados antes do dia 4 de Abril de No âmbito da promoção da cooperação económica e comercial com o exterior No ano de 2009, o IPIM envidou esforços em alargar, com entusiasmo, a cooperação regional e dinamizar a construção da plataforma de serviços de Macau para a cooperação económica e comercial, reforçando, através da implementação do CEPA, a cooperação da Região do Grande-Delta do Rio das Pérolas (especialmente a cooperação Guangdong-Macau e Fujian-Macau), entre outros projectos, aprofundando a interacção económica com diversas províncias e municípios da China Continental. Designadamente, Guangdong e Macau desencadearam trabalhos em várias frentes para reforçar medidas de cooperação em articulação com as Linhas Gerais, combatendo, em conjunto, a crise financeira internacional. Por outro lado, o IPIM fortaleceu o intercâmbio e a cooperação com as regiões ultramarinas, especialmente as ligações económicas e comerciais com os Países de Língua Portuguesa e a União Europeia, levando adiante a cooperação empresarial entre Macau e vários mercados externos através de missões empresariais mútuas, realização conjunta de actividades promocionais e organização de delegações empresariais locais para participação em feiras e conferências. Em 2009, o IPIM assinou 16 protocolos e memorandos de cooperação, tendo assim estreitado a cooperação com os organismos / organizações de promoção comercial e câmaras de comércio da China Continental e do exterior, impulsionando o 2

3 intercâmbio e a cooperação entre Macau e outras regiões. Entretanto, o IPIM manteve ligações com vários organismos internacionais de promoção comercial, tendo participado, inclusivemente, na 22 a edição do Asian Trade Promotion Forum (ATPF) que foi realizada na Província de Fujian da China em Abril de Durante o ano, as visitas de estudo ou de cortesia das delegações, acolhidas pelo IPIM, totalizaram 51, tendo o IPIM prestado apoio a 34 actividades que decorreram em Macau (incluindo a nossa intervenção como entidade organizadora, co-organizadora ou apoiante e a participação nos respectivos trabalhos preparatórios / organizacionais), diligenciando, mais ainda, na organização de 34 missões empresariais ao exterior, as quais contaram com a participação de empresários locais. Simultaneamente, o nosso apoio foi oferecido para a participação empresarial de Macau em 37 feiras comerciais de diferentes categorias no exterior, nomeadamente na China Continental, nos Países de Língua Portuguesa e na Europa. No âmbito dos serviços providenciados às PMEs locais Com o objectivo de apoiar as empresas locais no combate à crise financeira internacional, o IPIM fortaleceu os serviços a PMEs em 2009, proporcionando as informações económicas mais recentes, esclarecimentos sobre o Plano de Apoio a PMEs, assistência e serviços de consultadoria sobre os procedimentos administrativos para início de negócios em Macau, apoiando na procura de parceria, divulgação de produtos e serviços, participação em feiras e conferências, etc. Durante o ano, o IPIM concedeu incentivo financeiro a 21 feiras e exposições, bem como a 393 empresas e a 4 associações para participação em feiras locais, estimulando as empresas locais a tomarem parte activa nesses eventos. Em função das necessidades das PMEs, nomeadamente o seu desenvolvimento, procura de parceiros e exploração de mercados, o IPIM realizou, em Julho de 2009, a 1ª edição da Exposição de Franquia de Macau (MFE), criando no SMEC, logo em Agosto, o Balcão de Serviço de Informação sobre Franquias no intuito de ajudar as PMEs locais na reestruturacão, inovação e expansão de negócios através de aliança a franquias e agenciamento de marcas. Em relação ao apoio à promoção e publicidade, no sentido de estimular as PMEs locais para a exploração de mercados mediante o comércio electrónico, foram lançadas, em Novembro, as medidas de incentivo para a pomoção do comércio electrónico em colaboração com as plataformas de comércio electrónico de renome internacional e 6 câmaras de comércio locais, de modo a facilitar as empresas locais no desenvolvimento de mercados, promoção de produtos e 3

4 reforço de imagem empresarial de marca por via da internet, reduzindo, ao mesmo tempo, os seus custos de publicidade. Desde 1 de Agosto de 2002 até 31 de Dezembro de 2009, o Centro de Apoio Empresarial do IPIM (ou MBSC - Macao Business Support Centre ) recebeu um total de 705 pedidos para a utilização dos seus escritórios gratuitos. Em 2009, o Serviço de Informação sobre o Comércio do Interior da China, com um especialista destacado no MBSC para prestar esclarecimentos aos investidores e apoiar o acompanhamento dos projectos de cooperação, chegou a processar cerca de 80 casos. Durante o ano, o SMEC colaborou com as câmras de comércio / instituições locais e externas na realização de 15 workshops / sessões de intercâmbio e 2 exposições de catálogos de produtos estrangeiros, as quais contaram com mais de participantes. No âmbito da promoção da diversificação económica adequada de Macau Em articulação com as linhas de acção do Governo da RAEM no sentido de impulsionar a diversificação adequada da economia, o IPIM tem-se empenhado no fomento do sector de convenções e exposições, iniciando, entretanto, as actividades promocionais com foco nas indústrias emergentes que demonstram potencialidades de crescimento, tais como a indústria de protecção ambiental, ajudando-as na expansão gradual. Durante o ano de 2009, o IPIM prestou apoio a 34 feiras e exposições de categoria comercial, decorridas em Macau (incluindo a nossa intervenção como entidade organizadora, co-organizadora ou apoiante e participação nos respectivos trabalhos preparatórios), diligenciando, mais ainda, na organização de delegações para participarem em 37 feiras e exposições sucedidas nas diferentes partes do mundo. Contribuímos para o reforço da competitividade do sector local de convenções e exposições mediante uma série de trabalhos, designadamente, cultivo entusiástico de feiras e exposições locais de marca, apoio a feiras e conferências comerciais realizadas em Macau, incentivo financeiro a empresas locais para participação em feiras, organização de delegações dos operadores locais para visitas de estudo no exterior e formação de profissionais em convenções e exposições. O IPIM deu continuidade, em 2009, à realização da Feira Internacional de Macau (MIF), ou seja, sua 14ª edição. Coincidindo com o décimo aniversário do retorno de Macau à Pátria Chinesa, a 14ª MIF chegou a destacar o sucesso do desenvolvimento 4

