ÁCIDO ABSCÍSICO Hormônio sinalizador para a maturação de sementes e antiestresse (Taiz & Zeiger)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÁCIDO ABSCÍSICO Hormônio sinalizador para a maturação de sementes e antiestresse (Taiz & Zeiger)"

Transcrição

1 ÁCIDO ABSCÍSICO Hormônio sinalizador para a maturação de sementes e antiestresse (Taiz & Zeiger)

2 ÁCIDO ABSCÍSICO Hormônio sinalizador para a maturação de sementes e antiestresse (Taiz & Zeiger) Não induz diretamente à abscisão, mas leva à produção de etileno que provoca a abscisão Ocorrência: todos os órgãos Transporte: xilema e floema

3 B-caroteno Acetil CoA zeaxantina violaxantina neoxantina ABA xantoxina aldeído-aba

4 ÁCIDO ABSCÍSICO Efeitos fisiológicos Indução e manutenção da dormência de sementes Promove acúmulo de reservas nas sementes Promove a tolerância à dessecação no embrião Inibe produção de enzimas induzidas pela giberelina Indução e manutenção da dormência de gemas Promove o fechamento estomático em resposta ao estresse hídrico Promove a abscisão de folhas e frutos ao estimular a produção de etileno Em baixos potenciais hídrico promove o crescimento da raiz e inibe do caule

5 Ácido abscísico - Inibição da Brotação Controle ABA 0,1 mg L -1 ABA 1,0 mg L -1 ABA 10 mg L -1

6 Ácido abscísico causa fechamento estomático em resposta ao estresse hídrico Abertura estomática

7 Receptor ABA ABA Receptor K + K + K + K + K + K + K + K + Sob estresse hídrico, mesmo em condições favoráveis de luz, o ABA se liga ao seu receptor na célula-guarda e sinaliza para abrir os canais de K +, que por sua vez são transportados à célula anexa que fica com potencial osmótico menor do que a célula-guarda. Com a saída da água por diferença de potencial, o ostíolo se fecha

8 Inibidores e Retardadores de crescimento

9 Inibidores e Retardadores de crescimento Inibidores Evita totalmente o crescimento Age no meristema apical Retardadores Retarda do crescimento Usado em plantas ornamentais, deixa a planta mais compacta Evita acamamento em arroz e trigo

10 Inibidores de crescimento Hidrazida maleica Glifosato Dikegulac

11 Inibidores de crescimento Hidrazida maleica É um inibidor sintético de crescimento Nomes comerciais: Slo-Gro, MH-30 Inibe a divisão celular

12

13 Inibição da brotação de batata com MH-30 (hidrazida maleica) controle 100 mg L mg L -1

14

15 HIdrazida maleica em cebola: Inibição da brotação controle 500 mg L mg L -1

16 Tratadas com HM, 20 dias após a poda Não tratadas, só podadas

17 Cerca viva (ligustro) tratada com HM, 20 dias após a poda

18 Planta de tabaco tratada com inibidor de crescimento (HM) após a poda apical Controle

19 Inibidores de crescimento Glifosato Nome comercial: Roundup Bloqueia a via do ácido chiquímico Inibe a enzima 5-enolpiruvilshiquimato-3-fosfato sintase (EPSPS) Não forma triptofano, precursor de auxina

20

21 Inibidores de crescimento Dikegulac Nome comercial: Atrimmec Efeito: inibe dominância apical, favorecendo brotações laterais

22 Retardadores de crescimento Daminozide (ácido succínico 2,2 dimetilhidrazida) Nomes comerciais: Alar; SADH; B-nine Chlormequat (Cloreto 2-cloroetiltrimetilamônio) Nomes comerciais: Tuval; CCC; Cycocel Paclobutrazol Nomes comerciais: Bonzi, Paczol A maioria deles reduzem a biossíntese de giberelina

23 Biossíntese de giberelina geranil geranil-pp ent-copalil-pp ent-caureno plastídeo Bloqueadores chlormequat Cl-mepiquat AMO-1618 phosphon-d tetacyclacis GA 53 GA 12 GA 12 -aldeído ent-caureno ancymidol paclobutrazol retículo endoplasmático uniconazole Prohexadione-Ca GA 44 GA 19 GA 20 GA 1 Etil-trinexapac daminozide GA 29 GA 8 citosol

24 Retardadores em Crisântemo Controle Chlormequat Phosfon D Daminozide

25 Alar 85 (daminozide) em Bryophyllum Controle Daminozide (30 mg L -1 ) Daminozide (300 mg L -1 ) Daminozide (30000 mg L -1 )

26 Tuval (chlormequat) e Acamamento de Trigo Acamado Ereto

27 Paclobutrazol controle 1x (8 mg L -1 ) 2x (8 mg L -1 )

28 Paclobutrazol Menor dose Maior dose Tratamento de lírio (imersão do bulbo antes do plantio)

29 Outros Hormônios Vegetais Jasmonatos Ácido jasmônico e metil jasmonato Sintetizados a partir do ácido linolênico, em sementes imaturas, folhas adultas e frutos

30 Jasmonatos: biossíntese

31 JASMONATOS: efeitos Inibidor do crescimento e da germinação de sementes; Promove a senescência Sua aplicação reduz a fotossíntese interfere na atividade de genes e no teor de clorofila; Sua aplicação estimula a formação de tubérculos e induz maturação de frutos Atua na defesa da planta

32 JASMONATOS: efeitos Jasmonatos pode induzir o amadurecimento de frutos aumenta atividade da ACC oxidase enzima formadora de etileno Frutos que sofrem estresses (injúrias mecânicas, ataque de fungos) acumulam jasmonatos que aumentam a expressão de enzimas do metabolismo secundário (chalcona sintase e fenilalanina amônia-liase) Com isso aumenta a produção de fitoalexinas, proteínas antifúngicas (Osmotina e Tionina), e outras substâncias cicatrizantes

33 Estresse biótico e abiótico - Dano mecânico - Dano de frio - Patógenos Lipoxigenase Danos em membranas Jasmonatos Chalcona sintase Fenilalanina amônia-liase Aceleração do metabolismo secundário Etileno Fitoalexinas, Osmotina, Tionina, Traumatina

34 JASMONATOS: Efeitos Aplicação do metil jasmonato aumenta a tolerância de frutos (banana e lima Tahiti) ao frio Ativação de sistemas antioxidantes Sestari (2010)

35 Outros Hormônios Vegetais Salicilatos Estimula florescimento Promovem resistência à doenças São inibidores da síntese de etileno Biossíntese a partir do ácido cinâmico (Metabolismo secundário)

36 SALICILATOS Salicilatos endógenos Ácido salicílico; Metil salicilato Salicilatos sintéticos Ácido acetilsalicílico; Metil salicilato Transporte: via floema

37 fenilalanina Fenilalanina amônia-liase (PAL) benzil álcool ácido cinâmico benzaldeído Cinamoil-coA ácido cumárico ácido benzóico Hidroxifenilpropionil-coA oxo-fenilpropionilcoa ácido salicílico benzoil-coa

38 Salicilatos promovem resistência à doenças Infecção de uma folha Acúmulo de ácido salicílico Síntese e liberação de metil salicilato volátil Transmissão do sinal à outras partes da planta, via sistema vascular, resultando em aumento da resistência adquirida à patógenos. Transmissão de sinal pelo ar à outras partes da planta e plantas vizinhas.

