1 Resumo: Strings e vetores de caracteres. Departamento de Ciência da Computação IME/USP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1 Resumo: Strings e vetores de caracteres. Departamento de Ciência da Computação IME/USP"

Transcrição

1 Departamento de Ciência da Computação MAC2166 Introdução a Computação IME/USP Strings e vetores de caracteres 1 Resumo: O uso de strings facilita a manipulação de palavras e textos. Strings são basicamente vetores do tipo char, porém diferentemente de simples vetores, strings são terminados por um caractere \0. Utilize %s para ler e imprimir strings nas funções scanf e printf. Você pode utilizar strings constantes para carregar vetores de caracteres na sua declaração. Uma constante do tipo string é definida por uma seqüência de caracteres entre aspas (lembre-se que uma constante do tipo char é um caractere entre apóstrofes). 2 Descrição: Nessa lição vamos estudar como palavras (seqüências de caracteres) são tratadas no C. Primeiro, vamos analisar um programa que carrega um vetor com n caracteres e os imprime logo em seguida: int i; char vet[max]; printf("digite o tamanho do vetor: "); scanf("%d", &n); prinft("digite a seqüência de caracteres: "); for ( i=0 ; i<n ; i++ ) scanf("%c", &vet[i]); prinft("a palavra que você digitou foi: "); for ( i=0 ; i<n ; i++ ) printf("%c", vet[i]); system("pause"); Imagine um usuário precisando digitar seu nome para um formulário, e o computador pedindo para que ele, primeiramante, digite o número de caracteres a serem lidos, como no exemplo acima. Isso complica muito uma atividade que, a princípio, é bastante simples. Uma forma de contornar esse problema seria utilizar um caractere especial como marcador, como por exemplo, um ponto (. ). Nesse caso, o computador poderia imprimir uma mensagem como: Digite seu nome terminado

2 por um ponto. Obviamente, nenhuma pessoa poderia ter um. em seu nome, e essa solução provavelmente não seria apropriada para entrar frases, ou textos com pontuação. Strings são vetores de caracteres terminados por um caractere especial, o \0 (barra zero). Esse caractere indica o final da palavra ou texto e é normalmente tratado pelo próprio computador, facilitando assim a manipulação de palavras. 3 Entrada e saída Em C utiliza-se a seqüência %s para ler (usando scanf ) e imprimir (usando printf ) strings. 4 Exemplos Na linguagem C, podemos inicializar strings colocando a seqüência de caracteres entre aspas, como mostra o exemplo abaixo (tente descobrir a saída desse programa antes de continuar): /* Declarações */ int i; char texto[max] = "apenas um exemplo."; printf("%s\n", texto); for (i=0; i<5; i++) texto[i] = i + i; printf("%s\n", texto); 4.1 Descrição do programa O vetor texto de caracteres, quando carregado, recebe automaticamente pelo compilador um caractere \0, como mostrado abaixo (as posições com? não foram inicializadas, ou seja, seu conteúdo é desconhecido): texto: a p e n a s u m e x e m p l o. \0?? posição: O primeiro printf imprime o string apenas um exemplo., ou seja, percorre o vetor texto e imprime os seus caracteres um a um, até encontrar um caractere \0. Um trecho de código equivalente a printf("%s\n", texto) seria: i = 0; while (texto[i]!= \0 ) { printf("%c", texto[i]); i++; ou ainda, usando um comando for : 2

3 for (i=0; texto[i]!= \0 ; i++) printf("%c", texto[i]); Observe que, sem o uso de strings, precisamos conhecer o número de caracteres a serem impressos, e que o uso de %s simplifica bastante a impressão de strings. Além do código de terminação ( \0 ), não há diferença entre strings e vetores de caracteres, ou seja, strings podem ser considerados vetores de caracteres terminados por um caractere \0, como ilustrado pelo primeiro for do programa, que coloca nas posições 0 a 4 do vetor texto os caracteres i, j, k, l, m ), ou seja, o vetor texto ficaria assim: texto: i j k l m s u m e x e m p l o. \0?? posição: e o string impresso pelo último printf seria ijklms um exemplo.. OBSERVAÇÃO: quando dizemos que o string é terminado por um \0, significa que a parte válida dos dados está antes desse caractere especial. As posições após o \0, permanecem vazias, e podem ser utilizadas quando o vetor é utilizado, por exemplo, para armazenar um outro string de maior comprimento. 4.2 Um outro exemplo Vamos ver agora um programa que lê uma palavra e imprime os caracteres na ordem inversa a de leitura sem o uso de strings, apenas para realçar a dificuldade de tratar palavras quando os caracteres são lidos um a um: /* Declarações */ char frase[max]; printf("digite o numero de caracteres de seu texto: "); scanf ("%d", &n); printf("digite o seu texto:\n"); for (i=0; i<n; i++) scanf(" %c", &frase[i]); /* importante ter um espaco antes de %c */ printf("o seu texto na ordem inversa: \n"); for (i=n-1; i>=0; i--) printf("%c", frase[i]); Observe que o programa precisa saber o número de caracteres a serem lidos, para carregar o vetor texto. Para a palavra socorram-me, que possui 11 caracteres, a saída seria em-marrocos. Outra observação importante, é que como o scanf lê TODOS os caracteres que vem do teclado (inclusive o enter), é necessário colocar um espaço (branco) antes do %c do scanf, para que sejam eliminados os possíveis separadores (branco, tabs, 3

