Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal"

Transcrição

1 Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal

2 Por que monitorar? Especificações r Background Mercado Protection notice / 2010 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. Nov Page 2 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

3 Síndrome de Down Trissomia do 21 Descrita pela primeira vez JLH Down "Observações sobre uma classificação étnica dos idiotas. Expectativa de vida média de 30 anos Fenótipo característico Dificuldades de aprendizagem (IQ 20-60) Atraso no desenvolvimento Atraso da puberdade / menopausa precoce Principais causas de morbidade e mortalidade > 50% apresentam deficiência visual ou auditiva 30-50% apresentam doenças cardíacas graves 10-20% apresentam malformações intestinais Outros: leucemia, tireóide, demência e doença présenil Page 3 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

4 Caractéristicas das Trissomias Trissomia do Cromossomo 18- Síndrome de Edward Retardo mental muito severo Atraso do crescimento Malformação generalizada Trissomia do Cromossomo 13- Síndrome de Patau Cerca de metade morre no 1º mês de vida Severa anormalidades no SNC Severo retardo de crescimento intrauterino Malformações do tubo neural (NTD) Espinha Bífida Anencefalia Malformação fetal Morte intrauterina Page 4 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

5 Evolução do Mercado de Risco Fetal 2001 US Free Beta - PAPPA NT + Osso Nasal+ 1 st trim Bioquímica 95% 95% Taxa de Detecção NT + 1 st trim Bioquímica + 2 nd trim Quadruplo NT + Idade Materna + PAPP-A + free ß-hCG 85% 95% Teste Quadruplo (Triplo + Inibina- A) NT + Idade Materna 75% 75% 1980 Teste Duplo Teste Triplo 65% 1970 Idade Materna 35% 1 st Trimestre 2 nd Trimestre % DR (Ratio de Deteção) a 5% FPR (Ratio Falso Positivo) Page 5 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

6 Por que monitorar?? Especificações Background Menu Protection notice / 2011 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. April 2011 Page 6 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

7 RISCO FETAL : determina a probabilidade o para: Desordens Cromossômicas Trisomy- 21* Down s syndrome (1/600-1/800) Trisomy- 18* Edward s syndrome (1/1500-1/10554) Trisomy -13* Pateau s syndrome (1/4600-1/25000) Outras desordens Neural Tube Defects* (AFP /US screening) Outros defeitos podem ser sinalizados por um ou uma combinação de testes de rastreio efectivo. * Algorithms published Page 7 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

8 Quando realizar o Rastreamento do Risco Fetal? 1º trimestre : 2º trimestre : dias semanas Page 8 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

9 Parâmetros Bioquímicos 1 ª trimestre PAPP-A Free ß-hCG 2 º trimestre AFP Total hcg ou free ß-hCG u-estriol Inhibin-A Page 9 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

10 Teste de Rastreamento pelo Ultrassom CRL / CCN NT / TN Translucência Nucal Realizado na 11ª a 13ª semana e seis dias de gravidez Page 10 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

11 Teste de Rastreamento pelo Ultrassom Pesquisa do Osso Nasal Page 11 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

12 Os estudos de Risco Fetal combinam testes In Vivo e In Vitro Fluxo de Trabalho orientado via TI Detecção Precoce Diagnóstico In Vitro (IVD) Diagnóstico In Vivo (Imagem) Diagnóstico Definitivo Cuidado Contínuo Acompanhamento recomendado Preferivelmente no primeiro semestre Testes de βhcg - livre, ue3, PAPP-A*, AFP, βhcg Ultrasom - Translucência Nucal - Osso Nasal - Comprimento Cabeça-Nádega Amniocentese CVS Cordocentese Aconselhamento genético Page 12 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

13 PRISCA integra dados de diferentes fontes de diagnóstico para prover resultados consolidados sobre a Paciente Histórico e Dados Demográficos das Pacientes Resultados Bioquímicos Laboratoriais Medidas Ultrassonográficas Page 13 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

14 PRISCA integra dados de diferentes fontes de diagnóstico para prover resultados consolidados sobre a Paciente Idade da Gestante, Peso, Etnia, Hábitos Diabetes, IVF, Números de Fetos, Idade Gestacional Primeiro Trimestre: PAPP-A e Free Beta Segundo Trimestre: Estriol, AFP e HCG e Inibina A Translucência Nucal CCN (cabeça-nádega) Osso Nasal Page 14 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

