Indústria automotiva pode cortar 10 mil vagas Redução de 21,6% nos emplacamentos, alta do IPI e valorização do dólar são motivos para demissão

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Indústria automotiva pode cortar 10 mil vagas Redução de 21,6% nos emplacamentos, alta do IPI e valorização do dólar são motivos para demissão"

Transcrição

1 Câmbio (R$) Dólar / BC Compra Venda Paralelo 1,97 2,17 Comercial 2,035 2,037 Turismo 1,97 2,17 Euro / BC 2,4909 2,4917 Ouro (R$) Grama 103,200 Variação estável Blue Chips % Ult. cotação BMF Bov. ON R$ 11,00-0,81 Bradesco PN R$ 30,10-1,95 Gerdau PN R$ 17,13-3,00 Itaú Unib. PN R$ 27,94-4,47 Petrobras PN R$ 18,39-4,21 Sid Nac. PN R$ 10,99-7,65 Vale PNA R$ 38,98-2,25 País A Aneel aprovou ontem abertura de audiência pública para colher subsídios para aprovação da minuta do edital para leilão que se destina à outorga de concessões de transmissão de energia elétrica, incluindo construção, operação e manutenção. PÁGINA 5 Daqui a dois meses, quando o Museu de Arte do Rio for inaugurado, a revitalização da zona portuária deve trocar a condição de lenda urbana pela de realidade promissora. São os equipamentos culturais que prometem mudar a cara da região. PÁGINA 5 Rio Justiça A presidente Dilma Rousseff sancionou ontem, sem vetos, a lei que endurece os crimes de lavagem de dinheiro. A nova lei também elevou as multas. O valor máximo foi multiplicado em cem vezes, passando de R$ 200 mil para R$ 20 milhões. PÁGINA 6 Daniel Raizman Questão de Justiça A política nacional de descriminalização das drogas tem seguido tendência mundial pautada pela criminalização dos envolvidos, seja por serem encarregados da fabricação, distribuição, venda ou até consumo de sustâncias entorpecentes. PÁGINA 6 1ª FASE 1875 A ª FASE ANO III EDIÇÃO Nº 632 RIO DE JANEIRO, QUARTA-FEIRA, 11 DE JULHO DE 2012 R$ 1,00 Indústria automotiva pode cortar 10 mil vagas Redução de 21,6% nos emplacamentos, alta do IPI e valorização do dólar são motivos para demissão Flávio Padovan acredita que a crise é grave e prevê redução de 40% nas vendas na indústria de abril para maio O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostrou que os empregos na indústria amargaram o terceiro resultado negativo consecutivo. Na passagem de abril para maio houve queda de 0,3%. Nesse tipo de comparação, o setor já acumula perdas de 1,1% no período. Na comparação com maio de 2011, o emprego industrial caiu 1,7% em maio deste ano, o oitavo resultado negativo consecutivo nesse tipo de comparação, e o mais intenso desde dezembro de 2009, quando a taxa ficou em -2,4%. Houve redução nas vagas em 12 dos 14 locais pesquisados e São Paulo teve o maior impacto sobre o total nacional. PÁGINA 3 Itaú e BMG se juntam para ofertar crédito O mercado de crédito consignado ganha mais uma opção. O Itaú Unibanco Holding anunciou ontem que firmou contrato de associação com o Banco BMG para ofertar, distribuir e comercializar créditos consignados. A instituição financeira vai ter denominação social Banco Itaú BMG Consignado, com o Itaú Unibanco no controle, por meio da participação de 70% no capital social total e votante, enquanto o BMG deterá os 30% remanescentes. O capital social inicial da joint venture será de R$ 1 bilhão, a ser subscrito pelos acionistas naquela proporção. PÁGINA 4 IMPORTADOS Arquivo As vendas não foram como deveriam e os mais resultados no primeiro semestre foram desastrosos: redução de 21,6% nos emplacamentos em comparação ao mesmo período de Isso levou a Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) a prever que o número de empregos no setor caia em 2012 para 25 mil, ante 35 mil em 2011, um recuo de 29%. De acordo com a entidade, as 10 mil demissões ocorrerão porque o setor está sendo impactado pela alta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros que não atendam ao conteúdo nacional mínimo e pela valorização do dólar em uma época de crise internacional. Existe uma tendência muito grande de redução de negócios e, consequentemente, de empregos, afirmou o presidente da Abeiva, Flávio Padovan. A entidade prevê que as vendas nas concessionárias independentes de importados recuem 40% em comparação ao ano passado, para cerca de 120 mil unidades no ano. A Abeiva pede ao governo federal a instituição de cotas de importação, mas, segundo o presidente da entidade, o governo não tem dado a devida importância ao setor de veículos importados. PÁGINA 4 Em encontro, ministra afirmou que investimentos em transporte são fundamentais Ampliar os investimentos em infraestrutura é o Antonio Cruz / ABr Durante seminário ontem em Brasília, a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, admitiu que, embora o governo tenha avançado na ampliação dos investimentos em infraestrutura no País, falta muito ainda a ser feito. Segundo Belchior, três são os desafios do governo: primeiro é a necessidade de se criar arranjos financeiros para garantir investimentos; já o segundo é promover maior integração modal e territorial em infraestrutura. Estamos aumentando a malha ferroviária em mais de 30% e iniciando empreendimentos em hidrovias. Nosso foco é ter ampliação de poucas estradas. Estamos melhorando as estradas, não aumentando. Isso tem custo um menor e um impacto ambiental bastante inferior, ressaltou. O terceiro obstáculo a transpor é a ampliação do altíssimo percentual de fontes limpas que a matriz brasileira possui. Segundo ela, enquanto a média mundial é de 19%, o Brasil conta com 80%. PÁGINA 3

2 ECONOMIA 2 Quarta-feira, 11 de julho de 2012 O DIA NAS BOLSAS Balança comercial da China faz Bovespa cair Índice fecha em baixa de 3,05% devido ao baixo crescimento das importações chinesas Alessandra Taraborelli, Cristina Canas e Márcio Rodrigues A volta dos negócios na Bovespa foi marcada por dados ruins sobre a balança comercial chinesa, o que pesou fortemente sobre as ações de empresas ligadas a commodities e fez a Bolsa operar no campo negativo durante quase todo o dia. O aprofundamento das perdas em Nova York no meio da tarde também contribuiu para a performance doméstica. O Ibovespa encerrou esta terça-feira com declínio de 3,05% - a maior queda porcentual desde 17 de maio (-3,31), aos ,62 pontos - patamar que ainda não havia tocado durante este mês no fechamento. Na mínima, o índice atingiu pontos (-3,12%) e, na máxima, pontos (+0,35%). O giro financeiro somou R$ 6,165 bilhões. Na China, foi informado ontem que o superávit comercial do país atingiu US$ 31,7 bilhões em junho, acima do esperado. Mas o que influenciou negativamente os negócios foi o baixo crescimento das importações, que sinaliza que a demanda chinesa está cada dia mais fraca. O dado foi divulgado depois de a China informar, no fim de semana, que a inflação anual ao consumidor diminuiu para 2,2% em junho, de 3,0% em maio. Um operador de renda variável lembrou ainda que na semana passada a Bolsa chegou a acumular ganho de cerca de 7%, o que também abriu espaço para realização de lucro num ambiente de incertezas. A gente comemora dois, três dias, para chorar nos outros, brincou a fonte, referindo-se à sequência de cinco altas da Bolsa no início do mês. Ontem a ação ON da Petrobras encerrou com queda de 4,68% e a PN caiu 4,22%. Os papéis acompanharam o desempenho do petróleo no mercado internacional. Na Nymex, o contrato da commodity com vencimento em agosto recuou 2,42%, a US$ 82,91 o barril. Já Vale caiu menos. O papel ON registrou declínio de 2,92% e o PNA, -2,26%. No setor de siderurgia, Gerdau PN perdeu 3%, Metalúrgica Gerdau PN (-2,40%), Usiminas PNA (-6,23%) e Siderúrgica Nacional ON (-7,65%%). O setor bancário também amargou perdas. A maior queda foi verificada nas units do Santander (-9,72%). No caso de Itaú Unibanco a queda foi de 4,48%. A holding da instituição anunciou que firmou, por meio de sua controlada Itaú Unibanco, contrato de associação com o Banco BMG visando oferta, distribuição e comercialização de crédito consignado. Já Bradesco, que estava no páreo pelo BMG, perdeu 1,95%. Em Nova York, o Dow Jones Altas no Reino Unido e na Espanha As bolsas europeias fecharam em alta nesta terça-feira, sustentadas por uma inesperada melhora na produção industrial do Reino Unido e pela decisão anunciada na segunda-feira pelos ministros das Finanças da zona do euro de conceder 30 bilhões de euros aos bancos espanhóis até o fim de mês e dar à Espanha um ano a mais para cumprir suas metas de redução do déficit fiscal. O índice Stoxx Europe 600 fechou com alta de 0,8%, aos 255,60 pontos, interrompendo uma sequência de quatro pregões seguidos de baixa. A ASML Holding NV teve um dos maiores ganhos do índice, de 8,6%, depois de o fabricante de chips anunciar um acordo que deverá levar a Intel a investir mais de US$ 4 bilhões na empresa. As ações na Europa reagiram positivamente aos dados da indústria britânica. A produção do setor de manufatura do Reino Unido subiu 1,2% em maio ante o mesmo mês do ano passado, quando as expectativas eram de uma queda de 0,2%. Além disso, a produção industrial caiu menos do que o esperado. É um passo na direção certa, mas ainda há muitos problemas por aí. Há a crise do euro e temores em relação a uma desaceleração global, disse Phil Ball, corretor da Valbury Capital. Além disso, o ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, pediu nesta terçafeira que a Corte Constitucional alemã rejeite pedidos para que o Mecanismo de Estabilidade Europeu (ESM, na sigla em inglês) seja declarado inconstitucional. Em Londres, o índice FTSE- 100 fechou em alta de 0,7%, aos 5 664,07 pontos. A Royal Dutch Shell avançou 1,1% e a BP ganhou 1,1%. Entre bancos, o Barclays, que recentemente se envolveu no escândalo de manipulação da taxa Libor, teve um expressivo perdeu 0,65%, o S&P 500 recuou 0,81% e o Nasdaq, -1,00%. Câmbio - O dólar à vista fechou o dia na máxima, cotado a R$ 2,040 (+0,44%) no balcão, enquanto o dólar agosto valia R$ 2,046, também em alta de 0,44%, pouco depois das 17h00. A trajetória da moeda norte-americana ante o real nesta terça-feira acompanhou, principalmente, o ambiente internacional, que começou otimista em função do alívio dado pela União Europeia à Espanha, mas foi deteriorando no decorrer do dia. Juros - Assim, ao término da negociação normal na BM&F, o DI janeiro de 2013 ( contratos) estava em 7,50%, de 7,55% no ajuste. O DI janeiro de 2014 ( contratos) cedia para a mínima de 7,74%, de 7,82% na sexta-feira. Entre os longos, o DI janeiro de 2017 ( contratos) recuava para 9,20%, também na mínima, ante 9,31% no ajuste, enquanto o DI janeiro de 2021 (3.370 contratos) indicava 9,85%, de 9,94%. ganho de 2,2% e o HSBC subiu 0,9%. O índice CAC-40, da Bolsa de Paris, avançou 0,6%, encerrando o dia aos 3.175,41 pontos. O destaque na França foi a Technip, cujas ações saltaram 3%. Em Frankfurt, o índice Dax subiu 0,8% e fechou aos 6.438,33 pontos. As montadoras alemãs se destacaram, com a Daimler, BMW e Volkswagen avançando 0,9%, 1,5% e 1,8%, respectivamente. Em Madri, o índice IBEX-35 fechou aos 6.726,90 pontos, com alta de 0,6% em relação a ontem. O índice FTSE Mib, da Bolsa de Milão, subiu 0,4% e fechou a sessão aos ,27 pontos. Em NY, crescimento lento derruba bolsa As bolsas de Nova York fecharam em queda em reflexo às preocupações com os setores técnicos e industriais e ainda digerindo o resultado do balanço da Alcoa divulgado ontem, após o fechamento dos mercados. A Alcoa divulgou um prejuízo líquido de US$ 2 milhões no segundo trimestre deste ano em reflexo da queda contínua nos preços do alumínio e do peso que alguns itens especiais tiveram sobre os resultados da companhia. O índice Dow Jones caiu 83,17 pontos (0,7%) e fechou Ásia: queda com incertezas sobre crescimento da economia chinesa Assim como ocorre desde sexta-feira, os mercados asiáticos voltaram a apresentar números fracos nesta terça-feira. Muitos investidores andaram de lado com as incertezas sobre o crescimento da economia chinesa. Este foi o caso na Bolsa de Hong Kong, que teve ligeira perda. O Hang Seng caiu 0,16% e terminou aos ,36 pontos. Já as Bolsas da China tiveram o pior resultado em seis meses, após os dados da balança comercial de junho apresentarem mais sinais de redução na demanda. O Xangai Composto perdeu 0,3% e terminou aos 2.164,44 pontos, na menor pontuação desde 6 de em ,12 pontos ontem. E o S&P 500 teve queda de 10,99 pontos (0,8%), fechando em 1.341,47 pontos. Esses dois índices registraram a quarta sessão consecutiva de perdas, mas para o S&P esse é o prazo de queda mais longo em quase dois anos. Já o Nasdaq recuou 29,44 pontos (1%), fechando a sessão em 2.902,33 pontos. As ações de indústria e materiais tiveram o pior desempenho no S&P 500, após a montadora de caminhões Cummins ter reduzido suas estimativas de vendas totais no ano janeiro. O Shenzhen Composto recuou 0,9%, aos 905,74 pontos. A Bolsa de Taipé, em Taiwan, também fechou em baixa diante das preocupações com uma possível redução no crescimento da China. Os ganhos decepcionantes de empresas locais também pesaram na confiança dos investidores. O índice Taiwan Weighted recuou 0,80%, aos 7.251,35 pontos. Na Coreia do Sul, a Bolsa de Seul encerrou o dia em baixa. Diante das fracas condições macroeconômicas no mercado global, os lucros das empresas locais têm sido incapazes de impulsionar o mercado. O índice Kospi caiu 0,36%, aos 1.829,45 pontos. A Bolsa de Sydney, na Austrália, também fechou no campo negativo. Os decepcionantes dados comerciais chineses alimentaram a preocupação de que a demanda por recursos da Austrália irá diminuir. O índice S&P/ASX 200 retrocedeu 0,49%, aos 4.098,02 pontos. Em sessão instável, a Bolsa de Manila, nas Filipinas, também teve perdas, com o mercado se consolidando após os recentes ganhos. O PSEi caiu 0,5% e encerrou aos 5.240,28 pontos, com moderado volume de negociações. para abaixo das expectativas, salientando a desaceleração na demanda dos EUA, China, Índia e Brasil. As ações da Cummins caíram 9%, enquanto as da Caterpillar registraram queda de 3,5%. Os resultados da Alcoa no final da noite de ontem não vieram bons, e acrescenta-se à eles resultados de algumas empresas de tecnologia, e veremos uma pequena degradação, afirmou o diretor da Knight Capital, Robert Verderese. Inicialmente as bolsas dos EUA seguiram os mercados europeus, que encerraram o dia com amplas altas após os ministros de Finanças da zona do euro terem concordado em disponibilizar ajuda de bilhões de dólares para a indústria bancária da Espanha Entre as ações que registraram maior perda a Advanced Micro Devices caiu 11% após a companhia ter reduzido ontem sua perspectiva para a arrecadação no segundo trimestre, citando o enfraquecimento acima do esperado nas condições de negócios na China e Europa. Também pesou a queda de 2,7% nas ações da Applied Materials. Perdas de 0,4% em Tóquio A Bolsa de Tóquio fechou em baixa pelo quarto pregão seguido ontem. Os números de junho sobre a balança comercial da China alimentaram as preocupações sobre o crescimento econômico global, antes do anúncio do PIB chinês na sexta-feira. O Nikkei estendeu as perdas e caiu 39,15 pontos, ou 0,4%, e terminou aos 8.857,73 pontos, após queda de 1,4% na sessão de ontem. O índice, que abriu no campo positivo por causa de boas notícias vindas da Europa, passou logo para o território negativo com os dados que mostram um fraco crescimento nas importações chinesas. GRÉCIA Caixa do país tem dinheiro somente para 1 mês A Grécia tem dinheiro em caixa para manter as operações essenciais do governo até pelo menos o início de agosto e possivelmente um pouco mais, disseram hoje duas fontes em Atenas. A informação vem à tona algumas semanas depois de o governo grego ter advertido que poderia ficar sem dinheiro para manter suas operações essenciais já em julho, o que alimentou temores de uma situação que talvez pudesse colocar em risco a posição da Grécia na zona do euro. De acordo com as fontes, a intensificação do aperto nos gastos, uma injeção de 1 bilhão de euros pelos credores internacionais do país e indícios de que os parceiros de Atenas na zona do euro cobririam um perdão de dívida de 3,1 bilhões de euros deram à Grécia um pouco mais de fôlego enquanto prosseguem as negociações sobre o aprofundamento das medidas de austeridade exigidas pelos ESPANHA credores para a liberação da próxima parcela do multibilionário resgate financeiro à Grécia. Braços cruzados - A Confederação Nacional de Trabalhadores Gregos, maior organização sindical de funcionários do setor privado da Grécia, anunciou ontem que tem planos de convocar uma greve geral no país. A data da paralisação ainda não foi definida e, segundo a entidade, vai depender do resultado das negociações entre representantes dos trabalhadores e integrantes da nova coalizão de governo do país sobre a reforma do mercado de trabalho. O conselho da Confederação Nacional de Trabalhadores Gregos já autorizou a greve geral em data a ser decidida posteriormente caso as exigências dos trabalhadores não sejam atendidas pelo governo em um momento no qual a taxa de desemprego na Grécia supera 20% da população economicamente ativa. Prazo para cumprir metas será maior Danielle Chaves O ministro de Finanças da Espanha, Luis de Guindos, confirmou nesta terça-feira que o país terá uma extensão do prazo para cumprir as metas de déficit impostas por autoridades internacionais. De Guindos também informou que todo o processo de recapitalização dos bancos será concluído em 18 meses e apenas alguns detalhes do memorando, que deverá ser assinado em 20 de julho, ainda estão sendo discutidos. A primeira parte da ajuda para os bancos espanhóis será distribuída por meio do Fundo de Reestruturação Ordenada Bancária (Frob), que já controla vários pequenos REINO UNIDO bancos estatizados, e corresponderá a dívida soberana da Espanha. O governo espera que pelo menos uma parte da dívida seja direcionada diretamente para os bancos em um estágio posterior, quando o supervisor bancário europeu for criado e, então, todos os empréstimos poderão ser retirados do registro de dívidas da Espanha retroativamente. Guindos também informou que os bancos resgatados deverão criar sociedades de gestão para transferir os ativos imobiliários problemáticos a preços razoáveis. O ministro não especificou se cada banco terá sua empresa de gerenciamento de ativos ou se haverá um banco ruim centralizado para todas as entidades. Produção industrial acima do esperado C U R T A O setor industrial do Reino Unido teve desempenho melhor do que o esperado em maio, com a produção registrando o maior aumento mensal em mais de dois anos. Segundo dados do Escritório para Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês), a produção industrial - que inclui manufatura, mineração, eletricidade e abastecimento de gás e água - cresceu 1,0% ante abril, a maior alta desde março de Em comparação com maio do ano passado, a produção induconsultados pela Dow Jones previam queda mensal de 0,2% e recuo anual de 2,0%. Os dados de abril foram revisados para mostrar declínio de 0,4% sobre março e de 2,0% sobre abril do ano passado. O ONS informou também que a produção do setor de manufatura aumentou 1,2% em maio ante abril - a maior alta desde maio de e caiu 1,7% ante maio do ano passado. A previsão dos economistas era de que o indicador teria queda mensal de 0,2% e anual de 2,2%. Autoridades do ONS afirmaram que o desempenho forte da indústria britânica em maio pode ter sido em parte consequência do feriado bancário que foi transferido para junho em razão das celebrações do jubileu da rainha Elizabeth II, o que resultou em um dia útil extra em maio. Superávit comercial da China é de US$ 31,7 bilhões em junho O superávit comercial superou amplamente o resultado de maio, quando ficou em US$ 18,7 bilhões, informou ontem a Administração Geral das Alfândegas. O superávit comercial cresceu principalmente devido ao avanço menor das importações, que registraram alta de 6,3%, em base anual, ante expectativa de um avanço de 10,4%. Publicação da empresa JGN Editora Ltda. Departamento Comercial e Administração Rua Debret, 23 Sobreloja 116 e 117 Centro - Rio de Janeiro CEP Diretora Geral Elizabeth Campos Comercial: PABX (21) Conselho Editorial: Des. José Geraldo da Fonseca Des. Sidney Hartung Mônica de Cavalcanti Gusmão Redação: (21) Projeto Gráfico:dtiriba design gráfico Impressão: Gráfica Monitor Mercantil Rua Marcílio Dias, 26 - Centro - RJ Editor- chefe: Gabriel Felice Subeditora: Rafaela Pereira Diagramação: Felipe Ribeiro Rodrigo Gurski Artigos & Colunas: Filiado à Preços de Assinatura Trimestral...R$ 60,00 Semestral...R$ 110,00 Anual...R$ 210,00 Serviço Noticioso Agências Brasil e Estado As matérias e artigos são de responsabilidade dos autores e não representam, necessariamente, a opinião deste jornal

