Informar, surpreender, inovar, provocar são intenções da programação do Serviço Educativo da Fundação de Serralves no âmbito das artes visuais, da

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Informar, surpreender, inovar, provocar são intenções da programação do Serviço Educativo da Fundação de Serralves no âmbito das artes visuais, da"

Transcrição

1 PROGRAMA

2 Informar, surpreender, inovar, provocar são intenções da programação do Serviço Educativo da Fundação de Serralves no âmbito das artes visuais, da arquitectura e do ambiente. Espaço aberto à imaginação, à reflexão e ao debate, Serralves estimula a aproximação crítica e criativa à cultura contemporânea, na perspectiva de suscitar e aprofundar o interesse de diferentes públicos pelas temáticas propostas.

3 PÚBLICO ESCOLAR

4 VISITAS ORIENTADAS EXPOSIÇÕES A visita proporciona um enquadramento e contextualização das exposições apresentadas nos espaços da Fundação, dando a conhecer a produção artística contemporânea. ESPAÇOS ARQUITECTÓNICOS O Museu de Serralves, da autoria do arquitecto Álvaro Siza, é o ponto de partida para uma experiência que relaciona a arquitectura deste espaço com a da Casa e do Jardim de Serralves. PARQUE O percurso no Parque de Serralves possibilita o reconhecimento do valor paisagístico, ecológico e estético de um lugar com características singulares, vocacionado para experiências e aprendizagens múltiplas. Funcionamento Grupos escolares: Todos os dias da semana; acesso gratuito mediante marcação prévia. As visitas são adaptadas a cada nível de ensino (do pré-escolar ao ensino superior).

5 VISITAS PARA PROFESSORES Estas visitas fornecem informações e sugestões para a preparação de actividades na Fundação de Serralves, procurando estimular o desenvolvimento de projectos e parcerias. Para mais informações contactar o Serviço Educativo. ENCONTRO ANUAL DE PROFESSORES Para que as Escolas possam planear as suas visitas, realiza-se no início do ano lectivo um Encontro dirigido a professores, educadores e outros formadores, para apresentação do programa de actividades.

6 OFICINAS TEMÁTICAS ARTE Através do contacto com diferentes modalidades expressivas pretende-se estimular novos olhares em torno da arte, da paisagem, do corpo e dos espaços, com base em abordagens interdisciplinares. Funcionamento: de 2ª a 6ª feira (duração 2h) SEM TÍTULO! A partir da exposição de Robert Rauschenberg esta visita-oficina procura questionar os limites da pintura e da escultura, através da associação de objectos e imagens do quotidiano, na contrução de formas tridimensionais a instalar no espaço, fruto de um trabalho colectivo. A relação entre música e artes visuais é outro aspecto a integrar na oficina, dada a relação entre Rauschenberg e o compositor John Cage. Orientação: Matilde Seabra, Sónia Borges Público alvo: ensino básico e secundário Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia QUANTOS QUERES? PALAVRAS E PROVÉRBIOS Vamos construir um jogo interactivo, explorando as sensações que as palavras despertam: experimentar a leitura e a escrita criativa de categorias de palavras (leves ou barulhentas ) e categorias de provérbios. Em seguida, vamos criar um origami repleto de cores, palavras divertidas e surpresas para partilhar com os outros. Quantos queres?... Orientação: Miguel Cabral, Ricardo Barbosa Público alvo: 1º e 2º ciclo do ensino básico Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia JOGOS DE MÚSICA Esta oficina apela à criatividade através de jogos que envolvem a expressão corporal e a música: faz-se o (re)conhecimento do corpo e dos seu(s) tempo(s) e, a partir do movimento, os participantes constroem frases musicais e coreográficas. Orientação: Miguel Cabral, Ricardo Barbosa Público alvo: ensino básico; necessidades educativas especiais Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia AO SABOR DOS SONS O som, o desenho e o movimento do corpo conjugam-se nesta oficina. Apresentam-se diferentes sonoridades que são interpretadas ao sabor de quem as ouve, através de jogos de expressão corporal e de representações gráficas. Orientação: Pedro Magalhães Público alvo: ensino básico; necessidades educativas especiais Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia DANÇA CRIATIVA Com jogos de improvisação, vamos usar o movimento natural do corpo como matéria para explorar noções de tempo, espaço, ritmo e som, que estimulam a percepção, a capacidade de expressão e o trabalho em grupo. Orientação: Claúdia Regado, Manuel Marques Público alvo: pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico; necessidades educativas especiais Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia PINTURAS E ESPESSURAS Com diferentes espessuras de pincéis, tintas e configurações de papel, esta visita-oficina desperta a curiosidade em torno do fazer e o gosto pela descoberta de materiais e técnicas artísticas, cruzando desenho, pintura e colagem. Orientação: José Maia Público alvo: pré-escolar e 1º e 2º ciclo do ensino básico; necessidades educativas especiais Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia LIVROS DE ARTISTA Tendo como ponto de partida uma visita à biblioteca do Museu para conhecer livros de artista da Colecção da Fundação Serralves, vamos elaborar um pequeno livro que conjuga, de forma criativa, textos, desenhos e colagens realizados pelos participantes desta oficina. Orientação: Sónia Borges Público alvo: 2º e 3º ciclos do ensino básico e ensino secundário Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia ESCULTURAS NO PARQUE Esta oficina propõe uma visita às esculturas no Parque de Serralves, envolvendo observação, interpretação e debate. A partir daí, concebe-se um projecto para uma intervenção no exterior, relacionando elementos da natureza e objectos do quotidiano. Orientação: Sónia Borges, José Maia Público alvo: 2º e 3º ciclos do ensino básico e ensino secundário Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia

7 UMA HISTÓRIA NA MÃO A partir de uma história que vamos contar, esboçamos e iniciamos a construção de um teatro portátil, com personagens e adereços feitos com materiais reciclados. Este teatro poderá ser completado na escola. Orientação: Cláudia Mel, Manuel Marques Público alvo: 1º e 2º ciclo do ensino básico Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia AULAS NO MUSEU Em articulação com o programa de Educação Visual e Tecnológica do 2º ciclo, exploram-se conceitos e processos de trabalho numa aproximação dinâmica e criativa à arte contemporânea: contextualização; percursos no Museu e no Parque; jogos de apreensão de conteúdos; diálogo e partilha de interpretações e experiências. Cada sessão tem uma caixa de materiais de apoio, que constitui uma ferramenta de trabalho para explorar e aprofundar as temáticas abordadas. Concepção: Elvira Leite, José Rosinhas, Mariana Brandão, Rita Martins, Sofia Victorino Orientação: Cristina Alves, Sónia Borges, Mariana Brandão, Rita Martins Público alvo: 2º ciclo do ensino básico Funcionamento: 3 aulas por ano, uma por período lectivo Acesso: 1,50 euros por participante, por aula; inscrição prévia no início do ano lectivo RECRIAR O MUSEU Através de um conjunto de jogos e exercícios práticos de exploração do Museu de Serralves, projectado por Álvaro Siza, pretende-se familiarizar os participantes com o processo criativo do arquitecto. De um modo dinâmico, abordam-se noções fundamentais em arquitectura, para uma melhor compreensão e interpretação dos espaços. Orientação: Inês Caetano, Matilde Seabra Público alvo: ensino básico e secundário Funcionamento: 2ª a 6ª feira Acesso: 1,50 euros por participante; inscrição prévia CONVERSAS NO MUSEU As Conversas no Museu convidam à descoberta e exploração da obra de um artista da Colecção de Serralves. O que nos revela a obra do seu autor? Que interpretações sugere? Em que contexto foi criada? Que cruzamentos disciplinares propõe? Em cada sessão há uma apresentação inicial que constitui o ponto de partida para a aproximação à obra em questão, na perspectiva de estimular o debate e fornecer pistas para posteriores reflexões. Cada conversa desenvolve-se em torno da obra dos seguintes artistas: Alberto Carneiro, Helena Almeida, Paula Rego. Orientação: Cristina Alves, Mariana Brandão, Matilde Seabra, Rita Martins Público alvo: 9º ano do 3º ciclo do ensino básico e ensino secundário Acesso: 1,50 euros por participante, por aula; inscrição prévia

