PÔSTERES DIA 13/11/ :00 ÀS 12:00 TÍTULO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PÔSTERES DIA 13/11/2015-08:00 ÀS 12:00 TÍTULO"

Transcrição

1 1 PÔSTERES DIA 13/11/ :00 ÀS 12:00 A CIRCULAÇÃO EXTRACORPOREA NA CIRURGIA CARDÍACA BRASILEIRA: HISTÓRICO, AVANÇOS E DESAFIOS. 2 A DISSECÇÃO AÓRTICA E O TRATAMENTO ENDOVASCULAR 3 A IMPORTÂNCIA DA ASSISTÊNCIA DO PROFISSIONAL ENFERMEIRO NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIAS CARDÍACAS. 4 ACOMPANHAMETO TARDIO DE PACIENTES SUBMETIDOS A RETIRADA CIRÚRGICA DE MIXOMAS ATRIAIS 5 ANÁLISE DA FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA NO PRÉ E PÓS CIRURGIA CARDÍACA: ESTUDO PRELIMINAR 6 ANÁLISE DAS DIFERENTES ABORDAGENS TERAPÊUTICAS NA SÍNDROME DE KOUNIS EM SUAS DIVERSAS ETIOLOGIAS - REVISÃO DE LITERATURA ANÁLISE DO LACTATO SANGUÍNEO NO PRÉ E PÓS-OPERATÓRIO DE PACIENTES SUBMETIDOS 7 À CIRURGIA CARDÍACA NO HOSPITAL DO CORAÇÃO DO AGRESTE / CHAMA /ARAPIRACA- AL 8 ANATOMIA DO APÊNDICE ATRIAL ESQUERDO E EVENTOS TROMBOEMBÓLICOS ANEURISMA CHAGÁSICO DE VENTRÍCULO ESQUERDO (ACVE): AVALIAÇÃO DO PERFIL DE PORTADORES SUBMETIDOS À CORREÇÃO NA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE MACEIÓ ATUAÇÃO DOS ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM DIANTE DE UMA PARADA CARDIORRESPIRATORIA (PCR): RELATO DE EXPERIÊNCIA BIO-BENTALL ASSOCIADO À TERCEIRA TROCA VALVAR MITRAL EM PACIENTE COM SÍNDROME DE MARFAN BIOMARCADORES EM NECROSE MIOCÁRDICA APÓS PROCEDIMENTO MECÂNICO EM AUSÊNCIA DE INFARTO 13 CARDIOTOXIDADE ASSOCIADA A QUIMIOTERAPIA - UMA REVISÃO DA LITERATURA 14 CIRURGIA CARDÍACA ROBÓTICA PANORAMA 15 CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO SEM UTILIZAÇÃO DA CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA - UMA REVISÃO DA LITERATURA 16 COMPARAÇÃO ENTRE A FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA E PERIFÉRICA NO PRÉ E PÓS CIRURGIA CARDÍACA: ESTUDO PRELIMINAR. 17 COMPARAÇÃO ENTRE A FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA PREDITA E OBTIDA EM PACIENTES SUBMETIDOS A CIRURGIA CARDÍACA

2 18 19 COMPARAÇÃO ENTRE TEMPO MÉDIO DE INTERNAÇÃO HOSPITALAR DE PACIENTES SUBMETIDOS A REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO COM PLASTIA DE VALVA E REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO COM TROCA DE VALVA: ANÁLISE DOS INTERNAMENTOS REALIZADOS ENTRE JUNHO DE 2008 E JUNHO DE 2015 BAHIA COMPLICAÇÕES NO PÓS-OPERATÓRIO E ABORDAGEM ASSISTENCIAL DO ENFERMEIRO APÓS CIRÚRGIA CARDÍACA 20 CONDUTA DO ENFERMEIRO NAS ARRITMIAS CARDÍACAS: UMA REVISÃO DE LITERATURA CORREÇÃO CIRÚRGICA DE DISSECÇÃO CRÔNICA DE AORTA TIPO B: IMPLANTE DE 21 ENDOPRÓTESES EM AORTA TÓRACO-ABDOMINAL CORREÇÃO CIRÚRGICA DE DISSECÇÃO DE AORTA DO TIPO A ASSOCIADA À COARCTAÇÃO DE AORTA DESCENDENTE E INSUFICIÊNCIA AÓRTICA GRAVE RELATO DE CASO CORREÇÃO CIRÚRGICA DE PENTALOGIA DE FALLOT COM VEIA CAVA ESQUERDA: USO DE PATCH TRANSANULAR E MONOCÚSPIDE PULMONAR - RELATO DE CASO CORREÇÃO DE CIV PERIMEMBRANOSA DE MODERADA REPERCUSSÃO HEMODINÂMICA EM PACIENTE PEDIÁTRICO 25 CORREÇÃO DE ESTENOSE MITRAL ASSOCIADA À FIBRILAÇÃO ATRIAL RELATO DE CASO DIA 13/11/ :00 ÀS 18: CORREÇÃO DO HIPOFLUXO PULMONAR COM A TÉCNICA DE BLALOCK-TAUSSIG MODIFICADA 27 CORRELAÇÃO ENTRE OS PRINCIPAIS TIPOS DE TUMORES CARDÍACOS BENIGNOS E SEUS ACHADOS EM DIAGNÓSTICO POR IMAGEM - UMA REVISÃO DE LITERATURA 28 CUIDADOS DE ENFERMAGEM AO PACIENTE EM PÓS-CATETERISMO CARDÍACO: REVISÃO DE LITERATURA 29 CUIDADOS E ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA CARDÍACA 30 DEMÊNCIA VASCULAR COMO FATOR DE RISCO DE DOENÇAS CARDIOVASCULARES 31 DERRAME PERICÁRDICO DE REPETIÇÃO POR ESCLERODERMIA SISTÊMICA EM PACIENTE ADULTO: RELATO DE CASO 32 DESIGUALDADE SOCIAL E MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS DO APARELHO CIRCULATÓRIO EM ALAGOAS 33 DIAGNÓSTICOS E CUIDADOS DE ENFERMAGEM FRENTE A CRIANÇA COM CARDIOPATIA CONGÊNITA: REVISÃO INTEGRATIVA. 34 DOENÇA ARTERIAL CORONARIANA NO IDOSO - TRATAMENTO CIRÚRGICO 35 EDUCAÇÃO EM SAÚDE COMO MECANISMO ESTRATÉGICO PARA DILUCIDAR A POLITICA DOS DIREITOS DO PACIENTE 36 ENDOCARDITE INFECCIOSA DE CIV - IMPACTO NO FUNCIONAMENTO VALVAR E VENTRICULAR: RELATO DE CASO 37 EPISÓDIOS DE EDEMA PULMONAR POR ISQUEMIA MIOCÁRDICA EM PACIENTE COM FUNÇÃO VENTRICULAR ESQUERDA NORMAL: RELATO DE CASO 38 ESTRATÉGIAS DISPONÍVEIS PARA REDUÇÃO DO USO DE HEMODERIVADOS EM CIRURGIAS CARDIOVASCULARES