5 económico estável de Macau na última década, assim como a construção da plataforma de serviços para a cooperação regional. Por outro lado, continuamos nos trabalhos de coordenação do Fórum e Exposição Internacional de Cooperação Ambiental em 2009 (2009 MIECF), visando impulsionar o desenvolvimento da indústria de protecção ambiental de Macau. A 14.ª edição da MIF, realizada em 2009, salientou-se pela maior dimensão, a participação de mais países e regiões e a maior esfera de influência face às edições anteriores, chegando a atrair a participação de 288 delegações e representantes institucionais provenientes de 61 países e regiões. Foram registadas, durante o evento, mais de entradas, das quais destacaram-se mais de visitantes profissionais, tendo-se realizado sessões de bolsas de contacto que contribuíram para a celebração de 60 protocolos e projectos de cooperação, cujo valor atingiu cerca de 4,3 biliões de patacas. A MIF, enquanto plataforma de serviços para o intercâmbio profissional internacional, tem vindo a obter cada vez maior reconhecimento pelas comunidades empresariais locais e externas. Como um dos coordenadores oficiais do 2009 MIECF, o IPIM esteve envolvido na organização de várias actividades, nomeadamente exposições e bolsas de contacto. Tendo por tema A Global Green Gathering Environment, Business, Connection, o 2009 MIECF atraiu mais de entradas no recinto, das quais destacaram-se mais de visitantes profissionais, tendo participado, nas suas exposições e conferências, delegações provenientes de 43 países e regiões. Durante os 3 dias do evento, as bolsas de contactos empresariais apontaram para 366, resultando na celebração de 20 protocolos para projectos de cooperação, que envolveram um valor superior a 2,5 biliões de patacas. No decurso do evento, o IPIM organizou as actividades do "Dia de Oportunidades para Negócios Verdes" juntamente com várias câmaras de comércio internacionais, com vista a apoiar as PMEs na identificação de oportunidades de negócio e cooperação, na área de protecção ambiental, através de uma série de iniciativas, incluindo seminários, recepção de cocktail para intercâmbio e cerimónia de assinatura de protocolos de cooperação. No intuito de estimular as empresas locais para a reestruturação e inovação mediante aliança a franquias, lojas em cadeia e agenciamento de marcas, entre outras formas de cooperação, foi realizada a 1.ª edição da Exposição de Franquia de Macau (MFE) em Julho de 2009, promovendo-se, para empresas locais, as actividades de franquias, lojas em cadeia e agenciamento de marcas, visando introduzir, para a RAEM, mais marcas de qualidade famosas do exterior. No decorrer de 2 dias do evento, foram 5

6 registadas mais de entradas e realizadas 883 sessões de bolsas de contacto empresarial, o que contribuiu para a celebração de 16 protocolos para projectos de cooperação, cujo valor atingiu mais de 100 milhões de patacas. Com o objectivo de coordenar com as Linhas Gerais, impulsionando uma cooperação económica e comercial aprofundada entre Guangdong e Macau, a Feira de Produtos de Marca da Província de Guangdong e Macau 2009 teve lugar em Macau em Julho sob a organização conjunta do IPIM e dos Serviços do Comércio e Cooperação Económica com o Exterior da Província de Guangdong, de modo a desenvolver mercados para os produtos de marca de Guangdong e Macau e promover o crescimento económico de ambas as regiões através de várias actividades promocionais, nomeadamente exposição e venda de produtos, bolsas de contacto e negociações comerciais. No decorrer da feira, realizaram-se 589 sessões de bolsas de contacto empresarial que resultaram na celebração de 8 protocolos de cooperação, tendo-se sucedido, simultaneamente, 16 sessões de apresentação profissional. 6

Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2011 Número 38 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2011 Número 38 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2011 Número 38 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Seminário sobre a Promoção da Cidade-Modelo (Zona) no âmbito do CEPA,

Leia mais

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau)

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Plano de Acção para a Cooperação Económica e Comercial (2014-2016) 4ª Conferência Ministerial Preâmbulo

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2013 Número 47 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2013 Número 47 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2013 Número 47 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Realizado em Macau o Encontro dos Empresários entre a China e os Países

Leia mais

Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Março de 2013 Número 44 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Semana Dinâmica de Macau realizada na cidade de Jinan da província de Shandong

