1 se n = 0 n (n 1)! se n 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 se n = 0 n (n 1)! se n 1"

Transcrição

1 Recursão versus Iteração Problema: Cálculo de n! = n (n 1)... 1 int facti(int n) { int fac=n; while(n>0){ fac=fac*n; n--; } return fac; } [epd94, Cap ] Definição recursiva: n! = { 1 se n = 0 n (n 1)! se n 1 int factr(int n){ if(n==0) return(1); else return(n*factr(n-1)); } Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 1

2 Chamadas recursivas e valores retornados de cada chamada 5! 5*4! 4*3! 3*2! 5! 5*24=120 5*4! 4*6=24 4*3! 3*2=6 3*2! Suponhamos n = 5 2*1! 1*0! 1 2*1! 1*0! 1 2*1=2 1*1=1 1 Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 2

3 Paradigmas Paradigma iterativo: uma sequência de instruções é excutada duma forma repetitiva, controlada por uma dada condição (p.e. decremento de um contador)(ciclo iterativo). Paradigma recursivo: 1. existência de casos simples, em que a resposta é determinada directamente; 2. ser possível uma decomposição duma instância do problema, em instâncias mais simples da mesma forma. 3. repetição por chamadas sucessivas: numa função recursiva, são criadas várias activações dela própria que desaparecem há medida que a execução avança. Em cada momento apenas uma das activações está activa, estando as restantes à espera que essa termine para continuarem. Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 3

4 Equivalência entre os paradigmas Os dois paradigmas são equivalentes: dada uma função recursiva existe sempre uma iterativa e vice-versa. Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 4

5 Escrever a representação dum inteiro n na base b. Função Iterativa void num_b_ite(int n,int b) { if (n<0) { printf("-"); n= -n;} if(n==0) {printf("%d",n); return;} while(n) { printf("%d",n%b); n=n/b; } } Função Recursiva: void num_b(int n,int b) { if (n<0) {printf("-");n= -n;} if(n/b) num_b(n/b,b); printf("%d",n%b); } Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 5

6 Estas funções não são exactamente equivalentes! Porquê? Como torná-las equivalentes? Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 6

7 Sequência de Fibonacci (outra vez...) Começando com 0 e 1, cada termo seguinte é a soma dos dois anteriores Assim o n-ésimo termo é calculado por f n = f n 1 + f n 2 e f 0 = 0 e f 1 = 1. Então, escrever uma função recursiva é imediato int fib(int n) { if(n==0 n==1) return n; return fib(n-1)+fib(n-2); } Segue a execução para f(4);. Como é uma versão iterativa? Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 7

8 O Puzzle das Torres de Hanoi (inventado por Eduoard Lucas (1880)) São dados três suportes (a, b e c) e n discos de tamanhos diferentes.os discos estão empilhados num dos suportes por ordem crescente de tamanhos.pretende-se mover os discos para outro suporte de modo que: em cada passo exactamente um disco seja movido de um suporte para o outro um disco não pode nunca estar por cima de um menor o terceiro suporte pode ser usado como auxiliar Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 8

9 Algoritmo (Função recursiva) 1. Representar cada suporte por um caracter ( a, b e c ). Pretende-se uma função recursiva: void hanoi(int n, char inicio, char fim, char temp); 2. Escrever uma função moveum(char ini, char fim) que move a peça do cimo do suporte ini para o suporte fim. moveum(char ini, char fim){ printf("%c-> %c",ini,fim); } Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 9

10 3. A função hanoi() fica: void hanoi(int n, char inicio, char fim, char temp) { if (n==1) moveum(inicio,fim); else { hanoi(n-1,inicio,temp,fim); moveum(inicio,fim); hanoi(n-1,temp,fim,inicio); } } Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 10

11 Execução %hanoi 3 a-> b a-> c b-> c a-> b c-> a c-> b a-> b % O algoritmo é expon^encial O(2 n ): O número de movimentos é exponencial com n, T n = 2T n isto é, T n = 2 n 1...(porquê?) Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 11

12 Método de ordenação Quicksort C.A.R.Hoare Método: Dada uma sequência de valores, escolhe-se um elemento (pivot) e os restantes valores são reagrupados em duas subsequências (partição): os que são menores que esse elemento os que são maiores. O mesmo processo é aplicado recursivamente a cada subsequência.quando um subconjunto tem menos que 2 elementos a recursão pára. Vamos escolher sempre o elemento do meio, como pivot Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 12

13 void quicksort(int v[], int esq, int dir){ int i; if(esq>=dir) return ; i=particao(v,esq,dir); quicksort(v,esq,i-1); quicksort(v,i+1,dir); } int particao(int v[],int esq,int dir){ int i, fim; troca(v,esq,(esq+dir)/2); fim=esq; for(i=esq+1;i<=dir;i++) if(v[i]<v[esq]) troca(v,++fim,i); troca(v,esq,fim); return fim; void troca(int v[], int i,int j){ int temp; temp=v[i]; v[i]=v[j]; v[j]=temp;} Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 13

14 Subvector: Pivot: 58 Particao esq: Particao dir: Subvector: Pivot: 25 Particao esq: 19 Particao dir: Subvector: Pivot: 37 Particao esq: Particao dir: 56 Subvector: Pivot: 95 Particao esq: 73 Particao dir: Ordenado: Execução Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 14

