As Políticas de Divulgação e Internacionalização da Língua Portuguesa O Exemplo do Mercosul. Edgard Fernando Viana da Cruz

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "As Políticas de Divulgação e Internacionalização da Língua Portuguesa O Exemplo do Mercosul. Edgard Fernando Viana da Cruz"

Transcrição

1 As Políticas de Divulgação e Internacionalização da Língua Portuguesa O Exemplo do Mercosul Edgard Fernando Viana da Cruz Dissertação de Mestrado em Ensino do Português como Língua Segunda e Estrangeira Orientador: Prof.ª Dr.ª Ana Maria Mão de Ferro Martinho Carver Gale

2 Objetivo Analisar as políticas adotadas pelos países de língua portuguesa para divulgação e internacionalização do idioma, tendo como exemplo principal o Mercosul, e responder às seguintes questões: a) O que se tem feito e o que ainda falta fazer no processo de internacionalização da língua? b) As políticas adotadas são suficientes?

3 Relevância do Tema A língua Portuguesa, como língua de países de elevado potencial económico, requer uma política de língua consistente, unificada e aceite em todo o bloco lusófono para que possa ser partilhada como verdadeira língua de comunicação internacional. É necessária uma maior reflexão acerca do tema.

4 Metodologia Aplicada Pesquisa bibliográfica; Análise de documentos jurídicos (acordos firmados, legislação); Análise de informações institucionais (Instituto Camões; Centros de Estudos Brasileiros, entre outros).

5 Estrutura 1º Capítulo: Teorias de Política Linguística 2º Capítulo: A Língua Portuguesa 3º Capítulo: O Exemplo do Mercosul Conclusão

6 Política Linguística - Teoria Múltiplos Conceitos 1. A atividade de elaboração de uma norma ortográfica, de descrições gramaticais e de dicionários de uma língua, que orientem quem fala e escreve essa língua em comunidades linguisticamente diversificada. (Haugen) 2. Esforços deliberados para influenciar o comportamento dos outros, no que respeita a aquisição, estrutura, ou alocação funcional dos seus códigos de linguagem. (Cooper)

7 3. determinação das grandes decisões referentes às relações entre as línguas e sociedade e um conjunto de escolhas conscientes referentes às relações entre língua/vida social. (Calvet)

8 Políticas Linguísticas na UE Política centrada na promoção da aprendizagem das línguas oficiais e do multilinguismo. Teoria Prática: Inglês predomina Criação de vários programas ligados à educação: Erasmus, Língua, Socrates e Leonardo Da Vinci e o Grundtvig.

9 Língua Portuguesa no Mundo 80%

10 A LP está entre as 10 línguas mais faladas no mundo. Está presente nos quatro continentes e a língua mais falada no hemisfério sul. É a 6ª língua utilizada no mundo dos negócios. É Língua de trabalho de 8 organizações geopolíticas. E 5ª língua mais utilizada na internet; 3º lugar no Twitter e Facebook.

11 Políticas de Divulgação e Promoção da Língua Portuguesa No passado Portugal estava muito solitário nesta tarefa. Na Última década há uma multilateralização na promoção da língua Portugal cria o Instituto Camões principal órgão de ensino e difusão da língua portuguesa pelo mundo Criação da CPLP: aumentar a cooperação e o intercâmbio cultural entre os países membros.

12 1999 Fundação do Instituto Internacional da Língua Portuguesa (IILP) promoção e difusão da língua. 2001: Brasil e Portugal assinam acordo onde reconhecem a legitimidade dos dois países na gestão da língua.

13 Portugal e a Promoção da LP Em 1921: criação do 1º leitorado em França. Preocupação com a divulgação da cultura portuguesa. Nos anos 80 o modelo de ensino nos leitorados é repensado: maior ênfase ao ensino da língua. Em 1992 o IC é criado para gerir os leitorados e divulgar internacionalmente a língua portuguesa (parte integrante da política externa do Estado). O IC está presente em 73 países = alunos

14 Em 1999 é criado o CAPLE (Centro de Avaliação de Português Língua Estrangeira). Em 2008 é criado o Fundo da Língua Portuguesa.

15 Brasil e a Promoção da LP 1938 É criada a Divisão de Cooperação Intelectual do MRE É criado o Instituto Cultural Uruguaio- Brasileiro É criado o 1º leitorado brasileiro - atualmente existem 59 leitorados em 41 países Brasil cria o Celpe-Bras Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros.

16 2003: o Brasil cria a Divisão de Promoção da Língua Portuguesa (DPLP) do MRE, que coordena a Rede Brasileira de Ensino no Exterior (RBEx) Projeto de criação do Instituto Machado de Assis É inaugurado o Museu da Língua Portuguesa É criada a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira UNILAB.

17 Políticas Linguísticas do Mercosul Pressuposto de partida: Mercosul mescla de diferentes culturas. Preocupação com a melhoria da comunicação entre os países membros. Alteração na política de língua e ensino. Ensino do Português nas escolas oficiais de todos os países do Mercosul. Preocupação com o bilinguismo fronteiriço. Criação do Grupo de Trabalho sobre Políticas Linguísticas do Mercosul (GTPL).