4 enters, etc). Caso contrário, o enter dado após a leitura do tamanho da palavra se torna parte dos caracteres lidos, e portanto faria parte da palavra (há muitos detalhes do C que precisam ser considerados quando se lê caracteres um a um). Experimente rodar esse programa usando esse mesmo exemplo, mas sem o espaço antes do %c no scanf. 4.3 Leitura de strings usando scanf Em exemplos anteriores, os strings foram carregados como constantes, e o compilador sabe quando o string começa e termina devido às aspas. A leitura de strings usando scanf exige um pouco mais de cuidado, pois é necessário saber como o scanf separa a entrada a partir do teclado em strings. Por convenção, os strings são delimitados por caracteres separadores, como o branco, tabulação, enter, etc (mas não de pontuação, como vírgula, dois pontos, ou ponto final). Por exemplo, no programa abaixo: char frase[max]; printf("digite o numero de palavras: "); scanf ("%d", &n); printf("digite todas as palavras e ao final tecle ENTER:\n"); for (i=0; i<n; i++) { scanf("%s", frase); printf(":%s:\n", frase); system("pause"); para a entrada 3 (como número de palavras) e as palavras um, dois, tres., imprimirá na saída o seguinte: :um,: :dois,: :tres.: Uma nova versão para o programa que lê uma palavra e a imprime em ordem inversa usando strings é dada a seguir: char pal[max], inv[max]; printf("digite sua palavra:\n"); scanf("%s", pal ); 4

5 /* acha fim do string em pal */ for (n=0; pal[n]!= \0 ; n++); /* monta um string inverso */ for (i=0; i<n; i++) inv[i] = pal[n-1-i]; inv[n] = \0 ; /* coloca o terminador no string inv */ /* imprime o string em na ordem inversa */ printf("o seu texto na ordem inversa: \n"); printf("%s\n", inv); Vamos simular esse último programa com a frase socorram-me. Após a declaração, os vetores pal e inv possuem conteúdo incerto (ou seja, estão vazios), como mostra a figura abaixo: frase:??????????????? inv:??????????????? Após o scanf, o vetor pal é carregado com socorram-me, e o string é automaticamente terminado por \0, como mostra a figura abaixo: frase: s o c o r r a m - m e \0??? inv:??????????????? O for após o scanf procura pela terminação do string, ou seja, procura pelo caractere \0, e o encontra na posição 11 do vetor, ou seja, n = 11, quando termina o for. A seguir, os caracteres de 10 a 0 são copiados do vetor pal para as posições 0 a 10 do vetor inv (ou seja, quando i = 0 por exemplo, inv[0] recebe o elemento n 1 i = = 10 do vetor pal, ou inv[0] = frase[10]). Ao final do for, o caractere \0 é colocado ao final do string em inv para terminá-lo, de forma que teríamos a seguinte situação: frase: s o c o r r a m - m e \0??? inv: e m - m a r r o c o s \0??? e o último printf apenas imprime o string em inv. 5 Exercícios recomendados - Exercício 6.6 do caderno: Dados dois strings (um contendo uma frase e outro contendo uma palavra), determine o número de vezes que a palavra ocorre na frase. Exemplo: Para a palavra ANA e a frase: ANA E MARIANA GOSTAM DE BANANA temos que a palavra ocorre 4 vezes na frase. - Exercício 8.17 (usa vetores de caracteres e não strings ). 5

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 12 Cadeia de Caracteres (Strings) Edirlei Soares de Lima Caracteres Até o momento nós somente utilizamos variáveis que armazenam números (int, float ou

Leia mais

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos

Vetores. Vetores. Figura 1 Exemplo de vetor com 10 elementos Vetores Nos capítulos anteriores estudamos as opções disponíveis na linguagem C para representar: Números inteiros em diversos intervalos. Números fracionários com várias alternativas de precisão e magnitude.