15 SCREENING IN VITRO PAPP-A, Free bhcg, AFP, HCG, u-e3 IN VIVO US (CRL,BPD,NT,Nasal Bone) DIAGNÓSTICO CVS Amniocentese Cordocentese Page 15 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

16 Quando realizar o Diagnóstico? CORDOCENTESIS AMNIOCENTESIS CVS AMNIOCENTESIS CVS CORDOCENTESIS Gestational age (wks) Page 16 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

17 Por que monitorar? Especificações do PRISCA Overview Mercado Protection notice / 2011 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. April 2011 Page 17 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

18 PRISCA FORNECE A SOLUÇÃO AFP HCG Free b-hcg PAPP-A ue3 Demografia Testes Bioquímicos Ultrassom PRISCA Resultados De Risco Relatórios Page 18 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

19 Mais Vantagens do PRISCA Mais de laboratórios usam PRISCA com confiança. Pesquisa acadêmica bem estabelecida, experiência de campo mais de 10 anos. Apoiado pelas soluções Siemens de Imagem, IMMULITE e TI Apoio ao Cliente Visão In Vivo + In Vitro O valor do PRISCA é que ele nos dá resultados estatíscos de confiaça.. Dra. Ma Victoria de Olabarria Ruiz, UNILABS Madrid Page 19 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

20 PRISCA 5 Habilidade para entrar resultados de Inibina A para permitir o teste quádruplo Trissomia do 21 (Down) Trissomia combinada - 13/18 - screening no 1 st trimestre Cálculo de risco com translucência nucal & Idade Materna Cálculo de risco com PAPP-A ou Beta HCG livre Correção de risco considerando gravidez anterior com sindrome de Down Centro de medianas específicas NT Correção de risco quando o osso nasal estiver ausente Calcula o risco no 1 st /2 nd trimestre na data da amostra ou data do parto Os parâmetros específicos da população local para o cálculo do risco de T21. Inclusão de Banco de dados Compartilhados para controle de qualidade intralaboratorial Page 20 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

21 Por que Screening no 1º e no 2º Trimestre? 1º Trimestre : No início da gravidez (9-13 semanas) Precocidade do diagnótico - psicológicamente mais aceitável para a paciente Redução da perda fetal por procedimento invasivo Alta taxa de detecção quando a triagem bioquímico é associada á NT: Taxa de detecção para T21: 85% Falso positivo : 5% Redução do número de amniocentese 2º Trimestre: Fatores de correção bem estabelecidos Algorítimos bem estabelecidos Extensa base de dados Risco para a T21, T18 e DTN Estabilidade da amostra Page 21 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

22 Por que monitorar?? Especificações Overview Marcadores Protection notice / 2011 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. April 2011 Page 22 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

23 PAPP-A Proteína Plasmática Associada a Gravidez Proteína glicosilada de alto peso molecular ( kDa) Secretada pela placenta Função Biológica desconhecida Existem outras fontes de secreção Podem ser mensurados fora de gravidez em mulheres jovens e menopausadas e homens saudáveis Detectável a partir de 28 dias após a concepção e aumenta logo após Baixa no primeiro trimestre em gravidez de Down (8-10 semanas) Page 23 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

24 AFP in maternal serum ng/ml weeks of pregnancy Page 24 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

25 u-estriol in maternal serum ng/ml weeks of pregnancy Page 25 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

26 Page 26 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

27 CUT 0FF Risco Elevado: Trissomia 21 = 1/250 Trissomia 18/13 = 1/100 Page 27 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

28 Page 28 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

29 Anatércia Blanco Assessoria Científica Siemens Healthcare Central de Suporte ao Cliente: Page 29 Elaborado por : Anatércia Blanco Setembro / 2012

Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional. DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011

Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional. DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011 Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional Ricardo C Cavalli DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011 Objetivos Topografia da gestação Vitalidade fetal

Leia mais

O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético

O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético O valor de testes pré-natais não invasivos (TPNI). Um suplemente ao livreto do Conselheiro Genético TPNIs usam DNA livre de células. Amostra de sangue materno cfdna materno cfdna fetal TPNIs usam DNA livre

Leia mais

Panorama. Teste Pré-natal não invasivo. Revista Médica

Panorama. Teste Pré-natal não invasivo. Revista Médica Grupo Revista Médica :: Edição Especial :: Teste Pré-natal não invasivo Panorama Shutterstock TM Exame inovador permite rastreio de doenças genéticas fetais no sangue materno, já na nona semana de gestação.