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2004 Número 5 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2004 Número 5 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2004 Número 5 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Promoção do investimento no Parque Industrial Transfronteiriço Zhuhai-Macau

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2005 Número 13 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2005 Número 13 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2005 Número 13 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Reunião conjunta de cooperação Guangdong-Macau 2005 realizada em Macau

Leia mais

E A ESCOLA TECNOLÓGICA E PROFISSIONAL DA ZONA DO PINHAL

E A ESCOLA TECNOLÓGICA E PROFISSIONAL DA ZONA DO PINHAL ENTRE A Hotel da Montanha Encantos @ Emoções Hotelaria e Turismo Lda. E A ESCOLA TECNOLÓGICA E PROFISSIONAL DA ZONA DO PINHAL O Hotel da Montanha Encantos @ Emoções Hotelaria e Turismo Lda., adiante designada

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Junho de 2010 Número 33 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Junho de 2010 Número 33 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Junho de 2010 Número 33 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Assinatura do Suplemento VII ao CEPA entre o Interior da China e Macau

Leia mais

Centro de Incubação de Negócios para os Jovens

Centro de Incubação de Negócios para os Jovens Centro de Incubação de Negócios para os Jovens Q&A 1. Os serviços prestados pelo Centro de Incubação de Negócios para os Jovens (adiante designado por CINJ) destinam-se apenas para residentes de Macau?

Leia mais

Interpretação do conteúdo essencial do

Interpretação do conteúdo essencial do Interpretação do conteúdo essencial do Suplemento X ao «Acordo de Estreitamento das Relações Económicas e Comerciais entre o Interior da China e Macau» 1. Quais são os pontos principais do Suplemento X

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2014 Número 50 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2014 Número 50 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Setembro de 2014 Número 50 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Reunião Conjunta de Cooperação Macau-Guangdong de 2014, realizada em

Leia mais

XVI. CCAC Reforça Supervisão e Incentiva a Cooperação CA Fiscaliza a Aplicação do Erário Público

XVI. CCAC Reforça Supervisão e Incentiva a Cooperação CA Fiscaliza a Aplicação do Erário Público Retrospectiva de 2008 XVI. CCAC Reforça Supervisão e Incentiva a Cooperação CA Fiscaliza a Aplicação do Erário Público Em 2008, o Comissariado contra a Corrupção (CCAC) esforçou-se por reforçar a supervisão

Leia mais

1. Planos Gerais para as Zonas de Comércio Livre de Guangdong, Tianjin e Fujian, aprovados pelo Governo Central

1. Planos Gerais para as Zonas de Comércio Livre de Guangdong, Tianjin e Fujian, aprovados pelo Governo Central Boletim Informativo do CEPA Edição de Março de 2015 Número 52 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Planos Gerais para as Zonas de Comércio Livre de Guangdong, Tianjin e Fujian,

Leia mais

Área da Economia e Finanças

Área da Economia e Finanças Área da Economia e Finanças Área da Economia e Finanças 81 ÍNDICE Introdução... 83 Primeira Parte Ponto de situação sobre a execução das Linhas de Acção Governativa do ano de 2015... 86 I. Impulsionamento

Leia mais

REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS

REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS IPIM - 1 - REGULAMENTO DE PARTICIPAÇÃO EM ACÇÕES PROMOCIONAIS INTRODUÇÃO No exercício das atribuições que lhe foram cometidas pelo número 2 do artigo

Leia mais

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1. Oferta Formativa 1.1. Dinamizar e consolidar a oferta formativa 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1.1.2. Promover o funcionamento de ciclos de estudos em regime

Leia mais

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA

INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA INOVAÇÃO PORTUGAL PROPOSTA DE PROGRAMA FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO DE UMA POLÍTICA DE INTENSIFICAÇÃO DO PROCESSO DE INOVAÇÃO EMPRESARIAL EM PORTUGAL E POTENCIAÇÃO DOS SEUS RESULTADOS 0. EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

Leia mais

ESTATUTO ORGÂNICO DA AGÊNCIA PARA A PROMOÇÃO DE INVESTIMENTO E EXPORTAÇÕES DE ANGOLA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

ESTATUTO ORGÂNICO DA AGÊNCIA PARA A PROMOÇÃO DE INVESTIMENTO E EXPORTAÇÕES DE ANGOLA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS ESTATUTO ORGÂNICO DA AGÊNCIA PARA A PROMOÇÃO DE INVESTIMENTO E EXPORTAÇÕES DE ANGOLA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Artigo 1.º (Denominação e Natureza) A Agência para a Promoção de Investimento e Exportações

Leia mais

Trabalhos prioritários do ensino não superior e dos assuntos juvenis do ano lectivo de 2015/2016

Trabalhos prioritários do ensino não superior e dos assuntos juvenis do ano lectivo de 2015/2016 Trabalhos prioritários do ensino não superior e dos assuntos juvenis do ano lectivo de 2015/2016 Para que o início das aulas do novo ano lectivo se realize com facilidade, a Direcção dos Serviços de Educação

Leia mais

Planeamento Geral do Governo Electrónico da Região Administrativa Especial de Macau 2015 2019

Planeamento Geral do Governo Electrónico da Região Administrativa Especial de Macau 2015 2019 Planeamento Geral do Governo Electrónico da Região Administrativa Especial de Macau 2015 2019 Direcção dos Serviços de Administração e Função Pública Outubro de 2015 1 Índice 1. Introdução... 4 2. Objectivos,

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE GESTÃO DESPORTIVA 1 / 5

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE GESTÃO DESPORTIVA 1 / 5 PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO/A DE GESTÃO DESPORTIVA Publicação e actualizações Publicado no Despacho n.º13456/2008, de 14 de Maio, que aprova a versão inicial do Catálogo Nacional de Qualificações. 1 /

Leia mais

Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.)

Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) Regulamento dos Estágios de Formação do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) É atribuição do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge, I. P. (INSA, I. P.) no sector da

Leia mais

IPIM. Resultado do Inquérito do Grau de Satisfação de 2014

IPIM. Resultado do Inquérito do Grau de Satisfação de 2014 IPIM Resultado do Inquérito do Satisfação de 2014 1. Objectivos do inquérito O Inquérito sobre o grau de satifação do público de Macau incide num dos Programas da Carta de da RAEM, e de acordo com a opinião

Leia mais

Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica. Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica. Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do Ano de 2013 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Março de 2014 Índice 1. Resumo das actividades....1 2. Perspectivas para as actividades

Leia mais

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS C&C ADVOGADOS Em Parceria: Portugal China (Macau) Parceria de oportunidades

Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS C&C ADVOGADOS Em Parceria: Portugal China (Macau) Parceria de oportunidades Our innovative solutions wherever you need us. ABREU ADVOGADOS C&C ADVOGADOS Em Parceria: Portugal China (Macau) Parceria de oportunidades Abreu Advogados C&C Advogados 2015 PORTUGAL CHINA Abreu Advogados

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO

TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO TURISMO DE PORTUGAL DEPARTAMENTO DE RECURSOS HUMANOS REGULAMENTO GERAL DA FORMAÇÃO INDICE 1 NOTA PRÉVIA 3 2 LINHAS DE ORIENTAÇÃO ESTRATÉGICA 4 3 PLANO DE FORMAÇÃO 4 4 FREQUÊNCIA DE ACÇÕES DE FORMAÇÃO 6

Leia mais

CEPA Suplemento ao Acordo

CEPA Suplemento ao Acordo CEPA B. Actividade bancária e outros serviços financeiros Serviços de compra e venda de títulos financeiros (securities) É permitido aos especialistas da área de compra e venda de títulos financeiros (securities),

Leia mais

01. Missão, Visão e Valores

01. Missão, Visão e Valores 01. Missão, Visão e Valores 01. Missão, Visão e Valores 06 Missão, Visão e Valores Missão A missão do ICP-ANACOM reflecte a sua razão de ser, concretizada nas actividades que oferece à sociedade para satisfazer

Leia mais

ENQUADRAMENTO. emergentes, promova o networking, essencial ao sucesso nos seus negócios e permita o crescimento no cenário internacional.

ENQUADRAMENTO. emergentes, promova o networking, essencial ao sucesso nos seus negócios e permita o crescimento no cenário internacional. ENQUADRAMENTO Portugal plataforma intercontinental e polo de inovação Portugal tem de conseguir capitalizar nos negócios, na academia e nas instituições a enorme vantagem que é integrar o espaço lusófono.

Leia mais

Cooperação Empresarial Transfronteiriça

Cooperação Empresarial Transfronteiriça Cooperação Empresarial Transfronteiriça IPJ Instituto Português da Juventude Projecto de Cooperação Transfronteiriça O Projecto Espaço Juvenil, promovido pelo Instituto Português da Juventude, IP e pela

Leia mais

Manda o Governo, pelos Ministros de Estado e das Finanças e das Obras Públicas Transportes e Comunicações, o seguinte: Artigo 1.º.

Manda o Governo, pelos Ministros de Estado e das Finanças e das Obras Públicas Transportes e Comunicações, o seguinte: Artigo 1.º. Legislação Portaria n.º 542/2007, de 30 de Abril Publicado no D.R., n.º 83, I Série, de 30 de Abril de 2007 SUMÁRIO: Aprova os Estatutos do Instituto da Construção e do Imobiliário, I.P.. TEXTO: O Decreto-Lei

Leia mais

Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a

Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a Potencial humano com prioridade para intervenções no âmbito do emprego privado e público, da educação e formação e da formação avançada, promovendo a mobilidade, a coesão social e a igualdade de género,

Leia mais

Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro

Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro Decreto-Lei nº 25/91, de 11 de Janeiro O quadro legal das sociedades de desenvolvimento regional foi estabelecido pelo Decreto-Lei nºs 499/80, de 20 de Outubro. Desde a data da sua publicação, o sistema

Leia mais

QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA

QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA GRANDE GRUPO 1 QUADROS SUPERIORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DIRIGENTES E QUADROS SUPERIORES DE EMPRESA Os quadros superiores da administração pública, dirigentes e quadros superiores de empresa dão pareceres

Leia mais

Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo

Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo Regulamento de Apoio ao Movimento Associativo As associações são a expressão do dinamismo e interesse das populações que entusiasticamente se dedicam e disponibilizam em prol da causa pública. As associações

Leia mais

IV. Cidade de Cultura e Entretenimento e a Importância de um Turismo de Vertente Cultural

IV. Cidade de Cultura e Entretenimento e a Importância de um Turismo de Vertente Cultural Retrospectiva de 2006 IV. Cidade de Cultura e Entretenimento e a Importância de um Turismo de Vertente Cultural 2006 foi um ano de grande importância para o desenvolvimento de novas áreas no sector do

Leia mais

Plano de Gestão do Risco (2013-2015)

Plano de Gestão do Risco (2013-2015) Plano de Gestão do Risco (2013-2015) Camões, I.P. Janeiro de 2013 Lisboa, janeiro de 2013 Camões, Instituto da Cooperação e da Língua Av. da Liberdade, 270 1250-149 Lisboa 1 Índice Índice... 2 Acrónimos...