Leia mais

MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes

MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes MC-102 Aula 17 Strings e Matrizes Instituto de Computação Unicamp 5 de Maio de 2015 Roteiro 1 Strings Strings: Exemplos 2 Matrizes Exemplos com Matrizes 3 Exercícios (Instituto de Computação Unicamp) MC-102

Leia mais

20 Caracteres - Tipo char

20 Caracteres - Tipo char 0 Caracteres - Tipo char Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até agora vimos como o computador pode ser utilizado para processar informação que pode ser quantificada de forma numérica. No entanto,

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C Belo Horizonte 2010 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4 3.1 Strings

Leia mais

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C

Resumo da Matéria de Linguagem de Programação. Linguagem C Resumo da Matéria de Linguagem de Programação Linguagem C Vitor H. Migoto de Gouvêa 2011 Sumário Como instalar um programa para executar o C...3 Sintaxe inicial da Linguagem de Programação C...4 Variáveis

Leia mais

Curso de Programação Computadores

Curso de Programação Computadores 3 O Primeiro Programa em C Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro 3 O Primeiro Programa em C 3.1 - Introdução Depois dos conceitos

Leia mais

Curso de Linguagem C

Curso de Linguagem C Curso de Linguagem C 1 Aula 1 - INTRODUÇÃO...4 AULA 2 - Primeiros Passos...5 O C é "Case Sensitive"...5 Dois Primeiros Programas...6 Introdução às Funções...7 Introdução Básica às Entradas e Saídas...

Leia mais

AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C. Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme

AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C. Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme AULA 2: INTRODUÇÃO A LINGUAGEM DE C Curso: Ciência da Computação Profª.: Luciana Balieiro Cosme Agenda Introdução a linguagem C Compiladores Variáveis IDEs Exemplos Exercícios Introdução A Linguagem C

Leia mais

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C

Capítulo 2: Introdução à Linguagem C Capítulo 2: Introdução à Linguagem C INF1005 Programação 1 Pontifícia Universidade Católica Departamento de Informática Programa Programa é um algoritmo escrito em uma linguagem de programação. No nosso

Leia mais

Pilhas. Profa Morganna Diniz

Pilhas. Profa Morganna Diniz Pilhas Profa Morganna Diniz Pilhas Geralmente pilhas são úteis em situações em que dados devem ser recuperados em ordem inversa a do armazenamento É uma estrutura de dados linear que permite acesso por

Leia mais

Linguagens de Programação I

Linguagens de Programação I Linguagens de Programação I Tema # 8 Strings e Estruturas Susana M Iglesias 1 STRINGS - INTRODUÇÃO Strings (cadeia de caracteres): é uma serie de caracteres que podem ser tratados como uma unidade simples,

Leia mais

2 Um Primeiro Programa em C

2 Um Primeiro Programa em C 2 Um Primeiro Programa em C Ronaldo F. Hashimoto, Carlos H. Morimoto e José A. R. Soares OobjetivodessaaulaéintroduzirvocêàlinguagemCemambienteLinux,primeiramentemostrandoasua estrutura, e a seguir com

Leia mais

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++

Edwar Saliba Júnior. Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++ Edwar Saliba Júnior Dicas, Comandos e Exemplos Comparativos entre Linguagem Algorítmica e Linguagem C / C++ Belo Horizonte 2009 Sumário 1 Nota:... 2 2 Comandos e Palavras Reservadas:... 3 3 Dicas... 4

Leia mais

Conceitos básicos da linguagem C

Conceitos básicos da linguagem C Conceitos básicos da linguagem C 2 Em 1969 Ken Thompson cria o Unix. O C nasceu logo depois, na década de 70. Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando o sistema operacional UNIX criado por

Leia mais

INF 1005 Programação I

INF 1005 Programação I INF 1005 Programação I Aula 03 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Estrutura de um Programa C Inclusão de bibliotecas auxiliares: #include Definição de constantes:

Leia mais

13 Números Reais - Tipo float

13 Números Reais - Tipo float 13 Números Reais - Tipo float Ronaldo F. Hashimoto e Carlos H. Morimoto Até omomentonoslimitamosaouso do tipo inteiro para variáveis e expressões aritméticas. Vamos introduzir agora o tipo real. Ao final

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo COMPILADORES Toda linguagem de programação

Leia mais

Neste artigo estudaremos os conceitos relacionados às matrizes unidimensionais (vetores) e multidimensionais.

Neste artigo estudaremos os conceitos relacionados às matrizes unidimensionais (vetores) e multidimensionais. Linguagem C Matrizes Objetivos Neste artigo estudaremos os conceitos relacionados às matrizes unidimensionais (vetores) e multidimensionais. Definição de Matrizes em Linguagem C As matrizes em geral são

Leia mais

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Strings. Todas as funções apresentadas neste documento estão no arquivo de cabeçalho string.h.

Strings. Todas as funções apresentadas neste documento estão no arquivo de cabeçalho string.h. Strings Todas as funções apresentadas neste documento estão no arquivo de cabeçalho string.h. 1 Determinando o tamanho de uma string Para determinar o tamanho de uma string use a função strlen( ). Sua

Leia mais

IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05

IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05 IFTO LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO AULA 05 Prof. Manoel Campos da Silva Filho Tecnólogo em Processamento de Dados / Unitins Mestre em Engenharia Elétrica / UnB http://lab.ifto.edu.br/~mcampos http://manoelcampos.com

Leia mais

Operaçõe õ s c om o Strings Intr oduç ão a o Ponte iros o e Funçõe õ s

Operaçõe õ s c om o Strings Intr oduç ão a o Ponte iros o e Funçõe õ s Universidade de São Paulo São Carlos Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Operações com Strings Introdução a Ponteiros e Funções Profa Rosana Braga 1 Strings Strings são seqüências de caracteres