39 ESTRIGOLACTONA Descoberto em 2008 São lactonas terpenóides derivadas dos carotenóides Inibidor de ramificações laterais

40 Outros Hormônios Vegetais Poliaminas Putrescina, espermidina e espermina Proteção contra estresses Sinalizadoras de senescência Efeitos antagônicos ao etileno Estão envolvidas na prevenção da degradação da membrana (controle de injúrias pelo frio) Poliaminas e etileno possuem um precursor em comum: SAM

41 Metionina Arginina Ornitina SAM Poliaminas ACC Etileno

42 Metionina Arginina Ornitina AVG (Retain) SAM ACC Poliaminas? Etileno

43 Inter-relações entre os hormônios vegetais e os processos fisiológicos

44 DORMÊNCIA DE FRUTEIRAS CADUCIFÓLIAS

45 Dormência da macieira e videira

46 Dormência de gemas final verão T o C e encurtamento do dia síntese GA e síntese ABA outono/inverno T o C e DC [GA] e [ABA] dormência das gemas

47 Quebra de dormência Quebra natural da dormência Acúmulo de horas de frio para diminuir os inibidores de crescimento e para ativar os promotores de crescimento

48 Quebra de dormência Quebra natural da dormência Acúmulo de horas de frio para diminuir os inibidores de crescimento e para ativar os promotores de crescimento Quebra forçada da dormência Em locais onde faz menos frio ou ocorre veranicos no inverno Produtos utilizados: calciocianamida; cianamida hidrogenada

49 Dormex = cianamida hidrogenada Maçã - aumenta respiração das gemas - altera balanço hormonal, antecipando o aumento de citocinina e auxinas

50 Dormex na Brotação de Videira Sem Dormex Com Dormex

51 Aplicação de Dormex (solução 30%) Brotação

52 Dominância Apical

53 Quebra da Dominância Apical REMOÇÃO DO ÁPICE Remoção fonte de auxina (IAA) Quebra da inibição das brotações laterais Alocação de citocininas para as brotações laterais via xilema Multiplicação celular nas gemas laterais Crescimento das brotações laterais RAMIFICAÇÕES LATERAIS

54 ABSCISÃO FOLIAR Abscisão: desprendimento de órgãos da planta em locais chamados zonas de abscisão Tipos de abscisão - Idade da folha - Estresse ambiental: - estresse abiótico: estresse hídrico - estresse biótico: ataque de insetos e patógenos

55 Idade da folha Abscisão incompleta Abscisão ambiental

56 ABSCISÃO FOLIAR Razões práticas para estudar abscisão Perdas de produção Incompleta abscisão causa maior incidência de patógenos

57 ABSCISÃO FOLIAR Razões práticas para estudar abscisão Perdas de produção Incompleta abscisão causa maior incidência de patógenos Razões acadêmicas para estudar abscisão Excelente modelo para estudar a interação entre hormônios vegetais

58 HORMÔNIOS QUE REGULAM A ABSCISÃO Reguladores diretos Etileno: promove abscisão Auxina: inibe abscisão, mas em alta concentração causa abscisão (efeito herbicida)

59 HORMÔNIOS QUE REGULAM A ABSCISÃO Reguladores indiretos Ácido abscísico (ABA) Aplicação de ABA estimula a produção de etileno

60 Biologia da Abscisão Foliar Fase da manutenção foliar Fase de indução da abscisão Fase da abscisão Separação da camada de abscisão amarelecimento etileno Alta [Ax] foliar reduz a sensibilidade das células da camada de abscisão ao etileno Redução na [Ax] foliar aumenta a produção de etileno e a sensibilidade das células da camada de abscisão ao etileno

61 Região de Abscisão

62 Transporte de auxinas ZA ZA = zona de abscisão Sensitividade ao etileno inibida na zona de abscisão Antes da abscisão

63 Aumenta síntese de etileno Diminui transporte de auxina Aumento sensitividade ao etileno na ZA Durante a abscisão Etileno aumenta a expressão de enzimas de degradam parede celular na zona de abscisão (celulase e poligalacturonase)

Hormônios vegetais Prof.: Eduardo

Hormônios vegetais Prof.: Eduardo Prof.: Eduardo Fitormônios: É um composto orgânico sintetizado em alguma parte do vegetal que pode ser transportado para outra parte e assim em concentrações muito baixas causar uma resposta fisiológica

Leia mais

Hormônios Vegetais Regulação do crescimento

Hormônios Vegetais Regulação do crescimento Hormônios Vegetais Regulação do crescimento Interações de fatores no desenvolvimento vegetal Genoma da planta Codificação de enzimas catalisadoras de reações bioquímicas de desenvolvimento Estímulos ambientais

Leia mais

INIBIDORES. Katia Christina Zuffellato-Ribas

INIBIDORES. Katia Christina Zuffellato-Ribas INIBIDORES Katia Christina Zuffellato-Ribas ÁCIDO ABSCÍSICO DESCOBERTO NA DÉCADA DE 60 ABSCISINA ESTADOS UNIDOS DORMINA INGLATERRA É UM RETARDANTE DO CRESCIMENTO HORMÔNIO DA DORMÊNCIA DE GEMAS ABA ESCALA

Leia mais

Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal:

Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal: Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal: Fatores internos de controle LCE SLC0622- Biologia 3 2016 Hormônios Vegetais ou Fitormônios: fatores internos de controle Regulam o desenvolvimento e

Leia mais

O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores:

O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores: O controle do crescimento e do desenvolvimento de um vegetal depende de alguns fatores: Disponibilidade de luz Disponibilidade de água Nutrientes minerais Temperatura Um outro fator que regula o crescimento