15 Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 15

16 Quicksort para ordenar uma variável indexada de strings void quicksort_s(char v[][maxcol],int esq, int dir){ int i; if(esq>=dir) return; i=particao_s(v,esq,dir); quicksort_s(v,esq,fim-1); quicksort_s(v,fim+1,dir); } void particao(char v[][maxcol], int esq,int dir) { int i,fim; troca_s(v,esq,(esq+dir)/2); fim=esq; for(i=esq+1;i<=dir;i++) if(strcmp(v[i],v[esq])<0) troca_s(v,++fim,i) troca_s(v,esq,fim); returm fim;} void troca_s(char v[][maxcol], int i,int j) { char temp[maxcol]; strcpy(temp,v[i]); strcpy(v[i],v[j]); strcpy(v[j],temp);} Exercício Escreve uma função recursiva da pesq. binária em variável Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 16

17 indexada de strings. Exercício Escreve uma função recursiva que implemente o método de ordenação por seleção. Exercício Escreve uma função recursiva que dado n e k determine a potência k de n. Exercício Escreve uma função recursiva que determine o máximo divisor comun entre dois inteiros. Exercício Escreve uma função recursiva que gere todas as permutações de n elementos. Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 17

18 Retrocesso na Resolução de Problemas de Pesquisa Para muitos problemas, o método de resolução consiste em percorrer uma sequência de decisões, cada uma fazendo avançar no caminho para a solução. Se se fizerem as escolhas correctas chega-se a uma solução senão tem de ser retrocecer e escolher outros caminhos. Divisão em subtarefas Pesquisar exaustivamente um árvore de sub-tarefas Uso de Recursão Exemplos: procura de uma solução de um puzzle procura duma estratégia vencedora num jogo de dois jogadores Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 18

19 procura da saída de um labirinto procura de um caminho numa rede que liga vários pontos INCONVENIENTE: O tamanho da árvore de pesquisa cresce exponencialmente com o tamanho dos dados A saltar vai a todo o lado... Problema: dado um tabuleiro n n determinar se um cavalo do jogo de xadrez consegue percorrer todas as posições do tabuleiro, uma só vez,em n 2 1 movimentos. Estado Inicial: uma posição do tabuleiro Estado Final: Ter visitado todas as posições Mudança de Estado: salto em L 2 por 1, de uma posição para outra (candidata) Movimento válido: se existe uma posição para saltar e essa posição ainda não foi visitada Se o cavalo estiver na posição C estão marcadas as possíveis soluções: Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 19

20 C Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 20

21 Algoritmo de Procura com Retrocesso (Backtracking) tenta inicializa seleção de candidaos repete seleciona um candidato se aceitável marcar posição se não estado final tenta o passo seguinte se não sucedeu retira marca da posição até estado final ou não haver mais candidatos Importante: Número de candidatos é finito!!! Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 21

22 Salto de Cavalo I int h[10][10], tab_max; main(){ int i,j; do { printf(" Tamanho do tabuleiro[3-10]: "); scanf("%d",&tab_max); for(i=1;i<=tab_max; i++) for(j=1;j<=tab_max; j++) h[i][j]=0; printf("posicao inicial:\n"); printf("linha: "); scanf("%d",&i); printf("coluna: "); scanf("%d",&j); h[i][j]=1; if (try(2,i,j)==1) for(i=1;i<=tab_max;i++) { for(j=1;j<=tab_max;j++) printf("%d ",h[i][j]); printf("\n \n");} else printf("nao ha solucao \n"); printf("ctrl C para terminar \n"); } while(getchar()!=eof); } Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 22

23 #define tab_sq tab_max*tab_max #define in_tab(x) (x>0 && x<=tab_max) int casasx[]={2,1,-1,-2,-2,-1,1,2}; int casasy[]={1,2,,2, 1,-1,-2,-2,-1}; int try(int i,int x,int y){ int k = 0, u, v; while( k < 8 ){ u=x+casasx[k]; v=y+casasy[k]; if(in_tab(u) && in_tab(v)) if (h[u][v] == 0) { h[u][v]=i; if (i >= tab_sq) return 1; if (try(i+1,u,v)==1) return 1; h[u][v]=0; } k++; } return 0;} Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 23

24 Tamanho do tabuleiro[3-10]: 5 Posicao inicial: Linha: 1 Coluna: Ctrl C para terminar Tamanho do tabuleiro[3-10]: 5 Posicao inicial: Linha: 3 Coluna: Ctrl C para terminar ^C Exercício Problema das 8 rainhas É possível colocar 8 rainhas num Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 24

25 tabuleiro de xadrez (8x8) por forma a que não se ataquem mutuamente, isto é, que não haja duas rainhas numa mesma linha, coluna ou diagonal? Sugestão: Considere uma variável indexada v[8] tal que v[i] corresponde à linha em que estará a rainha da coluna i. A condição para que duas rainhas estejam na mesma linha é: #define linha(i,j) v[i] == v[j] e na mesma diagonal é #define abs(x) (x >= 0? x: -x) #define diagonal(i,j) abs(v[i]-v[j]) == abs(i-j) Podemos tentar gerar uma solução: colocando aleatóriamente valores de 0 a 8 (todos distintos) em v[] e depois ver se as condições anteriores se verificam para todos. Para cada hipótese há 56 testes e há 8 8 hipóteses... o método é muito ineficiente Tentar gerar uma solucao da esquerda para a direita, começando por fazer: i=0 -> v(i)=0 Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 25

26 i=1 -> procurar o primeiro valor que satisfaca as condicoes,i.e, v[1]=2 Em geral para cada i, se existe j > v[i] que satisfaz as condições relativamente às rainhas já colocadas, fazemos v[i]=j e passa-se para o i seguinte. Senão existe tal j, volta-se ao i anterior e tenta-se aplicar o processo. Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 26

