v1 I fl?ar!!! fatl wjêuff

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "v1 I fl?ar!!! fatl wjêuff"

Transcrição

1 SOBRE CLASSFCAÇÃO: UH REVELA QUANTO VÃO GANHAR MÉDCOS, [fcenheros E TODAS AS CLASSES DE NÍVEL SUPEROR UNVERSTÁRO! aaaaaa» ar -. - lll,.. - -~aaaaaaaaaaaaa g h r; -vm ;. a T k :: :/.) m..y f; f. a; >; ;»,j r.y/j m a :/j : >T «aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa a a _. (LEA NA PAGNA 2 aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa MOBLZA-SE A GUANABARA PARA ENFRENTAR A EPDEMA GRPE (CROULA) à ESTÁ MATANDO m-mmmmmmmmmmmmsmmssmsmmsmmmmmmmmmms RANHA DE BELEZA E POETSA Mss Sorrso Portugal UH99 lumnou a Redação (.EA NA PAGNA llll -m~~ \ Note Amor e Sangue: Commárm Truedado m Estàch amaaa»a»a«aaaalaaaaaaaaaaa»alalalélaaaaa»a»a»aaaaaa. - aa»»»»»aaaaa»»»aaaaa»a»aaaa»aaaaaaa>aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...«.««..a...,,,,, - -. gea ANO X Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 N. 39 comcrcárlo Francsco Montcsuma Afonso reunu todo o dnhero da qunzena e resolveu comemorar o sen anveríro, em festnhu rudosa com amgos, mulheres e íeínte. Ontem, madrugada, fo encontrado morto, com os Usos revrados e város afundamentos no crâno. Na* lotos: a dona ra casa. dc cômodos on Francscc morava. que fo o rmera essoa a ver o cadáver: e o coro sendo mrado ela autordas. (LEA NA PAGNA 4) v fl?ar!!! fatl wjêuff Onfem o ra festa em UH: Aí cro Teresa Mota. Mss Po:uocl. oue c,rm ranha beleza, também e jornalsta escreve ara crança*, sobretudo rm verso, v.a revsta Cevalcro Andante. Lsboa,, estee em vsta c nossa rcdacãn < conqustou a todos com seu sorrso gentlssmo e. seu to moreno nrt-uqwsnha oonru Damos aqu. em toro-. una síntese ro que fo o rmero e movímen t.ad ss-.mo da dr ~Mr< P~tunat n<> Ro- a esquerda, vstando a Embaxada d>-..eu n-.- u-, alta. nn redação a- :. r noa ara os colegunha tc mrensa: e. em cme. osando ara otograo no nacabana Paace.. ojd< cjtá hosedada, :a.na agna..: PÓLO ESTÁ DE VOLTA A Dcofj fazer quase ãuax centenas vtmas no semestre, a aralsa nfantl voltou a «luvcr. e mas cnco cranças foram nternadas nos últmos dos das no Hostal esus Hr. aesar ser a maor trnchera dr combate á doença, ura fechar a qualquer momento (segundo seu dretor. snac Abrahão foto) orque anda não recebeu Crs.. - toes, trfrrrfc7sdt)cís lú r sua manatençâo. O governo comrou mas ml doses vacna Snlk e clama aos as que vacnem os flhos. (LEA NA PAGNA DOS) v- %- ãs&<mmêêêêêk- «rp> - Mlm;w8ÊWkk>j: W &BÊÊ$WÊÍ-:à A wlí l«f % t- %t* B ( l M M PAGNA 3) Tm~w?raáajS? m,,. Bè» fçí?»tífakâl *mlk%fà3lwm wêm- SwL íasúebroíts!aamamfsêteaj*. W?- as rr35 *# **a*v -4 M* 39M& MARA ARBENZ: SOLDAREDADE HUMANA FO NUNCA SUBVERSVA Basquefebol: Estado do Ro Venceu»e d; onr, no rí)rr.>r»- P.h.ü ortalfro ne basquetebol juver.:! oue esta sendo real- ;*:uv. en: Bro Kon/one h 5ceef, co E>tado do Ro con- r!ru:: «t:a rmera vttnrra an retotar o Amaá or \ 54. onoo Prefere Renuncar BRtM.n. :n tn o* lres dn TB anuncam a cheraa.. hoje. do Sr. íao Goulart a esta catal, ada.- tando que n lír trabalhsta trn comíco rogramado ara o r.a rf acosto, em Rrfe. Sabendo-se que n va- Cem resncal (M-orrera entre. e t acosto, e certo, assm, que n \ ce-*resdrne referra renuncar ao rest..nte do seu mandato a ata*-- tar-se do Tas, Enquanto sto, o Sr. Osvaldo Maa Pendn. em nome do Governo, rocura uma formula caas assecurar a v a cem do Presnte Kubtschek a Portu cal. mleao já Po httos: Des ontem o Ro receber oavões a A jact o naugurada rll/c elo (/(/ Reúblca foto, tre o Mnstro Aeronáutca e o Co-, Sette < Câmara). Psta 3.3 me-.} to Aeroorto dn «. Gaa maor da Amérca t,,:.. *«a, >(rrradar, auxlo,, ou -- s e a colagem. n,. res,,ee l««aue a ara.t,r, Pa o ««ntenso lla movmento,,» í a ç a o comercal M NA PAGNA 2) X mbbmv 2l PÁDUA: ÚR * t M t. wbm A / -5- m tf :<smm m SURPREENDEU. Na cda flumnense Pádua fo realzado o maor julgamento odos os temos nuquele acato muncío. Os trabalhos tveram a duraç&o 24 horas, le artu-and- z advogados contratados elas duas artes O rn?c«(lctm Amarto Soares Montero mto no ano assado, matou o Agente fscal, ose Feluo da Slva, xando na oranda mas dr z cranças. Como o crme tvesse sdo ratcado lííflrdn o reresentante da tsdo Estado se encontrava sentado em sua mesa eserava-se a con colraeíao (, Goíno nução ão reu. O júr hrem, absolveu o acusado r«7 lxla NA PAGNA,. #3%-k >* -as8»íhbaw afíía. TSflSlaEaaa.. A**%- -,,. jv*.-..:.:....-m d c. V.!.. rhnhulc. a, >.. ü í; > n Mana A. -.to f- -r, (f >.->.*>.. -tr-.rvt; (e,rrn nfr, -urores fjun. ej--pe;tje»íe da --r (.a-.«(l:l ra.{;«.. ruüuc ->?n!* < - nr>. -n :. í ftvffhnet s, í; r: *- : UC A ar-oo n rcvolucân -hhn-:,] -<: nm náo da c : - -. ; : ; fír chú!?. tmunsto Sohíu SNDCATOS QUEREM REGME DE URGÊNCA PARA NOVO MÍNMO & 8 NFORMA E SOCEDADE StC X. -; *. flumnense 99 ARTSTAS NO SALÃO FLUMNENSE n s rr. :..: :rn: ::c X\l >rv-... : : < se ( Heus *\-- Re í»s Pnbf.s Es-v«\sSor;:...o! :.,. :.s. ;! Be rus A- - cn e.s-c :» ah«-, VrlS HTl S U!V!S S r-hs mutos ra eíev-nrr. HC rnr;hpccío,s í\<».>r..j ü [VT*);s T*TPS<>r>í;; A. («;:;- Pn ur. Brra to rtl txtss- -e.. da :. rutms -rr.: :..:-:. K n Ortruestr» F-:rtn!a r*e.u.:íhvs> fsíü.rá dfínj.- no AB O

2 j PAGNA 2 Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 ULTMA HORA ACONTECMENTOS DE ÚLTMA HORA ULÃO NA AB; POSSEROS DE PERNAMBUCO COM LOTT! Para un gran audtóro, na \l!l. o Deutado Francsco ulão. (PT. Pernambuco), a ontem. ã note sobre a necessda ra rt*forma agrára Brasl. relatando tatus «obre as l.eas Camonês fun(uula.s or õl no seu l. talu. vsando a lrar a luta osseros f fesa suas terras. Dsse o utado que os lavradores a têm bastante un- dos que ate orta osser hoje lera trar P lca da ra ara a realzação um movmento nédto no Pas. a greve nos camos. A greve s lavradores aerá tao acfca quanto os movmentos dos oeráros nas cdas dsse o utado. Consste na aralsação co fornecmento vtveres ara as cdas. Referndo-se ao Governador Cd Samao, dsse que em Ma camanha eletoral êle ome- nào ocorreu (l utado dsse que nao tem eserança que haja tão cedo a reforma agrara no Brasl. Exstem mas 2 rojetos nesse sentdo engavetados na Câmara, e nenhum les assará enquanto 7. do arlamento fôr consttuído or reresentantes dos gruos latfundáros - dsse o arlamentar. Fnalzando a alestra, o utado revelou or que o.s camoneses o Marechal Lott: orque ram o seu aoo ele já *>e manfestou ublcamente favor co voto do analfabeto «ela referma agrara. MAGALHÃES PNTO EM BRASÍLA BRASÍLA, líl (UH) Chegou hoje a esta Catal n Sr Magalhães Pnto Falando lgeramente a reortagem, <> retnte da l*dn clarou que vem restar soldareda aos novos lres da sua corrente, Srs oão Agrno. da Ooscão e tondo Pacheco da UDN, tratando, ao mesmo temo, re meddas stnadas a atvar a camanha em rol da canddatura du Sr Mlton Camos GREVE DOS BONDES FO TRANSFERDA PARA 27 Reundos, ontem a note, em seu Sndcato, os trabalhadores em Carrs. ca Guanabara. resolveram dar um voto ce confança ao Governo, eoneerendo ra/o oto das ara que se resolva, junto a Lght. o roblema do aumento salaral revndcado ela classe A csão ío tomada cm vrtu dc um lelecrama du Sr Barros Carvalho. Mnstro ra Agrcultura, drgdo ao Smdcato. E o segunte o seu texto: Peco rvado Presnte, transmta esse Sndcato o meu frme roósto bem como do Kxmo. Sr. Mnstro do Trabalho. no sentdo encontrar uma ronta e justa solução aa o caso do aumento salanal ssa laborosa classe. Tão logo chegou às mnhas mãos o rocesso referente ao assunto, nce entendmentos nnterratos com os Srs. Governador da Guanabara e Mnstro do Trabalho. Dentro co razo olo das osso assegurar oue leremos uma solução que atenda às ju*- tas revndcações dos trabalhaclore- Asseguro, anula, meu emenho ara que seja conceddo o reajustamento salanal, a artr junho ultmo, ncln ao encontro das séras dfculdas que tão du- Vãmente atngem es>a nobre Concurso Mss Uncale na rofssonal USNA SDERÚRGCA PARA RO GRANDE DO SUL: BRZOA PRESENTE À REUNÃO Na sed.; da Procuradora do Ro Gran do Su! nesta Cata, estv r-.m reundos ontem, com o Governador Leonel Bnzola. reresentantes váras entdas nteressadas na nstalação d;, usna srúrgca no Ro Gran ro Sul. omovda elo Governo gaúcho, com a artcação organsmos fera. senvolvmento econômco e ndustral. Em for- oe certas excèncas fetas c:a ComanhH Srúrg/ca N.rona] ara sua artcação dreta e assstênca técnca ao emreendmento, fcou cddo na reunão hbe- :ar a CSN dc seu comromsso ncal, sendo organzado novo esquema d- moblzação dos catas necessáros ao emreendmento,, O Governador Leonel Bnzola vera regressar amanlâ manhã. Porto Aleere. satsfeto ao que nos fo nformaro. com a solução encontrada, embora não tossem reveados talhes ra.; csões tomadas. GLBERTO AMADO E GUERRERO RAMOS CHEGARAM ONEM Para fcar dos meses no Brasl e resdr ao lançamento um novo lvro memóras Deos da Polítca - chegou ontem ao Ro. a bordo co Lous Lumere, o embaxador Glberto Amado No mesmo navo reornou o escrtor Guerrero Ramos, que rovetara o materal que recolheu no vstar dversos a- AN.S LOTT ros gos,.,...- fa 7c: conferêncas. Dsse éle. na Chna, embora au- n.ento anua! 5 mlhões essoas, ha carênca mãote-obrn: e nformou que a mulher chnesa esta nteramente be: ta do o a tomem, com am nendènca eco Tas rovocações acrestentou o Sr..láno são. alas, menos drgdas contra mm do que contra os trabalhadores, o o.o em geral e as róras nsttubees mocrátcas. Não Crrca K Até agora, aeos ter ercorrdo os Muncíos Pamera. Santo Anseo. Santa Rosa. Soleda e Vacara, o Sr. áno Quadros nenhuma crtca drcru ao governo feral, falanro essoalmente, no Sr. usce- n,o Kubtschek. Em lgeras assagens, o canddato das oo- w Edtora S/A ASSEMBLÉA GERAL EXTRAORDNÁRA Fcam elo resente convocados os Hrs. Aconstas ara se reunrem em Assemblea Gera Kxtraord nana a ser realzada na se da Soceda. r,a Rua Sotero dos Res. n b2..o róxmo da 3 do correute, as horas, ara berarem sobre roosta da Dretora, com arecer favorável do Conselho Fscal. que autorza a Soceda a restar avas ou fanças em contrato emréstmo, com garanta enhor mercantl, que mencona e ratar assuntos nterésse geral. Ro anero. 9 lulho 96 Samuel Hanrr Pres..*.*. RES CDADES FLUMNENSES NOVE FUGTVOS MSS PRMERO DA DE PORTUGAL UH NO RO DE ANERO- VSTOU dos mas exaustvos o rmero dr Mara Teresa Mota Cardoso, verso, dsse-nos Mara Teresa FO Mss Portugal, no Ro anero. Cumrndo un rograma dos mas ntensos, fcando com aenas algu- njusto o crtéro acolado. A que não ora ter sdo mas Hosedada no mas horas ara reousar, a belda ortuguesa teve a sua seu ver. o título vera ter sr-entregue á tar nteramente tomada no da ontem, semre acomanhada ela reortagem ULTMA HORA, que assm ô Mss Mss Suíça, que lhe areceu mas bela entre tôcas a.s canddatas. Quanto à documentar lotografcamente as suas vstas a dversos locas. Mss Brasl, consrou njusto que não tvesse sdo class- As 3 horas, aós uma vsta Brasl. Todava, se ossível, c cortesa ao embaxador vera artcar do 2. Festva Luso-Braslero, a realzaa Gna MacPlerscn, elo me- Mss fcada, Dsse que eserava ase no róxmo da 3 no Maaranãznlo. Anda no correr vez, que reuna qualdas e nos, o 2. ou o 3. lugares, uma Unverso, e sta semana, verá r à Bra- atrbutos sufcentes ara sso. Mss Portugal. Sr. Manoel Rochetta, Mss Portugal vstou ULT- MA HORA, atenndo gentlmente ao nosso convte. Mana Teresa verá ernat.ecer elo menos das no sla. Sóbre o : Mss Portugal em alestra com Paulo Slvera, na redação dc ULTMA HORA. Referu-se também á Chle, ctanro-a anda como r.semlo do crtéro njusto do júr, orque embora moça re gran beleza, não fo fnalsta. Duas Poesas RO Á PODE RECEBER ATOS: NAUGURADA PSTA NO GALEÃO SPONDE A OUPA K ALEGRE, 9 UH) Nao comento em maores PORTO talhes nem aceto as rovocações e as ameaças do meu oostor afrmou a ULTMA HORA o Sr. âno Quadros, antes retornar, esta manha, a Sao Paulo, referndo-se ao dscurso do Marechal Texera Lotl, e n que este afrmou que eleção do canddato da UDN trara um clma nsegurança ao Pas, ondo levar, nclu- sve, a ajerra cvl sções tem aenas, chamado a atenção ara o abandono da agrcultura e o fracasso da revdénca socal. Roboré Lott: Deve Ser Revsto Durante o almoço que lhe fo o e r e c ( o ela dreção da CFSF. quando -ua estada na Baha, e ndagado sóbre sua osção quanto ao acordo Koboré. o Marechal Texera Lott assm se ronuncou: Deos dc estudar, tdamente, aquele acordo, chegue a conclusão que as ossíves vantagens que êle nos trara não comensaram as grans svantagens, Na mnha onão ve ser rcestudado, a Mm üe reservar nteresses brasleros c hol\ anos. Prosscgundo. dsse o caneldato da colgação PS D-PTB- PSB: Se eleto, rocurare resolver e-.se comlexo roblema econúrnko-t (. ro, através novas c csvas conversações cnm as autordas bolvanas, em clma ro maor esírto dc justça e reseto mútuo ata que os seus resultados toraleram, anda mas. os trarconas laços amza entre os dos Países. fnalzando, sustentou o Marechal Texera Lott: Mesmo orque, não sera ela força mltar, ressão dlomátca ou exloração do etróleo bolvano, consoante regações estralhas aos nteresses da concorda an-amercana, que atngramos a tão almejada solução. Hava, anda, o nconvenente que as turbnas dos jactos, na colagem, arrancavam saatas nteras ro asfalto, obrgando constantes obras reavmentaeão. Para a construção da nova sta, em que so foram emregados técncos e materas es- rtamenle naconas, fo neeessaro aterrar 8 metros ara ntro da baa, cm local lodoso, o que tornou mas dfícl a tarefa. A construção fo. entretanto, conclura em temo rr- que cada vez. mas se acentua rn seu esrto. Coa Portugal esta loscdada no Coacabana Páluce- Hotel, cm comanha da assstente tursmo Mara da Encarnaçáo Almeda. Há cérca mes xou Portugal ara tomar arte no Concurso s então, não vê seus as. quem sente saudas. Todava, brevemente verá segur ara o.s Estados Undos, on artículara do Concurso Beleza Unversa Long Bcacl. nformando, aenas or aroxma ão. a oulação carcerârla ra lha. Assm, tem semre a seu favor um termnaro número resos não lentlcaros. são os :(ne om banddos, nclusve Bazan, Fumaça Ferro Velho, connados mas casn da lma é smles: )- fove 2 anos, fugram, há 2 das da lha Gr.v em canoas esca, alcançando ltoral nlelr. Com ) ml cruzeros u aós horas vaqem e vencendo 2 mlhas correntezas Até aqora, aenas um rsonera suborna a guarda da dos fugtvos, cuja ntda vem sendo m antda em sqlo fo tdo, tendo-se entreentencára o comra uma canoa escadores, que xam gado a oulares na localda Ldce, dstrto Mangaratba O fugtvo fo meà rsão da lha Gran, fcando ta ara a fuga. Embnra todos a embarcação samarrada ron- chatamente condudo em lancha da Polca flumnense ncomuncável oa cela Os mas funt vos saarecdos vèm ondo em ânco toda a os resos sejam obrgatóramente recolhdo!) ás ls lmas, oulação ltorânea na área Mangaratba, tacurussá e Angra dos Res sbníetcdo-se à chamara re l.mcras caravanas da Polca Mltar do Estado do Ko, tns c dnhero, que lles osdores sdéncas cm busca alncn- Gran nformam os mora- rotna, há mutos que conseguem tlangaratba, orto fcar além ros muros, com clance ara escaar. Por causa ras ru cura m nas matas os resdáros, auxlados or guardas slúlte atngr o to. frontero ao resdo, on comnente aortam Encontrada Uma resos, que ( (nstantes fugas, a dreção (a entencáros e oulares. Teme-se que os banddos aaro- Canoa (r lma colôna re esca nas ncee á reortagem o número têm a fuga facltara or causa rsão ra lha Gran não forrados e famntos, saqueem re- Fugas so constantes lha roxmdas da rsão. O me- exato re nternos sob sua gl ll- morrer or maus tratos ou que smlesmente fogem. As lmas, or sua v7- somente são eonuo ntcads quando o núnu resos e sueror a três. Ontem dc madrugara, olcas e oulares tacurussá vram nma canoa abandonada na raa. Un seu nteror, foram encontrados _ remos mrovsados e grosseros, ntfcando-se a ctlarc.rão como uma (as.{ furtadas elos fugtvos ra lha (ran. Daro o alarma, o Tenente Pedro aslno Carlos, resonsável ela Catana dos Portos local, ornou que seus homens rocurassem ns mtvos. Pânco no REAÇÃO ESTUD VSTA DE A a maor sta da Amérca do Sul e sua construção atrará ara o Brasl ESTA um ntenso movmento avação comercal, contrbundo ara o mas rádo senvolvmento econômco nosso Pas E com orgulho que o governo feral entregaa, hoje, ao Estado da Guanabara Essas clarações foram fetas, na tar ontem, elo Presnte uscelno Kubtschek, momentos antes da nauguração da nova sta do dretora que eu esdo roora ao lenáro que drja unu Aerooto nternaconal do Galeão, que ossbltará a oeração avões a jacto oualquer to e tamanho, or mas exgentes que sejam as suas condções ouso mensagem ao Vce-Prosnte colagem A nauguração fo breve, falando o Presnte da Reúblca e agracendo da Reúblca, solctando-lhe sstr ca vasen. o Governador Sette Câmara O.-:. uscelno Kubtsrlel. A nova l-la tem.,.. metros Nos Estados eorclc. já que as ohras foram lambem nus Estados cresce, chegou ao Galeno Vs- comrmento or \s dc larcura e é toda eoneretara. Sua não fo necessára a nterdção to contra a da ango. lír ncadas em janero últmo e entre os estudantes, o movmen- count. assando em revsta a troa al lornda em sua lo- eonstrução fo uma exgênca ra total da sta, ermtndo a orração normal dos avões das l- ros trabalhadores brasleros, meagen Aós a solenda, mornzação da aeronáutca. ao encontro dos dtudores Salazur e Franco. Ouvdos ela re- retrou-se. helcótero, em rncalmente no que dz reseto aos avões-a jacto. A sgeroslhas nternaconas assa- comanha do Governador Sette j otageu LH, or, lres estudanls Walter Gomes Ro ta antga, Câmara do Sr. Augusto Fre que tnha, aenas. A nova sta ê. anda, dotara re aarelhagem raclar. Gran 2.4 metros comrmento, do Norte, osué Slvestre (Paraíba), Washngton Leão nco schmdt a solenda era asfaltada, o que meda a auxlo ao ouso r a colagem. estveram resentes o Mnstro lena oerarão avões a jacto. Os jactos scam e cola- Os aarelhos, já nstalados, estão em fase exerênca, dcbrel (Mnas Geras) foram una- ca Slva Baha l e Nassm Ga- da Aeronáutca. Brgaro Correía Melo e númeras autonvendo funconar brevemente. ntnes em connar a anuncavam no Galeão com númeras restrções em relação ao eso. das cvs e mltares Embaxador ayme Ltoral! : quentes, e gnorava a nova n,.. Desta forma, os olcas fluu. nenses não sabem qu curam, n orque nau no.s.s lotos ros fugtvos e náo s;l nu como se chamam r.lam,,, ngram, lsta falha tem e,,. lcaro as dlgêncas or ce - to,- dará, aos lanrd temo necessáro, a que ln.an nau. res centros, como tl e S. -Ml- o. on dfclmente se rã c nhados. Dvdram-se em 3 Gruos Guardas armados atrulham as ruas tagua, llacruçá, Mangaratba, Angra dos Hes..dcc e.laçare, na eserança ce localzar os banddos e ambem ara roteger a oulação aavorara. Ontem, or dversas vezes, tentou consegur com o dretor da Pentencára Centra. Coronel Paulo Sales P.n, resonsável ela admnstração ra lha Gran, as ntdas e fotografas ros margnas foragdos, o que or certo facll.ra a rsão ros fugtvos. Entretanto, o Con nlormm-nos que também sço-, nheca a ntda ros lu- O sargento Artur da Slva las los, ÍMaugar tha,,uc comanda arle ras dlgencas le catura, dsse-nos que os fugvos dvrran-se em res gruu, algnro-rlversos ontos,.,, l. to. ara dfcultar a ação <,- seus ersegudores. () (l,, adantou-nos anda ler sd. nformado da rsão dc un ros banddos em.laçare, dstrto dr Mangaratba. Contudo, os nardas da lha Gran que o reram referram rrcanlá-ln á rsão sem fornecer sua d,.,,. lda. O sargento Artur l,,,, los dsse c_t( > as fugas são conuns na lha Gran, aesar da dfculda, quase nsuerável, que as 4 mlhas dr mar corda, há ( meses, o handdn.mamão escaou, em roma, llhla re mas quatro rrünnnsos. utlzando-se ro mesmo método, subornou a Kar.l. r comrou canoas esca.lorrx que fazem onto na lha Cran. NTL CONTRA A ALAZAR Mara Teresa falou-nos ambem suas atvdas nelectuas. nformando a*uc atualn ente trabalha ara uma revsta nfantl edtada em Lsboa, Cavalero Andante. Dsse-nos que comôs duas oe- j sas, nttuladas Chuva e Soldão. sendo esse o, seu an assatemo redleto. Exlcou o seu ra vager, clarando que lart a Portugal eslá em estudos t\ tudantes S e cundáros. o não o orestgar um re- elos drgentes estudants, car amor elas letras, dzendo que reresentando uma coletvda me força. aguardam aenas o encerramento do Congresso da UNE e flha do jornalsta e ecomsta Manoel Mota Cardoso, que semre tem estado nas rneras llás ca luta ela mo- em Belo Horzonte, ara se ru. Passeata edtor da revsta Brasíla, que cara e contra o fascsmo, vé Una asse da rotesto con- (rosarem com os unverstáros crcula em Portugal. Por esse motvo, acredta que tenha hercom rofunda estranheza a ta a vsta do S. oão Gou no nw)\ mento. dado do a aquela tendênca, anuncada vagem do Sr. oão, Goulart a Portugal clarou wm WWSíü a, UH o lír seeunrlarsta Panundo Nonato Cruz. Presnle da UBES, entda que conereud um mlhão e cnzentos mrvm nnk / ml jovens em todo o Brasl. A resença aneo em.slou. or ocaaão das TRABALHSTAS APROVAM conemorações henrqunas. dsse o dleente estudantl, vra,n.ondre. ( O- trabalhstas arova!: a reslgar as dtaduras que ormem % essoal do Sr. Maemllan ao Sr. Kruschev, clarou o lu os ovos Porluga e Esanha, % Oosção m Comuns. Sr. lud Gutskell, que acresce.: toda a nglaterra esla acordo com esse documento e que estarão al reresentadas seguda, o elos tranos SH.az.a_ e Franco, orta-voz trabalhsta roôs que o Ocnte v. antecou: ça uma contrbução ostva ara a redução da tensão ene e oeste e sugeru a art ação da Clma e ca A UBES va reunr-se em em tòdu conversação cúula. O Sr. Gatskell, tan.>.»: Coneresso amanhã hoje. Logo uunlju se era na rmera sessão lenára a runte que o.s avões norte-anerc a: s sem tão erto co terrtóro sovétco. NOVO SURTO DE PARALSA NFANTL ALARMA CDADE! D &EPS dc fazer quase duas centenas vtmas rste semestre, a aralsa nfantl voltou a atacar e mas cnco cranças foram nternadas nos Barros Dz Que Trujllo Reconhece Que nvadu Nossa Embaxada BALARNOS FRANCESES ESTREARAM (OTEfH) GASTANDO MUTOS FRANCOS d» estrear, ontem a note, no Teatro Muncal, ANTES os rmeros balarnos da Oera Pars, Lan» Daydé e Mchel Renault falaram a mrensa, na AB, aresentados elo Sr. Georges Hrsh, admnstrador dos teatros lírcos França A..tha avera novo es> tae ío da óera Pars, que ve,o ao Bas,: com o objetvo aresentar a verdara da.- a neo-clãr.sca francesa cal uda em suas tradções, sem Embarcou o Caral: Munque Com o objetvo urtlcar du XXV Congresso KUcarístco nternaconal, * realz-ar-a* em Munque, embsrcou ontem as.4.. horas, no Aerutld nternaconal co Galeão, rum stno à aquela cda, o Caral Ar ebso do Ro anero, Dom ame Burros Cínnaa Ao mbarqu do Chefe ú.\ gteja Católca v> Estado dn Oanabü.. comarecerat. númeras autordas crl«mltares e eclesástcas, %,êm re Vár«fes e adres carocas Uo ue verá [-rnunecer 5 das em Munque r os reqrcs.strá ao Ro, ara rencar suas atvda» comando da lareja Catolca Aostólca Romana en- O 5., car na vulgarda Essa. a exlcação do Sr George rsl Para l.ane Da o russo dança com mas exressão, o. :\cí < mns técnco e o ranrés e a combnação dos,dos exressão-técnca /a,e r Ml rhe! estveram um més na L,ao Sovétca, atuando com as maores balarnos sovétcos Os dos balarnos ganharam l! mlhões francos em uma ação que metraram contra a atual dreção da óera Pa rs, que slseatcunete vnha relegtcto a um sermdo tllo os arlsls Sentndo-se reju (lcdos. entraram com uma ação na ustça e ganharam E to Rm -ao gastar mutos ían (OS ontem aos lorna- o em- FALANDO lstas nu tamarat, ba.xad.r ro l.rasl na teúbllea Domncana, Sr. ame Barros, dsse que a soberana braslera fo volara ao ser nvaclra nossa embaxada em Cudad Trujllo. c que u governo domncano reconheceu o fato. O embaxador. que veo ao Ko a chamado do Mnstro.afer. fo ao tamarat aresentar-se a Dvsão (o Pessoal r far se cuw-u. Hoje Com Mnstro Sn mente h.?jr * embaxador falara com o Mnstro loráco Lafer, tendo mantdo onlem l sera confrrf nra < o m o r lef e df B allne t e do Mnstro (rso Antôno u> Sou /. r Slva. VA AGREDR ADAUÍO BRASÍLA.!) «U - O Deutado Adauto Lúco Cardoso clarou a mrensa caroca haver o Deutado Euvuldu tnz recebdo uma a)uuu 35 llc.es da LHA ata v construção uma matetudu em Serge. 4u.ru o rereu.nante agano clarou a mtetna sta Catal se que. Aruto nfo se retratar ublcamente,\lé amanhã, quarta- _>_::* vas quebra -Hlf a rmu. quando cntb na Cãnaa, últmos das no Hostal esus, que. aesar ser a maor rnchera ce combate à doença, orá fechar a qualquar momeu orque anda não recebeu CrS.*> mlhões ndsensávels à sua manulençüo. A Secretara dc Saú aluuca nova camanha csclarecmento aos as ara (e não xem re nocular vacna Salk nos flhos, lembrando que as recentes e bruscas mudanças do temo recruscem o surto aralsa. Verbas e Vacna f) Governador Sette (amara autorzou na últma semana a lberação ra verba necessára ã comra mas :.() ml doses vacna Salk, termnando a abertura concorrênca ara recueração cnco ulmões-dc-aço abandonados em város hostas ra cda. A mlementação (le verba ara o Hostal.less está sendo rovncada Trujllo Concorda ll.-, o lqlnn tc Trujlln elo Secretáro r- Saú, d scula, ela n vas a., emjí. n (urnou an osção dr molhos a reseto que encamnhará ex- baxada braslera. ltr«.s (te.s mu surc f,t..o ao re* governador, Afrmou que rm me hora aós lt,_...u.n reu 26 Casos dr rotclo, (nverno (olllll Aslados l* ; o Hostal.fe.sus, on l ll lj l,,-, r,,.m- qur so este mes á se. tabf st \o(aru au»(_.t, qur ll regstraram rasos ostvos ürrnürrú du (.nvfrnt do ttruhll..rallsa nfantl, foram e M.\lít anda ur n.u. ha mhalas HhU.lo na..nb..\.<._ nos hraullrra na llcúúltmos dos das malscuc cranças moradoras em lan-.k.í Dmnt.«n., h Ue j. tr\r trnta aslladu gur no ult mus trtrate tf veram ura n Krnall em -rcalo, llonòrlo Ourgcl e Santa ru, Camo Gran, São fouunr d cunsdcraçsu üaeuaada au leresa. eom das varáves re nono Pa», ul* 4 Reúblca Dom* n a três anos. ntcana renuncou tóda a* cunventoe Ar aslo» nformou nr ltmu A menna l.llanr, dos e nümrr*.»\a nfs. kultrrmnu us, estã com aralsa nn atrar..m rm rma dr r*rtr rummt aarelho resratóro e ndê cunnndn uma o..unl. mao contnua encerrada no ulmãu--nço, Esosa Encontrada (Pelo Mardo) Morta no Leto A sra Albertna,:r Trlcl.lt dn Ptrdttmdt cetlda lmta, anteoteu, or seu tnrdo o unanv >. o dn casa, a Hn Artur Her m- s A xlca to *>. * «gunda o rrtjulttul du em nrn ((mrovar se renlm : a -ellholll snll ldo se e, l. a.s.-ssutda NCDENTE COM MÉXCO CDADE DO MÉXCO, P FP O embaxador ra Reublca Domncana. no Méxco, Dr. Marcal Martne/. tne. vstou, esta manhã, o chanceler mexcano Manuel fello. Nenhuma nformação fo ublcada até açora sóbre o motvo sta entrevsta, que durou 2 mnutos, orém os círculos olítcos suõem que esla tem relação com as nformações ublcadas na mrensa hoje, sóbre um ncnte dlomátco, que 4. d tera ocorrdo no ra t ce lho. na Cda Trujllo S do o Dáro Novcda.- cas domncanos crar. rado conl ra a embaxad; xlcana, na catal Dcun na, ara medr q < gruo essoas e fosse edr aslo olua o a reresentação do ca. No entanto, ale acora na se tem nenhuma conl maçs ofcal a reseto dés nte. TRULLO PEDE EXPLCAÇÕES C ) A D TRU...O, líl contra a Reúblca Donu ílt c Governo da Ke- na. O c bourana e (n blc Domncana edu, hoe, OKA t rmne se é re! ao Conselho da Orsanzação no da - es ste nu- fo l dos Estado* Amercanos qnc m alo dn Escola Mlt- aure a veracda das mmmaeúes..ecundo as quas a nslro ele Relações EMeru (.arara una ensaqen do Venezuela ameaçou adotar rovolêncas emt.. <> (lovérno elo- Al-HS! Dubtc. a!.!! - ntern í da Venezuela. r míneano, O Chancele doroncano, Dr. Porfro llerrera qual Mnstro, referndo-- nentes le cha nsltuçãn Baez. envou um cabocramn teúbll ca Domncana, <!. cm tal sentdo ; Vcenlc San- \ ; que essa dtadura será ehez Gavlo. resnte do Con- nda o: r suas acre---oe- r solho da OEA, consttuído ro- nezuela: ou a unem cob vsòramenle como óríão mente os c ormms ml e sulla na acusação formula- eonas elo Govêrnu da Venezuela mente a ou n far Venezuelí ATENTADO CONÍRA ESTENSORO? BtEN ~ ARES, ll T Mnfstou-.se hoje r.cer. se da V-7, nesta catal, quando al se encnlta a Vctor \u. Estensoro, Presnte eleto da Bolva. a Sr 4 ctnndc bnouete em sua homenarem, oferecdo ela - ú socaçoc dr mrensa Estrangera. O Sr. Paz Estensoro c 4, ornalstas tveram abandonar o salão nvaddo or ese- 4 sa nuvem \: lunaça O logo fo domnado radamente n: g fcou totahnele struído o arquvo elículas da 4 televsão ORNALSTA.A l.az. Fl Ca Ar: UZ Oltz jornalsta, fo sassnadu n a va úblca. a madrugada ontem, \ í tm. um tro. secundo anunca r cação dns.lomalstas Paz. Desconhece se o autor mísm&x ASSASSNADO n nores do crme bem -au dc-conhccclo- -\e- motvos do ocr rm fo edda que uma mnucosa M ara d»*--cobrr alentado. Edtora ULTMA MORA S/A ftua Sotero dos Res, 62 T.lefone Ro anero Dretor -Presnte: SAMUEL WANER Dretor Vee-esnte:. F. Bocayuvo Cunha Dretnr-Sucrntcndcntc: Norlval Lma Dretor-Tesourero Nathanacl Azevedo UütwaHfta- S. Paulo Av, d. d. l«, m -» 5r,,rt l.n t llm llm lt,r_ Mor-..» O Avenda Dretor-Gcral: osmar Morera r.r-a: R. Vol d» PUtrla. Pátra. 33. Tel (.fvo, C-tt* Santo sconcelo. Tavares, tv : «; Camna»: Uenjanum Constunt l ll Te UlUntaHtta - Ro s-.ro d Publcda Rua Senador Dultav Drctor-Rcsonsável: Ultma!.,r_- Dlflnto Feral ( Urns! loa dn Calva Ecnnon.ra - Tf leíur t lllma..u Mm., t lllm..r_, Km. r.. lln».,2 - Telelan- M - _ nd - t-l 6 Paulo Slvera _) Quadrl, cal». n 4D! Ullwvuílou A\U,,, Ue O EDTORA Fl AN S.-f.lll rl _-M!_l,.l, Trl.«-trl-. A Drelo Presnte: SAMUEL WANER Dretores:.losmar Morena < Ncu llenet Preço ro exemlar MU n H r/on* _«* rl»!-

