Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre"

Transcrição

1 Predição da Pré-eclâmpsia no Primeiro Trimestre JOSÉ PAULO DA SILVA NETTO

2 12w Specialist care 12-34w 22w 36w 41w PIRÂMIDE DE CUIDADO PRÉ-NATAL: PASSADO E PRESENTE

3 Prevenção da pré-eclâmpsia Baixa dose de aspirina a partir de 12 semanas Meta analysis on prophylactic aspirin 31 randomized studies, patients Preeclampsia 0.90 (95% CI ) < 16 wks (n=764) Askie et al, Lancet ( ) 21.3% vs. 9.3% Aspirin <16 wks: early vs late PE Preterm PE 0.11 ( ) Term PE 0.98 ( ) studies (n=556) Roberge et al., 2012 Perinatal death > 16 wks (n=10,584) 0.81 ( ) 8.1% vs. 7.3% < 16 wks (n=923) 0.28 ( ) 0.85% vs. 4.2% 27 studies (11,348 women) > 16 wks (n=9,458) 0.90 ( ) 2.6% vs. 2.9% Bujold et al., Roberge et al., 2012

4 PET & BW <10 th centile (%) Mortality / 100,000 live births The Fetal Medicine no primeiro trimestre PE: espectro da doença dependendo da idade gestacional gestacionale depending on gestational age Decidual arteriolopathy Fetal growth restriction Perinatal death Maternal death 90 % < >36w Normal Gestation at delivery (wks) 100 % Gestation (wks) Gestation at delivery (wks) Moldenhauer et al, 2003 Yu 2007: n=30,775, PET 614 (2%) Mortality USA

5 Uterine artery PI MoM Mean arterial pressure MoM The Fetal Medicine Rastreamento combinado Considerar PE precoce, intemediária e tardia como condições diferentes Desenvolver algoritmos separados para predição de cada tipo de PE Early Middle Late Early Middle Late 2.5 PAPP-A (MoM) 2.5 PLGF (MoM) Akolekar et al., 2011: Prediction of early, intermediate and late preeclampsia from maternal factors, biophysical and biochemical markers at weeks. Prenat Diagn

6 Marcadores biofísicos e bioquímicos Akolekar et al., 2012: Competing risks model in early screening for preeclampsia by biophysical and biochemical markers. Fetal Diagn Ther

7 Modelo de risco competitivo Low risk 0.1% % High risk Gestation at delivery with PE (wks)

8 História obstétrica Nulípara Sem PE em gestação anterior 3 wks Com PE em gestação anterior 3 wks Gestation at delivery with PE (wks)

9 Risco prévio: características maternas e história clínica Low risk % 0.1% High risk Gestation at delivery with PE (wks) Wright et al., 2012: A competing risks model in early screening for preeclampsia. Fetal Diagn Ther Age: every 10 years above 30 yrs Weight: every 10 kg above 70 kg Height: every 10 cm above 164 cm Racial origin Caucasian Afro-Caribbean South Asian Previous obstetric history Nulliparous Parous with preeclampsia Parous with no preeclampsia Mother had preeclampsia Conception spontaneous in vitro fertilization Chronic hypertension Type 1 diabetes mellitus Systemic lupus erythematosus Effect on mean time (weeks)

10 Doppler da artéria uterina com sem: Metodologia Via transabdominal Identificar artérias uterinas: - corte sagital do colo - mapeamento colorido - mover transdutor de um lado para o outro - Artérias estão ao nível do OI colo uterino Tamanho da amostra: 2 mm para cobrir todo o vaso Ângulo de insonação: menor que 30º Pico de velocidade sistólica: maior que 60 cm/s PI médio: média (direito + esquerdo / 2)

11 Uterine artery PI The Fetal Medicine IP da artéria uterina expresso como MoMs Fetal crown rump length (mm) 95th 50th 5th Distribution of MoMs in PE 1,245 of 45,885 (2.7%) Weight 70 kg 90 kg 110 kg Gestation 11 wks 12 wks 13 wks Race Caucasian AfroCaribbean Odds ratio (95% CI)

12 Detection rate for PE<34w at FPR 10% The Fetal Medicine Risco prévio e IP da artéria uterina Age: every 10 years Weight: every 10 kg Height: every 10 cm Racial origin Caucasian Afro-Caribbean South Asian % Previous obstetric history Nulliparous Parous with PE Parous with no PE Mother had PE Conception spontaneous in vitro fertilization C hypertension Type 1 DM SLE Effect on mean time (weeks) History Uterine PI

13 Pressão arterial média com sem Modelo: Automatizado (3BTO-A2, Microlife, Taipei, Taiwan), calibrado em intervalos regulares. Método: Mulheres em repouso por 5 minutos, braços ao nível do coração. Tamanho: Pequeno (<22 cm), normal (22-32 cm) or grande (33-42 cm), dependendo da circunferência média do braço. Ambos os braços: Tomar a média de duas medidas em cada braço.

