PREGÃO PRESENCIAL SESC/ARRJ Nº 15/ PROCESSO Nº /2015

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PREGÃO PRESENCIAL SESC/ARRJ Nº 15/2015 - PROCESSO Nº 50.478/2015"

Transcrição

1 PREGÃO PRESENCIAL SESC/ARRJ Nº 15/ PROCESSO Nº /2015 O SERVIÇO SOCIAL DO COMÉRCIO ADMINISTRAÇÃO REGIONAL NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO SESC/ARRJ, entidade de direit privad, sem fins lucrativs, cmunica a realizaçã de licitaçã na mdalidade PREGÃO PRESENCIAL, d tip MENOR PREÇO POR LOTE, regida pela RESOLUÇÃO SESC n.º 1.252/2012, de 06/06/2012, d Cnselh Nacinal d Serviç Scial d Cmérci, e pelas dispsições deste instrument cnvcatóri e de seus Anexs. A reuniã para recebiment das Prpstas Cmerciais e ds Dcuments de Habilitaçã será realizada às 10 hras d dia 20/08/2015, n SESC/ARRJ, sit na Rua Marquês de Abrantes, 99 3º andar Flameng CEP: Ri de Janeir/RJ. 1 OBJETO 1.1 O presente Pregã Presencial destina-se à CONTRATAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO DE FLUXOS DE APROVAÇÕES DE PROPOSTAS E PROJETOS (SGPP) E MELHORIAS NO SISTEMA DE CONTROLE DE PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES E EVENTOS (CtrlPAE) DO SESC/ARRJ, cnfrme este Edital e seus Anexs. 2 CONDIÇÕES DE PARTICIPAÇÃO 2.1 Os interessads em participar desta licitaçã deverã apresentar à Cmissã Permanente de Licitaçã s dcuments exigids para habilitaçã prévia e prpsta cmercial, em 02 (dis) envelpes distints, a saber: a) Envelpe 01: Deverá ser enviad devidamente lacrad, cnstand quadr abaix cm identificaçã externa, de acrd cm item 3 deste Edital. ENVELOPE 01: PROPOSTA COMERCIAL Prcess Nº /2015 Objet: Razã Scial da Prpnente: Telefnes: Data e hra da Sessã: às 10 hras d dia 20/08/2015. b) Envelpe 02: Deverá ser enviad devidamente lacrad, cnstand quadr abaix cm identificaçã externa, de acrd cm item 4 deste Edital. ENVELOPE 02: DOCUMENTAÇÃO DE HABILITAÇÃO Página 1 de 61

2 Prcess Nº /2015 Objet: Razã Scial da Prpnente: Telefnes: Data e hra da Sessã: às 10 hras d dia 20/08/ Deverã ser apresentads 02 (dis) envelpes distints, cnfrme alíneas a e b d subitem 2.1. A inversã d cnteúd ds envelpes u a apresentaçã de cnteúds distints em um ds envelpes pderá, a critéri da Cmissã Permanente de Licitaçã, acarretar a eliminaçã da empresa. 2.2 O representante d licitante deverá apresentar-se munid de Credenciament (ANEXO VIII), d lad extern d envelpe, quand nã fr sóci u titular da empresa e será únic cm cndições de intervir em qualquer fase de prcediment licitatóri, respndend, assim, para tds s efeits pr seu representad, devend ainda identificar-se n at da entrega ds envelpes, exibind a cédula de identidade Quand representante fr sóci u titular da empresa, este deverá apresentar cópia da última alteraçã cntratual, d lad extern envelpe, para cmprvaçã da sua representatividade, independente da necessidade d cumpriment d item 4.2 e suas alíneas d Edital Quand representante nã fr sóci u titular, este deverá apresentar juntamente cm Credenciament, a cédula de identidade e a prcuraçã, a cópia d At Cnstitutiv, Estatut u Cntrat Scial em vigr, u a última alteraçã cntratual cnslidada, se huver, d lad extern d envelpe, para cmprvaçã da sua representatividade, independentemente da necessidade d cumpriment d item 4.2 e suas alíneas d Edital Nenhuma pessa, ainda que munida de prcuraçã, pderá representar mais de uma empresa, sb pena, a critéri da Cmissã Permanente de Licitaçã, de exclusã sumária das licitantes representadas. 2.3 Estarã impedidas de participar desta licitaçã pessas jurídicas que: a) Estejam suspensas de licitar cm SESC/ARRJ. b) Tenham participaçã, a que títul fr, de dirigentes u empregads d SESC. c) Estejam reunidas em cnsórci e cperativas. 3 ENVELOPE 01: PROPOSTA COMERCIAL 3.1 Deverá ater-se a este Edital e seus anexs. 3.2 Deverá apresentar s preçs unitáris e ttais, em meda crrente nacinal, incluind, brigatriamente, tdas as despesas cm encargs sciais, tributs, descnts, emluments, impsts, fretes, despesas diretas e indiretas em geral e demais cndições da prestaçã de serviçs que sejam devidas em decrrência, direta e indireta, d frneciment d bjet desta licitaçã. Os preçs apresentads serã fixs e Página 2 de 61

