Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009"

Transcrição

1 Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009

2 Relembrando conceitos de sustentabilidade Desenvolvimento Econômico Responsabilidade Social Maximização do retorno do capital Retenção de Talentos Alinhamento da estratégia de sustentabilidade com o Plano de Negócio Criação de valor para os acionistas no longo prazo, incorporando oportunidades e gerenciando riscos advindos do desenvolvimento econômico, ambiental e social. - (Dow Jones Sustainability Global Index) Projetos Sociais Geração de Emprego Engajamento das partes interessadas Inclusão Social Saúde e Segurança Sustentabilidade Ecological Footprint Carbon Footprint Eco-Eficiência Energia renovável Gestão Ambiental

3 - Global Reporting Initiative Padrão internacional de elaboração e divulgação de Relatórios de Sustentabilidade focados no desempenho ambiental, social e econômico das organizações, com freqüência, nível de comparabilidade e rigor semelhantes aos das demonstrações financeiras. Fazendo um Paralelo: Demonstrações Financeiras / FASB * Resultados Financeiros Acionistas / Investidores / Analistas Relatório de Sustentabilidade / Padrão GRI Triple Bottom Line: Ambiental Social Econômico Stakeholders Governo Entidades Clientes Fornecedores ONG s Analistas SRI** Empregados Sociedade Civil Adotado de forma crescente por entidades multilaterais e analistas SRI nas avaliações de sustentabilidade das indústrias extrativas. (*) Financial Accounting Standards Board (**) SRI - Socially Responsible Investment

4 Global Reporting Initiative - Versão G3 G3 Ênfase no processo e na gestão da sustentabilidade - engajamento de stakeholders Princípios gerenciais de reporte Foco em indicadores chave: protocolos técnicos 2006 Autodeclaração e Verificação Externa Princípios Gerenciais de reporte: Conteúdo Materialidade Inclusão de Stakeholders Contexto da Sustentabilidade Abrangência Qualidade Equilíbrio Clareza Exatidão Periodicidade Comparabilidade Confiabilidade

5 Global Reporting Initiative G3 - Níveis de Aplicação e Verificação Externa Nível de Adequação C C + B B + A A + Perfil Forma de Gestão Indicadores de Desempenho OUTPUT OUTPUT OUTPUT Reportar: , , Não Requerido Reportar no mínimo 10 indicadores, sendo pelo menos um de cada categoria: econômico, social e ambiental Relatório com Verificação Externa Reportar todos os ítens do Nível C e mais: , , Relatar a forma de gestão da Companhia para cada indicador de performance apresentado Reportar no mínimo 20 indicadores, sendo pelo menos um de cada categoria: econômico, ambiental, Direitos Humanos, Relações Trabalhistas, Sociedade e Responsabilidade pelo Produto Relatório com Verificação Externa Mesma exigência do Nível B Relatar a forma de gestão da Companhia para cada indicador de performance apresentado Reportar os 93 indicadores do G3 e do Suplemento Especial do Setor. Caso algum indicador seja excluído, o motivo deve ser relatado. Relatório com Verificação Externa

6 Total de Indicadores : 91 Global Reporting Initiative GRI/G3 - Universo de Indicadores Sociedade e Comunidade Práticas Trabalhistas Saúde e Segurança Direitos Humanos Responsabilidade pelo Produto 40 Indicadores Social Materiais Energia Água Biodiversidade Emissões Efluentes e Resíduos Desempenho Econômico Presença na Economia Local Impactos Econômicos Indiretos 9 Indicadores Econômico Sustentabilidade Ambiental 30 Indicadores Indicadores Setoriais M&M 12 Indicadores

7 -Normas Norma NPO 1 - emitida pelo Instituto dos Auditores Independentes do Brasil IBRACON ISAE International Standard on Assurance Engagements, emitida pelo International Auditing and Assurance Standards Board. Ambas normas são aplicáveis a trabalhos de asseguração que não sejam de auditoria ou de revisão de informações financeiras históricas. Não representam um exame de acordo com as normas de auditoria das demonstrações financeiras.