3 ECONOMIAQuarta-feira, 11 de julho de INDÚSTRIA Emprego tem 3ª queda consecutiva Índice divulgado pelo IBGE mostra retração de 0,3% entre abril e maio. Na comparação com 2011, queda chega a 1,7% Daniela Amorim O emprego na indústria recuou 0,3% na passagem de abril para maio, na série livre de influências sazonais, informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o terceiro resultado negativo consecutivo nesse tipo de comparação, acumulando perda de 1,1% no período. Na comparação com maio de 2011, o emprego industrial caiu 1,7% em maio deste ano, o oitavo resultado negativo consecutivo nesse tipo de comparação, e o mais intenso desde dezembro de 2009, quando a taxa ficou em -2,4%. Até maio, os postos de trabalho na indústria recuaram 1,1% no acumulado de 2012 e diminuíram 0,3% em 12 meses. O recuo de 3,2% no emprego industrial em São Paulo puxou a queda de 1,7% nos postos de trabalho na indústria do País em maio, em relação ao mesmo período do ano passado, informou o IBGE. Houve redução nas vagas em 12 dos 14 locais pesquisados, mas São Paulo teve o maior impacto sobre o total nacional por ser o mais importante parque industrial do País. Na região, houve taxas negativas em 14 dos 18 setores investigados, com destaque para a redução do pessoal ocupado nas indústrias de produtos de metal (-12,6%), metalurgia básica (-20,1%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-8,7%), têxtil (-8,5%), papel e gráfica (-6,8%), meios de transporte (-3,6%), vestuário (-7,6%) e outros produtos da indústria de transformação (-5,7%) Outros resultados negativos ocorreram na Região Nordeste (-2,6%), Rio Grande do Sul (-2,3%), Santa Catarina (-1,4%), Ceará (-3,2%) e Bahia (-3,4%). As contribuições positivas foram registradas no Paraná (2,2%) e Minas Gerais (0,3%). Entre as atividades, ainda ante o mesmo período de 2011, o emprego recuou em 12 dos 18 ramos industriais pesquisados em maio, com destaque para as perdas de vestuário (-8,7%), calçados e couro (-6,1%), produtos de metal (-4,3%), têxtil (-5,7%), papel e gráfica (-4,6%), outros produtos da indústria de transformação (-3,8%), madeira (-7,7%), metalurgia básica (-4,8%) e borracha e plástico (-3,0%). Os principais impactos positivos foram observados em alimentos e bebidas (3,0%), máquinas e equipamentos (2,0%) e indústrias extrativas (3,4%). No acumulado do ano, o emprego na indústria teve queda de -1,1%, com taxas negativas em nove dos 14 locais pesquisados e perdas em 11 dos 18 setores. São Paulo (-3,2%) voltou a apontar o principal impacto negativo, seguido pela região Nordeste (-1,8%), Santa Catarina (-1,4%), Ceará (-3,2%) e Bahia (-2,6%). Horas pagas - O número de horas pagas ao s trabalhadores da indústria teve queda de 0,6% em maio em relação a abril, já descontadas as influências sazonais. Esta foi a terceira taxa negativa consecutiva, levando a uma perda de 2,6% no período. Na comparação com maio de 2011, o número de horas pagas recuou 2,8%, a nona taxa negativa consecutiva e a mais intensa desde novembro de 2009 (-3,1%). Houve queda em 13 dos 14 locais pesquisados, além de recuo em 15 dos 18 ramos, de acordo com o IBGE. As principais influências negativas foram registradas em vestuário (-9,0%), produtos de metal (-5,0%), calçados e couro (-5,2%), papel e gráfica (-5,3%), têxtil (-5,8%), meios de transporte (-3,0%) e metalurgia básica (-6,1%). Na direção oposta, houve expansão nas horas pagas nas indústrias extrativas (3,1%), produtos químicos (1,4%) e máquinas e equipamentos (0,7%). No acumulado do ano, o número de horas pagas caiu 1,7%, com 13 dos 18 setores pesquisados apontando queda. Os impactos negativos mais relevantes foram de vestuário (-7,6%), produtos de metal (-5,3%), calçados e couro (-6,2%), têxtil (-5,7%), madeira (-9,1%), papel e gráfica (-4,0%), borracha e plástico (-3,8%) e metalurgia básica (-4,7%). Os principais aumentos no número de horas foram do setor de alimentos e bebidas (2,0%), máquinas e equipamentos (2,3%) e indústrias extrativas (4,1%). Entre as regiões, 11 dos 14 locais apresentaram taxas negativas, com destaque para o recuo de 3,9% registrado por São Paulo. Em 12 meses, o número de horas pagas acumulou uma perda de 1,1% até maio. INFRAESTRUTURA para o crescimento do Brasil Célia Froufe O governo teve papel fundamental na ampliação dos investimentos em infraestrutura no Brasil, mas o trabalho ainda não terminou. Fizemos muita lição de casa, mas há muito a ser feito para garantir melhores condições, admitiu a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, durante seminário ontem em Brasília, mencionando três novos desafios. Conforme a ministra, o primeiro é a necessidade de se criar arranjos financeiros para garantir investimentos e o segundo é promover maior integração modal e territorial em infraestrutura. Estamos aumentando a malha ferroviária em mais de 30% e iniciando empreendimentos em hidrovias. Nosso foco é ter ampliação de poucas estradas. Estamos melhorando as estradas, não aumentando. Isso tem custo um menor e um impacto ambiental bastante inferior, comentou. Ela também disse que o governo tem a intenção de ampliar o altíssimo porcentual de fontes limpas que a matriz brasileira possui e citou que, enquanto a média mundial é de 19%, o País conta com 80%. O terceiro desafio, citado por Miriam, é o de tornar visíveis os padrões tecnológicos sustentáveis para a produção da infraestrutura. A inovação, digo sempre, tem caráter fundamental. Ela afirmou que há disposição do governo federal de estreitar parcerias com o setor privado para garantir o crescimento econômico, a inclusão social e a sustentabilidade do meio ambiente. A ministra lembrou ainda que a presidenta Dilma Rousseff anunciou ajustes na legislação brasileira para que as execuções de obras de infraestrutura ganhem celeridade. Estamos finalizando uma proposta de desoneração dos investimentos, estamos aperfeiçoando os marcos regulatórios para termos melhores condições e para que o investimento em infraestrutura acompanhe as necessidades do País. Balanço do PAC - Às vésperas da cerimônia de balanço do PAC, a ministra salientou que no primeiro ano da terceira fase do programa (de 2011 a 2014), houve execução de 21% das obras previstas. Se dividirmos pelo total do período, daria uma média de 25% para esse ano, disse Miriam. Ela também enfatizou que os desembolsos do PAC neste ano estão 50% superiores aos de 2011, e que os de 2011 também foram muito superiores aos de Miriam lembrou que os investimentos previstos em infraestrutura no PAC eram de R$ 218 bilhões na primeira fase, de 2002 a Para o período de 2007 a 2010, a estimativa era de um total de R$ 754 bilhões. Para o intervalo de 2011 a 2014, a previsão é de R$ 955 bilhões. Os resultados do PAC são significativos, comentou. Executamos 94% dos recursos na primeira fase (até 2010). O resultado é bastante significativo e a evolução do PAC 1 traz mais celeridade para o PAC 2. Folha de pagamento registra queda de 2,5% O valor da folha de pagamento real dos trabalhadores da indústria, ajustado sazonalmente, registrou redução de 2,5% na passagem de abril para maio, a terceira taxa negativa consecutiva, acumulando perda de 3,5% no período. A queda foi a mais intensa desde dezembro de 2010, quando ficou em -3,0%. O resultado foi puxado pela diminuição de 2,5% verificada na indústria de transformação, já que o setor extrativo teve um avanço de 1,9%. Na comparação com maio de 2011, o valor da folha de pagamento real cresceu 1,1% em maio deste ano, o 29.º resultado positivo consecutivo nesse tipo de comparação. Houve aumentos em 12 dos 14 locais investigados, com as maiores influências vindas do Paraná (8,4%) e da Região Nordeste (6,2%). Entretanto, o principal parque industrial do País, São Paulo, mostrou o único resultado negativo em maio: -4,1%. Entre as atividades, a folha de pagamento real cresceu em 13 dos 18 setores investigados, com destaque para máquinas e equipamentos (9,2%), indústrias extrativas (11,9%), alimentos e bebidas (3,6%), produtos químicos (5,6%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (2,5%), minerais não metálicos (3,6%) e borracha e plástico (3,1%). Na direção oposta, o setor de meios de transporte (-10,9%) exerceu o maior impacto negativo sobre o total da indústria. PAC No acumulado em 2012, a folha de pagamento teve um avanço de 3,8%, com taxas positivas em 13 dos 14 locais investigados. Os destaques foram Minas Gerais (8,3%) e Paraná (10,8%). O resultado de Minas foi sustentado pelos setores extrativos (23,6%), de meios de transporte (5,6%), alimentos e bebidas (6,6%), minerais não metálicos (14,4%) e máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (11,5%). No Paraná, houve ganho em alimentos e bebidas (15,1%), meios de transporte (15,7%) e máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (38,2%). São Paulo (-0,2%) também assinalou o único resultado negativo no acumulado no ano, influenciado pelos setores de meios de transporte (-2,9%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-6,7%) e produtos de metal (-7,2%). Entre os setores, o valor da folha de pagamento real avançou em 12 das 18 atividades pesquisadas no ano, impulsionado por alimentos e bebidas (8,3%), indústrias extrativas (15,3%), máquinas e equipamentos (7,8%), meios de transporte (1,8%) e minerais não metálicos (5,1%). Na direção contrária, tiveram quedas acentuadas as atividades de calçados e couro (-3,3%), vestuário (-2,6%) e madeira (-5,1%). Em 12 meses, a folha de pagamento aumentou 3,5% até maio. Dilma quer acelerar tempo de licitações A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, disse ontem que a presidente Dilma Rousseff deve sancionar ainda nesta semana a extensão do uso da ferramenta de licitações Regime Diferenciado de Contratação (RDC), atualmente permitido apenas para obras relacionadas à Copa do Mundo e aos jogos Olímpicos. O Congresso Nacional já aprovou o novo uso do RDC. Com a utilização desse instrumento, conforme Miriam, o governo conseguirá agilizar ainda mais a execução do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Vamos ter mais agilidade, melhor preço, redução de riscos, garantia de transparência aos órgãos de controle e redução de recursos, pois evita conluios e outras práticas anticoncorrenciais, enumerou. Conforme a ministra, o uso do RDC até agora já reduziu o tempo médio das licitações de 250 para 80 dias. Além disso, segundo ela, há uma economia de cerca de 15% do custo proveniente do desconto médio obtido nas propostas vencedoras. De acordo com a ministra, os investimentos em infraestrutura no Brasil ganharam nova dimensão com o PAC. O PAC promoveu a retomada do planejamento, contribuiu de maneira decisiva sobre realização de grandes investimentos e ajuda a promover a transformação estrutural do País, citou. Com o lançamento do PAC, o modelo brasileiro recuperou a capacidade de planejamento e o Estado foi o indutor dos movimentos estruturantes, disse, lembrando que as empresas estatais são parte importante dos investimentos. BALANÇO PATRIMONIAL (EM R$) ATIVO , ,54 Circulante , ,65 Caixa e Bancos , ,85 Aplicações Financeiras , ,91 Outros valores , ,89 Permanente , ,89 Equipamentos Técnicos , ,60 Imóveis , ,79 Licenças/Registros/Obras , ,62 Despesas Pré-Operacionais , ,88 PASSIVO , ,54 Circulante , ,29 Impostos a Recolher , ,29 Exigível Não Circulante , ,12 Contas Correntes Acionistas , ,12 Patrimônio Líquido , ,13 Capital Autorizado , ,92 Reservas de Capital , ,14 Resultados Acumulados... ( ,84) ( ,93) AGM EMPREENDIMENTOS HOTELEIROS E TURÍSTICOS S/A CNPJ nº / RELATÓRIO DA DIRETORIA: Em Cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos a apreciação da V.Sas. O Balanço Patrimonial e a Demonstração Financeira do Resultado do Exercício findos em 31/12/2011 e Colocamo-nos a inteira disposição dos Srs. Acionistas, para os esclarecimentos que se fizerem necessários. Rio de Janeiro, 08/03/2012. A Diretoria. DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA Descrição (+) Disponibilidade no Início do Período , ,36 Resultado do Exercício... ( ,38) ( ,63) Resultado do Exercício Ajustado... ( ,38 ( ,63) Aumento (Redução) de Contas do Ativo , ,40 Resultado de Recursos em Aplicação Financeira ,31 0,00 Resgate de Parte de Recursos em Aplicação Financeira... 0, ,40 Redução (Aumento) de Contas do Passivo , ,03 Aporte de Recursos de Pessoas Ligadas , ,00 Aumento de Impostos retidos a Recolher , ,03 (+) Disponibilidade do Final do Período , ,76 Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Período , ,36 Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Período , ,76 Aumento Líquido de Caixa e Equivalentes de Caixa , ,40 DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Descrição: Capital Social Reservas de Capital Lucros Acumulados Patrimônio Líquido Saldo em 31/12/ , ,14 ( ,93) ,13 Resultado do Exercício... 0,00 0,00 ( ,38) ( ,38) Ajustes de Exercícios anteriores... 0,00 0,00 ( ,53) ( ,53) Constituição de Reservas de Ágio... 0, ,61 0, ,61 Saldo em 31/12/ , ,75 ( ,84) ,83 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO Resultado do Exercício... ( ,38) ( ,63) Receitas Operacionais: Receitas Financeiras , ,14 Total das Receitas , ,14 Despesas Operacionais , ,77 Serviços Prestados , ,55 Encargos Sociais , ,84 Administrativas , ,08 Tributárias , ,69 Custos Repassados por Empresas Ligadas ,32 0,00 Financeiras ,14 226,61 NOTAS EXPLICATIVAS: 1) S/A - Capital Fechado tendo como finalidade a implantação de empreendimentos turísticos e de hotelaria; 2) As Demonstrações Contábeis foram preparadas segundo da Lei da S/A; 3) Aplicações Financeiras resultantes de recursos de Capital Social e aportes de Acionistas; 4) O Permanente é resultante de haveres recebidos em função de integralizações do Capital Social; 5) O Passivo Circulante registra valores de Curto Prazo, referindo-se a Impostos; 6) O Passivo Não Circulante, registra valores históricos contraídos contra os Acionistas; 7) Patrimônio Líquido: É representado em valores atualizados e compreendendo o Capital Social, integralizado, acrescido das Reservas, diminuído dos Prejuízos anteriores e do apurado em 31/12/11; 8) Resultado do Exercício: Da receita total auferida no ano de 2011, sua totalidade se refere a Ganhos de Aplicações Financeiras. Diretoria: Paulo Bernardo Torres Borges; Eder Carvalho Magalhães; Maria Elizabeth Tannus Notari e Marta Viñas Costa. Contador: Marco Antonio de Souza Crivel, CRC- RJ nº /O-5 - CPF nº