8 AMBIENTE Nestas oficinas pretende-se sensibilizar para a preservação do ambiente, recorrendo ao Parque de Serralves como espaço privilegiado de aprendizagens que integram a educação ambiental e artística. AULAS NO PARQUE A partir do programa de Ciências do 5º ano de escolaridade, pretende-se estimular a aprendizagem e a consolidação de conhecimentos sobre as temáticas desta área curricular, explorando a biodiversidade do Parque. Orientação: Fernando Teles Público alvo: 5º ano do 2º ciclo do ensino básico Funcionamento: 3 aulas por ano, uma por período lectivo Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia no início do ano lectivo CIENTISTAS NO PARQUE Este programa pretende sensibilizar os alunos para uma atitude activa e responsável na protecção do ambiente, partindo de temas como a Biodiversidade, a Gestão de Recursos e a Monitorização Ambiental. Em articulação com os programas do ensino básico, dinamizam-se aulas de experimentação na área das Ciências, com jogos de apreensão de conteúdos, trabalho de campo e actividades em laboratório para análise das amostras recolhidas. Orientação: Mundo Científico Lda Público alvo: Ensino básico Funcionamento: 3 aulas por ano, uma por período lectivo Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia no início do ano lectivo PARQUE À VISTA! Este programa pretende despertar os mais novos para diferentes experiências no Parque de Serralves, tendo por objectivo desenvolver capacidades de expressão e comunicação através do contacto e relacionamento com a natureza. Orientação: Isabel Rodrigues, Carla Borges Público alvo: pré-escolar. Funcionamento: 1 oficina por mês Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia no início do ano lectivo CLUBES DA NATUREZA Acompanhamento dos ciclos da Natureza e cultivo de uma horta em modo biológico. Observação dos hábitos e comportamentos dos animais. Orientação: Ana Martins, Teresa Moura Público alvo: pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico Funcionamento: 1 oficina por semana Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia no início do ano lectivo VIVER COM ENERGIA Em articulação com os programas do 3º ciclo do ensino básico e do ensino secundário, este programa pretende promover o conhecimento em matéria de Energia, na perspectiva de estimular comportamentos responsáveis e informados. As sessões incluem um enquadramento inicial seguido de actividades práticas e laboratoriais relacionadas com os seguintes temas: combustíveis fósseis e energia; electricidade e eficiência energética. Orientação: Mundo Científico Lda Público alvo: 3º ciclo do ensino básico e ensino secundário Funcionamento: 3 sessões por ano, uma por período lectivo Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia no início do ano lectivo EM COLABORAÇÃO COM O MECENAS DO PARQUE O SABOR DO CINEMA Ciclo de projecções-conversa programado pela Associação Os Filhos de Lumière em parceria com a Fundação de Serralves. Cada sessão é antecedida de uma apresentação propiciadora de pistas de leitura, que procura estimular a atenção a certos aspectos formais ou temáticos dos filmes. No final, há sempre um espaço de debate e partilha de ideias. Público alvo: 2º e 3º ciclos do ensino básico e ensino secundário Acesso: gratuito; inscrição prévia

9 PROJECTO COM ESCOLAS Imagens à Lupa é tema que o Serviço Educativo propõe como ponto de partida para o Projecto com Escolas em Nesta iniciativa pretende-se suscitar a reflexão sobre relações e cruzamentos possíveis entre as temáticas da arte e do ambiente, contribuindo para desenvolver práticas que estimulam o conhecimento e a criatividade. Para mais informações contactar o Serviço Educativo. Público alvo: do pré-escolar ao ensino secundário Acesso: gratuito; inscrição prévia no início do ano lectivo ACTIVIDADES Encontro para apresentação do projecto (professores); Seminário (professores); Visitas à Fundação de Serralves; Oficinas temáticas (alunos e professores); Acção de formação para professores; Exposição final de trabalhos em Serralves.

10

11 FESTA DO AMBIENTE No dia 5 de Junho celebra-se na Fundação de Serralves o Dia Mundial do Ambiente. Todas as Escolas estão convidadas a participar numa animada programação que envolve música, dança, oficinas temáticas e jogos.

12

13 OUTROS PÚBLICOS

14 CRIANÇAS, JOVENS E FAMÍLIAS O LUGAR DO JOGO Ver, tocar, ouvir, cheirar, saborear Esta oficina estimula a sensibilidade e a curiosidade dos mais novos, encorajando-os a usar todos os sentidos na descoberta das coisas à sua volta. Cada módulo desenvolve-se em diferentes espaços de Serralves - Casa, Museu, Quinta propondo percursos de exploração, jogos e intervenções com materiais diversos, que valorizam as aprendizagens e desenvolvem a criatividade. Orientação: Isabel Pereira, Carla Correia Funcionamento: de Outubro a Junho; Domingos das 11h00 às 13h00 Público alvo: 3-5 anos (participação de um familiar na primeira e última sessão de cada módulo) Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia ESPAÇO PRÁTICA CRIATIVA O Espaço Prática Criativa é uma oficina-laboratório que valoriza a sensibilidade, a imaginação e a criatividade, a partir de vivências no Museu e Parque de Serralves. A oficina integra três módulos independentes, ligados entre si pelos mesmos objectivos - provocar o questionamento no encontro com a arte; explorar os componentes da linguagem visual; valorizar o fazer e a actividade criadora; desenvolver atitudes e valores a partir da experiência em grupo. Orientação: Carlos Dias, Carlos Carvalho, Cláudia Mel, Cristina Camargo, Manuel Marques Funcionamento: de Outubro a Junho; Sábados das 10h30 às 12h30 Público alvo: 6-10 anos (participação de um familiar na primeira e última sessão de cada módulo) Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia LABORATÓRIO DAS ARTES A partir da cidade onde vivemos e do contacto com Serralves vamos imaginar e construir outros lugares. Desenhamos, pintamos, esculpimos arquitectamos novos espaços e criamos uma instalação onde tudo o que gostamos de ter e fazer vai estar em destaque: do graffiti ao skate, da música à dança... No final, vamos montar e apresentar a nossa exposição! Orientação: José Santos Maia Funcionamento: de Outubro a Novembro; Sábados das 14h30 às 17h30 Público alvo: anos Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia FÉRIAS EM SERRALVES Este programa proporciona umas férias divertidas em contacto com a arte e a natureza, através de um conjunto de actividades pedagógicas de carácter lúdico. A partir de diferentes vivências no Museu, no Parque, e na Quinta, pretende-se estimular a criatividade, desenvolver a capacidade de expressão e comunicação e potenciar a experiência e o trabalho em grupo. Orientação: monitores do Serviço Educativo Funcionamento: Dezembro; Março a Abril; Julho a Setembro Público alvo: 4-12 anos Acesso: tarifário próprio; inscrição prévia FAMÍLIAS NO MUSEU Actividades criativas para todas as idades durante o período da manhã, a partir das exposições apresentadas no Museu de Serralves. Orientação: Matilde Seabra Funcionamento: último Domingo do mês Acesso: gratuito, sem marcação prévia