3 39 EXÉRESE DE MIXOMA DE ÁTRIO ESQUERDO EM PACIENTE COM SÍNDROME DE CARNEY FATORES DE RISCO E PERFIL MICROBIÓTICO DE INFECÇÕES EM FERIDA OPERATÓRIA DE 40 CIRURGIAS CARDÍACAS 41 FIBROELASTOMA PAPILAR: CASOS RELATADOS NO BRASIL IMPLANTE PERCUTÂNEO DA VÁLVULA AÓRTICA VERSUS CIRURGIA CONVENCIONAL DE 42 TROCA VALVAR MORTALIDADE PÓS CIRÚRGICA IMPLANTE VALVAR AÓRTICO POR VIA TRANSAPICAL: ANÁLISE DOS RESULTADOS IMEDIATOS E EM MÉDIO PRAZO DE VINTE E DOIS CASOS OPERADOS CONSECUTIVAMENTE INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO: PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO E FATORES ASSOCIADOS ÀS INTERNAÇÕES HOSPITALARES EM ALAGOAS, INTERNAMENTOS POR DOENÇA REUMÁTICA CRÔNICA DO CORAÇÃO NO ESTADO DE ALAGOAS ENTRE 2010 E MARCAPASSOS IMPLANTADOS, SEGUNDO A CLASSIFICAÇÃO DA NYHA, DE 2010 A MINIESTERNOTOMIA: REVISÃO DE LITERATURA 48 MORTALIDADE POR CARDIOMIOPATIAS NAS REGIÕES NORTE-NORDESTE O SUPORTE BÁSICO DE VIDA E A MELHORA DO PROGNÓSTICO EM EMERGÊNCIAS 49 CARDIOVASCULARES 50 ÓBITOS POR INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO EM ALAGOAS DIA 14/11/ :00 ÀS 12:00 51 PANORAMA DAS CIRURGIAS DE CARDIOPATIAS CONGÊNITAS NA BAHIA PANORAMA DAS CIRURGIAS DE IMPLANTE DE MARCAPASSO E CARDIOVERSORES- 52 DESFIBRILADORES NAS REGIÕES, NORTE, NORDESTE E NA BAHIA 53 PANORAMA DAS CIRURGIAS VALVARES NO BRASIL, NORDESTE E NA BAHIA 54 PERFIL DE PACIENTES SUBMETIDOS À CORREÇÃO CIRÚRGICA DE VALVOPATIAS AÓRTICAS EM UM SERVIÇO DE REFERÊNCIA EM MACEIÓ 55 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES PORTADORES DE TETRALOGIA DE FALLOT SUBMETIDOS À CORREÇÃO EM UM CENTRO DE REFERENCIA DE MACEIO-AL 56 PERFIL EPIDEMIOLÓGICO E CIRÚRGICO DOS PACIENTES SUBMETIDOS À CORREÇÃO CIRÚRGICA VALVAR EM UM CENTRO DE REFERÊNCIA EM MACEIÓ-AL 57 PREVALÊNCIA DA INSUFICIENCIA CARDIACA CONGESTIVA NAS REGIÕES NORTE E NORDESTE EM COMPARAÇÃO COM O ESTADO BRASILEIRO 58 PREVALÊNCIA DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS DO APARELHO CIRCULATÓRIO NA REGIÃO NORDESTE DO BRASIL EM COMPARAÇÃO COM O TERRITÓRIO NACIONAL 59 PSEUDOANEURISMA DE AORTA ASCENDENTE PÓS TRAUMA TORÁCICO FECHADO PSEUDOANEURISMA DE VENTRÍCULO ESQUERDO (PAVE) APÓS INFARTO AGUDO DO 60 MIOCÁRDIO (IAM): REVISÃO DE LITERATURA 61 QUALIDADE DE VIDA E TRANSPLANTE CARDÍACO

4 62 63 RELAÇÃO DA HEMOTRANSFUSÃO E COMPLICAÇÕES INFECCIOSAS NO PÓS-OPERATÓRIO DE CIRURGIA CARDÍACA: ATUAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM RELATO DE CASO: DISSECÇÃO DE AORTA ASCENDENTE DURANTE CIRURGIA PARA REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO 64 RESSECÇÃO CIRÚRGICA DE MIXOMA DE ATRIO DIREITO RELATO DE CASO REVASCULARIZAÇÃO MIOCÁRDICA: ATUAÇÃO DE ENFERMAGEM PARA UMA MELHOR 65 RECUPERAÇÃO DO PACIENTE NO PÓS-OPERATÓRIO 66 SÍNDROME DE HIPOPLASIA DE CÂMARAS ESQUERDAS: REVISÃO DE LITERATURA SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM A PACIENTES COM SÍNDROME HIPERTENSIVA ESPECÍFICA DA GESTAÇÃO EM UMA MATERNIDADE DE ALTO RISCO TEMPO DE DURAÇÃO E PERFIL FARMACOLÓGICO DA ANTIBIOCOPROFILAXIA NO PACIENTE SUBMETIDO À CIRURGIA CARDÍACA TRANSPLANTE CARDÍACO COM COMPATIBILIDADE MENOR DO SISTEMA ABO RELATO DE CASO TRATAMENTO CIRÚRGICO DE TIMOMA TIPO B1 ASSOCIADO À SÍNDROME DA VEIA CAVA SUPERIOR TROCA DA VALVA MITRAL ASSOCIADA À MIECTOMIA SEPTAL NO TRATAMENTO DA MIOCARDIOPATIA HIPERTRÓFICA ASSIMÉTRICA: RELATO DE CASO E REVISÃO DE LITERATURA UTILIZAÇÃO DE FÁRMACOS EM CIRURGIA CARDIOVASCULAR: A IMPORTÂNCIA DOS BETA- BLOQUEADORES 73 VALVA AÓRTICA BICÚSPIDE: FATORES E COMPLICAÇÕES ASSOCIADAS 74 VIVÊNCIAS DE ACADÊMICOS DE ENFERMAGEM EM UMA UNIDADE DE DOR TORÁCICA A CIRCULAÇÃO EXTRACORPÓREA LESIONA A AURÍCULA DIREITA, PRODUTORA DE 75 IMPORTANTE HORMÔNIO HIPOTENSOR: O PEPTÍDEO NATRIURÉTICO ATRIAL DIA 14/11/ :00 ÀS 18:00 76 VALVAS METÁLICAS E BIOLÓGICAS: ASPECTOS IMPORTANTES. 77 A PERCEPÇÃO DE ACADÊMICOS SOBRE A MULTIDISCIPLINARIDADE EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA CORONARIANA 78 ANÁLISE DA TAXA DE MORTALIDADE DE CIRURGIAS DE REVASCULARIZAÇÃO MIOCÁRDICA NAS DIFERENTES REGIÕES DO BRASIL 79 AVALIAÇÃO DA FORÇA MUSCULAR RESPIRATÓRIA DE CRIANÇAS SUBMETIDAS À CIRURGIA CARDÍACA EM UM HOSPITAL DE MACEIÓ 80 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA EM PACIENTES NO PRÉ-OPERATÓRIO DE CIRURGIA CARDIACA 81 COMPARAÇÃO DA TAXA DE MORTALIDADE DA CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO MIOCÁRDICA NO SUS EM INSTITUIÇÕES DE DIFERENTES NATUREZA COMPLICAÇÕES PULMONARES EM PACIENTES ATENDIDOS PELA FISIOTERAPIA E 82 SUBMETIDOS À CIRURGIA DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO EM UM HOSPITAL DE MACEIÓ 83 CORREÇÃO CIRÚRGICA DA PENTALOGIA DE FALLOT COM VEIA CAVA ESQUERDA: USO DE PATCH TRANSANULAR E MONOCÚSPIDE PULMONAR RELATO DE CASO