4 ECONOMIA 4 Quarta-feira, 11 de julho de 2012 IMPORTADOS Venda desacelera 21,6% e vagas serão cortadas Empresários já cogitam 10 mil demissões por conta do impacto da alta do IPI Wladimir D Andrade Os maus resultados de vendas do primeiro semestre, com redução de 21,6% nos emplacamentos em comparação ao mesmo período de 2011, levaram a Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva) a prever que o número de empregos no setor caia em 2012 para 25 mil, ante 35 mil em 2011, um recuo de 29%. De acordo com a entidade, as 10 mil demissões ocorrerão porque o setor está sendo impactado pela alta do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para carros que não atendam ao conteúdo nacional mínimo e pela valorização do dólar em uma época de crise internacional. Existe uma tendência muito grande de redução de negócios e, consequentemente, de empregos, afirmou o presidente da Abeiva, Flávio Padovan. A entidade prevê que as vendas nas concessionárias independentes de importados recuem 40% em comparação ao ano passado, para cerca de 120 mil unidades no ano De acordo com Padovan, boa parte dessas 10 mil demissões já foi realizada. Para ele, a suposta recuperação de vagas pela indústria automotiva nacional, pretendida pelo governo com a implementação do IPI, tem como contrapartida a perda ainda maior de vagas nas importadoras. A situação é grave, disse. A Abeiva pede ao governo federal a instituição de cotas de importação, mas, segundo o presidente da entidade, o governo não tem dado a devida importância ao setor de veículos importados. Somos responsáveis por 3,29% das vendas no País. Não sei como podemos fazer estrago, disse. De acordo com ele, essa insegurança tem levado as empresas que não possuem produção local a repensar seus investimentos no Brasil. Padovan citou a Jaguar/Land Rover, empresa que preside, que tinha estudos para montar uma fábrica no País mas suspendeu o plano até uma definição clara das intenções do governo para o setor. Algumas empresas, como a minha, suspenderam os investimentos para esperar clarear o cenário do setor no Brasil com o novo regime automotivo, afirmou. MOTOCICLETAS Vendas caem 13,2% no primeiro Gustavo Porto As vendas de motocicletas no mercado interno somaram unidades no primeiro semestre, baixa de 13,2% ante o total de 1,033 milhão em igual período do ano passado, divulgou ontem a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo). A produção de motos chegou a unidades no período, queda de 10,3% em comparação com 1,079 milhão fabricadas entre janeiro e junho de Em junho foram vendidas unidades, recuo de 8,2% frente a unidades em maio deste ano e de 13,6% ante em junho do ano passado. De acordo com a entidade, a produção em junho atingiu motocicletas, retração de 17,9% ante em maio e de 13,6% sobre as unidades de junho de A Abraciclo informou em comunicado que o fator responsável pela crise do setor é a maior seletividade e rigor enfrentados pelos consumidores para a liberação de crédito. De acordo com a entidade, a maioria dos compradores de motocicletas é das classes C, D e E, e muitas vezes com dificuldades para a comprovação de renda. As exigências e maior rigor imposto no fim do ano passado pelas financiadoras na aprovação das fichas fazem com que apenas 20% dos consumidores aptos a arcar com o financiamento consigam a liberação do crédito. Os outros 80% são recusados e têm a compra vetada, disse Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo. De acordo com o executivo, a Abraciclo tem atuado junto aos bancos privados e redes de COPOM maior corte na Selic Fernando Nakagawa O Banco Central deve anunciar no início da noite de hoje o oitavo corte consecutivo da taxa básica de juros. A aposta unânime dos analistas e empresários é que a taxa seguirá em queda para impulsionar a economia. Mas o consenso não prevalece em relação aos próximos passos. Como o Brasil tem reagido de forma lenta aos diversos incentivos lançados pelo governo, algumas instituições financeiras já preveem que o ciclo de redução da Selic - que para a maioria deve acabar em agosto - pode ser esticado até outubro. Para o mercado, a taxa cairá 0,50 ponto percentual, para 8% ao ano. O crescimento moderado no País somado ao movimento de queda mais pronunciado que o esperado da inflação doméstica deverá oferecer suporte para o BC dar continuidade ao ciclo, diz o estrategista-chefe do Banco WestLB, Luciano Rostagno, que tem a mesma expectativa da maioria dos economistas. Desde que o atual ciclo de redução começou em agosto do ano passado, a taxa caiu quatro pontos e agora está no menor patamar da história: 8,5%. Mesmo assim, em tempos de forte crise na Europa e Estados Unidos, a economia brasileira demora a reagir. Nem mesmo a verdadeira forçatarefa instalada pela equipe econômica - com corte de impostos, mais crédito e aumento de gastos públicos - parece fazer efeito e os prognósticos para a economia são cada vez mais pessimistas. Por isso, uma parte dos analistas já trabalha com a perspectiva de que os cortes devem continuar até quase o fim de Das instituições ouvidas pela Agência Estado, nove esperam juro de 7% no fim do ano. Para esse grupo, portanto, o juro deve cair 1,5 ponto nos próximos meses - incluindo a decisão esperada para hoje. O risco de crescimento baixo ainda está presente, e o BC provavelmente reagirá. Esperamos agora que a taxa Selic caia a 7%, diz em relatório o departamento de pesquisa econômica do Banco Itaú BBA. A casa espera três cortes de 0,5 ponto nas reuniões de julho, agosto e outubro. Antes, previa que o ciclo terminaria no próximo mês, com juro em 7,5%. Além da fraca atividade, o Itaú explica o juro mais baixo pelos preços que seguem bem comportados, sem grandes ameaças. Sem dúvida, o IPCA menor do que o esperado em junho e uma economia global fraca apontam para inflação menor à frente. A reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) programada para esta quarta-feira será a primeira com a participação do novo diretor de assuntos especiais, Luiz Edson Feltrim. Agora, o rumo do juro será decidido por oito votos - sete diretores e o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini. Em caso de placar dividido, Tombini tem o poder de desempatar. NOVA TABELA Litro da gasolina vai passar de R$ 2,91 no Rio O Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) publicou ontem no Diário Oficial da União tabela com os novos preços de combustíveis, que devem ser adotados como referência a partir de 16 de julho no Distrito Federal, Amazonas, em Alagoas, Goiás, na Paraíba, no Piauí e Rio de Janeiro. Os valores servem de parâmetro para a cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS) retido pela Petrobras no momento da venda dos combustíveis aos postos. Mas, paralelamente, influenciam o preço aos consumidores. De acordo com a nova tabela do Confaz, o Preço Médio Ponderado a Consumidor Final da gasolina passa a ser R$ 2,73 em Alagoas; R$ 2,93 no Amazonas; R$ 2,85 no Distrito Federal; R$ 2,79 em Goiás; R$ 2,65 na Paraíba; R$ 2,60 no Piauí e R$ 2,91 no Rio de Janeiro. Segundo tabela divulgada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP), na primeira semana de julho, o custo do litro de gasolina nesses estados era, respectivamente, R$ 2,71; R$ 2,87; R$ 2,84; R$ 2,67; R$ 2,66; R$ 2,52 e R$ 2,81. Além da gasolina, a tabela do Confaz traz valores de referência para cobrança do ICMS sobre o preço do diesel, gás liquefeito de petróleo, querosene da aviação, etanol, gás natural veicular (GNV) e gás natural industrial. distribuição para incrementar a aprovação dos financiamentos. Nossas associadas estão buscando uma diminuição na recusa, muitas vezes desencadeada por falhas e erros simples, afirmou Fermanian, acrescentando que se 40% das fichas fossem aprovadas, o porcentual representaria o dobro de vendas fechadas. Ainda segundo ele, o atual perfil de financiamento, com a exigência de 20% do valor do veículo de entrada e a redução no número de parcelas para a amortização do veículo, já dificulta, por si só, as vendas. CRÉDITO Busca tem queda recorde de 7,4% O número de pessoas que procuraram crédito no primeiro semestre caiu 7,4% ante igual período de 2011, o que representa o maior recuo da série histórica iniciada em 2008 pelo Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito. Na comparação de junho com o mesmo mês do ano passado, o indicador recuou 6,6%. Em relação a maio, a queda na procura por crédito em junho foi de 2,1%. A empresa avalia que os níveis elevados de inadimplência e endividamento do consumidor foram responsáveis por reprimir a procura por crédito no primeiro semestre, apesar das medidas de incentivo ao consumo adotadas pelo governo. Na análise por classe de renda pessoal, a parcela da população com menor renda (até R$ 500 mensais) foi a única que aumentou a procura por crédito no primeiro semestre, com alta de 2% ante igual período de Os demais segmentos, na divisão por renda, apresentaram queda. Aqueles que ganham entre R$ 2 mil e R$ 5 mil por mês registraram a maior variação: -8,8% em relação ao primeiro semestre de Quanto à análise por regiões, o Norte e o Nordeste apresentaram as menores quedas na busca por crédito no primeiro semestre (de 0,3% e 4,7%, respectivamente) em comparação com o mesmo período de Na mesma base de comparação, a maior queda foi registrada pela região Sul (9,1%), seguida pelo Sudeste (-8,6%) e Centro-Oeste (-5,4%). O indicador é calculado mensalmente a partir de uma amostra de números de Cadastros de Pessoas Físicas (CPFs) consultados na base de dados da Serasa em transações que configuram relação creditícia entre consumidores e instituições do sistema financeiro ou empresas não financeiras. JOINT VENTURE Itaú e BMG se unem para ofertar crédito consignado O Itaú Unibanco Holding divulgou ontem que firmou por meio de sua controlada Itaú Unibanco, contrato de associação com o Banco BMG visando à oferta, distribuição e comercialização de créditos consignados. Conforme fato relevante publicado ontem, a associação será estruturada como um novo negócio do Itaú Unibanco e do BMG por meio da utilização de instituição financeira cuja denominação social será Banco Itaú BMG Consignado, na qual o Itaú Unibanco deterá o controle, por meio da participação de 70% no capital social total e votante, e BMG deterá os 30% remanescentes. O capital social inicial da joint venture será de R$ 1 bilhão, a ser subscrito pelos acionistas naquela proporção. O Itaú Unibanco contribuirá com sua capacidade econômicofinanceira, experiência administrativa e de controles e o BMG, com sua competência comercial e operacional, além da plataforma tecnológica necessária ao desenvolvimento das atividades da joint venture, diz o Itaú, no documento. A joint venture compartilhará os canais de distribuição com o BMG e terá o direito de financiar 70% dos créditos consignados originados pelos canais de distribuição. Os 30% remanescentes serão contratados diretamente pelo BMG, acrescenta. Ainda conforme o comunicado, ao Itaú Unibanco serão assegurados a indicação da maioria dos membros do conselho de administração e o direito de indicar e aprovar todos os seus diretores (incluindo o diretor presidente), exceto os diretores responsáveis pelas áreas comercial, operações e cobrança, os quais serão indicados pelo BMG e aprovados OCDE pelo Itaú. Adicionalmente, desde já e pelo prazo de cinco anos, o Itaú Unibanco proverá parte dos recursos financeiros para a operação de crédito consignado do BMG, no valor mensal de até R$ 300 milhões, diz o banco. As operações de crédito consignado feitas por meio de agências para os clientes do Itaú Unibanco continuarão operando independente da joint venture e sendo contabilizadas integralmente no banco. Não obstante, considerando a bem-sucedida experiência do BMG no mercado de crédito consignado, o Itaú Unibanco espera atingir a liderança entre os bancos privados neste segmento considerando, além das suas operações, a carteira da joint venture, que nos próximos dois anos deve atingir o volume de aproximadamente R$ 12 bilhões. O Itaú Unibanco poderá, ainda, ofertar produtos bancários a uma base de aproximadamente 3 milhões de novos clientes, diz o Itaú, no fato relevante. O comunicado informa também que o Itaú Unibanco e o BMG têm a intenção de que a efetivação da associação ocorra no prazo de 90 dias, condicionada ao cumprimento de determinadas condições precedentes, da celebração de contratos definitivos e das aprovações regulatórias competentes. O Itaú destaca que não se espera que a associação acarrete efeitos contábeis relevantes nos resultados do Itaú Unibanco deste exercício social. Esta operação é mais um passo no sentido de consolidar a estratégia do Itaú Unibanco de operar com ativos de menor risco e menor spread, com rentabilidade atraente, acrescenta o banco no fato relevante, assinado por Alfredo Egydio Setubal, diretor com Relações com Investidores. Desemprego alto por mais tempo A taxa de desemprego nas economias desenvolvidas continuará alta por mais tempo do que se esperava anteriormente, elevando o risco de que um número crescente de trabalhadores fiquem permanentemente marginalizados no mercado de trabalho, alertou ontem a Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Uma massa cada vez maior de desempregados cujas habilidades tenham se perdido ao longo do tempo pesaria sobre o crescimento econômico futuro, ampliando ainda mais o profundo e pernicioso legado da crise financeira iniciada em 2008, disse a entidade, que tem sede em Paris. Em seu relatório anual de perspectivas de emprego, publicado ontem, a OCDE disse que as taxas de desemprego cairão apenas levemente nas economias desenvolvidas ao longo dos próximos 18 meses e subirão significativamente em alguns países europeus. É difícil lidar com o desemprego de longo prazo e de muito longo prazo, afirmou Stefano Scarpetta, vice-diretor da OCDE para o emprego, mão de obra e questões sociais. Muitos dos (países) afetados terão perdido parte de seu capital humano, vários (desempregados) C U R T A estarão desmoralizados e trazê-los de volta (para o mercado de trabalho), quando a recuperação vier, vai ser difícil, acrescentou. Nos 34 países membros da OCDE, a taxa média de desemprego em maio ficou em 7,9%, representando cerca de 48 milhões de pessoas, ou 15 milhões a mais que no final de A taxa está abaixo de seu pico de 8,5%, atingida no último trimestre de 2009 e no primeiro de A OCDE, no entanto, prevê apenas um ligeiro declínio até o fim de 2013, para 7,7%, devido ao fraco crescimento econômico, que limita a criação de empregos. Em maio de 2011, a entidade previa que o desemprego estaria no final deste ano em 7,1%. A expectativa, agora, é que a taxa encerre 2012 em 8%. Além disso, há grandes disparidades entre os países e estas tendem a crescer. Nos EUA, a OCDE prevê que a taxa de desemprego recuará dos atuais 8,1% para 7,4% no final de Já na Alemanha, a previsão é que a taxa caia de 5,4% para 5,2% no mesmo período. Excluindo a Alemanha, a entidade calcula que o desemprego na zona do euro saltará de 10,9% para 11,8%, com fortes aumentos projetados para a Espanha, Grécia, Portugal e Itália. Impostômetro deve atingir a marca de R$ 800 bilhões hoje A soma de impostos federais, estaduais e municipais calculada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) pagos desde o início deste ano deve atingir hoje a marca de R$ 800 bilhões. No ano passado essa marca foi atingida mais tarde, em 22 de julho. Para o presidente ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Rogério Amato, a tendência é que no final de 2012 a arrecadação do total de impostos do País alcance R$ 1,6 trilhão.