3 irreajustáveis. 3.3 Deverá cnsiderar que pagament será efetuad pr mei de depósit bancári na cnta crrente da Cntratada, em 30 (trinta) dias, após términ de cada etapa d crngrama apresentad pela Cntratada, apresentads pr mei d dcument fiscal, send vedada a negciaçã de faturas u títuls de crédit cm instituições financeiras, nã send aceits blets bancáris. 3.4 Havend discrdância entre valr da prpsta em algarism e valr pr extens, prevalecerá que equivale a valr pr extens. 3.5 Havend divergência entre as infrmações cntidas na dcumentaçã impressa (flderes, etc.) e na prpsta especifica, prevalecerã as infrmações da prpsta. 3.6 A prpsta deverá cnter praz de validade, que nã pderá ser inferir a 90 (nventa) dias, a cntar da abertura d Pregã (subitem 5.2). Nã send indicad praz de validade, fica subentendid cm de 90 (nventa) Cas haja venciment da validade da prpsta sem que a licitaçã tenha sid hmlgada, adjudicada e cntrat assinad, esta fica autmaticamente prrrgada, excet se huver manifestaçã cntrária frmal d licitante, através de crrespndência dirigida à Cmissã Permanente de Licitaçã, caracterizand seu declíni em cntinuar na licitaçã. 3.7 Quand fr cas, a critéri da Cmissã Permanente de Licitaçã, a cmprvaçã das especificações técnicas d bjet ctad pderá ser feita pr mei da apresentaçã de certificads, manuais técnics, flderes, catálgs, flhets técnics e ftgrafias d prdut ctad u demais literaturas editadas pel fabricante, apenas pela empresa ganhadra, que n cas de literatura estrangeira deverá ser apresentada devidamente traduzida. 3.8 Os terms cnstantes da prpsta apresentada sã de exclusiva respnsabilidade d licitante, nã lhe assistind direit a qualquer mdificaçã da mesma u substituiçã de envelpe, após sua entrega. 4 ENVELOPE 02: DOCUMENTAÇÃO DE HABILITAÇÃO 4.1 As licitantes deverã anexar brigatriamente tds s seguintes dcuments deste quadr, cnstantes d item 4.2, 4.3, 4.4 e 4.5, assim cm seus respectivs subitens e alíneas, sb pena de serem inabilitadas: 4.2 Habilitaçã Jurídica: a) Cópia d At Cnstitutiv, Estatut u Cntrat Scial em vigr, u última alteraçã cntratual cnslidada, se huver, devidamente registrad na Junta Cmercial e, n cas de Sciedade Civil u pr ações, s dcuments cmprbatóris d mandat de diretria em exercíci u da eleiçã de seus administradres. b) Cópia d Dcument de Identidade e CPF d Representante Legal da Empresa, send que CPF pderá ser cmprvad cas númer de registr cnste d Dcument de Identidade. 4.3 Qualificaçã Técnica Página 3 de 61

