Rastreio Pré-Natal na Região Norte

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Rastreio Pré-Natal na Região Norte"

Transcrição

1 REUNIÃO MAGNA DAS UNIDADES COORDENADORAS FUNCIONAIS Rastreio Pré-Natal na Região Norte Oferta do rastreio - Análise da situação Maria do Céu Rodrigues Comissão Técnica Regional de Diagnóstico Pré-Natal 26/02/2014

2 Programa Nacional de Diagnóstico Pré-Natal Protocolo I = Eco 1º trimestre Rastreio combinado (tri 21) Protocolo II = Eco morfológica Consulta de avaliação de risco Medição da TN Protocolo III = I + II Coração fetal

3 Gravidez de baixo risco aquela em que não é possível identificar, após avaliação clínica do risco pré-natal baseada na escala de Goodwin modificada, nenhum fator acrescido de morbilidade materna, fetal e/ou neonatal. DGS - Norma nº 37 /2011 de 30/09/2011 atualizada a 20/12/2013

4 Protocolo I => Eco 1º trimestre objetivos nº de fetos e placentas / corionicidade (gravidez múltipla) datar gravidez (CCC) medida da translucência da nuca frequência cardíaca anatomia do feto anexos fetais DGS - Norma nº 23 /2011 de 29/09/2011 atualizada a 21/5/2013

5 Método de rastreio IM e TN entre semanas Taxa de deteção de Trissomia 21 (TD) 70 80% (taxa de falsos positivos 5%) Importância da correta medição da TN certificação, recertificação

6 Protocolo I = Eco 1º trimestre Rastreio combinado (tri 21) PAAP-A, β hcg livre CCC* + FC** + TN + IM + PAAP-A + β hcg livre Base de dados informatizada Risco de trissomia 21 * Comprimento crâneo caudal Screening by a combination of fetal nuchal translucency and maternal serum free-β-human chorionic gonadotrophin and pregnancy-associated plasma protein-a can identify about 90% of fetuses with trisomy 21 and other major aneuploidies for a false-positive rate of 5%. Screening for fetal aneuploidies at 11 to 13 weeks Kypros H. Nicolaides; Prenat Diagn 2011; 31: 7 15.

7 Protocolo I Se risco > cut-off: ex. diagnóstico BVC / amniocentese estudo do cariótipo Se anomalia morfológica grave: apresentação do diagnóstico/ discussão do prognóstico Trissomia 21 Acrania

8 Protocolo I Objetivos: Rastreio de anomalias cromossómicas Diagnóstico de malformações graves / incompatíveis com a vida Tranquilizar grávidas / casais

9 Protocolo I Objetivos: Rastreio de anomalias cromossómicas Diagnóstico de malformações graves / incompatíveis com a vida Tranquilizar grávidas / casais Ganhos colaterais: Datar a gravidez corretamente Se o Protocolo se estender a toda a população diminuição do nº de exames invasivos (BVC/amniocentese) diminuição das perdas fetais diminuição de custos económicos

10 Protocolo II = Eco morfológica + Consulta de avaliação de risco

11 Protocolo II => Eco morfológica objetivos nº de fetos e placentas avaliação da morfologia fetal atividade cardíaca / motora biometria fetal placenta e liquido amniótico cordão umbilical inserção e nº de vasos Inserção do cordão umbilical DGS - Norma nº 23 /2011 de 29/09/2011 atualizada a 21/5/2013 Face fetal

12 Protocolo II - Eco morfológica => Anomalia fetal / anexos: Apresentação do diagnóstico ECD indicados Discussão do prognóstico + - Consulta de Avaliação de Risco CIV

13 Protocolo II - Eco morfológica => Anomalia fetal / anexos: Apresentação do diagnóstico ECD indicados Discussão do prognóstico + - Consulta de Avaliação de Risco Vigilância no Hospital Vigilância no CS/ USF

14 Protocolo II Objetivos: Identificação de malformações fetais ( 2%) incompatíveis com a vida associadas a elevada morbilidade pós natal suscetíveis de tratamento intrauterino tratamento pós natal Tranquilizar grávidas / casais vigilância da gravidez num ambiente mais familiar /mais próximo Pé boto

15 Protocolo II Objetivos e Ganhos Estima-se uma prevalência de malformações fetais de cerca de 2% e uma taxa global de deteção pré-natal de cerca de 45% (15-85,3%). Existe, no entanto, uma grande variação na sensibilidade da ecografia para a deteção de malformações fetais, consoante os diferentes estudos, que poderá ser explicada: pelo tipo de anomalia, pela idade gestacional à data da ecografia, pela técnica do ecografista e pela qualidade do equipamento utilizado. DGS - Norma nº 23 /2011 de 29/09/2011 atualizada a 21/5/2013 A nível hospitalar investimento na formação ecográfica/certificação profissionais no parque de ecógrafos

16 Protocolo I / Protocolo II Janela de oportunidade - Feto /RN - Famílias - Instituições de saúde - Sociedade

17 Protocolo I / Protocolo II Janela de oportunidade - Feto /RN tt in útero vigilância e ocasião do parto programação do local do parto e tt pós natal Feto com patologia / criança saudável - Famílias - Instituições de saúde - Sociedade

18 Protocolo I / Protocolo II Janela de oportunidade - Feto /RN - Famílias tranquilizar vigilância da gravidez com o seu médico preparação dos casais - Instituições de saúde - Sociedade

19 Protocolo I / Protocolo II Janela de oportunidade - Feto /RN - Famílias Instituições de saúde benefício económico datar gravidez (taxa cesarianas) fidelizar grávidas - Sociedade

20 Protocolo I / Protocolo II Janela de oportunidade - Feto /RN - Famílias - Instituições de saúde - Sociedade Diminuição de custos diretos e indiretos

