perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino"

Transcrição

1 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino Conceição Rego Maria Filomena Mendes José Rebelo Graça Magalhães Resumo: Palavras-chave Códigos JEL Abstract: Keywords JEL Codes 17

2 estudos regionais nº Introdução The Edge of migration A dimensão das populações na origem e no destino; é um problema económico: muitas mudanças na população são devidas a desequilíbrios económicos 18

3 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino entre diferentes áreas; pode ser um problema político: tal é particularmente verdade nas migrações internacionais, onde restrições e condicionantes são aplicadas àqueles que pretendem atravessar uma fronteira política; envolve a psicologia social, no sentido em que o migrante está envolvido num processo de tomada de decisão antes da partida, e porque a sua personalidade pode desempenhar um papel importante no sucesso com que se integra na sociedade de acolhimento; e é também um problema sociológico, uma vez que a estrutura social e o sistema cultural, tanto dos lugares de origem como de destino, são afectados pela migração e, em contrapartida, afectam o migrante. tabela 1 Síntese dos modelos explicativos das migrações - A análise das migrações um modelo de investigação Objecto economia sociologia Perspectiva metodológica individualista holista Racionalidade Instrumental / Mercado de Trabalho / Rendimentos / Investimento em Capital Humano Mercado de Trabalho Segmentado / Flexibilização / Sistemas Espaciais / Sistemas-Mundo / Sistemas Migratórios Ciclo de Vida / Carreira / Mobilidade Social / Acção Não Instrumental Família / Instituições / Organizações / Redes Migratórias / Enclaves Étnicos / Normas e Imagens Colectivas Fonte: 19

4 estudos regionais nº 24 income-maximizers brain drain brain gain 20

5 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino 2. Metodologia e Dados 21

6 estudos regionais nº Estrangeiros residentes em Portugal e o seu recentes 22

7 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino gráfico 1 Evolução do nº de emigrantes portugueses e dos imigrantes residente sem Portugal Emigrantes Imigrantes Fonte: gráfico 2 Taxas de crescimento natural, migratório e total, Portugal, ,0 0,8 0,6 0,4 0,2 0,0-0,2-0,4-0, em percentagem Taxa de crescimento natural Taxa de crescimento migratório Taxa de crescimento total Fonte: 23

8 estudos regionais nº 24 Títulos de Residência gráfico 3 População estrangeira com residência legal em Portugal, por nacionalidade (%) em 2007 França China São Tomé e Príncipe Moldávia Alemanha Espanha Roménia Reino Unido Guiné-Bissau Angola Ucrânia Cabo Verde Brasil Fonte: % 24

9 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino gráfico 4 Pirâmide etária da população estrangeira com estatuto legal de residente, Portugal, ,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 2,0 4,0 6,0 8,0 10,0 Em percentagem do total Fonte: gráfico 5 Pirâmide etária da população residente em Portugal, em ,0 4,0 3,0 2,0 1,0 0,0 1,0 2,0 3,0 4,0 5,0 Em percentagem do total de população população portuguesa população estrangeira Fonte: 25

10 estudos regionais nº 24 nacionalidade e sexo, segundo a região de residência gráfico 6 São Tomé e Príncipe Reino Unido Bulgária Índia Guiné-Bissau Angola Rússia China Cabo Verde Portugal Roménia Moldávia Brasil Ucrânia Fonte: 26

11 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino gráfico 7 gráfico 8 27

12 estudos regionais nº 24 per capita em paridade per capita gráfico 9 Norte Lisboa Centro Algarve %PIB % Entradas 2006 Alentejo Fonte: Legenda: 28

13 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino per capita gráfico 10 29

14 estudos regionais nº Discussão de alguns resultados imigrantes de segunda geração gráfico 11 Guiné-Bissau Angola Ásia Meridional Ásia Oriental Cabo Verde Europa do Sul Brasil Europa Central e do Leste Fonte: gráfico 12 Imigrantes da Europa Central e de Leste por sexo e escalão etário 30

15 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino gráfico 13 Imigrantes do Brasil por sexo e escalão etário gráfico 14 Imigrantes de Cabo Verde por sexo e escalão etário 31

16 estudos regionais nº 24 gráfico 15 Imigrantes da Europa Central e de Leste por NUTS II 32

17 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino gráfico 16 Imigrantes do Brasil por NUTS II gráfico 17 Imigrantes de Cabo Verde por NUTS II 33

18 estudos regionais nº Conclusões 2 34

19 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino capacidade para atrair e reter população e actividade Migration selectivity and the evolution of spatial inequality Quel futur pour la population et les migrations au XXI e siècle? e Migrações: decisões individuais e estruturas sociais electividade Migratória e Dinâmicas Regionais: as migrações intre-regionais em Portugal nos anos 80, As teorias explicativas das migrações: teorias micro e macro sociológicas Portugal in Economia Regional e Urbana, Lógica espacial das transformações económicas, Colecção APDR, Coimbra, Portugal The rising importance of migrants for childbearing in Europe A Situação Social em Portugal, Self-Selection and the earnings of immigrants The economics of immigration The economic analysis of immigration, Facing the 21st Century. New developments, continuing problems Três décadas de consolidação do Portugal Estudo prospectivo 35

20 estudos regionais nº 24 anexos gráfico 1 HM % H % M % , , ,9 09/Mai , , ,2 14/Out , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,3 86 0, ,4 Total Fonte: gráfico 2 NUTS II HM % H % M % Alentejo , , ,8 Algarve , , ,5 Centro , , ,8 Lisboa , , ,9 Norte , ,5 R. A. Madeira , , ,4 R. A. Açores , , ,2 Total Fonte: 36

