Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa"

Transcrição

1 1 Jornada de Diplomacia Económica ISEG Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa

2 2 As línguas no mundo

3 Ecologia da Língua (Calvet) 3 Hipercentral Inglês Super- Centrais (12) incluem o Espanhol, o Árabe, o Português e o Francês Centrais (200) Outras (4 a 5.000) 3

4 Ecologia da Língua (Calvet) 4 O predomínio de uma língua tende a originar fenómenos de fragmantação. O latim deu origem ao português, espanhol, francês italiano, romeno e integrou outras como o inglês. O inglês começa a dividir-se: a Nigéria e a Índia falam tipos de inglês com diferenças significativas. 4

5 População e riqueza dos países lusófonos 5 Ranking PIB Ranking Países de língua População mundial (milhões mundial Portuguesa (milhões) População ) PIB Brasil 203, Moçambique 22, Angola 13, Portugal 10, Guiné-Bissau 1, Timor Leste 1, Cabo Verde 0, São Tomé e Príncipe 0, Total 254, % do mundo 3,66% 3,85% Fonte: População CIA, Country Comparison Population, Julho 2011

6

7 Os falantes de português no Mundo 7 População 250 milhões 3,7% Riqueza milhões 4% Superfície 10,8 milhões de km2 7,25%

8 Principais línguas mundiais diferentes observatórios 8 Posição relativa Ethnologue (Lewis, 2009) Língua Nº falantes como 1ª língua (milhões) Baromètre Calvet des langues du monde (Portalingua, 2011) Língua Nº falantes como 1ª língua (milhões) Observatório da Língua Portuguesa, 2010 Língua Nº falantes como 1ª língua (milhões) Ostler, 2005 Língua Nº falantes como 1ª ou 2ª língua (milhões) 1052 Mandarim 1º Chinês 1213 Mandarim 845 Mandarim 845 Chinês, (Mandarim) (845) 2º Espanhol 329 Espanhol 329 Espanhol 329 Inglês 508 3º Inglês 328 Inglês 328 Inglês 328 Hindi 487 4º Árabe 221 Árabe 222 Português 240 Espanhol 417 5º Hndi 182 Hindi 182 Hindi 182 Russo 277 6º Bengali 181 Bengali 181 Bengali 181 Bengali 211 7º Português 178 Português 178 Russo 144 Português 191 8º Russo 144 Russo 143 Japonês 122 Alemão 128 9º Japonês 122 Japonês 122 Alemão 90 Francês º Alemão 90 Alemão 90 Javanês 85 Japonês 126

9 9 O Português no Barómetro Calvet

10 Notoriedade Acesso à Internet 10 10

11 Crescimento no Facebook

12 Relação entre línguas latinas 12 Existe 10 relações entre línguas latinas considerando apenas as nacionais. No entanto, a intercompreensão é elevada.

13 Ensino do Português Instituto Camões 13 Países com leitorados Centros de língua portuguesa Centros culturais Europa África América do Norte América Central e do Sul Ásia e Oceânia Total

14 14 O Valor Económico da Língua Principais Estudos: Economics of Language: a network externalities approach, Slavana Dalmazzone, 2000, sobre Economias da rede e idioma; El Valor Económico de la Lengua Española de Ángel Martín Municio et al., 2003 sobre O valor da língua em % do PIB; Economia del Español - una introducción de José Garcia Delgado et al., 2007 sobre a língua como parte do capital humano, facilitador do comércio internacional e intangível empresarial

15 O Valor Económico da Língua 15 Despesa óptima na diversidade linguística (Grin, 2003) Valor Benefício Custo Lucro D* Diversidade O conhecimento de maior número de idiomas gera um rendimento marginal decrescente. A influência de um idioma (nº e riqueza dos utilizadores) influencia a ordem de preferência da sua escolha. 15

16 Resumo 16 Objecto do estudo: Analisar o impacto da proximidade linguística, do ponto de vista do português sobre: O comércio externo; O investimento directo estrangeiro; Os fluxos migratórios; O turismo 16

17 17 Resumo Relações linguísticas analisadas: Países de língua oficial portuguesa; Países de língua próxima, neste caso o espanhol; Países de língua inglesa; Países com outros idiomas. 17

18 Resumo 18 A proximidade linguística influencia: Significativamente O investimento directo no estrangeiro Os fluxos migratórios. Moderadamente O comércio externo Os fluxos turísticos. 18

19 Comércio Externo 19 Impacto da língua no comércio externo Modelos gravitacionais Número e a riqueza dos utilizadores do idioma Facilidade nas trocas comerciais entre utilizadores do mesmo idioma As diferenças linguísticas são barreiras ao comércio, equivalentes a tarifas que podem ir dos 15 aos 22%. Hagel, em Stickel (2008) 19

20 Comércio Externo 20 Comércio internacional de mercadorias por idioma, % 3% 30% 33% 52% Exportações 57% Importações 12% 6% Língua Portuguesa Língua Inglesa Língua Espanhola Outras Línguas Língua Portuguesa Língua Inglesa Língua Espanhola Outras Línguas A proximidade linguística apenas é significativa nas exportações. O peso nas importações é equivalente ao peso dos países lusófonos na economia mundial. Fonte: INE, Estatísticas do Comércio Internacional. 20