21 Programa Nacional de Diagnóstico Pré-Natal De acordo com os seus recursos, cada Instituição opta por contratualizar um dos três tipos de Protocolos, que incluem a realização de: 1. Ecografia do 1º trimestre conjugada com rastreio bioquímico do 1º T - 2. Ecografia do 2º trimestre conjugada com consulta de risco obstétrico - 3. Protocolo I e protocolo II Circular Normativa N.º 5 de da ACSS Contrato-Programa 2007 Diagnóstico Pré-Natal

22 Comissão Técnica Regional de Diagnóstico Pré-Natal Todos os Hospitais, Centros Hospitalares, Unidades Locais Saúde com ou sem CDPN oficialmente reconhecidos e onde se praticam atividades de DPN na região Norte Protocolo I a todas as grávidas de todas as Unidades de Saúde

23 Comissão Técnica Regional de Diagnóstico Pré-Natal Todos os Hospitais, Centros Hospitalares, Unidades Locais Saúde com ou sem CDPN oficialmente reconhecidos e onde se praticam atividades de DPN na região Norte Protocolo I a todas as grávidas de todas as Unidades de Saúde Protocolo II

24 Disponibilizar Programa com equidade Acesso fácil Meios humanos / Meios técnicos Ter conhecimento do Programa Enviar as grávidas atempadamente Boa comunicação entre equipes de cuidados primários e diferenciados

25 Os valores fundamentais sobre os quais se fundamentam o Sistema de Saúde são a universalidade, o acesso a cuidados de qualidade, a equidade e a solidariedade. Os valores orientadores do Plano nacional de Saúde (PNS) são os da excelência técnico-científica, transparência, participação e envolvimento dos atores do Sistema de Saúde Português.

REUNIÃO MAGNA DAS UNIDADES COORDENADORAS FUNCIONAIS

REUNIÃO MAGNA DAS UNIDADES COORDENADORAS FUNCIONAIS REUNIÃO MAGNA DAS UNIDADES COORDENADORAS FUNCIONAIS Rastreio Pré-Natal na Região Norte Equidade do acesso ao rastreio Comissão Técnica Regional de Diagnóstico Pré-Natal 26/02/2014 REUNIÃO MAGNA DAS UNIDADES

Leia mais

TÉCNICAS INVASIVAS DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA FETAL

TÉCNICAS INVASIVAS DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA FETAL TÉCNICAS INVASIVAS DE DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA FETAL Texto da responsabilidade do Centro de Diagnóstico Prénatal da Maternidade Dr. Alfredo da Costa. Última revisão: Janeiro 2003 AMNIOCENTESE E CORDOCENTESE

Leia mais

PROTOCOLO DE VIGILÂNCIA DE SAÚDE MATERNA

PROTOCOLO DE VIGILÂNCIA DE SAÚDE MATERNA PROTOCOLO DE VIGILÂNCIA DE SAÚDE MATERNA M. Céu Almeida UCF CHUC PROGRAMA DE FORMAÇÃO em SAÚDE MATERNA Atualizações em obstetrícia e neonatologia Janeiro / Fevereiro 2017 1990 Despacho 6/1991 Despacho

Leia mais

BENEFÍCIOS E LIMITAÇÕES DO ULTRASSOM MORFOLÓGICO FETAL

BENEFÍCIOS E LIMITAÇÕES DO ULTRASSOM MORFOLÓGICO FETAL BENEFÍCIOS E LIMITAÇÕES DO ULTRASSOM MORFOLÓGICO FETAL HÉRBENE JOSÉ FIGUINHA MILANI Mestre e Doutorando em ciências - UNIFESP Fellowship em Neurologia Fetal pela Tel-Aviv University - Israel Médico colaborador

Leia mais

UCF da ULS de Castelo Branco. 25º aniversário das UCFs

UCF da ULS de Castelo Branco. 25º aniversário das UCFs UCF da ULS de Castelo Branco 25º aniversário das UCFs Coimbra, 19 de junho de 2015 Área geográfica da ULS COMPOSIÇÃO Coordenador - Dr. Carlos Rodrigues Vertente Materna e Neonatal Vertente Criança e Adolescente

Leia mais

Rastreamento da Síndrome de Down com Uso de Escore de Múltiplos Parâmetros Ultra-sonográficos

Rastreamento da Síndrome de Down com Uso de Escore de Múltiplos Parâmetros Ultra-sonográficos RBGO 20 (9): 525-531, 1998 com Uso de Escore de Múltiplos Parâmetros Ultra-sonográficos Trabalhos Originais Ultrasound Screening for Down Syndrome Using a Multiparameter Score Victor Bunduki, Rodrigo Ruano,

Leia mais

premium Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno

premium Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Software de resultados BGI com marca CE (Conformidade Europeia) para a trissomia 21 Detecta as trissomias fetais dos cromossomos 21, 18 e 13 Informa sobre as trissomias fetais 9, 16 e 22 Informa sobre

Leia mais

Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno

Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Teste de Triagem Pré-natal Não Invasivo em sangue materno Software de resultados BGI com marca CE (Conformidade Europeia) para a trissomia 21 Detecta as trissomias fetais dos cromossomos 21, 18 e 13 Informa

Leia mais

Aconselhamento Genético e Diagnóstico Pré-natal

Aconselhamento Genético e Diagnóstico Pré-natal Aconselhamento Genético e Diagnóstico Pré-natal O aconselhamento genético constitui-se de um processo de comunicação que trata dos problemas humanos associados com a ocorrência, ou risco de ocorrência

Leia mais

* Depende do protocolo da Unidade Coordenadora Funcional

* Depende do protocolo da Unidade Coordenadora Funcional PROTOCOLO DE VIGILÂNCIA MATERNO-FETAL Consulta Pré-concepção Médico de Familia GRAVIDEZ S/RISCO Médico de Família GRAVIDEZ DE RISCO Médico de Medicina Materno-Fetal Consulta de Referência HAP ou HAPD Consulta