21 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino gráfico 3 NUTS III HM % H % M % Alentejo Central , , ,1 Alentejo Litoral 752 1, , ,3 Algarve , , ,5 Alto Alentejo 384 0, , ,6 Alto Trás-os-Montes 511 0, , ,8 Ave 827 1, , ,3 Baixo Alentejo Baixo Mondego , , ,9 Baixo Vouga , , ,3 Beira Interior Norte 500 0, , ,7 Beira Interior Sul 456 0, , ,7 Cávado 745 1, , ,1 Cova da Beira 210 0, ,4 79 0,3 Dão-Lafões 906 1, , ,4 Douro 365 0, , ,6 Entre Douro e Vouga 859 1, , ,3 Grande Lisboa , , ,1 Grande Porto , , ,6 Lezíria do Tejo , , ,8 Médio Tejo , , ,6 Minho-Lima 521 0, , ,7 Oeste , , ,6 Península de Setúbal , , ,8 Pinhal Interior Norte 381 0, , ,6 Pinhal Interior Sul 104 0,2 71 0,2 33 0,1 Pinhal Litoral , , ,4 Serra da Estrela 81 0,1 48 0,1 33 0,1 Tâmega 788 1, , ,1 R. A. Madeira , , ,4 R. A. Açores , , ,2 Total pirâmides etárias, por nuts ii figura 1 figura 2 População estrangeira que solicitou estatuto legal, por sexo e grupo 37

22 estudos regionais nº 24 pirâmides etárias, por nuts ii (cont.) figura 3 figura 4 População estrangeira que solicitou estatuto legal, por sexo e grupo figura 5 figura 6 População estrangeira que solicitou estatuto legal, por sexo e grupo figura 7 figura 8 População estrangeira que solicitou estatuto legal, por sexo e grupo 38

23 perfil dos imigrantes em portugal: por países de origem e regiões de destino pirâmides etárias, por nuts ii (cont.) figura 9 figura 10 População estrangeira que solicitou estatuto legal, por sexo e grupo quadro 4 Análise cruzada das variáveis Regiões de origem, Regiões de destino e escalão etário, para os cidadãos 39

24

Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo

Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo Pela primeira vez na história demográfica recente, Portugal registou em 2007 um saldo natural negativo De acordo com os indicadores demográficos disponíveis relativos a 2007, a população residente em Portugal

Leia mais

REFERENTE DE NECESSIDADES FORMATIVAS - CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS

REFERENTE DE NECESSIDADES FORMATIVAS - CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS REFERENTE DE NECESSIDADES FORMATIVAS - CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DE ADULTOS Nível de prioridade das necessidades formativas dos Cursos de Educação e Formação de Adultos face à dinâmica de emprego,

Leia mais

Laura Cristina Gastão Pereira

Laura Cristina Gastão Pereira Relatório Final Estudo do caso particular das migrações entre o Continente e as Regiões Autónomas de Portugal Laura Cristina Gastão Pereira Orientador: Prof. Doutor António Caleiro Co orientador: Prof.ª

Leia mais

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA.

A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. A IMIGRAÇÃO EM PORTUGAL E NO ALENTEJO. A SINGULARIDADE DO CONCELHO DE ODEMIRA. - RESULTADOS PRELIMINARES - Alina Esteves Ana Estevens Jornadas de Reflexão 29 de Maio A Realidade da Imigração em Odemira

Leia mais

População estrangeira em Portugal modera crescimento

População estrangeira em Portugal modera crescimento As expressões sublinhadas encontram-se explicadas no final do texto População estrangeira em Portugal modera crescimento Em 2002, a população estrangeira com a situação regularizada, estatuto de residente

Leia mais

3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS

3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 37 38 3.1. Introdução Para a interpretação dos dados de saúde, quer de morbilidade quer de mortalidade, e nomeadamente para, com base nesses dados, se fazer o planeamento

Leia mais

Contributos dos Imigrantes Guineenses em Portugal para a dinâmica populacional

Contributos dos Imigrantes Guineenses em Portugal para a dinâmica populacional Contributos dos Imigrantes Guineenses em Portugal para a dinâmica populacional José Rebelo dos Santos Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal, Portugal jose.rebelo@esce.ips.pt;

Leia mais

Apoios ao Investimento em Portugal

Apoios ao Investimento em Portugal Apoios ao Investimento em Portugal AICEP Abril 2015 FINANÇAS Índice Investimento Produtivo Auxílios Estatais Máximos Incentivos Financeiros Incentivos Fiscais Investimento em I&D Empresarial Incentivos

Leia mais

Fatores Determinantes para o Crescimento do Emprego de Jovens CREJOV

Fatores Determinantes para o Crescimento do Emprego de Jovens CREJOV Fatores Determinantes para o Crescimento do Emprego de Jovens CREJOV THINK TANK 30 de abril de 2013 POAT/FSE: Gerir, Conhecer e Intervir Situação População 15-24 anos- Taxas Dezembro2012 NEETs 18,6 Abando.E.P

Leia mais

Índice. Ficha Técnica NEWS. Apresentação LETTER Nº 9. Junho 2011

Índice. Ficha Técnica NEWS. Apresentação LETTER Nº 9. Junho 2011 Junho 2011 Índice Novidades Tema em Destaque Resultados Preliminares dos Censos 2011 Principais Resultados A População e as Famílias A Habitação Pág.2 Pág.3 Pág.4 Pág.9 Apresentação A Newsletter dos Censos