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PAULO R. C. CASTRO ESALQ/USP CANA-DE-AÇÚCAR: HORMÔNIOS E REGULADORES HORMÔNIOS VEGETAIS Flor AX, BR Meristema AX, GA, BR Folha jovem AX, GA Caule jovem - GA Semente imatura AX,

Leia mais

FISIOLOGIA E NUTRIÇÃO DA VIDEIRA

FISIOLOGIA E NUTRIÇÃO DA VIDEIRA FISIOLOGIA E NUTRIÇÃO DA VIDEIRA aaa Aspectos hormonais do crescimento fitormônios e reguladores de crescimento a Prof. Leonardo Cury Bento Gonçalves/RS 1 Introdução! Hormônio: Palavra de origem grega

Leia mais

HORMÔNIOS VEGETAIS. Katia Christina Zuffellato-Ribas

HORMÔNIOS VEGETAIS. Katia Christina Zuffellato-Ribas HORMÔNIOS VEGETAIS Katia Christina Zuffellato-Ribas HORMÔNIO VEGETAL COMPOSTO ORGÂNICO, NÃO NUTRIENTE, DE OCORRÊNCIA NATURAL, PRODUZIDO NA PLANTA, O QUAL, EM BAIXAS CONCENTRAÇÕES (10-4 A 10-6 M), PROMOVE,

Leia mais

Hormônios Vegetais (Fitormônios)

Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais Os fitormônios, como também são chamados os hormônios vegetais, são substâncias orgânicas atuantes nos diferentes órgãos das plantas: raiz, caule, folhas,

Leia mais

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros

Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Biologia Professor Leandro Gurgel de Medeiros Fisiologia Vegetal 1. Conceito: Ramo da botânica destinado a estudar as funções vitais das plantas. Absorção; Transpiração; Condução; Fotossíntese; Fotoperíodos;

Leia mais

ETILENO. Katia Christina Zuffellato-Ribas

ETILENO. Katia Christina Zuffellato-Ribas ETILENO Katia Christina Zuffellato-Ribas ÚNICO HORMÔNIO GASOSO H 2 C = CH 2 1864 GIARDIN (Alemanha) Gás de iluminação desfolha de árvores 1901 NELJUBOV (Rússia) Ervilhas Tríplice reação de Neljubov Tríplice

Leia mais

26/6/2012 HISTÓRICO SOBRE O ÁCIDO ABSCÍSICO

26/6/2012 HISTÓRICO SOBRE O ÁCIDO ABSCÍSICO UNIDADE IX HORMÔNIOS E REGULADORES DE CRESCIMENTO PARTE II PRINCIPAIS CLASSES DE HORMÔNIOS: ÁCIDO ABSCÍSICO (UM SINAL PARA A MATURAÇÃO DE SEMENTES E O ANTIESTRESSE) 1. DESCOBERTA 2. OCORRÊNCIA, METABOLISMO

Leia mais

HORMÔNIOS VEGETAIS OU FITORMÔNIOS

HORMÔNIOS VEGETAIS OU FITORMÔNIOS HORMÔNIOS VEGETAIS OU FITORMÔNIOS São substâncias ativas, em quantidades mínimas que induzem efeitos especiais crescimento e desenvolvimento vegetal ( estimulando ou inibindo ). Ex. Auxinas, Giberelinas,

Leia mais

O que é hormônio? Qual a diferença entre os termos hormônio vegetal e regulador de crescimento?

O que é hormônio? Qual a diferença entre os termos hormônio vegetal e regulador de crescimento? Hormônios Vegetais O que é hormônio? Qual a diferença entre os termos hormônio vegetal e regulador de crescimento? AUXINAS Breve histórico Dos experimentos sobre fototropismo, Darwin concluiu que um estímulo

Leia mais

ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL PARTE II- NUTRIÇÃO ORGÂNICA E HORMÔNIOS VEGETAIS

ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL PARTE II- NUTRIÇÃO ORGÂNICA E HORMÔNIOS VEGETAIS ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL PARTE II- NUTRIÇÃO ORGÂNICA E HORMÔNIOS VEGETAIS Cita e explica os 4 fatores que interferem na fotossíntese. Temperatura Concentração CO2 na atmosfera Intensidade e Comprimento

Leia mais

Todos os seres vivos apresentam uma série de respostas a estímulos exteriores, tais como a luz, a temperatura, a gravidade, o fotoperíodo ou o toque

Todos os seres vivos apresentam uma série de respostas a estímulos exteriores, tais como a luz, a temperatura, a gravidade, o fotoperíodo ou o toque HORMONAS VEGETAIS Todos os seres vivos apresentam uma série de respostas a estímulos exteriores, tais como a luz, a temperatura, a gravidade, o fotoperíodo ou o toque mecânico (contacto). Apesar de não

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 18 MOVIMENTOS E CRESCIMENTO VEGETAL, HORMÔNIOS E FOTOPERÍODO Crescimento Inibição Produção Raízes Gemas Caules Produção de Etileno 10-11 10-9 10-7 10-5 10-3 10-1 Concentração

Leia mais

Lista de exercícios de Biologia - revisão geral - 3º ano Valor 2,0 pontos (NT) Profa Deborah

Lista de exercícios de Biologia - revisão geral - 3º ano Valor 2,0 pontos (NT) Profa Deborah Lista de exercícios de Biologia - revisão geral - 3º ano Valor 2,0 pontos (NT) Profa Deborah 1. (Unesp-SP) Um botânico tomou dois vasos, A e B, de uma determinada planta. O vaso A permaneceu como controle

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL FISIOLOGIA VEGETAL 24/05/2017. Prof. Leonardo F. Stahnke

FISIOLOGIA VEGETAL FISIOLOGIA VEGETAL 24/05/2017. Prof. Leonardo F. Stahnke FISIOLOGIA VEGETAL Prof. Leonardo F. Stahnke FISIOLOGIA VEGETAL A fisiologia vegetal é a parte da biologia que estuda o funcionamento do organismo das plantas, que inclui: Nutrição vegetal; Crescimento

Leia mais

Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio

Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio Hormonas vegetais Uma das características básicas da vida é a capacidade de responder a estímulos do meio Em resposta a factores externos, as plantas produzem mensageiros químicos, as hormonas vegetais

Leia mais

Outros Hormônios Vegetais

Outros Hormônios Vegetais UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (ICA) DOCENTE: PROF. DR. ROBERTO CEZAR LOBO DA COSTA FISIOLOGIA VEGETAL Outros Hormônios Vegetais Outros Hormônios Vegetais: BRASSINOSTERÓIDES,

