de Investimento em Angola e Cabo Verde

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "de Investimento em Angola e Cabo Verde"

Transcrição

1 Conferência Client Perspectivas name appearse Oportunidades here de Investimento em Angola e Cabo Verde PwC

2 Conferência Estruturas de Investimento: Cabo Verde Leendert Verschoor

3 Agenda Introdução 1 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo 2 Tributação em Cabo Verde 3 Estruturas de investimento

4 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo

5 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Informação global* Cabo Verde 2010 População 18,5M Capital Língua Oficial Unidade monetária Euro (Paridade) Luanda (4,5M habitantes) Português Kwanza de Angola (AOA) 1 EUR = 128,536 AOA * Fontes: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), Banco de Cabo Verde

6 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Informação global* Cabo Verde 2010 População Capital Língua Oficial Unidade monetária Euro (Paridade) 518m Luanda (4,5M habitantes) Português Kwanza de Angola (AOA) 1 EUR = 128,536 AOA * Fontes: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), Banco de Cabo Verde

7 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Informação global* Cabo Verde 2010 População Capital Língua Oficial Unidade monetária Euro (Paridade) 518m Praia (125,000 habitantes) Português Kwanza de Angola (AOA) 1 EUR = 128,536 AOA * Fontes: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), Banco de Cabo Verde

8 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Informação global* Cabo Verde 2010 População Capital Língua Oficial Unidade monetária Euro (Paridade) 518m Praia (125,000 habitantes) Português Kwanza de Angola (AOA) 1 EUR = 128,536 AOA * Fontes: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), Banco de Cabo Verde

9 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Informação global* Cabo Verde 2010 População Capital Língua Oficial Unidade monetária Euro (Paridade) 518m Praia (125,000 habitantes) Português Escudo de Cabo Verde (CVE) 1 EUR = 128,536 AOA * Fontes: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), Banco de Cabo Verde

10 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Informação global* Cabo Verde 2010 População Capital Língua Oficial Unidade monetária Euro (Paridade Fixa) 518m Praia (125,000 habitantes) Português Escudo de Cabo Verde (CVE) 1 EUR = 110,265 CVE * Fontes: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), Banco de Cabo Verde

11 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Informação global* Cabo Verde 2010 População Capital Língua Oficial Unidade monetária Euro (Paridade Fixa) 518m Praia (125,000 habitantes) Português Escudo de Cabo Verde (CVE) 1 EUR = 110,265 CVE OMC 153º Estado Membro (desde 2008) * Fontes: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), Banco de Cabo Verde

12 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Informação global* Cabo Verde 2010 População Capital Língua Oficial Unidade monetária Euro (Paridade Fixa) 518m Praia (125,000 habitantes) Português Escudo de Cabo Verde (CVE) 1 EUR = 110,265 CVE OMC 153º Estado Membro (desde 2008) Parcerias especiais União Europeia (2007), CEDEAO * Fontes: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), Banco de Cabo Verde

13 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Evolução da economia de Cabo Verde* PIB per capita (USD) 4,000 3,500 3,000 2,500 2,000 1,500 1, * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC

14 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Evolução da economia de Cabo Verde* PIB (crescimento real em %) * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC

15 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Evolução da economia de Cabo Verde* Consumo privado (variação em %) * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC

16 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Evolução da economia de Cabo Verde* Consumo público (variação em %) * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC

17 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Evolução da economia de Cabo Verde* Investimento estrangeiro em Cabo Verde (USD 6 ) * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC

18 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Evolução da economia de Cabo Verde* Taxa de inflação * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC

19 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Facilidade em Fazer Negócio: 146ª posição em 2009 * * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

20 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Facilidade em Fazer Negócio: 146ª posição em 2009 * Critérios Abertura de empresas Obtenção de alvarás de construção Contratação de funcionários Obtenção de crédito Protecção de investidores Pagamento de impostos * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC Cumprimento de contratos Encerramento de empresas * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

21 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Facilidade em Fazer Negócio: 146ª posição em 2009 * Critérios Abertura de empresas Obtenção de alvarás de construção Contratação de funcionários Obtenção de crédito Protecção de investidores Pagamento de impostos * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC Cumprimento de contratos Encerramento de empresas * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

22 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Facilidade em Fazer Negócio: 146ª posição em 2009 * Critérios Abertura de empresas Obtenção de alvarás de construção Contratação de funcionários Obtenção de crédito Protecção de investidores Pagamento de impostos * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC Cumprimento de contratos Encerramento de empresas * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

23 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Facilidade em Fazer Negócio: 146ª posição em 2009 * Critérios Abertura de empresas Obtenção de alvarás de construção Contratação de funcionários Obtenção de crédito Protecção de investidores Pagamento de impostos * Fonte: Aicep, The Economist Intelligence Unit (EIU), COSEC Cumprimento de contratos Encerramento de empresas * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

24 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Estruturas das exportações portuguesas para Cabo Verde* Plásticos e borracha 5,1% Veículos e outro mat. transporte 5,4% Outros produtos 16,9% Produtos químicos 7,2% Produtos agrícolas 8,3% Máquinas e aparelhos 21,2% Metais comuns 11,7% Produtos Alimentares 12,2% Minerais e minérios 11,9% * Fonte: INE

25 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Estruturas das exportações portuguesas para Cabo Verde* Plásticos e borracha 5,1% Veículos e outro mat. transporte 5,4% Outros produtos 16,9% Produtos químicos 7,2% Produtos agrícolas 8,3% Máquinas e aparelhos 21,2% Metais comuns 11,7% Produtos Alimentares 12,2% Minerais e minérios 11,9% * Fonte: INE

26 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Principais Áreas de Oportunidade* Bebidas Mobiliário Equipamento para hotelaria e restauração Produtos alimentares Máquinas e ferramentas para a construção Exportação Produtos farmacêuticos Electrodomésticos Materiais de construção Máquinas e aparelhos diversos * Fonte: AICEP

27 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Principais Áreas de Oportunidade* Energia Transportes Infra-estruturas rodoviárias Águas e saneamento Serviços empresariais Construção e Serviços Infra-estruturas portuárias Habitação Serviços Turísticos Educação e formação profissional * Fonte: AICEP

28 Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo Principais Áreas de Oportunidade* Transportes Turismo e hotelaria Indústria voltada para a exportação Investimento Educação e formação profissional Pescas e transformação do pescado Serviços empresariais * Fonte: AICEP

29 Tributação em Cabo Verde

30 Tributação em Cabo Verde Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo (cont.) Pagamento de Impostos: 110ª posição* * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

