08h30-08h45 Analise das novas diretrizes de CRM da ESC Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "08h30-08h45 Analise das novas diretrizes de CRM da ESC 2014. Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída"

Transcrição

1 PROGRAMA CIENTÍFICO Quinta-feira 13 de agosto de 2015 SALA A MESA REDONDA - DAC CRÔNICA Analise das novas diretrizes de CRM da ESC 2014 Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída Quando indicar FFR e IVUS Avaliação crítica: Tratamento clinico X PTCA X CRM 10h00-10h30-10h30-12h00 10h30-10h45 10h45-11h00 11h00-11h15 11h15-12h00 12h00-14h00 15h30-16h00 16h15-16h30 16h45-17h30 17h30-19h30 MESA REDONDA - ATUALIZAÇÃO EM VALVOPATIAS Implicação da função do VE na indicação cirúrgica das insuficiências valvares. Quais Indicações atuais para TAVI Plastia x Prótese na Insuficiência Mitral Funcional Responsável: Brivaldo Markman Filho SIMPÓSIO SATÉLITE COLÓQUIO DE ECG DOENÇAS NEGLIGENCIADAS A incidência da cardiopatia chagásica está realmente decrescendo? HAP esquistossomótica. Diagnóstico e tratamento atuais. Estratégia na prevenção da Febre Reumática CHAGAS ABERTURA E COQUETEL

2 QUINTA-FEIRA 13 DE AGOSTO DE 2015 SALA B MESA REDONDA - ABORDAGEM ATUAL DA HAS Quais os níveis pressóricos indicados atualmente. Existe influência do sexo e idade? Epidemiologia da HAS. Açúcar X Sal. Quem é o maior vilão? 09h00-09h15 Quando investigar a HAS secundária? Como? 10h30-12h00 10h30-10h45 10h45-11h00 11h00-11h15 11h15-12h00 14h00-14h10 14h10-14h20 14h20-14h30 14h30-14h40 14h40-14h50 14h50-15h00 15h00-15h10 15h10-15h20 Associação de drogas deve ser usada no início do tratamento? MESA REDONDA - MIOCARDIOPATIAS Como fazer o diagnóstico diferencial das miocardiopatias dilatadas? Qual o melhor tratamento da cardiomiopatia hipertrófica obstrutiva? Miocardiopatia restritiva x pericardite constrictiva. Como diferenciar? Caso clínico Responsável: Carlos Frederico Lopes SESSÃO VAPT/VUPT Como conduzir pacientes com o primeiro episódio de FAP (fibrilação atrial paroxística)? Quais os melhores marcadores para o diagnóstico de IC aguda? Quando os novos anticoagulantes poderão ser utilizados na cardiopatia valvar Ainda há lugar para o Beta bloqueador no IAM com supra A definir A definir Quando indicar intervenção na embolia pulmonar aguda? Quais metas de pressão arterial e lípides devem ser atingidas nos idosos e muito idosos? MESA REDONDA - ARRITMIAS Abordagem clínica da FA crônica. Anticoagulantes para todos?

3 16h15-16h30 16h45-17h30 17h30-19h30 Tratamento clínico x percutâneo das taquiarritmias. Como indicar? Análise crítica da indicação de implante do CDI ABERTURA E COQUETEL SEXTA-FEIRA 14 DE AGOSTO DE 2015 SALA A MESA REDONDA - DAC AGUDA Peculiaridades da DAC aguda na mulher Facilidade e adequação de métodos de imagem na DAC aguda Classificação de risco na fase aguda e como avaliar o prognóstico. Ainda temos indicação para trombolíticos? Em que situações? 10h30h-12h00 MESA REDONDA - INSUFICIÊNCIA CARDÍACA 10h30-10h45 10h45-11h00 11h00-11h15 11h15-12h00 12h00-14h00 14h00-14h10 14h10-14h20 14h20-14h30 14h30-14h40 14h40-14h50 14h50-15h00 Diagnóstico clínico, estadiamento e prognóstico Ergoespirometria na avaliação da insuficiência cardíaca? Disfunção sistólica, diastólica ou ambas? SIMPÓSIO SATÉLITE SESSÃO VAPT/VUPT Automedida da Pressão arterial é útil? IECA ou BRA na HAS? existem diferenças? A duração de um teste ergométrico é critério de qualidade? Quando indicar angiotomografia de coronárias para estratificação de risco precoce na dor torácica aguda. Quando abordar a valva tricúspide quando da cirurgia da valva mitral? Stent farmacológico no IAM, é seguro?

4 15h00-15h10 15h10-15h20 15h30-16h00 16h15-16h30 16h45-17h30 Quando intervir no FOP? Qual o Prognóstico da Miocardiopatia Periparto MESA REDONDA - IMAGEM CARDIOVASCULAR NA ABORDAGEM DE DOR TORÁCICA Ecocardiograma Cintilografia miocárdica Angiotomografia SEXTA-FEIRA 14 DE AGOSTO DE 2015 SALA B 08h30-15h30 08h30-09h30 09h30-09h40 09h40-09h50 SIMPÓSIO DE CARDIOLOGIA PEDIÁTRICA MESA REDONDA: NOVAS CONTROVÉRSIAS EM CARDIOPATIAS CONGÊNITAS: CIRURGIA OU INTERVENÇÃO Paliação em cardiopatias canal-dependentes no período neonatal Coarctação complexa e lesões do arco aórtico Comunicação interatrial OS TEMAS DE SEMPRE PORQUE CONTINUAMOS A DEBATÊ-LOS? MEU PONTO DE VISTA. O canal arterial silencioso Fechar ou não fechar? Eis a questão. Comunicação interventricular perimembranosa pequena até quando esperar? 09h50-10h00 Hipertensão arterial pulmonar em cardiopatias de hiperfluxo pulmonar quando o risco é alto demais? 10H30-11H00 CONFERÊNCIA E DEBATE: CRITÉRIOS DE JONES REVISADOS O QUE MUDA NA PRÁTICA CLÍNICA 11h00-12h00 TETRALOGIA DE FALLOT OS LIMITES CONTINUAM A DIMINUIR