3 ltma hora Quarta-Fera, 2 ulho 96 PÁGNA 3 XÜ<&ü* C&RLOS ALBERTO WANDEREY yí? T f 4 f / < ULCÍà r*m ROBERTO VOLTARÁ ÀS RUAS NA CAMPANHA DA CHAPA LOTT-ANGO n Governador Roberto Slvera anuncou, ontem, on reuonco do ntuí cor outros dlrlkontes trabalhstas n,o» sua dsosção voltar às raças úblcas flumnenses n fm edr ao ovo uma vtóra arrazadora lodo o Estado anro, nas eleções 3 outubro róxmo.,,[:. rrónna segunda-fera, o Governador estará resente : co comleoa-relâmagos que serão realzados em Ntef! nutros estão sendo rogramados ara os das seguntes. r (.unão,» nc estveram resentes também o Srs. slvera (resnte em exercíco do PTB flumnense),? Kle (sccretãrlo-geral) e Palmr Slva (Presnte do juln v ln,llf.í: Nteró), o Governador transmtu sua nte -,),. não medr esforços essoas no sentdo atvar nlenç» a camanha rn chaa naconalsta. Roberto Sl- l Wntou aos seus comanheros dreção trabalhstas verv obtdo na excursão que l/era untamente com o Ma- :;t.tvera Lot. o Vcc-Presnte oão Goulart e Derdsd PSD - P ao EsPl Santo, Baha, Serge e Alasoas....,, ns oeeuntes os oomíctos-relamagos a que o Gover-, dor comarecerá na t-óxma segunda-fera: 9 horas Cachoera Saco São Francsco; 93 horas - Largo da Batalha; 2 horas Vradouro; 23( horas - Largo do Moura ;..mo horas Cubsngo. seguntes lo- n,,!,,,, comcos serão rogramados aa ut (?, onta da Area. ardm São oão, Cano, to H;o. urujto, Barreto c Camo São Bento. Engenhoca, ADESÕES EM MASSA À CONVENÇÃO NACONALSTA DO ESTADO DO RO n- nreanzadores da Convenção Naconalsta to Estat Ro estão estudando a ossblda realzar em (. ne.l as sessões nstalação e encerramento daquele S,, n marcado ara os das 23 e 24 do corrente, na Asl - Legslatva. O motvo da rovável mudança lo- n enorme número asões vndas todos os ontos v-do Os artcantes do certame naconalsta serão urlmente suerores a ml e duzentos, sendo mratcal. leunão todos no audtóro da Assembléa. Dos 75 U\ r esalhados or todos os muncíos flumnenses vro tóíegações crencadas ara a g Convenção, sendo esevereadores drgentes %! s entre eles numerosos refetos. sndcas e organzações camoneses. lruuáos. Pouco antes da Convenção Estadual estará reundo o,, U muncal Nteró, na se do Sndcato dos Co- rdos cujo encerramento, na note do da 2, será feto orta daquele sndcato, á Rua Marechal Deodoro, em um í.ímt comíco. No da segunte, 23, será nstalada a Convnco Estadual ás 9 horas da manhã. Na note do da 23, u convenção será encerrada em local que está em estudos, ndo uma das hóteses a realzá-la na raça em írenra Assembléa Legslatva, com outro gran comíco. Calcwa-s em 7 o número legados do nteror do Estado (Vu cerca 59 os da catal e São Gonçalo. As leratúes mas numerosas, segundo as nformações que checam comssão organzadora, serão as Nova guaçu, Nlóolls, Caxas, Petróols, Camos e Macae. AMARAL PEXOTO CORRERÁ TODO ESÍÂD PARA ELEGER LTT E ANGO Mnstro Amaral Pexoto anuncou em Cachoera ll.au sua dsosção se emenhar na camanha eletoulda chaa hott-ango, ercorrendo todos ns muncíos do Eslatc. ndo a casa cada um dos seus chefes olítcos, ara ransmlr-lhes o seu nteresse na obtenção uma vtóra vuío no leto resncal. DURVAL: CAMPOS SERÁ PREUDCADO CASO SEA CONSTRUÍDA CÁRAGUATATUBA -O svo do curso do P.o Paraíba, retenddo elo Governador Carvalho Pnto, vrá baxar anda mas o nível suas acuas, rejudcando enormemente a economa flumo.se. Consro sto um verdaro crme contra o qual to- dos vem se levam ar undos Esa n claração que nos léz o Deutado Durval Gonçalvcs. do PSP. a reseto do rojeto do Governo aulsta ara a r.stanráo da Usna Caraguatatuba. Acrescentou o rere- Mutante camsta que seu muncío será dos mas rejudcaa» com a medda, os o nível das águas baxará anda mas raso se concretze esse lano já aontado elo Dr. Banra Yauchan como déa txa do Sr. âno Quadros. O ex-oovernador âno Quadros rossegue o S, Durval Gonçalves tudo té/ ara tornar realda esse ro- «jeto. Não fóssv. na éoca, a reação dos flumnenses, e ele já estara reahxadó. Agora vem outra vez o Sr. Carvalho Pnto tentar vencer a fesa dos flumnenses. Eles não querem se convencer cae o Paraíba também é nosso. Não temos nada atra o rogresso sã,, Paulo,,u algumas emresas Fths,as, mas não omos admtr que éle seja feto á nossa O Sr. Durval Gonçalves comunca que está nformado da ressão que vem sendo exercda elo Governo São Paulo. are alguns órgãos úblcos feras, ara a concretzação ( sua retensão. Faz um aelo a odos os seus colegas uladns, mesmo os unstas e ecstas, ara que se unam nste rotesto. MAE DO MENNO ESPANCADO EM NTERÓ PRESTOU DEPOMENTO CURADOR DE MENORES ASSSTU ACUSAÇÕES CONTRA FERA HUMANA Nlce Montero S armento íjoto) /l/e 7assacrotl o menor Lus Carlos, aenas í anos dr da. E>ta sendo rocessada r rá restar con- as á ustça. o Curador Menores Nteró, Sr. Cláudo Luís Carlos, aresenta fratura PEKANTE A u ler o Almeda c o Delegado ítalo laron, a doméstca em bsej do úmero esquerdo e Derl Snu/ Alves, mãe dn menno.us Carlos, l anos, escorações na face, roduzdas fo ouvda ontem, na Delegaca dn 3 Dstrto, cm torno do or unha, além fermento esancamento que fo vtma seu flho or arte da fuv nos lábos (bofetada,. e,maa do mosto Uendas, Dona Nlce Montero Sarmeto. As clarações da mãe da equena vtma, foram re- O Delegado Ítalo Baron. ou- Provas Testemunhas d u/das a termo elo Escrvão Carlos tlas Rodrgues, tendo vdo e reortagem, dsse que a tleoente reafrmado ns acusações contra x agressora. n nquérto que está aurando as acusações contra a fera. humana Nteró, ara ser concuídof resta aenas as rovas Esancava Mesmo o Menno Pelas clarações frmes ca doméstca Derl Sousa Alves, não só o Curador Menores como também os mas resentes na Delegaca do 3. Dstrto, no Barreto, fcaram convencdos que a fera Nteró (esa mas 7 qulos), esancava cruelmente o nfelz menno. No correr seu olmento resencado também or nossa reortagem, a mãe Luj Carlos, contou outro fato até então sconhecdo todos. Dsse ela que certa vez, a fera humana Nteró, esancou o garotnho, causandolhe fermento na cabeça. Na ocasão clarou ). Derl fque aborrecda com aquela malda c resolv abandonar o emrego. Chegue mesmo a consegur outro trabalho, no entanto frsou um cunhado Dona Nlce estava ara chegar Vtóra e como estvesse adoentado, mnha ex-atroa, edu-me ara contnuar no emrego, tendo-me garantdo que não ra bater mas no meuno con,,,. Leqtas Concluíram? Laudo Aós restar clarações ao Escrvão Carlos Rbas, a domestça Derl Sousa Alves, que se achava acomoanhada seu na e ce dos rmãos,um casal,, além do menno esancdo elo. fera humana Nteró. assnou seu omento e retrou-se ara sua resdénca. A reortagem, a convte do Delegado ttah Baron, leu o rocesso já bastante adantatado, e constatou que o laudo do exame corne, lto na vítma, feto or dos legslas do nsttuto Políca Técnca Perera Faustno, ostva que MATADOR DO FSCAL EM PÁQUA FO LVSOO POR SETE VOTOS A ZERO AF PÓS quatone horas julgamento, o réu Amarto Soares Montero, assassno do agente fsí da Slva, fo absolvdo or unanmda, recolhendose a segur a sua resdnca O júr que termnou às 2 horas ontem, e cujo nco verfcou-se anteontem no munco Pádua levou ao recnto do Trbunal enorme assstênca que acomanhou o bates com vvo nteresse, sendo que os amgos do acusado, ao térmno da sessão festejaram absolvcão rudosamente. O Crme Amarto Soares Montero é fazenro naquele muncío, roreláro da Fazenda da Una e sóco da Dstlara taocara. resdndo em São Fdéls. No da 7 novembro 59,.juntamente com seu aós dscutr com o Fscal,osué, no nteror da agênca local/.ada em raetnua, dvsa dn Estado do to com Mnas Geras, matou a tros revólver aquele funconáro, fugndo a segur, em comanha.loaqum. que até hoje se acha foraedo. Em face do cerco olca, Amarto. aresentou-se ao.juz, aguardando reso o julgamento. O fato teve a mas larga reercussão, não só ela brutalda do ocorrdo, como também ela attu dos colegas da vítma, que se moblzaram a fm medr a munda do fazenro. ulgamento As 2 horas segunda-fera últma o uz Hermano Ducan Eerrera Pnto u nco aos trabalhos, funconando na Promotora o Sr. Ar Moras, da Comarca Cantagalo, tendo co- da morte do fscal. ío feto vam ao lenáro com absolvção cma ara baxo, monstrando do réu or 7x, confrmando a estar a vtma sentada na oca- tese da fesa, sto é que o fazenro agra em legtma - são do crme, sem or, tanto, ter qualquer gesto rea- lesa. Rumores exstentes em ão ou fesa. Pádua dão o Conselho Sentc-nça como arcal, uma vez Tese rmão oaqum, Muto embora esse omento que todos ja sabam mesmo antes ter nco o júr que a e outras rovas constantes dos autos, a fesa alegou que Ama- absolvção sera certa. rto tnha ácdo em legtma fesa. Por outro lado a acusação : monstrou ser crme eretra- mo auxlar o Crlmnallsta nteroense. Sr. Dlson Loes. A Defesa Verdara eque advogados se alnharam na trbuna da lesa. sendo eles os Srs..us lraz. Amlear Perlngero, Pedro Smão. Komeu Slva Sad laussa Mee Fernans e Antôno Pnlelro. Aós a letura dos autos. [oram ouvdas váras testemunlas em lenáro, nclusve o l.egsta Nvo Meolau Vega, que clarou que o dsaro causador do, com remedtação, edndo a ena máxma ara o reu. urados Que Funconaram O Coro urados esteve assm consttuído: Elcy ton Cosenv, osé Percs da Luz, traulno.us Perera, ar.ma- hano, lruno latsta. Francsco Montero e Alceu Far. Absolvção Por 7x Termnados os bates róramente dtos, os jurados se recolheram á sala secreta, e cèrca uma hora os retorna- ULTMA (Estado do ANÚNCOS E MOTORSTA PORTAVA ASSASSNO REVÓLVER Os nvestgadores Craco. Osmar e smael da Delegaca Vglânca Nteró, efetuaram a rsão do motorsta da Aulo-Lotaçáo Fonseca. da- «o Perera Qulntes vulgo Damo, 28 anos. soltero, resnte no Morro da Boa Vsta em íuce do mesmo estar ortando um revólver legalmente. Dalmo que se acha recolhdo a Detenção, fo autor da morte do oeráro Nltom Batsta, crme ocorrdo no da 22 mao últmo no Fonseca, Dalmo quando abateu-o a tros e anda feru a doméstca Mara d Lonrs Slva, no e esouerdo. O Comssáro Ernan Vera, dsse oue se est>era nara as róxmas horas a rsão revenva do motorsta elo homcdo ratcado. MATERAL PARA OS TROLLEY-BUS Para or manter no ráfego o numero sufcente c< veículos ara atendmen ca oulação Nteró e íao Goncalo. rossegue o.serve movmentando suas ofenus com a reforma üc ônbus ] - trcôs e bons, medante a utlzação mão--obra rsenalzada e assstênca l,-cnca ermanente Em conrorrénca ublca marcada.r : setembro vndouro, o HERVE va adqurr ma.-ml stnado a remolação r> novo? -trolly-bus e bond<s. rncalmente mara, br,,:.- z.e. engrenagens ferro f:::- tído. borracha, çordoaíha ue aço e estanho em lngotes. HORA Ro) ASSNATURAS Rua Vscon do Ro Branco, Sobrado Nteró Tel.: t testemunhas. Deos que tomarmoa *.s clarações das testem Unhas arroladas fa mãe do menor, remeteremos o rocesso ara a ustra. quando então darem* or termnada nossa tarefa - - flnalsou aque- a autorda. ****************++ + V * * * ESPORTE - \. 7 ínostadotõouolj V V CAMPEONATO POPULAR ULTMA HORA Conforme jâ notcamos,»-m Nteró, o Deartamento Nteròense -utchol \a le ar a eleto o Cameonato Poular. reunndo os cludes avulsos da Catal do Kstado. A rmera reunão levada a eleju, na se da FFD fo das ma«concorrdas, ronsegundo o Dretor-Geral, Sr. Manoel Mar Uns, reunr neste conclave um bom numero entdas ro- Planas Nteró. ( vencedor do (ertam- e os atletas recebrão troféu e medalhas LTMA HOKA. O torneo abertura está marrado ara o da 2. As nscrções ja estão ahertas na se da D. sd- anteontem. Sexta-fera, as 2( horas. uma nova reunão com realzada, sta leta na Vscon do Ro Urancu VTÓRA DO UNíDOS DA VLA ogando amstosamente com o Flamencunho. Sao Cor;- calo. o Undos da Vla levou a melh;r or 2x. lemos Chco e Lanrley. O conjunto vtoroso alnhou tum Bagre, r.- do e Luz; Orlando. Pauo e ac; ca Lanrley, Barros Lma. Chco. Elv e Carrasco BATDO YENA No an-mado do K>- re Oube Metalúrgco, em Neve-. j«,- garam Graf Mar e Vena uma eleja amstosa. O Graf Mar conseguu trunfar or 3x na 37 * arda. tentos Wancr. Wlson e Budca. O tme vtoroso alnhou ldfr. íí;- Dretr-Geral Sucursal ( LTMA 353. sobrado. cr ELEÇÕES HOE KO SAPS-NT Manoel Martn*- será HOKA a Kua \ü(j, Ao, Suca e ttbê. Budca Dnho, Wan omr. Wlson e Salva- CAMPEONATO DE AVULSOS.Mhh uma movmentada rod.v da do cameonato oular ce futebol Eso da Cruz Nune> íoj levada a eíeto em São Goncalo. Os resultados dos jugos foram os seguntes: Neves 2 x BraMlemnho. Ko Branco 4 x Bangu 4. Naut.co x Sa Pn,,. Santa Cru? D x Tnversa Mrtm. Veterano x Manguera 2, Portnho õ x Porto Nov 4 Cruzero x Tngujnho l. Pacheco x (< rmtans e Brasl 6 x nen- FnalrncntP, hoje serão r*-al/ada> a*- eleções da Assocavão Atlétca SAPS-NT, entda que roneresa o> funconáros e trabalhadores do Servço Assstênca da Prevdênca S<e ca no Estado do Ko. O leto será das! as 2 horas no Restaurante Poular du Barreto das r, as S horas na Deleçaca Regonal do SA PS na avenda Amaral Pexoto. W.. andar. \ chaa nâo Renovadora que» lrada elo asserado Astnel srael da slva ver;,.cr vencedora, os que. entre outras asõe*. ve encontra o róro lecado. Sr. F.z.quo Correa Araújo, lecado reconal do S\PS na terra flumnense. AUTO VAÇÃ SANTO ANTÔNO OFERECE-LHE BOA VAGEM PARA Rto-C*mo: 7 Ntero-Camo: * - rrjkfaptd t -? _ PARTDAS u CAMPOS mas FORTE mas FORTE mas FORTE mas FORTE mas FORTE mas FORTE mas FORTE GRANDE ORNAL FLUMNENSE 23 ho»». 22 7* hort. NLÓPOLS: MANDADO DE SEGURANÇA CONTRA AUMENTO DOS MPOSTOS As assocações classe Nlóols. tendo à frente a As- M(af, Comercal e a Assocação do Comérco Varejsta, em reunão, llran, metrar mandado segurança con- (.( n aumento <lns mostos muncas, termnado elo K Prefeto Vleule.jano. Confam os drgentes daquelas entt da medda dad lavn judcal, tendo em vsta recentes orves em dversos outros muncíos. FALTA DE LUZ Fm Nlóols: vem causando rofunda revolta na ou-.ao t, slgamento da luz urbana, que vem sendo feto ela cnt. todos os das. cerca 8 horas, rejudcando o comer- e a vda da cda. tess WWSSWSMSS COMTÊ DOS PRÓ-LOTTANGO DESPORTSTAS Em Nteró.já fo nstalado um Comtê Naconalsta dos sortslas locas ró-l.ott-.amo. Asões têm sdo númeras, slacando-se a ultma do Sr. Agenor Pacheco, antgo craque do Estado do Ro e atual Presnte do Cruzero Atlétco. Funconando no Edfíco A.jax. à Rua Almrante Teffé. sala a. o comtê realzará nos das 23 e 2 róxmo, no recnto da Assemhléa Legslatva do Estado, sua gran convenção ás 2 horas. naconalsta, Comemorado Com Banquete em Nteró Da o do Comercante GRANDE ORNAL FLUMNENSE a artr hoje na RÁDO MUNDAL De segunda-fera a sábado, no seu tradconal horáro das 7 às 8 horas! Em caa com zenas servços alto-falantes do nteror e as ras Ro anero, do Estado da Guanabara; Dfusora Flumnense, Nteró; Club Flumnense, Caxas, Nlóols e Mart; Outandnha, ds Petróols (ondas curtas), formando a REDE FLUMNENSE DE NTÍG! S - Velha o mas arrodo enreedmento rádo-jornalístco da Prevínca - sob o comando da RÁDO fóünb5íu, a Emssora da Boa Vonta! CtttNBE AL FLUMNENSE CUBADO - u,m, e,-,,eve lugar no gnáso Cao Mar. Da,, l. um d banquete comemoratvo do ttj.j tendo omercante o atrocíno da A»- tomcrc,l íntav Nteró e sndcatos rere HORA dls cjs5es conservadoras. ULTMA llcacõ Umre esteve ao lado das justas re ( ren dos comercantes flumnenses, se rs5l;n,r.\ na essoa do gerente sta su-,9,, Mcos d Waner. Tomou assento no [ * d» As ra Sr- Vflmar Vera, rtsn f) 5cla<:o c, Comercal Nteo, anuncan».j,dlíren,5 o Sr. Hcllo Brasl Alvares, na klt,,, mernbro do Sndcato dos Conta * oscursjndo anda como veeado o terolonse. Dentre os oradores umos stacar o Sr. Rubem Morera Lete, resnte do Slndcato dos Lojstas. Uma artcularda das mas Da nteressantes e que o do Comercante, fo ncatva do Sr. Alcndo Alves dos Res, dlretor da Trbuna Comercal, ao temo em que ocuava o cargo Secretaro da Assocação Comerclal. ndustral e Agrícola Nova Frburgo, escolhendo anda o da 4 julho em homena gem a fgura do Vscon Calru. data do nas cmento do lustre braslero autor do creto real que «utorou a abetura dos ortos naco nas a mas nacoe do mundo. nformatvo flumnense feto or flumnenses ara os flumnenses Onze anos, sem nterrução, nformando com exatdão e comentando com senção! Dretora: oão Batsa da Costa Sebastão Rodrgues da Costa Antôno Rodrgues da Cosa

4 j ] j PAGNA 4 Quarta-Ferct, 2 ulho 96 ULTMA HORA Pmmefe o mefor Gem Trânsfo Públco VA ACABAR CARROS NA ESTACONAMENTO DE PRAÇA MARTN AFONSO NOVO PRESÍDO FLUMNENSE EM SÃO OÃO DE MERT Em terreno doado ela Prefetura São oão ce Ment ao Estado, será ergudo o novo resdo flumnense, naquela cda, cora a fnalda resolver o roblema da suerlotação nos mas resídos. A fm assnar a resectva escrtura, esteve resente ao :to o Sr. osod Wllam Cabral dos Santos, dretor ro Deartamento do Patrmôno, foto lendo a solenda se realzado no Cartóro do A Ofco com a resença também dos Srs. Mano Gumarães, Secretaro do nteror e ustça, Mlton Ávla, reresentando o Prefeto local Ano Tcodoro c outras essoas ca admnstracão Mert e do Estado. Mas tar. odos drgram-se ara a Rádo Clube Flumnense, on na ocasão, em nome do Governador Hoberto Slvera usou da alavra o Sr. Wllam Cabral dos Santos e em seguda o Sr. Maro Gumarães. Falando à nossa reortagem, clecl.rou o Secretaro ustça que o novo resdo a ser construído vrá atenr erfetamenle ao roblema exstente, os servrá as comarcas Caxas. Nova guaçu e Nlóols, evtnndn a dn o vnda n círtóro rosos que se acham em locas dstantes, como or exemo na Casa Detenção.Nteró. SNDCAL CONFERÊNCA DE ORNALSTAS Esta-se realzando, em Manaus, a V Conferênca Naconal ornalstas, da qual artcam os flumnenses, através uma leg.câo ntegrada dos Srs. eferson DÁvüa r., Renato Dantas e. T. Castro Alves, eo Sndcato dos ornalstas Profssonas ao Estado do Ro. Castro Alves, fo o orador ofcal no jantar ofe* rocdo aos artcantes do conclave, elo Governador daquele t* «-do. ENCOHTRO NACONALSTA Ducentes sndcas e rabnladores todo o Estado movmentam-.se ara a artcação na Convenção Naconalsta Flumnense, que se reahzara em Nteró, na Assemblea Legslatva, nos das.3 c 2 julho corrente. Os sudcatos Volta Redonda e Barra Mansa, da mesma forma que outras entdas em vanos muncíos, verão envar legaçõc- ao mortante concve. estando convocada mó gran assembléa dos trabalhadoes da construção cvl ce Volta Redonda, quando seráo escolhdos os legados da classe ao encontro naconalsta CONSTRUÇÃO CV;L - CONVENÇÃO f s nal ras Trabalhadores, rcun:- ca na sere ra Confera o Naconal dos Trabalhadoras ca ndustra, aós arovar o r - gmento. resolveu fxar ara as horas do róxmo da n ue acosto a data da solenda ce nauguração do conclave. qaserá realzado no Teatro oão Caetano, sendo que a sessão ce encerramento será efetuada a note, co da M CMENTO PORTLAND Odln Almeda, res--n - te do Sndcato dos Trabalhadores nas ndustras Cmento. Cal e Cesso São Gonçalo. acaba envar a m- reção da Fábrca Cmento Portland. daquele muncío, extenso memóra no qual! - vmdca a oonreçáo ela em - sn aunvnto geral salaros. da orm c<. temo m vsta o crescente aunvv ro rusto ce vda O ul o acordo salaral frmado c o Sndcato com a fabrca f. M N*nf- rommo.v- c; n 2.K e 3 na c dace ca- Teresool». lera lugar a rcauaçàu da M seu razo vgênca exrado Convenção ros Trabalhadores em zembro üo corrente..o nas ndustras ro Construção Entretanto, em vsta da n.-essda medata - uma mel nu- Cvl e do.mobano do Estaco co Ro. com a artcação ra talaral ara a classe, o rr- legações reresentatvas da categora rofssonal resnte rn Sndcato sokr:- tou da emresa um aumento todos os muncíos flununenses rovsóro, a ser englob:.o quando da revsão do ae >rd-> salaral em vgor Aguarda o íl! COHGPF.SSO SND!CAL Sr Odlo Almeda a rsosta ca emresa a sua srvr.- UÍWhí tu a, ara cnnrovar uma. as- --emble; ca classe, a fm d. - A (>:v;5-í c --ja;: /adora. mnrar o resultado suas Congresso Sndcal Na o- narches. MAVERÓ A emresa ndustra Frúrorfca Maverõ. um sendo avo contuntes crtca- todo o movmento sndcal c a catal, além ros rotestos l seus emregados, ela av.:, que vem manfestando ao s:ncrato e as rrsguçncs lquè les oeráros que mllam cm sua entda ele classe c ms camanhas revnrratõnas ca categora Chegando ao clímax ce sua retrograda olítca, ao dsensar, sem nenhuma jv.sícatlva. o oeráro Crstóvão Martnez Martnes, elo fato ter sdo escolhdo elos seus comanheros ara a função secretaro do Sndcato na chaa unra, eleta no leto do r.a 5 assado Mas não aou a. o Comendador Ross m : edu, também, contrarando texto da le, que no da ras eleções, fosse colocada no local trabalho a urra qu re- colhera os votos dos sndca:- zados sua emresa O Conselho Sndcal co Estado e Conselho Sndcal ce N -m. alem ro sndcato dos Metal!- gros, rotestarão junto a rr resa e comuncarão as numrdas estaoua., o ro, : mento nsólto da dreção daquela emresa, que esta cra - co e senvolvendo un clma scontentamento e revolta entre seus emregados. Veja Pelos Anúncos Desta Edção as Melhores Ofertas ZACÂO NA CÂMARA CPA DE BARRA MANSA Também salentou a falta jardns, sugerndo a construção um no centro ra Praça Major Aragâo, no onto fnal ras ruas ansen Mello e Barão Gua. Em todo o Et.do do Ro foram realados em examcs ara motorstas ela nsetora Geral Trânsto Públco, que está emenhada num trabalho ara a solução do roblema do tra fcgo em Nteró. Dentre as multas rovntual l.s- ce um mlhão cruzeros ara fndo, contrbundo com mas ras adotadas elo elo* oaqum da Costa Santos. com esse objetvo, nclu- 73 ml cruzeros veram ra Ca os cofres estaduas, ros quas se a retrada dos taxs da Ave ta ro Estado. Neste ano. a nda Amaral Pexoto, medda CTP ja arrecadou, ce multa.-,, que veo safogar o trânsto cerra - ml cruzeros. naquela rncal artéra da Afrmou o Coronel oaqum centro da cda Outra nc.üvn que. brevemente, orc- queno numero guardas com Santos, que. em vsta ro c mos em ratca dsse n re- cc conta o Estado, alem das rrtagem. o Coronel Santos oucas vaturas. í.ao c ossível. será a robção do estacona cobr com efcenca os abusos mento autos artculares ne certos motorstas. Dsõe a Pr.çn Martm Afonso, a fm Ue GTP, em função no terrtóro evtar o asecto feo que aqule logradouro atualmente are- fnalzar suas clarações, o flumnense, 354 guardas Ao se.ta. Pretendo, também. nsetor ce Transto Publco co.tno o nsetor ro Trân rometeu encetar camanha s,o solctar a colaboração contra os lambrclslas uno rn ra Polca Mltar, nsttundo locam dsostvos em suas maqunas ara aumentar o baro- os Cosmo c Damao. no neamonto ro trânsto em Ntr rol. lho, bem como contra os que ncla menos.32b vcl drgem sem habltação c menores. culos foram multados no rv. Cornje oaqum ra Cosa Santas, nsetor rr Trânsto Públco flumnense. K FEZ ESCO NDES BRASÍLA TAMBÉM TERÁ O Prefeto rncu Alves, do da admnstração muncal e sr ntro em breve um Cínámuncío Mens, ncou a um dos recanto mas arazíves so Muncal, um rédo ara mudança da se ce seu Kovêrno ara o barro nen- trca, servço utlda úbl- Vereadores, um nutro ara o.mens. Possu energa elo funconamento ela Câmara nea. que va ser o eenlrn das ca nauturado com ; resençn.uzado e orna nova Delecaea ;vd.(- atlmnm rat \ as ca Se-rel.-nos tanra Vau U Polca, alem do Mun Muncalda, fsto barro, qur ghan e Pava Mun/. Va ovo já cocnomnnu Bra os- ; cal. sla Mens, sofre hoje os efetos uma ráda transformação, com a ação orosas maqunas que rearam estradas e as fundações ros ecllj cos que al serão construídos. Novo Prédo da Prefetura Por orm do Prefeto rncu Alves e sob a suervsão do Srcreláro da Muncalda, Sr..Mlton Slva, já foram ncadas as obras construção do novo Paço Muncal, no barro nendênca. O lançamento da crra fundamental fo feta com a resença do Secretáro Transortes ro Estado. Sr. Pava Munz. O edfíco abrgará lorlos os Dedrtamentos da Munea. dacle c lera acomodações ara outros servços que o Prefeto local reten crar, ara me lhor drgr a cda. Bclcm-Brasla O Chefe co Executvo Meuces. com objetvo clu dotar nova se muncal comu- ncações com outros dstrtos, ja u nco aos trabalhos con-- trução ce uma avenda, lgando o barro da nendênca n lodos os recantos ca cda. Essas obras estão sendo atacadas com ns recursos da Prefelura e do Governo do Estado. A exemlo. ro que ja fez com o barro, o ovo mcnn.se nomnou a m Belém \a avenda lras la Mens, lace a la/, com que as obras estão camnhandc e a mortânca do em- reondmento. j O barro escolhdo ara se Novo Comandante Para o Rádoatrulha Através ato assnado elo Governador do Estado o servço ce Racloatrulha lem no-! vo comandante Fo nomeado o Delegado Heraldo Gomes em substtução ao Major osé lo- ; drgues Pexoto Bancáros ras Ruas Lutam Pelo Contrao Coletvo Tra Comemorando o Da Naconal do Contrato Coletvo Trabalho, nsttuído ela Conferação Naconal dos Emregados nos Estabelecmentos Crédto, os bancáros Nteró e São Gonçalo, sob a dreção do Sndcato da classe,,saíram às ruas da catal, ostentando faxas e cartazes com dzeres alusvos às suas revndcaçòes, consubstancadas nas cláusulas constantes do Contrato Colet vo Trabalho ara os bancáros brasleros. Luta Naconal na Mlqu- -ma revndcação a conqusta do Contrato Coletvo é boje a banra que reúne os bancáros odos.s Estados e muncíos ro Rrasl, na camanha cuonada a- CONTEC, drmda elas le dcraçôe* e Sndcatos esalhados or lodo o terrtóro naconal. \n Estado ro Ro, lrados e los sndcatos \tero. S-.l flumnense. Petróols. lacruna. Nova Frburgo c Três Ros. e mas a Feração com.rsrlção no Estado, os bancáros flumnenses dscutem cm..,--embléns, em atos úblcos, e na** ortas lns róros eslabeleemento--. o < Contrato Colou vo Traball. emenhado-, em que -a uma realda que ürans benelíf-os rará o»*a a laborosa e loe tão sacrfcar.: classe. nal da classe, o Mnstro do Traballo já consttuu uma Coms- -án Naconal Partára com o fm le dscutr a revndcação dos bancáros eserando os drüüv les (lü cororação que atna! comreendam e concorm t;s banqueros, com as suas justas asrações, eml ra alcns snd calos : nnas, entre os quas o do Estado do Ro, venham sabotando as renomes da Comssao Prlãra, não comarecendo r convocações do Mnstro do Trabalho. Salcro-Profssonal e Móvel EVOLUÇÃO DA ARTE NO TEATRO MUNCPAL Soh o atrocíno honra das senhoras smrla Slvera e.aurtn Olvera, o cronsta Hahael Trelgcr realzará nu róxmo da ce setembro, uma lesta nomnara Evn. luçào da Arte, no Teatro Muncal ce Nteró. O acoulecmellto quo mareará o. anversáro co rograma raclofnneo daquele confra, na Rádo Dfusora Flumnense, lera torta a sua renda revertda ara o Conselho Obras e Servço Assstênca ao Menor. ornalsta Dalton Pnto, nfelz.., CHEQUES SEM FUNDO E QUEXAS NA USTÇA ESTADO DO RO (RAMR CRUZ) Contnuando a séro reortagens sobre a vda r>rcnn? do jornalsta Dalton Pnto, hoje focalzamos a chantagem do que fo vtma a frma Kastru (casa moves) e o Sr.. Morr,, Barros a favor quem fo emtdo um cheque sem fundo.; con tra o Banco Corro S. A cujo rocesso se encontra no Trbu nal ustça. Denlre ;s rncas cláusulas, con-tantes do Contrato Coletvo rocessos sta natureza, exstem outros or calúnas, orque Trabalho, elaborado elas en ldados dos bancáros, crnstam ele tem o habto ce nfamar lodos aqueles que não atenm ãs as scrtntcs: nção do rabalho aos sábados; saláro-mínmo suas absurdas exgêncas. Mas rofssonal; remuneração e lorárn u»s cos cun.shuut.s; comssonado. soo sua conhecda sonestda v- : os talhes sobre esta faceta ra Passeata jj-uu \_ o Comíco wwww hm Percorrendo a- rncas ruas hrras trabalho ara ns coms rão em outra reortagem, quanco aresentaremos aos nossos v...: ,,,n.,fl,., nr.,u!lmn,ln.,.,3..: ce Nteró, aós eoncentr semados; cslablda aos dos em rente á Assembléa Leí» anos trabalho e saláro-móvel. crando, ara lanlo, uma cessos, os cartóros on se en- letores o número sses ro- latva. termnando com um -ía comíco na Praça Marln Comssão Partára comosta! contrau e os nomes das obres Afonso, os bancáro- da Cata! cnco membros emregados, cnco emregadores e um M ronre- ela lába do ergoso vgarsta vtmas ce se xaram ludr ram nequívoca remnnst ração que sabem n ee querem sentante dn Mnstéro ro a que ( estão dsostos a onse-un balho. que lera a função le V:Ml UM Wl.lnll. l -, V u,l l w, l V e-- o. lendo na sua unda, or;a ludar a elevação do cusl.l r nzaçâo e esrto lula. as ar vda e termnar o automátco mas ara oblè-ln. rcajuslc saláros na mesma Sensível ao movmento nco- roorção. Frustrado como jornalsta, Dalton Pnto tomou novo rumo. organzando uma ndústra rodutos químcos que assou a grar sob a frma A Pne & Ca. Acontece que ara nstalar os escrtóros Dalton Pnto mulo lalane e maneroso, -onse- juu ludbrar a boa-fe ros ue coranles ra frma Kastru * Ca. adqurndo noves avalados em ml cruzeros, mm ra que lóra leta em ngameto em restações. A frma A. Pnel cc Ca., como..contece com tudo quanto Dalton alza, fracassou, e ouco (emo os fo á falênca (falênca fraudolenta l. Dalton, como semre, nara eru, mas a frma Kastru. até hoje, não recebeu o dnhero dos móves. Mas um Processo Por Vçarcmo A frma rejudcada, na lusão ele reaver os móves ou receber a mortânca cos mesmos, consttuu advotrado, o Dr. Adolflno Rbero, que moveu rocesso contra Dallon Pno e seu sóco. O roresso leve o andamento resectvo e o.uz. Dr. Pache Fara edu a nsao reventva ros acusados. Dallon. semre nudacoso e maneroso. contornou caso e não fo molestado. Mas o seu sono. com medo ca uslc;a. fugu ara lugar gnorado e não sabdo. F. até á resente data. Dalton não anou a dvda e não fo reso, contnuando a lesar outras vtmas que lhes caem nas mãos nadvertdanente. Dantol Pnto, or ncrível que areça, e o homem jornal mas cínco a audacoso que se conhece no Estado do Ro. O número rocessos or hantacens exstentes nos cartóros e fabuloso. E não são somente Agora, orém, nos resummos ao lato re ler ele emtdo un cheque sem fundo. Dalton estuva atraalhado com suas ffanças.. quando ele se encon- tra em stuação dfícl, laneja um uole seja contra quem for Para éle não há roblema, víc la olra nem ustça, orcue em em slas mãos um ínrnal uara ncutr e aresentar-se rnmo homem honesto. Em mao dn ano assado as cosas não andavam muto hem ara o Dalton, mas rono élr rn -ontra solução ara ludo. r- z.ou um gole ronlrn n Sr Morera Harros a queu lor.m a quanta lfl ml rn/cmcom a romessa re agamento rádo. sto. e óbvo, não -e va fcou, n como tvesse sdo aer taro ara efetuar o agamento, ele não teve dúvda, encheu un ; cheque com a referda morta!- ca contra o Banco Corro. S. A., e entregou ao seu r redor, Este, na doce lusão gue ír. ; receber o seu dhernlm. clírnu-se no tnenconado cslab!-nmento bancáro e ln-ot surrenldo quando lhe dsseram eaquele cheque não lnha lundus. O senhor M vtma (l- u: conto do vgáro dsse-lhe o funconáro que o atenra. Outro Processo Contru Dalton Sentndo se mserav-lnet rhantnccsdo. o Sr.. Morera Barros não teve uutra aüern;va senão a ce re orrer a -lulça. E assm, com o heru n mãos cheque r P «. emmlo cm ã mao ce ál, n-ro o Trbunal ustça, an. :n resença ro magstrado, aresentou sua jusla quexa. O,lu7 examnou o caso, constatou nae se tratava um crme estelonato e não leve duvda, fez dstrbur a ação ao cartóro do Olíco, rocesso que tomou! o nv!u7. K o ce fo.e arouteceu ao Dallon Pno Percutarão os nossos letores. K n«resonmos; Ate a aura nach! :c lem uma sor nndr - a. Enquanto sto, o Sr... Morera Harros e o róro P.:n Costa Montero cotnum r- vcudos contra qualquer novo gole que ossa surgr n qualquer momento, orque não c - le o rmero caso, outro.-, mu los outros dêntcos, exstem em város estabelecmentos co s< nero, os que o homem e ergosssmo e mas ergoso -e torna quando tem nas maus um nal que. embora ouco ldo, u-: as armas ca ealúnn e ra a.: ma, rovocando terror a - soas re nervo- fracos. Ma-, nossa reortagem contnua que lemos em mãos um ser ostvo coberto or ara documentação. < -. : ;.-. í (; O Vereador Antôno Mrtl<). quando lutara ULTMA HORA. O Vereador Antôno Mellc vem cando um dnamsmo aos trabalhos co Legslatvo local. aresentando e justfcando verbalmente urna sere mdcações c rojetos nteresse úblco Falando a ULTMA HORA o edl clarou que Bara Mansa carece algumas íealzações, ja verfcadas cm numerosas cdas ce menor mortânca. - Não temos, or exemlo dsse uma Agénca do Banco ro Brasl e não osso conceber como o nosso rncal estabelecmento crédto anda não nstalou uma em nossa cda, levando-se em conta o senvolvmento econômco ro muncío. Atra- \és da Câmara Muncal, dr g um ofco ao Presnte do Éanco do Brasl solctando a cração re una Agênca em Barra Mansa, tendo solctado, também, que o Legslatvo edsse a nterferênca do Vce Presnte oão Goulart, ara a concretzação ssa déa. SAMDU Nnguém // a f.r-; reortagem ae sconhece róssegue o Vereador Antôno Mellu a fcênca do Socorro Medco re urgênca em nossa cdnre. Tenho rocurado, na medda do ossível, alertar as autordas muncas ara esse roblema, o qual acabe re focalzar na Câmara. Atravês requermento ed fosse drgdo ao Sr. Francsco Lanja Flho. Dretor-Geral do SAMDU. um ofco no qual se manfestasse a recareda da assstênca médca em nosso muncío, solctando o nteresse daquela autorda ara c;ue fosse nstalado, o mas ressa ossível, um Posto do SAMDU. A ar dsso, o Sr. Antôno Mello evncou a necessda Barra Mansa Mr dotada lumnação fluolescente nos seus logradouros e raças rncas, dotando a cda um asecto cond- /.ente com a vda morna. ESTUDANTES PFSB E EMPRESA BAXOU PREGO Os emresáros da Auto-.olação Fonseca, numa attu comreensão ara com a classe estudantl nteroense e com a onulação em geral, atenram ao edalo da dreto. rja da FESN*. tendo à frente o jovem orge Rodnn Lanro no sentdo ser baxado 7 ara 5 cruzeros, o reço da assagem nos seus veículos, tntem, como os roretáros da Fonseca houvessem condconado a medda a uma réva autorzação or arte da Prefetura, n Prefeln Wlson Olvera atenu ao aelo ce lhe fo feto, em ofco, ela Feração dos Estudantes Secundáros Nteró. Dentro alguns das, verá estar em vgor o novo reço. SÀ GONÇALO ADQÜRE NOVAS AÇÕES O Prefeto Oerémas ae Mattos Fontes, ter.ro recebdo comun-v-áo ra dretora, da Petrobrãs que se encontra a dsosção da Prefetura São Gonçalo a mortunem,f:rs HO64,(, referente aos dvndos atrbuídos á ínncaldaae como aconsta ssa emresa estatal, reso eu a!,- car essa mortânca na lntegrallzação mas 93 ações, totaznrrr., agora,!:;<á n favor ro muncío. A attu do govemaonr gnnçalense reveste-se gran sgnfcação ja que conslu rova re confança no leno sucesso ra Perobrás. na exloração e refnação do etróleo braslero, o.-sbltanro. anda, a São Gonçalo exressvos lucros com os dvndos auferdos. TRBUNAL DO ÚR DE TERESÓPOLS SE REUNRÁ No róxmo da 26. ns 3 horas, será nstalada a tercera sessão co Trbunal co úr ce Teresóols ara lulganento vanos rocessos homcído. Os jurados já foram conrados a auta dos trabalhos a estn sendo elaborada, r nnro aenas rovdêncas eme estão sendo ultmadas Plo uz da Comarca. Sr. Nelson Martns Ferrera DROGARAS DE CAMPOS HA FUNCONARÃO f efejto eamstt. Sr. osé Alves Azevedo, vem ce vetar lberação da Câmara Muncal, que ermta o fmcnnane.to das drogaras além ro horáro normal do comer co. sto é. a note. O rojeto voltou ao legslatvo, ara que este se ronunce sobre c veto. que se esera seja mantdo dado o rentdo que o nsrou ÁREA PAPA ESCOLA VETERNÁRA O Presnte da Reublca assnou clo n vogand > tísos, anteror que submeta ao regme- afora ncuto a área l mlhão e 49 metros quadrados, stuada no lugar omlnado. -Ponta da Farnha, no muncío flumnense rr Sao Prdró Ala A menconada, arca. eln mesmo o- cvto. fo doada a Escola Flumnense Medcna Veteru.ara. cm atrmôno no; termos da legslação vgente t;,mb-n -, ere u.ao. e q lo utlzara a gran la/r-ncle na -onte ra Farnha na amlação seus camos ce estudo exermenta A tae re senvolvmento ce atravessa a.,-oa e.ej com a crescente necessda nre.os Vem-.- s ara a eeuára flumnense que. rrmn se.-abe. lem sua e.snansan rojetada em elevados índces graça.-, a ndstralzação dversas regões rodutoras NÃO HA CMENTO EM TERESÓPOLS Graves rrjul/.os vem causando a ndustra da mn-q çr.o cvl em Teresóols a medda adotara ela Secretara re Obras ro Fstudo que reduzu, no corrente mês r lho quea cmento Maná. que nté agora vnha sendo.- ml s.eos mnsas e teve dmnuída ara dos ml! roía! centos Fm se tra ando ro uma rda me constró qual undas resncas or da. a medra fo consrada abs da ten.l) o Veteador oão smolkn roetado com vromèm na Câmara, envando aelo ao Secretáro re Obras,o se, do re que a quota seja elevada ara 2 sacos e mo duzda, ronforme nexlcavelmente aconteceu -nteror Flumnense FESTA DE SANTANA EM NATVDADE Realzar-se-n nos das 26 e 27 ste, no barro do Sndícato. a (-adconal festa Santana dr- Natvda do Carmgola. Haverá mssa Slenr, rocssão, lelão rendas, alem outras.novdas, a comssão festeros está assm consuda: resnte, tose. Machado Texera; vlce-resnte. Frantelnn Grave Almeda;. e 2. tesoureros, bebastão Avelar e Manoel Antôno Afonso. e. secretaros, oão Guarta) e Sebastão Cerquera Leão; rocurador. Tertoloo re Olvera, festeros: Teonro Augusto Ferrera, Amérco Mens Carvalho e Arstldcs Ferrera Contnuo. FÉZ ANOS A SOCEDADE TAPERUNENSE A Sor-jedte Muscal re tacruna comemorou seu r- ero vrrnru ce fundu-no As festvdas tveram mco rs ã horas e contaram com a artcação numerosas Pandas ce musca que, assm, colaboraram ara o maor br- hantlsmo. Pela efeojer, r S Cláudo Cerquera Bastes, -eu res;üene c fundador, lol multo cumrmentado. REFORÇO PARA LUZ EM TERESÓPOLS d s r-:tem le -,-r.a Elétrca e Desenvolvmento Econonco Ht,dra Vaughan. acaba comuncar ao P- leto c T re;, os ou-, atenndo a termnação do Go.-rnaCor Hobclo Slvera, será nstalada ela SEDE. ntro e nq das una usna termelétrca.25 Kva. baxa ro taçáo art reltrço ce surmentos luz. a cda durante os me-s d, verão e ate ce soja comletada a construção ca l a ce transmssão Teresóols-Macabu. ce será u so- ção fntva ro velho roblema re energa no muncío serrano *>lesn os ru construção da lnha Macabu. s: u leelavea nemaneeera aa atenr a qualquer eventualcado?s.,; notca to n cehda com alegra elo ovo tresoolü.o-.o e nne,r. le elo roméreo local, que já estava reven),»; auros que a-sanam no róxmo verão quando o consm.o Ce ]<;/ ees vertgnosamente elo elevado nu-.nero r.- rous mdores que se concentra na cda em erloco ce < ra.eo SEMANA DO FAZENDERO NO ESTADO Nos rls 2! a 3 ste, atrocnada elo Mnstéro da., üncuhu a. «e a r.-alzada a semana ro fazenro, cujas con morar oes terão lugar na Unversda Rural do qulón-e t. 7 ra errara Ro-Sao Paulo, em tagua. Na oortunlcn ser batdo o roblema ela a-eulu que nteressa fíuetanen ao Ksudo co Ro, achando se abertas as lnr r õ-s ela rrro re armf-lçomento a ser realzado durante a semana Os nteressados orão obter nformações na róra Unve -dace DA DE SÃO CRSTÓVÃO EM TERESÓPOLS A róxma segunda-fera, da ce Sao Crstóvão, será. lvanente comemorada em Teresóols e.los motorstas cas Varas entdas re classe, nclusve dversas lru comere ts, estão orgnnz-ando um gran rograma con morações ara assnalar esta data. quando haverá um m ressante sfle veculns. com rêmos aos motorstas m antc;ns ca rclacle e aos que aresentarem os seus ca. mas bem ornamentados CENTRO PRÓ-MELHORAMENTO DE SÃO OÃO DE MERT QUER CONSTRUR SUA SEDE A c.- no-.o ce suu sorlc. on serão mnstrados *u: allab lo- o rje cranças c adultos. ( a mas nova nu ro Centro Pro Melhoramento 2 ce Abrl São oão Mert vít u Ajós ;\\j- tr-r vste \! - coroado conmco ce ür exlo PXllO o <l movmento UM n. h e tado aa a ronstruçã.o re uma onte lganclo o oarro ure Mert a Vla Rosall, ce fo erguda elas mãos dos os cos co -C rlos moradores ros dos barros, sob a orentação d 2 Abrl, os drgentes dlrlgentct da ca assocação emenham-se a rn. no senvolvmento do elo seu artamento d r reemt recre mo,, crando arques e solando locas ara recreaçác nf t Falando a UH. o reslcenle do Centro ro Melhoram to :o Soo oo ce Mert Sr Benedto.. Amado e a jocm ra da Glóra Gonçalves da Slva, do Deartamento Fe.nno. afrmaram-nos que na róxma semana rão ao venador Roberto e Slvera, solctar-lhe o seu aoo e. ajuda fnancera aa a construção da se ela nssoet saoendo-se que esta já fo ncada elos seus esforços, na Rua Novembro. 7, r.o barro ardm Mert CONSTRUÇÃO DE PONTE NO RO StCO Em transorte conceddo ela dretor do DER. rm na semana assara as vgas e estacas re mara l ara construção duas ontes vnte metros vm uma lash a rmera sobre o ro Cagado e a sem.nela so bre o ro Se o,.\ mara veo Conceção ce Macabu ao chegar ao seu stno fo recebda com foguetes elo local, os a ronstnçáo da onte ro Sêco. consttu asração r mas- r um século, aesar ser ronee todos o, canddatos a ref íto do muncío, nunca m.cretzada FÁBRCA DE ARTEFATOS DE CMENTO A f?breu re artefatos cmento que vsa resolver d* mas craves roblemas da Prefetura Ro Bonto > ronta ara entrar en funconamento Orunda ce do executvo crando os Servços ndustras, com v rla, que allns. rovocou acesos butes ra Cana Muu ctnl, assm que começar a roduzr, o que ocorren este mas (falta aenas elmento. resolverá mentamcn. roblema da; mallhas que serão emregadas nas rst - do nteror facltando > escoamento da rodução ag estrada ra Maa zonn maor rodução re P l(o..eta com a; suas obras aralsadas em consequéncua ele. e nanfsms