31 Tributação em Cabo Verde Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo (cont.) Pagamento de Impostos: 110ª posição* País Portugal Moçambique Cabo Verde Guiné-Bissau Angola Brasil São Tomé e Príncipe * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

32 Tributação em Cabo Verde Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo (cont.) Pagamento de Impostos: 110ª posição* País Portugal Moçambique Cabo Verde Guiné-Bissau Angola Brasil São Tomé e Príncipe * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

33 Tributação em Cabo Verde Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo (cont.) Pagamento de Impostos: 110ª posição* País Portugal Moçambique Cabo Verde Guiné-Bissau Angola Brasil São Tomé e Príncipe * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

34 Tributação em Cabo Verde Ficha de Cabo Verde: indicadores de relevo (cont.) Pagamento de Impostos: 110ª posição* País Portugal Moçambique Cabo Verde Guiné-Bissau Angola Brasil São Tomé e Príncipe * Fonte: World Bank Doing Business 2009 e 2010

35 Tributação em Cabo Verde Principais Impostos

36 Tributação em Cabo Verde Principais Impostos Imposto Taxa Imposto Industrial 35% Imposto de Consumo até 30% Impostos Aduaneiros até 30% Imposto Predial Urbano 30% Sisa 10% Imposto de Selo 0,5% - 1%

37 Tributação em Cabo Verde Principais Impostos Imposto Taxa IUR Pessoas Colectivas 25% / 15% Imposto de Consumo até 30% Impostos Aduaneiros até 30% Imposto Predial Urbano 30% Sisa 10% Imposto de Selo 0,5% - 1%

38 Tributação em Cabo Verde Principais Impostos Imposto Taxa IUR Pessoas Colectivas 25% / 15% Taxa de incêndio 2% Impostos Aduaneiros até 30% Imposto Predial Urbano 30% Sisa 10% Imposto de Selo 0,5% - 1%

39 Tributação em Cabo Verde Principais Impostos Imposto Taxa IUR Pessoas Colectivas 25% / 15% Taxa de incêndio 2% IUR Pessoas Singulares até 35% Imposto Predial Urbano 30% Sisa 10% Imposto de Selo 0,5% - 1%

40 Tributação em Cabo Verde Principais Impostos Imposto Taxa IUR Pessoas Colectivas 25% / 15% Taxa de incêndio 2% IUR Pessoas Singulares até 35% Imposto sobre o Valor Acrescentado 15% / 6% Sisa 10% Imposto de Selo 0,5% - 1%

41 Tributação em Cabo Verde Principais Impostos Imposto Taxa IUR Pessoas Colectivas 25% / 15% Taxa de incêndio 2% IUR Pessoas Singulares até 35% Imposto sobre o Valor Acrescentado 15% / 6% Imposto Único sobre o Património 3% Imposto de Selo 0,5% - 1%

42 Tributação em Cabo Verde Principais Impostos Imposto Taxa IUR Pessoas Colectivas 25% / 15% Taxa de incêndio 2% IUR Pessoas Singulares até 35% Imposto sobre o Valor Acrescentado 15% / 6% Imposto Único sobre o Património 3% Imposto de Selo 0,5% - 15%

43 Tributação em Cabo Verde Novos Códigos a partir de 2011 Principais Alterações

44 Tributação em Cabo Verde Novos Códigos a partir de 2011 Principais Alterações Tributação rendimento global

45 Tributação em Cabo Verde Novos Códigos a partir de 2011 Principais Alterações Tributação rendimento global Definições de Estabelecimento Estável

46 Tributação em Cabo Verde Novos Códigos a partir de 2011 Principais Alterações Tributação rendimento global Definições de Estabelecimento Estável Tributação mais-valias e dividendos

47 Tributação em Cabo Verde Novos Códigos a partir de 2011 Principais Alterações Tributação rendimento global Definições de Estabelecimento Estável Tributação mais-valias e dividendos Preços de transferência

48 Tributação em Cabo Verde Novos Códigos a partir de 2011 Principais Alterações Tributação rendimento global Definições de Estabelecimento Estável Tributação mais-valias e dividendos Preços de transferência Fusões / Cisões / permuta de acções

49 Tributação em Cabo Verde Novos Códigos a partir de 2011 Principais Alterações Tributação rendimento global Definições de Estabelecimento Estável Tributação mais-valias e dividendos Preços de transferência Fusões / Cisões / permuta de acções Grupo de sociedades

50 Tributação em Cabo Verde Novos Códigos a partir de 2011 Principais Alterações Tributação rendimento global Definições de Estabelecimento Estável Tributação mais-valias e dividendos Preços de transferência Fusões / Cisões / permuta de acções Grupo de sociedades Regras CFC / subcapitalização

51 Tributação em Cabo Verde Pagamentos a não residentes

52 Tributação em Cabo Verde Pagamentos a não residentes

53 Tributação em Cabo Verde Pagamentos a não residentes Cabo Verde

54 Tributação em Cabo Verde Pagamentos a não residentes Rendimento Rendimento Cabo Verde Cabo Portugal Verde CDT Dividendos Dividendos - 20% - 10% Cabo Verde Juros Juros 20% 20% 10% Prestações de serviços Prestações de 20% 20% 15% 10% serviços em geral Royalties 20% 20% 15% 10%

55 Tributação em Cabo Verde Incentivos ao investimento: Isenções Estuto Industrial Estatuto de Empresa Franca Cabo Verde Estatuto de Utilidade Turística Estatuto de Investidor Externo

56 Tributação em Cabo Verde Incentivos ao investimento: Isenções Cabo Verde Estatuto Industrial Isenção de IUR 3 anos Dedução à matéria colectável de lucros reinvestidos Isenção de direitos aduaneiros na importação de alguns bens de equipamento e materiais Livre exportação de produtos

57 Tributação em Cabo Verde Incentivos ao investimento: Isenções Cabo Verde Estatuto de Empresa Franca Isenção total de IUR primeiros 10 anos Isenção de IUR (lucros e dividendos) - primeiros10 anos Taxa 15% após período de isenção Isenção de IVA na exportação de bens Isenção de total de imposto de selo Isenção de direitos aduaneiros na instalação, ampliação ou renovação dos estabelecimentos Extensão de benefícios em caso de reinvestimento

58 Tributação em Cabo Verde Incentivos ao investimento: Isenções Cabo Verde Estatuto de Utilidade Turística Isenção total de IUR primeiros 5 anos Isenção de IUR em 50% - 10 anos seguintes Isenção de IUP Isenção de direitos aduaneiros na importação de materiais destinados à construção e exploração de hotéis e estabelecimentos turísticos