18 Programa Escolas Bilingues de Fronteiras - Promoção do intercâmbio entre professores e alunos. 2006: Criação do Programa de Mobilidade Académica Regional em Cursos Acreditados (MARCA) A Argentina torna oficial o ensino do português em todas as escolas secundárias do país e nas fronteiras inclui as primárias.

19 Conclusão Nos últimos anos há um maior interesse pela divulgação e promoção da língua. Tem havido um esforço conjunto nesse sentido; entretanto, muitas barreiras ainda existem por ultrapassar. Faz-se necessário formar profissionais aptos a atender a demanda (professores de PLE, tradutores). Maior consciência dos nossos representantes políticos para utilizar a LP sempre que possível nas organizações internacionais.

20 O Brasil deveria repensar a questão do IMA, que conjuntamente com o IC seriam elementos propulsores da LP. Portugal deveria atuar junto às suas diásporas, atraindo a atenção dos luso-descendentes para a aprendizagem do português como língua de herança. O Brasil deve aproveitar o facto de organizar dois grandes eventos mundiais para atrair a atenção dos estrangeiros para a aprendizagem da LP.

21 Não basta que a língua seja imposta através de leis e resoluções, antes de mais é preciso que saibamos difundir no plano internacional os nossos valores, as nossas ideias, pois assim a LP terá seu lugar de destaque no mundo globalizado.

22 FIM

A internacionalização da língua portuguesa. Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning.

A internacionalização da língua portuguesa. Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning. A internacionalização da língua portuguesa Difusão da Língua Portuguesa em Ensino a Distância. Metodologias de e-learning. Mário Filipe O ensino de línguas de grande difusão global é hoje servido por várias

Leia mais

CPLP: Circulação de Pessoas, Bens, Capitais e Serviços. Prof. Doutor Esmeraldo de Azevedo Centro de Estudos Lusófonos

CPLP: Circulação de Pessoas, Bens, Capitais e Serviços. Prof. Doutor Esmeraldo de Azevedo Centro de Estudos Lusófonos Capitais e Serviços Prof. Doutor Esmeraldo de Azevedo Centro de Estudos Lusófonos 1. Como é do conhecimento, A CPLP apresenta-se como uma organização internacional, intergovernamental, caracterizada pela

Leia mais

POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Brasília, 25 de novembro de 2009 1 POLÍTICA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DE EDUCAÇÃO,

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos PORTUGUÊS PELO MUNDO: DA ÍNDIA AO BRASIL 217 Rafaela Pascoal Coelho (CEFET-MG) pascoal.rafaela@gmail.com Naveen Kumar Jha (CEFET-MG) Jerônimo Coura-Sobrinho (CEFET-MG) RESUMO O interesse pela língua portuguesa

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL - PIBELPE 2015-2016

RELATÓRIO GERENCIAL - PIBELPE 2015-2016 RELATÓRIO GERENCIAL - PIBELPE 2015-2016 Nº Coordenadores Título do Projeto Bolsista Resumo do Projeto 1 Ana Cristina Cunha da Silva Laboratório de Pronúncia de Língua Inglesa 01 Anexo 1 2 Andrea Cristina

Leia mais

Colóquio Internacional: A Internacionalização da Língua Portuguesa: Concepções e Ações

Colóquio Internacional: A Internacionalização da Língua Portuguesa: Concepções e Ações Colóquio Internacional: A Internacionalização da Língua Portuguesa: Concepções e Ações Florianópolis, 06 a 08 de março de 2013 Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) Centro de Comunicação e Expressão

Leia mais

I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE

I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE O I Seminário Internacional de Educação Superior na Comunidade de Países de Língua

Leia mais

Queres ir Estudar para outro Estado-Membro da União Europeia? Quais as Oportunidades? Quais os teus Direitos?

Queres ir Estudar para outro Estado-Membro da União Europeia? Quais as Oportunidades? Quais os teus Direitos? Queres ir Estudar para outro Estado-Membro da União Europeia? Quais as Oportunidades? Quais os teus Direitos? ESTUDAR noutro país da UE ESTUDAR noutro país da UE ESTUDAR noutro país da UE I. DIREITO DE

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS LÍNGUA DE HERANÇA (PROFPOLH) Miami 20 a 22 de abril de 2012

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS LÍNGUA DE HERANÇA (PROFPOLH) Miami 20 a 22 de abril de 2012 PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS LÍNGUA DE HERANÇA (PROFPOLH) Miami 20 a 22 de abril de 2012 JUSTIFICATIVA Os programas e ações do Departamento Cultural (DC) no âmbito da difusão

Leia mais

Plano de Ação de Brasília para a Promoção, a Difusão e a Projeção da Língua Portuguesa

Plano de Ação de Brasília para a Promoção, a Difusão e a Projeção da Língua Portuguesa Plano de Ação de Brasília para a Promoção, a Difusão e a Projeção da Língua Portuguesa I - Estratégias de implantação da língua portuguesa nas organizações internacionais O português é uma das seis línguas

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS

DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS VIII Jornada Científica REALITER Terminologia e Políticas linguísticas DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS Maria da Graça Krieger (kriegermg@gmail.com) Universidade do Vale

Leia mais

O PASSADO NO PRESENTE: HISTÓRIA DA PROMOÇÃO E DIFUSÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO EXTERIOR Diego Barbosa da Silva (UERJ) vsjd@uol.com.