Leia mais

UERJ 2016 e Hormônios Vegetais

UERJ 2016 e Hormônios Vegetais UERJ 2016 e Hormônios Vegetais Material de Apoio para Monitoria 1. O ciclo de Krebs, que ocorre no interior das mitocôndrias, é um conjunto de reações químicas aeróbias fundamental no processo de produção

Leia mais

UNIDADE XIX - Ácido abscísico: Um hormônio de maturação de sementes e resposta ao estresse

UNIDADE XIX - Ácido abscísico: Um hormônio de maturação de sementes e resposta ao estresse UNIDADE XIX - Ácido abscísico: Um hormônio de maturação de sementes e resposta ao estresse 1. Introdução 2. Ocorrência, estrutura química e medição do ABA 3. Biossíntese, metabolismo e transporte do ABA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE AGRONOMIA ANO DA ÚLTIMA REVISÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE AGRONOMIA ANO DA ÚLTIMA REVISÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE AGRONOMIA DEPARTAMENTO INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (ICA) CARGA HORÁRIA SEMESTRAL CÓDIGO ANO DA ÚLTIMA REVISÃO

Leia mais

BV581 - Fisiologia Vegetal Básica - Desenvolvimento

BV581 - Fisiologia Vegetal Básica - Desenvolvimento BV581 - Fisiologia Vegetal Básica - Desenvolvimento Aula 7: Ácido Abscísico e outros hormônios Prof. Marcelo C. Dornelas Ácido Abscísico Histórico O ácido abscísico foi descoberto na década de 1960, com

Leia mais

PRINCIPAIS FITORMÔNIOS

PRINCIPAIS FITORMÔNIOS FITORMÔNIOS São substâncias orgânicas químicas que atuam em diferentes partes do vegetal, como raiz, caule, folha, flor e fruto. São sintetizados em pequenas porções. Responsáveis pelo crescimento e desenvolvimento

Leia mais

REGULAÇÃO DA FOTOSSÍNTESE PELA ATIVIDADE DO DRENO

REGULAÇÃO DA FOTOSSÍNTESE PELA ATIVIDADE DO DRENO Universidade de São Paulo Relações Metabólicas e Hídricas nos Vegetais REGULAÇÃO DA FOTOSSÍNTESE PELA ATIVIDADE DO DRENO Matthew J. Paul and Christine H. Foyer Journal of Experimental Botany, Vol. 52,

Leia mais

Os sinais internos da planta

Os sinais internos da planta Os sinais internos da planta O controlo da proliferação e divisão celular ao longo do desenvolvimento depende, na maioria dos casos, da acção concertada das hormonas vegetais Auxinas e citocininas as mais

Leia mais

Hormônios e reguladores vegetais na pós-colheita de frutas e hortaliças

Hormônios e reguladores vegetais na pós-colheita de frutas e hortaliças Pós-colheita de Produtos Hortícolas (LPV 660) Hormônios e reguladores vegetais na pós-colheita de frutas e hortaliças Prof. Angelo P. Jacomino Depto. Produção Vegetal HORMÔNIOS E REGULADORES VEGETAIS Conceitos

Leia mais

ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL

ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL ASSUNTO: FISIOLOGIA VEGETAL Macro e Micronutrientes: MACRONUTRIENTES: - CO2, Água e Sais Minerais - Hidrogênio, Carbono, Oxigênio, Nitrogênio, Fósforo, Potássio, Magnésio, Enxofre, Potássio, Silício, Cálcio

Leia mais

ABSORÇÃO. - A absorção de água e sais minerais acontece principalmente pela raiz, na região dos pêlos absorventes;

ABSORÇÃO. - A absorção de água e sais minerais acontece principalmente pela raiz, na região dos pêlos absorventes; FISIOLOGIA VEGETAL - É o estudo dos mecanismos responsáveis por manter o equilíbrio das funções da planta. - São a absorção de nutrientes e água, o transporte das seivas, fatores reguladores do crescimento

Leia mais

Fisiologia Vegetal. Natália A. Paludetto

Fisiologia Vegetal. Natália A. Paludetto 0 Fisiologia Vegetal Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Fisiologia da água e dos sais minerais Solo Raízes planta! Água + SMs Absorção de água pela raiz: Zona

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL. Prof. Tiago Vianna

FISIOLOGIA VEGETAL. Prof. Tiago Vianna Prof. Tiago Vianna FOTOSSÍNTESE : PRODUÇÃO DE MATÉRIA ORGÂNICA OBTENÇÃO DE ÁGUA E SAIS PELA PLANTA XILEMA(LENHO) : tecido morto de condução e sustentação XILEMA(LENHO) : tecido morto de condução e sustentação

Leia mais

BIOLOGIA E FISIOLOGIA DE PLANTAS FORRAGEIRAS

BIOLOGIA E FISIOLOGIA DE PLANTAS FORRAGEIRAS BIOLOGIA E FISIOLOGIA DE PLANTAS FORRAGEIRAS A pastagem vista como um ecossistema Crescimento de uma gramínea Crescimento de uma leguminosa Do que as plantas precisam para crescer? Fotossíntese Quanto

Leia mais

26/6/2012. STEWART (década de 1950) Confirmou os resultados de van Overbeek, ou seja, a água de coco continha várias cinetinas ;

26/6/2012. STEWART (década de 1950) Confirmou os resultados de van Overbeek, ou seja, a água de coco continha várias cinetinas ; UNIDADE IX HORMÔNIOS E REGULADORES DE CRESCIMENTO PARTE II PRINCIPAIS CLASSES DE HORMÔNIOS: CITOCININAS (REGULADORES DA DIVISÃO CELULAR) 1. DESCOBERTA, IDENTIFICAÇÃO E PROPRIEDADES 2. OCORRÊNCIA, METABOLISMO

Leia mais

Fisiologia Vegetal RESPIRAÇÃO. Prof. Dr. Roberto Cezar Lobo da Costa. Universidade Federal Rural da Amazônia Instituto de Ciências Agrárias (ICA)

Fisiologia Vegetal RESPIRAÇÃO. Prof. Dr. Roberto Cezar Lobo da Costa. Universidade Federal Rural da Amazônia Instituto de Ciências Agrárias (ICA) Fisiologia Vegetal Prof. Dr. Roberto Cezar Lobo da Costa RESPIRAÇÃO Universidade Federal Rural da Amazônia Instituto de Ciências Agrárias (ICA) I- INTRODUÇÃO Plantas: Transformam energia luminosa em energia

Leia mais

26/6/2012. No Japão, essa doença era chamada de planta boba (bakanae);