Leia mais

ELEMENTOS ESTATÍSTICOS SAÚDE 2011/2012 Divisão de Estatísticas da Saúde e Monitorização Direção de Serviços de Informação e Análise

ELEMENTOS ESTATÍSTICOS SAÚDE 2011/2012 Divisão de Estatísticas da Saúde e Monitorização Direção de Serviços de Informação e Análise ELEMENTOS ESTATÍSTICOS SAÚDE 2011/2012 Divisão de Estatísticas da Saúde e Monitorização Direção de Serviços de Informação e Análise Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação

Leia mais

ELEMENTOS ESTATÍSTICOS

ELEMENTOS ESTATÍSTICOS ELEMENTOS ESTATÍSTICOS SAÚDE / 2009_2010 Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e Análise Divisão de Epidemiologia e Estatística Elementos Estatísticos: Informação Geral:

Leia mais

Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores. Beja, Outubro de 2009 ESEB

Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores. Beja, Outubro de 2009 ESEB Ponto de Acesso INE Biblioteca IPB Formação de utilizadores Organização I Parte Informação sobre o Ponto de Acesso do INE no Instituto Politécnico de Beja II Parte Pesquisa de informação estatística Como

Leia mais

o papel da imigração na dinâmica populacional: um contributo para o estudo da sustentabilidade demográfica das regiões portuguesas 1

o papel da imigração na dinâmica populacional: um contributo para o estudo da sustentabilidade demográfica das regiões portuguesas 1 o papel da imigração na dinâmica populacional: um contributo para o estudo da sustentabilidade demográfica das regiões portuguesas 1 Maria de Nazaré Oliveira Roca -e-geo Centro de Estudos de Geografia

Leia mais

Portugal e a Política de Coesão 2007-2013

Portugal e a Política de Coesão 2007-2013 MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL Portugal e a Política de Coesão 2007-2013 2013 Rui Nuno Baleiras Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional Centro

Leia mais

Literacia Estatística ao serviço da Cidadania. Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem

Literacia Estatística ao serviço da Cidadania. Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem Serviço de Difusão Literacia Estatística ao serviço da Cidadania Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem Rede de Bibliotecas Escolares Formação para Professores fevereiro - maio.2012 Itinerário

Leia mais

Imigrantes Angolanos em Portugal: breve caracterização e contributos para a dinâmica populacional

Imigrantes Angolanos em Portugal: breve caracterização e contributos para a dinâmica populacional Imigrantes Angolanos em Portugal: breve caracterização e contributos para a dinâmica populacional Maria Filomena Mendes Universidade de Évora, Portugal mmendes@uevora.pt José Rebelo dos Santos Escola Superior

Leia mais

População Estrangeira em Portugal 2006 População Estrangeira em Portugal

População Estrangeira em Portugal 2006 População Estrangeira em Portugal 13 de Dezembro 2007 População Estrangeira em Portugal 2006 População Estrangeira em Portugal A propósito do Dia Internacional dos Migrantes (18 de Dezembro), o Instituto Nacional de Estatística apresenta

Leia mais

OS NÚMEROS DA ORDEM 2015 ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS

OS NÚMEROS DA ORDEM 2015 ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS 1 OS NÚMEROS DA ORDEM 2015 OS NÚMEROS DA ORDEM 2015 ORDEM DOS MÉDICOS DENTISTAS 3 OS NÚMEROS DA ORDEM 2015 PREFÁCIO INTRODUÇÃO MEMBROS ATIVOS ESTUDANTES MEMBROS INATIVOS CONCLUSÕES OS NÚMEROS DA ORDEM

Leia mais

Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural

Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural Convento de Refoios Ponte de Lima 21 de Junho de 2003 Distribuição Espacial do TER (SIR) Unid: Euros Distritos Nº Projectos Investimento Total Incentivo Aveiro

Leia mais

PERFIL DO ALUNO 2008/2009

PERFIL DO ALUNO 2008/2009 PERFIL DO ALUNO 2008/2009 FICHA TÉCNICA Título Perfil do Aluno 2008/2009 Autoria Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE) Direcção de Serviços de Estatística Edição Gabinete de Estatística

Leia mais

Análise Descritiva dos Estabelecimentos de Comércio e Serviços do cluster da Saúde e de Bem-estar. Versão de 08 Outubro de 2011

Análise Descritiva dos Estabelecimentos de Comércio e Serviços do cluster da Saúde e de Bem-estar. Versão de 08 Outubro de 2011 Análise Descritiva dos Estabelecimentos de Comércio e s do cluster da Saúde e de Bem-estar Versão de 08 Outubro de 2011 Versão: Junho 2012 Análise Descritiva dos Estabelecimentos de Comércio e s do cluster

Leia mais

A FRUTICULTURA NO PRODER. Alguns Indicadores

A FRUTICULTURA NO PRODER. Alguns Indicadores A FRUTICULTURA NO PRODER Alguns Indicadores NOTA DE ABERTURA Este documento tem como objetivo a divulgação de um conjunto de indicadores relativos ao setor da fruticultura no âmbito do Programa de Desenvolvimento

Leia mais

Onde e como se vive em Portugal 2011

Onde e como se vive em Portugal 2011 Onde e como se vive em Portugal 2011 25 de junho de 2013 Onde e como se vive em Portugal 2011 De acordo com os resultados definitivos dos Censos 2011 na região de Lisboa regista-se a maior densidade populacional,

