- CPF: Direito Eleitoral para Tribunais 100 Questões Comentadas Professor: Bruno Oliveira

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "- CPF: Direito Eleitoral para Tribunais 100 Questões Comentadas Professor: Bruno Oliveira"

Transcrição

1 Olá amigos concurseiros! Como vocês estão? Estudando muito? Estou aqui animadíssimo para iniciarmos o nosso Curso de 100 Questões Comentadas de Direito Eleitoral. Para quem ainda não me conhece meu nome é Bruno Ferreira de Oliveira, hoje com 27 anos, residente em Uberlândia/MG. Sou graduado em Letras pela Universidade Federal de Uberlândia e Pós-Graduação em Direito Eleitoral. Minha história com o Direito Eleitoral iniciou-se há 3 anos. Irei resumir para vocês minha história na vida de concurseiro. Em 2010 estava eu me preparando para o Concurso do STM (Superior Tribunal Militar), primeiro concurso de vários que prestei desde então. Resultado: DESASTRE. (rs) Mas vocês acham que eu desanimei? É claro que não. Depois desse fiz INMETRO, Ministério Público do RJ, Câmara dos Deputados, Senado Federal, Secretaria do Estado da Educação MG (Cargo de Professor de Língua Portuguesa e Inglesa) e vários outros. é outro. Não ficarei aqui detalhando todos eles, pois acho que o interesse de vocês Logrei aprovação na Secretaria do Estado da Educação MG, hoje professor efetivo do Estado de Minas Gerais. Faço o que gosto e amo o que faço. Mas vocês me perguntam? Professor, o que Direito Eleitoral tem haver com isso tudo? O Direito Eleitoral nasceu pra mim, ou eu nasci para o Direito Eleitoral, mais ou menos isso. (rs) Prof. Bruno Oliveira 1

2 Amo esse ramo do Direito, mas amo de paixão mesmo. Estudo há vários anos e posso dizer com toda certeza que farei o possível e impossível para passar a vocês tudo o que eu sei e aprendi nesses anos. Curso Pós-graduação em Direito Eleitoral, mostrando mais ainda a minha capacidade na realização desse curso a todos vocês. Neste Curso de de Direito Eleitoral abrangeremos os cargos mais procurados na Justiça Eleitoral. Os cargos mais procurados são: Técnico Judiciário Área Administrativa Analista Judiciário Área Administrativa Analista Judiciário Área Judiciária Vamos observar agora o que normalmente é cobrado nas provas tanto para Técnico quanto para Analista (Administrativo e Judiciário) nos Tribunais: ANALISTA ADMINISTRATIVO E TÉCNICO JUDICIÁRIO NOÇÕES DE DIREITO ELEITORAL (PARA TODOS OS CARGOS, EXCETO PARA O CARGO DE ANALISTA JUDICIÁRIO- ÁREA JUDICIÁRIA): Princípios constitucionais relativos aos direitos políticos (nacionalidade, elegibilidade e partidos políticos) de que trata o Capítulo IV do Título I da Constituição em seus arts. 14 a 18. Código Eleitoral (Lei n.o 4.737, de 1965, e respectivas atualizações, inclusive Lei n.º 9.504, de 1997). Dos órgãos da Justiça Eleitoral. Dos Tribunais Regionais Eleitorais. Dos juízes eleitorais. Das juntas eleitorais: composição e atribuições. Resolução TSE n.º , de 14 de outubro de 2003, publicada no Diário da Justiça, de 3 de novembro de ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIO DIREITO ELEITORAL: Conceito e fontes. Princípios constitucionais relativos aos direitos políticos (nacionalidade, elegibilidade e partidos políticos) de que trata o Capítulo IV do Título I da Constituição em seus arts. 14 a 17. Lei n.º 4.737/65 (Código Eleitoral) e alterações posteriores. Organização da Justiça Eleitoral: composição e competências; Ministério Público Eleitoral: atribuições. Alistamento eleitoral: (Resolução TSE n.º /03, publicada no Diário da Justiça da União de 03 de novembro de 2003 e alterações posteriores); Ato e efeitos da inscrição, transferência e encerramento. Cancelamento e exclusão do eleitor; Revisão Eleitoral; Prof. Bruno Oliveira 2

3 Domicílio eleitoral. O dever eleitoral (voto): sanções ao inadimplemento, isenção, justificação pelo não comparecimento à eleição. Privilégios e garantias eleitorais (aspectos gerais, liberdade no exercício do sufrágio, fornecimento gratuito de transporte, em dias de eleição, a eleitores residentes nas zonas rurais - Lei n.º 6.091/74 e alterações posteriores). Partidos políticos (Lei n.º 9.096/95 e alterações posteriores): conceituação, natureza jurídica, criação e registro, funcionamento parlamentar, programa, estatuto, filiação, fidelidade e disciplina partidárias, fusão, incorporação e extinção, finanças e contabilidade, fundo partidário, acesso gratuito ao rádio e à televisão. Processo de perda de cargo eletivo em decorrência de desfiliação partidária sem justa causa e de justificação de desfiliação partidária (Resolução TSE n.º /2007). Elegibilidade: conceito e condições. Inelegibilidade (Lei Complementar n.º 64/90 e alterações posteriores): conceito, fatos geradores de inelegibilidade e desincompatibilização. Registro de candidatura: pedido, substituição, cancelamento, impugnação (Constituição, Lei n.º 9.504/97 e Lei Complementar n.º 64/90) Eleições (Lei n.º 9.504/97 e alterações, Lei n.º 4.737/65 (Código Eleitoral) e alterações posteriores). Sistema eleitoral: princípio majoritário e proporcional, representação proporcional. Coligações. Convenções para escolha de candidatos. Arrecadação e aplicação de recursos nas campanhas eleitorais. Prestação de contas das campanhas eleitorais. Pesquisas eleitorais. Propaganda eleitoral. Propaganda eleitoral antecipada e propaganda irregular. Direito de resposta. Sistema eletrônico de votação e da totalização dos votos. Apuração nas Juntas Eleitorais, nos Tribunais Regionais e no Tribunal Superior Eleitoral. Diplomação dos eleitos: natureza jurídica, competência para diplomar e fiscalização. Recursos eleitorais: cabimento, pressupostos de admissibilidade, processamento, efeitos e prazos. Abuso de poder, corrupção e outros ilícitos no processo eleitoral. Investigação Judicial Eleitoral (Lei Complementar n 64/90 e alterações posteriores). Representação por propaganda eleitoral irregular (Lei n.º 9.504/97). Condutas vedadas aos agentes públicos em campanhas eleitorais (Lei n.º 9.504/97). Doação de recursos para campanhas eleitorais acima do limite legal (Lei n.º 9.504/97). Captação ou gastos ilícitos de recursos para campanhas eleitorais (Lei n.º 9.504/97). Captação ilícita de sufrágio (Lei n.º 9.504/97). Recurso Contra Expedição de Diploma (Lei n.º 4.737/65 - Código Eleitoral). Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (Constituição). Ação rescisória eleitoral. Das disposições penais. Crimes eleitorais: normas gerais. Boca de urna. Corrupção eleitoral. Falsidade ideológica. Processo Penal Eleitoral: ação penal, competência em matéria criminal eleitoral, rito processual penal eleitoral com aplicação subsidiária do Código de Processo Penal. Jurisprudência em matéria eleitoral atualizada. Prof. Bruno Oliveira 3

4 A partir de tais conteúdos resolveremos 100 questões. Tenho certeza que vocês vão adorar. O cronograma das questões será o seguinte: 1. Direitos Políticos na CF/88...PÁG:05 2. Organização da Justiça Eleitoral...PÁG:18 3. Competência da Justiça Eleitoral...PÁG:35 4. Alistamento Eleitoral...PÁG:53 5. Sistema Eleitoral...PÁG:71 6. Propaganda Eleitoral...PÁG:87 7. Crimes Eleitorais...PÁG: Lei das Eleições...PÁG: DIREITOS POLÍTICOS NA CF/88 1. A suspensão ou perda de direitos políticos não dá causa ao cancelamento do alistamento eleitoral. Certo ou Errado Claro que está errado. O cancelamento do alistamento eleitoral é sua suspensão temporária no direito de votar, sendo assim temos a exclusão do eleitor no cadastro de eleitores. São várias as causas de cancelamento do título, tais como: falecimento do eleitor, deixar de votar em três eleições consecutivas sem se justificar e pagar multa, pluralidade de inscrições, etc. Resumindo, a suspensão ou perda dos direitos políticos enseja sim o cancelamento do alistamento eleitoral. Gabarito: Errado Prof. Bruno Oliveira 4

5 2. (CESPE/ PROMOTOR DE JUSTIÇA MPE-AM) Conforme a Constituição da República, o instituto da inelegibilidade destina-se a proteger a probidade administrativa, a moralidade para o exercício do mandato em razão da qual se considera a vida pregressa do candidato e a normalidade e legitimidade das eleições contra a influência do poder econômico ou o abuso do exercício da função, cargo ou emprego da administração direta ou indireta. Considerando os princípios constitucionais e a Lei de Inelegibilidade Lei Complementar n.º 64/1990, assinale a opção correta. a) Ocupante do cargo de governador de estado é obrigado a renunciar ao mandato para candidatar-se a deputado federal. b) Ocupante do cargo de governador de estado é obrigado a se licenciar do mandato para candidatar-se a deputado federal. prefeito. c) Cidadão analfabeto pode ser candidato a vereador, mas não, a d) Pessoa submetida a processo em que é acusada da prática de crime hediondo somente pode candidatar-se após o trânsito em julgado. e) Irmão de governador de estado pode ser candidato em qualquer eleição, desde que já seja ocupante de algum cargo eletivo. Pessoal, esta questão trata da INELEGIBILIDADE ABSOLUTA e da INELEGIBILIDADE REFLEXA. De acordo com o parágrafo 6º do Artigo 14 da Constituição Federal de 1988 temos o seguinte: Art. 14 (...) 6º - Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito. No caso da questão, temos um candidato no cargo de governador que deseja se candidatar ao cargo de deputado federal. Sendo assim, como se trata de um cargo diferente, obrigatoriamente deverá RENUNCIAR ao cargo antigo até 6 meses antes do pleito. Prof. Bruno Oliveira 5