5 11h00-11h15 11h15-11h30 11h30-11h45 11h45-12h00 Quando é muito cedo para a correção total? Quando é a hora de re-intervir o papel dos novos métodos diagnósticos Evolução cirúrgica e de pós operatório. Onde estamos? 12h30-13h30 14h00-14h15 14h15-14h30 14h30-14h45 14h45-15h00 15h15-15h30 16h15-16h30 16h45-17h00 SIMPÓSIO SATÉLITE MESA REDONDA - CIRURGIA CARDÍACA EM CARDIOPATIAS CONGÊNITAS - E OS DESAFIOS CONTINUAM. Atresia pulmonar com CIV e colaterais sistêmico-pulmonares - Há possibilidade de reparo biventricular? Transposição das grandes artérias e cirurgia de Jatene - quando é cedo ou tarde demais? Doença de Ebstein abordagem cirúrgica quando e como? CASO DESAFIADOR Presidente: Juliana Neves Debatedores: Luziene Bonates, Fabiana Aragão, Fernando Moraes, José Pedro Silva, Lucia Salerno Responsável: Tereza Pinheiro MESA REDONDA - DISLIPIDEMIAS Orientação higieno-dietética e aspectos psico-sociais nas dislipidemias Quais as metas a serem atingidas segundo os recentes Guidelines? Antigas e novas drogas. Como racionalizar a indicação e dosagem? Qual a importância das dislipidemias na avaliação do risco cardiovascular e cardiovascular global? 17h00-17h30 SÁBADO 15 DE AGOSTO DE 2015 SALA A MESA REDONDA - ANTICOAGULANTES / ANTIAGREGANTES Diferenças e semelhanças na farmacodinâmica dos novos anticoagulantes orais

6 Prevenção e tratamento na TVP e TEP Palestrante: Verônica Monteiro Dupla inibição plaquetária. Por quanto tempo? Como escolher o antiplaquetário? 10h30-12h00 12h00-14h00 GINCANA (Sala única) PREMIAÇÃO TL - ENCERRAMENTO SÁBADO 15 DE AGOSTO DE 2015 SALA B 09h15-10h00 MESA REDONDA - ATUALIZAÇÃO EM ENDOCARDITE INFECCIOSA Avaliação ecocardiográfica no diagnóstico da EI EI em valvas nativas e próteses. Como tratar? Abordagem cirúrgica da EI

PROGAMAÇÃO V CURSO TEÓRICO RESIDENTE CARDIOLOGIA SMC

PROGAMAÇÃO V CURSO TEÓRICO RESIDENTE CARDIOLOGIA SMC PROGAMAÇÃO V CURSO TEÓRICO RESIDENTE CARDIOLOGIA SMC MÓDULO AVANÇADO: 2º Semestre de 2013 LOCAL: ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE MINAS GERAIS ESTRUTURA DAS AULAS: - Participantes: Um palestrante + Um debatedor +

Leia mais

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 28 de Fevereiro

Leia mais

SERVIÇO DE CARDIOLOGIA - IRMANDADE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP

SERVIÇO DE CARDIOLOGIA - IRMANDADE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP SERVIÇO DE CARDIOLOGIA - IRMANDADE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP EDITAL/ REGULAMENTO INTERNO ESTÁGIO MÉDICO EM CARDIOLOGIA CLÍNICA 1. CORPO CLÍNICO. A disciplina de Cardiologia

Leia mais

PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO

PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO 1 PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 A CIRCULAÇÃO EXTRACORPOREA NA CIRURGIA CARDÍACA BRASILEIRA: HISTÓRICO, AVANÇOS E DESAFIOS. 2 A DISSECÇÃO AÓRTICA E O TRATAMENTO ENDOVASCULAR 3 A IMPORTÂNCIA DA

Leia mais

COORDENADOR: PROF. LUIZ F. SALAZAR DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR

COORDENADOR: PROF. LUIZ F. SALAZAR DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR PROCAPE / - CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM CARDIOLOGIA ANO: 0 HORÁRIO: 07:30 HS. ( em ponto) COORNADOR: PROF. LUIZ F. SALAZAR DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR 07.0 ª A ANAMNESE EM CARDIOLOGIA SINTOMAS Dr.Luiz

Leia mais

INTERVALO E VISITA À EXPOSIÇÃO PARALELA - TEMA LIVRE PÔSTER GRUPO I

INTERVALO E VISITA À EXPOSIÇÃO PARALELA - TEMA LIVRE PÔSTER GRUPO I XXII CONGRESSO NACIONAL DO DEPARTAMENTO DE ERGOMETRIA, EXERCÍCIO, REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR, CARDIOLOGIA NUCLEAR E CARDIOLOGIA DO ESPORTE. PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA QUINTA-FEIRA 29 DE OUTUBRO DE 2015 07:30H

Leia mais

Programa Científico. ESC in Rio 2015

Programa Científico. ESC in Rio 2015 Programa Científico ESC in Rio 2015 8:30h - 9:30h 32º CONGRESSO DE CARDIOLOGIA DA SOCERJ COLÓQUIO: MANUSEIO DA DOR TORÁCICA NA SALA DE EMERGÊNCIA Em que ordem e quais os biomarcadores que devem ser empregados?