8 -Requisitos do ICMM Principles Reporting - GRI Assurance Good Practice

9 Principles - Requisitos do ICMM International Council on M&M 1. Implement and maintain ethical business practices and sound systems of corporate governance 2. Integrate sustainable development considerations within the corporate decisionmaking process 3. Uphold fundamental human rights and respect cultures, customs and values in dealings with employees and others who are affected by our activities 4. Implement risk management strategies based on valid data and sound science 5. Seek continual improvement of our health and safety performance 6. Seek continual improvement of our environmental performance 7. Contribute to conservation of biodiversity and integrated approaches to land use planning 8. Facilitate and encourage responsible product design, use, re-use, recycling and disposal of our products 9. Contribute to the social, economic and institutional development of the communities in which we operate 10. Implement effective and transparent engagement, communication and independently verified reporting arrangements with our stakeholders

10 -Requisitos do ICMM Assurance Conformidade com os procedimentos de Assurance: Reportar performance em relação aos princípios com base nas diretrizes da GRI; Buscar Nível de Aplicação A+ da GRI/G3; e Seguir o Assurance Procedure do ICMM (verificação externa).

11 -Requisitos do ICMM

12 - Visão geral do processo Etapa 1 Etapa 2 Etapa 3 Etapa 4 Planejamento & Escopo: Definição de Papéis e Responsabilidades Definição dos procedimentos de asseguração Revisão dos limites do Relatório Início da Revisão da Análise de Materialidade Finalização do Planejamento Elaboração do cronograma Aplicando Procedimentos de Asseguração: Kick-off Meeting (Apresentação de Início dos trabalhos) Visitas de campo Testes de Controle, incluindo testes de conformidade com os princípios do ICMM. Testes Substantivos Identificação de Ajustes e Pontos de Atenção (Oportunidades de Melhoria) Revisão e validação dos ajustes Carta de Asseguração: Análise de aderência dos indicadores Identificação de Ajustes em relação à aderência dos indicadores Finalização da Análise de Materialidade Confirmação do Nível de Aplicação GRI Elaboração da Carta de Asseguração Encerramento do Projeto: Revisão e validação dos ajustes Apresentação dos Ajustes e Pontos de Atenção à Coordenação GRI Entrega da Carta de Asseguração.

13 Dúvidas poderão ser esclarecidas por

INDEPENDENTE DECLARAÇÃO DE AVALIAÇÃO INTRODUÇÃO ESCOPO DO TRABALHO METODOLOGIA BUREAU VERITAS CERTIFICATION

INDEPENDENTE DECLARAÇÃO DE AVALIAÇÃO INTRODUÇÃO ESCOPO DO TRABALHO METODOLOGIA BUREAU VERITAS CERTIFICATION Relatório 2014 Novo Olhar para o Futuro DECLARAÇÃO DE AVALIAÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION INTRODUÇÃO O Bureau Veritas Certification Brasil (Bureau Veritas) foi contratado pela Fibria Celulose

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION

DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION INTRODUÇÃO O Bureau Veritas Certification Brasil (Bureau Veritas) foi contratado pela Companhia Energética de Minas Gerais S.A (Cemig),

Leia mais

Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil. BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013

Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil. BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013 Global Reporting Initiative Glaucia Terreo Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil Oficina Introdutória GRI BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013 AQUECIMENTO!!!!!!! 1 Escreva sua missão de vida: 2 Quais

Leia mais

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Conteúdo da apresentação Breve contexto Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão

Leia mais

Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade?

Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade? Meio acadêmico Sustentabilidade Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade? Além do maior foco na cadeia de valor e na materialidade, a quarta geração (G4)

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Geraldo Soares IBRI; Haroldo Reginaldo Levy Neto

Leia mais

Informações Integradas

Informações Integradas Informações Integradas IMPLANTAÇÃO DO RELATO INTEGRADO: O CASE DA SANASA REUNIÃO TÉCNICA DE NORMAS INTERNACIONAIS Tatiana Gama Ricci São Paulo, 22 de maio de 2015 Evolução das Informações não financeiras

Leia mais

PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 14, de 04 de setembro de 2012.

PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 14, de 04 de setembro de 2012. CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRAPP ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD ANEFAC APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI) PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 14, de 04 de setembro

Leia mais

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT A Responsabilidade Social Corporativa no Contexto da Internacionalização Abril, 2014 AGENDA QUEM SOMOS SUSTENTABILIDADE A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo e Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo e Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo e Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil GRI ONG sediada em Amsterdam Criada em 1997 no Estados Unidos a partir

Leia mais

Metodologias para medir pegada carbônica. Stephen Russell World Resources Institute

Metodologias para medir pegada carbônica. Stephen Russell World Resources Institute Metodologias para medir pegada carbônica Stephen Russell World Resources Institute O que é uma pegada carbônica? Empresa Fonte Instalação GHG Protocol Inventário Nacional Ferramentas de cálculo GHG Protocol

Leia mais

Sustentabilidade e mercado de capitais. Luís d Eça Pinheiro Direcção de Relações com Investidores, Comunicação e Sustentabilidade

Sustentabilidade e mercado de capitais. Luís d Eça Pinheiro Direcção de Relações com Investidores, Comunicação e Sustentabilidade Sustentabilidade e mercado de capitais Luís d Eça Pinheiro Direcção de Relações com Investidores, Comunicação e Sustentabilidade Brisa e mercado de capitais Título Brisa 2000-2004 Dividendo por acção Cêntimos

Leia mais

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Catarina Bronstein Coordenadora GRI Brasil

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Catarina Bronstein Coordenadora GRI Brasil Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade Catarina Bronstein Coordenadora GRI Brasil GRI ONG sediada em Amsterdam Criada em 1997 no Estados Unidos a partir da idéia de que

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012. Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012. Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012 Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS Nos últimos anos tem havido evolução dos conceitos econômicos, sociais e

Leia mais

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil ONG sediada em Amsterdã Criada em 1997 no Estados Unidos a partir da idéia de que

Leia mais

Relatório de asseguração limitada dos auditores independentes

Relatório de asseguração limitada dos auditores independentes KPMG Risk Advisory Services Ltda. R. Dr. Renato Paes de Barros, 33 04530-904 - São Paulo, SP - Brasil Caixa Postal 2467 01060-970 - São Paulo, SP - Brasil Central Tel 55 (11) 2183-3000 Fax Nacional 55

Leia mais

ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI

ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI ENEGEP 2013 Relatórios de Sustentabilidade GRI 11 de Outubro 2013 1 Sustentabilidade, Sociedade e Mercado Recursos Ambientais Recursos Sociais SUS TENTA BILIDADE Recursos Econômico- Financeiros Adaptado

Leia mais

Relatórios de Sustentabilidade: Ferramenta de Excelência para a Comunicação da RSO

Relatórios de Sustentabilidade: Ferramenta de Excelência para a Comunicação da RSO Relatórios de Sustentabilidade: Ferramenta de Excelência para a Comunicação da RSO 1º Fórum Português de Responsabilidade das Organizações (RSO) Plataforma de Debate Multistakeholder AIP - Centro de Congressos

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa Informações gerais Produzido por BSD Brasil. Pode ser reproduzido desde que citada a fonte. Introdução Lançada em novembro de 1999, em versão

Leia mais

Michel Epelbaum ellux consultoria

Michel Epelbaum ellux consultoria Michel Epelbaum ellux consultoria 70 s e 80 s: controle e auditorias ambientais 1987: Relatório Brundtland 1991: ICC - Carta Empr. p/ o Des. Sust. 1992: ECO 92 Agenda 21 1992: WBCSD conceito de eco-eficiência

Leia mais

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS do conteúdo dos Indicadores Ethos com outras iniciativas Com a evolução do movimento de responsabilidade social e sustentabilidade, muitas foram as iniciativas desenvolvidas

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Introdução A consulta a seguir é um novo passo em direção às melhores práticas

Leia mais

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade OQUEABOLSATEMA A VER COM SUSTENTABILIDADE? Aplicar na Bolsa, visando à formação de patrimônio ou reservas para a utilização futura, envolve normalmente um horizonte de longo prazo. Selecionar empresas

Leia mais

AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTES AMBIENTAIS E SOCIAIS DE ATIVIDADES, PRODUTOS E SERVIÇOS

AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTES AMBIENTAIS E SOCIAIS DE ATIVIDADES, PRODUTOS E SERVIÇOS AVALIAÇÃO E GESTÃO DE IMPACTES AMBIENTAIS E SOCIAIS DE ATIVIDADES, PRODUTOS E SERVIÇOS POLÍTICA E COMPROMISSOS: Na nossa Política de Responsabilidade Corporativa estabelecemos o compromisso de incluir

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011 Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2011 Resumo Este documento apresenta o Inventário corporativo de Emissões Diretas e Indiretas

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa São Paulo, 03 de setembro de 2013 VI SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS - SHS 2013 EMISSÕES

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo

Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo Global Reporting Initiative Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo O que é relatório de Sustentabilidade? t d Ambiental Econômico Social Mas como medir e Monitorar esses impactos?