5 84 CORRELAÇÃO ENTRE DADOS CLÍNICO CIRÚRGICOS E AS COMPLICAÇÕES INTRAHOSPITALARES EM CIRURGIA CARDIOVASCULAR 85 ENDOCARDITE INFECCIOSA GRAVE DE CIV 86 O IMPACTO DA INSUFICIÊNCIA CARDÍACA NO BRASIL ESTENOSE VALVAR E PÓS-VALVAR PULMONAR ASSOCIADA A OUTRAS MALFORMAÇÕES EM PORTADOR DA SÍNDROME DA RUBÉOLA CONGÊNITA: RELATO DE CASO ESTRATÉGIAS DISPONÍVEIS PARA REDUÇÃO DO USO DE HEMODERIVADOS EM CIRURGIAS CARDIOVASCULARES PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDIOVASCULAR DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PRESIDENTE DUTRA ROBÓTICA NA CIRURGIA CARDÍACA MINIMAMENTE INVASIVA: HISTÓRICO E PERSPECTIVAS FUTURAS STENTS EM TRIPLA CAMADA NO TRATAMENTO ENDOVASCULAR DO ANEURISMA DE AORTA ABDOMINAL EM EXPANSÃO - RELATO DE CASO

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia

PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA 2014 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 28 de Fevereiro

Leia mais

SERVIÇO DE CARDIOLOGIA - IRMANDADE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP

SERVIÇO DE CARDIOLOGIA - IRMANDADE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP SERVIÇO DE CARDIOLOGIA - IRMANDADE SANTA CASA DE MISERICÓRDIA SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - SP EDITAL/ REGULAMENTO INTERNO ESTÁGIO MÉDICO EM CARDIOLOGIA CLÍNICA 1. CORPO CLÍNICO. A disciplina de Cardiologia

Leia mais

HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016

HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016 HOSPITAL SÃO FRANCISCO RIBEIRÃO PRETO ESTADO DE SÃO PAULO PROGRAMA TEÓRICO E PRÁTICO PARA ESTÁGIO EM CARDIOLOGIA EM 2016 Credenciado e reconhecido pela Sociedade Brasileira de Cardiologia Início 2 de Fevereiro

Leia mais

PROGAMAÇÃO V CURSO TEÓRICO RESIDENTE CARDIOLOGIA SMC

PROGAMAÇÃO V CURSO TEÓRICO RESIDENTE CARDIOLOGIA SMC PROGAMAÇÃO V CURSO TEÓRICO RESIDENTE CARDIOLOGIA SMC MÓDULO AVANÇADO: 2º Semestre de 2013 LOCAL: ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE MINAS GERAIS ESTRUTURA DAS AULAS: - Participantes: Um palestrante + Um debatedor +

Leia mais

Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações

Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações Valvulopatias Cardíacas II - Visão Cirúrgica Insuficiência Mitral Histórico Diagnóstico Indicações Tratamento cirúrgico Resultados e Complicações Prof. Dr. Jehorvan L. Carvalho História Existem relatos

Leia mais

COORDENADOR: PROF. LUIZ F. SALAZAR DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR

COORDENADOR: PROF. LUIZ F. SALAZAR DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR PROCAPE / - CURSO ESPECIALIZAÇÃO EM CARDIOLOGIA ANO: 0 HORÁRIO: 07:30 HS. ( em ponto) COORNADOR: PROF. LUIZ F. SALAZAR DISCIPLINA: SEMIOLOGIA CARDIOVASCULAR 07.0 ª A ANAMNESE EM CARDIOLOGIA SINTOMAS Dr.Luiz

Leia mais

08h30-08h45 Analise das novas diretrizes de CRM da ESC 2014. Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída

08h30-08h45 Analise das novas diretrizes de CRM da ESC 2014. Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída PROGRAMA CIENTÍFICO Quinta-feira 13 de agosto de 2015 SALA A MESA REDONDA - DAC CRÔNICA Analise das novas diretrizes de CRM da ESC 2014 Indicaçao e procedimento na CRM em pacientes com FE diminuída Quando

Leia mais

TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA. Observação:

TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA. Observação: TEMAS LIVRES PÔSTERS APROVADOS DO XII CONGRESSO SERGIPANO DE CARDIOLOGIA Observação: Exposição dos temas livres TL 01 a TL 21 sexta de 08h as 12h, com apresentação 09:45h Exposição dos temas livres TL

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE CONCURSO PÚBLICO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ALCIDES CARNEIRO DIA - 20/12/2009 CARGO: CIRURGIÃO CARDÍACO C O N C U R S O P Ú B L I C O - H U A C / 2 0 0 9 Comissão de

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA

FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA 1 FACULDADE DE MEDICINA DA UFMG DEPARTAMENTO DE CIRURGIA Av. Prof. Alfredo Balena 190-2 0 andar Caixa postal 340 - CEP 30130-100 031-3409-9759 e 3409-9760 cirurgia@medicina.ufmg.br CIR TÓPICOS CLÍNICA

