Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal"

Transcrição

1 Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal

2 Por que monitorar? Especificações r Background Mercado Protection notice / 2010 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. Nov Page 2 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

3 Síndrome de Down Trissomia do 21 Descrita pela primeira vez JLH Down "Observações sobre uma classificação étnica dos idiotas. Expectativa de vida média de 30 anos Fenótipo característico Dificuldades de aprendizagem (IQ 20-60) Atraso no desenvolvimento Atraso da puberdade / menopausa precoce Principais causas de morbidade e mortalidade > 50% apresentam deficiência visual ou auditiva 30-50% apresentam doenças cardíacas graves 10-20% apresentam malformações intestinais Outros: leucemia, tireóide, demência e doença présenil Page 3 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

4 Caractéristicas das Trissomias Trissomia do Cromossomo 18- Síndrome de Edward Retardo mental muito severo Atraso do crescimento Malformação generalizada Trissomia do Cromossomo 13- Síndrome de Patau Cerca de metade morre no 1º mês de vida Severa anormalidades no SNC Severo retardo de crescimento intrauterino Malformações do tubo neural (NTD) Espinha Bífida Anencefalia Malformação fetal Morte intrauterina Page 4 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

5 Evolução do Mercado de Risco Fetal 2001 US Free Beta - PAPPA NT + Osso Nasal+ 1 st trim Bioquímica 95% 95% Taxa de Detecção NT + 1 st trim Bioquímica + 2 nd trim Quadruplo NT + Idade Materna + PAPP-A + free ß-hCG 85% 95% Teste Quadruplo (Triplo + Inibina- A) NT + Idade Materna 75% 75% 1980 Teste Duplo Teste Triplo 65% 1970 Idade Materna 35% 1 st Trimestre 2 nd Trimestre % DR (Ratio de Deteção) a 5% FPR (Ratio Falso Positivo) Page 5 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

6 Por que monitorar?? Especificações Background Menu Protection notice / 2011 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. April 2011 Page 6 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

7 RISCO FETAL : determina a probabilidade o para: Desordens Cromossômicas Trisomy- 21* Down s syndrome (1/600-1/800) Trisomy- 18* Edward s syndrome (1/1500-1/10554) Trisomy -13* Pateau s syndrome (1/4600-1/25000) Outras desordens Neural Tube Defects* (AFP /US screening) Outros defeitos podem ser sinalizados por um ou uma combinação de testes de rastreio efectivo. * Algorithms published Page 7 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

8 Quando realizar o Rastreamento do Risco Fetal? 1º trimestre : 2º trimestre : dias semanas Page 8 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

9 Parâmetros Bioquímicos 1 ª trimestre PAPP-A Free ß-hCG 2 º trimestre AFP Total hcg ou free ß-hCG u-estriol Inhibin-A Page 9 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

10 Teste de Rastreamento pelo Ultrassom CRL / CCN NT / TN Translucência Nucal Realizado na 11ª a 13ª semana e seis dias de gravidez Page 10 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

11 Teste de Rastreamento pelo Ultrassom Pesquisa do Osso Nasal Page 11 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

12 Os estudos de Risco Fetal combinam testes In Vivo e In Vitro Fluxo de Trabalho orientado via TI Detecção Precoce Diagnóstico In Vitro (IVD) Diagnóstico In Vivo (Imagem) Diagnóstico Definitivo Cuidado Contínuo Acompanhamento recomendado Preferivelmente no primeiro semestre Testes de βhcg - livre, ue3, PAPP-A*, AFP, βhcg Ultrasom - Translucência Nucal - Osso Nasal - Comprimento Cabeça-Nádega Amniocentese CVS Cordocentese Aconselhamento genético Page 12 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

13 PRISCA integra dados de diferentes fontes de diagnóstico para prover resultados consolidados sobre a Paciente Histórico e Dados Demográficos das Pacientes Resultados Bioquímicos Laboratoriais Medidas Ultrassonográficas Page 13 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

14 PRISCA integra dados de diferentes fontes de diagnóstico para prover resultados consolidados sobre a Paciente Idade da Gestante, Peso, Etnia, Hábitos Diabetes, IVF, Números de Fetos, Idade Gestacional Primeiro Trimestre: PAPP-A e Free Beta Segundo Trimestre: Estriol, AFP e HCG e Inibina A Translucência Nucal CCN (cabeça-nádega) Osso Nasal Page 14 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

15 SCREENING IN VITRO PAPP-A, Free bhcg, AFP, HCG, u-e3 IN VIVO US (CRL,BPD,NT,Nasal Bone) DIAGNÓSTICO CVS Amniocentese Cordocentese Page 15 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

16 Quando realizar o Diagnóstico? CORDOCENTESIS AMNIOCENTESIS CVS AMNIOCENTESIS CVS CORDOCENTESIS Gestational age (wks) Page 16 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

17 Por que monitorar? Especificações do PRISCA Overview Mercado Protection notice / 2011 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. April 2011 Page 17 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

18 PRISCA FORNECE A SOLUÇÃO AFP HCG Free b-hcg PAPP-A ue3 Demografia Testes Bioquímicos Ultrassom PRISCA Resultados De Risco Relatórios Page 18 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

19 Mais Vantagens do PRISCA Mais de laboratórios usam PRISCA com confiança. Pesquisa acadêmica bem estabelecida, experiência de campo mais de 10 anos. Apoiado pelas soluções Siemens de Imagem, IMMULITE e TI Apoio ao Cliente Visão In Vivo + In Vitro O valor do PRISCA é que ele nos dá resultados estatíscos de confiaça.. Dra. Ma Victoria de Olabarria Ruiz, UNILABS Madrid Page 19 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