Leia mais

Gravidez após os 40 Anos

Gravidez após os 40 Anos Gravidez após os 40 Anos Helena Gonçalves Serviço de Obstetrícia MDM / CHUC PROGRAMA DE FORMAÇÃO em SAÚDE MATERNA Atualizações em obstetrícia e neonatologia Janeiro / Fevereiro 2017 Gravidez após os 40

Leia mais

Dissertação do Mestrado Integrado em Medicina. Artigo de Investigação Médica

Dissertação do Mestrado Integrado em Medicina. Artigo de Investigação Médica Dissertação do Mestrado Integrado em Medicina Artigo de Investigação Médica SENSIBILIDADE DO RASTREIO PRÉ-NATAL DE TRISSOMIA 21 NAS GRÁVIDAS NO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO MATERNIDADE JÚLIO DINIS Filipa

Leia mais

COMISSÃO REGIONAL DA SAÚDE DA MULHER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL Hospital Sousa Martins Guarda, 1 de Julho 2010

COMISSÃO REGIONAL DA SAÚDE DA MULHER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL Hospital Sousa Martins Guarda, 1 de Julho 2010 COMISSÃO REGIONAL DA SAÚDE DA MULHER DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL Hospital Sousa Martins Guarda, 1 de Julho 2010 Ordem de trabalhos: - Rede de Referência - Composição UCF

Leia mais

O osso nasal como marcador de cromossomopatias

O osso nasal como marcador de cromossomopatias Artigo de Revisão O osso nasal como marcador de cromossomopatias The nasal bone as marker of chromosomal disorders Humberto Nascimento 1, Wellington P Martins 1, 2, Daniela de Abreu Barra 1,2 Osso nasal

Leia mais

UCF COVA DA BEIRA 25º

UCF COVA DA BEIRA 25º UCF COVA DA BEIRA 25º aniversário das UCFs Coimbra, 19 junho 2015 Comissão Regional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente ARS Centro Identificação e Composição Identificação e Composição ACES

Leia mais

Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS

Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS PROTOCOLO GRAVIDEZ SEM RISCO PRÉ-NATAL Médico de Família Consulta de Referência 11-13 semanas 20-22 semanas 28-32 semanas 40 semanas Atenção

Leia mais

NIPT Noninvasive Prenatal Testing

NIPT Noninvasive Prenatal Testing NIPT Noninvasive Prenatal Testing Teste Pré-natal Não invasivo: Qual o seu papel atual na rotina obstétrica? O rastreamento e o diagnóstico pré-natal de cromossomopatias fetais fazem parte da rotina assistencial

Leia mais

Alexandra Miranda*, Cátia Azevedo**, Alexandra Cadilhe***, Isabel Reis****

Alexandra Miranda*, Cátia Azevedo**, Alexandra Cadilhe***, Isabel Reis**** Original study/estudo original Association between biochemical screening for fetal aneuploidy in the first trimester and adverse obstetric outcomes Associação entre o rastreio bioquímico de aneuploidias

Leia mais

Orientações Clínicas para profissionais de saúde. Evolução da taxa de cesarianas em Portugal

Orientações Clínicas para profissionais de saúde. Evolução da taxa de cesarianas em Portugal Orientações Clínicas para profissionais de saúde Evolução da taxa de cesarianas em Portugal Lisa Ferreira Vicente Divisão de Saúde Sexual, Reprodutiva, Infantil e Juvenil Direção-Geral da Saúde Reduzir

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO FETAL

AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO FETAL QUESTIONÁRIO AVALIAÇÃO DO CRESCIMENTO FETAL Obrigado pela sua preciosa colaboração neste estudo. Este questionário pretende recolher dados sobre as atitudes dos clínicos gerais, internos e especialistas

Leia mais

Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional. DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011

Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional. DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011 Marcadores ultrassonográficos e bioquímicos de aneuploidia no primeiro trimestre gestacional Ricardo C Cavalli DGO HCFMRP USP 23 a 26 de março de 2011 Objetivos Topografia da gestação Vitalidade fetal

Leia mais

Recém-nascido de termo com baixo peso

Recém-nascido de termo com baixo peso Reunião de Obstetrícia e Neonatologia Abril 2014 Recém-nascido de termo com baixo peso Departamento da Mulher, da Criança e do Jovem Unidade Local de Saúde de Matosinhos - ULSM Andreia A. Martins 1, Ângela

Leia mais

Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal

Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal Importância do Laboratório Clínico na Análise do Risco Fetal Por que monitorar? Especificações r Background Mercado Protection notice / 2010 Siemens Healthcare Diagnostics Inc. Nov - 2010 Page 2 Elaborado

Leia mais

VI plenário das Unidades Coordenadoras Funcionais

VI plenário das Unidades Coordenadoras Funcionais VI plenário das Unidades Coordenadoras Funcionais UCF da Maternidade Bissaya Barreto Vertente materna e neonatal Coimbra 2013 Unidade Coordenadora Funcional Composição Materno-Neonatal - Dra. Teresa Vicente

Leia mais

Avaliação do desfecho dos conceptos com risco aumentado de ocorrência de anomalias cromossômicas calculado pela medida da translucência nucal

Avaliação do desfecho dos conceptos com risco aumentado de ocorrência de anomalias cromossômicas calculado pela medida da translucência nucal Avaliação do desfecho dos conceptos com risco aumentado de ocorrência de anomalias cromossômicas calculado pela medida da translucência nucal Outcome of fetuses with increased risk of chromosomal anomalies,

Leia mais

Como Conduzir o Recém- Nascido com Malformações. Sessão Clínica da Pediatria Angelina Acosta - FAMEB/UFBA

Como Conduzir o Recém- Nascido com Malformações. Sessão Clínica da Pediatria Angelina Acosta - FAMEB/UFBA Como Conduzir o Recém- Nascido com Malformações Sessão Clínica da Pediatria Angelina Acosta - FAMEB/UFBA Dismorfologia Anomalias Dismórficas Qualquer parte do corpo gravidade variável heterogeneidade etiológica