5 PARECER Atendendo a pedido de senadores e deputados federais, o presidente da Comissão Especial Mista que analisa a Medida Provisória do Código Florestal (MP 571/2012), Elvino Bohn Gass (PT-RS), transferiu para hoje, às 8h, a leitura do parecer do senador Luiz Henrique (PMDB-SC), relator da matéria. Os parlamentares reivindicaram o adiamento por não terem recebido previamente cópia do relatório que seria lido e cujo conteúdo defnitivo havia sido negociado por Luiz Henrique com parlamentares e o governo federal. O processo de discussão da matéria tem sido frustrado por sucessivos adiamentos. ENERGIA PORTO MARAVILHA Roberta Pennafort Daqui a dois meses, quando o Museu de Arte do Rio (MAR) for inaugurado, a revitalização da zona portuária da cidade deve trocar a condição de lenda urbana pela de realidade promissora. A entrega pela Prefeitura, há uma semana, da primeira fase das obras de reurbanização em 24 ruas do entorno já deu um gostinho à população. Mas são os equipamentos culturais que prometem mudar mesmo a cara da região, ocupada desde os anos 1700 e degradada ao longo da segunda metade do século 20. À medida que o projeto Porto Maravilha começou a tomar corpo, há três anos, estimou-se que tanto o MAR - que reunirá diferentes suportes artísticos e contará a história do Rio, além de estar conectado a uma escola, ao custo de R$ 76 milhões - quanto o Museu do Amanhã - high-tech, voltado à ciência e à ecologia e orçado em R$ 215 milhões - já estariam de portas abertas. Subestimou-se a complexidade do Museu do Amanhã, cujo prédio, assinado pelo estrelado arquiteto espanhol Santiago Calatrava, é tão intrincado que exigiu projetos complementares. Só agora seus dois primeiros pilares surgem no píer da Baía de Guanabara. Até dezembro, 40% da estrutura deve estar pronta. A inauguração ficou para Iniciativas mais simples, como a reforma do Palacete d. João VI, de 1916, transformado no MAR, e a adaptação do prédio vizinho, dos anos 1940, para Bohn Gass marcou para amanhã, às 10h, a votação da admissibilidade da MP. Entretanto, parlamentares como Sarney Filho (PV-MA) e Abelardo Lupion (DEM-PR), ressaltaram que nem a bancada ambientalista nem a ruralista assumem qualquer compromisso em dar quorum para que a matéria seja apreciada nesse dia. Ontem pela manhã, parlamentares da comissão reuniram-se no Palácio do Planalto para discutir um acordo com o governo, onde foi acertada a inclusão do chamado gatilho, que prevê a preservação dos 20 metros de matas ciliares desde que não ultrapasse 25% do tamanho da propriedade que tiver entre 4 e 10 módulos fiscais. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira abertura de audiência pública para colher subsídios para aprovação da minuta do edital de Leilão N.º 7/2012, que se destina à outorga de concessões de transmissão de energia elétrica, incluindo construção, operação e manutenção das instalações. Dos oito lotes a serem ofertados, dois estão associados ao escoamento da energia a ser produzida pela usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará: o lote A, composto por instalações nos Estados de Tocantins, Piauí e Bahia, e o lote G, composto por instalações na Bahia, Minas Gerais e Goiás. Esses dois lotes demandam investimentos de R$ 2,863 bilhões. Os demais lotes incluem linhas e subestações a serem leiloadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Norte e Acre. O período para contribuições à minuta do edital será entre os dias 12 e 31 de julho. A data do leilão ainda não foi definida. abrigar a Escola do Olhar a partir de 2013, não fugiram muito do cronograma. A Biblioteca Nacional também já anunciou que o prédio de hemeroteca (de jornais e revistas) será modernizado. Teremos um círculo que se retroalimenta: a área é valorizada e atrai investidor, morador, visitante. Terrenos já começam a ser disputados, diz Jorge Arraes, presidente da Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto, lembrando que os cariocas ouvem discursos sobre a recuperação da região há cerca de 40 anos. Já a abertura do AquaRio (aquário de 25 mil metros quadrados e 5,4 milhões de litros de água), inicialmente estimada para este ano, foi retardada para coincidir com a do Museu do Amanhã. O custo é de R$ 140 milhões. Seria um erro abrir o aquário em um canteiro de obras, diz o construtor Roberto Kreimer. Como a prefeitura, ele aposta na demolição do Viaduto da Perimetral (a se iniciar em 2013 e acabar até 2015) como peça crucial dessa transformação. É bem diferente passear em um bulevar olhando o mar ou um viaduto. A um custo de R$ 139 milhões, as obras de urbanização (esgoto, pavimentação, drenagem e reabertura do Jardim do Valongo, que integra o Circuito Histórico e Arqueológico da Celebração da Herança Africana) são as únicas inteiramente custeadas pelo município. Beneficiam a população de classe baixa que vive ali, que sonha com novos serviços. RIO PAÍSQuarta-feira, 11 de julho de EMPRÉSTIMO Recursos financiarão projetos no Rio Grande do Sul, Paraná, Ceará e Bahia O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou nesta terçafeira empréstimos de cerca de R$ 415 milhões para investimentos em saneamento básico em quatro estados. Os recursos financiarão projetos das empresas de água e esgoto do Rio Grande do Sul, do Paraná, do Ceará e da Bahia. Todos os projetos fazem parte do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O maior empréstimo será concedido à gaúcha Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), que receberá R$ 220,1 milhões. O projeto da Corsan prevê a ampliação dos sistemas de abastecimento de água nos municípios de Arroio do Sal, Capão da Canoa, Nova Prata, Torres e BNDES Cresce 6,85% número de Setor de infraestrutura foi campeão em empréstimos, com R$ 1,5 bilhão Com desenvolvimento econômico acelerado, os empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no Rio cresceram acima da média nacional. No primeiro quadrimestre de 2012, o total de desembolsos do banco no estado foi 6,85% maior na comparação com o mesmo período do ano passado. Para projetos empresariais fluminenses, o BNDES emprestou R$ 3,055 bilhões, contra R$ 2,859 bilhões de janeiro a abril de De acordo com o banco, o total de operações avançou 19,14%: foram fechados acordos, contra no ano passado. O setor de infraestrutura foi campeão em empréstimos com R$ 1,5 bilhão, o que representa uma alta de 32% sobre Os investimentos estão transformando a realidade no Estado, com mais empregos e melhor renda, afirmou o secretário de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno. Diversos projetos estão sendo desenvolvidos através de financiamentos do BNDES. A conclusão do programa Delegacia Legal recebeu R$ 157 milhões. Esta é a primeira vez, no País, que o banco libera recursos para área de segurança. Áreas estratégicas - Recursos também estão aplicados na construção da sede do Comando de Operações Especiais da Polícia Militar (COE), em Ramos e na reforma do Maracanã, que utiliza R$ 400 milhões financiados pelo banco. PETRÓPOLIS Xangri-lá, a expansão do sistema de esgotamento sanitário de Tramandaí e a implantação do sistema de esgoto em Carlos Barbosa, Horizontina, Imbé, Soledade, Três Coroas e Xangri-lá. Segundo o BNDES, serão beneficiadas 450 mil pessoas no total. Os investimentos incluem obras civis e aquisição de máquinas e equipamentos, gerando 70 empregos diretos definitivos e temporários. Na Bahia, a Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) receberá financiamento de R$ 85,2 milhões para ampliação dos sistemas integrados de abastecimento de água das cidades de Amélia Rodrigues, Andorinha e Santo Estevão e implantação do sistema de esgotamento Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo, os três municípios mais atingidos, realizam o simulado, afirma o coordenador da Defesa Civil de Petrópolis Moradores de áreas de risco de Petrópolis participaram nesta terça-feira de um exercício simulado de temporal na cidade como forma de prevenção de tragédia. Cerca de 300 pessoas estiveram envolvidas na simulação em dez áreas consideradas de risco. Durante o exercício, o terceiro deste ano, foram acionadas as 18 torres com sirenes que emitem o sinal para que os moradores deixem as suas casas quando a quantidade de chuva ameaça provocar deslizamentos. Eles se deslocaram para os 23 pontos de apoio, como igrejas, associação de moradores e escolas do município, onde receberam instruções sobre o sistema de alerta. A simulação foi coordenada pela Defesa Civil do município. De acordo com o coordenador da Defesa Civil de Petrópolis, coronel Carlos Francisco de Paula, após o exercício, aproximadamente 120 pessoas receberam um certificado de participação da simulação. Para o coronel, os exercícios, executados de forma intensa, podem mudar a cultura da população com relação à prevenção de tragédias provocadas pelos temporais, como o que ocorreu em janeiro de 2011, que deixou mais de 900 mortos em toda a região serrana. Acredito que está tendo um resultado positivo, porque o sanitário de Caravelas. O projeto atenderá 196 mil pessoas. Segundo o BNDES, a participação do financiamento no investimento total será de 85,6% (na intervenção de esgotamento sanitário) e de 90,4% (nas obras de abastecimento de água). Do total a ser financiado, 94% destinam-se a obras civis e aquisição de materiais hidráulicos. Os 6% restantes serão aplicados na execução de trabalho social, nas ações de preservação ambiental e no gerenciamento do empreendimento. Já a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) terá apoio financeiro de R$ 81,5 milhões. A participação do BNDES será de 93,3% dos itens financiáveis. O projeto da Sanepar visa a ampliar os sistemas de abastecimento de água dos municípios de Jacarezinho, Mandaguaçu e São João do Ivaí; expandir os sistemas de esgotamento sanitário de Bela Vista do Paraíso, Mandaguaçu, Marmeleiro, Paraíso do Norte, Rio Negro e Santa Terezinha do Itaipu; e implantar os sistemas de esgotamento sanitário de Centenário do Sul, Salto do Lontra, Tamarana e Terra Roxa. Ao longo da execução das obras, serão criados 125 novos empregos diretos e indiretos. No quarto estado, a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) receberá empréstimo de R$ 28,4 milhões para ampliar o ramal sul do sistema integrado de abastecimento de água da Serra do Ibiapaba. O financiamento será de 90% do investimento total. DESRESPEITO Vladimir Platonow Da Agência Brasil O governo decidiu suspender a venda de 268 planos de saúde comercializados por 37 operadoras. A medida foi anunciada nesta terça-feira pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha. O motivo foi o desrespeito aos prazos máximos de atendimento aos usuários, conforme a Resolução Normativa 259 da Agência Nacional de Saúde (ANS). Padilha ressaltou que os usuários desses planos não serão prejudicados. As empresas terão três meses para se adequarem aos prazos que variam conforme a especialidade médica. Para as consultas básicas, o cliente deve esperar no máximo por sete dias úteis para conseguir o atendimento. Para outras especialidades o prazo é 14 dias e para procedimentos de alta complexidade, 21 dias. O ministro esclareceu que os planos que tiveram a venda suspensa correspondem a apenas 7% do total de usuários. No país, existem operadoras, que comercializam cerca de 22 mil planos. Atualmente, 47,6 milhões de brasileiros estão vinculados a um plano médico. O diretor-presidente da ANS, Mauricio Ceschin, explicou que a lista das operadoras punidas foi definida a partir do número de reclamações dos usuários. Está prevista a aplicação de R$ 774 milhões na construção da Linha 3 do metrô (São Gonçalo-Niterói), orçada em R$ 1,7 bilhão. Em nenhum momento na sua história, o Rio recebeu grandes investimentos como agora, que beneficiam a vida dos moradores fluminenses, oferecendo melhoria nos transportes, segurança pública, entre outros, disse o vice-governador e coordenador de Infraestrutura, Luiz Fernando Pezão. objetivo é a mudança cultural. É fazer com que as pessoas se mobilizem automaticamente em uma situação de chuva forter. Isso aí [o exercício] tem que ser feito incansavelmente, disse. O coronel informou que os três municípios mais atingidos pelas chuvas do início do ano passado na região serrana - Petrópolis, Teresópolis e Nova Friburgo - realizam sempre o exercício simulado. No entanto, só Petrópolis é a única cidade que a simulação envolve a população. Esses três municípios fazem o simulado testando a sirene, mas Petrópolis é o único que faz o teste com a participação da população.