59 Tributação em Cabo Verde Incentivos ao investimento: Isenções Cabo Verde Estatuto Investidor Externo Isenção IUR (dividendos) 5 anos e/ou sempre que reinvestidos Isenção de tributação de juros Estabilização do regime fiscal 10% Livre transferência de dividendos para accionistas/sócios Protecção de bens e direitos inerentes ao investimento externo

60 Tributação em Cabo Verde Relações Portugal Cabo Verde Benefícios e mecanismos fiscais Âmbito Art. 41º EBF Código Fiscal do Investimento Benefícios à internacionalização em regime contratual Art. 42º EBF PALOP e Timor Leste Aplicação automática Art. 91º Código IRC Mecanismo unilateral Benefícios e mecanismos fiscais Eliminação da dupla tributação económica de lucros distribuídos e Dedução à colecta de IRC até 10% do investimento relevante Eliminação da dupla tributação económica de lucros distribuídos Crédito por dupla tributação internacional Linhas de crédito, seguros COSEC,

61 Estruturas de investimento

62 Sucursal Repatriamento de Lucros 26.5% IRC Portugal Sem retenção Cabo Verde 25% IUR

63 Subsidiária Dividendos 26.5% IRC Isenção dividendos PALOP Portugal Sem retenção Cabo Verde 25% IUR

64 Dividendos Portugal 26.5% IRC Sem retenção Cabo Verde 0% IUR Hotel

65 Dividendos / Mais Valias Sem retenção Portugal 0% IRC SGPS Zona Franca da Madeira 5% IRC Sem retenção Cabo Verde 0% IUR Hotel

66 Prestação de Serviços Angola Prestação de Serviços Guiné Bissau Residente ou não residente em Portugal Cabo Verde 20%/CDT Moçambique São Tomé e Príncipe

67 Prestação de Serviços Angola Prestação de Serviços Guiné Bissau Residente ou não residente em Portugal Zona Franca da Madeira Cabo Verde Sem retenção 5% IRC Pagamento sem retenção Moçambique São Tomé e Príncipe

68 Financiamento Portugal Financiamento Imposto do Selo no capital e juros Banco não residente Cabo Verde Juros 20%

69 Financiamento Portugal Banco não residente Financiamento Sem Imposto do Selo Juros Sem retenção SGPS Zona Franca da Madeira Suprimento Imposto do Selo só sobre Capital Juros Sem retenção (Lei do Investimento Externo) Cabo Verde

70 Novo Regime 2011 Mais-Valias Mais-valia: Isenta Holanda Mais-valia: isenta SGPS Zona Franca do Madeira Mais-Valias: 20% (em Cabo Verde) Mais-Valias: não tributadas em Cabo Verde Cabo Verde Cabo Verde Hotel Hotel

71 Obrigado! Todos os direitos reservados. refere-se à rede de entidades que são membros da International Limited, cada uma das quais é uma entidade legal autónoma e independente. PwC

Investimento português em Cabo Verde - Aspectos fiscais

Investimento português em Cabo Verde - Aspectos fiscais www.pwc.com/pt Investimento português em Cabo Verde - Aspectos fiscais Liza Helena Vaz AICEP/ AIP/AIDA/ANEMM/APIA Agenda Tributação em Cabo Verde Aspectos fiscais do investimento português em Cabo Verde

Leia mais

de Investimento em Angola e Cabo Verde

de Investimento em Angola e Cabo Verde Conferência Client Perspectivas name appears e Oportunidades here de Investimento em Angola e Cabo Verde PwC Conferência Estruturas de Investimento: Angola Catarina Nunes Agenda Introdução 1 Ficha de Angola:

Leia mais

Construir Angola Cimentar Parcerias

Construir Angola Cimentar Parcerias Construir Cimentar Parcerias Aspectos fiscais do investimento português em Rosa Areias em AICCOPN em Tributação das pessoas colectivas principais impostos: Imposto Industrial Imposto sobre a Aplicação

Leia mais

Investimento português em Moçambique - Aspectos fiscais

Investimento português em Moçambique - Aspectos fiscais www.pwc.com/pt Investimento português em Moçambique - Aspectos fiscais 13 de Março de 2012 Miguel Garoupa Puim AERLIS Agenda Tributação em Moçambique Aspectos fiscais do investimento português em Moçambique

Leia mais

Apresentação Pública das Oportunidades de Investimentos nas Ilhas de Boa Vista e Maio INCENTIVOS AO INVESTIMENTO

Apresentação Pública das Oportunidades de Investimentos nas Ilhas de Boa Vista e Maio INCENTIVOS AO INVESTIMENTO Apresentação Pública das Oportunidades de Investimentos nas Ilhas de Boa Vista e Maio Boa Vista, Outubro de 2009 INCENTIVOS AO INVESTIMENTO AGENCIA CABO VERDIANA DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS 1 AGÊNCIA

Leia mais

SISTEMA FISCAL. 27 de Outubro SAMUEL FERNANDES DE ALMEIDA

SISTEMA FISCAL. 27 de Outubro SAMUEL FERNANDES DE ALMEIDA SISTEMA FISCAL 27 de Outubro SAMUEL FERNANDES DE ALMEIDA Auditório SIBS PASSAPORTE PARA MOÇAMBIQUE ÍNDICE Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Colectivas ( IRPC ) Imposto sobre o Rendimento das Pessoas

Leia mais

IMPOSTOS SOBRE O RENDIMENTO

IMPOSTOS SOBRE O RENDIMENTO hhh IMPOSTOS SOBRE O RENDIMENTO Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) O Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS) é aplicável quer ao rendimento obtido por entidades residentes

Leia mais

Projecto Cidadania - 3º Barómetro

Projecto Cidadania - 3º Barómetro Projecto Cidadania - 3º Barómetro 1. A carga fiscal em 2012 será maior do que em 2011: Sim Não Average Para as famílias? 106 (98.1%) 2 (1.9%) 1.02 108 100.0% Para as empresas? 75 (70.8%) 31 (29.2%) 1.29

Leia mais

Perspectivas e Oportunidades de Investimento em Angola

Perspectivas e Oportunidades de Investimento em Angola Perspectivas e Oportunidades de Investimento em Angola PART Angola: Indicadores de Relevo 1 Angola: Indicadores de Relevo Informação Global * Angola 2010 População 18,5M Capital Luanda (aprox. 6 M habitantes)

Leia mais

CABO VERDE COMO PLATAFORMA PARA ENTRADA EM OUTROS MERCADOS. Agencia Cabo Vendeana de Promoção de Investimentos