O PASSADO NO PRESENTE: HISTÓRIA DA PROMOÇÃO E DIFUSÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO EXTERIOR Diego Barbosa da Silva (UERJ) vsjd@uol.com. O PASSADO NO PRESENTE: HISTÓRIA DA PROMOÇÃO E DIFUSÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA NO EXTERIOR Diego Barbosa da Silva (UERJ) vsjd@uol.com.br 1. Introdução Neste artigo propomos apresentar a história da promoção

Leia mais

O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão

O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão O ensino e a cooperação na investigação para o turismo entre os países lusófonos: uma reflexão Alexandre Panosso Netto Escola de Artes, Ciências e Humanidades Universidade de São Paulo Fábia Trentin Departamento

Leia mais

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA ENCONTRO DE JOVENS Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA Aveiro, 22 a 24 de Junho de UNIVERSIDADE DE AVEIRO Entidades Promotoras Parceiros Apoios O que é o Festival

Leia mais

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria, bolsista CAPES/REUNI. E-mail: sarita_mota@hotmail.com.

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria, bolsista CAPES/REUNI. E-mail: sarita_mota@hotmail.com. 1 Graduada em Letras pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e mestre em Letras pela mesma instituição. Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Letras da Universidade Federal de Santa Maria,

Leia mais

Eixos Domínios Intervenções

Eixos Domínios Intervenções I.1. Aprendizagem ligada ao Emprego e ao Empreendedorismo I.1.1. Consolidar o observatório da empregabilidade e inserção profissional dos diplomados I.1.2. Reforçar o IPBeja Empreendedorismo I.2.1. Criar

Leia mais

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA. Élcio Aloisio FRAGOSO 1

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA. Élcio Aloisio FRAGOSO 1 1 O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA Élcio Aloisio FRAGOSO 1 Resumo O novo acordo ortográfico já rendeu uma série de discussões sob pontos de vistas bem distintos. O acordo

Leia mais

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA ESTATUTO DA ASSEMBLEIA PARLAMENTAR DA COMUNIDADE DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA Nós, representantes democraticamente eleitos dos Parlamentos de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné- Bissau, Moçambique, Portugal,

Leia mais

RIPES Rede de Instituições Públicas de Educação Superior

RIPES Rede de Instituições Públicas de Educação Superior RIPES Rede de Instituições Públicas de Educação Superior De acordo com o Protocolo de Cooperação entre o governo da República Federativa do Brasil e a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP)

Leia mais

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007)

Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO. (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Palestra: A CPLP E A EDUCAÇÃO (Escola Stuart Carvalhais - 7 de Março de 2007) Excelentíssimos membros do Conselho Directivo, excelentíssimos professores, caríssimos alunos, É com enorme satisfação que

Leia mais

AFIRMAÇÃO CULTURAL E DE SOBERANIA:

AFIRMAÇÃO CULTURAL E DE SOBERANIA: AFIRMAÇÃO CULTURAL E DE SOBERANIA: A LÍNGUA PORTUGUESA NA ERA DIGITAL ÁGORA Ciência e Sociedade, ciclo de conferências Universidade de Lisboa Auditório do Instituto para a Investigação Interdisciplinar,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

Requisitos de Titulação Processo seletivo de Docentes, N.º 064/07/2011

Requisitos de Titulação Processo seletivo de Docentes, N.º 064/07/2011 Requisitos de Titulação Processo seletivo de Docentes, N.º 064/07/2011 1. Artes - (Base Nacional Comum/ Ensino Médio) Artes (LP) - qualquer linguagem Artes Cênicas (LP) Artes Plásticas (LP) Artes Plásticas

Leia mais

A atividade do Instituto Camões na Extremadura

A atividade do Instituto Camões na Extremadura A atividade do Instituto Camões na Extremadura Teresa Jorge Ferreira Leitora do Instituto Camões na Universidade da Extremadura tjorgeferreira@instituto-camoes.pt 122 P á g i n a I S S N : 1988-8430 Tejuelo,

Leia mais

LIVRO COM CASOS DE EMPREENDEDORISMO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL APELO A CONTRIBUIÇÕES

LIVRO COM CASOS DE EMPREENDEDORISMO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL APELO A CONTRIBUIÇÕES LIVRO COM CASOS DE EMPREENDEDORISMO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL APELO A CONTRIBUIÇÕES Setúbal, 13 de Maio de 2012 A Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Regional (APDR) e a Escola Superior de Ciências

Leia mais

Palavras-Chave: Política de Língua; Português; Internacionalização.