15 ADULTOS VISITAS ORIENTADAS ÀS EXPOSIÇÕES Sábados / 17h00-18h00 Domingos / 12h00-13h00 AOS ESPAÇOS ARQUITECTÓNICOS Domingos / 15h00-16h00 AO PARQUE Domingos / 11h00-12h00 Orientação: monitores do Serviço Educativo Funcionamento: todo o ano Acesso: gratuito mediante aquisição de bilhete de entrada no Museu. Aos Domingos a entrada é gratuita das 10h00-14h00. Marcações de grupos: para realização de visitas de grupo noutros horários, os interessados deverão contactar o Serviço Educativo (esta opção está sujeita a marcação prévia e tarifário próprio). ARTE CONTEMPORÂNEA: ABORDAGENS E PERSPECTIVAS Através de cursos, encontros e seminários este programa convida investigadores, curadores e artistas a dialogar com o público interessado numa discussão crítica em torno das artes visuais e da cultura contemporânea. À VOLTA DO JARDIM: CONHECIMENTOS E PRÁTICAS Aprendizagem e experimentação das técnicas aplicadas à conservação do jardim, através de um programa de cursos que familiarizam os participantes com todo o saber envolvido na sua construção e gestão. AMBIENTE EM DEBATE: CONVERSAS DE FIM DE TARDE Conversas organizadas em parceria com a Liga para a Protecção da Natureza, com o objectivo de difundir informação, suscitar o debate e contribuir para ampliar conhecimentos em matéria de ambiente e cidadania. Para actualização de informações e horários das actividades visite regularmente o website da Fundação de Serralves.

16 GRUPOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS SERRALVES PARA TODOS Este programa visa aprofundar a ligação com Instituições vocacionadas para o apoio e acompanhamento de grupos com necessidades especiais crianças, jovens e adultos através da organização de actividades que possibilitam a descoberta do património da Fundação de Serralves. Orientadas pela equipa do Serviço Educativo, as actividades contam com a colaboração de técnicos que acompanham os grupos, adequando as propostas às características dos participantes. Todas as actividades são gratuitas mediante marcação prévia. Mecenas do programa:

17 VISITAS ORIENTADAS ARTE NO PARQUE Vamos conhecer as esculturas instaladas no Parque de Serralves e explorar as múltiplas vivências que proporcionam: entrar, tocar, sentir, sonhar Orientação: Sónia Borges À DESCOBERTA DA QUINTA Em diferentes percursos temáticos vamos descobrir, identificar e conhecer melhor as plantas e os animais que habitam a quinta de Serralves. Orientação: Raphael Cecchetti OFICINAS TEMÁTICAS TINTAS AO VENTO Esta oficina propõe a pintura de cavalete ao ar livre: observa-se o espaço envolvente e a partir daí fazem-se pinturas que poderão representar algo do que se vê ou algo que se imagina e se deseja pintar. Trabalha-se com tintas de água, conjugando formas e cores em pinceladas controladas ou livres, consoante o desejo dos seus autores. Com esta actividade desenvolvem-se capacidades de expressão e comunicação. Orientação: Ana Martins Funcionamento: de Segunda a Sexta-feira; duração 1h 30min GEOMETRIA DAS BOLACHAS Há formas geométricas em muitas das coisas que vemos e usamos - na natureza, nas casas, nas roupas, em objectos usados no dia a dia - e no que comemos? É isto que vamos desvendar nesta oficina, através da confecção de bolachas saborosas e muito bem decoradas. O triângulo, o quadrado, o rectângulo e o círculo são as formas escolhidas. Qual delas é a mais fácil de comer? Orientação: Ana Martins Funcionamento: de Segunda a Sexta-feira; duração 1h 30min DO MOVIMENTO À EMOÇÃO Esta oficina de expressão corporal propõe diversos exercícios, jogos e brincadeiras que despertam o sentido de descoberta através da palavra, do corpo, do reconhecimento de espaços e das sensações vividas. Orientação: Miguel Cabral, Ricardo Barbosa Funcionamento: de Segunda a Sexta-feira; duração 1h 30min QUE CHEIRINHO!!! SERRALVES E SEUS AROMAS Entre sementes e plantações vamos descobrir a colecção de plantas aromáticas do Parque de Serralves, criando uma pequena sementeira portátil repleta de cheiros. Orientação: Raphael Cecchetti Funcionamento: de Segunda a Sexta-feira; duração 1h 30min FOLHAS CAÍDAS Identificar a vegetação de Serralves e conhecer as suas principais características, para elaborar um pequeno herbário de vegetação caduca. Orientação: Alcide Gonçalves, Mónica Amaro Funcionamento: de Segunda a Sexta-feira; duração 1h 30min COLECÇÕES DA NATUREZA Iniciar uma colecção científica com materiais recolhidos no Parque. O que coleccionar? Como e onde recolher as amostras? Vamos adquirir conhecimentos sobre o modo de identificar, ordenar e sistematizar o material reunido. Orientação: Mundo Científico Lda. Funcionamento: de Segunda a Sexta-feira; duração 1h 30min CIÊNCIA PARA TODOS Esta oficina aborda temas da biologia, da física, e da química, desenvolvendo-se em várias sessões ao ar livre e no laboratório do Parque. Pretendese criar um espaço de partilha, simultaneamente lúdico e pedagógico, ponte de partida para eventuais explorações na área das ciências. Orientação: Mundo Científico Lda. Funcionamento: sessões quinzenais de Janeiro a Junho; duração 2h MÃOS À HORTA! Esta oficina desenvolve-se em várias sessões, constituindo uma introdução às técnicas de cultivo de produtos hortícolas em modo biológico. Vamos sentir os cheiros, conhecer as texturas da terra, aprender a cuidar das plantas e descobrir os sabores que delas se podem extrair. Orientação: Alcide Gonçalves Funcionamento: sessões quinzenais de Março a Abril e de Abril a Maio; duração 1h 30min

18 PUBLICAÇÕES Próximas edições: Projectos com Escolas; Oficinas em Família. Website Visita virtual dedicada aos mais novos, com jogos de descoberta e outras actividades criativas.