Leia mais

The spatial convergence of knowledge in Portugal

The spatial convergence of knowledge in Portugal MPRA Munich Personal RePEc Archive The spatial convergence of knowledge in Portugal Gertrudes Guerreiro and António Caleiro Departamento de Economia & CEFAGE-UE, Universidade de Évora 23. May 2014 Online

Leia mais

Imigração, Desenvolvimento Regional e Mercado de Trabalho - O Caso Português

Imigração, Desenvolvimento Regional e Mercado de Trabalho - O Caso Português Imigração, Desenvolvimento Regional e Mercado de Trabalho - O Caso Português Alexandra Manuela Gomes - Instituto Nacional de Estatística - Direcção Regional do Centro - E-mail: alexandra.mgomes@ine.pt

Leia mais

AUDITORES DE JUSTIÇA DO XXIII CURSO NORMAL DE FORMAÇÃO DE MAGISTRADOS (2004-2006) CARACTERIZAÇÃO SOCIOGRÁFICA

AUDITORES DE JUSTIÇA DO XXIII CURSO NORMAL DE FORMAÇÃO DE MAGISTRADOS (2004-2006) CARACTERIZAÇÃO SOCIOGRÁFICA AUDITORES DE JUSTIÇA DO XXIII CURSO NORMAL DE FORMAÇÃO DE MAGISTRADOS (2004-2006) CARACTERIZAÇÃO SOCIOGRÁFICA António Carlos Duarte Fonseca (dir.) Fernando Sousa Silva (sociólogo) Gabinete de Estudos Jurídico-Sociais

Leia mais

Transporte Terrestre de Passageiros

Transporte Terrestre de Passageiros 19 de dezembro de 2014 Transporte Terrestre de Passageiros 2013 Modo rodoviário mantém peso maioritário de 63,2% no transporte terrestre de passageiros O transporte rodoviário de passageiros correspondeu

Leia mais

NUTS 2 0 1 3 AS NOVAS UNIDADES TERRITORIAIS PARA FINS ESTATÍSTICOS

NUTS 2 0 1 3 AS NOVAS UNIDADES TERRITORIAIS PARA FINS ESTATÍSTICOS NUTS 2 0 1 3 AS NOVAS UNIDADES TERRITORIAIS PARA FINS ESTATÍSTICOS MAIO 2015 2 NUTS 2013 AS NOVAS UNIDADES TERRITORIAIS PARA FINS ESTATÍSTICOS ÍNDICE ENQUADRAMENTO... 3 1. O REGULAMENTO DA NOMENCLATURA

Leia mais

OS JOVENS AGRICULTORES NO PRODER. Alguns Indicadores

OS JOVENS AGRICULTORES NO PRODER. Alguns Indicadores OS JOVENS AGRICULTORES NO PRODER Alguns Indicadores NOTA DE ABERTURA Este documento tem como objetivo a divulgação de um conjunto de indicadores relativos à Ação 1.1.3 - Instalação de Jovens Agricultores

Leia mais

movimentos migratórios regionais do interior português: quem saiu e quem entrou?

movimentos migratórios regionais do interior português: quem saiu e quem entrou? movimentos migratórios regionais do interior português: quem saiu e quem entrou? Ana Rita Jacinto Pedro Nogueira Ramos Resumo: Palavras-chave população Códigos JEL Abstract: Keywords JEL Codes 71 estudos

Leia mais

O Sector Cultural e Criativo em Portugal

O Sector Cultural e Criativo em Portugal O Sector Cultural e Criativo em Portugal Apresentação Pública do Estudo para o Ministério da Cultura / GPEARI Augusto Mateus 1 de Março de 2010 ÍNDICE Medir pela primeira vez a relevância da Cultura na

Leia mais

Teste Key for Schools Resultados 2014. Sumário Executivo

Teste Key for Schools Resultados 2014. Sumário Executivo Teste Key for Schools Resultados 2014 Sumário Executivo Página 1 de 14 Ficha Técnica SUMÁRIO EXECUTIVO Teste Key for Schools Resultados 2014 DIREÇÃO E COORDENAÇÃO Helder Sousa Sandra Pereira AUTORIA Helder

Leia mais

Evolução dos clientes de acesso móvel à Internet activos no período de reporte

Evolução dos clientes de acesso móvel à Internet activos no período de reporte 10 S E R V I Ç O T E L E F Ó N I C O M Ó V E L Tráfego de roaming in 2008 Var. Trimestral Var. Homóloga 2º Trim. (+/-) % (+/-) % Chamadas em roaming in 32 617 8 525 35,4% 1 646 5,3% Nº de minutos em roaming

Leia mais

RECENSEAMENTO ESCOLAR 06/07

RECENSEAMENTO ESCOLAR 06/07 RECENSEAMENTO ESCOLAR 06/07 Coordenação: Equipa Técnica: Alexandre Paredes Carlos Malaca Carmo Proença Céline Ambrósio Filomena Ramos Joaquim Santos José Rafael Manuela de Brito Nuno Cunha Piedade Galrito

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice Índice Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente de Origem e Principais Nacionalidades - Situação no fim do mês de Dezembro, de 2003 a 2009... 2 Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente

Leia mais

Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal

Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal Anuários Estatísticos Regionais 213 19 de dezembro de 214 Anuários Estatísticos Regionais Informação estatística à escala regional e municipal O INE divulga os Anuários Estatísticos Regionais, que constituem

Leia mais

Sociedade, Tecnologia e Ciência!