Leia mais

Computadores Digitais 2. Prof. Rodrigo de Souza Couto

Computadores Digitais 2. Prof. Rodrigo de Souza Couto Computadores Digitais 2 Linguagens de Programação DEL-Poli/UFRJ Prof. Miguel Campista Aula de Hoje Cadeias de caracteres (strings) Caracteres Definição e manipulação de strings Vetor de strings Parâmetros

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I Arquivos Pedro O.S. Vaz de Melo Problema 1 Considere que um arquivo de dados contém os valores das dimensões (tam. max.: 100) e dos elementos de duas matrizes de números

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo

Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013. Arquivos. Pedro O.S. Vaz de Melo Algoritmos e Estruturas de Dados I 01/2013 Arquivos Pedro O.S. Vaz de Melo Problema 1 Considere que um arquivo de dados contém os valores das dimensões (tam. max.: 100) e dos elementos de duas matrizes

Leia mais

INF 1007 Programação II

INF 1007 Programação II INF 1007 Programação II Aula 05 Cadeias de Caracteres Edirlei Soares de Lima Caracteres Caracteres são representados através de códigos numéricos. Tabela de códigos: Define correspondência

Leia mais

Fundamentos de Programação

Fundamentos de Programação Fundamentos de Programação ESCOLA Fundamentos de Programação 1 Escola Alcides Maya - Primeiro Módulo 2 Sumário Fundamentos de Programação 1 Fundamentos de Programação 1 Introdução... 4 2 Introdução à Linguagem

Leia mais

INF 1005 Programação I lista 12

INF 1005 Programação I lista 12 INF 1005 Programação I lista 12 Caracteres e cadeias de caracteres (strings) 1. [tarefa 42] Implemente e teste uma função que receba uma string como parâmetro e modifique essa string trocando todos os

Leia mais

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Programação com linguagem C

Sistemas Operacionais e Introdução à Programação. Programação com linguagem C Sistemas Operacionais e Introdução à Programação Programação com linguagem C 1 Variáveis na linguagem C: tipo char O tipo char representa um caractere ASCII (ocupa só 1 byte) int main(int argc, char **

Leia mais

Aplicação dos conceitos de programação orientada a objeto em linguagens de alto nível

Aplicação dos conceitos de programação orientada a objeto em linguagens de alto nível 95 Aplicação dos conceitos de programação orientada a objeto em linguagens de alto nível 96 Aplicação dos conceitos de programação orientada a objeto em linguagens de alto nível Nesta etapa estudaremos

Leia mais

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.

Linguagem C. Programação Estruturada. Fundamentos da Linguagem. Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu. Programação Estruturada Linguagem C Fundamentos da Linguagem Prof. Luis Nícolas de Amorim Trigo nicolas.trigo@ifsertao-pe.edu.br Sumário Estrutura Básica Bibliotecas Básicas Tipos de Dados Básicos Variáveis/Declaração

Leia mais

Java Como Programar, 8/E

Java Como Programar, 8/E Capítulo 2 Introdução aos aplicativos Java Java Como Programar, 8/E (C) 2010 Pearson Education, Inc. Todos os 2.1 Introdução Programação de aplicativo Java. Utilize as ferramentas do JDK para compilar

Leia mais

Curso de C para Engenharias

Curso de C para Engenharias Aula 4 Cristiano Dalbem Dennis Balreira Gabriel Moreira Miller Biazus Raphael Lupchinski Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Informática Grupo PET Computação Sintaxe Funções Exemplos

Leia mais

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10

2. OPERADORES... 6 3. ALGORITMOS, FLUXOGRAMAS E PROGRAMAS... 8 4. FUNÇÕES... 10 1. TIPOS DE DADOS... 3 1.1 DEFINIÇÃO DE DADOS... 3 1.2 - DEFINIÇÃO DE VARIÁVEIS... 3 1.3 - VARIÁVEIS EM C... 3 1.3.1. NOME DAS VARIÁVEIS... 3 1.3.2 - TIPOS BÁSICOS... 3 1.3.3 DECLARAÇÃO DE VARIÁVEIS...

Leia mais

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br

LP II Estrutura de Dados. Introdução e Linguagem C. Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br LP II Estrutura de Dados Introdução e Linguagem C Prof. José Honorato F. Nunes honorato.nunes@ifbaiano.bonfim.edu.br Resumo da aula Considerações Gerais Introdução a Linguagem C Variáveis e C Tipos de

Leia mais

INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Nome:

INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Nome: INF 1620 P1-10/04/02 Questão 1 Considere uma disciplina que adota o seguinte critério de aprovação: os alunos fazem duas provas (P1 e P2) iniciais; se a média nessas duas provas for maior ou igual a 5.0,