6 Portanto, a letra A está correta. O erro da letra B é quando diz licenciar, e o certo é renunciar. O erro da letra C é que o ANALFABETO não é elegível a nenhum cargo. Já o erro da letra D é que somente após o trânsito em julgado é que temos impedimento a candidatura, até esse procedimento o mesmo poderá se candidatar normalmente. E por fim, o erro da letra E é que o irmão do governador poderá se candidatar a qualquer eleição, sendo que não, somente se candidato à reeleição. CF/88, art. 14, 7º: ""São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes, consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos 6 (seis) meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição." Entenderam? Gabarito: Letra A 3. (CESPE/ TRIBUNAL DE JUSTIÇA-AL/JUIZ) Assinale a opção que expressa a condição jurídica em que se encontra um candidato a prefeito detido em flagrante pelos crimes de homicídio e formação de quadrilha, cujo processo por tais fatos ainda não tenha se iniciado. a) Permanecerá candidato a prefeito até o trânsito em julgado de sentença condenatória. b) O candidato tem direito a habeas corpus de ofício desde a data da homologação do pedido de registro de sua candidatura pela justiça eleitoral. c) O candidato será inelegível enquanto permanecer detido, seja em face de prisão provisória, seja para preservação das investigações. d) O candidato se torna inelegível porque primariedade eleitoral é equiparada a bons antecedentes para esse efeito. Prof. Bruno Oliveira 6

7 e) Somente a prática de crime contra a administração pública implica a inelegibilidade. Caríssimos, o segredo da questão está em o examinador dizer cujo processo por tais fatos ainda não tenha se iniciado, portanto como não se deu o trânsito em julgado ainda, poderá o candidato a prefeito permanecer na disputa pelo pleito normalmente. De acordo com o artigo 1º da LC 64 parágrafo 1º temos: Art. 1º São inelegíveis: I - para qualquer cargo: e) os que forem condenados, em decisão transitada em julgado ou proferida por órgão judicial colegiado, desde a condenação até o transcurso do prazo de 8 (oito) anos após o cumprimento da pena, pelos crimes: Então somente após o trânsito em julgado que ele estaria impedido de continuar na disputa eleitoral. Sendo assim, o gabarito é a letra A. Gabarito: Letra A 4. (ISAE/2011 AL-AM/PROCURADOR) No sistema eleitoral brasileiro não podem ser eleitores: a) os maiores de dezoito anos. b) os analfabetos. c) os maiores de setenta anos. d) os conscritos. e) os naturalizados. A questão solicita do candidato o conhecimento do Art. 14 da CF/88 no que tange o alistamento. Prof. Bruno Oliveira 7

8 Sabemos que o alistamento é facultativo para os analfabetos, maiores de 16 e menores de 18 anos e maiores de 70 anos e obrigatório para os maiores de 18 anos. Vale ressaltar que os estrangeiros e os conscritos, ou seja, os alistáveis não poderão se alistar. Trata-se de uma vedação da CF/88. Vejamos: Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante: 1º - O alistamento eleitoral e o voto são: I - obrigatórios para os maiores de dezoito anos; II - facultativos para: a) os analfabetos; b) os maiores de setenta anos; c) os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos. 2º - Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e, durante o período do serviço militar obrigatório, os conscritos. Portanto, o gabarito é a letra "D". Gabarito: Letra D 5. (ISAE/2011 AL-AM/PROCURADOR) A candidatura a cargos eletivos obedece a determinados períodos de desincompatibilização para caracterizar a elegibilidade. Não se inclui no prazo de até seis meses depois de afastados do cargo/função quando a eleição é para Vice-Presidente da República quem ocupa o cargo de: a) Presidente da República. b) Ministro de Estado. c) Advogado Geral da União. d) Comandante do Exército. e) Governador do Estado. Prof. Bruno Oliveira 8

9 Meus amigos, esta questão exige do candidato o conhecimento do Art. 14 Parágrafo 6º da CF/88: Art. 14 6º - Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito. Sendo assim, os chefes do executivo quando forem concorrer a outros cargos precisam se afastar até 6 meses antes das eleições. Porém, ao lermos a LC 64/90 temos assim: Art. 1º: São inelegíveis: (...) II- Para Presidente e Vice-Presidente da República: a) Até 6 (seis) meses depois de afastados definitivamente de seus cargos e funções: 1. Os Ministros de Estado; 5. O Advogado Geral da União e o Consultor Geral da República; 7. Os Comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica; (...) 10. Os Governadores de Estado, do Distrito Federal e dos Territórios; Conforme podemos ver, o vice-presidente não está nesse rol, sendo assim, poderá se candidatar a presidência sem necessidade de se desincompatibilizar. Portanto, gabarito letra "A". Gabarito: Letra A 6. (CESPE/2007 DPU/DEFENSOR PÚBLICO) É requisito de elegibilidade o domicílio eleitoral no local da eleição por no mínimo dois anos. Certo Errado Questão errada né meus caros! Prof. Bruno Oliveira 9

10 Sabemos que a comprovação de domicílio eleitoral na circunscrição é um dos requisitos para elegibilidade. Além disso a comprovação deverá ser de no mínimo 1 ano e não 2 anos como foi informado na questão. O artigo 9º da Lei 9504 nos clareia isso: Art. 9º Para concorrer às eleições, o candidato deverá possuir domicílio eleitoral na respectiva circunscrição pelo prazo de, pelo menos, um ano antes do pleito e estar com a filiação deferida pelo partido no mesmo prazo. Sendo assim, questão errada. Gabarito: Errado 7. (CESPE/ TRE-RJ/ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA) Os analfabetos, mesmo aqueles que se tenham alistado, são inelegíveis para qualquer cargo. Certo Errado Pessoal, precisamos ficar bem tentos a uma coisa. Aos analfabetos é facultativo o alistamento e o voto, certo? Mas eles serão inelegíveis a qualquer cargo, mesmo que tenham se alistado. Ou seja, se um analfabeto quer votar, ok? A CF permite. Porém, a mesma CF veda que os analfabetos se elejam a qualquer cargo. Vejamos o dispositivo da CF/88: Art. 14 4º - São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos. Portanto, questão CORRETA. Gabarito: Certo Prof. Bruno Oliveira 10

11 8. (CESPE/ TJ-BA/JUIZ) Com relação às disposições constitucionais e legais acerca das condições de elegibilidade, cuja aplicação é disciplinada pela justiça eleitoral, assinale a opção correta. a) O candidato a senador da República deve ser aprovado em convenção partidária e contar com mais de trinta e cinco anos de idade na data das eleições. b) Candidato a presidente da República deve contar com mais de trinta anos de idade na data da inscrição da candidatura. c) Candidato a prefeito deve contar com vinte e um anos de idade na data das eleições. d) Candidato a vereador deve ter domicílio eleitoral no município e, pelo menos, dezoito anos de idade na data da convenção partidária. e) Candidato a governador de estado deve ser filiado a partido político e ter, na data da posse, trinta anos de idade. Pessoal, esta questão basicamente nos cobra a idade mínima exigida para cada cargo. Abaixo temos um resumo: 35 anos para Presidente e Vice-Presidente da República e Senador; 30 anos para Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal; 21 anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juiz de paz; 18 anos para Vereador. Avaliando as alternativas temos: A) Incorreta. Realmente são 35 anos para Senador, porém a comprovação da idade se dá no ato da posse e não no dia das eleições. B) Incorreta. Para presidente da república exige-se 35 anos no mínimo., porém a comprovação é no ato da posse. C) Incorreta. Prefeito exige-se 21 anos, mas novamente é no ato da posse a comprovação da idade. Prof. Bruno Oliveira 11

12 D) Incorreta. O domicílio eleitoral é na circunscrição, ou seja, pode abranger mais de um município e os 18 anos exigidos é no ato da posse. E) Correta. Sobre a comprovação no ato da posse, encontramos no artigo 11, parágrafo 2º da Lei 9504/1997: A idade mínima constitucionalmente estabelecida como condição de elegibilidade é verificada tendo por referência a data da posse. Portanto, gabarito letra "E". Gabarito: Letra E 9. (FCC/ MPE-AP/ANALISTA MINISTERIA-DIREITO) Considere as situações hipotéticas abaixo. I. Bruno é irmão adotivo do Governador do Estado do Amapá. II. Débora é sobrinha do Presidente da República. III. Fabiana é cunhada do Prefeito da cidade de Macapá. IV. Simone é prima do Presidente da República. De acordo com a Constituição Federal brasileira, são, em regra, inelegíveis no território de jurisdição do titular APENAS a) Bruno e Simone. b) Bruno, Fabiana e Débora. c) Fabiana e Débora. d) Débora, Fabiana e Simone. e) Bruno e Fabiana. Galera, exigiu-se do candidato nesta questão o conhecimento sobre a inelegibilidade reflexa, ou seja evitar a presença de familiares no poder. O parágrafo 7º do Artigo 14 nos remete o seguinte: Prof. Bruno Oliveira 12

13 Art. 14 7º - São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição. Temos aqui o bloqueio "ATÉ O SEGUNDO GRAU". Dos parentescos da questão temos que: BRUNO (PARENTE POR ADOÇÃO): INELEGÍVEL DÉBORA (SOBRINHA - 3º GRAU): ELEGÍVEL FABIANA (CUNHADA - 2º GRAU): INELEGÍVEL SIMONE (PRIMA - 4º GRAU): ELEGÍVEL A banca pediu os inelegíveis, portanto, Bruno e Fabiana são. Gabarito: Letra E 10. (FCC/ TRE-CE/ANALISTA JUDICIÁRIO-ÁREA JUDICIÁRIA) Pedro tem 32 anos de idade. Mesmo preenchidos os demais requisitos legais, NÃO poderá, em razão da sua idade, candidatar-se, dentre outros, ao cargo de: a) Prefeito Municipal. b) Governador de Estado. c) Deputado Federal d) Deputado Estadual. Prof. Bruno Oliveira 13

14 e) Senador Mais uma vez temos a exigência do conhecimento acerca da idade mínima com requisito legal para elegibilidade. Remeto novamente ao resuminho que fizemos em uma questão anterior: 35 anos para Presidente e Vice-Presidente da República e Senador; 30 anos para Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal; 21 anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juiz de paz; 18 anos para Vereador. A banca informou que Pedro tem 32 anos, e questionou qual dos cargos ele NÃO poderia assumir. Com 32 anos ele poderia assumir todos os cargos, exceto os de: PRESIDENTE e VICE-PRESIDENTE da República e SENADOR. Como não tem nas alternativas Presidente e Vice, o gabarito é a letra E. Gabarito: Letra E 2. QUESTÕES COMENTADAS SOBRE ORGANIZAÇÃO DA JUSTIÇA ELEITORAL 11. (CESPE TRE-RJ - Técnico Judiciário - Área Administrativa) As juntas eleitorais devem ser compostas, necessariamente, por, pelo menos, um juiz eleitoral. Certo Errado Errado pessoal. O erro desta questão está no necessariamente. Sabemos que as juntas eleitorais serão compostas de um juiz de direito que exercerá a função de juiz eleitoral e de 2 ou 4 cidadãos de notória idoneidade. Prof. Bruno Oliveira 14