26/6/2012. No Japão, essa doença era chamada de planta boba (bakanae); UNIDADE IX HORMÔNIOS E REGULADORES DE CRESCIMENTO PARTE II PRINCIPAIS CLASSES DE HORMÔNIOS: GIBERELINAS (REGULADORES DA ALTURA DAS PLANTAS) 1. DESCOBERTA 2. OCORRÊNCIA, METABOLISMO E TRANSPORTE 3. PAPEL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL e AGRONOMIA ANO DA ÚLTIMA REVISÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL e AGRONOMIA ANO DA ÚLTIMA REVISÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA (UFRA) COORDENADORIA DO CURSO DE ENGENHARIA FLORESTAL e AGRONOMIA INSTITUTO INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (ICA) CARGA HORÁRIA SEMESTRAL CÓDIGO

Leia mais

Apresentação da disciplina Fisiologia Vegetal

Apresentação da disciplina Fisiologia Vegetal Apresentação da disciplina Fisiologia Vegetal DISCIPLINA: CI0906 - Fisiologia vegetal HORÁRIO: 2ª, 4ª e 6ª feira. Turma 02-10:00 às 12:00 horas. OBJETIVOS DA DISCIPLINA: Fornecer os fundamentos teóricos

Leia mais

Equilíbrio fisiológico e nutricional: pilares para produtividade e qualidade do cafeeiro

Equilíbrio fisiológico e nutricional: pilares para produtividade e qualidade do cafeeiro I CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DO CAFÉ YARA BRASIL FERTILZANTES S.A. Hotel Resort Bourbon -Atibaia MG -2016 Equilíbrio fisiológico e nutricional: pilares para produtividade e qualidade do cafeeiro Prof. José

Leia mais

AULA 3. Propagação assexuada Estaquia Tipos de estacas Coleta e Confecção do Material Desinfestação Aplicação de Reguladores Vegetais Auxinas

AULA 3. Propagação assexuada Estaquia Tipos de estacas Coleta e Confecção do Material Desinfestação Aplicação de Reguladores Vegetais Auxinas AULA 3 Propagação assexuada Estaquia Tipos de estacas Coleta e Confecção do Material Desinfestação Aplicação de Reguladores Vegetais Auxinas Katia Christina Zuffellato-Ribas ESTAQUIA TIPOS DE ESTACAS:

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL ABSORÇÃO DE ÁGUA E SAIS MINERAIS PELA RAIZ

FISIOLOGIA VEGETAL ABSORÇÃO DE ÁGUA E SAIS MINERAIS PELA RAIZ RESUMÃO DE BIOLOGIA FISIOLOGIA VEGETAL ABSORÇÃO DE ÁGUA E SAIS MINERAIS PELA RAIZ As plantas necessitam de quantidades relativamente grandes de determinados elementos químicos, como nitrogênio, potássio,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Código Denominação DISCIPLINA Crédito(s) (*) Carga Horária Teórica Prática Total PFV 503 FISIOLOGIA

Leia mais

FISIOLOGIA: BIORREGULADORES NA CULTURA DE CANA-DE-ACÚCAR

FISIOLOGIA: BIORREGULADORES NA CULTURA DE CANA-DE-ACÚCAR FISIOLOGIA: BIORREGULADORES NA CULTURA DE CANA-DE-ACÚCAR PROF. DR. JOÃO DOMINGOS RODRIGUES Professor Titular em Fisiologia Vegetal Departamento de Botânica IB, UNESP UNESP/Botucatu-SP. Como minimizar

Leia mais

Hormônios Vegetais. Hormônio: palavra de origem grega que significa mensageiro químico

Hormônios Vegetais. Hormônio: palavra de origem grega que significa mensageiro químico Hormônios Vegetais Hormônios Vegetais Hormônio: palavra de origem grega que significa mensageiro químico Hormônios Vegetais Hormônio: palavra de origem grega que significa mensageiro químico Conceito de

Leia mais

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio

Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Colégio FAAT Ensino Fundamental e Médio Recuperação do 3 Bimestre disciplina :Biologia Conteúdo: Evolução Biológica II: teoria sintética ou moderna da evolução, mutação, isolamento geográfico, isolamento

Leia mais

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 59 FISIOLOGIA VEGETAL

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 59 FISIOLOGIA VEGETAL BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 59 FISIOLOGIA VEGETAL Como pode cair no enem (ENEM) Na transpiração, as plantas perdem água na forma de vapor através dos estômatos. Quando os estômatos estão fechados,

Leia mais

COORDENAÇÃO HORMONAL NAS PLANTAS

COORDENAÇÃO HORMONAL NAS PLANTAS COORDENAÇÃO HORMONAL NAS PLANTAS O crescimento e o desenvolvimento normal das plantas é regulado, em grande parte, por hormonas, dependendo, no entanto, de factores genéticos e ambientais. Dos fatores

Leia mais

FISIOLOGIA DE ANGIOSPERMAS

FISIOLOGIA DE ANGIOSPERMAS BIOLOGIA FISIOLOGIA DE ANGIOSPERMAS Prof. TOSCANO O que você deve saber sobre FISIOLOGIA DAS PLANTAS ANGIOSPERMAS A capacidade de responder a mudanças ambientais e a adaptação a diferentes situações são

Leia mais

28/10/2013. HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS

28/10/2013. HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS HORMÔNIOS VEGETAIS ou FITORMÔNIOS Vegetais são capazes de controlar seu desenvolvimento e crescimento de acordo com as condições ambientais, e de reagir a estímulos ambientais; Essas atividades são controladas

Leia mais

BV581 - Fisiologia Vegetal Básica - Desenvolvimento

BV581 - Fisiologia Vegetal Básica - Desenvolvimento BV581 - Fisiologia Vegetal Básica - Desenvolvimento Aula 2: Hormônios Vegetais: Auxinas (Parte I) Prof. Marcelo C. Dornelas Hormônios Vegetais Hormônios vegetais são substâncias orgânicas, produzidas pela

Leia mais

Hormônios Vegetais (Fitormônios)

Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais Os fitormônios, como também são chamados os hormônios vegetais, são substâncias orgânicas atuantes nos diferentes órgãos das plantas: raiz, caule, folhas,

Leia mais

MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO. Forma e função nas plantas vasculares : BIB 140

MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO. Forma e função nas plantas vasculares : BIB 140 MERISTEMAS E DESENVOLVIMENTO Forma e função nas plantas vasculares : BIB 140 Tópicos a serem abordados: Desenvolvimento Meristemas Célula vegetal Crescimento Alongamento Divisão celular Diferenciação celular