6 JUSTIÇA 6 Quarta-feira, 11 de julho de 2012 DIÁRIO OFICIAL Lavagem de dinheiro tem leis mais rígidas Jogo do bicho e exploração de caça-níqueis agora são considerados crimes A presidente Dilma Rousseff sancionou, sem vetos, a lei que endurece os crimes de lavagem de dinheiro. O texto foi publicado nesta terça-feira no Diário Oficial da União. A proposta foi aprovada em junho, no Senado, e enquadra como lavagem de dinheiro qualquer recurso com origem oculta ou ilícita. A legislação anterior, que estava em vigor desde 1998, permitia apenas que recursos com origem no tráfico de armas e drogas, crimes contra a administração pública ou terrorismo fossem enquadrados como lavagem de dinheiro. A partir de agora, o jogo do bicho e a exploração de máquinas caça-níqueis poderão ser considerados crimes e terão punições mais rígidas. A chamada delação premiada, já prevista na legislação anterior, poderá agora ser feita a qualquer tempo, ou seja, mesmo depois da condenação, aqueles que quiserem colaborar com as investigações poderão se beneficiar do instrumento. A lei também ampliou os tipos de profissionais obrigados a enviar informações ao Conselho de Controle de Atividades Econômicas (Coaf), órgão ligado ao Ministério da Fazenda que monitora transações suspeitas. Entre as categorias incluídas, estão doleiros, comerciantes de artigos de luxo, empresários de atletas, contadores, consultores e auditores. A nova lei também abrange os sistemas de mercado de balcão organizado (negociações de compra e venda de ativos financeiros registradas fora das bolsas de valores). As penas, entre três e dez anos de reclusão, foram mantidas, com a possibilidade de serem elevadas em até dois terços, em caso de reincidência, e reduzidas na mesma proporção se o acusado colaborar com as investigações. No entanto, o benefício pode ser requerido mesmo por quem já tiver sido condenado e quiser ter a pena diminuída. A nova lei também elevou as multas. O valor máximo foi multiplicado em cem vezes, passando de R$ 200 mil para R$ 20 milhões. A venda de bens em nomes de laranjas agora poderá ser feita antes do fim do julgamento final, para evitar a deterioração de bens como veículos e imóveis no decorrer do processo judicial. IPHAN MPF move ação para recuperar bem tombado em São Gonçalo O Ministério Público Federal (MPF) em São Gonçalo moveu ação civil pública para que o estado do Rio de Janeiro e o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístisco Nacional (Iphan) atuem na manutenção e conservação da Fazenda Colubandê, residência rural do século XVIII tombada desde O conjunto arquitetônico, composto por uma capela construída em 1617 e uma casa-grande erguida na década de 1760, encontra-se em estado precário de conservação. Na ação, movida pelo procurador da República Lauro Coelho Junior, o MPF pede que a justiça conceda liminar determinando que o Estado do Rio de Janeiro, proprietário do bem, apresente ao Iphan em até 60 dias um projeto de manutenção e conservação da capela e da casa-grande, com obras de recuperação de coberturas e paredes e adequação das instalações elétricas e hidro-sanitárias às normas técnicas, além da implantação de um sistema de detecção e combate à incêndio. No pedido de liminar, o procurador pede também que o Estado execute as obras no prazo de 12 meses, após aprovação do projeto pelo Iphan. O MPF quer ainda que o Iphan acompanhe a execução do projeto, fiscalizando e orientando o estado no atendimento às condições técnicas exigidas para a preservação do bem tombado, além de realizar visitas ao local para verificar a regularidade das obras. O caso - Desde 1996, o Iphan vem constatando diversas problemas na conservação e manutenção COMPORTAMENTO INDIGNO Dano moral condena Itaú a pagar R$ 58 mil A juíza Flávia de Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível da Barra da Tijuca, condenou o banco Itaú a pagar uma multa de R$ ,50 mais danos morais de R$ 20 mil, por conduta que a magistrada considerou como comportamento indigno e por desobediência reiterada de ordem judicial. A autora da ação, Roseane Lavor, estava devedora e fez um acordo com o banco que, no entanto, deixou de remeter os boletos para pagamento e debitou o valor das parcelas, com multa elevada, direto da conta da cliente, que chegou a ficar sem seu salário. Três vezes intimado a estornar o valor indevidamente debitado, o banco reiteradamente deixou de fazê-lo, ignorando a ordem judicial. A conduta da ré demonstra o seu desprezo para com o Poder Judiciário, provavelmente certa que, como soi acontecer, ao final, teria a redução da multa a patamar ínfimo, com o argumento do enriquecimento sem causa da autora; neste caso não! A sucessão de datas, as reiteradas intimações, a majoração da multa, o comportamento recalcitrante da ré não permitem que ao final seja premiada com a ínfima valoração da astreinte, eis que uma decisão neste sentido seria verdadeiro estimulo à tal deliquência, escreveu a juíza na sentença. Em sua defesa, o banco disse que enviou os boletos para a casa da cliente, porém não comprovou esse envio, nem juntou qualquer documento que o comprovasse. POLÍCIA FEDERAL Suspenso concurso sem O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Carlos Ayres Britto, suspendeu um concurso da Polícia Federal cujos editais não reservaram vagas para candidatos com deficiência física. Como consequência da decisão, está suspenso o processo seletivo para os cargos de delegado, perito criminal e escrivão até que a União publique novos editais, com as retificações. Para fundamentar o despacho, o ministro baseou-se numa decisão deste ano da ministra do STF Cármen Lúcia que determinou a reserva obrigatória de vagas em concurso público para portadores de necessidades especiais. Na ocasião, a ministra concluiu que a reserva está de acordo com um princípio da Constituição Federal, que estabelece textualmente que um porcentual dos cargos e empregos públicos deva ser destinado a portadores de deficiência. Ayres Britto tomou a decisão ao examinar uma reclamação do procurador-geral da República, MPRJ obtém condenação da Fast Shop que determina troca em 30 dias O Ministério Público do estado do Rio de Janeiro obteve sentença que obriga a Fast Shop a realizar troca de produtos viciados em até 30 dias após a compra. Na sentença, além da troca para produtos viciados, a juíza condena a Fast Shop a: em caso de produto viciado, dentro do prazo legal, sanear o vício no prazo de 30 dias, efetuar a troca dos produtos duráveis em 90 dias e pagar indenização. Roberto Gurgel. Segundo o procurador, os editais do concurso da PF desrespeitavam a recente decisão do Supremo que reconheceu como constitucional a reserva de vagas para deficientes. Nos últimos tempos, o STF tem se posicionado favorável a reservas de vagas em concursos públicos. Além da decisão sobre os portadores de necessidades especiais, o tribunal concluiu recentemente que é constitucional estabelecer cotas raciais para o preenchimento de vagas em universidades. C U R T A S da Fazenda Calubandê. Em 1997, o MPF instaurou inquérito para apurar o estado de conservação e uso do bem tombado. Depois de inúmeros contatos com os órgãos competentes e frustradas as tentativas de restaurar o conjunto arquitetônico pela via extraprocessual, restou ao MPF mover a ação. A casa-grande é ocupada pelas instalações do Batalhão de Polícia Florestal e Meio Ambiente, que não conseguiu através do governo do estado verbas para reformar o bem. TELEVISÃO NET não poderá mais cobrar por ponto extra A partir de agora, a NET não poderá mais cobrar por pontos extras, adicionais, mensalidades de TV adicionais ou qualquer outra nomenclatura que a empresa utilize para o caso. A decisão é do juiz Luiz Roberto Ayoub, da 1ª Vara Empresarial da Capital, que aceitou parcialmente ação civil pública proposta pelo Ministério Público. Na sentença, o juiz declarou a nulidade da cláusula contratual que prevê a cobrança dos pontos extras e condenou a empresa à devolução dos valores pagos pela utilização desses pontos desde março de 2010, quando foi editada a súmula da Anatel que regulamenta o serviço. Em decisão liminar, o magistrado já havia proibido a cobrança das taxas extras. Em sua defesa, a NET afirmou que o serviço é prestado por empresa privada, o que permite a livre fixação do preço. O juiz, no entanto, entendeu que ha inequívoco interesse do Ministério Público em molecularizar as milhares de ações individuais potencializadas nesta ação civil pública, dando efetividade aos princípios da celeridade, economia processual, acesso à justiça e segurança jurídica. O juiz esclareceu ainda que, em respeito à facilitação do acesso à Justiça, as execuções individuais poderão ser ajuizadas na Comarca do domicílio de cada autor, bastando, para tanto, a juntada de cópia da sentença deste processo. Operação para combater crimes ambientais em reservas de Cabo Frio A 1ª Promotoria de Tutela Coletiva do Núcleo de Cabo Frio, em conjunto com órgãos da prefeitura e do Inea, efetuou a operação Rio Limpo para fiscalizar a prática de crimes ambientais no Parque da Preguiça. De acordo com inquérito instaurado pela Promotoria, os danos se estendem ao corredor ecológico formado pelo Parque Municipal do Mico Leão Dourado. Daniel Raizman Questão de Justiça Porte de substância entorpecente: motivos para sua descriminalização A política nacional sobre essa temática tem seguido a tendência mundial pautada pela criminalização dos sujeitos envolvidos, seja por serem encarregados da fabricação, distribuição, venda, ou e até consumo de sustâncias entorpecentes. Essa política criminal tem pretendido desestimular esse tipo atividades mediante a cominação penal, sendo muito intensa para os que a aproveitam economicamente e menor para os que participam dela como usuários ou consumidores. Passado o tempo, desde que este desenho institucional repressivo foi instaurado, as observações empíricas parecem ter demonstrado o seu mais rotundo fracasso. Nesse sentido parece oportuno referenciar os informes da Oficina das Nações Unidas contra a Droga e o Delito (ONUDD), o do Observatório Interamericano sobre Drogas nos que se verifica o crescente consumo, em especial da pasta base de cocaína (crack); o que acompanha outros informes nacionais. Assim a menos que essa política criminal se mantenha em termos autistas desconexa da realidade parece imperativo a sua troca de rumo. Nesse ponto é que se tem aberto o espaço para sua reavaliação institucional. A criminalização dos consumidores tem procurado sua justificativa na dogmática ideia de que a punição do usuário reduziria o consumo e, como isso a comercialização de tóxicos proibidos. A eficácia do sistema penal deveria, então, tomar em conta os dois extremos da cadeia. Ao final de contas a repressão penal tem sido a resposta que encontrou o estado para proteger a saúde pública, isto é a saúde da coletividade, mesmo sacrificando a saúde do indivíduo já consumidor. Desde esta perspectiva pareceria que para o estado o indivíduo consumidor estaria perdido e não justificaria o seu esforço, que ficaria reservado para a massa da população, ainda, não consumidora... Desta forma, o estado nega a condição de vítima dos consumidores e, ao mesmo tempo, aprofunda os efeitos da prática criminosa, pois acrescenta aos efeitos da doença os estigmatizantes e deteriorantes emergentes do processo criminal. Opera assim uma dupla vitimização, a primeira oriunda do tráfico, a segunda da resposta do estado a este fenômeno. Por outra parte, cabe observar que as racionalizações que justificam a punição do consumidor sobre a base de uma suposta possibilidade de que se transformem em autores ou partícipes de delitos contradizem o entendimento internacional que impede justificar o poder punitivo do estado sob fundamento da periculosidade. (Assim, CIDH, Serie C Nº 126, caso Fermín Ramírez vs. Guatemala, sentença de 20/06/05). No plano jurídico, parece oportuno atualizar o direito à privacidade, proibindo contra esta as ingerências arbitrárias e abusivas do estado (arts. 5, X, da Constituição Federal; da Convenção Americana de Direitos Humanos; 5 da Declaração Americana dos Direitos e Deveres do Homem; 12 da Declaração Universal de Direitos Humanos, e 17.1 do Pacto Internacional de Direitos Civis e Políticos. Isso significa que cada ser humano possui e desenvolve, em termos mais ou menos amplos, a capacidade de conduzir sua vida. Nesta ordem de ideias, cabe ter presente que saúde pública, bem como outros termos análogos que visam o bem comum resultam problemáticos, pois ao tempo em que propõem referenciar condições de vida social que permitiriam alcançar aos integrantes da sociedade um maior desenvolvimento pessoal, podem ser invocados, também, para suprimir direitos individuais. A possibilidade de manipular esse tipo de enunciados tem levado à sua interpretação de maneira restrita, não sendo aceitos como forma de suprimir, alterar a essência ou conteúdo real dos direitos garantidos nos instrumentos internacionais, como conseqüência do princípio pro homine (arts. 29 da CADH e 5 do PIDCeP) que estabelece que deverá ser escolhida a interpretação que resulte menos restritiva dos direitos estabelecidos neles (CIDH, Opinião Consultiva 5/86). Dessa forma deve ser exaltada a ideia de autonomia e, ao mesmo tempo desconsiderada qualquer tentativa opressora, que se poderia ocultar sob supostas ideias benéficas ou protetoras do sujeito (vide. CIDH caso Ximenes Lopes vs. Brasil, do 4/07/06, parágrafo 10 do voto do Juiz Sergio García Ramírez). Assim, a opção em favor do consumo de substância entorpecente é de caráter individual e não pode ter ingerência do estado. Parece oportuno, por último, referenciar o princípio da dignidade do homem, presente no sistema internacional de direitos humanos (preâmbulo do PIDCeP e da CADH) enquanto consagra o imperativo kantiano de que o homem deve ser considerado um fim em si mesmo e não um instrumento, o que acontece quando criminalizado para atingir os agentes vinculados ao tráfico. Conforme o exposto, é possível observar que existem razões político-criminais de sobra, bem como disposições legais que impõem a revisão da política nacional de entorpecentes, na qual, como primeiro passo deveria ser descriminalizado o porte de substância entorpecente para consumo. A política nacional de descriminalização das drogas tem seguido tendência mundial pautada pela criminalização dos sujeitos envolvidos Daniel Raizman é mestre em Ciências Penais (UCAM), especialista em Direito Penal Econômico Europeu(IDPEE-Coimbra), doutor em Direito Internacional e da Integração Econômica(UERJ).Professor de Direito Penal(UFF). Parecerista do escritório de advocacia criminal Freixinho Advogados.