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA 1 FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA Av. Prof. Alfredo Balena 190-2 0 andar Caixa postal 340 - CEP 30130-100 031-3409-9759 e 3409-9760 cirurgia@medicina.ufmg.br CIR TÓPICOS CLÍNICA

Leia mais

HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016

HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016 HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 2 de Fevereiro

Leia mais

Sala 1 - CONFERÊNCIA "Os Desafios da SBC para implantação do Programa Nacional de Prevenção Cardiovascular"

Sala 1 - CONFERÊNCIA Os Desafios da SBC para implantação do Programa Nacional de Prevenção Cardiovascular PROGRAMA CIENTÍFICO CONGRESSO SOCERJ 2013 Quinta-feira 04.04.2013 Hora: 08:00h - 08:30h Sala 1 - ABERTURA OFICIAL Hora: 08:30h - 09:45h Sala 1 - CONFERÊNCIA "Os Desafios da SBC para implantação do Programa

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc Insuficiência Cardíaca Conceito É a incapacidade do coração em adequar sua ejeção às necessidades metabólicas do organismo, ou fazê-la

Leia mais

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç )

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç ) TESTE ERGOMÉTRICO (Teste de esforço) Definição - um dos exames mais importantes de diagnóstico, avaliação clínica e prognóstico dos pacientes com doença arterial coronariana (DAC). - método rápido, barato,

Leia mais

Cardiologia Hemodinâmica

Cardiologia Hemodinâmica 1 Concurso Público 2011 Cardiologia Hemodinâmica Questão 1: Homem de 40 anos de idade, brasileiro (RJ), solteiro e comerciante, apresentou dor precordial intensa, acompanhada de palpitações e desencadeada

Leia mais

ANEXO B CONTEÚDO CIENTÍFICO DO CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM. MÓDULO RECICLAGEM Primeiro dia

ANEXO B CONTEÚDO CIENTÍFICO DO CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM. MÓDULO RECICLAGEM Primeiro dia ANEXO B CONTEÚDO CIENTÍFICO DO CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM MÓDULO 1 FISIOLOGIA MÓDULO RECICLAGEM Primeiro dia 08:30-09:00h 1.Controle neural do coração e da circulação a. Anatomia do SNA no coração e

Leia mais

Índice Remissivo do Volume 89-2007

Índice Remissivo do Volume 89-2007 Por Assunto A Ablação por cateter Ácidos pteroilpoliglutâmicos Adiposidade - Associação entre Perfil lipídico e Adjuvantes imunológicos Adolescente Escolares...73 Teste Ergométrico em Crianças e Adulto

Leia mais

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA RISCO CIRÚRGICO. 9/7/2003 Dr. José Mário Espínola - AMPB 1

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA RISCO CIRÚRGICO. 9/7/2003 Dr. José Mário Espínola - AMPB 1 ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA 1 I- CONCEITO: avaliação realizada por cardiologista, com fortes bases epidemiológicas, objetivando determinar classificação funcional do paciente, e risco de complicações

Leia mais

Protocolo de Dor Torácica / Doença Arterial Coronariana (DAC)

Protocolo de Dor Torácica / Doença Arterial Coronariana (DAC) Protocolo de Dor Torácica / Doença Arterial Coronariana (DAC) 1 - Epidemiologia No Brasil, as doenças cardiovasculares (DCV) representam a principal causa de mortalidade. Calcula-se que existam 900.000

Leia mais

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS Página: 1/7 1- CONSIDERAÇÕES GERAIS 1.1- As doenças cardiovasculares são, ainda hoje, as principais responsáveis pela mortalidade na população geral, no mundo ocidental. Dentre as inúmeras patologias que

Leia mais

São Paulo, 18 de Outubro de 2010.

São Paulo, 18 de Outubro de 2010. São Paulo, 18 de Outubro de 2010. Edital de Inscrições para Programa de Treinamento e Aperfeiçoamento 201 1 Curso: ESPECIALIZAÇÃO EM ECOCARDIOGRAFIA 1 - LEIA ATENTAMENTE ESTE EDITAL ATÉ O FIM, POIS TODAS

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CARDIOLOGIA 21. Quando analisamos o fluxo coronariano, observamos que ele é relativamente constante em pressões entre 60 e 160 mmhg e que o fluxo é diretamente relacionado

Leia mais

15 de setembro de 2012 - sábado

15 de setembro de 2012 - sábado 15 de setembro de 2012 - sábado DOENÇA ARTERIAL CRONICA/SINDROMES CORONARIAS AGUDAS Auditório 01 (Térreo) 1º Andar(500) (11871) Doença Arterial Crônica: Diagnóstico e Estratégias de Revascularização 10:50-11:05h

Leia mais

XXII CONGRESSO NACIONAL DO DEPARTAMENTO DE ERGOMETRIA, EXERCÍCIO, REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR, CARDIOLOGIA NUCLEAR E CARDIOLOGIA DO ESPORTE.

XXII CONGRESSO NACIONAL DO DEPARTAMENTO DE ERGOMETRIA, EXERCÍCIO, REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR, CARDIOLOGIA NUCLEAR E CARDIOLOGIA DO ESPORTE. PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA QUINTA-FEIRA 29 DE OUTUBRO DE 2015 CREDENCIAMENTO 07:30H MENSAGEM DA COMISSÃO ORGANIZADORA CURSO INTERATIVO E CONJUGADO DE ERGOMETRIA E TESTE CARDIOPULMONAR DE EXERCÍCIO. CURSO INTERATIVO

Leia mais

CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE

CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE CARDIOLOGIA ORIENTAÇÃO P/ ENCAMINHAMENTO À ESPECIALIDADE DOR TORÁCICA CARDÍACA LOCAL: Precordio c/ ou s/ irradiação Pescoço (face anterior) MSE (interno) FORMA: Opressão Queimação Mal Estar FATORES DESENCADEANTES:

Leia mais

Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015

Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015 Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015 (19200) Simpósio Insuficiência Cardíaca, Cardiomiopatia e Doenças do Pericárdio Auditório 1 (Capacidade 500) 08:30 10:00 O Desafio da Avaliação de Dispneia em Pacientes

Leia mais

Programação Científica Atividades Especiais

Programação Científica Atividades Especiais Programação Científica Atividades Especiais SBC/DERC Departamento de Ergometria, Exercício, Cardiologia Nuclear e Reabilitação Cardiovascular Auditório 01 (Capacidade 600) Simpósio Internacional do DERC