19 INFORMAÇÕES ÚTEIS HORÁRIO MARCAÇÕES De 3ª a 6ª feira, 10h00-13h00/14h00-17h00 TEL: / 46 FAX: HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO OUT-MAR Museu/Parque/Casa Ter a Dom: 10h00-19h00 Encerramento: Segunda-feira ABR-SET Museu/Parque Ter a Sex: 10h00-19h00 Sáb, Dom e Feriados: 10h00-20h00 Encerramento: Segunda-feira Casa Ter a Dom e Feriados: 10h00-19h00 Encerramento: Segunda-feira IMPORTANTE Por motivos imprevistos os programas podem estar sujeitos a alterações de calendário e/ou de horário. Algumas actividades exigem a inscrição de um número mínimo de participantes. Consulte a informação publicada regularmente sobre as actividades do Serviço Educativo. INFORMAÇÕES A FACULTAR PARA INSCRIÇÃO NAS ACTIVIDADES Objectivos e tipo de actividade; Número de alunos e professores; Áreas disciplinares e nível de ensino dos alunos; Dia e hora em que o grupo pretende realizar a visita. Após o envio destas informações, a marcação está sujeita a confirmação posterior, via fax ou por correio. Este documento, enviado pelo SE, deverá ser apresentado pelo professor ou responsável pelo grupo na recepção do Museu, à chegada à Fundação de Serralves. Agradecemos a pontualidade dos grupos. Os alunos deverão aceder ao interior do Museu subdivididos em grupos, seguindo as indicações da ficha de confirmação, onde são recebidos pelos monitores do Serviço Educativo. O programa de visitas orientadas é gratuito, mediante marcação prévia. Os professores poderão solicitar fichas de pré marcação junto do Serviço Educativo ou na recepção do Museu. CARTÃO PROFESSOR-AMIGO Com o objectivo de fortalecer os laços estabelecidos com a comunidade educativa, a Fundação de Serralves criou no ano de 2000 o cartão Professor-Amigo de Serralves. As condições oferecidas são: Inclusão no mailing do Serviço Educativo, o que permite ao professor receber regularmente informação relativa à programação do SE; Entrada nas exposições e acesso ao Parque com 50% de desconto; convites para as inaugurações.

20 FICHA TÉCNICA PROGRAMAÇÃO/COORDENAÇÃO Elisabete Alves Sofia Victorino CONSULTORA Elvira Leite ASSISTENTES Carla Almeida Cristina Lapa Diana Cruz Marta Costa Serviço Educativo Tel: Geral: Fax: COMO CHEGAR À FUNDAÇÃO Transportes públicos: STCP 201, 203, 207 e 502 IMAGENS Ângela Azevedo Ana Luandina Anabela Rosas Trindade DESIGN GRÁFICO Gabinete de Imagem e Divulgação da Fundação de Serralves Rua D. João de Castro, Porto. Portugal APOIO INSTITUCIONAL MECENAS DO SERVIÇO EDUCATIVO

à volta dos jardins conhecimentos e práticas

à volta dos jardins conhecimentos e práticas à volta dos jardins conhecimentos e práticas 2011 Este programa tem por objectivo partilhar formas de olhar e de trabalhar o Jardim, a partir da organização de módulos de formação orientados por especialistas

Leia mais

PRESSRELEASE VERÃO EM SERRALVES OFICINAS PARA CRIANÇAS. 6 de Julho 4 de Setembro 2009 09h30-12h30 e 14h00-17h00

PRESSRELEASE VERÃO EM SERRALVES OFICINAS PARA CRIANÇAS. 6 de Julho 4 de Setembro 2009 09h30-12h30 e 14h00-17h00 VERÃO EM SERRALVES OFICINAS PARA CRIANÇAS 6 de Julho 4 de Setembro 2009 09h30-12h30 e 14h00-17h00 O programa de Verão no Museu e Parque de Serralves convida os mais novos a participar num conjunto de actividades

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá distinguir e recriar

Leia mais

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia)

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia) MUSEU DO CARRO ELÉTRICO Inaugurado em 1992, o Museu do Carro Elétrico nasceu da dedicação e voluntarismo de um pequeno grupo de entusiastas e apaixonados por este meio de transporte coletivo, impulsionados

Leia mais

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições Sementes para a Criatividade É uma acção de formação constituída por duas oficinas, uma de escrita criativa e outra de artes plásticas, em que se prevê: a criação de uma narrativa ilustrada que será submetida

Leia mais

b. Promover a contribuição das artes e humanidades, assim como das ciências, na educação para sustentabilidade.

b. Promover a contribuição das artes e humanidades, assim como das ciências, na educação para sustentabilidade. Integrar, na educação formal e na aprendizagem ao longo da vida, os conhecimentos, valores e habilidades necessárias para um modo de vida sustentável. b. Promover a contribuição das artes e humanidades,

Leia mais

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA

PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO PEDAGÓGICA SOBRE ARQUITECTURA, CIDADE E TERRITÓRIO PARA CRIANÇAS ANDREIA SALAVESSA OLHAR PARA VER OBJECTIVOS O desafio passa por analisar o meio construído segundo as suas

Leia mais

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES. Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA PRÉ-ESCOLAR PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES Vale Mourão 2014 / 2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular que permitirá

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES

COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES COMPONENTE DE APOIO À FAMÍLIA JARDIM DE INFÂNCIA Nº1 PROJETO EDUCATIVO / PLANO DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2014/2015 PROJETO: CHUVA DE CORES INTRODUÇÃO «Será a emergência do sentido e conteúdo curricular

Leia mais

Escola Secundária da Baixa da Banheira Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CLUBE DA CIÊNCIA ANO LECTIVO 2010/2011

Escola Secundária da Baixa da Banheira Departamento de Matemática e Ciências Experimentais CLUBE DA CIÊNCIA ANO LECTIVO 2010/2011 CLUBE DA CIÊNCIA ANO LECTIVO 2010/2011 Clube da Ciência, Ano Lectivo 2010/2011 1 . Tempo de aplicação do projecto Os trabalhos a desenvolver no âmbito do Clube da Ciência serão realizados ao longo do ano

Leia mais

QUARTO LUGAR DE ABRIGO, IDENTIDADE, EVASÃO PROJETO COM ESCOLAS 2011-2012

QUARTO LUGAR DE ABRIGO, IDENTIDADE, EVASÃO PROJETO COM ESCOLAS 2011-2012 QUARTO LUGAR DE ABRIGO, IDENTIDADE, EVASÃO PROJETO COM ESCOLAS 2011-2012 O homem não pode escapar à preensão da sua própria cultura, a qual mergulha até às raízes do seu sistema nervoso, modelando a sua

Leia mais

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM?

ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? ÁREAS DE CONTEÚDO: O QUE SÃO? COMO SE DEFINEM? As Áreas de Conteúdo são áreas em que se manifesta o desenvolvimento humano ao longo da vida e são comuns a todos os graus de ensino. Na educação pré-escolar

Leia mais

plano anual de educação ambiental

plano anual de educação ambiental plano anual de educação ambiental 2009/2010 complexo de educação ambiental da quinta da gruta PROGRAMA FAMÍLIAS Grelha Resumo por Sector Sector Rios/Espaços Verdes Animais Dias comemorativos Férias Datas

Leia mais

Fica o convite para mais um ano de experiências interativas e sensoriais num Museu que é de todos e para todos.

Fica o convite para mais um ano de experiências interativas e sensoriais num Museu que é de todos e para todos. Antigo espaço de encontro e de comunicação em torno do comércio e das mercadorias, a Alfândega é agora a casa do Museu dos Transportes e Comunicações, que tem vindo a construir e a solidificar uma relação

Leia mais

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL. A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL. A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades: OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANUAL EDUCAÇÃO INFANTIL INFANTIL V - 2012 A prática da educação infantil deve se organizar de modo que as crianças desenvolvam as seguintes capacidades:

Leia mais

Equipa de Animação Pedagógica Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém

Equipa de Animação Pedagógica Mosteiro dos Jerónimos e Torre de Belém Visita com Atelier -Animais do Mundo Era uma vez um rei chamado Manuel I que gostava de animais... Vamos através da história deste Mosteiro, conhecer os animais que no séc. XVI chegavam a Lisboa vindos

Leia mais

Objectivos Proporcionar experiências musicais ricas e diversificadas e simultaneamente alargar possibilidades de comunicação entre Pais e bebés.

Objectivos Proporcionar experiências musicais ricas e diversificadas e simultaneamente alargar possibilidades de comunicação entre Pais e bebés. O estudo do desenvolvimento musical da criança é um campo de trabalho privilegiado pela CMT, tendo em conta o perfil curricular de alguns dos seus elementos, com ligações ao meio universitário. Um pouco

Leia mais

Projecto Integrado da Baixa da Banheira

Projecto Integrado da Baixa da Banheira Projecto Integrado da Baixa da Banheira 1. INTRODUÇÃO O Projecto Integrado da Baixa da Banheira nasce de uma parceria entre a Câmara Municipal da Moita e o ICE tendo em vista induzir as Associações da

Leia mais

Um lugar de encontro...sempre!

Um lugar de encontro...sempre! Um lugar de encontro...sempre! Caro leitor e amigo, Em Novembro continuamos com um programa bastante diversificado, abrangendo várias faixas etárias e áreas temáticas. Destacamos as actividades para pais

Leia mais

Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011

Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011 Projecto Anual com Escolas Ano lectivo 2010/2011 1. Enquadramento O Serviço Educativo da Casa das Histórias Paula Rego é entendido como um sector de programação que visa uma mediação significativa entre

Leia mais

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR

INTRODUÇÃO ÍNDICE OBJECTIVOS DA EDUCAÇÂO PRÈ-ESCOLAR INTRODUÇÃO ÍNDICE - Objectivos de Educação Pré-Escolar - Orientações Curriculares - Áreas de Conteúdo/Competências - Procedimentos de Avaliação - Direitos e Deveres dos Encarregados de Educação - Calendário

Leia mais

GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA. As profissões. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor

GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA. As profissões. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor As profissões Introdução Preparação da visita A Casa Inacabada é um dos espaços que faz parte da exposição

Leia mais

CIENTISTAS NO PARQUE Ensino Básico

CIENTISTAS NO PARQUE Ensino Básico CIENTISTAS NO PARQUE Ensino Básico Este programa aborda a disciplina de ciências naturais de uma forma prática, partindo de temas como a biodiversidade, a gestão de recursos e a monitorização ambiental.

Leia mais

Retratos de Trabalho

Retratos de Trabalho Retratos de Trabalho Retratos de Trabalho é uma exposição fotográfica organizada pela Cidade das Profissões e pelo Museu da Indústria do Porto que convida a comunidade do Porto a revisitar profissões e

Leia mais

Metas de Aprendizagem 1.º Ciclo Expressões Artísticas. Introdução

Metas de Aprendizagem 1.º Ciclo Expressões Artísticas. Introdução Metas de Aprendizagem 1.º Ciclo Expressões Artísticas Introdução A Educação Artística no Ensino Básico desenvolve-se em quatro grandes áreas (Expressão Plástica e Educação Visual; Expressão e Educação

Leia mais

SERVIÇO DE PÚBLICOS E DESENVOLVIMENTO CULTURAL DIRECÇÃO DA CULTURA DA SCML

SERVIÇO DE PÚBLICOS E DESENVOLVIMENTO CULTURAL DIRECÇÃO DA CULTURA DA SCML SERVIÇO DE PÚBLICOS E DESENVOLVIMENTO CULTURAL DIRECÇÃO DA CULTURA DA SCML Largo Trindade Coelho 1200-470 Lisboa Tel. 213 235 233/824/065 www.scml.pt/ www.museu-saoroque.com info@museu-saoroque.com Transportes

Leia mais

II Jornadas de Museologia da Chapelaria Brincar com Património

II Jornadas de Museologia da Chapelaria Brincar com Património II Jornadas de Museologia da Chapelaria 09 e 10 de Novembro Museu da Chapelaria de S. João da Madeira Os museus são hoje espaços de intervenção pedagógica que se assumem cada vez mais como interessantes

Leia mais

FÉRIAS DE VERÃO 2014

FÉRIAS DE VERÃO 2014 FÉRIAS DE VERÃO 2014 O Museu da Carris oferece ateliers didáticos, interdisciplinares e criativos, que vão motivar as suas crianças durante o período de férias de Verão! Há muito para aprender, descobrir

Leia mais

AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA. Planificação. 1.º Ciclo do Ensino Básico

AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA. Planificação. 1.º Ciclo do Ensino Básico ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR ANO LETIVO AEC ALE EXPRESSÃO PLÁSTICA Planificação 1.º Ciclo do Ensino Básico 1. Introdução A atividade de enriquecimento curricular, ALE (atividades lúdico-expressivas)

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1

Agrupamento de Escolas da Madalena. Projeto do Clube de Música. Ano Lectivo 2012-2013 1 Agrupamento de Escolas da Madalena Projeto do Clube de Música Ano Lectivo 2012-2013 1 Projectos a desenvolver/participar: Projetos Dinamizado por: 1º Concurso de Flauta Prof. Teresa Santos - Participação

Leia mais

PROJECTO PEDAGÓGICO Sala 1-2 anos

PROJECTO PEDAGÓGICO Sala 1-2 anos PROJECTO PEDAGÓGICO Sala 1-2 anos Ano letivo 2015/2016 «Onde nos leva uma obra de arte» Fundamentação teórica (justificação do projeto): As crianças nesta faixa etária (1-2 anos) aprendem com todo o seu