14 MAP (mm Hg) The Fetal Medicine Pressão arterial média expressa como MoMs th 50th 5th Distribution of MoMs in PE 979 of 35,215 (2.8%) Fetal crown rump length (mm) Weight 40 kg 70 kg 80 kg 120 kg Odds ratio (95% CI)

15 Detection rate for PE<34w at FPR 10% The Fetal Medicine Risco prévio e rastreamento biofísico Age: every 10 years Weight: every 10 kg Height: every 10 cm % Racial origin Caucasian Afro-Caribbean South Asian Previous obstetric history Nulliparous Parous with PE Parous with no PE % 73% Mother had PE Conception spontaneous in vitro fertilization C hypertension Type 1 DM SLE Effect on mean time (weeks) 10 0 History Uterine PI MAP All

16 PAPP-A sérica materna (MoMs) com sem Afro Caribbean 9-10 wks 11 wks 12 wks wks South Asian East Asian Distribution of MoMs in PE 1,426 of 58,884 (2.4%) Weight 50 kg 70 kg 90 kg Nulliparity IVF Diabetes type 2 Smoking PAPP-A MoM

17 PLGF sérica materna (MoMs) com sem Afro-Caribbean <10 w 11 w 12 w >13 w South Asian East Asian Age Weight 20 y 30 y 40 y 50 kg 70 kg 90 kg Nulliparity Conception by IVF Diabetes mellitus Smoking <10 w 11 w 12 w >13 w Distribution of MoMs in PE 385 of 14,252 (2.7%) Serum placental growth factor (MoM)

18 Detection rate for PE<34w at FPR 10% The Fetal Medicine Risco prévio e rastreamento bioquímico % 74% 60 55% History PAPP-A PLGF All

19 Detection rate for PE<34w at FPR 10% The Fetal Medicine História materna + rastreamento biofísico e bioquímico % 96% % History Uterine PI MAP Uterine PI & MAP PAPP-A PLGF PAPP-A & PLGF Uterine PI MAP & PAPP-A Uterine PI MAP & PLGF Biophysical test Biochemical test Combined test Uterine PI MAP PAPP-A & PLGF

20

21

22

23

24 The 46º Fetal Medicine Congresso de Ginecologia e Obstetrícia do Distrito Federal PREDIÇÃO DA PRÉ-ECLAMPSIA NO 1º. TRIMESTRE Direto ao ponto: - Oferecer o teste de rastreamento a todas as gestantes na época do exame morfológico de 1º. trimestre. JOSÉ PAULO DA SILVA NETTO

ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS. DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR

ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS. DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR ULTRASSONOGRAFIA EM OBSTETRÍCIA ASPECTOS PRÁTICOS DR. RAFAEL FREDERICO BRUNS Professor Adjunto Departamento de Tocoginecologia - UFPR É necessário fazer ultrassonografia de rotina? Background Many clinicians

Leia mais

Estágio evolutivos do parto prematuro

Estágio evolutivos do parto prematuro Trabalho de parto prematuro vs útero irritável: como agir? Eduardo Borges da Fonseca Estratégia na prevenção do parto prematuro Estágio evolutivos do parto prematuro Estágio I presença de fatores de riscos

Leia mais

Resumo A pré-eclâmpsia é um grave problema de saúde pública. É a principal

Resumo A pré-eclâmpsia é um grave problema de saúde pública. É a principal revisão sistematizada Doppler das artérias uterinas de primeiro trimestre na predição de pré-eclâmpsia First trimester uterine artery Doppler in the prediction of pre-eclampsia Júlio Augusto Gurgel Alves

Leia mais

FATORES ANGIOGÊNICOS NA PRE-ECLAMPSIA

FATORES ANGIOGÊNICOS NA PRE-ECLAMPSIA Editorial FATORES ANGIOGÊNICOS NA PRE-ECLAMPSIA DR. SERGIO D. BELZARENA MEMBRO DO CONSELHO FISCAL DA LASRA BRASIL Que são fatores angiogênicos? Qualquer tecido em crescimento ou reparação necessita fatores

Leia mais

Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal

Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal Por que monitorar? Especificações r Background Mercado Protection notice / 2010 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. Nov - 2010 Page 2 Elaborado

Leia mais

Rastreio do Diabetes Gestacional. José Pereira Guará jogua@hotmail.com

Rastreio do Diabetes Gestacional. José Pereira Guará jogua@hotmail.com Rastreio do Diabetes Gestacional José Pereira Guará jogua@hotmail.com Intolerância a carboidratos resultando em hiperglicemia de severidade variável cujo início e/ou diagnóstico ocorrem durante a gravidez.