Leia mais

cateter de Swan-Ganz

cateter de Swan-Ganz cateter de Swan-Ganz Dr. William Ganz Dr. Jeremy Swan A introdução, por Swan e Ganz, de um cateter que permitia o registro de parâmetros hemodinâmicos na artéria pulmonar a partir de 1970 revolucionou

Leia mais

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç )

TES TE T S E ER GOMÉTRIC GOMÉTRIC (Te ( ste de esforço ç ) TESTE ERGOMÉTRICO (Teste de esforço) Definição - um dos exames mais importantes de diagnóstico, avaliação clínica e prognóstico dos pacientes com doença arterial coronariana (DAC). - método rápido, barato,

Leia mais

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS

INSTITUTO DE DOENÇAS CARDIOLÓGICAS Página: 1/7 1- CONSIDERAÇÕES GERAIS 1.1- As doenças cardiovasculares são, ainda hoje, as principais responsáveis pela mortalidade na população geral, no mundo ocidental. Dentre as inúmeras patologias que

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc Insuficiência Cardíaca Conceito É a incapacidade do coração em adequar sua ejeção às necessidades metabólicas do organismo, ou fazê-la

Leia mais

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Tabela 01 - Principais Antecedentes e Fatores de Risco para Doença Cardiovascular à Internação na Unidade Todos os Pacientes Egressos da Unidade Hipertensão Arterial

Leia mais

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Tabela 01 - Principais Antecedentes e Fatores de Risco para Doença Cardiovascular à Internação na Unidade Todos os Pacientes Egressos da Unidade Hipertensão Arterial

Leia mais

Cardiologia Hemodinâmica

Cardiologia Hemodinâmica 1 Concurso Público 2011 Cardiologia Hemodinâmica Questão 1: Homem de 40 anos de idade, brasileiro (RJ), solteiro e comerciante, apresentou dor precordial intensa, acompanhada de palpitações e desencadeada

Leia mais

Índice Remissivo do Volume 89-2007

Índice Remissivo do Volume 89-2007 Por Assunto A Ablação por cateter Ácidos pteroilpoliglutâmicos Adiposidade - Associação entre Perfil lipídico e Adjuvantes imunológicos Adolescente Escolares...73 Teste Ergométrico em Crianças e Adulto

Leia mais

REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO:COMPLICAÇÕES E CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO

REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO:COMPLICAÇÕES E CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO:COMPLICAÇÕES E CUIDADOS DE ENFERMAGEM NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO Sara Priscila Constantino de Castro. UNIFACEX. E-mail: sarapryscyla@hotmail.com Ana Elza Oliveira de Mendonça.

Leia mais

Programa Científico. ESC in Rio 2015

Programa Científico. ESC in Rio 2015 Programa Científico ESC in Rio 2015 8:30h - 9:30h 32º CONGRESSO DE CARDIOLOGIA DA SOCERJ COLÓQUIO: MANUSEIO DA DOR TORÁCICA NA SALA DE EMERGÊNCIA Em que ordem e quais os biomarcadores que devem ser empregados?

Leia mais

Cardiologia - Cirurgia Cardíaca 1 / 5

Cardiologia - Cirurgia Cardíaca 1 / 5 Cardiologia - Cirurgia Cardíaca 1 / 5 Tabela 01 - Pacientes de Cirurgia Cardíaca - Principais Características Clinicas - Gênero (n, %) Masculino 473 68,55 Feminino 217 31,45 Idade (anos) (média ± DP) 60,78

Leia mais

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO

JUSTIFICATIVA DA INCLUSÃO DA DISCIPLINA NA CONSTITUIÇÃO DO CURRÍCULO FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA LORENA SP Curso: Enfermagem Disciplina: Enfermagem na Saúde do Adulto Ano letivo 2011 Série 4º Carga Horária Total 270 h/a T 54 h/a P 216 h/a Professor: Jorge de Souza

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RESSONÂNCIA E TOMOGRAFIA CARDIOVASCULAR

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RESSONÂNCIA E TOMOGRAFIA CARDIOVASCULAR CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM RESSONÂNCIA E TOMOGRAFIA CARDIOVASCULAR Coordenadores: Drs. Clerio Azevedo e Marcelo Hadlich 1. Objetivos do Programa Proporcionar, aos pós-graduandos, formação especializada

Leia mais

SERVIÇO DE CIRURGIA CARDIOVASCULAR HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PRESIDENTE DUTRA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA

SERVIÇO DE CIRURGIA CARDIOVASCULAR HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PRESIDENTE DUTRA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO PRESIDENTE DUTRA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA Coordenador: José Vinicius da Silva Nina INTRODUÇÃO O conceito de um novo Cirurgião Cardiovascular deve obrigatoriamente incorporar

Leia mais

Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17

Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17 Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17 Tabela 01 - Pacientes com Síndromes Coronarianas Agudas à Internação na Unidade - Principais Características Clinicas - Todos os Pacientes Egressos da

Leia mais

Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17

Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17 Cardiologia - Síndromes Coronarianas Agudas 1 / 17 Tabela 01 - Pacientes com Síndromes Coronarianas Agudas à Internação na Unidade - Principais Características Clinicas - Todos os Pacientes Egressos da

Leia mais

Índice Remissivo do Volume 102

Índice Remissivo do Volume 102 Por assunto Palavra-chave A Ablação por Cateter Nome e página do artigo Ablação de Fibrilação Atrial por Mapeamento, 30 Ablação Epicárdica de Taquicardia Ventricular, 524 Denervação Renal com Cateter Irrigado,

Leia mais

Doenças do Sistema Circulatório

Doenças do Sistema Circulatório Doenças do Sistema Circulatório Dados Mundiais: Mortes por grupos de causas - 2000 Total de Mortes: 55.694.000 Causas Externas ( 9.1%) Doenças Não Transmissíveis (59.0%) Doenças transmissíveis, mortalidade

Leia mais

CIRURGIA TORÁCICA Prof. André Lacerda de Abreu Oliveira- MV, Msc,PhD Prof. de Cirurgia da UENF INTRODUÇÃO

CIRURGIA TORÁCICA Prof. André Lacerda de Abreu Oliveira- MV, Msc,PhD Prof. de Cirurgia da UENF INTRODUÇÃO Page 1 of 6 CIRURGIA TORÁCICA Prof. André Lacerda de Abreu Oliveira- MV, Msc,PhD Prof. de Cirurgia da UENF INTRODUÇÃO A cirurgia torácica em pequenos animais não tem sido realizada com rotina na prática

