ENEGEP Relatórios de Sustentabilidade GRI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENEGEP 2013. Relatórios de Sustentabilidade GRI"

Transcrição

1 ENEGEP 2013 Relatórios de Sustentabilidade GRI 11 de Outubro

2 Sustentabilidade, Sociedade e Mercado Recursos Ambientais Recursos Sociais SUS TENTA BILIDADE Recursos Econômico- Financeiros Adaptado de Alledi, 2003 Busca do Equilíbrio Razões para Investir em Sustentabilidade X Business as Usual Menor custo de produção (menos insumos/desperdício) Antecipação de pressões legais e da sociedade Facilidade de acesso ao capital Menor exposição a riscos Melhor alinhamento com práticas/políticas Impacto positivo na reputação (Intangíveis) Identificação de novas oportunidades de negócio Fonte Textos: Adaptado de Imagem: Google Images. Disponível em: Acesso em: 24 Set

3 Índice de Sustentabilidade Empresarial Desempenho das Ações 100% das Empresas Listadas no ISE publicam Relatório de Sustentabilidade; 84% usam GRI Fonte: BM&F Bovespa. Boletim ISE Janeiro Disponível em: Acesso em: 13 de Fev Motivações da Inclusão da Sustentabilidade e da Prestação de Contas na Agenda Corporativa Aberturas de capital/bovespa + 50% ( ); 64 empresas listadas em 2007 Novos padrões de transparência/governança: N. Mercado, Brasil/ISO Criação do ISE-Bovespa; inclusão de empresas no DJSI (Aracruz, Bradesco, Banco Itaú, CEMIG, Itausa, Petrobras, Usiminas, VCP) Maior participação de investidores estrangeiros em empresas brasileiras Internacionalização das empresas brasileiras: exposição às melhores práticas Consolidação da GRI: Ponto Focal/entendimento sobre a metodologia/gri-g3 Fonte Texto: SustainAbility, FBDS, UNEP. Rumo à Credibilidade: uma pesquisa de relatórios de sustentabilidade no Brasil. Dez Fonte Imagem: Acesso:

4 Incorporação da Sustentabilidade à Gestão Análise do negócio sob a ótica da Sustentabilidade Revisão conceitual e diagnóstico da Sustentabilidade Elaboração de Planos de Ação Comunicação e Relatórios Mecanismos para incorporar na gestão (Processos, procedimentos e políticas criados e/ou revistos sob a ótica da sustentabilidade) Fonte: Adaptado de Instituto Ethos. Disponível em: Acesso em: 17/08/2010 Top 10 (Finalistas): Natura, Sabesp, Celulose Irani, EDP, Vale, Coelce, Itaú, Ampla, Even, Light 4

5 Relatórios de sustentabilidade são a prática de medir e divulgar o desempenho organizacional enquanto se trabalha rumo ao desenvolvimento sustentável. Um relatório de sustentabilidade fornece uma declaração equilibrada e razoável do desempenho de sustentabilidade da organização, incluindo contribuições positivas e negativas. (Diretrizes Para Relatórios de Sustentabilidade 2006, da GRI) O diálogo com os principais públicos é a base para a elaboração de um relatório de sustentabilidade que espelhe com maior fidelidade os aspectos sociais, ambientais e econômicos relevantes... GRI. Diretrizes GRI G Disponível em: A cesso em 20 de abr Global Reporting Initiative GRI Organização sem fins lucrativos, criada em 1997; sede em Amsterdã, Holanda Rede multistakeholder global de milhares de indivíduos, especialistas e representantes de grupos da sociedade (empresas, ONGs, academia, etc.) Desenvolve diretrizes para a elaboração de relatórios de sustentabilidade: Diretrizes GRI G3/G3.1 e G4 Fontes: Diretrizes GRI G3. Disponível em: e Gláucia Térreo. Comunicação Pessoal. 5

6 GRI Global Reporting Initiative GRI G3 Níveis de Aplicação C Iniciantes B Intermediários A Avançados Verif. Externa: A+/ B+/ C+ Checagem de Nível pela GRI Fonte: Diretrizes GRI-G3. Disponível em: Relatório de Sustentabilidade Como funciona? Diretrizes da GRI Princípios Como relatar Conteúdo do relatório O que relatar Conteúdo Qualidade Limites Perfil Forma de Gestão Indicadores de Desempenho 6