Leia mais

Projeto do Regulamento Orgânico da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa

Projeto do Regulamento Orgânico da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa Projeto do Regulamento Orgânico da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa CAPÍTULO I Disposições gerais Art.º 1.º Habilitação O Regulamento Orgânico da FCUL assenta nos preceitos da legislação

Leia mais

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO

HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO HISTÓRICO DE REVISÕES REVISÃO DATA SÍNTESE DA REVISÃO ELABORAÇÃO ASSINATURA APROVAÇÃO ASSINATURA ÍNDICE CAPÍTULO 1. POLÍTICA E ESTRATÉGIA/ÂMBITO... 3 1.1 POLÍTICA E ESTRATÉGIA DA ENTIDADE... 3 1.2 OBJECTIVO

Leia mais

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização. Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A.

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização. Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A. Ficha de Produto Tipo de Produto: Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização Produto: Financiamentos, Garantias, Capital de Risco, etc. / SOFID, S.A. Objectivo: Contribuir para o progresso

Leia mais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais

Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais Estudo 2015 Análise Comparativa à Filosofia, à Ideologia e aos Princípios de Atuação das Associações Sindicais e Patronais OPBPL Novembro de 2009 e Março de 2015 http://opbpl.cies.iscte-iul.pt O OPBPL

Leia mais

LUSOFONIA ECONÓMICA PLATAFORMAS CPLP 19 MARÇO 2013

LUSOFONIA ECONÓMICA PLATAFORMAS CPLP 19 MARÇO 2013 PLATAFORMAS CPLP 19 MARÇO 2013 FINALIDADE DO PROJETO LUSOFONIA ECONÓMICA Promover a internacionalização das empresas através da intensificação de: - Parcerias entre empresários da CPLP - Divulgação de

Leia mais

Área da Economia e Finanças

Área da Economia e Finanças Ponto de situação sobre a execução das linhas de acção governativa do ano de 2015 Em 2015, embora a economia de Macau tenha vindo a apresentar um ajustamento relativamente significativo, as bases de direcção

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 16 de Novembro de 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA

Leia mais

UM OLHAR SOBRE A POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL POSTA EM PRÁTICA DESDE A INTEGRAÇÃO DE MACAU NA PÁTRIA-MÃE

UM OLHAR SOBRE A POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL POSTA EM PRÁTICA DESDE A INTEGRAÇÃO DE MACAU NA PÁTRIA-MÃE Administração n.º 60, vol. XVI, 2003-2.º, 675-682 UM OLHAR SOBRE A POLÍTICA DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL POSTA EM PRÁTICA DESDE A INTEGRAÇÃO DE MACAU NA PÁTRIA-MÃE Shuen Ka Hung, Lam Iok Cheong, Ng

Leia mais

Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC)

Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC) Eixo Prioritário I Competitividade, Inovação e Conhecimento Sistema de Apoio às Ações Coletivas (SIAC) Impulso Jovem Aviso de Abertura de Convite Público para Apresentação de Candidaturas Sistema de Apoio

Leia mais

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS

MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO DOS ESTÁGIOS INSTI INSTUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS DO TRABALHO E DA EMPRESA DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES MESTRADO EM PSICOLOGIA SOCIAL E DAS ORGANIZAÇÕES GUIA DE ORGANIZAÇÃO E DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

1. A cooperação instituída terá, designadamente, por objecto a realização dos

1. A cooperação instituída terá, designadamente, por objecto a realização dos ~~PROTOCOLO Considerando que o Instituto Nacional de Administração, IP, tem como missão fundamental contribuir, através da formação, da investigação científica e da assessoria técnica, para a modernização

Leia mais

O Governo da República do Chile (doravante denominados "as Partes"),

O Governo da República do Chile (doravante denominados as Partes), MEMORANDUM DE ENTENDIMENTO PARA A PROMOÇÃO DO COMÉRCIO E DOS INVESTIMENTOS ENTRE O GOVERNO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL E O GOVERNO DA REPÚBLICA DO CHILE O Governo da República Federativa do Brasil

Leia mais

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES

GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES GOVERNO REGIONAL DOS AÇORES Decreto Regulamentar Regional n.º 26/2007/A de 19 de Novembro de 2007 Regulamenta o Subsistema de Apoio ao Desenvolvimento da Qualidade e Inovação O Decreto Legislativo Regional

Leia mais

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT TURISMO: TENDÊNCIAS E SOLUÇÕES Exmos. Senhores Conferencistas, Antes de

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2006 Número 17 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2006 Número 17 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Agosto de 2006 Número 17 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Cerimónia de entrega de Certificados do Exame Nacional de Qualificação

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO E PARCERIA

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO E PARCERIA PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO E PARCERIA 1/5 Entre Município de Santa Maria da Feira Jornal Correio da Feira Jornal Terras da Feira Rádio Clube da Feira Rádio Águia Azul ISVOUGA/Fundação Terras de Santa Maria