7 GRÉCIA Mais um ministro do novo governo entrega o cargo O vice-ministro do Trabalho da Grécia, Nikos Nikopoulos, se tornou o terceiro integrante do novo governo do país a entregar o cargo ao primeiro-ministro, Antonis Samaras. Nikopoulos discordava da decisão do governo de não renegociar mudanças adotadas na legislação trabalhista a pedido dos credores internacionais do país. A renúncia de Nikopoulos foi anunciada depois de o governo grego receber um voto de confiança do Parlamento, ontem. IMPEACHMENT Samaras aceitou a renúncia e informou que nomeará Nikos Panagiotopoulos para o cargo de vice-ministro do Trabalho. Além de Nikopoulos, Vassilis Rapanos renunciou ao cargo de ministro de Finanças antes de tomar posse, por motivos de saúde, e foi substituído por Yannis Stournaras. Giorgos Vernikos, por sua vez, entregou o cargo de ministro da Marinha Mercante por causa de um conflito de interesses gerado por seu envolvimento com uma companhia estrangeira. OEA: Paraguai não deve ser suspenso LIBOR será averiguada CONGO Senadores norte-americanos vão investigar tentativas de manipulação de taxas de juro globais, ampliando o foco para incluir os reguladores dos Estados Unidos depois da eclosão de um escândalo de manipulação de taxas interbancárias na Inglaterra. A Comissão de Bancos do Senado dos EUA informou que promoverá audiências ao longo de julho com as presenças do secretário norte-americano do Tesouro, Tim Geithner, e do presidente do Federal Reserve Bank, Ben Bernanke, para discutir o escândalo envolvendo bancos ingleses e a manupulação da chamada taxa Libor O presidente da comissão, senador Tim Johnson (democrata por Dakota do Sul), disse que seus assessores já começaram a agendar reuniões bipartidárias com as partes relevantes para entender melhor o problema. É importante que entendamos como qualquer manipulação possa ter impacto sobre os consumidores norte-americanos e sobre o sistema financeiro como um todo, declarou ele por meio de nota. O banco Barclays é acusado de ter manipulado a taxa Libor - taxa de referência de juro no mercado interbancário em Londres - em 2007 e Na semana passada, o Barclays pagou US$ 453 milhões a autoridades reguladoras do Reino Unido e dos EUA, em um acordo no qual admitia ter tentado manipular Libor. O escândalo já levou Bob Diamond a deixar o cargo de diretor executivo do Barclays. Haia condena O Tribunal Penal Internacional (TPI) condenou nesta terçafeira o ex-chefe de milícia congolês Thomas Lubanga a 14 anos de prisão. Ele foi considerado culpado em março por recrutar e usar crianças em sua milícia União dos Patriotas Congoleses (UCP, na sigla em inglês) - enviando-os para matar e morrer durante os conflitos, entre 2002 e 2003, na região de Ituri. É a primeira vez que o tribunal sentenciou um criminoso de guerra condenado. A vulnerabilidade das crianças significa que elas precisam ser objeto de proteção especial, disse o juiz Adrian Fulford ao anunciar a sentença. Grupos de direitos humanos saudaram a decisão. Essa sentença envia uma dura advertência O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), José Miguel Insulza, disse nesta terça-feira que é contra suspender o Paraguai e propôs o envio imediato de uma missão para supervisionar os preparativos das eleições que devem acontecer em abril. A postura da OEA contrasta com a do Mercosul, que suspendeu o país temporariamente por causa do impeachment do presidente Fernando Lugo. Não esqueçamos que existe uma situação de normalidade política, social e política que queremos preservar, afirmou Insulza durante uma sessão extraordinária do Conselho Permanente da organização. Para ele, uma suspensão não contribuiria para alcançar nossos objetivos. Já incrementar a presença efetiva dos órgãos da OEA evitaria o crescimento das divisões na sociedade e no sistema político. Nicarágua, Venezuela, Bolívia e Equador solicitaram a suspensão do Paraguai na sessão extraordinária realizada em 26 de junho. Os países dizem que a rapidez com que o Congresso moveu o processo de impeachment contra Lugo violou sue direito de defesa. Insulza esteve em Assunção acompanhado de representantes dos Estados Unidos, Canadá, Haiti e outros. Ele manteve a posição expressada antes da viagem: a destituição teve uma celeridade que debilitou o processo, mas não pode ser considerada um golpe de Estado pois o procedimento é contemplado nas leis paraguaias. para aqueles envolvidos no uso de crianças como soldados: de que as ações criminais deles vão levá-los à prisão, disse Armel Luhiriri, da Coalizão para o TPI, um grupo não governamental que apoia o tribunal e seus esforços para acabar com a impunidade para os crimes mais brutais do mundo. A promotoria pediu sentença de 30 anos de prisão para Lubanga, mas afirmou que estaria disposta a aceitar redução para 20 anos se o ex-chefe de milícia oferecesse pedido de desculpas sincero às vítimas de seus crimes. Lubanga não ofereceu um pedido de desculpas. Em um comunicado, promotores disseram que a sentença envia uma mensagem clara para os autores de crimes: vocês não vão sair impunes. MUNDOQuarta-feira, 11 de julho de EGITO Parlamento se reúne apesar de decisão judicial Volta dos parlamentares pode aumentar tensão entre militares e novo presidente O Parlamento do Egito reuniuse nesta terça-feira em desafio ao Exército e à Suprema Corte do país. A sessão foi curta - apenas cinco minutos - e em votação rápida a Casa concordou em buscar uma opinião legal sobre a decisão que invalidou as últimas eleições. A volta dos parlamentares deve aumentar a tensão entre os militares e o novo presidente Mohammed Morsi, da Irmandade Muçulmana. Os generais prometeram que iriam defender a decisão judicial que dissolveu o Parlamento, devido a supostas ilegalidades no pleito que elegeu seus membros. A atmosfera de crise vêm crescendo desde que Morsi emitiu uma ordem no último domingo convocando os 508 parlamentares. O presidente do Parlamento, Saad El- LÍBIA Katatni, afirmou que a sessão teve o objetivo de encontrar maneiras de implementar a decisão da Justiça, e não debatê-la, em respeito aos princípios de supremacia da lei e separação dos poderes. Mas ele apresentou um plano de procurar uma segunda opinião em um tribunal de apelações. A Suprema Corte afirmou que um terço dos parlamentares foi eleito de forma irregular. O pleito deu uma ampla maioria aos islamitas. Morsi e Katatni são membros antigos da Irmandade Muçulmana, o grupo fundamentalista que há muito tempo tem estado em desacordo com os governo militares. Na segunda, o Exército fez o seu único comentário público sobre a disputa, ameaçando o presidente de forma velada ao dizer que as forças armadas estão ao lado da Constituição, legitimidade e da lei. Repercussão - A secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton, pediu ontem a realização de conversações entre todos os envolvidos no confronto entre o Parlamento egípcio e os militares para encerrar a crise no país. Nós pedimos que haja um diálogo intensivo entre todos os participantes para assegurar que haja um caminho claro a ser seguido, disse ela em coletiva de imprensa no Vietnã. O povo egípcio deve receber os benefícios pelos quais foram às ruas protestar, pelo que votaram, ou seja, um governo completamente eleito que tome decisões para que o país siga adiante, acrescentou ela. Hillary, que está no Vietnã, uma das paradas de sua viagem pelo sudoeste da Ásia, irá ao Egito no final de semana, onde vai se reunir com Morsi. O período de instabilidade também preocupa o Brasil, segundo o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota. O Egito é fundamental para todo o desenvolvimento dos países árabes e fazemos votos para que o presidente democraticamente eleito possa governar da forma mais democrática possível. O chanceler disse também que o Brasil viu com bons olhos as eleições na Líbia e considerou que ocorreram de forma democrática e livre. ainda há muito o que fazer Da redação, com agências Por 42 anos, a Líbia esteve sob domínio do então presidente Muammar Khadafi. Em outubro de 2011, ele foi capturado e morto, iniciando nova fase no país. Após sete meses de conflitos em 2011, várias cidades foram destruídas, como Sirte (terra natal de Khadafi) e Brega. Nove meses depois, ainda há instituições públicas desfeitas e empresas privadas estrangeiras que negociam seu retorno ao país. A morte de Khadafi encerrou um longo período que alternou momentos de tensão e isolamento com a comunidade internacional. Depois de 2003, Khadafi retomou as articulações para se reproximar da comunidade internacional. Porém, o processo de desgaste do seu governo acentuou-se com os protestos na região. Localizada no Norte da África, a Líbia viveu intensos conflitos entre manifestantes, que reivindicavam o fim do governo Khadafi, com as forças leais ao governo. Em meio aos conflitos, houve a intervenção da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Manifestantes e integrantes das forças leais foram mortos. Os números são incertos. Em setembro de 2011, a comunidade internacional, reunida na 66ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York, nos Estados Unidos, autorizou a participação do Conselho Nacional de Transição (CNT) nas sessões. Na ocasião, a bandeira da oposição a Khadafi foi hasteada. O Brasil foi um dos países que apoiaram a participação da oposição nas discussões das Nações Unidas. Com 6,5 milhões de habitantes, a Líbia se divide em três grandes regiões, controladas por clãs familiares que estabelecem núcleos de poder próprios, assim como culturas e reivindicações distintas. Para as autoridades líbias, um dos principais desafios é obter o consenso, unificando os desejos e as demandas desses clãs. Brasil - Em menos de 30 dias, o novo embaixador do Brasil na Líbia, Afonso Carbonar, assume suas funções em Trípoli, a capital, depois de 15 meses de a embaixada brasileira ser fechada no país. Entusiasmado com o desafio de cooperar com o processo de democratização e reconstrução na região, Carbonar reiterou, em entrevista à Agência Brasil (ABr), que brasileiros e líbios têm muitos aspectos comuns, inclusive a paixão pelo futebol. Para o embaixador, a Líbia vive momento histórico graças aos esforços da população e do Conselho Nacional de Transição (CNT): Tenho enorme admiração pelo povo líbio e pelo trabalho desenvolvido pelo CNT. Segundo ele, o país terá crescimento econômico superior a 50% até 2012, estimulando assim investimentos estrangeiros. A viúva de Yasser Arafat vai abrir um processo legal na França pedindo às autoridades que investiguem a morte de seu marido, após novas suspeitas terem sido levantadas recentemente, disse seu advogado nesta terçafeira. As autoridades palestinas deram a aprovação final nesta semana para que o corpo do ex-líder palestino seja exumado e pediram uma investigação internacional sobre a morte de Arafat, ocorrida em 2004, num hospital militar francês. Isso tudo aconteceu logo após a veiculação de um programa PLANO DE PAZ da emissora árabe Al-Jazeera, na semana passada. A emissora disse ter realizado uma investigação de nove meses sobre a morte de Arafat depois que sua viúva, Suha, ter entregue a eles seu prontuário médico e uma mochila com seus pertences. Na mochila, havia um chapéu de pele e um boné de lã com alguns fios de cabelo, uma escova de dentes e roupas com sua urina e manchas de sangue. O Instituto de Física da Radiação da Suíça detectou elevados níveis de polônio-210, uma substância rara e letal, nos pertences de Arafat, mas afirmou que as descobertas foram inconclusivas e os ossos do líder terão de ser examinados. Apesar disso, o exame dos ossos pode não dar uma resposta clara. Os níveis de polônio-210 caem rapidamente e especialistas estão divididos sobre se os restos mortais de Arafat podem fornecer uma pista sólida, oito anos após sua morte. Se o pedido de Suha foi aceito, as autoridades francesas poderão investigar a morte de seu marido. O advogado Pierre-Olivier Sur disse ontem que a viúva de Arafat espera que a investigação vá estabelecer as exatas circunstâncias da morte de seu marido e estabelecer a verdade, para que a justiça seja feita. Médicos franceses disseram que Arafat morreu em decorrência de um grande acidente vascular cerebral e que ele sofria de um problema conhecido como coagulação intravascular disseminada, no qual o sangue começa a coagular por todo o corpo. Mas não há conclusões sobre o que teria causado o problema de coagulação, que pode ser originado por infecções ou doenças hepáticas. Annan visita Irã e Iraque em O enviado especial da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe, Kofi Annan, esteve nesta terça-feira no Irã e no Iraque em busca de apoio para seu plano de paz para a Síria. Segundo líderes desses dois países, o presidente sírio Bashar Assad concordou com um plano para controlar a violência nas áreas mais violentas da Síria e em seguida expandir a operação para o restante do país. Em coletiva de imprensa realizada no Irã, Annan disse que o plano deve ser apresentado à oposição síria. Segundo ele, as conversas com Assad na segunda-feira se concentraram numa nova abordagem para o encerramento da violência, que segundo ativistas já deixou mais de 17 mil mortos desde março de (Assad) sugeriu uma abordagem de baixo para cima em alguns dos distritos onde há violência extrema. O objetivo é tentar conter a violência nesses distritos e, passo a passo, acabar com a violência no país, disse ele em Teerã, a primeira parada de sua turnê pelos países aliados da Síria. Annan seguiu para o Iraque, onde encontrou-se com o primeiro-ministro iraquiano, Nouri al- Maliki para discutir formas de encerrar o conflito. Eu acho que todos nós temos visto a trágica situação na Síria, os assassinatos, o sofrimento do povo, declarou Annan em Bagdá. E todos com quem eu falei compartilham as preocupações e as necessidades para encerrarmos essa matança. Sanções - Há pouco apoio para uma intervenção militar na Síria como a que foi realizada para ajudar na queda de Muamar Kadafi, na Líbia. Várias rodadas de sanções e outras tentativas de isolar Assad não tiveram efeito sobre a violência no país. Os esforços de Annan de tratar com aliados da Síria indicam que ele os vê como integrantes da solução da crise. Desde que Assad assumiu o poder, após a morte de seu pai, Hafez, em 2000, ele aprofundou as ligações culturais, políticas e econômicas com o Irã, fazendo do país o mais forte aliado regional da Síria. Em troca, Teerã impulsionou o Exército sírio, fornecendo avançada tecnologia de comunicação e armas. Por tudo isso, é improvável que o Irã apoie uma mudança de governo na Síria. Neste terça-feira, Annan disse que Teerã ofereceu seu apoio para encerrar o conflito e deve ser parte da solução. Minha presença aqui prova que eu acredito que o Irã pode ter um papel positivo e deve, portanto, ser parte da solução da crise síria, declarou Annan aos jornalistas em Teerã, após encontro com o ministro de Relações Exteriores iraniano, Ali Akbar Salehi. Refugiados - A Jordânia abriu ontem novo campo para refugiados perto da fronteira com a Síria. A medida ocorre dias após a agência de refugiados da ONU fazer um apelo ao país para que providenciasse mais espaço para absorver o crescente do número de pessoas que cruzam a fronteira. O ministro da Informação da Jordânia, Sameeh Maaytah, disse que o novo campo, na cidade de Ramtha, teve de ser criado porque os refugiados não tinham mais como ser abrigados nas comunidades fronteiriças.