Leia mais

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO (TCLE) PROCEDIMENTO CIRÚRGICO CARDIOVASCULAR

TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO (TCLE) PROCEDIMENTO CIRÚRGICO CARDIOVASCULAR TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO (TCLE) PROCEDIMENTO CIRÚRGICO CARDIOVASCULAR Por este instrumento particular o paciente Sr.(a), nacionalidade, portador da Carteira de Identidade n.º, emitido

Leia mais

Índice Remissivo do Volume 91-2008

Índice Remissivo do Volume 91-2008 Por Assunto A Acidente cerebrovascular/complicações Acidente vascular na doença de Chagas, 306 Abscesso Opção para tratamento de abscesso aórtico, 72 Acesso radial Acesso ulnar Angioplastia primária pelo

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CARDIOLOGISTA

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CARDIOLOGISTA 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO CARDIOLOGISTA QUESTÃO 21 Em relação aos métodos diagnósticos não invasivos utilizados para rastreamento de doença cardíaca, é CORRETO afirmar: a) O valor preditivo

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA NO HOSPITAL SANTA GENOVEVA EM GOIÂNIA RESUMO INTRODUÇÃO

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA NO HOSPITAL SANTA GENOVEVA EM GOIÂNIA RESUMO INTRODUÇÃO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS PACIENTES SUBMETIDOS À CIRURGIA CARDÍACA NO HOSPITAL SANTA GENOVEVA EM GOIÂNIA Ludmilla Bizinoto Ferreira, Mara Olívia Viegas RESUMO O presente estudo tem como objetivo determinar

Leia mais

Sala 1 - CONFERÊNCIA "Os Desafios da SBC para implantação do Programa Nacional de Prevenção Cardiovascular"

Sala 1 - CONFERÊNCIA Os Desafios da SBC para implantação do Programa Nacional de Prevenção Cardiovascular PROGRAMA CIENTÍFICO CONGRESSO SOCERJ 2013 Quinta-feira 04.04.2013 Hora: 08:00h - 08:30h Sala 1 - ABERTURA OFICIAL Hora: 08:30h - 09:45h Sala 1 - CONFERÊNCIA "Os Desafios da SBC para implantação do Programa

Leia mais

SIMPÓSIO DE ELETROCARDIOGRAMA

SIMPÓSIO DE ELETROCARDIOGRAMA SIMPÓSIO DE ELETROCARDIOGRAMA www.gerenciamentoetreinamento.com Treinamentos Corporativos Contato: XX 12 9190 0182 E mail: gomesdacosta@gerenciamentoetreinamento.com SIMPÓSIO DE ELETROCARDIOGRAMA Márcio

Leia mais

Sistema Circulatório. Prof. Dr.Thiago Cabral

Sistema Circulatório. Prof. Dr.Thiago Cabral Funções: Transportar Nutrientes e oxigênio as células; Retirar resíduos do metabolismo; Defender o organismo contra substâncias estranhas e microorganismos. Características Sistema fechado; Constituído

Leia mais

O PAPEL DA ENFERMAGEM NA REABILITAÇÃO CARDIACA RAQUEL BOLAS

O PAPEL DA ENFERMAGEM NA REABILITAÇÃO CARDIACA RAQUEL BOLAS O PAPEL DA ENFERMAGEM NA REABILITAÇÃO CARDIACA RAQUEL BOLAS Ericeira, 11 de Fevereiro 2011 DEFINIÇÃO De acordo com a OMS (2003), a Reabilitação Cardíaca é um conjunto De acordo com a OMS (2003), a Reabilitação

Leia mais

Portaria SAS/Nº 210 (publicada no Diário Oficial n 117, de 21 de junho de 2004, página 43, Seção 1) ANEXO III(*)

Portaria SAS/Nº 210 (publicada no Diário Oficial n 117, de 21 de junho de 2004, página 43, Seção 1) ANEXO III(*) Portaria SAS/Nº 210 (publicada no Diário Oficial n 117, de 21 de junho de 2004, página 43, Seção 1) ANEXO III(*) RELAÇÃO DE PROCEDIMENTOS INCLUÍDOS NAS TABELAS DO SIH E SIA/SUS PROCEDIMENTOS INCLUÍDOS

Leia mais

DICIONÁRIO DE TERMOS DA HEMODINÂMICA

DICIONÁRIO DE TERMOS DA HEMODINÂMICA DICIONÁRIO DE TERMOS DA HEMODINÂMICA Aneurisma: dilatação e protusão localizada da parede de um vaso (principalmente artéria) ou do coração, decorrente de uma fragilidade estrutural local. Angina: também

Leia mais

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA RISCO CIRÚRGICO. 9/7/2003 Dr. José Mário Espínola - AMPB 1

ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA RISCO CIRÚRGICO. 9/7/2003 Dr. José Mário Espínola - AMPB 1 ASSOCIAÇÃO MÉDICA DA PARAÍBA 1 I- CONCEITO: avaliação realizada por cardiologista, com fortes bases epidemiológicas, objetivando determinar classificação funcional do paciente, e risco de complicações

Leia mais

DOS GAÚCHOS. www.cardiologia.org.br NO CORAÇÃO

DOS GAÚCHOS. www.cardiologia.org.br NO CORAÇÃO Instituto de Cardiologia do Rio Grande do Sul Fundação Universitária de Cardiologia Avenida Princesa Isabel, 395 Bairro Santana, Porto Alegre PABX: 51 3230-3600 Administração: 51 3230-3610 cardiologia@cardiologia.org.br

Leia mais

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA

Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa, Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária Coordenadoria de Extensão e Ação Comunitária PROPOSTA DE PROGRAMA Número da Ação (Para

Leia mais

TEMAS LIVRES APROVADOS - POSTER - DIA 05 de abril

TEMAS LIVRES APROVADOS - POSTER - DIA 05 de abril IDTEMASBC TITULO CATEGORIA NOMEAUTOR 30648 Oclusão endobrônquica de fístula broncopleural com prótese intracardíaca Correção de Defeitos Estruturais FRANCISCO JOSE ARAUJO CHAMIE DE QUEIROZ Seguimento a

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS DA ASSISTÊNCIA CARDIOVASCULAR TABELAS DE PROCEDIMENTOS DO SIA E SIH/SUS Portaria SAS/MS nº 210/2004

ORGANIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS DA ASSISTÊNCIA CARDIOVASCULAR TABELAS DE PROCEDIMENTOS DO SIA E SIH/SUS Portaria SAS/MS nº 210/2004 Cirurgia Cardiovascular de Média Complexidade - SIH/SUS ORGANIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS DA ASSISTÊNCIA CARDIOVASCULAR 48.010.01-4 32.005.01-6 Implante de marcapasso temporário transvenoso hospital Transvenoso

Leia mais

Resposta: Dilatação dos brônquios na tomografia (bronquiectasia) e nível hidro-aéreo na radiografia do tórax (abscesso).