20 PRISCA 5 Habilidade para entrar resultados de Inibina A para permitir o teste quádruplo Trissomia do 21 (Down) Trissomia combinada - 13/18 - screening no 1 st trimestre Cálculo de risco com translucência nucal & Idade Materna Cálculo de risco com PAPP-A ou Beta HCG livre Correção de risco considerando gravidez anterior com sindrome de Down Centro de medianas específicas NT Correção de risco quando o osso nasal estiver ausente Calcula o risco no 1 st /2 nd trimestre na data da amostra ou data do parto Os parâmetros específicos da população local para o cálculo do risco de T21. Inclusão de Banco de dados Compartilhados para controle de qualidade intralaboratorial Page 20 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

21 Por que Screening no 1º e no 2º Trimestre? 1º Trimestre : No início da gravidez (9-13 semanas) Precocidade do diagnótico - psicológicamente mais aceitável para a paciente Redução da perda fetal por procedimento invasivo Alta taxa de detecção quando a triagem bioquímico é associada á NT: Taxa de detecção para T21: 85% Falso positivo : 5% Redução do número de amniocentese 2º Trimestre: Fatores de correção bem estabelecidos Algorítimos bem estabelecidos Extensa base de dados Risco para a T21, T18 e DTN Estabilidade da amostra Page 21 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

22 Por que monitorar?? Especificações Overview Marcadores Protection notice / 2011 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. April 2011 Page 22 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

23 PAPP-A Proteína Plasmática Associada a Gravidez Proteína glicosilada de alto peso molecular ( kDa) Secretada pela placenta Função Biológica desconhecida Existem outras fontes de secreção Podem ser mensurados fora de gravidez em mulheres jovens e menopausadas e homens saudáveis Detectável a partir de 28 dias após a concepção e aumenta logo após Baixa no primeiro trimestre em gravidez de Down (8-10 semanas) Page 23 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

24 AFP in maternal serum ng/ml weeks of pregnancy Page 24 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

25 u-estriol in maternal serum ng/ml weeks of pregnancy Page 25 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

26 Page 26 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

27 CUT 0FF Risco Elevado: Trissomia 21 = 1/250 Trissomia 18/13 = 1/100 Page 27 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

28 Page 28 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

29 Anatércia Blanco Assessoria Científica Siemens Healthcare Central de Suporte ao Cliente: Page 29 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

RASTREIO PRÉ-NATAL DE DEFEITOS ABERTOS DO TUBO NEURAL E SÍNDROME DE DOWN O QUE É A SÍNDROME DE DOWN? A Síndrome de Down (vulgarmente conhecida como mongolismo ou mongoloidismo) é uma doença causada pela

Leia mais

Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional. DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011

Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional. DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011 Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional Ricardo C Cavalli DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011 Objetivos Topografia da gestação Vitalidade fetal

Leia mais

5.1. Testes Não-Invasivos (Marcadores não-invasivos de risco de aneuploidia fetal)

5.1. Testes Não-Invasivos (Marcadores não-invasivos de risco de aneuploidia fetal) 5. ESTUDO CITOGENÉTICO PRÉ-NATAL Nas duas últimas décadas, observamos grande desenvolvimento nas ciências biomédicas, notadamente na Genética Médica. Com o aprimoramento de técnicas obstétricas de coleta

Leia mais

Prevenção Diagnóstico Tratamento

Prevenção Diagnóstico Tratamento Prevenção Diagnóstico Tratamento Pré Nupcial Idade Alimentação Drogas Doença de base Vacinas Ácido fólico São fatores de Risco: Características individuais e condições sócio- econômicas Idade Ocupação

Leia mais

RASTREIO PRÉ- NATAL NOVOS DESENVOLVIMENTOS. Maria José Rego de Sousa

RASTREIO PRÉ- NATAL NOVOS DESENVOLVIMENTOS. Maria José Rego de Sousa RASTREIO PRÉ- NATAL NOVOS DESENVOLVIMENTOS Maria José Rego de Sousa Patologista Clínica Assistente Graduada de Patologia Clínica- Hospital Fernando Fonseca Responsável da Secção de Imunologia Especial

Leia mais

Teste Pré-Natal. Sem riscos para a mãe ou para o feto. Não Invasivo em Sangue Materno

Teste Pré-Natal. Sem riscos para a mãe ou para o feto. Não Invasivo em Sangue Materno Teste Pré-Natal Não Invasivo em Sangue Materno Teste para a Detecção das Síndromes de Down, Edwards, Patau e Turner (e outras alterações cromossómicas do feto) Sem riscos para a mãe ou para o feto Panorama

Leia mais

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Sumário das Evidências e Recomendações para Uso de Translucência Nucal no Rastreamento de Trissomias no Período Pré-Natal

Leia mais

cromossomopatias Antonio C.V. Lopes Prof. Associado, Doutor FMB/UFBA

cromossomopatias Antonio C.V. Lopes Prof. Associado, Doutor FMB/UFBA Rastreamento pré-natal de cromossomopatias Antonio C.V. Lopes Prof. Associado, Doutor FMB/UFBA I NCI DÊNCA: 3 A 5 % Lee RT. et al, 2001 ANOMALI AS CROMOSSÔMI CAS I NCI DÊNCI A ABORTO ESPON TAN EO 6 0

Leia mais

Bioquímicos no Primeiro Trimestre da Gravidez

Bioquímicos no Primeiro Trimestre da Gravidez Avaliação de Risco por Marcadores Bioquímicos no Primeiro Trimestre da Gravidez Dr. Eduardo Vieira Neto 41º Congresso Brasileiro i de Patologia Clínica - Medicina Laboratorial Salvador, 4 a 7 de Setembro

Leia mais

Demora aproximadamente 40 semanas e é dividida em trimestres.