5 jlllüso EM AH AO» MAU A -GÊNO DO SH>MO Um gêno do submundo do crme tentando dar sequèn, assaltar > casas comercas em três das loja ns* Rl Sn,ulll!, U, Cr* 3lü,)u. armarnho, ã r tlttlçao, üh. CrS 4.8,, saatara, à. Rua Con, f..c nn e Crí 8.35,, relojoara, á Rua Barbacena, ST. nnnó casas rouas fetas, a Rua do Rezen, 23, Cs: nm tu reso, ontem no nteror um trem encos- C [tnlu-ma tle Barão Mauá, elo Pasto Polcal r» \ym> l:> Trata-se Geraldo Luz Nascmento, 7 anos, re.sltene a Rua. Cânddo Olvera, em Duque Caxas, que lo tdo e encamnhado ao 2. Dstrto Polcal, elo nsetor Muno Póvoa, que o surreenu assaltando o exero Oeraldo Marano da Slva (casado,.a anos, Rua Dr. Laurea.no, n 286). Portava uma Rossy, garrucha calbre 32. e 2 bulas, que exbu, ty.wlo relatava seus íeos, framente. O melante e mas conhecdo Chna or e sua fama nva a área dos novos crmnosos do Estado da Guanabara. >! ULTMA HORA Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 PAGNA 5 lvhhrrnmrvrrvyhrv>vyy-) > MMí.ntt ü.ní....r,..,t,c..o,d,\. cv g nfq CQD6ÇÜ...«umo o Mueol Conoco. Dommge ot herot. elo TV 9 >o Musco, eegno e rêmo-- faduloos. unzena fflf.n ú&tnçátr BELMATC O únco sofá com suerfíce total conforto! Um smles toque, e os braços do sofá slzam até fcarem ao nvel do assento, formando uma como realmente amla. Estofamento cm tecdos mornos c varados. Sem vnco central. Funconamento erfeto, com a tovu dobradça NO-SAG..625, mensos sf entrada MESES SEM ENTRADA!!*-.o» fssvohmw» 58»!* mêzmmxm l:~.:sr,l-. Wj. :. ;...-: >.: - fsfsv&m?&; : TV.,., < >» -. -, Soltero : vuuy Casal 3U«mensas s/ entrada *«-,~ **»..w*-,..,,w < :*.> 7? :v-ç.* COLCHÃO DE MOLAS OSVSNO MOLA MÁGCA Tecdo bordado com fo metálco, côr rateada. Molejo fkx-o-loc. Garanta durablda e resstênca 8 ventladores lástco 4 alça- reforçadas Camada extra no centro do estofamcnto. Maor macez fmfí<, ** COLCHÃO DE MOLAS Soltero Casal : m ensas 575, 33, s/ entrada Camada extra do e>;oíjmento cot. face- ara o fro e ura o c.or. Moleo :ído or m...:: ot c;âmetro ju-to. Sslncu ab-u;;o,oú rc-;raaorr- -j<: vcnnlaão nterna Kxclu-Mdadc PROBLL. alças ratca-. rs % %t COLCHÃO DE MOLAS DE LUXO Soltero : f ÜU? Cota,.2, m«ns-os»/ R-ntrodd Faceí fro f cal5r Face lateral rcamente bordada. Revestmento em tecdo do mas nlm luxo. Armação com arco dulo e mola canto. Molejo lgado or molas helcodas dtãnrro justo. Slênco absoluto. 2 ventladores lástco. 4 alças?uer resstentes, Soltero 47, Casal : 665, mensas s entrada «8 g v». 4T Mola-; htltcodas. Fecho Slcx Estofamcnto tkra maco 4 resradores,. Ycntlaçà. ma crfcü.a l ak;; efrn\adas Tecdo ksado, na* cores. <uu±l o«ro mltt Éf Sk MMmWoSlÊÊ ÈmBUf CAROCA OUVDOR SEMPRE COM A GARANTA

6 PÁGNA 6 Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 ULTMA HORA ARBENZ: SOLDÂR sssssíssssssssssasssssã! \jfn, CÚZUNM BE SEãSÍMM RESSTÊNCAS NA RÜHO RDO COül m ACO A OPÔS BRASÍLA,!) (H) Os arlamentares mas ntfcados com a canddatura Lott mostram-se retraídos dante das notícas que o Mnstro da ustça é o artculado r rmca acordo com a Oosção. Numa reunão nformal, ontem à note, * nut* se reetrá hoje, com ; resença do cx- Mnstro osc Mara Alknn, o assunto fo dscutdo amlamente, cheunulo-sc à conclusão que cm meo a uma camanha eletoral qualquer entendmento sera funesto ara a canddatura l.ott, reeém-saída uma sére crses nlerlexaram solaar sua nas que nau coesão. O Mnstro Falcão, os conversar com o lír da Ooseão, lmtando ao âmbto do Congresso as détnarches, ter-se-a entusasmado com o resultado dos entendmentos e levado adante mas suas conversas. Nos círculos da róra Maora, e que se geraram as resstêncas à tese do acordo, tenha ela o objetvo que tver. Por este motvo smles, mas medata reercussão: o Governo, com um canddato na rua. não rocurara a Oosção, se não estvesse se sentndo enfraquecdo. Não é outra a nterretaçao corrente. Os trabalhstas, or exemlo, se sentem atnedos. os sobre eles fcou mícta uma suseção a que não seram os alados sejáves ara o futuro. Em aluuns setores omos ntfcar, hoje, até uma certa rrtação contra as artculações atrbuídas ao mnstro da ustça, que fcou a ver excações aos seus correlgom ros. Lembra-se a roosto a crse confança renante entre os chefes majortáros e que revelamos na oortunda do encontro entre reulados naconalstas, na semana assada. O Deutado Temeran Perera, naquela ocasão. ctou nomnalmente o mnstro da ustça como um dos mlcados no rocesso enfraquecmento da cânddatura Lott, ela ncomreensão que tem monstrado dante certos fenômenos da vda olítca do Pas. CÂMARA SENADO BRASÍLA. P <üh C Sr. Aníso Rocha voltou a tratar hoje, na Câmara dos Deutados, do roblema da rorrogação da Le do nqullnato, reetndo a adverténca do ergo socal que correra uma revsão dos alugués agos nv aqu--- les que outros recursos não têm, além dos seus arcos ornados, O reresentante goano, que não tem dado scanso aos seus ares da Câmara, nsstndo na solução do roblema, afrmou que -a rocrastnação é uma éssma attu qualquer admlnstração. Os nqulnos esrão atentos as atvdas arlamentares. Eles se rearam ara enfrentar abrutamno qualquer cochlo do Legslatvo. nessa questão que atuge ern cheo a vda mllões. Os nqulnos se agruam e se unem ara uma marcha contra o Governo. Além do ver que se nos mõe roteger os fracos das garras raaces dos otentados concluu o Sr. Rocha é recso não csquecer que uma dslcênca dante ca ganânca dos senhoros. será voltar as costrvs às nsttuções vgentes, será xar que o regme seta abaado or uma convulsão swal GRUPO CARRETERO O Sr. Vasconcelos Torres ocuou a trbuna da Camara, hoje, ara nuncar A subordnação stas artculações à cração do Partdo do Desenvolvmento to gualmente tda como sroostada, tal a sua noortunda e a sua falta base. Não sera, alás, uma entente UDN- PSD a mas arorada ara servr nstrumento á volta co Sr. uscelno Kubtschek ao or, tas as contradções entre os dos artdos e as dferenças nteresses que reresentam. A rojeção futura ro-partdo do Desenvolvmento só se exlcara como orunda fontes renovadoras. Em oucas alavras: o entendmento agora entre os dos grans rvas centrstas é voz geral arte da convrção sem muta base, que a vtóra do Sr. âno Quadros é naelável e que, a retexto contê-la. trama-se com uma antecedênca mas dos meses da eleção a asão ao vtoroso, sem alcance olõgco ou olítco. TACL LOPES RA ( ~ ;ÇA NQUÉRTO DE BRASÍLA: DECSÃO FNAL No onto convergênca funconamento do Congresso que dfclmente sera oss- vel sem a colaboração das ban- cadas oosconstas t elo me- É nos até 3 outubro a mao- ra não rá além da realda g ara evtar a consttução da g Comssão Parlamentar n- quérlto Brasíla. O lír f, Abelardo urema dsse hoje, que aós a chegada do Deutado osé Bonfáco se roce- ra á verfcação da assna- tura legível e, se conferr com Comssão estará automátcamente consttuída. < Nega o lír da Maora que tenha retenddo levar até a - graíólogos o exame tdo do St requermento ncatva ca Oosção. Os graíólogos a í- que alu somos nos, os lres do PSD da UDN e do PTB, Ü, O Prmero Secretaro osc Ho- % nfàro e o Assessor da Mesa, Z. Paulo Satzler clarou o Sr. Abelardo urema. Caso a % Comssão obtenha o número regmental assnaturas a - í rança da Maora ja ensou nos talhes com que encam- nhara o assunto. O rmero %. asso será a ndcação do Deutado Olvera Brto, Pro- g snte da Comssão ust- ça e ex-magstrado, ara a resdênea do nquérto, o que já esta fntvamente assentado. Nos setores oosconstas reercutu a nota que dvulgmos transmtndo o ensamento do ex-deutado Gulherme Machado, hoje dretor-tesourelro da NOVACAP, segundo o qual e Congresso se mostrou omsso na fscalzação da NOVACAP, su-geners regda or uma le e resta conta dos seus ato á Câmara, que anda o solctar dretamente a sua Dretora as nformações que bem necesstar. O Sr. Gulherme Machado, dante da reercussão da nota, drá na reunão do Dretóro Naconal da UDN, amanhã, que, ela mesma razão é favorável ao nquérto arlamentar, os que ele tem a rearar uma falha do Legslatvo. A reunão amanhã será resdda elo Deutado Magalhães Pnto que aqu chegou á notnha em comanha do resnte da UDN mnera, tendo artcado, aós a reunão do Congresso, um encontro com a bancada feral unsta do seu Estado. LE DO NQULNATO: NOVA ADVERTÊNCA SOBRE PERGO DA REVOGAÇÃO manobra que está sendo feta elo sndco da massa falda do Gruo Carretero, no sentdo aumentar as assagens nas embarcações que fazem o tráfego entre o Ro e Nteró. Nessa nunca o sr. Vasconcelos Torres r rtlcou o Comandante Hetor Pa;- sant, df* QUPm dsso í*s-- tar. ultmamente, admtndo gran numero funconaros com elevados saláros. Conclundo, aelou ao Prsnte da Reublca ara que este assne sem mora o ato mssão do resonsãvel ela dreção das frotas. BAHA VA TER NDÚSTRA SDERÚRGCA :K AUTORZOU ZONEAMENTO ELETORAL O Sr. Moacr Azevedo fenu hoje a necessda arovação, e vantagem ara o regme, do rojeto sua autora que dv o Pas em zonas eletoras. -Se nstturmos o zoneamento no ato da votação e na escolha do utado dsse o arlamentar os reresenta!- tes fcarão muto mas vrculados a zona em que o-? elegeu e estarão, sta forma, fenndo melhor os FLASHES nteresses cada bloco, regão ou zona. Não houve quorum hoje, na Câmara e no Senado. Nas dua.; Casas ro Cc.nres.so os arlamentares lml aram-se a dscussões matéra em auta. Nada fo lberado. O Sr. Rondon Pacheco falou hoje na Câmara, abordando as clarações recentes ro Marechal Texera Lott, a roósto do ergo que reresentara ara o reeme o Sr. âno Quadros no governo. O Senado» Francsco Gallot leu ara seus ares, mensagem orunda na cdaae catarnense onvlle, na qual o Prefeto e o ovo daquele muncío exaltam o Presnte da Reúblca, Sr. uscelno Kubtschek, ela construçào Brasíla. Mas uma voz contra o contlnulsmo: o Sr. Raul Góes connou, na Câmara, qualquer movmento nesse st-ntdo, afrmando anda que sso não assa nvenconr.e tenncosa. O Sr. Florsceno Paxão lamentou a rejeção, elo lenáro da Câmara, das emendas que aresentou ao rojeto aumento dos mltares, ressalvando que rocurará corrgr a dsarda exstente com relação aos cvs. COLUNA DO PLANALTO BRASÍLA, 9 (UH) Acolhendo sugestão da SUDENE, o Presnte Kubtschek autorzou hoje a anotação das rovldéncas ncas vsando * mlantar uma ndústra srúrgca na D/LSN RBERO Baha. Determnou o Chefe do Governo a cração uma comssão técncos ndcados ela Suerntendênca Desenvolvmento do Norste e elo Governo da Baha, ara rocer que servam os dos mltares, «os estudos necessáros que ossbltarão o nco das obras da mandou abrr nquérto olcal-mltar a reseto. À fa-! nova srúrgca, ntro curto esaço temo. mla do soldado Benedto fo- MORTO O GUARDA ta, resonndo ela chefa ran envados telegramas % do Gabnete Mltar da Presdéncla da Reúblca, tão lo- Reúblca ( Chefe sua DO PALÁCO condolênca do Presnte ra O soldado Benedto Montero Souza fo morto ac- dolorosa ocorrênca, termgo tomou conhecmento da Casa Multa ntalmente elo seu coleta nou que toda a assstênca FUNCONÁROS DE Alcs Marano Abreu, fosse restada á raça vtmada, tendo também comare- BRASÍLA RÃO A K or uma rajada metralhadoía, no Coro da Guarda do tdo em comanha dos Majores Cardoso e Alberto da Não se conformando com o Paláco do Planalto, on ambos se encontravam scansando aós terem cumr- vstar, em nome do Chefe do mês em trânsto, que fxa o Rocha ao hostal, a fm creto n , ro do seu quarto hora sentnela nos ortões do Pala- que, antes morrer cla- se do vencmento anteror ao Governo o referdo soldado, agamento das dáras na ba co Desachos Presnca. Segundo os resentes, o ra o seu comanhero. O Co- funconáros lotados em Bra- rou que nenhuma cula tve- Plano Classfcação, os soldado Benedto dsse qualquer gracejo ao seu comadante do Batalhão Guar- a K a revsão do referdo ronel Flávo Mereles, Coman- síla vão edr essoalmente. nhero que, em tom brncara fez que a metralhada Presncal, unda em ato, que alegam ser legal. o. quando sua arma dsarou, Afrmam os servdores resntes na nova Catal que as ferndo gravemente ao seu colega. que fo levado em estarlor ao Plano e o atual, n-.o ultraassam a 5 mlhões cru* sesas com a dferença da dára, entre o vencmento antedo seserador ara o Hosta Dstrtal, on faleceu gran mortânca ara a bóla mnguada lelros, quanta nsgnfcante ara o Tesouro Naconal, mas barnabé. do Nao ás horas hoje. O Coronel Arnaldo Augusto da Ma- Governo, face * sugestão do om, assm, conformar-se com a medda levada a efeto elo DASP. «S9BMlW8»SSS( t í Í A NUNCA FO SUBVERSVA [UNCA ense que smles manfestações soldareda humana ussem ser nterretadas como subversvas ou antmocrátcos. É verda que fz clarações aoo à revolução cubana e ao governo Fdcl Castro mas sso não dá, a nnguém, o dreto acusar-me comunsta. Essas clarações foram fetns ontem a ULTMA HORA ela Sra. Mara Crstna Vlanova Arbenz, esosa do exresnte guatemalteco.larobô Arbenz, momentos antes embarcar, em comanha seus flhos, regr ==o a Montevdéu. A Sra. Arbens mostrava-se magoada com o tratamento que lhe fo dado or certos órgãos da mrensa caroca, que atrbuíram sua vsta ao Ro a maqunações secretas do comunsmo ntornaconal. Arbenz Não Vajou NSo é verda ; absoluta rmaza em todo o mentu a Sra. Arbenz que meu mardo tenha vajado ara Havana ou que tenha sado do Urugua nra vstar qualquer outro as. Èle está em Montevdéu e. or certo, estará no aeroorto Carrasco á nossa esera. Também não é verda que mnha vsta ao Brasl tenha ldo qualquer objetvo olítco. Arovele. aenas, o eríodo féras meus flhos ara realzar o velho sonho conherer vosso as. Dexo o Brasl contente nor ter ronherdo um ovo hostalero e mocrátco. Lamento, aenas. que em certa mrensa tenham aarecdo notcas que não corresonm á verda e com as quas aenas se rocura contundr os letores. Agracmento a ULTMA HORA Agraço n ULTMA HORA fnalzou a Sra. Mnra Arbenz o tratamento que me dsensou, lmtando-se a ublcar uncamente os fatos, sem turar o sentdo mnhas clarações, A Sra. Mara Arbenz seguu ontem ara Montevdéu, or va aérea, em comanha seus flhos Mara Leonora e uan Antôno acobo Arbenz. VEA PELÕSÃNÜNCÍÕS DESTA EDÇÃO AS MELHORES OFERTAS Brasl......mas luxo e Lco Hauer: Reajuste Para Funconáros na Base 5% Falando a nobre o anuncado aumento ara o dsse nallsmo. o Deutado Lyclo Hauer: Ao rojeto do aumento dos mltares, foram amo tadas onze emendas, tôdus cas objetvando concerservdores cvs as mesmas vantagens S que foram dadas mltares. O resnte da Comssão Fnanças. Demta?5 César Mctro, ncumbu-me fund-las ara que L! tuíssem uma roosção á arte, únca manera co tornar a exgênca consttuconal da ncatva do l.xrut! cm casos semelhantes. Quanto ao asecto consuuelon. alás, o róro resnte da Comssão Consttução c ustça, Deutado Olvera Hrto, j se manfestou favor vel. Estamos agora eu e outros utados rocurando ottcr regme rle urgênca ara aquela roosção, o c esera. mos consegur ntro breves das, uma vez que o mm/ rlmcnto já contém mas cem assnaturas e tn tdo a mas amla recetvda or arte dos arlamentares, Km síntese, a roosção dará ao funconalsmo um reajuste na base 3 or cento. Nova c exclusva lnha tecdos e cores......ara dar mas encanto e harmona ao ambente! ] SEM ENTRADA ou mensaldas guas sem juros e sem acréscmo. elegânca! :í d!! - S o f á - F x o EPEDA Lnhas mornssmas Molejo Eedo no encosto e nas olmofadas soltos. Acabomento do mós fno toeçcra nteramente revestdo com o tecdo SEM mesmo 675, ENTRADA DVA EPEDA Belíssma eço com dulo uso: Luxuoso dvo e confortável como soltero Molejo Eeda em oda a eço. Caxa armáro e 2 olmofadas. mentas.72, SEM ENTRADA POLf ROM EPEDA PONTO ALTO al aro formar conjuntos ternos com lnha sofás Eeda. Amofada seta com molejo Eedo. mvnol 737, SEM ENTRADA SOFA-CAMA EPEDA O to-alto mas erfeto e luxuoso sotacama já fabrcado no Brasl. Suave sstema conversão. Molejo Eeda em odo a eço. Permte arranjos mas mornos e hamonosos.66, mensus SEM ENTRADA ara arranjos mas mornos e mharmonosos, nclusve no meo do ambente. o Magazne da Tjuco fflm HORÁRO: dàromente ate às 2:3 horat exceto os 4.* e sábados MAGAZNE HORÁRO: terços sextas até ás 22 horoí A VENDA TAMBÉM NA MESBLA NTERÓ (Rua Vscon do Ro Branco, 52/3)

7 -- ULTMA HORA Ro anero, Quarta-Fera. 2 ulho 98 PAGNA 7 EMBAXADOR DO URUGUA: ACÔ COM BRASL PODERÁ SER ANULADO MUNDO DOS HCÓdOS embaxador do Urugua no Brasl, Sr. Salvador M Ferrer Serra, nformou, Ç\ ontem, a * ULTMA HORA que aesar não teem sdo realzadas, anda, gestões ofcas entre seu as e o Brasl ara a anulação do convêno blateral comérco exstente, em favor um sstema agamentos em dólares amercanos, o Banco a Reúblca Urugua o Banco do Brasl, estão estudando a ossblda tal rovdênca. Devdo ao créscmo que se tem observado nas últmas safras trgo no Urugua dsse a exortação sse roduto ara o Brasl cau muto abaxo das cotas fornecmentos estabelecdas. Em conseqüênca, constatou-se, no ano assado, um saldo favorável ao Brasl do montante 36 mlhões dólares. Em vsta da crescente mossblda ser nvelada a balança agamentos, uma vez que, dfclmente, o Urugua voltará a roduzr trgo em quan das semelhantes às alguns anos atrás, surgram condções que justfcavam transções alheas ao sstema dólar-convêno. Acredto rosseguu or ocasão da exortação, em que a vablda ser anulado o acordo comercal surgu car braslero ara o 959, três artdas açu- mercado DGA ONDE ESTA SEU PA, DA E VA VSTÁ-LO NO DO PAPA na etaa csva da notável romoção que UL- ESTAMOS TMA HORA, com a colaboração nestmável VARG, a onera, magnou (e á realzou com sucesso no ano osjado) ara o maor brlhantsmo dos festejos dcados ao Da do Paal. De acordo com a ncatva ULTMA HORA e VARG, serão sorteadas 2 (vnte) assagens aéreas, rferentes às seguntes catas brasleras: São Paulo, Curltlba, Floranóols, Porto Alegre, Belo Horzonte, Brasíla, Goâna, Cuabá, Vtóra, Salvador, Aracaju, Maceó, Recfe, oão Pessoa, Natal, Fortaleza, São Luz, Terezlna, Belém e Manaus. E o concurso DGA ONDE ESTA SEU PA, E VA V5TA-LO NO DA DO PAPA, e a êle om concorrer todos os letores ULTMA HORA do Estado da Guanabara e do Estado do Ro. Para concorrer, basta que o letor escreva ara o Deartnmento ce Promoções ULTMA HORA, à Rua Senador Dantas, 7-A, 2. andar, ou ara a Rua Vscon Ro Branco, 353, Nteró, dando o nome e enreço comletos (se ossívcl com telefone), dzendo on se encontra o a, há quanto temo não o vê, or que seja revê-lo no Da do Paa e o que acha da nossa romoção. O concurso está aberto aenas ara os maores 8 anos, os, como se sabe, os menores não om va- ar ce avão, a não ser com autorzação dos ns. E os, sorteados com as assagens têm que vajar medatamente aós o sorteo do da 8 ce aíósto, no rograma l televsão Reortagem DU- CAL TV-Tu), os vem estar ao lado dos aís, no E da 4 agosto, Da do Paa, estejam élcs on estverem nos quatro can-! tos do Brasl. l uruguao. O roduto fo, então, ago em dólares amercanos, sendo tal cosa nédta no comércío entre as duas nações. Esecalmente assm, tendo-se tratado um artgo tradconal do ntercâmbo. A seto da medata convenèncla ara meu Pas com o resnte do Banco do Brasl, no sentdo ser nstalada, breve, uma agênca brasleíra do Banco a Reúblca Orental Uru;;uay. Atualmente, o Banco do Brasl conta com uma reresentação em Montevo. on a ntenslda dos negócos, ndca, ás autordas daquele aís, as vantagens se nstalarem, também, no Brasl. Mercado Comum Para a economa uruguaa aludu a cração do mercado comum sul-amercano será um menso benefíco. Tal unão ora soluconar uma sére roblemas econômcos e roorconar a valorzação nossa rodução exortável. Consro orém rejudcal um comérco baseado em dólares amercanos. Será necessáro scartar o convêno, não creo que a medda resulte bem a lormo razo, esclareceu, em seguda, o Embaxador. Nenhum dos dos aíses está em osção senr moedas fortes, lvre conversbldace, sem o controle um valor anual esecífco. O comerco dmnura, aulatnamente. Agênca no Brasl Na oortunda, o Embaxador Serra notfcou que, ntro comum ao gruo, ou utlzar o concluu crar uma moeda em breve, artrá ara Brasíla, adrão monetáro cada ar a fm manter entendmentos tcantes. Anda com referênca à Q exortação cafés brasleros, ara ndústra solúves, em oeração casada (sto é, cnqüenta or cento café do nsttuto Braslero do Café e outros cnqüenta or cento roduto adqurdo no mercado), já fo dto, nesta coluna, que 8 frmas transaconaram, em maores ou menores quantdas. Estamos, hoje, nformados que, entre estas, estão a Standard Brands, a Nestlé, Nova orque, e a Folger, também estadunnse. As bases ssas vendas foram, rgorosamente, as mesmas que regeram a venda,5 mlhão tle sacas ara a General Foods. S Uma crse orá ocorrer, em curto razo, na ndústra naconal fumos, com orgem no eddo fabrcantes naconas, ara efetuarem o agamento do mosto consumo, or meo gula. O sstema vgente é o da selagem dreta, que obrga os ndustras a manterem moblzados, cerca 5% seus catas e reservas, em selos do trbuto. Pletea-se, assm, analoga com o tratamento dsensado à ndústra bebdas. NO BRASL E NO MUNDO OPKKAÇAO GENERAL FOODS: UMA ADVERTÊNCA A Fundação Getúlo Vargas, conhecdo órgão técnco esqu- KHS ffóco-cconomcas, arecando a venda cales realzada t-lo r.rasl e que se convenconou chmar Oeração Ceneral Foods, embora tenha sdo, fato, realzada com nada menos f frmas norte-amercanas, os analsar vjros asectos da transação, checa a conclusão que a mesma é uma adverlénea aos rodutores afrcanos a vareda robusta. Lm novo ângulo da mesma questão, ortanto. Observa a FGV do que, onlo--vsla nossos concorren (es, (no caso, são os rncas nteressados os rodutores ro- nsta) como os reços elos quas o cale do nsttuto (Brasllero do Café) fo venddo, mesmo baxos, não são nferores aos em que estão a venr os seus, a oeração arece não haver atetaln seus nteresses, embora srva advertênca quanto às ov slbllídas brasleras cometr nos mercados nternaconas, o que veram levar em conta nas negocações do Acordo ntcrnaconal do Café. CONSULADO NOVO Uma notíca nteressante ara os homens negócos lgados à mortação-exortação: um n o v o consulado braslero va funconar nos Estados Undos. Será na cda ce New Bnrord e se subordnará ao já exstente em Boston. CAFÉ PER CAPTA NA ALE- MANHA No relatóro referente a 959 da Assocação das Frmas Partcantes do Comerco Café. Hamburgo, e ajora dvulgado elo nsttuto Braslero do Café. em analse feta ela dretora, e dada a osção do mercado mortador café da Reúblca Feral Alemã, que está assm dstrbuído ercentual, mente: Brasl, 2,3; aíses afrcanos e outros, 2,43; aíses amercanos, 49,63; Colômba, 6.4ÍÍ, outros aíses,.6. Ê feta também uma comaração com o ano anteror, on se vê que o Brasl teve um aumento 3,37! e os aíses afrcanos um créscmo 4,7,; em relação ao total café entrado no as. Outros gruos também tveram aumentadas suas artcações no total café mortado, O total da mortação café também aumentou, na razão 5,5 em relação ao ano anteror, tendo assado elas barreras aduaneras daquele as. em 959, sacas. O consumo ra Lott. canddato a Presdén- : er cata elevou-se, então, ara ca da Reúblca, será entrevs kg, o maor índce até agora alcançado na Reúblca Feral Alemã. DRAMA DOS PORTOS NACO NAS -- A stuação dfícl acesso aos ortos brasleros, ja abordada nesta coluna, contnua trazendo os mas séros entraves à navegação que aten ao movmento Cabo cabotagem. O vaor Orange, um dos mas novos navos nossa Marnha Mcr cante, contnua encalhado no ro Gualba, acesso a Porto Alegre. Há 2 das, todos os esforços a ra retrá-lo ro lodo têm resultado nfrutíferos. Por outro lado, róxmo a raa Laranjal, em Pelotas, encontra-se encalhado o etrolero da Esso, Pratn, com uma carga dos mlhões ltros etróleo. Fnalmente, em Natal, encalhou, sábado ultmo, o navo mercante argentno Norte, reso a um banco re area, róxmo à raa Rtnha. Sua carga é trgo e a localzação do encalhe está medndo a entrada outras embarcações no orto. DECRÉSCMO NA BOLSA No correr da últma se-! mana, a Bolsa Valores do Ro anero negocou 25.3 títulos. Regstrou-se, os, um créscmo no movmento, uma vez que, na semana anteror, o : total fora 4.3 títulos. LOTT NO CONCLAP Ho- je o Marechal Henrque Texe- tado elo Conselho Sueror das, Classes Produtoras, sobre o seu, roerama governo. A MESMA QUALDADE.! NUA NOVA 7 szj w PELA ll <m && :# mrnu ;;;;;í.7.n...v. m*m*. BRPfW rastwftc :!~tl*aac!lvlvlv.v:.v írssíísvsíspx lu jê CENTAVOS LAWVfVl-SE Wííííí [ : : : : : : : : : : : : (dlçja lluve EM QULOS DE ROUPA MNUTOS *7 mm ÊÊW yvy // / \ WV\ n M / M \\ n f- / f í í V rnrtrr-tr-m LAVA-ROUPAS HOOVER (dga -mn Só com o revoluconáro método econômco do funconamento da LAVA-ROUPAS HOOVER você consegue automatcamente, or 2 centavos eletrcda, 3 qulos roua muto mas lma, em - mnutos aenas! sso acontece 365 das or ano, orque a LAVA-ROUPAS HOOVER fo rgorosamente lanejada, em seus menores talhes, ara. 6er a mas rátca, a mas econômca e a mas ráda máquua lavar roua do mundo. A exerênca mlhões donas casa em 7 aíses comrova roua lmeza ncomarável, lavada em menos temo e com um consumo mínmo eletrcda srt nesse equeno ggante que é a LAVA-ROUPAS HOOVER a máquna lavar roua construída esecalmente ara o nosso clma! LAVA MAS LMPO... K SMPLFCA TUDO! ;: 2 anos garanta ntegral r% :-:-:-:-:-:::v: t- $ $ : esecdl:ad: cí a oarantr- :. assstênca técnca írr- nene. Basta você telefonar ara o r Autot:ado e sua LAVA-RO PAb e «eâ medatamente atendda, ela rrerra eaun moton;aaa da HOOVER íjrasltrva S. A.,\ w. v.v.v.% l RETHNGULRR 96 NOVO *m tudo De»lumbrante ocabomento nterno e externo. Dvsão al do gabnete, com 6 lona» fro dferente. Um refrgerodoc -omleto, com caacda ero 22 ltrot. 2 módulos: Sluníart S«cr-Lu». a artr.38 mensas SEM ENTRADA KlBERO Androdav 96 Av. 3 Moo, 23-. «ub-olo Bueno Aret. Marechal Florano, 7 Rua Cel. Agotnho, 97-A (A Confança) C Gran f Av. CAnego Vatconcello. 2 - Bangu ~» SLVEM SflMP VOLTB HOE TV RO 22. S......,.., *..*.-.* * < - ~,.v.»-* A,».*r«. -,< j-<-- -. «ümj