Leia mais

Linhas de Acção Governativa da Área da Economia e Finanças

Linhas de Acção Governativa da Área da Economia e Finanças Linhas de Acção Governativa da Área da Economia e Finanças (Síntese) Linhas de Acção Governativa para o ano de 2015 O ano de 2015 será o ano chave para o ajustamento da economia de Macau. Assim sendo,

Leia mais

Manual do Estagiário ESCS

Manual do Estagiário ESCS Manual do Estagiário ESCS ESCS 2015 ÍNDICE APRESENTAÇÃO. 3 INTRODUÇÃO...4 OS ESTÁGIOS NA ESCS....5 A ESCS RECOMENDA AINDA... 6 DIREITOS DO ESTAGIÁRIO.. 7 SUBSÍDIOS 7 DURAÇÃO DO ESTÁGIO....8 PROTOCOLO DE

Leia mais

Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social

Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social Estatuto Orgânico do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social Ter, 02 de Junho de 2009 18:38 Administrador REPÚBLICA DE ANGOLA Conselho de Ministros Decreto-lei nº 8 /07 de 4 de

Leia mais

Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T.

Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T. Anexo 2 - Avaliação de necessidades de formação em H.S.T. 54 3Inquérito às necessidades de formação profissional em higiene e segurança do trabalho 59 Inquérito às necessidades de formação profissional

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. República Checa Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. República Checa Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar República Checa Condições Legais de Acesso ao Mercado Março 2010 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 6 2 1. Regime

Leia mais

Ações de capacitação empresarial

Ações de capacitação empresarial AÇÕES COLETIVAS - ATIVIDADES DE APOIO À EXPORTAÇÃO Acores Export -2016 Introdução Este documento é desenvolvido com base na informação recolhida junto das principais empresas exportadoras que contribuíram

Leia mais

MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE

MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE Junho de 2015 FECOP Breve Historial Surge em 2009, da vontade os Governos Português e Moçambicano fortalecerem os laços de cooperação entre

Leia mais

Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2015/16. Juntos vamos mais longe...

Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2015/16. Juntos vamos mais longe... Programa de Internacionalização Agronegócios CPLP 2015/16 Juntos vamos mais longe... foto: www.verangola.net A CAL - Câmara Agrícola Lusófona - é uma associação empresarial sem fins lucrativos que promove

Leia mais

Portaria 560/2004, de 26 de Maio

Portaria 560/2004, de 26 de Maio Portaria 560/2004, de 26 de Maio Aprova o Regulamento Específico da Medida «Apoio à Internacionalização da Economia A Resolução do Conselho de Ministros n.º 103/2002, de 17 de Junho, publicada em 26 de

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Gabinete do Ministro CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR Breve apresentação da proposta de Orçamento de Estado para 2008 23 de Outubro de 2007 Texto

Leia mais

Seminário OEP/INPI. O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções. Em colaboração com: Apresentado por

Seminário OEP/INPI. O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções. Em colaboração com: Apresentado por Seminário OEP/INPI Apresentado por José Maria Maurício Director de Marcas e Patentes O papel dos Offices nacionais da PI na promoção da inovação e das invenções Em colaboração com: Bissau, 21 de Dezembro

Leia mais

Cooperação Chave para Oportunidades de Negócio. 17.ª Feira Internacional de Macau

Cooperação Chave para Oportunidades de Negócio. 17.ª Feira Internacional de Macau Nota de Imprensa Cooperação Chave para Oportunidades de Negócio 17.ª Feira Internacional de Macau Realiza-se de 18 a 21 de Outubro (5.ª feira a domingo), no Venetian Macao-Resort-Hotel, a 17.ª edição da

Leia mais

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2009 Número 31 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau

Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2009 Número 31 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Boletim Informativo do CEPA Edição de Dezembro de 2009 Número 31 Publicação da Direcção dos Serviços de Economia de Macau Índice: 1. Ciclo de actividades Cidade-Modelo na Implementação do CEPA do ponto

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE COMISSÃO PARA A CIDADANIA E A IGUALDADE DE GÉNERO MUNICÍPIO DO BARREIRO

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE COMISSÃO PARA A CIDADANIA E A IGUALDADE DE GÉNERO MUNICÍPIO DO BARREIRO PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE COMISSÃO PARA A CIDADANIA E A IGUALDADE DE GÉNERO E MUNICÍPIO DO BARREIRO 1 Entre: O Município do Barreiro pessoa coletiva de direito público com o nº 506673626 com sede no

Leia mais

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por "a Comunidade"), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA,

A COMUNIDADE EUROPEIA (a seguir designada por a Comunidade), O REINO DA BÉLGICA, A REPÚBLICA CHECA, O REINO DA DINAMARCA, ACORDO DE COOPERAÇÃO RELATIVO A UM SISTEMA MUNDIAL DE NAVEGAÇÃO POR SATÉLITE (GNSS) PARA UTILIZAÇÃO CIVIL ENTRE A COMUNIDADE EUROPEIA E OS SEUS ESTADOS-MEMBROS, POR UM LADO, E O REINO DE MARROCOS, POR

Leia mais

Intensificação da Cooperação Sino-lusófona e o Alargamento do Papel de Macau como Plataforma

