lzer aua e sua DavidJ. Collis e Michael G.Rukstad

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "lzer aua e sua DavidJ. Collis e Michael G.Rukstad"

Transcrição

1 oce / sa e. lzer aua e sua estratéaia? DavidJ. Collis e Michael G.Rukstad VOCÊÉ CAPAZDE RESUMRA ESTRATÉGAde sua empresa em 35 palavras ou menos? Se for essa síntese seria igual à de seus colegas? Nossa experiência mostra que pouquíssimos executivos podem dar honestamente uma resposta afirmativa a essas singelas perguntas. E as empresas para as quais esses executivos trabalham são em geral as de maior sucesso no respectivo setor. Uma delas é a Edward Jones corretora americana de St. Louis com a qual um de nós há mais de dez anos mantém envolvimento. Quarta maior corretora dos Estados Unidos a Edward Jones quadruplicou sua participação de mercado nas duas últimas décadas bateu reiteradamente as rivais no quesito retomo sobre o investimento -".CJ o o; Z.~ '". '"c: '" 40 Harvard Business Review Agosto 2008

2 i!-. ~" '. -- ~ - ou } i 'o... ';;

3 Você sabe dizer qual é sua estratégia? (RO) em mercados em alta ou baixa e teve cadeira cativa no ranking Fortunedas melhores empresaspara se trabalhar. Dá para apostar que cada um de seus 37 mil funcionários conseguiria recitar a sucinta declaração de estratégia da empresa: a meta da Edward Jones é "chegar a 2012 com um total de 17 mil consultores financeiros [de cerca de 10 mil atualmente]. Para isso prestaremos assessoria financeira confiável conveniente e cara a cara ao investidor pessoa física conservador que delega suas decisões financeiras tudo por meio de uma rede nacional de agências com um único corretor". Já empresas desprovidas de uma síntese simples e clara de sua estratégia tendem a cair na triste categoria de companhias que não conseguiram executar a estratégia - ou pior ainda que nunca tiveram uma. Em um número surpreendente de organizações executivos funcionários da linha de frente e todo o pessoal entre esses dois extremos vivem frustrados devido à falta de uma estratégia clara para a empresa ou suas linhas de negócios. Eis algumas das queixas comumente ouvidas numa empresa dessas:. "Depois de meses tentando fazer uma iniciativa decolar vejo o projeto ser cancelado por 'não combinar com a estratégia'. Por que não fui informado logo no começo?". "Não sei se deveria estar correndo atrás dessa oportunidade de mercado. Recebo sinais desencontrados da direção:'. "Por que estamos indo atrás desse contrato de novo? Quando perdemos a disputa no ano passado achei que tínhamos decidido não perder tempo tentando conquistar esse cliente!". "Devo baixar o preço para esse cliente? Não sei se o melhor seria fechar o acordo a um preço menor ou simplesmente desistir do negócio:' Dirigentes de empresas ficam desconcertados quando o que julgavam ser uma estratégia impecável acaba nunca sendo implementada. É que partem do princípio de que as iniciativas descritas na volumosa papelada resultante do processo anual de definição do orçamento ou planejamento estratégico vão garantir o sucesso competitivo. E não entendem a necessidade de formular uma declaração de estratégia simples clara e sucinta que toda pessoa possa intemalizar e usar como bússola na hora de tomar decisões difíceis. Pensemos em uma empresa grande como uma pilha de dez mil pedacinhos de ferro cada qual representando um trabalhador. Se esparramarmos. todas essas partículas sobre uma folha de papel cada uma estará apontando para uma direção. A confusão será geral: dez mil cabeças dando duro e tomando invidualmente aquilo que a seu ver é a decisão certa para a empresa. E qual o resultado líquido disso? Confusão. Engenheiros no departamento de P&D criam um produto com recursos "indispensáveis" pelos quais a clientela não se dispõe a pagar (como bem poderia ter avisado o pessoal do marketing); a força de vendas promete aos clientes entrega rápida e produtos customizados ainda que o braço de manu- fatura tenha acabado de investir em equipamentos projetados para processos longos de produção. E por aí vai. Se passarmos um ímã sobre essas partículas o que acontece? Elas se alinham.!:!-madeclaração de estratégia que todos entendam tem o mesmo efeito: alinha a conduta de todos na empresa. Permite que cada pessoa na organização tome decisões ql:;:ereforcem as dos demais - tomando aqueles dez mil funcionários exponencialmente mais eficazes. Uma boa declaração de estratégia inclui o quê? O seminal artigo "What 1sStrategy?" (HBR November-December 1996) de Michael Porte r apresenta as características da estratégia de modo conceitual transmitindo a essência de escolhas estratégicas e as distinguindo da incessante - mas competitivamente infrutífera - busca da eficiênciaoperacional. Em nosso trabalho com executivose estudantes constatamosno entanto que o artigode Porter não responde a uma pergunta mais básica: como descrever a estratégia de uma empresa específica? Embora ninguém queira admitir o fato é que a maioria dos executivos não sabe quais são todos os elementos de uma declaração de estratégia. Com isso é impossível que formulem uma. Comuma clara definiçãoporém duas coisas ocorrem: primeiro formular o enunciado ficainfinitamente mais fácil pois o executivo sabe o que está tentando criar. Segundo a implementação se toma bem mais simplespois a essência da estratégia pode ser prontamente comunicadae facilmente intemalizada por todo indivíduo na organização. Elementosdeumadeclaraçãodeestratégia Mike Rukstad que deu uma enorme contribuição para este artigo antes de falecer disse que uma boa declaracão de estratégia tinha três componentes críticos - objetivo escopo ~ vantagem- e que todo executivo deveria ser obrigado a apresentar os três com absoluta clareza. Esses elementos constituem uma lista simples mas suficiente para qualquer estratégia (empresarial ou militar) que aborde a interação competitiva em um terreno sem limites. Toda declaração de estratégia deve começar com uma definição dos resultados que a estratégia se propõe a produzir. '''Se não souber para onde vai qualquer caminho o levará até lá" é a máxima pertinente nesse caso. Se uma nação não sabe ao certo o que deseja obter com uma campanha militar como esperar que sua meta seja atingida? A definição do objetivo deve incluir não só a meta final mas também um prazo para sua consecução. Uma estratégia para tirar as tropas americanas do 1raque em algum ponto distante no futuro seria muito diferente de uma estratégia para trazer os soldados de volta no prazo de dois anos. Já que a maioria das empresas compete num terreno mais ou menos aberto também é crocial definir o escopo ou domínio de sua arena - a parte do cenário no qual a empresa irá operar. Quais as fronteiras além das quais não vai se aventurar? Se a área cogitada for a de restaurantes por exem- 42 Harvard Business Review Agosto 2008 :