CABO VERDE COMO PLATAFORMA PARA ENTRADA EM OUTROS MERCADOS. Agencia Cabo Vendeana de Promoção de Investimentos CABO VERDE COMO PLATAFORMA PARA ENTRADA EM OUTROS MERCADOS Agencia Cabo Vendeana de Promoção de Investimentos SUMARIO 1-Quem somos, onde estamos -localização geoestratégica, CV em números 2-Nossa economia

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

Fiscalidade em Portugal. Um primeiro olhar

Fiscalidade em Portugal. Um primeiro olhar Fiscalidade em Portugal Um primeiro olhar ÍNDICE 01 IMPOSTOS PORTUGUESES A perspectiva global 02 TRIBUTAÇÃO DO RENDIMENTO Principais regras e taxas 03 TRIBUTAÇÃO DO PATRIMÓNIO Principais regras e taxas

Leia mais

O SISTEMA FISCAL MOÇAMBICANO

O SISTEMA FISCAL MOÇAMBICANO O SISTEMA FISCAL MOÇAMBICANO O sistema tributário moçambicano integra impostos directos e impostos indirectos, actuando a diversos níveis, designadamente: a) Tributação directa dos rendimentos e da riqueza;

Leia mais

III Congresso de Direito Fiscal (IDEFF/Almedina, 11 Outubro 2012, Hotel Altis)

III Congresso de Direito Fiscal (IDEFF/Almedina, 11 Outubro 2012, Hotel Altis) III Congresso de Direito Fiscal (IDEFF/Almedina, 11 Outubro 2012, Hotel Altis) 6º Painel: Benefícios Fiscais e Competitividade A Zona Franca da Madeira: Papel e Ponto de Situação O Sistema Fiscal Português:

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME: ANGOLA

INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME: ANGOLA INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME: ANGOLA 12 de Junho de 2013 Índice REGIME DO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA TÉCNICA ESTRANGEIRA OU DE GESTÃO REGIME CAMBIAL SISTEMA FISCAL Regime

Leia mais

Doing Business em São Tomé e Príncipe

Doing Business em São Tomé e Príncipe Doing Business em Raul da Mota Cerveira Índice INVESTIMENTO PRIVADO PRESENÇA EM STP IMPOSTOS IMPOSTOS - IRC IMPOSTOS - IRC - LUCROS IMPOSTOS - IRS OUTROS IMPOSTOS CAMBIAL DIREITOS FUNDIÁRIOS CONTRATAÇÃO

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

Investir em Angola A nova Lei do Investimento Privado

Investir em Angola A nova Lei do Investimento Privado Investir em Angola A nova Lei do Investimento Privado Aprovação da nova Lei do Investimento Privado em Angola Lei nº 14/15, de 11 de Agosto Investimento Privado Para efeitos da presente Lei, considera-se

Leia mais

LISBOA PORTO FUNCHAL SÃO PAULO LUANDA MAPUTO PRAIA MACAU DILI SÃO TOMÉ PEQUIM SHANGAI. de investimento

LISBOA PORTO FUNCHAL SÃO PAULO LUANDA MAPUTO PRAIA MACAU DILI SÃO TOMÉ PEQUIM SHANGAI. de investimento LISBOA PORTO FUNCHAL SÃO PAULO LUANDA MAPUTO PRAIA MACAU DILI SÃO TOMÉ PEQUIM SHANGAI Portugal como plataforma de investimento LISBOA PORTO FUNCHAL SÃO PAULO LUANDA MAPUTO PRAIA MACAU DILI SÃO TOMÉ PEQUIM

Leia mais

Fiscalidade para empresas Portuguesas que pretendem investir na China

Fiscalidade para empresas Portuguesas que pretendem investir na China Paulo Núncio Sócio da Garrigues Lisboa Fiscalidade para empresas Portuguesas que pretendem investir na China Ordem dos Economistas Lisboa, 23 de Março de 2011 Investir na China internacionalização Internacionalização

Leia mais

SEMINÁRIO CROWE HORWATH ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2011 (IRC) 2011 Crowe Horwath International

SEMINÁRIO CROWE HORWATH ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2011 (IRC) 2011 Crowe Horwath International SEMINÁRIO CROWE HORWATH ORÇAMENTO DO ESTADO PARA 2011 (IRC) 1 IRC 2 Eliminação da Dupla Tributação Económica dos Lucros Distribuídos Na sociedade detentora Eliminação da Dupla Tributação nos Lucros auferidos

Leia mais

PASSAPORTE PARA ANGOLA

PASSAPORTE PARA ANGOLA PASSAPORTE PARA ANGOLA Samuel Fernandes de Almeida 17 e 18 de Fevereiro REGRAS GERAIS DE IMPOSTO INDUSTRIAL Incidência subjectiva Empresas com sede ou direcção efectiva em Angola e empresas com sede e

Leia mais

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Aspectos Relevantes para Investidores Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Portugueses em Angola Arial Bold (Orador) Alinhado esquerda 17 pt Arial (Data) Alinhado esquerda 14 pt Partilhamos a Experiência.

Leia mais

Aspectos fiscais do investimento português em Angola

Aspectos fiscais do investimento português em Angola Tax Aspectos fiscais do investimento português em Angola Jaime Carvalho Esteves, Partner Revista Angola - Portugal Negócios, Julho e Novembro de 2009 Angola tem sido um dos oásis de muitas das empresas

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário

Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS Workshop sobre o Investimento Responsável no Sector Agrário Cidade Maputo, 23 de Abril de 2015 CONTEÚDO Papel

Leia mais

LEI DE INCENTIVOS E BENEFÍCIOS FISCAIS AO INVESTIMENTO PRIVADO Lei nº 17 / 03 de 25 de Julho

LEI DE INCENTIVOS E BENEFÍCIOS FISCAIS AO INVESTIMENTO PRIVADO Lei nº 17 / 03 de 25 de Julho LEI DE INCENTIVOS E BENEFÍCIOS FISCAIS AO INVESTIMENTO PRIVADO Lei nº 17 / 03 de 25 de Julho a) Critérios de Aplicação sector de actividade zonas de desenvolvimento zonas económicas especiais b) Objectivos

Leia mais

INVESTIMENTO ESTRANGEIRO

INVESTIMENTO ESTRANGEIRO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO Formalidades a cumprir I II III o investidor deverá solicitar uma autorização prévia para concessão do Estatuto de Investidor Externo. O pedido poderá ser efetuado através da agência

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas 7 de Novembro de 2014 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora Enquadramento Evolução Recente Comércio

Leia mais

INVESTIMENTO ESTRANGEIRO

INVESTIMENTO ESTRANGEIRO INVESTIMENTO ESTRANGEIRO 1 Operações de investimento estrangeiro (%) Outros investimentos 2 Processo de investimento externo Reinvestimento externo ETAPAS DE INVESTIMENTO 3 INCENTIVOS E BENEFÍCIOS FISCAIS