Leia mais

Rastreamento para Síndrome de Down no Primeiro Trimestre

Rastreamento para Síndrome de Down no Primeiro Trimestre PARTE I GENÉTICA Capítulo 1 Rastreamento para Síndrome de Down no Primeiro Trimestre Fergal D. Malone e Mary E. D Alton Nas últimas décadas, avanços significativos têm sido feitos no rastreamento neonatal

Leia mais

IMPACTO CLÍNICO DA ECOGRAFIA ENTRE AS 10 E AS 13 SEMANAS DE GRAVIDEZ

IMPACTO CLÍNICO DA ECOGRAFIA ENTRE AS 10 E AS 13 SEMANAS DE GRAVIDEZ ARTIGO ORIGINAL AC1~A MÉDICA PORTUGUESA 2002; 15:345-350 IMPACTO CLÍNICO DA ECOGRAFIA ENTRE AS 10 E AS 13 SEMANAS DE GRAVIDEZ MANUELA CUNHA, PEDRO XAVIER, JOSÉ TEIXEIRA-SILVA ALEXANDRA MATIAS, MARINA MOUCHO,

Leia mais

[CRSMCA] Proposta para 2013

[CRSMCA] Proposta para 2013 UCF S-CRSMCA-ARS CENTRO PLANO DE ACÇÃO PARA AS UNIDADES COORDENADORAS FUNCIONAIS Comissão Regional da Saúde da Mulher Criança e Adolescente [CRSMCA] Proposta para 2013 [As Unidades Coordenadoras Funcionais

Leia mais

HIDRÓPSIA FETAL Protocolo de Actuação Clínica

HIDRÓPSIA FETAL Protocolo de Actuação Clínica HIDRÓPSIA FETAL Protocolo de Actuação Clínica APDPN, VII Reunião de Núcleos de Diagnóstico Pré-natal, Viana do Castelo 2005 Protocolo elaborado por Ana Bela Couceiro (Maternidade Bissaya Barreto) Definição:

Leia mais

Medida da Translucência Nucal no Rastreamento de Anomalias Cromossômicas

Medida da Translucência Nucal no Rastreamento de Anomalias Cromossômicas RBGO 24 (3): 167-173, 2002 Medida da Translucência Nucal no Rastreamento de Anomalias Cromossômicas Trabalhos Originais Nuchal Translucency Measurement in the Screening of Chromosomal Abnormalities Carlos

Leia mais

Rastreio para anomalias cromossômicas no primeiro trimestre da gestação

Rastreio para anomalias cromossômicas no primeiro trimestre da gestação KIPROS HERODOTOU NICOLAIDES 1 LUCIANA DE BARROS DUARTE 2 ALESSANDRA CRISTINA MARCOLIM 3 GERALDO DUARTE 4 Rastreio para anomalias cromossômicas no primeiro trimestre da gestação First-trimester screening

Leia mais

Unidade Coordenadora. Comissão Regional da Saúde da Mulher, Criança e Adolescente. Funcional

Unidade Coordenadora. Comissão Regional da Saúde da Mulher, Criança e Adolescente. Funcional Unidade Coordenadora Comissão Regional da Saúde da Mulher, Criança e Adolescente Funcional Seguem-se parte dos slides apresentados no plenário regional das UCF da vertente pediátrica e dos adolescentes.

Leia mais

Risco fetal Testes Preditivos Pré-natais para Síndrome de Down e Malformações do Tubo Neural

Risco fetal Testes Preditivos Pré-natais para Síndrome de Down e Malformações do Tubo Neural Risco fetal Testes Preditivos Pré-natais para Síndrome de Down e Malformações do Tubo Neural 1. Introdução As anomalias congênitas são a segunda causa de mortalidade neonatal e são encontradas em cerca

Leia mais

Glossário. Formas alternativas de um gene no mesmo locus (posição no cromossoma). Uma pessoa herda um alelo do pai e outro alelo da mãe

Glossário. Formas alternativas de um gene no mesmo locus (posição no cromossoma). Uma pessoa herda um alelo do pai e outro alelo da mãe Glossário aborto espontâneo aconselhamento genético alelos aneuploidia anomalia cromossómica autossómico recessivo BRCA cariótipo caso índice citogeneticista Perda gestacional de um feto não viável antes

Leia mais

DIAGNÓSTICO PRÉ NATAL

DIAGNÓSTICO PRÉ NATAL DIAGNÓSTICO PRÉ NATAL RELATÓRIO Atividades de Diagnóstico Pré Natal realizadas nos serviços de saúde em 2011 DIREÇÃO GERAL DA SAÚDE DIVISÃO DE SAÚDE SEXUAL, REPRODUTIVA, INFANTIL E JUVENIL 2013 Ficha técnica

Leia mais

CentoNIPT. Experiência em que pode confiar

CentoNIPT. Experiência em que pode confiar CentoNIPT Experiência em que pode confiar CentoNIPT Experiência em que pode confiar O teste pré-natal convencional para anomalias cromossómicas fetais envolve a biópsia de vilo coriônico ou a amniocentese.

Leia mais

Avaliação ultra-sonográfica do ducto venoso no primeiro trimestre

Avaliação ultra-sonográfica do ducto venoso no primeiro trimestre Artigo de Revisão Avaliação ultra-sonográfica do ducto venoso no primeiro trimestre Ductus venosus ultrasonographic evaluation in the first trimester Renata PSOT da Silva 1, Francisco MP Gallarreta 1,2,

Leia mais

Avaliação da artéria subclávia direita na ecografia do primeiro trimestre

Avaliação da artéria subclávia direita na ecografia do primeiro trimestre António Gonçalo Inocêncio Vila Verde 1 António Costa Braga 1 Daniela Reis Gonçalves 1 Ana Rita Nunes Machado Moreira Galvão 1 Sofia Pina Rodrigues 1 Joana Filipa Figueiredo Macedo 2 Maria do Céu Rodrigues

Leia mais

Microcefalia na atenção básica

Microcefalia na atenção básica Microcefalia na atenção básica Enfoque da Medicina Fetal Dra. Jamile Simas Abi Saab MICROCEFALIA NA ATENÇÃO BÁSICA Microcefalia: malformação congênita em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada.