4 poa idéia é abrir um estabelecimento convencionalou um de comida rápida? É ter um ambiente elegante ou informal? E que tipo de cozinha? Francesa mexicana? Em que região se instalar? Norte ou sul? Sozinhos esses dois aspectos da estratégia são insuficientes. O leitor poderia abrir uma empresa amanhã com a meta de que sejadaqui a dez anosa maior rede de lanchonetes do mundo. Mas alguém vai investir na empresa se você não tiver explicado como irá atingir esse objetivo? Sua vantagem competitiva é a essência da estratégia: aquilo que sua empresa fará de um jeito distinto ou melhor do que as ou~s - define o importantíssimo meio pelo qual atingirá. o objetivo deciãrado.essa vanta~m tem componentes externos e Dt"ernoscomplementares: uma pro- PõStãde valor que explique por que a clientela visada deveria optar por seu produto dentre todas as demais akernativas.- e a descrição de como as atjyidades internas deveriam ser alinhadas para que sua empresa - e somente ela - seja cap_~ de garantir essa proposta de valor. -- De~ o objetivo~escopo e a vantagem exige um jogo de concessões algo que Porter considerou fundamental para a estratégia. Se decidir priorizar o crescimento ou o porte a empresa deve aceitar que a rentabilidade ficará em segundo plano. Se resolver atender à clientela institucional pode ser que ignore clientes individuais. Se a proposta de valor for preço baixo a empresa será incapaz de competir com base no estilo ou no caimento de uma roupa digamos. Por último se a vantagem vier de economias de escala a empresa não poderá acomodar necessidades peculiares de cada cliente. É esse tipo de troca que distingue estrategicamente cada empresa. Hierarquia de declarações de uma empresa o norte da organização é sinalizado de várias maneiras. A declaração de missão é a mais elevada de todas - e a menos específica. À medida que descemos nessa hierarquia. as declarações ficam mais concretas mais práticas e. em última instãncia singulares. Nenhuma outra empresa terá a mesma declaração de estratégia que define sua vantagem competitiva nem o mesmo balanced scorecard. que mostra como a empresa implementa sua estratégia específica. MSSÃO Nossarazãodeser VALORES Aquiloemqueacreditamos ecomoiremosnosportar VSÃO Oquequeremos ser..j ESTRATEGA Qualnossoplanopara competirnomercado BALANCED SCORECARD Comoiremosmonitorar eimplementar esseplano Defina o objetivo o primeiro elemento da declaração de estratégia é aquilo que a maioria das empresas já possui de uma forma ou de outra. nfelizmente em geral é da forma errada. A empresa tende a confundir a declaração de valores ou de missão com o objetivo estratégico.um objetivo estratégico não é por exemplo uma platitude como "maximizar a riqueza do acionista pela superação das expectativasdo cliente em relação a [inserir nome do produto ou serviço] e a criação de oportunidades para que nossos funcionários vivam uma vjda plena e respeitem o ambiente e as comunidades nas quaisatuamos".éantes um objetivo único e preciso que norteará a empresa ao longo dos cinco anos seguintesdigamos(vejao quadro "Hierarquia de declarações de uma empresa").muitas empresas possuem - e todas deveriam ter -Üma ELEMENTOS BÁSCOS deumadeclaração deestratégia OBJETVO= fins ESCOPO=domínio VANTAGEM= meios declaração que sintetiza seu propósito final e os valoreséticos que regem sua conduta. Masnada dissoé o objetivo estratégico. Adeclaraçãode missãorevela a razão fundamental para a empresa estar operando em primeiro lugar - a contribuição que a empresa espera dar à sociedade (uma seguradora por exemplo talvez defina sua missão como garantir segurança financeira aos clientes). Uma declaração dessasno entanto não serve de meta estratégica capaz de norte ar as decisões da empresa hoje. Na mesma veiaé bom e pertinente que a empresa deixe claro para o pessoal quais são seus valoreséticos.mas princípioscomoo respeito de diferençasindividuais Definiro objetivo o escopo e a vantagem exige um jogo de concessões. Eesse tipo de troca que distingue estrategicamente cada empresa. Agosto 2008 Harvard Business Review 43

5 Você sabe dizer qual é sua estratégia? concorrentes. A Merrill Lynch tem cerca de 15mil corretores mas apenas mil filiais. Para tornar fácil e conveniente a visita do público visado a uma agência - e criar um ambiente tranqüilo cordato que não intimide - a Edward Jones instala agências em shoppings e centros comerciais de zonas rurais e bairros residenciais e não em torres comerciais no distrito financeiro das grandes cidades. Só isso já exige que a Edward Jones seja radicalmente distinta de outras corretoras na configuração das atividades. Sem gerentes para dar orientação ou suporte nas agências cada consultor financeiro da corretora precisa ser um empreendedor que sinta prazer em tocar a própria operação. Já que gente assim é exceçãono setor a corretora tem de buscar seus profissionaisem outros setores ou áreas de atuação e oferecer treinamento - o que custa caro. Até 2007 quando migrou para um serviçona internet a empresa tinha de manter um sistema via satélite próprio para levar cotações em tempo real a essa rede dispersa de agências e permitir a execução das transações. Por contar com tantas agências- dez mil conforme dito - seus custos com comunicação e instalações físicassão cerca de 50% Mapa de sistemas de atividades da EdwardJones Este mapa mostra como as atividades da corretora de valores Edward Jones se conectam para garantir uma vantagem competitiva A proposta de valor para o cliente da corretora aparece quase no centro do mapa no círculo "relação com cliente" Ao redor dela vemos atividades de apoio O gráfico exibe apenas os principais elos CUENTE VSADO 46 Harvard Business Review Agosto 2008