Leia mais

Linguagem C Funções definidas pelo usuário. Lógica de Programação

Linguagem C Funções definidas pelo usuário. Lógica de Programação Linguagem C Funções definidas pelo usuário Lógica de Programação Caro(a) aluno(a), Trabalharemos agora com as funções criadas por vocês na Linguagem C. Bom trabalho!!! Funções C permite que o programador

Leia mais

1 Introdução. 2 Algumas funções úteis para lidar com strings

1 Introdução. 2 Algumas funções úteis para lidar com strings Departamento de Engenharia Electrotécnica PROGRAMAÇÃO DE MICROPROCESSADORES 2007 / 2008 Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e Computadores 1º ano 1º semestre Strings e apontadores http://tele1.dee.fct.unl.pt

Leia mais

Estruturas (registros)

Estruturas (registros) BCC 201 - Introdução à Programação I Estruturas (registros) Guillermo Cámara-Chávez UFOP 1/44 Estruturas (struct) I Imaginemos que queremos ler as notas de 4 provas para um aluno e calcular a média do

Leia mais

Figura 13.1: Um exemplo de árvore de diretório.

Figura 13.1: Um exemplo de árvore de diretório. 13. Árvores W. Celes e J. L. Rangel Nos capítulos anteriores examinamos as estruturas de dados que podem ser chamadas de unidimensionais ou lineares, como vetores e listas. A importância dessas estruturas

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA. CC 2º Período

PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA. CC 2º Período PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CC 2º Período PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA Aula 06: Ponteiros Declarando e utilizando ponteiros Ponteiros e vetores Inicializando ponteiros Ponteiros para Ponteiros Cuidados a serem

Leia mais

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular

17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular 17 - Funções e Procedimentos em C Programação Modular Unesp Campus de Guaratinguetá Curso de Programação Computadores Prof. Aníbal Tavares Profa. Cassilda Ribeiro Ministrado por: Prof. André Amarante 17

Leia mais

Algoritmos e Programação Estruturada

Algoritmos e Programação Estruturada Algoritmos e Programação Estruturada Virgínia M. Cardoso Linguagem C Criada por Dennis M. Ritchie e Ken Thompson no Laboratório Bell em 1972. A Linguagem C foi baseada na Linguagem B criada por Thompson.

Leia mais

Lista de Exercícios da 3ª Unidade. ( Ponteiros, Alocação dinâmica, Arquivos, Estruturas de Dados)

Lista de Exercícios da 3ª Unidade. ( Ponteiros, Alocação dinâmica, Arquivos, Estruturas de Dados) Lista de Exercícios da 3ª Unidade ( Ponteiros, Alocação dinâmica, Arquivos, Estruturas de Dados) 1. (Seg. chamada - 2014.1) Construa um programa em C que realize as seguintes operações: a) Faça uma função

Leia mais

Exemplos. char c; int i=67;... c= A ; c=c+1; if (c== B )... c=i; i=c; i++; if (i>= C )...

Exemplos. char c; int i=67;... c= A ; c=c+1; if (c== B )... c=i; i=c; i++; if (i>= C )... Caracteres Conceitos Tipo de dados simples (char), cujo valor é a codificação numérica de um caracter; Caracteres literais são representados por aspas simples, como em A e a ; Variáveis do tipo char podem

Leia mais

Aluísio Eustáquio da Silva

Aluísio Eustáquio da Silva 1 Aluísio Eustáquio da Silva SciLab Programável Material didático usado em aulas de Programação de Computadores, Algoritmos e Lógica de Programação Betim Maio de 2012 2 PROGRAMAÇÃO O SciLab permite que

Leia mais

Programação de Computadores I. Ponteiros

Programação de Computadores I. Ponteiros Ponteiros Prof. Edwar Saliba Júnior Outubro de 2012 Unidade 13 Ponteiros 1 Identificadores e Endereços Na linguagem C, uma declaração de variável faz associação entre um identificador e endereços de memória;

Leia mais

14.1 Vetor - Problemas

14.1 Vetor - Problemas Problema 14: Um método de Criptografia consiste em substituir as letras de uma mensagem através do emparelhamento de alfabetos tal como dado abaixo. Construir um programa que codifica mensagens usando

Leia mais

Folha Prática 2. Lab. 2

Folha Prática 2. Lab. 2 Programação Folha Prática 2 Lab. 2 Departamento de Informática Universidade da Beira Interior Portugal 2010 Copyright 2010 All rights reserved. 1. Revisão dos conceitos fundamentais da programação de computadores

Leia mais

Primeiro programa em Java (compilação e execução)

Primeiro programa em Java (compilação e execução) Universidade Federal do ABC Disciplina: Linguagens de Programação (BC-0501) Assunto: Primeiro programa em Java (compilação e execução) Primeiro programa em Java (compilação e execução) Introdução Este

Leia mais

MC-102 Aula 19 Registros

MC-102 Aula 19 Registros MC-102 Aula 19 Registros Instituto de Computação Unicamp 4 de Maio de 2015 Roteiro 1 Registros 2 Redefinição de tipos (Instituto de Computação Unicamp) MC-102 Aula 19 4 de Maio de 2015 2 / 17 Registros