7 Relatório de Sustentabilidade Como funciona? Diretrizes da GRI Princípios Como relatar Conteúdo Qualidade Limites Contexto - Estratégia e Análise - Perfil Organizacional - Parâmetros do Relatório - Governança, Compromissos e Engajamento Contexto Breve visão da gestão no que tange aos aspectos definidos sob cada categoria Resultado: de indicador - Econômico - Ambiental Conteúdo - Práticas Trabalhistas O que relatar - Trabalho Decente - Direitos Humanos - Sociedade - Responsabilidade de Produto Perfil Forma de Gestão Indicadores de Desempenho Relatório de Sustentabilidade Como funciona? Diretrizes da GRI Princípios Como relatar Conteúdo Qualidade Limites Contexto - Estratégia e Análise - Perfil Organizacional - Parâmetros do Relatório - Governança, Compromissos e Engajamento Contexto Breve visão da gestão por aspecto (objetivos, política, treinamento, monitoramento, Resultado: responsabilidades, Conteúdo do treinamento, - Econômico etc) - Ambiental relatório - Práticas Trabalhistas O que relatar - Trabalho Decente - Direitos Humanos - Sociedade - Responsabilidade de Produto Perfil Forma de Gestão Indicadores de Desempenho 7

8 Relatório de Sustentabilidad e Como funciona? Diretrizes da GRI Princípios Como relatar Conteúdo Qualidade Conteúdo do relatório O que relatar Contexto - Estratégia e Análise - Perfil Organizacional - Parâmetros do Relatório - Governança, Compromissos e Contexto Engajamento Perfil Forma de Gestão Breve visão da gestão no que tange aos aspectos definidos sob cada categoria de indicador Resultado: Econômico Ambiental Social Práticas Trabalhistas/Trabalho Decente Direitos Humanos Sociedade Responsabilidade de Produto Limites Indicadores de Desempenho Relatório GRI Case Vale Fonte: Vale. Relatório de Sustentabilidade Disponível em: Acesso em: 4 Out

9 Relatório de Sustentabilidade GRI PRINCÍPIO DO ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Princípios: Inclusão de Stakeholders e Materialidade Bunge Fonte: Bunge - Relatório de Sustentabilidade Edição 2013 Brasil. Disponível em: Acesso em: 4 Out

10 Princípio da Inclusão de Stakeholders Bunge Fonte: Bunge - Relatório de Sustentabilidade Edição 2013 Brasil. Disponível em: Acesso em: 4 Out Princípio da Materialidade As informações no relatório devem cobrir temas e indicadores que reflitam os impactos econômicos, ambientais e sociais significativos da organização ou possam influenciar de forma substancial as avaliações e decisões dos stakeholders. Materialidade Método para determinar indicadores que irão: Constar no relatório Receber foco na organização Gerenciamento Medição Relato Fonte: Diretrizes GRI-G3. Disponível em: Acesso em: 7 Ago

11 Vale Fonte: Vale. Relatório de Sustentabilidade Disponível em: Acesso em: 4 Out Princípio do Equilíbrio Vale Fonte: Vale. Relatório de Sustentabilidade Disponível em: Acesso em: 4 Out

12 Indicador Econômico EC1 - Vale Fonte: Vale. Relatório de Sustentabilidade Disponível em: Acesso em: 4 Out Indicador Social - PR8 - Tim Reclamações quanto a violação de privacidade A TIM impede o acesso desautorizado e o uso indevido de informações pessoais de seus clientes. A Política de Privacidade de Dados de Clientes apenas permite o acesso aos registros cadastrais e aos dados de comunicação dos usuários a colaboradores e terceiros, que, devido ao escopo de seu trabalho, precisem acessar essas informações. Em todos os casos, a divulgação das informações, interna ou externamente é proibida, só sendo permitida nos casos de fornecimento de dados para outras prestadoras de serviços de telecomunicações (previsto em Resolução n.º 343/2003 da Anatel) e para a Justiça, sob orientação da área interna competente, A empresa encerrou 2011 com duas ações de clientes referentes a violação de privacidade. 12

13 Indicador Ambiental EN22 - Vale Fonte: Vale. Relatório de Sustentabilidade Disponível em: Acesso em: 4 Out Prepare Conecte-se Defina Fases do processo de elaboração O processo GRI parte de uma estratégia mais ampla... Ele tem que ajudar a organização a ser mais eficiente, focada e sustentável. Monitore Relate 13

14 Relatório GRI como Instrumento de Gestão - Vale Fonte: A Nova Versão GRI G4 Destaques Níveis A/B/C e o + deixam de existir Critérios em Conformidade Core /Essencial; Comprehensive /Abrangente Análise estratégica de impactos e foco na Materialidade (o que importa e onde) Cadeia de valor/abastecimento Alinhamento P.Global/OCDE/outros e com Relatórios Integrados Atualização de conteúdos/inclusão de novos itens Aspectos Relevantes/Materialidade e Limites Governança, Ética e Integridade, Combate à Corrupção, Direitos Humanos Energia e Emissões de GEE (Protocolo GEE WRI/WBCSD) Lançada em Maio/2013, na Conferência da GRI em Amsterdã Grupos de Trabalho (120 pessoas), Reuniões e Web conferências Cerca de 100 mil envolvidos (workshops globais) Duas consultas públicas 14

15 GRI G4: Foco na Cadeia de Valor Bunge Fonte: Bunge - Relatório de Sustentabilidade Edição 2013 Brasil. Disponível em: Acesso em: 4 Out Como o Mercado vê o Relato em Sustentabilidade Relate ou Explique XX 15

16 e Ingrid Cicca Relatório de Sustentabilidade da GRI: QUANTO VALE ESSA JORNADA? Fonte: Série de Aprendizagem GRI - Pontos de Partida 16

17 Motivos para as organizações embarcarem em um processo de relato de sustentabilidade a b c d Demonstrar compromisso e ser transparente Demonstrar capacidade de participar em mercados competitivos Planejar atividades, tornar-se mais sustentável e posicionar a empresa Seguir a legislação Fonte: Série de Aprendizagem GRI - Pontos de Partida Pontos importantes... PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE APRENDER A MUDAR Jornada da descoberta Começar a medir, compreender, melhorar e relatar seu desempenho em relação ao desenvolvimento sustentável 17

18 O processo de elaboração de relatório é um processo em que a organização......passa a compreender os impactos econômicos, sociais e ambientais de suas atividades Estabelece um diálogo com seus stakeholders sobre esses impactos... 18

19 Define quais são os aspectos e indicadores mais importantes para refletir suas contribuições econômicas, ambientais e sociais... Define metas... 19

20 Monitora... Comunica todas as fases. 20

21 Pontos a considerar antes de implementar a elaboração de Relatórios de Sustentabilidade da GRI O que exatamente é o processo de elaboração de relatórios de sustentabilidade? É difícil? É preciso um especialista? É só para grandes organizações? É caro? É uma poção mágica? Fonte: Série de Aprendizagem GRI - Pontos de Partida Obrigada!!! (21) (21)

Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil. BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013

Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil. BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013 Global Reporting Initiative Glaucia Terreo Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil Oficina Introdutória GRI BM&FBOVESPA, São Paulo, fev/2013 AQUECIMENTO!!!!!!! 1 Escreva sua missão de vida: 2 Quais

Leia mais

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil ONG sediada em Amsterdã Criada em 1997 no Estados Unidos a partir da idéia de que

Leia mais

Diretrizes para Relato de Sustentabilidade GRI Medição, monitoramento, prestação de contas e mudanças positivas

Diretrizes para Relato de Sustentabilidade GRI Medição, monitoramento, prestação de contas e mudanças positivas Diretrizes para Relato de Sustentabilidade GRI Medição, monitoramento, prestação de contas e mudanças positivas Fiesp 11/06/15 O que é a GRI? Organização internacional sem fins lucrativos sediada na Holanda

Leia mais

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS

CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS CORRELAÇÃO COM OUTRAS INICIATIVAS do conteúdo dos Indicadores Ethos com outras iniciativas Com a evolução do movimento de responsabilidade social e sustentabilidade, muitas foram as iniciativas desenvolvidas

Leia mais

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Catarina Bronstein Coordenadora GRI Brasil

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Catarina Bronstein Coordenadora GRI Brasil Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade Catarina Bronstein Coordenadora GRI Brasil GRI ONG sediada em Amsterdam Criada em 1997 no Estados Unidos a partir da idéia de que

Leia mais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa Informações gerais Produzido por BSD Brasil. Pode ser reproduzido desde que citada a fonte. Introdução Lançada em novembro de 1999, em versão

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo

Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo Global Reporting Initiative Diretrizes para Relatórios de Sustentabilidade Glaucia Terreo O que é relatório de Sustentabilidade? t d Ambiental Econômico Social Mas como medir e Monitorar esses impactos?

Leia mais

Relatórios de Sustentabilidade: oportunidade de diálogo e inovação

Relatórios de Sustentabilidade: oportunidade de diálogo e inovação Relatórios de Sustentabilidade: oportunidade de diálogo e inovação 03 de janeiro de 2009 14ª Audiência de Sustentabilidade Sabesp Perfil Itaú 69 mil colaboradores 24 milhões de clientes 60 mil acionistas

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Geraldo Soares IBRI; Haroldo Reginaldo Levy Neto

Leia mais

Informações Integradas

Informações Integradas Informações Integradas IMPLANTAÇÃO DO RELATO INTEGRADO: O CASE DA SANASA REUNIÃO TÉCNICA DE NORMAS INTERNACIONAIS Tatiana Gama Ricci São Paulo, 22 de maio de 2015 Evolução das Informações não financeiras

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

INDEPENDENTE DECLARAÇÃO DE AVALIAÇÃO INTRODUÇÃO ESCOPO DO TRABALHO METODOLOGIA BUREAU VERITAS CERTIFICATION

INDEPENDENTE DECLARAÇÃO DE AVALIAÇÃO INTRODUÇÃO ESCOPO DO TRABALHO METODOLOGIA BUREAU VERITAS CERTIFICATION Relatório 2014 Novo Olhar para o Futuro DECLARAÇÃO DE AVALIAÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION INTRODUÇÃO O Bureau Veritas Certification Brasil (Bureau Veritas) foi contratado pela Fibria Celulose

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Reunião do Conselho Empresarial de Responsabilidade Social. Sustentabilidade Corporativa

Reunião do Conselho Empresarial de Responsabilidade Social. Sustentabilidade Corporativa Reunião do Conselho Empresarial de Responsabilidade Social Sustentabilidade Corporativa F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L V I M E N T O S U S T E N T Á V E L Índice A FBDS Sustentabilidade

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS. Conteúdo Conteúdo O Instituto Ethos Organização sem fins lucrativos fundada em 1998 por um grupo de empresários, que tem a missão de mobilizar, sensibilizar e ajudar as empresas a gerir seus negócios de forma socialmente

Leia mais

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade OQUEABOLSATEMA A VER COM SUSTENTABILIDADE? Aplicar na Bolsa, visando à formação de patrimônio ou reservas para a utilização futura, envolve normalmente um horizonte de longo prazo. Selecionar empresas

Leia mais

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias

Sustentabilidade no Grupo Boticário. Atuação com a Rede de Franquias Sustentabilidade no Grupo Boticário Atuação com a Rede de Franquias Mais de 6.000 colaboradores. Sede (Fábrica e Escritórios) em São José dos Pinhais (PR) Escritórios em Curitiba (PR) e São Paulo (SP).

Leia mais

Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos. Junho, 2013

Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos. Junho, 2013 Canais de diálogo com públicos impactados e mediação para resolução de conflitos Junho, 2013 1 Contexto Concentração espacial, econômica e técnica; Indústria é de capital intensivo e business to business

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Atuação da Organização 1. Qual(is) o(s) setor(es) de atuação da empresa? (Múltipla

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO CANA SUL 2008 RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL NO SETOR SUCROALCOOLEIRO Maria Luiza Barbosa Campo Grande, 23 de agosto de 2008 RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL É a forma de gestão que se define pela

Leia mais

Workshops de Revisão Março 2015

Workshops de Revisão Março 2015 Workshops de Revisão Março 2015 Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) GVces Criado em 2003, o GVces é uma iniciativa da

Leia mais

Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática. Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008

Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática. Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008 Economia,Mercado e Empresas de Construção Civil: a sustentabilidade na prática Paulo Itacarambi Instituto Ethos Setembro de 2008 Paulo Itacarambi SBCS08 1 Como Alcançar o Desenvolvimento Sustentável? Políticas

Leia mais

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão

Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Questionário de desempenho ambiental, social e de governança para as empresas participadas e investidas pelos Fundos de Pensão Introdução A consulta a seguir é um novo passo em direção às melhores práticas

Leia mais

Política de Sustentabilidade

Política de Sustentabilidade Seu futuro é o nosso compromisso. O presente documento visa trazer em seu conteúdo o posicionamento do INFRAPREV frente aos desafios propostos e impostos pelo desenvolvimento sustentável. Para formular

Leia mais

Secretaria de Gestão Pública de São Paulo. Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI

Secretaria de Gestão Pública de São Paulo. Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI Secretaria de Gestão Pública de São Paulo Guia de Avaliação de Maturidade dos Processos de Gestão de TI Objetivos As empresas e seus executivos se esforçam para: Manter informações de qualidade para subsidiar

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Comunicação Institucional Visão de Futuro

Comunicação Institucional Visão de Futuro Comunicação Institucional Visão de Futuro Organograma Presidente Comunicação Institucional Assistente Imagem Corporativa e Marcas Comitê Estratégico Imprensa Planejamento e Gestão Atendimento e Articulação

Leia mais

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA 2

PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA 2 PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO EM GESTÃO DA RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL E DESENVOLVIMENTO PETROBRÁS UNIVERSIDADE COORPORATIVA OFICINA 2 ESTRATÉGIAS E INSTRUMENTOS DE RESPONSABILIDADE SOCIAL AMBIENTAL

Leia mais

RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE

RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE PALESTRA RELATÓRIOS DE SUSTENTABILIDADE COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL CRA - RJ ADM Luiz Fernando Rodrigues 26/08/2014 ALINHANDO CONCEITOS Desenvolvimento Sustentável O objetivo do desenvolvimento

Leia mais

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo e Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil

Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo e Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil Global Reporting Initiative Diretrizes G4 para Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo e Catarina Bronstein Ponto Focal GRI Brasil GRI ONG sediada em Amsterdam Criada em 1997 no Estados Unidos a partir

Leia mais

DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION

DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION DECLARAÇÃO DE VERIFIÇÃO INDEPENDENTE BUREAU VERITAS CERTIFICATION INTRODUÇÃO O Bureau Veritas Certification Brasil (Bureau Veritas) foi contratado pela Companhia Energética de Minas Gerais S.A (Cemig),

Leia mais

A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira. Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros

A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira. Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros A Sustentabilidade no Processo de Decisão Financeira Indicadores e práticas nos setores de Crédito, Investimentos e Seguros 15 de Agosto 2013 Agenda Conceitos e Evolução Atuação do Setor Financeiro O Mercado

Leia mais

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil

Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade. Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil Global Reporting Initiative Relato de Sustentabilidade Glaucia Terreo Diretora Ponto Focal GRI Brasil Piracicaba, 15 de Agosto de 2013 Muito obrigada!! Conteúdo: Desafio da Sustentabilidade Relato de Sustentabilidade

Leia mais

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL

DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL DIRETRIZES PARA UM FORNECIMENTO SUSTENTÁVEL APRESENTAÇÃO A White Martins representa na América do Sul a Praxair, uma das maiores companhias de gases industriais e medicinais do mundo, com operações em

Leia mais

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas

TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NORMA INTERNA TÍTULO Norma de Engajamento de Partes Interessadas GESTOR DRM ABRANGÊNCIA Agências, Departamentos, Demais Dependências, Empresas Ligadas NÚMERO VERSÃO DATA DA PUBLICAÇÃO SINOPSE Dispõe sobre

Leia mais

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009

Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009 Conteúdo da apresentação Breve contexto Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão

Leia mais

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi

Controles Internos e Governança de TI. Charles Holland e Gianni Ricciardi Controles Internos e Governança de TI Para Executivos e Auditores Charles Holland e Gianni Ricciardi Alguns Desafios da Gestão da TI Viabilizar a inovação em produtos e serviços do negócio, que contem

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais

Desafios e Perspectivas no Ambiente Interno como Agente de Indução e Mobilização 14/09/2010

Desafios e Perspectivas no Ambiente Interno como Agente de Indução e Mobilização 14/09/2010 Desafios e Perspectivas no Ambiente Interno como Agente de Indução e Mobilização 14/09/2010 31 de março de 2010 Uma das maiores bolsas do mundo É a terceira maior bolsa do mundo, com valor de mercado de

Leia mais

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade

Aplicar na Bolsa, visando à formação de. envolve normalmente um horizonte de longo prazo. socialmente responsáveis e sustentabilidade OQUEABOLSATEMA A VER COM SUSTENTABILIDADE? Aplicar na Bolsa, visando à formação de patrimônio ou reservas para a utilização futura, envolve normalmente um horizonte de longo prazo. Selecionar empresas

Leia mais

SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE

SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE DIRETRIZES G4 DA GRI UM NOVO CAMINHO PARA A SUSTENTABILIDADE 48 REVISTA RI Junho Julho 2013 Entre os dias 22 e 24 de maio, em Amsterdã (Holanda), a Global Reporting Initiative (GRI) realizou sua Conferência

Leia mais

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios

Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Desenvolvimento da agenda sustentabilidade & negócios Em 2013, a Duratex lançou sua Plataforma 2016, marco zero do planejamento estratégico de sustentabilidade da Companhia. A estratégia baseia-se em três

Leia mais

Responsabilidade Social Empresarial

Responsabilidade Social Empresarial Responsabilidade Social Empresarial Henry Ford: produto e preço - Gestão de Produto e Processo. Jerome McCarty e Philip Kotler: produto, preço, praça (ponto de venda) e promoção. - Gestão de Marketing.

Leia mais

A Sustentabilidade no HSL. Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social

A Sustentabilidade no HSL. Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social A Sustentabilidade no HSL Diretoria de Filantropia e Responsabilidade Social Sustentabilidade HSL Panorama Geral Desequilíbrio do processo econômico Fonte: New Scientist (18 October 2008, p 40). Legenda:

Leia mais

Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás

Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás Princípios Orientadores sobre Empresas e Direitos Humanos e o Setor de Petróleo e Gás Ana Paula Grether Consultora da Gerência de Orientações e Práticas de Responsabilidade Social Gerência Executiva de

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade?

Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade? Meio acadêmico Sustentabilidade Diretrizes G4 da GRI: Quais os seus efeitos nos relatórios corporativos de sustentabilidade? Além do maior foco na cadeia de valor e na materialidade, a quarta geração (G4)

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA E SUSTENTABILIDADE

GOVERNANÇA CORPORATIVA E SUSTENTABILIDADE 23 de Janeiro de 2014 Page 1 SUSTENTABILIDADE MAURO AMBRÓSIO 23 de Janeiro de 2014 Page 2 MAURO AMBRÓSIO Sócio-diretor Mini currículo Mauro Ambrósio é Contador, Advogado e Administrador de Empresas, auditor

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO MODELO GRI PARA EVOLUÇÃO DO RELATO DE SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS: ESTUDO DE CASO DA NATURA

A CONTRIBUIÇÃO DO MODELO GRI PARA EVOLUÇÃO DO RELATO DE SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS: ESTUDO DE CASO DA NATURA 5, 6 e 7 de Agosto de 2010 ISSN 1984-9354 A CONTRIBUIÇÃO DO MODELO GRI PARA EVOLUÇÃO DO RELATO DE SUSTENTABILIDADE DAS ORGANIZAÇÕES BRASILEIRAS: ESTUDO DE CASO DA NATURA Patricia Moreira dos Santos (UFF)

Leia mais

Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual

Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual Melhores Práticas para a Elaboração e Divulgação do Relatório Anual Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Edina Biava Abrasca; Marco Antonio Muzilli IBRACON;

Leia mais

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT

Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT Mais valias dos Relatórios de Sustentabilidade Um contributo da PT A Responsabilidade Social Corporativa no Contexto da Internacionalização Abril, 2014 AGENDA QUEM SOMOS SUSTENTABILIDADE A IMPORTÂNCIA

Leia mais

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc Sustentabilidade em energia e o concreto Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL GRI IBASE Responsabilidade Social & Sustentabilidade Empresarial 1999 2001 a 2003 2006 AÇÃO

Leia mais

Estratégia e Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial. Aula 6

Estratégia e Desenvolvimento Sustentável. Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial. Aula 6 Estratégia e Desenvolvimento Sustentável Aula 6 Prof. Marcos Rogério Maioli rogeriomaioli@grupouninter.com.br Investimentos com Responsabilidade e Índices de Sustentabilidade Empresarial MBA em Planejamento

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa

PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL. Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa PROGRAMA BRASILEIRO GHG PROTOCOL Utilizando o inventário de emissões de GEE como ferramenta de gestão corporativa São Paulo, 03 de setembro de 2013 VI SEMINÁRIO HOSPITAIS SAUDÁVEIS - SHS 2013 EMISSÕES

Leia mais

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS

INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS INDICADORES ETHOS PARA NEGÓCIOS SUSTENTÁVEIS E RESPONSÁVEIS Os Indicadores Ethos são uma ferramenta de gestão, de uso gratuito, que visa apoiar

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO O que isto tem a ver com o modelo de gestão da minha Instituição de Ensino? PROF. LÍVIO GIOSA Sócio-Diretor da G, LM Assessoria Empresarial Coordenador

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Stakeholders GOVERNOS ORGANISMOS INTERNACIONAIS FORNECEDORES CONCORRENTES INDÚSTRIA DA COMUNICAÇÃO ACIONISTAS PROPRIETÁRIOS EMPRESA

Leia mais

Engajamento com Partes Interessadas

Engajamento com Partes Interessadas Instituto Votorantim Engajamento com Partes Interessadas Eixo temático Comunidade e Sociedade Principal objetivo da prática Apoiar o desenvolvimento de uma estratégia de relacionamento com as partes interessadas,

Leia mais

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade

Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Rede de Responsabilidade Social Empresarial pela Sustentabilidade Existe a compreensão evidente por parte das lideranças empresariais, agentes de mercado e outros formadores de opinião do setor privado

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Uma Publicação do Programa Global Reporters 2008. Rumo à Credibilidade Uma pesquisa de relatórios de sustentabilidade no Brasil

Uma Publicação do Programa Global Reporters 2008. Rumo à Credibilidade Uma pesquisa de relatórios de sustentabilidade no Brasil Uma Publicação do Programa Global Reporters 2008 Rumo à Credibilidade Uma pesquisa de relatórios de sustentabilidade no Brasil Índice Detalhes da Publicação Direitos autorais Prefácio Sumário executivo

Leia mais

PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 14, de 04 de setembro de 2012.

PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 14, de 04 de setembro de 2012. CODIM COMITÊ DE ORIENTAÇÃO PARA DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES AO MERCADO (ABRAPP ABRASCA AMEC ANBIMA ANCORD ANEFAC APIMEC BM&FBOVESPA CFC IBGC IBRACON IBRI) PRONUNCIAMENTO DE ORIENTAÇÃO Nº 14, de 04 de setembro

Leia mais

9) Política de Investimentos

9) Política de Investimentos 9) Política de Investimentos Política e Diretrizes de Investimentos 2010 Plano de Benefícios 1 Segmentos Macroalocação 2010 Renda Variável 60,2% 64,4% 28,7% 34,0% Imóveis 2,4% 3,0% Operações com Participantes

Leia mais

A Norma Brasileira: ABNT NBR 16001:2004

A Norma Brasileira: ABNT NBR 16001:2004 A Norma Brasileira: ABNT NBR 16001:2004 São Paulo, 17 de junho de 2010 1 Retrospectiva Dezembro de 2003 - Criado o ABNT/GTRS para discutir posição brasileira em relação ao desenvolvimento de uma norma

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR DE DO GRUPO INVEPAR PÁGINA Nº 2/5 1. INTRODUÇÃO Desenvolver a gestão sustentável e responsável nas suas concessões é um componente fundamental da missão Invepar de prover e operar sistemas de mobilidade

Leia mais

para a Governança Corporativa

para a Governança Corporativa Seminário A importância dos Websites de Sustentabilidade para os Públicos Estratégicos A relevância da sustentabilidade t d para a Governança Corporativa Carlos Eduardo Lessa Brandão celb@ibgc.org.br (11)

Leia mais

Responsabilidade do Setor Privado na Prevenção e no Combate à Corrupção. 23º encontro Comitê de especialistas MESICIC/ OEA

Responsabilidade do Setor Privado na Prevenção e no Combate à Corrupção. 23º encontro Comitê de especialistas MESICIC/ OEA Responsabilidade do Setor Privado na Prevenção e no Combate à Corrupção 23º encontro Comitê de especialistas MESICIC/ OEA O Instituto Ethos Fundado em 1998 por um grupo de empresários Conselho Deliberativo

Leia mais

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários

Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Perfil dos Participantes Compilação das Respostas dos Questionários Outubro/2011 Temas de Interesse Meio Ambiente Ações Sociais / Projetos Sociais / Programas Sociais Sustentabilidade / Desenvolvimento

Leia mais

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Relembrando conceitos de sustentabilidade Desenvolvimento Econômico Responsabilidade Social Maximização do retorno do

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Título: PRSA - Política de Responsabilidade Socioambiental POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ABRANGÊNCIA... 3 4. PRINCÍPIOS... 3 5. DIRETRIZES...

Leia mais

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO

Norma Permanente 4.1. GOVERNANÇA E GESTÃO 4.2. PRINCÍPIOS 4.3. INVESTIMENTO SOCIAL PRIVADO E INCENTIVADO Resumo: Reafirma o comportamento socialmente responsável da Duratex. Índice 1. OBJETIVO 2. ABRANGÊNCIA 3. DEFINIÇÕES 3.1. PARTE INTERESSADA 3.2. ENGAJAMENTO DE PARTES INTERESSADAS 3.3. IMPACTO 3.4. TEMAS

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

Alinhamento entre Estratégia e Processos

Alinhamento entre Estratégia e Processos Fabíola Azevedo Grijó Superintendente Estratégia e Governança São Paulo, 05/06/13 Alinhamento entre Estratégia e Processos Agenda Seguros Unimed Modelo de Gestão Integrada Kaplan & Norton Sistema de Gestão

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE USO CONFIDENCIAL 1

APRESENTAÇÃO DE USO CONFIDENCIAL 1 Os Melhores Websites de Sustentabilidade do Brasil 2006/2007 Entre as Empresas listadas no Ibovespa Apimec, 24.4.2007 Dr. William Cox, Director, Management & Excellence/GrowAssociates APRESENTAÇÃO DE USO

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015

INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 INFORMAÇÕES SOBRE ADESÃO CICLO 2015 Conteúdo Sobre o GVces Sobre o Programa Brasileiro GHG Protocol e o Registro Público de Emissões Política de qualificação dos inventários (Novo critério para o selo

Leia mais

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor

Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor Parte integrante da Metodologia Tear de Trabalho em Cadeia de Valor 2 Apresentando as etapas da Metodologia Tear de forma simplificada, esta versão resumida foi preparada para permitir um acesso rápido

Leia mais

Guia EXAMEde Sustentabilidade. Processo2014

Guia EXAMEde Sustentabilidade. Processo2014 Guia EXAMEde Sustentabilidade Processo2014 Agenda O Guia O GVces Processo 2014 Novidades Cronograma Dúvidas O Guia O Guia Omais abrangente levantamento das empresas com melhores práticas em sustentabilidade

Leia mais

TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI

TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI Autores Caroline Donato Dario Almeida Marisa Fraga Apresentação Dario Almeida Gerente Executivo

Leia mais

ABNT NBR 16001:2004 Responsabilidade social Sistema da gestão Requisitos

ABNT NBR 16001:2004 Responsabilidade social Sistema da gestão Requisitos FUNDAÇÃO VANZOLINI ABNT NBR 16001:2004 Responsabilidade social Sistema da gestão Requisitos 1 Das 100 maiores economias do mundo, 51 são empresas 1 2 5 11 14 23 24 25 27 28 29 31 37 38 40 42 43 PAÍS/EMPRESA

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br

Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI. Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Governança de TI Evolução e Conceitos de Gestão da TI Raimir Holanda raimir@tce.ce.gov.br Agenda Conceitos de Governança de TI Fatores motivadores das mudanças Evolução da Gestão de TI Ciclo da Governança

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Objetivos do Cadastro de Fornecedores Legal: atender o decreto 2745 e preservar a Cia. em questões relacionadas ao mercado fornecedor; Empresarial:

Leia mais

Evento de Lançamento do Processo ISE 2015

Evento de Lançamento do Processo ISE 2015 Evento de Lançamento do Processo ISE 2015 25 de fevereiro de 2015 Carteira ISE 2015 R$ 1.224.784.660.586,93-49,87% do valor total de mercado (base 24/11/2014) Carteira ISE 2015 R$ 1.224.784.660.586,93-49,87%

Leia mais

Levantamento do Perfil de Responsabilidade Socioambiental nas Organizações

Levantamento do Perfil de Responsabilidade Socioambiental nas Organizações Levantamento do Perfil de Responsabilidade Socioambiental nas Organizações Brasília, 19 de abril de 2011 BLOCOS TEMÁTICOS COMPROMISSO PLANEJAMENTO E GESTÃO DESEMPENHO SUSTENTÁVEL CONTRIBUIÇÃO COM O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES

CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES CDP - SUPPLY CHAIN BRASIL DESAFIOS E CONQUISTAS - 2014 BUSINESS CASES Profa. Dra. Priscila Borin de Oliveira Claro priscila.claro@insper.edu.br 05/02/2015 Apoio: Agenda Apresentação Parceria CDP e Insper

Leia mais

Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado. Business Case

Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado. Business Case Comunicação institucional clara, rigorosa e transparente com o mercado Business Case 2013 AGENDA ENQUADRAMENTO COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL CLARA, RIGOROSA E TRANSPARENTE COM O MERCADO ENQUADRAMENTO Na economia

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Sustentabilidade e Responsabilidade Social no Setor Elétrico Brasileiro: Novos Desafios

Sustentabilidade e Responsabilidade Social no Setor Elétrico Brasileiro: Novos Desafios Sustentabilidade e Responsabilidade Social no Setor Elétrico Brasileiro: Novos Desafios Lisangela da Costa Reis Novembro/ 2008 Introdução Forte associação entre RSC e Sustentabilidade Construção de agendas

Leia mais

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares,

Região. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais, regimentais e regulamentares, PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 24ª REGIÃO PORTARIA TRT/GP/DGCA Nº 630/2011 Define a Política de Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicações

Leia mais

GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS

GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS GRUPO SEGURADOR BANCO DO BRASIL E MAPFRE PRINCÍPIOS PARA SUSTENTABILIDADE EM SEGUROS 2015 E m um período de profundas mudanças socioambientais, torna-se ainda mais estratégico incluir a sustentabilidade

Leia mais

Visão de Futuro (2022), Competitividade & Inovação

Visão de Futuro (2022), Competitividade & Inovação Visão de Futuro (2022), Competitividade & Inovação Roberto A. Paranhos do Rio Branco Vice-Presidente do CONIC-FIESP São Paulo, 29 de Abril de 2014 CONIC Conselho Superior de Inovação e Competitividade

Leia mais

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação

ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação ABNT NBR 16001:2004 Os Desafios e Oportunidades da Inovação A Dinâmica da Terra é uma empresa onde o maior patrimônio é representado pelo seu capital intelectual. Campo de atuação: Elaboração de estudos,

Leia mais