6 maiores do que a média do setor. São essas agências no entanto que permitem aos corretores que as operam oferecer serviços e assessoria pessoal convenientes e confiáveis. No mesmo setor outras empresas de sucesso também possuem uma proposta de valor distintiva e uma configuração singular de atividades para respaldá-a. Merrill Lynch. Durante os cinco anos do mandato do ex-presidente Stan O'Neal que se aposentou em outubro de 2007 a Merrill Lynch criou uma estratégia eficaz a "Total Merrill". Qual a proposta de valor? Satisfazer todas as necessidades financeiras de uma clientela com patrimônio elevado - indivíduos com total líquido de ativos financeiros de mais de US$ 250 mil - até depois da aposentadoria. Embora muitas corretoras visem ao público de patrimônio elevado seu foco é o acúmulo de recursos antes da aposentadoria. Na visão da Merrill Lynch à medida que a geração do pós-guerra envelhece e passa da fase relativamente simples do acúmulo de ativos para o estágio muito mais complexo e arriscado do saque de recursos do fundo previdenciário as necessidades mudam. Na nova fase o aposentado vai querer consolidar os ativos financeiros em uma firma única na qual confie e que possa ajudá-o a descobrir como otimizar a renda até o fim da vida - com a tomada de decisões acertadas em relação a anuidades benefícios pagos e planos de saúde para males crônicos entre outros. A Merrill Lynch tem planos financeiros coerentes para essa clientela e dá acesso a um vasto leque de produtos sofisticados - criados com base no método de Monte Carlo que simula as probabilidades de esgotamento dos fundos com distintas taxas de retomo em distintas categorias de investimento. O que a Merrill Lynch pretende fazer para garantir esse valor à clientela eleita - e de um jeito distinto do de qualquer outra grande corretora? Primeiro está incentivando os corretores - sobretudo os novos - a obter o certificado de planejador financeiro. Para lançá-os nessa rota já endureceu os requisitos internos de treinamento. Nos EUAé mais difícil Estratégia no ponto certo o ponto ideal da estratégia é o lugar no qual a empresa satisfaz as necessidades do cliente de um jeito inimitávelpelas adversárias dado o contexto no qual competem. CONTEXTO (tecnologia perfil demográfico do setor regulamentação e outros) produtos! serviçosde CONCORRENTES recursos da EMPRESA necessidades CLENTES de obter. a licença para atuar como planejador financeiro certificado do que a típica Series 7 [a licença para trabalhar como corretor] pois o candidato deve ter diploma universitário e dominar cerca de 100 matérias integradas de planejamento financeiro. Segundo a Merrill Lynch trabalha com toda sorte de operações de seguro anuidade opção de compra coberta fundos de hedge serviços bancários e por aí afora (diferentemente da Edward Jones cuja cesta de produtos de investimento é muito mais limitada). Já que vários desses produtos são tecnicamente complexos a corretora precisa de especialistaspara dar apoio ao corretor que atende clientes. Essa organização ("Team Merrill") gera questões de RH e compensação muito distintas das geradas pelo esquema de corretor único da EdwardJones.O sistema de remuneração da Merrill Lynch precisa repartir o ganho entre integrantes da equipe e premiar q~em apresenta clientes. Wells Fargo.Aatuação deste banco de San Francisco na área de corretagem é parte de uma tática de venda cruzada de serviços a clientes no banco de varejo para elevar o lucro por cliente (a meta é vender a cada cliente pelo menos oito produtos distintos).o objetivo do braço de corretagem do Wells Fargo claramente expresso em um relatório anual recente é triplicar sua parcela dos ativos financeiros da clientela. O meio usado pela corretora para atingir essameta é o banco de dados da matriz com 23 milhões de clientes. Muitos deles entraram ali por meio de um aspecto específicodo relacionamento bancário: o financiamento da casa própria. O Wells Fargo difere da Edward Jones e da Merrill Lynch devido à meta de oferecer um serviço personalizado em vez de pessoal. O sistema de T do banco permite por exemplo que um funcionário aparente certa familiaridade com um cliente mesmo se tiver poucas informações sobre ele (nome data de nascimento e por aí vai) o que é muito distinto da relação individual contínua que corretores da EdwardJones e da Merrill Lynchtêm com seus clientes. LPLFinancial.Distinta também é a LPLFinancial com escritórios em Boston (Massachusetts)San Diego (Califórnia) e Charlotte (Carolina do Norte). Para a LPLos clientes são os corretores(todosassessoresfinanceirosindependentes associadosà firma)nã~ o público geral. Épor isso que as atividades na firma foram configuradaspara oferecer soluções individualizadase o maior retomo ao corretor. ssosignifica que a vasta.maioria das atividades realizadas pelo pessoal na matriz da empresa são serviços como treinamento. O corretor escolhe o que quer e paga pela opção. Oresultado é que a equipe da LPLna sede é bem pequena (02pessoa por corretor) se comparada à da Edward Jones (145pessoa por corretor). Os custos fixos baixos permitem à firma garantir Agosto 2008 HarvardBusiness Review 47

7 Não deixe espaço para dúvidas Executivos da corretora americana Edward Jones buscaram uma compreensão detalhada de todo aspecto da estra- tégia da empresa. Confira um exemplo. Declaração de estratégia da Edward Jones Chegar a 2012 com um total de 17 mil consultores financeiros. Para isso prestaremos assessoria financeira confiável conveniente e cara a cara ao investidor conservador pessoa física decisões financeiras que delega suas tudo por meio de uma rede nacional de "conservador" Nossa filosofia de investimento é comprar e deixar o dinheiro aplicado a longo prazo. Não trabalhamos com ações de alto risco commodities ou outros instrumentos pouco seguros. Por conseguinte não atendemos a day traders e não julgamos necessário oferucer transações online. Cobramos taxa sobre operações porque essa é a maneira mais barata de investir em ações quando o investidor mantém a aplicação no papel ou no fundo por um prazo médio de mais de dez anos (comparada com uma taxa geral por um pacote de serviços uma porcentagem do patrimônio cobrada anualmente). "pessoa física" Não damos assessoria a instituições ou empresas. Não segmentamos a clientela por renda idade ou outras características demográficas. A empresa atenderá a todo cliente que se adequar a sua filosofia de investimento conservadora. Nosso corretor buscará todo e qualquer potencial cliente. Não faltam na Edward Jones histórias de milionários que vivem em trailers - gente que outras corretoras jamais pensariam em abordar. agências com um único corretor. "investidor" Nosso serviço básico é o investimento. Não oferecemos serviços como conta corrente como um fim em si - apenas como parte da gestãodo patrimôniodo cliente. "que delega suas decisões financeiras" Nosso público não inclui indivíduos habituados a agir por conta própria - gente que se sente tranqüila para tomar as próprias decisões de investimento. Tampouco temos interesse em indivíduos que buscam apenas alguém que confirme que suas decisões são corretas. ~ um ganho maior aos corretores do que a EdwardJones e a Merrill Lyncho que é sua proposta de valor característica para o cliente eleito: o corretor. A essa altura devería ser fácil ver como uma descrição esmerada das atividades singuléi!esrealizadas por uma empresa para gerar uma proposta de valor distinta ao cliente consegue sintetizar sua estratégia. Uma descrição relativamente simples na declaração de estratégia faz uma caracterização incisivaque não poderia pertencer a nenhuma outra empresa. É essa a meta. Quando essa declaração tiver sido intemalizada por todos os funcionários fica fácil entender como a atividade rotineira de cada um contribui para o sucesso geral da empresa - e como tomar corretamente as decisõesdifíceisque seu trabalho exige. 48 Harvard Business Review Agosto 2008 Comocriar a declaração de estratégia Como abordar então o desenvolvimento de uma declaração de estratégia? Obviamente o primeiro passo é criar uma grande estratégia o que exige uma avaliação cuidadosa do cenário no setor. sso inclui entender em detalhe as necessidades de clientes segmentar a clientela e então identificar maneiras únicas de gerar valor para cada público que a empresa decidir atender. É preciso ainda uma análise de estratégias atuais de concorrentes e projeções sobre como essas estratégias mudariam no futuro. O processo deve envolver uma avaliação rigorosa e objetiva das capacidades e dos recursos da empresa e de concorrentes conforme descrito no artigo "Competing on Resources: Strategy in the 1990s"de David J.Collis e Cynthia A. Montgomery (HBR July-August 1995)- e não um mero exer- f