21 Investimento Directo Estrangeiro 21 Comparação entre o investimento directo português no estrangeiro (IDPE) e o investimento à entrada (IDE) famílias linguísticas ( ) 70% 60% 50% 52% 60% 40% IDE 30% 20% 19% 13% 12% 16% 23% IDPE Fonte: Banco de Portugal, Março de % 5% 0% Língua Portuguesa Língua Espanhola Língua Inglesa Outras Línguas A proximidade linguística é muito significativa no Inv. Directo Estrangeiro, sobretudo à saída de Portugal (IDPE). O peso da língua espanhola deve-se à proximidade e dimensão da economia espanhola. 21

22 Fluxos Migratórios 22 Comparação entre emigrantes e imigrantes por família linguística. Outras Línguas 41% 42% Língua Inglesa 5% 35% Língua Espanhola 3% 10% Língua Portuguesa 13% 51% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% Imigrantes Emigrantes Fonte: (Emigrantes) Observatório da Emigração, residentes nascidos em Portugal, dados de 2008; (Imigrantes) Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, dados de Junho de

23 Turismo 23 Portugal Saída de Turistas por país de destino (milhares) 3% 44% 47% 6% Língua Portuguesa Língua Espanhola Língua Inglesa Outras Línguas Fonte: Inquérito ao Movimento de Pessoas nas Fronteiras

24 Turismo 24 Portugal - Entrada de Turistas por país de 4% origem (milhares) 20% 51% 25% Língua Portuguesa Língua Espanhola Língua Inglesa Outras Línguas A proximidade linguística apresenta a mais baixa relevância ao nível do turismo. Ao contrário dos emigrantes, as diferenças não surgem como obstáculo ao visitante temporário. Fonte: Inquérito ao Movimento de Pessoas nas Fronteiras

25 25 Factores de Valorização Factores de Valorização da Língua Portuguesa Respostas mais significativas à questão aberta Para mim, a língua portuguesa é/tem (%) Importância estratégica 22,0 Bela/Expressiva 16,8 Ligação afectiva 7,8 Língua oficial 7,7

26 26 Usos da Língua Portuguesa

27 Notoriedade - Personalidades 27 27

28 Notoriedade Marcas (países não lusófonos) 28 28

29 Notoriedade Marcas (países lusófonos) 29 29

30 Conclusões 30 O impacto do IDE para o desenvolvimento económico dos países é muito significativo. A verificação feita neste estudo sugere que as empresas reduzem fortemente os custos de organização quando investem em países com o mesmo idioma. Esta situação é mais significativa nas empresas com menor experiência internacional (diferença entre IDPE e IDE). Existe uma forte aposta no português, pelas oportunidades profissionais e empresariais para os seus utilizadores A ênfase dada ao impacto da proximidade linguística sobre o comércio externo parece excessiva. No caso do português, o IDE e as migrações são muito mais sensíveis. 30

31 Conclusões 31 A língua promove relações, principalmente nas migrações. Os trabalhadores do conhecimento exercem mais facilmente o seu potencial quando não existem custos de adaptação linguística. O valor da língua para as empresas e os países pode ser potenciado se for canalizado para as actividades com maior potencial da sua utilização cultura, conhecimento científico e técnico e funções de coordenação e gestão. Este estudo pode ser desenvolvido em duas direcções: Análise sectorial distinguindo indústrias da língua e outras actividades com menor intensidade linguística; Repetição desta metodologia junto de cada país de expressão portuguesa. 31

32 Conclusões 32 Acções estratégicas a desenvolver Aprofundar a intercompreensão entre os utilizadores do português, com destaque para o vocabulário científico e técnico. Desenvolver a actividade editorial e de produção científica em português. Privilegiar o ensino do português junto dos utilizadores do idioma hiper-central (inglês, desenvolvimento vertical) e dos países falantes do espanhol (desenvolvimento horizontal) Promover a aliança com a língua espanhola, incluindo a intercompreensão e a aproximação na área editorial (ex.: acesso às listas da ISI de publicações científicas em português e espanhol ou mistas) 32

33 33 O Valor Económico da Língua nas Relações com o Exterior: O Caso do Português Estudo promovido e financiado pelo Instituto Camões Coordenador: Luis Reto Equipa: José Paulo Esperança,Mohamed Azzim Gulamhussen, Fernando Luís Machado, António Firmino da Costa Colaboradores: Andrea Freitas, Helena Torres, Sergio Estevinha, Jorge Horta Ferreira, Alice Alexandre, Ivo Pereira

Potencial Económico da Língua Portuguesa

Potencial Económico da Língua Portuguesa Potencial Económico da Língua Portuguesa Coordenação: Luís Reto José Paulo Esperança Mohamed Azzim Gulamhussen Fernando Luís Machado António Firmino da Costa Índice ÍNDICE DE FIGURAS.......................................

Leia mais

[Aprender Português / Portugiesisch lernen]

[Aprender Português / Portugiesisch lernen] [Aprender Português / Portugiesisch lernen] Sabias que segundo a última edição do livro The Ethnologue: languages of the world, o número de línguas faladas no mundo é de 6912. 1. Analisa o seguinte ranking

Leia mais

Cabo Verde como plataforma no Atlântico: VELHA realidade num NOVO contexto

Cabo Verde como plataforma no Atlântico: VELHA realidade num NOVO contexto Cabo Verde como plataforma no Atlântico: VELHA realidade num NOVO contexto Lisbon Atlantic Conference 2013 Territorial and Neighboring Cooperation. Lisboa, 5 de Dezembro de 2013 Carlos Rocha Administrador

Leia mais

O Potencial Universal e Económico do Português no Século XXI Luís Aguilar

O Potencial Universal e Económico do Português no Século XXI Luís Aguilar O Potencial Universal e Económico do Português no Século XXI Luís Aguilar Texto de apresentação da exposição Potencial Económico da Língua Portuguesa em 3 de junho de 2014, no Hall do Edifício da Caixa

Leia mais

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA.