Leia mais

Uma proposta para nomenclatura dos defeitos congênitos do sistema cardiovascular

Uma proposta para nomenclatura dos defeitos congênitos do sistema cardiovascular Rev Bras Cir Cardiovasc 2002; 17(1): 1-5. Abreu Filho C A C, Dallan L A O, Lisboa L A F, Platania F, Iglézias J C R, Cabral R H, Bordallo R, Dallan L A P, Oliveira S Artigo Especial Uma proposta para nomenclatura

Leia mais

Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Sul. Cardiomiopatia Hipertrófica e Restritiva. Dr. Jamil Mattar Valente

Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Sul. Cardiomiopatia Hipertrófica e Restritiva. Dr. Jamil Mattar Valente 2006 Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Sul Cardiomiopatia Hipertrófica e Restritiva Dr. Jamil Mattar Valente 1 Cardiomiopatia Hipertrófica Primária Secundária 2 Introdução Doença hereditária

Leia mais

Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações

Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações Valvulopatias Cardíacas II - Visão Cirúrgica Insuficiência Mitral Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações Prof. Dr. Jehorvan L. Carvalho História Existem relatos

Leia mais

Editora Samira Morhy Borges Leal. Editores Associados José L. Andrade Valdir Ambrósio Moisés

Editora Samira Morhy Borges Leal. Editores Associados José L. Andrade Valdir Ambrósio Moisés Normatização dos Cursos, Pré-requisitos e Critérios para Obtenção do Certificado de Atuação na Área de Ecocardiografia Pediátrica da Sociedade Brasileira de Cardiologia Editora Samira Morhy Borges Leal

Leia mais

Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD

Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD Carlo B Pilla e Cardiologia Intervencionista SBHCI 2012 Obstruções à VSVD Estenose subvalvar pulmonar* Estenose valvar

Leia mais

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Coordenação Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Prof. Dr. Augusto Scalabrini Neto Professor Associado pela Faculdade

Leia mais

Normatização para a Concessão e Revalidação do Título de Especialista em Cardiologia e de Área de Atuação dentro da Especialidade

Normatização para a Concessão e Revalidação do Título de Especialista em Cardiologia e de Área de Atuação dentro da Especialidade Normatização para a Concessão e Revalidação do Título de Especialista em Cardiologia e de Área de Atuação dentro da Especialidade 1 Normatização para a concessão e revalidação do título de especialista

Leia mais

INTERVALO ABERTURA OFICIAL 33º CONGRESSO DE CARDIOLOGIA. 8:30h - 9:30h SALA 1 SALA 2 SALA 3 SALA 2 SALA 4 SALA 3 SALA 5 SALA 4 SALA 8 SALA 5

INTERVALO ABERTURA OFICIAL 33º CONGRESSO DE CARDIOLOGIA. 8:30h - 9:30h SALA 1 SALA 2 SALA 3 SALA 2 SALA 4 SALA 3 SALA 5 SALA 4 SALA 8 SALA 5 33º CONGRESSO DE CARDIOLOGIA DA SOCERJ PROGRAMA CIENTÍFICO OFICIAL 8:30h - 9:30h 11:00h - 12:30h MESA REDONDA: ANALISE CRÍTICA DE TRIALS RECENTES EM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA Benefit Paradigm - HF AATAC -

Leia mais

Semiologia Cardiovascular. B3, B4, Cliques, Estalidos e Atrito Pericárdico. Por Gustavo Amarante

Semiologia Cardiovascular. B3, B4, Cliques, Estalidos e Atrito Pericárdico. Por Gustavo Amarante Semiologia Cardiovascular B3, B4, Cliques, Estalidos e Atrito Pericárdico Por Gustavo Amarante 1 Bulhas Acessórias (B3 e B4) A) Revisão do Ciclo Cardíaco e Posição das Bulhas Para entender as bulhas acessórias,

Leia mais

DICIONÁRIO DE TERMOS DA HEMODINÂMICA

DICIONÁRIO DE TERMOS DA HEMODINÂMICA DICIONÁRIO DE TERMOS DA HEMODINÂMICA Aneurisma: dilatação e protusão localizada da parede de um vaso (principalmente artéria) ou do coração, decorrente de uma fragilidade estrutural local. Angina: também

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: CARDIOLOGISTA CLÍNICO C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão

Leia mais

INTERVALO ABERTURA OFICIAL 33º CONGRESSO DE CARDIOLOGIA. 8:30h - 9:30h SALA 1 SALA 2 SALA 3 SALA 2 SALA 4 SALA 3 SALA 5 SALA 4 SALA 8 SALA 5

INTERVALO ABERTURA OFICIAL 33º CONGRESSO DE CARDIOLOGIA. 8:30h - 9:30h SALA 1 SALA 2 SALA 3 SALA 2 SALA 4 SALA 3 SALA 5 SALA 4 SALA 8 SALA 5 33º CONGRESSO DE CARDIOLOGIA DA SOCERJ PROGRAMA CIENTÍFICO OFICIAL 8:30h - 9:30h 11:00h - 12:30h MESA REDONDA: ANALISE CRÍTICA DE TRIALS RECENTES EM INSUFICIÊNCIA CARDÍACA Benefit Paradigm - HF AATAC -

Leia mais

9H00-17H30 AUDITÓRIO 7(30) (9394) DEPARTAMENTO DE CARDIOLOGIA DA MULHER

9H00-17H30 AUDITÓRIO 7(30) (9394) DEPARTAMENTO DE CARDIOLOGIA DA MULHER 9H00-17H30 AUDITÓRIO 7(30) (9394) DEPARTAMENTO DE CARDIOLOGIA DA MULHER MESA REDONDA - A DOENÇA ARTERIAL CORONARIANA NA MULHER COORDENADOR : ORLANDO MEDEIROS (PE) 10H00 10H20: PANORAMA ATUAL DA DCV NA