Leia mais

Unidade XI Transdução de sinal. Introdução

Unidade XI Transdução de sinal. Introdução Unidade XI Transdução de sinal 1. Introdução 2. Transdução de sinal em células vegetais e animais 3. Transdução de sinal no espaço e no tempo Introdução Desde os estudos clássicos, os pesquisadores têm

Leia mais

Potássio, Cálcio e Magnésio

Potássio, Cálcio e Magnésio Nutrição Mineral de Plantas Potássio, Cálcio e Magnésio Josinaldo Lopes Araujo 1. POTÁSSIO 1.1 Aspectos gerais Segundo nutriente mais consumido como fertilizantes no Brasil. A sua principal fonte no solo

Leia mais

Eng Agr MsC Humberto Vinicius Vescove Consultor FORBB

Eng Agr MsC Humberto Vinicius Vescove Consultor FORBB Eng Agr MsC Humberto Vinicius Vescove Consultor FORBB Atuando em aproximadamente 20 mil há (SP e MG) Estimativa de safra Manejo Fitossanitário Nutrição Irrigação Projetos Manejo de irrigação (água) e fertirrigação

Leia mais

Jasmonatos e salicilatos e suas funções na defesa das plantas

Jasmonatos e salicilatos e suas funções na defesa das plantas Jasmonatos e salicilatos e suas funções na defesa das plantas Profa. Dra. Jocleita Peruzzo Ferrareze Março de 2014 1 O que vamos conversar hoje? Definições básicas sobre jasmonatos e salicilatos Resultados

Leia mais

WORKSHOP INTERNACIONAL DE PÓS-COLHEITA e IV Reunião da Rede HORTYFRESCO. Embalagens CAUSAS? CONSEQUÊNCIAS:

WORKSHOP INTERNACIONAL DE PÓS-COLHEITA e IV Reunião da Rede HORTYFRESCO. Embalagens CAUSAS? CONSEQUÊNCIAS: WORKSHOP INTERNACIONAL DE PÓS-COLHEITA e IV Reunião da Rede HORTYFRESCO PROLONGAMENTO DA VIDA PÓS-COLHEITA Uso de baixa temperatura é a principal técnica pós-colheita para a manutenção da qualidade de

Leia mais

2. Efeito da variação dos factores ambientais no desenvolvimento das plantas

2. Efeito da variação dos factores ambientais no desenvolvimento das plantas Fisiologia Vegetal 2014 DESENVOLVIMENTO VEGETAL 1. Sinais e receptores 1.1. Introdução: sinais, receptores e vias de transdução do sinal 1.2. Mensageiros secundários. 1.3. Vias de transdução do sinal.

Leia mais

Hormônios Vegetais (Fitormônios)

Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais (Fitormônios) Hormônios Vegetais Ou fitormônios, são substâncias orgânicas atuantes nos diferentes órgãos das plantas: raiz, caule, folhas, flores e frutos, responsáveis pelo crescimento

Leia mais

FISIOLOGIA VEGETAL. Organização da célula vegetal e da planta

FISIOLOGIA VEGETAL. Organização da célula vegetal e da planta FISIOLOGIA VEGETAL Organização da célula vegetal e da planta cianobactéria Complexidade ipê Eucariotos: - aumento da complexidade genética - aumento da complexidade celular Woese (1987): baseado na filogenia

Leia mais

Outros Hormônios Vegetais: Brassinosteróides, Poliaminas, Ácido Jasmônico e Salicílico

Outros Hormônios Vegetais: Brassinosteróides, Poliaminas, Ácido Jasmônico e Salicílico UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DA AMAZÔNIA INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS (ICA) Fisiologia Vegetal Outros Hormônios Vegetais: Brassinosteróides, Poliaminas, Ácido Jasmônico e Salicílico FISIOLOGIA VEGETAL

Leia mais

Introdução Fisiologia Pós-colheita de Frutas e Hortaliças

Introdução Fisiologia Pós-colheita de Frutas e Hortaliças Introdução Fisiologia Pós-colheita de Frutas e Hortaliças Profa. Marta H. Fillet Spoto Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo Piracicaba - SP PORQUÊ CONSERVAR? Para manter

Leia mais

MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA

MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA MATERIAL TÉCNICO aminoácidos + micronutrientes CANA-PLANTA TRATAMENTO EM CANA-PLANTA objetivos oferecer produtos que estimulem a emissão de raízes iniciais do tolete; aumentar a velocidade de brotação

Leia mais

Outros Hormônios Vegetais: BRASSINOSTERÓIDES, POLIAMINAS, ÁCIDO JASMÔNICO E SALICÍLICO

Outros Hormônios Vegetais: BRASSINOSTERÓIDES, POLIAMINAS, ÁCIDO JASMÔNICO E SALICÍLICO 1 Outros Hormônios Vegetais: BRASSINOSTERÓIDES, POLIAMINAS, ÁCIDO JASMÔNICO E SALICÍLICO Prof.Dr. Roberto Cezar Lobo da Costa 2 SUMÁRIO Assuntos Páginas INTRODUÇÃO 3 1. Os Brassinosteróides 3 1.2. Biossíntese

Leia mais

HORMÔNIOS DE PLANTAS: UMA PROSPECÇÃO SOBRE SUAS DESCOBERTAS E APLICAÇÕES

HORMÔNIOS DE PLANTAS: UMA PROSPECÇÃO SOBRE SUAS DESCOBERTAS E APLICAÇÕES 1 HORMÔNIOS DE PLANTAS: UMA PROSPECÇÃO SOBRE SUAS DESCOBERTAS E APLICAÇÕES Bruna Zeny Ferreira 1 Daiane Garabeli Trojan 2 Resumo: Os hormônios vegetais são responsáveis por um dos principais efeitos fisiológicos

Leia mais

Fitohormônios na estrutura e no desenvolvimento vegetal

Fitohormônios na estrutura e no desenvolvimento vegetal UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUC CENTR DE CIÊNCIAS BILÓGICAS DEPARTAMENT DE BTÂNICA DISCIPLINA DE ECFISILGIA Fitohormônios na estrutura e no desenvolvimento vegetal Ciclo de vida das plantas Mesmo fixas

Leia mais

02 - (UFF RJ/2010) Com base nos conhecimentos sobre anatomia e fisiologia vegetal e nas figuras I e II:

02 - (UFF RJ/2010) Com base nos conhecimentos sobre anatomia e fisiologia vegetal e nas figuras I e II: REINO PLANTAE 01 - (UDESC SC/2011) Os tecidos vegetais fundamentais são aqueles encarregados de uma série de funções, como preenchimento e sustentação. A respeito destes tecidos, analise cada proposição