Demora aproximadamente 40 semanas e é dividida em trimestres. Demora aproximadamente 40 semanas e é dividida em trimestres. Primeiro trimestre 0 a 13 semanas (começo no primeiro dia do último período). Após o óvulo ter sido fertilizado na trompa de falópio, é transportado

Leia mais

Solicite ao seu médico

Solicite ao seu médico Um exame de sangue simples e seguro que fornece resultados altamente sensíveis Um exame moderno e não invasivo para a estimativa de trissomia fetal e a avaliação do cromossomo Y Solicite ao seu médico

Leia mais

O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético

O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético TPNIs usam DNA livre de células. Amostra de sangue materno cfdna materno cfdna fetal TPNIs usam DNA livre

Leia mais

Panorama. Teste Pré-natal não invasivo. Revista Médica

Panorama. Teste Pré-natal não invasivo. Revista Médica Grupo Revista Médica :: Edição Especial :: Teste Pré-natal não invasivo Panorama Shutterstock TM Exame inovador permite rastreio de doenças genéticas fetais no sangue materno, já na nona semana de gestação.

Leia mais

DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL

DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL Like A saúde da mãe e o desenvolvimento do bebé podem ser seguidos passo a passo, graças a um conjunto de exames clínicos que permitem manter a gravidez sob controlo. Além disso,

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL 2014 1 PROJETO PEDAGÓGICO CALENDÁRIO ESCOLAR CALENDÁRIO PÓS-GRADUAÇÃO MEDICINA FETAL PERINATAL/ESTÁCIO - 2014 AULAS TEÓRICAS AOS SÁBADOS E DOMINGOS DAS 08:00

Leia mais

O exame ultra-sonográfico entre 11 13 +6 semanas

O exame ultra-sonográfico entre 11 13 +6 semanas O exame ultra-sonográfico entre 11 13 +6 semanas Kypros H. Nicolaides Danielle do Brasil DeFigueiredo O exame ultra-sonográfico entre 11 13 +6 semanas Fetal Medicine Foundation, Londres 2004 Dedicado a

Leia mais

ULTRASSOM NO PRÉ NATAL

ULTRASSOM NO PRÉ NATAL ULTRASSOM NO PRÉ NATAL ECOCLINICA Dra. Rejane Maria Ferlin rejaneferlin@uol.com.br Vantagens da Ultrassonografia Obstétrica trica SEGURANÇA NÃO-INVASIVO PREÇO ACEITAÇÃO BENEFÍCIOS Noronha Neto et al.,

Leia mais

Fale com o seu médico

Fale com o seu médico Um teste sanguíneo simples e seguro que proporciona resultados de elevada sensibilidade Um teste avançado e não invasivo para análise da trissomia fetal e avaliação do cromossoma Y Fale com o seu médico

Leia mais

Informações gerais sobre a Síndrome de Down e o impacto das intervenções

Informações gerais sobre a Síndrome de Down e o impacto das intervenções Version 1.1 September 2013 Informações gerais sobre a Síndrome de Down e o impacto das intervenções Esse documento apresenta uma visão geral sobre a doença, sua epidemiologia e as intervenções específicas

Leia mais

USB IPANEMA & USB ICARAI 20. CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO. 20.1. Classificação

USB IPANEMA & USB ICARAI 20. CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO. 20.1. Classificação USB - CLÍNICA DE ULTRA-SONO- 20. CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO Por definição, feto com crescimento intra-uterino restrito (CIUR) é aquele que ao nascimento apresenta peso inferior ao 10º percentil

Leia mais

Como se dá (ou deveria dar-se) Tecnologias

Como se dá (ou deveria dar-se) Tecnologias INCORPORAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE Julho de 2012 Nulvio Lermen Junior Médico de Família e Comunidade Presidente da Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade Coordenador de Saúde da Família

Leia mais

Guideline em Medicina Fetal

Guideline em Medicina Fetal Guideline em Medicina Fetal Prevenção dos defeitos congênitos 1. Afastar da exposição a fatores teratogênicos: medicações ou drogas ilícitas, exposição a irradiação, checar imunização materna principalmente

Leia mais

PATOLOGIAS FETAIS E TRATAMENTO CLÍNICO INTRA-UTERINO. arritmias cardíacas. hipo e hipertireoidismo. defeitos do tubo neural

PATOLOGIAS FETAIS E TRATAMENTO CLÍNICO INTRA-UTERINO. arritmias cardíacas. hipo e hipertireoidismo. defeitos do tubo neural 13. TERAPÊUTICA FETAL MEDICAMENTOSA Entende-se por terapêutica fetal medicamentosa ou clínica, quando nos valemos da administração de certos medicamentos específicos, visando o tratamento de alguma patologia

Leia mais

RIMENA DE MELO GERMANO DA SILVA

RIMENA DE MELO GERMANO DA SILVA RIMENA DE MELO GERMANO DA SILVA Comparação do comprimento do úmero em fetos portadores de Síndrome de Down com o comprimento do úmero em fetos normais Dissertação apresentada à Faculdade de Medicina da

Leia mais

Rastreio pré-natal janeiro 2015

Rastreio pré-natal janeiro 2015 Informação sobre o rastreio da síndrome de Down Rastreio pré-natal janeiro 2015 O rastreio da síndrome de Down resumidamente O seu obstetra, médico de família ou ginecologista explica-lhe o que é o rastreio.