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

Ateliers de Verão Câmara Municipal do Barreiro

Ateliers de Verão Câmara Municipal do Barreiro Programação de Actividades Julho 02 (4ª) 15h00 Edifício Américo Marinho Hum! Hum! Hum! Que delícia!, sessão I 04 (6ª) 15h00 Auditório Municipal Augusto Cabrita Atelier de Movimento, sessão I 07 (2ª) 15h00

Leia mais

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola

Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Elvira Cristina de Azevedo Souza Lima' A Utilização do Jogo na Pré-Escola Brincar é fonte de lazer, mas é, simultaneamente, fonte de conhecimento; é esta dupla natureza que nos leva a considerar o brincar

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCABIDECHE ESCOLA BÁSICA 2,3 DE ALCABIDECHE Sede 1. Identificação DEPARTAMENTO: Pré-Escolar PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES - PROPOSTA DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO - 2010 / 2011 Coordenador(a):

Leia mais

Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. Temas sazonais Junho e Julho 2010

Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra. Temas sazonais Junho e Julho 2010 Agenda Educativa Jardim Botânico da Universidade de Coimbra Temas permanentes - consultar/retirar formulário: www.uc.pt/jardimbotanico Temas sazonais Junho e Julho 2010 ACÇÃO: Visita Ateliê Celebração

Leia mais

Pré-Projeto de Educação Ambiental

Pré-Projeto de Educação Ambiental Pré-Projeto de Educação Ambiental Vamos Descobrir e Valorizar o Alvão Ano 2014/15 Centro de Informação e Interpretação Lugar do Barrio 4880-164 Mondim de Basto Telefone: 255 381 2009 ou 255 389 250 1 Descobrir

Leia mais

OFERTA PEDAGÓGICA. Educação Pré-Escolar

OFERTA PEDAGÓGICA. Educação Pré-Escolar OFERTA PEDAGÓGICA Educação Pré-Escolar ANO LECTIVO 2014 2015 Durante todo o percurso escolar, é importante desenvolver ferramentas que permitam a compreensão do mundo que nos rodeia e despertar a curiosidade

Leia mais

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças

>>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico. as nossas cidades retratadas por crianças >>>>>>>>>>>>>>>> passeio fotográfico as nossas cidades retratadas por crianças ----------------------------------------------------------- departamento de promoção da arquitectura educação pela arquitectura

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal

PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal PLANIFICAÇÃO ANUAL Actividades de Enriquecimento Curricular Expressão Dramática/Teatro e Corporal Ano de escolaridade: 1.º e 2.º Ano Ano lectivo: 2011/2012 Professor/a da Disciplina:... Agrupamento/Escola:.

Leia mais

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas

Plano Anual de Atividades 2014-2015 Departamento de Ciências Humanas Visita de estudo Geografia Conhecer o funcionamento de uma unidade industrial; Reconhecer a importância da atividade industrial na economia. Geografia e Alunos do 9º Ano Unidade Industrial 2ºPeríodo Visita

Leia mais

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida

Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida Sala: 4 anos (2) Educadora: Luísa Almeida SETEMBRO Regresso à escola/adaptação Facilitar a adaptação/readaptação ao jardim de infância Negociar e elaborar a lista de regras de convivência Diálogo sobre

Leia mais

ESCOLA EB 2.3/S Dr. Isidoro de Sousa PLANO DE ACTIVIDADES BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS ANO LECTIVO 2006 / 2007

ESCOLA EB 2.3/S Dr. Isidoro de Sousa PLANO DE ACTIVIDADES BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS ANO LECTIVO 2006 / 2007 ESCOLA EB 2.3/S Dr. Isidoro de Sousa BIBLIOTECA ESCOLAR / CENTRO DE RECURSOS EDUCATIVOS PLANO DE ACTIVIDADES ANO LECTIVO 2006 / 2007 Escola EB 2,3/S Dr. Isidoro de Sousa BE/CRE Pl de Actividades Ano Lectivo

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente PLANO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 2011/2012 CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente 2011/2012 Índice: Introdução Ações de Sensibilização: Ateliers: Datas Comemorativas: Visitas de Estudo: Concursos: Projetos:

Leia mais

:: EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS

:: EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS agenda de janeiro :: EXPOSIÇÕES TEMPORÁRIAS Feltros do Mundo. Arquitecturas de Cabeça Estará patente até ao fim do mês de Janeiro a exposição Feltros do Mundo, Arquitecturas de Cabeça. Esta será a última

Leia mais

Plano Anual de Atividades

Plano Anual de Atividades Plano Anual de Atividades Objetivos Atividades Responsáveis Datas Recursos Avaliaçõe s Promover o convívio entre os elementos da comunidade educativa Proporcionar momentos de alegria e partilha Recepção

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO

JUSTIFICATIVA OBJETIVOS GERAIS DO CURSO FATEA Faculdades Integradas Teresa D Ávila Plano de Ensino Curso: Pedagogia Disciplina: Fundamentos Teoricos Metodologicos para o Ensino de Arte Carga Horária: 36h Período: 2º ano Ano: 2011 Turno: noturno

Leia mais

Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo

Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo Plano Anual de atividades 2014/2015 1º Periodo Designação Objectivos Grupo alvo Calendarização Responsáveis pela actividade Recursos a afectar J F M A M J J A S O N D Humanos Materiais Logísticos Exercício

Leia mais

Reggio Emília Cooperação e Colaboração

Reggio Emília Cooperação e Colaboração Reggio Emília Cooperação e Colaboração Trabalho realizado por: Alexandra Marques nº4423 Ana Sofia Ferreira nº4268 Ana Rita Laginha nª4270 Dina Malveiro nº3834 Prof. Docente: José Espírito Santo Princípios

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 3º Período

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 3º Período PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2014/2015 3º Período ATIVIDADE OBJETIVO INTERDISCIPLI- NA-RIDADE LIGAÇÃO AO PROJETO EDUCATIVO DINAMIZADORES E ACOMPANHANTES PÚBLICO-ALVO (Referir turma) CALENDARIZAÇÃ O CUSTOS

Leia mais

SERVIÇO EDUCATIVO DA EXPO CELEBRAR OEIRAS

SERVIÇO EDUCATIVO DA EXPO CELEBRAR OEIRAS SERVIÇO EDUCATIVO DA EXPO CELEBRAR OEIRAS A Expo Celebrar Oeiras passado, presente e futuro, que irá estar patente ao público entre Maio e Dezembro, procura dar a conhecer aos visitantes o desenvolvimento

Leia mais

Conhecer, sentir e viver a Floresta

Conhecer, sentir e viver a Floresta Projeto de Sensibilização e Educação da População Escolar Conhecer, sentir e viver a Floresta 2011-12 Floresta, Fonte de Vida Guia das Atividades - - Dia de S. Martinho, Castanhas e Castanheiros - Dia

Leia mais

VERÃO. Os seus filhos irão ADORAR!

VERÃO. Os seus filhos irão ADORAR! PRÉ-ESCOLAR 3-5 ANOS Proporcione umas féria diferentes ao seu filho! O Colégio Sá de Miranda, durante o mês de Julho abre as portas aos filhos de todos os colaboradores das instituições com quem tem protocolos.

