GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO"

Transcrição

1 GRUPO DE ESTUDOS DA SÍNDROME ALCOÓLICA FETAL SOCIEDADE DE PEDIATRIA DE SÃO PAULO

2 Como avaliar o consumo de álcool pela gestante

3 É DIFÍCIL AVALIAR O CONSUMO DE ÁLCOOL NA GRAVIDEZ, SEJA PELA OMISSÃO OU NEGAÇÃO DA INFORMAÇÃO, ALÉM DE NÃO SER PERGUNTADO DE ROTINA NAS CONSULTAS DE PRÉ- NATAL

4 MARCADORES DE CONSUMO DE ÁLCOOL NA GESTANTE

5 MARCADORES BIOQUÍMICOS Indiretos: transaminases, gama GT, VCM são inespecíficos De exposição: acetaldeído, transferrina deficiente em carboidratos níveis elevadosresultados falseados na gestação Alcoolemia não avalia exposição a longo prazo

6 MARCADORES PARA CONSUMO DE ÁLCOOL Medidas diretas de metabólitos Identificação de etil-ésteres de ácidos graxos (FAEE) metabólitos não oxidativos de etanol e ácidos graxos (micro-extração cromatografia gasosa/espectrometria de massa) Kalberg; 2013

7 QUESTIONÁRIOS AUDIT CAGE T- ACE TWEAK (C) CRAFFT (siglas em inglês)

8 QUESTIONÁRIO AUDIT ALCOHOL USE DISORDERS IDENTIFICATION TEST (Teste para identificação dos distúrbios devidos ao álcool)

9 QUESTIONÁRIO AUDIT ESTE QUESTIONÁRIO FOI DESENVOLVIDO PELA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS), CONSTA DE 10 PERGUNTAS E CLASSIFICA A ENTREVISTADA EM UMA DAS 4 ZONAS DE RISCO DE ACORDO COM O ESCORE

10 QUESTIONÁRIO AUDIT ESCORE: ATÉ 7 PONTOS INDICA BAIXO RISCO OU ABSTINÊNCIA; DE 8 A 15 PONTOS USO DE RISCO; DE 16 A 19 PONTOS SUGERE USO NOCIVO; 20 OU + PONTOS PROVÁVEL DEPENDÊNCIA

11 QUESTIONÁRIO AUDIT 1. Com que frequência consome bebidas que contêm álcool? [Escreva o número que melhor corresponde à sua situação.] 0 = nunca 1 = uma vez por mês ou menos 2 = duas a quatro vezes por mês 3 = duas a três vezes por semanas 4 = quatro ou mais vezes por semana

12 QUESTIONÁRIO AUDIT 2. Quando bebe, quantas bebidas contendo álcool consome num dia normal? 0 = uma ou duas 1 = três ou quatro 2 = cinco ou seis 3 = de sete a nove 4 = dez ou mais

13 QUESTIONÁRIO AUDIT 3. Com que frequência consome seis bebidas ou mais numa única ocasião? 0 = nunca 1 = menos de um vez por mês 2 = pelo menos uma vez por mês 3 = pelo menos uma vez por semana 4 = diariamente ou quase diariamente

14 QUESTIONÁRIO AUDIT 4. Nos últimos 12 meses, com que frequência se apercebeu de que não conseguia parar de beber depois de começar? 0 = nunca 1 = menos de um vez por mês 2 = pelo menos uma vez por mês 3 = pelo menos uma vez por semana 4 = diariamente ou quase diariamente

15 QUESTIONÁRIO AUDIT 5. Nos últimos 12 meses, com que frequência não conseguiu cumprir as tarefas que habitualmente lhe exigem por ter bebido? 0 = nunca 1 = menos de um vez por mês 2 = pelo menos uma vez por mês 3 = pelo menos uma vez por semana 4 = diariamente ou quase diariamente

16 QUESTIONÁRIO AUDIT 6. Nos últimos 12 meses, com que frequência precisou de beber logo de manhã para "curar" uma ressaca? 0 = nunca 1 = menos de um vez por mês 2 = pelo menos uma vez por mês 3 = pelo menos uma vez por semana 4 = diariamente ou quase diariamente

17 QUESTIONÁRIO AUDIT 7. Nos últimos 12 meses, com que frequência teve sentimentos de culpa ou de remorsos por ter bebido? 0 = nunca 1 = menos de um vez por mês 2 = pelo menos uma vez por mês 3 = pelo menos uma vez por semana 4 = diariamente ou quase diariamente

18 QUESTIONÁRIO AUDIT 8. Nos últimos 12 meses, com que frequência não se lembrou do que aconteceu na noite anterior por causa de ter bebido? 0 = nunca 1 = menos de um vez por mês 2 = pelo menos uma vez por mês 3 = pelo menos uma vez por semana 4 = diariamente ou quase diariamente

19 QUESTIONÁRIO AUDIT 9. Já alguma vez ficou ferido ou ficou alguém ferido por você ter bebido? 0 = não 1 = sim, mas não nos últimos 12 meses 2 = sim, aconteceu nos últimos 12 meses