8 . P PAGNA 8 Ro anero. Quarta-Fera, 2 ulho 96 ULTMA HORA Planto Mltar Terra, Mar * Ar Batsta e Paula DESTAQUES Transcorreu segunda-fera ültlmn o anversáro natalíro do D A \tonleta Lott, esosa do ex-mnstro da Guerra ê canddato naconalsta á Presdênca da Reúblca. A data * sgnfcaív. ara muta gente, esecalmente nos meos mltares on a anversarante, elos seus dotes coração, humanda «justça, coza muta amza, estma e admração Do nossa arte sejamos á D. Antoncta muna saú e lonyo.; anos do vda. ara que ossa contnuar sua mssão ce esosa e comanhera do soldado que o Brasl todo»dmra e reseta.» dosex-combatentes, \esev ro ser o reresentante da Feração nternacona no Brasl, o Coronel Newton Corroa do toldr Mello não fgurou na Comssão ndcara olo Marechal M-.scarenhas Moraes, que rá a tála, a fm trarer os restos mortas dos racnhas que anda se encontram no cemtéro c.e Pstóa. De fonte ofcal do gabnete ro Mnstro da Marnha. Almrante Y: toso Maa, nos fo nformado que o Almrante Hetor Dovle Maa. Comandante-em-Chefe ra Escoadra não solctou exoneração do sou cargo ao mnstro, coníorme vem sendo notcado com nsstênca. E se assm o fzesse sera sou eddo drgdo ao Mnstro e nao ao Presnte ra Reúblca, o que redundara em falta dsclnar. E<-sa nformarão faccosa tem or objetvo, uncamente, crar um clma nquetação nos meos navas, qhe na realda não está acontecendo. O Coronel-Avlador Ruy Morera Lma. Comandante do Gruo Trn-sorte da FAB. autorzou a vssem oto jornalstas ULTMA HORA. em avão do CAN. do Ro a B-asíla a Um que conheçam a nova catal. Queremos dê nossa sretencosa coluna acracer mas essa cordaüqsqí do Coronel Ruy Morera Lma. MSCELÂNEA Nas róxmas romoções o acomanharão em sua vagem Coronel Dr. oseh Nunes Rbero, vera conqustar o Ge- fra ste més. * Os Gene- a Portugal, rogramada ara o neralato. Trata-se um excelente médco, bom admns- Nestor Ponto Olvera, Coras nr Dantas Rbero c trador t, uma fgura humana mandantes do Exércto, estveram. ontem em vsta ao lo- exceconal. * Va vento em oa a canddatura do Sargento Pava Melo á Consttuía- rova rústca atrulha ecal on se esta realzando a te da Guanabara. Pela nmera vez uma classe unda, } Pera o Batalhão Santos Dumont. forte e oltzada elegerá seu romovdo a General-Brgada o Coronel Paulo reresentante. E este corresonra, temos certeza, a con- Kluser da Cunha Cruz. * No fança nele ostada. * Em róxmo da 23 haverá eleção na Assocação dos Ex-Combatentes do Brasl, a fm ser todas as cdas que ercorre romo canddato o Marechal escolhda a nova Dretora da Lott 4 vstado or ofcas e entda. * Fo transferdo sarcentos ras Forças Armadas e Auxlares, com os quas conversa sobre assuntos dversos, Coronel.oão Amor Dvno. * ara a reserva, no osto General--Brgada. o Tenentemenos olítca. Só no fnal é Fo alvo váras hotnenagens. or motvo seu an- que os mltares lhe dzem: Marechal, nós estamos com versáro natalco o Coronel V. Exa. ara ganhar na certa. E Lott. semre muto t- EM da l: DL * Anda não Gênero Bontemo. Chefe do mdo e enquadrado, aerace fo encerrado o nquérto man- a vsta e o aoo seus camararas, edndo-lhes orém que não artcem reunões olítcas fardados, nem façam ronuncamentos úblros. * Em conseqüênca da acregsção dos Coronés oão Carlos Gross. osé Alejcíno Bttencourt e Homero Laydner os canddatos a es>as vanas já estão se movmentando. * O Mnstro Matoso Maa r-r.da não ndcou os ofcas que o dado nstaurar elo Chefe do EMA. Almrante orge Lete. ara aurar as causas do rhoque entre o Barroso, com o rareuero noruesruõs. cujo encarregado é o Almrante Francsco Duque Gumarães. Chefe co FM da Esquadra. * Va xar o Pò«-to Oceanográfco da lha da Trnda o Caão--Corveta Ftzlero Naval van Márco Caat Gonçalves. MSCEÂNEA DE BRASÍLA a se encontra em Brasíla ura assumr suas funções Tesourero dr Gabnete do Marechal Odvlo Denvs. o Cantão E Francsco Lus Dutra. - O Major essé Torres reassumu suas funções no gabnete ro ttular da nasta da Guerra. Maechal Odvlo Denys. ** Com a resença cran númeo comanheros mltares e cv> realzouse a festa ce sedda soltero do Sargento Wlson Gl Ferrera. Fo uma festa esetacular. - O Núcleo ra Comanha Polca da. Recrão Mltar, consttuído homens. qu;-se todos orundos do Sul ro País é atualmente comandado elo Catão Hlton do Valle. que também comandou a troa onera do Exercto nesta catal: a extnta 6.* Comanha Guarda. * E até amanhã. QUEREM URGÊNCA QS SNDCATOS PARA AUMENTO DO SAlARO-MlNMO Plenáro Delberatvo da Comssão Permanente da» Ormlzações Sndcas do lstado da Guanabnra aro- do Trabalho tome as rov- boando um trabalho esecal j Estatístca da Prevdênca Comssão Permanente está ela- vou cm nome dos trabalhadores carocas, um voto unanme cêncas que ossbltem a obtenção dos dados estatístcos nsofsmáves, que a elevação ara monstrar, com dados le 82 letados 32 entdas, um memoral a ser entreene amanhã ao Mnstro d» Trabalho contendo os ontos que servrão base aos estu- do custo vda, janero lndamentas ara a nsttução novos níves saláromínmo nas 5 regões do Pas. Prsa anda o memoral que comletamente o or aqusl- ros ras comssões. t!)í>!> aos das atuas, já anulou esses estudos om ser fornecldos elos órgãos ofcas e tegoras rofssonas. tvo dos saláros mutas ca- mínmo; como se encontram: Síntese do b> que enquanto não forem comletadas ou renovadas. T,., tá ros do documento que a re- ofcosos ce estatístcas. Esclarecem anda os sgna- Memoral as atuas comssões saláromínmo entrem, medatamente, Conclu o documento, frma- : robalho vsão urgente dos saláros O documento revnccatorn ntuas n-l sknjnca um anseo elaborado elos trabalhadores, em atvda em caráter ro em nome um mlhão j da massa oerára, consttuutrabalhadores, consubstanca, em síntese: ; emergênca; n, à convocação medata que. margem ; do-se, sto sm, num merate que SEPT Servço ro exosto no memoral à vo arm das atuas comssões salárosocal. PORTO DO RO DE ANERO FESTEA CNQÜENTENÁRO do Ro anero vê assar, hoje, o seu Z Porto cnqüentenáro, naugurado que fo no da 2 tcressanlc mostra da vda e dos ulho 9. A ofcalzação do ato fo mar- trabalhos do orto do Ku. Cas cada com a naugureção do então chamado Lauro Müller. Atualmente, do íer Mana no Parque.Mnéro, o orto do Ro assume mortânca vtal ao comérco e á ndústra f do Pa*». Por ele se escoam, da e note, as nossas rncas fontes le rqueza. Prossegundo em sua sére le solenldas rogramadas ara o més atual, haverá hoje. ás! horas, no audtóro do AM. na Avenda Venezuela, 34, uma sessão so- ene comemoratva à data makna do Porto, com entrega, dlomas ao servdor-adrão, ao gruo doadores ortuá- são os que haranv ros ermanentes, sangue, e aos servdores com mas, M e 3 anos servço na APK.. Será orador ofcal o Or. osé Muíos Pnelros, chefe da Dvsão Pessoal da- quela autarqua. Pela manhã, às 8 hons, será : hasteado o Pavlhão Naconal, na se da APR.T. na Avenda ; Rodrgues Alves, 2. Além ssas solenldas, er- manece franqueada ao úblco, das às 22 horas, no 3. an- fô RÁDO E COLUNA TRABALHADOR METALÚRGCOS ACERTARAM AUMENTO: 35 POR CENTO Metalúrgcos e emregadores estão mas róxmos um acordo, que orá ser frmado, anda esta semana, benefcanro corra.sessenta e cnco ml trabalhadores, em :tf> or rento aumento salaral, ncdndo sobre os ornados atuas. Nos entendmentos do ontem entre os reresentantes casse e as artes nteressadas fcou. ratcamente, estabelecda aquela base. que será. agora, levara á consração das resec- TV TUP (Canal 6) Sábado, 2:3 horas Uvas assembléas. Tanto os cmregados como os emregadores transgram um ouco, scotlo os trabalhadores lã ara Hã or cento e. os atrões, elevando a base ncalmente roosta 28 ara 3ã or cento Deos do amanhã, em gran assembléa, os metalúrgcos cdrão sobre a acetação, ou não, do aumento entabulado elos líres da classe.,., nhnvo o relação <los felkardos ganlnulorm dos rêmos dstrbuídos elo llalll.mo BOM mm., no sorteo do últmo ;>;n,<l<., da f 7 6. PH.MF.RO PATKO SEGUNDO PAREÔ TERCERO PAREÔ. Mara Madalena l. Sno/a Rua Vlcor. sérco tvalnr Roa Voluntáros da. l-nrque nr\ lho oler Ourn/.! - Alo. l Máquna Costura Refrlüenulnr llraça. flu (Nlóolls) - Pátra,.V-A Retrccrador Clma.x Clmas Mod. Vtóra 9. tev. - Mod. Vtora l!oo. tev. Amnzr.m lamus - Hua Rcardo.Machado. ll-a Ygurell. Kv, - Mercado do Mcycr Pôsto da COAP < rs.,. CrS.,. CrS Albrnfj! Tulm Alfxnndrc Mourta - ::.-.l.nra (unha - Rua Raul Pomufla, 3 Hua 2. Marly l.na da Costa - Rua runas, - lerrera rança, Ato. : Atu sr: - Encerara Amo. lccletn Calo. 228 Ato. 3 - halrra Amo lll.ll-. /ahe Marcons lleclenx - Hua l.urso. d \eca (sobreloja) Anarcllt 3. Edmundo.. da Custa - Rua Dr. nr. 3..losé l.oes Clllvão Neto Rua Crnue- Surr. Crstal Renusn. cneula. 54 <>. (onçalo) Aar. (rs- ra Daltão, 2f - Ato. 2 - Aarelho.- Olar Auuar - Rua Vse. raja. lt!l,:l lltoso. Crstal Kcnoso. Alo.. Lqüdfcador Amo. t. Mara latua l.oes -. Marly Alvares - Rua Ca.á, 2 - Ato. Rua Mranda Vale. Frente ÍO oudl.-.dnr Arjo. Lqudlendnr Amo, 5. Monserate Camaro Rua Arlhur * j. Mara Eelslcrta Reco Marro. Rua larl, :.()! ). Caxas). Aarelho or 5, Arsttdcx Menhun Av. Sulmõcs, 355 Torres Olvera, 5 Aarelho Poreelana Real. lana Real. Arrlhu Porcelana Kcal. Os rêmos verão tntrrjrtfs na 5.M BK. a Rua Arequetlba, 53 (róxma ã Praça das Nações) ltonsucca.su, das t.od a* 2, horas, dr se.eunda a scxla-íeíra. Contnue artcando! Quanto raa rótulos mandar, maores serão suas chances RONDA SNDCAL l n O rojeto da Reforma da Prevdênca Socal, recen-» temente arovado ela Câmara dos Deutados, não > será, mulo rovavelmente, vetado elo Presnte Kubts- v chek, que atenrá, sse modo, o sejo manfestado \ or centenas líres sndcas, que eseram ver os \ APí, ntro dos meses, no máxmo, drgdos elos» róros trabalhadores. E Entre os numerosos temas que serão tratados no \ Coííresso Sndcal Naconal fgura a extensão \ dos benefícos da Prevdênca Socal nus trabalhadores { do camo, dreto, alás, já revsto no rojeto da Le { Orgânca, que está na endênca da sanção resncal. ) Condutores, motorneros fscas da Lght sen- H volverão amla camanha contra a entrega dos bon-! das ao Governo estadual z anos antes do razo legal. * Acham os trabalhadores que a cração uma coma- nha msta ara a exloração daqueles transortes sera lesvo aos seus róros nteresses e rejudcal ao úblco. Z Feração Naconal dos Marítmos, na últma rcu- > QA náo do seu Conselho Consultvo, além arovar, { or unanmda, um voto soldareda ao ovo cuba- no. cdu colocar-se contra a venda açúcar bras-» lero aos Estados Undos em substtução á cota Cuba. < Os trabalhadores vão bocotar o embarque do roduto \ naconal sob a alegação que. no futuro, ura ser \ o café a vtma das reresálas amercanas. wzè Marítmos assumram a vanguarda na luta ela aqu- ) s 9 aração dos vencmentos dos cvs aos mltares. } Alegam os trabalhadores que os mltares, alem dos sôl- * dos, tém numerosos rvlégos revstos no Códgo \ X Vencmentos e Vantagens e a garanta da aosentadora «í aos 25 anos servço, crcunstânca que lhes ermte, s - aos 38 onos da e até menos, os reforma- s dos, dsutar cargos cvs na Marnha Mercante e na» Aeronáutca. * Em gran assembléa, na nole ontem, os cm- regados escrtóros das Emresas Navegação Marítma e Fluval cdram aoar a revndcação tos \ marítmos, assando a lutar ela tão reclamada arda > entre os vencmentos cvs e mltares, garantda, alás, ela Le 488, 948. Q Hoteleros obtveram, no Trbunal Regonal do Tra- $ * ballo, uma gran vtóra contra os atrões. De \ acordo com a csão da ustça, os scontos do cha- * l mado taláro-utlda só orão ser fetos na seguu- N te base máxma: 2,5 or cento ara o café; or cento ara o almoço; 2,5 or cento ara o lanche e or cento \ ara o jantar, totalzando 25 or cento dáro. Sobre as \ mas revndcações da classe verá ronuncar-se o Trbunal Sueror do Trabalho. s P lt Patrões e emregados da ndústra rodutos far- 5 macèutcos anda não chegaram a acordo em re- < lação ao retenddo aumento re saláros reclamado com! justa razão elos trabalhadores: 45 or conto sobre on * níves :lu;s. O S. Florano Macel, resnte do Sn- í dcato da classe, esera remover todas as dfculdas \ X exstentes até o róxmo da 3, consegundo uma solu- } X çâo favorável ara os oeráros. \ ry á está consttuída a Comssão Executva dos traba- * } lhadores aulstas que coornará todas as ncat- { X vas dos sndcatos locas ara a artcação do gran X Estado no róxmo gran Congresso Sndcal Naconal, cuja realzação está revsta ara o da agosto no «\ Estado da Guanabara. O resnte daquela Comssão será» { o Sr. Dante Pelacan, gráfco, tendo como l. -secretáro s } o Sr. Abélco Btencourt Rzo, bancáro. \ * *» + -+* * -+ r * * + + r CONGRESSO DE ARQUTETOS, ENGENHEROS E AGRÔNOMOS f.aueurn-se nn róxma sextn-fera, na Pontfíca Unversnl Católca, romovdo elo Conselho Feral Engenheros e Mautetos, o Congresso Kngcnheros, Arqutetos e Agrônomos stnado a rntf- ; en ofcalmente as csões arovadas em Congresso ante- ror, outubro últmo, ela ; Feração Braslera das Asso- oaeões Engenhara, csões ; essas que conseguram nter- retnr a unanmda das a..- rações daquelas três casse;, O rojeto le então elaborara com a unfcação dos onu-- -vsta anterormente clve:-- rjentes quanto í. regulancnação das res rofssões, leve ; colaboração reresentantes cnqüenta assocações. Sun ratfcação, agora, em Cowesso. está sertando justfcado nteresse entre os engenhero;, arqutetos e agrônomos. ;% : T» *f vá \ t :M m 24 ML DE PRÊMOS POR PROGRAMA! ASSSTA E PARTCPE DO m m, Sábados, às 2,3 h RÁDO E TV TUP -Canal 6 Sob o comando TEÓFLO DE VASCONCELOS! Ao oortar um botão, cnco cavalrhos soem a toda, num orado em mnatural V. vve os mesmas emoções uma autêntca corrda orque ê mossvel rever o resultado cada áreo to únco rado do mundo on a» ules nada custan e todos os cavalo são remados. Cr$ 24. rêmos or semana. (Em cada áreo, Cr$. também ara o seu revendor Bom-Brl)! Em todos os rogramas talovsores, refrgeradores, máqunas costura mas uma zena rêmos valosos Basta suo carta w escolhda ara V. ser remado Exja semre o E como é fácl artcar! Basta mandar 5 rótulos Bom-Brl Remeta ara a Rádo ou TV Tu ou oste em uma da mutas urnas esalhadas ela cda, cnco rótulos Bom- -Brl com seu norrn enreço ( não esqueça: escrevo semre também o nome enreço seu revendor Bom- -Brl - armazém, emóro, suermercado ou Banca íera). Comece a mandar tuas cartas s já, e quanto mas cartas V. mandar, mers chonee terá ganhar rótulo Bom-Brl (agora vale ouro)! As cartas ara o Prodnho Bom-Brl também om ser envadas ara a Rádo Naconal do Ro anero, rograma Gente que (2o. fera, 2,3 horas) Praça brlha Mauá Bom-Brl só é legítmo quando traz o tradconal rótulo vermelho. E só Bom-Brl legítmo lma, dá brlho sem rscar... o dstrbu um nundo rêmos or semana Carla Pof*«*t* 83

9 [! ULTMA HORA Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 PÁGNA 9 RSS PROMETE AUDA MLTAR SE FDEL NÃO EDR E AVSA: TOQUEM EM CUBA jsssssm MACMLLAN NOTFCA A KRÜSCHEV SUA PREOCUPAÇÃO PELOS ACONTECMENTOS ONDRES,!) (FP) E* nquclanlc o senvolvmento dos dos undos, crou-se uma stuaacontecmentos s n fracasso da conferênca eúu- ln afrmou, hoje, o rrnero-mnstro llarnld Macmllan, na Câmara dos Comuns, numa claração sõhre o conteúdo da resos ta brtânca á nota sovétca do mês corrente re- Ultmato ferente ao avão norte-amercano K-7. Segundo revelou o Sr. Mac- brtânco não o admtr mll llr, a nota brtânca dz que a utlzação ela avação tamouco não ermtremos. TRAÇÕES UNDAS. 9 (UP) A Unão Sovétca advertu hoje os Estados Undos que vem tocar em Cuba e rometeu utl- alados. qu- toquem nos, que são nosso* não.ssa fo a frase-chave da resusta dada elo legado nortezar seu oro mltar em favor dos cubanos, se houver uma solctação Havana nesse sentdo. O embaxador sovétco, Arkady Sobolev, dsse ao amercano, Uenry Cabot Lodge, O Conselho Segurança: ovo sovétco não ermanecerá ndferente se hoje. aos vol. >u,,.t., fór ncada uma ntervenção armada contra Cuba, manera que nnguém nos círculos drgentes dos Estados Undos ve almentar a lusão tco. Ardaky Sobolev. no bate, cados no Conselho Segurança elo legado sovê- que o ovo da URSS não utlrará seu oro mltar em favor Cuba, da questão relaconada com o ltígo Cuba-Estados Undos., «e os cubanos edrem. Aludu o reresentante norte- S: Troas Amercanas Arovada a Proosta NAC6ES UNDAS, 9 (FP) Fo or 8 votof eontr» (URSS e Polona que o Conselho Segurança rejetou, hoje. as emendas roostas elo legado sovétco, Sobolev, tenntes a medr a transferênca do ltígo CubaEstados Undos ara o âmbto da Organzação das Nações Amercanas (OEA. Hoove uma abstenção: a da Tunísa. A segur, or 9 votos (não houve votos contra, ot a Polòna e á URSS se abstveram) o Conselho arovou a roosta argentno-equatorana, mandando assar o ltígo ara a OEA e edndo encarecdamente as nações não amercanas que se abstenham ntervr no assunto. Aós as votações, o Mnstro cubano das relações exterores, Raul Roa, clarou que acetava a csão do Conselho Segurar,?» mas se reservava a ossblda voltar erante o mesmo Conselho ara a fesa dí ntegrda e da soberana Cuba, concordando em levar o rocesso contra os Estados Undos ao e/arr.e da OEA. N6s nos lmtamos a d.er:, cao oue í uma ameaça M>az e, Não toquem em Cuba! Dexem-? S &2F ê8»zxfz, a segurança! \ teve razão ao levar o caso a vetco. e acusou a CRSB se na só! Dexem que ela taça o Afrmou Sobolev que o Conse-! ONU. em lukür a OEA. e : aresentar dante do trbunal ~ A uu,! julgar convenente. Não n lho Segurança ve agr que o Conselho não oda fu- nternaconal com as mãos su- ameacem com o seu oro, contra essa ameaça e que a?r a sua rlrnrao rocer. Nas chorando laerlmas cror \ -_- codllo no caso cubano enquan- os outros ovos também usa- Unão Sovétca -ve oor-.se rão o seu, dsse Sobolev energcamente ao rojeto Estados Undos l que ( munao.n.o o se es- E acrescentou: transferr a dsuta cubanonorte-amercana ara a Orga- Resonm quecer da Polôna, da cheo- [ E só o que dzemos. sto não ( umn ameaça contra os Esta NAÇÕES UNDAS, 9 (FP) ; Eslováqua, da Bulgára e das nzaçao dos Estados Amerca- ndos clara- mas nações satéltes nem do Cuba Ven Açúcar dos Undos. Mas. como resulta- do dos atos agressvos dos Esta-. r u.fluênra domnante e o- ram hoje ã Unão Sovétca -não caso da brutal reressão contra j ram lqudar a stuação HAVANA, 9!UP-UH Prensa O jornal Lbre nformou ermtremos que nos toquem e a Hungra. hoje que a URSS comrou 7 ml toneladas açúcar cubano a razão 2 dólares e 25 centavos a lbra-éso. Esta fo a comra Premer rometda elo sovétco, Sr. Nkta Kruschev, quando o Presnte Eser.hower. dos Estados Undos, reduzu a cota da URS mortação açúcar cubano. Segundo o jornal, a aqusção sovetca se fez na fcwse um rrlhão toneladas açúcar a ser entregue em 96 O mesmo jornal nforma que a Mssão Comerca da Chna Poular, que se encontra em Havana, esta negocando a comra meo mlhão toneladas açúcar. que tendo em conta a afrma- norte-amercana co terrtóro cão norte-amercana que brtânco, ara levar a efeto Devem Dexar medatamente o Congo o avão não se aroxmou em oerações erfetamente le- nenhum momento a menos as no esaço aéreo nte- 3 mlhas do terrtóro sové- naconal, ossa ser consra- tco, as acusações contdas na da como uma ação agressora, nota sovétca se baseam cm não ondo ortanto acetar % hóteses falsas. O governo as acusações contdas na no- o tem os, acrescenta a no- ta sovétca ta nglesanenhuma roscou, 9 (FP) O Mnstro dos Negócos Estrangeros, Andre mandante da força marroquna, Coronel Drss. base só- O Sr. Macmllan u lda ara rotestar contra os nos o motvo do envo Gromyko, recebeu hoje o encarregado negócos norte-amerçano, em Moscou, e lhe fêx a segunte claração: nternações seu avanço ara orto fluval sua 4 Segundo Os marroqunos contnuaram acontecmentos cor- carta essoal ao Sr. Krus rente. chev ulgue, dsse o Chefe % uma agênca notícas norte-amercana um gruo 2 soldados Matad. ocuado elos rebelrcs congolesés, Matad está A resosta brtânca clara que fo o governo da Unão no resonr concretamente dos Estados Undos sembarcou, hoje, em Leooldv.lle. sse gruo fo do Governo, que era oortu- eno da foz do ro Gongo e é às acusações formuladas e- Sovétca que assumu uma envado ara levar ajuda aos contngentes certos Estados que estão uma osção v.ta! ara os abastecmentos do nteror do as. nce resonsablda em o governo sovétco. Acres- conseqüênca da ntervenção contou que va sua arlá or recomendação do Conselho Segurança. O governo da Unao Sovétca julga esse ato nadmssível. A Unão Sovétca rotesta contra Ao mesmo temo, nformou- do loto sovétco que abateu te esforçar-se em aresentar g se o avão norte-amercano no ao Sr. Kruschev o que cons- ttu a arecação do Govêressa ação e esera que esse stacamento mltar seja.medatamente retrado. Em caso contráro o governo sovétco trará as conclusões que se ontem à note a Stanleyvüe, que 4 soldados etoes da forca nternaconal chegaram Mr..; favn esaço aéreo nternaconal. no brtânco e, sem dúvda, Catal da remota rovínca Nesta radocto. da UP. o legada sovétco. EmbaU-ndor A resosta nglesa rosse toda a nação sobre a stua- P. mõem e agrá em conseqüênca. orental em que o Premer Patrce Lumumba e o Presnte acusando os Estados Undos -nsrar ou mesmo organzar Arkady Sobolev. tala ao Conselho Segurança da O.VC. gue dzendo que o governo ção atual., orão rovocar novo atrto «n- travado uma batalha sangrer Was cssnal ao chefe do Governo sovétco o Sr. em Matad oseh Kasa Munu estabelece- Na sua carta es será a URSS e os Estados Undos. ta, ontem, com os coneoleses atudas contra o governo cubano. Macmllan erguntou: que o Sr. real- Kruschev o rra.. overno e o ovo brtâncos PARS, 9 (UP-FP-UH) g ram sua Catal Fon- em Thysvlle, no baxo Congo, rovsóra. j CA. c c.,. ncute acredtar que o ncos estão efef, tvamente comrometdos numa consração cl trur o novo estado nennte do Congo. fe$ domátcas ocntas revê- EUA. tstorços foram smentdas. A chegada das Forcas da stnada a s- ONU roduzu momentâneag (aram que orta-avlões norte- l Frenétcos Was WASHNGTON, 9 ÍFP) Segundo se nformou ofcal- ; g: amercano se encontra O mente o ânco entre as troas meve aqu, as troas marrorotesto.moscou exbndo que em frente à costa do Congo. Os j gongolesas que ocuavam o aequnas ocuaram Thysvüle, es- TooTt stanleyvllle. Os amou- ESTADO DE SÍTO os Estados Undos retrem do mesmos nformantes acrescenta- tratégca cda entre esta Ca-, Congo os soldados que lá se # ram que o Was, nnrjos coneoleses acredtavam da esquadra em acham é outra rova dos esforços sovétcos ta e a foz do ro Congo, sem qlle E que chegavam eram do Atlântco, sau no domngo GUATEMALA O Exércto assumu o controle do as esforços ncntes os checrar 3 esses - ara aquela zona e se manterá vrtu do creto que estabeleceu o eslado sto, or ata não vem cr- «eserados e quase frenétcos nas roxmdas Matad, o ára-quedstas belgas mas não trem al. As troas conolesas houve tros e. segundo se nformou, as relações entre os das em todo o as. Os moradores da c, ara crar obstáculos á obra cular elas ruas os <~»- oue ocuavam a cda se re-. das nove da note a não ser mundos g orto sobre o Ro Congo que ser- traram a seus quartés os etoes e congolesés são agora construtva das Nações Undas salvo-condutos. Os veículos não orão trafegar a mas ve a Leooldvllle g ouvr uma atenda do co- excelentes.!» qulômetros or hora e levarão suas luzes nternas acessas. Ú Há oucos das, o Governo so- no Congo, clarou hoje o or- -Alto!,,.., uao arar.. una orm está sujeto a levar vétlco hava rotestado contra a ta-voz do Deartamento Estado. CONGO NA ONU Was tro O secretaro da resdênca. Augusto Mullte Descam, f resença do ortavloes em águas afrcanas, afrmando arou que nao se cogta estabelecer censura réva ne- * Washngton acusou o Governo Carcvfo nluma. Meu governo dsse xa sob a exclusva res- g que sua mssão ameaçava a a Moscou comlcar querer onsnblllda dos jornalstas a ublcação das notícas, reco no Congo. Os Estados Undos, o roblema e aresentar da NAÇÕES UNDAS, 9 FP) Para dar temo ao Mmsto das Relações Exterores da Bélgca e aos reresentantes 78 kmh víoc.doòt dr crunr» mendando, entretanto, que não contrbuam ara a ntranqul íí no entanto, havam resonddo à manera mas sombra ossível da. da URSS, negando categò- os esforços efcazes emreenddos, com esírto cooeração, do governo coneclès tomarem suas dsosções loco que nota rcamente que a belonave est- vesse erto do ltoral do Congo or numerosos ases, ntro do TRATADO DO RO CONTRA TRULLO As revelações fetas hoje or quadro da ONU, ara ajudar o cheguem a Nova orque, a sessão do Conselho Segurança,.,.,.,. fontes dlomátcas ocntas ovo e o Governo congolés. sobre o Congo, revsta ara amanhã, as 9 horas (GMT), terá lugar à zero hora e 3 mnuto (GMT). CARACAS Desta vez na resonsablda e afrmou % será alcado o tratado do que seu objetvo não era ma- Ro anero afrmou o tar o resnte, mas crar embaxador da Venezuela na uma ocasão que ermtsse Belgas Saem LEOPOLDVXE, 9 (FP) As troas be!gasne as fôrças da ONU no Congo chegaram a um acordo,.segundo o Dag no Congo Organzação dos Estados ratá-lo _u_ Amercanos, Marcos Falcon Cabrera Sfontes mostrou- Brceno. Trujllo qual as troas belgas começarão a xar Leooldvllle amanhã. A retrada das troas belgas verá estar termnada Nações Undas, Dag Hammarskjold, anuncou, hoje. que NAÇÕES UNDAS, 9 <ÍP> O Secretano-Gera! das atrocnou se otmsta e nclusve are- um atentado contra o resnte do meu as. do qual mando que o atentado faza mtrem Permanecerá, na catal congolèsa senta-se bom humor afr- antes da note sábado, da 23 julho. artrá sábado 23, ara Leooldvlle se as condções er- o temo que lemos rovas concluntes arte um vasto lano com gj Ajuda da URSS tenndo suas osções no j fôr necessáro. Hammarskjold tem a ntenção r loeo - salentou Falcon Brceno. amlas ramfcações. nformou-se que 3 essoas estão MUtCUU, l) (FPl A Congo, sem encontrar até ago- os a ara Em Caracas. Luís Cabrera Agênca TASS nforma que 3 ra resstênca or arte das tro-! retora rossegur al as conversações com o governo sul-aírcano, sobre o Parthed, semenhando-se Sfontes, rncal autor do avões UL-8 saíram esta as amotnadas do exércto assm do encargo que lhe fo atrbuído elo Conselho frustrado atentado contra a mente comlcadas no atenta- manhã vca do Presnte Rómulo do contra a vda do Prest- <í ara Leooldvlle, va congolés. As versões que as Segurança. E ossível que anda volte a Leooldvlle. Roma, Rabat e Accra, com a troas marroqunas da organzação nternaconal havam Bcttancourt, admtu sua e- nte Bcttancourt. rmera remessa da ajuda almentda da URSS ao Congo. PLANO MARSHALL PARA AMÉRCA LATNA Uua: cm o soma Dentro alguns das o carguero zarará Lennogorak NOVA ORQUE O Governador Nelson Uockfoller, do Porto Ossa com uma Nova orque, fez aelo ara cração uma eséce Plano gran artda trgo, açúcar Marshall ara a Amérca Latna a fm ter as forças lete em e ó. antmocrátcas e comunstas tas como as que nfelzmente Acrescenta, or outra arte, são evntes em Cuba. a Agênca que o governo Ga- Rockfeller afrmou que lá urgente necessda uma na solctou auxílo sovétco DRETSTA DE MBRON Conferação no Hemsféro Ocntal ara fomentar os a- ara o transorte suas tronos construção casas c usnas a fm ossbltar o - as ao Congo. Por sto, os três senvclvmento da Amérca Latna. Frsou que somente assm logo aós terem ssera ossível ter n nfluênca comunsta e das forças ant- os UL-8, carregado rodutos que mocrátcas. Rockfeller, num artgo no Newsweek cons- rão a_ Accra transortam, ara ra que a Amérca recsa reconhecer que o conceto na- se orem à dsosção do govürção-estado está se tornando obsoleto. no anensc. A URSS amea envará ara o mesmo fm outros Sr, Tambron OMA, (FP) Deos uma breve reunão, o governo talano do dos UL-8 edu mssão. Logo a segur o resnte do Conselho seguu ara o aláco Qurnal a fm aresentar ofcalmente ao ã Gana. mmmmm Nenhum ncnte Presnte Gronch a mssão coletva do gabnete. LEOPOLUVLLK. Congo, 9 TEL AVV % (UP> As troas das Nações O gabnete mocrata-cnstao Tambron a 29 abrl assado, movmento socal talano néo Centstas sraelenses e sovétcos estale- *% Undas contnuaram hoje es- homogêneo formado elo Sr. obteve a confança da Câmara tascsta. dos Deutados graças à contrbuçâcertm mortantes contatos ê csva dos votos do Na sua ultma reunão, o cab nete Tambron levou em conta o nu camo da bologa, segun- acordo a c.ue chegaram os ; lo nformou o Professor Hat- ce oto das necocacões os chalaky, físco sraelense. Festval Fínnca artdos (emocrata-cnstáo. socalmoerata. lbera e reubh WASHNGTON E* meu- tra afrmou um orta-voz do oa Fábrrr cano ara a formação uma Deartamento Estado, jg acrescentando: Não maora stnada a aoar o no- vo reten- governo fste. segundo o«ter- mos entregar foguetes Polars mos do acordo, ve srr ual- a Alemanha Ocntal. mente mocrata<rstão homo- CABO CANAVEUAL Um geneo. mas honefcando-se com foguete Polars! o aoo externo dos três fo lançado.-írt do. com exclusão le bordo do submarno nu- qualquer : outra formação clcar George Washngton. Sn- olítca. No r!n lu e não exlodu. Fo até 2 ste més. durante o bate na Câmara sobre cs 5 das.6 km. sorns que causaram na tá-! LA PAZ O Presnte l mortos centenas fe Frondz, da Argentna, vstará rdos, os três artdos do centro a Bolíva no da 7 no- convdaram a mocraca-crstã vembro, ermanecendo três g a formar com étes numa nova das na catal, retrbundo a, maora mocrátca e const vsta que. Paz Estensoro está tucor;, stnada a substtur fazendo à Argentna. íí : a obtda graças ao aoo neo BONN Wlly lrandl, g alua refeto Berlm, será g conjunto /uxo ara coa fascsta O Presnte Gronch começará medatamente a< «ta* ( sucessor Aleater. caso mesa fórmca dlversas consultas ara a sgnação o Partdo um novo Socal Democrátco, ro«drnto do Conselho O.to e... vença as eleções cm 96. TEL AVV O rã está exa- 4 caras estotacas em mnando seramente a oss- das cores reço ocasão bíldado estabelecer unu % mssão dlomátca em s- % Cr$ 4., rael. E o únco aís que re- QPÂTS conheceu srael. SALZGTTEK - Vnte *\ í íí/l mu mneros morreram num, V - ncêndo numa mna. nesta cda da baxa Saxôna co- íí nlecda como a Cda Ferro. Outros t cadáveres í; contnuam resos no nteror % da mna. PEQUM Uma gran concentração oular fo rea- % lzada em aoo a Reúblca Democrátca do Vet-Nam. O Ú meralsmo norte-amerlrvna fo volentamente acusado. WASHNGTON O Secrt- í líro Estado norle-amrrca, Chrlstlan llerter artu ara Newort a (m conte- t rencar com Klsenlower. <Connsado da FP, UP e ANSA ). Concorrendo com 2 tmbílagens lmadas, dua ura cada cuâo,m que assnalou uma das letras do nome Aladlm, D. eud Souza B- da cda Caruaru, em Pernambuco, ganhou, no da julho, * nrêmo do 2 o sorteo: um automóvel Dauhne Aerostable 96 ndo ao Ro anero, D. eud e seu mardo, Sr. Ascendno Santos, vraram o Parque ndustal Ro (Fábrca Marda), on fo feta a entrêa ofcal do rêmo (foto acma) elo Sr. Olavo Werneck, gerente a Proagand, da G.E., n. resença do Sr. Paulo Café, gerente d«v.nd... Sorteos 3* dos Aladm será lealnedo no róxmo da 6 aaósto e dstrburá outro Dauhne, além um ano Essenfelr, uma qeara retlnea G E. máquna lavar Bendx e maquna costura Snger. D-oa e s e ara quem c te nlar ê» e anúnco. Decoratvo orta- ( voot, cm ferro v nn «tt oertunldab* (anhto também *«)>»tr«s tonntt». %/a//z&fo Hotrl:. $««e lorr««, 5*7-Tel. W-3?O ll.: ltro r»rt»l«, * - 3-4* t. S» «*< Nlttr.»é<< S«, S-» Tel. -M» - *rw n-yr----~*_ - Doígí DC-S «beoe d- crue.-o 9 km/«s W l S S A. jgj. -*#- jus C» HxaXMMMMMMmMMM! *~ Corvar velocda 2 km d Coroncdo A Swssar está na vanguarda na Smm Bt- tfw * s*. * m > - * Consulte 5W5SAÍR Ro anero Av. Ro Bronco, Ç Sòc Poulo : Ruc Dom o*- H cruztt t Desdt 2! ma.c Lançados em 3, Á artr meaaot loo, o mornos e mato 796, os velo- T 6Í, o: u/tro-rodo conforfàeeucatve/le re Doogfcs DC-8 ecrej no furooo e Amenca do nho oro o (Arnért- Covorf C o ronad o «fco lendo uthzadot foc en? jervçc eníre a eroo emoregodo no* *m vôo rç l,-odc e no o nle Nerfe rofo Zunqut co ao Sul extreme Médo.. -Novo cquc, O-tenle AEROMOaS Cwcooo> Sfrçe»m fo e»vd» 4. andor Tel. * :3-!,.., 3 _ Trl * 37-5F A VARG tem vaqa no seu quadro aeromoças, vendo as canddatas aresentarem os seguntes requstos: ser braslera nata ou naturalzada, soltera, com excelente aresentação e íalar fluentemente nqlès. Curso gnasal comleto ou equvalente e da entre 8 e 28 anos. Para maores talhes, nformações e nscrções queram aresentar-se na Seção do Pessoal da VARG. à Avenda Ro Branco, andar, entre 9 e 2 ou das 4 ás 8.3 horas.

