FACULDADE DE TECNOLOGIA IBTA. Bruno OLIVEIRA Daniel GEVAERD Juliana MACHADO Rafael MAREGA Renato ADOLFS. TCS Time Control System

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FACULDADE DE TECNOLOGIA IBTA. Bruno OLIVEIRA Daniel GEVAERD Juliana MACHADO Rafael MAREGA Renato ADOLFS. TCS Time Control System"

Transcrição

1 FACULDADE DE TECNOLOGIA IBTA Bruno OLIVEIRA Daniel GEVAERD Juliana MACHADO Rafael MAREGA Renato ADOLFS TCS Time Control System Campinas SP 2012

2 Bruno OLIVEIRA Daniel GEVAERD Juliana MACHADO Rafael MAREGA Renato ADOLFS TCS Time Control System Trabalho de conclusão de curso apresentada à Faculdade de Tecnologia IBTA para obtenção do Título de Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Orientador: Prof. Msc. David Lourenço da Costa Campinas SP 2012

3 FICHA CATALOGRÁFICA ELABORADA PELA BIBLIOTECA VERIS FACULDADE DE TECNOLOGIA IBTA T249 TCS time control system [manuscrito] / Bruno Oliveira [et. al.]. Campinas, SP: f., enc. Orientador: David Lourenço da Costa. Monografia Veris Faculdades / Faculdade de Tecnologia IBTA, curso de tecnólogo em análise e desenvolvimento de sistemas. 1. Projeto. 2. Software. 3. Scrum. I. Oliveira, Bruno. II. Gevaerd, Daniel. III. Machado, Juliana. VI. Marega, Rafael.

4 Bruno OLIVEIRA Daniel GEVAERD Juliana MACHADO Rafael MAREGA Renato ADOLFS TCS Time Control System Trabalho de conclusão de curso apresentada à Faculdade de Tecnologia IBTA para obtenção do Título de Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. Aprovada em / / BANCA EXAMINADORA Prof. Anselmo Lotufo Conejo Prof. Carla Gonçalves Pelissoni Prof. Odair Jacinto da Silva

5 Dedicamos este trabalho primeiramente a Deus e a todos os familiares, amigos, professores que de alguma forma contribuíram com conhecimento, experiência, ideias e nos incentivaram ao longo desses dois anos e meio para que esse projeto de vida se realizasse.

6 AGRADECIMENTOS Agradecemos a todos que estiveram envolvidos no processo de desenvolvimento deste trabalho, desde a etapa de sua definição até a etapa final. Agradecemos também a todo o corpo acadêmico da instituição Veris IBTA pela imensa colaboração e ajuda durante a elaboração deste trabalho e um agradecimento especial ao Prof. MSc. David Lourenço da Costa pela orientação durante o desenvolvimento deste trabalho. Agradecemos especialmente a nossas famílias por compreender a nossa ausência durante o período de elaboração deste trabalho. Agradeço ao Dylan, pela companhia ao longo das madrugadas e lhe garanto que um dia irei ouvir a resposta no vento. - Rafael Marega Agradeço a família, amigos e ao namorado pela paciência e compreensão de dias e noites perdidas e também pela ausência devido ao trabalho exercido neste TCC. - Juliana Machado Agradeço ao Murilo Beriam e a Enhance Consultoria e Sistema pelo espaço cedido para desenvolver o sistema durante o horário de trabalho e também aos familiares, amigos e professores durante os 5 semestres de estudos. - Bruno de Oliveira Agradeço aos familiares, amigos e companheiros de faculdade que, sem dúvida alguma, contribuíram com meu desenvolvimento acadêmico e me deram forças para enfrentar as barreiras mais difíceis encontradas em minha jornada universitária. - Renato Adolfs

7 A imaginação é mais importante que o conhecimento. Albert Einstein

8 RESUMO Este trabalho tem por objetivo apresentar o sistema de gerenciamento de projetos e recursos, TCS Time Control System, sistema este desenvolvido como trabalho de conclusão do curso de tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da faculdade VERIS IBTA. O software foi desenvolvido para interface web, de forma que agilize, centralize e facilite o processo de gerenciamento de projetos através de consultas a informações gerenciais sobre o andamento do projeto e a utilização de recursos humanos. Este software poderá ser utilizado por empresas que trabalhem voltadas ao gerenciamento de projetos, por exemplo, fábricas de software. Tendo as informações disponíveis através de relatórios e gráficos, o gerente de projetos poderá ter um apoio para tomada de decisão e tomar as atitudes necessárias em menor tempo. O objetivo de desenvolvermos esse software é facilitar o controle de projetos evitando o desperdício de tempo, tendo em vista a deficiência de ferramentas de gestão de projetos via web. Palavras-Chave: Tempo, Registro, Projetos, Gerenciamento, Controle.

9 ABSTRACT This study aims to present a project and resources management system. TCS Time Control System, system development as an end of the course of Technology in Development of Systems Analysis and college Veris IBTA. The software was developed for WEB Interface, this way we can hurry, centralize and facilitate the process of Project management thru web reports of manager information about how the Project is going and also the resources used. This software may be used by companies that work aimed at project management, for example, software factories. Within the information available thru reports and graphics the Project manager will have backup to take decisions and lead them in low time. The Objective to develop this Software is to facilitate the Project control avoiding the waste of time. Key words: Time, Register, Projects, Management, Control.

10 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 - Conjunto de conhecimentos segundo 21 Figura 2 - Grupos de Processos segundo PMBOK 22 Figura 3 - Nove áreas do conhecimento segundo PMBOK 23 Figura 4 - Dinâmica do Processo Scrum 25 Figura 5 -Iterações XP 27 Figura 6 - Casos de uso do grupo de procedimentos Projeto. 39 Figura 7 - Diagrama de Classe Atividade 40 Figura 8 - Diagrama de sequencia relacionado à inserção de dados no sistema 42 Figura 9 - Tela de Consulta de Burndown 43 Figura 10 - Protótipo TCM - Tela de login 44 Figura 11 - Protótipo TCM - Consulta de burndown 44 Figura 12 MVC 48

11 LISTA DE TABELAS Tabela 1 - Recursos x Função 35 Tabela 2 - Atividade x Função 35

12 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ASP - ACTIVE SERVER PAGES CMMI - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION EAP ESTRUTURA ANALÍTICA DE TRABALHO ISO INTERNATIONAL ORGANIZATION OF STANDARDIZATION MSc MASTER IN SCIENCE OGC OFFICE OF GOVERNMENT COMMERCE OPM3 ORGANIZATIONAL PROJECT MANAGEMENT MATURITY MODEL PB PRODUCT BACKLOG PMBOK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE PMO PROJECT MANAGEMENT OFFICE PMP PROJECT MANAGEMENT PROFESSIONAL SOW - STATEMENT OF WORK SVN - SUBVERSION WBS WORK BREAKDOWN STRUCTURE XP EXTREME PROGRAMMING

13 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO OBJETIVO DO TRABALHO JUSTIFICATIVA / MOTIVAÇÃO HIPÓTESE MÉTODO GERENCIAMENTO DE PROJETOS PMI Project Management Institute PMBOK Project Management Body of Knowledge METODOLOGIAS ÁGEIS SCRUM XP ExTREME PROGRAMMING INICIAÇÃO SOW STATEMENT OF WORK (APÊNDICE A) TERMO DE ABERTURA DO PROJETO (APÊNDICE B) DECLARAÇÃO DO ESCOPO WBS / EAP (APÊNDICE C) PLANEJAMENTO PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO COMPOSIÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE PROJETO PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS PLANO DE GERENCIAMENTO DE QUALIDADE PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS PLANO DE GERENCIAMENTO DE COMUNICAÇÕES PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS EXECUÇÃO... 36

14 2.6. MONITORAMENTO E CONTROLE ENCERRAMENTO DESENVOLVIMENTO DO TCS - TIME CONTROL SYSTEM ANÁLISE E DESIGN CASOS DE USO DIAGRAMA DE CLASSE DIAGRAMA DE COMPONENTE DIAGRAMA DE SEQUENCIA PROTOTIPAÇÃO PROTÓTIPO DE BAIXA FIDELIDADE PROTÓTIPO DE ALTA FIDELIDADE TESTES TESTES UNITÁRIOS LINGUAGENS E FERRAMENTAS UTILIZADAS ASP.NET C# CSS HTML JAVASCRIPT LINQ SQL VISUAL STUDIO IIS MVC FRAMEWORK BANCO DE DADOS DICIONÁRIO DE DADOS MICROSOFT SQL SERVER 2008 R

15 MODELO DE ENTIDADE RELACIONAL CONCLUSÃO REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS APÊNDICES APÊNDICE A - SOW STATEMENT OF WORK APÊNDICE B - PROJECT CHARTER APÊNDICE C - WBS / EAP APÊNDICE D CRONOGRAMA APÊNDICE E - PROTÓTIPOS DE BAIXA FIDELIDADE APÊNDICE F - PROTOTIPOS DE ALTA FIDELIDADE APÊNDICE G TESTES UNITÁRIOS APÊNDICE H DICIONÁRIO DE DADOS APÊNDICE I CASOS DE USO APÊNDICE J - DIAGRAMAS DE CLASSE APÊNDICE K - DIAGRAMAS DE SEQUENCIA ANEXOS ANEXO A CHAOS REPORT

16 1. INTRODUÇÃO Todos executam projetos no dia a dia, a maioria deles de forma inconsciente. Nos últimos anos, o gerenciamento de projetos vem se tornando um domínio do conhecimento cada vez mais explorado, estudado e amplamente documentado por instituições como o PMI (Project Management Institute) através de publicações como o PMBOK (Project Management Body of Knowledge), atualmente em sua 4º edição. Apesar do evidente crescimento na divulgação desse conhecimento e a aplicação nas empresas, ainda existem constantes atrasos em projetos (THE STANDISH GROUP CHAOS REPORT, 1995) (ANEXO A). Um estudo realizado pelo PMI em mais de 300 empresas aponta que para 76% das empresas pesquisadas, o problema com a comunicação é o principal motivo pelo fracasso dos projetos, 71% consideram que o não cumprimento de prazos também colabora para estas falhas e 70% culpam as constantes mudanças de escopo (HSM, 2012). Com base nessa pesquisa e para resolver parte desses problemas surgiu a ideia de desenvolver uma ferramenta para apontamento e monitoração de projetos. Assim surgiu o TCS Time Control System, um sistema para auxiliar no controle de projetos e apontamento de horas trabalhadas e servindo como ferramenta vital para que o gerente de projetos acompanhe a evolução do projeto através de relatórios e consultas em tela OBJETIVO DO TRABALHO O objetivo fundamental desse trabalho é descrever e documentar o processo de desenvolvimento de uma ferramenta de software com interface web que agilize, centralize e facilite o processo de gerenciamento de projetos através de consultas a informações gerenciais sobre o andamento do projeto e a utilização de recursos humanos. A mesma ferramenta também é usada pelos membros da equipe do projeto para apontar cada etapa e atividades desenvolvidas e o tempo gasto e isso irá possibilitar o acompanhamento em tempo real do status do projeto. Tendo as informações disponíveis através de relatórios e gráficos, o gerente de projetos poderá ter um apoio para tomada de decisão e tomar as atitudes necessárias em menor tempo. 16

17 1.2. JUSTIFICATIVA / MOTIVAÇÃO A disciplina de gerenciamento de projetos sofreu grandes avanços nos últimos anos e inúmeras instituições contribuíram para esse crescimento, como o PMI e a OGC (Office of Government Commerce), estabelecendo padrões como o PMBOK, OPM3, PRINCE2 e outros. Teorias importantes foram desenvolvidas por essas instituições e as melhores práticas do mercado foram documentadas em diversas publicações. Apesar de toda essa documentação e conhecimento gerado, ainda sim, como já citado, muitos problemas são encontrados em projetos. Para resolver esta questão, muitas empresas estão criando escritórios de projetos e contratando gerentes de projeto. (HSM ONLINE, 2010). Estes profissionais necessitam de ferramentas para ajudar a gerenciar estes projetos, neste cenário para suprir parte desta necessidade foi desenvolvido o TCS HIPÓTESE O uso de um sistema web para controle de projetos pode minimizar atrasos no cronograma, através deste sistema é possível centralizar e disponibilizar todas as informações simplificando o lançamento de atividades dos membros da equipe MÉTODO O trabalho proposto é aplicado por meio de um estudo teórico-experimental a partir do desenvolvimento de um software web de controle de projetos. Através da vivência e observação de diversos membros do grupo e também por literaturas especializadas (THE STANDISH GROUP CHAOS REPORT, 1995) são conhecidos os principais problemas vivenciados na gerência de projeto, para o desenvolvimento desse trabalho foi utilizado o conhecimento empírico adquirido. Para gerenciamento de projetos foram utilizados métodos e boas práticas descritos no PMBOK e para o desenvolvimento do software foi utilizado o método XP (extreme Programming), por se tratar de uma metodologia ágil suas principais vantagens são a escassa documentação, agilidade em alteração do escopo e a alta qualidade exigida no desenvolvimento. 17

18 2. GERENCIAMENTO DE PROJETOS De acordo com o "A Guide to the Project Management Body of Knowledge" Edition, [Project Management Institute (PMI ) December 2000], Gerenciamento de Projetos é a aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas e técnicas nas atividades do projeto a fim de atender os requisitos do projeto. Ele pode ser melhor explicado através dos processos que o compõem, que podem ser reunidos em cinco grupos de processos - Iniciação, Planejamento, Execução, Controle e Encerramento - e em nove Áreas de Conhecimento - Gerenciamento da Integração do Projeto, Gerenciamento do Escopo do Projeto, Gerenciamento do Tempo do Projeto, Gerenciamento dos Custos do Projeto, Gerenciamento da Qualidade do Projeto, Gerenciamento dos Recursos Humanos do Projeto, Gerenciamento da Comunicação do Projeto, Gerenciamento dos Riscos do Projeto e Gerenciamento dos Fornecimentos de Bens e Serviços do Projeto. Após o inicio do desenvolvimento do TCS, notou-se que o sistema era mais complexo do que o imaginado inicialmente, devido a esse fato foi decidido criar os artefatos solicitados pelo PMBOK como o cronograma, por exemplo, mas o desenvolvimento foi realizado utilizando um método ágil usando o XP. Pelo grupo não estar junto no dia a dia para o desenvolvimento do software, foram criados alguns processos para distribuição das atividades, acompanhamento e execução das tarefas referentes ao projeto. O processo consistia em rápidas reuniões para definir os responsáveis por cada atividade, essas reuniões tipicamente eram realizadas durante as aulas de prática de gerenciamento de projeto e devido ao fato dos integrantes do grupo residirem em cidades diferentes, constantemente eram realizadas reuniões através do Skype e comunicações eram enviadas através de s. Como ferramenta para controle de tarefas foi utilizado também o Google Code que possui ferramentas para gerenciar atividades em conjunto com o SVN (Subversion) com isso foi possível uma forma eficiente de comunicação. O gerente de projetos foi o responsável pela missão de alinhar as atividades do grupo, dividir as tarefas e também cobrar a execução de cada etapa em seu devido prazo. Essa tarefa foi realizada utilizando comunicação por , avisos automáticos do Google Code e caso necessário cobrança verbal pessoalmente. 18

19 2.1. PMI Project Management Institute O instituto Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o Project Management Institute (PMI ) é a principal associação mundial sem fins lucrativos em Gerenciamento de Projetos, atualmente com mais de associados em 185 países. História Segundo o site oficial da instituição (PMI), o PMI foi fundado em 1969 por cinco voluntários. A Comunidade da Pensilvânia emitiu as Cláusulas de Incorporação do PMI, oficializando sua fundação. Durante aquele mesmo ano, o primeiro PMI Seminars & Symposium aconteceu em Atlanta, Geórgia EUA, com a participação de 83 pessoas. Nos anos setenta, a primeira edição do Project Management Quarterly (PMQ) foi publicada, e posteriormente renomeada para Project Management Journal (PMJ). O primeiro evento anual "Seminars & Symposium" foi realizado fora dos EUA, o primeiro Capítulo do PMI foi oficializado e o primeiro Programa de Prêmios Profissionais estabelecido. Ao final da década, o PMI somava mais de associados no mundo. Durante os anos oitenta, o número de associados do PMI continuou crescendo, bem como os programas e serviços oferecidos pela associação. Um Código de Ética foi adotado para a profissão e o primeiro Project Management Professional (PMP ) foi credenciado. O primeiro modelo padrão de Gerenciamento de Projetos foi publicado: o PMQ Special Report on Ethics Standards and Accreditation. As publicações do PMI sobre produtos e serviços cresceram rapidamente durante esta década. O primeiro livro do PMI foi co - publicado e nasceu a PMNetwork, revista mensal do PMI. Em função deste crescimento foi estabelecida a Divisão de Publicações do PMI na Carolina do Norte, EUA. Em 1990, o PMI somava mais de associados e em 1993 este número crescia cerca de 20% ao ano. Durante os anos noventa foram formados os Grupos de Interesses Específicos, os Colleges e o Seminars USA, uma série de programas educacionais em Gerenciamento de Projeto (depois renomeado como World Seminars). O PMI também marcou presença na rede mundial da Internet e publicou o "A Guide to the Project Management Body of Knowledge (PMBOK Guide)", um guia englobando todas as áreas do conhecimento que regem as regras 19

20 do gerenciamento de projetos. O PMI Today, boletim informativo mensal do PMI, foi impresso pela primeira vez e o Programa de Desenvolvimento Profissional (Professional Development Program - PDP) foi estabelecido para que os profissionais credenciados como PMP mantenham sua certificação. No inicio do século 21, o PMI tinha mais de associados, mais de Profissionais de Gerenciamento de Projeto (PMP) credenciados e mais de cópias do PMBOK Guide estavam em circulação. Hoje Atualmente o PMI conta com mais de associados em 185 países. Os associados do PMI são indivíduos praticando e estudando o Gerenciamento de Projeto nas mais diversas áreas, como aeroespacial, automobilística, administração, construção, engenharia, serviços financeiros, tecnologia da informação, farmacêutica e telecomunicações. Com o passar do tempo, o PMI se tornou, e continua sendo, a principal associação profissional em Gerenciamento de Projetos. Os associados e interessados em Gerenciamento de Projetos têm à sua disposição uma extensa relação de produtos e serviços oferecidos pelo PMI. Estes produtos e serviços são descritos abaixo e estão detalhados no site do PMI. (PMI SP, 2010) PMBOK Project Management Body of Knowledge O PMBOK é um conjunto de práticas em gestão de projetos ou gerenciamento de projetos publicado pelo PMI e constitui a base do conhecimento em gerenciamento de projetos do PMI. Estas práticas são compiladas na forma de um guia, chamado de o Guia PMBOK. O Guia PMBOK identifica um subconjunto do conjunto de conhecimentos em gerenciamento de projetos, que é amplamente reconhecido como boa prática, sendo em razão disso, utilizado como base pelo PMI. Uma boa prática não significa que o conhecimento e as práticas devem ser aplicadas uniformemente a todos os projetos, sem considerar se são ou não apropriados. 20

21 O Guia PMBOK também fornece e promove um vocabulário comum para se discutir, escrever e aplicar o gerenciamento de projetos possibilitando o intercâmbio eficiente de informações entre os profissionais de gerência de projetos. O guia é baseado em processos e sub processos para descrever de forma organizada o trabalho a ser realizado durante o projeto. Essa abordagem se assemelha à empregada por outras normas como a ISO 9000 e o Software Engineering Institute's, CMMI. Os processos descritos se relacionam e interagem durante a condução do trabalho e a descrição de cada um deles é feita em termos de: Entradas (documentos, planos, desenhos etc.); Ferramentas e técnicas (que se aplicam as entradas); Saídas (documentos, produtos, etc). A versão 2008 do guia cita 42 processos agrupados em cinco grupos e nove áreas de conhecimento. O conjunto de conhecimentos de acordo com o PMBOK é ilustrado na figura 1: Figura 1 - Conjunto de conhecimentos segundo PMBOK Fonte: (PMI) O conhecimento de gerenciamento de projetos, descrito no Guia PMBOK consiste em: Definição do ciclo de vida e da organização de um projeto Descrição dos grupos de processos de gerenciamento de projetos (figura 2): 21

22 1. Iniciação 2. Planejamento 3. Execução 4. Monitoramento e controle 5. Encerramento Figura 2 - Grupos de Processos segundo PMBOK Fonte: (D'ÁVILA, 2007) Descrição das nove áreas de conhecimento (figura 3): 1. Gerenciamento/Gestão de integração do projeto 2. Gerenciamento/Gestão do escopo do projeto 3. Gerenciamento/Gestão de tempo do projeto 4. Gerenciamento/Gestão de custos do projeto 5. Gerenciamento/Gestão da qualidade do projeto 6. Gerenciamento/Gestão de recursos humanos do projeto 7. Gerenciamento/Gestão das comunicações do projeto 8. Gerenciamento/Gestão de riscos do projeto 9. Gerenciamento/Gestão de aquisições do projeto 22

23 Figura 3 - Nove áreas do conhecimento segundo PMBOK Fonte: (D'ÁVILA, 2007) 2.2. METODOLOGIAS ÁGEIS O termo Metodologias Ágeis tornou-se popular em 2001 quando dezessete especialistas em processos de desenvolvimento de software representando os métodos scrum, extreme programming (XP) e outros, estabeleceram princípios comuns compartilhados por todos esses métodos. Foi então criada a Aliança Ágil e o estabelecimento do Manifesto Ágil. (agilemanifesto.org, 2001) Os conceitos chave do Manifesto Ágil são: Indivíduos e interações mais que de processos e ferramentas; Software executável mais que documentação; Colaboração do cliente mais que negociação de contratos; Respostas rápidas a mudanças mais que seguir planos. O Manifesto Ágil não rejeita os processos e ferramentas, a documentação, a negociação de contratos ou o planejamento, mas simplesmente mostra que eles têm importância secundária quando comparado com os indivíduos e interações, com o software estar executável, com a colaboração do cliente e as respostas rápidas a mudanças e alterações. Esses conceitos aproximam-se melhor com a forma que pequenas e médias organizações trabalham e 23