Palavras-Chave: Política de Língua; Português; Internacionalização. INTERNACIONALIZAÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA: UMA PERSPETIVA SOBRE O GLOBAL Mário FILIPE 1 RESUMO A internacionalização da Língua portuguesa deve ser entendida como um processo fundamentalmente político, conscientemente

Leia mais

1 Sistema Gráfico. Conteúdo do Plano de Implementação de Multiculturalismo da Cidade de Kakegawa. 4 Grandes Temas Medidas Básicas Especificação

1 Sistema Gráfico. Conteúdo do Plano de Implementação de Multiculturalismo da Cidade de Kakegawa. 4 Grandes Temas Medidas Básicas Especificação Capitulo 2 Conteúdo do Plano de Implementação de Multiculturalismo da Cidade de Kakegawa 1 Sistema Gráfico Princínpios Básicos 4 Grandes Temas Medidas Básicas Especificação da medida Ⅰ Apoio a comunicação

Leia mais

PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI

PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI PLANO DE AÇÃO PARA O DIÁLOGO E A COOPERAÇÃO EM CULTURA ENTRE BRASIL E URUGUAI Aos 26 dias do mês de julho de 2011, as autoridades de Cultura da República Federativa do Brasil e da República Oriental do

Leia mais

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP

V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP V Reunião de Ministros do Turismo da CPLP Intervenção do Secretário Executivo da CPLP Senhor Presidente, Senhores Ministros, Senhor Secretário de Estado do Turismo, Senhores Embaixadores Senhores Representantes

Leia mais

3ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Confiança e Compromisso nos Canais Digitais

3ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Confiança e Compromisso nos Canais Digitais 3ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Confiança e Compromisso nos Canais Digitais 29 de setembro de 2014 Auditório da BMAG Apoio Patrocinadores Globais APDSI Internet, Negócio e Redes Sociais

Leia mais

Educação Física Educação Física (LP) História Estudos Sociais com Habilitação em História (LP) Filosofia (LP) História (LP)

Educação Física Educação Física (LP) História Estudos Sociais com Habilitação em História (LP) Filosofia (LP) História (LP) Educação Física Educação Física (LP) História Estudos Sociais com Habilitação em História (LP) Filosofia (LP) História (LP) Língua Portuguesa e Literatura Letras com Habilitação em Lingua Portuguesa (LP)

Leia mais

Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG.

Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG. Apresentação: Competências da DCE; Atividades recentes: atuação digital e Ciência sem Fronteiras; PEC-G e PEC-PG. Competências da Divisão: Tratamento político dos temas educacionais nos fóruns multilaterais

Leia mais

ERASMUS+ (KA1) - AÇÃO-CHAVE 1

ERASMUS+ (KA1) - AÇÃO-CHAVE 1 ERASMUS+ (KA1) - AÇÃO-CHAVE 1 mobilidade para a aprendizagem - uma ponte para o futuro - 1. o que é o Erasmus+? ação-chave 1 mobilidade individual para fins de aprendizagem ação-chave 2 cooperação para

Leia mais

AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS

AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS AEDB CURSO DE ADMINISTRAÇÃO AULA 1 GESTÃO DE NEGÓCIOS INTERNACIONAIS * NEGÓCIOS INTERNACIONAIS: Definição: Por negócios internacionais entende-se todo negócio realizado além das fronteiras de um país.

Leia mais

O INSTITUTO POLITÉCNICO DE MACAU e os seus projectos no âmbito da Língua Portuguesa

O INSTITUTO POLITÉCNICO DE MACAU e os seus projectos no âmbito da Língua Portuguesa O INSTITUTO POLITÉCNICO DE MACAU e os seus projectos no âmbito da Língua Portuguesa Carlos Ascenso André Luciano Rodrigues de Almeida Vítor Silva Instituto Politécnico de Macau Obs. Macau não adoptou ainda

Leia mais

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais. Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal

Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais. Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil ǀ Minas Gerais Há mais de 16 anos estreitando laços entre Minas Gerais e Portugal A História e o papel da Câmara A Câmara Portuguesa de Comércio no Brasil - Minas

Leia mais

我 が 国 のアクション プラン ( 改 訂 版 )(ポルトガル 語 )

我 が 国 のアクション プラン ( 改 訂 版 )(ポルトガル 語 ) 我 が 国 のアクション プラン ( 改 訂 版 )(ポルトガル 語 ) Japão Plano de Ação do Japão para promoção e difusão da Língua Portuguesa como observador associado da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) 1. Os significados

Leia mais

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS

MINISTÉRIOS DAS FINANÇAS E DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Diário da República, 1.ª série N.º 118 20 de junho de 2012 3057 Designação dos cargos dirigentes ANEXO Mapa a que se refere o artigo 9.º Qualificação dos cargos dirigentes Grau Número de lugares Diretor