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS AUTORIDADE TRIBUTÁRIA DE MOÇAMBIQUE BENEFICIOS FISCAIS PARA O SECTOR DE HOTELARIA E TURISMO

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS AUTORIDADE TRIBUTÁRIA DE MOÇAMBIQUE BENEFICIOS FISCAIS PARA O SECTOR DE HOTELARIA E TURISMO REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DAS FINANÇAS AUTORIDADE TRIBUTÁRIA DE MOÇAMBIQUE BENEFICIOS FISCAIS PARA O SECTOR DE HOTELARIA E TURISMO MAPUTO, 05 DE MARÇO DE 2012 REGIME FISCAL APLICÁVEL AO SECTOR

Leia mais

Comissão para a Reforma do IRC - 2013. Uma Reforma orientada para a Competitividade, o Crescimento e o Emprego

Comissão para a Reforma do IRC - 2013. Uma Reforma orientada para a Competitividade, o Crescimento e o Emprego Uma Reforma orientada para a Competitividade, o Crescimento e o Emprego Principais medidas da Reforma 2 I. Redução da taxa do IRC - A redução das taxas de IRC é fundamental para a atração de investimento

Leia mais

Incentivos fiscais à reabilitação urbana e legislação relacionada. Tatiana Cardoso Dia 18 de Setembro de 2013 Lisboa

Incentivos fiscais à reabilitação urbana e legislação relacionada. Tatiana Cardoso Dia 18 de Setembro de 2013 Lisboa Incentivos fiscais à reabilitação urbana e legislação relacionada Tatiana Cardoso Dia 18 de Setembro de 2013 Lisboa Incentivos fiscais à Reabilitação Urbana e Nova Lei das Rendas Introdução Como instrumento

Leia mais

Angola Breve Caracterização. Julho 2007

Angola Breve Caracterização. Julho 2007 Breve Caracterização Julho 2007 I. Actividade e Preços. Após o final da guerra civil em 2002, e num contexto de relativa estabilidade política, tornou-se numa das economias de mais elevado crescimento

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Cabo Verde Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Cabo Verde Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Cabo Verde Condições Legais de Acesso ao Mercado Maio 2010 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 5 3. Quadro Legal 7 2 1. Regime

Leia mais

e.mail: anip.caf@multitel.co.ao República de Angola

e.mail: anip.caf@multitel.co.ao República de Angola República de Angola 1 FORUM DE NEGOCIOS ANGOLA - ARGENTINA Córdoba, 20 de Mayo de 2010 santprata@hotmail.com 2 Slide 2/2 Quadro Legal sobre o Investimento Garantias ao Investidor Incentivos ao Investimento

Leia mais

www.pwc.com/pt empresarial Jorge Figueiredo

www.pwc.com/pt empresarial Jorge Figueiredo www.pwc.com/pt Fiscalidade pessoal e empresarial Jorge Figueiredo 18 de Fevereiro de 2011 Agenda 1. IRS 1.1 Alterações das taxas 1.2 Outros rendimentos 1.3 Dedução específica Categoria A 1.4 Reporte de

Leia mais

Internacionalização de PME. Mercado de MOÇAMBIQUE

Internacionalização de PME. Mercado de MOÇAMBIQUE Internacionalização de PME Mercado de MOÇAMBIQUE 12 de Junho de 2013 Mercado de MOÇAMBIQUE ÍNDICE Índice Introdução MOÇAMBIQUE Sociedades Comerciais e Representações Comerciais Estrangeiras Lei de Investimentos

Leia mais

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA ECONOMIA E FINANÇAS CENTRO DE PROMOÇÃO DE INVESTIMENTOS CLIMA DE INVESTIMENTOS EM MOÇAMBIQUE CONTEÚDO 1 Razões para investir em Moçambique 2 Evolução do Investimento

Leia mais

Alemanha - Síntese País

Alemanha - Síntese País Informação Geral sobre a Alemanha Área (km 2 ): 356 970 km 2 Chanceler Federal: Angela Merkel População (milhões hab.): 81 (estimativa 2014) Risco de crédito (*): Capital: Berlim Risco do país: A (AAA

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Cabo Verde Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Cabo Verde Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Cabo Verde Condições Legais de Acesso ao Mercado Junho 2010 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 5 3. Quadro Legal 8 2 1. Regime

Leia mais

Bélgica - Síntese País

Bélgica - Síntese País Informação Geral sobre a Bélgica Área (km 2 ): 30 528 Primeiro-Ministro: Charles Michel População (milhões hab.): 11,1 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Bruxelas Risco do país: A2 (AAA =

Leia mais

Veículos de investimento imobiliário

Veículos de investimento imobiliário CONFERÊNCIA NOVOS VEÍCULOS DE INVESTIMENTO NO SECTOR IMOBILIÁRIO EM ANGOLA Local: Tenda de Eventos na Baía de Luanda Data: 19 de Junho de 2014 Veículos de investimento imobiliário António Raposo Subtil

Leia mais

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação

Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação Breve síntese sobre os mecanismos financeiros de apoio à internacionalização e cooperação 1 Incentivos financeiros à internacionalização Em 2010 os incentivos financeiros à internacionalização, não considerando

Leia mais

QUE NOVIDADES? Vanessa Silva

QUE NOVIDADES? Vanessa Silva QUE NOVIDADES? Vanessa Silva Porquê uma nova Lei do Investimento Privado? Principais Mudanças Fim do montante mínimo de USD 1M para estrangeiros Direito a repatriar lucros / dividendos dependente apenas

Leia mais

MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO

MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO MODIFICAÇÕES MAIS RELEVANTES INTRODUZIDAS PELA NOVA LEI DO INVESTIMENTO PRIVADO Sofia Vale Agosto de 2015 Foi publicada recentemente a nova Lei do Investimento Privado 1 (doravante A Nova LIP ), que contém

Leia mais

Estatuto dos Benefícios Fiscais Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares. Seminário Inovações Fiscais 2014

Estatuto dos Benefícios Fiscais Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares. Seminário Inovações Fiscais 2014 Estatuto dos Benefícios Fiscais Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares IMI Prédios para habitação própria e permanente Momento da contagem do período de isenção. Quando o pedido é apresentado

Leia mais

Financiamento das PME. Evolução fiscal e regulatória. Carlos Loureiro. 28 de Novembro de 2014. 2014 Deloitte