24 respondem a mudanças. Entre as metodologias ágeis podem ser citadas duas das mais conhecidas, são elas: SCRUM e XP SCRUM O termo surgiu em um estudo de Takeuchi & Nonaka, no qual, os autores notaram que pequenos projetos que tinham equipes pequenas e multifuncionais obtinham os melhores resultados. Este estudo serviu como base para que, em 1993, Jeff Sutherland criasse o Scrum. O objetivo do Scrum é entregar a maior qualidade de software possível dentro de uma série de pequenos intervalos de tempo fixo, chamados Sprints, que tipicamente duram menos de um mês (scrum.org, 2012). Ou seja, ao final de cada Sprint, espera-se que sejam entregues funcionalidades que possam ser utilizadas pelo usuário, gerando valor para seu negócio ou aumentando sua satisfação em relação ao produto entregue. O método tem início com uma reunião denominada Sprint Planning. Na primeira parte desta reunião, são eleitos os requisitos de sistema registrados no Product Backlog (PB) que serão desenvolvidos ao longo do Sprint. Na segunda parte desta reunião, são discutidas e detalhadas as atividades envolvidas na execução de cada item selecionado. Após, dá-se início à fase de execução das atividades, o Sprint propriamente dito. Conforme o guia do scrum (scrum.org, 2012) no caso do desenvolvimento de software, o Sprint inclui as fases tradicionais do desenvolvimento de software: requisitos, análise, projeto e entrega. Durante o Sprint, são realizadas reuniões diárias conhecidas como Scrum Meetings ou Daily Scrum. As Scrum Meetings permitem que o time de desenvolvimento possa socializar o conhecimento de cada membro do time e possui uma profunda transcendência cultural. Ao final do tempo determinado para o Sprint, é realizada uma reunião de entrega do incremento do produto. Esta última reunião é chamada Sprint Review. A última reunião do Sprint é denominada Sprint Retrospective Meeting e serve para que os membros do time possam discutir a respeito das melhorias no processo de desenvolvimento para o próximo ciclo de desenvolvimento. A figura abaixo retrata a dinâmica do processo Scrum: 24

25 Figura 4 - Dinâmica do Processo Scrum Fonte: O Scrum possui três papéis fundamentais. O Scrum Master (SM) deve trabalhar para que o processo Scrum aconteça e para que não existam impedimentos para que os membros da equipe realizem seu trabalho. Remover os obstáculos apontados no Daily Scrum é seu dever, de modo que os desenvolvedores se concentrem apenas nas questões técnicas. Outro papel importante no método é o do Product Owner (PO). Este membro do time representa o cliente interno ou externo. Ele deve definir quais são os requisitos e qual é o grau de importância e prioridade de cada um deles. Por fim, o último papel destacado pelo Scrum é o próprio time, que deve ser multidisciplinar, auto gerenciável e todos devem estar em busca de um objetivo comum. Ao longo do desenvolvimento do TCS Time Control System, que é o foco deste trabalho, foram realizadas pesquisas e discussões internas sobre como a utilização do TCS e como poderá ajudar empresas que fazem uso desta metodologia, a conclusão foi que as funcionalidades de cadastros de projetos, fase de projeto, atividades, equipe de projeto, colaborador, registro de trabalho em atividade, comentário da atividade e evidência da atividade são partes desta metodologia de gerência do projeto, portanto, consideramos o software aderente a metodologia. Para adicionarmos mais funcionalidades ao software e atender a metodologia como um todo foram adicionadas duas telas de consulta de taskboard e burndown que são consultas normalmente utilizadas para o acompanhamento de projetos nesta metodologia. 25

26 XP ExTREME PROGRAMMING A Extreme Programming (XP) é uma metodologia ágil para equipes pequenas e médias que desenvolvem software baseado em requisitos vagos e que se modificam rapidamente (Programação Extrema Explicada, Beck, 1999). Dentre as principais diferenças da XP em relação às outras metodologias estão: Feedback constante; Abordagem incremental; A comunicação entre as pessoas é encorajada; A maioria das regras da XP causa polêmica à primeira vista e muitas não fazem sentido se aplicadas isoladamente. É a sinergia de seu conjunto que sustenta o sucesso de XP, encabeçando uma verdadeira revolução no desenvolvimento de software. A XP enfatiza o desenvolvimento rápido do projeto e visa garantir a satisfação do cliente, além de favorecer o cumprimento das estimativas. As regras, práticas e valores da XP proporcionam um agradável ambiente de desenvolvimento de software para os seus seguidores, que são conduzidos por quatro valores: comunicação, simplicidade, feedback e coragem (Programação Extrema Explicada, Beck, 1999). A finalidade do princípio de comunicação é manter o melhor relacionamento possível entre clientes e desenvolvedores, preferindo conversas pessoais a outros meios de comunicação. A comunicação entre os desenvolvedores e o gerente do projeto também é encorajada. A forma de comunicação é um fator chave na XP: procura-se o máximo possível comunicar-se pessoalmente, evitando-se o uso de telefone e o envio de mensagens por correio eletrônico. A simplicidade visa permitir a criação de código simples que não deve possuir funções desnecessárias. Por código simples entende-se programar o software com o menor número possível de classes e métodos. Outra ideia importante da simplicidade é procurar programar apenas requisitos atuais, evitando-se adicionar funcionalidades que podem ser importantes no futuro. A aposta da XP é que é melhor fazer algo simples hoje e pagar um pouco mais amanhã para fazer modificações necessárias do que implementar algo complicado hoje que talvez não venha a ser usado, sempre considerando que requisitos são mutáveis. 26

27 A prática do feedback constante significa que o programador terá informações constantes do código e do cliente. A informação do código é dada pelos testes constantes, que indicam os erros tanto individuais quanto do software integrado. Em relação ao cliente, o feedback constante significa que ele terá frequentemente uma parte do software totalmente funcional para avaliar. O cliente então constantemente sugere novas características e informações aos desenvolvedores. Eventuais erros e não conformidades são rapidamente identificados e corrigidos nas próximas versões. Desta forma, a tendência é que o produto final esteja de acordo com as expectativas reais do cliente. A imagem a seguir mostra de forma gráfica as iterações que ocorrem durante o processo. Figura 5 -Iterações XP Fonte: A XP baseia-se nas 12 práticas (Programação Extrema Explicada, Beck, 1999) à seguir: Planejamento: consiste em decidir o que é necessário ser feito e o que pode ser adiado no projeto. A XP baseia-se em requisitos atuais para desenvolvimento de software, não em requisitos futuros. Além disso, a XP procura evitar os problemas de relacionamento entre a área de negócios (clientes) e a área de desenvolvimento. As duas áreas devem cooperar para o sucesso do projeto e cada uma deve focar em partes específicas do projeto. Desta forma, enquanto a área de negócios deve decidir sobre o escopo, a composição das versões e as datas de entrega, os desenvolvedores devem decidir sobre as estimativas de prazo, o processo de desenvolvimento e o cronograma detalhado para que o software seja entregue nas datas específicas. 27

28 Entregas frequentes: visa à construção de um software simples, e conforme os requisitos surgem, há a atualização do software. Cada versão entregue deve ter o menor tamanho possível, contendo os requisitos de maior valor para o negócio. Idealmente devem ser entregues versões a cada mês, ou no máximo a cada dois meses, aumentando a possibilidade de feedback rápido do cliente. Isto evita surpresas caso o software seja entregue após muito tempo e melhora as avaliações do cliente, aumentando a probabilidade do software final estar de acordo com os requisitos do cliente. Metáfora: são as descrições de um software sem a utilização de termos técnicos, com o intuito de guiar o desenvolvimento do software. Projeto simples: o programa desenvolvido pelo método XP deve ser o mais simples possível e satisfazer os requisitos atuais, sem a preocupação de requisitos futuros. Eventuais requisitos futuros devem ser adicionados assim que eles realmente existirem. Testes: a XP focaliza a validação do projeto durante todo o processo de desenvolvimento. Os programadores desenvolvem o software criando primeiramente os testes. Programação em pares: a implementação do código é feita em dupla, ou seja, dois desenvolvedores trabalham em um único computador. O desenvolvedor que está com o controle do teclado e do mouse implementa o código, enquanto o outro observa continuamente o trabalho que está sendo feito, procurando identificar erros sintáticos e semânticos e pensando estrategicamente em como melhorar o código que está sendo implementado. Esses papéis podem e devem ser alterados continuamente. Uma grande vantagem da programação em dupla é a possibilidade dos desenvolvedores estarem continuamente aprendendo um com o outro. Refatoração: focaliza o aperfeiçoamento do projeto do software e está presente em todo o desenvolvimento. A refatoração deve ser feita apenas quando é necessário, ou seja, quando um desenvolvedor da dupla, ou os dois, percebe que é possível simplificar o módulo atual sem perder nenhuma funcionalidade. Propriedade coletiva: o código do projeto pertence a todos os membros da equipe. Isto significa que qualquer pessoa que percebe que pode adicionar valor a um código, mesmo que ele próprio não o tenha desenvolvido, pode fazê-lo, desde que faça a bateria de testes 28

29 necessária. Isto é possível porque na XP todos são responsáveis pelo software inteiro. Uma grande vantagem desta prática é que, caso um membro da equipe deixe o projeto antes do fim, a equipe consegue continuar o projeto com poucas dificuldades, pois todos conhecem todas as partes do software, mesmo que não seja de forma detalhada. Integração contínua: é a prática de interagir e construir o sistema de software várias vezes por dia, mantendo os programadores em sintonia, além de possibilitar processos rápidos. Integrar apenas um conjunto de modificações de cada vez é uma prática que funciona bem porque fica óbvio quem deve fazer as correções quando os testes falham: a última equipe que integrou código novo ao software. Esta prática é facilitada com o uso de apenas uma máquina de integração, que deve ter livre acesso a todos os membros da equipe. 40 horas de trabalho semanal: a XP assume que não se deve fazer horas extras constantemente. Caso seja necessário trabalhar mais de 40 horas pela segunda semana consecutiva, existe um problema sério no projeto que deve ser resolvido não com aumento de horas trabalhadas, mas com melhor planejamento, por exemplo. Esta prática procura ratificar o foco nas pessoas e não em processos e planejamentos. Caso seja necessário, os planos devem ser alterados, ao invés de sobrecarregar as pessoas. Cliente presente: é fundamental a participação do cliente durante todo o desenvolvimento do projeto. O cliente deve estar sempre disponível para sanar todas as dúvidas de requisitos, evitando atrasos e até mesmo construções erradas. Uma ideia interessante é manter o cliente como parte integrante da equipe de desenvolvimento. Código padrão: padronização na arquitetura do código, para que este possa ser compartilhado entre todos os programadores. Para o desenvolvimento do sistema que é tema deste trabalho, foram aplicados os conceitos básicos de XP, principalmente, para melhorar a produtividade. Constantemente foi utilizado o conceito de planejamento proposto pela metodologia, realizando a divisão de tarefas entre desenvolvimento e área de negócio nesta etapa de planejamento foi utilizado constantemente com o conceito de metáforas. Durante as etapas de desenvolvimento, sempre que possível foi utilizado o desenvolvimento em pares e o processo de teste foi realizado durante o processo de desenvolvimento. 29

30 Com a aplicação destes conceitos houve, com certeza, ganho de tempo durante o desenvolvimento do software e uma melhor integração entre a equipe. 30

31 2.3. INICIAÇÃO Na fase inicial do projeto foram desenvolvidos alguns documentos SOW STATEMENT OF WORK (APÊNDICE A) A SOW (Statement of Work) é o documento onde são mapeados e descritos todos os stakeholders: patrocinadores, clientes, equipe, etc. Também é claramente definido qual o objetivo do projeto, a motivação da execução do projeto e quais as expectativas dos stakeholders com relação ao projeto TERMO DE ABERTURA DO PROJETO (APÊNDICE B) O Project Charter tem o objetivo de definir de maneira geral os objetivos, premissas, restrições e escopo do projeto / produto em uma tentativa de dar uma visão geral do produto. Também busca ter uma visão de prazo e custo para execução do projeto DECLARAÇÃO DO ESCOPO A declaração do escopo é o documento onde estão registrados informações sobre os requisitos funcionais e não funcionais do produto. Este documento representa o que o cliente espera receber ao final do projeto WBS / EAP (APÊNDICE C) Criar a EAP é o processo de subdivisão das entregas e do trabalho do projeto em componentes menores e de gerenciamento mais fácil. A estrutura analítica do projeto (EAP) é uma decomposição hierárquica orientada às entregas do trabalho a ser executado pela equipe para atingir os objetivos do projeto e criar as entregas requisitadas, sendo que cada nível descendente da EAP representa uma definição gradualmente mais detalhada da definição do trabalho do projeto. A EAP organiza e define o escopo total e representa o trabalho especificado na atual declaração do escopo do projeto aprovada. 31

32 2.4. PLANEJAMENTO O Grupo de Processos de Planejamento consiste nos processos realizados para estabelecer o escopo total do esforço, definir e refinar os objetivos e desenvolver o curso de ação necessário para alcançar esses objetivos. Os processos de planejamento desenvolvem o plano de gerenciamento e os documentos do projeto que serão usados para executá-lo. A natureza multidimensional do gerenciamento de projetos cria loops de feedback periódicos para análise adicional. À medida que mais informações ou características do projeto são coletadas e entendidas, pode ser necessário um planejamento adicional. Mudanças significativas ocorridas ao longo do ciclo de vida do projeto acionam uma necessidade de revisitar um ou mais dos processos de planejamento e possivelmente, alguns dos processos de iniciação. Este detalhamento progressivo do plano de gerenciamento do projeto com frequência é denominado planejamento por ondas sucessivas, indicando que o planejamento e a documentação são processos iterativos e contínuos PLANO DE GERENCIAMENTO DO PROJETO Desenvolver o Plano de Gerenciamento do Projeto é o processo de documentação das ações necessárias para definir, preparar, integrar e coordenar todos os planos auxiliares. O plano de gerenciamento do projeto torna-se a fonte principal de informações sobre como o mesmo será planejado, executado, monitorado, controlado e encerrado COMPOSIÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE PROJETO A composição do Plano de Gerenciamento de Projeto foi elaborada para auxiliar e servir de linha base para as etapas que o gerenciamento de projeto deve seguir. Este plano contém subitens, para cada área do conhecimento. São eles: Plano de Gerenciamento de Escopo Plano de Gerenciamento de Tempo Plano de Gerenciamento de Custos Plano de Gerenciamento de Qualidade Plano de Gerenciamento de Recursos Humanos Plano de Gerenciamento de Comunicações Plano de Gerenciamento de Riscos 32

33 PLANO DE GERENCIAMENTO DE ESCOPO A definição de requisitos ocorrerá à partir do momento que se obtém as configurações e parametrizações do cliente em questão como o formulário que será utilizado para registro de dados, quais campos serão relevantes para captação das informações. A partir dos requisitos poderemos começar a desenhar e construir o sistema, visando às informações solicitadas pelo cliente, levando-se em conta os requisitos básicos do próprio sistema para funcionamento apropriado. As solicitações de mudanças serão gerenciadas diretamente pelo gerente do projeto, para garantir que essas mudanças sejam benéficas, determinar se ocorreu uma mudança e gerenciar as mudanças aprovadas, inclusive o momento em que ocorrem. Esse processo é realizado durante todo o projeto, desde a iniciação até o encerramento do projeto. A implantação ocorrerá após o material de treinamento ter sido fornecido junto com o manual de operações do sistema, e deverá ocorrer em regime de produção PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO O gerenciamento ocorrerá após a identificação das atividades específicas para produzir as entregas do projeto. Utilizando o dashboard de status por atividade. Status de cada atividade (A Fazer, Em Andamento, Testando e Concluído). Sendo que toda atividade deverá conter uma data de previsão de término e a quantidade de horas previstas para concluir a atividade. Todas as atividades deverão ser definidas por tipo (Análise, Desenvolvimento, Melhoria e Defeito). O gerente de projeto será o encarregado pelo gerenciamento, e pela inclusão de mudanças necessárias dentro do cronograma. Segue cronograma no Apêndice D 33

34 Relatórios de desempenho por atividades serão requisitados pelo gerente de projeto. Assim como as solicitações de mudanças aprovadas e rejeitadas PLANO DE GERENCIAMENTO DE CUSTOS Os custos serão estimados por atividades do cronograma e serão arredondados até uma precisão definida (por exemplo, $100, $1.000), com base no escopo das atividades e na extensão do projeto, e podem incluir uma quantia para contingências. Serão definidas todas as unidades usadas nas medições, como equipe-horas, equipe-dias, semanas, para cada um dos recursos PLANO DE GERENCIAMENTO DE QUALIDADE Segunda norma ISO 9000:2000 define: [...] qualidade como grau no qual um conjunto de características inerentes satisfaz a requisitos. Com base nisso para controlar a qualidade serão implementadas definições operacionais para que as mesmas possam ser medidas. Parte da equipe do projeto irá realizar testes semanais de interação com o software para garantir que ao final seja entregue um produto que atenda aos requisitos apresentados. A cada erro encontrado será reportado à equipe de desenvolvido que irá corrigir o problema, criando um ciclo de melhorias no sistema PLANO DE GERENCIAMENTO DE RECURSOS HUMANOS Deverá ser continuamente atualizado pelo gerente do projeto durante o projeto para orientar o recrutamento e a seleção de membros da equipe em andamento e ações de desenvolvimento. Os recursos do projeto são: Recurso Função Bruno Oliveira Analista de Sistemas / Desenvolvimento Daniel Gevaerd Gerente de Projetos / Analista de Banco de Dados Juliana Machado Analista de Banco de Dados Rafael Marega Analista de Sistemas / Documentação / Monografia / Slides / Apresentação Renato Adolfs Desenvolvedor / Analista de Banco de 34

35 Dados Tabela 1 - Recursos x Função Os recursos do projeto e suas respectivas atividades serão demonstrados na matriz abaixo: Atividade Analista de Banco de dados Analista de Sistemas Gerente de Projetos Projetar C C R/A C Documentar R R R/A R Desenvolver R/A C/I C/I R/A Testar C/I C/I I R/A Implantar C/I R/A C/I C/I Tabela 2 - Atividade x Função Responsible (R): o responsável pela execução da tarefa. Implementador / Testador Accountable (A): é que possui a propriedade sobre a atividade, e responde pelos seus resultados. Só é possível existir um Accountable. Ele irá responder para o Responsible. Consulted (C): Será consultado, fornecendo conselhos, e também poderá autorizar determinadas tarefas. Informed (I): Será informado durante o processo PLANO DE GERENCIAMENTO DE COMUNICAÇÕES O gerente de projetos será o responsável por determinar as informações que serão comunicadas assim como o formato, conteúdo e nível de detalhes. O mesmo definirá a frequência, restrições, premissas e as pessoas envolvidas. Foi criado um site onde todos os recursos envolvidos no projeto têm acesso as informações do mesmo. O endereço do site é PLANO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS Cada recurso será responsável por categorizar os riscos (usando uma escala relativa representando os valores das probabilidades desde muito improvável até quase certeza ). Os impactos dos mesmos são: alta, moderada ou baixa. 35

36 Os recursos deverão prover ao gerente de projeto uma matriz de categorização X impacto, junto com um planejamento de resposta a esses riscos. O gerente de projetos será responsável por verificar a tolerância dos riscos relatados, pelo acompanhamento e pela documentação EXECUÇÃO Segundo o PMBOK (PMI) esta etapa é composta pelos processos realizados para executar o trabalho definido no plano de gerenciamento do projeto para satisfazer as especificações do mesmo. Esta etapa foi particularmente estressante, lenta e complexa. Pois iniciou - se o desenvolvimento das funcionalidades baseada na declaração de escopo inicial e foi realizado trabalho para atender ao escopo proposto, exigindo grande empenho de toda equipe e muitas horas de trabalho. Ainda na fase inicial foi possível notar que não seria possível entregar parte do escopo previsto, devido à falta de tempo e know-how em determinadas tecnologias. Assim sendo, optou - se por deixar parte do que deveria ser desenvolvido para melhorias futuras na ferramenta. Ainda nesta fase optou-se por mudar a forma de gerenciamento e acompanhamento do projeto passando a trabalhar com metodologias ágeis, especificamente XP. O TCS Time Control System tem como missão, justamente acompanhar a fase de execução, monitoramento e controle do projeto. Fazendo isso através da entrega de relatórios aos Stakeholders do projeto. Esse é o ponto onde foi encontrado a maior dificuldade incialmente, no desenvolvimento das telas de Burndown e Taskboard com atuação em equipe foi possível solucionar a questão. Muitas lições foram aprendidas nesta etapa de execução do projeto, novas tecnologias e metodologias foram assimiladas, a principal lição foi o trabalho em equipe MONITORAMENTO E CONTROLE O monitoramento e controle são processos que visam observar e acompanhar a execução do projeto, permitindo que potenciais problemas possam ser antecipadamente identificados para 36