Sociedade, Tecnologia e Ciência! Sociedade, Tecnologia e Ciência! NG 6 - URBANISMO E MOBILIDADE! Mobilidades Locais e Globais Helder Alvalade! Objectivos!! conhecer os vários tipos de migrações;! identificar consequências demográficas,

Leia mais

Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde

Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde Programa Diz não a uma seringa em 2ª mão Carla Caldeira PTS/Programa Nacional para a Infeção VIH/sida Serviços Partilhados do Ministério da Saúde 21 novembro 2013 INTRODUÇÃO A Direção-Geral da Saúde/Programa

Leia mais

Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa

Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa 1 Jornada de Diplomacia Económica ISEG 5.12.2012 Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa jose.esperanca@iscte.pt 2 As línguas no mundo Ecologia da Língua (Calvet) 3 Hipercentral Inglês

Leia mais

Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo

Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo Tipos de migrações Causas e consequências Fluxos migratórios no mundo As migrações populacionais remontam aos tempos pré históricos. O homem parece estar constantemente à procura de novos horizontes. O

Leia mais

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2011

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2011 Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 20 de abril de 204 Em 20, o índice sintético de desenvolvimento regional de seis das 0 sub-regiões NUTS III situava-se acima da média nacional: a rande Lisboa,

Leia mais

COMPETITIVIDADE TERRITORIAL COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL

COMPETITIVIDADE TERRITORIAL COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL COMPETITIVIDADE TERRITORIAL E COESÃO ECONÓMICA E SOCIAL RELATÓRIO FINAL VOLUME 3 COMPETITIVIDADE, COESÃO E CONVERGÊNCIA: A ÓPTICA ESPECÍFICA DAS REGIÕES PORTUGUESAS REGIÃO DE LISBOA E VALE DO TEJO JULHO

Leia mais

Habitação em Portugal: evolução e tendências.

Habitação em Portugal: evolução e tendências. Habitação em Portugal: evolução e tendências João Branco Lisboa http://portugalfotografiaaerea.blogspot.pt/search/label/arcos%20de%20valdevez Sumário Introdução 1. Publicação 2. Estrutura e conteúdo da

Leia mais

EMPRESAS DO SETOR DA CONSTRUÇÃO ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA

EMPRESAS DO SETOR DA CONSTRUÇÃO ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA EMPRESAS DO SETOR DA CONSTRUÇÃO ANÁLISE ECONÓMICO-FINANCEIRA - Ano de 2010 - FICHA TÉCNICA Título: Empresas do Setor da Construção Análise Económico-Financeira Ano de 2010 Autoria: Henrique Graça Fernanda

Leia mais

Imigrantes em regiões de fronteira: um estudo exploratório sobre o caso da fronteira Luso/Espanhola 1

Imigrantes em regiões de fronteira: um estudo exploratório sobre o caso da fronteira Luso/Espanhola 1 Imigrantes em regiões de fronteira: um estudo exploratório sobre o caso da fronteira Luso/Espanhola 1 Conceição Rego (mcpr@uevora.pt) Departamento de Economia & CEFAGE-U.E. Universidade de Évora Maria

Leia mais

Revisão Intercalar do Plano Estratégico de Desenvolvimento de Vendas Novas PEDVN

Revisão Intercalar do Plano Estratégico de Desenvolvimento de Vendas Novas PEDVN Revisão ntercalar do Plano Estratégico de Desenvolvimento de Vendas Novas PEDVN O Ponto de partida Câmara Municipal de Vendas Novas Novembro de 2006 ALENTEJO CENTRAL - O PONTO DE PARTDA O no ranking da

Leia mais

Assunto: Auxílio estatal N 228/04 - Portugal Modificação do sistema de incentivos a produtos turísticos de vocação estratégica (SIVETUR).

Assunto: Auxílio estatal N 228/04 - Portugal Modificação do sistema de incentivos a produtos turísticos de vocação estratégica (SIVETUR). COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 26.07.2004 C (2004) 2950 Assunto: Auxílio estatal N 228/04 - Portugal Modificação do sistema de incentivos a produtos turísticos de vocação estratégica (SIVETUR). Excelência:

Leia mais

NATURALIDADE: Cubal Angola DATA DE NASCIMENTO: 27.02.1961. ESTADO CIVIL: Casado

NATURALIDADE: Cubal Angola DATA DE NASCIMENTO: 27.02.1961. ESTADO CIVIL: Casado NOME: José António van der Kellen NATURALIDADE: Cubal Angola DATA DE NASCIMENTO: 27.02.1961 ESTADO CIVIL: Casado MORADA PROFISSIONAL: Direcção Regional de Lisboa, Vale do Tejo e Alentejo Av. António Augusto

Leia mais

Relatório Técnico de Avaliação 1º Período de Candidaturas (3.Dez.07 a 3.Jan.08) Programa Porta 65 Jovem

Relatório Técnico de Avaliação 1º Período de Candidaturas (3.Dez.07 a 3.Jan.08) Programa Porta 65 Jovem Relatório Técnico de Avaliação 1º Período de Candidaturas (3.Dez.07 a 3.Jan.08) Programa Porta 65 Jovem 03 de Março de 2008 Ficha Técnica O presente relatório avalia o 1º período de candidaturas do programa

Leia mais

imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português

imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português imigração e comércio internacional no contexto da integração europeia o caso português Nuno Gonçalves Ana Paula Africano Resumo: Palavras-chave Códigos JEL Abstract: Keywords model. JEL Codes 41 estudos

Leia mais

Teste Key for Schools Resultados 2014. Sumário Executivo

Teste Key for Schools Resultados 2014. Sumário Executivo Teste Key for Schools Resultados 2014 Sumário Executivo Ficha Técnica SUMÁRIO EXECUTIVO Teste Key for Schools Resultados 2014 DIREÇÃO E COORDENAÇÃO Helder Sousa Sandra Pereira AUTORIA Helder Sousa João