Resposta: Dilatação dos brônquios na tomografia (bronquiectasia) e nível hidro-aéreo na radiografia do tórax (abscesso). 1 a Questão: (20 pontos) Um paciente de 35 anos, com história de sarampo na infância, complicada por pneumonia, informa que há mais de cinco anos apresenta tosse com expectoração matinal abundante e que

Leia mais

Abordagem da reestenosee. Renato Sanchez Antonio

Abordagem da reestenosee. Renato Sanchez Antonio Abordagem da reestenosee oclusões crônicas coronárias Renato Sanchez Antonio Estudos iniciais de seguimento clínico de pacientes com angina estável demonstraram que o percentual de mortalidade aumentou

Leia mais

DISSECÇÃO AÓRTICA. Eurival Soares Borges Revisão - Ronaldo Ducceschi Fontes DEFINIÇÃO HISTÓRICO ETIOLOGIA CLASSIFICAÇÃO PATOGÊNESE E HISTÓRIA NATURAL

DISSECÇÃO AÓRTICA. Eurival Soares Borges Revisão - Ronaldo Ducceschi Fontes DEFINIÇÃO HISTÓRICO ETIOLOGIA CLASSIFICAÇÃO PATOGÊNESE E HISTÓRIA NATURAL Eurival Soares Borges Revisão - Ronaldo Ducceschi Fontes DISSECÇÃO AÓRTICA DEFINIÇÃO HISTÓRICO ETIOLOGIA CLASSIFICAÇÃO PATOGÊNESE E HISTÓRIA NATURAL QUADRO CLÍNICO DIAGNÓSTICO TRATAMENTO CLÍNICO INDICAÇÃO

Leia mais

Protocolo de Gerenciamento e Conservação do Sangue em Cirurgias Cardíacas Graves e Complexas. Dr. Antonio Alceu dos Santos

Protocolo de Gerenciamento e Conservação do Sangue em Cirurgias Cardíacas Graves e Complexas. Dr. Antonio Alceu dos Santos Protocolo de Gerenciamento e Conservação do Sangue em Cirurgias Cardíacas Graves e Complexas Dr. Antonio Alceu dos Santos Dr. Antonio Alceu dos Santos Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo Não

Leia mais

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar:

Oferecemos uma ampla gama de tratamentos entre os que podemos destacar: A cirurgia endovascular agrupa uma variedade de técnicas minimamente invasivas mediante as quais CIRURGIA ENDOVASCULAR = CIRURGIA SEM CORTES! Técnicas Minimamente Invasivas As técnicas de cirurgia endovascular

Leia mais

Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015

Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015 Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2015 (19200) Simpósio Insuficiência Cardíaca, Cardiomiopatia e Doenças do Pericárdio Auditório 1 (Capacidade 500) 08:30 10:00 O Desafio da Avaliação de Dispneia em Pacientes

Leia mais

Semiologia Cardiovascular. B3, B4, Cliques, Estalidos e Atrito Pericárdico. Por Gustavo Amarante

Semiologia Cardiovascular. B3, B4, Cliques, Estalidos e Atrito Pericárdico. Por Gustavo Amarante Semiologia Cardiovascular B3, B4, Cliques, Estalidos e Atrito Pericárdico Por Gustavo Amarante 1 Bulhas Acessórias (B3 e B4) A) Revisão do Ciclo Cardíaco e Posição das Bulhas Para entender as bulhas acessórias,

Leia mais

CLASSIFICADOS TEMAS LIVRES

CLASSIFICADOS TEMAS LIVRES CLASSIFICADOS TEMAS LIVRES Título FORMAÇÃO IN VITRO DE TÚBULOS CAPILARES A PARTIR DE CÉLULAS DE SANGUE DE CORDÃO UMBILICAL HUMANO ENDOPRÓTESES DE AORTA: O PRIMEIRO ESCORE DE RISCO INFLAMATÓRIO A QUALIDADE

Leia mais

Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD

Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD Indicações e Resultados do Tratamento Percutâneo de Obstruções à Via de Saída do VD Carlo B Pilla e Cardiologia Intervencionista SBHCI 2012 Obstruções à VSVD Estenose subvalvar pulmonar* Estenose valvar

Leia mais

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 2ª. PARTE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CARDIOLOGIA 21. Quando analisamos o fluxo coronariano, observamos que ele é relativamente constante em pressões entre 60 e 160 mmhg e que o fluxo é diretamente relacionado

Leia mais

Ivan da Costa Barros Pedro Gemal

Ivan da Costa Barros Pedro Gemal Semiologia Abordagem ao paciente cardiopata Ivan da Costa Barros Pedro Gemal DESAFIO!! 2011 Universidade Federal Fluminense 1. Paciente idoso procura PS à noite queixando- se de falta de ar, taquicárdico

Leia mais

DIABETES MELLITUS NO BRASIL

DIABETES MELLITUS NO BRASIL DIABETES MELLITUS NO BRASIL 17º Congresso Brasileiro Multidisciplinar em Diabetes PATRÍCIA SAMPAIO CHUEIRI Coordenadora d Geral de Áreas Técnicas DAB/MS Julho, 2012 DIABETES MELITTUS Diabetes é considerado

Leia mais

Figura 1 Principais áreas de atuação

Figura 1 Principais áreas de atuação AVALIAÇÃO DO IMPACTO DA GREVE DA ANVISA NO SETOR DE SAÚDE A Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Equipamentos, Produtos e Suprimentos Médico-Hospitalares realizou junto as suas empresas

Leia mais

REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino

REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino REDE D Or de Hospitais Instituto D Or de Pesquisa e Ensino Serviço de Arritmia, Eletrofisiologia e Estimulação Cardíaca Artificial CURSO DE APERFEIÇOAMENTO EM ARRITMIA CLÍNICA E MÉTODOS DIAGNÓSTICOS NÃO

Leia mais

Rede de Teleassistência de Minas Gerais. Antonio Ribeiro Hospital das Clínicas da UFMG

Rede de Teleassistência de Minas Gerais. Antonio Ribeiro Hospital das Clínicas da UFMG Rede de Teleassistência de Minas Gerais Antonio Ribeiro Hospital das Clínicas da UFMG Outubro de 2014 até Setembro/2014 Número de akvidades 50.000 45.000 ECGs (821 pontos) e Teleconsultorias online e

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: Especialização Profissional Técnica