Leia mais

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Padrão de herança citoplasmático A mitocôndria é uma organela da célula que contém um filamento de ácido desoxiribonucléico (DNA) próprio,

Leia mais

Informações gerais sobre Cuidado e Triagem Pré-natal

Informações gerais sobre Cuidado e Triagem Pré-natal Informações gerais sobre Cuidado e Triagem Pré-natal Este documento apresenta uma visão geral sobre Cuidado e Triagem Pré-natal. Ele se concentra principalmente em informações e atividades que são relevantes

Leia mais

Capacidade Diagnóstica dos Biomarcadores de Rastreio Pré-natal. Maria Fernanda Duarte Silva

Capacidade Diagnóstica dos Biomarcadores de Rastreio Pré-natal. Maria Fernanda Duarte Silva Capacidade Diagnóstica dos Biomarcadores de Rastreio Pré-natal Maria Fernanda Duarte Silva Vila Nova de Gaia 2013 O presente trabalho destina-se a instruir o processo para admissão às provas públicas para

Leia mais

DOPPLER NO RASTREAMENTO DE CROMOSSOMOPATIAS NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE GRAVIDEZ

DOPPLER NO RASTREAMENTO DE CROMOSSOMOPATIAS NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE GRAVIDEZ DOPPLER NO RASTREAMENTO DE CROMOSSOMOPATIAS NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE GRAVIDEZ Dra. Maria Vaneuza dos Santos Silva 1 Dra. Márcia Konrath de Almeida Wassler 2 O diagnóstico precoce das cromossomopatias por

Leia mais

SIAT Sistema de Informação sobre Agentes Teratogênicos Serviço de Genética Médica HCPA Departamento de Genética UFRGS. Teratógenos

SIAT Sistema de Informação sobre Agentes Teratogênicos Serviço de Genética Médica HCPA Departamento de Genética UFRGS. Teratógenos SIAT Sistema de Informação sobre Agentes Teratogênicos Serviço de Genética Médica HCPA Departamento de Genética UFRGS Teratógenos Autores: Lavínia Schüler-Faccini Maria Teresa Sanseverino Cristina Netto

Leia mais

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte.

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Síndromes cromossômicas Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Introdução: As anomalias cromossômicas sexuais ocorrem em virtude de meioses atípicas, durante a produção de gametas (espermatozoide e óvulo).

Leia mais

Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da UFPB João Pessoa (PB), Brasil. 3

Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da UFPB João Pessoa (PB), Brasil. 3 REVISÃO de aneuploidias no primeiro trimestre de gestação: evolução da idade materna à avaliação do DNA fetal livre no sangue materno Screening for aneuploidies in the first trimester of pregnancy: evolution

Leia mais

INCLUSÃO DO OSSO NASAL FETAL COMO MARCADOR ECOGRÁFICO NO RASTREIO COMBINADO DO 1º TRIMESTRE PARA ANEUPLOIDIAS

INCLUSÃO DO OSSO NASAL FETAL COMO MARCADOR ECOGRÁFICO NO RASTREIO COMBINADO DO 1º TRIMESTRE PARA ANEUPLOIDIAS FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE MESTRADO EM MEDICINA INCLUSÃO DO OSSO NASAL FETAL COMO MARCADOR ECOGRÁFICO NO RASTREIO COMBINADO DO 1º TRIMESTRE PARA ANEUPLOIDIAS Adelaide Stott Howorth Pinto Coelho Covilhã,

Leia mais

12 e 13 semanas. Dia de ultrassom é sempre bom!

12 e 13 semanas. Dia de ultrassom é sempre bom! 12 e 13 semanas Dia de ultrassom é sempre bom! Agora com 12 semanas de gestação faremos um exame de ultrassonografia. Ver o bebê na barriga através da imagem me dá uma sensação de proximidade com ele.

Leia mais

ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS. DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR

ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS. DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR É necessário fazer ultrassonografia de rotina? Background Many clinicians

Leia mais

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA Conceitos Genética / Genômica Doença genética Hereditariedade Congênito DNA / Gene / Locus / Alelo Homozigoto / Heterozigoto Cromossomos Autossomos Sexuais Dominante / Recessivo

Leia mais

As Mutações. Aumento da biodiversidade

As Mutações. Aumento da biodiversidade As Mutações Aumento da biodiversidade Mutações As mutações são espontâneas e podem ser silenciosas, ou seja, não alterar a proteína ou sua ação. Podem ainda ser letais, quando provocam a morte, ou ainda

Leia mais

Diagnóstico Imunológico das Infecções Congênitas

Diagnóstico Imunológico das Infecções Congênitas Diagnóstico Imunológico das Infecções Congênitas Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita Vírus da Rubéola Togavirus Vírus de RNA fita simples Principal epítopo dominante:

Leia mais

A BVC pode ser realizada tanto pela via transcervical, quanto pela via transabdominal (figura 1).

A BVC pode ser realizada tanto pela via transcervical, quanto pela via transabdominal (figura 1). 9. BIOPSIA DE VILO CORIAL Mais recentemente, a tendência em termos de diagnóstico pré-natal tem sido a de optar por métodos mais precoces, de preferência no primeiro trimestre. Esta postura apresenta as

Leia mais

Distúrbios genéticos

Distúrbios genéticos Distúrbios genéticos Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Os distúrbios genéticos podem ser decorrentes de defeitos dos genes ou de alterações

Leia mais

RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL

RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL José de Arimatéa Barreto DEFINIÇÃO Para evitar correlação com função mental anormal, atualmente, o termo preferido é restrição de crescimento fetal (RCF), em substituição

Leia mais

Avaliação do crescimento, tamanho e bem-estar fetal

Avaliação do crescimento, tamanho e bem-estar fetal Avaliação do crescimento, tamanho e bem-estar fetal CAPÍTULO 12 1 Introdução 2 Tamanho e crescimento 3 Exame abdominal 4 Contagem dos movimentos fetais 5 Testes biofísicos 5.1 Medidas por ultra-sonografia

Leia mais

MARCADORES TUMORAIS EM DESTAQUE

MARCADORES TUMORAIS EM DESTAQUE Adriana Helena Sedrez Farmacêutica Bioquímica Especialista em Microbiologia Clínica pela PUC-PR Coordenadora do setor de Hematologia Clínica, responsável pelo Atendimento ao Cliente e gerente de Recursos