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. - RESULTADOS PRELIMINARES - Alina Esteves Ana Estevens Jornadas de Reflexão 29 de Maio A Realidade da Imigração em Odemira

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Março 2012 Índice 1. Oportunidades 3 1.1 Comércio 3 1.2 Investimento de Portugal na Rússia 4 1.3 Investimento da Rússia em

Leia mais

perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino

perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino Conceição Rego Maria Filomena Mendes José Rebelo Graça Magalhães Resumo: Palavras-chave Códigos JEL Abstract: Keywords JEL Codes

Leia mais

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS

FIT FOR A NEW ERA ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS LÍNGUA, COMÉRCIO EXTERNO E Paternoster Square Londres ECONOMIA DAS LÍNGUAS PORTUGUESA E ESPANHOLA INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PERSPECTIVAS EMPRESARIAIS Francisco Cary 19 de Maio de 2011 O Mercado dos Países

Leia mais

Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã. 26 de novembro de 2014

Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã. 26 de novembro de 2014 Conferência Alemanha Europeia / Europa Alemã 26 de novembro de 2014 1. Empresas Alemãs em Portugal 2. Investimento Direto Alemão em Portugal 3. Exportação / Importação 1. Empresas Alemãs em Portugal Perspetiva

Leia mais

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Vendas Novas - 02 de julho de 2013 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

Sociedade de Geografia de Lisboa

Sociedade de Geografia de Lisboa Sociedade de Geografia de Lisboa Tema A internacionalização das empresas portuguesas para os Países da Europa Central e Oriental (PECO) Autor Rui Paulo Almas Data Lisboa, 25 de Junho de 2012 1 A internacionalização

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Fevereiro 2010 Índice 1. Oportunidades 3 1.1 Comércio 3 1.2 Investimento de Portugal na Rússia 4 1.3 Investimento da Rússia

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

CARDIOLOGIA EM PORTUGUÊS: UM SONHO PARA TORNAR REALIDADE?

CARDIOLOGIA EM PORTUGUÊS: UM SONHO PARA TORNAR REALIDADE? CARDIOLOGIA EM PORTUGUÊS: UM SONHO PARA TORNAR REALIDADE? CARDIOLOGY IN PORTUGUESE: A DREAM TO COME TRUE? Miguel Mendes (Portugal) 35º Congresso Português de Cardiologia 23 de maio de 2014 A expansão portuguesa

Leia mais

IVº CongressoNacional dos Economistas. A Comunidade Portuguesa no Estrangeiro um Activo na Promoção Externa

IVº CongressoNacional dos Economistas. A Comunidade Portuguesa no Estrangeiro um Activo na Promoção Externa IVº CongressoNacional dos Economistas Lisboa,19-21 Outubro 2011 A Comunidade Portuguesa no Estrangeiro um Activo na Promoção Externa Fernanda Ilhéu e Catarina Casquilho Dias Importância do tema Equilibrar

Leia mais

O Potencial Universal da Língua Portuguesa no Século XXI

O Potencial Universal da Língua Portuguesa no Século XXI O Potencial Universal da Língua Portuguesa no Século XXI por Luís Aguilar Professor do Departamento de Línguas e Literaturas Modernas da Universidade de Montreal e Docente do Camões, Instituto da Cooperação

Leia mais

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos

DINÂMICA LOCAL INTERATIVA INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES. AULA 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos 4.1 Conteúdo: Migração e Conflitos 4.1 Habilidades: Compreender o conceito de migração e os motivos que a causam, a partir de casos de migrações que ocorreram mundialmente. Revisão: Distribuição Geográfica;

Leia mais

CÂMARA HISPANO PORTUGUESA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA. O melhor aliado para o mercado ibérico

CÂMARA HISPANO PORTUGUESA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA. O melhor aliado para o mercado ibérico O melhor aliado para o mercado ibérico A Câmara Hispano Portuguesa de Comércio e Indústria em Espanha (CHP), com fins não lucrativos, foi criada em 1970 para apoiar as empresas com interesses no Mercado

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP Intervenção do Secretário Executivo da CPLP Senhor Presidente, Senhores Ministros, Senhor Secretário de Estado do Turismo, Senhores Embaixadores Senhores Representantes

Leia mais

Instituto Internacional de Gestão Galilee

Instituto Internacional de Gestão Galilee Instituto Internacional de Gestão Galilee O Instituto Galilee é uma instituição de ensino superior e de capacitação localizado em Israel. Anualmente o Instituto Galilee organiza mais de 25 programas lecionados

Leia mais

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS ACTIVOS DAS EMPRESAS DE HOTELARIA E RESTAURAÇÃO 2011/2012

NECESSIDADES DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL DOS ACTIVOS DAS EMPRESAS DE HOTELARIA E RESTAURAÇÃO 2011/2012 REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DO TRABALHO E SOLIDARIEDADE SOCIAL DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO, QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL E DEFESA DO CONSUMIDOR OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