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOTECNIA PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOTECNIA PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RORAIMA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE FITOTECNIA CÓDIGO AGR 026 PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA FISIOLOGIA VEGETAL CENTRO Ciências Agrárias

Leia mais

ARBORICULTURA I. Elementos sobre a anatomia e fisiologia da formação de raízes adventícias. Por: Augusto Peixe

ARBORICULTURA I. Elementos sobre a anatomia e fisiologia da formação de raízes adventícias. Por: Augusto Peixe ARBORICULTURA I Elementos sobre a anatomia e fisiologia da formação de raízes adventícias Por: Augusto Peixe Tipos de Estacas Estacas Caulinares Lenhosas Semi-lenhosas Herbáceas Evolução de meristemas

Leia mais

UNIDADE IX HORMÔNIOS E REGULADORES DE CRESCIMENTO

UNIDADE IX HORMÔNIOS E REGULADORES DE CRESCIMENTO UNIDADE IX HORMÔNIOS E REGULADORES DE CRESCIMENTO PARTE I INFORMAÇÕES GERAIS 1. INTRODUÇÃO 2. CONCEITOS 3. IDENTIFICAÇÃO DE HORMÔNIOS 3.1. BIOENSAIOS 3.2. ANÁLISE INSTRUMENTAL 3.3. IMUNOENSAIOS 4. MECANISMO

Leia mais

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA

PROPAGAÇÃO VEGETATIVA PROPAGAÇÃO VEGETATIVA Propagação vegetativa em espécies florestais: Enxertia Estaquia Microestaquia Enxertia União de partes de uma planta em outra, de forma que as duas partes de plantas diferentes passem

Leia mais

DOSSIÊ TÉCNICO. Hormônios Vegetais. Danilo Oddone Universidade de São Paulo - USP

DOSSIÊ TÉCNICO. Hormônios Vegetais. Danilo Oddone Universidade de São Paulo - USP DOSSIÊ TÉCNICO Hormônios Vegetais Danilo Oddone Universidade de São Paulo - USP Janeiro/2012 Hormônios Vegetais O Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas SBRT fornece soluções de informação tecnológica

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Fisiologia Vegetal para Agricultura Código da Disciplina: AGR 284. Semestre de oferta da disciplina: 4 período

PROGRAMA DE DISCIPLINA. Disciplina: Fisiologia Vegetal para Agricultura Código da Disciplina: AGR 284. Semestre de oferta da disciplina: 4 período PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Fisiologia Vegetal para Agricultura Código da Disciplina: AGR 284 Curso: Agronomia Faculdade responsável: Agronomia Programa em vigência a partir de: 01/2008 Semestre

Leia mais

REVISÃO AULAS ANTERIORES

REVISÃO AULAS ANTERIORES REVISÃO AULAS ANTERIORES Transporte de água através da planta A água de movimenta a favor de um gradiente de potencial hídrico entre atmosfera, planta e solo, ou seja, a água se movimenta do maior potencial

Leia mais

Federación Colombiana de Productores de Mango

Federación Colombiana de Productores de Mango Federación Colombiana de Productores de Mango Por un Futuro Productivo y Sostenible para Nuestros MANGUICULTORES 1er SEMINARIO INTERNACIONAL DE NUTRICIÓN Y RIEGO PARA EL CULTIVO DE MANGO Nutrición vegetal

Leia mais

Tipos de propagação de plantas. Propagação de plantas. Propagação sexuada ou seminífera. Agricultura geral. Vantagens da propagação sexuada

Tipos de propagação de plantas. Propagação de plantas. Propagação sexuada ou seminífera. Agricultura geral. Vantagens da propagação sexuada Agricultura geral Propagação de plantas UFCG Campus Pombal Tipos de propagação de plantas Sexuada ou seminífera Sistema de propagação de plantas que envolve a união de gametas, gerando a semente que é

Leia mais

Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal:

Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal: Regulação do crescimento e desenvolvimento vegetal: Fatores externos de controle LCE SLC0622- Biologia 3 2016 Tropismo Resposta de crescimento envolvendo a curvatura de uma parte da planta em resposta

Leia mais

Introdução à Fisiologia Vegetal

Introdução à Fisiologia Vegetal UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO PÓLO AVANÇADO DE XERÉM GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA CURSO FISIOLOGIA VEGETAL(XBT355) TURMA 2014/2 Introdução à Fisiologia Vegetal Prof. Dr. Silas Pessini Rodrigues

Leia mais

O que as plantas enxergam?

O que as plantas enxergam? Fotomorfogênese O que as plantas enxergam? Como as plantas enxergam? Luz (λ=nm) Fotomorgênese A luz é um importante fator ambiental para as plantas, não somente para a fotossintese, mas também para a sua

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DAS SEMENTES

DESENVOLVIMENTO DAS SEMENTES DESENVOLVIMENTO DAS SEMENTES Profª. Marcela Carlota Nery Formação da Semente Fonte: Daniel de Granville www.ib.usp.br/beelife www.passionflow.couk/images/nitseed DAG 503 - Fisiologia de Sementes 1 Formação

Leia mais

Exercícios de Fisiologia Vegetal sobre Hormônios Vegetais com Gabarito

Exercícios de Fisiologia Vegetal sobre Hormônios Vegetais com Gabarito Exercícios de Fisiologia Vegetal sobre Hormônios Vegetais com Gabarito 1) (FMTM-2001) O ácido indolacético (AIA) atua sobre o crescimento dos caules e raízes dos vegetais superiores. O efeito das diferentes

Leia mais

Agricultura geral. de plantas. UFCG Campus Pombal

Agricultura geral. de plantas. UFCG Campus Pombal Agricultura geral Propagação de plantas UFCG Campus Pombal Tipos de propagação de plantas Sexuada ou seminífera Sistema de propagação de plantas que envolve a união de gametas, gerando a semente que é

Leia mais

CITOCININAS. Katia Christina Zuffellato-Ribas

CITOCININAS. Katia Christina Zuffellato-Ribas CITOCININAS Katia Christina Zuffellato-Ribas 1955 CINETINA (promoção da divisão celular na medula de caules de tabaco) 1964 - ZEATINA CITOCININA = HORMÔNIO DA JUVENILIDADE [0,01 A 1 µm] PRECURSOR: ISOPRENO

Leia mais

Via do Ácido Chiquímico. (Chiquimato)

Via do Ácido Chiquímico. (Chiquimato) Via do Ácido Chiquímico (Chiquimato) Prof. Marcelo J. Pena Ferreira Metabólitos Secundários Fotossíntese MEP (CICLO DE KREBS) Mevalonato Malonato Chiquimato 1 FORMAÇÃO DO PRECURSOR DA VIA DERIVADOS C 6

Leia mais

Por que podamos as árvores?