4 Cmprvar, através de, n mínim 1 (um), Atestad de Capacidade Técnica, cmprvand, para cada item abaix, ter a empresa frnecid material/serviç em qualidade e quantidade cmpatíveis cm as exigidas neste Edital. Esse dcument deverá ser emitid, em papel timbrad, pel órgã públic u pela empresa privada que fi atendida e ser inserid n envelpe que cntenha a Dcumentaçã de Habilitaçã. a) Cmprvar experiência n planejament, gestã e desenvlviment de prjets de implementaçã de sftware cm a metdlgia incremental u ágil. b) Apresentar históric de prjets desenvlvids em.net e platafrma SharePint 2013, que permitam aferir a capacidade de prver sluções que cntenham elements de CMS, integraçã, busca avançada, perfis de usuári e taxnmia crprativa Nã serã cnsiderads atestads frnecids pr empresas d mesm grup ecnômic das empresas licitantes A Empresa licitante deverá cmprvar ser Micrsft Partner: Gld Cllabratin and Cntent u Silver Cllabratin and Cntent Deverá apresentar cntats de clientes ativs, para btençã de referências (mínim de 2 cntats) Deverá apresentar a metdlgia de desenvlviment adtada, assim cm s prcesss para gerenciament de mudanças, de riscs e de qualidade Para s prfissinais envlvids n desenvlviment/implantaçã a empresa deverá: Para Líder Técnic de Desenvlviment, prfissinal deverá apresentar títul: Micrsft Certified Prfessinal Develper (MCPD) u Micrsft Certified Slutins Develper (MCSD), nde ambas devem estar válidas na Micrsft Para Prgramadr/designer.NET, prfissinal deverá apresentar a mens uma das certificações abaix: Designing and Develping Web Applicatins Using Micrsft.NET Framewrk 4 Designing and Develping Windws Applicatins Using Micrsft.NET Framewrk As certificações exigidas acima para s prfissinais, deverã ser cmprvadas através de cópias autenticadas ds riginais emitids pelas instituições cmpetentes, que atesta a frmaçã, experiência e cmpetência A cmprvaçã que s prfissinais relacinads sã parte integrante d quadr da CONTRATADA pderá ser realizada pr mei de Carteira de Trabalh e Previdência Scial CTPS assinada u Cntrat Scial u cntrat de prestaçã de serviçs, regid pela Legislaçã Civil Cmum há pel mens 6 meses A Cmprvaçã de experiência será realizada através de, n mínim, 01 (um) atestad de capacidade técnica frnecid pr pessa jurídica de direit públic u privad, de que prfissinal, cmprvadamente integrante d quadr da licitante, executu serviç de acrd cm slicitad neste Edital. Página 4 de 61