Leia mais

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04

Cadernos do CNLF, Vol. XIII, Nº 04 POR UMA POLÍTICA LINGUÍSTICA DA UNIÃO EUROPEIA? A QUESTÃO DO MULTILINGUISMO Diego Barbosa da Silva (UERJ) vsjd@uol.com.br Com o advento da globalização no século XX e da formação de blocos de países, num

Leia mais

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul

Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul Agrupamento de Escolas de S. Pedro do Sul 161780 Escola-sede: Escola Secundária de São Pedro do Sul INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO ANO LETIVO: 2014/2015 1 ª /

Leia mais

Necessidades linguísticas para as industrias da língua e para as profissões relacionadas com a língua

Necessidades linguísticas para as industrias da língua e para as profissões relacionadas com a língua DISSEMINAçÃO CAPITULO 1 Necessidades linguísticas para as industrias da língua e para as profissões relacionadas com a língua Este capítulo tem o objectivo de sintetizar conclusões de três anos de pesquisa

Leia mais

IC,IP EM NÚMEROS - 2010 REDE EXTERNA. Instituições com as quais o IC, IP coopera (ensino superior e organizações internacionais) 294

IC,IP EM NÚMEROS - 2010 REDE EXTERNA. Instituições com as quais o IC, IP coopera (ensino superior e organizações internacionais) 294 IC,IP EM NÚMEROS - 2010 REDE EXTERNA Países em que o IC,IP assegura o ensino da língua e da cultura portuguesas 73 Instituições com as quais o IC, IP coopera (ensino superior e organizações internacionais)

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5627/2015

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5627/2015 CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5627/2015 1. Aplicativos Informatizados () (EII) - Ênfase em Análise de Sistemas - Habilitação em de Empresas - Habilitação em Hoteleira - Habilitação

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Administração

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Administração Catálogo de Requisitos de Titulação Habilitação: 1-Aplicativos Informatizados (para a Habilitação ) (EII) - Ênfase em Análise de Sistemas - Habilitação em Hoteleira - Habilitação em Análise de Sistemas

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS LÍNGUA DE HERANÇA (PROFPOLH)

PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS LÍNGUA DE HERANÇA (PROFPOLH) PROGRAMA DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS LÍNGUA DE HERANÇA (PROFPOLH) JUSTIFICATIVA Consulado-Geral do Brasil em Washington D.C. 28 de outubro a 04 de novembro de 2011 Os programas e

Leia mais

Objetivos do Seminário:

Objetivos do Seminário: O Ano Internacional da Estatística -"Statistics2013"- é uma iniciativa à escala mundial que visa o reconhecimento da importância da Estatística nas sociedades. Com este objetivo o Conselho Superior de

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

CURSO CONTABILIDADE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES. www.etecfernandoprestes.com.br

CURSO CONTABILIDADE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES. www.etecfernandoprestes.com.br REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO PARA DOCENTES CURSO CONTABILIDADE CONTABILIDADE DO AGRONEGÓCIO CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA (EII) CONTABILIDADE PÚBLICA - Ênfase em Análise de Sistemas - Habilitação

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUAS COMO ESPAÇO PARA A DIFUSÃO DO PORTUGUÊS NO MUNDO: ESTRATÉGIAS E AÇÕES DE

O ENSINO DE LÍNGUAS COMO ESPAÇO PARA A DIFUSÃO DO PORTUGUÊS NO MUNDO: ESTRATÉGIAS E AÇÕES DE REVISTA 216 O ENSINO DE LÍNGUAS COMO ESPAÇO PARA A DIFUSÃO DO PORTUGUÊS NO MUNDO: ESTRATÉGIAS E AÇÕES DE POLÍTICAS LINGUÍSTICAS Isis Ribeiro Berger 1 RESUMO: Considerando a difusão da língua portuguesa

Leia mais

AO Mercado Comum do Sul (Mercosul) foi criado em 26 de março O PORTUGUÊS NO MERCOSUL 1. Mônica Maria Guimarães Savedra

AO Mercado Comum do Sul (Mercosul) foi criado em 26 de março O PORTUGUÊS NO MERCOSUL 1. Mônica Maria Guimarães Savedra Cadernos de Letras da UFF Dossiê: Difusão da língua portuguesa, n o 39, p. 175-184, 2009 175 O PORTUGUÊS NO MERCOSUL 1 Mônica Maria Guimarães Savedra RESUMO Este trabalho disserta sobre o status e o peso

Leia mais

CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL

CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL CLT.2002/WS/9 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL 2002 DECLARAÇÃO UNIVERSAL SOBRE A DIVERSIDADE CULTURAL A Conferência Geral, Reafirmando seu compromisso com a plena realização dos direitos

Leia mais

AÇÕES DE DIFUSÃO INTERNACIONAL DA LÍNGUA PORTUGUESA

AÇÕES DE DIFUSÃO INTERNACIONAL DA LÍNGUA PORTUGUESA AÇÕES DE DIFUSÃO INTERNACIONAL DA LÍNGUA PORTUGUESA Simone da Costa Carvalho 1 Margarete Schlatter 2 RESUMO: Situando a língua(gem) no centro da esfera produtiva, a Sociedade do Conhecimento (OLIVEIRA,

Leia mais

Guia Informativo. 8ª Edição do Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa (2015)

Guia Informativo. 8ª Edição do Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa (2015) Guia Informativo 8ª Edição do Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa (2015) Objectivo do Prémio: O Prémio Empreendedorismo Inovador na Diáspora Portuguesa tem como objectivo central o

Leia mais

Erasmus+ Apoio linguístico online. Tire o máximo partido da sua experiência Erasmus+!