Financiamento das PME. Evolução fiscal e regulatória. Carlos Loureiro. 28 de Novembro de 2014. 2014 Deloitte Financiamento das PME Evolução fiscal e regulatória Carlos Loureiro 28 de Novembro de 2014 1 Temas a discutir Abordagem da temática Financiamento bancário: Panaceia ou factor de restrição? As alternativas

Leia mais

Brasil - Síntese País

Brasil - Síntese País Informação Geral sobre o Brasil Área (km 2 ): 8 547 400 Vice-Presidente: Michel Temer População (milhões hab.): 202,8 (estimativa 2014) Risco de crédito: 3 (1 = risco menor; 7 = risco maior) Capital: Brasília

Leia mais

CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA. Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111

CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA. Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111 CONDIÇÕES FAVORÁVEIS À PROMOÇÃO DO INVESTIMENTO PRIVADO NA AGRICULTURA Lisboa, 20-21 de Janeiro de 20111 Por: António Prata, Director do Departamento de Informação e Relações Internacionais Objectivos

Leia mais

PASSAPORTE PARA ANGOLA

PASSAPORTE PARA ANGOLA PASSAPORTE PARA ANGOLA Samuel Fernandes de Almeida 17 e 18 de Fevereiro TRIBUTAÇÃO DE DIVIDENDOS TRIBUTAÇÃO DE DIVIDENDOS Distribuição de dividendos está sujeita a Imposto sobre a Aplicação de Capitais

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. República Checa Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. República Checa Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar República Checa Condições Legais de Acesso ao Mercado Março 2010 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 6 2 1. Regime

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Tunísia Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Tunísia Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Tunísia Condições Legais de Acesso ao Mercado Fevereiro 2012 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization

Exportações Importações Posição e Quota da Suíça no Comércio Mundial de Bens - 2014 22ª 1,3% 26ª 1,1% Fonte: WTO - World Trade Organization Informação Geral sobre a Suíça Área (km 2 ): 41 285 Vice-Presidente Federal: Johann Schneider-Amman População (milhões hab.): 8,11 (estimativa 2014) Risco de crédito: (*) Capital: Berna Risco do país:

Leia mais

França - Síntese País

França - Síntese País Informação Geral sobre França Área (km 2 ): 543 965 Primeiro-Ministro: Manuel Valls População (milhões hab.): 66,3 (estimativa janeiro ) - Insee Risco de crédito: (*) Capital: Paris Risco do país: A (AAA=risco

Leia mais

Principais considerações fiscais Brasileiras

Principais considerações fiscais Brasileiras Investimento Português no Brasil 12 de Abril de 2012 Principais considerações fiscais Brasileiras Aspectos fiscais relevantes a considerar do ponto de vista fiscal Brasileiro Isenção de RF nos dividendos

Leia mais

ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL OS REGIMES DOS GOLDEN VISA E DOS RESIDENTES NÃO HABITUAIS

ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL OS REGIMES DOS GOLDEN VISA E DOS RESIDENTES NÃO HABITUAIS ATRAIR INVESTIMENTO ESTRANGEIRO PARA PORTUGAL OS REGIMES DOS GOLDEN VISA E DOS RESIDENTES NÃO HABITUAIS ENQUADRAMENTO LEGAL Fontes utilizadas: www.sef.pt; www.portugal.gov.pt ENQUADRAMENTO LEGAL A autorização

Leia mais

Sumário. Princípio da autonomia financeira. Regime de financiamento das autarquias locais e Desenvolvimento económico local

Sumário. Princípio da autonomia financeira. Regime de financiamento das autarquias locais e Desenvolvimento económico local Sumário Regime de financiamento das autarquias locais e Desenvolvimento económico local Regime financeiro das A.L. Autonomia financeira Principio Conceito Receitas municipais principais fontes Taxas municipais

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

TAX & BUSINESS O C E N T R O I N T E R N A C I O N A L D E N E G Ó C I O S D A M A D E I R A ( D E S E N V O L V I M E N T O S R E C E N T E S )

TAX & BUSINESS O C E N T R O I N T E R N A C I O N A L D E N E G Ó C I O S D A M A D E I R A ( D E S E N V O L V I M E N T O S R E C E N T E S ) i N º 1 6 / 1 5 O C E N T R O I N T E R N A C I O N A L D E N E G Ó C I O S D A M A D E I R A ( D E S E N V O L V I M E N T O S R E C E N T E S ) (CINM) O CINM, a que corresponde a Zona Franca da Região

Leia mais

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA

PORTUGAL: RELACIONAMENTO ECONÓMICO COM A ALEMANHA Expedições 4.646.753 4.957.528 4.954.299 4.099.667 4.771.584 1,4 16,4 Chegadas 8.054.468 8.367.508 8.594.931 6.813.091 7.886.527 0,4 15,8 Saldo -3.407.716-3.409.980-3.640.632-2.713.423-3.114.943 -- --

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Finlândia Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Finlândia Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Finlândia Condições Legais de Acesso ao Mercado Janeiro 2012 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

O ISQ NA ARGÉLIA UM MUNDO DE SOLUÇÕES

O ISQ NA ARGÉLIA UM MUNDO DE SOLUÇÕES O ISQ NA ARGÉLIA UM MUNDO DE SOLUÇÕES Agenda 1. ISQ 2. ISQ na Argélia 3. Características do País 4. Pontos fortes 5. Pontos menos fortes Instituto de Soldadura e Qualidade Fundado: 1965 Sede : Taguspark,

Leia mais

Incentivos Fiscais: SIFIDE Internacionalização Investimento Produtivo. Data de Apresentação:14 de Abril de2010

Incentivos Fiscais: SIFIDE Internacionalização Investimento Produtivo. Data de Apresentação:14 de Abril de2010 Incentivos Fiscais: SIFIDE Internacionalização Investimento Produtivo Data de Apresentação:14 de Abril de2010 1 Agenda 1 SIFIDE 2 Internacionalização 3 Investimento Produtivo 2 Incentivos Fiscais SIFIDE

Leia mais

A APLICAÇÃO DE CAPITAIS, IMPOSTO DO SELO E IMPOSTO DE CONSUMOC

A APLICAÇÃO DE CAPITAIS, IMPOSTO DO SELO E IMPOSTO DE CONSUMOC REFORMA FISCAL: IMPOSTO SOBRE A APLICAÇÃO DE CAPITAIS, IMPOSTO DO SELO E IMPOSTO DE CONSUMOC MARÇO 2012 Integrado na reforma fiscal que está em curso, a Imprensa Nacional disponibilizou recentemente o

Leia mais

de Investimento em Angola e Cabo Verde

de Investimento em Angola e Cabo Verde Conferência Client Perspectivas name appearse Oportunidades here de Investimento em Angola e Cabo Verde PwC Conferência Regime Fiscal do CINM Catarina Gonçalves Agenda 1 Região Autónoma da Madeira 2 Centro

Leia mais

Estrutura da apresentação. 1. Apresentação Mercado Cabo Verde; 7. Oportunidades e dificuldades do mercado;

Estrutura da apresentação. 1. Apresentação Mercado Cabo Verde; 7. Oportunidades e dificuldades do mercado; ABC Mercado de Cabo Verde Portugal Constrói, ABC Mercado de Cabo Verde Estrutura da apresentação 1. Apresentação Mercado Cabo Verde; 2. Novo Governo e as suas prioridades; 3. Como abordar o mercado? 4.