8 õ u (j) cício para apontar pontos fortes da empresa. A parte criativa do desenvolvimento da estratégia é achar o ponto exato no qual as capacidades da empresa e as necessidades do cliente se cruzam de um jeito que concorrente nenhum pode igualar dado o contexto externo - fatores como tecnologia aspectos demográficos do setor e regulamentação (veja o quadro "Estratégia no ponto certo"). Descobrimos que uma das melhores soluções aqui é desenvolver duas ou três opções estratégicas plausíveis porém bem distintas. Foi o que fez a rede americana de restaurantes Long John Silver. Fonnular duas alternativas radicalmente distintas - ser uma versão barata de outra rede a Red Lobster ou um McDonald's do peixe - ajudou os executivos a entenderem a escolha estratégica que teriam de tomar. A empresa vinha tentando fazer de tudo um pouco. O exercício mostrou que as iniciativas tomadas - oferecer atendimento na mesa no começo da noite e ampliar o serviço de drive-through - eram estrategicamente incongruentes (para competir na base do atendimento na mesa é preciso um estabelecimento maior e mais funcionários; já o serviço de drive-through requer um ponto menor com alta circulação de veículos). Ciente disso a empresa resolveu virar o McDonald's do peixe abrindo restaurantes menores com serviço de drive-through em locais de alto movimento. O processo de desenvolver a estratégia e de fonnular a declaração que capte sua essência de modo fácil e rápido de comunicar deve envolver funcionários de todas as áreas da empresa e de todos os níveis hierárquicos. É preciso dar extrema atenção à redação da declaração propriamente dita. Aliás essa pode ser a parte mais impactante do processo de desenvolvimento da estratégia. Em geral é na discussão acalorada em tomo de uma única palavra que a estratégia é cristalizada e os executivos passam a entender de verdade o que ela envolverá. O resultado final deve ser um enunciado breve que reflita os três elementos de uma estratégia eficaz. Deve ser acompanhado de observações detalhadas que esclareçam nuanças da estratégia (para evitar qualquer interpretação equivocada) e enumerem suas implicações (veja o quadro "Não deixe espaço para dúvidas"). Quando for disseminada pela empresa a declaração de estratégia deve 'ser acompanhada do gráfico com a proposta de valor e do mapa de sistemas de atividades. sso s~rve de lembrete dos dois aspectos da vantagem competitiva na base da estratégia. Difundir a declaração organização afora de modo que cada nível de gestão sirva de orientador para o nivel logo abaixo é o ponto de partida para a incorporação da estratégia à conduta de todos.. A estratégia terá força de verdade somente quando os executivos da empresa estiverem convencidos de que a conduta do pessoal na linha de frente agora com novos poderes será norteada pelos mesmos princípios que regem o comportamento da cúpula. Não se deve subestimar o valor da retórica. Uma frase com ' 35palavraspode ter impacto considerávelno sucessode uma empresa. Palavraslevamsimà ação.dedicaro tempo necessário para fonnular o breve enunciado que sintetize de verdade a estratégia - e energize e dê poder ao pessoal- vai contribuir para o desempenho financeiroda organização no longo prazo. 1:7 David J. Collis do departamentode estratégiada Harvard BusinessSchoolem Bostone autor de várioslivros sobreestratégiaempresarial. Estudoue deuconsultoriaà corretoraamericanaedward fones oprincipal exemploexploradono artigo. Além disso deu aulasnoprograma deformaçãodegerentesdajirma. Michael G. Rukstadfoi um alto membrodo corpo depesquisa da Harvard BusinessSchoolondelecionoupor muitosanos até suamorteprematura em2006. Reprint R0808D-P Para pedidos veja página Tentamos um incentivo... mas ele ficou com tontura. Agosto 2008 Harvard Business Review 49

9 HUMOR ESTRATÉGCO Sobpressão JJi Buscaro sucessoé comoatirar numa sériedealvosemmovimento.basta acertarumdelesparaquesurjam outroscincodooutrolado.; Laura Nash e Howard Stevenson "Sucesso que dura" HarvardBusiness Review Fevereiro Só não esqueçaque boa parte disso é o pesodo mundo. - Essaperna é da fusão de O olho é dafusão de > Q) > Li a: Q) a; c Q) Q. (;; U Q) >'" o 50 Harvard Business Review Agosto 2008

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

ERP. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning -Sistema de Gestão Empresarial -Surgimento por volta dos anos 90 -Existência de uma base de dados

Leia mais

A ordem é não mudar. Concorrência destrutiva

A ordem é não mudar. Concorrência destrutiva A ordem é não mudar Michael Porter, o grande especialista em estratégia da Harvard Business School, considerado por muitos "o pai da estratégia", fez uma palestra para o público da Wharton School sobre

Leia mais

As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem

As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem Eleições 2012 As 10 coisas que todas as campanhas vitoriosas fazem Dicas práticas para prefeito e vereador Conquiste o diploma mais importante da sua vida Faça do blog Campanhas e Mandatos sua vantagem

Leia mais

12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso

12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso Novo Negócio 12 Dicas Para Montar Um Negócio De Sucesso Vinícius Gonçalves Equipe Novo Negócio Espero sinceramente que você leia este PDF até o final, pois aqui tem informações muito importantes e que

Leia mais

A Descrição do Produto ou Serviço e a Análise do Mercado e dos Competidores Fabiano Marques

A Descrição do Produto ou Serviço e a Análise do Mercado e dos Competidores Fabiano Marques A Descrição do Produto ou Serviço e a Análise do Mercado e dos Competidores Fabiano Marques "O plano de negócios é o cartão de visitas do empreendedor em busca de financiamento". (DORNELAS, 2005) A partir

Leia mais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita Federal. O incentivo

Leia mais

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES

PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES PROJETO UTILIZANDO QLIKVIEW PARA ESTUDO / SIMULAÇÃO DE INDICADORES Fábio S. de Oliveira 1 Daniel Murara Barcia 2 RESUMO Gerenciar informações tem um sido um grande desafio para as empresas diante da competitividade

Leia mais

11 Segredos. Capítulo VIII. para a Construção de Riqueza !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

11 Segredos. Capítulo VIII. para a Construção de Riqueza !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo VIII Capítulo Oito Cinco alternativas para ficar rico sem depender do mercado de ações No meu esforço de surpreendê-lo com verdades sobre a construção

Leia mais

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online.