Leia mais

Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre

Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre JOSÉ PAULO DA SILVA NETTO 12w Specialist care 12-34w 22w 36w 41w PIRÂMIDE DE CUIDADO PRÉ-NATAL: PASSADO E PRESENTE Prevenção da pré-eclâmpsia Baixa dose

Leia mais

Neurociência e Saúde Mental

Neurociência e Saúde Mental 1 O QUE É DEFICIÊNCIA MENTAL OU INTELECTUAL http://www.apaesp.org.br/sobreadeficienciaintelectual A Deficiência Intelectual, segundo a Associação Americana sobre Deficiência Intelectual do Desenvolvimento

Leia mais

A DECISÃO INFORMADA NO RASTREAMENTO PRÉ-NATAL DAS ANEUPLOIDIAS

A DECISÃO INFORMADA NO RASTREAMENTO PRÉ-NATAL DAS ANEUPLOIDIAS Fundação Oswaldo Cruz Instituto Fernandes Figueira Pós-Graduação em Saúde da Criança e da Mulher A DECISÃO INFORMADA NO RASTREAMENTO PRÉ-NATAL DAS ANEUPLOIDIAS Ana Elisa Rodrigues Baião Rio de Janeiro

Leia mais

ULTRASSONOGRAFIA MÚLTIPLAS MALFORMAÇÕES FETAIS NO DIAGNÓSTICO DAS WANDERLEY DE SOUZA ESPER

ULTRASSONOGRAFIA MÚLTIPLAS MALFORMAÇÕES FETAIS NO DIAGNÓSTICO DAS WANDERLEY DE SOUZA ESPER 12 ULTRASSONOGRAFIA NO DIAGNÓSTICO DAS MÚLTIPLAS MALFORMAÇÕES FETAIS WANDERLEY DE SOUZA ESPER 554 CAPÍTULO 12 - ULTRASSONOGRAFIA NO DIAGNÓSTICO DAS MÚLTIPLAS MALFORMAÇÕES FETAIS CAPÍTULO 12 - ULTRASSONOGRAFIA

Leia mais

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 É preciso dosar e repor vitamina D no pré-natal? A dosagem de vitamina D pelos métodos mais amplamente disponíveis é confiável?

Leia mais

MAMI. Obstetras e gestantes agora contam com o. confiabilidade em diagnósticos

MAMI. Obstetras e gestantes agora contam com o. confiabilidade em diagnósticos 2013 Edição especial Fique em dia com o boletim médico SALOMÃOZOPPI DIAGNÓSTICOS em dia confiabilidade em diagnósticos Obstetras e gestantes agora contam com o MAMI Novo serviço em Medicina Fetal do Salomão

Leia mais

Dados atuais indicam que não há efeitos biológicos confirmados

Dados atuais indicam que não há efeitos biológicos confirmados 1 ULTRA-SONOGRAFIA OBSTÉTRICA Francisco Pimentel Cavalcante Carlos Augusto Alencar Júnior Procedimento seguro, não-invasivo, inócuo, com grande aceitação pela paciente, que pode fornecer muitas informações

Leia mais

Índice. 1. Crianças com Deficiência Mental...3. 2. Funcionamento da DM de Acordo com a Classificação (DSM-IV)...5 3. Causas da Deficiência Mental...

Índice. 1. Crianças com Deficiência Mental...3. 2. Funcionamento da DM de Acordo com a Classificação (DSM-IV)...5 3. Causas da Deficiência Mental... GRUPO 5.2 MÓDULO 7 Índice 1. Crianças com Deficiência Mental...3 1.1. Definição de Deficiência Mental... 3 1.2. Classificação... 4 2. Funcionamento da DM de Acordo com a Classificação (DSM-IV)...5 3. Causas

Leia mais

SÍNDROME DO ANTICORPO ANTIFOSFOLÍPIDE E GRAVIDEZ

SÍNDROME DO ANTICORPO ANTIFOSFOLÍPIDE E GRAVIDEZ SÍNDROME DO ANTICORPO ANTIFOSFOLÍPIDE E GRAVIDEZ Marta Maria Xavier Veloso Francisco Edson Lucena Feitosa Definição: Presença de anticorpos antifosfolípides, como o anticoagulante lúpico (LA) e/ou anticardiolipina

Leia mais

AVALIAÇÃO ULTRASSONOGRÁFICA DO OSSO NASAL FETAL:

AVALIAÇÃO ULTRASSONOGRÁFICA DO OSSO NASAL FETAL: UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Faculdade de Medicina AVALIAÇÃO ULTRASSONOGRÁFICA DO OSSO NASAL FETAL: VALIDAÇÃO DE CURVA DE NORMALIDADE Gui Tarcísio Mazzoni Júnior Belo Horizonte 2009 Gui Tarcísio

Leia mais

Cartilha. Gravidez Mais Segura

Cartilha. Gravidez Mais Segura Cartilha Gravidez Mais Segura Cuidados, alertas e um universo de segurança durante o período gestacional. Pré-natal: o primeiro passo O pré-natal é uma das formas mais seguras de garantir uma gestação

Leia mais

Ultra-Sonografia Obstétrica no Pré-Natal de Baixo Risco

Ultra-Sonografia Obstétrica no Pré-Natal de Baixo Risco 84 Ultra-Sonografia Obstétrica no Pré-Natal de Baixo Risco Guilherme de Almeida Bastos 1 João Batista de Oliveira Roque 2 Paulo Rogério Rezende 3 Ana Paula Ferreira Vilarinho 3 Ricardo Sousa Bastos 4 Palavras-chaves:

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO

GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO Como avaliar o consumo de álcool pela gestante É DIFÍCIL AVALIAR O CONSUMO DE ÁLCOOL NA GRAVIDEZ, SEJA PELA OMISSÃO OU NEGAÇÃO