Leia mais

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves

Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves TEMA : BRINCANDO E APRENDENDO NA ESCOLA Coordenadoras: Enalva de Santana Santos e Márcia Soares Ramos Alves Autora: Prof a Cássia de Fátima da S. Souza PÚBLICO ALVO Alunos de 04 anos TEMA: BRINCANDO E

Leia mais

Avaliação do Projecto Curricular

Avaliação do Projecto Curricular Documento de Reflexão Avaliação do Projecto Curricular 2º Trimestre Ano Lectivo 2006/2007 Actividade Docente desenvolvida Actividade não lectiva Com base na proposta pedagógica apresentada no Projecto

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO

PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010. Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal GRUPO DE TRABALHO GRUPO DE TRABALHO Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal PLANO DE ACÇÃO ANUAL 2009/2010 O Plano de Acção da Rede de Bibliotecas de Carregal do Sal é um instrumento de trabalho ao nível da organização e

Leia mais

Mais informações e marcações Elisa Aragão servicoeducativo@zeroemcomportamento.org 213 160 057 www.zeroemcomportamento.org

Mais informações e marcações Elisa Aragão servicoeducativo@zeroemcomportamento.org 213 160 057 www.zeroemcomportamento.org Apresentamos de seguida várias sessões temáticas compostas por curtas-metragens de animação, às quais chamamos de Filminhos Infantis. Estas propostas são complementadas com uma oficina com uma duração

Leia mais

O Programa Educativo Apetece-me chegou ao Pré-Escolar.

O Programa Educativo Apetece-me chegou ao Pré-Escolar. O Programa Educativo Apetece-me chegou ao Pré-Escolar. O Programa Educativo Apetece-me é uma iniciativa da Nestlé Portugal que conta com o apoio da Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular

Leia mais

As propostas do. Dimensão Histórica Cívica Artística Social Pedagógica

As propostas do. Dimensão Histórica Cívica Artística Social Pedagógica As propostas do LIVRO Livre Dimensão Histórica Cívica Artística Social Pedagógica Dimensão Histórica: Conhecimento do passado histórico: 25 de Abril, Estado Novo, Guerra Colonial, Descolonização e Democracia;

Leia mais

Despertar os sentidos!

Despertar os sentidos! Despertar os sentidos! Tudo o que conhecemos chega-nos, de uma forma ou de outra, através de sensações sobre as realidades que nos rodeiam. Esta consciência sensorial pode e deve ser estimulada! Quanto

Leia mais

Programa de Férias verão 2013

Programa de Férias verão 2013 Programa de Férias verão 2013 Data: 3 de Junho 2013 Assunto: Programa de Férias de Verão Caros pais, Vimos, por este meio, dar-lhes a conhecer o Programa de Férias de Verão que será oferecido às crianças

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Samora Correia 2011/2012

Agrupamento de Escolas de Samora Correia 2011/2012 Plano Anual de Actividades Jardins de Infância Organização do Ambiente Educativo e espaços comuns. (de 4 a 09-09-2011) Cada educadora prepara a sua sala Organizar o Ambiente Educativo educadoras. Observação

Leia mais

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL MATERNAL I OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações;

Leia mais

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR

LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR LINGUAGENS DA INFÂNCIA: PROJETO RECICLAR ANNA PAULA SILVA (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS), ELIANE FERREIRA PINTO (PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS). Resumo A reciclagem tem como principal foco a conscientização

Leia mais

2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO E SUA INSERÇÃO NO PLANO DE ACTIVIDADES DA ENTIDADE PROPONENTE

2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO E SUA INSERÇÃO NO PLANO DE ACTIVIDADES DA ENTIDADE PROPONENTE 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO Educação Artística Contributos para a Educação para a Sustentabilidade, Ambiente e Reutilização Criativa 2. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO E SUA INSERÇÃO NO PLANO DE

Leia mais

AGENDA DE NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2014

AGENDA DE NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2014 AGENDA DE NOVEMBRO E DEZEMBRO DE 2014 O Agrupamento de Escolas N.º2 de Abrantes tem como um dos seus objetivos a plena integração na comunidade de que faz parte. Surge assim como natural a divulgação das

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos)

METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos) METAS DE APRENDIZAGEM (4 anos) 1. CONHECIMENTO DO MUNDO Expressar curiosidade e desejo de saber; Reconhecer aspetos do mundo exterior mais próximo; Perceber a utilidade de usar os materiais do seu quotidiano;

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7

Leia mais

2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO

2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO PROGRAMA DE DESENHO 10ª, 11ª e 12ª classes 2º CICLO DO ENSINO SECUNDÁRIO Área das Artes Visuais Ficha Técnica TÍTULO: Programa de Desenho - 10ª, 11ª e 12ª classes EDITORA: INIDE IMPRESSÃO: GestGráfica,

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA, DEONTOLOGIA E LEGISLAÇÃO Ano Lectivo 2013/2014

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular ÉTICA, DEONTOLOGIA E LEGISLAÇÃO Ano Lectivo 2013/2014 Programa da Unidade Curricular ÉTICA, DEONTOLOGIA E LEGISLAÇÃO Ano Lectivo 2013/2014 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular

Leia mais

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO

Câmara Municipal de Estarreja PREÂMBULO PREÂMBULO O projecto Estarreja COMpartilha surge da necessidade que se tem verificado, na sociedade actual, da falta de actividades e práticas de cidadania. Traduz-se numa relação solidária para com o

Leia mais

Politicas Municipais de Apoio à Criança

Politicas Municipais de Apoio à Criança Politicas Municipais de Apoio à Criança MUNICIPIO DA MOITA DASC / Divisão de Assuntos Sociais Projectos Dirigidos à Comunidade em Geral Bibliotecas - Biblioteca Fora d Horas - Pé Direito Juventude - Férias

Leia mais

SEMINÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO TRABALHO DESENVOLVIDO NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE

SEMINÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO TRABALHO DESENVOLVIDO NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE SEMINÁRIO DE DIVULGAÇÃO DO TRABALHO DESENVOLVIDO NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE Lisboa, 20 de Maio 2011 ECOTECA DE OLHÃO Fátima Monteiro . Auxiliar de Serviços Gerais.Técnica Administrativa.