10 ULTMA HORA Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 PAGNA TRABALHADORES: LBERAÇÃO DOS ALUGUÉS SERÁ CAOS NO PA/S! V EA.M sso: aos 3 anos, D j a m a Ferrera e um h o- mclda. Na da em que as cranças fazem ouca dstnção entre o que e reí-l e o que e f.ntasa, Djal.na Ferrera mats um comanhero a tros, em leno da, dante testcmunhas aoavorad.s. E o *eu dra* ma eftara somente em arte revelado se omtssemos a claracão que fé aos olcas que o renram: Mate um cachorro e não me arreendo. E mas dzer ara uma lxaçâo ntegral da tragéda Ql oue marcou a crônca da cda na ultma segunda-fera? Aenas que Djalma Penera não é ersonagem uma hs tóra solada. Ou que a nsto. ra Djalma ferrera há- se reetr, com outros cr.-omuens da mesma da, en quanto n cda não reagr a um estado dt: cosas que er me a exstênca cm ml cranças sem escolas. Cem ml M«Àt*os Segundo esamos nforn-.ado.s, o cantor Nelson Gonçalves va receber na róxma semana, da RCA Vctor do Brasl, a quanta dos mlhões cruzeros, relatvos aos dretos autoras do trmestre abrl n junho 9. Nelson Gonçalves é hoje o cantor oular maor venda no Brasl e esta comletando agora os seus vnte e um anos RCA. Va receber seu cheque no da exalo em que entra na maorda. Sabe-se, anda, que Nelson Gonçalves está faturando, no momento, entre dretos autoras, vagens eo nteror do Pas e ornado na Rado Naconal, nada menos mn mlhão cruzeros mensas So no ano assado, da RCA. Nelson recebeu mas ce ses mlhões ne cruzeros. COLUNA ÜE flf ASSASSNOS MB ER B ES cranças; um quarto la j>oulação em da escolar, ce todo o K-tarto da Guanabara, sgraçadamente afastada dos bancos escolares. Enquanto não se reagr à snstra realdatle dn conjuntura, resto bem exlcada elas arcas,o tações orçamentáras ara fns c educação e cultura H.T ara o ensno úblco, es a onula to Orçamento caroca, enquanto se ermtr que as verbas, nsgnfcantes, ara a escola úblca, sejam absorvd.,s ela escola artcular, meros objetvos comercas. não há dúvda que outros D dalmas ferreras onlrcarãú nus horzontes to crme e nas colunas oleas dn mrensa. 2 A verda e smles so os cegos da or cequera, aqueles que não vêem orque não querem ver. nsstem em sconhecê-la; s que se nao dè rorda aos roblemas da educação no Estado da Guanabara, no Estado em que a Secretara Educação elmna do lano das matrículas as cranças maores 3 anos. Estado em que as famíla vem assar notes ao relento ara assegurar o ngresso seus flhos nas escolas ublcas enquanto fõr este o quadro, claro está que os assassnos mberbes têm que rol. ferar. Sm, há o SAM. No currículo da formação rofssonal crmnosos é estabelecmento nível unverstáro. E e a que os mseráves djalmas ferreras comletam o cu*-so nlcado or conta róra na salva do asfalto caroca. ADVOGADOS CAROCAS CONTRA AS DESERÇÕES (K ;ul\ o rados carocas não se conformam eom o gran numero serções cretadas ultmamente elo Suremo Trbunal Feral, em vsta das erdas le razos ara rearo recr>o> cjue seram aresentados àquela Corte ustçu. Como os sachos são ublcados no Dáro da.lustt % ZEÊ MORERA NO VASCO O Senhor Soares Calcada e o amor das gestões que v- ca, em Hraslla, cuja dstrburão no Lstadu da Guanabara es- j Stm a transferr ara o Club:- Regatas Vasco da Ga- tá se ta/endo com mas uma semana atraso, os órfãos da classe se movmentam ara solctar meddas que mo- % ra o trenador do Flunnen- ram ta serções em massa, que só na semana as-sada Se Fuebo! Clube. Zezé Morera. Soares Calçada entretanto, e atngram ao alto número cento e trnta e duas. O certo, % garantu ao atual técnco trcolor que os escrtóros advocaca do to.lanero recsam se convencer que não mas etão localzados na que a dreção do Vasco lhe Catal da Reublca < vem tratar nstalar eus corresonntes ou <:;s flas em Brasíla, Sahe->e, alás, que va- dará otocentus ml cruzeros ÍÈ luvas e um ornado meusal cento e trnta ml cruros H>-. mas mortantes escrtóros carocas já crencaram arvoeados jovens, radcados na nova Catal, ara cudar sses servdos rotna forense. zeros. alem. r claro, das m grans gratfcações or vtóra. CLUBE 3 x 3 O edtor osé Olymo ca lançar a seeunda eddo lvro ce Glberto Frey- O sruo ndustras, banqueros. bancáros e ornals- NELSON GONÇALVES: as que forma o Clube 3 x :ü re Um engenhero francês MLHÃO PÒR MÊS trnta sócos fundadores :.o Brasl. K. lançara, tambem. a sexta edção do lro maores trnta anos va nautu.. : ro fm ste mês Quatro o seu novo enmo futbeol, scantes da alma, com se nu Avenda Nemeyer. o t era refletores es. do Prof. Emílo Myra e Lo- ara artdas noturnos e GOVERNO DA UDN EM MNATURA Loít recebe; em Arac.ju uma manfestação oular que muto o mressonou. No seu dscurso, o Marechal carou o que governo ce Seree. arbtráro e volento, e uma smles mnatura do covérno que a LDN realzara no Brasl, se seu cândda- o chegasse a Presdênca ca Reúblca Pensando u a s conseqüêncas da vsta Lott à Serge, o. utados Nvaldo Santos e Baltazar, ambos naconal!-tas. e or.-- so mesmo ersegudos.!n governo, fzeram na vésera un seguro vda cnco mlhões ara resguardar o futuro seus flhos. O Deufado Baltazar ja teve a sua casa ncendada ela olca seu colega Nvaldo lo la temos metralhado na sua róra casa e s, não morreu or mlagre. Nenhum dos do:- fatos u orgem sequer a t falso nquérto BANDA DA RANHA VRÁ AO BRASL A Band of Royal Guarda, Sua Magesta e Ranha E z a b e l. verá vr ao Brasl em abrl 96. O emresáro Daute Vgganl ja recebeu uma roosta e estuda as ossbldas fazer a Band se exbr no Brasl no Ro e em São Paulo com seus tem executam cs «com os nstrumentos e ndumentáras tícos. untamente com a Bãd vrão, também, os famosos dançarnos dn Hghlands Dances São eles que dão guarda no Paláco Bucknghan e tocam em racf úblca quando a Ranha Elzabeth sa s rua ara r.rtcnr celebrações ofcas da Corte. A aresentação ca Band o Royal Guards está sendo estudada em combnacão com o Conselho Brtanlco. AGREEMENT CONCEDDO O governo jaonês a conceu agreement ao Emb?xador Déco Moura e, assm. á fo remetda ao Sensclo Feral a Mensagem roondo a sua nomeação ara chefe nossa mssão dlomátca em Tóquo. O Em-, baxador Deco Moura verá segur ara o aão cm novembro vndouro. trtíemos í*ô CHAPÉU toe. soj artcantes do Smóso nteramercano só., bre a alcação acfca ra energa atômca, ora reundo em rasíla. com roóstos que corresonm lenamente ás asrações nosso ovo. vvamente emenhado, como acentuou o Presnte Kubtscbek ao naugurar a reunão, na utl/sção dos men.-os recursos da energa nuclear ara o senvolvmento do Pas wbwsaísítw uma scna. O Clube contara assm, com dos camos um no Laboram terrenos co laboratóro farmacêutco fue tem esse nome e outro em terreno ertencente ao banquero Dalmo Almeda, nas roxmdas do Gávea Golf Club. Semanalmente os sócos do 3 x 3 se reúnem ara verdaras eladas e anda do últmo jogo. artcaram. entre outros. Armando Noguera. Paulo Mens Camos. Geraldo Carneo. Murlo Melo Flho. Luís Carlos Barreto. Aaenor Anuo e Nelson Duarte - os dos últmos, dretores do Laboam. Armando Nomera - o Amo do Bola ra Frente durante a elada fraurou o e dreto e esta aramr.du. a OTO NOTÍCAS O Proessor Teuso- ; Cavalcant é cândda- ;,, a Deutado Consttunte ela UDN e já esta em lena ama.ha eletoral, adotando a técnca fazer reunões a- llates. em casa amgos, quando exõe seu rograma cí ação. Há no Clube Rega- B onda Klar.eo um;, at oosção tnuíu íure con- :. o resnte George Fer.ís. A quexa maor.elooosconsta é ;, íalta e: hero no cluoe e tf: n. lambem, contra rnlu«dr.o. r-- quf não aure>e:,.*, ;)>-n lendmeno -n sen- trab. l!os. H O tlftre C. ; (4uu or anos t raj;.. :jote Vogue acaba á< contratado ara drfr o laurnne do Clube N a. uma excelente aqusção auela assocação, qut ;j!anos melhorar seu? eos reslauação. H Roberto Maa é o lo> grafo otcal ú- Exosção ternacona! noú-tna o Comérco c tem fotografado óda»s canodutüs n M-- E.q.Kj.scão nternaconal d<>rurnentando, o outro ndo, o andamento das obr-s do avün.o da lera, em Sm. Cr- OVlO. a ro) Dutra a jovem cantora t ;.rusa. n- lha do De.jutado Eló Duna, va uablh.r, durante dos anos. no Escrtóro Conercal do :r;.-l em Nova orque, ja lendo sco contraada. - O resnte em e:(er. cíco da Feração d.s ndústras - Mnas Geras - Fábo Araújo Motta ío quem organzou -a honnageu que to. recentemente, restada ao Presnte uscelno Kubtschek em Belo Holzonte. quanuo K fo íeto O Trabahador Número l do Brasl. Fauo - tal como Ldo Lunard - é velho amgo df K. a que-n, tem dado a maor colaboração. fl O ex Deutado Aloí Baleero atual Ser-retàno das Fnanças da Baha. canddato á Assemjléa Consttunte do Estado r?. Guanabara e verá checar ao Ro no ln: do mês ara dar níco sua amanha eletoral. k l CONVERSA CAROCA Marques Rebelo PASSAPORTE PROBDO O amor â llbcnl ule. s**m a qual a vda r uma sórdd. rkã», que forma»* envelhece ns almas, que, odrece os estos r.. s alavras, o amor lberda erra j reugnânca elos assaortes robdos.- vam ser lvres as ernas da.s craturas, nenhuma re.strráo cabera aos vu> assís no mundo, nenhuma convenção ora ter a fona le té-ls. Mas na verda, e ara o bem da verda, cujo uar não c o fundo dn oço, va havêlo-.. Nâo os (e h.. Outros ns que medram os ncaave- vajar. nnl/- mente não -«las.ante lúeídas f.fc;/.«as autordus olcas r mlhares le assaortes sa. encelnl-. cej;s mentas, ncaazes l>- dstngur uma lanlejuula duma estréa, r. que nos tra/em \r outros mmdos. clus nllus erllus. dn- mundos df olg!as vnlsares, as m.s u nhas e sconexas mressões; e cuno fecham es! t - - á s maneras se eonseçur um salru-cndutn ara ns mun- (< vedados, os mundos domnados or ologas mleas. temn também t:s aramos,«m.s mbecs mressões, Vrr r saber wr. es duas cosas dstntas. Francsco nan Pexoto, homem séru. ventlado, rullo, esceconal bom-osto. t( m bons olhos. Tem esecal- g %. mente aquela calada - 2 cda mnera, aarente- íí mente lerda, nus amla- cnlf rumnatóra, que ds- <, ín-e ta bulçosa massa?., braslera o sconfado, t; cauteloso habtante monta- nbés. Com lolo. - se- a T- ntos é que ercorreu qulo- g--/ metros e qulômetros da Cortna <l<- Ferro. S mres- são do vsto r do?, arenddo, dá-nos magstralmente ; em PASSAPORTE PROB- DO. que sau com a marca da Organzado Smões. F. como é escrtor enxuto, undonoroso, o que dz não tem mutas alavras, tem as justas, e como o estado oesa é uma condção do srn ser. eleva ; ro»n das cosas rsta«e comentadas com o grão sublme. muto?: Z.?? trabalho ara coar em tão ouco temo! Kubora o luler ca maora nu Cftmnra Feral tenha mrmtdo a váras legações sndlru? que até a róxma.semana a vséncn d» Le do nqulnato será rorrogada, dversos lres trabalhadores dsseram a Ull que se manterão sobreavso até que a romessa se concretze. Qualquer aheracáo nu Le trará conseqüêncas mrevsvís ao País e orá arranlâ- o ao caos socal, já que mutos nqulnos retenm ale aumnntnr os alugués na base ce l.noo or -mo dsseram eles a reortagem. Gráfcos O Presnte do Sndcato e,.- Gráfcos, Sr. Govannl Romta. dsse a ll que está envnn. mensauels eos congressstas A varejo? ou. atacado... meddores gás - das mas v famosas marcas fer=*f.é me/hor comrar na..v.- ímarecha/. Fonono, 4Ó (ao lado da Lght).. Telj; e 23)65 3 onos esecaluatáo e tradção ura r rorroguem a Le do nqulnalo: - Se o assunto não for rcsolvdo. f á.abonado elo Congresso Naconal Tv Un t.nvs. que reunrá todoa o- snfuos brasleros ce :,- agosto dsse o Sr. Honata - orque e fácl rever o que orá ocorrer no Pas so os alugués forem lberados. Bancáros Se a Le oo nqulllnnto não for rorrogada haverá o rtos noe.tl dsse a UH o.sr. \oso Palhnno, Prcslne do sndcato dos Bancáros Ul- COM 8 ML ALUNOS BRASL É A MAS lov. os Deutado? Abelardo urema, Aurélo Vana e Osvaldo Lma Flho garantssem n nossos reresentantes em Brasíla que ela sera rorrog.dn. Metalúrgcos dsse-nos que o lr da Mnora verá conse gllr aru a votação da Le do [nqulnato o mesmo quorum que rocou l votação dn oeto me dava exclusvda rle seguro contra acntes eton nsttutos Prevdênca. Metalúrgcos O Presfdcnlt do Sndcato dos ALLANCE A FRANÇASE MPORTANTE MUNOO! exercer durante longos anos o cargo Secretáro-Geral da Assocação d«depos Cultura Franco-Braslera (AMance Francase), o Sr Phle Greffet xa, hoje, o nosso País ara regressar à Franca. Em entrevsta concedda a ULTMA HORA, oucas horas antes embarcar o Sr. Greffet.lo esconu a sua rofunda emoção e arovetou a oortunda ara agracer a todos quantos o ajudaram a cumrr sua tarefa. Nestes anos que eu asse no Brasl clarou o Sr. Greffet scobr o ama verdaro sgnfcado da alavra No Ro e em São Paulo, como em todas as cdas on estve, encontre or arte dos brasleros comreensão, sncerda e dcação Graças a todos esses amgos, a feração Has Alanças Francesas no Brasl é, hoje, em da, a maor do mundo, com uto ml alunos. Cultura Francesa Atenndo a um eddo da reortagem, o Sr. Phle Grefíct esclareceu que a Alanca Francesa contava, em l!)ã, ESCRTA BANCO DO POVO S. A,. «ua ba Canlára, V NALTERÁVEL! FTA PARA MÁQUNA corcx l*h?kí3-t!íllf Comanha >K t. OSCAR RUDGE do aés Alm. Barroso, Tel (Tabulero da Baana) jl! com vnte centros culturas em tndo o Brasl, os quas eram requentados or oto ml ahlnos. Hoje, a Alança ossu - zoto ml alunos o ã centros no Pas. Com ses ml alunos acrescentou a Alança do Ro coloca-se em rmero lugar no mundo. Os centros Buenos Ares. São Paulo e Porto Ale- gre ocuam os lunares seguu- ; tos. Deos lembrar as ntmorns atvdas da Alança Fruncesu cursos língua e l- teratttrn, esetáculos teatras. cnema, conferêncas, dscussões e encontros, vstas estudantos etc. o Sr. Phle Greffo. anuncou a róxma nstalacão na Mason Franco um centro audo-vsual, do.st- [ nado a ensnar o francês, em! (rés meses, a técncos e ence- ] nheros que não om acom- anhar as aulas normas. j Projeção da França Procurando analsar o sen- volvlnento da Alança Francosa no Brasl, o Sr. Phle ****~-*,,. _,KHn ÀS r F K rí flecxanlraãh **--. ** * «j.«v*-**»* + * BTffMS TrrwrlTrWlfflH - ;MKBmjrTlHBlÍBjl H ** ÍBrWl\TímT ÍbmB ÈS! POUPA MAS UWPA Procenos eduo gcontçm leo unforme * olal W - -**\ BREV EMENTE: ÉZMSLMWMt MAS HGENE Suo roua é tovoda em caso, çn\ qualquer contato monuol. Caro V. adanta aenas a entrada do agamento; o restanle será ago ela róra lavadora automátca, sta mareru : TRANSFRA a sea mensal da lavanra ara amorlza a sua ERASTEMP. Em 2 anos você aqara a automátca, que lavadora contnuará labalbando graça, aa você, durante 7ÔDA A VDA. lhe roorcona : \>- Sn/- MAj ECONOMA roua dura o dobro. RUA RAMUNDO CORREA, 9-Coacabana %AkgzíÈn&t!&&btàtéê Porque não usa v -.- : o Gevacoy EXCLUSVAMENTE NESTES ENDEREÇOS: Uruguaana, Ouvdor, 37 Camerno, 9 Alfânga, 8 B,.Wí fhpb [ Realmente coa em Gevacoy $? mnuto,f>* * Gretlot sublnhou que o mosmo se va em gran arto a uma eséce renascmento nfluenca esrtual franco- dn sa í; nut. nteressante - d.sse u.sr. Greffet verfcar que já temos em nossos contros uma gran maora alunos masculnos. sto sgnfca que a língua francesa xou ser yenas o veculo das déas e da cultura; é. lambem, o nstrumento dos conhecmentos técncos e esecalzados. A Franca tom realzado emroendmentos audacosos, tas como barragens, centras hdrolétrcas e usnas, cuja lama o notora. A juventu braslera comreenu e.ssa transformaeâu do nosso Pas em otênca técnca, O Sr. Phle Owt,. sorvou que a França serta muto nteresse entre os.,..,..., ro 5 a L anos, ambos os sexos, razão or que a Alança. Francesa coma em seu seo mutos alunos ssa da, além funconáros, médcos] solda- oeráros, comerca ros. dos oto. Saudas Não osso xar sentr s já rofundas saudas déslo as extraordnáro que ou conheço norte a sul e losto a oeste concluu o Sr. Phle Greffet. E dosta mnha exerênca aqu. dosta convvênca com os brnsleros. guardare uma das mas belas recordações mnha vda. á so encontra no Ro o Sr. eu-paul Couchoud. que substturã o Sr. Greffet no cargo Secretáro-Geral da Assocao.ão do Cultura Franco- Braslera aa todo o Brasl. Médcos: Faltam 6 Para Ambulâncas e Hostas ONFRMANDO a rexrtaem ublcara, em nossa rdcão ontem, na seção -í:sse Ro Aflto, o atual Seeretãro re Saú esclareceu que o lstado da Guanabara está necesstando nada menos 6 médcos ara su-, rr as vasas exstentes em (alares, Para contornar tal stuação, que va dretamente en- contra à. assstênca da oula- ção clarou o Dr. Génysson Amado já rocure um en- trosamento mas estreto com o chefe do Deartamento üc Assstênca Hostalar, que está encarregado do elaborar um levantamento comleto das necísduos odos os hostas! Concurso Esclareceu anda, o Secn laentrega ro Sad que a :lo ambulâncas, recueradas lela S u e r ntendéncla nossos estabelecmentos hos- Transortes ro Estado, atualmente a cargo do Sr. Manuel Perera BUo, veo aressar, certo modo. o reenchmento das vagas exstentes nos hoslas. naterndas o ambulatoros. O roblema. - fnalzou não atnge aenas aos medcos. Tomos do ensar também nos enfermeros, adnleros etc. )e qualquer manera, ja estamos estudando as ossbldas do abertura um concu - =n or esecaldas, o que verá estar resolvdo ntro rr uma senmnn. no máxmo! PREÇO DO LETE Avso ao Públco As Cooeratvas Latcnos que abastecem o mercado do Estado da Guanabara, atraves entreostos, dstrbudores lete, aqu reresentados or seus dretores, tendo em vsta o notóro encarecmento todos os totóres da rodução letera, claram ressonadas or seus fornecedores assocados, que o reço até aqu vgorante e fxado ela extnta COFAP, está aquém do seu custo rodução nas fazendas e granjas. Consrando que tal reço é njusto e sestmulante da atvda ecuára, nclusve orque estabelece vsível squlbro entre o rendmento da ecuára corte e a letera, que assegura o abastecmento lete fresco aos grans centros oulosos. As Cooeratvas drgem-se sta forma ao úblco consumdor, esclarecendo que a artr do da 2 do corrente mês só fornecerão aos entreostos o lete sua rodução ao reço CrS 5,5 (qunze cruzeros e cncoenta centavos) o ltro, osto na lataforma suas usnas no nteror. Essa resolução correson ao que fo adotado ela unanmda dos rodutores reundos em assembléa 2 do corrente més, na Conferação Rural Braslera. Eseram os rodutores a comreensão do úblco consumdor orque atenrá a justa revndcação toda uma classe que vem suortando soladamente o sacrfíco tabelamentos que não consultam a realda. Ro anero, 8 ulho 96. BERTONLO NUNES DA Oj melhores reços ara entrega medata. Formato carta e dulo carta. Formato ofco e ofco dulex Revelador Gevocoy em e lqudo. KUA SENADOR DANTAS, 45B - SALA 53 FONES: v2 ó SLVA ael ara fotocóas GEVACOPY FOTOTECNCO \CCBDBCD

11 ULTMA m 3 HORA Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 PAGNA mu Paa as Pesqusas Atômcas osçân ce staque,,.sll,o camo <la cs-,., rísen nuclear ara fns (-cos garante-nos há L um lgb-»» u,,t? (l,ns novcrnndorcs ca Agenca n- rnneonnl ce Encraa Ato-., _ dsse a mrensa o rofssor -ms Cntra Prado, um tos reresentantes co Hrasl nnccle organsmo. Da acenca artcam 7 aíses,, maora com reresentaéões na ONU. _ Bolsas ce estudo ara -Dcrfcçoanento esecalístns são dstrbuídas entre os ases membros, tendo o Brasl sdo contemlado com,!.,., onze. Professores fslrangcros vêm ao Brasl dar mortantes cursos jrfeconmento, A Agenca colabora mate- ;..,nr ara n senvolvmonto da esqusa. Mlhares do (nlarc. tá furam doados -nç laboratóros d flu. Sm Paulo. Belo Horzonte e outros centros estudo. Trnta ml dólares em eqtllnarnento verão ser fomerdos ao Hrasl ara senvolver o roííramí obtetv,-: tle combustíves ; t ôncos, ncado elo nsttuto Kncrga Atômca e o nsttulo esqusas Tecnológcas São Paulo. A Agênca frmou contralo com o Brasl no camo das esqusas nucleares. COMERCO SUBURBANO RECLAMA AÇÃO CONTRA CLANDESTNOS QMERCANTES.ANTES dos subúrbos do Mòer e Madu- az rermr o comerco clanstno e, também, atvdas dos vendores clanstnos. Antes, rcclamavan orém do Secretáro do nteror ro- ara zelar ela segurança da» lamlas, constanlemen- terá um entendmento com o dretor da reartção vlnçías contra ns camelôs que nfestam aquela zo- te ameaçadas elos margnas que domnam os su- comeente. ara melhor conhecer a stuação. Quanna, obstrundo os to asseos medndo o lvre co- burblos. aos assaltantes, dsse ue o roblema é mas da merclo rus casas que agam mostos. A comssão j o Secretáro do nteror rometeu tomar meddas Polca Cvl, mas que levara o fato ao conhecmento edu ao Sr, Erasmo Martns Pedro olcamento ca- junto a fscalzação ara uma reressão enérgca as do Governador Settc Câmara. Wfz ABP - SPC ULTMA HORA etó nscrto»ob o número 8 no convêno entre o Assocação Braslera Proaganda e o Servço Proteção ao Crédto. VEA PELOS ANÚNCOS DESTA EDÇÃO t MELHORES OFERTAS NAUGURAÇÃO DA NOVA SEDE DA GALERA DE ARTE CENTRO-AMÉRCA Sua Excelênca, o Senhor Embaxador da Reúblca do Fl Salvador, naugurará no róxmo da 22 as 7 hora«. na Praa do Rússel n? 4!«, ato. 3. a nova se da Oalera Arte Cenl o- \nerc, aresentando e- a rmera vez no Hrasl o ntor esanhol V tóro Rodnsnez Gomes. Nascdo r:r. 2 ce março!)., em \renns San Pedro. Proven, ce Ávla Esanha, lvfn, e á eonsnerado nt léz todo o seu eur- na Real Escola Belas Artes San Fernando Madr. Exôs suas obras cn Madr Arenas - A v- a Kcóva - Cazorla Aranurz - aen. Obteve orénuns e dstnções em Madr Ávla Segóva, th os. era. nteres«r- ara os amantes da Arte. a exosção do ntor sfe- - *. vjfí# WÊSm Gruo Conversível -DRAGO-ELEGÂNCA W Kfl Durant» o da, elageto Sela da Estar a note, confortável dor SSS 8SB mtot.o Eítoíamento obo auodo tm adrões ; jv.o B8S Hj n CCQ S rfl j:zz!fâê$pt f Atrr- y -ntfr- m«nol HB By r yfàxt Wr*y \ mm m mw m smumm, Bsvf-BBvmmmmmmmmmmmmmMmmmmmmmm OVfv:s:;!Sv * é$ v ÍK*4- t$èí$ lítlír n.mu - \, jfr TO : l nos PU.*&&!S!mm~ Dor--o-o SAN MARTN 9»j*3 fflf H M bst;oc:» co-fo cao3,en*o ««leoc ím co. ->or*. BS r/,,m ft H G»jrjo-vesíao, cama a» cojqí, cômoca e 9 mamha Co eaft9c»ra E3 k ; E Poltrona Polfrono Sa/onco Sa/on;o DRAGO-SWNG H A NA ííl yg - n V / P R:*! E f uo uma v9daclqtfa verdara lca [hele/a (ua yao- a, FS t. U > fr*23 Qf3jS. j A f - o > BB 7 t c &TmS -$È forrado, ardm oe nverno e outros recantos do. xtbkmtmcttyssobpbbsb8b8cmb3mbbwflbmmbmbmmkbbblmbmbmwwbmbbbmíbbwj HnB] Assento e encosto molas flexíves, duas aoa,çx -» * êna Wfám ~ < n -» Efcfl KSsl dos sóí3v Oe lerro tubular ntado ao r--~( e r.-s a. v ~_> tt Cv - n 3 ; otoydo co borracha Q s_-,-v.?,t /A P9 Kía jí l O - -* *3 *?*l% ~T í sãs /r /y 2-s 3 té- 2-- í -í tt* /;- 53jí *FTÇRÁfKAS ÍÍjORAS..: LUTZ FERRANDO Largo S. Francsco, esquna Andradas Ses lojas à sua dsosção ÍÕU- CASAS PRONTAS BAPR ABOUR cnuenas Entradas Prcsturòcs CrS 7 87,. -«, : * B«V n,., 2 Wtr.nfl.tv m tntletn, co/lnh com,.,. * lrcllm r,,un tv fv e l,» u n* ruco,r»n»u. tín <n., 3.)2 l.nl,.n.l!3 Camo (.r.nrr n«, K ««nurlurln.,»n. r,l,r rum «fct!l A!»SOÍ-\)OS «íüí HK- «.S.: 3MM /f CT-**C-**ájg H oj marf-n s ca> j-a?ae*o e jncool buf*** Edocoso K, // yr U ;í w moja consoí» e * ccae--as e *c jas «- dos* so M %. \\ / H t3 3 \s-í r» m U / H Ats * **v Q m*n< WEW gn fs -MHfftf Xn nca ae caoece.õ r.gjlrjvel. Poíju *? BS nolos d«h!3w!n oco cromado em toda o volta. O oes sào curvos H jm bbwbp-abhbbw aca nao co-ar o assoalho C a coto oortat *ítt3tp\ **! a ~ 9fl j BHfBMCTKy*B»5 POa todos ov momentos - no lar, no camo ou no /f?.. 5 Kl rsn CENTRO WM Run 7 Setembro, lo* Fy Puo / Setembro, 29 *3 ZONA SUL 5jfl Catele -Rua do Catete, Ml -A * Coacabana Av. Prncesa jobel, 72 A W «anema -Rua Vse. Prajá, 273-B 25 ANOS SERVNDO AS FAMÍLAS DO BRASL ZONA NORTE «Tjuco Pro<,a Saen: eõa, 65 Meer Rua Slva Rabelo, 2 A, D e E Cos>cadura-Av Ern. Cardoso, 52-A, B ee,f,g Madurera - Rua Carvalho Sousa, 257 Be n fca - Avenda Suburbana, 672 Ramo* Ruo Urano s,.9 - A *v.í NTERÓ #Av. Ernan Amaral Peoto. 96 a. * Abtrta* d* 2a a 6«f«ra at«a 23 horot AGORA TAMBÉM EM BRASÍLA : - QUADRA 7 - BLOCO A - LOA 4 í; G>fl;un»o NOACOPA B D«legtmo fórmco, oe C«ac.n n>)agoat cem txvocko, WÊ caros esto.oda em Vmll* coondo 3 *P*o* %mràrêmmm ««t,. (»*» > >; B