37 que ações corretivas sejam tomadas antes de os problemas tomarem proporções incontroláveis. Este projeto foi monitorado pelo gerente de projeto durante toda a fase de desenvolvimento e em cada etapa do projeto. Para o gerenciamento foram utilizadas as metodologias já citadas e ferramentas do Google sites, através da qual foram cadastradas as atividades para cada membro do grupo e o próprio sistema se encarregava de enviar s com lembretes. Os membros do grupo a cada atividade iniciada ou finalizada acessam a ferramenta e mudam o status da atividade. Através desta ferramenta foi possível ter controle de todo o projeto sem a necessidade do grupo ter encontros frequentes ENCERRAMENTO Esta etapa é a finalização formal de todas as atividades do projeto, inclusive a entrega do produto desejado. Conforme pré-definido no escopo, foram entregues as funcionalidades mapeadas e a validação final foi realizada pelos membros do grupo e ratificada pelo gerente de projeto. Hoje todos os membros do grupo estão livres para desenvolver atividades futuras do trabalho. 37

38 3. DESENVOLVIMENTO DO TCS - TIME CONTROL SYSTEM Nesta etapa são demonstrados todos os diagramas, protótipos e outros documentos criados na fase de análise e desenvolvimento do produto ANÁLISE E DESIGN Segundo (BOOCH, JACOBSON, et al., 2005) um modelo é uma simplificação da realidade e construímos modelos para compreender melhor o sistema que estamos desenvolvendo. Com a modelagem, alcançamos quatro objetivos. 1. Os modelos ajudam a visualizar o sistema como ele é ou como desejamos que seja. 2. Os modelos permitem especificar a estrutura ou o comportamento de um sistema. 3. Os modelos proporcionam um guia para a construção do sistema. 4. Os modelos documentam as decisões tomadas CASOS DE USO Segundo (BOOCH, JACOBSON, et al., 2005), os casos de uso, de forma simples, demonstram os requisitos funcionais de um sistema. Os casos de uso devem seguir os seguintes critérios: Ilustrar o que o sistema realizará e não como realizará; As funcionalidades são descritas do ponto de vista dos atores; Os atores são papéis que os usuários desempenharão no sistema. Seguindo estas premissas e com base das regras de negócio do sistema, segue abaixo os casos de uso do sistema: 38

39 Figura 6 - Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Projeto.. Fonte: Desenvolvido pelo autor. Segue abaixo a descrição do caso de uso procedimento de projeto. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições UC Criar Projeto Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja criar um projeto Colaborador Todos os casos de uso de Login (UC-08); Somente executam este caso de uso os colaboradores administrador do site. Pós-condições N/A. Fluxo Principal: FP01 Criar Projeto: 1. O Colaborador clica no link Novo projeto ; 2. O Sistema requisita informações sobre o projeto; 3. O Colaborador fornece os dados requisitados; 4. O Colaborador clica no botão Salvar ; 39

40 5. O Sistema salva o projeto; 6. Fim do caso de uso. Outros casos de uso do sistema e suas respectivas descrições poderão ser encontrados no apêndice I DIAGRAMA DE CLASSE Diagrama de classes é uma representação da estrutura e relações das classes que servem de modelo para objetos. Abaixo os diagramas relacionados ao TCS. Figura 7 - Diagrama de Classe Atividade Fonte: Desenvolvido pelo autor. Outros diagramas de classe do sistema e suas respectivas descrições poderão ser encontrados no apêndice J. 40

41 DIAGRAMA DE COMPONENTE Diagrama de componentes da UML ilustra como as classes deverão se encontrar organizadas através da noção de componentes de trabalho. Por exemplo, pode-se explicitar, para cada componente, qual das classes que ele representa DIAGRAMA DE SEQUENCIA Um diagrama de sequência descreve a maneira como os grupos de objetos colaboram em algum comportamento ao longo do tempo. Ele registra o comportamento de um único caso de uso e exibe os objetos e as mensagens passadas entre esses objetos no caso de uso. 41

42 Figura 8 - Diagrama de sequencia relacionado à inserção de dados no sistema. Fonte: Desenvolvida pelo autor Outros diagramas de sequencia do sistema e suas respectivas descrições poderão ser encontrados no apêndice K PROTOTIPAÇÃO PROTÓTIPO DE BAIXA FIDELIDADE Foram criados protótipos de baixa fidelidade para criar uma visão próxima de como iria ficar o sistema quando pronto. Está é uma etapa fundamental para definição as principais funcionalidades e para enxergar detalhes que não conseguimos ver nos diagramas. Para o desenho de baixa fidelidade foi utilizado o MS Excel. 42

43 Figura 9 - Tela de Consulta de Burndown Fonte: Desenvolvida pelo autor Demais protótipos de baixa fidelidade listados no apêndice E PROTÓTIPO DE ALTA FIDELIDADE Foram criados protótipos de alta fidelidade ao longo do desenvolvimento do sistema, estes protótipos já foram desenvolvidos na tecnologia e linguagens utilizadas no desenvolvimento de todo o sistema. A descrição detalhada destas tecnologias pode ser encontrada no item deste trabalho. 43

44 Figura 10 - Protótipo TCM - Tela de login Fonte: Desenvolvido pelo autor Figura 11 - Protótipo TCM - Consulta de burndown Fonte: Desenvolvido pelo autor Demais protótipos de baixa fidelidade listados no apêndice F. 44

45 TESTES TESTES UNITÁRIOS Teste unitário de software é o processo pelo qual garantimos a qualidade do sistema desenvolvido. Testes unitários podem ser vistos no apêndice G LINGUAGENS E FERRAMENTAS UTILIZADAS ASP.NET ASP.NET é a plataforma da Microsoft para o desenvolvimento de aplicações web e é o sucessor da tecnologia ASP. É um componente do IIS que permite através de uma linguagem de programação integrada na.net Framework criar páginas dinâmicas. O ASP.NET é baseado no Framework.NET herdando todas as suas características, por isso, como qualquer aplicação.net, as aplicações para essa plataforma podem ser escritas em várias linguagens, como C# e Visual Basic.NET. A sintaxe ASP.NET define a estrutura, o layout e as configurações de uma página ASP.NET. Ela também define o layout para controles do servidor ASP.NET, código do aplicativo, configuração do aplicativo e web services XML. Qualquer recurso ASP.NET pode ser criado em arquivos texto com a correta extensão do nome do arquivo. Isto inclui arquivos de configuração do ASP.NET, arquivos do aplicativo (Global.asax), páginas ASP.NET e controles do servidor Web. (MICROSOFT) C# C# é uma linguagem orientada a objeto, de tipo seguro, simples, mas poderosa, que permite aos programadores criar uma variedade de aplicativos. Combinado com o.net Framework, o Visual C# 2010 possibilita a criação de aplicativos para o Windows, web services, ferramentas de bancos de dados, componentes, controles e mais. (MICROSOFT) CSS Cascading Style Sheets (ou simplesmente CSS) é uma linguagem de estilo utilizada para definir a apresentação de documentos escritos em uma linguagem de marcação, como HTML ou XML. Seu principal benefício é prover a separação entre o formato e o conteúdo de um documento. (W3C) 45

46 HTML HTML (abreviação para a expressão inglesa Hyper Text Markup Language, que significa Linguagem de Marcação de Hipertexto) é uma linguagem de marcação utilizada para produzir páginas na Web. Documentos HTML podem ser interpretados por navegadores. (W3C) JAVASCRIPT JavaScript é uma linguagem de script baseada em ECMAScript padronizada pela Ecma international nas especificações ECMA-262[2] e ISO/IEC e é atualmente a principal linguagem para programação client-side em navegadores web. Foi concebida para ser uma linguagem script com orientação a objetos baseada em protótipos, tipagem fraca e dinâmica e funções de primeira classe. Possui suporte à programação funcional e apresenta recursos como fechamentos e funções de alta ordem comumente indisponíveis em linguagens populares como Java e C++. (MOZZILA) LINQ Language Integrated Query (LINQ) é um componente do Microsoft.NET que adiciona funcionalidades de consulta em algumas linguagens de programação.net. O LINQ corresponde a uma sintaxe unificada, inicialmente incorporada às linguagens C# e Visual Basic, para consultas em fontes de dados variadas. A linguagem foi introduzida inicialmente nas linguagens Visual Basic 9.0 (Visual Basic 2008) e C# 3.0 (Visual C# 2008), em 19 de novembro de 2007 com o.net Framework 3.5 e o Visual Studio A sintaxe de consulta da LINQ foi inspirada na da Structured Query Language (SQL), que é uma linguagem padrão para comunicação com bancos de dados relacionais. Assim como na linguagem SQL, as expressões de consulta LINQ permitem a construção de instruções variadas para extração de informações. Ele define um conjunto de métodos chamados operadores de consulta, expressões lambda e tipos anônimos. (MICROSOFT) 46

47 SQL Structured Query Language, ou Linguagem de Consulta Estruturada ou SQL, é uma linguagem padronizada para a definição e manipulação de bancos de dados relacionais. Tipicamente, um SGBD oferece um interpretador SQL que permite isolar a aplicação dos detalhes de armazenamento dos dados. Se o projetista da aplicação tiver o cuidado de usar apenas as construções padronizadas de SQL, ele poderá desenvolver a aplicação sem se preocupar com o produto SGBD que estará sendo utilizado depois. As três componentes de SQL são: Uma linguagem de definição de dados (DDL) para definir e revisar a estrutura de bancos de dados relacionais; Uma linguagem de controle de dados (DCL) para especificar mecanismos de segurança e integridade dos dados; Uma linguagem de manipulação de dados (DML) para ler e escrever os dados. SQL pode ser utilizado diretamente pelo usuário, quando o SGBD oferece um interpretador SQL interativo, ou através de comandos embutidos em uma aplicação desenvolvida em uma linguagem de programação. No caso dessa linguagem ser Java, a forma de interagir com o banco de dados é especificado por JDBC. (UNICAMP) VISUAL STUDIO 2010 O Microsoft Visual Studio é um pacote de programas da Microsoft para desenvolvimento de software especialmente dedicado ao.net Framework e às linguagens Visual Basic (VB), C, C++, C# e J#. Também é um grande produto de desenvolvimento na área web, usando a plataforma do ASP.NET. As linguagens com maior frequência nessa plataforma são: VB.NET (Visual Basic.Net) e o C. (MICROSOFT) IIS 7.5 Internet Information Services é um servidor web criado pela Microsoft para seus sistemas operacionais para servidores. É o sucessor do PWS (Personal Web Server). 47

48 Uma de suas características mais utilizadas é a geração de páginas HTML dinâmicas, que diferentemente de outros servidores web, usa tecnologia proprietária, o ASP, mas também pode usar outras tecnologias com adição de módulos de terceiros. (MICROSOFT) MVC Model-view-controller (MVC) é um modelo de desenvolvimento de software, atualmente considerado uma "arquitetura padrão" utilizada na Engenharia de software. O modelo isola a "lógica" (a lógica da aplicação) da interface do usuário (inserir e exibir dados), permitindo desenvolver, editar e testar separadamente cada parte. (XEROX PARC) Figura 12 MVC Fonte: Localweb FRAMEWORK 4.0 O.NET Framework é o modelo de programação completo e consistente da Microsoft para a criação de aplicativos que oferecem uma experiência visualmente surpreendente aos usuários, comunicação segura e sem interferências e a capacidade de modelar uma variedade de processos de negócios. 48

49 A tecnologia.net Framework da Microsoft, desde sua primeira versão é um projeto que visa uma plataforma única para desenvolvimento e execução de sistemas e aplicações. Da mesma forma que a linguagem de programação Java, ele não escreve um código para um sistema ou dispositivo específico, ele escreve para a plataforma.net. (MICROSOFT) BANCO DE DADOS DICIONÁRIO DE DADOS O dicionário de dados do sistema pode ser encontrado no apêndice H MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 O Microsoft SQL Server é um SGBD - sistema gerenciador de Banco de dados relacional criado pela Microsoft em parceria com a Sybase em 1988 e inserido como produto complementar do Windows NT. Ao final da parceria, em 1994, a Microsoft continuou aperfeiçoando o produto. (MICROSOFT) MODELO DE ENTIDADE RELACIONAL Na página a seguir temos o MER (Modelo de Entidade Relacional) do banco de dados desenvolvido para o TCS. 49

50 50

51 4. CONCLUSÃO Por meio deste estudo realizado, conclui - se que ao disponibilizar um sistema web para lançamento de atividades, é possível resolver um problema real existente em diversas empresas que trabalham com gestão de projetos e têm recursos trabalhando geograficamente em pontos distintos. Ao longo do desenvolvimento do projeto, naturalmente a ideia foi evoluindo e melhorando, dessa forma nos vimos forçados a simplificar alguns itens do projeto e adicionar outras funcionalidades necessárias. Devido à complexidade tivemos de tirar o item controle de banco de horas de colaboradores, mas também, foram adicionados novos itens considerados essenciais pelos membros do grupo um exemplo é lista de lições aprendidas. O resultado presumido na hipótese foi comprovado, ao disponibilizarmos um sistema web para controle de projetos é possível ter uma forma de lançamento das atividades disponível a qualquer momento para os colaboradores e consequentemente o gerente de projetos terá um controle dinâmico e ágil do projeto, podendo consultar o andamento do projeto através de relatórios e consulta em tela. Isso, possivelmente irá melhorar o resultado dos projetos, diminuir o estouro de horas. 51

52 5. REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS AGILEMANIFESTO.ORG, Disponivel em: <http://www.agilemanifesto.org/>. Acesso em: 25 maio AZEVEDO, S. Mundo PM. Mundo PM, Disponivel em: <http://www.mundopm.com.br/noticia.jsp?id=280>. Acesso em: 28 abr BECK, K. Programação Extrema Explicada. 1ª. ed. [S.l.]: Bookman, BOOCH, G. et al. UML: Guia do Usuário. 2ª. ed. Rio de Janeiro: Campus, CONSÓRCIO WORLD WIDE WEB (W3C). W3C. Disponivel em: <http://www.w3c.br/padroes>. Acesso em: 09 Abril D'ÁVILA, M. Marcio D'Ávila, Disponivel em: <http://www.mhavila.com.br/topicos/gestao/pmbok.html>. Acesso em: 12 maio EXTREME PROGRAMMING.ORG. Disponivel em: <http://www.extremeprogramming.org/introduction.html>. Acesso em: 19 maio HSM. HSM. SITE DA HSM BRASIL, Disponivel em: <http://br.hsmglobal.com/notas/ falhas-na-gestao-projetos-traz-prejuizos-as-empresas>. Acesso em: 12 abr HSM ONLINE. Diego Roriz, Disponivel em: <http://www.diegororiz.com.br/2010/05/falhas-nagestao-de-projetos-traz-prejuizos-para-as-empresas/>. Acesso em: 01 maio JUNG, C. F. Metodologia Para Pesquisas & Desenvolvemento. 1ª. ed. Rio de Janeiro: Axcel Books, MANIFESTO ÁGIL. Manifesto Ágil, Disponivel em: <http://agilemanifesto.org/iso/ptbr/>. Acesso em: 04 abr MICROSOFT. Disponivel em: <(http://msdn.microsoft.com/pt-br/vcsharp/dd aspx)>. Acesso em: 30 maio MICROSOFT. Disponivel em: <(http://www.microsoft.com/downloads/details.aspxfamilyid=9cfb2d51-5ff b0e5- b386f32c0992&displaylang=pt-br).>. Acesso em: 29 maio MICROSOFT. Disponivel em: <http://msdn.microsoft.com/pt-br/library/bb418439(v=sql.10).aspx>. Acesso em: 04 jun MICROSOFT CORP. Disponivel em: <http://msdn.microsoft.com/pt-br/vcsharp/dd aspx>. Acesso em: 25 maio MICROSOFT. Microsoft. MSDN. Disponivel em: <http://msdn.microsoft.com/ptbr/library/9k6k3k4a(v=vs.85).aspx>. Acesso em: 25 maio MICROSOFT. MSDN. Disponivel em: <(http://msdn.microsoft.com/ptbr/library/9k6k3k4a(v=vs.85).aspx)>. Acesso em: 30 maio

53 MICROSOFT. MSDN. Disponivel em: <http://msdn.microsoft.com/library/bb aspx>. Acesso em: 03 jun MICROSOFT. MSDN. Disponivel em: <Fonte: Acesso em: 03 jun MICROSOFT. Visual C# Developer Center. Visual C# Developer Center. Disponivel em: <http://msdn.microsoft.com/pt-br/vcsharp/aa336706>. Acesso em: 10 abr MOZZILA. Mozzila Develper Network. Disponivel em: <https://developer.mozilla.org/en/javascript>. Acesso em: 30 maio PMI. Guia PMBOK. 4ª. ed. [S.l.]: PMI Project Management Insitute. PMI. Site Oficial Project Management Institute (PMI). Disponivel em: <http://www.pmi.org.br/>. Acesso em: 20 mar PMI SP. Projetc Manangement Insitute São Paulo. pmisp.org, Disponivel em: <http://www.pmisp.org.br/institucional/pmi/gerenciamento-de-projetos>. Acesso em: 07 maio PRESSMAN, R. S. Engenharia de Software. 1ª. ed. São Paulo: Pearson Makron Books, PRICE2 FOUDATION. PRICE 2 FOUDATION, Disponivel em: <http://www.prince2.com/>. Acesso em: 02 maio ROCHA PEREIRA, A. et al. SISTEMA DE CONTROLE DE TRANSPORTE CONTROLLOG. FACULDADE IBTA - Instituto Brasileiro de Tecnologia Avançada. campinas, p SCHWABER, K.; SUTHERLAND, J. Guia do Scrum. [S.l.]: [s.n.], Disponivel em: <http://www.scrum.org/storage/scrumguides/scrum%20guide%20-%20portuguese%20br.pdf>. Acesso em: 21 maio THE STANDISH GROUP CHAOS REPORT. CHAOS. THE STANDISH GROUP. [S.l.], p W3C. Disponivel em: <http://www.w3.org/html/wg/>. Acesso em: 30 maio W3C. W3C. Disponivel em: <http://www.w3.org/style/css/>. Acesso em: 30 maio WIKIPEDIA. Wikipedia. Disponivel em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/sql>. Acesso em: 30 maio WIKIPEDIA. Wikipedia Org. Disponivel em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/project_management_body_of_knowledge>. Acesso em: maio XEROX PARC. Disponivel em: <http://heim.ifi.uio.no/~trygver/themes/mvc/mvc-index.html>. Acesso em: 03 jun

54 6. APÊNDICES 6.1. APÊNDICE A - SOW STATEMENT OF WORK IBTA/Me trocamp SOW Statement of Work Declaração do Trabalho Gestão de Projetos Patrocinador do Projeto: Cliente do Projeto: Fernando Ramos (Diretor Geral) Mauro Tonon (Gerente de Projetos). Titulo do Projeto: TCS Time Control System. Objetivos do Projeto: Implantar um novo sistema de controle de horas de atividades de projeto dos colaboradores da empresa, aumentando a confiabilidade e a qualidade das informações para faturamento ao cliente e geração de informações para o departamento comercial para venda de novos projetos. Necessidades da Área de Negócio: O sistema deve atingir as seguintes necessidades: Visão gerencial de um projeto; o Alocação dos recursos para cada projeto; o Controle dos horários das atividades em projetos; o Visão do cronograma do projeto; o Visão andamento das atividades; Visão Situação prevista x Situação atual do projeto; Diminuir as horas glosadas pelo cliente; o Maior interação do cliente nas atividades realizadas no projeto; o Visão da equipe financeira das atividades realizadas no projeto para faturamento. Aumentar o acerto nas estimativas dos novos projetos o Visão da equipe comercial das atividades categorizadas por planejadas, melhorias e defeitos. 54

55 Justificativas para o Projeto: Devido ao crescimento considerável em quantidade de projetos, a empresa não criou um mecanismo para gerenciar os mesmos. Desta forma, todo final de mês, quanto era realizado o faturamento das horas trabalhadas nos projetos aos respectivos clientes, as informações eram inconsistentes e não centralizadas e muitas horas de projetos eram glosadas pelo cliente, assim, o faturamento da empresa era menor. Data e assinatura do Patrocinador: Data e assinatura do Cliente: Gestão Projetos de SOW Statement of Work Declaração do Trabalho Página: 55/151 55

56 6.2. APÊNDICE B - PROJECT CHARTER IBTA/Metrocamp Projeto: TCS Time Control System Patrocinador: Fernando Ramos (Diretor Geral) Termo de Abertura do Projeto (Project Charter) Cliente: Mauro Tonon (Gerente de Projetos) Gestão de Projetos Data: 07/11/2011 Gerente do Projeto: Murilo Beriam Objetivos do Projeto: Implantar um novo sistema de controle de horas de atividades de projeto dos colaboradores da empresa, aumentando a confiabilidade e a qualidade das informações para faturamento ao cliente e geração de informações para o departamento comercial para venda de novos projetos. Escopo do Projeto: Definir requisitos, desenhar, construir e implantar uma aplicação WEB. Escopo do Produto: O sistema de controle de horas TCS utilizará a tecnologia de banco de dados e interface WEB. As informações serão disponibilizadas em tempo real de apontamento de horas internas e externas, atividades de projetos, demonstrativo de desempenho, indicadores de qualidade e relatório de banco de horas e horas extras. Exclusões do Projeto e do Produto: Os serviços ou atividades listadas abaixo são considerados fora do escopo deste projeto: Depuração ou limpeza de dados nos sistemas legados, para efeito de carga; Criação da massa de dados para testes; Interfaces com sistemas legados; 56