Leia mais

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS

EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 1 2 EMPREENDEDORISMO JOVEM METODOLOGIA DESCRITIVA E ORIENTADORA DE ACÇÕES PARA ENQUADRAMENTO DE INICIATIVAS DE EMPREGO LOCAL PARA JOVENS DESEMPREGADOS/AS 3 4 TÍTULO: Empreendedorismo jovem - metodologia

Leia mais

ESPAÇOS HABITADOS O CORPO COMO FERRAMENTA VIVA

ESPAÇOS HABITADOS O CORPO COMO FERRAMENTA VIVA ESPAÇOS HABITADOS O CORPO COMO FERRAMENTA VIVA 19 e 20 Março 2011 10h00 > 13h00 14h30 > 17h30 Sinopse Muitos são os artistas para quem as fronteiras entre o corpo e a obra se esbatem, usando a Performance

Leia mais

Avaliação do impacto da hora do conto: experiência da aplicação da metodologia EIRAA

Avaliação do impacto da hora do conto: experiência da aplicação da metodologia EIRAA Avaliação do impacto da hora do conto: experiência da aplicação da metodologia EIRAA Álvaro Fernandes Maria José Leite Leonor Gaspar Pinto Paulo Silva César Ferreira Setembro 20091 Programa de Promoção

Leia mais

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades;

Brincar, expressando emoções, sentimentos, pensamentos, desejos e necessidades; INFANTIL II OBJETIVOS GERAIS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Desenvolver uma imagem positiva de si, atuando de forma cada vez mais independente, com a confiança em suas capacidades e percepção de suas limitações:

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objectivos gerais:... 4 2. Objectivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 5 4. Actividades Sócio-Educativas... 6 5.

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

Curso de Formação para Dinamização de workshops

Curso de Formação para Dinamização de workshops Curso de Formação para Dinamização de workshops Ficha Informativa Curso de Formação para Cientistas 1. A Empresa A Science4you é uma empresa 100% Nacional que nasceu em Janeiro de 2008. É considerada uma

Leia mais

Nesta edição, poderá consultar o programa de Oficinas de páscoa e primavera e escolher entre 13 propostas diferentes.

Nesta edição, poderá consultar o programa de Oficinas de páscoa e primavera e escolher entre 13 propostas diferentes. O ficinas Sazonais P E L O U R O D A I N O V A Ç Ã O E Procurando alargar as atividades de educação ambiental aos períodos de férias escolares, em particular às famílias, o Pelouro da Inovação e Ambiente

Leia mais

É possível conjugar uma sessão de cinema com uma oficina.

É possível conjugar uma sessão de cinema com uma oficina. 7 12 Anos ESTAS IMAGENS SÃO UM RODOPIO!///////////////////// 3 CINEMA EM CASA!//////////////////////////////////////////////////// 4 QUE FEITIÇO É ESTE?/////////////////////////////////////////////////

Leia mais

Projeto Viva a Alameda

Projeto Viva a Alameda Projeto Viva a Alameda Janeiro 2012 I. Enquadramento a. Política de Cidades o instrumento PRU b. Sessões Temáticas II. A PRU de Oliveira do Bairro a. Visão b. Prioridades Estratégicas c. Área de Intervenção

Leia mais

Ampliando o olhar sobre a Arte

Ampliando o olhar sobre a Arte Ampliando o olhar sobre a Arte A Arte reflete a história da humanidade. Desde as primeiras expressões artísticas (Arte rupestre) até os dias de hoje, podemos compreender o desenvolvimento do homem em cada

Leia mais

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco

Sobre nós. Educação Ambiental. Fale Conosco Sobre nós Em 1997 com iniciativas dos proprietários da Fazenda Alegre conscientes da importância da preservação e conservação dos remanescentes da vegetação nativa da fazenda, áreas degradadas vêm sendo

Leia mais

5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001

5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001 5572 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 201 30 de Agosto de 2001 2 No âmbito do disposto no número anterior, o professor: a) Reflecte sobre as suas práticas, apoiando-se na experiência, na investigação

Leia mais

Atividades Pedagógicas. Abril2014

Atividades Pedagógicas. Abril2014 Atividades Pedagógicas Abril2014 I A ADAPTAÇÃO Estamos chegando ao final do período de adaptação do grupo IA e a cada dia conhecemos mais sobre cada bebê. Começamos a perceber o temperamento, as particularidades

Leia mais

AMBIENTE E SAÚDE Ensino básico

AMBIENTE E SAÚDE Ensino básico AMBIENTE E SAÚDE Ensino básico Em articulação com os conteúdos programáticos das disciplinas de Ciências, desenvolvem-se atividades de estudo, monitorização e caracterização de parâmetros relacionados

Leia mais

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR

PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR MÊS Setembro TEMA Adaptação das Crianças PLANO ANUAL DE ACTIVIDADES CRECHE ANO LECTIVO 2014 / 2015 - Tema transversal a trabalhar ao longo do ano: A Magia do Circo DATAS A SALIENTAR ACTIVIDADES PEDAGÓGICAS

Leia mais

- Visitas orientadas Público-alvo: público geral

- Visitas orientadas Público-alvo: público geral Criado em 2006, o Serviço Educativo do Museu de Santa Maria de Lamas (MSML) tem desenvolvido um conjunto de actividades pedagógicas e lúdicas, no sentido de divulgar o património integrado no seu vasto

Leia mais

1ª SEMANA DE JANEIRO (DE 03 À 06)

1ª SEMANA DE JANEIRO (DE 03 À 06) 1ª SEMANA DE JANEIRO (DE 03 À 06) 03/01/12 a 06/01/12 Museu- Experimentando a História da Arte Propositores: José Antônio Fontes e Priscila Holanda. Sinopse: A oficina tem como objetivo proporcionar, através

Leia mais

DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E NOVAS TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISICAS E NATURAIS

DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E NOVAS TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISICAS E NATURAIS Governo dos Açores Escola Básica e Secundária de Velas DEPARTAMENTO DA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E NOVAS TECNOLOGIAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISICAS E NATURAIS Ano Letivo: 2014/2015

Leia mais

ENSINO PRÉ-ESCOLAR. Visitas orientadas À descoberta do MCCB

ENSINO PRÉ-ESCOLAR. Visitas orientadas À descoberta do MCCB Serviço educativo 2014 2015 ENSINO PRÉ-ESCOLAR Visitas orientadas À descoberta do MCCB 1h00 2.50 * Conhecem a história da Batalha? Com esta visita, percorreremos os caminhos da história desta terra e destas

Leia mais

An 2-A CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO FORMADORES

An 2-A CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO 1. DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO FORMADORES CONSELHO CIENTÍFICO PEDAGÓGICO DA FORMAÇÃO CONTÍNUA APRESENTAÇÃO DE ACÇÃO DE FORMAÇÃO NAS MODALIDADES DE 0726CURSO, MÓDULO E SEMINÁRIO Formulário de preenchimento obrigatório, a anexar à ficha modelo ACC

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FNDE PROINFÂNCIA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO - FACED DIRETRIZES CURRICULARES NACIONAIS PARA A

Leia mais

PROJECTO PEDAGÓGICO O PLANETA TERRA. Ano Lectivo 2010/2011 COLÉGIO DA QUINTA INGLESA

PROJECTO PEDAGÓGICO O PLANETA TERRA. Ano Lectivo 2010/2011 COLÉGIO DA QUINTA INGLESA PROJECTO PEDAGÓGICO O PLANETA TERRA Ano Lectivo 2010/2011 COLÉGIO DA QUINTA INGLESA [ PROJECTO PEDAGÓGICO] 2010/2011 PROJECTO PEDAGÓGICO Levantamento Teórico Este projecto foi concebido para alargar os

Leia mais