Leia mais

INTERVALO E VISITA À EXPOSIÇÃO PARALELA - TEMA LIVRE PÔSTER GRUPO I

INTERVALO E VISITA À EXPOSIÇÃO PARALELA - TEMA LIVRE PÔSTER GRUPO I XXII CONGRESSO NACIONAL DO DEPARTAMENTO DE ERGOMETRIA, EXERCÍCIO, REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR, CARDIOLOGIA NUCLEAR E CARDIOLOGIA DO ESPORTE. PROGRAMAÇÃO CIENTÍFICA QUINTA-FEIRA 29 DE OUTUBRO DE 2015 07:30H

Leia mais

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9

Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Cardiologia - Global Consolidado 1 / 9 Tabela 01 - Principais Antecedentes e Fatores de Risco para Doença Cardiovascular à Internação na Unidade Todos os Pacientes Egressos da Unidade Hipertensão Arterial

Leia mais

Estudos de análise das teleconsultorias

Estudos de análise das teleconsultorias Estudos de análise das teleconsultorias Tabela - Municípios que solicitaram teleconsultorias no período de abril 2007 a setembro de 2013 segundo categoria populacional. População Proporção entre os municípios

Leia mais

Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda. Dois Espectros da Mesma Doença

Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda. Dois Espectros da Mesma Doença Insuficiência Cardíaca Aguda e Síndrome Coronária Aguda Dois Espectros da Mesma Doença Carlos Aguiar Reunião Conjunta dos Grupos de Estudo de Insuficiência Cardíaca e Cuidados Intensivos Cardíacos Lisboa,

Leia mais

Fellowship em Ecocardiografia 2014. Grupo Fleury Hospital São Luiz

Fellowship em Ecocardiografia 2014. Grupo Fleury Hospital São Luiz Fellowship em Ecocardiografia 2014 Grupo Fleury Hospital São Luiz 1. OBJETIVOS Treinar habilidades Avançadas, Nível 3 em ecocardiografia transtorácica em Adultos Treinar e desenvolver corretamente a indicação,

Leia mais

Após extensa revisão os autores deste trabalho dão as

Após extensa revisão os autores deste trabalho dão as Qual é o risco de eventos cardíacos adversos ou de sangramento grave, após cirurgias não cardíacas, relativos à terapia antiplaquetária, em pacientes com angioplastia coronariana prévia? The Risk of Adverse

Leia mais

Conheça alguns termos comumente utilizados na Hemodinâmica

Conheça alguns termos comumente utilizados na Hemodinâmica Conheça alguns termos comumente utilizados na Hemodinâmica O QUE É CATETERISMO CARDÍACO? O Cateterismo Cardíaco é um procedimento realizado com o objetivo de diagnosticar e/ou tratar inúmeras patologias

Leia mais

TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA CARDIOVASCULAR. Renato Sanchez Antonio Santa Casa RP

TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA CARDIOVASCULAR. Renato Sanchez Antonio Santa Casa RP TOMOGRAFIA E RESSONÂNCIA CARDIOVASCULAR Renato Sanchez Antonio Santa Casa RP Tomografia Técnica baseada em radiografia com uso colimadores para restringir feixes Realizada na mesma fase do ciclo cardíaco

Leia mais

Universidade Federal do Acre Curso de Medicina Veterinária

Universidade Federal do Acre Curso de Medicina Veterinária Universidade Federal do Acre Curso de Medicina Veterinária Sistema Circulatório I Coração e Circulação Prof. Adj. Dr. Yuri Karaccas de Carvalho Anatomia Descritiva Animal I Objetivos da Aula Definição

Leia mais

Uma proposta para nomenclatura dos defeitos congênitos do sistema cardiovascular

Uma proposta para nomenclatura dos defeitos congênitos do sistema cardiovascular Rev Bras Cir Cardiovasc 2002; 17(1): 1-5. Abreu Filho C A C, Dallan L A O, Lisboa L A F, Platania F, Iglézias J C R, Cabral R H, Bordallo R, Dallan L A P, Oliveira S Artigo Especial Uma proposta para nomenclatura

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 505, DE 28 DE SETEMBRO DE 2010

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 505, DE 28 DE SETEMBRO DE 2010 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA Nº 505, DE 28 DE SETEMBRO DE 2010 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 2.848/GM, de 06 de novembro

Leia mais

Estenose Mitral. Definição e Etiologia

Estenose Mitral. Definição e Etiologia Estenose Mitral Definição e Etiologia A estenose da válvula mitral é um estreitamento da abertura da válvula mitral que aumenta a resistência ao fluxo da corrente sanguínea do átrio esquerdo para o ventrículo

Leia mais

TRATAMENTO PERCUTÂNEO DA AORTA TORÁCICA

TRATAMENTO PERCUTÂNEO DA AORTA TORÁCICA TRATAMENTO PERCUTÂNEO DA AORTA TORÁCICA Álvaro Laranjeira Santos Serviço de Cirurgia Cardiotorácica CHLC- Hospital Santa Marta Sistematização Grupo 1 Aorta descendente c TEVAR isolado Grupo 2 Arco aórtico

Leia mais

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA

INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA NO PÓS-OPERATÓRIO DE REVASCULARIZAÇÃO DO MIOCÁRDIO: UMA PERSPECTIVA BIBLIOGRÁFICA INTRODUÇÃO Antonio Quaresma de Melo Neto NOVAFAPI Marcos Maciel Soares e Silva NOVAFAPI Marcelo

Leia mais

Curso de Revisão para Enfermagem em Intervenção Cardiovascular 2012

Curso de Revisão para Enfermagem em Intervenção Cardiovascular 2012 Serviço de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista Hospital São Paulo Hospital do Rim e Hipertensão UNIFESP - EPM Curso de Revisão para Enfermagem em Intervenção Cardiovascular 2012 Eduardo Rodrigues

Leia mais

Qualidade de vida e funcionalidade das pessoas com insuficiência cardíaca crónica grave

Qualidade de vida e funcionalidade das pessoas com insuficiência cardíaca crónica grave Qualidade de vida e funcionalidade das pessoas com insuficiência cardíaca crónica grave Elisabete Nave Leal (1), José Pais Ribeiro (2), Mário Martins Oliveira (3), Sofia Santos (3), Rui Ferreira (3) (1)

Leia mais

COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR

COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR COMPLICAÇÕES APRESENTADAS NOS PACIENTES IDOSOS ACOMETIDOS POR FRATURA DE FEMUR Maria de Fátima Leandro Marques¹; Suely Aragão Azevêdo Viana² ¹ Bióloga do Centro de Assistência Toxicológico do Hospital