Leia mais

VERSÃO 2. Prova Escrita de Geografia A. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 719/1.ª Fase EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO

VERSÃO 2. Prova Escrita de Geografia A. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 719/1.ª Fase EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Geografia A 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 719/1.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários

sobre o Número de Utentes Inscritos nos de Saúde Primários Título da Apresentação Publicação Periódica Dados Editoriais sobre o Número de Utentes Inscritos nos Dados Editoriais Dados Cuidados Editoriais de Saúde Primários 16 de fevereiro de 2015 Nota introdutória

Leia mais

EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, 43 1050-044 LISBOA www.edpdistribuicao.pt

EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, 43 1050-044 LISBOA www.edpdistribuicao.pt Este documento está preparado para impressão em frente e verso EDP Distribuição Energia, S.A. Rua Camilo Castelo Branco, 43 1050-044 LISBOA www.edpdistribuicao.pt Errata ao Relatório da Qualidade de Serviço

Leia mais

ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009

ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009 ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009 Entrada e Permanência I. FONTES OFICIAIS NACIONAIS... 3 Vistos de Estada Temporária (VET) e de Residência (VR), emitidos em 2009, por Tipo de Visto... 4 Vistos de Estada

Leia mais

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS

TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS TRÁFICO HUMANO E AS MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS MOVIMENTOS MIGRATÓRIOS INTERNACIONAIS 1. RAZÕES DAS MIGRAÇÕES FATORES ATRATIVOS X FATORES REPULSIVOS - CONDIÇÕES DE VIDA - OFERTAS DE EMPREGO - SEGURANÇA -

Leia mais

Escola EB, 2,3, DE Aranguez Ano lectivo de 2009/2010. Disciplina de Geografia 7ºano

Escola EB, 2,3, DE Aranguez Ano lectivo de 2009/2010. Disciplina de Geografia 7ºano Escola EB, 2,3, DE Aranguez Ano lectivo de 2009/2010 Disciplina de Geografia 7ºano Portugal Continental localiza-se no extremo Sudoeste da Europa, a Oeste do continente Asiático a Norte do continente

Leia mais

ARTIGO APRESENTADO NO VIII COLÓQUIO DA GEOGRAFIA PORTUGUESA E PUBLICADO NAS ATAS DO CONGRESSO OUTUBRO DE 2011

ARTIGO APRESENTADO NO VIII COLÓQUIO DA GEOGRAFIA PORTUGUESA E PUBLICADO NAS ATAS DO CONGRESSO OUTUBRO DE 2011 ARTIGO APRESENTADO NO VIII COLÓQUIO DA GEOGRAFIA PORTUGUESA E PUBLICADO NAS ATAS DO CONGRESSO OUTUBRO DE 2011 POLÍTICAS PÚBLICAS DE INOVAÇÃO EM PORTUGAL UMA ANÁLISE DO QREN Rui GAMA 1, Ricardo FERNANDES

Leia mais

para o desenvolvimento do turismo em portugal

para o desenvolvimento do turismo em portugal para o desenvolvimento do turismo em portugal Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P Coimbra, 9 abril 2015 1 Do plano de ação turismo 2020 ENQUADRAMENTO E OBJETIVOS TURISMO 2020: PROCESSO ABERTO E PARTICIPADO

Leia mais

Em 50 anos a percentagem de crianças na população residente caiu para cerca de metade

Em 50 anos a percentagem de crianças na população residente caiu para cerca de metade 30 de maio de 2014 Dia Mundial da Criança 1 1 de junho Em 50 anos a percentagem de crianças na população residente caiu para cerca de metade Em 50 anos a percentagem de crianças na população residente

Leia mais

CEGOT Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território, rgama@fl.uc.pt

CEGOT Centro de Estudos em Geografia e Ordenamento do Território, rgama@fl.uc.pt DINÂMICA EMPRESARIAL E INOVAÇÃO EM PORTUGAL: ANÁLISE DO COMMUNITY INNOVATION SURVEY 2008 Rui Gama 1 e Ricardo Fernandes 2 RESUMO Num contexto marcado, quer por rápidas mudanças tecnológicas e sociais quer

Leia mais

Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários

Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários Seminário Turismo 2020: Fundos Comunitários Plano de Ação para o Desenvolvimento do Turismo em Portugal 2014-2020 Braga, 15 de janeiro 2014 Nuno Fazenda Turismo de Portugal, I.P. TURISMO Importância económica

Leia mais

INTERREG V-A 2014-2020. Elena de Miguel Gago Diretora, Secretariado Conjunto 1

INTERREG V-A 2014-2020. Elena de Miguel Gago Diretora, Secretariado Conjunto 1 INTERREG V-A 2014-2020 BASES DA PRIMEIRA CONVOCATÓRIA Elena de Miguel Gago Diretora, Secretariado Conjunto 1 I. EIXOS E PRIORIDADES DE INVESTIMENTO As propostas deverão enquadrar-se numa das seguintes

Leia mais

Resultados definitivos. Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012

Resultados definitivos. Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012 Resultados definitivos Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012 Temas em Análise População Família Parque Habitacional 1 População 2 População Residente À data do momento censitário