57 Site multi-idioma e multi-moeda; Controle financeiro das atividades que geram hora-extras; Exportação de dados para outra aplicação (ex.: Excel); Sizing de hardware; Tuning e performance test dos servidores; Infraestrutura e testes de hardware; Configuração e instalação de software em estações de trabalho; Intervenção nos sistemas atuais da empresa ou sobre aqueles implementados durante o desenvolvimento deste projeto, que tenham relação com o sistema em implantação; IBTA/Metrocamp Projeto: TCS Time Control System Patrocinador: Fernando Ramos (Diretor Geral) Termo de Abertura do Projeto (Project Charter) Cliente: Mauro Tonon (Gerente de Projetos) Gestão de Projetos Data: 07/11/2011 Gerente do Projeto: Murilo Beriam Premissas do Projeto: Restrições do Projeto: O sistema será desenvolvido na plataforma.net framework 3.5 ou acima, da Microsoft e o sistema gerenciador de banco de dados será o Microsoft SQL Server 2005 ou acima. Durante a fase da construção, não serão pagas horas extras, sendo necessário utilizar Banco de Horas e os recursos não poderão gozar das férias. O Sistema deverá ser implantado obrigatoriamente durante o final de semana. Definir o escopo de acordo com os requisitos levantados pelos usuários-chaves, mas levando em consideração o orçamento disponibilizado para o projeto. Toda análise, desenvolvimento e implantação do sistema será realizada pela empresa contratada e não poderá ter terceiros. Os recursos novos durante o projeto deverá passar por 57

58 aprovação do comitê. Principais Entregas/Deliverable: Protótipo das funcionalidades on-line (site do projeto), Documentação de todas as fases da construção do Sistema, Material de Treinamento, Treinamento dos usuários-chave e Monitores, instruções para operação do Sistema, Sistema implantado em regime de Produção e Pacote da aplicação (Website, Scripts de Criação das tabelas, procedures e carga de dados do BD). Prazo Estimado: Custo Estimado: De 18 a 20 semanas. Ex.: De R$35.000,00 a ,00 (não está computado o salário dos elementos da Equipe). Aprovação da Diretoria (data e nome): Aprovação do Patrocinador (data e nome): Gestão de Projetos Termo de Abertura do Projeto (Project Charter) Página: 58/151 58

59 6.3. APÊNDICE C - WBS / EAP EAP / WBS - Preparativos para a elaboração do CRONOGRAMA Tarefas / Atividades # Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 4 Esforço Dependência Executor Inicio SOW 24h - Bruno Oliveira Registros dos Stakeholders 24h - Bruno Oliveira Termo de Abertura 40h 1.1 / 1.2 Bruno Oliveira Declaração do Escopo Definir Escopo do Projeto 40h 1.3 Daniel Gevaerd Definir Escopo do Produto 40h 1.3 Daniel Gevaerd Cronograma Definir Cronograma 40h 1.5 Renato Adolfs Criação da EAP/WBS 8h Renato Adolfs; Juliana Machado Kick-Off Criação da Apresentação do Projeto 40h 1.1 / 1.2 / 1.3 / 1.4 / 1.5 Rafael Marega Apresentação do Kick Off 8h Rafael Marega Análise Requisitos Identificar Requisitos 40h Rafael Marega Criar Modelo Funcional 88h 2.1 Bruno Oliveira Criar Modelo de Dados 88h 2.1 Renato Adolfs Design Especificar Arquiteturas do SW 40h 2 Bruno Oliveira Especificar Artefatos de SW 40h 3.1 Daniel Gevaerd; Juliana Machado Criação dos Planos de Testes 40h 3.2 Daniel Gevaerd;Juliana Machado Banco de Dados Criação Banco de Dados 40h 4.1 Daniel Gevaerd;Juliana Machado Projetar Banco de Dados 40h 3.1 Renato Adolfs Implementação Desenvolvimento dos Scripts de BD 40h 3.4 Renato Adolfs Desenvolvimento das Classes 200h 3.2 Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Desenvolvimento de Telas (Front End) 144h 4.3 / 3.2 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Fechamento de Pacote 8h 4.1 / 4.2 / 4.3 Renato Adolfs Testes Aplicação dos pacotes no ambiente de homologação 8h 4.4 Renato Adolfs Execução dos Planos de Testes 8h 3.3 / 5.1 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Levantamento de Evidências 8h 5.2 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Correções / Manutenções Alteração de Código 40h / / 4.2 / 4.3 Renato Adolfs Alteração do Banco de Dados 40h / Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Alteração de Telas (Front End) 10h 4.3 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Implantação Apresentação das Evidências (Reunião com Cliente) 8h 5.3 Rafael Marega Aplicação dos pacotes no ambiente de Produção 8h 4.4 / 6.1 Renato Adolfs Execução dos Planos de Testes 8h 3.3 / 6.2 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Levantamento de Evidências 8h 6.3 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado 59

60 Encerramento Apresentação das Evidências (Reunião com Cliente) 8h 6.4 Rafael Marega Manutenção 40h / / 4.2 / 4.3 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Treinamento 10h 7.1 Rafael Marega Suporte Técnico 24h - Juliana Machado; Rafael Marega Encerramento de Contrato 8h 7.2 Rafael Marega 60

61 6.4. APÊNDICE D CRONOGRAMA Nome da tarefa Duração Início Término Predecessoras Nomes dos recursos TCS - Time Control System 75,38 dias? Qua 19/10/11 Seg 02/07/12 Bruno Oliveira;Rafael Marega;Renato Adolfs;Daniel Gevaerd;Juliana Machado Inicio 20,25 dias Qua 19/10/11 Seg 26/12/11 SOW 3 dias Qua 19/10/11 Qua 26/10/11 Bruno Oliveira Registro dos Stakeholders 3 dias Sex 21/10/11 Sex 28/10/11 Bruno Oliveira Termo de Abertura 5 dias Sáb 29/10/11 Sex 11/11/11 4;3 Bruno Oliveira Declaração do Escopo 4 dias Sex 11/11/11 Qui 24/11/11 Daniel Gevaerd Definir Escopo do Projeto 5 dias Sex 11/11/11 Qui 24/11/11 5 Daniel Gevaerd Definir Escopo do Produto 5 dias Sex 11/11/11 Qui 24/11/11 5 Daniel Gevaerd Cronograma 5,25 dias Qui 24/11/11 Sáb 10/12/11 Renato Adolfs Definir Cronograma 5 dias Qui 24/11/11 Qua 07/12/11 6 Renato Adolfs Criação da EAP/WBS 1 dia Qui 08/12/11 Sáb 10/12/11 10 Renato Adolfs Kick-Off 5 dias Sáb 10/12/11 Seg 26/12/11 Rafael Marega Criação da Apresentação do Projeto 5 dias Sáb 10/12/11 Sex 23/12/11 3;4;5;6;9 Rafael Marega Apresentação do Kick Off 1 dia Sáb 24/12/11 Seg 26/12/11 13 Rafael Marega Análise 55,13 dias? Seg 26/12/11 Seg 02/07/12 Requisitos 3,75 dias? Seg 26/12/11 Dom 08/01/12 Identificar os Requisitos 5 dias? Seg 26/12/11 Dom 08/01/12 14 Rafael Marega Criar Modelo Funcional 66 dias? Seg 09/01/12 Seg 02/07/12 17 Bruno Oliveira Criar Modelo de Dados 66 dias? Seg 09/01/12 Seg 02/07/12 17 Renato Adolfs Design 19,13 dias? Dom 20/11/11 Ter 17/01/12 Especificar Arquiteturas do SW 10 dias? Dom 20/11/11 Sex 16/12/11 Bruno Oliveira Especificar Artefatos de SW 5 dias? Seg 19/12/11 Dom 01/01/12 21 Daniel Gevaerd;Juliana Machado Criação dos Planos de Testes 5 dias? Dom 01/01/12 Sáb 14/01/12 22 Daniel Gevaerd;Juliana Machado Banco de Dados 5,13 dias Seg 02/01/12 Ter 17/01/12 Projetar Banco de Dados 2 dias Seg 02/01/12 Ter 03/01/12 Criação Banco de Dados 5 dias Qua 04/01/12 Ter 17/01/12 25 Renato Adolfs Implementação 25 dias? Qua 04/01/12 Sáb 31/03/12 Desenvolvimento dos Scripts de BD 4 dias? Ter 17/01/12 Sex 27/01/12 26 Renato Adolfs Desenvolvimento das Classes 9 dias? Qua 04/01/12 Sex 27/01/12 22 Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Desenvolvimento de Telas (Front End) 23 dias Sáb 28/01/12 Qui 29/03/12 29;22 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Fechamento de Pacote 1 dia? Qui 29/03/12 Sáb 31/03/12 30;28;29 Renato Adolfs Testes 4 dias? Dom 01/04/12 Dom 15/04/12 Aplicação dos pacotes no ambiente de homologação 1 dia? Dom 01/04/12 Ter 03/04/12 31 Renato Adolfs Execução dos Planos de Testes 0,75 dias? Ter 03/04/12 Qui 05/04/12 33;23 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Levantamento de Evidências 0,75 dias? Qui 05/04/12 Sáb 07/04/12 34 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Correções Manutenções 2 dias? Sáb 07/04/12 Dom 15/04/12 35 Alteração de Código 1 dia? Sáb 07/04/12 Ter 10/04/12 Renato Adolfs Alteração de Banco de Dados 1 dia? Ter 10/04/12 Qui 12/04/12 37 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Alteração de Telas (Front End) 1 dia? Sex 13/04/12 Dom 15/04/12 38 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Implantação 3,38 dias? Dom 15/04/12 Ter 24/04/12 Apresentação das Evidências (Reunião com Cliente) 1 dia? Dom 15/04/12 Qua 18/04/12 39 Rafael Marega Aplicação dos pacotes no ambiente de Produção 1 dia? Qua 18/04/12 Sex 20/04/12 41;31 Renato Adolfs Execução dos Planos de Testes 0,75 dias? Sáb 21/04/12 Dom 22/04/12 42;23 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Levantamento de Evidências 0,75 dias? Seg 23/04/12 Ter 24/04/12 43 Daniel Gevaerd;Bruno Oliveira;Renato Adolfs;Juliana Machado Encerramento 8 dias? Qua 25/04/12 Qua 23/05/12 Apresentação das Evidências (Reunião com Cliente) 1 dia? Qua 25/04/12 Sex 27/04/12 44 Rafael Marega Manutenção 2 dias? Seg 30/04/12 Ter 01/05/12 46 Treinamento 5 dias? Qua 02/05/12 Ter 15/05/12 47 Rafael Marega Suporte Técnico 1 dia? Ter 15/05/12 Seg 21/05/12 48 Encerramento de Contrato 1 dia? Seg 21/05/12 Qua 23/05/12 49 Rafael Marega 61

62 6.5. APÊNDICE E - PROTÓTIPOS DE BAIXA FIDELIDADE 62

63 63

64 64

65 65

66 66

67 67

68 6.6. APÊNDICE F - PROTOTIPOS DE ALTA FIDELIDADE 68

69 69

70 70

71 71

72 72

73 73

74 74

75 75

76 76

77 6.7. APÊNDICE G TESTES UNITÁRIOS Caso de Uso Cenário Resultado Esperado Resultado Obtido UC Criar um projeto em que o O sistema deve O sistema colaborador não está bloquear a ação. apresentou uma cadastrado como mensagem e um administrador do site link que redireciona para a página "Minha Página". UC Criar um projeto em que o Abrir o formulário Ao clicar no link colaborador está para criação do "Novo projeto" o cadastrado como Projeto. sistema administrador do site redirecionou para a página de criação de projeto. UC Criar um projeto sem Não cadastrar projeto. O sistema bloqueou preencher todos os campos a criação do projeto, obrigatórios apresentando os campos que não foram preenchidos. UC Criar um projeto Cadastrar projeto. O sistema criou o preenchendo todos os projeto e apresentou campos obrigatórios uma mensagem que o projeto foi salvo com sucesso. UC Editar um projeto e deixar Não atualizar o O sistema não um campo obrigatório sem projeto. atualizou o projeto e preenchimento. apresentou uma mensagem com os campos obrigatórios não preenchidos. UC Editar o número do projeto O sistema deve O formulário foi bloquear o campo para carregado com o 77

78 edição. campo bloqueado. UC Editar um projeto com um Atualizar projeto. O sistema atualizou colaborador que é o projeto e administrador do site. apresentou uma mensagem que o projeto foi salvo com sucesso. UC Editar um projeto com um Atualizar projeto. O sistema atualizou colaborador que não é o projeto e administrador do site e o apresentou uma perfil é igual a gerente de mensagem que o projeto. projeto foi salvo com sucesso. UC Editar um projeto com um Não atualizar o O sistema não libera colaborador que não é projeto. o botão de editar administrador do site e o projeto. perfil é diferente de gerente de projeto. UC Alterar o campo Tipo do Os gerentes e O sistema carrega projeto para a opção patrocinadores do somente os Interno. projeto por parte do colaboradores do cliente deve ser tipo interno como colaboradores opção de gerente e internos. patrocinador do projeto por parte do cliente. UC Alterar o campo Tipo do Os gerentes e O sistema carrega projeto para a opção patrocinadores do somente os Externo. projeto por parte do colaboradores do cliente deve ser tipo externo como colaboradores opção de gerente e externos. patrocinador do projeto por parte do cliente. 78

79 UC Alterar o campo Tipo do Os gerentes e O sistema carrega projeto para a opção patrocinadores do somente os Interno. projeto por parte do colaboradores do cliente deve ser tipo interno como colaboradores opção de gerente e internos. patrocinador do projeto por parte do cliente. UC Alterar o campo Tipo do Os gerentes e O sistema carrega projeto para a opção patrocinadores do somente os Externo. projeto por parte do colaboradores do cliente deve ser tipo externo como colaboradores opção de gerente e externos. patrocinador do projeto por parte do cliente. UC Excluir um projeto com O sistema deve excluir O projeto foi um colaborador que é o projeto. excluído. administrador do site. UC Excluir um projeto com O sistema não deve O projeto não foi um colaborador que não é excluir o projeto. excluído. administrador do site. UC Selecionar a opção "Sim" O sistema deve excluir O projeto foi na página de confirmação o projeto. excluído. da exclusão de um projeto. UC Selecionar a opção "Não" A página será A página foi na página de confirmação redirecionada para o redirecionada para o da exclusão de um projeto. cadastro do projeto. cadastro do projeto. UC Excluir um projeto em que O sistema deve excluir O sistema deve as fases não têm atividades o projeto. bloquear essa ação iniciadas e com registros de trabalhos. UC Excluir um projeto em que O sistema deve O Projeto é excluído as fases têm atividades bloquear essa ação 79

80 iniciadas e com registros de trabalhos. UC Excluir um projeto em as fases não foram iniciadas. UC Alocar um colaborador que é administrador do site no projeto. UC Alocar um colaborador que não é administrador do site no projeto. UC Alocar um colaborador ao projeto conectado com um colaborador que é administrador do site. UC Alocar um colaborador ao projeto conectado com um colaborador que não é administrador do site e o perfil seja igual a gerente de projeto. UC Alocar um colaborador ao projeto conectado com um colaborador que não é administrador do site e o perfil seja diferente a gerente de projeto. UC Excluir um colaborador alocado ao projeto que está com atividades em que o status seja igual à Em O sistema deve excluir o projeto. O sistema deve bloquear essa ação O colaborador deve ser alocado ao projeto. O colaborador deve ser alocado ao projeto. O colaborador deve ser alocado ao projeto. O sistema deve bloquear essa ação O sistema deve bloquear essa ação O Sistema deve bloquear essa ação O sistema não permitiu alocar ao projeto um colaborador administrador do site. O colaborador foi alocado ao projeto. O colaborador foi alocado ao projeto. O colaborador foi alocado ao projeto. O sistema bloqueou a alocação do colaborador no projeto e apresentou mensagem que o usuário não tem privilégios. O sistema bloqueou a exclusão do colaborador no projeto e apresentou 80

81 UC UC UC UC UC UC Andamento ou Testando. mensagem que o usuário não tem privilégios. Excluir um colaborador O colaborador deve O colaborador foi alocado ao projeto que não ser excluído do excluído do projeto. estão atividades em que o projeto. status seja igual à Em Andamento ou Testando. Excluir um colaborador O colaborador deve O colaborador foi alocado ao projeto ser excluído do excluído do projeto. conectado com um projeto. colaborador que é administrador do site. Excluir um colaborador O colaborador deve O colaborador foi alocado ao projeto ser excluído do excluído do projeto. conectado com um projeto. colaborador que não é administrador do site e o perfil seja igual a gerente de projeto. Excluir um colaborador O sistema deve O sistema bloqueou alocado ao projeto bloquear essa ação a exclusão do conectado com um colaborador no colaborador que não é projeto e apresentou administrador do site e o mensagem que o perfil seja diferente a usuário não tem gerente de projeto. privilégios. Acessar a página "Minha O sistema deve O sistema carregou Página" ao conectar no carregar os três os últimos três sistema. últimos projetos do projetos do colaborador. colaborador. Consultar os projetos sem O sistema deve O sistema bloqueou estar conectado ao sistema. bloquear o acesso à o acesso à página. página. 81

82 UC Consultar meus projetos O sistema deve O sistema bloqueou sem estar conectado ao bloquear o acesso à o acesso à página. sistema. página. UC A página "Minha Página" O sistema deve O sistema deve apresentar um link redirecionar para a redirecionou para a para a página "Meus página "Meus página "Meus Projetos". Projetos". Projetos". UC Acessar a página com um O sistema deve O sistema carregou colaborador que é carregar todos os todos os projetos. administrador do site projetos do sistema. UC Acessar a página com um O sistema deve O sistema carregou colaborador que não é carregar somente os todos os projetos administrador do site. projetos em que o que o colaborador mesmo está alocado. conectado estava alocado. UC Clicar no botão visualizar O sistema deve O sistema projeto na página "Lista de redirecionar para a redirecionou para a projeto". página do projeto. página do projeto. UC Clicar nos links "Projeto O sistema deve (selecionado)" no caminho redirecionar para a de todas as páginas página do projeto. UC Criar um projeto e os O sistema deve colaboradores envolvidos notificar os estão habilitados para colaboradores receber notificação por envolvidos por . neste caso. UC Editar um projeto e os O sistema deve colaboradores envolvidos notificar os estão habilitados para colaboradores receber notificação por envolvidos por . neste caso. UC Excluir um projeto e os O sistema deve colaboradores envolvidos notificar os estão habilitados para colaboradores 82

83 UC UC UC UC UC UC UC receber notificação por neste caso. Criar um projeto e os colaboradores envolvidos não estão habilitados para receber notificação por neste caso. Editar um projeto e os colaboradores envolvidos não estão habilitados para receber notificação por neste caso. Excluir um projeto e os colaboradores envolvidos não estão habilitados para receber notificação por neste caso. Alocar um colaborador ao projeto e o mesmo está habilitado para receber notificação por neste caso. Alocar um colaborador ao projeto e o mesmo não está habilitado para receber notificação por neste caso. Excluir um colaborador do projeto e o mesmo está habilitado para receber notificação por neste caso. Excluir um colaborador do projeto e o mesmo não envolvidos por . O sistema não deve notificar os colaboradores envolvidos por . O sistema não deve notificar os colaboradores envolvidos por . O sistema não deve notificar os colaboradores envolvidos por . O sistema deve notificar os colaboradores envolvidos por . O sistema não deve notificar os colaboradores envolvidos por . O sistema deve notificar os colaboradores envolvidos por . O sistema não deve notificar os 83

84 UC UC UC UC UC UC está habilitado para receber notificação por neste caso. Aprovar um apontamento de horas com um colaborador que é administrador do site. Aprovar um apontamento de horas com um colaborador que não é administrador do site e o perfil é igual a gerente de projeto. Aprovar um apontamento de horas com um colaborador que não é administrador do site e o perfil é diferente de gerente de projeto. Reprovar um apontamento de horas com um colaborador que é administrador do site. Reprovar um apontamento de horas com um colaborador que não é administrador do site e o perfil é igual a gerente de projeto. Reprovar um apontamento de horas com um colaborador que não é administrador do site e o perfil é diferente de colaboradores envolvidos por . O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve reprovar o apontamento de horas. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve reprovar o apontamento de horas. O sistema deve bloquear a ação. 84

85 gerente de projeto. UC Gerar relatório de atividades aprovadas com um colaborador que é administrador do site. UC Gerar relatório de atividades aprovadas com um colaborador que não é administrador do site e o perfil é igual a gerente de projeto. UC Gerar relatório de atividades aprovadas com um colaborador que não é administrador do site e o perfil é diferente de gerente de projeto. UC Criar uma fase sem preenchimento dos campos obrigatórios. UC Criar uma fase preenchendo os campos obrigatórios UC Criar uma fase onde o status do projeto seja igual a "Parado" ou "Concluído". UC Criar uma fase onde o status do projeto seja igual O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve gerar o relatório. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve bloquear a criação. O sistema deve criar a fase do projeto. O sistema deve bloquear a criação. O sistema deve criar a fase do projeto. O sistema bloqueou a criação e apresentou mensagem com os campos não preenchidos. O sistema criou a fase do projeto e apresentou uma mensagem que foi salvo com sucesso. O sistema bloqueou a ação e apresentou uma mensagem. O sistema criou a fase do projeto e 85

86 a "Não Iniciado" ou "Em Andamento". UC Criar uma fase com a data de inicio menor que a data de inicio do projeto. UC Criar uma fase com a data de término maior que a data de término do projeto. UC Editar uma fase sem preenchimento dos campos obrigatórios. UC Editar uma fase preenchendo os campos obrigatórios UC Criar uma fase com um colaborador conectado que é administrador do site. UC Criar uma fase com um colaborador conectado que não é administrador do site e o perfil é igual a gerente de projeto. UC Criar uma fase com um colaborador conectado que não é administrador do site e o perfil é diferente de O sistema deve bloquear a criação. O sistema deve bloquear a criação. O sistema deve bloquear a criação. O sistema deve atualizar a fase do projeto. O sistema deve criar a fase do projeto. O sistema deve criar a fase do projeto. O sistema deve bloquear a criação. apresentou uma mensagem que foi salvo com sucesso. O sistema bloqueou a ação e apresentou uma mensagem. O sistema bloqueou a ação e apresentou uma mensagem. O sistema bloqueou a atualização e apresentou mensagem com os campos não preenchidos. O sistema atualizou a fase do projeto e apresentou uma mensagem que foi salvo com sucesso. O sistema criou a fase do projeto e apresentou uma mensagem que foi salvo com sucesso. O sistema criou a fase do projeto e apresentou uma mensagem que foi salvo com sucesso. O sistema bloqueou a criação da fase do projeto e apresentou mensagem que o 86