Leia mais

Análise dos resultados maternos e fetais dos procedimentos invasivos genéticos fetais: um estudo exploratório em Hospital Universitário

Análise dos resultados maternos e fetais dos procedimentos invasivos genéticos fetais: um estudo exploratório em Hospital Universitário ARTIGO ORIGINAL Análise dos resultados maternos e fetais dos procedimentos invasivos genéticos fetais: um estudo exploratório em Hospital Universitário MARIO KOHATSU 1, MÁRIO HENRIQUE BURLACCHINI DE CARVALHO

Leia mais

Assistência ao recémnascido. Prof. Luiza Pineda

Assistência ao recémnascido. Prof. Luiza Pineda Assistência ao recémnascido Prof. Luiza Pineda Ao nascimento: - RN é a termo; - Está respirando ou chorando; - Tônus muscular em flexão; - Sem presença de líquido amniótico; - Boa vitalidade - Não necessita

Leia mais

Reunião Plenária da Comissão Nacional com as CRSMCA. Anfiteatro do Infarmed Lisboa 20 de Novembro de 2013

Reunião Plenária da Comissão Nacional com as CRSMCA. Anfiteatro do Infarmed Lisboa 20 de Novembro de 2013 Reunião Plenária da Comissão Nacional com as CRSMCA Anfiteatro do Infarmed Lisboa 20 de Novembro de 2013 CRSMCA M. Cândida Rebelo Presidente Alda P. Luís Benvinda Bento Representante do CD Helena Cargaleiro

Leia mais

PROTOCOLO UNIFORMIZADO DE ENSINOS DE ENFERMAGEM NA VIGILÂNCIA DA GRAVIDEZ DE BAIXO RISCO

PROTOCOLO UNIFORMIZADO DE ENSINOS DE ENFERMAGEM NA VIGILÂNCIA DA GRAVIDEZ DE BAIXO RISCO PROGRAMA DE FORMAÇÃO em SAÚDE MATERNA Atualizações em obstetrícia e neonatologia Janeiro / Fevereiro 2017 Enf. Ângela Neves Enf. Graça Santos Elementos UCF s Saúde Materna e Neonatal OBJECTIVO Uniformizar

Leia mais

DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO

DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO DIAGNÓSTICO DA GESTAÇÃO Exame no 1º Trimestre - Embrião Normal 24 horas após a fecundação: início da clivagem 3/4 dias: mórula penetração no útero Nidação na fase de blastocisto: 2 camadas Camada externa:

Leia mais

Diagnóstico Prenatal

Diagnóstico Prenatal d i a g n p r e n a t. 2 0 1 3;2 4(4):148 153 Diagnóstico Prenatal w ww.elsevier.es/diagnprenat Original Higroma quístico Diagnóstico pré-natal, prognóstico obstétrico e pediátrico Rita Marquez Passarinho

Leia mais

REGISTO NACIONAL DE AN MALIAS CONGÉNITAS O RENAC Resumo

REGISTO NACIONAL DE AN MALIAS CONGÉNITAS O RENAC Resumo REGISTO NACIONAL DE AN MALIAS CONGÉNITAS O RENAC 2-21 Resumo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, IP Lisboa, 28 de novembro de 214 O REGISTO NACIONAL DE ANOMALIAS CONGÉNITAS MATERIAIS E MÉTODOS

Leia mais

Índice de Figuras Índice das Tabelas

Índice de Figuras Índice das Tabelas Índice de Figuras... 2 Índice das Tabelas... 2 Abreviaturas... 4 Resumo... 5 Preâmbulo O combate ao erro... 6 1 - Nos Registos... 7 2 - Nos Rastreios... 8 3 Nas ecografias... 9 4 Na análise dos dados...

Leia mais

O DESAFIO DA ABORDAGEM DE UMA GESTAÇÃO TRIGEMELAR, A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO Ângela Isabel Oliveira Barbosa Mendes

O DESAFIO DA ABORDAGEM DE UMA GESTAÇÃO TRIGEMELAR, A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO Ângela Isabel Oliveira Barbosa Mendes Dissertação / Artigo tipo Case Report Mestrado Integrado em Medicina O DESAFIO DA ABORDAGEM DE UMA GESTAÇÃO TRIGEMELAR, A PROPÓSITO DE UM CASO CLÍNICO Ângela Isabel Oliveira Barbosa Mendes Orientadora:

Leia mais

Disciplina: Específica

Disciplina: Específica UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO Concurso Público para provimento de vagas de cargos Técnico-Administrativos Edital nº 293/2016 Resultado do julgamento dos recursos interpostos contra as questões

Leia mais

Sinais de alerta na prática clínica critérios de orientação de que o seu paciente pode ter uma condição genética

Sinais de alerta na prática clínica critérios de orientação de que o seu paciente pode ter uma condição genética Sinais de alerta na prática clínica critérios de orientação de que o seu paciente pode ter uma condição genética Sinais de alerta na prática clínica Um ou mais SINAIS DE ALERTA indicam a presença de risco

Leia mais

Médicos do Sistema Nacional de Saúde. Divisão de Saúde Reprodutiva (secretariado.dsr@dgs.pt) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs.