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL DA PÓS- GRADUAÇÃO LATO-SENSU EM MEDICINA FETAL 2014 1 PROJETO PEDAGÓGICO CALENDÁRIO ESCOLAR CALENDÁRIO PÓS-GRADUAÇÃO MEDICINA FETAL PERINATAL/ESTÁCIO - 2014 AULAS TEÓRICAS AOS SÁBADOS E DOMINGOS DAS 08:00

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO

GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO Como avaliar o consumo de álcool pela gestante É DIFÍCIL AVALIAR O CONSUMO DE ÁLCOOL NA GRAVIDEZ, SEJA PELA OMISSÃO OU NEGAÇÃO

Leia mais

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte.

Síndromes cromossômicas. Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Síndromes cromossômicas Alunos: Agnes, Amanda e Pedro Conte. Introdução: As anomalias cromossômicas sexuais ocorrem em virtude de meioses atípicas, durante a produção de gametas (espermatozoide e óvulo).

Leia mais

USB IPANEMA & USB ICARAI 20. CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO. 20.1. Classificação

USB IPANEMA & USB ICARAI 20. CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO. 20.1. Classificação USB - CLÍNICA DE ULTRA-SONO- 20. CRESCIMENTO INTRA-UTERINO RESTRITO Por definição, feto com crescimento intra-uterino restrito (CIUR) é aquele que ao nascimento apresenta peso inferior ao 10º percentil

Leia mais

RIMENA DE MELO GERMANO DA SILVA

RIMENA DE MELO GERMANO DA SILVA RIMENA DE MELO GERMANO DA SILVA Comparação do comprimento do úmero em fetos portadores de Síndrome de Down com o comprimento do úmero em fetos normais Dissertação apresentada à Faculdade de Medicina da

Leia mais

12 e 13 semanas. Dia de ultrassom é sempre bom!

12 e 13 semanas. Dia de ultrassom é sempre bom! 12 e 13 semanas Dia de ultrassom é sempre bom! Agora com 12 semanas de gestação faremos um exame de ultrassonografia. Ver o bebê na barriga através da imagem me dá uma sensação de proximidade com ele.

Leia mais

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial

Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Genética Molecular Padrões de Herança Citoplasmática e Multifatorial Padrão de herança citoplasmático A mitocôndria é uma organela da célula que contém um filamento de ácido desoxiribonucléico (DNA) próprio,

Leia mais

PATOLOGIAS FETAIS E TRATAMENTO CLÍNICO INTRA-UTERINO. arritmias cardíacas. hipo e hipertireoidismo. defeitos do tubo neural

PATOLOGIAS FETAIS E TRATAMENTO CLÍNICO INTRA-UTERINO. arritmias cardíacas. hipo e hipertireoidismo. defeitos do tubo neural 13. TERAPÊUTICA FETAL MEDICAMENTOSA Entende-se por terapêutica fetal medicamentosa ou clínica, quando nos valemos da administração de certos medicamentos específicos, visando o tratamento de alguma patologia

Leia mais

Capacidade Diagnóstica dos Biomarcadores de Rastreio Pré-natal. Maria Fernanda Duarte Silva

Capacidade Diagnóstica dos Biomarcadores de Rastreio Pré-natal. Maria Fernanda Duarte Silva Capacidade Diagnóstica dos Biomarcadores de Rastreio Pré-natal Maria Fernanda Duarte Silva Vila Nova de Gaia 2013 O presente trabalho destina-se a instruir o processo para admissão às provas públicas para

Leia mais

Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre

Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre JOSÉ PAULO DA SILVA NETTO 12w Specialist care 12-34w 22w 36w 41w PIRÂMIDE DE CUIDADO PRÉ-NATAL: PASSADO E PRESENTE Prevenção da pré-eclâmpsia Baixa dose

Leia mais

MARCADORES TUMORAIS EM DESTAQUE

MARCADORES TUMORAIS EM DESTAQUE Adriana Helena Sedrez Farmacêutica Bioquímica Especialista em Microbiologia Clínica pela PUC-PR Coordenadora do setor de Hematologia Clínica, responsável pelo Atendimento ao Cliente e gerente de Recursos

Leia mais

As Mutações. Aumento da biodiversidade

As Mutações. Aumento da biodiversidade As Mutações Aumento da biodiversidade Mutações As mutações são espontâneas e podem ser silenciosas, ou seja, não alterar a proteína ou sua ação. Podem ainda ser letais, quando provocam a morte, ou ainda

Leia mais

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 É preciso dosar e repor vitamina D no pré-natal? A dosagem de vitamina D pelos métodos mais amplamente disponíveis é confiável?