Leia mais

6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL

6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL 6º FÓRUM FEBRABAN DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO SUSTENTABILIDADE NA GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL DUPONT DO BRASIL 21 DE OUTUBRO DE 2009 Drª Lorene Marciano - IHS 2 DUPONT NO BRASIL Presença

Leia mais

Impacto dos polimorfismos dos receptores da progesterona (PGR) e do hormônio folículo estimulante (FSHR) na ocorrência de parto prematuro.

Impacto dos polimorfismos dos receptores da progesterona (PGR) e do hormônio folículo estimulante (FSHR) na ocorrência de parto prematuro. VII Congresso Catarinense de Ginecologia e Obstetrícia II Congresso Catarinense de Perinatologia Impacto dos polimorfismos dos receptores da progesterona (PGR) e do hormônio folículo estimulante (FSHR)

Leia mais

ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM EM EMERGÊNCIA ÍRIA CRUZ PIMENTEL

ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM EM EMERGÊNCIA ÍRIA CRUZ PIMENTEL ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM EM EMERGÊNCIA ÍRIA CRUZ PIMENTEL RELAÇÃO DA ETNIA COM A HIPERTENSÃO ARTERIAL EM PACIENTES RESGISTRADOS NO PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE HIPERTENSOS E DIABÉTICOS

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PARTOS E EVENTOS PERINATAIS NO HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL FRANCISCO MORATO DE OLIVEIRA (HSPE FMO)

AVALIAÇÃO DOS PARTOS E EVENTOS PERINATAIS NO HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL FRANCISCO MORATO DE OLIVEIRA (HSPE FMO) Science in Health set-dez 2014; 5(3): 136-140 AVALIAÇÃO DOS PARTOS E EVENTOS PERINATAIS NO HOSPITAL DO SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL FRANCISCO MORATO DE OLIVEIRA (HSPE FMO) Review of parturition and perinatal

Leia mais

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 É preciso dosar e repor vitamina D no pré-natal? A dosagem de vitamina D pelos métodos mais amplamente disponíveis é confiável?

Leia mais

Alexandra Miranda*, Cátia Azevedo**, Alexandra Cadilhe***, Isabel Reis****

Alexandra Miranda*, Cátia Azevedo**, Alexandra Cadilhe***, Isabel Reis**** Original study/estudo original Association between biochemical screening for fetal aneuploidy in the first trimester and adverse obstetric outcomes Associação entre o rastreio bioquímico de aneuploidias

Leia mais

DEFICIÊNCIA DE GH????

DEFICIÊNCIA DE GH???? I JORNADA DE ENDOCRINOLOGIA PEDIÁTRICA DO RIO GRANDE DO NORTE Durval Damiani Prof. Livre-Docente da Unidade de Endocrinologia Pediátrica Instituto da Criança - HC - FMUSP CRIANÇA BAIXA = DEFICIÊNCIA DE

Leia mais

PREDIÇÃO DA PRÉ-ECLÂMPSIA PELO MUNDO: FAZEMOS IGUAL?

PREDIÇÃO DA PRÉ-ECLÂMPSIA PELO MUNDO: FAZEMOS IGUAL? PREDIÇÃO DA PRÉ-ECLÂMPSIA PELO MUNDO: FAZEMOS IGUAL? VASCONCELLOS, Marcus Jose do Amaral. Docente do Curso de Graduação em Medicina UNIFESO. SANTOS, Érica Magalhães. Discente do Curso de Graduação em Medicina

Leia mais

FATORES DE RISCOS OBSTÉTRICOS E NEONATAIS PARA OCORRÊNCIA DE PREMATURIDADE NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR

FATORES DE RISCOS OBSTÉTRICOS E NEONATAIS PARA OCORRÊNCIA DE PREMATURIDADE NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 FATORES DE RISCOS OBSTÉTRICOS E NEONATAIS PARA OCORRÊNCIA DE PREMATURIDADE NO MUNICÍPIO DE MARINGÁ-PR Willian Augusto de Melo 1 ; Francislaine Men Castellini

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE OS DESVIOS DE CRESCIMENTO FETAL/NEONATAL E ALTERAÇÕES MACROSCÓPICAS PLACENTÁRIAS NA GESTAÇÃO DE ALTO RISCO