Este documento provê informação atualizada, e simples de entender, para o empreendedor que precisa iniciar ou avaliar suas operações online. Os segredos dos negócios online A Internet comercial está no Brasil há menos de 14 anos. É muito pouco tempo. Nesses poucos anos ela já mudou nossas vidas de muitas maneiras. Do programa de televisão que

Leia mais

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014

ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL. Guia Prático de Compra O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO. Edição de julho.2014 ERP SISTEMA DE GESTÃO EMPRESARIAL Guia Prático de Compra Edição de julho.2014 O QUE SABER E COMO FAZER PARA ADQUIRIR CERTO Í n d i c e 6 perguntas antes de adquirir um sistema 4 6 dúvidas de quem vai adquirir

Leia mais

COMO COBRAR POR UM TRABALHO DE ORGANIZAÇÃO?

COMO COBRAR POR UM TRABALHO DE ORGANIZAÇÃO? COMO COBRAR POR UM TRABALHO DE ORGANIZAÇÃO? O GUIA COMPLETO Afinal qual é a forma correta de cobrar pelo meu trabalho? Qual o valor justo? Devo cobrar barato para ganhar o cliente ou devo cobrar caro para

Leia mais

Gerando idéias de negócio

Gerando idéias de negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Gerando idéias de negócio Manual Etapa 1/Parte 1 Bem-vindo! É um prazer ter você na Etapa 1 do Programa de Auto-Atendimento Negócio Certo do Sebrae.

Leia mais

AUTORAS ROSANGELA SOUZA

AUTORAS ROSANGELA SOUZA AUTORAS ROSANGELA SOUZA Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e Professora de Estratégia na Pós-Graduação da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico

Leia mais

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto o O que é Abertura de Capital o Vantagens da abertura o Pré-requisitos

Leia mais

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação

Governança de TI. Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? Conhecimento em Tecnologia da Informação Conhecimento em Tecnologia da Informação Governança de TI Por que a Governança de TI é vista como fator chave para criação de valor para o Negócio? 2010 Bridge Consulting Apresentação A Governança de Tecnologia

Leia mais

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA.

CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. CompuStream Plano de Negócios COMPUSTREAM CONSULTORIA LTDA. A CompuStream, empresa especializada em desenvolvimento de negócios, atua em projetos de investimento em empresas brasileiras que tenham um alto

Leia mais

Reinventando a gestão de vendas

Reinventando a gestão de vendas Reinventando a gestão de vendas Um bom vendedor é mais importante para a empresa do que o produto. Vender não é mais persuasão, mas compreensão. Esta é a proposta de Neil Rackham, expressa durante o Fórum

Leia mais

Conhecimentos em Comércio Eletrônico Capítulo 4 CAPÍTULO 4 VISÃO GERAL DO COMÉRCIO

Conhecimentos em Comércio Eletrônico Capítulo 4 CAPÍTULO 4 VISÃO GERAL DO COMÉRCIO CAPÍTULO 4 VISÃO GERAL DO COMÉRCIO PLANEJAMENTO E MODELOS DE E-COMMERCE Uma das principais características do CE é permitir a criação de novos modelos de negócio. Um modelo de negócio é um método que permite

Leia mais

Como lutar em uma guerra de preços

Como lutar em uma guerra de preços Como lutar em uma guerra de preços Juliana Kircher Macroplan Prospectiva, Estratégia e Gestão Julho de 2006 Guerras de preços já são fatos concretos que ocorrem frequentemente em todos os mercados, seja

Leia mais

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros

Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Implementação rápida do modelo Balanced Scorecard (BSC) nas empresas de seguros Uma evolução nos sistemas de controle gerencial e de planejamento estratégico Francisco Galiza Roteiro Básico 1 SUMÁRIO:

Leia mais

10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL

10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL 10 TÉCNICAS PARA GESTÃO COMERCIAL Os meses de dezembro e janeiro na maioria das empresas são marcados invariavelmente por atividades de planejamentos, orçamentos e metas para o ano novo. Para o próximo

Leia mais

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança

03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança 03 Passos para o Seu Dinheiro da Poupança Render 5 Vezes Mais por Leandro Sierra Índice Apresentação...03 Introdução... 04 Passo 1...05 Passo 2... 08 Educação Financeira para a Segurança do seu Investimento...

Leia mais

Introdução do módulo 7: Faça uma introdução sobre as vantagens e necessidade de se vender Valor e não Preço.

Introdução do módulo 7: Faça uma introdução sobre as vantagens e necessidade de se vender Valor e não Preço. Preparação do Instrutor Trazer para a reunião/encontro de vendas: DVD : Módulo 7 Aparelho de DVD e monitor de TV Flip chart e canetas ( pincel atômico) Canetas/lápis apontados Manuais dos participantes

Leia mais

Fornecer inovação usando uma estratégia padronizada de PLM O Teamcenter e o NX aumentam a produtividade e contribuem para o sucesso da missão

Fornecer inovação usando uma estratégia padronizada de PLM O Teamcenter e o NX aumentam a produtividade e contribuem para o sucesso da missão Fornecer inovação usando uma estratégia padronizada de PLM O Teamcenter e o NX aumentam a produtividade e contribuem para o sucesso da missão AT K Siemens PLM Software www.siemens.com/plm Desafios comerciais

Leia mais

ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO

ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO (Extraído e traduzido do livro de HILL, Charles; JONES, Gareth. Strategic Management: an integrated approach, Apêndice A3. Boston: Houghton Mifflin Company, 1998.) O propósito

Leia mais

Estudar no Exterior Intercambio Seja nosso parceiro!