Leia mais

A IMIGRAÇÃO AFRICANA EM PORTUGAL NOS ÚLTIMOS VINTE ANOS: OPORTUNIDADES E AMEAÇAS NO MERCADO DE TRABALHO

A IMIGRAÇÃO AFRICANA EM PORTUGAL NOS ÚLTIMOS VINTE ANOS: OPORTUNIDADES E AMEAÇAS NO MERCADO DE TRABALHO ÁREA TEMÁTICA: Migrações, Etnicidade e Racismo A IMIGRAÇÃO AFRICANA EM PORTUGAL NOS ÚLTIMOS VINTE ANOS: OPORTUNIDADES E AMEAÇAS NO MERCADO DE TRABALHO SANTOS, José Rebelo dos Doutoramento, Sociologia Universidade

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural Licença para Criar: Imigrantes nas Artes em Portugal Magda Nico, Natália Gomes, Rita Rosado e Sara Duarte Maio de 2007, Estudos OI 23 Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural (ACIDI)

Leia mais

CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS

CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS laboratório associado Encontro de Ciência em Portugal 12 e 13 de Abril de 2007 Fundação Calouste Gulbenkian Lisboa LINHAS ESTRATÉGICAS Boaventura de Sousa Santos Comunidade ces

Leia mais

ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE

ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE ENTIDADE REGULADORA DA SAÚDE ESTUDO PARA A CARTA HOSPITALAR ESPECIALIDADES DE MEDICINA INTERNA, CIRURGIA GERAL, NEUROLOGIA, PEDIATRIA, OBSTETRÍCIA E INFECCIOLOGIA 18 DE ABRIL DE 2012 R u a S. J o ã o d

Leia mais

Mobilidade e Território da Região de Lisboa e Vale do Tejo: Pistas para uma Análise Integrada

Mobilidade e Território da Região de Lisboa e Vale do Tejo: Pistas para uma Análise Integrada Mobilidade e Território da Região de Lisboa e Vale do Tejo: Pistas para uma Análise Integrada Mobilidade e Território da Região de Lisboa e Vale do Tejo: Pistas para uma Análise Integrada * Resumo A análise

Leia mais

Mapa de Vagas IM - 2011 A - FE

Mapa de Vagas IM - 2011 A - FE Mapa de IM - 2011 A - FE Anatomia Patológica Centro Hospitalar de São João, EPE 2 Centro Hospitalar de Trás os Montes e Alto Douro, EPE Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/Espinho, EPE 1 1 Centro Hospitalar

Leia mais

Jorge Sobrado, CCDR-N/ON.2

Jorge Sobrado, CCDR-N/ON.2 Jorge Sobrado, CCDR-N/ON.2 O ON.2_contexto ON.2_contexto ON.2_contexto O ON.2 representa 1/3 dos financiamentos do QREN aprovados na Região Norte itário (Milhões de Euros) 1800 1 600 1 400 1 200 1 000

Leia mais

Trends in International Migration: SOPEMI - 2004 Edition. Tendências da Migração Internacional: SOPEMI Edição 2004 INTRODUÇÃO GERAL

Trends in International Migration: SOPEMI - 2004 Edition. Tendências da Migração Internacional: SOPEMI Edição 2004 INTRODUÇÃO GERAL Trends in International Migration: SOPEMI - 2004 Edition Summary in Portuguese Tendências da Migração Internacional: SOPEMI Edição 2004 Sumário em Português INTRODUÇÃO GERAL De John P. Martin Diretor do

Leia mais

A expressão territorial dos destinos turísticos, da sustentabilidade demográfica e da produção industrial

A expressão territorial dos destinos turísticos, da sustentabilidade demográfica e da produção industrial Retrato Territorial de Portugal 2009 10 de Maio de 2011 A expressão territorial dos destinos turísticos, da sustentabilidade demográfica e da produção industrial O INE divulga a publicação do Retrato Territorial

Leia mais

Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo

Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo Lisboa 2020 Competitividade, Inovação e Cooperação: Estratégia para o Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo LISBOA DE GEOGRAFIA VARIÁVEL... Perspectiva administrativa: Área Metropolitana de

Leia mais

DIRETIVA BLUE CARD :: Fundação Evert Vermeer DIRETIVA BLUE CARD

DIRETIVA BLUE CARD :: Fundação Evert Vermeer DIRETIVA BLUE CARD DIRETIVA BLUE CARD :: Fundação Evert Vermeer DIRETIVA BLUE CARD Em Maio de 2009, os Estados-Membros da UE aprovaram a adopção de uma directiva referente à entrada e residência de migrantes no seio da União

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km As Regiões de - Região O Território Porquê o? Uma das maiores áreas territoriais de, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km Area (km 2 ): 21.286

Leia mais

A emigração portuguesa qualificada: êxodo ou diáspora?

A emigração portuguesa qualificada: êxodo ou diáspora? Projeto BRADRAMO Brain Drain and Academic Mobility from Portugal to Europe Instituto de Sociologia (IS/FL/UP) Centro de Investigação do Desporto e da Actividade Física (CIDAF) Centro de Investigação e

Leia mais

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL

MINISTÉRIO DO AMBIENTE, DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO E DO DESENVOLVIMENTO REGIONAL 7670 Diário da República, 1.ª série N.º 202 19 de Outubro de 2007 h) Garantir a gestão de serviços comuns no âmbito das aplicações cuja concretização esteja a cargo do II e promover a sua partilha e reutilização;

Leia mais

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004. Principais Resultados

Famílias. Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004. Principais Resultados Famílias Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação 2004 Principais Resultados NOTA METODOLÓGICA (SÍNTESE) O Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS NO CENTRO DE PORTUGAL QREN 2007-2013. (31 de dezembro de 2013)