87 UC UC UC UC UC UC UC gerente de projeto. usuário não tem privilégios. Editar uma fase com um O sistema deve colaborador conectado que é administrador do site. atualizar a fase do projeto. Editar uma fase com um O sistema deve colaborador conectado que atualizar a fase do não é administrador do site projeto. e o perfil é igual a gerente de projeto. Editar uma fase com um O sistema deve colaborador conectado que bloquear a criação. não é administrador do site e o perfil é diferente de gerente de projeto. Excluir uma fase com um O sistema deve excluir colaborador conectado que a fase do projeto. é administrador do site. Excluir uma fase com um O sistema deve excluir colaborador conectado que a fase do projeto. não é administrador do site e o perfil é igual a gerente de projeto. Excluir uma fase com um O sistema deve colaborador conectado que bloquear a criação. não é administrador do site e o perfil é diferente de gerente de projeto. Verificar se o número O sistema deve levar gerado está levando em em consideração o O sistema atualizou a fase do projeto e apresentou uma mensagem que foi salvo com sucesso. O sistema atualizou a fase do projeto e apresentou uma mensagem que foi salvo com sucesso. O sistema não apresentou o botão de edição da fase do projeto. O sistema excluiu a fase do projeto. O sistema excluiu a fase do projeto. O sistema bloqueou a exclusão da fase do projeto e apresentou mensagem que o usuário não tem privilégios. O sistema está levando em 87

88 consideração o prefixo prefixo definido no consideração o definido no projeto. projeto. prefixo definido no projeto. UC Criar uma fase do projeto Gerar o número do O sistema gerou o sem preenchimento do projeto número da fase número do projeto. automaticamente. automaticamente. UC Consultar as fases do O sistema deve O sistema bloqueou projeto sem estar alocado bloquear a ação. a ação e apresentou no projeto e não sendo mensagem que o administrador do site. usuário não tem privilégios. UC Consultar as fases do O sistema deve liberar O sistema liberou a projeto estando alocado no a consulta. consulta. projeto e não sendo administrador do site. UC Consultar o Burndown da O sistema deve O sistema bloqueou fase do projeto sem estar bloquear a ação. a ação e apresentou alocado no projeto e não mensagem que o sendo administrador do usuário não tem site. privilégios. UC Consultar o Burndown da fase do projeto estando O sistema deve liberar a consulta. O sistema liberou a consulta. alocado no projeto e não sendo administrador do site. UC Criar atividade após a data O sistema deve O sistema bloqueou término da fase do projeto. bloquear a ação. a criação da atividade. UC Criar atividade antes do inicio da fase do projeto. O sistema deve criar a atividade. O sistema criou a atividade. UC Criar atividade antes da data de término da fase do O sistema deve criar a atividade. O sistema criou a atividade. projeto. UC Criar atividade após a data O sistema deve criar a O sistema criou a 88

89 prevista para término. atividade. atividade. UC Criar atividade sem o O sistema deve O sistema bloqueou preenchimento de todo os bloquear a ação. a criação da campos obrigatórios. atividade. UC Criar atividade O sistema deve criar a O sistema criou a preenchendo todos os atividade. atividade. campos obrigatórios. UC Criar atividade sem O sistema deve criar a O sistema criou a responsável. atividade. atividade. UC Editar atividade após a O sistema deve O sistema atualizou data término da fase do atualizar a atividade. a atividade. projeto. UC Editar atividade antes do O sistema deve O sistema atualizou inicio da fase do projeto. atualizar a atividade. a atividade. UC Editar atividade antes da O sistema deve O sistema atualizou data de término da fase do atualizar a atividade. a atividade. projeto. UC Editar atividade após a O sistema deve O sistema atualizou data prevista para término. atualizar a atividade. a atividade. UC Editar atividade sem o O sistema deve O sistema bloqueou preenchimento de todo os bloquear a ação. a atualização da campos obrigatórios. atividade. UC Editar atividade O sistema deve O sistema atualizou preenchendo todos os atualizar a atividade. a atividade. campos obrigatórios. UC Excluir atividade com O sistema deve excluir O sistema excluiu a colaborador que é a atividade. atividade. administrador do sistema. UC Excluir atividade com O sistema deve O sistema bloqueou colaborador que não é bloquear a ação. a exclusão da administrador do sistema e atividade. não está alocado no projeto. UC Excluir atividade com O sistema deve O sistema excluiu a 89

90 colaborador que não é bloquear a ação. administrador do sistema e está alocado no projeto. UC Excluir atividade onde o O sistema deve status do projeto é Escopo bloquear a ação. Fechado. UC Excluir atividade onde o O sistema deve excluir status do projeto é Escopo a atividade. Aberto. UC Excluir atividade onde a O sistema deve fase do projeto já foi bloquear a ação. concluída. UC Excluir atividade onde a O sistema deve fase do projeto não foi bloquear a ação. iniciada. UC Consultar as atividades O sistema não deve com um colaborador que é apresentar as administrador do site. atividades. UC Consultar as atividades O sistema deve com um colaborador que apresentar todas as não é administrador do atividades em que o site. colaborador é responsável. UC Consultar as atividades por O sistema deve fase do projeto com um apresentar as colaborador alocado no atividades da fase do projeto. projeto. UC Consultar as atividades por O sistema deve fase do projeto com um apresentar as colaborador que é atividades da fase do administrador do site. projeto. UC Criar uma atividade. O sistema deve gerar de forma automática o número da atividade. atividade. O sistema bloqueou a exclusão da atividade. O sistema excluiu a atividade. O sistema bloqueou a exclusão da atividade. O sistema excluiu a atividade. O sistema não apresentou atividades. O sistema apresentou as atividades em que o colaborador era responsável. O sistema apresentou as atividades da fase do projeto. O sistema apresentou as atividades da fase do projeto. O sistema gerou o número da atividade de forma 90

91 automática. UC Consultar o número da O prefixo da atividade O sistema utilizou o atividade gerado após a deve ser igual ao criação da atividade. definido no cadastro do projeto. UC Criar atividade e notificar O sistema deve os colaboradores. notificar por os colaboradores e projeto que estão definidos que querem receber notificações. UC Editar atividade e notificar O sistema deve os colaboradores. notificar por os colaboradores e projeto que estão definidos que querem receber notificações. UC Excluir atividade e O sistema deve notificar os colaboradores. notificar por os colaboradores e projeto que estão definido que querem receber notificações. prefixo definido no projeto para gerar o número da atividade. O sistema notificou somente os colaboradores em que seu cadastro e o cadastro do projeto indicavam receber notificação por ao criar atividade. O sistema notificou somente os colaboradores em que seu cadastro e o cadastro do projeto indicavam receber notificação por ao editar atividade. O sistema notificou somente os colaboradores em que seu cadastro e o cadastro do projeto indicavam receber notificação por ao excluir atividade. UC Alterar o status da O sistema deve alterar O status da 91

92 atividade de "Pra fazer" para outro status. UC Alterar o status da atividade de "Concluído" para "Pra fazer" ou "Testando" UC Alterar o status da atividade entre "Pra Fazer", "Concluído" e "Testando" UC Alterar o status da atividade para "Concluído". UC Alterar o status da atividade de "Pra Fazer" para outro sem o responsável preenchido. UC Consultar a lista de atividades marcadas como lição aprendida. UC Criar um registro de trabalho sem o preenchimento de todos os campos obrigatórios. UC Criar um registro de trabalho preenchendo os campos obrigatórios. UC Criar um registro de trabalho quando a atividade estiver com o status. atividade foi atualizado com sucesso. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve alterar o status. O sistema deve alterar o status. O sistema deve bloquear a ação. A lista de lição aprendida deve carregar somente as atividades marcadas com lição aprendida. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve criar o registro de trabalho. O sistema deve bloquear a ação. O sistema bloqueou a atualização do status da atividade. O status da atividade foi atualizado com sucesso. O status da atividade foi atualizado com sucesso. O sistema bloqueou a atualização do status. O sistema carregou somente as atividades marcadas como lição aprendida. O sistema não criou o registro de trabalho. O sistema criou o registro de trabalho. O sistema não criou o registro de trabalho. 92

93 status igual a "Concluído". UC Criar um registro de O sistema deve criar o O sistema criou o trabalho quando a registro de trabalho. registro de trabalho. atividade estiver com status igual a "Testando". UC Criar um registro de O sistema deve criar o O sistema criou o trabalho quando a registro de trabalho. registro de trabalho. atividade estiver com status igual a "Em Andamento". UC Criar um registro de O sistema deve O sistema não criou trabalho quando a bloquear a ação. o registro de atividade estiver com trabalho. status igual a "Pra fazer". UC Editar um registro de O sistema deve O sistema não trabalho sem o bloquear a ação. atualizou o registro preenchimento de todos os de trabalho. campos obrigatórios. UC Editar um registro de O sistema deve O sistema atualizou trabalho preenchendo os atualizar o registro de o registro de campos obrigatórios. trabalho. trabalho. UC Editar um registro de O sistema deve O sistema não trabalho quando a bloquear a ação. atualizou o registro atividade estiver com de trabalho. status igual a "Concluído". UC Editar um registro de O sistema deve O sistema atualizou trabalho quando a atualizar o registro de o registro de atividade estiver com trabalho. trabalho. status diferente de "Concluído". UC Editar um registro de O sistema deve O sistema não trabalho se o mesmo já foi aprovado. bloquear a ação. atualizou o registro de trabalho. UC Excluir um registo de O sistema deve O sistema não 93

94 trabalho aprovado pelo bloquear a ação. excluiu o registro de gerente. trabalho. UC Excluir um registro de O sistema deve O sistema não trabalho quando a bloquear a ação. excluiu o registro de atividade estiver com trabalho. status igual a "Concluído" UC Excluir um registro de O sistema deve O sistema excluiu o trabalho quando a bloquear a ação. registro de trabalho. atividade estiver diferente de "Concluído" UC Consultar os registros de O sistema de trabalhos de uma apresentar os registro atividade. de trabalho relacionados a atividade. UC Criar um comentário sem O sistema deve o preenchimento de todos bloquear a ação. os campos obrigatórios. UC Criar um comentário O sistema deve criar o preenchendo os campos comentário. obrigatórios. UC Criar um comentário O sistema deve criar o quando a atividade estiver comentário. com status igual a "Concluído". UC Criar um comentário O sistema deve criar o quando a atividade estiver comentário. com status igual a "Testando". UC Criar um comentário O sistema deve criar o quando a atividade estiver comentário. com status igual a "Em Andamento". O sistema apresentou os registros de trabalho relacionados a atividade. O sistema não criou o comentário. O sistema criou o comentário. O sistema criou o comentário. O sistema criou o comentário. O sistema criou o comentário. UC Criar um comentário O sistema deve criar o O sistema criou o 94

95 quando a atividade estiver com status igual a "Pra fazer". UC Editar um comentário sem o preenchimento de todos os campos obrigatórios. UC Editar um comentário preenchendo os campos obrigatórios. UC Editar um comentário com um colaborador diferente do colaborador que criou. UC Editar um comentário com um colaborador que é administrador do site. UC Excluir um comentário com um colaborador diferente do colaborador que criou. UC Excluir um comentário com um colaborador que é administrador do site. UC Consultar os comentários de uma atividade. UC Criar evidência da atividade sem o preenchimento de todos os campos obrigatórios. UC Criar evidência da atividade preenchendo os campos obrigatórios. comentário. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve atualizar o registro de trabalho. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve atualizar o registro de trabalho. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve bloquear a ação. O sistema de apresentar os comentários relacionados a atividade. O sistema deve bloquear a ação. O sistema deve criar a evidência. comentário. O sistema não atualizou o comentário. O sistema atualizou o comentário. O sistema não atualizou o comentário. O sistema atualizou o comentário. O sistema não excluiu o comentário. O sistema excluiu o comentário. O sistema apresentou os comentários relacionados a atividade. O sistema não criou a evidência. O sistema anexou o arquivo a atividade. 95

96 UC Criar evidência anexando O sistema deve criar a O sistema anexou o um arquivo com as evidência. arquivo a atividade. extensões jpeg, bmp, jpg, doc, docx, xls, xlsx, pdf e png. UC Criar evidência anexando O sistema deve O sistema não criou um arquivo com as bloquear a ação. a evidência. extensões diferentes de jpeg, bmp, jpg, doc, docx, xls, xlsx, pdf e png. UC Criar evidência antes de concluir a atividade. O sistema deve criar a evidência. O sistema anexou o arquivo a atividade. UC Criar evidência depois de O sistema deve O sistema não criou concluir a atividade. bloquear a ação. a evidência. UC Editar evidência da O sistema deve O sistema não atividade sem o bloquear a ação. atualizou a preenchimento de todos os evidência. campos obrigatórios. UC Editar evidência da O sistema deve O sistema atualizou atividade preenchendo os atualizar a evidência. a evidência. campos obrigatórios. UC Editar evidência anexando O sistema deve O sistema atualizou um arquivo com as atualizar a evidência. a evidência. extensões txt, jpeg, bmp, jpg, doc, docx, xls, xlsx, pdf e png. UC Editar evidência anexando O sistema deve O sistema não um arquivo com as bloquear a ação. atualizou a extensões diferentes de txt, evidência. jpeg, bmp, jpg, doc, docx, xls, xlsx, pdf e png. UC Editar evidência antes de O sistema deve O sistema atualizou concluir a atividade. atualizar a evidência. a evidência. UC Editar evidência depois de O sistema deve O sistema não 96

97 UC UC UC UC UC UC UC UC UC UC UC concluir a atividade. bloquear a ação. atualizou a evidência. Excluir evidência com um O sistema deve excluir O sistema excluiu a colaborador que é a evidência. evidência. administrador do site. Excluir evidência com um O sistema deve excluir O sistema excluiu a colaborador alocado no a evidência. evidência. projeto. Excluir evidência após a O sistema deve excluir O sistema excluiu a atividade ter sido a evidência. evidência. concluída. Excluir evidência depois O sistema deve O sistema não de concluir a atividade. bloquear a ação. excluiu a evidência. Consultar as evidências O sistema deve O sistema anexadas a atividade. apresentar somente os apresentou somente anexos referentes a as evidências atividade selecionada. referente a atividade selecionada. Criar um colaborador com Cadastrar colaborador. Cadastrar um colaborador que é colaborador. adminsitrador do site. Criar um colaborador com Não cadastrar Não cadastrar um colaborador que não é colaborador. colaborador. administrador do site. Criar um colaborador com Cadastrar colaborador. Cadastrar um colaborador do perfil colaborador. gerente de projeto. Criar um colaborador com Cadastrar colaborador. Cadastrar um colaborador do perfil colaborador. líder de projeto. Criar um colaborador com Cadastrar colaborador. Cadastrar um colaborador que é colaborador. administrador do site. Criar um colaborador do Cadastrar colaborador. Cadastrar 97

98 UC UC UC UC UC UC UC UC UC tipo administrador do site com um colaborador que é adminsitrador do site. Criar um colaborador do tipo administrador do site com um colaborador que não é adminstrador. Criar um colaborador com um já cadastrado no sistema. Criar um colaborador com um apelido já cadastrado no sistema. Criar um colaborador com um colaborador do perfil analista de sistema. Excluir um colaborador com um colaborador que é administrador do sistema. Excluir um colaborador com um colaborador que não é administrador do sistema. Criar um colaborador do tipo administrador do site com um já cadastrado no sistema. Criar um colaborador do tipo administrador do site com um apelido já cadastrado no sistema. Excluir um colaborador do tipo administrador do site com um colaborador que é colaborador. Não cadastrar Não cadastrar colaborador. colaborador. O sistema deve O sistema deve bloquear o cadastro. bloquear o cadastro. O sistema deve O sistema deve bloquear o cadastro. bloquear o cadastro. Não cadastrar Não cadastrar colaborador. colaborador. Cadastrar colaborador. Cadastrar colaborador. Não cadastrar Não cadastrar colaborador. colaborador. O sistema deve O sistema deve bloquear o cadastro. bloquear o cadastro. O sistema deve O sistema deve bloquear o cadastro. bloquear o cadastro. Cadastrar colaborador. Cadastrar colaborador. 98

99 administrador do sistema. UC Excluir um colaborador do tipo administrador do site com um colaborador que não é administrador do sistema. UC Editar o próprio cadastro do colaborador. UC Editar o cadastro de outro colaborador com um colaborador que é administrador do site. UC Editar o cadastro de outro colaborador com um colaborador que não é administrador do site. UC Editar um colaborador do tipo adminstrador com um colaborador que é adminstrador do site. UC Editar um colaborador do tipo adminstrador com um colaborador que não é administrador do site. UC Listar todos os colaboradores cadastrados. UC Validar paginação da lista de colaboradores. UC Validar filtros da lista de colaboradores. Não cadastrar colaborador. Editar colaborador. Editar colaborador. Não editar o colaborador. Editar colaborador. Não editar o colaborador. Apresentar todos os colaboradores, inclusive os administradores. O mecanismo de paginação deve funcionar. O sistema deve aplicar o filtro informado pelo usuário. Não cadastrar colaborador. Editar colaborador. Editar colaborador. Não editar o colaborador. Editar colaborador. Não editar o colaborador. Apresentar todos os colaboradores, inclusive os administradores. O mecanismo de paginação deve funcionar. O sistema deve aplicar o filtro informado pelo 99

100 UC Clicar no botão visualizar na lista de colaboradores. UC Abrir o formulário de visualização do colaborador. UC Consultar um colaborador com um colaborador que é administrador do sistema. UC Consultar um colaborador com um colaborador que não é administrador do sistema e que não seja o próprio cadastro. UC Consultar o próprio cadastro. UC Criar um colaborador em que está configurado receber notificação por ao ser cadastro. UC Criar um colaborador em que está configurado para não receber notificação por ao ser cadastro. UC Informar a nova senha diferente da senha antiga. UC Informar a nova senha igual a senha antiga. UC Informar a confirmação da nova senha diferente da Abrir o formulário de visualização do colaborador. Os campos devem estar bloqueados para edição. Abrir o formulário de visualização do colaborador. Abrir o formulário de visualização do colaborador. Abrir o formulário de visualização do colaborador. Enviar notificação por . Não enviar notificação por O sistema deve bloquear a alteração. O sistema deve validar a nova senha. O sistema deve bloquear a alteração. usuário. Abrir o formulário de visualização do colaborador. Os campos devem estar bloqueados para edição. Abrir o formulário de visualização do colaborador. Abrir o formulário de visualização do colaborador. Abrir o formulário de visualização do colaborador. Enviar notificação por . Não enviar notificação por O sistema deve bloquear a alteração. O sistema deve validar a nova senha. O sistema deve bloquear a 100

101 UC UC UC UC UC UC UC UC nova senha. alteração. Alterar a senha de um colaborador com um colaborador do tipo administrador do site. Alterar a senha de um colaborador com um colaborador que não é administrador do site e que não seja o próprio cadastro. Alterar a senha do próprio cadastro. Editar um colaborador em que está configurado receber notificação por ao ser cadastro. Editar um colaborador em que está configurado para não receber notificação por ao ser cadastro. Acessar o sistema sem ter nenhum colaborador do tipo administrador do site cadastrado. Informar e senha de um colaborador não cadastrado no sistema. Alterar senha e enviar notificação por . O sistema deve bloquear a alteração. Alterar senha e enviar notificação por . Enviar notificação por . Não enviar notificação por O sistema deve apresentar uma mensagem ao usuário para cadastrar um colaborador administrador do site. O sistema deve bloquear o acesso. Alterar senha e enviar notificação por . O sistema deve bloquear a alteração. Alterar senha e enviar notificação por . Enviar notificação por . Não enviar notificação por O sistema deve apresentar uma mensagem ao usuário para cadastrar um colaborador administrador do site. O sistema deve bloquear o acesso. Informar e senha de O colaborador deve O colaborador deve 101

102 um colaborador cadastrado no sistema. UC Colaborador digita o link correto para entrar no site. UC Colaborador deixa os campos em branco. UC Colaborador digita um e- mail inválido e deixa a senha em branco. UC Colaborador digita um e- mail inválido e uma senha inválida. UC Colaborador digita um e- mail inválido e uma senha válida. UC Colaborador deixa o campo em branco e digita uma senha válida. UC Colaborador digita um e- mail válido e a senha em branco. UC Colaborador digita um e- mail válido e uma senha inválida. UC Colaborador digita um e- mail válido e uma senha válida. UC Colaborador deseja entrar em uma página. acessar a página "Minha Página". O Sistema carrega o site. O Sistema exibe "Campo e senha é obrigatório". O Sistema exibe "Campo senha é obrigatório". O Sistema exibe "Combinação de e- mail e senha inválida". O Sistema exibe "Combinação de e- mail e senha inválida". O Sistema exibe "Campo é obrigatório". O Sistema exibe "Campo senha é obrigatório". O Sistema exibe "Combinação de e- mail e senha inválida". O Sistema valida e vai para a "Minha Página". O Sistema exibe a página selecionada. acessar a página "Minha Página". O Sistema carrega o site. O Sistema exibe "Campo e senha é obrigatório". O Sistema exibe "Campo senha é obrigatório". O Sistema exibe "Combinação de e- mail e senha inválida". O Sistema exibe "Combinação de e- mail e senha inválida". O Sistema exibe "Campo é obrigatório". O Sistema exibe "Campo senha é obrigatório". O Sistema exibe "Combinação de e- mail e senha inválida". O Sistema valida e vai para a "Minha Página". O Sistema exibe a página selecionada. 102