RELAÇÃO ENTRE OS DESVIOS DE CRESCIMENTO FETAL/NEONATAL E ALTERAÇÕES MACROSCÓPICAS PLACENTÁRIAS NA GESTAÇÃO DE ALTO RISCO RELAÇÃO ENTRE OS DESVIOS DE CRESCIMENTO FETAL/NEONATAL E ALTERAÇÕES MACROSCÓPICAS PLACENTÁRIAS NA GESTAÇÃO DE ALTO RISCO Resultados Preliminares Wilzianne Silva RAMALHO, Ana Karina Marques SALGE, Raphaela

Leia mais

Avaliação do Risco para Parto Prematuro Espontâneo pelo Comprimento do Colo Uterino no Primeiro e Segundo Trimestres da Gravidez

Avaliação do Risco para Parto Prematuro Espontâneo pelo Comprimento do Colo Uterino no Primeiro e Segundo Trimestres da Gravidez RBGO 24 (7): 463-468, 2002 Avaliação do Risco para Parto Prematuro Espontâneo pelo Comprimento do Colo Uterino no Primeiro e Segundo Trimestres da Gravidez Risk Assessment for Spontaneous Preterm Delivery

Leia mais

The epidemiological situation of hepatitis C in Portugal

The epidemiological situation of hepatitis C in Portugal The epidemiological situation of hepatitis C in Portugal Paula Peixe Serviço de Gastrenterologia Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental, EPE Hospital Egas Moniz Director: Dr Leopoldo Matos Summary Estimated

Leia mais

Relação linear inversa entre envelhecimento e renda; Comorbidades e incapacidades baixa renda; Baixa renda está relacionada a cuidados mais precários

Relação linear inversa entre envelhecimento e renda; Comorbidades e incapacidades baixa renda; Baixa renda está relacionada a cuidados mais precários Idiane Rosset-Cruz Doutoranda em Enfermagem Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto Universidade de São Paulo Relação linear inversa entre envelhecimento e renda; Comorbidades e incapacidades baixa renda;

Leia mais

2º Curso Teórico-Prático de Doenças Médicas e Gravidez

2º Curso Teórico-Prático de Doenças Médicas e Gravidez 2º Curso Teórico-Prático de Doenças Médicas e Gravidez Destinatários: Médicos Especialistas e Internos de Especialidade de Ginecologia e Obstetrícia, Medicina Interna, Medicina Geral e Familiar e outras

Leia mais

Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional. DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011

Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional. DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011 Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional Ricardo C Cavalli DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011 Objetivos Topografia da gestação Vitalidade fetal

Leia mais

Poluição Ambiental e Saúde Infantil: a Vulnerabilidade do período Intra-Uterino

Poluição Ambiental e Saúde Infantil: a Vulnerabilidade do período Intra-Uterino Poluição Ambiental e Saúde Infantil: a Vulnerabilidade do período Intra-Uterino Nelson Gouveia Depto. de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina Universidade de São Paulo EVIDÊNCIAS DE EFEITOS DA POLUIÇÃO

Leia mais

XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável

XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável XI Encontro Nacional de Aleitamento Materno I Encontro Nacional de Alimentação Complementar Saudável Fortalecendo a Rede de Promoção, Proteção e Apoio do Aleitamento Materno e da Alimentação Complementar.

Leia mais

Null polymorphism of GSTM1 gene in susceptibility of Breast Cancer: Evidence based on Meta-analysis

Null polymorphism of GSTM1 gene in susceptibility of Breast Cancer: Evidence based on Meta-analysis Null polymorphism of GSTM1 gene in susceptibility of Breast Cancer: Evidence based on Meta-analysis Authors: Daiane de Oliveira Cunha, Paula Lailla Freitas Ribeiro, Xisto Sena Passos, Cesar Augusto Sam

Leia mais

www.forumenfermagem.org

www.forumenfermagem.org Todos os conteúdos apresentados são propriedade dos referidos autores Retirado de: Comunidade On-line de Enfermagem www.forumenfermagem.org Hipertensão Arterial Considera-se se HTA quando a tensão arterial

Leia mais

Prevenção da pré-eclâmpsia

Prevenção da pré-eclâmpsia Prevenção da pré-eclâmpsia Melania Amorim IMIP UFCG melamorim@uol.com.br Homenagem ao meu Pai, Joaquim Amorim Neto, Decano da Faculdade de Medicina da UFCG Professor de inúmeras gerações Eterno estudioso

Leia mais

De D n e s n i s d i a d d a e d e M a M m a á m r á i r a i a c o c m o o m o F a F t a o t r o r d e d e R i R s i c s o c SELMA DE PACE BAUAB