12 PÁGNA 2 Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 ULTMA HORA +*+-r**-**r* CNEMA LANÇAMENTOS 5 (Flmes Dos 7 Das) LA VOLETERA Flme esanhol, nsrado na fmos.» 5 cancào. Drama. Com Sarta Montel c Raf Vallone. No Plaa j Caruso (Co.) Horáros: 2; 4; 6; 8;, No Plaa, sessões * artr da manhã. * ) *! A FERA ESTA SOLTA (Le Fauve est Lacle) Francês. * 5 DrVma (esonagem). Com Lno Ventura e Estella Blan. No j Fathe, Rvera, Par.todos Maua. Horáros: 2: 4; 6; 8;. No» 5 Pathé, sessão ao meo-da. mroreda ate 8 anos. s 5 -V CAMAROTES NDSCRETOS (The Caotans Tablel >? Comeda nglesa, com ohn C-reason e Peggy Cummns. No Sao 5 Luís Horare:.2-3.3; 5.4; 7.5; horas. m. ate 4 anos. j ;» -> O SGNO DO ZORRO (The Sgn of Zorro) Aventuras, s í Produção ao Walt Dsney. Com Guy Wllams. No Florda,» Olnda, Colonal e Mascole. Horáros varados, a artr, horas. mroreda ate anos. -$ > \ 4; MARCHA DE HERÓS ÍHorse Solrs) 2a. semana. 5 Realzação ohn Ford. Hstora senrolara durante a Guer-» } ra Secessão. Com ohn Wayne e Wllllam Holdon. No Rex,» > Presnte, Coacabana, Mramar, Madrd, Colseu. Horáros; *.5; 3.3; 5.45; 8;.5. mroreda ate anos. * }» s ;j; AMoRES CLANDESTNOS (A Summer Placel 3a. se.» óàna. Drama:háo salvo aenas ela dreção Delmer Daves.» WLSON DO NASCMENTO e Sua Eque Aresentam UH no Turfe OSÉ CORRÊA ESCLARECE ACDENTE DA CORRDA DE SÁBADO: TÂMSA VNHA AOS SALTOS E S! PERDEU NAS PATAS DE KVDARA y? STVEMOS no Hostal dos Acntados, na últma segunda- Esf: osé Corrêa xou o Hostal cos Acntados na tar segunda-fera. Dentro um més voltará a montar o arend: Bossa Nora. Ferrera,assstdo ela sua dcada esosa, lá assando bom e alestrava anmadamente sem, orém, or vrar do um lado ara outro. Mas tar o jovem gnete fo fazer comanha no,. P. Slva. Este mesmo.. P. Slva, ao rever o reórter UH, fez questão dzer: [ comanha a Cânddo.Moreno, O nosso Sndcato recsa Exstem mutas maneras se Be n(lrcn Cruz, Nelson Poretomar uma rovnca urgente esconr um anmal ara arran-. fa e (nltl. s no sentdo que os exercícos jar oule c nao e recso colono escuro, ear em jogo a nossa vda. Quan- : Nesse mesmo quarto encon- Para Qunta-Fcra do tver alta do hostal oncabe- duzda que era Tjmsa. Ela v- Cnco Montaras çaro uma lsta solctando ao nla aos saltos em sexto lunar, Dretor do llnrromo a nudan- algo encerrada. Vnha tenteando, ça ermanente lo níco dos ma- justamente ara nao haver um osé Corrêa rearava-se ara tnns. Sou uma vítma e acre- acnte mas semre na ese-, receber a alta dn hostal, m!ls dto que, contnuando conforme rança encontrar uma assa- contnuava dzendo: está. outros colegas vrão ara gem. Nos BUO metros, a oera _ Vc)(.ç nbo sa,)(, Q o Acntados ou. talvez, farão era muta e ouco u ver j que,v(, N; t,unt.n-fea, nao se rocessem» mano. uramatnou sarv ofvbu* r*» «-! tr m r! e>to Vt&SSWwr! ttll nl*! j APRENDEU A MONTAR NA GÁVEA E ESTRÉA COM 93 VTORAS: ;!- OS. DEZ MANDAMENTOS (The Ten Commandmcnrs] 7a. semana. Flme bíblco Cecl B. DeMlle. Com Charlton j Heston. No oera. Sessões as 5 e 2.3 horas. As quntas, sa- 5 bados. domnqos e ferados, sessões também às 9.3 da manhã., } ;!; CONFDENCAS À MEA-NOTE (Pllow Talk) 4a. se- «mana. Comeda romântca, com Dors Day e Rock Hudson. No 5» Vtora. Horaos: 2; 4; 6; 8;. m. ate 4 anos. <z VA QUE E MOLE Flme naconal. Coméda, rodução Herbert Rchers. Com Gran Otelo, Ankto e Renata» Fron. Nos Metro Passeo, Coacabana e Tuca, e Pax. Rca-» mar, Azteca, Roal. Naconal, Brasíla, Paláco Hgenoools, s Aul, Guarac. Rosáro, Santa Cecíla, São Pedro, Regênca, Roulen, Meer Ro Branco. Horáros: 2 em dante. No Metro» Passeo, a artr do meo-da. Lvre. \ ;!; RSOS E Í.AAS RSOS Ccletarea velhas comédas % Hollywood, aarecendo O C-ordo e o Magra, Chaln, Bus- ter Keaton, Karry Lanodon, etc. No Paláco, Rox, Eskye (T-» jucá), mnerator e Monte Castelo. Horáros: 2; 3.4; 5.2; 7;» 8.4;.2. Lvre. CARR LEM GANHOU QUATRO ERAS NUM SÓ DA! ramos o arendz revelação Camos que é osé Corrêa. Mostrando-nos um vesertno, edu-nos que fzemos una relfcação. Dsse-nos.losé Corrêa: Nao rol Abatz que romoveu aquela rodada sábado. Ko recsamente a mnha con- ESTATÍSTCAS DO PARANÁ quando Tâmsa se eru nas j lara cnco anmas com baslanatas da Kovdara que corra na! te chance vtóra. Vrngo mnha frente. Não fosse a.ue- f.n», Le.fless da dfclmente rrotaram a. sonfo t,uc, (()s u.m l(. ensonsta do.mosés Araújo. chance vtóra. BARBADA DO LÁPS De EGBERTO Arend a montar na Gárca foram as rmeras alavras to novo jrneto Lauro lelém que estreará na reunão os amanhã montando Kartnell r lron Duke. Dexamos,,( o novo rofssonal saveano contnuasse contando sua vda. Não encontre ncalmente oortunda no turfe caroca. n ohrçado a me slocar ara São Paulo e os ara Sao Vcente on fnalmente mnha estréa teve ocasão brlhar. Monto regme do freo e esa atualmente 5 qulos.....! bel com Tulan. Esero re- 5 Cameão da Estatístca nndo emseareos. Atual- q T _ trava em tercero lunar na esta- Monto qunta-fera Kartnell Rearesentaçõcs ; lérnrossegundo: l,lstííl com 28 trunfos.!, n anmal corredor que orá 4. - \ VOLTA \ MUVDO KM RO DAS íaround the World 5 - arendz ganhe a -,, r,rnnap<. Prõmos Perfetamente fazer o meu - 5 n TlBhtv üavs< - Flme esnetaculoso Mke Todd. baseado estatístca do Hódromo ce Sao Ganhou 3 Grans emes auscosamente». & nas maravlhosa, narratvas rle ules Verne. Com Davd Nven, \ Vcente conqustando :)4 vtóras. - Perguntamos elas vtoras Canttafíwí e SWrícMwLalne. No Ran e Caroca. Hora- \ Numa só corrda tve a oortu- clásscas e L. Belém sorrndo _ ros: 2; 5.2o; 4. Lvro. ;.: SLA.M.MEST\DE. O AVF.NTLTERO s Majeslv Keefe Velho flme d- aventuras com Bort Lancaster. mas sendo exbdo a reços lançamento. No Oon. Lehlon, Botafogo. Amérca. S-nta AUe. Kbo-ano e Leuoldna. Hora- ros 4 (5 8;. m. ate 4 anos. > Mn - \s S.2 Horas 2 Zalft.. 5.5U Melros - CrS 2.(, 3 Patsy } :: TOUREROS Velha comeda O (.urd Maeru S 2-4 Ébol ÓQUES: CONSTANTE BN s s \ Não foram mutas. Ganhe o Cran Prêmo Vtoro loy montando o anmal Cúmlce. 2! oão Vtorno Deos, conduzndo, Índo vlo- 3v Antôno Castlho.. _...._ c-,., 4. Cudo Ragonozz... ne-me Gran Prêmo San-H? _ Eu].k,n yt,rrora... tos Dumonl. Anda venc o, 5v _ Lauro osé Lma Gran Prêmo Prncesa sa- j TRENADORES:. TRAANO ATHAYDE f8 2; Eldo Perre Gusso.. 44 Adão Bednarczuk 4: Francsco A. Maruss 33, * 5 eo Comérco (a. «W/T Rubens Gusso Máro Gusso.. \ Com o for/at do Sac Pcrerâ. fcou sem efeto a lol menagem ontem ao letor Antôno Carlos Perera Ean s rovncou nutra e aqu va. O maor rruhador ln ndústra Nteró ua jogar tudo 23 * * + + ** + *» nda ganhar 4 vezes tnon-. nos dsse: ÍB%& Q No Sa -c T 8.4: } Sommanatton mas sendo e.\bda a reços larçanelo Tjuca, Maracanã e lmerator. Horáros: Lvre. :: SORRSOS DE CMA NOTE DE VERÃO Leen) 5a semana. Flme sueco lnt:mar Beranan. Na s seleção do flme Arte e. or -~-. nexlcavelmente, cú- brando reços lançamento No cnema Alvorada Co.l. > Horáros: 4.!u. 7.. Nus -abado-. donoo«e ferado-, -es- soes também as 2 da tar. mroreda ate l ano- :!: CASAXdVA. O AMANTE SCMME La \\entre d Ca- como Casanova - talano Com Caln--lle Ferzett. Connr.e Calvet, Marna \lady e Nad;a Cra\. No Arl-Palaco toara- bana. Horáros:.2 4 K. K;. m ale 8 anos :: \ LHA DO DESEl.TU- du B! du Mon Krancom Chn-tan larquand. Goken Toy -2 Ato.... : Garay 4 4 Neser 2 5 Tnlofortn R Graudoux :;. Páreo - \s 3.5 Muras > l.:(ll Metros - CrS 2.. n Kanugava 55 My Far Laay 55 : 5 Pussy f Danela Drósera,... 5f 7 avanezo FarUz... Xlnnna PROGRAMA DE AMANHà BARBADA DO DA LEAFLESS Páreo: 3 mts. Roc: Parnelll 79 2/5 Prêmos: CrS 6.,; CrS 6.,; CrS 2., Largada: às 3.2 hor ( 52 :; 5 s ce í Rossana Posta. No Art-Palaeu Tjuca. Horáro-:. mroreda ate 8 ano-. :): CANÇÃO DO SUL.-..v of th Dsnev. mm renandn enho e > Baseado no- (Mtos ro To ím.-r e Paraíso. Horáros 2 em ran t: Wall a. Rosam cu L,- :!: POSSUÍDA PELO DESEO Flme rav - No cnema Rvol Cncland.v lloríro-: meo-da:.4; 3.2U; ã: 6.4U; 8.2):» 4 ( horas. mroreda ate 8 ano-. s :): O CÉU EM TEU AMOR Com.lennüer.lones e nhn j Gelgud. No cnema Ruma Matrz Santa Teresnha M rz e Barro-. Horáros: as 7 e 2.3 horas. OUTROS CNEMAS C. * H.Ç \> ratn.t-» AVENDA da. * ( Af \Mll - O» cranflna. * OLANABARA - Nrn nem».tll:. * PANEMA llarnab meu**. * MRA \ \lndrn mrck :** f O equeno ílí-v.ü * MAUREKA - n.j. l Brofkln. -nav.l Atlanll..!)M»H»! Kl \ Ml T nh t tr.ma r,,mk.ll \ventura n:-k-. - l \ll Mcrtl,.!. NTERÓ (.rama) l-uj-yíuna.. 55 í 2 Nudar Dourado Galbon S5 4 Rel.mnt! >> s :, h Clou esler 55 ; Azoluue laalóek 5» K < ího-ty Wd.. 55 s ::. Parco As.2 Horas -.6 Metros - CrS BO.flOO.OO Vrtu Vovó üenedua...,v Uellca,K } 4 B:lar:nu 5( 3 5 Greoa 52 n 6 una 54 Tensse 52 Kestrosa 54. Palco \-.5 Horas.3 Metros CrS 8., (Grama) \ -.ena 6 2 Ar.ltsoa 6( X re 58 í 4 Dara 54 k 3 5 Arbolaca 6 l.. 6 La O-r.-o 5 Mar rrm-l cxgalga. \ mll- s 4_ 7 Kaza: 6 8 Xara * 5 í íí Mss Eleüame Páreo As 5.2 Heras Va um- *.5.Metros CrS 2., ( Prova Esecal > ( ) 4 Z.lra! j -t.nl * POUTF.A \ quente, melhor. * Ml [{ABA ll-n-s. * MOÇA BOM \ hundos * ÜK.MAt * l!f( \/. DE H.N \ - rrlltas * or.at (( dadr) tdo d<- E.-ankrsten, Pars e O ãu amassou** a Bt \Z DE ln V tn é quetn manda * BONSUCESSO - ((anto mas lílt entre m- Três va»a- \mores cl.nd: > T rt-s r-- - O caü.kra. \ rhav t. v \ (tuadnlla maldtn í! t. U!A - l..«-l.y e ; letre- r.n G ZhZd TG5H (.N l Al. l l(u.- lr A s-tr d.l.. 7 PAZ (Caxas) O cow-boy e 4 Krã-fna x X :\ duanlu mas tlhur. t ( \-slno - \. r é s \D.lor.dl. \. ur : ( f» u*ra esta s PETROPOLS l VMTül - -f) EKfl ETROrO.S or da aí r r\.\(.l( llll Tló. llnstnl Velernáro (Ma- Duont tormnou, n; ma-? nlã ontem, o exame atolr-,ns 5 seo do anmal tobm. Tudo nor- - uurntr mal ale certo onto mas foram > envados ara exame o sangue - mídr. <s < a urna do antgo ensonsta Walter Olvera. Dentro rle? 3 das. seuundo vs nformaram, j teremos a.solução do rumoroso s caso. l. Páreo -.3 Metros - lleltlr) X.-a 2 Abatz 2 3 Cumarsa 4 Luana 3 5 Bensuatra... l onca 7 Clav.a n ft Udaur f) Charna ) Nazaré 7. Páreo Vs K/lã Moras.3.Metros CrS 8., lrung) - Cursor 9 2 Lajáo.. Sant Emílo] 2-3 rclans.. 4 Connucle. ã To Paulo Saraf.o.. 7 (loman.. R A co.. u r-lróneo.. truvel.. /.. 2 Chleno areo \s 7. Horas.6.Metros CrS 6., (tetlnç) Lnve Am.r 7 5( Cúme 4 5( Tereré... 2 Chaco... aho Louro ã Maneador Coca... 7 Kng Llac. K Vü...! anac arú.. 4-( Cnant... Eneouraçado 2 El Ra\o. 3 Vovó Canr. Anmas Vruto uá : Mss flrlllu :l 4 Oalnaa.. 5.bra \s 5.5 Moras - CrS 8.. f T.: lah t Grama).unoe. Nosso alte: VRAGO... íí í)h _ «á roo:.3 mts Kl 5 ÍMSt.Ct.j.lr n-sllda.d-s Trnalur. rrlurancr )-l. n tt :í 2;.!. í. Slva Aqu e ínrçu. Deve vencer K. Perf:rn 2, Fanett um U r> 4 a. Bolno Dzem maravlhas st l. Trod H Kumetta *.4<H)!»2 2 lo 2 HO L. Bontez Aqu nesta turma tem chance. Bentte/ 4. Taara :tnn Rf 2 sa 4 4 a. Res Pelo trabalho é quem ;ah VV. Ferrera «. Dalan (( M : 58 S 2 A. Huus! Mídu correndo ouco (. ConPü 8. Ftatetta.4! (íd j, Carlndo a andou melhor. Só lacê! Sclner 4. Flower.2 7»; 58 3 P. Lma Atl não rrenu.s. Rsquem VV Slva 5.. Marcano.2 Kf) nmgo: APÁ Surresa: MSS GRLLO Rec: Farnell 7? 2/5 Prêmos: CrS 8.,; CrS 74.,; CrS 6, Largada: ás 3.5 horjs Fortunnta 2 oanera. 2 3 Sunã... Cntulf Clvn. Onvotlf. -?> Colúnbn (5 OdlMll. 7 Crnhosa 5( 56 2 M. Slva 2. Cunha!l -.. Mnera 8. t. Slva A. Res l Wl ].. E. Castro 4 G. Queroz 2 P. Fontoura 2 A. Barroso Em boa forma. Va correr muto Não cremos. Fraca ara a turma Va atroelar muto no fnal Aenas reuular. Não rre.nos Melhorando muto. Cudado! Levada bnrdabn, folhou Nesta turma sua chance é çrtn Fraqunha. Não cremos. Rsquem Seu aronto fo. bom. Az.r va.ve. 4 v A. E. Perera F. Selllleul.-r F. Srhncd r W. Ferrera VV. Ferrero M. Neves S TAlu.ue M Sallos :. Mralua.!l Oalne f [. Mralua!, (umarsn f..asandra n l. Mralua! 7 > Mralua 8. Or.n l. Xeez.4 M.4 ll ],4K!«S. 2 7f :nl S. 2. 4«l üf! í 4«ll.! l.sao l l.r.ro 8f. Nosso alte: FORTUNATA 3. Páreo:.4 mts nmgo: SAMOA Surresa: COLÔMBA Recor: Urge 84 4/5 Prêmos: CrS 8.,; CrS 24,; CrS 4, Largada: as 4.2 horas Kartnell Bauru... Ornno... : Dodnha Deleat....ak... - l f:l.l)so Vovó oal Mune...! Slttlllk. Reeantll. V,,,. Marulão!( ( 2.. Belém 5 b ). Moreno 54 2 Lma 56 4ll P..aure ãl 5 8H.. E. Castro Não corre 56 8 F... Slva :,; 3 2 M. Slva. 5( 7 2 M. Nrl vl-lt. Sl 2 2 N. H. Perera 5 4 2, (. Slva. 5-2( t Pudfl, 5tí ( 2 Não corre Dzem qu ò M lauar. Prearado S. TAmre Boa ajuda, Fltrando em forma S, Amre Aqu va eserar bastante W. Alano Chefando muto erto. Cudado! Rahael Seu aronto agradou. Va fgurar S. Fretas Não correrá Va atroelar com sucesso. \r.un Não rremos, Rsqm-m oto dn ótjt» Ferrera Dutra que n d íarã. Hsctu une- A,Ul f fòrçn.-taeada \ Men«Nfm remes Rsquem oko C. Ferrera Va eserar na üla. Dfícl O. t. tt Não correra 2. Eeltro 7.. Xerez 9 rensulad a 5 > Cydnuf 8 ) l habó 2 l Xerez 5 Dd!:n ln Rthlrun 4 -. Xerez!), Xerez 7. Cyrms.lOtl 7 l :nn 8«:h a:; 2! 4>!:! 4!C 2 l :nm Kt.:«m «f : 8H.4 S Nosso alte: KARTNELL nmgo: CALPSO Surresa: SPUTNK 4. Páreo:,3 mts. Rec: Farlncll 79 2/5 Prêmos: CrS 6,; CrS 8,; CrS 2, Largada: ás 4.5 hora» 8!..vaneza.. uquííl -2 Fnsueío... Aax - :í Kermann.. 4 l..n S.nr. S.r Peroré -, Narr.ssus. ntrometdo La Morôchu.. 5( nu Cl. Slva 8 (. Queroz 4 A. Cardoso 8 M. Slva 4 A. Barroso 8. Souza 4 Nao corre 4H C. Das l] Não corre : 2 Não rurre Tnndo K erícosa nesta turma [,. Trod Aqu tem muta chance. Rval. Trod Anda em forma. Fórçu stacada Montado Va ajudar bastante aqu Mormdo A dsãnra ajuda muto!*. Camos j Está checando mas erto C. Perera Não correrá ; Anda correndo o que nao sabe. Flho Não correra Não correra Í 7.. Faruz :. Palladum 3.. Lorm.ecs! S. tromeüda :í. (íarlzln 4. j Utg Lcs 2. Peregrna t um 8 :. flkl U4 AP.4) < 5í.lH! A..2H ( Páreo CENTENA- HO DO MNSTÉRO DA AGRCULTURA. Nosso alte: AVANEZA nmgo: SAC PERERÈ Surresa: NARCSSUS 5. Páreo:.3 mts. Rec: Farlnelll 79 2/5 Prêmos: CrS 6.,; CrS 8.,; CrS 2., Largada: ás 5.2 horas Manha lr lr- - t.. lu..- * NWfcPQWN <*.» PÁREO >.C metros - * laül. M. Al K.amor e lantasa mtt a, Ml!,!. \ tevsta. \ Com Zelon r Kenala! rnn/. fuas Vn j srssõfs. as 2 e, 22 lora*-. X * t.opat \\N\ A (.eaeala- na) A rofokãn da Srnlora í \\ arren. Pr< a <> l. Shaw Sessão as 2,~.. l*> AB.ADO (alnmaln da 2 í»a\ea) **<> cavalnho -/ul. r- ca nfantl, df Mara (ara M- / cladu. Somente a<:* sábados e domngos; as seçtndas-teras, srv!*»õfs ara adultos, üs íl horas. Sessões as 3,3 r às horas. * TEATtO K UH) Ha. la CaLete) O rno do mundo ocntal,. M. Synçe. lorá- ro: 2 horas. 7 * TEATRO DE BO.SO lrar f.rn»*ral Osóro) K»Uo. er-? osa*, Peslc>. rlo elenco»e 4 A u r mar Rorfta. Horáro : 2.-V * TEATtO lll. \BhN\ l-hoy ne Ontrr dr Coacabana)? ~tlr\ olu«,-ào na \mcrra do *>ul. 4 sátra Augllkto Uoal. Horáro; $ 2 horas. \ raò>a r ;í (Mlhfrnr cacredo lenço bérço Cardoso.,\< s Areu Arargboa 3 3 Arrjot * Anjo s 5 a Vem PÁREO s. mütros - ; Ncoela,. 2 Goorr.rss 2 3 Aratanha. 4 Ah mm... Z\ h.ra». - (,\ \s K o. \m.r rm ll (, llarrel e (.red\. Con V.\ Tlnr \» ; lra-,. ; TT.\T!t(l DA lka< \ l(.,,,..- Andaa hnal m d-lantr..».» 3 5 Aersna lr Mllur -rnamlrt. (... Mana > n-... u ::.::n, Dl N (..nl-.a.. vl, n. (r llrnrpr l.nsrlll. \ 4 8 Full N.onn (..n t n s nn-. \t. H-sn r 9 Ourera Lmlr llll. \< 2 hora». (Mu- acua Bíllatrx Da:hne PÁTEO az K.73 horas KHamla) - -m- * _, MQ metls _ Cr3,rC3 andan : no >ot atf.!( < -t.. _, _.,,... f...n, < Sxv.U* l--onl. < Clar d<? Luna Ur.,,.. rr-rrsa T.,rBa..rar.,.: * 2 2 ole Fete 56. h ra.. < 3 Peggy 5, T \Tlto m M - \ \( * 3 4 Paddy -ct) «> Ualn D.lr 5 VanOl l!l\ \l. as 3,2 horas 4 B Afortunado 54 CrS 2., 9 Acoreano 5 Ks, Flor Negra PÁREO as 5,5 horas metros CrS 2., 5 55 (Bcttlng). 55 Estânca Pedlta 56 as 3,5 horas 3 Prlstna 56 CrS 2. 4 Mss Boneca Fosca Vandale Korsta Pena Branca Kalnga Fauvctte nés Malta 5 52 Promessa ntruja 56 3 Satresa 55 4 Zanga 56 5 Menna 56 Brsm.r PÁREO as 6.25 heras.6c metros Prõmo o. r-.srd 2 Pnhld : Ro than. 2-4 Arrebltl.do.. 4..ltlnetro r> Hrt-h Fler 3 7 Don Rumírez HHruc K uramento 4 f» Ounrxò H My Own... Srhlavo. 6 ( 2(. t..slva (M ( 2.. Tlnoco 5f 4 4( A. Marra 54 :.d P. Lma ãl 2(. ulã. r. 66( P. Fontoura.6 5 ( M. Kllva C, Mnrudo 6( B «.. Vl» sr, n 4. Suu/a nu - RO G. (.rene r.,rí) 2 fff A. M Camnh: Na dstúnelu é dv.rsáro Anda correndo ouco, Dfícl! Correu bastante nn ultma Aquí va melhorar sua rodução Nada tem feto. Fraco ; Nem bccleta. Rsquem : Aqu va correr uma enormda o comanhero é melhor. Dfícl Dzem que trabalhou muto bem Outro que va dar trabalho l.a. andou nn) melhor forma Nem bomba atômca E. P rera. L r k;o O. Mana W. -\:S O. Fernans. Olvera W. Alnno W. Alano M. Olvera V C. uos C. c... nes N. FKeredo :», ch.bò 7.. Avlur 4.. Nlítt 7. Rosado fí. Man nn l. Boomerung : t Nlen 7. Nleu 6. >. Aslado R. Curtbt 7. chabo lll. Nllta.4H 5(.4K 4H.2H.4 f. l») m :í.:o «:. K!2 > no n: Nosso alte: DON RAMREZ 6. Parco: 9 mts. Recor Zorro 3 2/5 nmgo: GUARXÓ Surresa: GARDEN Prêmos: Cr$ 96.,; Cr* 26.,; CrS 8., (Bettlng) Larg. ás 5.5 h - Procurador,. ehseo 2?. Dum Keundo Obente... : Fukurt : eaflevs... Harltam....rll.rlf Crer 7 /- Carlos... íí Mar Cà.so..* Dôrco 54 5S 54 (. SoU7.ll 6.rl:er.. Portllho 4( A Portllho 2 Não corre Ul M. Slva : 8 A. Barroso.. r.h ( 6(,, narro» 54 5K 54 7 m 5 Ml 4 6 tlnna N s Perera. Loes Aqu va eserar bastante. Azar Muta dstânca aru este Va correr hem. Tnndo! Va audar bastante. Em forma Não correra Anda correndo o que nao sabe Aqu não va fazer nada Rsquet Voltando a anttía forma. Rval Correu regularmente na rtura Não cremos. Vnm o fo ; A t o a e sero cometdor W. Cosa : 4 Wm.d Frost.ãk»» W Costa 2 Wood Frost.5 m., Perez t. Nunntnn.5 l Pere* 7 N.mnntlno! nn, w Snu.-a. Drslvel V Perera 5 lal K,. Me».r.)S! ).-.ll.ss R, Urhlna l :. Wood Frost ;t c. Feltrt l. Wood Frost.sou B E. Cnutnhn 9 Nmuntlno : Nosso alte: LEAFLESS nmgo: DON SECUNDO Surresa: PROCURADOR 7. Páreo: 3 mts. Rec: Farnelll 79 2/5 Prêmos: CrS 8.,; CrS 24.,; Cr$ 8., (Bettlng) Larg. as 6,25 h \s horas. * ( Mtl.()> (,(lll.-. M... r..tr.-. rtr,!. lt>->... ;,;s mutatat d-l Carbe horas cl<ey Club Sfo Paulo) 2 52 CrS 7., (Bettng Zngado 56 2 Martnc. 4. PÁREO as 4 5 horas 3 Zafra.3 metros CrS 8., 2 4 E/change s 4 6 Pea Nul 7 CoíurHta Sk»! Üü ; + P.AZA (Av. Prado únor, Coocahar í harém Duas sessões dáras. Sábados < lm c.!t oc; no. ; sesxcs. í show... * FREDS Eu sou o samba. Com Krnãn Flho r, * NGHT ANU DAY Estravagàncía caroca. Lm ttow na madrugada. AVSO 7 L.jao 7 Olmo l 2 3 Orton. 4 Coat. * 5 mbo s 3 * /.trem 7 Encornbre 3 S-vage? 4 9 Uramuru j Gorgorano Z Nt Kng Cole 5. PÁREO metros s (Handíca Esecal. Prontenac 2 Chantl 2 3 Racn Horse 4 Tuül 6 5 Aloht 5 h Armendarí Vataá 54 8 Wod Frost 54 Daman Emr 54 MonlehosH 54 Majorengo PÁREO metros - 54 Brttnql. s 5,2 horas Engetado. CrS 2., To Godoy. 56 t s 7, horas CrS 2., To Ranha... 2 Rebate a Carroussel X-n/ K«-l-NK.r s fardo : í; M-.rrtnnhn 7 ( < Blllls H Ro Mssíse. (! F.l-.lr- Duraznto t r.ml CHran? Kala.nbr. 5. :<r, 9 2 P. Fernans 2. (l. Slva! 2 F.nt.rra» R) ) > Slva «Texera.r, 7 ( S.m Sf 2 2 Nahld.V.. 2 A Res M l m Marca sr, - 2 A Barroso.( - 2H l Morera 5. Kl n( M Slva M 3 2( F. Con.eván Volta rometendo uma boa rorrda W. Ollv Não rremos. a andou melhor C. Fern \o,u va eserar bastante Contnua muto bem. Fôrrn (írand aluda, Va t-orrrr muto.:t dstanca e canddato tmível Pelo aronto e quem Banha Nao cremos. Rsquem oro lá andou en melhor forma Atju não cremos \qul va eserar bastante Km forma. Va rtaeear brgando Ná<> cremos. Rsquem lotto ra F. Sehnetr P Mlva \ P Slva O. M..:-;.lo Fretas ( Fed E. Coutmho. Flho Carvallo Costa (nncs Nosso alte: TO RANHA nmgo: XEREZ 2 acara 2» Xuen 4. Heron -. Cals,, l.. ]. -t- r n Elsener S». Xerxes 5 Flsener 7. F.lsener! Oro. Mltslko íl. F.líPter!.. Elsene Surresa: MARQUNHO 3 Kl lllll ã!l 2( 7(5 A :nl «! (! - n,... Wl 92 * lllll s um!>2 S!.2 77 um (, - l ua (2,\M,\l 8. Pareô: 8 ms. Recor: Marco 2 2/5 Prêmos: CrS 6.,; CrS 8.,; CrS 2., (Bcttlngl Larg. ás 7. l Para mudança rogramas, os nteressados vem escrej ver ou telefonar ara o Deartamento Promoções í ULTMA HORA (Rua Senador Dantas. 7.A, 2. andar, telefone? r ), com 48 horas antecedênca. í S~~* Lboclon. 6 Hlsna **»******#***#**#***#******»***#***#***- 7 Arways 2 2 El Aragon. 56 Vagalume Medar E teo 33 t.\.tr ro Norte Dubln 53 Marajan... 5 Lctor brauttan Cfttnt : lr n lnk t Carenter.. (Y.so.... r, T roxeba Landm 3- c. Cúme l Nabub fl. h.w,.-bell. P.an.. Fl.l.,K:, l.ord All.n-. 5 rneu Nosso alte: BRAPUTAN S2 2 2,. Santos S& 4 2l.. ta s Ml Belém BO 7.. d Mlva 52..2, A. M Camnha f,8 o Wl. Portllho 6 2(. na BO «Slva 54 Qfífl Sou a 5»2 2 l. > roso t. 2 ( Qllero» 5H : n (. Moreado.V 5 2 Hollno -,, t) 6f.f. Martn» 5 H fln Conrel.ão Anda tnndo Força stacada. Barbosa Não cremos. Dfícl E, Mons Nao acredtamos. Va eserar j K. DAmore Afl tem muta chance j O. Ferrera Não acredtamos. Fraqulnho E. Perera Anda entrando cm forma. Chance a. Rosa Nao cremo». Rsquem nem susto R. Montado Anda tnndo Po reetr c. Perera j Nem btctrletu. Rsquem (* Nunes Na esada tem chance ;. Trod Não cremos. Correndo ouco M Neves Anda correndo uma enormda Trodt Dzem que tem bom trabalho! V. Torres Nao rremos S6 como azar V. Ferrera Nao va faarer nada. Rsquem Burlom, 3 Cúme ««:t. Plano ]» A.. nume í. ChlBUl m r.». Cúme <m 4.. Clme >>.,,.» Crlh 2 B; lll Clú.e.6M :-.,ta.)ak f (.. Plano W! :! V,,.. LM. s- Cúme «P nart *, f- DU»udor 2 nmgo: PANO So.es»: CluMt *v