Leia mais

PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA

PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA PROGRAMA IV BRASIL PREVENT & II LATIN AMERICAN PREVENT DATA: 05 A 07 DEZEMBRO 2013 BAHIA OTHON PALACE HOTEL SALVADOR BAHIA Sábado 07 de Dezembro de 2013 09:00 10:30 Sessão 4 Novas Estratégias Para Prevenção

Leia mais

Intervenções percutâneas. Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo

Intervenções percutâneas. Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo Intervenções percutâneas Tratamento das obstruções da via de saída do Ventrículo Esquerdo Célia Maria C. Silva Declaro que não existe conflito de interesse nesta minha apresentação Estenose Valvar Aórtica

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 12

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 12 8 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Cód. 12 QUESTÃO 17 Na cirurgia eletiva de aneurisma de aorta, associada a rim em ferradura com o istmo funcionante e cobrindo grande parte da aorta abdominal, qual

Leia mais

ANEXO B CONTEÚDO CIENTÍFICO DO CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM. MÓDULO RECICLAGEM Primeiro dia

ANEXO B CONTEÚDO CIENTÍFICO DO CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM. MÓDULO RECICLAGEM Primeiro dia ANEXO B CONTEÚDO CIENTÍFICO DO CURSO NACIONAL DE RECICLAGEM MÓDULO 1 FISIOLOGIA MÓDULO RECICLAGEM Primeiro dia 08:30-09:00h 1.Controle neural do coração e da circulação a. Anatomia do SNA no coração e

Leia mais

Sistema circulatório. Coração e generalidades

Sistema circulatório. Coração e generalidades Sistema circulatório Coração e generalidades Sistema Circulatório Coração propulsão do sangue Vasos centrípetos veias e linfáticos: condução Vasos centífugos artérias: condução Capilares: trocas Função:

Leia mais

Identificação do Risco de Morte Súbita

Identificação do Risco de Morte Súbita Texto de apoio ao curso de especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Identificação do Risco de Morte Súbita Resumo adaptado da referencia A identificação de indivíduos

Leia mais

Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES

Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES Resumo da Tese CARACTERIZAÇÃO DOS COMPARTIMENTOS DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS, MESENQUIMAIS E ENDOTELIAIS EM PACIENTES COM CARDIOPATIA ISQUÊMICA OU VALVULAR. Autora: Carine Ghem Orientadora: Dra. Melissa

Leia mais

EDITAL GDG Nº. 038/2007 INSCRIÇÕES PARA CONCURSO À LIVRE DOCÊNCIA

EDITAL GDG Nº. 038/2007 INSCRIÇÕES PARA CONCURSO À LIVRE DOCÊNCIA EDITAL GDG Nº. 038/2007 INSCRIÇÕES PARA CONCURSO À LIVRE DOCÊNCIA O PROF DR HUMBERTO LIEDTKE JUNIOR, Diretor Geral da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto - FAMERP - Autarquia de Regime Especial,

Leia mais

Identificar como funciona o sistema de gestão da rede (espaços de pactuação colegiado de gestão, PPI, CIR, CIB, entre outros);

Identificar como funciona o sistema de gestão da rede (espaços de pactuação colegiado de gestão, PPI, CIR, CIB, entre outros); ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO DE PLANO DE AÇÃO REGIONAL DAS LINHAS DE CUIDADO DAS PESSOAS COM HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÊMICA, COM DIABETES MELLITUS E/OU EXCESSO DE PESO NO CONTEXTO DA REDE DE ATENÇÃO

Leia mais

Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Sul. Cardiomiopatia Hipertrófica e Restritiva. Dr. Jamil Mattar Valente

Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Sul. Cardiomiopatia Hipertrófica e Restritiva. Dr. Jamil Mattar Valente 2006 Curso Nacional de Reciclagem em Cardiologia da Região Sul Cardiomiopatia Hipertrófica e Restritiva Dr. Jamil Mattar Valente 1 Cardiomiopatia Hipertrófica Primária Secundária 2 Introdução Doença hereditária

Leia mais

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês

Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Coordenação Dr. Fernando Ganem Doutor pela Faculdade de Medicina da USP Diretor do Serviço de Pronto-Atendimento do Hospital Sírio-Libanês Prof. Dr. Augusto Scalabrini Neto Professor Associado pela Faculdade

Leia mais

II CURSO SOCERJ DE IMERSÃO EM ARRITMIAS PARA O CLÍNICO - SALA 1

II CURSO SOCERJ DE IMERSÃO EM ARRITMIAS PARA O CLÍNICO - SALA 1 Quarta Feira 25/04 II CURSO SOCERJ DE IMERSÃO EM ARRITMIAS PARA O CLÍNICO - SALA 1 9:00-10:00 Módulo 1 O paciente com arritmias cardíacas no consultório do cardiologista Caso 1: Paciente com queixa de

Leia mais

Estado Atual do Tratamento do AVCI Agudo: Literatura e Experiência Pessoal. Workshop de Intervenção em Ginecologia e Obstetrícia

Estado Atual do Tratamento do AVCI Agudo: Literatura e Experiência Pessoal. Workshop de Intervenção em Ginecologia e Obstetrícia AUDITÓRIO II PROGRAMA SIMPÓSIO SBNRDT 09h00-12h30 12h30-14h00 14h00-15h45 14h00-14h35 14h35-15h10 15h10-15h45 15h45-16h15 16h15-16h45 16h45-18h30 STROKE I Tratamento do AVCI Agudo - Indicações Clínicas

Leia mais

Sistema circulatório

Sistema circulatório Sistema circulatório O que é: também conhecido como sistema cardiovascular é formado pelo coração e vasos sanguíneos. Tal sistema é responsável pelo transporte de nutrientes, gases, hormônios, excreções

Leia mais

Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso

Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso Indicações e Cuidados Transfusionais com o Paciente Idoso Dra. Maria Odila Jacob de Assis Moura Centro de Hematologia de São Paulo Setembro/2006 Guidelines 1980 National Institutes of Health 1984 American

Leia mais

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC)

INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC) INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA (ICC) Categorias: - ICC aguda sem diagnóstico prévio - ICC crônica agudizada - ICC crônica refratária Apresentações clínicas: - Edema agudo de pulmão: rápido aumento da

Leia mais

IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS?

IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS? IMPACTO EPIDEMIOLÓGICO DA ESTENOSE AÓRTICA, QUAIS OS DADOS NACIONAIS? Prof. Dr. Flávio Tarasoutchi Unidade de Valvopatias Instituto do Coração (InCor) - Hospital das Clínicas Universidade de São Paulo

Leia mais