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

ANEXO Tabela 1 1 Referência para as Melhores Práticas Internacionais Geralmente Reconhecidas 2

ANEXO Tabela 1 1 Referência para as Melhores Práticas Internacionais Geralmente Reconhecidas 2 De COLUMBIA INVESTMENT YEARBOOK, 2011 2012 C H A P T E R 4 THE INTERNATIONAL BAR ASSOCIATION MODEL MINE DEVELOPMENT AGREEMENT PROJECT: A STEP TOWARD BETTER PRACTICE AND BETTER DEVELOPMENT RESULTS LUKE

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal

O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal 10 ANOS DO IPCG O GOVERNO SOCIETÁRIO EM PORTUGAL O Desenvolvimento do Corporate Governance em Portugal Lisboa, 09 de Julho de 2013 SUMÁRIO 1. Acontecimentos empresariais e governance 2. Fatores normativos

Leia mais

Symposium on Sustainable Development: New Dimensions for Society & Business Espaço Tom Jobim, Jardim Botânico, Rio de Janeiro, 18 June 2012

Symposium on Sustainable Development: New Dimensions for Society & Business Espaço Tom Jobim, Jardim Botânico, Rio de Janeiro, 18 June 2012 Symposium on Sustainable Development: New Dimensions for Society & Business Espaço Tom Jobim, Jardim Botânico, Rio de Janeiro, 18 June 2012 F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L

Leia mais

Desafios na Gestão de Fornecedores emissões de âmbito 3 e outros

Desafios na Gestão de Fornecedores emissões de âmbito 3 e outros www.pwc.pt Desafios na Gestão de Fornecedores emissões de âmbito 3 e outros Cláudia Coelho, Senior Manager, Sustainable Business Solutions 3 de abril 2014 Os desafios na gestão da cadeia de fornecedores

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA E SUSTENTABILIDADE

GOVERNANÇA CORPORATIVA E SUSTENTABILIDADE 23 de Janeiro de 2014 Page 1 SUSTENTABILIDADE MAURO AMBRÓSIO 23 de Janeiro de 2014 Page 2 MAURO AMBRÓSIO Sócio-diretor Mini currículo Mauro Ambrósio é Contador, Advogado e Administrador de Empresas, auditor

Leia mais

Diretrizes para Relato de Sustentabilidade GRI Medição, monitoramento, prestação de contas e mudanças positivas

Diretrizes para Relato de Sustentabilidade GRI Medição, monitoramento, prestação de contas e mudanças positivas Diretrizes para Relato de Sustentabilidade GRI Medição, monitoramento, prestação de contas e mudanças positivas Fiesp 11/06/15 O que é a GRI? Organização internacional sem fins lucrativos sediada na Holanda

Leia mais

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014 INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014 A liberação de gases de efeito estufa (GEE) associada às atividades humanas em todo o mundo é reconhecida como a principal causa das mudanças climáticas que vem sendo observadas

Leia mais

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade OQUEABOLSATEMA A VER COM SUSTENTABILIDADE? Aplicar na Bolsa, visando à formação de patrimônio ou reservas para a utilização futura, envolve normalmente um horizonte de longo prazo. Selecionar empresas

Leia mais

Responsabilidade Social Empresarial: Como as organizações de saúde estão implementando e reportando suas iniciativas sócio ambientais?

Responsabilidade Social Empresarial: Como as organizações de saúde estão implementando e reportando suas iniciativas sócio ambientais? Responsabilidade Social Empresarial: Como as organizações de saúde estão implementando e reportando suas iniciativas sócio ambientais? 1 P r i n c í p i o s S u s t e n t á v e i s Agenda O que é Sustentabilidade?