103 UC Colaborador deseja entrar em uma página que não tem permissão. UC Colaborador deseja acessar uma página. UC Colaborador não está conectando em nenhuma página. O Sistema exibe "Você não tem permissão para acessar essa página". O Sistema exibe a página. O Sistema exibe "Nenhum colaborador conectado". O Sistema exibe "Você não tem permissão para acessar essa página". O Sistema exibe a página. O Sistema exibe "Nenhum colaborador conectado". 103

104 6.8. APÊNDICE H DICIONÁRIO DE DADOS Entidade : Colaborador Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Cola_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador / Chave Primária Cola_Nome Simples Varchar(100) Not Null Nome Colaborador Cola_Nome_Simples Simples Varchar(20) Not Null Apelido Colaborador Cola_ Simples Varchar(100) Not Null Colaborador Cola_Senha Simples Varchar(100) Not Null Senha Colaborador Cola_Administrador Simples True/False Administrador Cola_ s_Projetos Simples True/False s Relacionados à Projetos Cola_ s_Atividades Simples True/False s Relacionados à Atividades Cola_En_Tipo Simples Integer Tipo Colaborador Entidade : Atividade Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Ativ_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Atividade / Chave Primária Ativ_Titulo Simples Varchar(100) Titulo Atividade Ativ_Descricao Simples Varchar(100) Descrição Atividade Cola_ID_Proprietario Determinante uniqueidentifier Not Null ID Proprietário Atividade / Chave Estrangeira Cola_ID_Criado_por Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador que Criou Atividade / Chave Estrangeira Ativ_Criacao Simples Date / Time Data Criação Atividade Ativ_Conclusao Simples Date / Time Conclusão da Atividade Ativ_Prevista Simples Date / Time Quantidade de horas Previstas para Atividade Ativ_Prev_Conclusao Simples Date / Time Conclusão Prevista da Atividade Ativ_Licao_Aprendida Simples True/False Lições Aprendidas na Atividade Ativ_ID_Dependente Simples uniqueidentifier Not Null ID da Atividade Dependente Fapr_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Fase do Projeto / Chave Estrangeira Ativ_Numero Simples Varchar(10) Numero da Atividade Ativ_Status Simples Varchar(20) Status da Atividade Ativ_Tipo Simples Varchar(20) Tipo da Atividade Ativ_Dh_Inicio Simples Date / Time Data / hora inicio da atividade Entidade : Comentário Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Come_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID do Comentário / Chave Primária Come_Criacao Simples Date / Time Data Criação Comentário Cola_ID_Criado_por Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador que Criou Comentário / Chave Estrangeira Come_Descricao Simples Varchar(100) Descrição do Comentário Ativ_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Atividade / Chave Estrangeira Entidade : Evidência Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Evid_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID da Evidência / Chave Primária Evid_Criacao Simples Date / Time Data Criação Evidência Cola_ID_Criado_por Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador que Criou Evidência / Chave Estrangeira Evid_Descricao Simples Varchar(100) Descrição da Evidência 104

105 Evid_Arquivo Simples Binary Arquivo da Evidência Ativ_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Atividade / Chave Estrangeira Entidade : Histórico Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Hist_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID do Histórico / Chave Primária Hist_Entidade Simples Varchar(100) Entidade do Histórico Hist_ID_Entidade Simples uniqueidentifier Not Null ID da Entidade do Histórico Hist_Criacao Simples Date / Time Data Criação Histórico Cola_ID_Criado_por Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador que Criou Histórico / Chave Estrangeira Hist_Tipo_Evento Simples Varchar(100) Tipo do Evento no Histórico Hist_Valor_Antigo Simples Integer Valor Antigo no Histórico Hist_Valor_Novo Simples Integer Valor Novo no Histórico Entidade : Equipe_Projeto Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Cola_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador / Chave Primária e Estrangeira Proj_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Projeto / Chave Primária e Estrangeira Eqpr_Perfil Simples Varchar(100) Perfil da Equipe Eqpr_Inicio Simples Date / Time Inicio dos Trabalhos da Equipe Eqpr_Termino Simples Date / Time Término dos Trabalhos da Equipe Cola_ID_Criado_por Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador / Chave Estrangeira Eqpr_Criacao Simples Date / Time Data Criação da Equipe Entidade : Fase_Projeto Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Fapr_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Fase do Projeto / Chave Primária Fapr_Titulo Simples Varchar(50) Titulo da Fase do Projeto Fapr_Numero Simples Integer Número da Fase do Projeto Fapr_Descricao Simples Varchar(100) Descrição da fase do Projeto Proj_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Projeto / Chave Estrangeira Cola_ID_Criado_por Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador / Chave Estrangeira Fapr_Inicio Simples Date / Time Inicio da Fase do Projeto Fapr_Termino Simples Date / Time Término da Fase do Projeto Fapr_Criacao Simples Date / Time Data Criação da Fase do Projeto Fapr_Previsao_Termino Simples Date / Time Data de previsão término atividade Entidade : Registro Trabalho Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Retr_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Registro do Trabalho/ Chave Primária Ativ_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Atividade / Chave Estrangeira Retr_Status Simples Varchar(20) Status do Trabalho Retr_Descricao Simples Varchar(100) Descrição do Trabalho Cola_ID_Aprovador Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador Aprovador / Chave Estrangeira Cola_ID_Criado_por Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador / Chave Estrangeira 105

106 Retr_Inicio Simples Date / Time Inicio do Trabalho Retr_Termino Simples Date / Time Término do Trabalho Retr_Duracao Simples Date / Time Duração do Trabalho Retr_Aprovação Simples Date / Time Data de Aprovação Entidade : Projeto Atributo Classe Domínio Nularidade Descrição Proj_ID Determinante uniqueidentifier Not Null ID Projeto / Chave Primária Proj_Titulo Simples Varchar(100) Not Null Titulo do Projeto Proj_Descricao Simples Varchar(100) Descrição do Projeto Cola_ID_Criado_por Determinante uniqueidentifier Not Null ID Colaborador que Criou Projeto / Chave Estrangeira Proj_Criacao Simples Date / Time Not Null Data Criação do Projeto Proj_Inicio Simples Date / Time Inicio do Projeto Proj_Tipo_Escopo Simples Varchar(100) Not Null Tipo do Escopo do Projeto Proj_Tipo_Projeto Simples Varchar(100) Not Null Tipo do Projeto Proj_Nome_Cliente Simples Varchar(100) Nome do Cliente Proj_ _Cliente Simples Varchar(100) do Cliente Cola_ID_GP_Cliente Simples uniqueidentifier Código do Cliente Cola_ID_Gerente_projeto Simples uniqueidentifier Código do Gerente de Projeto Cola_ID_Patrocinador Simples uniqueidentifier Código do Patrocinador do Projeto Cola_ID_Patrocinador_Cliente Simples uniqueidentifier Código do Patrocinador do Projeto Proj_Criar_Atividade Simples uniqueidentifier Criação da Atividade Proj_ s_Alterados Simples True/False s Alterados durante o Projeto Proj_ s_Excluidos Simples True/False s Excluidos durante o Projeto Proj_ s_Editados Simples True/False s Editados durante o Projeto Proj_ s_Criados Simples True/False s Criados durante o Projeto Proj_ s_Alocar_Colaborador Simples True/False s Criados para alocar Colaborador Proj_Aprovar_Horas_Automaticamente Simples True/False Aprovação de Horas Automaticamente Quando uma Atividade Precisa ser Proj_Criar_Atividade_Defeito Simples True/False Criada para corrigir Defeito Quando uma Atividade Precisa ser Proj_Criar_Atividade_Desenvolvimento Simples True/False Criada para Desenvolvimento Quando uma Atividade Precisa ser Proj_Criar_Atividade_Melhoria Simples True/False Criada para melhoria Cola_ID_GP Simples uniqueidentifier Código do Gerente de Projeto Proj_Numero Simples Varchar(100) Numero do projeto Proj_Prefixo_Fase_Projeto Simples Varchar(100) Prefixo da fase do projeto Proj_Prefixo_Atividade Simples Varchar(100) Prefixo da atividade Proj_Status Simples Varchar(100) Status do projeto Proj_Previsao_Termino Simples Date / Time Previsao de termino do projeto 106

107 6.9. APÊNDICE I CASOS DE USO Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Projeto. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Criar Projeto Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja criar um projeto Colaborador Todos os casos de uso de Login (UC-08); Somente executam este caso de uso os colaboradores administrador do site. N/A. FP01 Criar Projeto: 7. O Colaborador clica no link Novo projeto ; 8. O Sistema requisita informações sobre o projeto; 9. O Colaborador fornece os dados requisitados; 10. O Colaborador clica no botão Salvar ; 11. O Sistema salva o projeto; 12. Fim do caso de uso. 107

108 Nome do Caso de Uso: Resumo Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Editar Projeto: UC Editar Projeto Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja editar um projeto. Colaborador Todos os casos de uso de Login deverão ter sido feitos e validados. (UC-08); Somente executam este caso de uso os colaboradores administrador do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto; UC N/A. 1. Executar o caso de uso UC-01.07; 2. O Colaborador seleciona o projeto; 3. O Colaborador clica no link Editar ; 4. O Sistema apresenta os dados atuais do projeto; 5. O Colaborador atualiza as informações necessárias; 6. O Colaborador clica no botão Salvar ; 7. O Sistema salva o projeto; 8. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: UC Excluir Projeto Resumo: Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja excluir um projeto. Ator principal Colaborador Pré-condições Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site; Nenhuma atividade relacionada a este projeto deve ter sido iniciada, ou seja, possuir registro de trabalho. Pós-condições N/A. Fluxo Principal: FP01 Excluir Projeto: 1. Executar o caso de uso UC-01.07; 108

109 2. O Colaborador seleciona o projeto; 3. O Colaborador clica no link Excluir ; 4. O Sistema solicita confirmação da ação; 5. O Colaborador confirma a ação; 6. O Sistema exclui o projeto; 7. Fim do caso de uso; Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Adicionar colaborador ao Projeto. Este caso de uso se inicia quando o ator principal tem a necessidade de criar um novo recurso. Colaborador Todos os casos de uso de Login (UC-08); Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto; UC-01.01; UC N/A. FP01 Adicionar colaborador do Projeto: 1. Executar o caso de uso UC-01.07; 2. O Colaborador seleciona o projeto; 3. O Colaborador clica no link Visualizar ; 4. O Sistema apresenta os dados atuais do projeto; 5. O Colaborador clica no link Equipe do projeto ; 6. O Sistema redireciona para a página Equipe do projeto ; 7. O Sistema carrega os colaboradores alocados no projeto; 8. O Colaborador clica no link Adicionar colaborador ; 9. O Sistema abrirá uma pop-up; 10. O Sistema requisita duas informações (colaborador e o perfil); 11. O Colaborador fornece os dados requisitados; 12. O Colaborador clica no botão Salvar ; 13. O Sistema relaciona o colaborador com o projeto; 14. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: UC Excluir colaborador do Projeto. Resumo: Ator principal Pré-condições Este caso de uso se inicia quando o ator principal tem a necessidade de excluir um colaborador do Projeto. Colaborador Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; Somente executam este caso de uso os colaboradores 109

110 Pós-condições Fluxo Principal: administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto. N/A. FP01 Excluir colaborador do Projeto: 1. Executar o caso de uso UC-01.07; 2. O Colaborador seleciona o projeto; 3. O Colaborador clica no link Visualizar ; 4. O Sistema apresenta os dados atuais do projeto; 5. O Colaborador clica no link Equipe do projeto ; 6. O Sistema redireciona para a página Equipe do projeto ; 7. O Sistema carrega os colaboradores alocados no projeto; 8. O Colaborador clica no link Excluir colaborador ; 9. O Sistema exibe a lista de Colaboradores associados; 10. O Colaborador seleciona o Colaborador que deseja excluir; 11. O Sistema solicita a confirmação da exclusão; 12. O Colaborador confirma a exclusão; 13. O Sistema exclui o Colaborador; 14. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Consultar meus Projetos. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja consultar os projetos em que participa; Colaborador Todos os casos de uso de Login (UC-08); N/A. FP01 Consultar meus Projetos: 1. O Colaborador clica no menu Minha página ; 2. O Colaborador seleciona a opção Meus projetos ; 3. O Sistema redirecionará para a página Meus projetos ; 4. O Sistema carregará todos os projetos em que o colaborador em questão participa; 5. Fim do caso de uso; Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições UC Consultar todos os Projetos. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja consultar todos os projetos. Colaborador Todos os casos de uso de Login (UC-08); 110

111 Pós-condições Fluxo Principal: Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site. N/A. FP01 Consultar todos os Projetos: 1. O Colaborador clica no menu Minha página. 2. O Colaborador seleciona a opção Meus projetos ; 3. O Sistema redirecionará para a página Meus projetos ; 4. O Sistema carregará todos os projetos em que o colaborador em questão participa; 5. Fim do caso de uso; Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Consultar Projeto: UC Consultar Projeto. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja consultar todos os projetos. Colaborador Todos os casos de uso de Login (UC-08); N/A. 1. Executar caso de uso UC-01.07; 2. O Colaborador seleciona um projeto; 3. O Colaborador clica no link Visualizar ; 4. O Sistema redirecionará para a página Projeto ; 5. O Sistema carrega as informações do projeto selecionado; 6. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições UC Enviar ao criar Projeto. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja consultar todos os projetos. Sistema Todos os casos de uso de Login (UC-08); Pós-condições Fluxo Principal: UC-01.01; UC N/A. 111

112 FP01 Enviar ao criar Projeto: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por ; 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto que recebem notificações por e- mail; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Enviar ao editar Projeto. Este caso de uso se inicia quando o Sistema edita um projeto. Sistema UC N/A. FP01 Enviar ao editar Projeto: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por ; 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto que recebem notificações por e- mail; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Enviar ao excluir Projeto. Este caso de uso se inicia quando o Sistema exclui um projeto. Sistema UC N/A. FP01 Enviar ao excluir Projeto: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por ; 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto recebem notificações por ; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. 112

113 Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Enviar ao alocar Colaborador. Este caso de uso se inicia quando o Sistema exclui um projeto. Sistema Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC N/A. FP01 Enviar ao alocar Colaborador: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por ; 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto (incluindo o novo colaborador) que recebem notificações por ; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Aprovar horas lançadas no projeto. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja aprovar as horas lançadas no projeto. Colaborador. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC N/A. FP01 Aprovar horas lançadas no projeto: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador clica no link Aprovar horas lançadas ; 3. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 4. O Sistema carrega as horas lançadas relacionadas a essa fase do projeto; 5. O Colaborador seleciona a hora lançada que deseja aprovar; 6. O Colaborador clica no botão Aprovar ; 7. O Sistema aprova a hora lançada; 8. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: UC Gerar relatórios das atividades aprovadas. 113

114 Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja gerar o relatório das horas lançadas no projeto. Colaborador. UC N/A. FP01 Gerar relatórios das atividades aprovadas: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador clica no link Gerar relatório ; 3. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 4. O Sistema carrega as horas lançadas relacionadas a essa fase do projeto; 5. O Colaborador seleciona a hora lançada que deseja a geração do relatório; 6. O Colaborador clica no botão Gerar ; 7. O Sistema gera o relatório da hora lançada; 8. Fim do caso de uso. Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Fase do Projeto. Nome do Caso de Uso: UC Criar fase do projeto. Resumo: Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja criar uma fase do projeto. Ator principal Colaborador. Pré-condições Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC-01.05; Somente executam este caso de uso os colaboradores 114

115 Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Criar fase do projeto: administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto. UC O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador clica na opção Nova fase do projeto ; 3. O Sistema requisita informações sobre a fase do projeto; 4. O Colaborador fornece as informações requisitadas pelo Sistema; 5. O Colaborador clica no botão Salvar ; 6. O Sistema salva a fase do projeto; 7. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Editar fase do projeto: UC Editar fase do projeto. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja editar uma fase do projeto. Colaborador. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-02.01; Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto. N/A. 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador clica no botão Listar fases do projeto ; 3. O Sistema carrega todas as fases do projeto; 4. O Colaborador seleciona uma fase do projeto; 5. O Colaborador clica no link Editar ; 6. O Sistema apresenta os dados atuais da fase do projeto; 7. O Colaborador atualiza as informações necessárias; 8. O Colaborador clica no botão Salvar ; 9. O Sistema salva a fase do projeto; 10. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: UC Excluir fase do projeto. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja excluir uma fase do projeto. 115

116 Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Excluir fase do projeto: Colaborador. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-02.01; Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto; Nenhuma atividade relacionada a esta fase deve ter sido iniciada, ou seja, possuir registro de trabalho. 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador clica no botão Listar fases do projeto ; 3. O Sistema carrega todas as fases do projeto; 4. O Colaborador seleciona uma fase do projeto; 5. O Colaborador clica no link Excluir ; 6. O Sistema solicita confirmação da ação; 7. O Colaborador confirma a ação; 8. O Sistema exclui a fase do projeto; 9. Fim do caso de uso. Excluir todas as atividades e registros relacionada a esta fase. Nome do Caso de Uso: UC Consultar fases do projeto. Resumo: Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja consultar uma fase do projeto. Ator principal Colaborador. Pré-condições Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-02.01; Todos os colaboradores podem visualizar a fase do projeto. Pós-condições N/A Fluxo Principal: FP01 Consultar fases do projeto: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador clica no botão Listar fases do projeto ; 3. O Sistema carrega todas as fases do projeto; 4. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: UC Gerar o número da fase do projeto. 116

117 Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: Este caso de uso se inicia quando uma fase do projeto for criada. Sistema. UC N/A FP01 Gerar o número da fase do projeto: 1. O Sistema seleciona o último número de fase do projeto na tabela de Sequencia numérica do projeto; 2. O Sistema adiciona 1 ao número selecionado; 3. O Sistema gera o número da fase do projeto; 4. O Sistema valida se o número da fase do projeto já existe; 5. Se o número da fase do projeto já existe, retorna ao Passo 3; 6. O Sistema atualiza o último número da fase do projeto na tabela Sequencia numérica do projeto; 7. O Sistema salva número da fase do projeto na tabela de Atividade; 8. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Consultar burndown: UC Consultar Burndown. Este caso de uso se inicia quando o ator principal tem a necessidade de consultar o burndown. Colaborador. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC-01.05; UC-02.01; Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto. N/A 1. O Colaborador escolhe o projeto; 2. O Sistema exibe o projeto selecionado; 3. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 4. O Sistema exibe a fase do projeto escolhida; 5. O Colaborador acessa o gráfico Burndown ; 117

118 6. O Sistema exibe o gráfico de Burndown. 7. Fim do caso de uso. Representação gráfica geral dos casos de uso Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Atividade. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Criar atividade: UC Criar atividade. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja criar uma atividade. Colaborador. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC-07-01; UC UC O colaborador clica em Nova Atividade; 2. O Sistema requisita informações sobre a atividade; 3. O Colaborador fornece os dados solicitados; 4. O Colaborador clica no botão Salvar; 5. O Sistema salva a atividade criada; 6. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: UC Editar atividade. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja 118

119 Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Editar atividade: editar uma atividade existente. Colaborador. UC N/A 1. O colaborador clica em Atividades; 2. O Colaborador seleciona a atividade que será editada; 3. O sistema exibe as informações referentes a Atividade selecionada; 4. O Colaborador edita as informações necessárias; 5. O Colaborador clica no botão Salvar; 6. O Sistema salva a as informações alteradas; 7. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Excluir atividade: UC Excluir atividade. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja excluir uma atividade existente. Colaborador. UC N/A 1. O colaborador clica em Atividades; 2. O Colaborador seleciona a atividade que será excluída; 3. O sistema solicita a confirmação da exclusão da atividade; 4. O Colaborador confirma a exclusão da atividade escolhida; 5. O Sistema realiza a exclusão da atividade selecionada 6. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Consultar minhas atividades. Este caso de uso se inicia quando o colaborador tem a necessidade de verificar as atividades existentes alocadas para ele. Colaborador. UC-01.05; UC N/A 119

120 FP01 Consultar minhas atividades: 1. O Colaborar acessa o cadastro de atividades; 2. O Sistema exibe as atividades existentes; 3. O Colaborar preenche o filtro de busca de atividades com seus dados pessoais (Nome, Login, etc); 4. O Sistema exibe as atividades de acordo com o filtro informado; 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Consultar atividades da fase do projeto. Este caso de uso se inicia quando o colaborador tem a necessidade de verificar as atividades existentes no projeto. Colaborador. UC-01.05; UC N/A FP01 Consultar atividades da fase do projeto: 1. O Colaborar acessa o cadastro de atividades; 2. O Sistema exibe as atividades existentes; 3. Fim de caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Gerar o número da atividade. Este caso de uso se inicia quando uma atividade for criada. Sistema. UC N/A FP01 Gerar o número da atividade: 1. O Sistema seleciona o último número de atividade na tabela de seqüência numérica do projeto; 2. O Sistema adiciona 1 ao número selecionado; 3. O Sistema gera o número da atividade; 4. O Sistema valida se o número da atividade já existe; 5. Se o número da atividade já existe, retorna ao Passo 3; 6. O Sistema atualiza o último número de atividade na tabela Sequencia numérica do projeto; 7. O Sistema salva número da atividade na tabela de Atividade; 8. Fim do caso de uso. 120