13 ... ULTMA HORA Ro anero, Quarta-Fera, 2 ulho 96 PAGNA 3 footmll PROPOSTA DA ASSOCATON A CBD: NGLATERRA BRASL EM WEMBLEY A DE MAO DE 6 «sss» jkksamknm PRONTO O CALENDÁRO PARA BOSSA NOVA: 2 AMSTOSOS APÓS A COPA 9 MUNDO EM BENEFÍCO DOS CRAQUES mro Garca não romete vtóra mas garante que seus craques saí,ín lutar Nas lotos, o antaao golero dn r LA recebe as boas vndas Mam Sn e ulgum seus craques sembarcando. e negou so tesera Agradar -c nm ÇO sobra o futelol brasloro <*, sobre \u\u. o Kl unr uso, nra lzcr oro ;l sembarcar (UP o Cern Poíeno v** a» Maracanã ara vcmn. Kosm-,, dra (l».íbu SPrla,H~ dfícl, al, onl!, rocurar mu (leeeelonar. ülnfrlann (arca, cx-uolcr ru Klamcn-. f (reladur da ele arac.naa na,, ro [Utavn esconr nala. so nau era ansfr..r a rdículo, Tme e Bom (lrcu (l.-.c anda (e o rudru e nó/o. Ee a reocuação dos drgentes nrfruos e no ícnütld renovar semre _ A renovação, nlns, o um rocesso que };,. tumm quase obrgatóro Quando con- rjmtnos formar um tnndo tme ou una rar.cr seleção surgem os mentdos mas o- «rc=j com ofertas que nãn se o recusar ls oucu temo ermos mutos nossos melhores juttdures, lu com algum eslorto ff-;/: :- lpfll», mm ms*.í*ar,- - que eospktnoü armar un tme novo, mas a n,uno u,- que verá rogredr a medda que for mantendo ntercâmbo com cen los ad;,.anos Vsta Oortuna < encontro com,, Fltnenuo, no Mun cana. lo muto oortuno acrescentou Se nosso escrete hava enfrentado, há oucas semanas, a_ seleção braslera, em Assunção. aqu nes.lonadores lera,, oortunda arenr um ouco mas Suas esrnnen.s na vítõrusòbrf* o Fa mengo. amanhã, reousam mas nas clrcunstáncas Po ser que o Flamengo núo esteja em ca sorte, o ser que meu quadro se suere, como esero, a. então, o trunfo ora ser nosso O que osso rometer, ortanto, é o maor entusasmo meus toando res ara colocar se lttru do gran adver-.;:n e dn ublco caroca tão smátco e semre tão íko. mm MARCHA Consttuída a Braslera Âos Eque ogos Olímcos Roma Nu Salão Nobre do Conselho \acoml He Desortos, sob ; re.sdênea do Sr. Kerreíra ros./ Santos, reunu-se ontem o tomè Olímco Braslero Par- tlpf f.v.7 O HKASr.ERO N EANTO-l/V EN. ÜE l lcaram da mortante reu-.v. Em lumrnu r-( svvtm nsutwln n Ctutrono!) ruão os seíunles membros: lrv.!.r.r) r, ntfn-.lut rtrl rr *n.-. o> ms rmnrtsa*. </- l»;nlo Mera. les Carnero, ::rrv f.((n tem m» rec nrn artdu* rnw-nnu-,vu.oíío llnrellaní. Má*o Klho,,ír.í, la:. (> ). dr SuU taunnu. com a «cu u/ (allnn. Kdgar Amaral, ío.rft rfo no /;,,, lenr.. rebae uma bola contra o S vu Padllha. Mauríco Bec car.fm ud: cr n. k* f A-ãno Costa A sessfu durou exatamente uma ho ra ulas 8.3 t>.3 temo necessáro ara revelar a com PAULO AMARAL QUER no-ca, fntva da eque braslera aos ogos Olímcos Ho ma Como o número ODO TME NO CAMPO drgentes c têcneos è lmtado ) clu ADO,,.,,,, elo numero Ue rle atletas, houve,ca e evcllsn amente cm, u camemat.,.,,,ão Pr;,,,,.,,,..,,,,,-, \,n,.al., er ver tndns v t.tu ares c,;!.«,.,,e.,.,., fu;,,,,. an.nvt.la. un.,.,,,, enletvn do r crama tremame.t arn.,,,,,,,,,,.,. AsNlm n,uu: u ll»mne,se.,,.,..,,,. M.,ml,.,,, S;mlu. tnco oblemn sero, afasn-lo qualquer a.v- natl,atlur \v,n.,,, a ca Carnnrha. Av-,]!,..,,,- ;, ruce! eeno le.no. do mundo nos ( bt torno/elo, o malcoso r l Ceo rt.rr.cha arece -! mtero am;,,;,,erv;ndo ao!, ;. munenle recuerado. f«lelewao natação, em- Ktc à c.m, sacfc;.,. Paulo Amaral v. na.. >.» o leone,. da «Que romover l o BotnlOKO cdu seu reaarecmento, e-ta lar-,- cnlem Del ch r,er. cclndo nm ele. am- cr. a lltln ofcoso, acumac. aa a nuorlaue ar- nhará Adlemar Ferre:;, da.d aljelur cr. Camee- sjh num»-lando as ossbldo benmeào nlmeo, Q, uadro tla*!,. t tmco nfc.t, ;llít-mo ) -l,- m e tudo cuít m,le V- correndo nonnalneue. ate -era n Prof. Concalves Mlton domumo. o Hoafoan estará (lo.-lu: eumulará as fmvóes conlu o Flnn n.,e com sn,(. m,.(eo e ulefe da letalórrn máxma. Paulo Ama, a,, luebnl Quanto A h-la ra! se q ;;>esse, á ora lornecer a escalacão da equ-,ll,s l- lereceu sur.- (: -f!m];t manera: resa, alrnro as elmna- Mlua Cará e 7.e Mana:,,ras ja real/aclas. Aüns Pmon. Nllon Símos lu., l;s,,,.,,.,,r,s,,,,.. Chcau (lrrch. F.dson, Ccnvalo, Anurldo e Za- nele e lutell sera. remet ualo. dos o.serormente a [torna. S W. wlêêm ~È**4*. mh í m» «r wmèê fnr,lar r Pagío, do Satus, estão afastados da eque l.í ** aljun tco. Vnlo- a/em o lalamentn nu clulu e le o.m em casa. M.s m oro,necer no róxmo mês. rjrj o dnrcoes <, Palucas anda ensam na contra- 3,;,,, d Wlsu Mo>., Mo o lutador a hava dto que etér he t no Va-cu e não ua mesmo ara.são Paulo, j.llnh, lollo a sentr a contusão solrla no.óso dn l.rusl cola c:. t) medco seu clube esta reo- CllUUttl o Mu.fsr u, f.ra,le Suntaa slslu da venda O vel l-otl ollla ao \l!. M s o cn,cue a dl-se que se,, ;.,,, H, a-.ol.l: M O K. rr reesctaot ln ma e se eeutlu em s.l. EÜ,r, «su. u seu lo no, la, nn t.oân dn craque l,n (,,,,;., n.. mu..! H o (que lomn elo sas n- ~e a \, ud<> e medlt vo dltler. a trencu no ho eh enfrentar t> São j-j,,,:,,, d,, t ntal. mu oloo em eolentar o.s.e t >au o n l.o.st., m lesta lauracào do TWm WT; rr O s, u-.. r-,:.es ohos ao ruaua e les,mt*! ys&br.-, -Kl cch-olo.. >,.oe,rs nor ex;mc;.o. íó fo»lr.n.,. L TlM.ll.ed-to nelo \.. P na. estre.,,.,.,l -.. ( clco >,-! a, rr O f- o-,.,,, r-ul tu oo-u-a hoe. cr,,,, dos m.!: -,,,,,. &» * < F,-t,o-.,,u en,.,. contrao *> co.,- orno r-, o \, ra e o ll.l-; n. -l ua rnlr a me,lda <l l \.,.lo-os., n. D Kdua artlmla,..,,,,..n,- t,c to r.r.ull, H(B ; ate utu»tn u N,.Uno esta ds oso n v.s,r í)ú ru., ros ara. >,,,, e e.,, l<oo o, :, (rlstovão rrt Vcenl leola rnn s o,, nata a «Ú,...,,- O,,,., M,, - l leül. >!(,.,,V, T-j s,, l..,,.,,..n Pol.lenll d d» ( ll,;.,., s, M, mloa ae*«< n--.l..lln nno \ rcra lo leda et» Sr. (.erall. St.rlnt Soares..,, s,vx«w;>yíx««-ss«;-s-- :-; <-ws;xs\\\\\\\.s\\s\\ss,\*>, í á D PARA 62 MESMO PLANO DE 58 S NOVA TOURHÉE A EUROPA EM 6 SELEÇÃO DE NOVOS PARA S. A. H DA 29 DE MARCO BRASL x ALEMANHA BaH mwveêbèfà OÈÈ àmêèêêb&* Wm:, W :--:.?- :: - PNHERO HES \ ENQUANTO NÃO ASSNA f Vl, \u/rfl e otrm n })r!<> r>tadn Tísco, P\uhvn< *r>n n trcnlnr. -a. rm Alrarn Chaves, tmcundo a rm //,;,. rovavelmente, nhero renovara com u rl.u. lh DO CLtSSC MNENSE TEM ÊS PROBLEMA {] O OMBRO DE CASTLHO O OELHO DE MAURNHO ] O MÚSCULO DE M gj SUADOURO EM LARANERAS «a**.!! ld<> Flumnense esã com aljlns rohlemns nre narente ss. roblemas da n.ur mortânca. Nã» ulstant o nco la semana botalüuense fo ds mas anmados. - nem areca que o tme lnha roblemas. Todos ns,macores satsfetos, odos os ouadores emertcados. cabeça levantnda, eono exye o técnco /c/.e.morera. Ombro Castlho erna dreta. Slnlo à-toa. f a Na relação lns jogadores sob Prmera r, que u eonhrcudados medco, lcra Castl- emento le músculo. U, o contráro, ná,, estara Kntretanlo. ulando baxo l, Unndo,.s(.,r. ntro do dos três aus. a eslava ( as- camo trenando. Náo sosto ho. - M.nl.. então. ( n.ler,, Dfrll? resonu: õgu? Antes tosse, f: o ombro - r «Kar ombro dreto. Pulo. nada nu ~ F.sero.jK.u Quanto an me ular. Mas e na hn-,n!- mole, nãn ra fa/er a fesa que tudo Suadouro se comlca. Se estendo hra dreto lo. íont. oar domngo? \no falta vonta O oelho Maunho tm que vu o tme ular saltar, correr da cerca: Maurnho Perguntamos Gre Náo Fo no Tornee r..- co. T,n Náo Lu loelho Machuquc-ne soznho. Conformado em tu-ar fora? Quem dsse Numa Qte dzer, esero fcar bom en. temo óío bom vem n - Anda mas que Quaeuln la não lona Por mm. refera que toünssc Qmrennha A :;::m ssa referênca Maurnho não exlcou De calção e camsa...r Marnho lcnu atras dn K,, a,us. trar Castlho, Vlrtr Gonzale/ f M.u,, Pn que tal rlvlle- fov Kxllcn: Fo o dl nrh ljfo Perna. Mllsrlln o músculo da Ban Contra o Norfeog: Hoje Três ogos t três vtoras, o Bangu colocara em jogo. boje a nvencblda e a lrança abso luta do Torneo da Lga nternaconal que se re lua em Nova orque O adversáro quadro braslero se a o Nor kong, da Sueca que fo notado, no ultmo sa baro or 6 a 4 elo Samdona da fau ( ldvdut! trcolor aa o loco,om os alvuero- durou una hora Qurm estava!ameno. scansado (o: a casa eru bambas F. hoe tem mas lo.e são Dl mnutos lutebol A orta fechados reumo-e, ontem, o Presntt &éo H.. rt vellínge, rom o n.embroí do Conelho Tecroco dt CBC fu e * resença dos resntes do Feração Canoc tebol (Antòn.u do Passo, * Feração PaulsU Futebol oão Mendonça Falcão O objetvo da reunão não consttuía segrèdo ara nnguém- tratava-se da elaboração do calendar.c futebolístco ara Para se ter uma med.da da mo-- tanca das lesoluçóes adotadas basta duer qut foram dscutdos os senuíntes asuntos. Cl Cameonatos reqonas Bro kl -S> P4ulc Cameonato Braslera Fl Comromssos nternaconas da PT! E/cursao oo Escrete a Eutodí Prearatvos CBD era a Cod, Mundo et w ; í.s O Calendáro, Hav-antf l.,,,,, asa-se! satsfeto r; K,u ar» ü,a,; «,,,r; o esrto ar colaooacão U-».nona ca au-, dos dneeme Gü Ro e Sao P! u:cj- hujo lfl,r;7:;; <aa/- «,- ;,.sm.kl,ja uma louua do fu-eoo.,ra,.. t-ü; oa-ero.v-,!%; e.-lahelece o calendáro ao-.a ara ane,r, e Couho Sem lescc-no nt!!n temoradas fa. marco e.-,;.,...;,u clube: rl-u--.c,,p, aaeonato. Píuo e Snl-Aur: r -,. R o-sáo da Bovu- Bn >e ara r- rsvra f Ulí, SCÍffo <-t. lo\*. Sorte: Va Brasl x Alemanha «n coun s.,,.rnm!,.s,j> mteaconas fala-nw.-uer.c cm u Pe CBU - No ;l;a.7 ue mncu lav e aresentação dos logac.-e.- Trar Menscos ;Ue dsma, cr.n a Aler.anhü a 2tí ur, natcn amstoso con a seleção oa Alemanha O eod coueenocc s vl P \t O! (.7 M >: \ ce n.a.o svrá m.adu a cusua das Taças OH:(- OKM A runtusãu ( et e tsvalvo Cr,/, re.t-rt nmtue com o Cr Pa; atua; n no j»eo eontra a Argentna. Euroa aaretrm**t sem morta r ca. aovad- s ítlf*! ür- a uíc jovts lua: n-f rnco va re-ulur na r>eracâo to jurlho to.\ m era- tsuroa Pj., : :uü(, ür ;ó o 3 ür juíu r\oyaú> UO> írj.t-r (e* tulf..ütf, v rl-zrel) o >»; s, leansacos u; caueo- -.os o nco C-a.s.lco,., C- Canjx-onao -n; janee ar,;; Tam- «(,.; í,-;., asuaua laa Bra.s. u K-w-:. u,«a,> u R-Sau o abrd Pa,,.- ::. u ll.ní,,:.t w e ck, Muuu»; Ucacéu nt V C a t lf t /.eofj.o oí am**orhlua legora.* laa e B- > No Chle Mesmo.., blmrn., ar eür tu c\ (l Allllo,. P :!!)!, ;uvt; no cm u.;,- u cvta suas tradtc fcü Út hr co-enn,,., c do.s joíaco; f*s, P! O. P,..tenos ;.,-,r, fj m Kuunga c. F o e uurfor r -,.: OPO UllU- 3 t: *:í;í* ne.s.vf sentgo U ro te A nanao íoaa? k.- jjaanh.* ar, t rea.jfsqü a aluh das. a a:a leotíu?:; o tc.o r a,; _::;/a ao r e.rane:.- a,! cr >fc E uj», (.** *.a:..* o : :r v B: a,-;..!»( a :rv:u-.? :..>*usu> r-h. tj-ír.;.;, do.» :; >«: t> não *-r-.:«;:,.,v t -- /-, ;.o> qunenu. n... cu-,, e l,f te n. -mh* ro, (e-e. -, fo, >.. :! >... r,, r<nha>tjw : Pó- Á, (,. fs-an c,í,v. h,-)s!, MO. Menscos í.tkot j í u.r lrtnlt; rrouso uísuulf» ( uutnho t:àr< \»nha trfenlan a* melhoras e%e rada*- cl< acordo mm u rme- dafnstt o lo \t- í-nlão no- \mentr r*\amnado elo»r. talo ( («nsrultto fcou consatada írvà» do«. mf-nscos DatnosK atíu o \ crdad-íro ma! tcm trxo*- hüo resolvda. oera-ãtt to jm-!ho dn joeador 4 Das Sem Bolo ( D, tal, ( ullselnu, llltor muu anda qu»- rtra \**r (.outnht reerradu lemru dr t() das ( uu: f muj tovr-m líarolo aníí.t luto ndt tu»- a relujru( -r;,í.ua Ta\ * ale l>-,,,,v dr marenu d.,«na orra, a, l uutotl, a e-leja ( h l latodn a tojá lonjmrur. mh K. ym-í CAMPEONATOS KAS-;l5«S»b: vòl roum aa hoje-í Os CERA realzada na no,te hoe a> 9,3 hora» no Gnao do Maracanã, ab«rtu. ra ofcal do X Cameonato Bratleno Vohbol. ocajao em que t*ra oroc«o,ac ao sfle todas aí legaçoe, segundo-se o cermonal que comreenra abertura of ca haste.mento da banra da Ccnfe õcao luramento do» atletas sfle fmal nu meros show, e a realacão do (9 naugural Pelo certame femnno loaarao as eques do Estado da Guanabara. Mnas Geas cameã. Ro Gran do Sul Paana t Sao Paulo No seto masculno as eques: Sao Pjulo cameão, Estado da Guanabara Mnas Geras, Estado do Ro Ro Gran do Sul Pernambuco Paraná Bhn P«Ro Grana» do Norte e Alagoas Ho*. Dela manha as horas ntara reundo no Maracanã c Con gresso do X Cameonato Braslero contando com a resenc dos legado» ar ódas as entdas artcantes Favortos \.;..! elo ;íu c :h.>,,..uo.-.. equba. er : e,.- :.,- lullcu u> t- u> ;».s«>.... ulldo ; ;l(a H >r,t(,- f,;5;.en.s reresem,!.,,..-, equ,-. Volta Kedoí., cono ca -.. le t avhn n. : n. d,,s o >..cdatos a,.nu, P, ;, ; emnmo ;cfn;:,mon.a *.o u\ das ca oc,> euou al nas aulstas.m se; a, nos-. ulo na conqusta.:. u;o c;,., a rq.r a.n,;., que ue e;n o mulo nu ;o..,.:, >;,- ; ognra dr.sfau aíla f» q.;a>.u.llrn ce suas ;n,»,. ;o-.adoras ue ou;,,.-, ;>,o.- M:. Mracha n,:..:,«see-a,. sllttt. r t- t;c!a/ que r*>;m h.» equ.* dns \. >,,s.,s Tabelas Em Trc Gnásos,:,,u..N Caleonul. B:,. -. r \ulbuí..se» d>t:-aü ru. o nes Casos MaK-an., T.un, t < Clube Mlll... -Mu., <.;:..lu B los mkos l, C..a.s.o. ; c \, t ttctnã sòb:c v uwv.st SuH (te naluta que custou f, AKM V: ; una.. no tãnca th dos nnlòes receu / v uadr!! n; :,: íl:a::r, r, Su >. Ss. P.,.:. L>r Ml!s,., Ma:a..,::» r- >!:e > vaeâ,- o olrr a;,>c»s Chaves Pcu.luro,- ;sl, e.as co:.,- n -.,. ;::í> çvv\,\ ll>>, a:.,!o h; > í,.: Wl.a d: a M Confantes os GoucSos Ro lrnoclr, O,,., :..,!, ;....- > l.ea.«> R. Sál Ph Pb U.«(hOw : f * M K Palovro Do» Cobrões \ «um >* srn-n.!?n: n r-.< -., e, -.u -.,v t,.- t.- - Esta e * melhor weleçac ao* Ds Guonabanno a v«formou no Ro Cuw Os teleconados gvnabu m dss» o ctset» da Otleçacac ç»u íos,,, m*d,co ontem o» cha o sortsta Olímo Alves, mnha na Escola Educa- Slva ac dfsfmtsa-ca, on-» no (ac F,VC Desoorros sur>» Ae,oo,«o a reortagem CL,..,,«c D,c D, Walmar T MA HORA A,ene -esnf* oa Com,ss»e Possudoras çranü* entu u* Saud* do«v C arr*on»»os sasmo cteçaram at lcot Bjstteto *cam o«ttr» * e* masculna «femnna W*o teías aotovados Gran do Sul qu* artcarão Set»-t tonado f«m*nmc Tet ntç do ce-*ame br atle r o vofbc üoulc Rtítwc * estreu* luct*, r, tos em leva os ttulot Pales Mana Aht» Ma-l Mlo* Lassen San P-ü t s H íf*ndo com * nossa tfeyfm Eíoer á Rostna Ncma Va í.. * v clarou Olímo Stv* c**c Marna Gíd* Som* Sneborç cu lba qn èntf qut a nossa turma *c MelennH* Setenondo ma*tuü > ttrè feto Todos estão Kr~ -e no Tecnçc Sr«MehürükY t arados * tecncamente t e oen í,os l cí o rosa Sefço..,:.,,,» lamento qeral» o d«levar ara nt, e C V ;.fí.«t r e R te G»*n c ce*rc maítmc ar,lc Oua & ;? C n -o V«Ç, voltbe! b; asle» o.»al(ano c!m*r- Kartc

14 PAGNA Ro anero. Quarta-Fera. 2 ulho 96 ULTMA HORA 7ÜF:?SS*W!SÇ 5 \ Morte, Presente n\ Rnversáro CABOU \AO fosse a lumnação da Rua Anbal Benévolo, em frente ao número 4, D. Adunda Texera tera troeçado, n< madrugada ontem, no cadáver um seu» nqulnos: o comercáro Francsco Monteuma Afonso (soltero, 32 anos, corresonnte da Antártca Paulsta S A, Rua Anbal Benévolo, 96). Os bolsos da vítma estavam revrados largas manchas sangue marcavam o local em que fo encontrado o coro. Dante da vsão macabra, D. Aduznds oltou um grto horror. medatamente, todas as janelas se abrram e alguns moradores, mas rectados, lgaram ara o Coro Bomberos. Pouco os, chegavam os olcas da Delegaca d» Homcídos e ertos, que se nclnaram a tomar a hótese latrocíno ara base suas nvestgações. Da do Anversáro Dos rmeros comentáros e omentos, soube-se que Chco (como era conhecdo o comercáro vva constantemente em farras. Mão aber- a, não ouava dnhero, semre que convdava os amgos ara uma notada aleç.re. Anda na vésera, segunro afrmou D. Aduzndo, comrara no adara róxma. cervejas, guaranás e sanduches em quantda, ara as comemorações seu anversáro. Por outro lado. seus comanheros trabalho ussecuram que Francsco va levar boa soma dnhero no bolso. Na comanha, o agamento ra qunzena sara atrasado e êle era homem gastos lmtados, afora as quantas erddas na vda boêma. Deva ter reserva, no mínmo, 5 ml cruzeros. Seus colegas acrescentaram eme Francsco costumava assar ás notes em comanha re mudanos, resntes na róra Rua Anbal Benévo- Í s *v ~ >,»-»~ %ll! M WÊ? ~ *«êf P B o. toda vez que receba seus saláros. Latrocíno O tectve Edson Sacramento, chefe da Delegaca Homcídos, acredta em latrocno: Francsco traza muto dnhero no bolso, estava sem-cmbreagado á hora co crme e rvava ca ntmdare mulheres vda fãcl. Pessoa benqulsta, ao que se sabe. só a osse seu dlnhero justfcara o crme frsou o tectve. Suseto O rncal suseto, já cetdo. ê o oeráro Grenázo Alves ce Araújo, resnte no mesmo enreço e habtual comanhero farras re Francsco. Grenázo anda não convenceu as autordas ce sua nocênca, aesar ele suas reetdos negatvas. unhado a vtma na vésera. Não saba acrescentou que Francsco faza anlversáro naquele da. Motorsta Preso Encontra-so reso também o motorsta Manoel Olaben l.ago (esanhol, soltero, 28 anos, Una Anbal Benévolo,, a. 2. Proretáro do táx ehaa DF , que se encontrava estaconado junto ao cadaver Francsco,.Manoel rotesta nocênca: Não se nada. Encnste o carro ás 23.3 horas. Hoje (ontem) ela manhã, me acordaram ara dzer que a Políca me rocurava. Suadouro Tomando or lase o reomento ce Antôno osé Loes (soltero, 23 anos, oeráro, mesmo enreço da vtma, acredtam as autordas que a morte Francsco Montesuma Afonso resultou sua resstênca ao gole elo suadouro. Trata-se modalcla- ANGUE: TÁCO! alcada or merelrzes. que atraem o otáro a termnado local, on um vgarsta eserto lhe retra lodo o dlnhero. A luta cororal travada entre Francsco e uma gang ao que se resume termnou com o massacre do comercáro, abatdo a aulaclas. Contudo, somente o exame ercal elmnará os ontos anda obscuros. Os bolsos revrados do morto, os afundamcnlns crananos do cadáver e outros elementos elucdatvos ndcarão se Francsco fo assassnado no local ou fo transortado, já morto, ara a Hua Anbal Benévolo. De fato. saamos juntos quase todos os das. Íamos à zona do baxo meretríco c, quando eu não tnha dnhero, êle me emrestava afrma Grenázo, negando, no entanto, que tvesse acomst.: : MAO ABERTA \- MULHER Bom Funconáro Na Ca. Antarctca, fomos nformados do que Francsco era bom funconáro, cometente e cumrdor dos veres. Pontual ao trabalho, nunca chegou embragado ao escrtéro. As farras do comercáro não rejudcavam suas atvdas na comanha. ERA UM BEBDAS NO RÀS TO SANGRÍNÊÊÍ ssjí; f P wty/yê WÁM r *& ;- Wà... - M L AS MAÇÃS Cenáro: Delegaca Menores, em São Crstóvão. Personagens: o menno Djalnm Ferrera Soares (m»,, s o Delegaca dl menores, Cláudo Vera Pexoto. Da: Segunda-fera (arte). Uma crança fez essa hstóra, Mas, não é uma lstóra ara cranças. O menno que se largou ela vda t () ercebeu que a vda não era doce como uma canção ce nnur. O menne que conheceu o mu antes da rmera namo. rada. O menno, órfão a e mãe, que srezou (S n. sclhos da rmã mas velha ura se fazer soznho. O nc-nlno solto, sem famíla e sem rumo, eru-se. Hostlzado, tornou, se hostl, ndscrmnadamente. Dorma na rua, coma na rua, sua casa era lma cda aberta. Um garoto sem as. sado e sem futuro, Nunca um bolo anversáro, nunca um saatos regalo, nunca uma alavra amga, l, em acu coração, ouco a ouco, fo se formando uma cresta. Sorrr or que? Chorar or quem? Angústa ao sertar, «ngústl» ao adormece-. Olhou o caxote maçãs. Vazo, comletamente vazo. Dessa vez, Uvrara-se do raa. O dnhero esava no bolso, Não. assara fome, nos róxmos das. Se jogasse, um ol. co? Sc dobrasse o dnhero? Deu sorte no jogo. Mas dnhero, O lance to rádo: atrou e matou. Dexou-se renr, sem rr, sem chorar. Ao legado, contou como fo, urr,ut fo. Desojado do dnhero que levava no bolso, dsse: O dnhero das maçãs c meu. Que maçãs?. Que vend. Po fcar com os ml e qunhentos cru. zeros que ganhe no jogo. Mas os ml c quatrocentos cruzcros que ganhe venndo maçãs, quero volta, tudo. >or esse dnhero trabalhe. É um dnhero lmo. CDADE UVRE Fo o temo em que os assatantes fcavam cheos tantes mas atualzados om asque? Muto smles: o assados. Quer dzer, em que os assaltantes fazam ar ele santo je em da. o Ro é uma cda saltos maores e menores. Ho. au oco quando assava, mas ou menos lvre. Pratcam, longe, um olcal mal ano, se assaltos sem meas meddas mal almentado, mal dormdo. com a maor freqüênca. E or Hoje, em qualquer esquna, o que? Muto smles: o asnsl. assaltante, or va das dúvdas, tantes estão com a faea e n só falta usar lelrero: assalto quejo na mão. sto é. èle, armaco até os ntes j vtma, da- e note. Fo o temo em que o assaltante levava a barra em geral, sem o menor rea. ferro embrulhada em folha rn físco ara uma brí. gual, jornal. Hoje em da, leva que drá sgual. a barra ferro sembrulha-, físerem, orém. Eserem ela mesmo e anda lem o eleslante re bater com a barra rar. Anda un em, cnn see sa- orque a stuação o o. ferro num oste ara ver se é láros atrasados, um sran falsfcada ou não. Hoje, em suma, o Ro é uma cda mas à orta da nsttução a que numere: re guardas noturnos, ou menos lvre. Para c;s rates ertence, rotestava. Se nn vestdos ratos e ara os sa logo o agamento, se os ratos vestdos gente. Sar à note re casa e voltar nu. breve será rotna. Não só casa, o jeto é a gente não sar guardas noturnos não saem anés, ulseras, colares, brn- também. o juez Cenáro: 5.* Vara Crmnal. Personagem rncal: o uz Antôno Castro Assunção. Da: segunda-fera (arte da tar. O sujeto a andando. Parou ouvndo o grlo: Pára. O sujete que» o rmero grto, u o negunão: Quem e você? Sou ct. Prove Provar o que? Que você é você. ) su.jrt** que ouva grtos, ao% rtüor, sem Tvtnrrr mas nada, treou a rrtação que começava a querer ncorregar c resonu: Pos é o que lhe dgo: meu nome Arlndo Florenço th Paz. Sou oeráro, osso rovar. Prove. Só ndo lá em casa. Os documentos estão l. O sujeto que grtava grtou mas uma vez.: Está reso. O sujeto que não grlava sau na mão. Fo reso, lu rocessado e fenddo cm seus dretos cdadão lvre elo uz. Antôno ce Castro Assunção, que nterelou o nvestgador Cdney Vasconcelos: O senhor me renrá na rua, se me encontrar som documentos? A resosta, claro, fo negatva. O uz contlnuou o sabão: sabe que andar sem documentos não e crme? Sabe que a le é gual ara todos: orosos e humls? A rsãu dêsss oeráro, ortanto, fo uma arbtrareda, fw 47!Íôno osé Loes, outro comanhero quarto do *** comercáro. Maneroso. dz-se nocente r aresenta a versão do gole do suadouro ara exlcar a morte d<> amgo. Afrma ás autordas olcas e a reortagem que não sate nada. Seu omento não ajuda a svendar mas esse crme ocorrdo no Estaco. A olca trabalha as escuras. j Francsco Montesuma A o n s o, ** encontrado morto, com afundamentos no crâno e. os bolsos revrados, em local róxmo sua resdênca, üuu morte e mas um mstéro que a o- (lea yuanabarnu Um ela rcntc. MULHER PLANEOU ENVENENAR FAMÍLA NTERA: SUCDOU-SE ARREPENDDA! um drama comum. O rmão quf chea m casa e ã rmã: COMEÇO F.u conheço uma mocnha, mnha ex-colega escola, que não tem on morar. Po vr morar aqu com a genfe? O cabo do Exércto, Bráulo Gomes d M manda, morava com a rmã. em um equeno aartamcnto, da Lara Taba.jaras. A rmã. Farals Gomes Mranda, era a clma ru casa. Mas, ela é aenas sua ex-colega escola. qus saber a rmã O cabo jurou que sm e. no da segun le,.mara Helena Barbosa, 2!) anos, veo morar em casa dos Mranda Cm més os. ). Farals voltou a nterrogar o rmão: ÍSráulo, fala a verda: voe- é ama nte ssa mulher? Bráulo que não quera contnuar mentndo. Baxou a cabeça. Não dsse nada. Como» que ela o ter sdo sua en lega escola, se ela tem 2..) anos e você 2? ). Farals chamou Mara Helena a un canto e edu que se mudasse. Não quera aqulo em sua casa. A Laa Açúcar Anteontem, dos das r- os ter xado o aartatnento da Lara Tabaaras. Mara Helena vo*o, ara buscar o que era se. Uma equena mala e alguns objetos uso Entrou, amstosamente. Veo com um so brnho ela mão Mostrou -s. amável. Conversou. Contou s seus lanos Num dado momento. Dona Farals a vu na coznha, mexendo na lata açúcar. Desconfou que Mara Helena houvesse guardado qualquer cosa na lata açúcar. Pensou: - Quem sabe, um veneno? Pegou a lata (não quer.a nem abrr) muto aflta, drgu-se a Delegaca: Doutor, examne o qu* é que tem nesta lata. Ofegava mas que falava O Comssáro abru a lata ü chero sufocante do formr:- da encheu o ar da sala olclal. Está vendo, doutor. Ela quera envenenar meu açucar., E contou a hstóra. Dona Farals. A ex-colega esrola ro seu rmão quer.a matar toda a tamlla. Morrerlam Dona Farals. o mão cabo e, ossvelmente o sobrnho que trouxera ela mão o Comssáro edu ; De,na Farals que voltasse ara casa, enquanto ra submeter o açúcar a exame laboratóro. O Sucído Dona Farals voltou ao seu aartamento, na Lara Tabajaras. Encontrou Mara Helena, na sala, rxn um coo na mão O que é sto neste coo, Mara Helena?.gr:- tou da orta Mara Helena a ftou, engmatleamente, or uma fração segundo, u-lhe as costas e. bebendo, com sofregudão, o conteúdo do coo, fugu ara os fundos da casa. Dona Farals correu atrás. Mara Helena arou correr, vrou-sc sub! a- mente e cau aos és Dona Farals. Estava morta. Três Perguntas Mas um caso grave, entre ns rrmes que se reetem, m- quetantemente. nesta cda. Mara Helena estava dsôsta a morrer, mas. antes, matara o amante e a rmã. Por,- svelmente. o seu.sobrnho,.! anos. Luís Carlos. Por que matara dona Farals? Porque era um obstáculo em sua dfta amor Por que matara o amante Porque Bráulo fora fraco; cera a autorda ra rmã, que a exulsara re casa A tercera ergunta é. todava, dílr-l resonr. Por que matara o sobrnho? Que lógca razão, em sua ânsa ele extermíno ara matar a crança? Dsto, nnguem sabe, Para que todos morressem, no equeno aartamento da Lara Tabajoras. bastava que fosse servdo um cafeznho A lata açucar era uma só Todos morreram a mesa do café e mas um mstéro sera acresceutado a agtada crônca olca ra cda Qual dos três tera envenenado o café? Mara Helena Farals, o cabo Bráulo Estamos vndo uma sére exaustva rrmes assonas. Ne matou Tâna. m Manoel Otnhen Sago, cujo táx cadáver Francsco. Também não suhe nada. Quando chegou em casa. o comercáro farrsta anda rra. For este. c aquele motvo, o motorsta é suseto. Marl matou o Major Slvo. F. na Peda, Orney Perera atrou em sua mulher Delvra). Fzeram-se ronfssoes e suosções. Ao certo, em nenhum dos crmes, fo scoberta a razão elementar e exata. Este sera um mstero. n mas. se dona Farals não sconfasse da lata açúcar. Nota Conclusva O sucído Mara Helena ocorreu anteontem, as K loras da note. A olca fo medatamente avsada e. mnulos os, o Detectve Cro Habb comareca ao aartamento da Lara Tabajaras. (numero 4 ato :í(> Na rasa ntera, fo rocurado um ossível blhete Mara Heleno Nao xou nada eserto Algumas essoas suas conhecdas foram também nterrogudns Mara Helena nada rsse-ra ce usse arerer um aus ou recado sedda. Ao reórter, clarou dona Farals, lamentando a rageda: - Poda ter sdo or Ela quera matar a todos nós. Matou-se, ara não resonr elo seu crme. Perguntada sobre Mara Helena, dona Farals ouco soube exlcar: Ouase não se nada sua vda. Entrou aqu como ex-colega meu rmão Era uma moça reservada Falava enco A gente não saba o que lhe a or ntro as 2 horas o carro elo ML levou o coro rr- Mara Helena ara o nsttuto Me- P Grenázo Alves Araújo, o rncal suseto. Saa semre com Francsco, ara notadas na zona e/o baxo meretríco. Morava na mesma casa cômodos e saba hne o ( -- cáro tnha muto dnhero no bolso..:;;.; ;v;-:\ % - / *SB Mana Helena Barbosa tentou envenenar a famíla do amante e èle róro,, antes se sucdar. Mas. morr u soznha. dco Lega! Termnava ressa a hstóra que ora ter sdo assunto multas semanas. A CEA Cenáro: Rua das Larcnjerasme. Não tnha ressa: tnha fo- Personagem: Romeu Santos. cudado junto ela Churrasca- Encostou o Ctroen ema Da: domngo arte da ra Gaúcha. Bateu a orta note. vagar. Olhou, anda uma Não era um cadlaque. mas vez. com ternura, ara o Ctroen. era um Ctroen. Se refera que nunca o xara um cadlaque, não vem ao na mão. E fo. Quer dzer, fo caso. O certo é comer e comeu bem. com gósto e sreocuaelnete. que gostava do Ctroen. E tratava o Ctroen com amor Ao sar, não vu o Ctroen, quase nternal. olho vvo nos buracos, Suôs: ossvelmente (o emorrada lá ra frrnlr nu ara que não se quebrasse (* uma roda do Ctroen, olho ra trás. Andou ale a esqu; vvo nos ostes, ara que não na lá ela frente. Andou até a squlna se quebrasse o narz elo Ctroen. Ao fazer uma curva, ar ce quem comeu e não os- lá ele trás. Fcou com cudados redobrados tou ara que quando se convenceu: não se amassasse a trasera roubaram meu Ctroen, do.troen, Claro, aresentou que Acha Claro, não xava o Ctroen metdo numa garagem. dfa. ouco, orém Que íluer mas? Clnro. o Ctroen ele Naturalmente, não retendo, a troco ele nada, eue Usava o Ctroen, uma eséce comanhero nseerável. E, um benemérto lhe bata a elos cudados que tnha, oda contar com o Ctroen a orta e dga: seu Cllrnen está lá.ora. Não. E oreur»o qualquer hora, chovesse ou acredta num fzesse sol, ara subr a maor geslo lãn reneroso e tão esontâneo, dz: subda ou ara scer a dou vnte ml cruzeros»r maor scda. uma sta que me leve a Quando sente fome, fo elo Ctroen. Qualquer nformação Ctroen que se lembrou em ara ULTMA HORA nu ara OS telefones 45-43T3 t rmero lugar. Com o C- roen. fara a cea e voltara.!:-7.8. O Ctroen tem achtta DF, numero ra casa, radamente. Não ?. COSAS DA VDA E DA MORTE rm Porque o roretáro co Café c Bar Orleans, entre as Ruas ca Qutanda e Rosáro, aumentasse o reço do cafeznho ela note ara o eha, assando ce dos cruzeros ara dos cruzeros e cnqüenta centavos, quase houve cebra-quebrn seu n estabelecmento, ontem. Semre que era nterelado. Manoel resonda: tenho mandado do WZ Pnto Falcão. Um ; tasca. qtarnçáo da raeloaul evtou As 22 horas, a mãe e o a do menno Luís Carlos foram buscá-los, na Lara Tabujaras. T% O je chaa , drgdo or Benedto Areas 3 Leão ftnconárlo úblco, casaro, «5 anos. Rua M n senhor Batlston,» 277, Tljuca) a ele e. até que eru dreção, Rolou or uma rbancera vnte metros. Fo Par o HSA, ontem, em estado choque. a U Cl Frclcc ela Conceção fo connada, or á x - C anos ele recluslo, carg» X>r ter scarregado tôdu a dos revólveres contra seu amante, ex-raclnha, Ou] Olvera Santos. O Promotor Sllvéro Perera <l» cm qualfcou o homcído fro e cruel. Kl «O auto-carga chaa DF. 8-B-83. roreda Emresa ele Transortes Naconal. n. ontem. lhl Curuztl. Peru a dreção, subtamente, ndo encontro muro ro rédo n. íl(l. Quatro metros do muro bulm motorsta osé Ferrera nressou-sc a dzer que nnza roretáro da cana nos rejuízos, n O Coronel Luz náco acques únor, chefe ele lda, a exemlo do eme fez esoradcamente, o teontem. uma ncerta, aarecendo, ele surresa, no Dl- Tudo erfeto. Fcou satsleto. V

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.)

(Às Co missões de Re la ções Exteriores e Defesa Na ci o nal e Comissão Diretora.) 32988 Quarta-feira 22 DIÁRIO DO SENADO FEDERAL Ou tu bro de 2003 Art. 3º O Gru po Parlamentar reger-se-á pelo seu regulamento in ter no ou, na falta deste, pela decisão da ma i o ria absoluta de seus mem

Leia mais

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to.

GASTRONOMIA. Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. GASTRONOMIA Instruções Cer ti fi que-se de que está es cre ven do de acor do com o tema pro pos to e dê um tí tu lo a seu tex to. Res pe i te mar gens e en tra das de pa rá gra fo. Use as in for ma ções

Leia mais

LENTES ESFÉRICAS I) TIPOS DE LENTES III) COMPORTAMENTO ÓPTICO. Lentes de bordos delgados: Lentes de bordos espessos:

LENTES ESFÉRICAS I) TIPOS DE LENTES III) COMPORTAMENTO ÓPTICO. Lentes de bordos delgados: Lentes de bordos espessos: LENTES ESFÉRICAS I) TIPOS DE LENTES III) COMPORTAMENTO ÓPTICO Lentes de bordos delgados: Lentes de bordos esessos: Sendo n = índce de reração do meo e n = índce de reração da lente Lentes Convergentes:

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA ACÓRDÃO / gtv. ESTADO DA PARAÍBA # PODER JUDCÁRO 5 8 Agravo de nstrumento n" 2004.008919-2 Relator: Des. Luz Slvo Ramalho Júnor Agravante: Antôno D'Avla Lns Flho e Espólo de Luz Antôno da Slvera D'Avla Lns. Advogado:

Leia mais

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10

Resolução de Matemática da Prova Objetiva FGV Administração - 06-06-10 QUESTÃO 1 VESTIBULAR FGV 010 JUNHO/010 RESOLUÇÃO DAS 15 QUESTÕES DE MATEMÁTICA DA PROVA DA MANHÃ MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A O mon i tor de um note book tem formato retangular com a di ag o nal medindo

Leia mais

CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA

CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA PROJETQ DE DECRETO LEGISLATIVO /2015. "Concede o título de cdadãl de Fortaleza ao artsta plástco Ramundo Pnhero Pedrosa, conhecdo como Bruno Pedrosa". A CAMARÁ MUNICIPAL DE FORTALEZA DECRETA: Art. 1 -

Leia mais

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009

Resolução feita pelo Intergraus! Módulo Objetivo - Matemática FGV 2010/1-13.12.2009 FGV 010/1-13.1.009 VESTIBULAR FGV 010 DEZEMBRO 009 MÓDULO OBJETIVO PROVA TIPO A PROVA DE MATEMÁTICA QUESTÃO 1 (Prova: Tipo B Resposta E; Tipo C Resposta C; Tipo D Resposta A) O gráfico abaio fornece o

Leia mais

Questionário sobre o Ensino de Leitura

Questionário sobre o Ensino de Leitura ANEXO 1 Questionário sobre o Ensino de Leitura 1. Sexo Masculino Feminino 2. Idade 3. Profissão 4. Ao trabalhar a leitura é melhor primeiro ensinar os fonemas (vogais, consoantes e ditongos), depois as

Leia mais

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou!