27 Leituras [epd94, Cap ] [Bro97, Cap. 4.5] Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 27

28 Referências [Bro97] J. Glenn Brookshear. Computer Science, an overview. Addison-Wesley, [epd94] H.M. Deitel e P.J. Deitel. C:How to Program. Prentice Hall International Editions, 2 edition, Departamento de Ciência de Computadores da FCUP PI Aula 10 28

Operador de atribuição

Operador de atribuição Operador de atribuição Variavel = Express~ao [epd94, Cap. 3.11-3.12] Suponhámos que y tem valor 5: x = y + 1; É calculada assim (e por esta ordem): A expressão da direita é calculada, susbtituindo a variável

Leia mais

Programas simples em C

Programas simples em C Programas simples em C Problema 1. Escreve um programa em C que dados dois inteiros indique se são iguais ou qual o maior. Utilizar a construção em 5 etapas... quais? 1. Perceber o problema 2. Ideia da

Leia mais

Algoritmos de Busca em Tabelas

Algoritmos de Busca em Tabelas Dentre os vários algoritmos fundamentais, os algoritmos de busca em tabelas estão entre os mais usados. Considere por exemplo um sistema de banco de dados. As operações de busca e recuperação dos dados

Leia mais

Índice. Capítulo 2 Estrutura de Dados sequencial com armazenamento sequencial

Índice. Capítulo 2 Estrutura de Dados sequencial com armazenamento sequencial Índice i Índice Capítulo 2 Estrutura de Dados sequencial com armazenamento sequencial 1. A Estrutura Abstrata de Dados Lista... 1 1.1. Definição... 1 1.2. Implementação de Listas utilizando armazenamento

Leia mais

Estrutura de Dados Básica

Estrutura de Dados Básica Estrutura de Dados Básica Professor: Osvaldo Kotaro Takai. Aula 7: Recursividade O objetivo desta aula é apresentar o conceito de recursão para solução de problemas. A recursão é uma técnica de programação

Leia mais

Introdução à Programação. Recursão

Introdução à Programação. Recursão Introdução à Programação Recursão Recursão decoração Substantivo feminino. 1.Ato ou efeito de decorar decorar Verbo transitivo direto. 1.Guarnecer com adorno(s); dispor formas e cores em; ornamentar, embelezar;

Leia mais

Analise o código abaixo:

Analise o código abaixo: Recursão - introdução Analise o código abaixo: 1 # include 2 # include 3 int Fatorial ( int x) 4 int k, s =1; for (k =0;k

Leia mais

Busca. Pesquisa sequencial

Busca. Pesquisa sequencial Busca Banco de dados existem para que, de tempos em tempos, um usuário possa localizar o dado de um registro, simplesmente digitando sua chave. Uma tabela ou um arquivo é um grupo de elementos, cada um

Leia mais

Árvores Binárias e Busca. Jeane Melo

Árvores Binárias e Busca. Jeane Melo Árvores Binárias e Busca Jeane Melo Roteiro Parte 1 Árvores Relação hierárquica Definição Formal Terminologia Caminhamento em Árvores Binárias Exemplos Parte 2 Busca seqüencial Busca Binária Grafos Conjunto

Leia mais

Pesquisa em Memória Primária. Prof. Jonas Potros

Pesquisa em Memória Primária. Prof. Jonas Potros Pesquisa em Memória Primária Prof. Jonas Potros Pesquisa em Memoria Primária Estudo de como recuperar informação a partir de uma grande massa de informação previamente armazenada. A informação é dividida

Leia mais

Module Introduction. Programação. Cap. 4 Algoritmos e Programação Estruturada

Module Introduction. Programação. Cap. 4 Algoritmos e Programação Estruturada 5374 : Engenharia Informática 6638 : Tecnologias e Sistemas de Informação 9099 : Bioengenharia 10135 : Ciências Biomédicas Cap. 4 Algoritmos e Estruturada Module Introduction Algoritmos e Estruturada Objectivos:

Leia mais

INSTITUTO VIANNA JÚNIOR FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR ANÁLISE DA COMPLEXIDADE DE ALGORITMOS DE ORDENAÇÃO

INSTITUTO VIANNA JÚNIOR FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR ANÁLISE DA COMPLEXIDADE DE ALGORITMOS DE ORDENAÇÃO INSTITUTO VIANNA JÚNIOR FACULDADES INTEGRADAS VIANNA JÚNIOR ANÁLISE DA COMPLEXIDADE DE ALGORITMOS DE ORDENAÇÃO Lúcia Helena de Magalhães 1 Mônica de Lourdes Souza Batista 2 Teresinha Moreira Magalhães

Leia mais

Linguagem C: agregados heterogêneos, arquivos binários, recursividade. Prof. Críston Algoritmos e Programação

Linguagem C: agregados heterogêneos, arquivos binários, recursividade. Prof. Críston Algoritmos e Programação Linguagem C: agregados heterogêneos, arquivos binários, recursividade Prof. Críston Algoritmos e Programação Agregados heterogêneos Permitem agrupar variáveis de diferentes tipos em um único registro struct

Leia mais

ESTRUTURAS DE DADOS I. Notas de Aula. Prof. Dr. Gilberto Nakamiti

ESTRUTURAS DE DADOS I. Notas de Aula. Prof. Dr. Gilberto Nakamiti ESTRUTURAS DE DADOS I Notas de Aula 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 1.1 Array (vetores)... 2 2. BUSCA DE ELEMENTOS... 3 2.1 Busca Seqüencial... 3 2.2 Busca Binária... 3 2.3 Busca Indexada... 3 2.4 Busca Hash...