Intensificação da Cooperação Sino-lusófona e o Alargamento do Papel de Macau como Plataforma Apresentação Geral da Região Administrativa Especial de Macau em 2013 Intensificação da Cooperação Sino-lusófona e o Alargamento do Papel de Macau como Plataforma A 4.ª Conferência Ministerial e a cerimónia

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL PROGRAMA OPERACIONAL DE POTENCIAL HUMANO EIXO PRIORITÁRIO 3 GESTÃO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL TIPOLOGIA DE INTERVENÇÃO 3.1.1 PROGRAMA DE FORMAÇÃO-ACÇÃO PARA PME REGULAMENTO DE CANDIDATURA PARA ENTIDADES

Leia mais

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 APROVADO EM SESSÃO PLENÁRIA DO CLAS 21 DE MAIO DE 2013 1 NOTA INTRODUTÓRIA O Diagnóstico Social constituiu a base de trabalho da ação dos Parceiros Locais.

Leia mais

Together We Create Value

Together We Create Value Together We Create Value APRESENTAÇÃO DA MUNDISERVIÇOS LISBOA 2015 A história da MundiServiços carateriza-se por um percurso de inovação e de investimento na excelência dos seus serviços, assim como por

Leia mais

A Missão da CCILC. Desenvolvimento de redes de contactos de negócio entre Portugal, a China, a Europa e os Países de Língua Portuguesa

A Missão da CCILC. Desenvolvimento de redes de contactos de negócio entre Portugal, a China, a Europa e os Países de Língua Portuguesa A CCILC Criada em 1978, foi a primeira instituição que, de um modo sistemático, auxiliou ao desenvolvimento do relacionamento económico e comercial entre Portugal e a China. Conta com associados e parceiros

Leia mais

ÍNDICE. NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas...

ÍNDICE. NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas... ÍNDICE PREFÁCIO... 2 NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas... 6 ANÁLISE DE RESULTADOS Situação Global... 7 Conta Corrente...

Leia mais

18 a 20 de Novembro de 2011. Estoril. Organização: Auditório do Centro Escolar - ESHTE. www.cim-estoril.com

18 a 20 de Novembro de 2011. Estoril. Organização: Auditório do Centro Escolar - ESHTE. www.cim-estoril.com 18 a 20 de Novembro de 2011 Organização: Estoril Auditório do Centro Escolar - ESHTE www.cim-estoril.com Apresentação Na sequência das três edições realizadas em anos anteriores, a Associação Desportos

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

1º Ciclo de Workshops em Empreendedorismo - 2013

1º Ciclo de Workshops em Empreendedorismo - 2013 1º CICLO DE WORKSHOPS EM Abril e Maio de 2013 EMPREENDEDORISMO AS PEQUENAS IDEIAS GERAM GRANDES NEGÓCIOS! Co-financiamento: APRESENTAÇÃO O Município de Penacova, através do Gabinete de Desenvolvimento

Leia mais

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS

REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS REGULAMENTO MUNICIPAL DE APOIO ÀS ENTIDADES DESPORTIVAS Critérios específicos de apoio para época desportiva 2011/2012 Introdução O Regulamento n.º 635/2010 Regulamento Municipal de Apoio às Entidades

Leia mais

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º

Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575. Artigo 25.º. Artigo 20.º Diário da República, 1.ª série N.º 41 1 de Março de 2010 575 Artigo 20.º Oferta formativa e monitorização 1 A oferta formativa destinada aos activos desempregados é assegurada através de cursos de educação

Leia mais

Rede ECOS. www.projecto-ecos.blogspot.com. Peniche

Rede ECOS. www.projecto-ecos.blogspot.com. Peniche www.projecto-ecos.blogspot.com 25 de Fevereiro de 2008 Objectivo Central do Programa Criar Cidades e Redes de Cidades Competitivas e Inovadoras a Nível Internacional Rede ECOS TEMÁTICA Eficiência energética

Leia mais

Legal Flash I Escritório de Shanghai

Legal Flash I Escritório de Shanghai Legal Flash I Escritório de Shanghai Janeiro, 2012 Catálogo da indústria para orientação do investimento estrangeiro (alterado em 2011) ( Catálogo da Indústria de 2011 ) ( 外 商 投 资 产 业 指 导 目 录 (2011 年 修

Leia mais

Conclusão. OS ESTUDANTES E OS SEUS TRAJECTOS NO ENSINO SUPERIOR: Sucesso e Insucesso, Factores e Processos, Promoção de Boas Práticas RELATÓRIO FINAL

Conclusão. OS ESTUDANTES E OS SEUS TRAJECTOS NO ENSINO SUPERIOR: Sucesso e Insucesso, Factores e Processos, Promoção de Boas Práticas RELATÓRIO FINAL Conclusão OS ESTUDANTES E OS SEUS TRAJECTOS NO ENSINO SUPERIOR: Sucesso e Insucesso, Factores e Processos, Promoção de Boas Práticas RELATÓRIO FINAL António Firmino da Costa João Teixeira Lopes (coordenadores)

Leia mais

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Valença

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Valença VALENÇAFINICIA Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Valença Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se colocar

Leia mais

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10

CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA. Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10 CONSELHO DA UNIÃO EUROPEIA Bruxelas, 26 de Novembro de 2010 (OR. en) 16864/10 ESPACE 19 COMPET 390 RECH 392 IND 161 TRANS 349 ENER 343 REGIO 95 ECOFIN 759 CODUN 47 ENV 804 EDUC 213 RESULTADO DOS TRABALHOS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N 1 DE MARCO DE CANAVESES (150745) Plano de Ação de Melhoria 2015l2017 ÍNDICE ÍNDICE: INTRODUÇÃO... 3 ÁREAS DE AÇÃO DE MELHORIA.... 4 PLANOS DE AÇÃO DE MELHORIA.. 5 CONCLUSÃO...