Hoje não tem vitamina, o liquidificador quebrou! A U A UL LA Hoje não tem vtamna, o lqudfcador quebrou! Essa fo a notíca dramátca dada por Crstana no café da manhã, lgeramente amenzada pela promessa de uma breve solução. - Seu pa dsse que arruma à note!

Leia mais

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades

Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades PNV 289 Casa, acolhida e libertação para as primeiras comunidades Orides Bernardino São Leopoldo/RS 2012 Centro de Estudos Bíblicos Rua João Batista de Freitas, 558 B. Scharlau Caixa Postal 1051 93121-970

Leia mais

1. A cessan do o S I G P R H

1. A cessan do o S I G P R H 1. A cessan do o S I G P R H A c esse o en de reç o w w w.si3.ufc.br e selec i o ne a o p ç ã o S I G P R H (Siste m a I n te g ra d o de P la ne ja m e n t o, G estã o e R e c u rs os H u m a n os). Se

Leia mais

FUNDAMENTOS DA PROGRAMAÇÃO SEMAFÓRICA

FUNDAMENTOS DA PROGRAMAÇÃO SEMAFÓRICA Lus Vlanova * FUNDMENOS D PROGRMÇÃO SEMFÓRIC resentação Este artgo detalha os rmeros assos da teora de cálculo da rogramação semafórca de um semáforo solado, deduzndo as equações báscas do temo de cclo

Leia mais

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFMG VESTIBULAR 2011 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia.

PROVA DE MATEMÁTICA DA UFMG VESTIBULAR 2011 2 a Fase. RESOLUÇÃO: Profa. Maria Antônia Gouveia. PROVA DE MATEMÁTICA DA UFMG VESTIBULAR 0 a Fase Profa Mara Antôna Gouvea PROVA A QUESTÃO 0 Consdere as retas r, s e t de equações, resectvamente, y x, y x e x 7 y TRACE, no lano cartesano abaxo, os gráfcos

Leia mais

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011

Estratégico. III Seminário de Planejamento. Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 Estratégico III Seminário de Planejamento Rio de Janeiro, 23 a 25 de fevereiro de 2011 G es tão Em pre sa rial O rie nta ção pa ra om erc ado Ino vaç ão et

Leia mais

REGULAMENTO DE INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS DE HOSPEDAGEM No u s o d a c o mp e t ê n c i a p r e v i s t a al í n e a v ) d o n. º 1 d o ar t i g o 64º d o De c r e t o -Le i n. º 1

Leia mais

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e :

Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 13 DE JULH DE 2015! Ac esse o sit e w w w. d e ca c lu b.c om.br / es t u dos 2 0 1 5 e f a ç a s u a insc riçã o cl ica nd o e m Pa r t i c i p e : Caso vo cê nunca t e nh a pa

Leia mais

Tópicos Quem é é a a PP aa nn dd ui t t?? PP oo rr qq ue um CC aa bb ea men tt oo PP er ff oo rr ma nn cc e? dd e AA ll tt a a Qua ll ii dd aa dd e e PP aa nn dd ui t t NN et ww oo rr k k II nn ff rr aa

Leia mais

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009

Correção da Unicamp 2009 2ª fase - Matemática feita pelo Intergraus. 14.01.2009 MATEMÁTICA 1. O transporte de carga ao porto de Santos é feito por meio de rodovias, ferrovias e dutovias. A tabela abaixo for ne ce al guns da dos re la ti vos ao trans por te ao por to no pri me i ro

Leia mais

TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM

TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM \1erra do guaraná" TERMO DE CONTRATO N 001/2014 - CMM CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ACESSO A INTERNET VIA SATÉLITE ATRAVÉS DE LINK DEDICADO, QUE ENTRE SI FAZEM A CÂMRA MUNICIPAL DE MAUÉS E A EMPRESA C H M

Leia mais

andréa del fuego os malaquias

andréa del fuego os malaquias andréa del fuego os malaquias 1 Serra Morena é ín gre me, úmi da e fértil. Aos pés de la vi vem os Malaquias, ja ne la com ta manho de porta, porta com autoridade de madeira escura. Corre, Adolfo! Donana

Leia mais

Nota Técnica Médias do ENEM 2009 por Escola

Nota Técnica Médias do ENEM 2009 por Escola Nota Técnca Médas do ENEM 2009 por Escola Crado em 1998, o Exame Naconal do Ensno Médo (ENEM) tem o objetvo de avalar o desempenho do estudante ao fm da escolardade básca. O Exame destna-se aos alunos

Leia mais

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR

MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR MATERIAL DO ALUNO PARA RECORTAR O Sonho de Renato O Sonho de Renato a e i o u A E I O U so nho de Re na to Eu sou Renato Valadares Batista. Tenho 14 anos. Sou filho de Pedro Batista e Luzia Valadares.

Leia mais

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a

P i s cina s : 2 P i s ci n a e x te rior de á g u a d e m a r a q u e cida P i s ci n a i n te ri or d e á g u a E M P R IM E I R A MÃO T h e O i ta v os é o e x c lu s i v o h o te l d e 5 e s tre la s q u e co m p le t a e v a l ori za a ofe rta d a Q u i n ta d a M a ri n h a, co n s olid a n d o -a c om o d e

Leia mais

Ainda há Tempo, Volta

Ainda há Tempo, Volta Ainda há empo, Volta Letra e Música: Diogo Marques oprano ontralto Intro Envolvente (q = 60) enor aixo Piano Ó Œ. R.. F m7 2 A b 2 E b.. 2 Ó Œ É 2 Ó Œ F m7 2.. 2 2 A b 2 2 Ainda há empo, Volta Estrofe

Leia mais

Introdução aos estudos de instalações hidráulicas. Inicia-se considerando a instalação hidráulica denominada de instalação de

Introdução aos estudos de instalações hidráulicas. Inicia-se considerando a instalação hidráulica denominada de instalação de Introdução aos estudos de nstalações hdráulcas. Inca-se consderando a nstalação hdráulca denonada de nstalação de recalque reresentada ela oto a seur. Foto 1 1 Dene-se nstalação de recalque toda a nstalação

Leia mais

Oportunidades e desafios no mundo do aquecimento o setor tem crescido a cada ano, é verdade, mas continuar nesse ritmo

Oportunidades e desafios no mundo do aquecimento o setor tem crescido a cada ano, é verdade, mas continuar nesse ritmo -. -. - - - -- - -. ~- -- MERCADO -- -=-- - - -=-=-= - ---=- =-= - ~ Oportundades e desafos no mundo do aquecmento o setor tem crescdo a cada ano, é verdade, mas contnuar nesse rtmo requer a superação

Leia mais

Vamos Subir Nova Voz

Vamos Subir Nova Voz c c Vamos Subir Nova Voz 2 Letra e Música: Lucas Pimentel Arr: Henoch Thomas 2 5 2 to Eu-pos tem - po te-nho ou vi - do a pro- 2 g g 8 mes - sa de que vi - rás pra res -ga -tar os fi-lhos Teus Nem sem-pre

Leia mais

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI

REFORMA POLÍTICA. Capítulo VI REFORMA POLÍTICA Capítulo VI REFORMA QUE O GOVERNO LULA E O CONGRESSO NACIONAL DEVEM PRIORIZAR [espontânea e única, em %] Pe so 1 0 0 % Re fe rê ncia s a re form a s Re form a Agrá ria 7 Re form a Tra

Leia mais

Filipa Vacondeus. Não sou chefe. Sou uma dona de casa que aprendeu com o tempo

Filipa Vacondeus. Não sou chefe. Sou uma dona de casa que aprendeu com o tempo Entrevsta Pág: 34 Área: 24,78 x 33,59 cm² Corte: 1 de 5 Flpa Vacondeus. Não sou chefe. Sou uma dona de casa que aprendeu com o tempo A senhora que faz dos restos pratos maravlhosos tem um novo lvro que

Leia mais

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de

MÃE. M esmo q u e o s eu f ilho j á t enha sido regi strad o procu r e o cartóri o d e R egi stro Civil de APRESENTAÇÃO O T r i b u n a l d e J u st i ç a d e S ã o P a u l o d e s e n v o l ve, d e s d e 2 0 0 7, o P r o j e to P a t e r n i d a d e R e s p o n s á v e l. S u a d i s c i p l i n a e s t á

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS CICLOS DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE DA FCT- UNL. Normas Regulamentares PREÂMBULO

REGULAMENTO GERAL DOS CICLOS DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE DA FCT- UNL. Normas Regulamentares PREÂMBULO REGULAMENTO GERAL DOS CICLOS DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE DA FCT- UNL Normas Regulamentares PREÂMBULO O regulamento geral dos cclos de estudos conducentes ao grau de Mestre da FCT-UNL organza,

Leia mais

PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS DO CEARÁ

PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS DO CEARÁ GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO - SEPLAG INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ - IPECE NOTA TÉCNICA Nº 29 PROJEÇÕES POPULACIONAIS PARA OS MUNICÍPIOS E DISTRITOS

Leia mais

.- >. , '. expedidos por estabelecimentos estrangeiros de ensino superior no âmbito I desta Universidade e;

.- >. , '. expedidos por estabelecimentos estrangeiros de ensino superior no âmbito I desta Universidade e; , UNVERS Fundaçso nsttu(da RESOLUÇÃO NO.^&. >., '. nsttu normas para revaldação a) 7. c),) de dplomas de graduação t

Leia mais

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA

w w w. v o c e s a. c o m. b r SEFAZ BAHIA sumário executivo w w w. v o c e s a. c o m. b r w w w. e x a m e. c o m. b r melhores empresas para você trabalhar São Pau lo, setembro de 2010. Pre za do(a) Sr(a)., SEFAZ BAHIA Em pri mei ro lu gar,

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABIOETE DO DES. NILO LUIS RAMALHO VIEIRA HABEAS CORPUS CONSTRANGIMENTO ILEGAL NÃO DEMONSTRADO ORDEM DENEGADA. .

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABIOETE DO DES. NILO LUIS RAMALHO VIEIRA HABEAS CORPUS CONSTRANGIMENTO ILEGAL NÃO DEMONSTRADO ORDEM DENEGADA. . ge"..34v 4A k?a 4. h JusrmrS ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABIOETE DO DES. NILO LUIS RAMALHO VIEIRA ACÓRDÃO HABEAS CORr US I'N o 200.2008.032699-0/00 RELATOR!I : Des. Nlo Lus Ramalho Vera IMPETRANTE!

Leia mais

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4)

REGULAMENTO GERAL (Modalidades 1, 2, 3 e 4) REGULAMENTO GERAL (Modaldades 1, 2, 3 e 4) 1. PARTICIPAÇÃO 1.1 Podem concorrer ao 11º Prêmo FIEB de Desempenho Socoambental da Indústra Baana empresas do setor ndustral nas categoras MICRO E PEQUENO, MÉDIO

Leia mais

www.halten.com.br 21-3095-6006

www.halten.com.br 21-3095-6006 NÍVEL: BÁSCO www.halten.com.br 21-3095-6006 ASSUNTO:CUROSDADES SOBRE RAOS E PROTEÇÃO O QUE É O RAO? O RAO É UM FENÔMENO DA NATUREZA, ALEATÓRO E MPREVSÍVEL. É COMO SE FOSSE UM CURTO CRCUÍTO ENTRE A NUVEM

Leia mais

ACÓRDÃO. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA

ACÓRDÃO. Poder Judiciário Tribunal de Justiça da Paraíba Gabinete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA 1 Poder Judcáro Trbunal de Justça da Paraíba Gabnete Des. JORGE RIBEIRO NÓBREGA ACÓRDÃO EMBARGOS DE DECLARAÇÃO N. 888.200.2005.019.401-41001 Orundo da 7a Vara da Fazenda Públca da Comarca da Captal RELATOR

Leia mais

SINTONIA DE CONTROLADORES P.I.D. João Lourenço Realizado em Janeiro de 96 e revisto em Janeiro de 97

SINTONIA DE CONTROLADORES P.I.D. João Lourenço Realizado em Janeiro de 96 e revisto em Janeiro de 97 SINTONIA DE CONTROLADORES P.I.D. João Lourenço Realzado em Janero de 96 e revsto em Janero de 97 O resente texto retende, ncalmente, dar a conhecer quas as característcas rncas das váras acções de controlo,

Leia mais

Câmara Municipal d.~rio Claro

Câmara Municipal d.~rio Claro Câmara Muncpal d.~ro Claro Estado d e 5ão Pau o ~ ORDEM DO DA N 45/2014 Sessão Ordnára - 24J11/2014 1-2 8 Dscussão da PROPOSTA DE EMENDA À LE ORGÂNCA N 04/2014 - PREFETO MUNCPAL - Altera o artgo 139 da

Leia mais

Indice. Capa...pág. 1. Indice...pád. 2. Notas Introdutórias (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4. Projecto LaciOS (por Fernando Couto)...pág.

Indice. Capa...pág. 1. Indice...pád. 2. Notas Introdutórias (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4. Projecto LaciOS (por Fernando Couto)...pág. P r me r ae d ç ã o J a n e r od e2 0 1 4 No t í c a s d omu n d ol n u xn al í n g u ap o r t u g u e s a Indce Capa...pág. 1 Indce...pád. 2 Notas Introdutóras (por Carlos Carvalho)...pág. 3 e 4 Projecto

Leia mais

d o m i c i l i a r, d o m i c i l i o m i c i l i s o b r e s o b r e s o b r e a d

d o m i c i l i a r, d o m i c i l i o m i c i l i s o b r e s o b r e s o b r e a d s t a d o m c l a r, s o b r e c s t a d o m c l a r, s o b r e c s t a d o m c l a r, s o b r e c Marcos hstórcos: 1993 1996 2004 Objetvo da Pastoral da Pessoa Idosa A Pastoral da Pessoa Idosa tem por

Leia mais

NORMAS DE SELEÇÃO AO DOUTORADO

NORMAS DE SELEÇÃO AO DOUTORADO 1. INSCRIÇÕES PARA SELEÇÃO 1.1. Para a Área de Irrgação e Drenagem Poderão nscrever-se canddatos formados em Engenhara Agrícola, Agronoma, Meteorologa e demas Engenharas, ou em outras áreas afns a crtéro

Leia mais

Controle de Ponto Eletrônico. Belo Horizonte

Controle de Ponto Eletrônico. Belo Horizonte Controle de Ponto Eletrônco da Câmara Muncpal de Belo Horzonte Instrutor: André Mafa Latn DIVPES agosto de 2010 Objetvo Informar sobre o preenchmento da folha de frequênca; Facltar o trabalho das chefas;

Leia mais

Aplicando o método de mínimos quadrados ordinários, você encontrou o seguinte resultado: 1,2

Aplicando o método de mínimos quadrados ordinários, você encontrou o seguinte resultado: 1,2 Econometra - Lsta 3 - Regressão Lnear Múltpla Professores: Hedbert Lopes, Prscla Rbero e Sérgo Martns Montores: Gustavo Amarante e João Marcos Nusdeo QUESTÃO 1. Você trabalha na consultora Fazemos Qualquer

Leia mais

5945851-1 Psicologia Conexionista Antonio Roque Aula 6. A Adaline

5945851-1 Psicologia Conexionista Antonio Roque Aula 6. A Adaline 594585- Pscologa Conexonsta Antono Roque Aula 6 A Adalne Poucos meses aós a ublcação do teorema da convergênca do Percetron or Rosenblatt, os engenheros da Unversdade de Stanford Bernard Wdrow (99 ) e

Leia mais

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA

PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA PADRÕES DE VIDA DOS ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS NOS PROCESSOS DE TRANSIÇÃO PARA A VIDA ADULTA Rosário Mauritti Resumo Este artigo começa por analisar a influência das origens sociais nas trajectórias de

Leia mais

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem

Quadro de conteúdos. Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano. Lição 1 As crianças e os lugares onde vivem Quadro de conteúdos Eu Gosto M@is Integrado 1 o ano Língua Portuguesa Matemática História Geografia Ciências Naturais Arte Inglês ABC da passarinhada O alfabeto Quantidade A ideia de quantidade Eu, criança

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE. O CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO da Universidade Federal de Sergipe, no uso de suas atribuições legais, SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE CONSELHO DO ENSINO, DA PESQUISA E DA EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 32/2014/CONEPE Aprova as Normas Geras do Processo Seletvo para

Leia mais

Software. Guia do professor. Como comprar sua moto. Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação

Software. Guia do professor. Como comprar sua moto. Secretaria de Educação a Distância. Ministério da Ciência e Tecnologia. Ministério da Educação números e funções Gua do professor Software Como comprar sua moto Objetvos da undade 1. Aplcar o conceto de juros compostos; 2. Introduzr o conceto de empréstmo sob juros; 3. Mostrar aplcações de progressão

Leia mais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais

White Paper. Datas Comemorativas. Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais Datas Comemorativas White Paper Calendário 2011 de datas comemorativas para campanhas sazonais As datas comemorativas podem ser exploradas para rentabilizar o seu comércio, seja ele físico ou online. Dedique

Leia mais

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009

VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 VESTIBULAR UNICAMP 2010-1ª FASE - NOVEMBRO/2009 Comentário da Redação Nes te ano, a pro va de Re da ção da Uni camp foi ex ce len te. Em pri me i ro lu gar, pelo res pe i to ao for ma to tra di ci o nal

Leia mais

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing

White Paper. Boas Práticas de E-mail Marketing White Paper Boas Práticas de E-mail Marketing Saiba como alguns cuidados simples podem melhorar os resultados de suas campanhas de e-mail marketing Para garantir a qualidade no mix de comunicação atual,

Leia mais

Despacho Econômico de. Sistemas Termoelétricos e. Hidrotérmicos

Despacho Econômico de. Sistemas Termoelétricos e. Hidrotérmicos Despacho Econômco de Sstemas Termoelétrcos e Hdrotérmcos Apresentação Introdução Despacho econômco de sstemas termoelétrcos Despacho econômco de sstemas hdrotérmcos Despacho do sstema braslero Conclusões

Leia mais

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro

RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro RELAÇÕES ENTRE MUNDO RURAL E MUNDO URBANO Evolução histórica, situação actual e pistas para o futuro João Ferrão Resumo As visões recentes sobre o mundo rural revelam grande permeabilidade à ideia de património

Leia mais

Cap 3 Concorrência Perfeita e Análise de Bem Estar

Cap 3 Concorrência Perfeita e Análise de Bem Estar Nota: Este materal fo desenvolvdo elo rof. Roland Veras Saldanha Jr, e reresenta uma rmera versão de materal a ser transformado em lvro ddátco. Reservam-se os dretos autoras sobre o mesmo, mas comentáros

Leia mais

MÉTODO DE RESSECÇÃO APLICADO NA DETERMINAÇÃO DE COORDENADAS NO MONITORAMENTO DE PONTOS

MÉTODO DE RESSECÇÃO APLICADO NA DETERMINAÇÃO DE COORDENADAS NO MONITORAMENTO DE PONTOS III Smóso raslero de êncas Geodéscas e Tecnologas da Geonformação Recfe - E, 7-30 de Julho de 010. 001-005 MÉTODO DE RESSEÇÃO LIDO N DETERMINÇÃO DE OORDENDS NO MONITORMENTO DE ONTOS FINI D.. MIRND LUÍS.

Leia mais

Portfelio Sharpe Três lideres

Portfelio Sharpe Três lideres Portfelo Share Três lderes Consderemos uma teora de ortfólo de alcatvos ara a cração de nstrumentos comlexos. este artgo, vamos mostrar como odemos crar uma cartera de comérco, mlementada utlzando tecnologas

Leia mais

! Superlntenrlencia Reg.onaJ do Ma:toGro$So. Qualificação e Reinserção Profissional dos Resgatados do Trabalho Escravo elou em AÇÃO INTEGRADA

! Superlntenrlencia Reg.onaJ do Ma:toGro$So. Qualificação e Reinserção Profissional dos Resgatados do Trabalho Escravo elou em AÇÃO INTEGRADA ",, 1," ;,,," 1, C?5lMnstérO Públco do "':'1"') Trabalho PRT 23,! Superlntenrlenca RegonaJ do Ma:toGro$So!! (', ' \_ \ '1 j t t' 1 PROJETO: Qualfcação e Renserção Profssonal dos Resgatados do Trabalho

Leia mais

O siste ma foi de se nvolvido e m C # atra vé s da fe rrame nta Microsoft Visual S tudio 2008. Banco de dados Microsoft S QL S e rve r 2008 r2

O siste ma foi de se nvolvido e m C # atra vé s da fe rrame nta Microsoft Visual S tudio 2008. Banco de dados Microsoft S QL S e rve r 2008 r2 His tó ric o O de s e nvolvime nto do S is te ma Voto E le trônico do Ministé rio P úblico do E stado de S ão P aulo te ve s e u início e m 2009 com a fina lidade de automatiza r os proce ssos e le itorais

Leia mais

DISPÕE SOBRE ALTERAÇÕES DAS LEIS MUNICIPAIS N" 406/2007, 407/2007 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

DISPÕE SOBRE ALTERAÇÕES DAS LEIS MUNICIPAIS N 406/2007, 407/2007 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. ' hst ADü IX.) ESPÍRI TO SAN I O LEI Nü 618/11 DISPÕE SOBRE ALTERAÇÕES DAS LEIS MUNICIPAIS N" 406/07, 407/07 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O PREFEITO MUNICIPAL de São Roque co Canaâ. Estado do Espírto Santo.

Leia mais

BAHIA SANTA CRUZ CABRALlA. CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ CABRÁLlA PROCESSO DE PAGAMENTO EXERCÍCIO: 2014 PROCESSO: 0000382 DATA: 03/11/2014

BAHIA SANTA CRUZ CABRALlA. CÂMARA MUNICIPAL DE SANTA CRUZ CABRÁLlA PROCESSO DE PAGAMENTO EXERCÍCIO: 2014 PROCESSO: 0000382 DATA: 03/11/2014 GLTlR4 MAttR.J CÂMARA MUNCPAL DE SANTA CRUZ CABRÁLlA. ~ r:::g BAHA SANTA CRUZ CABRALlA PROCESSO DE PAGAMENTO EXERCÍCO: 2014 PROCESSO: 0000382 DATA: 03/11/2014. Função: DADOS DO FAVORECDO Favorecido: NSS

Leia mais

3. Take over: Termo do inglês que significa Adquirir. O termo indica a aquisição de uma companhia por outra mediante a assunção do controle acionário.

3. Take over: Termo do inglês que significa Adquirir. O termo indica a aquisição de uma companhia por outra mediante a assunção do controle acionário. 1. Tabela Prce: Tabela utlzada para a amortzação de dívda. As prestações calculadas dela têm um valor constante por todo o período de pagamento da dívda. 2. Tag along: Termo do nglês que sgnfca precfcar

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº 3259 RESOLVEU: Resolução nº 3259, de 28 de janero de 2005. RESOLUÇÃO Nº 3259 Altera o dreconamento de recursos captados em depóstos de poupança pelas entdades ntegrantes do Sstema Braslero de Poupança e Empréstmo (SBPE).

Leia mais

n PI NGA o s OS ELABORADORES César Adames- Jornalsta especalzado em destlados, vnhos, gastronoma e tabaco, professor do ICIF (Italan Culnary Insttute for Foregners) da UCS (Unversdade de Caxas do Sul),

Leia mais

Medição da taxa de dose de radiação nos parques urbanos da Prefeitura (Parte 3) Publicado 21 setembro de 2011

Medição da taxa de dose de radiação nos parques urbanos da Prefeitura (Parte 3) Publicado 21 setembro de 2011 Medção taxa de dose de radação nos parques urbanos Prefetura (Parte 3) Publcado 21 setembro de 2011 A partr do da 12 de setembro de 2011 (segun-fera) até 14 de setembro (quarta fera), fo realza a medção

Leia mais

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação

Ministério da Educação. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Cálculo do Conceito Preliminar de Cursos de Graduação Mnstéro da Educação Insttuto Naconal de Estudos e Pesqusas Educaconas Aníso Texera Cálculo do Conceto Prelmnar de Cursos de Graduação Nota Técnca Nesta nota técnca são descrtos os procedmentos utlzados

Leia mais

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o

NPQV Variável Educação Prof. Responsáv el : Ra ph a el B i c u d o NPQV Variável Educação Prof. Responsáv v el :: Ra ph aa el BB ii cc uu dd o ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO 2º Semestre de 2003 ATIVIDADES DESENVOLVIDAS NA ÁREA DE EDUCAÇÃO As atividades realizadas

Leia mais

ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES

ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES I I... 4.4W. npub (,. ~Ne 10 ESTADO DA PARAIBA PODER JUDICIARIO GABINETE DO DÊS SAULO HENRIQUES DE SA E BENEVIDES ACORDÃO AGRAVO DE INSTRUMENTO N 001 2007 034803-0/001 RELATOR Des Saulo Henrques de Sá

Leia mais

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS

MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS MODALIDADES DE INSERÇÃO PROFISSIONAL DOS QUADROS SUPERIORES NAS EMPRESAS João Pedro Cordeiro Resumo O presente artigo versa sobre as práticas de gestão de recursos humanos pelas empresas, e mais especificamente

Leia mais

Análise do jogo de barganha no setor de contratação de uma empresa de transporte

Análise do jogo de barganha no setor de contratação de uma empresa de transporte XXV Encontro Nac. de Eng. de Produção Porto Alegre, RS, Brasl, 9 out a 0 de nov de 005 Análse do jogo de barganha no setor de contratação de uma emresa de transorte Paulo Fernando do Rêgo Barros Júnor

Leia mais

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário

10.1 Objetivos, Conceitos e Funções. Os obje ti vos prin ci pais do con tro le orça men tá rio são: Responsabilidade pelo Controle Orçamentário Capítulo 10 Controle Orçamentário Essa etapa acon te ce após a exe cu ção das tran sa ções dos even tos eco nô mi cos pre vis - tos no plano orça men tá rio. Não se con ce be um plano orça men tá rio sem

Leia mais

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010

Correção da Unicamp 2010 2ª fase - Geografia feita pelo Intergraus. 12.01.2010 UNICAMP 2010 - GEOGRAFIA 13. Ob serve o gráfico abaixo e responda às questões: a) Indi que a(s) re gião(ões) do glo bo com ta xa de es pe ran ça de vi da ao nas cer in fe ri or à mé dia mun di al, nos

Leia mais

Objetivos da aula. Essa aula objetiva fornecer algumas ferramentas descritivas úteis para

Objetivos da aula. Essa aula objetiva fornecer algumas ferramentas descritivas úteis para Objetvos da aula Essa aula objetva fornecer algumas ferramentas descrtvas útes para escolha de uma forma funconal adequada. Por exemplo, qual sera a forma funconal adequada para estudar a relação entre

Leia mais

PESQUISA PERFIL DO TURISTA

PESQUISA PERFIL DO TURISTA PESQUISA PERFIL DO TURISTA 1) Qual país de origem? Categoria em (%) Brasil 98,19 98,66 97,55 América Latina 0,86 0,55 1,28 Outros países 0,95 0,80 1,16 País de origem América La tina 1% Outros pa íses

Leia mais

Missa Nossa Senhora do Brasil

Missa Nossa Senhora do Brasil é%0'.m> }JÍU Pe. José Alves Mssa Nossa Senhoa do Basl PARTTURA Paa 3 vozes guas e Assebléa (*) (*) A pate paa Assebléa é edtada sepaadaente " en cha A 10. Publcado pela: Cossão Aqudocesana de Músca Saca

Leia mais

Das ideias ao sucesso

Das ideias ao sucesso www.pwc.pt Das deas ao sucesso PwC Startup Portugal 1 mllon fund project Busness Plan FY 2014/2015 Crou recentemente uma empresa com forte capacdade de crescmento? Tem espírto empreendedor com deas novadoras?

Leia mais

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS

FACULDADES UNIFICADAS DA. Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE B ARRETOS FACULDADES UNIFICADAS DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS Curso de Direito Escritório de Assistência Jurídica Registro OAB 6614 REGULAMENTO DO NÚ CLEO DE PRÁ TICA JURÍ DICA DA F UNDAÇ Ã O EDUCACIONAL DE

Leia mais

n o m urd ne Hel e n o mis

n o m urd ne Hel e n o mis Em nosso cotidiano existem infinitas tarefas que uma criança autista não é capaz de realizar sozinha, mas irá torna-se capaz de realizar qualquer atividade, se alguém lhe der instruções, fizer uma demonstração

Leia mais

Exercícios de Física. Prof. Panosso. Fontes de campo magnético

Exercícios de Física. Prof. Panosso. Fontes de campo magnético 1) A fgura mostra um prego de ferro envolto por um fo fno de cobre esmaltado, enrolado mutas vezes ao seu redor. O conjunto pode ser consderado um eletroímã quando as extremdades do fo são conectadas aos

Leia mais

J u i n 2 0 0 9 L e ttr e d 'i n fo r m a ti o n n 1 9 E d i to r i al E p p u r si m u o ve «E t p o u r ta n t e l l e b o u g e» m u r m u r a G a l l i l é e s u r s o n c h a m p e s t l a r g e.

Leia mais

* Economista do Instituto Federal do Sertão Pernambucano na Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional PRODI.

* Economista do Instituto Federal do Sertão Pernambucano na Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional PRODI. O desempenho setoral dos muncípos que compõem o Sertão Pernambucano: uma análse regonal sob a ótca energétca. Carlos Fabano da Slva * Introdução Entre a publcação de Methods of Regonal Analyss de Walter

Leia mais

www.investorbrasil.com

www.investorbrasil.com Proposta curso preparatório para CPA 20 - ANBIMA www.investorbrasil.com Apresentação INVESTOR APRESENTAÇÃO A INVESTOR é uma escola que nasceu da necessidade das pessoas aprenderem as ferramentas e instrumentos

Leia mais

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO

RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO RESULTADOS DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO EXTERNO COM A CONCILIAÇÃO E A MEDIAÇÃO 1. RESULTADOS QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO 1.1- QUESTIONÁRIO I - PARTES/ CONCILIAÇÃO: AMOSTRA REFERENTE AS

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES

CURSO ON-LINE PROFESSOR: VÍTOR MENEZES O Danel Slvera pedu para eu resolver mas questões do concurso da CEF. Vou usar como base a numeração do caderno foxtrot Vamos lá: 9) Se, ao descontar uma promssóra com valor de face de R$ 5.000,00, seu

Leia mais

CIRCUITO ESTUDANTIL - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SANTO ANTÔNIO. BÁRBARA REIS; JÚLIO KALÉO; JULLIANY PAULA; RAISSA PINHEIRO; TOBIAS DA SILVA.

CIRCUITO ESTUDANTIL - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SANTO ANTÔNIO. BÁRBARA REIS; JÚLIO KALÉO; JULLIANY PAULA; RAISSA PINHEIRO; TOBIAS DA SILVA. CIRCUITO ESTUDANTIL - INSTITUTO DE EDUCAÇÃO SANTO ANTÔNIO. BÁRBARA REIS; JÚLIO KALÉO; JULLIANY PAULA; RAISSA PINHEIRO; TOBIAS DA SILVA. A LINGUAGEM DOS JOVENS E A CONSCIENTIZAÇÃO DO MEIO AMBIENTE ATRAVÉS

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002 AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL RESOLUÇÃO Nº 488, DE 29 DE AGOSTO DE 2002 Regulamenta o estabelecdo na Resolução CNPE n 7, de 21 de agosto de 2002, aprovada pela Presdênca da Repúblca em 22

Leia mais

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS.

Sinais Luminosos 2- CONCEITOS BÁSICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE SINAIS LUMINOSOS. Snas Lumnosos 1-Os prmeros snas lumnosos Os snas lumnosos em cruzamentos surgem pela prmera vez em Londres (Westmnster), no ano de 1868, com um comando manual e com os semáforos a funconarem a gás. Só

Leia mais

Geometria Plana. Exercı cios Objetivos. (a) 2. (b) 1. (c) 2. Dado: 11 3, 32

Geometria Plana. Exercı cios Objetivos. (a) 2. (b) 1. (c) 2. Dado: 11 3, 32 Exercı cios Objetivos 1. (009/1) Paulo e Marta esta o brincando de jogar dardos. O alvo e um disco circular de centro O. Paulo joga um dardo, que atinge o alvo num onto, que vamos denotar or P; em seguida,

Leia mais

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA

RESOLUÇÃO DA PROVA DE MATEMÁTICA UNICAMP-FASE 2. 2014 RESOLUÇÃO: PROFA. MARIA ANTÔNIA C. GOUVEIA RESOLUÇÃO D PROV DE MTEMÁTIC UNICMP-FSE. PROF. MRI NTÔNI C. GOUVEI. é, sem úv, o lmento refero e mutos ulsts. Estm-se que o onsumo áro no Brsl sej e, mlhão e s, seno o Esto e São Pulo resonsável or % esse

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE PERNAMBUCO DIRETORIA DE ENGENHARIA E ARQUITETURA ANEXO l TERMO DE REFERÊNCIA (Ofíco n. 077/2013-GDJAFS) PISO LAMINADO - CARPETE DE MADEIRA 1. DOOBJETO O presente Termo tem por objetvo a aqusção e nstalação de pso lamnado do tpo carpete de madera numa

Leia mais

SIG Acesso Público. Manual do Usuário

SIG Acesso Público. Manual do Usuário SIG Acesso Público Manual do Usuário Brasília Dezembro de 2013 Sumário Apresentação......2 1. O que é o SIG Acesso Público?.........3 2. Para acessa r o Sistema............3 3. Conjuntos de Pesquisa de

Leia mais

CAPÍTULO 3 - RETIFICAÇÃO

CAPÍTULO 3 - RETIFICAÇÃO CAPÍTULO 3 - RETFCAÇÃO A maioria dos circuitos eletrônicos recisa de uma tensão cc ara oder trabalhar adequadamente Como a tensão da linha é alternada, a rimeira coisa a ser feita em qualquer equiamento

Leia mais

Prgrmçã O Mu s u Év r, p r l ém f rcr s s i g ns «vi s i t s cl áss i cs» qu cri m s p nt s c nt ct nt r s di v rs s p úb l ic s qu vi s it m s c nt ú d s d s u ri c s p ó l i, p r cu r, c nc m i t nt

Leia mais

ESTRUTURA DA CARREIRA TÉCNICA UNIVERSITÁRIA ANEXO I DA LEI Nº.????????? CARGO CLASSE REQUISITO MÍNIMO DE ESCOLARIDADE PARA INGRESSO ESPECIALIZAÇÃO

ESTRUTURA DA CARREIRA TÉCNICA UNIVERSITÁRIA ANEXO I DA LEI Nº.????????? CARGO CLASSE REQUISITO MÍNIMO DE ESCOLARIDADE PARA INGRESSO ESPECIALIZAÇÃO ESTRUTURA DA CARRERA TÉCNCA UNVERSTÁRA ANEXO DA LE Nº.????????? REQUSTO MÍNMO DE ESCOLARDADE PARA NGRESSO UNVERSTÁRO DE NÍVEL SUPEROR ESPECALZAÇÃO GRADUAÇÃO UNVERSTÁRO DE NÍVEL MÉDO PROFSSONALZANTE / PÓS

Leia mais

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO

16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 16 CARLOS RODRIGUES BRANDÃO 1 a Começa assim Este jogo começa com todos os participantes procurando as PA LAVRAS SEMENTES. E isso não é nada difícil! Basta as pessoas que vão jogar o jogo saírem conversando

Leia mais

PArte I. O ALfAbetO POrtuguês. Ouça o alfabeto português. Letra: Letra: érre ésse. jóta. dablio cápa ipsilon

PArte I. O ALfAbetO POrtuguês. Ouça o alfabeto português. Letra: Letra: érre ésse. jóta. dablio cápa ipsilon PArte I guia de fonética O ALfAbetO POrtuguês Ouça o alfabeto português. Letra: Letra: a á n éne b bê o ó c cê p pê d dê q quê e é r érre f éfe s ésse g guê t tê h agá u ú i i v vê j jóta w dablio k cápa

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnilesteMG

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnilesteMG 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DO LESTE DE MINAS GERAIS - UnlesteMG Dscplna: Introdução à Intelgênca Artfcal Professor: Luz Carlos Fgueredo GUIA DE LABORATÓRIO LF. 01 Assunto: Lógca Fuzzy Objetvo: Apresentar o

Leia mais

Expressão da Incerteza de Medição para a Grandeza Energia Elétrica

Expressão da Incerteza de Medição para a Grandeza Energia Elétrica 1 a 5 de Agosto de 006 Belo Horzonte - MG Expressão da ncerteza de Medção para a Grandeza Energa Elétrca Eng. Carlos Alberto Montero Letão CEMG Dstrbução S.A caletao@cemg.com.br Eng. Sérgo Antôno dos Santos

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA A PREVISÃO DO TEMPO DE DURAÇÃO DE AUDIÊNCIAS TRABALHISTAS

UTILIZAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA A PREVISÃO DO TEMPO DE DURAÇÃO DE AUDIÊNCIAS TRABALHISTAS UTILIZAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA A PREVISÃO DO TEMPO DE DURAÇÃO DE AUDIÊNCIAS TRABALHISTAS ALESSANDRA MEMARI PAVANELLI UTILIZAÇÃO DE REDES NEURAIS ARTIFICIAIS PARA A PREVISÃO DO TEMPO DE DURAÇÃO

Leia mais