COMÉRCIO ELECTRÓNICO INTERNACIONAL

COMÉRCIO ELECTRÓNICO INTERNACIONAL COMÉRCIO ELECTRÓNICO INTERNACIONAL Alexandre Nilo Fonseca Presidente - ACEPI Associação da Economia Digital Conferência AIMinho Marketing Internacional Dezembro 2014 ACEPI: Áreas de Actuação NOVA ÁREA

Leia mais

Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo

Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo As migrações populacionais remontam aos tempos pré históricos. O homem parece estar constantemente à procura de novos horizontes. O

Leia mais

2003-2005. www.iltec.pt www.dgidc.min-edu.pt www.gulbenkian.pt

2003-2005. www.iltec.pt www.dgidc.min-edu.pt www.gulbenkian.pt Primeiros resultados do projecto desenvolvido pelo Instituto de Linguística Teórica e Computacional (ILTEC) em colaboração com a Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular (Ministério da

Leia mais

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional Lisboa, 25 de Janeiro de 2013 A crescente influência dos Estados nas economias emergentes. A

Leia mais

População estrangeira em Portugal modera crescimento

População estrangeira em Portugal modera crescimento As expressões sublinhadas encontram-se explicadas no final do texto População estrangeira em Portugal modera crescimento Em 2002, a população estrangeira com a situação regularizada, estatuto de residente

Leia mais

ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011

ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011 ÁFRICA DO SUL AERLIS - Oeiras 31.03.2011 Alguns factos históricos 1487 Bartolomeu Dias chega ao Cabo da Boa Esperança 1652 Holandeses, ao serviço da Dutch East India Company, instalam-se no Cabo. Colónia

Leia mais

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos

Os Desafios da Fileira da Construção. As Oportunidades nos Mercados Externos Os Desafios da Fileira da Construção As Oportunidades nos Mercados Externos Agradeço o convite que me foi dirigido para participar neste Seminário e felicito a AIP pela iniciativa e pelo tema escolhido.

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica

Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica Instituto Politécnico de Santarém Gabinete de Mobilidade e Cooperação Internacional Documento de orientação estratégica 1. Introdução Assume-se que a internacionalização do IPSantarém não deve consistir

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO

PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO INGLÊS Sala Língua Inglesa Iniciante A Língua Inglesa Iniciante B e 20h30 Língua Inglesa Elementar I A Língua Inglesa Elementar I B Língua Inglesa

Leia mais

Estudar Ciência, Engenharia e Management na França

Estudar Ciência, Engenharia e Management na França Estudar Ciência, Engenharia e Management na França 0 PORQUE A MOBILIDADE INTERNACIONAL? Desenvolver a abertura internacional Em primeiro uma atitude: ela se concretisa por uma disposição e uma capacidade

Leia mais

RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE

RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE RESUMO PARA RECUPERAÇÃO 2º TRIMESTRE Conceitos Diversos Estado É uma organização políticoadministrativa da sociedade. Estado-nação - Quando um território delimitado é composto de um governo e uma população

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique, de forma legível, a versão da prova.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique, de forma legível, a versão da prova. Exame Nacional do Ensino Secundário Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Dossier documentaire

Dossier documentaire DCL PO 06/12 02 Dossier documentaire Page 1 sur 8 DCL PORTUGAIS Diplôme de Compétence en Langue Session du vendredi 1 juin 2012 Dossier documentaire Support de la phase 1 Document 1 Document 2 E mail Carte,

Leia mais

O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão

O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão Alexandre Panosso Netto Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo Fábia Trentin Departamento

Leia mais

BIOGRAFIA LINGUÍSTICA E SENSIBILIZAÇÃO À DIVERSIDADE LINGUÍSTICA NOS PRIMEIROS ANOS DE ESCOLARIDADE

BIOGRAFIA LINGUÍSTICA E SENSIBILIZAÇÃO À DIVERSIDADE LINGUÍSTICA NOS PRIMEIROS ANOS DE ESCOLARIDADE BIOGRAFIA LINGUÍSTICA E SENSIBILIZAÇÃO À DIVERSIDADE LINGUÍSTICA NOS PRIMEIROS ANOS DE ESCOLARIDADE Filomena Martins Departamento de Didáctica e Tecnologia Educativa Universidade de Aveiro Este trabalho

Leia mais

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU

Programas. cabo verde. Angola. portugal. s.tomé e príncipe. Fundación Universitaria San Pablo CEU Programas de MESTRADO Online MBA Master in Business Administration Mestrado em Direcção de Empresas Mestrado em Direcção de Marketing e Vendas Mestrado em Direcção Financeira Mestrado em Comércio Internacional

Leia mais

Bilinguismo e Aprendizagem de uma língua segunda

Bilinguismo e Aprendizagem de uma língua segunda Bilinguismo e Aprendizagem de uma língua segunda Maria Helena Mira Mateus Cabo Verde, Cidade da Praia Fevereiro de 2009 Agradecimentos. Justificação da introdução: línguas minoritárias, várias línguas