8 ARTES 8 Quarta-feira, 11 de julho de 2012 QUADRINHOS Steve Jobs vira herói em graphic novel Ideia nasceu e se desenvolveu no mundo das agências de criação publicitária Jotabê Medeiros No universo dos quadrinhos, o mundo corporativo só faz sentido para personagens como Tony Stark e Bruce Wayne, CEOs de empresas, ou Peter Parker e Clark Kent, subalternos em conglomerados de mídia. Mas eis que os quadrinhos fazem o caminho oposto: trazem um herói do mundo corporativo para os gibis. A ideia da graphic novel O Zen de Steve Jobs (de Caleb Melby e Jess3) nasceu e se desenvolveu no mundo das agências de criação publicitária. Por sinal, Jess3 é o nome de uma agência. Para completar, a revista Forbes é a madrinha do empreendimento. É consenso que o fundador da Apple, Steve Jobs ( ), triunfou no mundo dos negócios com métodos e ideias heterodoxas. A graphic novel busca mostrar que parte dessas ideias vieram do convívio com o zen budismo e com as ideias também heterodoxas do monge japonês Kobun, herdeiro de uma linhagem de sacerdotes de zen soto de Kyoto. Kobun era um rebelde em sua terra natal. Frequentou a universidade de Kyoto de 1957 a 1965 e indispôs-se com seus mestres zen por causa da tradição de castigos corporais, que rejeitou. Em 1967, recebeu uma carta de outro monge que estava lecionando num mosteiro em São Francisco, nos Estados Unidos. Ele o convidava a ir à América para criar o primeiro mosteiro zen do país. Kobun foi desaconselhado por seu mestre, mas desobedeceu a ordem e foi para a Califórnia. No início dos anos 1970, Kobun era professor no subúrbio de História mostra que parte das ideias de Jobs vieram do convívio com o zen budismo ESPORTES Divulgação Los Altos e conheceu um jovem chamado Steve Jobs. Tornaramse grandes amigos, numa relação de muito atrito e generosidade mútua. Você é esperto e presunçoso. Eu já fui como você. Temos de mudar isso, disse Kobun a Jobs. Foi o monge que celebrou seu casamento com a mulher de sua vida, Laurene Powell. O cartunista Caleb Melby disse que essas tensões constantes entre Zé Roberto corta a ponteira Mari por questões técnicas, e jogadora não vai a Londres o monge budista e o businessman o levaram a buscar inspiração no personagem Calvin, de Bill Waterson, e a relação que este mantém com seu tigre de pelúcia, Haroldo. Foi Kobun quem ajudou Jobs a se reerguer após o tombo que levou de John Sculley, que o afastou de sua própria empresa em Muitos caminhos - Mas o que poderia haver de comum entre a sabedoria de um mestre zen e as ambições de um milionário da tecnologia? Na mente do perito, existem poucas possibilidades. Na mente do principiante, existem muitas, disse Kobun certa vez. Jobs tentou muitos caminhos antes de seu triunfo. Consumiu drogas lisérgicas, viveu um tempo alimentando-se somente de frutas. Mas foi por meio do estudo da caligrafia, dos grafismos, dos epigramas e dos koan (forma de contar histórias usada pelos budistas zen rinzai) que chegou às formas revolucionárias - como o primeiro grande círculo de controle do ipod. Kobun era uma espécie de antimonge. Adorava fast-food, fumava maconha, parecia distraído. Mas logo se via por que o consideravam um sábio. Você fez aquilo que precisava fazer, lhe diz Jobs uma vez, sobre sua decisão de vir aos Estados Unidos. Aquilo que eu queria fazer, respondeu. Jobs foi até Kobun porque intuía que o caminho dos novos negócios não passava pela forma de pensar dos velhos negociantes - acreditava tanto nisso que fez de Kobun o guru espiritual da Next. É claro que há um esforço de doutrinação na graphic novel, um substrato de autoajuda. Pensar como os vencedores é melhor que pensar como os perdedores, raciocina a cultura de business. LONDRES Olimpíada: foco da seleção está nos exames Ritmo de partidas decisivas e viagens vai exigir muito do condicionamento físico Leonardo Maia A bola vai ficar em segundo plano nestes primeiros dias da preparação da seleção olímpica de futebol. Neste período de concentração no Rio de Janeiro, antes do embarque para os Jogos de Londres, na próxima segunda-feira, o foco serão as avaliações e trabalhos físicos. As principais questões táticas e observações já foram feitas pelo técnico Mano Menezes durante a série de amistosos entre o fim de maio e começo de junho. O objetivo agora é deixar os jogadores na ponta dos cascos para uma competição de tiro curto. Os finalistas do futebol na Olimpíada farão seis jogos em pouco mais de duas semanas. Um ritmo intenso de partidas decisivas e viagens, que vai exigir muito do condicionamento físico do grupo O primeiro jogo do Brasil é no dia 26 contra o Egito. Depois vem a Bielo-Rússia, no dia 29, e Nova Zelândia, em 1.º de agosto A finalíssima será no dia 11 de agosto. Acho que o principal neste período é estar bem fisicamente para a gente poder render o máximo em uma competição rápida como essa, comentou o atacante Hulk, um dos veteranos do elenco, com 25 anos. Hulk vem do fim da temporada europeia e, convocado para os amistosos de preparação, teve pouco tempo de descanso. Mas ele abre mão das férias pelo sonho de conquistar a inédita medalha de ouro olímpica. Em situação distinta está o atacante Lucas. O garoto de 19 anos do São Paulo está em meio de temporada e chega em boas condições físicas a Londres. Tentar nivelar a diferença e minimizar o desgaste entre os diferentes Marcos de Paula / AE Hulk: Principal neste momento é estar bem fisicamente momentos dos jogadores é a missão da equipe técnica da seleção, médicos, preparadores físicos, fisioterapeutas e fisiologistas. Exames - Ontem, os médicos José Luís Runco, Serafim Borges e Luiz Cláudio Baldi conduziram exames cardíacos e ortopédicos e nesta quarta a ênfase vai ser o trabalho físico, durante o treino da tarde na Escola de Educação Física do Exército, na Urca, na zona N Thomaz Bellucci derrota o alemão Robin Kern, por 2 setes a 0, na estreia do Torneio de Stuttgart sul do Rio de Janeiro. Os jogadores nunca gostam dessa parte de fazer exames, testes físicos. A gente gosta mesmo de estar com a bola, disse Lucas. Mas a gente sabe que é importante. O são-paulino e Hulk ficaram lado a lado durante a coletiva de ontem. Mas quando Mano Menezes começar a esboçar os 11 titulares, eles sabem que dificilmente estarão lado a lado em campo. A percepção é que os dois disputam uma posição. Eu jogo mais ou menos no setor do Hulk, ali pela direita. Então vai ser uma disputa difícil. Mas posso jogar onde o professor quiser, destacou Lucas. Ninguém tem posição garantida. Vou buscar o meu espaço, me preparar e o Mano vai decidir. O atacante do Porto, de Portugal, foco da cobiça de clubes ingleses, foi uma surpresa na convocação final como um dos três nomes acima dos 23 anos. Um dos motivos apontados por Hulk para a escolha do treinador é sua versatilidade. Jogo mais pela direita, mas já joguei como referência e até pela esquerda contra a Argentina, lembrou. Em uma coisa eles estão de acordo. Se conquistarem o título, escreverão os seus nomes na história da seleção ao obter feito não realizado por gerações de craques inesquecíveis antes deles. João Marcos Cavalcanti MPB & outras histórias João Marcos Cavalcanti de Albuquerque é advogado formado pela PUC, ex-secretário chefe do gabinete de Cesar Maia, escritor bissexto e estudioso da MPB. Aluno prodígio o primeiro dia de aula em uma escola secundária dos EUA a professora apresentou aos alunos um novo colega: João da Silva, recém chegado do Brasil. A aula começa e a professora pergunta. Vamos ver quem conhece a história americana. Quem disse Dê-me a liberdade ou a morte? Silêncio total na sala. Apenas João levanta a mão e diz. Patrick Henry, em 1775 na Filadélfia. Muito bem, continua a mestra, e quem disse O estado é o povo, e o povo não pode afundar-se? Abraham Lincoln, em 1863 em Washington, responde o brasileirinho. A professora olha os alunos e diz. Vocês não têm vergonha? O Jão não é americano e sabe mais sobre a nossa história que vocês! Então, ouve-se uma voz baixinha, lá ao fundo. Vai tomar banho seu cretino! Quem foi que disse isso, grita a professora. João mais uma vez levanta a mão e prontamente responde. General McArthur, em 7 de dezembro de 1941 em Pearl Harbour, e Lee Iacocca em 1982 na Assembléia Geral da Chrysler. A turma fica em silêncio, mas ouve-se do fundo da sala. Acho que vou vomitar. Quem foi, grita a professora. E João responde mais uma vez. George Bush (pai) ao primeiro-ministro Tanaka durante um almoço, em Tókio, em Voce é um merda, grita um dos alunos. Acabou-se! Quem foi agora, pegunta, já irritada a professora. E João responde mais uma vez. Valentino Rossi, no Grande Prêmio de Moto no Rio de Janeiro, em A turma fica histérica, a professora desmaia, a porta se abre e entra o diretor, que diz. Que balburdia é essa, nunca vi uma confusão destas! O brasileirinho responde Lula para o ministro da Aeronáutica, a respeito do caos aéreo em Dez/2006, Brasília. E outro aluno, num sussurro que ecoou. Ihhh... agora fudeu de vez! João rebate. Lula de novo, após a descoberta do mensalão. O diretor fica estarrecido com a petulância do brasileiro e da humilhação da turma e diz. Vamos reagir, cambada de incompetentes, temos que virar o jogo, vocês esqueceram o que aprendram? Foi ai que João levantouse mais uma vez e disse. Joel Santana para o time do Flamengo, na temporada O diretor demaiou. Até mais. Fluminense se apressa para definir a situação Rafael Sóbis. Contrato do atacante vai até 31 de julho REFORÇO Vasco anuncia contratação do volante Wendel O Vasco anunciou nesta terçafeira a contratação do volante Wendel, ex-santos e campeão brasileiro em 2003 com o Cruzeiro, que estava no Al-Shabab, da Arábia Saudita. O jogador chega para repor as perdas de Romulo e Allan no meio de campo. O atleta, de 30 anos, assinou por três anos e será apresentado hoje, às 11h. Wendel trabalhou com o técnico Cristóvão Borges na seleção pré-olímpica, dirigida por Ricardo Gomes. O volante Eduardo Costa, que ganhou vaga no time titular com a saída de Romulo, disse nesta terça que o ex-colega não era fundamental à equipe. No ano passado, muitos não RACISMO queriam nem que o Romulo jogasse. Mas ele foi crescendo com a equipe. Era um jogador importante? Sim. Mas não se pode colocá-lo como peça fundamental da equipe. O meu currículo, por exemplo, não dá nem para comparar com o do Romulo, disse. Nesta terça, o zagueiro Rodolfo, recuperado de lesão, iniciou o processo de recuperação no campo de São Januário. Os titulares, que empataram com o Figueirense por 1 a 1, fizeram trabalho regenerativo na academia do clube. Eder Luís e o equatoriano Carlos Tenório também fizeram atividades no gramado; ambos se recuperam de lesões. John Terry volta a negar acusação Em depoimento, o zagueiro John Terry voltou a negar nesta terça-feira as acusações de racismo contra o também zagueiro Anton Ferdinand, do Queens Park Rangers. Desta vez, o jogador do Chelsea e da seleção inglesa rebateu a suspeita durante a sua defesa no tribunal que começou a analisar o polêmico caso na última segunda. Terry, de 31 anos, explicou que disse a palavra negro a Ferdinand para questionar a acusação e não para ofendê-lo. O episódio aconteceu durante partida entre Chelsea e Queens Park Rangers no fim de outubro do ano passado.

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Agosto 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

1 a 15 de setembro de 2011

1 a 15 de setembro de 2011 1 a 15 de setembro de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line

Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line Boletim 853/2015 Ano VII 15/10/2015 Força de greves pode diminuir com evolução de canais de serviços on-line O impacto das novas plataformas deve ser maior no médio e longo prazo, principalmente com a

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015

Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015. Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 Os fatos atropelam os prognósticos. O difícil ano de 2015 Reunião CIC FIEMG Econ. Ieda Vasconcelos Fevereiro/2015 O cenário econômico nacional em 2014 A inflação foi superior ao centro da meta pelo quinto

Leia mais

1º a 15 de agosto de 2011

1º a 15 de agosto de 2011 1º a 15 de agosto de 2011 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Cenário Macroeconômico

Cenário Macroeconômico INSTABILIDADE POLÍTICA E PIORA ECONÔMICA 24 de Março de 2015 Nas últimas semanas, a instabilidade política passou a impactar mais fortemente o risco soberano brasileiro e o Real teve forte desvalorização.

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar

BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar ÚLTIMO INSTANTE - 11/03/2015 às 18h28 BOA NOITE INVESTIDOR: Bovespa ajusta, Europa ganha e WS recua com dólar Ásia perde com expectativa para decisão do Federal Reserve Os principais mercados acionários

Leia mais

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira 01 de Dezembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem queda, mas encerra mês em alta Mercado vê inflação maior e PIB baixo em 2015 Casino vai acelerar expansão do Pão de Açúcar Minério de ferro cai 48% e tem pior cenário Brokers fecha

Leia mais

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012

Notícias Economia Internacional. e Indicadores Brasileiros. Nº 1/2 Julho de 2012 Notícias Economia Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 1/2 Julho de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Outubro 008 PIB avança e cresce 6% Avanço do PIB no segundo trimestre foi o maior desde 00 A economia brasileira cresceu mais que o esperado no segundo trimestre, impulsionada

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão

Introdução. PIB varia 0,4% em relação ao 1º trimestre e chega a R$ 1,10 trilhão 16 a 31 de agosto de 2012 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas Coordenação

Leia mais

Panorama Econômico Abril de 2014

Panorama Econômico Abril de 2014 1 Panorama Econômico Abril de 2014 Alerta Esta publicação faz referência a análises/avaliações de profissionais da equipe de economistas do Banco do Brasil, não refletindo necessariamente o posicionamento

Leia mais

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES

Quarta-feira, 21 de Agosto de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa interrompe série de altas Dólar cai após seis altas com ação do BC Tesouro dá liquidez aos títulos Latam registra prejuízo líquido no 2º tri Itaú renova acordo com Fiat Faturamento da Minerva

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2015 Março. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2015 Março Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES

Sexta-feira, 06 de Maio de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bolsa encerra semana em alta Mercado aguarda IPCA para ajustar cenários Divisão Consumo da Hypermarcas cresce 10% M.Dias Branco tem lucro de R$108 mi Contax aprovou R$ 55,4 milhões em dividendos

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana

Dólar sem freios. seu dinheiro #100. Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana #100 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Dólar sem freios Nem intervenções do BC têm sido capazes de deter a moeda americana Festa no exterior Brasileiros continuam gastando cada vez mais fora

Leia mais

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013

Veja na tabela a seguir as performances de cada aplicação em setembro e no acumulado do ano. Desempenho em setembro. Ibovespa 4,84% -17,96% 30/09/2013 Veículo: Exame.com Os melhores e os piores investimentos de setembro Ibovespa fecha o mês com a maior alta, seguido pelos fundos de ações small caps; na renda fixa, a LTN, título do Tesouro prefixado,

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011

Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Relatório Econômico Mensal Agosto 2011 Tópicos Economia Americana: Confiança em baixa Pág.3 EUA X Japão Pág. 4 Mercados Emergentes: China segue apertando as condições monetárias Pág.5 Economia Brasileira:

Leia mais

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011.

Análise CEPLAN Clique para editar o estilo do título mestre. Recife, 17 de agosto de 2011. Análise CEPLAN Recife, 17 de agosto de 2011. Temas que serão discutidos na VI Análise Ceplan A economia em 2011: Mundo; Brasil; Nordeste, com destaque para Pernambuco; Informe sobre mão de obra qualificada.

Leia mais

Em Compasso de Espera

Em Compasso de Espera Carta do Gestor Em Compasso de Espera Caros Investidores, O mês de setembro será repleto de eventos nos quais importantes decisões políticas e econômicas serão tomadas. Depois de muitos discursos que demonstram

Leia mais

INDX avança 4,71% em Fevereiro

INDX avança 4,71% em Fevereiro INDX avança 4,71% em Fevereiro Dados de Fevereiro/15 Número 95 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de fevereiro com elevação

Leia mais

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA

C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA C&M CENÁRIOS 8/2013 CENÁRIOS PARA A ECONOMIA INTERNACIONAL E BRASILEIRA HENRIQUE MARINHO MAIO DE 2013 Economia Internacional Atividade Econômica A divulgação dos resultados do crescimento econômico dos

Leia mais

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA

Panorama da Economia Brasileira. Carta de Conjuntura do IPEA : Carta de Conjuntura do IPEA Apresentadoras: PET - Economia - UnB 25 de maio de 2012 1 Nível de atividade 2 Mercado de trabalho 3 4 5 Crédito e mercado financeiro 6 Finanças públicas Balanço de Riscos

Leia mais

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 25 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao nível de 2009 com tensão global CCR tem expectativa positiva de crescimento para o próximo ano Ações PNA da Vale fecham na menor cotação desde 2006 Corte de produção na China e

Leia mais

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES

Terça-feira, 28 de Abril de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Petrobras é alvo de vendas e puxa correção da bolsa Hypermarcas prevê aumento de preços de produtos de consumo Lopes vende participação majoritária na Dall'Oca Tractebel vê tendência de crescimento

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O saldo total das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional atingiu 54,5% do PIB, com aproximadamente 53% do total do saldo destinado a atividades econômicas. A carteira

Leia mais

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas

O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas O cenário econômico atual e a Construção Civil Desafios e perspectivas 1 O conturbado cenário nacional Economia em recessão: queda quase generalizada do PIB no 2º trimestre de 2015, com expectativa de

Leia mais

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário

Agenda. 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Agenda 1. Conjuntura econômica internacional 2. Conjuntura nacional 3. Construção Civil Geral Imobiliário Cenário Internacional Cenário Internacional Mundo cresce, mas pouco. Preocupação com China 4 EUA

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

China: crise ou mudança permanente?

China: crise ou mudança permanente? INFORMATIVO n.º 36 AGOSTO de 2015 China: crise ou mudança permanente? Fabiana D Atri* Quatro grandes frustrações e incertezas com a China em pouco mais de um mês: forte correção da bolsa, depreciação do

Leia mais

Selic cai e poupança rende menos

Selic cai e poupança rende menos Selic cai e poupança rende menos Publicação: 30 de Agosto de 2012 às 00:00 São Paulo (AE) - O Banco Central anunciou ontem mais uma redução da taxa básica de juros, a Selic, de 8% para 7,5% ao ano. Um

Leia mais

Desempenho de vendas do setor segue forte

Desempenho de vendas do setor segue forte Macro Setorial segunda-feira, 20 de maio de 2013 Veículos Desempenho de vendas do setor segue forte Depois de obter recorde na venda de automóveis e comerciais leves em 2012, impulsionado por incentivos

Leia mais

Indicadores da Semana

Indicadores da Semana Indicadores da Semana O Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa de juros Selic em 0,5 p.p., a 14,25% ao ano, conforme esperado pelo mercado. A decisão ocorreu após elevação de 0,5 p.p no último encontro.