Leia mais

ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS. DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR

ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS. DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR É necessário fazer ultrassonografia de rotina? Background Many clinicians

Leia mais

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA

PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA PRINCÍPIOS DE GENÉTICA MÉDICA Conceitos Genética / Genômica Doença genética Hereditariedade Congênito DNA / Gene / Locus / Alelo Homozigoto / Heterozigoto Cromossomos Autossomos Sexuais Dominante / Recessivo

Leia mais

Rastreio Pré-Natal na Região Norte

Rastreio Pré-Natal na Região Norte REUNIÃO MAGNA DAS UNIDADES COORDENADORAS FUNCIONAIS Rastreio Pré-Natal na Região Norte Oferta do rastreio - Análise da situação Maria do Céu Rodrigues Comissão Técnica Regional de Diagnóstico Pré-Natal

Leia mais

O osso nasal como marcador de cromossomopatias

O osso nasal como marcador de cromossomopatias Artigo de Revisão O osso nasal como marcador de cromossomopatias The nasal bone as marker of chromosomal disorders Humberto Nascimento 1, Wellington P Martins 1, 2, Daniela de Abreu Barra 1,2 Osso nasal

Leia mais

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes

Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06. Divisão de Saúde Materna, Infantil e dos Adolescentes Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa Assunto: PRESTAÇÃO DE CUIDADOS PRÉ-CONCEPCIONAIS Nº: 02/DSMIA DATA: 16/01/06 Para: Contacto na DGS: Todos os médicos e enfermeiros que exerçam

Leia mais

Cadernos de. Informação. Científica. Ano 8 nº 12 2013. Síndrome do X Frágil

Cadernos de. Informação. Científica. Ano 8 nº 12 2013. Síndrome do X Frágil Cadernos de Informação Científica Ano 8 nº 12 2013 Síndrome do X Frágil C a d e r n o s d e I n f o r m a ç ã o C i e n t í f i c a definição e causas A síndrome do X frágil (SXF), também conhecida como

Leia mais

Fibrose Cística. Triagem Neonatal

Fibrose Cística. Triagem Neonatal Fibrose Cística Triagem Neonatal Fibrose cística Doença hereditária autossômica e recessiva, mais frequente na população branca; Distúrbio funcional das glândulas exócrinas acometendo principalmente os

Leia mais

RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL

RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL RESTRIÇÃO DE CRESCIMENTO FETAL José de Arimatéa Barreto DEFINIÇÃO Para evitar correlação com função mental anormal, atualmente, o termo preferido é restrição de crescimento fetal (RCF), em substituição

Leia mais

Diagnóstico Imunológico das Infecções Congênitas

Diagnóstico Imunológico das Infecções Congênitas Diagnóstico Imunológico das Infecções Congênitas Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita Rubéola e Síndrome da Rubéola Congênita Vírus da Rubéola Togavirus Vírus de RNA fita simples Principal epítopo dominante:

Leia mais

Dados atuais indicam que não há efeitos biológicos confirmados

Dados atuais indicam que não há efeitos biológicos confirmados 1 ULTRA-SONOGRAFIA OBSTÉTRICA Francisco Pimentel Cavalcante Carlos Augusto Alencar Júnior Procedimento seguro, não-invasivo, inócuo, com grande aceitação pela paciente, que pode fornecer muitas informações

Leia mais

DR.PRIMO PICCOLI CANCEROLOGIA CIRÚRGICA.