Erasmus+ Apoio linguístico online. Tire o máximo partido da sua experiência Erasmus+! Erasmus+ Apoio linguístico online Tire o máximo partido da sua experiência Erasmus+! Erasmus+: mudar vidas, abrir mentes O Erasmus+ visa promover as competências e a empregabilidade, bem como modernizar

Leia mais

PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO

PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO PUCPR IDIOMAS CURSOS REGULARES 1º SEMESTRE/2016 ENSALAMENTO INGLÊS Sala Língua Inglesa Iniciante A Língua Inglesa Iniciante B e 20h30 Língua Inglesa Elementar I A Língua Inglesa Elementar I B Língua Inglesa

Leia mais

Jornal Oficial das Comunidades Europeias. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade)

Jornal Oficial das Comunidades Europeias. (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) L 28/1 I (Actos cuja publicação é uma condição da sua aplicabilidade) DECISÃO N. o 253/2000/CE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 24 de Janeiro de 2000 que cria a segunda fase do programa de acção

Leia mais

Gestão Financeira e Econômica (Administração); Gestão Empresarial (Administração);

Gestão Financeira e Econômica (Administração); Gestão Empresarial (Administração); Gestão Financeira e Econômica (); - Habilitação em Gestão da Informação - Ênfase em Análise de Sistemas - Habilitação em de Empresas - Habilitação em Geral - Habilitação em Agronegócios - Habilitação em

Leia mais

ETEC Doutora Ruth Cardoso São Vicente

ETEC Doutora Ruth Cardoso São Vicente ETEC Doutora Ruth Cardoso São Vicente AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO, PARA A CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO,

Leia mais

PROJETO VITRINE. Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com

PROJETO VITRINE. Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com PROJETO VITRINE Raquel Carvalho Gravina Universidade Federal de Juiz de Fora - NIDEEM/UFJF raquelcgravina@hotmail.com Amarildo Melchiades da Silva Universidade Federal de Juiz de Fora - UFJF xamcoelho@terra.com.br

Leia mais

Comunicações e Informações

Comunicações e Informações Jornal Oficial da União Europeia C 249 A Edição em língua portuguesa Comunicações e Informações 58. o ano 30 de julho de 2015 Índice V Avisos PROCEDIMENTOS ADMINISTRATIVOS Serviço Europeu de Seleção do

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5628/2015

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5628/2015 CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5628/2015 1. Biologia (Base Nacional Comum Ensino Médio; Automação Industrial Integrado ao Ensino Médio) Biologia (LP) Ciências Biológicas (LP) Ciências

Leia mais

ERASMUS+ MOBILIDADE TRANSNACIONAL, E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o FACTOR DE EMPREGABILIDADE

ERASMUS+ MOBILIDADE TRANSNACIONAL, E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o FACTOR DE EMPREGABILIDADE ERASMUS+ E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o MOBILIDADE TRANSNACIONAL, FACTOR DE EMPREGABILIDADE APG II CONGRESSO NACIONAL DO EMPREGO UNIVERSIDADE LUSÓFONA 30 DE SETEMBRO DE 2014 O projeto Europeu tem vindo

Leia mais

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO 1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO A actual transformação do mundo confere a cada um de nós professores, o dever de preparar os nossos alunos, proporcionando-lhes as qualificações básicas necessárias a indivíduos

Leia mais

A ESCOLHA DAS LÍNGUAS OFICIAIS DO MERCOSUL: HEGEMONIA E SILENCIAMENTO 1

A ESCOLHA DAS LÍNGUAS OFICIAIS DO MERCOSUL: HEGEMONIA E SILENCIAMENTO 1 A ESCOLHA DAS LÍNGUAS OFICIAIS DO MERCOSUL: HEGEMONIA E SILENCIAMENTO 1 Daiana Marques Sobrosa 2 1. Introdução Em 26 de março de 1991, Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai assinaram o Tratado de Assunção

Leia mais

Duplo-Diploma na Área das Engenharias

Duplo-Diploma na Área das Engenharias Duplo-Diploma na Área das Engenharias Prof. Dr. Ricardo M. Naveiro Coordenador de Relações Internacionais Escola Politécnica da UFRJ Memórias do passado Sumário Cenário econômico mundial Histórico dos

Leia mais

Agenda Internacional 2009

Agenda Internacional 2009 Agenda Internacional 2009 CNI: estratégia institucional Visão Estratégica Mapa Estratégico Uma visão sobre o futuro do país e da indústria (2007-2015) Identifica prioridades estratégicas Participação de