Leia mais

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha Programa FINICIA Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se colocar

Leia mais

CCDR-N UMA INSTITUIÇÃO SMART

CCDR-N UMA INSTITUIÇÃO SMART CCDR-N UMA INSTITUIÇÃO SMART UMA LOCALIZAÇÃO SMART Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Morbi commodo, ipsum sed pharetra gravida. CCDR-N UMA INSTITUIÇÃO SMART A Comissão de Coordenação

Leia mais

Cluster Habitat Sustentável

Cluster Habitat Sustentável Seminário Mercado de Tintas Associação Portuguesa de Tintas Luso - 26.03.2015 Cluster Habitat Sustentável Victor Ferreira Plataforma Construção Sustentável Entidade Gestora do Cluster Habitat Sustentável

Leia mais

Direcção de Assistência Empresarial

Direcção de Assistência Empresarial Direcção de Assistência Empresarial Lisboa, 11 de Agosto de 2011 Missão das lojas da exportação Prestar apoio às empresas nas suas estratégias de exportação, facilitando e simplificando o acesso informação,

Leia mais

Plano Geral de Formação

Plano Geral de Formação Plano Geral de Formação 2 0 1 6 A Católica Business Schools Alliance é constituída por: Índice Mensagem de boas vindas Católica Business Schools Alliance 10 razões para nos escolher MBA Atlântico Oficina

Leia mais

Ministério das Obras Públicas

Ministério das Obras Públicas Ministério das Obras Públicas ESTATUTO ORGÂNICO DO MINISTÉRIO DAS OBRAS PÚBLICAS CAPÍTULO I Natureza e Atribuições Artigo 1.º (Natureza) O Ministério das Obras Públicas é o órgão da administração pública

Leia mais

PROJECTO PME SOCIAL O PROJECTO PME SOCIAL

PROJECTO PME SOCIAL O PROJECTO PME SOCIAL O Sensibilizar e incentivar as empresas a assumirem uma postura social, ambiental e energética mais responsável, adoptando medidas e estratégias de actuação mais eficientes e sustentáveis. Pretende-se

Leia mais

Política nacional. Empreendedorismo Fator fundamental e prioritário para o desenvolvimento e aumento da competitividade da economia nacional.

Política nacional. Empreendedorismo Fator fundamental e prioritário para o desenvolvimento e aumento da competitividade da economia nacional. Criar a Empresa O desafio do empreendedorismo! Política nacional Empreendedorismo Fator fundamental e prioritário para o desenvolvimento e aumento da competitividade da economia nacional. Empreendedorismo

Leia mais

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO

MINISTÉRIO DO COMÉRCIO MINISTÉRIO DO COMÉRCIO Regulamento Interno do Centro de Documentação e Informação CAPÍTULO I Natureza e Atribuições Artigo 1º (Natureza) O Centro de Documentação e Informação, abreviadamente designado

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

2 3 4 5 6 Parte I - Identificação Destina-se ao preenchimento dos dados pessoais de identificação do declarante e do seu cônjuge ou unido de facto. 1. Motivo da apresentação da declaração (1) Início do

Leia mais

SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SI À INVESTIGAÇÃO E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO SI À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME SESSÃO TÉCNICA SOBRE O VALE I&DT E VALE INOVAÇÃO NOS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Data: 13 de Outubro

Leia mais

Relatório sobre a consulta relativa à participação no Programa de Ensaios Farmacológicos e Proposta n.º 004/RECOM-CE/2010 (Recomendação)

Relatório sobre a consulta relativa à participação no Programa de Ensaios Farmacológicos e Proposta n.º 004/RECOM-CE/2010 (Recomendação) Relatório sobre a consulta relativa à participação no Programa de Ensaios Farmacológicos e Proposta n.º 004/RECOM-CE/2010 (Recomendação) I Dos Factos: 1. O Comissariado contra a Corrupção (adiante designado

Leia mais

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A COMISSÃO PARA A CIDADANIA E IGUALDADE DE GÉNERO E A CÂMARA MUNICIPAL DA LOUSÃ

PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A COMISSÃO PARA A CIDADANIA E IGUALDADE DE GÉNERO E A CÂMARA MUNICIPAL DA LOUSÃ PROTOCOLO DE COOPERAÇÃO ENTRE A COMISSÃO PARA A CIDADANIA E IGUALDADE DE GÉNERO E A CÂMARA MUNICIPAL DA LOUSÃ Entre: O MUNICÍPIO DA LOUSÃ, pessoa coletiva n.º 501121528, com sede na Vila da Lousã, neste

Leia mais

Protocolo de Colaboração

Protocolo de Colaboração v Protocolo de Colaboração O Programa do XVIII Governo Constitucional estabelece, designadamente, o relançamento da economia e a promoção do emprego, Tendo em vista a prossecução desses objetivos importa

Leia mais