Leia mais

5 - Vetores e Matrizes Linguagem C CAPÍTULO 5 VETORES E MATRIZES

5 - Vetores e Matrizes Linguagem C CAPÍTULO 5 VETORES E MATRIZES CAPÍTULO 5 5 VETORES E MATRIZES 5.1 Vetores Um vetor armazena uma determinada quantidade de dados de mesmo tipo. Vamos supor o problema de encontrar a média de idade de 4 pessoas. O programa poderia ser:

Leia mais

14. Arquivos. W. Celes e J. L. Rangel. Estruturas de Dados PUC-Rio 13-1

14. Arquivos. W. Celes e J. L. Rangel. Estruturas de Dados PUC-Rio 13-1 14. Arquivos W. Celes e J. L. Rangel Neste capítulo, apresentaremos alguns conceitos básicos sobre arquivos, e alguns detalhes da forma de tratamento de arquivos em disco na linguagem C. A finalidade desta

Leia mais

Oficina de Programação em Python direcionada para o desenvolvimento de jogos

Oficina de Programação em Python direcionada para o desenvolvimento de jogos Oficina de Programação em Python direcionada para o desenvolvimento de jogos Adriano Alvez da Cruz adriano.cruz1101@gmail.com Diego de Faria do Nascimento df.nascimento93@gmail.com Programa de Educação

Leia mais

Fundamentos de Programação II. Introdução à linguagem de programação C++

Fundamentos de Programação II. Introdução à linguagem de programação C++ Fundamentos de Programação II Introdução à linguagem de programação C++ Prof. Rafael Henrique D. Zottesso Material cedido por Prof. Msc. Everton Fernando Baro Agenda IDE HelloWorld Variáveis Operadores

Leia mais

UFSM Introdução ao Dev-C++ Profa. Patrícia Pitthan. Introdução ao Dev-C++

UFSM Introdução ao Dev-C++ Profa. Patrícia Pitthan. Introdução ao Dev-C++ Introdução ao Dev-C++ O Dev-C++ oferece um ambiente que integra um editor de textos a um compilador para linguagem C. O compilador usado pelo Dev-C++ é o gcc (Gnu C Compiler). 1) Primeiro programa Para

Leia mais

Estruturas de Repetição

Estruturas de Repetição Estruturas de Repetição Introdução No capítulo anterior verificamos que a execução seqüencial dos comandos da função main nos limita a programação de algoritmos muito simples. Passamos, então, a dedicar

Leia mais

Italo Valcy

Italo Valcy <italo@dcc.ufba.br> Programação C Módulo 01 Introdução à linguagem C Italo Valcy www.ieee.org/ufba Italo Valcy Programação em C Licença de uso e distribuição Todo o material aqui disponível pode, posteriormente,

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA. CC 2º Período

PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA. CC 2º Período PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA CC 2º Período PROGRAMAÇÃO ESTRUTURADA Aula 07: Funções O comando return Protótipo de funções O tipo void Arquivos-cabeçalho Escopo de variáveis Passagem de parâmetros por valor

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA Disciplina de Algoritmos e Programação Profa: Juliana Kaizer Vizzotto Lista de Exercícios Vetores Para a implementação de programas que solucionem os problemas a seguir

Leia mais

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes

LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA. Prof. André R. Backes LINGUAGEM C: DESCOMPLICADA Prof. André R. Backes 1 COMANDOS DE CONTROLE CONDICIONAL Os programas escritos até o momento são programas sequeciais: um comando é executado após o outro, do começo ao fim do

Leia mais

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org

Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Estrutura da linguagem de programação C Prof. Tiago Eugenio de Melo tiago@comunidadesol.org Breve Histórico A linguagem de programação C foi criada na década de 70, por Dennis Ritchie, que a implementou,

Leia mais

Componentes da linguagem C++

Componentes da linguagem C++ Componentes da linguagem C++ C++ é uma linguagem de programação orientada a objetos (OO) que oferece suporte às características OO, além de permitir você realizar outras tarefas, similarmente a outras

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 02 Introdução a Linguagem C Edirlei Soares de Lima Lógica de Programação Lógica de Programação é a técnica de criar sequências lógicas de ações para

Leia mais

5 Apresentando a linguagem C

5 Apresentando a linguagem C 5 Apresentando a linguagem C O criador da linguagem de programação C foi Dennis Ritchie que, na década de 70, programou-a por meio de um computador DEC PDP-11 rodando sistema operacional Unix. Entretanto,

Leia mais

Estrutura de Dados Básica

Estrutura de Dados Básica Estrutura de Dados Básica Professor: Osvaldo Kotaro Takai. Aula 4: Tipos de Dados O objetivo desta aula é apresentar os tipos de dados manipulados pela linguagem C, tais como vetores e matrizes, bem como

Leia mais

Tabela ASCII de caracteres de controle

Tabela ASCII de caracteres de controle Caracteres Estruturas de Dados Aula 6: Cadeias de Caracteres 31/03/2010 Caracteres são representados internamente por códigos numéricos Tipo char (inteiro pequeno ) 1 byte (8 bits) 256 caracteres possíveis