20 QUESTIONÁRIO AUDIT 10. Já alguma vez um familiar, amigo, médico ou profissional de saúde manifestou preocupação pelo seu consumo de álcool ou sugeriu que deixasse de beber? 0 = não 1 = sim, mas não nos últimos 12 meses 2 = sim, aconteceu nos últimos 12 meses

21 QUESTIONÁRIO AUDIT VANTAGENS DOS 3 QUESTIONÁRIOS, O AUDIT É O QUE MAIS FREQUENTEMENTE DIAGNOSTICA O USO DO ÁLCOOL NA GESTAÇÃO, POIS CONSEGUE RASTREAR TODOS OS NÍVEIS DE CONSUMO A PROBABILIDADE DE DETECTAR CONSUMO DE ÁLCOOL NO ANO ANTERIOR À PESQUISA É DE 87% PARA HOMENS E 94% PARA MULHERES Rubinsky et al., 2010

22 QUESTIONÁRIO AUDIT DESVANTAGENS É LONGO Requer muito tempo do profissional de saúde

23 QUESTIONÁRIO CAGE

24 QUESTIONÁRIO CAGE CUT DOWN = cortar ANNOYED BY CRITICISM = aborrecida pelas críticas GUILTY = culpada EYE-OPENER = abrir os olhos

25 C - ALGUMA VEZ A SENHORA SENTIU QUE DEVERIA DIMINUIR A QUANTIDADE DE BEBIDA ALCOÓLICA OU PARAR DE BEBER?

26 A - AS PESSOAS A ABORRECEM PORQUE CRITICAM O SEU MODO DE TOMAR BEBIDA ALCOÓLICA?

27 G - A SENHORA SE SENTE CHATEADA CONSIGO MESMA PELA MANEIRA COMO COSTUMA TOMAR BEBIDA ALCOÓLICA?

28 E - COSTUMA TOMAR BEBIDAS ALCOÓLICAS PELA MANHÃ PARA DIMINUIR O NERVOSISMO OU RESSACA?

29 QUESTIONÁRIO CAGE 2 OU + RESPOSTAS AFIRMATIVAS SUGEREM UMA INDICAÇÃO POSITIVA DE DEPENDÊNCIA DE ÁLCOOL

30 QUESTIONÁRIO CAGE VANTAGENS É CURTO Fácil utilização, mesmo em serviços de emergência

31 QUESTIONÁRIO CAGE DESVANTAGENS Requer interpretação dos resultados A probabilidade de detectar consumo de álcool no ano anterior à pesquisa é de 30%para homens e 34% para mulheres Rubinsky et al., 2010

32 QUESTIONÁRIO T-ACE

33 QUESTIONÁRIO T-ACE TOLERANCE = tolerância ANNOYED = aborrecida CUT DOWN = cortar EYE-OPENER = abrir os olhos

34 T QUAL A QUANTIDADE QUE VOCÊ PRECISA BEBER PARA SE SENTIR DESINIBIDA OU MAIS ALEGRE? NÃO BEBO 0 PONTO ATÉ DUAS DOSES 1 PONTO TRÊS OU MAIS DOSES 2 PONTOS

35 A ALGUÉM TEM LHE INCOMODADO POR CRITICAR O SEU MODO DE BEBER? NÃO 0 PONTO SIM 1 PONTO

36 C - VOCÊ TEM PERCEBIDO QUE DEVE DIMINUIR O SEU CONSUMO DE BEBIDAS? NÃO 0 PONTO SIM 1 PONTO

37 E - VOCÊ COSTUMA TOMAR ALGUMA BEBIDA LOGO PELA MANHÃ PARA MANTE-SE BEM OU PARA SE LIVRAR DO MAL- ESTAR DO DIA SEGUINTE? NÃO 0 PONTO SIM 1 PONTO

38 QUESTIONÁRIO T ACE 2 PONTOS OU + ALTA PROPENSÃO PARA UM CONSUMO ALCOÓLICO DE RISCO DURANTE A GESTAÇÃO

39 QUESTIONÁRIO T-ACE VANTAGENS O T-ACE FOI O PRIMEIRO TESTE RASTREADOR VALIDADO PARA USO NA PRÁTICA OBSTÉTRICA E GINECOLÓGICA É UM TESTE RÁPIDO PARA TRIAGEM, PODE SER APLICADO AO REDOR DE 2 MINUTOS DE CONVERSAÇÃO

40 QUESTIONÁRIO T-ACE DESVANTAGENS Quando usado isoladamente pode não identificar problemas de abuso de álcool Sarkar et al., 2010

41 NA AMOSTRA ESTUDADA POR FABBRI ET AL. (2007), O T-ACE ENCONTROU UMA TAXA DE CASOS POSITIVOS DE 22,1%, SEMELHANTE À TAXA DE 20,7% EM RIBEIRÃO PRETO (FREIRE ET AL., 2005) E DE 24,1% NA CIDADE DO RIO DE JANEIRO ( MORAES ET AL., 2005).

42 RESULTADOS DA APLICAÇÃO DO QUESTIONÁRIO T-ACE VS QUESTIONÁRIO DIRETO, EM 1964 GESTANTES (MEVNC) POR MESQUITA E SEGRE (2009). FORAM IDENTIFICADAS 33,3% DAS GESTANTES QUE INGERIAM ÁLCOOL DURANTE A GESTAÇÃO; 21,4% ATÉ O FINAL DA GESTAÇÃO. NO QUESTIONÁRIO T-ACE A PERCENTAGEM DE PUÉRPERAS CONSUMIDORAS FOI DISCRETAMENTE MENOR (2%), QUE A POSITIVIDADE DO QUESTIONÁRIO DIRETO.