De D n e s n i s d i a d d a e d e M a M m a á m r á i r a i a c o c m o o m o F a F t a o t r o r d e d e R i R s i c s o c SELMA DE PACE BAUAB Densidade Mamária como Fator de Risco SELMA DE PACE BAUAB Densidade Mamária na Mamografia RR > 4,0 : - idade > 65 anos - mutação genética (BRCA 1 / 2) - mais de 2 parentes de primeiro grau com CA de mama

Leia mais

Médicos do Sistema Nacional de Saúde. Divisão de Saúde Reprodutiva (secretariado.dsr@dgs.pt) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.

Médicos do Sistema Nacional de Saúde. Divisão de Saúde Reprodutiva (secretariado.dsr@dgs.pt) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs. EM AUDIÇÃO E TESTE DE APLICABILIDADE ATÉ 30 DE OUTUBRO DE 2011 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: Exames Ecográficos na Gravidez Gravidez ; Ecografia Médicos do Sistema Nacional de Saúde Divisão

Leia mais

First trimester prediction of pre-eclampsia in low risk pregnancies: determining the cut-off in a portuguese group

First trimester prediction of pre-eclampsia in low risk pregnancies: determining the cut-off in a portuguese group Original study/estudo original First trimester prediction of pre-eclampsia in low risk pregnancies: determining the cut-off in a portuguese group Predição de pré-eclâmpsia no primeiro trimestre em gravidezes

Leia mais

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 58 Agosto 2014

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 58 Agosto 2014 NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 58 Agosto 2014 Importância do estudo do doppler da artéria oftálmica na diferenciação de gestantes com préeclâmpsia grave em detrimento, das portadoras de pré-eclâmpsia

Leia mais

Doença periodontal em gestantes e fatores de risco para o parto prematuro

Doença periodontal em gestantes e fatores de risco para o parto prematuro Doença periodontal em gestantes e fatores de risco para o parto prematuro Periodontal disease in pregnant women and risk factors for the preterm birth Micheline Sandini Trentin* Silvana Alba Scortegagna**

Leia mais

UNIVERSIDADE DE STRABOURG

UNIVERSIDADE DE STRABOURG UNIVERSIDADE DE STRABOURG URP/SCLS Unidade de pesquisa em psicologia: Subjetividade, cognição e laço social EA 2071 Dir. Pr. S. LESOURD Faculdade de Psicologia 12, rue Goethe 67000, Strasbourg França Claude

Leia mais

Médicos e obstetrizes: cooperando para melhor assistir o nascimento

Médicos e obstetrizes: cooperando para melhor assistir o nascimento Médicos e obstetrizes: cooperando para melhor assistir o nascimento Edson Borges de Souza Hospital Sofia Feldman Belo Horizonte, MG edsonsouza71@yahoo.com.br Modelos de atenção perinatal Aspectos Visão

Leia mais

Fatores de risco para nascimento de crianças pequenas para idade gestacional Risk factors for small-for-gestational age births among infants in Brazil

Fatores de risco para nascimento de crianças pequenas para idade gestacional Risk factors for small-for-gestational age births among infants in Brazil 24 Rev Saúde Pública 2004;38(1):24-9 Fatores de risco para nascimento de crianças pequenas para idade gestacional Risk factors for small-for-gestational age births among infants in Brazil Ana Maria Krusser

Leia mais

Diabetes mellituséuma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue QUEM DA MAIS?...

Diabetes mellituséuma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue QUEM DA MAIS?... Diabetes mellituséuma doença metabólica caracterizada por um aumento anormal do açúcar ou glicose no sangue QUEM DA MAIS?... Nathan et al. (2005) American Diabetes Association, (2005) 12% da população

Leia mais

Diabetes Gestacional e Hemoglobina A1c Diabetes in pregnancy and Hemoglobin A1c

Diabetes Gestacional e Hemoglobina A1c Diabetes in pregnancy and Hemoglobin A1c REVISTA PORTUGUESA DE ENDOCRINOLOGIA, DIABETES E METABOLISMO 2012 01 15... 20 Artigos Originais Diabetes Gestacional e Hemoglobina A1c Diabetes in pregnancy and Hemoglobin A1c Ana Carocha 1, Cláudia Rijo

Leia mais

PRÉ-ECLÂMPSIA LEVE: COMO ACOMPANHAR E QUANDO INTERROMPER COM SEGURANÇA? Eliane Alves. Serviço do Prof. Marcelo Zugaib