15 Portanto, não necessariamente será juiz eleitoral. Até porque caso não haja juiz eleitoral disponível, poderá ser convocados juízes de direito para a vaga. Certinho? Portanto, o gabarito está ERRADO. Gabarito: Errado 12. (CESPE TRE-RJ - Técnico Judiciário - Área Administrativa) A nomeação dos membros das juntas eleitorais deve ocorrer sessenta dias antes das eleições, e a escolha desses membros deve ter sido aprovada pelo tribunal regional eleitoral. Certo Errado Vocês lembram que falamos isso em nossa aula, não lembram? Está correto que a nomeação dos membros das juntas eleitorais ocorrerá 60 dias antes das eleições. Para recordar temos: 70 dias antes das eleições: DIVULGAÇÃO DOS NOMES DOS MEMBROS 60 dias antes das eleições: NOMEAÇÃO DOS MEMBROS PELO PRESIDENTE DO TRE E a escolha desses membros deverá sim ser aprovada pelo Presidente do Tribunal Regional Eleitoral. Observem o que reza o artigo 36 do Código Eleitoral: Art. 36. Compor-se-ão as juntas eleitorais de um juiz de direito, que será o presidente, e de 2 (dois) ou 4 (quatro) cidadãos de notória idoneidade. 1º Os membros das juntas eleitorais serão nomeados 60 (sessenta) dia antes da eleição, depois de aprovação do Tribunal Regional, pelo presidente deste, a quem cumpre também designar-lhes a sede. Prof. Bruno Oliveira 15

16 Gabarito: Certo 13. (CESPE TRE-PR - Analista Judiciário - Análise de Sistemas) A justiça eleitoral é formada pelo TSE, por um TRE em cada estado e no DF, pelas juntas eleitorais e pelos juízes eleitorais. Certo Errado Questão facílima, estou certo? É realmente esta a composição da Justiça Eleitoral no Brasil. Ela é formada por: TSE TRE em cada estado e no DF Junta Eleitoral Juízes Eleitorais Vejamos o artigo 118 e 120 da CF/88: Art São órgãos da Justiça Eleitoral: I - o Tribunal Superior Eleitoral; II - os Tribunais Regionais Eleitorais; III - os Juízes Eleitorais; IV - as Juntas Eleitorais. Art Haverá um Tribunal Regional Eleitoral na Capital de cada Estado e no Distrito Federal. Portanto, o gabarito é : CERTO Gabarito: Certo 14. (CESPE TRE-ES - Analista Judiciário - Área Judiciária) As juntas eleitorais, compostas de um juiz de direito, a quem compete presidi-la, e de dois ou quatro cidadãos de notória idoneidade, são nomeadas Prof. Bruno Oliveira 16

17 antes da eleição, depois de aprovação do tribunal regional, pelo presidente deste, a quem cumpre também designar-lhes a sede. Certo Errado Perfeito resumo acerca das Juntas Eleitorais. A Junta Eleitoral é composta de 1 juiz de direito que será seu presidente e de 2 ou 4 cidadãos de notória idoneidade. Seus membros serão nomeados 60 dias antes das eleições, mediante aprovação do respectivo Tribunal Regional Eleitoral. Ainda caberá ao presidente da Junta Eleitoral designar a sede. Vejamos o Art. 36 do Código Eleitoral: Art. 36 Compor-se-ão as juntas eleitorais de um juiz de direito, que será o presidente, e de 2 ou 4 cidadãos de notória idoneidade. 1º Os membros das juntas eleitorais serão nomeados 60 dias ANTES da eleição, depois de aprovação do Tribunal Regional, pelo presidente deste, a quem cumpre também designar-lhes a sede. Gabarito: Certo 15.(CESPE TRE-ES - Analista Judiciário - Área Judiciária) O número de juntas eleitorais que podem ser organizadas é igual ao número de juízes de direito que gozam das garantias constitucionais inerentes à magistratura, mesmo que estes não sejam juízes eleitorais. Certo Errado Certíssima! Lembram-se quando falamos sobre juízes e juntas eleitorais? Caso não haja juízes eleitorais suficientes, poderemos convocar juízes de direito para ficarem no lugar exercendo as funções. Prof. Bruno Oliveira 17

18 Além disso, o número de juntas eleitorais poderá ser organizada de acordo com o número de juízes de direito. E também não esquecer que esses juízes gozam das mesmas garantias da magistratura, que são: VITALICIEDADE, INAMOVIBILIDADE e IRREDUTIBILIDADE DE SUBSÍDIOS. Código Eleitoral Art. 37 Art. 37. Poderão ser organizadas tantas Juntas quantas permitir o número de juízes de direito que gozem das garantias do Art. 95 da Constituição, mesmo que não sejam juízes eleitorais. Gabarito: Certo 16. (FCC TJ-GO - Juiz) Haverá um Tribunal Regional Eleitoral na Capital de cada Estado e no Distrito Federal, cujas composições deverão incluir: a) mediante eleição, pelo voto secreto, dois juízes dentre os desembargadores do Tribunal de Justiça do respectivo Estado. b) mediante eleição, pelo voto secreto, dois juízes, dentre juízes de direito, escolhidos pelo Tribunal Regional Eleitoral. c) mediante eleição, pelo voto secreto, um juiz dentre os membros do Ministério Público do respectivo Estado. d) um juiz de Tribunal Regional Federal, escolhido pelo Tribunal Regional Federal com jurisdição sob a respectiva Região. e) por nomeação, pelo Governador do Estado, dois juízes dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de Justiça. Vamos analisar alternativa por alternativa ok? Nesta questão basicamente precisamos saber da composição dos Tribunais Regionais Eleitorais. Sabemos que cada TRE será composto de: Prof. Bruno Oliveira 18

19 dois juízes dentre desembargadores do TJ; dois juízes dentre juízes de direito, escolhidos pelo TJ; um juiz do TRF; 2 advogados De acordo com o art. 120 da CF temos: Art Haverá um Tribunal Regional Eleitoral na Capital de cada Estado e no Distrito Federal. 1º - Os Tribunais Regionais Eleitorais compor-se-ão: I - mediante eleição, pelo voto secreto: a) de dois juízes dentre os desembargadores do Tribunal de Justiça; b) de dois juízes, dentre juízes de direito, escolhidos pelo Tribunal de Justiça; II - de um juiz do Tribunal Regional Federal com sede na Capital do Estado ou no Distrito Federal, ou, não havendo, de juiz federal, escolhido, em qualquer caso, pelo Tribunal Regional Federal respectivo; III - por nomeação, pelo Presidente da República, de dois juízes dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de Justiça. 2º - O Tribunal Regional Eleitoral elegerá seu Presidente e o Vice- Presidente- dentre os desembargadores. Alternativa "A" - CORRETA Alternativa "B" - quem escolhe não é o Tribunal Regional Eleitoral e sim o próprio TJ do Estado Alternativa "C" - não faz parte membros do MP na composição dos Tribunais Alternativa "D" - Em nenhum momento se fala em jurisdição do TRF; Alternativa "E" - Quem nomeia os advogados é o Presidente da República e não o Governador do Estado. Gabarito: Letra A Prof. Bruno Oliveira 19

20 17. (CESPE MPE-AM - PROMOTOR DE JUSTIÇA) Com relação à composição e às atribuições do TSE, conforme definição constitucional e legal, assinale a opção correta. a). O corregedor-geral eleitoral deve ser um ministro oriundo do MPF. b). O procurador-geral deve ser um ministro indicado pelo STJ. c). O vice-presidente do TSE deve sempre ser ministro do STF. d). O MPF deve indicar dois ministros do TSE. e). As reuniões do TSE devem ser secretas, salvo deliberação em contrário da maioria dos seus integrantes. Gabarito: C Vamos analisar item por item: Alternativa A INCORRETA Na composição do TSE o corregedor-geral eleitoral é oriundo do Superior Tribunal de Justiça e não MPF. Alternativa B INCORRETA Não se fala em procurador-geral eleitoral na composição do TSE. Alternativa "C" - CORRETA O Presidente e Vice-Presidente do TSE serão escolhidos dentre os 3 ministros do STF. Constatamos no Artigo 119 da CF/88: Art. 119 da CF/88. O Tribunal Superior Eleitoral compor-se-á, no mínimo, de sete membros, escolhidos: I - mediante eleição, pelo voto secreto: a) três juízes dentre os Ministros do Supremo Tribunal Federal; b) dois juízes dentre os Ministros do Superior Tribunal de Justiça; II - por nomeação do Presidente da República, dois juízes dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados pelo Supremo Tribunal Federal. Parágrafo único. O Tribunal Superior Eleitoral elegerá seu Presidente e o Vice-Presidente dentre os Ministros do Supremo Tribunal Federal, e o Corregedor Eleitoral dentre os Ministros do Superior Tribunal de Justiça. Alternativa D INCORRETA O MPF não indica membros para o TSE. Prof. Bruno Oliveira 20

21 Alternativa E INCORRETA As reuniões são públicas, salvo as que necessitarem serem secretas. Gabarito: Letra C 18. (FCC TRE-RS - Analista Judiciário - Área Administrativa) O juiz oriundo da classe dos advogados com notável saber jurídico e idoneidade moral integrante do Tribunal Superior Eleitoral a) não pode ser eleito para o cargo de Corregedor Eleitoral. b) pode ser eleito apenas para o cargo de Presidente desse Tribunal. c) pode ser eleito apenas para o cargo de Vice- Presidente desse Tribunal. d) pode ser eleito para os cargos de Presidente ou Vice-Presidente desse Tribunal. e) pode ser eleito apenas para os cargos de Presidente desse Tribunal e de Corregedor Eleitoral. Queridos, os dois advogados que são nomeados pelo Presidente da República não irão assumir nenhum cargo no TSE. Lembre-se que o Presidente e o Vice-Presidente deste Tribunal Superior serão oriundos dos ministros do STF, enquanto que o Corregedor Geral Eleitoral será oriundo do STJ. Portanto, o gabarito desta questão é a letra "A". Art CF/88 Parágrafo Único: O Tribunal Superior Eleitoral elegerá seu Presidente e o Vice-Presidente dentre os Ministros do Supremo Tribunal Federal, e o corregedor eleitoral dentre os ministros do superior tribunal de justiça. Gabarito: Letra A 19. (FCC TRE-AP - Analista Judiciário - Contabilidade) Prof. Bruno Oliveira 21