43 QUESTIONÁRIO TWEAK(C)

44 QUESTIONÁRIO TWEAK(C) T- Tolerância 3 ou mais doses = 2 pontos W Aborrecimento Sim = 2 pontos E Abrir os olhos Sim = 1 ponto A Amnésia = 1 ponto K (C) Cortar = 1 ponto

45 QUESTIONÁRIO TWEAK(C) Do total de 7 pontos, 2 indicam paciente de risco de consumo abusivo de álcool

46 COMPARAÇÃO ENTRE OS QUESTIONÁRIOS CAGE,T-ACE E TWEAK Estudo de Morais et al. (2000) O TWEAK identificou prevalência de 26,1%, o T-ACE de 21,9% e o CAGE de 7,3% quando consideravam casos positivos aqueles que apresentavam duas ou mais respostas positivas e de 20,3% quando apresentavam uma ou mais respostas positivas.

47

48

49

50 PRINCÍPIOS Priorizar a prevenção Assegurar acesso ao tratamento e à prevenção Informar sobre os riscos para si mesma, para o feto e o recémnascido Prover cuidados compreensivos Salvaguardar a gestante contra discriminação e estigmatização Guidelines for the identification and management of substance use and substance use disorders in pregnancy, Geneva - World Health Organization; 2014

51 Recomendações Substance Use and Substance Use Disorders in Pregnancy. Genova: World Health Organization; 2014 A equipe de saúde deve perguntar a todas as gestantes sobre o uso de álcool e outras drogas (presente e passado), tão logo quanto possível e a cada visita pré-natal; A equipe de saúde deve na primeira oportunidade aconselhar a gestante dependente do álcool ou outras drogas a cessar o hábito, e oferecer serviços médicos de desintoxicação sob supervisão médica; Pelo fato de que a eficácia dos tratamentos para dependência do álcool não tem a sua segurança garantida, uma análise individual de risco-beneficio deve ser conduzida casa a caso; Mulheres em aleitamento materno devem ser aconselhadas e apoiadas para cessar o hábito.

52

53 OBRIGADA

Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas

Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas Instrumentos de Triagem para consumo de Bebidas Alcoólicas e Outras Drogas DIFERENTES NÍVEIS DE CONSUMO ÁLCOOL ABSTINÊNCIA USO EXPERIMENTAL USO MODERADO ABUSO Leve DEPENDÊNCIA Moderada Grave Cerca de 10

Leia mais

Michele Borsoi Telerreguladora de Enfermagem Telessaúde /MS

Michele Borsoi Telerreguladora de Enfermagem Telessaúde /MS Michele Borsoi Telerreguladora de Enfermagem Telessaúde /MS Para início de conversa... A presença das bebidas alcoólicas e outras substâncias psicoativas na cultura brasileira. A estigmatização associada

Leia mais

PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA

PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA AGNES MERI YASUDA; Juliana Maria Marques Megale, Quitéria de Lourdes Lourosa; Aldaísa Cassanho Forster; Clarissa Lin Yasuda HOSPITAL

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ÁLCOOL

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ÁLCOOL AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE ÁLCOOL 1 Você faz uso de bebida alcoólica e bebe mais de uma vez por mês? 2 Alguma vez você sentiu que deveria diminuir a quantidade de bebida ou parar de beber? 3 As pessoas o

Leia mais

OBJETIVOS: GERAL: Determinar a prevalência do alcoolismo em Policiais Militares do Estado do Amazonas.

OBJETIVOS: GERAL: Determinar a prevalência do alcoolismo em Policiais Militares do Estado do Amazonas. TÍTULO: ALCOOLISMO NA POLÍCIA MILITAR DO ESTADO DO AMAZONAS. Autores: Fernando de Lima Ferreira; Aristóteles Alencar; Manoel Galvão; Giselle Oliveira da Costa; Márcia Maria Leão de Araújo; Roberta Kelly

Leia mais

1ª Jornada Preparatória para o XXIII CBABEAD

1ª Jornada Preparatória para o XXIII CBABEAD 1ª Jornada Preparatória para o XXIII CBABEAD Políticas sobre Drogas e a Realidade Brasileira Painel:Princípios aplicados, Resultados obtidos? 1 Intervenção Breve no Brasil: avanços Prof. Dr. Erikson F.

Leia mais

Conceitos básicos em álcool e drogas: classificação das drogas, uso nocivo e dependências, padrões de uso, noções de tratamento 4/02/2011

Conceitos básicos em álcool e drogas: classificação das drogas, uso nocivo e dependências, padrões de uso, noções de tratamento 4/02/2011 Conceitos básicos em álcool e drogas: classificação das drogas, uso nocivo e dependências, padrões de uso, noções de tratamento 4/02/2011 Material organizado por: Florence Kerr-Corrêa, professora titular

Leia mais

Abordagens Psicossociais: Entrevista Motivacional e Intervenção Breve

Abordagens Psicossociais: Entrevista Motivacional e Intervenção Breve Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Estudos e Pesquisas sobre Álcool e outras Drogas Centro Regional de Referência sobre Drogas do Espírito Santo

Leia mais

Organização de serviços. Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp

Organização de serviços. Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp Organização de serviços Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp Declaração Declaro não receber nenhum financiamento público ou particular Qual a

Leia mais

A pessoa dependente do álcool, além de prejudicar a sua própria vida, acaba afetando a sua família, amigos e colegas de trabalho.