Leia mais

Funções recursivas. O exemplo mais comum: int fat(int n){ if(n == 0) return 1; return n*fat(n-1); }

Funções recursivas. O exemplo mais comum: int fat(int n){ if(n == 0) return 1; return n*fat(n-1); } Funções Recursivas Funções recursivas O exemplo mais comum: int fat(int n){ if(n == 0) return 1; return n*fat(n-1); Versão sem recursão: int fat(int n){ int i = 0; int f = 1; for(i=1; i

Leia mais

Algoritmos de Pesquisa e Ordenação em Vectores

Algoritmos de Pesquisa e Ordenação em Vectores Algoritmos de Pesquisa e Ordenação em Vectores FEUP - MIEEC Programação 2-2008/2009 Pesquisa Sequencial Problema (pesquisa de valor em vector): Verificar se um valor existe no vector e, no caso de existir,

Leia mais

Pesquisa Sequencial e Binária

Pesquisa Sequencial e Binária Pesquisa Sequencial e Binária Prof. Túlio Toffolo http://www.toffolo.com.br BCC202 Aula 20 Algoritmos e Estruturas de Dados I Pesquisa em Memória Primária Introdução - Conceitos Básicos Pesquisa Sequencial

Leia mais

Alguns Exercícios de Programação de em Linguagem C

Alguns Exercícios de Programação de em Linguagem C Alguns Exercícios de Programação de em Linguagem C Nelma Moreira Departamento de Ciência de Computadores Faculdade de Ciências, Universidade do Porto email: nam@ncc.up.pt 1997 1 Execução de algumas instruções

Leia mais

Jorge Figueiredo, DSC/UFCG. Análise e Técnicas de Algoritmos 2005.1. Jorge Figueiredo, DSC/UFCG. Análise e Técnicas de Algoritmos 2005.

Jorge Figueiredo, DSC/UFCG. Análise e Técnicas de Algoritmos 2005.1. Jorge Figueiredo, DSC/UFCG. Análise e Técnicas de Algoritmos 2005. genda nálise e Técnicas de lgoritmos Jorge Figueiredo onceitos ásicos O Problema das Rainhas Template Genérico Mochila inária acktracking and ranch-and-ound Jogo da Troca de olas Jogo da Troca de olas

Leia mais

INF 1007 Programação II

INF 1007 Programação II INF 1007 Programação II Aula 14 Árvores Binárias Edirlei Soares de Lima Árvores Uma estrutura de dados do tipo árvore permite que dados sejam organizados de maneira hierárquica.

Leia mais

Métodos de Pesquisa em Memória Primária

Métodos de Pesquisa em Memória Primária Algoritmos e Estrutura de Dados II Métodos de Pesquisa em Memória Primária Prof Márcio Bueno ed2tarde@marciobueno.com / ed2noite@marciobueno.com Pesquisa Por pesquisa (procura ou busca) entende-se o ato

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Introdução No capítulo anterior verificamos que a execução seqüencial dos comandos da função main nos limita a programação de algoritmos muito simples. Passamos, então, a dedicar

Leia mais

Árvore Binária de Busca

Árvore Binária de Busca Árvore Binária de Busca 319 Árvore Binária de Busca! construída de tal forma que, para cada nó:! nós com chaves menores estão na sub-árvore esquerda! nós com chaves maiores (ou iguais) estão na subárvore

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados

Algoritmos e Estruturas de Dados Introdução aos Algoritmos e Estruturas de Dados 2 o Teste - A Ano lectivo: 2010/2011 2 o Semestre RESOLUÇÃO DO 2 o TESTE Grupo I (2.0 + 2.5 + 2.0 = 6.5 val.) I.a) Considere os tipos enum ocasiao e Presente

Leia mais

Estruturas de Repetição. Programação em Java 2006-2007. Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição. Programação em Java 2006-2007. Estruturas de Repetição Aula 4 Estruturas de Repetição Programação em Java 2006-2007 Estruturas de Repetição As estruturas repetitivas ou ciclos permitem repetir um conjunto de uma ou mais instruções O Java apresenta três variantes

Leia mais

Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação. (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados

Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação. (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados Faculdade Alagoana de Administração FAA Ciência da Computação (Resolução de Problemas em) Espaço de Estados (Adaptado de O.B. Coelho & G. Bittencourt & C. Moraes) Maria Aparecida Amorim Sibaldo maasibaldo@gmail.com

Leia mais

Pesquisa em Memória Primária. Algoritmos e Estruturas de Dados II

Pesquisa em Memória Primária. Algoritmos e Estruturas de Dados II Pesquisa em Memória Primária Algoritmos e Estruturas de Dados II Pesquisa em Memória Primária Pesquisa: Recuperação de informação em um grande volume de dados Informação é dividida em registros e cada

Leia mais

Estruturas de entrada e saída

Estruturas de entrada e saída capa Estruturas de entrada e saída - A linguagem C utiliza de algumas funções para tratamento de entrada e saída de dados. - A maioria dessas funções estão presentes na biblioteca . - As funções

Leia mais

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROVA PARA TRANSFERÊNCIA

CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROVA PARA TRANSFERÊNCIA COM. 1 CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROVA PARA TRANSFERÊNCIA 1. A CEF concederá um crédito especial com juros de 2% aos seus clientes de acordo com o saldo médio no último ano. Escreva um programa em C que leia