PRÉ-ECLÂMPSIA LEVE: COMO ACOMPANHAR E QUANDO INTERROMPER COM SEGURANÇA? Eliane Alves. Serviço do Prof. Marcelo Zugaib PRÉ-ECLÂMPSIA LEVE: COMO ACOMPANHAR E QUANDO INTERROMPER COM SEGURANÇA? Eliane Alves Serviço do Prof. Marcelo Zugaib PRÉ-ECLÂMPSIA Conceito Desenvolvimento de hipertensão após a 20ª semana de gestação,

Leia mais

Disciplinas: Estágio Docente e Tópicos Avançados em Nefrologia I e II

Disciplinas: Estágio Docente e Tópicos Avançados em Nefrologia I e II Universidade Federal de Juiz de Fora Programa de Pós-Graduação em Saúde Área de Concentração Saúde Brasileira Niepen Núcleo Interdisciplinar de Estudos, Pesquisas e Tratamento em Nefrologia Disciplinas:

Leia mais

Diabetes Mellitus Gestacional em mulheres de baixa renda de uma região da bacia amazônica

Diabetes Mellitus Gestacional em mulheres de baixa renda de uma região da bacia amazônica Diabetes Mellitus Gestacional em mulheres de baixa renda de uma região da bacia amazônica Autor(es): Júlia Maria Martins Vieira 1 ; Kessila Nayane Costa Cruz 1 ; Pâmella Ferreira Rodrigues 1,2 ; Tutor:

Leia mais

Antes da hora. Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos

Antes da hora. Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos 18 fevereiro DE 2015 capa Antes da hora Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos Alice Giraldi e Ricardo Zorzetto ilustração mariana zanetti No início de janeiro o Ministério

Leia mais

Centralização da Circulação Fetal e Resolução Obstétrica

Centralização da Circulação Fetal e Resolução Obstétrica Centralização da Circulação Fetal e Resolução Obstétrica Prof Frederico Vitório Lopes Barroso Setor de Medicina Fetal do Serviço de Obstetrícia e Ginecologia do HUUFMA Útero-placentária Circulação - Art.

Leia mais

Doença renal crônica é um problema de saúde pública no Brasil. Emmanuel A. Burdmann Presidente da SBN

Doença renal crônica é um problema de saúde pública no Brasil. Emmanuel A. Burdmann Presidente da SBN Doença renal crônica é um problema de saúde pública no Brasil Emmanuel A. Burdmann Presidente da SBN 11 março de 2010 Chronic Kidney Disease Course Levey et al, KI 2005 Chronic Kidney Disease Definition

Leia mais

FATORES DE RISCO ASSOCIADOS À PRÉ-ECLÂMPSIA

FATORES DE RISCO ASSOCIADOS À PRÉ-ECLÂMPSIA FATORES DE RISCO ASSOCIADOS À PRÉ-ECLÂMPSIA Barbara Rodrigues Lacerda.Daniele de Fátima de Oliveira Barros,Larissa Aparecida Martins. Raquel Spadotto,Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva,Curso

Leia mais

Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância?

Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância? Diabetes e Hipogonadismo: estamos dando a devida importância? por Manuel Neves-e-Castro,M.D. Clinica de Feminologia Holistica Website: http://neves-e-castro.pt Lisboa/Portugal Evento Cientifico Internacional

Leia mais

O modelo lógico para um protocolo de atendimento à gestante. Gabriele dos Anjos e Isabel Rückert - FEE

O modelo lógico para um protocolo de atendimento à gestante. Gabriele dos Anjos e Isabel Rückert - FEE O modelo lógico para um protocolo de atendimento à gestante Gabriele dos Anjos e Isabel Rückert - FEE Apresentar os resultados da elaboração do modelo lógico para uma política de saúde. Trata-se da iniciativa

Leia mais

AVALIAÇÃO GLOBAL DO IDOSO

AVALIAÇÃO GLOBAL DO IDOSO VII Curso da ALMA Manaus 2008 Academia Latinoamericana de Medicina del Adulto Mayor CARACTERÍSTICAS DAS ENFERMIDADES EM MEDICINA GERIÁTRICA: AVALIAÇÃO GLOBAL DO IDOSO Wilson Jacob Filho wiljac@usp.br Disciplina

Leia mais

Boletim Científico. Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar.