Estudar no Exterior Intercambio Seja nosso parceiro! Estudar no Exterior Intercambio Seja nosso parceiro! Quem Somos? A Estudar no Exterior Intercambio nasceu em 2003 com o propósito de oferecer uma alternativa de programas de intercambio com melhor custo

Leia mais

Módulo 2. Origem do BSC, desdobramento do BSC, estrutura e processo de criação do BSC, gestão estratégica e exercícios

Módulo 2. Origem do BSC, desdobramento do BSC, estrutura e processo de criação do BSC, gestão estratégica e exercícios Módulo 2 Origem do BSC, desdobramento do BSC, estrutura e processo de criação do BSC, gestão estratégica e exercícios Origem do BSC Cenário Competitivos CONCORRENTE A CONCORRENTE C VISÃO DE FUTURO ESTRATÉGIA

Leia mais

Consciências de Desempenho Empresarial

Consciências de Desempenho Empresarial Quando o Design Thinking surgiu como uma alternativa para Solucionar Problemas, apresentando um novo perfil de raciocínio, considerando as partes interessadas como eixo de referência, ousando em pensar

Leia mais

Palestra 1 Mudança Organizacional. Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças

Palestra 1 Mudança Organizacional. Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças Palestra 1 Mudança Organizacional Texto base: 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças 02 de Dezembro de 2009 10 +1 Mandamentos para ter sucesso em um mundo em constantes mudanças

Leia mais

4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente

4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente 4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente Saiba como melhorar a gestão financeira da sua empresa e manter o fluxo de caixa sob controle Ciclo Financeiro Introdução Uma boa gestão financeira é um dos

Leia mais

Como criar. um artigo. em 1h ou menos. Por Natanael Oliveira

Como criar. um artigo. em 1h ou menos. Por Natanael Oliveira Como criar um artigo em 1h ou menos Por Natanael Oliveira 1 Como escrever um artigo em 1h ou menos Primeira parte do Texto: Gancho Inicie o texto com perguntas ou promessas, algo que prenda atenção do

Leia mais

5 Case Stara. Cristiano Buss *

5 Case Stara. Cristiano Buss * Cristiano Buss * Fundada em 1960, a Stara é uma fabricante de máquinas agrícolas. De origem familiar, está instalada em Não-Me-Toque, no norte do Estado; Em seis anos, cresceu 11 vezes, com baixo nível

Leia mais

Como cultivar leads do Comitê de TI

Como cultivar leads do Comitê de TI BRASIL Como cultivar leads do Comitê de TI O marketing está ajudando ou atrapalhando? Confiança + Credibilidade devem ser CONQUISTADAS O profissional de marketing moderno conhece a importância de cultivar

Leia mais

29/03/12. Sun Tzu A Arte da Guerra

29/03/12. Sun Tzu A Arte da Guerra 29/03/12 Com planejamento cuidadoso e detalhado, pode-se vencer; com planejamento descuidado e menos detalhado, não se pode vencer. A derrota é mais do que certa se não se planeja nada! Pela maneira como

Leia mais

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça?

Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Você Gostaria Que Eu Lhe Desse Um Plano, Para ATRAIR 3 Ou 4 Vezes Mais Clientes Para O Seu Negócio, De Graça? Caro amigo (a) Se sua empresa está sofrendo com a falta de clientes dispostos a comprar os

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital

8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital 8 Erros Que Podem Acabar Com Seu Negócio de Marketing Digital Empreender em negócios de marketing digital seguramente foi uma das melhores decisões que tomei em minha vida. Além de eu hoje poder ter minha

Leia mais

TRANSFORME SEU ATENDIMENTO EM UM FORTE ALIADO PARA FIDELIZAR CLIENTES

TRANSFORME SEU ATENDIMENTO EM UM FORTE ALIADO PARA FIDELIZAR CLIENTES TRANSFORME SEU ATENDIMENTO EM UM FORTE ALIADO PARA FIDELIZAR CLIENTES Os benefícios e as ferramentas para ter ÍNDICE Transforme seu atendimento em um forte aliado para fidelizar clientes clientes fidelizados

Leia mais

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br

Danilo Nascimento Fundador do Segredos de Concurso www.segredosdeconcurso.com.br Olá, concurseiro! É um grande prazer poder lhe dar algumas dicas básicas a respeito da sua preparação para um Concurso Público. Sei que esse é um grande sonho, e ter a oportunidade de colaborar com a construção

Leia mais

ATENDIMENTO A CLIENTES

ATENDIMENTO A CLIENTES Introdução ATENDIMENTO A CLIENTES Nos dias de hoje o mercado é bastante competitivo, e as empresas precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes, principalmente

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

A Paralisia Decisória.

A Paralisia Decisória. A Paralisia Decisória. Começo este artigo com uma abordagem um pouco irônica, vinda de uma amiga minha, que, inconformada como a humanidade vêm se portando perante a fé em algo superior, soltou a máxima

Leia mais

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você.

Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. Já pesquisou alguma coisa sobre a Geração Y? Pois então corra, pois eles já vasculharam tudo para você. A HR Academy e a NextView realizaram uma pesquisa focada em geração y, com executivos de RH das principais

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CAPITAL DE GIRO

NOÇÕES BÁSICAS DE CAPITAL DE GIRO UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS - UNICAMP INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS - IFCH DEPARTAMENTO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO ECONÔMICO - DEPE CENTRO TÉCNICO ECONÔMICO DE ASSESSORIA EMPRESARIAL

Leia mais

Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Módulo 4.1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EVOLUÇÃO DA COMPETIÇÃO NOS NEGÓCIOS 1. Revolução industrial: Surgimento das primeiras organizações e como consequência, a competição pelo mercado de commodities. 2.

Leia mais

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

#11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO #11 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ÍNDICE 1. 2. 3. 4. 5. 6. Apresentação Níveis de planejamento Conceito geral Planejamento estratégico e o MEG Dicas para elaborar um planejamento estratégico eficaz Sobre a

Leia mais

www.convexity.net.br http://www.convexity.net.br/treinamentos/in stituto-educacional-bmfbovespa-fazendo-adiferenca/

www.convexity.net.br http://www.convexity.net.br/treinamentos/in stituto-educacional-bmfbovespa-fazendo-adiferenca/ www.convexity.net.br A Convexity possui uma parceria com o Instituto Educacional BM&FBOVESPA. A parceria abrange os seguintes aspectos: - Os treinamentos Convexity são certificados pelo Instituto Educacional.

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa.