Médicos do Sistema Nacional de Saúde. Divisão de Saúde Reprodutiva (secretariado.dsr@dgs.pt) Departamento da Qualidade na Saúde (dqs@dgs. EM AUDIÇÃO E TESTE DE APLICABILIDADE ATÉ 30 DE OUTUBRO DE 2011 ASSUNTO: PALAVRAS CHAVE: PARA: CONTACTOS: Exames Ecográficos na Gravidez Gravidez ; Ecografia Médicos do Sistema Nacional de Saúde Divisão

Leia mais

SÍNDROME DE DOWN E DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL: PERSPECTIVAS DAS GRÁVIDAS EM RISCO E DAS MÃES DE PORTADORES DE TRISSOMIA 21

SÍNDROME DE DOWN E DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL: PERSPECTIVAS DAS GRÁVIDAS EM RISCO E DAS MÃES DE PORTADORES DE TRISSOMIA 21 INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS ABEL SALAZAR UNIVERSIDADE DO PORTO MESTRADO EM MEDICINA LEGAL SÍNDROME DE DOWN E DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL: PERSPECTIVAS DAS GRÁVIDAS EM RISCO E DAS MÃES DE PORTADORES DE TRISSOMIA

Leia mais

DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL

DIAGNÓSTICO PRÉ-NATAL DIAGNÓSTICO PRÉNATAL RELATÓRIO Actividades realizadas nos serviços de saúde em 9 DIRECÇÃOGERAL DA SAÚDE DIVISÃO DE SAÚDE REPRODUTIVA Ficha técnica Responsável: Lisa Vicente Análise de dados e texto: Lisa

Leia mais

Nuchal translucency on screening for Down syndrome. Palavras chave: Rastreamento; Medição da translucência nucal; Síndrome de Down; Ultrassonografia.

Nuchal translucency on screening for Down syndrome. Palavras chave: Rastreamento; Medição da translucência nucal; Síndrome de Down; Ultrassonografia. Artigo de Revisão O uso da translucência nucal no rastreamento de Síndrome de Down Nuchal translucency on screening for Down syndrome Helena C S de Souza 1, Francisco Mauad Filho 1,2, Wellington P Martins

Leia mais

ULTRASSONOGRAFIA OBSTÉTRICA TRICA E CARDIOPATIAS CONGÊNITAS

ULTRASSONOGRAFIA OBSTÉTRICA TRICA E CARDIOPATIAS CONGÊNITAS ULTRASSONOGRAFIA OBSTÉTRICA TRICA E CARDIOPATIAS CONGÊNITAS ROSA, Rafael Fabiano Machado; ROSA, Rosana Cardoso Manique; ZEN, Paulo Ricardo Gazzola; KOSHIYAMA, Dayane Bohn; VARELLA- GARCIA, Marileila; PASKULIN,

Leia mais

5º COLÓQUIO DE PEDIATRIA do HOSPITAL de FARO. A CNSMCA e os Cuidados de Saúde às Crianças em Portugal. Bilhota Xavier

5º COLÓQUIO DE PEDIATRIA do HOSPITAL de FARO. A CNSMCA e os Cuidados de Saúde às Crianças em Portugal. Bilhota Xavier 5º COLÓQUIO DE PEDIATRIA do HOSPITAL de FARO A CNSMCA e os Cuidados de Saúde às Crianças em Portugal Bilhota Xavier 1 Constituição Pediatras: 8 (3 área neonatal; 1 genética) Obstetras: 4 Cardiologista

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Assunto: Consentimento livre e esclarecido em Diagnóstico Pré-Natal Circular Normativa N.º 16/DSMIA Data: 05/12/2001 Para: A todos os estabelecimentos de saúde

Leia mais

AVALIAÇÃO DA VITALIDADE FETAL

AVALIAÇÃO DA VITALIDADE FETAL FACIMED CAC0AL FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOMÉDICAS - RONDÔNIA DISCIPLINA SAÚDE DA MULHER 7º SEMESTRE AVALIAÇÃO DA VITALIDADE FETAL AVALIAÇÃO DA VITALIDADE FETAL CARDITOCOGRAFIA - CTG Objetivos Conhecer as

Leia mais

Introdução Descrição da condição

Introdução Descrição da condição Introdução Descrição da condição Diabetes mellitus: desordem metabólica resultante de defeito na secreção e\ou ação do hormônio insulina. Consequência primária: hiperglicemia. Crônica: diagnóstico de diabetes.

Leia mais

TUBERCULOSE CONGÉNITA

TUBERCULOSE CONGÉNITA 51 TUBERCULOSE CONGÉNITA A Tuberculose (TB) continua a ser um grave problema de saúde pública a nível nacional e mundial. Em Portugal, a TB não recrudesceu mas a sua incidência mantém-se alta: 42 e 37

Leia mais

A ULTRASSONOGRAFIA EMBRIONÁRIA DEVE DATAR A GESTAÇÃO?

A ULTRASSONOGRAFIA EMBRIONÁRIA DEVE DATAR A GESTAÇÃO? A ULTRASSONOGRAFIA EMBRIONÁRIA DEVE DATAR A GESTAÇÃO? Jorge Telles Introdução: O Comprimento Crânio-Nádega (CCN) do embrião se correlaciona fortemente com a idade gestacional, entretanto são muito freqüentes

Leia mais

CURVA DE REFERÊNCIA PARA A MEDIDA DA TRANSLUCÊNCIA NUCAL NA POPULAÇÃO CAPIXABA*

CURVA DE REFERÊNCIA PARA A MEDIDA DA TRANSLUCÊNCIA NUCAL NA POPULAÇÃO CAPIXABA* Artigo Original França LC, Murta CGV CURVA DE REFERÊNCIA PARA A MEDIDA DA TRANSLUCÊNCIA NUCAL NA POPULAÇÃO CAPIXABA* Luiz Cláudio França 1, Carlos Geraldo Viana Murta 2 Resumo Abstract OBJETIVO: Estudar

Leia mais

Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL

Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL Tanto as patologias como as anomalias que têm origem no período perinatal estão classificadas no capítulo 15 da CID-9-MC e categorias 760 779. LOCALIZAÇÃO

Leia mais

Fluxo Reverso no Duto Venoso: Nova Perspectiva na Detecção de Anomalias Cromossômicas