Leia mais

Registros. Técnicas de Programação. Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes

Registros. Técnicas de Programação. Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes Rafael Silva Guimarães :p://:p.ci.ifes.edu.br/informa@ca/rafael_guimaraes Registros Técnicas de Programação Baseado no material do Prof. Rafael Vargas Mesquita Conceito de Registro (Struct) Vetores e Matrizes

Leia mais

Especificação do Trabalho Prático

Especificação do Trabalho Prático Especificação do Trabalho Prático O trabalho prático da disciplina consiste em desenvolver um programa utilizando a linguagem de programação C. A seguir, encontram-se a descrição do problema, a forma de

Leia mais

double pcompra[1000], pvenda[1000], codclient[1000]; //sempre que o usuário voltar ao menu principal ele poderá

double pcompra[1000], pvenda[1000], codclient[1000]; //sempre que o usuário voltar ao menu principal ele poderá /*Algortimo de Controle de Estoque e Cadastro*/ #include #include main(){ int i, op, op2, qtd, entradaestoque, consulproduto, consulcliente,cod[1000],estoque[1000]; double pcompra[1000],

Leia mais

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis

MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis MC102 Algoritmos e programação de computadores Aula 3: Variáveis Variáveis Variáveis são locais onde armazenamos valores na memória. Toda variável é caracterizada por um nome, que a identifica em um programa,

Leia mais

Curso de C. Procedimentos e Funções. 6/4/200901/04/09 09:42 Copyright@Arnaldo V Moura, Daniel F Ferber 1

Curso de C. Procedimentos e Funções. 6/4/200901/04/09 09:42 Copyright@Arnaldo V Moura, Daniel F Ferber 1 Curso de C Procedimentos e Funções 6/4/200901/04/09 09:42 Copyright@Arnaldo V Moura, Daniel F Ferber 1 Funções Roteiro: Funções Declaração e chamada Funções importantes Exemplos de funções Variáveis Globais,

Leia mais

Sintaxe Básica de Java Parte 1

Sintaxe Básica de Java Parte 1 Sintaxe Básica de Java Parte 1 Universidade Católica de Pernambuco Ciência da Computação Prof. Márcio Bueno poonoite@marcioubeno.com Fonte: Material da Profª Karina Oliveira Estrutura de Programa Um programa

Leia mais

Aula Dirigida de Introdução ao Dev-C++

Aula Dirigida de Introdução ao Dev-C++ Aula Dirigida de Introdução ao Dev-C++ 1 Introdução Departamento de Ciência da Computação IME/USP J.C. de Pina, J. Soares e C.H. Morimoto O que vem a ser um programa em C? Você talvez já tenha ouvido falar

Leia mais

Introdução a Programação. Ponteiros e Strings, Alocação Dinâmica

Introdução a Programação. Ponteiros e Strings, Alocação Dinâmica Introdução a Programação Ponteiros e Strings, Alocação Dinâmica Tópicos da Aula Hoje aprenderemos a relação entre ponteiros e strings Ponteiros para strings X Vetores de Caracteres Vetores de ponteiros

Leia mais

Algoritmos em Javascript

Algoritmos em Javascript Algoritmos em Javascript Sumário Algoritmos 1 O que é um programa? 1 Entrada e Saída de Dados 3 Programando 4 O que é necessário para programar 4 em JavaScript? Variáveis 5 Tipos de Variáveis 6 Arrays

Leia mais

Apostila de Introdução à Linguagem C

Apostila de Introdução à Linguagem C Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Engenharia e Arquitetura Programa de Educação Tutorial Apostila de Introdução à Linguagem C Por Marcela Rocha Tortureli de Sá Bolsista do grupo PETCivil

Leia mais

Programação e Sistemas de Informação

Programação e Sistemas de Informação Gestão e Programação de Sistemas Informáticos Programação e Sistemas de Informação Programação e Sistemas de Informação REVISÕES 1 Conteúdos Introdução Declaração de strings Atribuição de valores a strings

Leia mais

Exercício de Revisão Linguagem C

Exercício de Revisão Linguagem C Exercício de Revisão Linguagem C * Baseado no material do curso: PET Engenharia de Computação - UFES Responda às questões a seguir, selecionando a alternativa mais apropriada dentre aquelas existentes.