[CONFIDENCIAL] Aprenda com o SAGAZ. Primeiros passos para investir na Bolsa. 1 Aprenda com o SAGAZ Primeiros passos para investir na Bolsa. Está pensando em investir em ações e não sabe por onde começar? Fique tranqüilo, você está no lugar certo. Aqui você terá a melhor orientação

Leia mais

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR

Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR Diogo Caixeta 6 PASSOS PARA CONSTRUIR UM NEGÓCIO DIGITAL DE SUCESSO! WWW.PALAVRASQUEVENDEM.COM WWW.CONVERSAODIGITAL.COM.BR INTRODUÇÃO Você está cansado de falsas promessas uma atrás da outra, dizendo

Leia mais

IMPACTOS DA LOGÍSTICA DE SERVIÇOS NA ECONOMIA BRASILEIRA E A CONTRIBUIÇÃO DAS FACULDADES

IMPACTOS DA LOGÍSTICA DE SERVIÇOS NA ECONOMIA BRASILEIRA E A CONTRIBUIÇÃO DAS FACULDADES IMPACTOS DA LOGÍSTICA DE SERVIÇOS NA ECONOMIA BRASILEIRA E A CONTRIBUIÇÃO DAS FACULDADES Ednilson Zanini 1 O serviço logístico tornou-se uma ferramenta importante para o desenvolvimento de relacionamentos

Leia mais

Mitos e verdades sobre franquias. Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias

Mitos e verdades sobre franquias. Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias Mitos e verdades sobre franquias Fonte: Associação Bras. de Franchising e Guia Oficial de Franquias Bem informado, o futuro franqueado terá maiores possibilidades de fazer um bom negócio Administrar uma

Leia mais

Como aumentar as vendas do seu e-commerce. Marcos Bueno Fundador e CEO Akatus Meios de Pagamento

Como aumentar as vendas do seu e-commerce. Marcos Bueno Fundador e CEO Akatus Meios de Pagamento Como aumentar as vendas do seu e-commerce Marcos Bueno Fundador e CEO Akatus Meios de Pagamento 2013 O e-commerce se prepara para um crescimento histórico 2000 Banda larga chega ao Brasil. É lançado no

Leia mais

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II

11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo II Capítulo II Mark Ford 11 Segredos para a Construção de Riqueza Capítulo Dois Como uma nota de $10 me deixou mais rico do que todos os meus amigos Das centenas de estratégias de construção de riqueza que

Leia mais

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN

NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN NO NEGÓCIO SAC TEXTO DE JULIANA KLEIN 50 A ALMA DO NEGÓCIO Serviço de SAC eficiente é o que todos os clientes esperam e é no que todas as empresas deveriam investir. Especialistas afirmam: essa deve ser

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

Balanced Scorecard. Resumo Metodológico

Balanced Scorecard. Resumo Metodológico Balanced Scorecard Resumo Metodológico Estratégia nunca foi foi tão tão importante Business Week Week Entretanto... Menos de de 10% 10% das das estratégias efetivamente formuladas são são eficientemente

Leia mais

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S como organizar as finanças da sua empresa 4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S AUTHOR NAME ROBSON DIAS Sobre o Autor Robson Dias é Bacharel em Administração de Empresas e Possui MBA em Gestão Estratégica

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL

RESPONSABILIDADE SOCIAL RESPONSABILIDADE SOCIAL Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Profa. Lillian Alvares TODO COMPORTAMENTO TEM SUAS RAZÕES. A ÉTICA É SIMPLESMENTE A RAZÃO MAIOR DAVID HUME DEFINIÇÕES

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO

CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO CARACTERÍSTICAS DE UM PROJETO Temporário: significa que cada projeto tem um início e um fim muito bem definidos. Um projeto é fundamentalmente diferente: porque ele termina quando seus objetivos propostos

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

Clima Organizacional. Como mensurar e melhorar

Clima Organizacional. Como mensurar e melhorar Clima Organizacional Como mensurar e melhorar Índice Clique para navegar pelo material Capítulo 1 O que é o Clima Organizacional Capítulo 2 Clima Organizacional x Cultura Organizacional Capítulo 3 O impacto

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

Balanced Scorecard. Da estratégia às ações do dia-a-dia

Balanced Scorecard. Da estratégia às ações do dia-a-dia Balanced Scorecard Da estratégia às ações do dia-a-dia Perspectivas Em se tratando de gerenciamento de desempenho, perspectivas são os grandes vetores debaixo dos quais são agrupados objetivos, indicadores

Leia mais

Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques

Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques Construindo um Plano de Negócios Fabiano Marques "Um bom plano de negócios deve mostrar claramente a competência da equipe, o potencial do mercado-alvo e uma idéia realmente inovadora; culminando em um

Leia mais

Então resolvi listar e explicar os 10 principais erros mais comuns em projetos de CRM e como podemos evita-los.

Então resolvi listar e explicar os 10 principais erros mais comuns em projetos de CRM e como podemos evita-los. Ao longo de vários anos de trabalho com CRM e após a execução de dezenas de projetos, penso que conheci diversos tipos de empresas, culturas e apesar da grande maioria dos projetos darem certo, também

Leia mais

GESTOR DE SEGURANÇA. CBO 2526-05 - Gestor em segurança

GESTOR DE SEGURANÇA. CBO 2526-05 - Gestor em segurança GESTOR DE SEGURANÇA CBO 2526-05 - Gestor em segurança mirianbazote@portseg.com.br Mirian Bazote Graduada em Administração de Empresas Graduada em Direito Pós Graduada em Direito do Trabalho e Previdência

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS

GESTÃ T O O E P RÁ R TI T C I AS DE R E R CUR U S R OS Ensinar para administrar. Administrar para ensinar. E crescermos juntos! www.chiavenato.com GESTÃO E PRÁTICAS DE RECURSOS HUMANOS Para Onde Estamos Indo? Idalberto Chiavenato Algumas empresas são movidas

Leia mais

Diagnosticando os problemas da sua empresa

Diagnosticando os problemas da sua empresa Diagnosticando os problemas da sua empresa O artigo que você vai começar a ler agora é a continuação da matéria de capa da edição de agosto de 2014 da revista VendaMais. O acesso é restrito a assinantes

Leia mais

definindo o preço de suas ofertas de provedor de serviços gerenciados

definindo o preço de suas ofertas de provedor de serviços gerenciados DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA Setembro de 2012 definindo o preço de suas ofertas de provedor de serviços gerenciados Principais estratégias para criar um modelo de preços bem-sucedido agility made possible sumário

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO EMPRESARIAL Professor: Luis Guilherme Magalhães professor@luisguiherme.adm.br www.luisguilherme.adm.br (62) 9607-2031 ELABORAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO FRASES SOBRE PLANEJAMENTO

Leia mais

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO

ARKETING INTERNET SEO CRIATIVIDADE AGÊNCIA CRIAÇÃO DESIGN CRIAÇÃO AGÊNCIA USABILIDA ARKETING INTERNET SEO DIGIT CRIATIVIDADE DESDE 1999 NO MERCADO, A M2BRNET É UMA AGÊNCIA DE MARKETING DIGITAL ESPECIALIZADA EM SOLUÇÕES PERSONALIZADAS. SI ARQ Desde 1999

Leia mais

Código de Conduta. Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global. Stephan Baars Diretor Financeiro (CFO)

Código de Conduta. Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global. Stephan Baars Diretor Financeiro (CFO) Código de Conduta Data [12-01-2014] Responsável pela política: Departamento de Auditoria Interna Global John Snyder Presidente e Diretor Executivo (CEO) Mike Janssen Diretor de Operações (COO) Stephan

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Pra que serve tudo isso?