POLÍTICAS PÚBLICAS NO CENTRO DE PORTUGAL QREN 2007-2013. (31 de dezembro de 2013) POLÍTICAS PÚBLICAS NO CENTRO DE PORTUGAL QREN 2007-2013 QREN 2007-2013 No período 2007-2013, são principalmente os instrumentos financeiros, Fundos Estruturais (FEDER Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

A aprendizagem da língua como patamar de acesso à nacionalidade

A aprendizagem da língua como patamar de acesso à nacionalidade A aprendizagem da língua como patamar de acesso à nacionalidade Área Temática Migrações, Etnicidades e Racismo Mesa: Percursos de Integração I Gabriela Semedo Estrutura da apresentação: 1. A língua como

Leia mais

CONTRIBUTOS dos IMIGRANTES na DEMOGRAFIA PORTUGUESA. O papel das populações de nacionalidade estrangeira

CONTRIBUTOS dos IMIGRANTES na DEMOGRAFIA PORTUGUESA. O papel das populações de nacionalidade estrangeira CONTRIBUTOS dos IMIGRANTES na DEMOGRAFIA PORTUGUESA O papel das populações de nacionalidade estrangeira Maria João Valente Rosa Hugo de Seabra Tiago Santos Lisboa, Outubro de 2003 Índice Apresentação...7

Leia mais

A Imigração em Portugal

A Imigração em Portugal Immigrant Language Learning A Imigração em Portugal Relatório síntese elaborado pela DeltaConsultores - Projecto financiado pela UE no âmbito do Programa Sócrates Luísa Falcão Lisboa, Fevereiro de 2002

Leia mais

Estudo Prospetivo do Mercado de Reabilitação Urbana e Guia de Boas Práticas

Estudo Prospetivo do Mercado de Reabilitação Urbana e Guia de Boas Práticas Estudo Prospetivo do Mercado de Reabilitação Urbana e Guia de Boas Práticas Isabel Breda Vázquez Paulo Conceição Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Porto 4.07.14 Estudo Prospetivo do Mercado

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Prova Escrita de Geografia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 719/1.ª Fase 16 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios)

CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios) 08 de novembro de 2011 Censos 2011 21 de março de 2011 CENSOS 2011: Parque habitacional (Resultados pré-provisórios) Dada a importância que o tema reveste, no quadro da preparação dos resultados provisórios

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS ASSIMETRIAS REGIONAIS

EVOLUÇÃO DAS ASSIMETRIAS REGIONAIS EVOLUÇÃO DAS ASSIMETRIAS REGIONAIS 1. INTRODUÇÃO Assiste-se hoje a uma mudança de paradigma das políticas regionais, a qual é fruto, por um lado, da globalização e da entrada no mercado mundial de novos

Leia mais

O SECTOR CULTURAL E CRIATIVO EM PORTUGAL. Sumário Executivo. Janeiro de 2010

O SECTOR CULTURAL E CRIATIVO EM PORTUGAL. Sumário Executivo. Janeiro de 2010 O SECTOR CULTURAL E CRIATIVO EM PORTUGAL Sumário Executivo Janeiro de 2010 Estudo desenvolvido para: Realizado por: O presente estudo baseia-se na construção de um modelo conceptual próprio para medir,

Leia mais

CONTRIBUTOS DOS IMIGRANTES NA DEMOGRAFIA PORTUGUESA

CONTRIBUTOS DOS IMIGRANTES NA DEMOGRAFIA PORTUGUESA CONTRIBUTOS DOS IMIGRANTES NA DEMOGRAFIA PORTUGUESA O PAPEL DAS POPULAÇÕES DE NACIONALIDADE ESTRANGEIRA M A R I A J O Ã O V A L E N T E R O S A H U G O D E S E A B R A T I A G O S A N T O S Lisboa, Outubro

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO

A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO A POSIÇÃO DE PORTUGAL NA EUROPA E NO MUNDO Portugal situa-se no extremo sudoeste da Europa e é constituído por: Portugal Continental ou Peninsular (Faixa Ocidental da Península Ibérica) Parte do território

Leia mais

A Política Regional Portuguesa e as Economias de Aglomeração

A Política Regional Portuguesa e as Economias de Aglomeração A Política Regional Portuguesa e as Economias de Aglomeração José Pedro Pontes Instituto Superior de Economia e Gestão, Rua Miguel Lupi, 20, 1249-078 Lisboa. Tel. 21 3925916. Fax 21 3922808. Email

Leia mais

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2009

Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2009 Índice Sintético de Desenvolvimento Regional 2009 10 de abril de 2012 Os resultados do índice global de desenvolvimento regional para 2009 evidenciam que quatro sub-regiões se situavam acima da média nacional:

Leia mais

Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007

Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007 Documentos indexados no ISI Web of Knowledge, 2000-2007 - Universidades do CRUP - Institutos Politécnicos públicos - Hospitais H. Nouws, J.T. Albergaria, E.S. Vieira, C. Delerue-Matos, J.A.N.F. Gomes Relatório

Leia mais

Preçário dos Cartões Telefónicos PT

Preçário dos Cartões Telefónicos PT Preçário dos Cartões Telefónicos PT Cartão Telefónico PT 5 e (Continente)... 2 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma dos Açores)... 6 Cartão Telefónico PT 5 e (Região Autónoma da Madeira)... 10 Cartão

Leia mais

Anuário da Comunicação 2006-2007

Anuário da Comunicação 2006-2007 Anuário da Comunicação 2006-2007 ISSN 2183-3478 Anuário da Comunicação 2006/2007 Este sétimo volume do Anuário da Comunicação congrega de forma centralizada um conjunto considerável de dados estatísticos

Leia mais