Leia mais

Recursividade. Túlio Toffolo tulio@toffolo.com.br www.toffolo.com.br. BCC202 Aula 08 Algoritmos e Estruturas de Dados I

Recursividade. Túlio Toffolo tulio@toffolo.com.br www.toffolo.com.br. BCC202 Aula 08 Algoritmos e Estruturas de Dados I Recursividade Túlio Toffolo tulio@toffolo.com.br www.toffolo.com.br BCC202 Aula 08 Algoritmos e Estruturas de Dados I Outros Exemplos de Recursividade Factais são outros exemplos de recursividade Quando

Leia mais

Programação Recursiva versão 1.02

Programação Recursiva versão 1.02 Programação Recursiva versão 1.0 4 de Maio de 009 Este guião deve ser entregue, no mooshak e no moodle, até às 3h55 de 4 de Maio. AVISO: O mooshak é um sistema de avaliação e não deve ser utilizado como

Leia mais

Árvores Binárias - continuação

Árvores Binárias - continuação Tópicos Avançados em Estrutura de Dados 6º Período Ciência da Computação Uma Aplicação de Árvores Binárias Árvores Binárias - continuação As árvore binárias são estruturas importantes toda vez que uma

Leia mais

DICIONÁRIOS. template class Par { public: K chave; T valor; Par():chave(),valor()

DICIONÁRIOS. template<class K,class T> class Par { public: K chave; T valor; Par():chave(),valor() DICIONÁRIOS Esta estrutura inclui-se nos chamados contentores associativos, que não são mais do que uma colecção de estruturas de tipo Par, com dois membros de dados (chave de pesquisa e valor associado),

Leia mais

Estruturas de Dados I

Estruturas de Dados I UFES - Curso de verão 2011 Estruturas de Dados I Profa. Juliana Pinheiro Campos jupcampos@gmail.com Árvores binárias de busca (ou São árvores projetadas para dar suporte a operações de busca de forma eficiente.

Leia mais

Algoritmo e Programação

Algoritmo e Programação Algoritmo e Programação Professor: José Valentim dos Santos Filho Colegiado: Engenharia da Computação Prof.: José Valentim dos Santos Filho 1 Ementa Noções básicas de algoritmo; Construções básicas: operadores,

Leia mais

Cap.2.5: Design de Algoritmos e Programação Estruturada. Algoritmos, fluxogramas e pseudo-código

Cap.2.5: Design de Algoritmos e Programação Estruturada. Algoritmos, fluxogramas e pseudo-código Cap.2.5: Design de Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos, fluxogramas e pseudo-código 1 Sumário Problemas e algoritmos Desenho de algoritmos/programas Passos na construção de algoritmos Método

Leia mais

Comandos Sequenciais if else, e Switch

Comandos Sequenciais if else, e Switch Introdução à Programação Comandos Sequenciais if else, e Switch 1º ano - ESI e IGE (2011/2012) Engenheiro Anilton Silva Fernandes (afernandes@unipiaget.cv) O computador pensa? Muitas vezes utiliza-se a

Leia mais

Prof. Dr. Abel Gomes (agomes@di.ubi.pt) Cap.4: Design de Algoritmos e Programação Estruturada. Algoritmos, fluxogramas e pseudo-código

Prof. Dr. Abel Gomes (agomes@di.ubi.pt) Cap.4: Design de Algoritmos e Programação Estruturada. Algoritmos, fluxogramas e pseudo-código Prof. Dr. Abel Gomes (agomes@di.ubi.pt) Cap.4: Design de Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos, fluxogramas e pseudo-código 1 Sumário Problemas e algoritmos Desenho de algoritmos/programas Passos

Leia mais

Satisfação de Restrições. Capítulo 5 (disponível online)

Satisfação de Restrições. Capítulo 5 (disponível online) Satisfação de Restrições Capítulo 5 (disponível online) Sumário Problemas de Satisfação de Restrições (CSPs) Procura com Retrocesso para CSPs Procura Local para CSPs Estrutura dos CSPs Problemas de Satisfação

Leia mais

Análise de complexidade

Análise de complexidade Introdução Algoritmo: sequência de instruções necessárias para a resolução de um problema bem formulado (passíveis de implementação em computador) Estratégia: especificar (definir propriedades) arquitectura

Leia mais

BUSCA EM LISTAS LISTAS SEQÜENCIAIS, LISTAS SIMPLESMENTE E DUPLAMENTE ENCADEADAS E LISTAS CIRCULARES

BUSCA EM LISTAS LISTAS SEQÜENCIAIS, LISTAS SIMPLESMENTE E DUPLAMENTE ENCADEADAS E LISTAS CIRCULARES BUSCA EM LISTAS LISTAS SEQÜENCIAIS, LISTAS SIMPLESMENTE E DUPLAMENTE ENCADEADAS E LISTAS CIRCULARES ALGORITMOS DE BUSCA EM LISTAS COM ALOCAÇÃO SEQÜENCIAL Busca em Listas Lineares A operação de busca é

Leia mais

Estruturas de Dados. Prof. Gustavo Willam Pereira Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos

Estruturas de Dados. Prof. Gustavo Willam Pereira Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos Estruturas de Dados Prof. Gustavo Willam Pereira Créditos: Profa. Juliana Pinheiro Campos Árvores Conceitos Árvores binárias Árvores binárias de pesquisa Árvores binárias balanceadas Árvores ESTRUTURAS