Leia mais

1ºANO 2ºANO 3ºANO 3000/3100 3000/3100 3000/3100

1ºANO 2ºANO 3ºANO 3000/3100 3000/3100 3000/3100 CONTABILIDADE ( C) 3ºANO 3000/3100 3000/3100 3000/3100 Contabilidade Geral (18h30m) Estatística Aplicada (14h) Contabilidade de Custos (18h30m) Noções Fundamentais de Direito (9h) Empreendedorismo (14h)

Leia mais

Começar Global e Internacionalização

Começar Global e Internacionalização Começar Global e Internacionalização Artur Alves Pereira Assessor do Conselho de Administração, AICEP Portugal Global Fevereiro 06, 2014 1 A aicep Portugal Global Missão. A aicep Portugal Global é uma

Leia mais

Seminario de Difusión do Anuario Estatístico Galicia Norte de Portugal 2010. A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal

Seminario de Difusión do Anuario Estatístico Galicia Norte de Portugal 2010. A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal Eduardo Pereira (CCDRN) Santiago de Compostela 13 de Dezembro de 2010 Galicia Norte de Portugal: uma grande região europeia transfronteiriça

Leia mais

28-06-2011. Onde? Como? O quê? Fórum Exportações AÇORES. - Caracterização e Potencial das Exportações Regionais - 1. Internacionalização

28-06-2011. Onde? Como? O quê? Fórum Exportações AÇORES. - Caracterização e Potencial das Exportações Regionais - 1. Internacionalização Fórum Exportações AÇORES Caracterização e Potencial das Exportações Regionais Gualter Couto, PhD Ponta Delgada, 27 de Junho de 2011 1. Internacionalização Internacionalização: Processo Estrutura Organizacional

Leia mais

ESPECIAL DIVULGAÇÃO DO PROJECTO. O projecto foi dividido em 3 componentes, nomeadamente: Portugal França Holanda Luxemburgo BOLETIM SEMANAL MDC

ESPECIAL DIVULGAÇÃO DO PROJECTO. O projecto foi dividido em 3 componentes, nomeadamente: Portugal França Holanda Luxemburgo BOLETIM SEMANAL MDC BOLETIM SEMANAL MDC ESPECIAL 19 Fev. 2015 Nº 2 DIVULGAÇÃO DO PROJECTO O projecto foi dividido em 3 componentes, nomeadamente: O Projecto RCCVGM, que teve como propósito o apoio à reintegração económica

Leia mais

A internacionalização da língua portuguesa. Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning.

A internacionalização da língua portuguesa. Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning. A internacionalização da língua portuguesa Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning. Mário Filipe O ensino de línguas de grande difusão global é hoje servido por várias

Leia mais

Prof. Ericksson Rocha e Almendra UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO almendra@.superest.ufrj.br

Prof. Ericksson Rocha e Almendra UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO almendra@.superest.ufrj.br ESCOLA POLITÉCNICA COBENGE 2014 (Forum Estudantil) Mobilidade Estudantil Internacional e Nacional Mobilidade Internacional na Escola Politécnica da UFRJ Diretoria Adjunta de Relações Internacionais Cenário

Leia mais

MISSÃO EMPRESARIAL. ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014

MISSÃO EMPRESARIAL. ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014 MISSÃO EMPRESARIAL ANGOLA - BENGUELA E MALANGE 8 a 16 de Novembro de 2014 ANGOLA Com capital na cidade de Luanda, Angola é um país da costa ocidental de África, cujo território principal é limitado a norte

Leia mais

6 O reflexo das políticas de ensino de Línguas Estrangeiras no Rio de Janeiro

6 O reflexo das políticas de ensino de Línguas Estrangeiras no Rio de Janeiro 127 6 O reflexo das políticas de ensino de Línguas Estrangeiras no Rio de Janeiro 6.1 Introdução De acordo com a Secretaria Municipal de Educação do município, mais especificamente o setor responsável

Leia mais

Mercados. informação de negócios. Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado

Mercados. informação de negócios. Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado Mercados informação de negócios Angola Oportunidades e Dificuldades do Mercado Dezembro 2011 Índice 1. Oportunidades 03 1.1 Pontos Fortes 03 1.2 Áreas de Oportunidade 03 2. Dificuldades 04 2.1 Pontos Fracos

Leia mais

Registo Contabilístico - Exemplos -

Registo Contabilístico - Exemplos - Registo Contabilístico - Exemplos - Exportação a pronto no valor de K1 u.m. DÉBITO CRÉDITO SALDO (1) BALANÇA DE BENS E SERVIÇOS MERCADORIAS (BALANÇA COMERCIAL) K1 K1 SERVIÇOS Transportes, viagens e turismo,

Leia mais

Powered by. Desenvolvimento

Powered by. Desenvolvimento Desenvolvimento de Sistemas Sustentáveis 1 Urbancraft Energia, S.A. FDO INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES, SGPS, S.A. ALEXANDRE BARBOSA BORGES, SGPS, S.A. 50% 50% A URBANCRAFT ENERGIA, S.A é uma sociedade

Leia mais

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7B AULA 19 e 20. Profº André Tomasini

TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7B AULA 19 e 20. Profº André Tomasini TERCEIRÃO GEOGRAFIA FRENTE 7B AULA 19 e 20 Profº André Tomasini CONTINENTE AMERICANO Possuindo uma área de 42.560.270 Km2 o continente americano é o segundo maior continente da Terra ocupando 28 % das