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. A Linguagem C

Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação. A Linguagem C Universidade Federal de Uberlândia Faculdade de Computação A Linguagem C Prof. Renato Pimentel 1 Programação Quando queremos criar ou desenvolver um software para realizar determinado tipo de processamento

Leia mais

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação

3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C 3.1. CONCEITOS BÁSICOS. Lógica de Programação Lógica de Programação 3. INTRODUÇÃO À LINGUAGEM C Caro Aluno Vamos iniciar o terceiro capítulo da nossa disciplina. Agora vamos começar a aplicar os conceitos vistos nos capítulos anteriores em uma linguagem

Leia mais

Aula 1 Tipo Abstrato de Dados

Aula 1 Tipo Abstrato de Dados Aula 1 Tipo Abstrato de Dados Luiz Chaimowicz e Raquel O. Prates Livro Projeto de Algoritmos Capítulo 1 2009-1 O que é um algoritmo? O que é um programa? Algoritmos Sequência de ações executáveis para

Leia mais

1. PROLOGO ==========

1. PROLOGO ========== 1997 - Hackers Iniciantes em Linguagem C 1997 - RoyalBug - thedarkage@mail.geocities.com thedarkage2@mail.geocities.com 1997 - The Black Church MANUAL C 01 ================ 1997 - http://www.pcs.usp.br/~peasilva/

Leia mais

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM C/C++ Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1

LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM C/C++ Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 LÓGICA DE PROGRAMAÇÃO PARA ENGENHARIA INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO COM C/C++ Prof. Dr. Daniel Caetano 2012-1 Objetivos Entender o mecanismo de um programa em C/C++ Apresentar e estrutura da Linguagem C/C++

Leia mais

Algoritmos e Estruturas de Dados I

Algoritmos e Estruturas de Dados I Algoritmos e Estruturas de Dados I Prof. Daniel M. Martin (daniel.martin@ufabc.edu.br) Aula 7 (laboratório) Exercício de Laboratório Neste exercício você deverá praticar o uso da estrutura de dados 'Fila'

Leia mais

Algoritmos e Programação. Curso de Engenharia de Produção Prof. Ms. Rogério Cardoso rogerio.cardoso@aedu.com professor@rogeriocardoso.com.

Algoritmos e Programação. Curso de Engenharia de Produção Prof. Ms. Rogério Cardoso rogerio.cardoso@aedu.com professor@rogeriocardoso.com. Algoritmos e Programação Curso de Engenharia de Produção Prof. Ms. Rogério Cardoso rogerio.cardoso@aedu.com professor@rogeriocardoso.com.br 2012 Conteúdo e Objetivos da Aula Introdução a Linguagem C Revisão

Leia mais

ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++

ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++ ESTRUTURA DE UM PROGRAMA EM C++ Estrutura de um Programa em C++ #include { Este trecho é reservado para o corpo da função, com a declaração de suas variáveis locais, seus comandos e funções

Leia mais

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include

Aula 1. // exemplo1.cpp /* Incluímos a biblioteca C++ padrão de entrada e saída */ #include <iostream> Aula 1 C é uma linguagem de programação estruturada desenvolvida por Dennis Ritchie nos laboratórios Bell entre 1969 e 1972; Algumas características: É case-sensitive, ou seja, o compilador difere letras

Leia mais

Exercício 1. Tabela 1: Cadastro de usuários, senhas e privilégios (exemplo). Login Senha Privilégio Armamento

Exercício 1. Tabela 1: Cadastro de usuários, senhas e privilégios (exemplo). Login Senha Privilégio Armamento 1/5 Exercício 1 Um sistema de segurança militar, usado num submarino nuclear, controla o acesso de usuários a três subsistemas (armamento, navegação e comunicações) através da digitação do login do usuário

Leia mais

Programação em C. Este guia é um trabalho em progresso, em constante. Uma cópia deste guia, em sua versão mais recente, pode ser encontrada na página

Programação em C. Este guia é um trabalho em progresso, em constante. Uma cópia deste guia, em sua versão mais recente, pode ser encontrada na página Programação em C Um guia para programação em linguagem C, que pretende servir também como uma introdução à Computação. (Baseado, em parte, no curso de Introdução à Computação [MAC- 110/115] do IME-USP.)

Leia mais

Aula Prática 1: Introdução ao Ambiente de Programação Dev-C++

Aula Prática 1: Introdução ao Ambiente de Programação Dev-C++ Aula Prática 1: Introdução ao Ambiente de Programação Dev-C++ 1. Introdução Em nossa primeira aula prática de programação em linguagem C iremos escrever e testar programas de computador básicos. Mas antes,

Leia mais

AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON

AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON Computadores e Programação Engª Biomédica Departamento de Física Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Ano Lectivo 2003/2004 FICHA 1 AMBIENTE DE PROGRAMAÇÃO PYTHON 1.1. Objectivos

Leia mais

Aula 11 Introdução ao Pseudocódigo. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www3.ifrn.edu.

Aula 11 Introdução ao Pseudocódigo. Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www3.ifrn.edu. Aula 11 Introdução ao Pseudocódigo Disciplina: Fundamentos de Lógica e Algoritmos Prof. Bruno Gomes http://www3.ifrn.edu.br/~brunogomes Agenda da Aula Representação de Algoritmos em Pseudocódigo: Sintaxe;

Leia mais

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados

MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados MC102 Algoritmos e Programação de Computadores 2ª Aula Programa, entrada e saída de dados 1. Objetivos Falar sobre programa de computador, diferenciando programa em linguagem de máquina, de programa em

Leia mais