Leia mais

Recursividade. Aula 9

Recursividade. Aula 9 Recursividade Aula 9 Em matemática vários objetos são definidos apresentando-se um processo que os produz. Ex PI (circunferência/diâmetro) Outra definição de um objeto por um processo é o fatorial de um

Leia mais

MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes

MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes Instituto de Computação Unicamp 5 de Maio de 2015 Roteiro 1 Strings Strings: Exemplos 2 Matrizes Exemplos com Matrizes 3 Exercícios (Instituto de Computação Unicamp) MC-102

Leia mais

José Romildo Malaquias 2011-1

José Romildo Malaquias 2011-1 Programação de Computadores I Aula 08 Programação: Estruturas de Repetição José Romildo Malaquias Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011-1 1/58 Motivação Como imprimir os três

Leia mais

INF1007: Programação 2 10 Árvores Binárias. (c) Dept. Informática - PUC-Rio 1

INF1007: Programação 2 10 Árvores Binárias. (c) Dept. Informática - PUC-Rio 1 INF1007: Programação 2 10 Árvores Binárias (c) Dept. Informática - PUC-Rio 1 Tópicos Principais Introdução Árvores binárias Representação em C Ordens de percurso em árvores binárias Altura de uma árvore

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Belo Horizonte 2010 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4 3.1 Strings

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

Busca em Espaço de Estados

Busca em Espaço de Estados Busca em Espaço de Estados Jomi Fred Hübner jomi@inf.furb.br FURB / BCC Introdução 2 Agente orientado a meta O projetista não determina um mapeamento entre percepções e ações, mas determina que objetivo

Leia mais

Nos capítulos anteriores considerámos alguns aspectos da programação, estudámos

Nos capítulos anteriores considerámos alguns aspectos da programação, estudámos Capítulo 7 Recursão e iteração Well, I ll eat it, said Alice, and if it makes me grow larger, I can reach the key; and if it makes me grow smaller, Icancreepunderthedoor: soeitherwayi llgetintothe garden,

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS CES-11 CES-11 CES-11

ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS CES-11 CES-11 CES-11 ALGORITMOS E ESTRUTURAS DE DADOS Prof. Paulo André Castro pauloac@ita.br Sala 110 Prédio da Computação www.comp.ita.br/~pauloac IECE - ITA Uma árvore binária é: uma árvore vazia; ou uma árvore onde qualquer

Leia mais

1 Introdução. 2 Algumas funções úteis para lidar com strings

1 Introdução. 2 Algumas funções úteis para lidar com strings Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2007 / 2008 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 1º semestre Strings e apontadores http://tele1.dee.fct.unl.pt

Leia mais

Figura 13.1: Um exemplo de árvore de diretório.

Figura 13.1: Um exemplo de árvore de diretório. 13. Árvores W. Celes e J. L. Rangel Nos capítulos anteriores examinamos as estruturas de dados que podem ser chamadas de unidimensionais ou lineares, como vetores e listas. A importância dessas estruturas

Leia mais

Processamento da Informação Teoria. Algoritmos e Tipos de dados

Processamento da Informação Teoria. Algoritmos e Tipos de dados Processamento da Informação Teoria Algoritmos e Tipos de dados Semana 01 Prof. Jesús P. Mena-Chalco 24/04/2013 (*) Slides adaptados das aulas do Prof. Harlen Costa Batagelo Algumas definições de algoritmo

Leia mais

Árvores Binárias de Busca

Árvores Binárias de Busca Árvores Binárias de Busca Definição Uma Árvore Binária de Busca possui as mesmas propriedades de uma AB, acrescida da seguinte propriedade: Para todo nó da árvore, se seu valor é X, então: Os nós pertencentes

Leia mais

Listas (Parte 2) Túlio Toffolo tulio@toffolo.com.br www.toffolo.com.br. BCC202 Aula 10 Algoritmos e Estruturas de Dados I

Listas (Parte 2) Túlio Toffolo tulio@toffolo.com.br www.toffolo.com.br. BCC202 Aula 10 Algoritmos e Estruturas de Dados I Listas (Parte 2) Túlio Toffolo tulio@toffolo.com.br www.toffolo.com.br BCC202 Aula 10 Algoritmos e Estruturas de Dados I Listas Encadeadas Características: Tamanho da lista não é pré-definido Cada elemento

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação

Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação Java Tabelas (arrays) (vetores, matrizes, etc) Algoritmos de pesquisa Algoritmos de ordenação 1 Tabelas para quê? As tabelas são utilizadas quando se pretende armazenar e manipular um grande número de

Leia mais

EAD Árvore árvore binária

EAD Árvore árvore binária EAD Árvore árvore binária - Uma árvore binária é um conjunto finito de elementos (nodos) que pode ser vazio ou particionado em três subconjuntos: - raiz da árvore (elemento inicial, que é único); - subárvore

Leia mais

compreender a importância de cada estrutura de controle disponível na Linguagem C;

compreender a importância de cada estrutura de controle disponível na Linguagem C; Aula 3 Estruturas de controle Objetivos Esperamos que, ao final desta aula, você seja capaz de: compreender a importância de cada estrutura de controle disponível na Linguagem C; construir programas em

Leia mais

Estruturas de Repetição Parte II PARA-ATÉ

Estruturas de Repetição Parte II PARA-ATÉ Estruturas de Repetição Parte II PARA-ATÉ Prof. Dr. Edson Pimentel Centro de Matemática, Computação e Cognição Objetivos Aprender a sintaxe da Estrutura de Repetição PARA-ATÉ na linguagem PORTUGOL Aprender

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Lista de Exercícios - 04 Linguagem e Técnicas de Programação Professor: Edwar Saliba Júnior Estruturas de Repetição O que são e para que servem? São comandos que são utilizados

Leia mais

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos Vetores Nos capítulos anteriores estudamos as opções disponíveis na linguagem C para representar: Números inteiros em diversos intervalos. Números fracionários com várias alternativas de precisão e magnitude.