22 O Tribunal Superior Eleitoral compõe-se de sete membros. Dentre os seus integrantes, a) um juiz é escolhido, mediante eleição e pelo voto secreto, dentre os membros do Ministério Público. b) dois juízes são nomeados pelo Presidente da República dentre os Ministros do Supremo Tribunal Federal. c) dois juízes são escolhidos, mediante eleição e pelo voto secreto, dentre os Ministros do Superior Tribunal de Justiça. d) um juiz é nomeado pelo Presidente da República dentre os juízes do Tribunal Regional Federal com sede no Distrito Federal. e) um juiz é escolhido, mediante eleição e pelo voto secreto, dentre os advogados que dirigem a Ordem dos Advogados do Brasil. Acerca da composição do TSE sabemos que é composto de: três juízes dentre ministros do STF; dois juízes dentre ministros do STJ; dois advogados nomeados pelo Presidente da República, indicados pelo STF Vamos analisar item por item: Alternativa "A" Incorreta. Não faz parte representante do Ministério Público na composição de qualquer um dos Tribunais da Justiça Eleioral. Alternativa "B" Incorreta. Na verdade são três juízes dentre ministros do STF e não dois. Alternativa "C" - Correta. Esse é o gabarito. Realmente são dois juízes dentre os ministros do STJ. Alternativa "D" - Incorreto. Temos aqui um membro de Tribunal Regional Eleitoral e não membro do TSE. Alternativa "E" - Incorreto. São dois juízes dentre seis advogados e não apenas um juiz. Gabarito: Letra C Prof. Bruno Oliveira 22

23 20. (FCC TRE-RN - Analista Judiciário - Área Administrativa) Os Tribunais Regionais Eleitorais são compostos por sete membros. Quatro deles são escolhidos mediante eleição secreta no âmbito do Tribunal de Justiça, sendo dois desembargadores e dois juízes de direito. Um é membro do Tribunal Regional Federal com sede na Capital do Estado ou no Distrito Federal ou, na ausência, um juiz federal escolhido pelo Tribunal respectivo. Os dois últimos membros são escolhidos pelo: a) Governador do Estado entre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados em lista da Ordem dos Advogados do Brasil, os quais devem ser aprovados pelo Senado Federal. b) Governador do Estado entre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados em lista do Tribunal de Justiça, os quais devem ser aprovados pela Assembleia Legislativa do Estado. c) Presidente da República entre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados em lista do Tribunal de Justiça, os quais devem ser aprovados pelo Senado Federal. d) Presidente da República entre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados em lista do Tribunal de Justiça. e) Presidente da República entre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados em lista do Supremo Tribunal Federal. Essa questão não tem segredo, basta lembrar que os advogados que compõe os órgãos da Justiça Eleitoral são nomeados pelo PRESIDENTE DA REPÚBLICA. No caso do TRE, eles são indicados pelo Tribunal de Justiça do respectivo estado. Vejamos o que diz o artigo 120 da CF/88: Art Haverá um Tribunal Regional Eleitoral na Capital de cada Estado e no Distrito Federal 1º - Os Tribunais Regionais Eleitorais compor-se-ão: I - mediante eleição, pelo voto secreto: a) de dois juízes dentre os desembargadores do Tribunal de Justiça; Prof. Bruno Oliveira 23

24 Justiça; b) de dois juízes, dentre juízes de direito, escolhidos pelo Tribunal de II - de um juiz do Tribunal Regional Federal com sede na Capital do Estado ou no Distrito Federal, ou, não havendo, de juiz federal, escolhido, em qualquer caso, pelo Tribunal Regional Federal respectivo; III - por nomeação, pelo Presidente da República, de dois juízes dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de Justiça. 2º - O Tribunal Regional Eleitoral elegerá seu Presidente e o Vice- Presidente- dentre os desembargadores. Portanto, o gabarito é a letra "D". Gabarito: Letra D 21. (FCC TRE-TO - Técnico Judiciário - Área Administrativa) Os juízes dos Tribunais Regionais Eleitorais a) servirão, salvo motivo justificado, por dois anos, no mínimo, e nunca por mais de dois biênios consecutivos. b) são vitalícios e servirão, independentemente de mandato, até completarem setenta anos, ocasião em que serão aposentados compulsoriamente. c) servirão sempre por quatro anos, no mínimo, não podendo, porém, os respectivos mandatos alcançarem mais de duas eleições. d) poderão ser livremente exonerados por ato do Presidente da República, após o encerramento de cada período eleitoral e o julgamento de todos os recursos a este relacionados. e) serão, em sua totalidade, nomeados pelo Presidente da República entre cidadãos de notável saber jurídico, após arguição, em audiências públicas distintas, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. Prof. Bruno Oliveira 24

25 Meu povo, como sabemos os juízes dos Tribunais Regionais Eleitorais servirão por 2 anos e nunca por mais de 2 biênios consecutivos, salvo por motivo justificado. Isso decorre do princípio da periodicidade das funções eleitorais, justamente para garantir a lisura das eleições. Avaliando cada alternativa temos que: Alternativa "A" - Correta Art Código Eleitoral Os juízes dos Tribunais Eleitorais, salvo motivo justificado, servirão obrigatoriamente por dois anos, e nunca por mais de dois biênios consecutivos. um biênio. Alternativa "B" - Incorreta O erro está em "independente de mandato", uma vez que cumprirão no mínimo Alternativa "C" - Incorreta No mínimo dois anos, ou seja, um biênio. Alternativa "D" - Incorreta Após o encerramento do período eleitoral, voltam aos seus tribunais de origem exercendo suas funções normalmente, uma vez que tem garantias de magistrados. Alternativa "E" - Incorreta A nomeação pelo Presidente da República será somente destinada aos 2 juízes dentre os 6 advogados. Não se esqueçam disso! Portanto, o gabarito é a letra "A". Gabarito: Letra A 22. (FCC TRE-RS - Técnico Judiciário - Área Administrativa) A respeito das Juntas Eleitorais, é correto afirmar: Prof. Bruno Oliveira 25

26 a) Podem ser nomeados membros das Juntas Eleitorais autoridades e agentes policiais. b) Os nomes dos membros das Juntas Eleitorais serão publicados no órgão oficial do Estado, sendo vedado aos partidos políticos impugnar as indicações. c) Podem ser nomeados escrutinadores ou auxiliares os parentes em segundo grau de candidatos. d) Compor-se-ão as juntas eleitorais de um Juiz de Direito, que será o Presidente, e de dois ou quatro cidadãos de notória idoneidade. e) Podem ser nomeados escrutinadores ou auxiliares os que pertencerem ao serviço eleitoral. Questão tranquila. Sabemos que a junta eleitoral é composta de um juiz de direito que será seu presidente e de 2 ou 4 cidadãos de notória idoneidade. Com isso, já podemos ter como gabarito a alternativa "D". Vamos analisar o que reza o artigo 36 do Código Eleitoral: Art. 36. Compor-se-ão as juntas eleitorais de um juiz de direito, que será o presidente, e de 2 (dois) ou 4 (quatro) cidadãos de notória idoneidade. 1º Os membros das juntas eleitorais serão nomeados 60 (sessenta) dia antes da eleição, depois de aprovação do Tribunal Regional, pelo presidente deste, a quem cumpre também designar-lhes a sede. 2º Até 10 (dez) dias antes da nomeação os nomes das pessoas indicadas para compor as juntas serão publicados no órgão oficial do Estado, podendo qualquer partido, no prazo de 3 (três) dias, em petição fundamentada, impugnar as indicações. (Erro da Alternativa "B") auxiliares: 3º Não podem ser nomeados membros das Juntas, escrutinadores ou I - os candidatos e seus parentes, ainda que por afinidade, até o segundo grau, inclusive, e bem assim o cônjuge; (Erro da Alternativa "C") II - os membros de diretorias de partidos políticos devidamente registrados e cujos nomes tenham sido oficialmente publicados; III - as autoridades e agentes policiais, bem como os funcionários no desempenho de cargos de confiança do Executivo; (Erro da Alternativa "A") IV - os que pertencerem ao serviço eleitoral. (Erro da Alternativa "E) Prof. Bruno Oliveira 26

27 Gabarito: Letra D 23. (FCC TRE-AC - Analista Judiciário - Área Judiciária) A respeito dos Tribunais Eleitorais é INCORRETO afirmar que a) o Tribunal Superior Eleitoral terá jurisdição em todo o território nacional e será composto, no mínimo, por 7 membros. b) os juízes dos tribunais eleitorais, salvo motivo justificado, servirão por 2 anos, no mínimo, e nunca por mais de dois biênios consecutivos. c) haverá um Tribunal Regional Eleitoral na Capital de cada Estado e também no Distrito Federal. d) os membros dos tribunais eleitorais, no exercício de suas funções e no que lhes for aplicável, gozarão de plenas garantias e serão irremovíveis. e) o Tribunal Superior Eleitoral escolherá seu Presidente dentre quaisquer de seus integrantes, mediante eleição e voto secreto. O examinador nesta questão solicitou a alternativa Incorreta, portanto, temos 4 corretas e somente 1 incorreta A alternativa A está correta, pois realmente o TSE será composto de no mínimo 7 membros, diferentemente dos Tribunais Regionais Eleitorais que será composto de 7 membros fixos. A alternativa B também está correta. Os juízes servirão por no mínimo um biênio e nunca por mais de dois biênios consecutivos, salvo por motivo justificado. A alternativa C realmente está certa, pois os TRE s estão presentes nas capitais dos Estados, inclusive no DF. Alternativa D - Correta. Retrata as garantias que terão os membros dos Tribunais, as mesmas garantias dos magistrados. Prof. Bruno Oliveira 27

28 A única incorreta é a letra E, uma vez que o Presidente do Tribunal Superior Eleitoral será escolhido dentre os três juízes dentre ministros do STF e não entre qualquer membro. Gabarito: Letra E 24. (FCC TRE-RN - Técnico Judiciário - Área Administrativa) Valdir é Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Paulus é Juiz Federal e Brutus é Desembargador de Tribunal de Justiça. Valdir, Paulus e Brutus, observados os demais requisitos legais quanto à escolha e forma de provimento, podem vir a fazer parte: a) de Tribunal Regional Eleitoral, de Tribunal Regional Eleitoral e do Tribunal Superior Eleitoral, respectivamente. b) de Tribunal Regional Eleitoral, do Tribunal Superior Eleitoral e de Tribunal Regional Eleitoral, respectivamente. c) do Tribunal Superior Eleitoral, de Tribunal Regional Eleitoral e de Tribunal Regional Eleitoral, respectivamente. d) do Tribunal Superior Eleitoral. e) de Tribunal Regional Eleitoral. Absolutamente de graça esta questão. Vamos resumir: Valdir [MINISTRO DO STJ] Portanto, pertence somente ao TSE, uma vez que TRE s não possuem juízes oriundos dos Tribunais Superiores. Paulus [JUIZ FEDERAL] Juiz oriundos de TRF somente pertence aos TRE s. Brutus [Desembargador do TJ] Falou de desembargador, lembre de TRE. Sendo assim, a ordem ficou: TSE/TRE/TRE Alternativa correta é a letra C. Gabarito: Letra C Prof. Bruno Oliveira 28