Leia mais

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO

A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO A SUA EMPRESA PRETENDE EXPORTAR? - CONHEÇA O ESSENCIAL E GARANTA O SUCESSO DA ABORDAGEM AO MERCADO EXTERNO PARTE 03 - MERCADOS PRIORITÁRIOS Introdução Nas últimas semanas dedicamos a nossa atenção ao

Leia mais

Newsletter 07-08/2012 julho/agosto de 2012

Newsletter 07-08/2012 julho/agosto de 2012 Legislação fiscal Ratificações do Presidente da república (Convenções para evitar a dupla tributação e prevenir a evasão fiscal em matéria de impostos sobre o rendimento). Republica Democrática de Timor

Leia mais

Sistemas de Incentivos Portugal 2020

Sistemas de Incentivos Portugal 2020 Sistemas de Incentivos Portugal 2020 Portugal 2020 Acordo de parceria entre Portugal e a Comissão Europeia no qual se consagra a política de desenvolvimento económico, social e territorial a promover entre

Leia mais

Reforma do IRC e OE 2014

Reforma do IRC e OE 2014 Fevereiro 2014 Audit Tax Outsourcing Consulting Corporate Finance Information Systems An independent member of Baker Tilly International Payroll IRS e Segurança Social Ameaças Conceito de regularidade

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Setembro 2012 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

O artigo 51º do CIRC estabelece que os dividendos recebidos por sociedades portuguesas são totalmente excluídos de tributação sempre que:

O artigo 51º do CIRC estabelece que os dividendos recebidos por sociedades portuguesas são totalmente excluídos de tributação sempre que: DESTAQUE Novembro de 2010 FISCAL Proposta de alterações aos mecanismos para evitar a dupla tributação económica de dividendos A Proposta de Lei do Orçamento de Estado para 2011 ( Proposta de OE 2011 )

Leia mais

PORTUGAL Comércio Exterior

PORTUGAL Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC PORTUGAL Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC. AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014

ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC. AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014 ROSÁRIO MARQUES Directora Executiva CCILC AIP Mercados para Exportação 05 de Março de 2014 Colômbia Aspectos Gerais País muito jovem - 55% da população com menos de 30 anos. 7 Áreas Metropolitanas com

Leia mais

apresentam Sistema Tributário Espanhol

apresentam Sistema Tributário Espanhol apresentam Sistema Tributário Espanhol Tipos de Impostos TIPOS DE IMPOSTOS IMPOSTOS SOBRE O RENDIMENTO IMPUESTO SOBRE SOCIEDADES (equivalente ao IRC) IMPUESTO SOBRE LA RENTA DE LAS PERSONAS FÍSICAS (equivalente

Leia mais

Artigo 7.º Fiscalização

Artigo 7.º Fiscalização Artigo 7.º Fiscalização 1 - Todas as pessoas, singulares ou coletivas, de direito público ou de direito privado, a quem sejam concedidos benefícios fiscais, automáticos ou dependentes de reconhecimento,

Leia mais

Nova Zelândia - Síntese País

Nova Zelândia - Síntese País Informação Geral sobre a Nova Zelândia Área (km 2 ): 270 534 Primeiro-Ministro: John Key População (milhões hab.): 4,6 () Risco de crédito: (*) Capital: Wellington Risco do país: AA (AAA = risco menor;

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª

PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º./XII/1.ª INTRODUZ UM MECANISMO DE SALVAGUARDA DA EQUIDADE FISCAL PARA TODOS OS CONTRIBUINTES E ELIMINA AS ISENÇÕES DE TRIBUTAÇÃO SOBRE MAIS-VALIAS OBTIDAS POR SGPS

Leia mais

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS

EMIRADOS ÁRABES UNIDOS EMIRADOS ÁRABES UNIDOS Para os empresários portugueses Ajman Fujairah Sharjah Dubai Ras Al-Khaimah Umm Al Qaiwain O País Designação Oficial: Emirados Árabes Unidos Forma de Estado: Federação de sete Emirados

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice Índice Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente de Origem e Principais Nacionalidades - Situação no fim do mês de Dezembro, de 2003 a 2009... 2 Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente

Leia mais

OUTUBRO/NOVEMBRO 2009

OUTUBRO/NOVEMBRO 2009 FISCAL N.º 4/2009 OUTUBRO/NOVEMBRO 2009 INCENTIVOS FISCAIS A PROJECTOS DE INVESTIMENTO DE INTERNACIONALIZAÇÃO No passado mês de Setembro foram publicados dois decretos-lei que completaram e alteraram o

Leia mais

Benefícios Fiscais. Benefícios Fiscais Contratuais ao Investimento Produtivo

Benefícios Fiscais. Benefícios Fiscais Contratuais ao Investimento Produtivo Benefícios Fiscais Benefícios Fiscais Contratuais ao Investimento Produtivo PORTAL DOS INCENTIVOS Dez 2014 Índice Índice... 1 1 O Que é?... 2 2 Condições de Acesso dos Beneficiários... 2 3 Condições de

Leia mais

Pensar Angola. Aspectos fiscais do investimento português em Angola. PwC. Jaime Esteves. Fevereiro Banco BIC Portugal

Pensar Angola. Aspectos fiscais do investimento português em Angola. PwC. Jaime Esteves. Fevereiro Banco BIC Portugal Aspectos fiscais do investimento português em Angola Jaime Esteves Banco BIC Portugal PwC Agenda 1 Tributação de Rendimentos em Angola 2 Investir em Angola a partir de Portugal 3 Tributação em Portugal

Leia mais

Preçário DEUTSCHE BANK AG, SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO

Preçário DEUTSCHE BANK AG, SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Preçário DEUTSCHE BANK AG, SUCURSAL EM PORTUGAL BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS Consulte o FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de O Preçário completo do Deutsche Bank AG, Sucursal em Portugal,

Leia mais

Os bancos angolanos no estrangeiro e os bancos estrangeiros em Angola II Fórum Banca Expansão Diário Económico