Boletim Científico. Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar. Boletim Científico SBCCV 01/09/2014 Número 04 Preditores de disfunção ventricular esquerda, após plastia mitral: efeitos da fibrilação atrial e hipertensão pulmonar. Predicting early left ventricular dysfunction

Leia mais

PREVENÇÃO DA RETINOPATIA DA PREMATURIDADE: João Borges Fortes Filho

PREVENÇÃO DA RETINOPATIA DA PREMATURIDADE: João Borges Fortes Filho FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE PREVENÇÃO DA RETINOPATIA DA PREMATURIDADE: A VISÃO DO OFTALMOLOGISTA João Borges Fortes Filho MESTRE,

Leia mais

COMUNICAÇÃO ORAL ALEITAMENTO MATERNO E PESO À NASCENÇA FATORES PROTETORES OU DE RISCO PARA A OBESIDADE INFANTIL? - ESTUDO COSI PORTUGAL 2010

COMUNICAÇÃO ORAL ALEITAMENTO MATERNO E PESO À NASCENÇA FATORES PROTETORES OU DE RISCO PARA A OBESIDADE INFANTIL? - ESTUDO COSI PORTUGAL 2010 COMUNICAÇÃO ORAL ALEITAMENTO MATERNO E PESO À NASCENÇA FATORES PROTETORES OU DE RISCO PARA A OBESIDADE INFANTIL? - ESTUDO COSI PORTUGAL 2010 Joana Baleia 1,2, Ana Valente 2 e Ana Rito 1,3 1 Centro de Estudos

Leia mais

Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) - Relatório n 115. Recomendação Final

Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) - Relatório n 115. Recomendação Final TESTE DO CORAÇÃOZINHO (OXIMETRIA DE PULSO) NA TRIAGEM NEONATAL Demandante: Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde SAS/MS Contexto A Política de Atenção Integral à Saúde da Criança prevê entre

Leia mais

Vacinas contra HPV. Fábio Russomano

Vacinas contra HPV. Fábio Russomano Vacinas contra HPV Curso de Atualização em Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia ABG RJ Instituto de Ginecologia da UFRJ 20 de junho de 2009 Fábio Russomano Sumário Cenário do Câncer de Colo

Leia mais

Fernando Ferrito, Andrea Furtado Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca E.P.E Eduardo Carrasquinho Hospital Divino Espírito Santo, Évora E.P.

Fernando Ferrito, Andrea Furtado Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca E.P.E Eduardo Carrasquinho Hospital Divino Espírito Santo, Évora E.P. Fernando Ferrito, Andrea Furtado Hospital Prof. Dr. Fernando Fonseca E.P.E Eduardo Carrasquinho Hospital Divino Espírito Santo, Évora E.P.E XVII Workshop de Urologia Oncológica Braga, April,13 th CaP é

Leia mais

Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida - Portugal HIV AIDS. Portugal. Henrique Barros

Coordenação Nacional para a Infecção VIH/sida - Portugal HIV AIDS. Portugal. Henrique Barros HIV AIDS Portugal Henrique Barros 70.0 % 60.0 50.7% Heterosexual 64.9% 50.0 40.0 30.0 29.1% IDU 20.0 10.0 11.1% MSM 20.2% 14.0% 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 AIDS number of cases Portugal

Leia mais

TRH E CÂNCER DE MAMA FONTE:

TRH E CÂNCER DE MAMA FONTE: VALÉRIA COUTINHO FONTE: SINTOMAS (precoces) ACHADOS FÍSICOS (Intermediárias) DOENÇAS (Tardias) Fogacho Insônia Irritabilidade Distúrbio do humor Atrofia vaginal Incontinência urinária Atrofia da pele Osteoporose

Leia mais

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011

NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 NÚMERO: 007/2011 DATA: 31/01/2011 ASSUNTO: PALAVRAS-CHAVE: PARA: CONTACTOS: Diagnóstico e conduta na Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional; Diabetes; Gravidez Profissionais de Saúde Divisão de Saúde

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Características clínico-laboratoriais da pré-eclâmpsia em gestantes atendidas pelo sistema Único de saúde em Balneário Camboriú-SC Larissa Pucci Vieira LARISSA PUCCI VIEIRA

Leia mais

Recém-nascido de termo com baixo peso

Recém-nascido de termo com baixo peso Reunião de Obstetrícia e Neonatologia Abril 2014 Recém-nascido de termo com baixo peso Departamento da Mulher, da Criança e do Jovem Unidade Local de Saúde de Matosinhos - ULSM Andreia A. Martins 1, Ângela

Leia mais

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza Treinamento de Força e Diabetes Ms. Sandro de Souza Taxa de prevalência de Diabetes Mellitus Período: 2009 Relevância Diagnóstico de DIABETES MELLITUS Diabetes Care. 2007;30:S4 41. Resistência a Insulina

Leia mais

25 de Abril 5ª feira Sessão Televoter Medicina Nuclear: Exames relevantes na Medicina Familiar e Medicina Interna