29 25. (FCC TRE-PB - Técnico Judiciário - Área Administrativa) Em cada Estado da Federação e no Distrito Federal haverá um Tribunal Regional Eleitoral composto por dois juízes, escolhidos mediante eleição e pelo voto secreto dentre os Desembargadores do Tribunal de Justiça; um Juiz do Tribunal Regional Federal com sede na Capital do Estado ou no Distrito Federal ou, não havendo, de Juiz Federal escolhido pelo Tribunal Regional Federal respectivo; dois juízes dentre seis advogados de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de Justiça; e a) dois juízes, dentre Juízes de Direito, escolhidos pelo Tribunal de Justiça do respectivo Estado. b) dois juízes, dentre Ministros do Superior Tribunal de Justiça, escolhidos mediante eleição e pelo voto secreto. c) um representante do Ministério Público Estadual indicado pelo Procurador-Geral de Justiça do Estado. d) um representante do Ministério Público Federal indicado pela Procuradoria-Geral da República. e) um representante dos Partidos Políticos indicado pelo Tribunal Superior Eleitoral. Na composição deste Tribunal Regional Eleitoral ficou faltando apenas os dois juízes dentre juízes de direito, escolhidos pelo TJ do Estado. Gabarito: Letra A Eliminamos as outras, pois sabemos que nos Tribunais Regionais Eleitorais não temos juízes oriundos do STJ (erro da alternativa B ), nem membros do Ministério Público (erro das alternativas C e D ) e nem membros oriundos de partidos políticos (erro da alternativa E ). Reza a CF/88: Art Haverá um Tribunal Regional Eleitoral na Capital de cada Estado e no Distrito Federal. 1º - Os Tribunais Regionais Eleitorais compor-se-ão: I - mediante eleição, pelo voto secreto: a) de dois juízes dentre os desembargadores do Tribunal de Justiça; Prof. Bruno Oliveira 29

30 Justiça; b) de dois juízes, dentre juízes de direito, escolhidos pelo Tribunal de II - de um juiz do Tribunal Regional Federal com sede na Capital do Estado ou no Distrito Federal, ou, não havendo, de juiz federal, escolhido, em qualquer caso, pelo Tribunal Regional Federal respectivo; III - por nomeação, pelo Presidente da República, de dois juízes DENTRE SEIS ADVOGADOS de notável saber jurídico e idoneidade moral, indicados pelo Tribunal de Justiça. 2º - O Tribunal Regional Eleitoral elegerá seu Presidente e o Vice- Presidente- dentre os desembargadores. 3. QUESTÕES COMENTADAS SOBRE COMPETÊNCIAS DA JUSTIÇA ELEITORAL 26. (CESPE TRE-RJ - Analista Judiciário - Área Judiciária) Compete privativamente aos TREs a elaboração de seus próprios regimentos internos. Certo Errado E aí pessoal? Lembram-se desse detalhe? Claro que sim não é? Gabarito: Certo Compete privativamente aos tribunais (TRE s ou TSE) elaborarem seus regimentos internos. Encontramos tal dispositivo no artigo 30, inciso I do Código Eleitoral: Art. 30. Compete, ainda, privativamente, aos Tribunais Regionais: I - elaborar o seu regimento interno; Gabarito: Certo Prof. Bruno Oliveira 30

31 27. (CESPE TRE-RJ - Analista Judiciário - Área Judiciária) Os tribunais regionais eleitorais (TREs) são órgãos da justiça federal presentes nos estados e no Distrito Federal. Acerca da competência desses tribunais, julgue os itens subsequentes. Compete ao TRE processar e julgar, originariamente, conflitos de jurisdição entre juízes eleitorais do respectivo estado. Certo Errado Que questão fácil professooor! Eu sei, mas é importante. Sabemos que os conflitos entre juízes do mesmo estado é competência dos Tribunais Regionais Eleitorais processar e julgar. Caso fosse de estados diferentes seria competência do TSE. Vejam o quadro abaixo: É o que reza o artigo 29, inciso I, alínea b: Art. 29. Compete aos Tribunais Regionais: I - processar e julgar originariamente: (...) Prof. Bruno Oliveira 31

32 Estado; b) os conflitos de jurisdição entre juízes eleitorais do respectivo Gabarito: Certo 28. (CESPE TRE-RJ - Analista Judiciário - Área Judiciária) A competência do TRE para julgamento de recurso interposto contra decisão proferida por juiz eleitoral do respectivo estado em mandado de segurança restringe-se à hipótese de denegação da ordem. Certo Errado O Cespe é muito danadinho. Olhem a palavra que ele utilizou: restringe-se. Precisamos ficar muito atentos a esses termos de restrição. Não se restringe somente às hipóteses de denegação e sim nas hipóteses de concessão também. A fundamentação está no artigo 29, inciso I, alínea a: Art. 29. Compete aos Tribunais Regionais: I - processar e julgar originariamente: e) o habeas corpus ou mandado de segurança, em matéria eleitoral, contra ato de autoridades que respondam perante os Tribunais de Justiça por crime de responsabilidade e, em grau de recurso, os denegados ou concedidos pelos juizes eleitorais; ou, ainda, o habeas corpus quando houver perigo de se consumar a violência antes que o juiz competente possa prover sobre a impetração; Portanto, o gabarito é: Errado Gabarito: Errado 29. (CESPE TRE-BA - Analista Judiciário - Taquigrafia) Prof. Bruno Oliveira 32

33 Compete privativamente ao TSE julgar os conflitos de competência de juízes de determinado estado. Certo Errado Já vimos que não né? A competência para julgar os conflitos de juízes de um mesmo estado é competência dos Tribunais Regionais Eleitorais. O TSE julga o conflito entre juízes eleitorais de estados diferentes. Vejamos a fundamentação: Art. 22. Compete ao Tribunal Superior: I - Processar e julgar originariamente: b) os conflitos de jurisdição entre Tribunais Regionais e juizes eleitorais de Estados diferentes; Art. 29. Compete aos Tribunais Regionais: I - processar e julgar originariamente: b) os conflitos de jurisdição entre juizes eleitorais do respectivo Estado; Portanto, o gabarito está Errado. Gabarito: Errado 30. (CESPE TRE-ES - Analista Judiciário - Área Administrativa - Específicos) Compete aos TREs aprovar o afastamento do exercício dos cargos efetivos de seus juízes. Certo Errado Precisamos ter muita atenção nesta questão! Prof. Bruno Oliveira 33

34 É o seguinte queridos! Quem concede as férias, licença ou afastamento aos seus juízes é o próprio Tribunal Regional Eleitoral, porém antes da concessão o Tribunal Superior Eleitoral precisa ter aprovado. Portanto temos assim: TRE s: CONCEDE TSE: APROVA Sem a aprovação não será possível esta concessão. Fundamentação: Art. 30. Compete, ainda, privativamente, aos Tribunais Regionais: III - conceder aos seus membros e aos juizes eleitorais licença e férias, assim como afastamento do exercício dos cargos efetivos submetendo, quanto aqueles, a decisão à aprovação do Tribunal Superior Eleitoral; Gabarito: Errado 31. (CESPE TRE-ES - Analista Judiciário - Área Judiciária) Na ausência do chefe do cartório eleitoral, as atribuições da escrivania de zona eleitoral podem ser exercidas por outro servidor designado pelo chefe do cartório, desde que esse servidor não seja membro de diretório partidário, candidato a cargo eletivo, seu cônjuge ou parente consanguíneo ou afim até o segundo grau. Certo Errado Esta questão foi perigosíssima. Na verdade quem designa outro servidor não é o chefe do cartório e sim a lei judiciária local. Encontramos esse dispositivo no artigo 30 do Código Eleitoral: Art. 33. Nas zonas eleitorais onde houver mais de uma serventia de justiça, o juiz indicará ao Tribunal Regional a que deve ter o anexo da escrivania eleitoral pelo prazo de dois anos. Prof. Bruno Oliveira 34

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS

1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS 1. DIREITOS POLÍTICOS (art. 1o, II; artigos 14 a 17, da CF) ESPÉCIES: DIREITOS POLÍTICOS POSITIVOS DIREITOS POLÍTICOS NEGATIVOS DIREITOS POLÍTICOS e REGIME DEMOCRÁTICO O REGIME DEMOCRÁTICO como princípio:

Leia mais

Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP. Weslei Machado

Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP. Weslei Machado Direito Eleitoral e Regimento Interno TER-SP Weslei Machado (FCC/TRE-AM/Analista Judiciário/2010) Compete aos TREs processar e julgar originariamente a) os crimes eleitorais cometidos pelos seus próprios

Leia mais

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1

EMAIL/FACE: prof.fabioramos@hotmail.com www.facebook.com/prof.fabioramos 1 DIREITOS POLÍTICOS Prof. Fábio Ramos prof.fabioramos@hotmail.com Conjunto de normas que disciplinam as formas de exercício da soberania popular. Princípio da Soberania Popular: Art. 1º, par. único: Todo

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TRE/AP 4º Simulado de Direito Eleitoral p/ TRE-AMAPÁ! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS:

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TRE/AP 4º Simulado de Direito Eleitoral p/ TRE-AMAPÁ! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS: AVISOS: Estamos ministrando os seguintes CURSOS: DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIA (TEORIA E EXERCÍCIOS) DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA E TÉCNICO ÁREA ADMINISTRATIVA

Leia mais

Os Direitos Políticos na CF/88 Parte II

Os Direitos Políticos na CF/88 Parte II Os Direitos Políticos na CF/88 Parte II Olá Concursando, Hoje vamos continuar estudando um pouco de Direito Constitucional, finalizando o tema dos direitos políticos tratados na Constituição Federal de

Leia mais

Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101

Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101 Supremo Tribunal Federal STF Artigo 101 Composto por 11 Ministros de Justiça vitalícios - Taxativamente 11 - Exclusivamente natos - Cidadãos - Mais de 35 e menos de 65 anos de idade - Notável saber jurídico

Leia mais

QUEM COMPARA, ESCOLHE O ALFA! Professor: Cesar Nakano para contato: Página 1

QUEM COMPARA, ESCOLHE O ALFA! Professor: Cesar Nakano  para contato: Página 1 COMPOSIÇÃO DOS ÓRGÃOS DA JUSTIÇA ELEITORAL 1 ( FCC - 2011 - TRE-AP - ) O Tribunal Superior Eleitoral compõe-se de sete membros. Dentre os seus integrantes, a) um juiz é escolhido, mediante eleição e pelo

Leia mais

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA

O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA O ESTADO E A ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA SOCIEDADE CONTEMPORÂNEA ESTADO Conjunto de regras, pessoas e organizações que se separam da sociedade para organizá-la. - Só passa a existir quando o comando da comunidade

Leia mais

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012

D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 D E C L A R A Ç Ã O PARA ELEIÇÕES 2012 Nome do Candidato: Nome do pai: Nome da mãe: Partido Político ou Coligação: Cargo a que concorre: ( ) Prefeito ( ) Vice-Prefeito ( ) Vereador Município: Declaro,

Leia mais

DIREITO ELEITORAL. UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965)

DIREITO ELEITORAL. UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965) DIREITO ELEITORAL SUMÁRIO UNIDADE 1 Direito Eleitoral Código Eleitoral (Lei nº 4.737, de 15/07/1965) UNIDADE 2 Órgãos da Justiça Eleitoral (TSE, TREs, Juízes Eleitorais e Juntas Eleitorais) 2.1 Composição

Leia mais

NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NATOS

NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NACIONALIDADE NATOS CONCEITO Nacionalidade é o vínculo jurídico-político que liga um indivíduo a um certo e determinado Estado POVO ESPÉCIES Nacionalidade primária/originária: Nacionalidade secundária/adquirida: A) Ius soli:

Leia mais

Olá Prezados(as) Alunos(as) e Concurseiros!!