Leia mais

A Língua Portuguesa em África: perspectivas presentes e futuras

A Língua Portuguesa em África: perspectivas presentes e futuras A Língua Portuguesa em África: perspectivas presentes e futuras Este breve texto é uma proposta de reflexão acerca de algumas das questões que, em meu entender, merecem destaque na situação actual do desenvolvimento

Leia mais

Projeto PAI Pensamento Ação Inteligência

Projeto PAI Pensamento Ação Inteligência Projeto PAI Pensamento Ação Inteligência Da Educação Infantil ao Ensino Fundamental DESAFIOS: I. Desenvolver habilidades e competências que estão na base de toda aprendizagem, considerando três campos

Leia mais

Tecnologia da Linguagem Humana

Tecnologia da Linguagem Humana Tecnologia da Linguagem Humana e o processamento computacional da língua portuguesa António Branco 1 1. Que é a tecnologia da linguagem? 2. Como está 3. Como avançar 2 Tecnologia da linguagem Da forma

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Marketing

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Marketing Habilitação: Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt Financeira (EII) - Ênfase em Análise de

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Finanças

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Finanças Habilitação: Finanças Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt Finanças Análise de Crédito, Financiamento

Leia mais

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010.

OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Resenha OLIVEIRA, Luciano Amaral. Coisas que todo professor de português precisa saber: a teoria na prática. São Paulo: 184 Parábola Editorial, 2010. Leticia Macedo Kaeser * leletrasufjf@gmail.com * Aluna

Leia mais

OFERTA FORMATIVA CERTIFICADA

OFERTA FORMATIVA CERTIFICADA OFERTA FORMATIVA CERTIFICADA 2015 SABER A O SEGUNDO Ginásios da Educação Da Vinci Vila Franca de Xira Rua Sacadura Cabral nº39 VFX Tel. 263 270 492 Tlm. 915 702 691 915 709 204 geral@saberaosegundo.pt

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Recursos Humanos

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Recursos Humanos Habilitação: Recursos Humanos Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt Recursos Humanos Aplicativos

Leia mais

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES

Universidades. Já há mais. superioresem Portugal que são dados. de 170 cursos. só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades Já há mais de 170 cursos superioresem Portugal que são dados só em inglês ATUALPÁGS.4ES Universidades portuguesas já têm mais de 1 70 cursos em inglês Internacionalização. Atrair novos estudantes

Leia mais

Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa

Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa 1 Jornada de Diplomacia Económica ISEG 5.12.2012 Dinâmicas de rede e valor económico da língua portuguesa jose.esperanca@iscte.pt 2 As línguas no mundo Ecologia da Língua (Calvet) 3 Hipercentral Inglês

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica

Ministério da Educação Secretaria de Educação Básica TERMO DE REFERÊNCIA 1 OBJETO Contratação de empresa especializada na execução da formação dos professores e equipe gestora, planejamento, acompanhamento e avaliação das aulas e diagnóstico sociolingüístico

Leia mais

Ciências, Tecnologia e Indústria na OCDE: Perspectivas 2006

Ciências, Tecnologia e Indústria na OCDE: Perspectivas 2006 OECD Science, Technology and Industry: Outlook 2006 Summary in Portuguese Ciências, Tecnologia e Indústria na OCDE: Perspectivas 2006 Sumário em Português SUMÁRIO EXECUTIVO Perspectivas mais evidentes

Leia mais

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido.

Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Realização de rodas de conversa e de troca de conhecimento para intercâmbio do que foi desenvolvido e produzido. Criar novos mecanismos de intercâmbio e fortalecer os programas de intercâmbio já existentes,

Leia mais

CHAMADO À AÇÃO DE TORONTO

CHAMADO À AÇÃO DE TORONTO Organização Pan-Americana da Saúde Ministério da Saúde CHAMADO À AÇÃO DE TORONTO 2006-2015 Rumo a uma Década de Recursos Humanos em Saúde nas américas Reunião Regional dos Observatórios de Recursos Humanos

Leia mais

Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1

Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1 Etapas para a aplicação de cursos de PLE (geral e para fins específicos): reflectir para agir! 1 Ana Rita Bernardo Leitão Mestre em Língua e Cultura Portuguesa, área de PLE/L2 Cientes do apelo que se impõe

Leia mais

FAC PERGUNTAS FREQUENTES

FAC PERGUNTAS FREQUENTES FAC PERGUNTAS FREQUENTES Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico Divisão de Temas Educacionais (DCE) Departamento Cultural

Leia mais

PRIMEIRA CIRCULAR. Apresentação

PRIMEIRA CIRCULAR. Apresentação PRIMEIRA CIRCULAR Apresentação Contemporaneamente, refletir sobre o ensino e a formação de professores de português LE/L2 obriga a pesquisadores, professores, estudantes, gestores e demais profissionais

Leia mais

Guia do Estudante 2013/2014 Dossier de Informação ECTS

Guia do Estudante 2013/2014 Dossier de Informação ECTS Guia do Estudante 2013/2014 Dossier de Informação ECTS MOBILIDADE PROGRAMA APRENDIZAGEM AO LONGO DA VIDA - 2007-2013 O Programa Aprendizagem ao Longo da Vida (PALV) substitui o anterior Programa SOCRATES.