Leia mais

Reunião do Conselho Empresarial de Responsabilidade Social. Sustentabilidade Corporativa

Reunião do Conselho Empresarial de Responsabilidade Social. Sustentabilidade Corporativa Reunião do Conselho Empresarial de Responsabilidade Social Sustentabilidade Corporativa F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L V I M E N T O S U S T E N T Á V E L Índice A FBDS Sustentabilidade

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil Piracicaba, 15 de Agosto de 2013 Muito obrigada!! Conteúdo: Desafio da Sustentabilidade Relato de Sustentabilidade

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO O que isto tem a ver com o modelo de gestão da minha Instituição de Ensino? PROF. LÍVIO GIOSA Sócio-Diretor da G, LM Assessoria Empresarial Coordenador

Leia mais

Apresentação Aliança Consultoria. José Carlos de Oliveira e Marcus Vinicius Abrahão Porto Silva

Apresentação Aliança Consultoria. José Carlos de Oliveira e Marcus Vinicius Abrahão Porto Silva Apresentação Aliança Consultoria José Carlos de Oliveira e Marcus Vinicius Abrahão Porto Silva SOBRE A ALIANÇA Empresa fundada em 1993, através de uma parceria com a Fundação Christiano Otoni da Universidade

Leia mais

Proposta de Modelo de Avaliação de Gestão e Governança para Bancos

Proposta de Modelo de Avaliação de Gestão e Governança para Bancos Proposta de Modelo de Avaliação de Gestão e Governança para Bancos Sílvia Marques de Brito e Silva Amaro Luiz de Oliveira Gomes Bacen/Denor Estrutura da Apresentação 1. Objetivo do trabalho 2. Importância

Leia mais

O ambiente no tempo (1)

O ambiente no tempo (1) !" # " O ambiente no tempo (1) O ambiente como não preocupação O ambiente como tema isolado de um contexto O ambiente como parte de um todo mais vasto O ambiente no tempo (2) O ambiente como não preocupação:

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

Palavras-chave: contabilidade ambiental; evidenciação ambiental.

Palavras-chave: contabilidade ambiental; evidenciação ambiental. RGSA Revista de Gestão Social e Ambiental Jan. - Abr. 2007, V. 1, Nº. 1, pp. 102-115 www.rgsa.com.br ANÁLISE DE RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE, COM ÊNFASE NA GRI: COMPARAÇÃO ENTRE EMPRESAS DO SETOR DE

Leia mais

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013 INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013 A liberação de gases de efeito estufa (GEE) associada às atividades humanas em todo o mundo é reconhecida como a principal causa das mudanças climáticas que vem sendo observadas

Leia mais

Emprego da Contabilidade de Custos Ecológicos em um Projeto de Produção Enxuta de uma Indústria Automobilística Brasileira

Emprego da Contabilidade de Custos Ecológicos em um Projeto de Produção Enxuta de uma Indústria Automobilística Brasileira Emprego da Contabilidade de Custos Ecológicos em um Projeto de Produção Enxuta de uma Indústria Automobilística Brasileira Fabiana Giusti Serra 2015 Indústria automobilística brasileira A indústria automobilística

Leia mais

Ajudamos os nossos clientes a criar valor a longo prazo. www.pwc.com/pt

Ajudamos os nossos clientes a criar valor a longo prazo. www.pwc.com/pt Ajudamos os nossos clientes a criar valor a longo prazo www.pwc.com/pt A atual crise financeira veio demonstrar que os mercados e as empresas são realidades muito mais complexas e interrelacionadas do

Leia mais

Estratégia e Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial. Aula 6

Estratégia e Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial. Aula 6 Estratégia e Desenvolvimento Sustentável Aula 6 Prof. Marcos Rogério Maioli rogeriomaioli@grupouninter.com.br Investimentos com Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial MBA em Planejamento

Leia mais

Sustentabilidade e Mudança Climática

Sustentabilidade e Mudança Climática Sustentabilidade e Mudança Climática 23 de Setembro 2009 Definindo uma Estratégia Corporativa para lidar com Mudanças Climáticas de forma sustentável Aceitar que o debate está concluído Entender a sua

Leia mais

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias Sustentabilidade no Grupo Boticário Atuação com a Rede de Franquias Mais de 6.000 colaboradores. Sede (Fábrica e Escritórios) em São José dos Pinhais (PR) Escritórios em Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