Leia mais

Desenvolvimento fetal e exames ultrassonográficosde relevância no pré-natal

Desenvolvimento fetal e exames ultrassonográficosde relevância no pré-natal Desenvolvimento fetal e exames ultrassonográficosde relevância no pré-natal Dra. Tatiane Bilhalva Fogaça Médica Obstetra especialista em Medicina Fetal pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia

Leia mais

Mario Julio Franco. Declaração de conflito de interesse

Mario Julio Franco. Declaração de conflito de interesse Mario Julio Franco Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06 Para: Contacto na DGS: Todos os médicos e enfermeiros que exerçam

Leia mais

PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015

PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015 NOME: PROVA R4 MEDICINA FETAL 18/11/2015 1. Gestante primigesta de 40 semanas é levada ao pronto- socorro referindo perda de grande quantidade de líquido há 25h. Após o exame, com o diagnóstico de amniorrexe

Leia mais

REALIZAÇÃO DE EXAMES DE ULTRASSOGRAFIA EM MULHERES PARTICIPANTES DO X ENCONTRO DAS LIGAS ACADÊMICAS DA FACULDADE DE MEDICINA

REALIZAÇÃO DE EXAMES DE ULTRASSOGRAFIA EM MULHERES PARTICIPANTES DO X ENCONTRO DAS LIGAS ACADÊMICAS DA FACULDADE DE MEDICINA REALIZAÇÃO DE EXAMES DE ULTRASSOGRAFIA EM MULHERES PARTICIPANTES DO X ENCONTRO DAS LIGAS ACADÊMICAS DA FACULDADE DE MEDICINA BARBOSA, Raul Carlos 1 ; BORBA, Victor Caponi 2 ; BARBOSA, Tercília Almeida

Leia mais

PARECER CREMEC N.º 16/2013 24/05/2013

PARECER CREMEC N.º 16/2013 24/05/2013 PARECER CREMEC N.º 16/2013 24/05/2013 PROCESSO-CONSULTA PROTOCOLO CREMEC nº 3884/2013 ASSUNTO: VITALIDADE EMBRIONÁRIA À ULTRASSONOGRAFIA. PARECERISTA: CONSELHEIRO HELVÉCIO NEVES FEITOSA. EMENTA: Em embriões

Leia mais

PREVENÇÃO DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS

PREVENÇÃO DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS 20 a 24 de outubro de 2008 PREVENÇÃO DE MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS Marina de Souza Bastos 1 ; Rosa Maria Gomes de Macedo 2 RESUMO: As malformações congênitas contribuem em muito à mortalidade infantil, afetando

Leia mais

Linha de Cuidado da Gestante e da SUS SP KARINA CALIFE

Linha de Cuidado da Gestante e da SUS SP KARINA CALIFE Linhas de cuidado E a integralidade na atenção à saúde da mulher KARINA CALIFE Linha de Cuidado da Gestante e da Puérpera no SUS SP KARINA CALIFE DIRETRIZES POLÍTICAS - ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER Respeito

Leia mais

Mulher: antes que você planeje engravidar...

Mulher: antes que você planeje engravidar... Mulher: antes que você planeje engravidar......saiba como prevenir os Defeitos Abertos do Tubo Neural (DATN): anencefalia e espinha bífida. ANENCEFALIA: É POSSÍVEL PREVENIR! Orientações baseadas na 1ª

Leia mais

Documento Geral do Toolkit da Fundação PHG para Avaliação das Necessidades de Saúde em relação a Doenças Congênitas

Documento Geral do Toolkit da Fundação PHG para Avaliação das Necessidades de Saúde em relação a Doenças Congênitas Documento Geral do Toolkit da Fundação PHG para Avaliação das Necessidades de Saúde em relação a Doenças Congênitas Versão 1.1, setembro 2013 BY-NC-ND 3.0 Unported License. 1 http://toolkit.bornhealthy.org

Leia mais

DESCRIÇÃO DOS ACHADOS CITOGENÉTICOS EM ANOMALIAS CONGÊNITAS DIAGNOSTICADAS PELA ULTRA-SONOGRAFIA

DESCRIÇÃO DOS ACHADOS CITOGENÉTICOS EM ANOMALIAS CONGÊNITAS DIAGNOSTICADAS PELA ULTRA-SONOGRAFIA ADRIANA MAITELLI DESCRIÇÃO DOS ACHADOS CITOGENÉTICOS EM ANOMALIAS CONGÊNITAS DIAGNOSTICADAS PELA ULTRA-SONOGRAFIA Orientador: Dr. Anselmo Verlangieri Carmo Co-Orientadora: Dra. Bianca Borsatto Galera UNIVERSIDADE

Leia mais

Recentes Avanços em Medicina Fetal, Obstetrícia e Ginecologia

Recentes Avanços em Medicina Fetal, Obstetrícia e Ginecologia Recentes Avanços em Medicina Fetal, Obstetrícia e Ginecologia 2ª edição André Luiz Arnaud Fonseca José Candido Junqueira Joffre Amim Junior 2a edição: 2005 Direitos exclusivos para a língua portuguesa

Leia mais

Artigo de Revisão/Review Article

Artigo de Revisão/Review Article Artigo de Revisão/Review Article Nem confiança excessiva, nem perplexidade injustificada: Algumas questões sobre rastreio pré-natal de aneuploidias Neither excessive confidence nor unjustified perplexity:

Leia mais

Como o diagnóstico pode ser feito através do exame de ultrassonografia morfológica, é de extrema importância o encaminhamento da gestante para os