Leia mais

Semiologia Cardiovascular. Estenose Aórtica. Por Gustavo Amarante

Semiologia Cardiovascular. Estenose Aórtica. Por Gustavo Amarante Semiologia Cardiovascular Estenose Aórtica Por Gustavo Amarante 1- Etiologia A obstrução da via de saída do ventrículo esquerdo na maioria das vezes localizase na valva aórtica. Mas pode haver obstrução

Leia mais

Doenças do Sistema Circulatório

Doenças do Sistema Circulatório Doenças do Sistema Circulatório Dados Mundiais: Mortes por grupos de causas - 2000 Total de Mortes: 55.694.000 Causas Externas ( 9.1%) Doenças Não Transmissíveis (59.0%) Doenças transmissíveis, mortalidade

Leia mais

Sugestões para o rol. Núcleo Amil de Avaliação de Tecnologias em Saúde. Suzana Alves da Silva Maria Elisa Cabanelas Pazos

Sugestões para o rol. Núcleo Amil de Avaliação de Tecnologias em Saúde. Suzana Alves da Silva Maria Elisa Cabanelas Pazos Sugestões para o rol Núcleo Amil de Avaliação de Tecnologias em Saúde Suzana Alves da Silva Maria Elisa Cabanelas Pazos S Procedimentos selecionados Cardiologia AngioTC de coronárias Escore de cálcio Cintilografia

Leia mais

Ivan da Costa Barros Pedro Gemal

Ivan da Costa Barros Pedro Gemal Semiologia Abordagem ao paciente cardiopata Ivan da Costa Barros Pedro Gemal DESAFIO!! 2011 Universidade Federal Fluminense 1. Paciente idoso procura PS à noite queixando- se de falta de ar, taquicárdico

Leia mais

Cardiopatia Congênita Acianótica. com Hiperfluxo Pulmonar. Marco Antônio Bramorski. Florianópolis

Cardiopatia Congênita Acianótica. com Hiperfluxo Pulmonar. Marco Antônio Bramorski. Florianópolis Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia Região Sul Cardiopatia Congênita Acianótica com Hiperfluxo Pulmonar Marco Antônio Bramorski Florianópolis - 2006 Circulação Pulmonar Normal O2 x ad ae AAP VVP

Leia mais

Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias

Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias Lesão coronária tardia após cirurgia de switch arterial na transposição de grandes artérias F.X.Valente 1, C. Trigo 2, J.D.F. Martins 2, I. Freitas 2, F. Paramés 2, M. António 2, L. Bakero 3, J. Fragata

Leia mais

28 de setembro de 2010 terça-feira

28 de setembro de 2010 terça-feira 28 de setembro de 2010 terça-feira SESSÃO ESPECIAL Auditório 01(185) (8372) Avaliação do sistema nervoso autônomo cardiovascular 08:30-08:45h Regulação autonômica da função cardiovascular 08:45-09:00h

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CARDIOLOGIA 2012

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CARDIOLOGIA 2012 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM CARDIOLOGIA 2012 Aprovado pelo Parecer 734/86 de 09/10/1986 Conselho Federal de Educação (Ministério da Educação) CREDENCIADO PELO MEC PARA CURSOS PRESENCIAIS E A DISTANCIA (24/05/2006

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CARDIOLOGISTA

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CARDIOLOGISTA 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CARDIOLOGISTA QUESTÃO 21 Em relação aos métodos diagnósticos não invasivos utilizados para rastreamento de doença cardíaca, é CORRETO afirmar: a) O valor preditivo

Leia mais

Estenose Mitral. Definição e Etiologia

Estenose Mitral. Definição e Etiologia Estenose Mitral Definição e Etiologia A estenose da válvula mitral é um estreitamento da abertura da válvula mitral que aumenta a resistência ao fluxo da corrente sanguínea do átrio esquerdo para o ventrículo

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA CIR

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA CIR 1 FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA Av. Prof. Alfredo Balena 190-2 0 andar Caixa postal 340 - CEP 30130-100 031-3409-9759 e 3409-9760 cirurgia@medicina.ufmg.br CIR Disciplina Optativa

Leia mais

Fellowship em Ecocardiografia 2014. Grupo Fleury Hospital São Luiz

Fellowship em Ecocardiografia 2014. Grupo Fleury Hospital São Luiz Fellowship em Ecocardiografia 2014 Grupo Fleury Hospital São Luiz 1. OBJETIVOS Treinar habilidades Avançadas, Nível 3 em ecocardiografia transtorácica em Adultos Treinar e desenvolver corretamente a indicação,

Leia mais

COLEGIO BRASILEIRO DE CARDIOLOGIA

COLEGIO BRASILEIRO DE CARDIOLOGIA DO INSTITUTO DE POS-GRADUAÇÃO MEDICA DO RIO DE JANEIRO (CNPJ: 30.113.328/0001-85) Aprovado pelo Ministério da Educação Até Julho de 2011 Aprovado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia COLEGIO BRASILEIRO

Leia mais

2. HIPERTENSÃO ARTERIAL

2. HIPERTENSÃO ARTERIAL TESTE ERGOMETRICO O teste ergométrico serve para a avaliação ampla do funcionamento cardiovascular, quando submetido a esforço físico gradualmente crescente, em esteira rolante. São observados os sintomas,

Leia mais

Insuficiência cardíaca: Antonio Luiz Pinho Ribeiro MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde

Insuficiência cardíaca: Antonio Luiz Pinho Ribeiro MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Avaliação e manejo Antonio Luiz Pinho Ribeiro MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Importância Via comum final das cardiopatias caráter progressivo grande impacto na qualidade de vida elevadas

Leia mais

CONCEITO: PRC. (Moraes RS, et al. Diretriz de Reabilitação Cardíaca. Arq Bras Cardiol 2005; 84: 431-40.)