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário

Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário Relatório de Administração Semestre findo em 30 de junho de 2015 JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento Imobiliário 1. Objetivo do fundo O Fundo JS Real Estate Multigestão Fundo de Investimento

Leia mais

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV

RELATÓRIO MENSAL DE INVESTIMENTOS INFINITY JUSPREV São Paulo, 06 de julho de 2010. CENÁRIO ECONÔMICO EM JUNHO A persistência dos temores em relação à continuidade do processo de recuperação das economias centrais após a divulgação dos recentes dados de

Leia mais

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao menor nível desde março de 2009 "Pedaladas" podem virar crédito IPCA subiu 10,78% em 2015 ADRs da Gerdau fecham cotados a US$ 1 Queda pode levar Petrobras a rever preço da gasolina

Leia mais

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8%

INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES GERAL DIVIDENDO - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. Química 12% Papel e Celulose 8% Outubro de 2015 INFORMATIVO FUNDOS GALT FIA - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES O Geral Asset Long Term - GALT FIA é um fundo de investimento que investe em ações, selecionadas pela metodologia de análise

Leia mais

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando

A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando INFORMATIVO n.º 42 NOVEMBRO de 2015 A despeito dos diversos estímulos monetários e fiscais, economia chinesa segue desacelerando Fabiana D Atri - Economista Coordenadora do Departamento de Pesquisas e

Leia mais

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Mudanças aumentam atratividade

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Mudanças aumentam atratividade Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Mudanças aumentam atratividade Duas importantes medidas foram anunciadas no fim de março pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para tornar

Leia mais

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES

Terça-feira 02 de Setembro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Após pesquisa, Ibovespa testa 62 mil pontos Produção industrial avança em julho Empresas do país têm valor comercial recorde Marcopolo entra na nova carteira do Ibovespa Óleo e Gás conclui etapa

Leia mais

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management

Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015. Turim Family Office & Investment Management Relatório Econômico Mensal Agosto de 2015 Turim Family Office & Investment Management ESTADOS UNIDOS TÓPICOS ECONOMIA GLOBAL Economia Global: EUA: PIB e Juros... Pág.3 Europa: Recuperação e Grécia... Pág.4

Leia mais

O CENÁRIO ECONÔMICO EM 2015

O CENÁRIO ECONÔMICO EM 2015 O CENÁRIO ECONÔMICO EM 2015 Luís Artur Nogueira Jornalista e economista Editor de Economia da IstoÉ DINHEIRO Comentarista Econômico da Rádio Bandeirantes São Paulo 11/11/2014 Qual é o verdadeiro Brasil?

Leia mais

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015. DESTAQUES

Quarta-feira, 26 de Agosto de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa reduz ganhos no fechamento, pressionada por Wall Street Petrobras amplia exigências à Sete Brasil Por Lucro das empresas de capital aberto no Brasil cresce no 2º trimestre FGV: Índice

Leia mais

Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini

Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini Discurso Presidente do Banco Central do Brasil Alexandre Tombini Boa tarde. É com satisfação que estamos aqui hoje para anunciar o lançamento das novas cédulas de 10 e 20 reais, dando sequência ao projeto

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/2015 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo

GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/2015 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo GERAÇÃO DE EMPREGOS FORMAIS - JULHO/215 1. Geração de Empregos no Brasil - Mercado de Trabalho Segue Demitindo O Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) divulgou os dados do Cadastro Geral de Empregados

Leia mais

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL

INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL INDICADORES INDUSTRIAIS RIO GRANDE DO SUL OUTUBRO DE 2014 Outubro de 2014 www.fiergs.org.br Indústria cresce pelo quarto mês seguido O IDI/RS, Índice de Desempenho Industrial do Rio Grande do Sul, apontou

Leia mais

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil

Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Análise Macroeconômica Projeto Banco do Brasil Segundo Trimestre de 2013 Energia Geração, Transmissão e Distribuição Conjuntura Projeto Banco Macroeconômica do Brasil Energia Geração, Transmissão e Distribuição

Leia mais

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015. DESTAQUES

Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015. DESTAQUES Segunda-feira, 28 de Setembro de 2015 DESTAQUES Bovespa perde 5% na semana e já cai mais de 10% ano Dólar alto e PIB pioram endividamento de empresas Petrobras terá de se ajustar ao novo dólar CSN alonga

Leia mais

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro

Monitor do Déficit Tecnológico. Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro Monitor do Déficit Tecnológico Análise Conjuntural das Relações de Troca de Bens e Serviços Intensivos em Tecnologia no Comércio Exterior Brasileiro de 2012 Monitor do Déficit Tecnológico de 2012 1. Apresentação

Leia mais

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013

PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA VOL. 3, Nº 5, JUNHO DE 2013 PANORAMA EUA OBSERVATÓRIO POLÍTICO DOS ESTADOS UNIDOS INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA PARA ESTUDOS SOBRE OS ESTADOS UNIDOS INCT-INEU ISSN 2317-7977 VOL.

Leia mais

Relatório Mensal Agosto/2015

Relatório Mensal Agosto/2015 1. Cenário Econômico Relatório Mensal GLOBAL: A ata da reunião de julho do FOMC (Federal Open Market Committee) trouxe um tom mais conciliador. Embora a avaliação em relação à atividade econômica tenha

Leia mais

Quinta-feira 15 de Janeiro de 2015. DESTAQUES

Quinta-feira 15 de Janeiro de 2015. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa segue mercados internacionais Confiança na equipe chega aos ativos Economia tem leve recuperação em novembro Presidente da Estácio explica Fies a funcionários GPA tem estratégia questionada

Leia mais

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional:

Relatório Mensal. Janeiro de 2015. Cenário Internacional: Relatório Mensal Janeiro de 2015 Cenário Internacional: EUA O diagnóstico dos membros do Federal Open Market Comittee (Fomc) sobre a atividade econômica é positivo: os EUA estão crescendo mais que a previsão,

Leia mais

INDX acumula ganho de 3,23% em 2013

INDX acumula ganho de 3,23% em 2013 INDX acumula ganho de 3,23% em 2013 Dados de Dezembro/13 Número 81 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de dezembro de 2013

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

1 a 15 de setembro de 2015

1 a 15 de setembro de 2015 1 a 15 de setembro de 2015 As principais informações da economia mundial, brasileira e baiana INTRODUÇÃO Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia Diretoria de Indicadores e Estatísticas

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 Nota à Imprensa 11 de maio de 2009 Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 O preço médio do barril do petróleo tipo Brent caiu 55%, passando de US$ 97 no 1º trimestre de 2008

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014

ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 ATA DE REUNIÃO DO COMITÊ DE INVESTIMENTOS - COMIN COMIN - Nº 08/2014 Data: 29/04/2014 Participantes Efetivos: Edna Raquel Rodrigues Santos Hogemann Presidente, Valcinea Correia da Silva Assessora Especial,

Leia mais

Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175

Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175 Carta Mensal Abr/Mai de 2013 nº 175 Destaques do mês - Preocupado com a inflação, mas também com as incertezas do cenário internacional, Copom inicia ciclo de aperto monetário com elevação de apenas 0,25%

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SEMANA DE 29 DE OUTUBRO A 1º DE NOVEMBRO Um dos destaques desta semana é a reportagem do UOL sobre o recuo de 1% na produção industrial brasileira, entre setembro

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL II RELATÓRIO ANALÍTICO II RELATÓRIO ANALÍTICO 15 1 CONTEXTO ECONÔMICO A quantidade e a qualidade dos serviços públicos prestados por um governo aos seus cidadãos são fortemente influenciadas pelo contexto econômico local, mas

Leia mais

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano

Análise Semanal. Edição nº 23 10/07/15 CONJUNTURA ECONÔMICA. Mais um plano Mais um plano CONJUNTURA ECONÔMICA A chave da agenda positiva tão perseguida pelo governo federal em tempos de crise política e volta da inflação parece ser a preservação dos empregos. Na última terça-feira

Leia mais

Rumor sobre Palocci na equipe e menção a corte de gastos animam mercado

Rumor sobre Palocci na equipe e menção a corte de gastos animam mercado 04/11 > Brasil Econômico (03/11) OPINIÃO - COLUNA Colunas Brasil Econômico Home Broker Home broker Quarta-feira, 03 de novembro de 2010 Porto Seguro rompe resistência O destaque da segunda-feira foi o

Leia mais

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014

ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015. Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 ECONOMIA BRASILEIRA DESEMPENHO RECENTE E CENÁRIOS PARA 2015 Prof. Antonio Lanzana Dezembro/2014 SUMÁRIO 1. Economia Mundial e Impactos sobre o Brasil 2. A Economia Brasileira Atual 2.1. Desempenho Recente

Leia mais

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest

Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest Cenário Macroeconômico 2015 X-Infinity Invest SUMÁRIO PANORAMA 3 ATUAL CONTEXTO NACIONAL 3 ATUAL CONTEXTO INTERNACIONAL 6 CENÁRIO 2015 7 CONTEXTO INTERNACIONAL 7 CONTEXTO BRASIL 8 PROJEÇÕES 9 CÂMBIO 10

Leia mais

Análise dos resultados

Análise dos resultados Análise dos resultados Pesquisa Anual da Indústria da Construção - PAIC levanta informações sobre o segmento empresarial da indústria da construção em A todo o Território Nacional. A presente análise visa

Leia mais

Quarta-feira, 25 de Setembro de 2013. DESTAQUES

Quarta-feira, 25 de Setembro de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa tem dia de correção Teto da dívida dos EUA agita mercado Vale negocia contratos nos EUA Embraer passa a deter ações da Atech TIM e Vivo tem forte alta Retomada a oferta de ações Tupy

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e

Fundo de Investimento Imobiliário Península (Administrado pelo Banco Ourinvest S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e Fundo de Investimento Imobiliário Península Demonstrações financeiras em 31 de dezembro de 2009 e de 2008 e parecer dos auditores independentes 2 3 Balanços patrimoniais em 31 de dezembro Ativo 2009 2008

Leia mais

São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015.

São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015. São Paulo (SP), 14 de agosto de 2015. Discurso do Ministro Alexandre Tombini, Presidente do Banco Central do Brasil, na abertura do X Seminário Anual sobre Riscos, Estabilidade Financeira e Economia Bancária.

Leia mais

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento

Relatório Semanal de Estratégia de Investimento 12 de janeiro de 2015 Relatório Semanal de Estratégia de Investimento Destaques da Semana Economia internacional: Deflação na Europa reforça crença no QE (22/11); Pacote de U$1 trilhão em infraestrutura

Leia mais

Terça-feira, 03 de Setembro de 2013. DESTAQUES

Terça-feira, 03 de Setembro de 2013. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa beira os 52 mil pontos Estrangeiros ampliam aposta na alta Produção da Petrobras no Brasil cai 4,6% Produção industrial muda de direção e cai 2% ATS tenta acelerar estreia no Brasil Disputa

Leia mais

Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual

Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual Perspectivas da Economia Brasileira em 2013 e Reforma do ICMS Interestadual Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 21 de março de 2013 1 A economia

Leia mais

CONTRICOM REÚNE CONSELHO E DIRETORIA PARA DISCUTIR CRISE NA CONSTRUÇÃO

CONTRICOM REÚNE CONSELHO E DIRETORIA PARA DISCUTIR CRISE NA CONSTRUÇÃO BOLETIM 2 Brasília, 3 de novembro de 2015 CONTRICOM REÚNE CONSELHO E DIRETORIA PARA DISCUTIR CRISE NA CONSTRUÇÃO A diretoria da CONTRICOM realizará esta semana, entre os dias 5 e 6 de novembro, reunião

Leia mais

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014. DESTAQUES

Segunda-feira, 03 de Fevereiro de 2014. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa perde 7,5% em janeiro Mercado eleva projeção para a Selic Petrobras terceiriza parte das refinarias BTG mira mercado de previdência Localiza tem lucro líquido de R$90 milhões Cade aprova

Leia mais

4097610 - O ESTADO DE S. PAULO - ESPORTES - SÃO PAULO - SP - 04/12/2013 - Pág A 27

4097610 - O ESTADO DE S. PAULO - ESPORTES - SÃO PAULO - SP - 04/12/2013 - Pág A 27 Morumbi vai ter cobertura 4097610 - O ESTADO DE S. PAULO - ESPORTES - SÃO PAULO - SP - 04/12/2013 - Pág A 27 O São Paulo assinará no próximo dia 17 o contrato com a Andrade e Gutierrez para viabilizar

Leia mais

Quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016. DESTAQUES

Quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa recua com ajustes ao cenário externo Governo quer idade mínima na aposentadoria em 2026 Escândalo da Petrobras é eleito o 2º maior caso de corrupção Governo desiste de taxar letras de

Leia mais

Mercados nervosos, investidores tensos. O que pensar?

Mercados nervosos, investidores tensos. O que pensar? 16/07/2008 Mercados nervosos, investidores tensos. O que pensar? Paulo Ângelo Carvalho de Souza Presidente Bolsas em queda; juros em alta; rentabilidade em queda; inflação em alta; preço do petróleo fora

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junio 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Altas e Baixas do Ibovespa. Câmbio. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa já iniciou o ano novo indicando que será mais um período de muita volatilidade para as ações. Diante de um cenário de grandes incertezas do lado doméstico e de olho nos acontecimentos

Leia mais

O consumo, a crise, os comportamentos de compra e as estratégias empresariais

O consumo, a crise, os comportamentos de compra e as estratégias empresariais O consumo, a crise, os comportamentos de compra e as estratégias empresariais Prof. Celso Cláudio de Hildebrand e Grisi celsogrisi@fractalconsult.com.br 1 - Se, no primeiro momento, o consumo caiu de forma

Leia mais

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM?

Valor: Qual a fatia de investidores da América Latina no ESM? Entrevista com Klaus Regling, Diretor Executivo do Mecanismo Europeu de Estabilidade (ESM) Valor Econômico, 16 de julho de 2013 Valor: Por que buscar investidores no Brasil agora? Klaus Regling: Visitamos

Leia mais

CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII

CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CSHG RECEBIVEIS IMOBILIARIOS FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO FII CNPJ 11.160.521/0001-22 Administradora: Credit Suisse Hedging-Griffo Corretora de Valores S.A. CNPJ: 61.809.182/0001-30 I. Objeto do Fundo

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

made in Brazil seu dinheiro A vez do carro #105 Alta da moeda americana derruba vendas de importados

made in Brazil seu dinheiro A vez do carro #105 Alta da moeda americana derruba vendas de importados #105 seu dinheiro a sua revista de finanças pessoais Alta da moeda americana derruba vendas de importados oferecimento: A vez do carro made in Brazil Passporte carimbado Dólar caro não contém viagens de

Leia mais

Choques Desequilibram a Economia Global

Choques Desequilibram a Economia Global Choques Desequilibram a Economia Global Uma série de choques reduziu o ritmo da recuperação econômica global em 2011. As economias emergentes como um todo se saíram bem melhor do que as economias avançadas,

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Desindustrialização e Produtividade na Indústria de Transformação

Desindustrialização e Produtividade na Indústria de Transformação Desindustrialização e Produtividade na Indústria de Transformação O processo de desindustrialização pelo qual passa o país deve-se a inúmeros motivos, desde os mais comentados, como a sobrevalorização

Leia mais

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros

Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros 1 Bancos brasileiros prontos para um cenário de crescimento sustentado e queda de juros Tomás Awad Analista senior da Itaú Corretora Muito se pergunta sobre como ficariam os bancos num cenário macroeconômico

Leia mais