Leia mais

Políticas Públicas e Equidade em Saúde

Políticas Públicas e Equidade em Saúde Políticas Públicas e Equidade em Saúde 24 de abril de 2014 Coimbra Organização Mundial da Saúde (OMS) http://youtu.be/4misscgkvoc Regina Ungerer Coordenadora da rede eportuguêse eportuguese@who.int Saúde

Leia mais

Mercados. informação de negócios. Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado

Mercados. informação de negócios. Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Mercados informação de negócios Rússia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Março 2012 Índice 1. Oportunidades 3 1.1 Comércio 3 1.2 Investimento de Portugal na Rússia 4 1.3 Investimento da Rússia em

Leia mais

INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA

INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA INOVAÇÃO, EMPREENDEDORISMO E O FUTURO MINISTÉRIO DA ECONOMIA Empresas INOVAÇÃO PRODUTOS DIMENSÃO MERCADO PRODUÇÃO MARKETING GESTÃO LIDERANÇA FINANCIAMENTO RH COMPETÊNCIAS Empreendedorismo VISÃO ESTRUTURADA

Leia mais

Mercados informação de negócios

Mercados informação de negócios Mercados informação de negócios Grécia Oportunidades e Dificuldades do Mercado Março 2011 Índice 1. Oportunidades 3 1.1. Comércio 3 1.2. Investimento de Portugal na Grécia 3 1.3. Investimento da Grécia

Leia mais

Entrevista com FTM Holding. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso. Francisco Tavares Machado. Presidente

Entrevista com FTM Holding. Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso. Francisco Tavares Machado. Presidente Entrevista com FTM Holding Com quality media press para LA VANGUARDIA & Expresso Francisco Tavares Machado Presidente Quality Media Press quais os principais sectores de actividade do Grupo FTM? R. O Grupo

Leia mais

Unidade 1. Como é que se chama? Áreas gramaticais / estruturas. Pronomes pessoais sujeito: eu, você, ele, ela

Unidade 1. Como é que se chama? Áreas gramaticais / estruturas. Pronomes pessoais sujeito: eu, você, ele, ela Unidade 1 Como é que se chama? Áreas gramaticais / estruturas Pronomes pessoais sujeito: eu, você, ele, ela As formas verbais: me chamo, se chama, chamo-me, chama-se / sou, é Artigos definidos (singular):

Leia mais

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003

Rio de Janeiro, 5 de Dezembro de 2003 Intervenção de Sua Excelência a Ministra da Ciência e do Ensino Superior, na II Reunião Ministerial da Ciência e Tecnologia da CPLP Comunidade dos Países de Língua Portuguesa Rio de Janeiro, 5 de Dezembro

Leia mais

DIRETIVA BLUE CARD :: Fundação Evert Vermeer DIRETIVA BLUE CARD

DIRETIVA BLUE CARD :: Fundação Evert Vermeer DIRETIVA BLUE CARD DIRETIVA BLUE CARD :: Fundação Evert Vermeer DIRETIVA BLUE CARD Em Maio de 2009, os Estados-Membros da UE aprovaram a adopção de uma directiva referente à entrada e residência de migrantes no seio da União

Leia mais

SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6.

SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6. SOUSA GALITO, Maria (2010). Entrevista ao Embaixador Miguel Costa Mkaima. CI-CPRI, E T-CPLP, º8, pp. 1-6. E T-CPLP: Entrevistas sobre a CPLP CI-CPRI Entrevistado: Embaixador Miguel Costa Mkaima Entrevistador:

Leia mais

5 DUAS FOTOGRAFIAS IDENTIFICADAS COM NOME E NUMERO DE PRE- REGISTO 2 CI-CEPPQ

5 DUAS FOTOGRAFIAS IDENTIFICADAS COM NOME E NUMERO DE PRE- REGISTO 2 CI-CEPPQ 1 FICHA DE INSCRIÇÃO 1 2 FICHA DO CANDIDATO 2 3 CÓPIA DE DOCUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO 4 CÓPIA DE COMPROVATIVO DE PAGAMENTO 5 DUAS FOTOGRAFIAS IDENTIFICADAS COM NOME E NUMERO DE PRE- REGISTO 2 CI-CEPPQ Universidade

Leia mais

EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008

EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008 EXPORTAR MAIS - PLANO DE ACÇÃO 2008 AEP - Associação Empresarial de Portugal Direcção de Serviços às Empresas Internacionalização e Promoção Externa Leça da Palmeira, 26 de Junho de 2008 A/C Direcção Comercial/Exportação

Leia mais

O papel de Portugal no mundo é mais importante do que imagina

O papel de Portugal no mundo é mais importante do que imagina Informação 8 de Fevereiro de 2011 Campanha institucional do grupo Portucel Soporcel arranca hoje O papel de Portugal no mundo é mais importante do que imagina Arranca hoje a nova campanha institucional

Leia mais

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009

INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS TURISTAS, 2009 INQUÉRITO AOS GASTOS E SATISFAÇÃO DOS Praia, 29 de Abril de 2010 Plano de apresentação Introdução. Nota metodológica. Apresentação dos resultados..satisfação..gastos. TURISTAS, 2009 Objectivos do Inquérito

Leia mais

História 1976- Fundação em 4 de maio, por José Ortega Spottorno Língua - Espanhol Propriedade - PRISA Posicionamento inicial: Ser um Jornal Liberal