Como o diagnóstico pode ser feito através do exame de ultrassonografia morfológica, é de extrema importância o encaminhamento da gestante para os Prevalência dos Tipos de Fissuras em Pacientes atendidos no Centro de Fissurados Labiopalatal (CEFIL) do Hospital Municipal Nossa Senhora do Loreto no Rio de Janeiro. Cruz, Ana Cláudia( Ortodontista- Coordenadora

Leia mais

Aborto espontâneo Resumo de diretriz NHG M03 (março 2004)

Aborto espontâneo Resumo de diretriz NHG M03 (março 2004) Aborto espontâneo Resumo de diretriz NHG M03 (março 2004) Flikweert S, Wieringa-de Waard M, Meijer LJ, De Jonge A, Van Balen JAM traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014 autorização

Leia mais

AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB (DIABETES MELLITUS, TIREOIDEOPATIAS E OUTRAS)

AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB (DIABETES MELLITUS, TIREOIDEOPATIAS E OUTRAS) AMBULATÓRIO DE ENDOCRINOLOGIA OBSTÉTRICA ENDOB (DIABETES MELLITUS, TIREOIDEOPATIAS E OUTRAS) 1- Hipóteses diagnósticas que devem ser encaminhadas para este ambulatório 1a) Diabetes Mellitus Tipo 1, Tipo

Leia mais

A ocorrência de um critério clínico com um critério biológico define a síndrome.

A ocorrência de um critério clínico com um critério biológico define a síndrome. Síndrome antifosfolípides e suas conseqüência na gravidez Dr. Marcos G. Asato Sinônimos Síndrome antifosfolípide, APS, lúpus eritematoso, lúpus, anticoagulante lúpico, lúpus eritematoso sistêmico. Definição

Leia mais

Diagnóstico pré-natal. Prenatal diagnosis

Diagnóstico pré-natal. Prenatal diagnosis 139 Diagnóstico pré-natal Prenatal diagnosis Walter Pinto Júnior 1 Abstract This article contains all the methods for pré-natal diagnosis of genetic and chromosomal abnormalities, as well infectious diseases

Leia mais

Mutações Gênicas. Prof. Nelson Jorge

Mutações Gênicas. Prof. Nelson Jorge Mutações Gênicas Prof. Nelson Jorge Mutações São alterações no cariótipo (número ou estrutura do cromossomo). Mutações Numéricas São alterações no número de cromossomos. São classificadas em euploidias

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN. Resumo:

SÍNDROME DE DOWN. Resumo: SÍNDROME DE DOWN * Karina Latorre Castro Damasceno *Márcia Chaves Cunha ** Carla Streit Resumo: A síndrome de Down é uma aneuploidia¹ mais comum em nativivos com uma incidência de aproximadamente 1 entre

Leia mais

II SEMINÁRIO SOBRE COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE

II SEMINÁRIO SOBRE COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE II SEMINÁRIO SOBRE COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE ASSISTÊNCIA OBSTETRÍCA: ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL E AO PARTO ULTRA-SONOGRAFIA E O MONITORAMENTO DO PARTO JACOB ARKADER EXPECTATIVA DE VIDA Mulheres 71,97 64,33

Leia mais

VANESSA VIGNA GOULART

VANESSA VIGNA GOULART VANESSA VIGNA GOULART Óbito fetal em gestações únicas com diagnóstico de trissomias dos cromossomos 21, 18, 13 e monossomia do X Dissertação apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo

Leia mais

Glossário genético. Informação para doentes e familiares. Revisão do texto e tradução de Jorge Sequeiros. Agosto 2008

Glossário genético. Informação para doentes e familiares. Revisão do texto e tradução de Jorge Sequeiros. Agosto 2008 12 Glossário genético Revisão do texto e tradução de Jorge Sequeiros Agosto 2008 Modificado a partir de um glossário originalmente produzido por London IDEAS Genetic Knowledge Park. Este trabalho foi apoiado

Leia mais

Mutações Cromossômicas Variações no número de cromossomos MSc. Marcos Vinicius Viana de Oliveira

Mutações Cromossômicas Variações no número de cromossomos MSc. Marcos Vinicius Viana de Oliveira Genética Básica Mutações Cromossômicas Variações no número de cromossomos MSc. Marcos Vinicius Viana de Oliveira Definições importantes Organismo euplóide: organismo com número de cromossomos que é um

Leia mais

Marcadores Bioquímicos do Primeiro Trimestre e Recém-Nascidos Leves para Idade Gestacional

Marcadores Bioquímicos do Primeiro Trimestre e Recém-Nascidos Leves para Idade Gestacional Marcadores Bioquímicos do Primeiro Trimestre e Recém-Nascidos Leves para Idade Gestacional First-Trimester Biochemical Markers and Small-for-Gestational-Age Infants Cláudia ANDRADE 1, Joana SANTOS 1, Ana

Leia mais

Conceito Incidência. 5% população idade reprodutiva 15-17% perdas gravídicas 37% - LES 24% - FIV Wu et al., 2006

Conceito Incidência. 5% população idade reprodutiva 15-17% perdas gravídicas 37% - LES 24% - FIV Wu et al., 2006 Síndrome de anticorpo antifosfolípide (SAAF) Conceito Incidência 5% população idade reprodutiva 15-17% perdas gravídicas 37% - LES 24% - FIV Wu et al., 2006 SÍNDROME DE ANTICORPO ANTIFOSFOLÍPIDE (SAAF)

Leia mais

Que no ano de 2015 até a presente data foram notificados 4 casos de microcefalia, sendo que nenhum relacionado à infecção pelo Zika vírus;

Que no ano de 2015 até a presente data foram notificados 4 casos de microcefalia, sendo que nenhum relacionado à infecção pelo Zika vírus; Nota Técnica SESA N 01/2015 i - Orientação às Equipes de Saúde sobre Microcefalia Curitiba, 02 de dezembro de 2015. A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA) considerando: A confirmação pelo Ministério