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS

CATÁLOGO DE REQUISITOS CATÁLOGO DE REQUISITOS Biologia (Base Nacional Comum) Biologia (LP) Ciências Biológicas (LP) Ciências com Habilitação em Biologia (LP) Ciências da Natureza (LP) Ciências da Natureza com Habilitação em

Leia mais

PORTUGUÊS E ESPANHOL AO SUL DAS AMÉRICAS

PORTUGUÊS E ESPANHOL AO SUL DAS AMÉRICAS VII COLÓQUIO PELSE (AUGM) PORTUGUÊS E ESPANHOL LÍNGUAS SEGUNDAS E ESTRANGEIRAS II ENPORTU - ENCONTRO DE PROFESSORES DE PORTUGUÊS LÍNGUA ESTRANGEIRA DO URUGUAI II EUPELE - ENCUENTRO URUGUAYO DE PROFESORES

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PROJETO PEDAGÓGICO DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO APRESENTAÇÃO O Projeto Político Pedagógico da Escola foi elaborado com a participação da comunidade escolar, professores e funcionários, voltada para a

Leia mais

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010)

EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010) EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LETRAS INGLÊS E LITERATURAS DE LÍNGUA INGLESA (Currículo iniciado em 2010) COMPREENSÃO E PRODUÇÃO ORAL EM LÍNGUA INGLESA I C/H 102 (2358) intermediário de proficiência

Leia mais

IDENTIDADE LINGUISTICA E PLANEJAMENTO DE ATIVIDADES

IDENTIDADE LINGUISTICA E PLANEJAMENTO DE ATIVIDADES II Conferência Internacional sobre o futuro da Língua Portuguesa no sistema mundial Mesa-redonda sobre o Museu da Língua Portuguesa de São Paulo IDENTIDADE LINGUISTICA E PLANEJAMENTO DE ATIVIDADES Ataliba

Leia mais

TESTEMUNHOS SUMÁRIO. de Voluntários destacam importância da ajuda ao Próximo. Boletim Informativo n.º 24. Setembro 2011

TESTEMUNHOS SUMÁRIO. de Voluntários destacam importância da ajuda ao Próximo. Boletim Informativo n.º 24. Setembro 2011 Boletim Informativo n.º 24 Setembro 2011 SUMÁRIO TESTEMUNHOS de Voluntários destacam importância da ajuda ao Próximo Pequenas histórias de pessoas comuns que fazem coisas extraordinárias em prol dos outros,

Leia mais

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrados ENSINO PÚBLICO 1-ISCTE Instituto Universitário de Lisboa *Mestrado em Ciência Política O mestrado em Ciência Política tem a duração de dois anos, correspondentes à obtenção 120 créditos ECTS,

Leia mais

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian)

REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian) REQUERIMENTO DE INFORMAÇÃO Nº, DE 2012. (Do Sr. Stepan Nercessian) Senhor Presidente: Requer informações ao Ministro da Educação sobre quais as medidas que estão sendo desenvolvidas pela COLIP (Comissão

Leia mais

Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM. E agora José?

Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM. E agora José? Prof. Daniel Santos Redação RECEITA PARA DISSERTAÇÃO ARGUMENTAÇÃO ESCRITA - ENEM E agora José? Respondam Rápido: O que encanta um homem? O que encanta uma mulher? E o que ENCANTA um corretor do ENEM?

Leia mais

Formação Acadêmica necessária por componente

Formação Acadêmica necessária por componente 1.Prática Trabalhista e Previdenciária Contabilidade (EII) Direito 2.Contabilidade Governamental Contabilidade (EII) 3.Química Analítica Ciências com Habilitação em Química Ciências com habilitação em

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: políticas lingüísticas; língua portuguesa; embaixadas brasileiras

PALAVRAS-CHAVE: políticas lingüísticas; língua portuguesa; embaixadas brasileiras RESUMO POLÍTICAS DE DIVULGAÇÃO DA LÍNGUA PORTUGUESA EM EMBAIXADAS BRASILEIRAS Regina Cláudia PINHEIRO 1 Maria Erotildes Moreira e SILVA 2 LÍNGUA-MAR A língua em que navego, marinheiro, na proa das vogais

Leia mais

Leitorados e outras questões

Leitorados e outras questões Leitorados e outras questões José Manuel da Costa Esteves Cátedra Lindley Cintra Universidade Paris Ouest Nanterre La Défense (Artigo publicado in : Uma Política de Língua Para o Português, (Actas do Curso

Leia mais

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa

Mestrados ENSINO PÚBLICO. 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrados ENSINO PÚBLICO 1. ISCTE Instituto Universitário de Lisboa Mestrado em Ciência Política O mestrado em Ciência Política tem a duração de dois anos, correspondentes à obtenção 120 créditos ECTS,

Leia mais