Fluxo Reverso no Duto Venoso: Nova Perspectiva na Detecção de Anomalias Cromossômicas RBGO 21 (7): 371-376, 1999 Fluxo Reverso no Duto Venoso: Nova Perspectiva na Detecção de Anomalias Cromossômicas Trabalhos Originais Reverse Blood Flow in Ductus Venosus: New Perspective in Detection of

Leia mais

Rastreio pré-natal de Trissomia 21 da idade materna ao século XXI

Rastreio pré-natal de Trissomia 21 da idade materna ao século XXI 2010/2011 Sofia Pina Rodrigues Rastreio pré-natal de Trissomia 21 da idade materna ao século XXI Abril, 2011 Sofia Pina Rodrigues Rastreio pré-natal de Trissomia 21 da idade materna ao século XXI Mestrado

Leia mais

Colégio de Ginecologia/Obstetrícia

Colégio de Ginecologia/Obstetrícia Colégio de Critérios de Idoneidade Formativa Com a implementação das alterações havidas no Regime do Internato de Obstetrícia/Ginecologia consubstanciadas no novo Programa de Internato da Portaria n 129/2005,

Leia mais

Técnicas utilizadas para estudo citogenético clínico. Prof. Dr. Bruno Lazzari de Lima

Técnicas utilizadas para estudo citogenético clínico. Prof. Dr. Bruno Lazzari de Lima Técnicas utilizadas para estudo citogenético clínico Prof. Dr. Bruno Lazzari de Lima Citogenética Clínica Estudo do cromossomo aplicado à prática da genética médica. 40 anos atrás Distúrbios cromossômicos

Leia mais

AULA Rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade

AULA Rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade AULA 10 A Rede Cegonha Implementada em 2011, a Rede Cegonha é uma Rede de cuidados que assegura às MULHERES o direito ao planejamento reprodutivo, à atenção humanizada à gravidez, parto e puerpério, e

Leia mais

ÓBITO FETAL DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI

ÓBITO FETAL DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA DA FMABC DISCIPLINA DE OBSTETRÍCIA PROF. TITULAR: MAURO SANCOVSKI ÓBITO FETAL EDUARDO AUGUSTO BROSCO FAMÁ PROFESSOR AFILIADO DO DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCA E GINECOLOGIA

Leia mais

VALIDAÇÃO DA IMPORTÂNCIA DOS CRITÉRIOS DE REFERENCIAÇÃO PROPOSTOS PELA DIRECÇÃO GERAL DE SAÚDE PARA REALIZAÇÃO DE ECOCARDIOGRAFIA FETAL

VALIDAÇÃO DA IMPORTÂNCIA DOS CRITÉRIOS DE REFERENCIAÇÃO PROPOSTOS PELA DIRECÇÃO GERAL DE SAÚDE PARA REALIZAÇÃO DE ECOCARDIOGRAFIA FETAL ARTIGO ORIGINAL Acta Med Port 2011; 24(S2): 339-346 VALIDAÇÃO DA IMPORTÂNCIA DOS CRITÉRIOS DE REFERENCIAÇÃO PROPOSTOS PELA DIRECÇÃO GERAL DE SAÚDE PARA REALIZAÇÃO DE ECOCARDIOGRAFIA FETAL Silvia BATALHA,

Leia mais

Serologias antes e durante a Gravidez:

Serologias antes e durante a Gravidez: Serologias antes e durante a Gravidez: Quais Quando Porquê Ana Luísa Areia, Serviço de Obstetrícia A MDM / CHUC PROGRAMA DE FORMAÇÃO em SAÚDE MATERNA Atualizações em obstetrícia e neonatologia Janeiro

Leia mais

Panorama. Teste Pré-natal não invasivo. Revista Médica

Panorama. Teste Pré-natal não invasivo. Revista Médica Grupo Revista Médica :: Edição Especial :: Teste Pré-natal não invasivo Panorama Shutterstock TM Exame inovador permite rastreio de doenças genéticas fetais no sangue materno, já na nona semana de gestação.

Leia mais

Dilemas Éticos em Ecocardiografia Fetal

Dilemas Éticos em Ecocardiografia Fetal Dilemas Éticos em Ecocardiografia Fetal JOSÉ MONTERROSO CARDIOLOGIA PEDIÁTRICA PORTO Dilemas 2 Problemas sem solução consensual Todas as alternativas têm argumentos a favor e contra Deve-se escolher o

Leia mais

First trimester prediction of pre-eclampsia in low risk pregnancies: determining the cut-off in a portuguese group

First trimester prediction of pre-eclampsia in low risk pregnancies: determining the cut-off in a portuguese group Original study/estudo original First trimester prediction of pre-eclampsia in low risk pregnancies: determining the cut-off in a portuguese group Predição de pré-eclâmpsia no primeiro trimestre em gravidezes

Leia mais

ARTÉRIA UMBILICAL ÚNICA: MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS MAIS FREQUENTES

ARTÉRIA UMBILICAL ÚNICA: MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS MAIS FREQUENTES ARTÉRIA UMBILICAL ÚNICA: MALFORMAÇÕES CONGÊNITAS MAIS FREQUENTES Kildery Marques de Abrantes; Mauro Castro de Albuquerque Filho; Maria Nelice Medeiros. Universidade Federal de Campina Grande; kilderyabrantes@hotmail.com

Leia mais

Evolução perinatal e pediátrica de crianças com translucência nucal aumentada e cariótipo normal

Evolução perinatal e pediátrica de crianças com translucência nucal aumentada e cariótipo normal Lívia Adriano Vieira 1 Sônia Valadares Lemos Silva 2 Roberto Buenfil de Faria 3 Umberto Gazi Lippi 3 Reginaldo Guedes Coelho Lopes 1 Evolução perinatal e pediátrica de crianças com translucência nucal

Leia mais

As UCF na região Norte Eurico J Gaspar Comissão Regional de Saúde da Mulher Criança e Adolescente ARS Norte, IP Pediatria CHTMAD