Leia mais

Exercícios de Java Aula 19

Exercícios de Java Aula 19 Exercícios de Java Aula 19 Link do curso: http://www.loiane.com/2013/10/curso-java-basico-java-se-gratuito/ 1. Criar um vetor A com 5 elementos inteiros. Construir um vetor B de mesmo tipo e tamanho e

Leia mais

Métodos Computacionais. Árvores

Métodos Computacionais. Árvores Métodos Computacionais Árvores Árvores Vetores e Listas são ótimos para representar estrutura de dados lineares, mas não para modelar dados hierárquicos Exemplos de dados hierárquicos: sistema de arquivos

Leia mais

PROGRAMAÇÃO INSTRUÇÕES DA LINGUAGEM C

PROGRAMAÇÃO INSTRUÇÕES DA LINGUAGEM C PROGRAMAÇÃO INSTRUÇÕES DA LINGUAGEM C 1 2 Repetição 1 Enquanto 'C' é verdadeira Fazer? 3 Repetição 1 Enquanto 'C' é verdadeira Fazer? while (C)?; 4 Enunciado: Construa um algoritmo para mostrar os 100

Leia mais

Estruturas de repetição (Ciclos)

Estruturas de repetição (Ciclos) Introdução Vamos começar por tentar resolver os seguintes exercícios com base nos conhecimentos Que já temos até agora. Problema 1: Escreva um programa em ANSI-C que escreve os primeiros 10 números inteiros

Leia mais

Resolução de Problemas Com Procura. Capítulo 3

Resolução de Problemas Com Procura. Capítulo 3 Resolução de Problemas Com Procura Capítulo 3 Sumário Agentes que resolvem problemas Tipos de problemas Formulação de problemas Exemplos de problemas Algoritmos de procura básicos Eliminação de estados

Leia mais

INF 1007 Programação II

INF 1007 Programação II INF 1007 Programação II Aula 08 Busca em Vetor Edirlei Soares de Lima Busca em Vetor Problema: Entrada: vetor v com n elementos; elemento d a procurar; Saída: m se o elemento procurado

Leia mais

Problemas de Jogos e Tabuleiros

Problemas de Jogos e Tabuleiros Problemas de Jogos e Tabuleiros Professor Emiliano Augusto Chagas Para esquentar! 01) Duas crianças se revezam em turnos quebrando uma barra retangular de chocolate, com seis quadrados de altura e oito

Leia mais

JSP - ORIENTADO A OBJETOS

JSP - ORIENTADO A OBJETOS JSP Orientação a Objetos... 2 CLASSE:... 2 MÉTODOS:... 2 Método de Retorno... 2 Método de Execução... 2 Tipos de Dados... 3 Boolean... 3 Float... 3 Integer... 4 String... 4 Array... 4 Primeira:... 4 Segunda:...

Leia mais

Laboratório de Programação 02

Laboratório de Programação 02 Laboratório de Programação 02 Ambiente de Desenvolvimento e Revisão da Linguagem C Prof. Carlos Eduardo de Barros Paes Prof. Julio Arakaki Departamento de Computação PUC-SP Code::Blocks Ambiente integrado

Leia mais

Projeto e Análise de Algoritmos

Projeto e Análise de Algoritmos Projeto e Análise de Algoritmos Aula 10 Distâncias Mínimas Edirlei Soares de Lima Distâncias Mínimas Dado um grafo ponderado G = (V, E), um vértice s e um vértice g, obter o caminho

Leia mais

Somatórias e produtórias

Somatórias e produtórias Capítulo 8 Somatórias e produtórias 8. Introdução Muitas quantidades importantes em matemática são definidas como a soma de uma quantidade variável de parcelas também variáveis, por exemplo a soma + +

Leia mais

Programação Básica em Arduino Aula 2

Programação Básica em Arduino Aula 2 Programação Básica em Arduino Aula 2 Execução: Laboratório de Automação e Robótica Móvel Variáveis são lugares (posições) na memória principal que servem para armazenar dados. As variáveis são acessadas

Leia mais

Enunciados de exercícios seleccionados de testes e exames P2 / EDa

Enunciados de exercícios seleccionados de testes e exames P2 / EDa Enunciados de exercícios seleccionados de testes e exames P2 / EDa 1. Qual o resultado apresentado pelo seguinte troço de código. Justifique. double d[] = { 5.4, 3.2, 1.0 ; double *pd = d[1]; ++pd; printf(

Leia mais

INF 1010 Estruturas de Dados Avançadas

INF 1010 Estruturas de Dados Avançadas INF 1010 Estruturas de Dados Avançadas Listas de Prioridades e Heaps 1 Listas de Prioridades Em muitas aplicações, dados de uma coleção são acessados por ordem de prioridade A prioridade associada a um

Leia mais

INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Nome:

INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Nome: INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Considere uma disciplina que adota o seguinte critério de aprovação: os alunos fazem duas provas (P1 e P2) iniciais; se a média nessas duas provas for maior ou igual a 5.0,