História 1976- Fundação em 4 de maio, por José Ortega Spottorno Língua - Espanhol Propriedade - PRISA Posicionamento inicial: Ser um Jornal Liberal História 1976- Fundação em 4 de maio, por José Ortega Spottorno Língua - Espanhol Propriedade - PRISA Posicionamento inicial: Ser um Jornal Liberal História Transição Pós Franco - "A favor da Democracia"

Leia mais

Seminário de Empreendedorismo nos Países de. Língua Oficial Portuguesa

Seminário de Empreendedorismo nos Países de. Língua Oficial Portuguesa Seminário de Empreendedorismo nos Países de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor-Leste e Brasil Empreendedorismo Língua Oficial Portuguesa Dia 22 de Novembro de 2011

Leia mais

Director de Curso Escola Contacto Maria de Fátima Reis Faculdade de Letras fatimareis@letras.ulisboa.pt

Director de Curso Escola Contacto Maria de Fátima Reis Faculdade de Letras fatimareis@letras.ulisboa.pt Estudos Gerais Curso organizado conjuntamente pelas Faculdade de Belas Artes, Faculdade de Ciências, Faculdade de Direito, Faculdade de Letras, Faculdade de Motricidade Humana, Faculdade de Psicologia,

Leia mais

AO Mercado Comum do Sul (Mercosul) foi criado em 26 de março O PORTUGUÊS NO MERCOSUL 1. Mônica Maria Guimarães Savedra

AO Mercado Comum do Sul (Mercosul) foi criado em 26 de março O PORTUGUÊS NO MERCOSUL 1. Mônica Maria Guimarães Savedra Cadernos de Letras da UFF Dossiê: Difusão da língua portuguesa, n o 39, p. 175-184, 2009 175 O PORTUGUÊS NO MERCOSUL 1 Mônica Maria Guimarães Savedra RESUMO Este trabalho disserta sobre o status e o peso

Leia mais

EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS

EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS EXPORTAÇÃO DE PEQUENA ESCALA: ABORDAGEM AOS MERCADOS INTERNACIONAIS 1.º Encontro Jovem Produtor de Queijo Serra da Estrela Gouveia, 14 de Dezembro de 2011 Enquadramento A aicep Portugal Global Canais de

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

Sem figuras nem imagens, Entrelinha 1,5. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Sem figuras nem imagens, Entrelinha 1,5. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Exame Nacional do Ensino Secundário Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/2.ª Fase 12 Páginas Sem figuras nem imagens, Entrelinha

Leia mais

( ) Tradução e localização de software para os mercados de idiomas espanhol e português

( ) Tradução e localização de software para os mercados de idiomas espanhol e português ( ) Tradução e localização de software para os mercados de idiomas espanhol e português A Deyá idiomas é uma empresa argentina que oferece soluções multilíngues para empresas locais e internacionais, organizações,

Leia mais

PERFIL DOS NEGÓCIOS EM SERVIÇOS BRASIL E OS PAÍSES DO BRICS

PERFIL DOS NEGÓCIOS EM SERVIÇOS BRASIL E OS PAÍSES DO BRICS PERFIL DOS NEGÓCIOS EM SERVIÇOS BRASIL E OS PAÍSES DO BRICS Síntese da Relação de Negócios Bilaterais de Serviços em 2013 entre o Brasil e os 4 demais países integrantes do BRICS. Extração de dados agregados

Leia mais

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais. Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais. Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal A História e o papel da Câmara A Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - Minas

Leia mais

Sérgio Amaro Bastos. Geografias das Geminações (Estudo de Caso no Minho)

Sérgio Amaro Bastos. Geografias das Geminações (Estudo de Caso no Minho) Sérgio Amaro Bastos Geografias das Geminações (Estudo de Caso no Minho) V Congresso de Geografia Universidade do Minho 14/15 Outubro 2005 GEOGRAFIA DAS GEMINAÇÕES (ESTUDO DE CASO NO MINHO) As geminações

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC. AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014

ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC. AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014 ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014 Colômbia Aspectos Gerais País muito jovem - 55% da população com menos de 30 anos. 7 Áreas Metropolitanas com

Leia mais

Conceito de imigração e emigração

Conceito de imigração e emigração Conceito de imigração e emigração Considera-se como imigração o movimento de entrada, com ânimo permanente ou temporário e com a intenção de trabalho e/ou residência, de pessoas ou populações, de um país

Leia mais

Teoria dos Jogos e Estratégia Empresarial

Teoria dos Jogos e Estratégia Empresarial Teoria dos Jogos e Estratégia Empresarial Docente: Prof. Humberto Ribeiro Trabalho elaborado por: Luís Gonçalves nº 7366 Alícia Prada nº 17580 Ana Gonçalves nº 15412 Mestrado em Gestão das Organizações

Leia mais

MERCADO ECONÓMICO EM ANGOLA PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO

MERCADO ECONÓMICO EM ANGOLA PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO MERCADO ECONÓMICO EM ANGOLA PERSPECTIVA DE EVOLUÇÃO Mercado Economico em Angola - 2015 Caracterização Geográfica de Angola Caracterização da economia Angolana Medidas para mitigar o efeito da redução do

Leia mais

Comunidade de Países de Língua Portuguesa: breve retrato estatístico

Comunidade de Países de Língua Portuguesa: breve retrato estatístico Estatísticas da CPLP 23-21 12 de julho de 213 Comunidade de Países de Língua Portuguesa: breve retrato estatístico A população residente no conjunto dos oito países 1 da Comunidade de Países de Língua