A pessoa dependente do álcool, além de prejudicar a sua própria vida, acaba afetando a sua família, amigos e colegas de trabalho. O que é Alcoolismo? Alcoolismo é a dependência do indivíduo ao álcool, considerada doença pela Organização Mundial da Saúde. O uso constante, descontrolado e progressivo de bebidas alcoólicas pode comprometer

Leia mais

Coisas simples que todo médico

Coisas simples que todo médico Coisas simples que todo médico pode fazer para tratar o alcoolismo. Você já faz? Prof. Dr. Erikson F. Furtado Chefe do Serviço Ambulatorial de Clínica Psiquiátrica e coordenador do PAI-PAD (Programa de

Leia mais

Diabetes Gestacional

Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional Introdução O diabetes é uma doença que faz com que o organismo tenha dificuldade para controlar o açúcar no sangue. O diabetes que se desenvolve durante a gestação é chamado de diabetes

Leia mais

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Diagnóstico e conduta na Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional; Diabetes; Gravidez Profissionais de Saúde Divisão de Saúde

Leia mais

13/12/2013 9h00m às 11h00m

13/12/2013 9h00m às 11h00m Níveis de Risco, Instrumentos de Diagnóstico Precoce e Intervenções Breves 13/12/2013 9h00m às 11h00m Instrumentos de Diagnóstico Precoce Painel: Níveis de Risco, Instrumentos de Diagnóstico Precoce e

Leia mais

ALCOOL ETILICO 8000-6000 ª C. VINHO: 11% ( FRUTAS,MEL) CERVEJA: 4% (CEREAIS) DESTILADOS: 50% DESTILADOS:MEDICINAIS USQUEABAUGH: ÁGUA DA VIDA

ALCOOL ETILICO 8000-6000 ª C. VINHO: 11% ( FRUTAS,MEL) CERVEJA: 4% (CEREAIS) DESTILADOS: 50% DESTILADOS:MEDICINAIS USQUEABAUGH: ÁGUA DA VIDA ALCOOL ETILICO 8000-6000 ª C. VINHO: 11% ( FRUTAS,MEL) CERVEJA: 4% (CEREAIS) DESTILADOS: 50% DESTILADOS:MEDICINAIS USQUEABAUGH: ÁGUA DA VIDA FARMACOCINÉTICA ABSORÇÃO: RÁPIDA ESTOMAGO,INTESTINO DELGADO,COLON

Leia mais

Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação

Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação Os padrões de consumo de crack, álcool e outras drogas e alguns instrumentos de avaliação e codificação Enfª. Lorena Silveira Cardoso Mestranda em Saúde Coletiva do PRPPG - UFES VITÓRIA 2015 Nessa aula

Leia mais

Elevada auto-estima materna no pós-parto: um fator de proteção ao aleitamento exclusivo?

Elevada auto-estima materna no pós-parto: um fator de proteção ao aleitamento exclusivo? Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Medicina Social Departamento de Epidemiologia Elevada auto-estima materna no pós-parto: um fator de proteção ao aleitamento exclusivo? Oliveira ASD;

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Recomendações do Ministério da Saúde Transcrito por Marília da Glória Martins

ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Recomendações do Ministério da Saúde Transcrito por Marília da Glória Martins ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Puerpério Imediato Acompanhamento da puérpera HIV* 1. Inibir a lactação através do enfaixamento das mamas com ataduras ou comprimindo-as com um top e evitando, com isso,

Leia mais

Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública. Universidade Atlântica. 4.º Ano. - Investigação Aplicada

Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública. Universidade Atlântica. 4.º Ano. - Investigação Aplicada Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública Universidade Atlântica 4.º Ano - Investigação Aplicada AVALIAÇÃO DO GRAU DE SENSIBILIZAÇÃO PARA A AMAMENTAÇÃO Projecto de Investigação Docente: Ana Cláudia

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73 PARECER DEFISC Nº 09/2012 Porto Alegre, 11 de maio de 2012. Laudo para teste rápido de gravidez por profissionais de Enfermagem. I - Relatório Trata-se de solicitação de dúvida, encaminhada por profissional

Leia mais

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria

Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria Requisitos mínimos para o programa de Residência em Pediatria O programa de Residência em Pediatria prevê 60 horas de jornada de trabalho semanal, sendo 40 horas de atividades rotineiras e 20 horas de

Leia mais

Consumo problemático de álcool Resumo de diretriz NHG M10 (maio 2005)

Consumo problemático de álcool Resumo de diretriz NHG M10 (maio 2005) Consumo problemático de álcool Resumo de diretriz NHG M10 (maio 2005) Meerkerk GJ, Aarns T, Dijkstra RH, Weisscher PJ, Njoo K, Boomsma LJ traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto 2014

Leia mais

ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS

ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS ACONSELHAMENTO PARA DST/AIDS NO SUS A prática do aconselhamento desempenha um papel importante no diagnóstico da infecção pelo HIV/ outras DST e na qualidade da atenção à saúde. Contribui para a promoção

Leia mais

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil.

Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. É legal saber! Gravidez Transar uma única vez, pode engravidar? Sim. Principalmente se a mulher estiver no período fértil. Minha menstruação na desceu. Estou grávida? Depende. É importante cada mulher

Leia mais

O QUE SABEMOS SOBRE O ÁLCOOL CHEGA PARA NOS PROTEGERMOS?

O QUE SABEMOS SOBRE O ÁLCOOL CHEGA PARA NOS PROTEGERMOS? O QUE SABEMOS SOBRE O ÁLCOOL CHEGA PARA NOS PROTEGERMOS? INFORMAR AJUDAR AGIR É UM TRABALHO DE TODOS! Portugal está entre os maiores consumidores de bebidas alcoólicas e de álcool puro, a nível europeu

Leia mais

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas?

Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Como Prevenir e Tratar as Dependências Químicas nas Empresas? Hewdy Lobo Ribeiro Psiquiatra Forense Ana Carolina S. Oliveira Psi. Esp. Dependência Química Importância Preocupação permanente de gestores

Leia mais

Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal

Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal Por que monitorar? Especificações r Background Mercado Protection notice / 2010 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. Nov - 2010 Page 2 Elaborado

Leia mais

Prevenção: A Perspectiva da Medicina do Trabalho. Jorge Barroso Dias, Médico do Trabalho

Prevenção: A Perspectiva da Medicina do Trabalho. Jorge Barroso Dias, Médico do Trabalho Prevenção: A Perspectiva da Medicina do Trabalho, Médico do Trabalho Conceitos Básicos sobre o consumo de substâncias psicoativas em meio laboral Objectivos da Prevenção Primária Causas relacionadas com

Leia mais

Consumo de álcool durante a amamentação

Consumo de álcool durante a amamentação Universidade Nova de Lisboa Escola Nacional de Saúde Pública Trabalho de Projeto Consumo de álcool durante a amamentação Um estudo de prevalência, em Vila Franca de Xira, em 2014 Sandrina Patrícia da Costa

Leia mais

CONSUMO DE ÁLCOOL & ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS

CONSUMO DE ÁLCOOL & ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS CONSUMO DE ÁLCOOL & ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS O álcool é a «droga recreativa» mais utilizada em contexto universitário. Estudos recentes revelam que mais de metade dos estudantes universitários tiveram,

Leia mais

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição

Fonte: Jornal Carreira & Sucesso - 151ª Edição IDENTIFICANDO A DEPRESSÃO Querida Internauta, Lendo o que você nos escreveu, mesmo não sendo uma profissional da área de saúde, é possível identificar alguns sintomas de uma doença silenciosa - a Depressão.

Leia mais

Liliana de Fátima Nogueira Pinto Nº 14474. Questionário

Liliana de Fátima Nogueira Pinto Nº 14474. Questionário Liliana de Fátima Nogueira Pinto Nº 14474 Questionário Alcoolismo no Feminino: O Consumo de Bebidas Alcoólicas em Alunas Universitárias uma amostra da FCS-UFP do Porto Faculdade de Ciências da Saúde Universidade

Leia mais

A publicidade de bebidas alcoólicas 3

A publicidade de bebidas alcoólicas 3 Publicação Científica do Curso de Bacharelado em Enfermagem do CEUT. Ano 2011(8). Edição 44 Gerlane Lopes e Silva 1 Gessica de Andrade Fonseca 1 Hanna Kamylla Antonia Soares dos Santos 1 Márcia Andrea

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Especial EDUCAÇÃO INCLUSIVA A FAMÍLIA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Especial EDUCAÇÃO INCLUSIVA A FAMÍLIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Especial EDUCAÇÃO INCLUSIVA A FAMÍLIA Brasília - 2004 Série: EDUCAÇÃO INCLUSIVA 1. A Fundamentação Filosófica 2. O Município 3 A Escola 4 A Família FICHA TÉCNICA

Leia mais

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO. Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins

GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO. Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins GESTANTE HIV* ACOMPANHAMENTO NO TRABALHO DE PARTO E PARTO Recomendações do Ministério da Saúde Profª.Marília da Glória Martins Cerca de 65% dos casos de transmissão vertical do HIV ocorrem durante o trabalho

Leia mais

Aids e Ética Médica. Dr. Eugênio França do Rêgo

Aids e Ética Médica. Dr. Eugênio França do Rêgo Dr. Eugênio França do Rêgo Aids e discriminação: 1. Deve o médico ter presente a natureza de sua profissão e, principalmente, sua finalidade. (CEM: 1 o ; 2 o e 6 o ) 2. Deve o médico buscar a mais ampla

Leia mais

XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável

XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável Fortalecendo a Rede de Promoção, Proteção e Apoio do Aleitamento Materno e da Alimentação Complementar.