As UCF na região Norte Eurico J Gaspar Comissão Regional de Saúde da Mulher Criança e Adolescente ARS Norte, IP Pediatria CHTMAD As UCF na região Norte Eurico J Gaspar Comissão Regional de Saúde da Mulher Criança e Adolescente ARS Norte, IP Pediatria CHTMAD Reunião Magna das Unidades Coordenadoras Funcionais 2015 Funções CRSMCA

Leia mais

Anomalias e prognóstico fetal associados à translucência nucal aumentada e cariótipo anormal

Anomalias e prognóstico fetal associados à translucência nucal aumentada e cariótipo anormal Universidade de São Paulo Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI Departamento de Ginecologia - FM/MOG Artigos e Materiais de Revistas Científicas - FM/MOG 2009 Anomalias e prognóstico fetal

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina EFG361 Enfermagem Materna

Programa Analítico de Disciplina EFG361 Enfermagem Materna 0 Programa Analítico de Disciplina Departamento de Medicina e Enfermagem - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: 7 Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 15 Carga horária semanal

Leia mais

ROSIANE MATTAR DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA EPM UNIFESP

ROSIANE MATTAR DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA EPM UNIFESP ROSIANE MATTAR DEPARTAMENTO DE OBSTETRÍCIA EPM UNIFESP DILEMAS EM OBSTETRÍCIA. DIRETO AO PONTO. DEVEMOS USAR PROGESTERONA PARA GESTANTES ASSINTOMÁTICAS COM COLO CURTO? PREMATURIDADE Nascimentos antes 37

Leia mais

Caracterização da Região Alentejo

Caracterização da Região Alentejo Reunião Plenária da Comissão Nacional com as Comissões Regionais da Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente, e com as Autoridades de Saúde das Regiões Autónomas. Um contributo para a definição de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E SAÚDE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA ANDRESSA ALVES VIEIRA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E SAÚDE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA ANDRESSA ALVES VIEIRA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E SAÚDE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA ANDRESSA ALVES VIEIRA SAÚDE MATERNO-FETAL E TÉCNICAS DE DIAGNÓSTICO Trabalho de conclusão de curso no

Leia mais

PRÉ-ECLAMPSIA EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS

PRÉ-ECLAMPSIA EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS ENTRADA DO ARTIGO JUNHO 2011 PRÉ-ECLAMPSIA EM CUIDADOS DE SAÚDE PRIMÁRIOS PAULA CRISTINA FERREIRA BATISTA Enfermeira TERESA MARIA MORAIS BORGES Enfermeira-graduada 52 RESUMO A pré-eclâmpsia é uma complicação

Leia mais

O quadro clínico de uma placenta prévia pode comportar: A hemorragia pós-parto tem uma incidência que varia entre 2 e 10% dos partos:

O quadro clínico de uma placenta prévia pode comportar: A hemorragia pós-parto tem uma incidência que varia entre 2 e 10% dos partos: O quadro clínico de uma placenta prévia pode comportar: a. Perda hemática súbita, de sangue escuro b. Apresentação fetal anómala c. Útero permanentemente contraído d. Choque hipovolémico e. Estado fetal

Leia mais

NASCER PREMATURO EM PORTUGAL Epidemiologia. Organização

NASCER PREMATURO EM PORTUGAL Epidemiologia. Organização NASCER PREMATURO EM PORTUGAL Epidemiologia. Organização Em 2005 nasceram em Portugal 109 399 nados vivos, dos quais 6,6 % (7260) foram prematuros (idade gestacional abaixo das 37 semanas), 7,5% (8200)

Leia mais

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1. Perfil epidemiológico da sífilis gestacional em residentes de Ponta Grossa, 2010 a 2014

13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1. Perfil epidemiológico da sífilis gestacional em residentes de Ponta Grossa, 2010 a 2014 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

PROTOCOLO DE PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL DO CHP VERTENTE DA SAUDE DA MULHER, MATERNA E NEONATAL

PROTOCOLO DE PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL DO CHP VERTENTE DA SAUDE DA MULHER, MATERNA E NEONATAL PROTOCOLO DE PROCRIAÇÃO MEDICAMENTE ASSISTIDA UNIDADE COORDENADORA FUNCIONAL DO CHP VERTENTE DA SAUDE DA MULHER, MATERNA E NEONATAL Protocolo de articulação de procriação medicamente assistida elaborado

Leia mais

III ENCONTRO DA SUCF CA FF PROTOCOLOS DE ATUAÇÃO AVALIAÇÃO INICIAL

III ENCONTRO DA SUCF CA FF PROTOCOLOS DE ATUAÇÃO AVALIAÇÃO INICIAL III ENCONTRO DA SUCF CA FF PROTOCOLOS DE ATUAÇÃO 26 DE OUTUBRO DE 2012 UCF Materno-Neonatal BM2 CONSULTA DE ENFERMAGEM - TÓPICOS DE REFERÊNCIA AVALIAÇÃO INICIAL Identificação da utente; - Altura (cm) -

Leia mais

A Atenção Básica na Vigilância dos Óbitos Materno, Infantil e Fetal

A Atenção Básica na Vigilância dos Óbitos Materno, Infantil e Fetal A Atenção Básica na Vigilância dos Óbitos Materno, Infantil e Fetal Halei Cruz Coordenador da Área Técnica de Saúde da Criança e do Comitê Estadual de Prevenção dos Óbitos Maternos, Infantis e Fetais INTRODUÇÃO

Leia mais

FAURGS HCPA Edital 02/2010 PS 17 BIÓLOGO I Genética Médica: Citogenética Pág. 1

FAURGS HCPA Edital 02/2010 PS 17 BIÓLOGO I Genética Médica: Citogenética Pág. 1 Pág. 1 HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE EDITAL Nº 02/20 /2010 0 DE PROCESSOS SELETIVOS GABARITO APÓS RECURSOS PROCESSO SELETIVO 17 BIÓLOGO I, BIOMÉDICO I ou FARMACÊUTICO-BIOQUÍMICO I Genética Médica:

Leia mais