121 Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Enviar ao criar atividade. Este caso de uso se inicia quando o Sistema cria uma atividade. Sistema Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-07.01; UC N/A FP01 Enviar ao criar atividade: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por ; 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto que recebem notificações por e- mail; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Enviar ao editar atividade. Este caso de uso se inicia quando o Sistema edita uma atividade. Sistema. UC N/A FP01 Enviar ao editar atividade: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por ; 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto que recebem notificações por e- mail; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal UC Enviar ao excluir atividade. Este caso de uso inicia quando o Sistema exclui uma atividade. Sistema. 121

122 Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC N/A FP01 Enviar ao excluir atividade: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto que recebem notificações por e- mail; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Alterar status da atividade. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja alterar o status de uma atividade existente. Colaborador. UC N/A FP01 Alterar status da atividade: 1. O Colaborador acessa o cadastro de atividades; 2. O Colaborador seleciona a atividade que será alterada; 3. O Sistema exibe as informações da atividade selecionada; 4. O Colaborar alterar o Status da atividade; 5. O Colaborar clica em salvar atividade; 6. Sistema salva as informações da atividade; 7. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Gerar histórico da atividade. Este caso de uso se inicia quando uma atividade é criada, editada ou excluída. Sistema. N/A N/A FP01 Gerar histórico da atividade: 1. O Sistema armazena informações inseridas referentes a determinada criada, alterada ou excluída; 2. Fim do caso de uso. 122

123 Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Criar um registro de trabalho. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja criar um registro do trabalho. Sistema. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC-01.05; UC-03.01; UC-07-01; Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto. N/A FP01 Criar um registro de trabalho: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica na opção Novo registro ; 5. O Sistema requisita informações sobre o registro do trabalho; 6. O Colaborador fornece as informações requisitadas pelo Sistema; 7. O Colaborador clica no botão Salvar ; 8. O Sistema salva o novo registro de trabalho; 9. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Editar um registro de trabalho. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja editar um registro do trabalho; Colaborador. UC N/A FP01 Editar um registro de trabalho: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no botão Listar registros da atividade ; 5. O Sistema carrega todos os registros; 123

124 6. O Colaborador seleciona o registro; 7. O Colaborador clica no link Editar ; 8. O Sistema apresenta os dados atuais do registro do trabalho; 9. O Colaborador atualiza as informações necessárias; 10. O Colaborador clica no botão Salvar ; 11. O Sistema salva as alterações 12. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Excluir um registro de trabalho. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja excluir um registro de trabalho. Colaborador. UC N/A FP01 Excluir um registro de trabalho: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O colaborar seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no botão Listar registros da atividade ; 5. O Sistema carrega todos os registros do trabalho; 6. O Colaborador seleciona o registro de trabalho desejado; 7. O Colaborador clica no link Excluir ; 8. O Sistema solicita confirmação da ação; 9. O Colaborador confirma a ação; 10. O Sistema exclui o registro de trabalho; 11. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições UC Consultar um registro de trabalho. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja consultar um registro da atividade. Colaborador. UC-04.01; Todos os colaboradores podem consultar os registros de trabalhos. N/A 124

125 Fluxo Principal: FP01 Consultar registros de trabalho: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no botão Listar registros da atividade ; 5. O Sistema carrega todos os registros da atividade; 6. Fim do caso de uso. Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Registro de Trabalho. Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Comentário da Atividade. Nome do Caso de Uso: UC Criar um comentário. 125

126 Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Criar um comentário: Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja inserir um comentário na atividade. Colaborador. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC-01.05; UC-03.01; UC-07-01; Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto. N/A 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador seleciona o botão Listar comentários da atividade ; 5. O Sistema carrega todas as atividades daquele projeto; 6. O Colaborador seleciona a atividade a ser comentada; 7. O Sistema apresenta os campos que devem ser preenchidos para inserir um comentário; 8. O Colaborador insere o comentário; 9. O Colaborador clica no botão Salvar ; 10. O Sistema salva o comentário; 11. Fim do caso de uso Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições UC Editar um comentário. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja editar um comentário na atividade. Colaborador. UC N/A 126

127 Fluxo Principal: FP01 Editar um comentário: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no link Listar comentários ; 5. O Sistema carrega todos os comentários daquela atividade; 6. O Colaborador seleciona o comentário; 7. O Colaborador clica no link Editar ; 8. O Sistema carrega os dados atuais do comentário; 9. O Colaborador atualiza as informações necessárias; 10. O Colaborador clica no botão Salvar ; 11. O Sistema salva o comentário; 12. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Excluir um comentário. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja excluir um comentário da atividade. Colaborador. UC N/A FP01 Excluir um comentário: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona qual a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no link Listar Comentários ; 5. O Sistema carrega todos os comentários daquela atividade; 6. O Colaborador seleciona o comentário que deseja excluir; 7. O Colaborador clica no link Excluir ; 8. O Sistema solicita confirmação da ação; 9. O Colaborador confirma a ação; 10. O Sistema exclui o comentário da atividade 11. Fim do caso de uso Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições UC Consultar um comentário. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja consultar um comentário. Colaborador. UC

128 Pós-condições Fluxo Principal: N/A FP01 Consultar um comentário: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Sistema carrega todos os comentários da atividade; 5. Fim do caso de uso. Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Evidência da Atividade. Nome do Caso de Uso: UC Criar uma evidência. Resumo: Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja inserir uma evidência na atividade. Ator principal Colaborador. Pré-condições Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC-01.05; UC-03.01; UC-07-01; Somente executam este caso de uso os colaboradores administradores do site ou colaboradores com o perfil de Gerente de Projeto. Pós-condições N/A 128

129 Fluxo Principal: FP01 Criar uma evidência: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no link Anexar evidência ; 5. O Sistema carrega o anexo da evidência; 6. O Colaborador anexa à evidência; 7. O Colaborador clica no botão Salvar ; 8. O Sistema faz o upload da evidência anexada; 9. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Editar uma evidência: UC Editar uma evidência. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja editar uma evidência na atividade. Colaborador. UC N/A 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no link Listar Evidências ; 5. O Sistema carrega todas as evidências anexadas; 6. O Colaborador escolhe a evidência que deseja editar; 7. O Colaborador clica no link Editar anexo ; 8. O Sistema apresenta os dados atuais da evidência; 9. O Colaborador faz as alterações necessárias; 10. O Colaborador clica no botão Salvar ; 11. O Sistema faz o upload do anexo; 12. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições UC Excluir uma evidência. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja excluir uma evidência da atividade. Colaborador. UC N/A 129

130 Fluxo Principal: FP01 Excluir uma evidência: 1. O Colaborador seleciona o projeto; 2. O Colaborador seleciona a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no link Listar evidências ; 5. O Sistema carrega todas as evidências daquela atividade; 6. O Colaborador escolhe qual evidência deseja excluir; 7. O Colaborador clica no link Excluir ; 8. O Sistema solicita confirmação da ação; 9. O Colaborador confirma a ação; 10. O Sistema exclui a evidência da atividade; 11. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Consultar uma evidência. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja consultar uma evidência da atividade. Colaborador. UC N/A FP01 Consultar uma evidência: 1. O Colaborador seleciona qual o projeto; 2. O Colaborador seleciona qual a fase do projeto; 3. O Colaborador seleciona a atividade; 4. O Colaborador clica no link Listar evidências ; 5. O Sistema carrega todas as evidências anexadas daquela atividade; 6. Fim do caso de uso. 130

131 Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Colaborador. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Criar colaborador: UC Criar colaborador. Este caso de uso se inicia quando um novo colaborador for cadastrado em um projeto existente. Administrador, Gerente ou Líder do Projeto. N/A UC O Ator principal acessa o cadastro de colaboradores; 8. O Sistema exibe os colaboradores do projeto; 9. O Ator principal clica em Novo Colaborador; 10. O Sistema solicita as informações do colaborador a ser cadastrado; 11. O Ator principal informa os dados do colaborador; 12. O Ator principal clica em Salvar; 13. O Sistema salva as informações do colaborador cadastrado; 14. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal UC Excluir colaborador. Este caso de uso se inicia quando um Colaborador precisa ser excluído do projeto. Administrador. 131

132 Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Excluir colaborador: UC N/A 1. O Administrador acesso o cadastro de Colaboradores; 2. O Administrador seleciona o Colaborador que será excluído; 3. O Sistema solicita a confirmação da exclusão do Colaborador selecionado; 4. O Administrador confirma a exclusão do Colaborador; 5. O Sistema exclui o Colaborador selecionado; 6. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Criar administrador do sistema. Este caso de uso se inicia quando um Administrador precisa ser criado. Administrador. N/A UC FP01 Criar administrador do sistema: 1. O Administrador previamente cadastrado acesso o Cadastro de colaboradores; 2. O Sistema exibe os colaboradores cadastrados; 3. O Administrador clica em Novo Colaborador; 4. O Sistema solicita as informações do colaborador a ser cadastrado; 5. O Administrador informa os dados do Colaborador a ser cadastrado; 6. O Administrador seleciona os privilégios do colaborador a ser cadastrado; 7. O Administrador clica em Salvar; 8. O Sistema salva os dados informações; 9. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições UC Excluir administrador do sistema. Este caso de uso se inicia quando um Administrador precisa ser excluído do projeto. Administrador. N/A UC

133 Fluxo Principal: FP01 Excluir administrador do sistema: 1. O Administrador acessa o cadastro de Colaboradores; 2. O Sistema exibe os colaboradores cadastrados; 3. O Administrador seleciona o colaborador a ser excluído; 4. O Sistema solicita a confirmação da exclusão do Colaborador; 5. O Administrador confirma a exclusão do colaborador; 6. O Sistema realiza a exclusão do Colaborador selecionado; 7. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Editar colaborador: UC Editar Colaborador. Este caso de uso se inicia quando os dados de um colaborador precisam ser alterados. Administrador. UC UC O Colaborador acessa o cadastro de Colaboradores; 2. O Sistema exibe os colaboradores cadastrados; 3. O Colaborador seleciona o colaborador a ser editado; 4. O Sistema exibe os dados do colaborador selecionado; 5. O Colaborador altera os dados do colaborador; 6. O Colaborador clica em Salvar; 7. O Sistema solicita a confirmação para salvar os dados alterados; 8. O Colaborador confirma para salvar os dados alterados; 9. O Colaborador salva as informações alteradas; 10. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições UC Editar administrador do Sistema. Este caso de uso se inicia quando os dados de um Administrador precisam ser alterados; Administrador. UC UC

134 Fluxo Principal: FP01 Editar administrador do sistema: 1. O Administrador acessa o cadastro de Colaboradores; 2. O Sistema exibe os colaboradores cadastrados; 3. O Administrador seleciona o colaborador a ser editado; 4. O Sistema exibe os dados do colaborador selecionado; 5. O Administrador altera os dados do colaborador; 6. O Administrador clica em Salvar; 7. O Sistema solicita a confirmação para salvar os dados alterados; 8. O Administrador confirma para salvar os dados alterados; 9. O Sistema salva as informações alteradas; 10. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Consultar colaboradores. Este caso de uso se inicia quando há a necessidade de consultar os colaboradores cadastrados no projeto. Administrador, Gerente ou Lider do Projeto. UC N/A. FP01 Consultar colaboradores: 1. O Ator principal acessa o cadastro dos colaboradores; 2. O Sistema exibe os colaboradores cadastrados; 3. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições UC Consultar colaborador. Este caso de uso se inicia quando há a necessidade de consultar um colaborador cadastrado no projeto. Administrador, Gerente ou Lider do Projeto. UC N/A. 134

135 Fluxo Principal: FP01 Consultar colaborador: 1. O Ator principal acessa o cadastro dos colaboradores; 2. O Sistema exibe os colaboradores cadastrados; 3. O Ator Principal seleciona o colaborar desejado. 4. O Sistema exibe as informações do colaborar selecionado; 5. Fim de caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições UC Enviar ao criar colaborador. Este caso de uso se inicia quando o Sistema cria um colaborador. Sistema. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; Pós-condições Fluxo Principal: UC N/A. FP01 Enviar ao criar colaborador: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por ; 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto que recebem notificações por e- mail; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Alterar senha do colaborador. Este caso de uso se inicia quando o Colaborador deseja alterar a sua senha de cadastro. Colaborador. UC N/A. FP01 Alterar senha do colaborador: 1. O Colaborador acessa a Minha Página ; 2. O Colaborador acessa seus dados cadastrais; 3. O sistema exibe os dados cadastrais do colaborador; 135

136 4. O Colaborador solicita alteração da senha; 5. O sistema solicita a da senha atual; 6. O Colaborador informa a senha atual; 7. O sistema solicita a nova senha; 8. O Colaborador informa a nova senha; 9. Colaborador clica em Salvar Senha; 10. O Sistema salva a nova senha; 11. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Enviar ao alterar colaborador. Este caso de uso se inicia quando o Sistema altera um colaborador. Sistema. Todos os casos de uso de Login (UC-08); UC-01.01; UC N/A. FP01 Enviar ao alterar colaborador: 1. O Sistema seleciona os executivos do projeto (gerentes e patrocinadores do projeto) que recebem notificações por ; 2. O Sistema seleciona os membros da equipe do projeto que recebem notificações por e- mail; 3. O Sistema seleciona os dados para compor o ; 4. O Sistema envia o aos destinatários selecionados; 5. Fim do caso de uso. 136

137 Representação gráfica dos casos de uso do grupo de procedimentos Login. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: FP01 Conectar ao site: UC Conectar ao site. Este caso de uso inicia quando o Colaborador deseja conectar ao site. Colaborador. 1. O Colaborador deve acessar o site; 2. Fim do caso de uso. Equipamento que atenda os requisitos mínimos do sistema. Realizar o login ao site. Nome do Caso de Uso: Resumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições UC Validar permissão de acesso às páginas. Este caso de uso se inicia quando o Sistema verifica se o colaborador tem permissão de acessar a página. Sistema. UC-08.01; UC-08.02; O Colaborador deve acessar uma página. O usuário redirecionado para a página Minha Página. 137

138 Fluxo Principal: FP01 Validar permissão de acesso às páginas: 1. O Sistema identifica que o Colaborador não tem permissão de acessar a página. 2. O Sistema bloqueia o acesso à página. 3. O Sistema redireciona para a página de informações ao usuário. 4. O Sistema exibe a mensagem Você não tem permissão para acessar a página. 5. Fim do caso de uso. Nome do Caso de Uso: esumo: Ator principal Pré-condições Pós-condições Fluxo Principal: UC Validar usuário conectado ao site antes de acessar página. Este caso de uso se inicia quando o Sistema verifica se o Colaborador está conectado ao site. Sistema. UC-08.01; O Colaborador deve acessar uma página. Esse procedimento não é aplicável para a página Login e Página Inicial. Bloqueio de acesso à página e apresentação de uma mensagem. FP01 Validar usuário conectado ao site antes de acessar página: 1. O Sistema identifica que nenhum Colaborador está conectado; 2. O Sistema bloqueia o acesso à página; 3. O Sistema redireciona para a página de informações ao usuário; 4. O Sistema exibe a mensagem Nenhum usuário conectado ; 5. Fim do caso de uso. 138

139 6.10. APÊNDICE J - DIAGRAMAS DE CLASSE 139

140 140

ENGENHARIA DE SOFTWARE I

ENGENHARIA DE SOFTWARE I ENGENHARIA DE SOFTWARE I Prof. Cássio Huggentobler de Costa [cassio.costa@ulbra.br] Twitter: www.twitter.com/cassiocosta_ Agenda da Aula (002) Metodologias de Desenvolvimento de Softwares Métodos Ágeis

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal

Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Sistemas de Informação e Programação II Odorico Machado Mendizabal Universidade Federal do Rio Grande FURG C3 Engenharia de Computação 16 e 23 de março de 2011 Processo de Desenvolvimento de Software Objetivos

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br

SCRUM. Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br SCRUM Fabrício Sousa fabbricio7@yahoo.com.br Introdução 2 2001 Encontro onde profissionais e acadêmicos da área de desenvolvimento de software de mostraram seu descontentamento com a maneira com que os

Leia mais

Comparação entre Metodologias Ágeis e Tradicionais para o Desenvolvimento de Software

Comparação entre Metodologias Ágeis e Tradicionais para o Desenvolvimento de Software Comparação entre Metodologias Ágeis e Tradicionais para o Desenvolvimento de Software MICHEL DOS SANTOS SOARES 1 Unipac - Universidade Presidente Antônio Carlos Faculdade de Tecnologia e Ciências de Conselheiro

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS

ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS ADMINISTRAÇÃO GERAL GESTÃO DE PROJETOS Atualizado em 31/12/2015 GESTÃO DE PROJETOS PROJETO Para o PMBOK, projeto é um esforço temporário empreendido para criar um produto, serviço ou resultado exclusivo.

Leia mais

6 Infraestrutura de Trabalho

6 Infraestrutura de Trabalho 6 Infraestrutura de Trabalho Este capítulo tem como objetivo fornecer uma visão geral do ambiente de trabalho encontrado na organização estudada, bem como confrontá-lo com a organização ideal tal como

Leia mais

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira

SCRUM Gerência de Projetos Ágil. Prof. Elias Ferreira SCRUM Gerência de Projetos Ágil Prof. Elias Ferreira Métodos Ágeis + SCRUM + Introdução ao extreme Programming (XP) Manifesto Ágil Estamos descobrindo maneiras melhores de desenvolver software fazendo-o

Leia mais

Metodologias Ágeis. Aécio Costa

Metodologias Ágeis. Aécio Costa Metodologias Ágeis Aécio Costa Metodologias Ágeis Problema: Processo de desenvolvimento de Software Imprevisível e complicado. Empírico: Aceita imprevisibilidade, porém tem mecanismos de ação corretiva.

Leia mais

Guia Projectlab para Métodos Agéis

Guia Projectlab para Métodos Agéis Guia Projectlab para Métodos Agéis GUIA PROJECTLAB PARA MÉTODOS ÁGEIS 2 Índice Introdução O que são métodos ágeis Breve histórico sobre métodos ágeis 03 04 04 Tipos de projetos que se beneficiam com métodos

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas CMP1141 Processo e qualidade de software I Prof. Me. Elias Ferreira Sala: 210 F Quarta-Feira:

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática

Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Universidade Federal do Espírito Santo Centro Tecnológico Departamento de Informática Programa de Pós-Graduação em Informática Disciplina: INF5008 Prof.: (monalessa@inf.ufes.br) Conteúdo 8. Metodologias

Leia mais

GERENCIAMENTO DE PROJETOS

GERENCIAMENTO DE PROJETOS GERENCIAMENTO DE PROJETOS O que é um Projeto? Regra Início e fim definidos Destinado a atingir um produto ou serviço único Escopo definido Características Sequência clara e lógica de eventos Elaboração

Leia mais

RESUMO PARA O EXAME PSM I

RESUMO PARA O EXAME PSM I RESUMO PARA O EXAME PSM I Escrito por: Larah Vidotti Blog técnico: Linkedin: http://br.linkedin.com/in/larahvidotti MSN: larah_bit@hotmail.com Referências:... 2 O Scrum... 2 Papéis... 3 Product Owner (PO)...

Leia mais

PLANEJAMENTO DO ESCOPO

PLANEJAMENTO DO ESCOPO PLANEJAMENTO DO ESCOPO Dr. rer. nat. Christiane Gresse von Wangenheim, PMP Objetivo de aprendizagem desta aula Ao final desta aula, você deverá ser capaz de: Motivar a importância do planejamento de escopo.

Leia mais

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br

Workshop SCRUM. Versão 5 Out 2010 RFS. rildo.santos@etecnologia.com.br Todos os direitos reservados e protegidos 2006 e 2010 Objetivo: Estudo de Caso Objetivo: Apresentar um Estudo de Caso para demonstrar como aplicar as práticas do SCRUM em projeto de desenvolvimento de

Leia mais

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge

4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge 58 4. PMBOK - Project Management Body Of Knowledge No Brasil, as metodologias mais difundidas são, além do QL, o método Zopp, o Marco Lógico do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Mapp da

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fernando L. F. Almeida falmeida@ispgaya.pt Principais Modelos Capability Maturity Model Integration (CMMI) Team Software Process and Personal Software Process (TSP/PSP)

Leia mais

GOVERNANÇA DE TI PMBoK (Project Management Body of Knowledge)

GOVERNANÇA DE TI PMBoK (Project Management Body of Knowledge) GOVERNANÇA DE TI PMBoK (Project Management Body of Knowledge) Governança de TI AULA 08 2011-1sem Governança de TI 1 Introdução ao Gerenciamento de Projetos HISTÓRIA PMI Project Management Institute: Associação

Leia mais

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003

Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 Capítulo 3 Aplicando o PMBoK ao Microsoft Office Project 2003 29 3.1 GERENCIAMENTO DO ESCOPO O Gerenciamento do Escopo do Projeto engloba os processos necessários para assegurar que o projeto inclua todas

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.

Gerenciamento de Projetos Web. Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu. Gerenciamento de Projetos Web Professor: Guilherme Luiz Frufrek Email: frufrek@utfpr.edu.br http://paginapessoal.utfpr.edu.br/frufrek Possui Especialização em Engenharia de Software e Banco de Dados pela

Leia mais

PMBOK 4ª Edição I. Introdução

PMBOK 4ª Edição I. Introdução PMBOK 4ª Edição I Introdução 1 PMBOK 4ª Edição Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos Seção I A estrutura do gerenciamento de projetos 2 O que é o PMBOK? ( Project Management Body of Knowledge

Leia mais

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain.