CONCEITO: PRC. (Moraes RS, et al. Diretriz de Reabilitação Cardíaca. Arq Bras Cardiol 2005; 84: 431-40.) CONCEITO: PRC OMS: é o somatório das atividades necessárias para garantir aos pacientes portadores de cardiopatia as melhores condições física, mental e social, de forma que eles consigam, pelo seu próprio

Leia mais

Índice Remissivo do Volume 91-2008

Índice Remissivo do Volume 91-2008 Por Assunto A Acidente cerebrovascular/complicações Acidente vascular na doença de Chagas, 306 Abscesso Opção para tratamento de abscesso aórtico, 72 Acesso radial Acesso ulnar Angioplastia primária pelo

Leia mais

Programação. 08:00-10:00 Tratamento Doença Arterial Coronária Crônica / SYMPOSIUM ACC/SOCESP

Programação. 08:00-10:00 Tratamento Doença Arterial Coronária Crônica / SYMPOSIUM ACC/SOCESP Sessão de Abertura - Auditório 3 08:00-10:00 Tratamento Doença Arterial Coronária Crônica / SYMPOSIUM ACC/SOCESP FOCUSING ON CHRONIC CORONARY ARTERY DISEASE EA1 - Auditório 1 20 min. Quando o tratamento

Leia mais

18 a 20 de Agosto de 2011 Salão Nobre do Hotel Plaza São Rafael Av. Alberto Bins, 514 Porto Alegre - RS

18 a 20 de Agosto de 2011 Salão Nobre do Hotel Plaza São Rafael Av. Alberto Bins, 514 Porto Alegre - RS XII CURSO INTERNACIONAL DE CARDIOLOGIA FETAL E PEDIÁTRICA VI ENCONTRO DE MEDICINA FETAL DO MERCOSUL III SIMPÓSIO DE TERAPIA INTENSIVA EM CARDIOLOGIA PEDIÁTRICA / HEMODINÂMICA INTERVENCIONISTA 18 a 20 de

Leia mais

PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA

PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA Sábado 07 de Dezembro de 2013 09:00 10:30 Sessão 4 Novas Estratégias Para Prevenção

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Número da Ação (Para

Leia mais

CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM EM CARDIOLOGIA DA REGIÃO SUL ANGINA ESTÁVEL ABDOL HAKIM ASSEF

CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM EM CARDIOLOGIA DA REGIÃO SUL ANGINA ESTÁVEL ABDOL HAKIM ASSEF CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM EM CARDIOLOGIA DA REGIÃO SUL ANGINA ESTÁVEL ABDOL HAKIM ASSEF Maringá - Paraná ANGINA ESTÁVEL DEFINIÇÃO Síndrome clínica caracterizada por dor ou desconforto em tórax, epigástrio,

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RESSONÂNCIA E TOMOGRAFIA CARDIOVASCULAR

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RESSONÂNCIA E TOMOGRAFIA CARDIOVASCULAR CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RESSONÂNCIA E TOMOGRAFIA CARDIOVASCULAR Coordenadores: Drs. Clerio Azevedo e Marcelo Hadlich 1. Objetivos do Programa Proporcionar, aos pós-graduandos, formação especializada

Leia mais

Tratamento Percutâneo das Cardiopatias Congenitas. Célia Fátima Anhesini Benetti Gerente de Enfermagem Serviço de Hemodinâmica do HCor São Paulo - SP

Tratamento Percutâneo das Cardiopatias Congenitas. Célia Fátima Anhesini Benetti Gerente de Enfermagem Serviço de Hemodinâmica do HCor São Paulo - SP Tratamento Percutâneo das Cardiopatias Congenitas Célia Fátima Anhesini Benetti Gerente de Enfermagem Serviço de Hemodinâmica do HCor São Paulo - SP Tratamento Percutâneo das Cardiopatias Congênitas Célia

Leia mais

Anos Opcionais em Cardiologia e Áreas de Atuação em Cardiologia

Anos Opcionais em Cardiologia e Áreas de Atuação em Cardiologia Universidade Federal de São Paulo COREME Residência MÉDICA - 2015 Anos Opcionais em Cardiologia e Áreas de Atuação em Cardiologia Nome do Candidato N.Inscrição INSTRUÇÕES Verifique se este caderno de prova

Leia mais

Coração. O Exame Físico do Coração. Dr. Carlos Caron e Dr. Ivan Paredes CONSIDERAÇÕES GERAIS

Coração. O Exame Físico do Coração. Dr. Carlos Caron e Dr. Ivan Paredes CONSIDERAÇÕES GERAIS CARDIOVASCULAR Coração Dr. Carlos Caron e Dr. Ivan Paredes O Exame Físico do Coração Neste módulo estudaremos o exame físico do sistema cardiovascular, estabelecendo relações com a fisiologia, anatomia

Leia mais

XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno

XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno O Amamentar para Mães com Necessidades Especiais O amamentar entre as mães cardiopatas Cirurgia Cardíaca Cardiologia Pediátrica Mudança no Prognóstico 60-70%

Leia mais

Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico. Costantini

Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico. Costantini Caso Clínico 1 Módulo: DAC Métodos Diagnósticos Marco Aurélio Nerosky Hospital Cardiológico Costantini Caso 01 IFV, 59 anos, feminino Assintomática Fatores de Risco: história familiar Pressão arterial

Leia mais

Miocardiopatia Hipertrófica: Casuística da ULS da Guarda. Anexo 1: Tabela 1- Distribuição da população de doentes identificada com o

Miocardiopatia Hipertrófica: Casuística da ULS da Guarda. Anexo 1: Tabela 1- Distribuição da população de doentes identificada com o ANEXOS INDÍCE DE ANEXOS ANEXOS Anexo 1: Tabela 1- Distribuição da população de doentes identificada com o código diagnóstico do ICD-9...pág.3 Anexo 2: Questionário aplicado aos doentes com MCH..pág.3 Anexo

Leia mais

TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA. Observação:

TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA. Observação: TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA Observação: Exposição dos temas livres TL 01 a TL 21 sexta de 08h as 12h, com apresentação 09:45h Exposição dos temas livres TL