Leia mais

CONSUMO DE ÁLCOOL E ALCOOLISMO ENTRE ADOLESCENTES

CONSUMO DE ÁLCOOL E ALCOOLISMO ENTRE ADOLESCENTES CONSUMO DE ÁLCOOL E ALCOOLISMO ENTRE ADOLESCENTES Estéfani Gonçalves de Souza 1 RESUMO Com o objetivo de estimar a prevalência de consumo de álcool e do alcoolismo entre estudantes adolescentes de escola

Leia mais

Estágio Curricular I: Cecília de Paula Monnerat Sâmua Regina Camacho Thiago Purger Rodrigues ÁLCOOL

Estágio Curricular I: Cecília de Paula Monnerat Sâmua Regina Camacho Thiago Purger Rodrigues ÁLCOOL Estágio Curricular I: Cecília de Paula Monnerat Sâmua Regina Camacho Thiago Purger Rodrigues ÁLCOOL Atualmente, o consumo de substâncias ilícitas e álcool é indiscriminado entre mulheres e homens adultos

Leia mais

A Deficiência de Vitamina A

A Deficiência de Vitamina A Oficina de trabalho: Carências Nutricionais: Desafios para a Saúde Pública A Deficiência de Vitamina A O QUE É VITAMINA A A vitamina A é um micronutriente que pode ser encontrado no leite materno, alimentos

Leia mais

INTERVENÇÃO BREVE E ABORDAGEM DOS FAMILIARES DOS USUÁRIOS

INTERVENÇÃO BREVE E ABORDAGEM DOS FAMILIARES DOS USUÁRIOS INTERVENÇÃO BREVE E ABORDAGEM DOS FAMILIARES DOS USUÁRIOS Psicª. Fernanda Dadalto Garcia Aperfeiçoamento Profissional Coordenação: Profª. Drª. Marluce Miguel de Siqueira Prof. Dr. Vitor Buaiz VITÓRIA 2014

Leia mais

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação.

Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer. A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Como saber que meu filho é dependente químico e o que fazer A importância de todos os familiares no processo de recuperação. Introdução Criar um filho é uma tarefa extremamente complexa. Além de amor,

Leia mais

A Mulher Dependente de Substâncias Psicoativas

A Mulher Dependente de Substâncias Psicoativas A Mulher Dependente de Substâncias Psicoativas Dependência de substâncias psicoativas Consenso na literatura sobre a importância de se estudar o subgrupo das mulheres nas suas Características Evolução

Leia mais

detecção do cancro do cólon

detecção do cancro do cólon Um guia sobre a detecção do cancro do cólon Por que motivo devo fazer o exame de rastreio?...because...porque I have todos a eles lot dependem of cooking to do. de mim....because...porque I have as minhas

Leia mais

Resultados 62 Resultados 63 Resultados 64 Resultados 65 Resultados 66 Discussão 67 4. DISCUSSÂO Até a década de 70, os estudos e os modelos de tratamento eram estruturados e embasados nas características

Leia mais

Mulher: antes que você planeje engravidar...

Mulher: antes que você planeje engravidar... Mulher: antes que você planeje engravidar......saiba como prevenir os Defeitos Abertos do Tubo Neural (DATN): anencefalia e espinha bífida. ANENCEFALIA: É POSSÍVEL PREVENIR! Orientações baseadas na 1ª

Leia mais

I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial

I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial I Jornada de Saúde Mental do Vale do Taquari: Crack e outras drogas: perspectivas na abordagem psicossocial 14 de junho de 2014 FATORES DE RISCO E COMORBIDADES PSIQUIÁTRICAS ASSOCIADOS AOS TRANSTORNOS

Leia mais

AMAMENTAÇÃO A ESCOLHA NATURAL!

AMAMENTAÇÃO A ESCOLHA NATURAL! AMAMENTAÇÃO A ESCOLHA NATURAL! Um guia para usar o Método de Ovulação AMAMENTAÇÃO Billings durante QUE a amamentação COISA NATURAL DE SE FAZER! Julyanne White, SRN AMAMENTAÇÃO A ESCOLHA NATURAL! Amamentação

Leia mais

Dependência Química: Descrição da doença e conceito

Dependência Química: Descrição da doença e conceito Dependência Química: Descrição da doença e conceito Por Nelson Luiz Raspes* Alcoolismo e dependência de drogas é uma doença que se instala por uma predisposição mórbida ativada por fatores sociais e familiares

Leia mais

Ilmo. (a). Sr. (a) Secretário (a) Municipal de Saúde de XXXXXX. Prezado (a) Senhor ( a),

Ilmo. (a). Sr. (a) Secretário (a) Municipal de Saúde de XXXXXX. Prezado (a) Senhor ( a), Ofício XXXXXX n 23/ 2012. Salvador, 05 de janeiro de 2012. Ilmo. (a). Sr. (a) Secretário (a) Municipal de Saúde de XXXXXX Prezado (a) Senhor ( a), Cumpre-nos informar que os óbitos infantis de residência

Leia mais

VACINAÇÃO: PERFIS E CONHECIMENTO DAS GESTANTES. Descritores: vacinação, gestantes, doenças infecciosas.