Leia mais

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Preâmbulo. resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage. Preâmbulo Para a elaboração da Política de Sustentabilidade do Sicredi, foi utilizado o conceito de Sustentabilidade proposto pela abordagem triple bottom line (TBL), expressão que reúne simultaneamente

Leia mais

Comunicação Institucional Visão de Futuro

Comunicação Institucional Visão de Futuro Comunicação Institucional Visão de Futuro Organograma Presidente Comunicação Institucional Assistente Imagem Corporativa e Marcas Comitê Estratégico Imprensa Planejamento e Gestão Atendimento e Articulação

Leia mais

NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS. Inventários de Emissões

NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS. Inventários de Emissões NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS Inventários de Emissões O QUE É UM INVENTÁRIO? Um inventário corporativo de emissões diretas e indiretas de gases de efeito estufa é a

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

MUDANÇA DO CLIMA E ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS:

MUDANÇA DO CLIMA E ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS: MUDANÇA DO CLIMA E ESTRATÉGIAS EMPRESARIAIS: INVENTEARIOS DE EMISSÕES E METODOLOGIAS Carlos Henrique Delpupo 28 / 05 / 2010 CONTEÚDO 1.Visão geral 2. Inventário de Emissões 4. Mercado de carbono 5. Riscos

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA 2

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA 2 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA 2 ESTRATÉGIAS E INSTRUMENTOS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMBIENTAL

Leia mais

Melhores Práticas em TI

Melhores Práticas em TI Melhores Práticas em TI Referências Implantando a Governança de TI - Da Estratégia à Gestão de Processos e Serviços - 2ª Edição Edição - AGUINALDO ARAGON FERNANDES, VLADIMIR FERRAZ DE ABREU. An Introductory

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2/11 Sumário 1. Conceito... 3 2. Objetivo... 3 3. Áreas de aplicação... 3 4. Diretrizes... 4 4.1 Princípios... 4 4.2 Estratégia de e Responsabilidade

Leia mais

O compromisso da Abreu Advogados

O compromisso da Abreu Advogados 2 0 0 15 0 10 0 5 0 0 4 7 65 17 3 7 199 3 19 98 200 3 2011 A n os 16 5 7 5 2 6 Staff Admin istrativo Advogados ( in cluin do só cios) Só cios O compromisso da Abreu Advogados Quem Somos Somos uma Sociedade

Leia mais

Responsabilidade socioambiental: caminhos para uma política empresarial

Responsabilidade socioambiental: caminhos para uma política empresarial Responsabilidade socioambiental: caminhos para uma política empresarial Referência mundial em sustentabilidade, com Bolsa de Johanesburgo, pelo Relatório Bolsas de Valores Sustentáveis Relatório de Progresso,

Leia mais

2. Mensuração da sustentabilidade corporativa

2. Mensuração da sustentabilidade corporativa 2. Mensuração da sustentabilidade corporativa Com a crescente busca por produtos ecologicamente corretos, países consumidores, em particular os europeus, estão buscando informações sobre as emissões de

Leia mais

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013

SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX. Agosto 2013 SUSTENTABILIDADE: estratégia de geração de valor para a MMX Agosto 2013 ESTRATÉGIA EM SUSTENTABILIDADE Visão Uma estratégia de sustentabilidade eficiente deve estar alinhada com o core business da empresa

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE

PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGURO 2014 GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE O modelo de Gestão da Sustentabilidade do GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE é focado no desenvolvimento de

Leia mais

GT de Empresas Pioneiras em Relatórios de Sustentabilidade

GT de Empresas Pioneiras em Relatórios de Sustentabilidade GT de Empresas Pioneiras em Relatórios de Sustentabilidade Comissão Brasileira de Acompanhamento do Relato Integrado Tendências e Desafios da Integração de Informações Financeiras e de Sustentabilidade:

Leia mais

Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP

Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP 12 de Outubro 2005 Reportar o desempenho de sustentabilidade de uma empresa: O caso EDP Neves de Carvalho EDP Energias de Portugal SA Existe globalmente uma crise de credibilidade nas instituições que

Leia mais

Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos

Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos Adriana Boscov Superintendente de Sustentabilidade Empresarial SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos QUAL A RELAÇÃO DE SUSTENTABILIDADE COM