Os bancos angolanos no estrangeiro e os bancos estrangeiros em Angola II Fórum Banca Expansão Diário Económico Os bancos angolanos no estrangeiro e os bancos estrangeiros em Angola II Fórum Banca Expansão Diário Económico João Fonseca Luanda, EPIC Sana 2 de Junho de 212 Agenda 1. Investimento estrangeiro de bancos

Leia mais

DESTAQUES LEGISLATIVOS OUTUBRO 2014

DESTAQUES LEGISLATIVOS OUTUBRO 2014 ANGOLA DESTAQUES LEGISLATIVOS BANCÁRIO E FINANCEIRO DESPACHO PRESIDENCIAL N.º 189/14 PRESIDENTE DA REPÚBLICA Sumário: Autoriza a celebração dos Acordos de Financiamento entre a TAAG Linhas Aéreas de Angola,

Leia mais

Tribunal de Contas ANEXO II LEGISLAÇÃO SOBRE BENEFÍCIOS FISCAIS

Tribunal de Contas ANEXO II LEGISLAÇÃO SOBRE BENEFÍCIOS FISCAIS ANEXO II LEGISLAÇÃO SOBRE BENEFÍCIOS FISCAIS LEGISLAÇÃO SOBRE BENEFÍCIOS FISCAIS I COM IMPLICAÇÕES NA RECEITA ESTADUAL A) No âmbito dos impostos directos a. 1) Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares

Leia mais

O INVESTIMENTO LOW-COST EM ESPANHA AIMINHO - 26 DE MAIO DE 2014 INVESTIMENTO EM ESPANHA LOW COST I.- Início de actividade II.- Ajudas e subvenções III.- Investir através de Espanha IV.- Prestação de serviços

Leia mais

Assim, integram a Categoria E os rendimentos de capitais, enumerados no artigo 5.º do CIRS.

Assim, integram a Categoria E os rendimentos de capitais, enumerados no artigo 5.º do CIRS. CATEGORIA E RENDIMENTOS DE CAPITAIS Definem-se rendimentos de capitais, todos os frutos e demais vantagens económicas, qualquer que seja a sua natureza ou denominação, pecuniários ou em espécie, procedentes,

Leia mais

QUESTÕES LEGAIS/FISCAIS

QUESTÕES LEGAIS/FISCAIS ANGOLA: QUESTÕES LEGAIS/FISCAIS Porto, 06 de Março de 2012 ÍNDICE Parte I Parte II FORMAS DE REPRESENTAÇÃO SOCIEDADES SUCURSAIS E ESCRITÓRIOS DE REPRESENTAÇÃO Parte III ASPECTOS ESSENCIAIS DO REGIME FISCAL

Leia mais

ANEXO II LEGISLAÇÃO SOBRE BENEFÍCIOS FISCAIS

ANEXO II LEGISLAÇÃO SOBRE BENEFÍCIOS FISCAIS Tribunal de Contas ANEXO II LEGISLAÇÃO SOBRE BENEFÍCIOS FISCAIS Tribunal de Contas LEGISLAÇÃO SOBRE BENEFÍCIOS FISCAIS I COM IMPLICAÇÕES NA RECEITA ESTADUAL A) No âmbito dos impostos directos sobre o

Leia mais

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral

Espanha - Síntese País e Relacionamento Bilateral Informação Geral sobre Espanha Área (km 2 ): 504 880 Primeiro-Ministro: Mariano Rajoy População (milhões hab.): 47,1 (estimativa ) Risco de crédito: (*) Capital: Madrid Risco do país: BBB (AAA = risco

Leia mais

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 8,0 15,0 2009a 2010a 2011a 2012a 2013a 2014b 6,0 10,0

Comércio Externo de Bens (10 9 USD) 8,0 15,0 2009a 2010a 2011a 2012a 2013a 2014b 6,0 10,0 Informação Geral sobre a Palestina População (milhões hab.): 4,5 (estimativa 2014) Unidade monetária: Shequel de Israel (ILS) e Língua oficial: Árabe Dinar Jordano (JOD) Chefe de Estado: Mahmoud Abbas

Leia mais

Riscos Legais e Regulatórios Associados aos Processos de Internacionalização: Uma Perspetiva Fiscal

Riscos Legais e Regulatórios Associados aos Processos de Internacionalização: Uma Perspetiva Fiscal Lisboa, 25 de junho de 2014 Riscos Legais e Regulatórios Associados aos Processos de Internacionalização: Uma Perspetiva Fiscal Maria Figueiredo Índice 1. RISCOS FISCAIS a) ESTABELEIMENTO ESTÁVEL b) DUPLA

Leia mais

Os modelos de financiamento da saúde e as formas de pagamento aos hospitais: em busca da eficiência e da sustentabilidade

Os modelos de financiamento da saúde e as formas de pagamento aos hospitais: em busca da eficiência e da sustentabilidade Os modelos de financiamento da saúde e as formas de pagamento aos hospitais: em busca da eficiência e da sustentabilidade Pedro Pita Barros Faculdade de Economia Universidade Nova de Lisboa Agenda Enquadramento

Leia mais

Madeira: Global Solutions for Wise Investments

Madeira: Global Solutions for Wise Investments Madeira: Global Solutions for Wise Investments Madeira: Global Solutions for Wise Investments O Centro Internacional de Negócios da Madeira Lisboa, 20 de Abril de 2010 Índice 1. Fundamentos do CINM 2.

Leia mais

Overview pela fiscalidade no sector imobiliário

Overview pela fiscalidade no sector imobiliário Overview pela fiscalidade no sector imobiliário A perspectiva do pequeno investidor II Semana da Reabilitação Urbana de Lisboa Sociedade de Geografia 16 de Abril de 2015 ÍNDICE DE CONTEÚDOS I INCENTIVOS

Leia mais

2011 / Portugal 2012 / Brasil. 2013 / Angola. 2014 / Cabo Verde

2011 / Portugal 2012 / Brasil. 2013 / Angola. 2014 / Cabo Verde 2011 / Portugal 2012 / Brasil 2013 / Angola 2014 / Cabo Verde Índice: - Porquê GetOut? - O Congresso do Empreendedor Lusófono - Angola - Missão ao Congresso Porquê GetOut? Portugal: Crescimento económico

Leia mais

Tendo em atenção os seguintes dados referentes a Portugal:

Tendo em atenção os seguintes dados referentes a Portugal: Exercício - II.1 Tendo em atenção os seguintes dados referentes a Portugal: (valores em milhões de contos) PIB 1986 a preços correntes 4418,8 PIB 1987 a preços de 1986 4608,1 PIB 1987 a preços correntes

Leia mais