VACINAÇÃO: PERFIS E CONHECIMENTO DAS GESTANTES. Descritores: vacinação, gestantes, doenças infecciosas. VACINAÇÃO: PERFIS E CONHECIMENTO DAS GESTANTES Julianne Melo dos Santos 1, Auleliano Adonias dos Santos 1, Rosa Maria Nunes Galdino 2 Descritores: vacinação, gestantes, doenças infecciosas. Introdução

Leia mais

Linha de Cuidado da Gestante e da SUS SP KARINA CALIFE

Linha de Cuidado da Gestante e da SUS SP KARINA CALIFE Linhas de cuidado E a integralidade na atenção à saúde da mulher KARINA CALIFE Linha de Cuidado da Gestante e da Puérpera no SUS SP KARINA CALIFE DIRETRIZES POLÍTICAS - ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER Respeito

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo I- Identificação do Paciente Nome: Nº do prontuário:

Leia mais

Beber ou Dirigir. Faça a escolha certa

Beber ou Dirigir. Faça a escolha certa Beber ou Dirigir Faça a escolha certa O consumo responsável de bebidas alcoólicas, feito por indivíduos saudáveis com mais de 18 anos, é parte da vida em sociedade. Desde os tempos antigos é utilizado

Leia mais

Prof. José Reinaldo do Amaral Universidade Católica de Goiás Departamento de Psicologia PSICOPATOLOGIA CLÍNICA Turma C01

Prof. José Reinaldo do Amaral Universidade Católica de Goiás Departamento de Psicologia PSICOPATOLOGIA CLÍNICA Turma C01 Prof. José Reinaldo do Amaral Universidade Católica de Goiás Departamento de Psicologia PSICOPATOLOGIA CLÍNICA Turma C01 GENERALIDADES ÁLCOOL Substância euforizante, relaxante, desinibidora Distrai, tranquiliza,

Leia mais

016 Síndrome de Abstinência Alcoólica

016 Síndrome de Abstinência Alcoólica iretrizes Clínicas Procedimento Operacional Padrão - Protocolo Clínico 016 Síndrome de Abstinência Alcoólica Responsáveis/Unidade: Helian Nunes de Oliveira Psiquiatra (Gerente Assistencial - IRS) Vanuza

Leia mais

Dependência Química - Classificação e Diagnóstico -

Dependência Química - Classificação e Diagnóstico - Dependência Química - Classificação e Diagnóstico - Alessandro Alves Toda vez que se pretende classificar algo, deve-se ter em mente que o que se vai fazer é procurar reduzir um fenômeno complexo que em

Leia mais

AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA.

AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA. AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA. Mirielle Ravache Machado Dias; Vanessa Felix Da Hora ; Maria Conceição Furtado Lancia Faculdade de Ciências da Saúde

Leia mais

Autor(es) MARIANA APARECIDA RODRIGUES. Co-Autor(es) MARCIA ALVES DE MATOS MARIANA RODRIGUES UBICES. Orientador(es) ANGELA MARCIA FOSSA. 1.

Autor(es) MARIANA APARECIDA RODRIGUES. Co-Autor(es) MARCIA ALVES DE MATOS MARIANA RODRIGUES UBICES. Orientador(es) ANGELA MARCIA FOSSA. 1. 7º Simpósio de Ensino de Graduação AVALIAÇÃO DO RISCO PARA MORTALIDADE PÓS-NEONATAL EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE PIRACICABA, INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Autor(es) MARIANA APARECIDA RODRIGUES Co-Autor(es)

Leia mais

Centro Regional de Referência ES. CURSO 1: Atualização sobre Intervenção Breve e Aconselhamento Motivacional em Crack e outras Drogas

Centro Regional de Referência ES. CURSO 1: Atualização sobre Intervenção Breve e Aconselhamento Motivacional em Crack e outras Drogas UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE CENTRO DE ESTUDOS E PESQUISAS O ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS Av. Marechal Campos, 1468 Maruípe Vitória-ES CEP. 29040-090 Fone: (27) 3335.7492

Leia mais

Pesquisa Nacional de Saúde

Pesquisa Nacional de Saúde Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional de Saúde 21/08/15 Histórico INVESTIGAÇÃO DO TEMA SAÚDE... 1998 2003 2008 2013 PNAD Características da PNS Pesquisa Domiciliar

Leia mais

Depressão. A depressão afecta pessoas de formas diferentes e pode causar vários sintomas físicos, psicológicos (mentais) e sociais.

Depressão. A depressão afecta pessoas de formas diferentes e pode causar vários sintomas físicos, psicológicos (mentais) e sociais. Depressão Introdução A depressão é uma doença séria. Se estiver deprimido, pode ter sentimentos de tristeza extrema que duram longos períodos. Esses sentimentos são muitas vezes suficientemente severos

Leia mais

Dependência Química. Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não?

Dependência Química. Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não? Dependência Química Por que algumas pessoas ficam dependentes de drogas e outras não? Os fatores relacionados ao desenvolvimento da dependência química são variados. O fator genético está bem estabelecido.