25 de Abril 5ª feira Sessão Televoter Medicina Nuclear: Exames relevantes na Medicina Familiar e Medicina Interna 2013 25 de Abril 5ª feira Sessão Televoter Medicina Nuclear: Exames relevantes na Medicina Familiar e Medicina Interna Guilhermina Cantinho Pedro Carrilho António Pedro Machado Infecção urinária recurrente

Leia mais

Avastin em ROP: BEAT-ROP e a possibilidade de recidiva tardia da neovascularização. João Borges Fortes Filho

Avastin em ROP: BEAT-ROP e a possibilidade de recidiva tardia da neovascularização. João Borges Fortes Filho FACULDADE DE MEDICINA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE Avastin em ROP: BEAT-ROP e a possibilidade de recidiva tardia da neovascularização João Borges Fortes

Leia mais

DIAGNÓSTICO DO PARTO PRÉ-TERMO

DIAGNÓSTICO DO PARTO PRÉ-TERMO DIAGNÓSTICO DO PARTO PRÉ-TERMO ASPECTOS CLÍNICOS E ECOGRÁFICOS Miguel Branco MBB -CHC Definição é clínica: Contractilidade uterina com alteração características do colo ( mais específico se > 6 /h e >

Leia mais

original article/artigo original

original article/artigo original original article/artigo original obstetric outcome of twin pregnancies conceived by in vitro fertilization (ivf) and ovulation induction compared with those conceived spontaneously. resultado do obstétrico

Leia mais

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP)

TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP) TROMBOSE VENOSA PROFUNDA (TVP) José de Arimatea Barreto Os fenômenos tromboembólicos incidem em 0,2% a 1% durante o ciclo gravídico-puerperal. Metade das tromboses venosas é identificada antes do parto

Leia mais

Centralização cerebral materna na pré-eclâmpsia: revisão sistemática

Centralização cerebral materna na pré-eclâmpsia: revisão sistemática REVISÃO Centralização cerebral materna na préeclâmpsia: revisão sistemática Maternal cerebral centralization in preeclampsia: systematic review Glaucimeire Marquez Franco 1 Cynthia Roberta Torres Barros

Leia mais

CURVA ROC Como fazer e interpretar no SPSS Paulo R. Margotto

CURVA ROC Como fazer e interpretar no SPSS Paulo R. Margotto CURVA ROC Como fazer e interpretar no SPSS Paulo R. Margotto Professor do Curso de Medicina da Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS)/SES/DF www.paulomargotto.com.bt pmargotto@gmail.com Muitos exames

Leia mais

ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM OBSTÉTRICA TAÍS GONZAGA TAVARES

ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM OBSTÉTRICA TAÍS GONZAGA TAVARES ATUALIZA ASSOCIAÇÃO CULTURAL ENFERMAGEM OBSTÉTRICA TAÍS GONZAGA TAVARES IMPORTÂNCIA DA ASSISTÊNCIA DO ENFERMEIRO NA PREVENÇÃO DO CÂNCER DE COLO UTERINO. SALVADOR BAHIA 2012 TAÍS GONZAGA TAVARES IMPORTÂNCIA

Leia mais

AULA 03 Resumos e Gráficos de Dados

AULA 03 Resumos e Gráficos de Dados 1 AULA 03 Resumos e Gráficos de Dados Ernesto F. L. Amaral 17 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro: LTC.

Leia mais

Rastreamento Populacional. Maria Isabel do Nascimento Instituto de Saúde Coletiva - UFF

Rastreamento Populacional. Maria Isabel do Nascimento Instituto de Saúde Coletiva - UFF Rastreamento Populacional de Câncer Maria Isabel do Nascimento Instituto de Saúde Coletiva - UFF Roteiro de aula Aspectos relacionados ao rastreamento de câncer Exercícios introdutórios Desenvolvimento

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE ENFERMAGEM NA EDUCAÇÃO EM SAÚDE Á GESTANTES COM DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECIFICA DA GESTAÇÃO - DHEG

ORIENTAÇÃO DE ENFERMAGEM NA EDUCAÇÃO EM SAÚDE Á GESTANTES COM DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECIFICA DA GESTAÇÃO - DHEG ORIENTAÇÃO DE ENFERMAGEM NA EDUCAÇÃO EM SAÚDE Á GESTANTES COM DOENÇA HIPERTENSIVA ESPECIFICA DA GESTAÇÃO - DHEG Daniela Cristina Zanotti Aline Zambom Helen Cristina Ferrato da Cruz Orientadora: Ludmila

Leia mais