Leia mais

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Rita Almeida Dias 18 Setembro de 2012 2012 Sustentare Todos os direitos reservados Anterior Próximo www.sustentare.pt

Leia mais

A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira. Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros

A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira. Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros 15 de Agosto 2013 Agenda Conceitos e Evolução Atuação do Setor Financeiro O Mercado

Leia mais

O PAPEL DO SECRETARIADO NA IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS. Cláudia Kniess e Maria do Carmo Todorov

O PAPEL DO SECRETARIADO NA IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS. Cláudia Kniess e Maria do Carmo Todorov O PAPEL DO SECRETARIADO NA IMPLANTAÇÃO DE PROJETOS SUSTENTÁVEIS Cláudia Kniess e Maria do Carmo Todorov AGENDA INTRODUÇÃO Conceitos de Sustentabilidade x Desenvolvimento Sustentável Projetos Sustentáveis

Leia mais

A sustentabilidade inserida na gestão estratégica da empresa. Lanakaná Princípios Sustentáveis

A sustentabilidade inserida na gestão estratégica da empresa. Lanakaná Princípios Sustentáveis A sustentabilidade inserida na gestão estratégica da empresa 1 O que é Sustentabilidade? Agenda A estratégia das 100 maiores Balance Scorecard Sustentabilidade uma nova Perspectiva? Governança Corporativa

Leia mais

Gerenciamento da Integração (PMBoK 5ª ed.)

Gerenciamento da Integração (PMBoK 5ª ed.) Gerenciamento da Integração (PMBoK 5ª ed.) O PMBoK diz que: O gerenciamento da integração do projeto inclui os processos e as atividades necessárias para identificar, definir, combinar, unificar e coordenar

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR DE DO GRUPO INVEPAR PÁGINA Nº 2/5 1. INTRODUÇÃO Desenvolver a gestão sustentável e responsável nas suas concessões é um componente fundamental da missão Invepar de prover e operar sistemas de mobilidade

Leia mais

Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva

Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva Engenharia de Produção Motivação para o emprego do Ecodesign: : um estudo de caso na indústria automotiva Miriam Borchardt Leonel Augusto C. Poltosi Miguel A. Sellitto Giancarlo M. Pereira Introdução Ecodesign:

Leia mais

Jornada de Valor. Novembro de 2010

Jornada de Valor. Novembro de 2010 Jornada de Valor Novembro de 2010 Planejando o crescimento O valor da empresa em uma transação está diretamente relacionado à percepção de valor de investidores, à governança corporativa, transparência

Leia mais

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Em 2013, a Duratex lançou sua Plataforma 2016, marco zero do planejamento estratégico de sustentabilidade da Companhia. A estratégia baseia-se em três

Leia mais

Gestão da. Simpósio Internacional sobre Mudança de Clima & Oportunidades de Negócios com Crédito de Carbono. Gestão da. Sustentabilidade Empresarial

Gestão da. Simpósio Internacional sobre Mudança de Clima & Oportunidades de Negócios com Crédito de Carbono. Gestão da. Sustentabilidade Empresarial Simpósio Internacional sobre Mudança de Clima & Oportunidades de Negócios com Crédito de Carbono Gestão da Ricardo Prata Camargos Superintendência de Gerência de Responsabilidade Ambiental e Social Florianópolis,

Leia mais

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação

CobiT 5. Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação CobiT 5 Como avaliar a maturidade dos processos de acordo com o novo modelo? 2013 Bridge Consulting All rights reserved Apresentação Sabemos que a Tecnologia da

Leia mais

O Desafio da Sustentabilidade no Setor Petroquímico

O Desafio da Sustentabilidade no Setor Petroquímico Seminário Nacional de Gestão Sustentável nos Municípios Relato de Experiências O Desafio da Sustentabilidade no Setor Petroquímico Porto Alegre, 28 de Março de 2008 Roteiro Empresa Cenários Conceitos Dimensão

Leia mais

GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM SUSTENTABILIDADE

GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM SUSTENTABILIDADE GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM SUSTENTABILIDADE GUIA DE MELHORES PRÁTICAS EM SUSTENTABILIDADE Comissão Técnica Nacional de Sustentabilidade novembro/2014 Sumário Desenvolver e aplicar análises ESG - ambiental,

Leia mais

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015

ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 ANEXO 2 Estrutura Modalidade 1 ELIS PMEs PRÊMIO ECO - 2015 Critérios Descrições Pesos 1. Perfil da Organização Breve apresentação da empresa, seus principais produtos e atividades, sua estrutura operacional

Leia mais

FÓRMULA DE CRIAÇÃO DE VALOR

FÓRMULA DE CRIAÇÃO DE VALOR Por Rodrigo Cantusio Segurado A Cirrus Management Consulting criou a metodologia Fórmula de Criação de Valor para orientar as organizações a avaliar a aderência do modelo de gestão, atividades, investimento

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

Ferramentas normativas de Responsabilidade Social

Ferramentas normativas de Responsabilidade Social Ferramentas normativas de Responsabilidade Social A presente pesquisa busca apresentar algumas ferramentas normativas de Responsabilidade Social descrevendo a sua finalidade, como e por quem ela tem sido

Leia mais

GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS

GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS 2015 E m um período de profundas mudanças socioambientais, torna-se ainda mais estratégico incluir a sustentabilidade

Leia mais

SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE

SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE 48 REVISTA RI Junho Julho 2013 Entre os dias 22 e 24 de maio, em Amsterdã (Holanda), a Global Reporting Initiative (GRI) realizou sua Conferência

Leia mais

O Compromisso Crescimento Verde e a Sustentabilidade na Secil

O Compromisso Crescimento Verde e a Sustentabilidade na Secil O Compromisso Crescimento e a Sustentabilidade na Secil GONÇALO SALAZAR LEITE CEO GRACE - Encontro Temático Crescimento 1 Ponto de Partida O cimento é um bem essencial ao conforto, segurança e património

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

É Urgente Construir Pontes Entre

É Urgente Construir Pontes Entre É Urgente Construir Pontes Entre Responsabilidade Social e Corporate Governance Miguel Athayde Marques athayde.marques@ucp.pt Responsabilidade Social e Corporate Governance Lisboa, 27 de Novembro de 2014

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA

GOVERNANÇA CORPORATIVA GOVERNANÇA CORPORATIVA Os valores que lastreiam as práticas da Companhia são: transparência, prestação de contas, conformidade e equidade. Transparência refere-se em particular às informações que têm reflexo

Leia mais

A evolução necessária dos relatórios de sustentabilidade nas empresas Portuguesas

A evolução necessária dos relatórios de sustentabilidade nas empresas Portuguesas A evolução necessária dos relatórios de sustentabilidade nas empresas Portuguesas I Fórum de Responsabilidade Social das Organizações Workshop sobre as novas Directrizes da GRI G3 10 Novembro 2006 Sofia

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE SUSTENTABILIDADE

RELATÓRIO ANUAL DE SUSTENTABILIDADE RELATÓRIO ANUAL DE SUSTENTABILIDADE GRI 2012 2 RELATÓRIO ANUAL DE SUSTENTABILIDADE 2012 SUMÁRIO 05 A ESSÊNCIA DO NEGÓCIO 30 COMPROMISSO COM O MEIO AMBIENTE 71 SAÚDE E SEGURANÇA EM PRIMEIRO LUGAR 93 SOBRE

Leia mais

Conjunto de diretrizes e ferramentas para empresas que visam contribuir efetivamente

Conjunto de diretrizes e ferramentas para empresas que visam contribuir efetivamente PROJETO SIGMA País Grã-Bretanha O que é Conjunto de diretrizes e ferramentas para empresas que visam contribuir efetivamente para o DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (DS). Origem O Projeto SIGMA foi lançado

Leia mais

Normas Internacionales de Contabilidad Financiera y su impacto en la naturaleza democrática de las cooperativas. Palestrante Edimir Oliveira Santos

Normas Internacionales de Contabilidad Financiera y su impacto en la naturaleza democrática de las cooperativas. Palestrante Edimir Oliveira Santos Normas Internacionales de Contabilidad Financiera y su impacto en la naturaleza democrática de las cooperativas Palestrante Edimir Oliveira Santos Agenda da Apresentação 1. Importância dos Padrões Internacionais

Leia mais