DR.PRIMO PICCOLI CANCEROLOGIA CIRÚRGICA. Genetic Risk Assessments in Individuals at High Risk for Inherited Breast Cancer in the Breast Oncology Care Setting DR.PRIMO PICCOLI CANCEROLOGIA CIRÚRGICA. CÂNCER DE MAMA HEREDITÁRIO CONHECER O RISCO

Leia mais

HIV no período neonatal prevenção e conduta

HIV no período neonatal prevenção e conduta HIV no período neonatal prevenção e conduta O HIV, agente causador da AIDS, ataca as células do sistema imune, especialmente as marcadas com receptor de superfície CD4 resultando na redução do número e

Leia mais

Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno

Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Software de resultados BGI com marca CE (Conformidade Europeia) para a trissomia 21 Detecta as trissomias fetais dos cromossomos 21, 18 e 13 Informa

Leia mais

II SEMINÁRIO SOBRE COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE

II SEMINÁRIO SOBRE COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE II SEMINÁRIO SOBRE COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE ASSISTÊNCIA OBSTETRÍCA: ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL E AO PARTO ULTRA-SONOGRAFIA E O MONITORAMENTO DO PARTO JACOB ARKADER EXPECTATIVA DE VIDA Mulheres 71,97 64,33

Leia mais

ULTRASSONOGRAFIA MÚLTIPLAS MALFORMAÇÕES FETAIS NO DIAGNÓSTICO DAS WANDERLEY DE SOUZA ESPER

ULTRASSONOGRAFIA MÚLTIPLAS MALFORMAÇÕES FETAIS NO DIAGNÓSTICO DAS WANDERLEY DE SOUZA ESPER 12 ULTRASSONOGRAFIA NO DIAGNÓSTICO DAS MÚLTIPLAS MALFORMAÇÕES FETAIS WANDERLEY DE SOUZA ESPER 554 CAPÍTULO 12 - ULTRASSONOGRAFIA NO DIAGNÓSTICO DAS MÚLTIPLAS MALFORMAÇÕES FETAIS CAPÍTULO 12 - ULTRASSONOGRAFIA

Leia mais

Risco fetal Testes Preditivos Pré-natais para Síndrome de Down e Malformações do Tubo Neural

Risco fetal Testes Preditivos Pré-natais para Síndrome de Down e Malformações do Tubo Neural Risco fetal Testes Preditivos Pré-natais para Síndrome de Down e Malformações do Tubo Neural 1. Introdução As anomalias congênitas são a segunda causa de mortalidade neonatal e são encontradas em cerca

Leia mais

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS.

CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Laura S. W ard CAMPANHA PELA INCLUSÃO DA ANÁLISE MOLECULAR DO GENE RET EM PACIENTES COM CARCINOMA MEDULAR E SEUS FAMILIARES PELO SUS. Nódulos da Tiróide e o Carcinoma Medular Nódulos da tiróide são um

Leia mais

Mulher: antes que você planeje engravidar...

Mulher: antes que você planeje engravidar... Mulher: antes que você planeje engravidar......saiba como prevenir os Defeitos Abertos do Tubo Neural (DATN): anencefalia e espinha bífida. ANENCEFALIA: É POSSÍVEL PREVENIR! Orientações baseadas na 1ª

Leia mais

Mario Julio Franco. Declaração de conflito de interesse

Mario Julio Franco. Declaração de conflito de interesse Mario Julio Franco Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

Que no ano de 2015 até a presente data foram notificados 4 casos de microcefalia, sendo que nenhum relacionado à infecção pelo Zika vírus;

Que no ano de 2015 até a presente data foram notificados 4 casos de microcefalia, sendo que nenhum relacionado à infecção pelo Zika vírus; Nota Técnica SESA N 01/2015 i - Orientação às Equipes de Saúde sobre Microcefalia Curitiba, 02 de dezembro de 2015. A Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (SESA) considerando: A confirmação pelo Ministério

Leia mais

Diabetes Gestacional

Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional Introdução O diabetes é uma doença que faz com que o organismo tenha dificuldade para controlar o açúcar no sangue. O diabetes que se desenvolve durante a gestação é chamado de diabetes

Leia mais

Centro de Ciências da Saúde Curso: Nutrição

Centro de Ciências da Saúde Curso: Nutrição Centro de Ciências da Saúde Curso: Nutrição RESUMO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Título do Trabalho: Aspectos nutricionais de mulheres submetidas à cirurgia bariátrica relacionados ao período gestacional

Leia mais

premium Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno

premium Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Software de resultados BGI com marca CE (Conformidade Europeia) para a trissomia 21 Detecta as trissomias fetais dos cromossomos 21, 18 e 13 Informa sobre as trissomias fetais 9, 16 e 22 Informa sobre

Leia mais

Introdução: Objetivo. Materiais e métodos:

Introdução: Objetivo. Materiais e métodos: Estudo das alterações citogenéticas em pacientes com suspeita clínica de síndrome mieloproliferativa e em pacientes com leucemia mielóide crônica em uso de imatinib. Experiência do laboratório Sérgio Franco