Olá Prezados(as) Alunos(as) e Concurseiros!! Olá Prezados(as) Alunos(as) e Concurseiros!! Em atendimento a muitas demandas de alunos, disponibilizo a todos as Questões de Direito Eleitoral da Prova do TSE 2007, devidamente comentadas. Bons estudos!

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 CAPÍTULO II DIREITO ELEITORAL... 15 CAPÍTULO III PRINCÍPIOS DE DIREITO ELEITORAL... 23

SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 CAPÍTULO II DIREITO ELEITORAL... 15 CAPÍTULO III PRINCÍPIOS DE DIREITO ELEITORAL... 23 SUMÁRIO CAPÍTULO I DIREITOS POLÍTICOS... 1 1. Compreensão dos direitos políticos... 1 1.1. Política... 1 1.2. Direito Político... 2 1.3. Direitos políticos... 2 2. Direitos humanos e direitos políticos...

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ESQUEMATIZADO: ANALISTA JUDICIÁRIO - ÁREA ADMINISTRATIVA DE ACORDO COM O EDITAL N 1, DE 24 DE NOVEMBRO DE 201, DO TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DE SÃO PAULO, TRE-SP CONHECIMENTOS BÁSICOS

Leia mais

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi

Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi Abreviaturas, xvii Nota à 7a edição, xix Prefácio, xxi I Direitos políticos, 1 1 Compreensão dos direitos políticos, 1 1.1 Política, 1 1.2 Direito político, direito constitucional e ciência política, 3

Leia mais

A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE!

A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE! A distância entre o sonho e a conquista chama-se ATITUDE! PLANO DE AULA Nº 6 DIRIETOS POLÍTICOS 1. NOÇÕES TEÓRICAS DIREITOS POLÍTICOS No capítulo IV do título II, a CF dispôs de um conjunto de normas para

Leia mais

No Brasil: Misto de Democracia Semidireta ( meios de participação popular) + Indireta (mandato representativo)

No Brasil: Misto de Democracia Semidireta ( meios de participação popular) + Indireta (mandato representativo) DIREITO ELEITORAL - Aula 01 (Conceitos e Princípios do Direito Eleitoral, Aspectos Constitucionais, Composição, competências e funções dos órgãos da Justiça Eleitoral) CONCEITOS: O Direito Eleitoral, ramo

Leia mais

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº

CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA Nº CURSO ESCOLA DE DEFENSORIA PÚBLICA 2016.1 Nº DATA DISCIPLINA Direito Constitucional PROFESSOR Paulo Nasser MONITOR Bruna Oliveira AULA Aula 10 TEMA: DIREITOS POLÍTICOS E NACIONALIDADE DIREITOS POLÍTICOS:

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ACRE COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL COLÉGIO ELEITORAL ESPECIAL COMISSÃO ELEITORAL OFÍCIO- Nº 005/2012 COMISSÃO ELEITORAL/UFAC Ao Senhor Eduardo Henrique de Almeida Aguiar Procurador da República Av. Epaminondas Jacome, nº 3017, Centro NC

Leia mais

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS

DIREITOS POLITICOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS DIREITOS FUNDAMENTAIS CONCEITO: O direito democrático de participação do povo no governo, por seus representantes, acabou exigindo a formação de um conjunto de normas legais permanentes, que recebe a denominação de direitos

Leia mais

NACIONALIDADE. Questões CESPE

NACIONALIDADE. Questões CESPE NACIONALIDADE Ano: 2015Banca: CESPEÓrgão: MPOGProva: Analista Técnico Administrativo - Cargo 2 Acerca dos princípios fundamentais e dos direitos e deveres individuais e coletivos, julgue o item a seguir.

Leia mais

DECRETO N.º DE 15 DE MAIO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas disposições legais, e

DECRETO N.º DE 15 DE MAIO DE O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas disposições legais, e DECRETO N.º 35610 DE 15 DE MAIO DE 2012 Institui o regime FICHA LIMPA como requisito para o ingresso em cargo ou emprego público no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Município do Rio

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17)

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17) DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTS 14 AO 17) Atualizado em 02/12/2015 DIREITOS POLÍTICOS E SISTEMAS ELEITORAIS (ARTIGOS 14 a 17) GENERALIDADES Os direitos políticos estão

Leia mais

Art. 92 ÓRGÃOS: Tribunais Superiores Tribunais de 2º grau (2ª instância) 1º grau (1ª instância) facebook.com/prof.rodrigomenezes Justiça Estadual / DFT Justiça Federal O STF, o CNJ e os Trib. Sup. têm

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA

ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES E EMPREGADOS PÚBLICOS DO SERVIÇO DE ATENDIMENTO IMEDIATO AO CIDADÃO - NA HORA - ASSOSEHORA REGULAMENTO DA ELEIÇÃO PARA CARGOS DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELHO FISCAL Em atendimento

Leia mais

Professora Susanna Schwantes

Professora Susanna Schwantes 1) São Órgãos do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul: (a) Tribunal de Alçada e Tribunal de Justiça. (b) Pretores e Conselho da Magistratura. (c) Tribunal do Júri e Juizes de Paz. (d) Juizes de Direito

Leia mais

ELEIÇÕES 2016 TABELA DE DESINCOMPATIBILIZAÇÃO

ELEIÇÕES 2016 TABELA DE DESINCOMPATIBILIZAÇÃO ELEIÇÕES 2016 TABELA DE DESINCOMPATIBILIZAÇÃO UM GUIA DE ORIENTAÇÃO O período eleitoral, durante todo o exercício de 2016, deve receber por parte dos administradores públicos, assessores e servidores municipais,

Leia mais

NOÇÕES DE DIREITO ELEITORAL

NOÇÕES DE DIREITO ELEITORAL NOÇÕES DE DIREITO ELEITORAL Concursos TSE e TRE-Paraná Professor: Rafael Altoé Referência: 21/11/2011 Questões resolvidas e comentadas Tendo em vista a publicação dos concursos dos tribunais eleitorais,

Leia mais

Catalogação na Publicação (CIP)

Catalogação na Publicação (CIP) GUIA AOS ELEITORES Catalogação na Publicação (CIP) P221 Pará. Ministério Público. Guia aos eleitores: Perguntas e respostas sobre as eleições municipais de 2016 / Elaboração e Organização de José Edvaldo

Leia mais

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral

2012/ Ao presidente do partido e ao juiz eleitoral 2012/2014 2016 20/07 a 05/08 Data das Convenções Partidárias 10/06 a 30/06 (Art. 8º da Lei nº. 9.504/97 e 93, 2º da Lei 4.737/65) Prazo de filiação partidária Comunicação de desfiliação partidária Janela

Leia mais

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel

REGISTRO DE CANDIDATURA. Eduardo Rangel REGISTRO DE CANDIDATURA Eduardo Rangel 1 Conceito: É a fase inicial do chamado microprocesso eleitoral na qual um partido político ou coligação requer, junto a Justiça Eleitoral, a inscrição de seus candidatos

Leia mais

Evolução da Disciplina. Direito Constitucional CONTEXTUALIZAÇÃO INSTRUMENTALIZAÇÃO

Evolução da Disciplina. Direito Constitucional CONTEXTUALIZAÇÃO INSTRUMENTALIZAÇÃO Evolução da Disciplina Direito Constitucional Aula 1: Evolução histórica das constituições brasileiras Aula 2: Princípios fundamentais Aula 3: Direitos e garantias fundamentais Prof. Silvano Alves Alcantara

Leia mais

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL VEDAÇÕES EM ÚLTIMO ANO DE MANDATO 1 ART. 42 - VEDAÇÕES de 1º de maio a 31 de dezembro: Contrair obrigação de despesa, nos últimos 8 meses, que não possa ser cumprida (paga)

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017

PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017 PROJETO DE LEI Nº 001/15/2017 Súmula: Institui a Ficha Limpa Municipal na nomeação de secretários, diretores e cargos comissionados para a administração direta (Prefeitura e Câmara Municipal) e na administração

Leia mais

Resumo de Direito Eleitoral parte constitucional

Resumo de Direito Eleitoral parte constitucional Resumo de Direito Eleitoral A maioria das disciplinas busca as regras centrais da matéria dentro do Texto Constitucional. Em Direito Eleitoral não poderia ser diferente. A CF reserva especialmente os arts.

Leia mais

Professora Susanna Scwantess

Professora Susanna Scwantess 1) São Órgãos do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul: (a) Tribunal de Alçada e Tribunal de Justiça. (b) Pretores e Conselho da Magistratura. (c) Tribunal do Júri e Juizes de Paz. (d) Juizes de Direito

Leia mais

SÚMULAS DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SÚMULA Nº 01

SÚMULAS DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SÚMULA Nº 01 SÚMULAS DO TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL SÚMULA Nº 01 Proposta a ação para desconstituir a decisão que rejeitou as contas, anteriormente à impugnação, fica suspensa a inelegibilidade (Lei Complementar nº

Leia mais

Sumário. Nota do autor para a terceira edição... 31

Sumário. Nota do autor para a terceira edição... 31 Nota do autor para a terceira edição... 31 APRESENTAÇÃO... 33 ABREVIATURAS E SIGLAS... 35 Capítulo I Introdução ao direito eleitoral... 37 1. Introdução ao Direito Eleitoral... 37 1.1. Conceito de Direito

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016

ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 ORIENTAÇÕES GERAIS PARA AS ELEIÇÕES DE 2016 1. PRAZOS ELEITORAIS PARA OS PARTIDOS: 1.1 ESCOLHA DOS CANDIDATOS: 20.07.2016 a 05.08.2016 (Lei nº 9.504/1997, art. 8º, caput); 1.2 REGISTRO DE CANDIDATURA:

Leia mais

Direitos políticos. Conceitos fundamentais. Direitos políticos positivos. Direitos políticos positivos e direitos políticos negativos.