Leia mais

Como actuar perante o consumo nocivo de álcool? Guia para cuidados de Saúde Primários

Como actuar perante o consumo nocivo de álcool? Guia para cuidados de Saúde Primários Como actuar perante o consumo nocivo de álcool? Guia para cuidados de Saúde Primários Núcleo de Comportamentos Aditivos APMCG Como actuar perante o consumo nocivo de álcool? Guia para Cuidados de Saúde

Leia mais

Encontro de Empresas Mesa redonda: Programa de Assistência ao Empregado: para onde encaminhar. Ambulatório

Encontro de Empresas Mesa redonda: Programa de Assistência ao Empregado: para onde encaminhar. Ambulatório XXI Congresso Brasileiro da ABEAD Do Uso à Dependência: a integração das políticas públicas com a clínica 08 a 11 de setembro de 2011 - Recife/PE Encontro de Empresas Mesa redonda: Programa de Assistência

Leia mais

Como usar perguntas filtro em pesquisas online

Como usar perguntas filtro em pesquisas online Como usar perguntas filtro em pesquisas online Muitas vezes precisamos fazer uma pesquisa em um grupo de indivíduos caracterizados por algum traço comum: que sejam consumidores de um determinado produto,

Leia mais

ANÁLISE DO NÍVEL DE CONHECIMENTO EM PUÉRPERAS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO NO AMBULATÓRIO RN DE RISCO DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA

ANÁLISE DO NÍVEL DE CONHECIMENTO EM PUÉRPERAS SOBRE O ALEITAMENTO MATERNO NO AMBULATÓRIO RN DE RISCO DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA ANÁLISE DO

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. vírus ZIKA. Informações ao Público

MINISTÉRIO DA SAÚDE. vírus ZIKA. Informações ao Público MINISTÉRIO DA SAÚDE vírus ZIKA Informações ao Público Brasília DF 2015 PÚBLICO EM GERAL Prevenção/Proteção Cuidados Observe o aparecimento de sinais e sintomas de infecção por vírus zika (manchas vermelhas

Leia mais

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal O que é Transmissão Vertical HIV e Sífilis? A transmissão vertical do

Leia mais

Organização de serviços para o tratamento da dependência química

Organização de serviços para o tratamento da dependência química Organização de serviços para o tratamento da dependência química Coordenação: Prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD /INPAD/UNIFESP Agradecimentos: Dr. Marcelo Ribeiro Fatores

Leia mais

*CD145101996985* Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 11/02/2014. MAMOGRAFIA EM UMA SÓ MAMA: IGNORÂNCIA

*CD145101996985* Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 11/02/2014. MAMOGRAFIA EM UMA SÓ MAMA: IGNORÂNCIA Discurso proferido pelo deputado GERALDO RESENDE (PMDB/MS), em sessão no dia 11/02/2014. MAMOGRAFIA EM UMA SÓ MAMA: IGNORÂNCIA OU MONSTRUOSIDADE Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, No último

Leia mais

Porto Alegre 2008. Glaucia Talita Possolli Drª Márcia Lázaro de Carvalho Drª Maria Inês Couto de Oliveira Drª Kátia Silveira da Silva

Porto Alegre 2008. Glaucia Talita Possolli Drª Márcia Lázaro de Carvalho Drª Maria Inês Couto de Oliveira Drª Kátia Silveira da Silva Aleitamento materno e teste rápido anti-hiv: Análise de sobrevivência do tempo até a primeira mamada em Hospitais Amigos da Criança no município do Rio de Janeiro. Glaucia Talita Possolli Drª Márcia Lázaro

Leia mais

Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais

Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Gerusa Maria Figueiredo gerusa.figueiredo@saude.gov.br I CONGRESSO BRASILEIRO

Leia mais

PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM

PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM PARTO NORMAL: A NATUREZA SE ENCARREGA, MAMÃE E BEBÊ AGRADECEM Hospital Materno Infantil Público Tia Dedé *Merielle Barbosa Lobo São nove meses de expectativa e durante a gestação a barriga cresce e a mãe

Leia mais

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO: mulheres em idade fértil, gestantes, puérperas e bebês com microcefalia

PROTOCOLO DE ATENDIMENTO: mulheres em idade fértil, gestantes, puérperas e bebês com microcefalia PROTOCOLO DE ATENDIMENTO: mulheres em idade fértil, gestantes, puérperas e bebês com microcefalia Boletim Epidemiológico de Microcefalia (até 5 de dezembro) 1.761 casos suspeitos 14 estados 422 municípios

Leia mais

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR PROMOÇÃO DO PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR Ações já realizadas pela ANS desde 2004 Sensibilização do setor, promoção e participação ii em eventos para discussão com especialistas nacionais e internacionais

Leia mais

Cerveja e Risco Cardiovascular

Cerveja e Risco Cardiovascular Cerveja e Risco Cardiovascular Martin Bobak Departmento de Epidemiologia e Saúde Pública University College London Antecedentes Muitos estudos referem o efeito cardio protector do consumo moderado de bebidas

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL

INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL CARNEIRO 1 Cláudia; CAVALVANTI 2 Hannalice; NETA 3 Ivanilde; SOUZA 4 Dayse Centro de Ciências da Saúde /Departamento de

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN Introdução

SÍNDROME DE DOWN Introdução SÍNDROME DE DOWN SÍNDROME DE DOWN Introdução Em 1959 dois pesquisadores, o francês Lejeune e a canadense Jacobson, descobriram, simultaneamente e de forma independente, que indivíduos com o então chamado

Leia mais