Por que podamos as árvores? Por que podamos as árvores? A UU L AL A Artur mora numa rua com muitas árvores frondosas. Ele notou que, numa determinada época do ano, os moradores costumam podar as árvores, ou seja, cortam seus galhos.

Leia mais

REGULADORES VEGETAIS: BASES E PRINCÍPIOS PARA UTILIZAÇÃO EM GRAMADOS

REGULADORES VEGETAIS: BASES E PRINCÍPIOS PARA UTILIZAÇÃO EM GRAMADOS REGULADORES VEGETAIS: BASES E PRINCÍPIOS PARA UTILIZAÇÃO EM GRAMADOS João Domingos Rodrigues 1 ; Leandro José Grava de Godoy 2 & Elizabeth Orika Ono 1. 1 Professor do Departamento de Botânica, Instituto

Leia mais

Prof. Dr. Willian Rodrigues Macedo

Prof. Dr. Willian Rodrigues Macedo Translocação Orgânica: Transporte da Sacarose e Incorporação no Colmo Prof. Dr. Willian Rodrigues Macedo Universidade Federal de Viçosa UFV Campus de Rio Paranaíba CRP Sistemas vasculares: Floema VISÃO

Leia mais

EFEITO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO SOBRE A GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DO ALGODOEIRO

EFEITO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO SOBRE A GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DO ALGODOEIRO EFEITO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO SOBRE A GERMINAÇÃO E DESENVOLVIMENTO INICIAL DO ALGODOEIRO Celma Lidiane Diogo de Lima 1, Virgínea de Araújo Farias 1, Liv Soares Severino 2, Napoleão Esberard de Macêdo

Leia mais

USO DE AMINOÁCIDOS NA AGRICULTURA

USO DE AMINOÁCIDOS NA AGRICULTURA USO DE AMINOÁCIDOS NA AGRICULTURA Paulo Roberto de Camargo e Castro 05/04/2017 DEFINIÇÕES OS AMINOÁCIDOS SÃO OS BLOCOS ESTRUTURAIS DAS PROTEÍNAS R H + C NH 2 COOH H Uma grande variedade de aminoácidos

Leia mais

Prof. Dr. Miguel Angelo Mutton. Departamento de Produção Vegetal e de Tecnolo FCAV/UNESP Campus de Jaboticabal

Prof. Dr. Miguel Angelo Mutton. Departamento de Produção Vegetal e de Tecnolo FCAV/UNESP Campus de Jaboticabal Prof. Dr. Miguel Angelo Mutton Departamento de Produção Vegetal e de Tecnolo FCAV/UNESP Campus de Jaboticabal 1. INTRODUÇÃO Característica desejável para o melhorista e indesejável para o produtor Época

Leia mais

Uso de Maturadores e Desfolhantes visando fibras de qualidade

Uso de Maturadores e Desfolhantes visando fibras de qualidade Uso de Maturadores e Desfolhantes visando fibras de qualidade Juan A. Landivar e Saul Martus Delta and Pine Land-Internacional e MDM Algodão Uberlândia, Brasil Introdução O algodoeiro é uma planta perene

Leia mais

Ácido Abscísico:Inibidor do crescimento dos vegetais e hormônio antiestresse

Ácido Abscísico:Inibidor do crescimento dos vegetais e hormônio antiestresse 1 SUMÁRIO ASSUNTOS PÁGINAS INTRODUÇÃO 2 ESTRUTURA, PRINCIPAIS FORMAS E ATIVIDADE DO ABA 3 MUTANTES DEFICIENTES E INCENCÍVEIS AO ABA 4 BIOSSÍNTESE INATIVAÇÃO, METABOLISMO E TRANSPORTE DO ABA 6 OCORRÊNCIA

Leia mais

UNIDADE VI TRANSLOCAÇÃO DE SOLUTOS PELO FLOEMA

UNIDADE VI TRANSLOCAÇÃO DE SOLUTOS PELO FLOEMA UNIDADE VI TRANSLOCAÇÃO DE SOLUTOS PELO FLOEMA 1 introdução 2 vias de translocação 3 padrões de translocação (fonte para o dreno) 4 material translocado pelo floema 5 carregamento do floema 6 - descarregamento

Leia mais

Parede primária e secundária. Lomandraceae, Monocotiledônea

Parede primária e secundária. Lomandraceae, Monocotiledônea Parede primária e secundária Lomandraceae, Monocotiledônea Lamela média Cordia trichotoma Corte transversal caule Parede primária e secundária Parede primária Constituição 65% de água 25% celulose 25%

Leia mais

Sistemas de controle da transcrição gênica. Procariotos

Sistemas de controle da transcrição gênica. Procariotos Sistemas de controle da transcrição gênica Procariotos Controle Positivo e Negativo: Há dois tipos de controle transcricional: Controle negativo: no qual uma proteína reguladora atua como um repressor

Leia mais

Transporte nas Plantas

Transporte nas Plantas Prof. Ana Rita Rainho Transporte nas Plantas Transporte nas plantas Materiais transportados Seiva bruta: água e sais minerais Conduzida da raiz ate às folhas pelo xilema Seiva elaborada: produtos orgânicos

Leia mais

26/6/2012 HISTÓRICO SOBRE O ETILENO

26/6/2012 HISTÓRICO SOBRE O ETILENO UNIDADE IX HORMÔNIOS E REGULADORES DE CRESCIMENTO PARTE II PRINCIPAIS CLASSES DE HORMÔNIOS: ETILENO (O HORMÔNIO GASOSO) 1. DESCOBERTA 2. OCORRÊNCIA, METABOLISMO E TRANSPORTE 3. PAPEL FISIOLÓGICO 3.1. AMADURECIMENTO

Leia mais

DESEMPENHO INICIAL DE SEMENTES DE MILHO TRATADAS COM BIORREGULADORES 1 RESUMO

DESEMPENHO INICIAL DE SEMENTES DE MILHO TRATADAS COM BIORREGULADORES 1 RESUMO DESEMPENHO INICIAL DE SEMENTES DE MILHO TRATADAS COM BIORREGULADORES 1 HUTH, Caroline 2 ; BECHE, Manoela 2 ; FUZZER, Fabricio Andrade 2 ; SEGALIN, Samantha Rigo 2 ; ZEN, Humberto Davi 2 ; BARBIERI, Ana

Leia mais