Direitos políticos. Conceitos fundamentais. Direitos políticos positivos. Direitos políticos positivos e direitos políticos negativos. Direitos políticos Conceitos fundamentais Cidadania É qualificação daquele que participa da vida do Estado, participando do governo e sendo ouvido por este. Assim, é cidadão aquele que possui a capacidade

Leia mais

PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011

PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011 PROJETO DE EMENDA A LEI ORGÂNICA Nº 13/2011 Acrescenta o art. 109-A ao Capítulo II do Título IV da Lei Orgânica do Município. A Câmara Municipal de São Paulo PROMULGA: Art. 1º Fica acrescido o art. 109

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL

DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL PEÇA PROFISSIONAL O governo brasileiro, preocupado com os índices crescentes de ataques terroristas no mundo, vinculou-se à Convenção sobre os Direitos Humanos das Vítimas de Atividades

Leia mais

TRIBUAIS. Atualizada 27/06/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1

TRIBUAIS. Atualizada 27/06/2008 Neste curso os melhores alunos estão sendo preparados pelos melhores Professores 1 CONSTITUIÇÃO FEDERAL CAPÍTULO IV DOS DIREITOS POLÍTICOS Art. 14 - A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei,

Leia mais

PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO)

PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO) PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO) PRINCÍPIOS INSTITUCIONAIS DO MINISTÉRIO PÚBLICO 89. Considerando os princípios institucionais

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TSE e TREs 6º Simulado de Direito Eleitoral p/ TSE e TREs! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS:

PONTO DOS CONCURSOS CURSO DE DIREITO ELEITORAL TSE e TREs 6º Simulado de Direito Eleitoral p/ TSE e TREs! PROFESSOR: RICARDO GOMES AVISOS: AVISOS: Estamos ministrando os seguintes CURSOS: REGIMENTO INTERNO DO TSE TODOS OS CARGOS (TEORIA E EXERCÍCIOS) DIREITO ELEITORAL P/ O TSE - ANALISTA JUDICIÁRIO ÁREA JUDICIÁRIA (TEORIA E EXERCÍCIOS) DIREITO

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS AULA 1 EXERCÍCIOS DEFINIÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO 1)Ao tratar das funções essenciais à justiça, estabelece a Constituição Federal, com relação ao Ministério Público, que: A) incumbe-lhe a defesa da ordem

Leia mais

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe:

Papéis dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário. O art. 224 do Código Eleitoral dispõe: Sistemas Eleitorais Voto e Eleições A expressão "sistema eleitoral" designa o modo, os instrumentos e os mecanismos empregados nos países de organização política democrática para constituir seus Poderes

Leia mais

CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio

CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio CIDADANIA Direitos políticos e sufrágio Introdução Direitos políticos são os direitos do cidadão que permitem sua participação e influência nas atividades de governo. Para Pimenta Bueno, citado por Silva

Leia mais

Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO -

Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO - Curso Resultado Um novo conceito em preparação para concursos! Como pensa o examinador em provas para a Magistratura do TJ-RS? MAPEAMENTO DAS PROVAS - DEMONSTRAÇÃO - Trabalho finalizado em julho/2015.

Leia mais

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016

GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 GUIA DAS CONVENÇÕES DAS ELEIÇÕES 2016 Modelos de EDITAL DE CONVOCAÇÃO CÉDULA DE VOTAÇÃO ATA DA CONVENÇÃO PALAVRA DO PRESIDENTE Prezados filiados do PSD Pará, O PSD está cada vez mais forte e unido em todo

Leia mais

RESOLUÇÃO N CONSULTA. DEPUTADO FEDERAL. Consulta de que se conhece e, no mérito, a que se responde positivamente.

RESOLUÇÃO N CONSULTA. DEPUTADO FEDERAL. Consulta de que se conhece e, no mérito, a que se responde positivamente. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N 22.844 CONSULTA N 1.592 - CLASSE 10 a - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Ari Pargendler. Consulente: Joaquim Beltrão Siqueira, deputado federal. CONSULTA.

Leia mais

TRE/SC. Noções de Direito Constitucional. II referendo III iniciativa popular...

TRE/SC. Noções de Direito Constitucional. II referendo III iniciativa popular... Noções de Direito Constitucional Constituição Federal: art. 14 ao 16: dos direitos políticos Da administração pública: art. 37 e 38 Do poder judiciário: art. 92 ao 100. Dos tribunais e juízes eleitorais:

Leia mais

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016

REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 REFLEXOS DA REFORMA POLÍTICA NAS ELEIÇÕES DE 2016 Dr. Felipe Ferreira Lima Diretor do Instituto Egídio Ferreira Lima 1. Introdução: O debate sobre a Reforma Política no Brasil 2. Registro de Candidatura

Leia mais

Cargo: Efetivo (de carreira ou isolado) adquire estabilidade Em comissão livre exoneração Vitalício adquire vitaliciedade

Cargo: Efetivo (de carreira ou isolado) adquire estabilidade Em comissão livre exoneração Vitalício adquire vitaliciedade CAMPUS Capítulo 5 Administração Pública e Servidores Públicos Disposições Constitucionais 189 Servidor público em sentido estrito (regime estatutário) Cargo efetivo Cargo em comissão Adm. Direta, autárquica

Leia mais

Resolvem os ministros do Tribunal Superior Eleitoral, por unanimidade, responder afirmativamente à consulta, nos termos do voto do relator.

Resolvem os ministros do Tribunal Superior Eleitoral, por unanimidade, responder afirmativamente à consulta, nos termos do voto do relator. TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N 22.767 CONSULTA N 1.476 - CLASSE 5 a - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Carlos Ayres Britto. Consulente: Ciro Francisco Pedrosa, deputado federal.

Leia mais

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade

Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade Direito Constitucional TJ/RJ Prof. Carlos Andrade 19. Segundo a Constituição Federal, os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados, em cada Casa do Congresso Nacional,

Leia mais

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições.

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE Estabelece normas para as eleições. LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997. Estabelece normas para as eleições. O grande mérito desta lei é o de, a princípio, tornar permanentes as regras para todas as eleições,pois, até sua edição, o que

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010.

EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010. PUBLICADO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO DE SERGIPE Nº 26.047 04/08/2010 GOVERNO DE SERGIPE EDITAL DE ELEIÇÃO/FUNDEB Nº 001/2010 DE 19 DE JULHO DE 2010. PROCESSO ELEITORAL PARA ESCOLHA DOS REPRESENTANTES

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL 137ª Zona Eleitoral/PE

MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL 137ª Zona Eleitoral/PE RECOMENDAÇÃO Nº 01/2016 PJE/137ªZE O Ministério Público Eleitoral, no exercício de suas atribuições constitucionais e legais conferidas pelos artigos 127, caput, e 129, IX, da Constituição Federal e nos

Leia mais

TEMAS STF DIREITO ELEITORAL

TEMAS STF DIREITO ELEITORAL 61 RE-568596 Elegibilidade de ex-cônjuge de ocupante de cargo político quando a dissolução da sociedade conjugal se dá durante o exercício do mandato. TEMAS STF DIREITO ELEITORAL EMENTA: CONSTITUCIONAL.

Leia mais

DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988.

DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988. DA JUSTIÇA DE PAZ: sua história e as funções do Juiz de Paz no novo ordenamento jurídico brasileiro pós Constituição da República de 1988. Arthur de Almeida Quaresma (Oficial de Registro Civil de Barão

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

I. DOCUMENTOS INDIVIDUAIS A SEREM ENTREGUES PELOS INTEGRANTES DA CHAPA

I. DOCUMENTOS INDIVIDUAIS A SEREM ENTREGUES PELOS INTEGRANTES DA CHAPA INSCRIÇÃO DE CHAPAS A Resolução CFN 564/2015 determina os procedimentos necessários para efetivar o registro de chapas. Com o intuito de facilitar a interpretação dos dispositivos legais pertinentes, a

Leia mais

Art. 12. São brasileiros:

Art. 12. São brasileiros: CAPÍTULO III DA NACIONALIDADE Art. 12. São brasileiros: I - natos: a) os nascidos na República Federativa do Brasil, ainda que de pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país; b)

Leia mais

EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016

EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016 EDITAL DE ELEIÇÃO 001/2016 Convoca Eleição para a Presidência do Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Santa Maria da Vitória, Bahia. A Presidente do CAPREVAS Instituto de Previdência

Leia mais

Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock

Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock Série Provas e Concursos Manual de Direito Administrativo I Gustavo Mello Knoplock ELSEVIER 5.6. Resumo AGENTES PÚBLICOS (segundo Hely Lopes Meirelles): 1. Agentes políticos Aqueles no alto escalão dos

Leia mais

XXQuestões CAPÍTULO VII FILIAÇÃO PARTIDÁRIA. (E) caberá ao Juiz Eleitoral indicar, após ouvir o interessado, a que partido político passará

XXQuestões CAPÍTULO VII FILIAÇÃO PARTIDÁRIA. (E) caberá ao Juiz Eleitoral indicar, após ouvir o interessado, a que partido político passará 132 FILIAÇÃO PARTIDÁRIA Ingrid Sartório Cheibub XXQuestões CAPÍTULO VII FILIAÇÃO PARTIDÁRIA 1. (Analista Judiciário Área Judiciária TRE/RN 2006 FCC) Para concorrer às eleições, o candidato deverá possuir

Leia mais

Conceitos e Fontes. Direito Eleitoral Prof. Thais Nunes Poder Judiciário Esfera Federal. Poder Judiciário Esfera Estadual

Conceitos e Fontes. Direito Eleitoral Prof. Thais Nunes  Poder Judiciário Esfera Federal. Poder Judiciário Esfera Estadual Prof. Thais Nunes http://twitter.com/cwbthais Programa do Edital FCC de 27/04/2010 Material I 1. : Conceito e fontes. 2. Código Eleitoral (Lei n.º 4.737/1965 e alterações posteriores): Introdução; Dos

Leia mais

Curso TRE/RS 2010 EXERCÍCIOS DE NACIONALIDADE E DE DIREITOS POLÍTICOS

Curso TRE/RS 2010 EXERCÍCIOS DE NACIONALIDADE E DE DIREITOS POLÍTICOS EXERCÍCIOS DE NACIONALIDADE E DE DIREITOS POLÍTICOS Professora Alessandra Vieira 1. NACIONALIDADE 1) Do direito brasileiro, decorre a existência de duas classes de nacionalidade: a) A do nato e a do equiparado;

Leia mais

Questões fundamentadas dos Direitos Políticos e dos Partidos Políticos Art. 14 a 17 da CF

Questões fundamentadas dos Direitos Políticos e dos Partidos Políticos Art. 14 a 17 da CF 1 2 APOSTILA AMOSTRA Para adquirir a apostila de 200 Questões Fundamentadas Dos acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br SUMÁRIO Apresentação...3 Questões...4 Respostas...49 Bibliografia...76 3

Leia mais

12. Assinale a opção correta a respeito da composição e do funcionamento das juntas eleitorais.

12. Assinale a opção correta a respeito da composição e do funcionamento das juntas eleitorais. TRE-MT ANALIS. JUD. ADM CESPE 9. Assinale a opção correta com relação aos órgãos da justiça eleitoral. a) A justiça eleitoral é composta pelo Tribunal Superior Eleitoral ( TSE ), pelo TRE, na capital de

Leia mais

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015

SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 SENADO FEDERAL PARECER N 670, DE 2015 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Mensagem nº 61, de 2015 (nº 312/2015, na origem), que submete à consideração do Senado Federal o nome do

Leia mais

PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR.

PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR. PROCESSO PENAL ANTONIO DOS SANTOS JUNIOR asjunior2004@uolcombr JURISDIÇÃO Poder Judiciário: garantir a realização dos direitos através de seus órgãos; Órgãos devem ter jurisdição (função de conhecer os

Leia mais

Comissão de Atletas Regulamento

Comissão de Atletas Regulamento Comissão de Atletas Regulamento 1. Missão 1.1. A Comissão de Atletas do COB tem por missão representar os Atletas Olímpicos perante o COB, fortalecendo os laços de comunicação e interação entre as partes.

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 2.079, DE 2003

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO. PROJETO DE LEI N o 2.079, DE 2003 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE REDAÇÃO PROJETO DE LEI N o 2.079, DE 2003 Determina a perda de mandato para Prefeito e Vice-Prefeito que transferir domicílio eleitoral. Autor: Deputado Lupércio

Leia mais

CONCURSO TÉCNICO JUDICIÁRIO TRE-SP 2012 DIREITO ELEITORAL

CONCURSO TÉCNICO JUDICIÁRIO TRE-SP 2012 DIREITO ELEITORAL Direito Eleitoral AUTORIA: Prof. Pedro Kuhn (pedro@acasadoconcurseiro.com.br) Professor Pedro Kuhn Página 1 CONTEÚDOS DE DIREITO ELEITORAL EDITAL DE 2012 Fundação Carlos Chagas Noções de Direito Eleitoral:

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL RESOLUÇÃO N 22.809 CONSULTA N 1.577 - CLASSE 5 a - BRASÍLIA - DISTRITO FEDERAL. Relator: Ministro Caputo Bastos. Consulente: Edinho Bez, deputado federal. Consulta. Cargo eletivo

Leia mais

Prof. Renato Ribeiro de Almeida

Prof. Renato Ribeiro de Almeida AULA 1: LEI DA FICHA LIMPA, INELEGIBILIDADES E AÇÃO DE IMPUGNAÇÃO AO REGISTRO DE CANDIDATURA Prof. Renato Ribeiro de Almeida Professor de Direito Constitucional e Direito Eleitoral da Universidade Anhembi

Leia mais

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS

TRE/RN CICLO DE PALESTRAS 01 Vereador: Papel Constitucional e Sistema de Eleição Juiz JAILSOM LEANDRO DE SOUSA 02 Quem é o vereador? O Vereador é o Membro do Poder Legislativo Municipal. 03 Qual é o papel do Vereador? O papel do

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014

EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014 EDITAL Nº 001/2014 COMISSÃO ELEITORAL DO DIRETÓRIO LIVRE DO DIREITO CONVOCAÇÃO PARA ELEIÇÃO 2014 A Comissão Eleitoral Discente do Curso de Direito da UFSM, composta nos termos do art. 45 e do Estatuto

Leia mais

Direito Eleitoral 05/10/2011

Direito Eleitoral 05/10/2011 CONCEITO DE DIREITO ELEITORAL 2 Direito Eleitoral Prof. Sidney Soares Filho O Direito Eleitoral é o ramo do Direito Público que disciplina a criação dos partidos, o ingresso do cidadão no corpo eleitoral

Leia mais

O PAPEL DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, SUA COMPETENCIA, ATRIBUIÇÕES, IMPORTÂNCIA E FINALIDADE

O PAPEL DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, SUA COMPETENCIA, ATRIBUIÇÕES, IMPORTÂNCIA E FINALIDADE O PAPEL DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, SUA COMPETENCIA, ATRIBUIÇÕES, IMPORTÂNCIA E FINALIDADE Felipe Boni de Castro 1 I Introdução: O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) foi criado e instituído pela Emenda

Leia mais

DIREITO CONSTITUCIONAL PROFESSOR: Fábio Ramos 2015 FGV TJ/PI Analista Judiciário Escrivão Judicial 1. A Constituição de 1988, ao enunciar os seus princípios fundamentais, fez menção, em seu art. 1º, à

Leia mais

VOTO EM SEPARADO. AUTORIA: Senador RANDOLFE RODRIGUES I RELATÓRIO

VOTO EM SEPARADO. AUTORIA: Senador RANDOLFE RODRIGUES I RELATÓRIO VOTO EM SEPARADO Perante a COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sobre a Proposta de Emenda à Constituição nº 43, de 2013 (nº 349, de 2001, na Câmara dos Deputados), primeiro signatário o Deputado

Leia mais

Marcos Soares da Mota e Silva

Marcos Soares da Mota e Silva Marcos Soares da Mota e Silva Pós-graduado em Direito Tributário pelo Instituto Brasileiro de Estudos Tributários (IBET) e em Direito Processual Tributário pela Universidade de Brasília (UnB). Graduado

Leia mais

TRE-SP SUMÁRIO. Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa. Ortografia oficial Acentuação gráfica... 12

TRE-SP SUMÁRIO. Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa. Ortografia oficial Acentuação gráfica... 12 Gramática e Interpretação de Texto da Língua Portuguesa Ortografia oficial... 3 Acentuação gráfica... 12 Flexão nominal e verbal... 15/18/29 Pronomes: emprego, formas de tratamento e colocação... 20 Advérbios...

Leia mais

Lei nº de 17 de outubro de 2001.

Lei nº de 17 de outubro de 2001. Lei nº 3.103 de 17 de outubro de 2001. Estabelece normas para a escolha de diretores e vice-diretores nas escolas da rede municipal e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE URUGUAIANA: Faço saber,

Leia mais

ART. 9º. : Exclusão total das alíneas E, G e parcial da alínea F.

ART. 9º. : Exclusão total das alíneas E, G e parcial da alínea F. REAL SOCIEDADE PORTUGUESA DE BENEFICÊNCIA HOSPITAL BENEFICÊNCIA PORTUGUESA Rua Onze de Agosto, 557 Fone (19) 3739-4000 Fax (19) 3739-4141 Campinas São Paulo - CEP 13013-101 E-mail: beneficenciacamp@beneficenciacamp.com.br

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO DE AREAL/ RJ RESOLUÇÃO N º 001/2016 O CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DO IDOSO do município de Areal, no âmbito de ação e conforme preceitua sua Lei de Criação

Leia mais

/ EDITAL Nº 003/2015

/ EDITAL Nº 003/2015 23006.001774/2015-98 - EDITAL Nº 003/2015 Normas do Processo Eleitoral para composição da representação docente, discente e técnicoadministrativa na Coordenação do Bacharelado em Ciências e Humanidades.

Leia mais

Obtendo a Nacionalidade brasileira

Obtendo a Nacionalidade brasileira Direito Constitucional Da Nacionalidade A nacionalidade é o vínculo jurídico-político que liga um indivíduo a um certo e determinado Estado, fazendo deste indivíduo um componente do povo, da dimensão pessoal

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº XX.XXX. INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília).

RESOLUÇÃO Nº XX.XXX. INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). RESOLUÇÃO Nº XX.XXX INSTRUÇÃO Nº XXX - CLASSE XXª - DISTRITO FEDERAL (Brasília). Relator: Ministro Arnaldo Versiani. Dispõe sobre o voto em trânsito na eleição presidencial de 2010. O Tribunal Superior

Leia mais

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau

CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA. Victor Barau CURSO FORMAÇÃO CIDADÃ DEMOCRACIA REPRESENTATIVA Victor Barau 1- O Conceito da palavra Democracia Democracia demos = povo, e kratos = autoridade Origem Conceito Moderno: Revoluções Francesa e Americana.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL

REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/ DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL REGIMENTO INTERNO NORMA Nº 02/2010 - DO REGULAMENTO ELEIÇÕES DA DIRETORIA EXECUTIVA E CONSELH0 FISCAL Art. 1º - Este Regulamento fixa normas para eleição da Diretoria Executiva e Conselho Fiscal da, de

Leia mais

SINDICATO INTERMUNICIPAL DOS PROFESSORES DE INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO SUL - ADUFRGS-SINDICAL ASSENTO ELEITORAL

SINDICATO INTERMUNICIPAL DOS PROFESSORES DE INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO SUL - ADUFRGS-SINDICAL ASSENTO ELEITORAL SINDICATO INTERMUNICIPAL DOS PROFESSORES DE INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR DO RIO GRANDE DO SUL - ADUFRGS-SINDICAL ASSENTO ELEITORAL Art. 1º. A eleição da DIRETORIA e dos representantes aposentados

Leia mais

Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque

Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque Direito Constitucional Momento TJ Emilly Albuquerque DIREITO CONSTITUCIONAL CESPE MS 2013 No que se refere a direitos e garantias fundamentais; direitos sociais, políticos e de nacionalidade; e direitos

Leia mais

GABARITO (E ) Não paga taxas. Não extradita por crime político ou de opinião. Não depende de licença. Transmissível aos herdeiros. Correta.

GABARITO (E ) Não paga taxas. Não extradita por crime político ou de opinião. Não depende de licença. Transmissível aos herdeiros. Correta. Prepare-se para o concurso TJ-SP! Todas as semanas, FOLHA DIRIGIDA, em parceria com especialistas, publica um novo simulado para os seus estudos nesta seleção. Resolva abaixo algumas questões de Direito

Leia mais

INSTITUIÇÕES DE DIREITO ELEITORAL

INSTITUIÇÕES DE DIREITO ELEITORAL Adriano Soares da Costa criada pela Academia Catarinense de Direito Eleitoral (ACADE): O Mestre Adriano Soares da Costa é uma voz de luz e resistência em uma terra árida, seca, sem solo propício para profundas

Leia mais

Direito Constitucional

Direito Constitucional Direito Constitucional Dos Deputados e dos Senadores (Art. 053 a 056) Professor André Vieira www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Constitucional Seção V DOS DEPUTADOS E DOS SENADORES Art. 53. Os Deputados

Leia mais

NORMAS PARA ELEIÇÃO DA COORDENAÇÃO DO PPGH E DOS MEMBROS DO COLEGIADO. Dos objetivos e do colégio eleitoral

NORMAS PARA ELEIÇÃO DA COORDENAÇÃO DO PPGH E DOS MEMBROS DO COLEGIADO. Dos objetivos e do colégio eleitoral NORMAS PARA ELEIÇÃO DA COORDENAÇÃO DO PPGH E DOS MEMBROS DO COLEGIADO Dos objetivos e do colégio eleitoral Art. 1º O presente instrumento tem por objetivo normatizar o Processo Eleitoral para escolha da

Leia mais