Scrum Guia Prático. Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master. Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum. Solutions. www.domain. Scrum Guia Prático Os papéis, eventos, artefatos e as regras do Scrum Solutions www.domain.com Raphael Rayro Louback Saliba Certified Scrum Master 1 Gráfico de Utilização de Funcionalidades Utilização

Leia mais

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação

Universidade Federal do Espírito Santo Centro de Ciências Agrárias CCA-UFES Departamento de Computação Centro de Ciências Agrárias Departamento de Computação Visão Geral do Processo de Desenvolvimento de Software Introdução à Ciência da Computação Introdução à Ciência da Computação COM06850-2015-II Prof.

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Desenvolvimento Ágil Modelos Ágeis Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 Extreme Programming (XP); DAS (Desenvolvimento Adaptativo de Software)

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

Introdução ao OpenUP (Open Unified Process)

Introdução ao OpenUP (Open Unified Process) Introdução ao OpenUP (Open Unified Process) Diferentes projetos têm diferentes necessidades de processos. Fatores típicos ditam as necessidades de um processo mais formal ou ágil, como o tamanho da equipe

Leia mais

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT

MASTER IN PROJECT MANAGEMENT MASTER IN PROJECT MANAGEMENT PROJETOS E COMUNICAÇÃO PROF. RICARDO SCHWACH MBA, PMP, COBIT, ITIL Atividade 1 Que modelos em gestão de projetos estão sendo adotados como referência nas organizações? Como

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE TECNOLOGIA AULA 06 PROFª BRUNO CALEGARO Santa Maria, 27 de Setembro de 2013. Revisão aula anterior Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento e entrega

Leia mais

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos

Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Gerenciamento de Escopo na Gestão de Projetos Airton Eustaquio Braga Junior aebjr@terra.com.br MBA Gestão de Projetos em Engenharia e Arquitetura Instituto de Pos-Graduação IPOG Goiania, GO, 02 de Setembro

Leia mais

METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM -

METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM - METODOLOGIAS ÁGEIS - SCRUM - André Roberto Ortoncelli ar_ortoncelli@hotmail.com 2010 Organização da Apresentação Introdução as Metodologias Ágeis Scrum Conceitos Básicos Artefatos Papeis Cerimônias Estórias

Leia mais

Com relação às áreas de conhecimento de projetos conforme o. PMBoK, julgue os itens subseqüentes.

Com relação às áreas de conhecimento de projetos conforme o. PMBoK, julgue os itens subseqüentes. De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas

MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas MINI-CURSO Gerenciamento de Projetos para Economistas ECONOMISTA - RIVAS ARGOLO 2426/D 62 9905-6112 RIVAS_ARGOLO@YAHOO.COM.BR Objetivo deste mini curso : Mostrar os benefícios do gerenciamento de projetos

Leia mais

Novidades do Guia PMBOK 5a edição

Novidades do Guia PMBOK 5a edição Novidades do Guia PMBOK 5a edição Mauro Sotille, PMP O Guia PMBOK 5 a edição (A Guide to the Project Management Body of Knowledge (PMBOK Guide) Fifth Edition), em Inglês, vai ser lançado oficialmente pelo

Leia mais

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK

- Project Management Institute. Disciplina de Engenharia de Software. PMP- Project Management Professional PMBOK Disciplina de Engenharia de Software Material elaborado por Windson Viana de Carvalho e Rute Nogueira Pinto em 19/07/2004 Material alterado por Rossana Andrade em 22/04/2009 - Project Management Institute

Leia mais

www.plathanus.com.br

www.plathanus.com.br www.plathanus.com.br A Plathanus Somos uma empresa com sede na Pedra Branca Palhoça/SC, especializada em consultoria e assessoria na criação e desenvolvimento de estruturas e ambientes especializados com

Leia mais

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) SCRUM: UM MÉTODO ÁGIL Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Motivação Manifesto Ágil Princípios Ciclo Papeis, cerimônias, eventos, artefatos Comunicação Product Backlog Desperdício 64% das features

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Curso de Sistemas de Informação Karla Donato Fook karladf@ifma.edu.br DESU / DAI 2015 Desenvolvimento Rápido de Software 2 1 Para quê o Desenvolvimento Rápido de Software? Os negócios

Leia mais

Simulações em Aplicativos

Simulações em Aplicativos Simulações em Aplicativos Uso Avançado de Aplicativos Prof. Marco Pozam mpozam@gmail.com A U L A 0 4 Programação da Disciplina 20/Agosto: Conceito de Project Office. 27/Agosto: Tipos de Project Office.

Leia mais

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM)

Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Programação Extrema Manifesto Ágil e as Metodologias Ágeis (XP e SCRUM) Prof. Mauro Lopes Programação Extrema Prof. Mauro Lopes 1-31 45 Manifesto Ágil Formação da Aliança Ágil Manifesto Ágil: Propósito

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013

LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 LISTA DE EXERCÍCIOS METODOLOGIAS ÁGEIS ENGENHARIA DE SOFTWARE 10/08/2013 Disciplina: Professor: Engenharia de Software Edison Andrade Martins Morais http://www.edison.eti.br prof@edison.eti.br Área: Metodologias

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO

SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO SCRUM: UMA DAS METODOLOGIAS ÁGEIS MAIS USADAS DO MUNDO RESUMO Eleandro Lopes de Lima 1 Nielsen Alves dos Santos 2 Rodrigo Vitorino Moravia 3 Maria Renata Furtado 4 Ao propor uma alternativa para o gerenciamento

Leia mais

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br

Uma introdução ao SCRUM. Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Uma introdução ao SCRUM Evandro João Agnes evandroagnes@yahoo.com.br Agenda Projetos de Software O que é Scrum Scrum framework Estrutura do Scrum Sprints Ferramentas Projetos de software Chaos Report Standish

Leia mais

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl

Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta web para gerenciamento de projetos de software baseado no Scrum Aluna: Vanessa de Mello Orientador: Everaldo Artur Grahl Introdução Roteiro da apresentação Objetivos do trabalho Fundamentação

Leia mais

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software

05/05/2010. Década de 60: a chamada Crise do Software Pressman, Roger S. Software Engineering: A Practiotioner s Approach. Editora: McGraw- Hill. Ano: 2001. Edição: 5 Introdução Sommerville, Ian. SW Engineering. Editora: Addison Wesley. Ano: 2003. Edição:

Leia mais

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson

Géssica Talita. Márcia Verônica. Prof.: Edmilson Géssica Talita Márcia Verônica Prof.: Edmilson DESENVOLVIMENTO ÁGIL Técnicas foram criadas com o foco de terminar os projetos de software rapidamente e de forma eficaz. Este tipo de técnica foi categorizada

Leia mais

SOBRE O WORKSHOP [ WORKSHOP

SOBRE O WORKSHOP [ WORKSHOP WORKSHOP [ WORKSHOP SOBRE O WORKSHOP O PMDome é um treinamento muito dinâmico e prático em gerenciamento de projetos onde os participantes são divididos em times que, em uma competição desafiadora e animada,

Leia mais

5.1 Introdução. 5.2 Project Management Institute (PMI)

5.1 Introdução. 5.2 Project Management Institute (PMI) 5 NORMALIZAÇÃO DA GESTÃO DE PROJETOS 5.1 Introdução Embora tradicionalmente o esforço de normalização pertença à International Standards Organization (ISO), no caso da gestão de projetos a iniciativa tem

Leia mais

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1.

ARCO - Associação Recreativa dos Correios. Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Plano de Desenvolvimento de Software Versão <1. ARCO - Associação Recreativa dos Correios Sistema para Gerenciamento de Associações Recreativas Versão Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor Página

Leia mais

ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA

ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA ESTRUTURAÇÃO DOS PROCESSOS DE COMUNICAÇÃO EM PROJETOS, PROGRAMAS E PORTFÓLIOS CONSULTORIA SOBRE A CONSULTORIA Assegure melhores resultados em seus projetos com uma estrutura de comunicação simples, efetiva,

Leia mais

Wesley Torres Galindo

Wesley Torres Galindo Qualidade, Processos e Gestão de Software Professores: Alexandre Vasconcelos e Hermano Moura Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com User Story To Do Doing Done O que é? Como Surgiu? Estrutura Apresentar

Leia mais

Desenvolvimento Ágil de Software

Desenvolvimento Ágil de Software Desenvolvimento Ágil de Software Métodos ágeis (Sommerville) As empresas operam em um ambiente global, com mudanças rápidas. Softwares fazem parte de quase todas as operações de negócios. O desenvolvimento

Leia mais

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.

Guia do Nexus. O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado. Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum. Guia do Nexus O Guia Definitivo para o Nexus: O exoesqueleto do desenvolvimento Scrum escalado Desenvolvido e mantido por Ken Schwaber e Scrum.org Tabela de Conteúdo Visão Geral do Nexus... 2 O Propósito

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais

Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Gerenciamento de Projetos Modulo I Conceitos Iniciais Prof. Walter Cunha falecomigo@waltercunha.com http://waltercunha.com Bibliografia* Project Management Institute. Conjunto de Conhecimentos em Gerenciamento

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos (ref. capítulos 1 a 3 PMBOK) TC045 Gerenciamento de Projetos Sergio Scheer - scheer@ufpr.br O que é Gerenciamento de Projetos? Aplicação de conhecimentos, habilidades, ferramentas

Leia mais

Ferramenta para gestão ágil

Ferramenta para gestão ágil Ferramenta para gestão ágil de projetos de software Robson Ricardo Giacomozzi Orientador: Everaldo Artur Grahl Agenda Introdução Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento Resultados e discussões

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMMI E METODOLOGIAS Á G EIS CMMI E METODOLOGIAS ÁGEIS Os métodos de desenvolvimento Ágeis e

Leia mais

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente.

Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Por que o Scrum? o Foco na Gerência de Projetos; o Participação efetiva do Cliente. Desenvolvido por Jeff SUTHERLAND e Ken SCHWABER ; Bastante objetivo, com papéis bem definidos; Curva de Aprendizado é

Leia mais

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com.

ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS. contato@alinebrake.com.br. fs_moreira@yahoo.com.br. contato@marcelobrake.com. ESTUDO DE CASO: SCRUM E PMBOK UNIDOS NO GERENCIAMENTO DE PROJETOS (CASE STUDY: SCRUM AND PMBOK - STATES IN PROJECT MANAGEMENT) Aline Maria Sabião Brake 1, Fabrício Moreira 2, Marcelo Divaldo Brake 3, João

Leia mais

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI

MDMS-ANAC. Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC. Superintendência de Tecnologia da Informação - STI MDMS-ANAC Metodologia de Desenvolvimento e Manutenção de Sistemas da ANAC Superintendência de Tecnologia da Informação - STI Histórico de Alterações Versão Data Responsável Descrição 1.0 23/08/2010 Rodrigo

Leia mais

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto.

SCRUM. É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. SCRUM SCRUM É um processo iterativo e incremental para o desenvolvimento de qualquer produto e gerenciamento de qualquer projeto. Ken Schwaber e Jeff Sutherland Transparência A transparência garante que

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos Em conformidade com a metodologia PMI 1 Apresentações Paulo César Mei, MBA, PMP Especialista em planejamento, gestão e controle de projetos e portfólios, sempre aplicando as melhores

Leia mais

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE

Scrum. Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE Scrum Introdução UFRPE-DEINFO BSI-FÁBRICA DE SOFTWARE scrum Ken Schwaber - Jeff Sutherland http://www.scrumalliance.org/ Scrum Uma forma ágil de gerenciar projetos. Uma abordagem baseada em equipes autoorganizadas.

Leia mais

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum

FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum C.E.S.A.R.EDU Unidade de Educação do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife Projeto de Dissertação de Mestrado FireScrum: Ferramenta de apoio à gestão de projetos utilizando Scrum Eric de Oliveira

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE BOAS PRÁTICAS DO PMI COM OS MÉTODOS ÁGEIS Por: Sheyla Christina Bueno Ortiz Orientador Prof. Nelsom Magalhães Rio de Janeiro

Leia mais

SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/

SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/ SIGECO07 Sistema Integrado de Gestão de Contas Universidade Federal de Lavras PLANO DE PROJETO 23/09/2007 SIGECO07/GERENCIA/PROJETOS/ ModeloPlanoProjeto_2007_04_24 SIGECO07_PlanoProjeto_2007_09_23 Página

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Faculdade de Informática e Administração Paulista Curso de Sistemas de Informação 2º SI-T Engenharia de Software Modelo de Desenvolvimento Ágil SCRUM Hugo Cisneiros RM 60900 Moyses Santana Jacob RM 63484

Leia mais

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1

DESAFIO ETAPA 1 Passo 1 DESAFIO Um dos maiores avanços percebidos pela área de qualidade de software foi comprovar que a qualidade de um produto final (software) é uma consequência do processo pelo qual esse software foi desenvolvido.

Leia mais

Cartilha. Gestão de Projetos. Superintendência de Planejamento e Gestão SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás

Cartilha. Gestão de Projetos. Superintendência de Planejamento e Gestão SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás Cartilha Gestão de Projetos SUPLAN Ministério Público do Estado de Goiás Esta cartilha tem como objetivo transmitir os conceitos básicos relacionados ao Gerenciamento de Projetos e compartilhar da metodologia

Leia mais

Definição e Implantação de um Processo de Software para o Núcleo de Práticas de uma Universidade

Definição e Implantação de um Processo de Software para o Núcleo de Práticas de uma Universidade Definição e Implantação de um Processo de Software para o Núcleo de Práticas de uma Universidade Micaelly P. Soares e Silva, Carla I. M. Bezerra, Camilo C. Almendra, Enyo José T. Gonçalves Universidade

Leia mais

Reuse in a Distributed Environment

Reuse in a Distributed Environment Reuse in a Distributed Environment É possível aplicar APF em um Ambiente Ágil? Alcione Ramos, MSc, CFPS, PMP, CSD Cejana Maciel, MSc, Scrum Master, ITIL, COBIT Ponto de função é coisa dos anos 70. É uma

Leia mais

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI

FINANÇAS EM PROJETOS DE TI FINANÇAS EM PROJETOS DE TI 2012 Material 1 Prof. Luiz Carlos Valeretto Jr. 1 E-mail valeretto@yahoo.com.br Objetivo Objetivos desta disciplina são: reconhecer as bases da administração financeira das empresas,

Leia mais

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org

Engenharia de Software I. Aula 15: Metodologias Ágeis. Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Engenharia de Software I Aula 15: Metodologias Ágeis Prof. Márcio D. Puntel marcio@puntel.org Março - 2008 Antes... Manifesto Mudança de contratos Foco nas premissas... 2 Algumas metodologias Extreme Programming

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE

PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE. PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE PMI - PMBoK PMI PROJECT MANAGEMENT INSTITUTE PMBoK PROJECT MANAGEMENT BODY OF KNOWLEDGE 1 PMI- Project Management Institute Fundado nos Estudos Unidos em 1969; Instituto sem fins lucrativos, dedicado ao

Leia mais

Algumas propriedades dos objetos:

Algumas propriedades dos objetos: Orientação a Objetos Vivemos num mundo de objetos. Esses objetos existem na natureza, nas entidades feitas pelo homem, nos negócios e nos produtos que usamos. Eles podem ser categorizados, descritos, organizados,

Leia mais

Como concluir um projeto com sucesso?

Como concluir um projeto com sucesso? Como concluir um projeto com sucesso? Luiz Eduardo Cunha, Eng. Professor da FAAP e do IMT 1 Luiz Eduardo Cunha Graduado em Engenharia de Produção EPUSP Pós-Graduado em Gestão do Conhecimento e Inteligência

Leia mais

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto

Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do Projeto ENAP Diretoria de Desenvolvimento Gerencial Coordenação Geral de Educação a Distância Gerência de Projetos - Teoria e Prática Conteúdo para impressão Módulo 2: Gerenciamento de Escopo, Tempo e Custos do

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Documento de Requisitos Sistema Gerenciador de Atendimento de Chamados Técnicos Grupo: Luiz Augusto Zelaquett

Leia mais

Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software

Metodologias Ágeis de Desenvolvimento de Software "Antes de imprimir pense em sua responsabilidade e compromisso com o MEIO AMBIENTE." Engenharia de Software de Desenvolvimento de Software Givanaldo Rocha de Souza givanaldo.rocha@ifrn.edu.br http://docente.ifrn.edu.br/givanaldorocha

Leia mais

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral

Programa do Módulo 2. Processo Unificado: Visão Geral 9.1 Programa do Módulo 2 Orientação a Objetos Conceitos Básicos Análise Orientada a Objetos (UML) O Processo Unificado (RUP) Processo Unificado: Visão Geral 9.2 Encaixa-se na definição geral de processo:

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Riscos em Projetos de TI Baseado no PMBOK

Sistema de Gerenciamento de Riscos em Projetos de TI Baseado no PMBOK 180 - Encontro Anual de Tecnologia da Informação Sistema de Gerenciamento de Riscos em Projetos de TI Baseado no PMBOK Thiago Roberto Sarturi1, Evandro Preuss2 1 Pós-Graduação em Gestão de TI Universidade

Leia mais

Automação do Processo de Instalação de Softwares

Automação do Processo de Instalação de Softwares Automação do Processo de Instalação de Softwares Aislan Nogueira Diogo Avelino João Rafael Azevedo Milene Moreira Companhia Siderúrgica Nacional - CSN RESUMO Este artigo tem como finalidade apresentar

Leia mais

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com

Wesley Torres Galindo. wesleygalindo@gmail.com Wesley Torres Galindo wesleygalindo@gmail.com Wesley Galindo Graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Mestrado em Engenharia de Software Engenheiro de Software Professor Faculdade Escritor Osman

Leia mais

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA WEB PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE UTILIZANDO METODOLOGIAS ÁGEIS

TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA WEB PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE UTILIZANDO METODOLOGIAS ÁGEIS TÍTULO: DESENVOLVIMENTO DE UMA FERRAMENTA WEB PARA O GERENCIAMENTO DE PROJETO DE SOFTWARE UTILIZANDO METODOLOGIAS ÁGEIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS EXATAS E DA TERRA SUBÁREA: COMPUTAÇÃO E INFORMÁTICA

Leia mais

Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário

Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário Scientific Electronic Library Online Sistema SciELO de Publicação Guia do usuário São Paulo, junho de 2007 1º Versão SUMÁRIO 1 Introdução... 3 2 Autor... 5 2.1 Cadastro no sistema (http://submission.scielo.br),

Leia mais

SINAL Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central Conceitos básicos em gerenciamento de projetos

SINAL Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central Conceitos básicos em gerenciamento de projetos Conceitos básicos em gerenciamento de projetos Projeto de regulamentação do Art. 192 da Constituição Federal Brasília (DF) Maio de 2009 i Conteúdo 1. Nivelamento de informações em Gerenciamento de Projetos...

Leia mais

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO

AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br RESUMO 1 AVALIAÇÃO DA UTILIZAÇÃO DO SCRUM COMO MEIO PARA OBTENÇÃO DO NÍVEL G DE MATURIDADE DE ACORDO COM O MODELO MPS.br Autor: Julio Cesar Fausto 1 RESUMO Em um cenário cada vez mais competitivo e em franca

Leia mais

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga

DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil. Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga DISCIPLINA ENGENHARIA DE SOFTWARE Aula 03 Processo Unificado e Desenvolvimento Ágil Profª Esp.: Maysa de Moura Gonzaga 2º Semestre / 2011 O Processo Unificado dos autores Ivar Jacobson, Grady Booch e James

Leia mais

Conteúdo. Apresentação do PMBOK. Projeto 29/07/2015. Padrões de Gerenciamento de Projetos. Fase 01 1.PMBOK e PMI. 2. Conceitos 3.

Conteúdo. Apresentação do PMBOK. Projeto 29/07/2015. Padrões de Gerenciamento de Projetos. Fase 01 1.PMBOK e PMI. 2. Conceitos 3. 02m Conteúdo Apresentação do PMBOK Brasília, 25 de Junho de 2015 Fase 01 1.PMBOK e PMI 2. Conceitos 3.Processos Fase 02 4. Áreas de Conhecimento 10m Gerenciamento de Projetos Projeto A manifestação da

Leia mais

Aula 2 Introdução ao Scrum

Aula 2 Introdução ao Scrum Curso Preparatório para a certificação Scrum Fundamentals Certified (SFC ) da ScrumStudy www.scrumstudy.com Aula 2 Introdução ao Scrum www.sitecampus.com.br - Cadastre-se gratuitamente para acessar ao

Leia mais

Aula 7 Elaboração do Plano de Gerenciamento da Qualidade

Aula 7 Elaboração do Plano de Gerenciamento da Qualidade Aula 7 Elaboração do Plano de Gerenciamento da Qualidade Objetivos da Aula: Os objetivos desta aula visam definir termos e conceitos da qualidade. Para tal, pretende-se discutir a relação que se estabelece

Leia mais

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc

Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc Governança de TI Prof. Carlos Henrique Santos da Silva, MSc PMP, PMI-RMP, PMI-ACP, CSM, CSPO, ITIL & CobiT Certified Carlos Henrique Santos da Silva, MSc, PMP Especializações Certificações Mestre em Informática

Leia mais

Fatores Críticos de Sucesso em GP

Fatores Críticos de Sucesso em GP Fatores Críticos de Sucesso em GP Paulo Ferrucio, PMP pferrucio@hotmail.com A necessidade das organizações de maior eficiência e velocidade para atender as necessidades do mercado faz com que os projetos

Leia mais

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS

08/09/2011 GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK GESTÃO DE PROJETOS GESTÃO DE PROJETOS Prof. Me. Luís Felipe Schilling "Escolha batalhas suficientemente grandes para importar, suficientemente pequenas para VENCER." Jonathan Kozol GERÊNCIA DA INTEGRAÇÃO PMBOK 1 GERÊNCIA

Leia mais