Leia mais

ALGORITMOS DE ORDENAÇÃO. Algoritmos de comparação-e-troca. Bubble Sort Merge Sort Quick Sort

ALGORITMOS DE ORDENAÇÃO. Algoritmos de comparação-e-troca. Bubble Sort Merge Sort Quick Sort ALGORITMOS DE ORDENAÇÃO ALGORITMOS DE ORDENAÇÃO Algoritmos de comparação-e-troca Bubble Sort Merge Sort Quick Sort 1 BUBBLE SORT Usa a estratégia de comparação-e-troca É constituído por várias fases Cada

Leia mais

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA Prof. André R. Backes 1 COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL Os programas escritos até o momento são programas sequeciais: um comando é executado após o outro, do começo ao fim do

Leia mais

1ª versão. #include #include #include #define maxdiscos 1000

1ª versão. #include <stdio.h> #include <string.h> #include <stdlib.h> #define maxdiscos 1000 #include #include #include #define maxdiscos 1000 typedef struct { char nomeautor[80]; char nomedisco[100]; int numdiscosvendidos; DISCO; 1ª versão int main() { DISCO listadiscos[maxdiscos];

Leia mais

IA: Busca Competitiva. Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

IA: Busca Competitiva. Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br IA: Busca Competitiva Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Introdução Árvores de Jogos Minimax Antecipação Limitada Poda Alfa-beta Introdução Jogos têm sido continuamente uma importante

Leia mais

ALGORITMO I VARIÁVEIS INDEXADAS

ALGORITMO I VARIÁVEIS INDEXADAS VARIÁVEIS INDEXADAS Array Auxiliadora Freire Slide 1 Array: Conjunto de informações do mesmo tipo, cada informação é representada na memória do computador por uma variável. O nome de qualquer variável

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

Aula 3 Alocação Dinâmica

Aula 3 Alocação Dinâmica Aula 3 Alocação Dinâmica Universidade Federal de Santa Maria Colégio Agrícola de Frederico Westphalen Curso Superior de Tecnologia em Sistemas de Internet Prof. Bruno B. Boniati www.cafw.ufsm.br/~bruno

Leia mais

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular 17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante 17

Leia mais

Lab de Programação de sistemas I

Lab de Programação de sistemas I Lab de Programação de sistemas I Apresentação Prof Daves Martins Msc Computação de Alto Desempenho Email: daves.martins@ifsudestemg.edu.br Agenda Orientação a Objetos Conceitos e Práticas Programação OO

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS EXATAS CÓDIGO: EXA801 DISCIPLINA: ALGORITMOS E PROGRAMAÇÃO I CARGA HORÁRIA: 60h EMENTA: Classificação

Leia mais

XXXVI OLIMPÍADA PAULISTA DE MATEMÁTICA Prova da Primeira Fase (11 de agosto de 2012) Nível (6 o e 7 o anos do Ensino Fundamental)

XXXVI OLIMPÍADA PAULISTA DE MATEMÁTICA Prova da Primeira Fase (11 de agosto de 2012) Nível (6 o e 7 o anos do Ensino Fundamental) Instruções: XXXVI OLIMPÍADA PAULISTA DE MATEMÁTICA Prova da Primeira Fase (11 de agosto de 2012) Nível (6 o e 7 o anos do Ensino Fundamental) Folha de Perguntas A duração da prova é de 3h30min. O tempo

Leia mais

EFICIÊNCIA DE ALGORITMOS E

EFICIÊNCIA DE ALGORITMOS E AULA 2 EFICIÊNCIA DE ALGORITMOS E PROGRAMAS Medir a eficiência de um algoritmo ou programa significa tentar predizer os recursos necessários para seu funcionamento. O recurso que temos mais interesse neste

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Disciplina de Algoritmos e Programação Profa: Juliana Kaizer Vizzotto Lista de Exercícios Vetores Para a implementação de programas que solucionem os problemas a seguir

Leia mais

MC-102 - Slide 13 Noções de eficiência e buscas

MC-102 - Slide 13 Noções de eficiência e buscas MC-102 - Slide 13 Noções de eficiência e buscas Elaborado por Raoni Teixeira e Editado por Danillo Roberto Pereira Instituto de Computação Unicamp Primeiro Semestre de 2013 Introdução Por que usar computadores?

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 12 Cadeia de Caracteres (Strings) Edirlei Soares de Lima Caracteres Até o momento nós somente utilizamos variáveis que armazenam números (int, float ou

Leia mais

Operaçõe õ s c om o Strings Intr oduç ão a o Ponte iros o e Funçõe õ s

Operaçõe õ s c om o Strings Intr oduç ão a o Ponte iros o e Funçõe õ s Universidade de São Paulo São Carlos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Operações com Strings Introdução a Ponteiros e Funções Profa Rosana Braga 1 Strings Strings são seqüências de caracteres

Leia mais

Aluísio Eustáquio da Silva

Aluísio Eustáquio da Silva 1 Aluísio Eustáquio da Silva SciLab Programável Material didático usado em aulas de Programação de Computadores, Algoritmos e Lógica de Programação Betim Maio de 2012 2 PROGRAMAÇÃO O SciLab permite que

Leia mais

Problemas de Satisfação de Restrições

Problemas de Satisfação de Restrições Computação Inteligente Problemas de Satisfação de Restrições Lucas Augusto Carvalho Mestrado em Ciência da Computação 2011.1 DCOMP - Universidade Federal de Sergipe 1 Conteúdo Problemas de Satisfação de

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais