Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009"

Transcrição

1 Ferramentas para a Gestão da Sustentabilidade na Indústria da Mineração Mª Sulema Pioli ERM Brasil Ltda Setembro 2009

2 Conteúdo da apresentação Breve contexto Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão da Sustentabilidade: Estratégia Processo de definição Iniciativas e Ferramentas

3 Gestão da Sustentabilidade como e porque Identificação de oportunidades para as empresas internalizarem novos modelos integrativos de gestão; Identificação das principais técnicas e instrumentos disponíveis hoje no mercado; Aplicação de conjunto de ferramentas para identificação de riscos e oportunidades, e avaliação de resultados, relativamente ao desempenho ambiental, econômico e social.

4 Conteúdo da apresentação Breve contexto Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão da Sustentabilidade : Estratégia Processo de definição Iniciativas e Ferramentas

5 Desenvolvimento Sustentável Evolução nas Organizações

6 Michael Porter Três fases da RSC (ou...) 1ª: reação às pressões da sociedade (stk); 2ª: $$ filantropia investimentos social privado + imagem/reputação; 3ª: estratégica, de valor compartilhado criação de valor para o negócio e para a sociedade. Para atingir objetivos estratégicos de criação de valor compartilhado é necessário: Identificar impactos e riscos da atividade; Identificar áreas nas quais as empresas podem fazer a diferença e atuar nelas.

7 Michael Porter Quatro justificativas para RSC (ou... ) nas empresas: obrigação moral ; sustentabilidade; licença para operar; reputação. São mais focadas na tensão entre os negócios e a sociedade do que na interdependência entre eles; Estas justificativas não criam valor para o negócio (nem social, nem econômico); Causa da reatividade = pressão; Conduz a investimentos em iniciativas/projetos que pouco têm a ver com o negócio das empresas.

8 Michael Porter Incorporar a responsabilidade social na estratégia significa incluir a dimensão social à proposta de valor da empresa; Desafio: identificar áreas nas quais a empresa pode criar valor com suas competências; Para implementar uma agenda social corporativa, o primeiro passo é perceber as categorias da atuação com responsabilidade social: Questões sociais gerais; Impactos sociais na cadeia de valor; Dimensões sociais do contexto competitivo.

9 Implicações da próxima onda Percepção de que ONGs e empreendedores sociais agem de modo mais eficiente do que os outros atores da agenda do DS; Para as empresas: melhorias incrementais não são suficientes, o cenário pós-crise requer mudanças estruturais (estratégia e tática); Além disso, assumir posições robustas e transparentes, no que se refere às questões de sustentabilidade, é fundamental para gerar confiança e ser encarado como força de mudança positiva. Source: The Sustainability research on Leadership; SustainAbility/Globescan, 2009

10 Impactos da crise econômica no progresso da sustentabilidade nos próximos 5 anos Source: The Sustainability research on Leadership; SustainAbility/Globescan, 2009

11 Conteúdo da apresentação Breve contexto Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão da Sustentabilidade : Estratégia Processo de definição Iniciativas e Ferramentas

12 Questões de indução da gestão da sustentabilidade Qual é o desempenho efetivo da empresa em sustentabilidade? Os impactos sociais e ambientais negativos e positivos da empresa, potenciais ou materiais, estão identificados, avaliados e gerenciados? Os Sistemas de Gestão identificam estes impactos, e contribuem para melhorar o desempenho social e ambiental? Contribuem para a criação de valor da empresa? Os Investimentos Sociais da empresa estão alinhados ao negócio e voltados para as necessidades relevantes da sua área de influência? As expectativas e capacidade de interferência das partes interessadas nas suas atividades são conhecidas?

13 Questões de indução da gestão da sustentabilidade O monitoramento e controle dos impactos ambientais, sociais, saúde e segurança são sistemáticos e apóiam o planejamento estratégico da sua empresa? O processo de elaboração de relatórios (Balanço Social, Relatório de Sustentabilidade) contribui para auto-avaliação e melhoria do desempenho ambiental, econômico e social da sua empresa? Qual é a contribuição da empresa ao Desenvolvimento Sustentável local e regional?

14 Relevância da Sustentabilidade Perfil global e footprint Expectativas setoriais (indústria) Pressão para redução de custos Necessidade de uma gestão pró-ativa dos riscos e oportunidades dos negócios porquanto a empresa opera e cresce em ambiente de mudança contínua Melhores práticas e padrões tendem a levantar a barra do desempenho em sustentabilidade Aumenta necessidade de implementar ecoeficiência dos processos e eliminar todas as formas de desperdício

15 Relevância da Sustentabilidade Expectativas das partes interessadas (stakeholders) Necessidade de ir além da conformidade legal Partes interessadas têm expectativas de que as empresas tenham gestão de temas/ aspectos de sustentabilidade, mas, simultaneamente, suspeitam de seus valores e posicionamento (alegações) A licença social para operar não está garantida somente pela operação seguindo todas as leis, normas e regulamentos Competição Sob forte concorrência, a sustentabilidade pode servir como um diferenciador

16 Implicações da Gestão da Sustentabilidade Revisar estratégia da empresa Reportar Partes Interessadas Considerar várias dimensões Verificar resultados Revisar como estratégia é implementada

17 Sustentabilidade Empresarial Adição de Valor às Empresas

18 Definindo Sustentabilidade Triple Bottom Line Prosperidade Econômica Retorno sobre o capital próprio Valorização das ações Market share Rentabilidade Novas oportunidades de mercado através de produtos e serviços inovadores Meio Ambiente Eco-eficiência Uso de recursos renováveis e combustíveis alternativos Impactos e oportunidades na cadeia de valor Green tecnology e design Contribuir p/ os esforços de conservação e biodiversidade Responsabilidade Social Saúde e Segurança do trabalhador Impactos Econômicos locais (criação de empregos, pagmt de tributos, investimentos em IE etc.) Direitos Humanos Engajamento com partes interessadas (stakeholders) e accountability Filantropia corporativa

19 Identificação de Questões Preocupações Globais O que sua empresa faz para endereçar: Pobreza Segurança Habitação Saúde Educação Diversidade Água Ar Governança Mudanças Climáticas

20 Conteúdo da apresentação Breve contexto presente Indutores da Gestão da Sustentabilidade Gestão da Sustentabilidade : Estratégia Processo de definição Iniciativas e Ferramentas

21 Gestão apoiada por estratégia Diretrizes para desenvolver uma estratégia sustentável: Onde está você agora Onde você quer estar Como você chegará lá

22 O que está incentivando as empresas? Valores Credibilidade: valores x desempenho Faça bem fazendo muito bem Proteja e aumente a reputação da companhia Licença para operar Inovação para perenizar a empresa

23 O que está incentivando as empresas? Implementação da estratégia empresarial da empresa para: Garantir que oportunidades de negócios sustentáveis (inovações em produtos, serviços, processos, marketing, organização, etc.) sejam identificados e convertidos em resultados positivos Assegurar a investidores e acionistas que riscos de sustentabilidade e oportunidades estejam bem administrados

24 Criando e implementando uma estratégia de negócios sustentável 1 Análise de contexto 2 Perfil atual 3 Elaboração de negócios sustentáveis 4 Planejamento de programas 5 6 Revisão de Execução desempenho e avaliação Por que? O que? O que? O que/como? Como? Verificação Stakeholders e seus interesses Indústria situação/ tendências Forças externas Companhia e produto/ serviço sustentável. Performance: problemas e oportunidades Identificar o valor específico das propostas de negócios e a rota para eles Identificar: visão, metas/ objetivos, alvos, prioridades, agenda e orçamento A parte difícil: implementar o programa O que está funcionando, o que não está funcionando e porque Estratégia de negócios

25 Normas de Sistema de Gestão Padrões de Relatório Gestão da Sustentabilidade Códigos de Conduta Externos Padrões de Performance Códigos de Conduta Internos Normas de Governança Verificação e Auditoria Fonte: Allen White, GRI - 11/2003

26 Gestão da Sustentabilidade Códigos de Ética Externos Normas de Governança Governance Standards Padrões de Relatório Normas de Management Sistema de Systems Gestão Padrões de Performance Códigos de Conduta Internos Verficação e Auditoria Material produzido pela Prof. Vivian P. B. Smith, utilizado em outros cursos. Fonte: Allen White, GRI - 11/2003

27 Iniciativas e Ferramentas Princípios e Valores Visão e Estratégia Global Compact OECD Guidelines Natural Step Objetivos do Milênio Implementação e monitoramento Plano de Ação SA 8000, OHSAS AA 1000 Series Indicadores Ethos ISO 14001, ABNT16001 Transparência e prestação de contas Avaliação GRI Modelo IBASE Modelo Ethos AA1000AS Material produzido pela Prof. Vivian P. B. Smith, utilizado em outros cursos.

28 Ferramentas de Gestão da Sustentabilidade Ferramentas de gestão cobrem parcial ou totalmente o escopo da sustentabilidade; Têm pontos comuns e diferenças fundamentais; Elementos-chave: Princípios Gerais Diretrizes de desempenho Padrões de desempenho Sistema de gestão ou processos Convergência = PDCA!

29 Ferramentas de Gestão da Sustentabilidade Iniciativa Arcabouço Componente normativo Processo Série AA1000 Diretrizes GRI G3 ICMM Princípios de DS Pacto Global da ONU Voluntary Principles of parcial Security and Human Rights Diretrizes OCDE parcial IFC Padrões de Desempenho ISO (draft 4) parcial Fonte: Canadian BSR; CSR Frameworks Review: Experts Series Event; Toronto, Canada, 2009

30 Ferramentas de Gestão da Sustentabilidade Iniciativa Princípios Gerais Diretrizes Padrões de Desempenho Sistema de Gestão/ Processos Série AA1000 parcial parcial Diretrizes GRI G3 parcial ICMM Princípios de DS Pacto Global da ONU Voluntary Principles of Security and Human Rights parcial parcial parcial Diretrizes OCDE parcial IFC Padrões de Desempenho ISO (draft 4) Fonte: Canadian BSR; CSR Frameworks Review: Experts Series Event; Toronto, Canada, 2009

31 Lembrete... Questões/temas/aspectos da sustentabilidade Ferramentas/estruturas para gestão destas questões Indicadores de Desempenho Comunicar resultados transparência (a vida como ela é) Vínculo do posicionamento com materialidade, Comunicação de Desempenho em Sustentabilidade, Assurance...

32 Iniciativas para Sustentabilidade e Ciclo da Gestão Políticas Reporte Aspectos, Impactos, Riscos Análise Crítica Objetivos e Metas GRI Normas ISO Monitoramento (Indicadores) Planos, Programas Estrutura, Treinamento

33 Iniciativas para Sustentabilidade e Ciclo da Gestão GRI Reporte Normas ISO (9001 (qualidade), (Meio Ambiente), OHSAS Políticas, Diretrizes... Análise Crítica Aspectos, Impactos, Perigos, Riscos Partes Interessadas Avaliação e Monitoramento (Indicadores) Objetivos e Metas Estrutura Organizacional, Recursos, Treinamento Planos, Programas, Projetos

34 Demonstração de sustentabilidade Aferir desempenho por meio de indicadores comparáveis (KPIs operacionais e indicadores de sustentabilidade) Informar desempenho de modo equilibrado, consistente com compromissos e estruturas de gestão, que revelem desempenho em sustentabilidade crível Medir e informar o que é relevante para a organização e suas partes interessadas conceito de materialidade Credibilidade = Prestação de Contas e Transparência Material produzido pela Prof. Vivian P. B. Smith, utilizado em outros cursos.

35 Geral e Governança Corporativa GRI ETHOS ISE PERFIL X + Processo de Definição de Limites _ X (Itens da Dimensão Geral e GC) FORMA DE GESTÃO Nível de Aplicação C, B e A X X ( por dimensão) GOVERNANÇA CORPORATIVA Itens do Pergil e GC da GRI G3 X X + Auditoria e Fiscalização, Conduta e Conflito de Interesse OUTROS Informações qualitativas e quantitativas + Princípios de qualidade e conteúdo do relatório Compromissos Éticos; Enraizamento na cultura organizacional; Dimensão Geral: Compromissos, Alinhamento, Transparência e Conduta

36 Dimensão Econômico-Financeira GRI ETHOS NBC T 15 ISE Planejamento Estratégico e Ativos Intangíveis DIMENSÃO ECONÔMICO- FINANCEIRA Desempenho econômico Presença no mercado Impacto econômico indireto Informação de pagamento de impostos e taxas por número agregado Investimento social Seleção, avaliação e parceria com fornecedores (Critério de Seleção e Avaliação de forn.; Apoio ao desenvolvimento de fornecedores) Investimento Social DVA como definida na NBC T 3 Gestão de Riscos corporativos e gestão de oportunidades que considerem aspectos socioambientais, impactos indiretos, gestão de desempenho Investimento social Demonstrações financeiras, medidas de geração de valor econômicos, equilibro do crescimento Cumprimento legal

37 Gestão e Desempenho - Como e o que medir? Fenômenos econômicos são aferidos quantitativamente Consumo e alocação de recursos em meio ambiente fazem parte dos processos das empresas Análise do Ciclo de Vida do Produto e do Processo pode ser estimado... Mas... e identificação do valor da Biodiversidade? Impacto em Biodiversidade? Custo de mitigação do Efeito Estufa?

38 Gestão e Desempenho mitigar... prevenir... Como e o que medir? Impactos Econômicos Indiretos? Impactos e Passivos Sociais? E quando geram: modificação dos arranjos produtivos locais e dos modos de vida, com alteração dos sistemas ambientais e depleção dos bens ambientais? E o valor do conhecimento tradicional, dos processos históricos e culturais......

39 OBRIGADA

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc Sustentabilidade em energia e o concreto Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL GRI IBASE Responsabilidade Social & Sustentabilidade Empresarial 1999 2001 a 2003 2006 AÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL DAS EMPRESAS ELETROBRAS SUSTENTABILIDADE E M P R E S A R I A L Política de Sustentabilidade Empresarial das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras,

Leia mais

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br

Processo 2013. 05 de março de 2013. www.isebvmf.com.br Processo 2013 05 de março de 2013 www.isebvmf.com.br Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Órgão máximo de governança do índice Tem como missão garantir um processo transparente de construção do índice e

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras 2010 Declaração Nós, das Empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável das áreas onde atuamos e

Leia mais

Questionário de Levantamento de Informações

Questionário de Levantamento de Informações Questionário de Levantamento de Informações Critérios para Inclusão de Empresas no Fundo Ethical 1 INTRODUÇÃO Nos últimos anos se observou um aumento significativo da preocupação das empresas com questões

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO: CONCEITOS GERAIS E BSC. Antonieta E. M. Oliveira antonieta.oliveira@fgv.br

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO: CONCEITOS GERAIS E BSC. Antonieta E. M. Oliveira antonieta.oliveira@fgv.br AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO: CONCEITOS GERAIS E BSC Antonieta E. M. Oliveira antonieta.oliveira@fgv.br INTRODUÇÃO Histórico dos indicadores de desempenho BSC (e ferramentas semelhantes) BSC no setor sistema

Leia mais

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade

1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade 1º Congresso Alianças Sociais Responsabilidade Social Corporativa em prol da Sustentabilidade Curitiba 30 de outubro de 2012 Agenda Sustentabilidade: Várias Visões do Empresariado Desenvolvimento sustentável;

Leia mais

II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social

II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social II Encontro para Reflexões e Práticas de Responsabilidade Social Nosso ponto de partida Responsabilidade Social: conceito em evolução e práticas em difusão, sendo incorporadas ao cotidiano dos empresários

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa

Política de Responsabilidade Corporativa Política de Responsabilidade Corporativa Índice 1. Introdução...04 2. Área de aplicação...04 3. Compromissos e princípios de atuação...04 3.1. Excelência no serviço...05 3.2. Compromisso com os resultados...05

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental Introdução 1. O Padrão de Desempenho 1 destaca a importância do gerenciamento do desempenho socioambiental durante o ciclo de um projeto (qualquer atividade comercial sujeita a avaliação e administração).

Leia mais

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável?

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . Conceitos: Responsabilidade Social Ecoeficiência Conceitos Responsabilidade Social - é a relação ética e transparente da organização

Leia mais

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli

Café com Responsabilidade. Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro. Vitor Seravalli Café com Responsabilidade Sustentabilidade: a competência empresarial do futuro Vitor Seravalli Manaus, 11 de Abril de 2012 Desafios que o Mundo Enfrenta Hoje Crescimento Populacional Desafios que o Mundo

Leia mais

DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER

DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER DECLARAÇÃO DE POLÍTICA DE DIREITOS HUMANOS DA UNILEVER Acreditamos que as empresas só podem florescer em sociedades nas quais os direitos humanos sejam protegidos e respeitados. Reconhecemos que as empresas

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

Sustentabilidade nos Negócios

Sustentabilidade nos Negócios Sustentabilidade nos Negócios Apresentação O programa Gestão Estratégica para a Sustentabilidade foi oferecido pelo Uniethos por nove anos. Neste período os temas ligados à sustentabilidade começam a provocar

Leia mais

Gestão para a sustentabilidade na mineração. 20 anos de história

Gestão para a sustentabilidade na mineração. 20 anos de história Gestão para a sustentabilidade na mineração Gestão para a sustentabilidade na mineração Brasília, 2013 Copyright 2013, IBRAM Instituto Brasileiro de Mineração Impresso no Brasil / Printed in Brazil DISPONÍVEL

Leia mais

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão

Desenvolve Minas. Modelo de Excelência da Gestão Desenvolve Minas Modelo de Excelência da Gestão O que é o MEG? O Modelo de Excelência da Gestão (MEG) possibilita a avaliação do grau de maturidade da gestão, pontuando processos gerenciais e resultados

Leia mais

Sustentabilidade e Responsabilidade Social no Setor Elétrico Brasileiro: Novos Desafios

Sustentabilidade e Responsabilidade Social no Setor Elétrico Brasileiro: Novos Desafios Sustentabilidade e Responsabilidade Social no Setor Elétrico Brasileiro: Novos Desafios Lisangela da Costa Reis Novembro/ 2008 Introdução Forte associação entre RSC e Sustentabilidade Construção de agendas

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Por que? O cliente quer; O acionista presta atenção; A academia estuda; A opinião pública divulga; E economia exige a diferenciação.

Leia mais

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

EXTRATO DA POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas as áreas da Fibria que, direta

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL SUL AMÉRICA INVESTIMENTOS DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A POLÍTICA DE INVESTIMENTO RESPONSÁVEL E DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Índice: 1 OBJETIVO 2 2 CONCEITOS E DEFINIÇÕES 2 3

Leia mais

Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos

Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos Sustentabilidade em seguros: oportunidades e riscos Adriana Boscov Superintendente de Sustentabilidade Empresarial SulAmérica Seguros, Previdência e Investimentos QUAL A RELAÇÃO DE SUSTENTABILIDADE COM

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio São Paulo, 10 de Março de 2003 Índice 0 INTRODUÇÃO...4 0.1 ASPECTOS GERAIS...4 0.2 BENEFÍCIOS DE

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUSTENTABILIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUSTENTABILIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS SUSTENTABILIDADE descrições dos níveis APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades;

Promover um ambiente de trabalho inclusivo que ofereça igualdade de oportunidades; POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE OBJETIVO Esta Política tem como objetivos: - Apresentar as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente as inovações

Leia mais

Introdução. Gerência de Projetos de Software. Sumário. Sistemas de Informação para Processos Produtivos

Introdução. Gerência de Projetos de Software. Sumário. Sistemas de Informação para Processos Produtivos Sumário Sistemas de Informação para Processos Produtivos 1. Gerência de 2. Agentes principais e seus papéis 3. Ciclo de vida do gerenciamento de projetos M. Sc. Luiz Alberto lasf.bel@gmail.com Módulo 6

Leia mais

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras Setembro de 2010 Política de Sustentabilidade das Empresas Eletrobras DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente

Leia mais

Sustentabilidade do Setor Florestal

Sustentabilidade do Setor Florestal Sustentabilidade do Setor Florestal Quem somos o Somos o resultado da União de duas empresas brasileiras com forte presença no mercado global de produtos florestais renováveis. o Uma nova empresa com

Leia mais

PESQUISA CENÁRIO 2010-2015: DESAFIOS ESTRATÉGICOS E PRIORIDADES DE GESTÃO

PESQUISA CENÁRIO 2010-2015: DESAFIOS ESTRATÉGICOS E PRIORIDADES DE GESTÃO PESQUISA CENÁRIO 2010-2015: DESAFIOS ESTRATÉGICOS E PRIORIDADES DE GESTÃO PESQUISA RESPONDENTES 1065 executivos (as) PERÍODO De 02 a 17 (Novembro de 2009) CEOs Diretores UNs Diretores Funcionais QUESTIONÁRIO

Leia mais

Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade. Versão para público externo

Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade. Versão para público externo Votorantim Industrial Relatório de Sustentabilidade Versão para público externo Mensagem da alta administração Em 93 anos de história da Votorantim, temos mantido a consistência na geração de valor, pautando

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE DO GRUPO INVEPAR DE DO GRUPO INVEPAR PÁGINA Nº 2/5 1. INTRODUÇÃO Desenvolver a gestão sustentável e responsável nas suas concessões é um componente fundamental da missão Invepar de prover e operar sistemas de mobilidade

Leia mais

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM

MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM MELHORES PRÁTICAS DE DIVULGAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOBRE SUSTENTABILIDADE Pronunciamento de Orientação CODIM COLETIVA DE IMPRENSA Participantes: Relatores: Geraldo Soares IBRI; Haroldo Reginaldo Levy Neto

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NOÇÕES DE OHSAS 18001:2007 CONCEITOS ELEMENTARES SISTEMA DE GESTÃO DE SSO OHSAS 18001:2007? FERRAMENTA ELEMENTAR CICLO DE PDCA (OHSAS 18001:2007) 4.6 ANÁLISE CRÍTICA 4.3 PLANEJAMENTO A P C D 4.5 VERIFICAÇÃO

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS

MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes, os princípios e a estrutura a serem considerados no processo de gerenciamento de riscos do Magazine

Leia mais

Gledson Pompeu 1. Cenário de TI nas organizações. ITIL IT Infrastructure Library. A solução, segundo o ITIL

Gledson Pompeu 1. Cenário de TI nas organizações. ITIL IT Infrastructure Library. A solução, segundo o ITIL Cenário de TI nas organizações Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v2 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v2 Livros ITIL v2 Aumento da dependência da TI para alcance

Leia mais

Impacto dos projetos de sustentabilidade

Impacto dos projetos de sustentabilidade Impacto dos projetos de sustentabilidade Angelica Blanco 24 de Maio, 2010 0 CONTEÚDO Parte 1: Sustentabilidade Direcionando investimentos Parte 2: Retornos em Sustentabilidade 1 QUEM SOMOS Estudos e rankings

Leia mais

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Favor indicar sua função na empresa: 54% N=107 5% 11% 2% 12% 16% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Outros:

Leia mais

-A SustentabilidadecomoFerramentade Inovação e Diferencial Competitivo-

-A SustentabilidadecomoFerramentade Inovação e Diferencial Competitivo- -A SustentabilidadecomoFerramentade Inovação e Diferencial Competitivo- Apex-Brasil Gerência de Sustentabilidade III Seminário Novos Horizontes para a Reciclagem Animal Gilson Spanemberg Já somos 7 bilhões,

Leia mais

SONIA FAVARETTO DIRETORA DE SUSTENTABILIDADE DA BM&FBOVESPA. PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO ISE ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL

SONIA FAVARETTO DIRETORA DE SUSTENTABILIDADE DA BM&FBOVESPA. PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO ISE ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL Em busca de uma agenda positiva SONIA FAVARETTO DIRETORA DE SUSTENTABILIDADE DA BM&FBOVESPA. PRESIDENTE DO CONSELHO DELIBERATIVO DO ISE ÍNDICE DE SUSTENTABILIDADE EMPRESARIAL Uma das maiores bolsas do

Leia mais

Dimensão Econômico-Financeira

Dimensão Econômico-Financeira Dimensão Econômico-Financeira 2 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO... 3 INDICADOR 2. ATIVOS INTANGÍVEIS... 5 INDICADOR 3. DEFESA DA CONCORRÊNCIA... 6 CRITÉRIO II GESTÃO...

Leia mais

O estado da arte da sustentabilidade empresarial. A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo

O estado da arte da sustentabilidade empresarial. A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo O estado da arte da sustentabilidade empresarial A gestão da sustentabilidade como pilar de sucesso das companhias no longo prazo A Usina82 Missão Contribuir para que companhias de todos os setores incorporem

Leia mais

MINERAÇÃO, COMUNIDADES E GOVERNOS LOCAIS: É POSSÍVEL CONSTRUIR UMA AGENDA COMUM? Cecilia Balby

MINERAÇÃO, COMUNIDADES E GOVERNOS LOCAIS: É POSSÍVEL CONSTRUIR UMA AGENDA COMUM? Cecilia Balby MINERAÇÃO, COMUNIDADES E GOVERNOS LOCAIS: É POSSÍVEL CONSTRUIR UMA AGENDA COMUM? Cecilia Balby 13º Congresso Brasileiro de Mineração - Setembro 2009 Esta apresentação Razões e objetivos Iniciativas (revisão

Leia mais

A Bolsa e a sustentabilidade

A Bolsa e a sustentabilidade A Bolsa e a sustentabilidade Izalco Sardenberg Diretor Instituto BM&FBOVESPA Outubro/2009 BM&FBOVESPA Quem somos Maior bolsa da América Latina. Uma das 5 maiores do mundo em valor de mercado (US$ 15 bilhões).

Leia mais

O Instituto LIFE é responsável pelo

O Instituto LIFE é responsável pelo LIFE CertificaçãoLIFE Lasting Initiative For Earth O Instituto LIFE é responsável pelo desenvolvimento e gestão do sistema de Certificação LIFE. A Certificação LIFE reconhece organizações que desenvolvem

Leia mais

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas.

Conjunto de pessoas que formam a força de trabalho das empresas. 1. OBJETIVOS Estabelecer diretrizes que norteiem as ações das Empresas Eletrobras quanto à promoção do desenvolvimento sustentável, buscando equilibrar oportunidades de negócio com responsabilidade social,

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 2/11 Sumário 1. Conceito... 3 2. Objetivo... 3 3. Áreas de aplicação... 3 4. Diretrizes... 4 4.1 Princípios... 4 4.2 Estratégia de e Responsabilidade

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Porque estudar Gestão de Projetos?

Porque estudar Gestão de Projetos? Versão 2000 - Última Revisão 07/08/2006 Porque estudar Gestão de Projetos? Segundo o Standish Group, entidade americana de consultoria empresarial, através de um estudo chamado "Chaos Report", para projetos

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCO - PGR DATASUS Maio 2013 Arquivo: Política de Gestão de Riscos Modelo: DOC-PGR Pág.: 1/12 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO...3 1.1. Justificativa...3 1.2. Objetivo...3 1.3. Aplicabilidade...4

Leia mais

Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia

Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia Gestão e estratégia de TI Conhecimento do negócio aliado à excelência em serviços de tecnologia Desafios a serem superados Nos últimos anos, executivos de Tecnologia de Informação (TI) esforçaram-se em

Leia mais

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009

Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Asseguração de Relatórios de Sustentabilidade Denise Saboya 23 de setembro de 2009 Relembrando conceitos de sustentabilidade Desenvolvimento Econômico Responsabilidade Social Maximização do retorno do

Leia mais

Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável

Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável Parcerias para o Desenvolvimento Sustentável Juliana Rehfeld Gerente Desenvolvimento Sustentável Anglo American Brasil BH, 24 de setembro de 2009 0 Visão Macro da Anglo American Sustentabilidade - Negócio,

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Governança Corporativa A Governança Corporativa tem sido objeto de vários

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. Código de Ética. Nossos Valores na prática.

CÓDIGO DE ÉTICA. Introdução. Código de Ética. Nossos Valores na prática. CÓDIGO DE ÉTICA Introdução Nossos Valores Artigo 1º Premissa Artigo 2º Objetivos e Valores Artigo 3º Sistema de Controle Interno Artigo 4º Relação com os Stakeholders / Partes Interessadas 4.1 Acionistas

Leia mais

Responsabilidade Social Corporativa

Responsabilidade Social Corporativa Responsabilidade Social Corporativa João Paulo Vergueiro jpverg@hotmail.com Stakeholders GOVERNOS ORGANISMOS INTERNACIONAIS FORNECEDORES CONCORRENTES INDÚSTRIA DA COMUNICAÇÃO ACIONISTAS PROPRIETÁRIOS EMPRESA

Leia mais

Questionário ISE. Dimensão Econômico-Financeira

Questionário ISE. Dimensão Econômico-Financeira Questionário ISE Dimensão Econômico-Financeira 2015 Sumário CRITÉRIO I POLÍTICA... 3 INDICADOR 1. ESTRATÉGIA E RISCO CORPORATIVO... 3 CRITÉRIO II GESTÃO... 5 INDICADOR 2. RISCOS E OPORTUNIDADES CORPORATIVOS...

Leia mais

Planejamento do CBN 2008. Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas. Antecedentes. Objetivo. Propor a

Planejamento do CBN 2008. Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas. Antecedentes. Objetivo. Propor a Objetivo Planejamento do CBN 2008 Propor a Política Nacional de Normalização. Processo de produção de normas Antecedentes Normas nacionais devem ser: necessárias e demandadas utilizadas acordadas o mais

Leia mais

Política de Gestão de Riscos das Empresas Eletrobras

Política de Gestão de Riscos das Empresas Eletrobras Política de Gestão de Riscos das Empresas Eletrobras Versão 5.0 dezembro 2010 Política de Gestão de Riscos das Empresas Eletrobras Sumário 1. Objetivos 2. Conceitos 3. Referências 4. Princípios 5. Diretrizes

Leia mais

Principais estudos e a perspectiva dos investidores. Roberta Simonetti GVces

Principais estudos e a perspectiva dos investidores. Roberta Simonetti GVces O VALOR DO ISE Principais estudos e a perspectiva dos investidores Roberta Simonetti GVces Conteúdo Principais tendências: investidores e executivos Risco vs. Retorno Ganhos de valor Valores tangíveis

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 5.0 06/12/2010 Sumário 1 Objetivos... 3 2 Conceitos... 3 3 Referências... 4 4 Princípios... 4 5 Diretrizes... 5 6 Responsabilidades... 6 7 Disposições

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE 1. OBJETIVO E ABRANGÊNCIA Esta Política tem como objetivos: Apresentar de forma transparente os princípios e as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e direcionam

Leia mais

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro

GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro GERENCIAMENTO DE ESCOPO EM PROJETOS LOGÍSTICOS: Um Estudo de Caso em um Operador Logístico Brasileiro Matheus de Aguiar Sillos matheus.sillos@pmlog.com.br AGV Logística Rua Edgar Marchiori, 255, Distrito

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Em Boa Companhia Sustentabilidade em Pequenas e Médias Empresas

Em Boa Companhia Sustentabilidade em Pequenas e Médias Empresas Em Boa Companhia Sustentabilidade em Pequenas e Médias Empresas Clarissa Lins F U N D A Ç Ã O B R A S I L E I R A P A R A O D E S E N V O L V I M E N T O S U S T E N T Á V E L A FBDS Perfil 2 Fundação

Leia mais

Competitividade Chinesa e Impactos Ambientais

Competitividade Chinesa e Impactos Ambientais Seminário FIESP A competitividade industrial chinesa no século XXI Competitividade Chinesa e Impactos Ambientais Prof. Moacir de Miranda Oliveira Junior mirandaoliveira@usp.br São Paulo, 04 de setembro

Leia mais

Responsabilidad Social y el Recurso Humano como Factor Estratégico

Responsabilidad Social y el Recurso Humano como Factor Estratégico Congreso Internacional de Recursos Humanos Sector Minería Responsabilidad Social y el Recurso Humano como Factor Estratégico Ralph Chelotti Chile Abril de 2006 Apresentação Institucional O Caso Samarco

Leia mais

ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA

ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA ANEXO 5 ESCOPO DO ESTUDO DE VIABILIDADE TÉCNICA, ECONÔMICA E JURÍDICA O estudo a ser entregue deverá avaliar a viabilidade do projeto de PPP proposto segundo a ótica de todos os fornecedores de capital

Leia mais

Por que sua organização deve implementar a ABR - Auditoria Baseada em Riscos

Por que sua organização deve implementar a ABR - Auditoria Baseada em Riscos Março de 2010 UM NOVO PARADIGMA PARA AS AUDITORIAS INTERNAS Por que sua organização deve implementar a ABR - Auditoria Baseada em Riscos por Francesco De Cicco 1 O foco do trabalho dos auditores internos

Leia mais

Relatório de asseguração limitada dos auditores independentes

Relatório de asseguração limitada dos auditores independentes KPMG Risk Advisory Services Ltda. R. Dr. Renato Paes de Barros, 33 04530-904 - São Paulo, SP - Brasil Caixa Postal 2467 01060-970 - São Paulo, SP - Brasil Central Tel 55 (11) 2183-3000 Fax Nacional 55

Leia mais

Dimensão Ambiental GRUPO IF

Dimensão Ambiental GRUPO IF Dimensão Ambiental GRUPO IF Serviços Financeiros Instituições Financeiras, Seguradoras Dimensão Ambiental 119 GRUPO IF... 118 CRITÉRIO I - POLÍTICA... 120 INDICADOR 1. COMPROMISSO, ABRANGÊNCIA E DIVULGAÇÃO

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO. conclui migração e clientes passam a ter rede integrada de atendimento

ITAÚ UNIBANCO. conclui migração e clientes passam a ter rede integrada de atendimento ITAÚ UNIBANCO conclui migração e clientes passam a ter rede integrada de atendimento Antes mesmo de completar dois anos da maior fusão do sistema financeiro brasileiro, o Itaú Unibanco concluiu em outubro

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGÓCIO HORTIFRUTÍCOLA

GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGÓCIO HORTIFRUTÍCOLA GESTÃO AMBIENTAL NO AGRONEGÓCIO HORTIFRUTÍCOLA Mohammad Menhaz Choudhury 1 Elenize Porfírio de Melo 2 Atualmente, o mundo está dando mais ênfase aos fatores de fundo social e econômico. As questões ambientais

Leia mais

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DO FUNBIO

POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DO FUNBIO POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS DO FUNBIO P-32 /2014 Área Responsável: Auditoria Interna OBJETIVO: Descrever a metodologia do FUNBIO à gestão de riscos, documentar os papéis e responsabilidades da

Leia mais

Responsabilidade Social Empresarial

Responsabilidade Social Empresarial Responsabilidade Social Empresarial Henry Ford: produto e preço - Gestão de Produto e Processo. Jerome McCarty e Philip Kotler: produto, preço, praça (ponto de venda) e promoção. - Gestão de Marketing.

Leia mais

CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS. Junho 2013

CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS. Junho 2013 CAMINHO PARA DESENVOLVER UMA AGENDA DE ADAPTAÇÃO EM MUDANÇAS CLIMÁTICAS NAS EMPRESAS Junho 2013 PROPÓSITO Aqui apresentamos o caminho para as empresas adotarem uma estratégia em adaptação às mudanças climáticas,

Leia mais

Nossas soluções para o setor sucroenergético

Nossas soluções para o setor sucroenergético www.pwc.com.br Nossas soluções para o setor sucroenergético Centro PwC de Serviços em Agribusiness Outubro de 2013 Agrícola Gestão de fornecedores de cana Revisão da estrutura de relacionamento entre usina

Leia mais

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA

ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA ISO 14001:2015 SAIBA O QUE MUDA NA NOVA VERSÃO DA NORMA SUMÁRIO Apresentação ISO 14001 Sistema de Gestão Ambiental Nova ISO 14001 Principais alterações e mudanças na prática Estrutura de alto nível Contexto

Leia mais

Conselho Deliberativo do ISE (CISE)

Conselho Deliberativo do ISE (CISE) 1 Conselho Deliberativo do ISE (CISE) Órgão máximo de governança do índice. Tem como missão garantir um processo transparente de construção do índice e de seleção das empresas. Composto por representantes

Leia mais

Fundação Vanzolini O GERENCIAMENTO DA QUALIDADE NA SAÚDE E A ACREDITAÇÃO. Departamento de Certificação

Fundação Vanzolini O GERENCIAMENTO DA QUALIDADE NA SAÚDE E A ACREDITAÇÃO. Departamento de Certificação Fundação Vanzolini O GERENCIAMENTO DA QUALIDADE NA SAÚDE E A ACREDITAÇÃO Departamento de Certificação A FUNDAÇÃO VANZOLINI Fundada em 1967 pelos professores do Departamento de Engenharia de Produção da

Leia mais

RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE

RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE O foco da Cartilha Função de Compliance é integrar as atividades de compliance com as boas práticas de governança corporativa e de Gestão de Riscos, os quais os bancos têm buscado

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental Novembro 2012 Página 1 1 1. Introdução A Política de Responsabilidade Socioambiental da Brasilcap consolida as diretrizes de ação social, ambiental e econômica.

Leia mais

A Responsabilidade Social nas Organizações. Maria Luísa Silva

A Responsabilidade Social nas Organizações. Maria Luísa Silva A Responsabilidade Social nas Organizações Maria Luísa Silva Objectivos Identificar a relação entre o que é Responsabilidade Social e Sustentabilidade Reconhecer as motivações e vantagens da adopção de

Leia mais

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas

10 Minutos. sobre práticas de gestão de projetos. Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas 10 Minutos sobre práticas de gestão de projetos Capacidade de executar projetos é essencial para a sobrevivência das empresas Destaques Os CEOs de setores que enfrentam mudanças bruscas exigem inovação

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012. Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS

COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012. Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS COMUNICADO TÉCNICO IBRACON Nº XX/2012 Relatórios de sustentabilidade emitidos por auditores independentes INTRODUÇÃO E OBJETIVOS Nos últimos anos tem havido evolução dos conceitos econômicos, sociais e

Leia mais

Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras

Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras dezembro 2012 Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras 5 I. O público-alvo

Leia mais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais

AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa. Informações gerais AA1000: Estrutura de gestão da responsabilidade corporativa Informações gerais Produzido por BSD Brasil. Pode ser reproduzido desde que citada a fonte. Introdução Lançada em novembro de 1999, em versão

Leia mais

MODELO BRASILEIRO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL

MODELO BRASILEIRO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL MODELO BRASILEIRO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS OPERACIONAIS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL Ministério da Previdência Social - MPS Secretaria Executiva - SE Assessoria de Gerenciamento de Riscos - AGR MODELO BRASILEIRO

Leia mais

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA

ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA ANEXO II DOS TERMOS DE REFERÊNCIA GLOSSÁRIO DE TERMOS DO MARCO ANALÍTICO Avaliação de Projetos de Cooperação Sul-Sul: exercício fundamental que pretende (i ) aferir a eficácia, a eficiência e o potencial

Leia mais

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO

A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO A RESPONSABILIDADE SOCIAL INTEGRADA ÀS PRÁTICAS DA GESTÃO O que isto tem a ver com o modelo de gestão da minha Instituição de Ensino? PROF. LÍVIO GIOSA Sócio-Diretor da G, LM Assessoria Empresarial Coordenador

Leia mais

Estrutura de Controles Internos Para Gerenciar a Atribuição das Classificações de Risco de Crédito 1

Estrutura de Controles Internos Para Gerenciar a Atribuição das Classificações de Risco de Crédito 1 Estrutura de Controles Internos Para Gerenciar a Atribuição das Classificações de Risco de Crédito 1 Data: 20 de fevereiro de 2016 Versão: 6 Autor: Grupo de Compliance Global 1. Introdução Este documento

Leia mais

Gerenciamento de Projetos. Douglas Farias Cordeiro

Gerenciamento de Projetos. Douglas Farias Cordeiro Gerenciamento de Projetos Douglas Farias Cordeiro Conceito de Organização Uma organização pode ser descrita como um arranjo sistemático, onde esforços individuais são agregados em prol de um resultado

Leia mais

Arquivo original em Inglês: http://www.isaca.org/knowledge-center/risk-it-it-risk- Management/Documents/Risk-IT-Brochure.pdf

Arquivo original em Inglês: http://www.isaca.org/knowledge-center/risk-it-it-risk- Management/Documents/Risk-IT-Brochure.pdf Arquivo original em Inglês: http://www.isaca.org/knowledge-center/risk-it-it-risk- Management/Documents/Risk-IT-Brochure.pdf Risk IT - Um conjunto de princípios orientadores e o primeiro framework que

Leia mais

Indicadores e metricas na gestao de RH

Indicadores e metricas na gestao de RH www.pwc.com Indicadores e metricas na gestao de RH Novembro de 2015 Sejam bem-vindos! 2 Sobre a 3 People & Organization Consulting Soluções inovadoras para negócios em constante transformação http://www.pwc.com.br/

Leia mais

7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo. São Paulo, 21 de Maio 2008. Maria Luiza Barbosa

7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo. São Paulo, 21 de Maio 2008. Maria Luiza Barbosa 7ª Conferência Municipal Produção Mais Limpa Cidade de São Paulo São Paulo, 21 de Maio 2008 Maria Luiza Barbosa Responsabilidade Social Projetos desenvolvidos pela UNICA Instituto Banco Mundial Programa

Leia mais

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos

A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos A Estratégia de Responsabilidade Social da CAIXA em seus 148 anos Superintendência Regional de Negócios Rio de Janeiro Centro Plínio Magalhães Fonseca Gerente Regional 07 de Outubro de 2009 Responsabilidade

Leia mais