Leia mais

Desenvolvimento fetal e exames ultrassonográficosde relevância no pré-natal

Desenvolvimento fetal e exames ultrassonográficosde relevância no pré-natal Desenvolvimento fetal e exames ultrassonográficosde relevância no pré-natal Dra. Tatiane Bilhalva Fogaça Médica Obstetra especialista em Medicina Fetal pela Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia

Leia mais

Unidade Coordenadora Funcional Materno-Neonatal da Figueira da Foz. Para a determinação e / ou confirmação ecográfica da idade gestacional, deve ser

Unidade Coordenadora Funcional Materno-Neonatal da Figueira da Foz. Para a determinação e / ou confirmação ecográfica da idade gestacional, deve ser III Encontro da SUCFCA FF Protocolos de Atuação Para a determinação e / ou confirmação ecográfica da idade gestacional, deve ser marcada logo que possível uma ecografia no HDFF. Para tal, deve a equipa

Leia mais

Neurociência e Saúde Mental

Neurociência e Saúde Mental 1 O QUE É DEFICIÊNCIA MENTAL OU INTELECTUAL http://www.apaesp.org.br/sobreadeficienciaintelectual A Deficiência Intelectual, segundo a Associação Americana sobre Deficiência Intelectual do Desenvolvimento

Leia mais

ANÁLISE DA CAPTAÇÃO PRECOCE E ACOMPANHAMENTO DAS GESTANTES PARA O PROGRAMA DE PRÉ-NATAL NO MUNICÍPIO DE PALOTINA PR

ANÁLISE DA CAPTAÇÃO PRECOCE E ACOMPANHAMENTO DAS GESTANTES PARA O PROGRAMA DE PRÉ-NATAL NO MUNICÍPIO DE PALOTINA PR ANÁLISE DA CAPTAÇÃO PRECOCE E ACOMPANHAMENTO DAS GESTANTES PARA O PROGRAMA DE PRÉ-NATAL NO MUNICÍPIO DE PALOTINA PR Caren Salvi 1 Darhtila Patrícia Zanon Jéssica Pricila Zanon RESUMO A Estratégia Saúde

Leia mais

MAMI. Obstetras e gestantes agora contam com o. confiabilidade em diagnósticos

MAMI. Obstetras e gestantes agora contam com o. confiabilidade em diagnósticos 2013 Edição especial Fique em dia com o boletim médico SALOMÃOZOPPI DIAGNÓSTICOS em dia confiabilidade em diagnósticos Obstetras e gestantes agora contam com o MAMI Novo serviço em Medicina Fetal do Salomão

Leia mais

BENEFÍCIOS E LIMITAÇÕES DO ULTRASSOM MORFOLÓGICO FETAL

BENEFÍCIOS E LIMITAÇÕES DO ULTRASSOM MORFOLÓGICO FETAL BENEFÍCIOS E LIMITAÇÕES DO ULTRASSOM MORFOLÓGICO FETAL HÉRBENE JOSÉ FIGUINHA MILANI Mestre e Doutorando em ciências - UNIFESP Fellowship em Neurologia Fetal pela Tel-Aviv University - Israel Médico colaborador

Leia mais

Linha de Cuidado da Gestante e da SUS SP KARINA CALIFE

Linha de Cuidado da Gestante e da SUS SP KARINA CALIFE Linhas de cuidado E a integralidade na atenção à saúde da mulher KARINA CALIFE Linha de Cuidado da Gestante e da Puérpera no SUS SP KARINA CALIFE DIRETRIZES POLÍTICAS - ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER Respeito

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL

A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL Programa BemVindo - www.bemvindo.org.br A OMS - Organização Mundial da Saúde diz que "Pré-Natal" é conjunto de cuidados médicos, nutricionais, psicológicos e sociais, destinados

Leia mais

Documento Geral do Toolkit da Fundação PHG para Avaliação das Necessidades de Saúde em relação a Doenças Congênitas

Documento Geral do Toolkit da Fundação PHG para Avaliação das Necessidades de Saúde em relação a Doenças Congênitas Documento Geral do Toolkit da Fundação PHG para Avaliação das Necessidades de Saúde em relação a Doenças Congênitas Versão 1.1, setembro 2013 BY-NC-ND 3.0 Unported License. 1 http://toolkit.bornhealthy.org

Leia mais