Leia mais

Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17

Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17 Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17 Tabela 01 - Pacientes com Síndromes Coronarianas Agudas à Internação na Unidade - Principais Características Clinicas - Todos os Pacientes Egressos da

Leia mais

Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17

Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17 Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17 Tabela 01 - Pacientes com Síndromes Coronarianas Agudas à Internação na Unidade - Principais Características Clinicas - Todos os Pacientes Egressos da

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 10. A equação para o cálculo do stress de parede (lei de Laplace) é:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 10. A equação para o cálculo do stress de parede (lei de Laplace) é: 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 10 QUESTÃO 17 A equação para o cálculo do stress de parede (lei de Laplace) é: a) pressão x raio / 2 x espessura da parede. b) espessura da parede / pressão x

Leia mais

Terapêutica anticoagulante oral

Terapêutica anticoagulante oral Terapêutica anticoagulante oral Quando iniciar? Quando e como suspender? Quando parar definitivamente? Eugénia Cruz e Sara Morais Serviço de Hematologia Clínica, Hospital de Santo António 1º Encontro Proximidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: CIRURGIÃO CARDÍACO C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de

Leia mais

PERGUNTE AO CARDIOLOGISTA

PERGUNTE AO CARDIOLOGISTA PERGUNTE AO CARDIOLOGISTA Quais os melhores critérios para o diagnóstico de cardiopatia grave? Basta o ecocardiograma em repouso ou devo sempre fazer avaliação funcional? E se a avaliação funcional incorrer

Leia mais

Opções de dispositivos e técnicas de fechamento de CIV. Renato Sanchez Antonio

Opções de dispositivos e técnicas de fechamento de CIV. Renato Sanchez Antonio Opções de dispositivos e técnicas de fechamento de CIV Renato Sanchez Antonio Oclusão percutânea da CIV CIV correspondem a cerca de 20% de todas as formas de cardiopatia congênita Acianogênica com hiperfluxo

Leia mais

XVI Congresso Pernambucano de Cardiologia

XVI Congresso Pernambucano de Cardiologia 14 A 09:30-11:00 Mesa Redonda: Insuficiência Cardíaca Manuseio na Insuficiência Cardíaca Limites e possibilidades Moderadores: Dr. Wilson Oliveira Dra. Clébia Ribeiro 09:30-09:45 No paciente hipotenso

Leia mais

Fóruns Científicos e Simpósio Multidisciplinar

Fóruns Científicos e Simpósio Multidisciplinar Fóruns Científicos e Simpósio Multidisciplinar Comissão dos Fóruns Científicos e do Simpósio Multidisciplinar Coordenação Geral Abdol Hakim Assef Fórum de Educação Física & Fisioterapia em Cardiologia

Leia mais

Índice Remissivo do Volume 102

Índice Remissivo do Volume 102 Por assunto Palavra-chave A Ablação por Cateter Nome e página do artigo Ablação de Fibrilação Atrial por Mapeamento, 30 Ablação Epicárdica de Taquicardia Ventricular, 524 Denervação Renal com Cateter Irrigado,

Leia mais

Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados

Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados Palpitações Arritmias Síncope Fibrilação atrial Sintomas, causas, cuidados - O que são palpitações cardíacas? A palpitação ocorre quando passamos a perceber os batimentos cardíacos ECG demonstrando batimento

Leia mais

Intervenções percutâneas. Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo

Intervenções percutâneas. Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo Intervenções percutâneas Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo Célia Maria C. Silva Declaro que não existe conflito de interesse nesta minha apresentação Estenose Valvar Aórtica

Leia mais

O PAPEL DA ENFERMAGEM NA REABILITAÇÃO CARDIACA RAQUEL BOLAS

O PAPEL DA ENFERMAGEM NA REABILITAÇÃO CARDIACA RAQUEL BOLAS O PAPEL DA ENFERMAGEM NA REABILITAÇÃO CARDIACA RAQUEL BOLAS Ericeira, 11 de Fevereiro 2011 DEFINIÇÃO De acordo com a OMS (2003), a Reabilitação Cardíaca é um conjunto De acordo com a OMS (2003), a Reabilitação

Leia mais

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta.

Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Prezado(a) candidato(a): Assine e coloque seu número de inscrição no quadro abaixo. Preencha, com traços firmes, o espaço reservado a cada opção na folha de resposta. Nº de Inscrição Nome ASSINALE A RESPOSTA

Leia mais

REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino

REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino Serviço de Arritmia, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM ARRITMIA CLÍNICA E MÉTODOS DIAGNÓSTICOS NÃO

Leia mais

Conduta no paciente com. isquêmica

Conduta no paciente com. isquêmica Conduta no paciente com cardiopatia isquêmica Lucas Araujo PET - Medicina Primeira causa de morte nos países ricos e vem aumentando sua incidência nos países de média e baixa renda No coração em repouso

Leia mais

II CURSO SOCERJ DE IMERSÃO EM ARRITMIAS PARA O CLÍNICO - SALA 1

II CURSO SOCERJ DE IMERSÃO EM ARRITMIAS PARA O CLÍNICO - SALA 1 Quarta Feira 25/04 II CURSO SOCERJ DE IMERSÃO EM ARRITMIAS PARA O CLÍNICO - SALA 1 9:00-10:00 Módulo 1 O paciente com arritmias cardíacas no consultório do cardiologista Caso 1: Paciente com queixa de

Leia mais

www.estrategiaconcursos.com.br

www.estrategiaconcursos.com.br Questão 01 No que se refere ao prontuário médico, é correto afirmar que A) o paciente, em caso de erro médico, só pode ter acesso ao seu prontuário sob ordem judicial. B) é permitido ao médico negar acesso

Leia mais

IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS?

IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS? IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS? Prof. Dr. Flávio Tarasoutchi Unidade de Valvopatias Instituto do Coração (InCor) - Hospital das Clínicas Universidade de São Paulo

Leia mais

Anexo 2. Documento elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com:

Anexo 2. Documento elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com: Anexo 2 Recomendação para o tratamento da hipertensão arterial sistêmica Documento elaborado pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com: Sociedade Brasileira de Cardiologia - Departamento

Leia mais

6/1/2014 DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO. Perfusão sanguínea

6/1/2014 DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO. Perfusão sanguínea DEFINIÇÃO CHOQUE CARDIOGÊNICO Lilian Caram Petrus, MV, Msc Equipe Pet Cor de Cardiologia Doutoranda FMVZ-USP Vice- Presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Veterinária Estado de baixa perfusão

Leia mais

EXAME CLÍNICO PARA INVESTIGAÇÃO DE UMA DOENÇA CARDIOVASCULAR

EXAME CLÍNICO PARA INVESTIGAÇÃO DE UMA DOENÇA CARDIOVASCULAR EXAME CLÍNICO PARA INVESTIGAÇÃO DE UMA DOENÇA CARDIOVASCULAR RESUMO Anamnese ID HPMA IDA Antecedentes Pessoais Antecedentes Familiais Exame Físico Geral Exame Físico Especial Cabeça / Face / Pescoço Aparelho

Leia mais

DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO

DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO UNESC ENFERMAGEM SAÚDE DO ADULTO PROFª: : FLÁVIA NUNES DOENÇAS INFECCIOSAS DO CORAÇÃO ENDOCARDITE REUMÁTICA O desenvolvimento da endocardite reumática é atribuído diretamente à febre reumática, uma doença

Leia mais

TEMAS LIVRES APROVADOS - POSTER - DIA 05 de abril

TEMAS LIVRES APROVADOS - POSTER - DIA 05 de abril IDTEMASBC TITULO CATEGORIA NOMEAUTOR 30648 Oclusão endobrônquica de fístula broncopleural com prótese intracardíaca Correção de Defeitos Estruturais FRANCISCO JOSE ARAUJO CHAMIE DE QUEIROZ Seguimento a

Leia mais

Tamponamento Cardíacodefinição. Pericárdio. Pericárdio. Pericárdio. Pericárdio 6/1/2014 TAMPONAMENTO CARDÍACO- COMO DIAGNOSTICAR E TRATAR

Tamponamento Cardíacodefinição. Pericárdio. Pericárdio. Pericárdio. Pericárdio 6/1/2014 TAMPONAMENTO CARDÍACO- COMO DIAGNOSTICAR E TRATAR TAMPONAMENTO CARDÍACO- COMO DIAGNOSTICAR E TRATAR Lilian Caram Petrus, MV, Msc Equipe Pet Cor de Cardiologia Doutoranda FMVZ-USP Vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia Veterinária Tamponamento

Leia mais

Conheça alguns termos comumente utilizados na Hemodinâmica

Conheça alguns termos comumente utilizados na Hemodinâmica Conheça alguns termos comumente utilizados na Hemodinâmica O QUE É CATETERISMO CARDÍACO? O Cateterismo Cardíaco é um procedimento realizado com o objetivo de diagnosticar e/ou tratar inúmeras patologias

Leia mais

XXX Jornadas de Cardiologia, Hipertensão e Diabetes. 5ª Feira 15 de Janeiro de 2015

XXX Jornadas de Cardiologia, Hipertensão e Diabetes. 5ª Feira 15 de Janeiro de 2015 XXX Jornadas de Cardiologia, Hipertensão e Diabetes Hotel do Mar Sesimbra 5ª Feira 15 de Janeiro de 2015 I Sessão 08.30-09.30 Mini Curso de Hipertensão Arterial O que há nos novos estudos e recomendações

Leia mais

Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro

Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro Reoperações em Cirurgia Cardíaca: a experiência de 5 anos de um Centro Rui Cerejo, Luís Baquero, Andreia Gordo, Hagen Kahlbau, Nuno Banazol, José Fragata Hospital de Santa Marta Centro Hospitalar Lisboa

Leia mais

Semiologia Cardíaca. Exame físico

Semiologia Cardíaca. Exame físico Semiologia Cardíaca Exame físico Exame físico Inspeção Palpação Percussão Ausculta Exame físico Inspeção e palpação simultaneamente: achados mais significativos Pesquisa de abaulamento Análise do ictus

Leia mais

CARDIOPATIAS CONGÊNITAS EM ADULTOS (CCA)

CARDIOPATIAS CONGÊNITAS EM ADULTOS (CCA) 1 CARDIOPATIAS CONGÊNITAS EM ADULTOS (CCA) 2 SUMÁRIO CARDIOPATIAS CONGÊNITAS EM ADULTOS 1 INTRODUÇÃO 2 FORMAÇÃO DE UM CENTRO ESPECIALIZADO EM CCA 2.1 Por quê? 2.2 Transição do cardiopediatra para os centros

Leia mais

Semiologia Cardiovascular. Insuficiência Mitral. Por Matheus Vieira Gonçalves

Semiologia Cardiovascular. Insuficiência Mitral. Por Matheus Vieira Gonçalves Semiologia Cardiovascular Insuficiência Mitral Por Matheus Vieira Gonçalves 1- Etiologia O aparelho da valva mitral consiste dos folhetos valvares, da cordoalha tendínea, dos músculos papilares e do anel

Leia mais

XII JORNADA SOCERJ DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM CARDIOLOGIA 13 DE ABRIL DE 2016

XII JORNADA SOCERJ DE EDUCAÇÃO FÍSICA EM CARDIOLOGIA 13 DE ABRIL DE 2016 CÓDIGO TÍTULO EFEITOS CARDIOPROTETORES DO EXERCÍCIO NA CARDIOMIOPATIA INDUZIDA POR DOXORRUBICINA 42896 A DURAÇÃO DO TESTE DE ESFORÇO INCREMENTAL NÃO AFETA O VO2MAX 42698 43040 XII JORNADA SOCERJ DE EDUCAÇÃO

Leia mais