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DO ESTUDO MORFOLÓGICO FETAL BÁSICO

SISTEMATIZAÇÃO DO ESTUDO MORFOLÓGICO FETAL BÁSICO SISTEMATIZAÇÃO DO ESTUDO MORFOLÓGICO FETAL BÁSICO Dr. Jorge Telles Apresentação Dr. Jorge Alberto Bianchi Telles Gineco/Obstetra com Área de Atuação em Medicina Fetal e US em G&O Mestre em Ciências da

Leia mais

teste pré-natal não invasivo Informação para profissionais de saúde

teste pré-natal não invasivo Informação para profissionais de saúde teste pré-natal não invasivo Informação para profissionais de saúde Sobre o TOMORROW TOMORROW é o novo teste CGC Genetics que, a partir de uma amostra de sangue materno e de uma forma não invasiva, deteta

Leia mais

Valdir Martins Lampa. Declaração de conflito de interesse

Valdir Martins Lampa. Declaração de conflito de interesse Valdir Martins Lampa Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

Fibrose Cística. Triagem Neonatal

Fibrose Cística. Triagem Neonatal Fibrose Cística Triagem Neonatal Fibrose cística Doença hereditária autossômica e recessiva, mais frequente na população branca; Distúrbio funcional das glândulas exócrinas acometendo principalmente os

Leia mais

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES Medicina Fetal Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva 1. Você recebeu do fiscal o seguinte material: INSTRUÇÕES a) Este Caderno de Questões contendo o enunciado das 2 (duas) questões da prova discursiva.

Leia mais

e Conduta Imediata CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO ( C.I.U.R. )

e Conduta Imediata CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO ( C.I.U.R. ) Simpósio Diagnóstico de Risco no Pré-natal e Conduta Imediata CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO ( C.I.U.R. ) Rosilene da Silveira Betat Hospital Materno Infantil Presidente Vargas Medicina Fetal Gestaçã

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA Acompanhamento das gestantes vacinadas inadvertidamente (GVI) com a vacina dupla viral (sarampo e rubéola)

Leia mais

Óbitos de menores de um ano 2000 2003 Porto Alegre

Óbitos de menores de um ano 2000 2003 Porto Alegre Óbitos de menores de um ano 2000 2003 Porto Alegre Tabela 1 - Distribuição dos óbitos infantis, segundo a classificação de evitabilidade, Porto Alegre, 1996/1999 ANOS ÓBITOS EVITÁVEIS 1996 1997 1998 1999

Leia mais

Guilherme de Almeida Bastos 1 Júlio Cesar Soares Aragão 2 Rosane M. S. Meirelles 3 Jõao Batista de O Roque 4 Monique Pimenta 5

Guilherme de Almeida Bastos 1 Júlio Cesar Soares Aragão 2 Rosane M. S. Meirelles 3 Jõao Batista de O Roque 4 Monique Pimenta 5 REVISTA PRÁXIS ano IV, nº 8 - agosto 2012 45 Ultrassonografia obstétrica como ferramenta didática no rastreamento de patologias fetais. Obstetrical ultrasound as a teaching tool in screning for fetal pathologies

Leia mais

Médicos do Sistema Nacional de Saúde. Divisão de Saúde Reprodutiva (secretariado.dsr@dgs.pt) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.

Médicos do Sistema Nacional de Saúde. Divisão de Saúde Reprodutiva (secretariado.dsr@dgs.pt) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs. EM AUDIÇÃO E TESTE DE APLICABILIDADE ATÉ 30 DE OUTUBRO DE 2011 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: Exames Ecográficos na Gravidez Gravidez ; Ecografia Médicos do Sistema Nacional de Saúde Divisão

Leia mais

UMA MÃO CHEIA DE NADA

UMA MÃO CHEIA DE NADA ANTÓNIO JOSÉ JORGE FATIA UMA MÃO CHEIA DE NADA VIVÊNCIAS DA MULHER SUBMETIDA A INTERRUPÇÃO MÉDICA DE GRAVIDEZ POR MALFORMAÇÕES FETAIS DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM ESTUDOS SOBRE AS MULHERES ORIENTAÇÃO: PROFESSORA

Leia mais

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Diagnóstico e conduta na Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional; Diabetes; Gravidez Profissionais de Saúde Divisão de Saúde

Leia mais

Artigo de Revisão/Review Article

Artigo de Revisão/Review Article Artigo de Revisão/Review Article Rastreio de cromossomopatias: novas teorias e velhos conceitos II Screening of chromosomal anomalies: new theories and old concepts II Carla Ramalho* Hospital de São João,

Leia mais

12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM

12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM 12º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM CARACTERIZAÇÃO DAS GESTANTES COM TOXOPLASMOSE ATENDIDAS NO AMBULATÓRIO DE ESPECIALIDADES DO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ Lidiaine Naiara de Oliveira 1 Natana

Leia mais

Guia Prático de Condutas Recomendação Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Prevencão das malformações fetais.

Guia Prático de Condutas Recomendação Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. Prevencão das malformações fetais. Guia Prático de Condutas Recomendação Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia Prevencão das malformações fetais Atualização Entendendo o problema Prevalência e Tipos DTN Defeito aberto do tubo

Leia mais

Impetrato: Estado de Minas Gerais e Município de Cláudio/MG. TEMA: Enoxaparina 40mg (Clexane ) para profilaxia de abortamento de repetição em gestante

Impetrato: Estado de Minas Gerais e Município de Cláudio/MG. TEMA: Enoxaparina 40mg (Clexane ) para profilaxia de abortamento de repetição em gestante Data: 04/08/2014 NTRR 161 2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Solicitante: Juíza de Direito: Dra. Marcilene da Conceição Miranda Número do processo: 166.14.001419-1 Impetrato: Estado de

Leia mais