Leia mais

UMA ESTRATÉGIA PARA A ÁSIA: O CPCLP E O ENSINO DO PORTUGUÊS NA CHINA

UMA ESTRATÉGIA PARA A ÁSIA: O CPCLP E O ENSINO DO PORTUGUÊS NA CHINA UMA ESTRATÉGIA PARA A ÁSIA: O CPCLP E O ENSINO DO PORTUGUÊS NA CHINA Carlos Ascenso André Instituto Politécnico de Macau Obs. Macau não adoptou ainda o Acordo Ortográfico 1961 Português na China: Universidade

Leia mais

ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tema 1: A Terra: estudos e representações UNIDADE DIDÁCTICA: 1- Da paisagem aos mapas. A descrição da paisagem;

ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL. Tema 1: A Terra: estudos e representações UNIDADE DIDÁCTICA: 1- Da paisagem aos mapas. A descrição da paisagem; ANO LECTIVO PLANIFICAÇÃO ANUAL DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA 2007/2008 ANO GEOGRAFIA 7.º GERAIS Tema 1: A Terra: estudos e representações Mobilizar saberes culturais, científicos e tecnológicos

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE LISBOA DE 02 A 06 DE Maio DIA DE ANGOLA PROGRAMA

FACULDADE DE DIREITO DE LISBOA DE 02 A 06 DE Maio DIA DE ANGOLA PROGRAMA FACULDADE DE DIREITO DE LISBOA DE 02 A 06 DE Maio SEMANA AFRICANA NA FACULDADE DE DIREITO DE LISBOA 02Dia de Angola 03 Dia de Cabo Verde 04 Dia de Guiné-Bissau 05 Dia de Moçambique 06 Dia de São Tomé e

Leia mais

Indicadores de Confiança...15

Indicadores de Confiança...15 1. MACROECONOMIA 1.1. Rendimento e Despesa Despesa Nacional a Preços Correntes...5 Despesa Nacional a Preços Constantes...6 PIB a preços correntes (Produto Interno Bruto)...7 PIB a preços constantes (Produto

Leia mais

Açores no Mercado do Turismo Chinês Sessão de Formação. Informação Adicional

Açores no Mercado do Turismo Chinês Sessão de Formação. Informação Adicional Açores no Mercado do Turismo Chinês Sessão de Formação Informação Adicional Informação adicional: COTRI EDELUC Fundação Jardim José do Canto Agenda do Evento Apoio OCOTRI é um instituto de pesquisa independente

Leia mais

TÉCNICAS DE GESTÃO E COMÉRCIO INTERNACIONAL

TÉCNICAS DE GESTÃO E COMÉRCIO INTERNACIONAL CONTINUIDADE DE ESTUDOS DOS CET TÉCNICAS DE GESTÃO E COMÉRCIO INTERNACIONAL ENTIDADE DE FORMAÇÃO: FOR.CET INSTITUTO POLITÉCNICO DE ESTUDANTES ADMITIDOS NO CET EM 2014 Licenciatura em GESTÃO DE EVENTOS

Leia mais

3. VARIAÇÃO E NORMALIZAÇÃO LINGUÍSTICA

3. VARIAÇÃO E NORMALIZAÇÃO LINGUÍSTICA 3. VARIAÇÃO E NORMALIZAÇÃO LINGUÍSTICA Uma língua viva, apesar da unidade que a torna comum a uma nação, apresenta variedades quanto à pronúncia, à gramática e ao vocabulário. Chama-se variação linguística

Leia mais

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS

NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS NOVOS FUNDOS COMUNITÁRIOS Sessão de Esclarecimento Associação Comercial de Braga 8 de abril de 2015 / GlobFive e Creative Zone PT2020 OBJETIVOS DO PORTUGAL 2020 Promover a Inovação empresarial (transversal);

Leia mais

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau)

Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Fórum para a Cooperação Económica e Comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa (Macau) Plano de Acção para a Cooperação Económica e Comercial (2007-2009) 2ª Conferência Ministerial, 2006

Leia mais

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores Margarida Brites Coordenadora da Área das Estatísticas da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento

Leia mais

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO PARTE 03 - MERCADOS PRIORITÁRIOS Introdução Nas últimas semanas dedicamos a nossa atenção ao

Leia mais

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS 1. RAZÕES DAS MIGRAÇÕES FATORES ATRATIVOS X FATORES REPULSIVOS - CONDIÇÕES DE VIDA - OFERTAS DE EMPREGO - SEGURANÇA -

Leia mais

O ACORDO DE LONDRES PARA APLICAÇÃO DO ARTIGO 65º DA CONVENÇÃO DA PATENTE EUROPEIA

O ACORDO DE LONDRES PARA APLICAÇÃO DO ARTIGO 65º DA CONVENÇÃO DA PATENTE EUROPEIA O ACORDO DE LONDRES PARA APLICAÇÃO DO ARTIGO 65º DA CONVENÇÃO DA PATENTE EUROPEIA PARECER PARA A COMISSÃO DE NEGÓCIOS ESTRANGEIROS E COMUNIDADES PORTUGUESAS DEZEMBRO DE 2010 Rua do Salitre, 195 1269-063

Leia mais