Pra que serve tudo isso? Capítulo 1 Pra que serve tudo isso? Parabéns! Você tem em mãos a base para o início de um bom planejamento financeiro. O conhecimento para começar a ver o dinheiro de outro ponto de vista, que nunca foi

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

PAP (Perfil de Avanço Profissional)

PAP (Perfil de Avanço Profissional) PAP (Perfil de Avanço Profissional) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 14:03:23 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/10 Índice analítico Índice

Leia mais

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1

Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 1 Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos Quer Dinheiro Online? 2 ISSO ESTÁ ME GERANDO R$7.278,05 - R$10.588,38 POR SEMANA E VOCÊ PODE FAZER

Leia mais

Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços

Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços Artigos de PN Como fazer Produtos e Serviços Para fazer uma descrição adequada dos preços e serviços em seu plano de negócio, diga quais são os serviços da sua empresa, porque ela é capaz de fornecê-los,

Leia mais

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para

No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado. alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para QUAL NEGÓCIO DEVO COMEÇAR? No E-book anterior 5 PASSOS PARA MUDAR SUA HISTÓRIA, foi passado alguns exercícios onde é realizada uma análise da sua situação atual para então definir seus objetivos e sonhos.

Leia mais

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização:

AGENDA. 5ª Edição. Hotel Staybridge. Realização: AGENDA 5ª Edição D? 06 de Maio de 2015 Hotel Staybridge Realização: w w w.c o r p b us i n e s s.c o m.b r Patrocínio Gold Patrocínio Bronze Apoio Realização: APRESENTAÇÃO C GESTÃO DE PESSOAS: DESAFIOS

Leia mais

Administração das Operações Produtivas

Administração das Operações Produtivas UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Administração das Operações Produtivas Prof. Rodolpho Antonio Mendonça WILMERS São Paulo 2011 Administração das Operações Produtivas Introdução Nada

Leia mais

Como Gerar Tráfego Massivo Para o Seu Blog

Como Gerar Tráfego Massivo Para o Seu Blog Como Gerar Tráfego Massivo Para o Seu Blog Trazido Até Si Por http://rendasextraonline.com Como Gerar Tráfego Massivo Para o Seu Blog Termos e Condições Aviso Legal O escritor esforçou-se para ser o tão

Leia mais

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance

Alta Performance Como ser um profissional ou ter negócios de alta performance Sobre o autor: Meu nome é Rodrigo Marroni. Sou apaixonado por empreendedorismo e vivo desta forma há quase 5 anos. Há mais de 9 anos já possuía negócios paralelos ao meu trabalho e há um pouco mais de

Leia mais

EMPREENDEDORISMO DE. Professor Victor Sotero

EMPREENDEDORISMO DE. Professor Victor Sotero EMPREENDEDORISMO DE NEGÓCIOS COM INFORMÁTICA Professor Victor Sotero 1 OBJETIVOS DA DISCIPLINA Esta disciplina apresenta uma metodologia para formação de empreendedores. Aberta e flexível, baseada em princípios

Leia mais

Adaptar criativamente

Adaptar criativamente Adaptar criativamente Os fundamentos do benchmarking eficiente e o caminho para a obtenção de vantagem competitiva. Por Robert Camp DOSSIÊ 64 Um dos termos mais comentados e menos compreendidos atualmente

Leia mais

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros

A Lição de Lynch. O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros A Lição de Lynch O mago dos investimentos conta como ganhar nas bolsas depois de Buffet e Soros Por Laura Somoggi, de Marblehead (EUA) É muito provável que o nome Peter Lynch não lhe seja familiar. Ele

Leia mais

Apresentação ao Shopping

Apresentação ao Shopping Apresentação ao Shopping O GrupoM8 utiliza o formato Norte-americano na administração e comercialização de sua rede de franquias Você Sabia? Há trinta anos os Estados Unidos adotaram um modelo inovador

Leia mais

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais!

Vencedores! Ideias de Negócio. Passos para criar. Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Por Rafael Piva Guia 33 Prático Passos para criar Ideias de Negócio Vencedores! Descubra como criar ideias com potencial lucrativo, alinhadas com suas habilidades pessoais! Que bom que você já deu um dos

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B

INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B INSTITUTO SUPERIOR DE CIÊNCIAS APLICADAS ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS B CONSTRUA COM CARINHO SUA REDE PESSOAL Guilherme Demo Limeira SP 2006 2 GUILHERME DEMO CONSTRUA COM CARINHO A SUA REDE PESSOAL Projeto

Leia mais

Indicadores Estratégicos em uma Seguradora Setembro/2001 Francisco Galiza, Mestre em Economia (FGV)

Indicadores Estratégicos em uma Seguradora Setembro/2001 Francisco Galiza, Mestre em Economia (FGV) Indicadores Estratégicos em uma Seguradora Setembro/2001 Francisco Galiza, Mestre em Economia (FGV) De um modo geral, o mercado segurador brasileiro tem oferecido novas possibilidades de negócios mas,

Leia mais

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online

Por Tiago Bastos 1. 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Por Tiago Bastos 1 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar Dinheiro Online Se não pode subir a montanha, torne-se uma. Por Tiago Bastos 2 3 Dicas Infalíveis Para Ganhar

Leia mais

Unidade Ribeirão Preto -SP

Unidade Ribeirão Preto -SP Unidade Ribeirão Preto -SP Gestão Estratégica de Controladoria O papel da controladoria na gestão estratégica de uma empresa Curriculum Luís Valíni Neto Técnico Contábil Administrador de Empresas pela

Leia mais

UWU CONSULTING - DESCUBRA 10 RAZÕES PORQUE O OUTSOURCING TORNA A SUA EMPRESA MAIS COMPETITIVA 2

UWU CONSULTING - DESCUBRA 10 RAZÕES PORQUE O OUTSOURCING TORNA A SUA EMPRESA MAIS COMPETITIVA 2 UWU CONSULTING - DESCUBRA 10 RAZÕES PORQUE O OUTSOURCING TORNA A SUA EMPRESA MAIS COMPETITIVA 2 INDICE 04 O que é o Outsourcing? 09 Como o implementá-lo na sua empresa 11 Vantagens e desvantagens 13 Conclusão

Leia mais