5 4.4 Qualificaçã Ecnômic-Financeira a) Certidã Negativa de Falência u Certidã Psitiva, cm efeits negativs (cnfrme a Lei nº /2005) expedida pel distribuidr da sede da pessa jurídica. 4.5 Regularidade Fiscal a) Cmprvante de inscriçã e de situaçã cadastral n Cadastr Nacinal das Pessas Jurídicas d Ministéri da Fazenda (CNPJ/MF). b) Cmprvante de inscriçã e de situaçã cadastral n Cadastr de Cntribuintes Estadual u Municipal, se huver, relativ a dmicíli u sede d licitante, pertinente a seu ram de atividade e cmpatível cm bjet cntratual Prva de Regularidade cm a Fazenda Federal: a) Certidã Cnjunta Negativa de Débits u Certidã Cnjunta Psitiva, cm efeits negativs, relativs as Tributs Federais e à Dívida Ativa da Uniã, emitida pela Secretaria da Receita Federal d Brasil e Prcuradria-Geral da Fazenda Nacinal Prva de Regularidade cm a Fazenda Estadual ICMS: a) Certidã Negativa de Débits u Certidã Psitiva, cm efeits negativs, emitida pela Secretaria de Estad de Fazenda u de nã Cntribuinte, se fr cas. b) Certidã Negativa de Débits u Certidã Psitiva, cm efeits negativs, emitida pela Prcuradria Geral d Estad u de nã Cntribuinte, se fr cas Prva de Regularidade cm a Fazenda Municipal ISS: a) Certidã Negativa de Débits u Certidã Psitiva, cm efeits negativs, emitida pela Secretaria Municipal u de nã Cntribuinte, se fr cas Certidã de Regularidade d Fund de Garantia pr Temp de Serviç (FGTS) emitida pela Caixa Ecnômica Federal. Atençã: Tda a dcumentaçã deverá estar devidamente atualizada, apresentada na mesma rdem acima descrita, cm tdas as flhas numeradas, sequencialmente, e dentr ds respectivs prazs de validade. 4.6 Cnsiderações Gerais Sbre s Dcuments Tds s dcuments expedids pela prpnente deverã estar subscrits pr seu representante legal u prcuradr, cm a identificaçã d respectiv CPF e Carteira de Identidade Tds s dcuments apresentads deverã estar em nme d licitante e cm númer d CNPJ e endereç respectiv. Se a licitante fr à matriz, tds s dcuments deverã estar em nme da matriz, se fr à filial, tds s dcuments deverã estar em nme da filial, excet aqueles que pela própria natureza, frem cmprvadamente emitids apenas em nme da matriz Td e qualquer dcument apresentad em língua estrangeira deverá estar acmpanhad da respectiva traduçã para idima pátri, pr tradutr públic juramentad Os dcuments que frem emitids pela internet estarã sujeits a psterir cnferência na página eletrônica d órgã emissr, para certificaçã de sua autenticidade. Página 5 de 61

6 4.6.5 Os dcuments apresentads deverã estar válids na data de recebiment ds envelpes. A validade crrespnderá a praz fixad ns própris dcuments. Quand órgã fr miss em relaçã a praz de validade ds dcuments apresentads, cnsiderar-se-á praz de validade de 90 (nventa) dias, a cntar da data da emissã. 5 PROCEDIMENTOS LICITATÓRIOS 5.1 REUNIÃO PÚBLICA PARA RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES Os envelpes distints e lacrads, cntend a prpsta cmercial e s dcuments de habilitaçã serã recebids pela Cmissã Permanente de Licitaçã às 10 hras d dia 20/08/2015, n SESC/ARRJ, sit na Rua Marquês de Abrantes, 99 3º andar Flameng CEP: Ri de Janeir/RJ, seguid ds seguintes prcediments: a) Credenciament (Anex VIII) e recebiment ds envelpes PROPOSTA COMERCIAL e DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO. b) Abertura ds envelpes PROPOSTA COMERCIAL, send as prpstas cmerciais analisadas e rubricadas pela Cmissã Permanente de Licitaçã e pels licitantes. c) Classificaçã das Prpstas. c.1) Aberts s envelpes a Cmissã Permanente de Licitaçã analisará as prpstas cmerciais, desclassificand aquelas que nã estiverem em cnsnância cm estabelecid neste Edital e seus anexs. c.2) Também serã desclassificadas, a critéri da Cmissã Permanente de Licitaçã, as prpstas que excedam a 15% (quinze pr cent) d valr da prpsta de menr preç. c.3) Quand nã frem classificadas, n mínim, três prpstas na frma definida n subitem anterir, serã classificadas, sempre que atendam as demais cndições definidas n Edital, a de menr preç e as duas melhres prpstas de preç subsequentes. c.4) A classificaçã de apenas duas prpstas escritas de preç nã inviabilizará a realizaçã da fase de lances verbais. c.5) As prpstas que, em razã ds critéris definids ns subitens c.2 e c.3 nã integrarem a lista de classificadas para a fase de lances verbais, também serã cnsideradas desclassificadas d certame. d) Fase de lances verbais. d.1) Realizada a classificaçã das prpstas escritas, pela Cmissã Permanente de Licitaçã, terá inici a fase de apresentaçã de lances verbais. d.2) O pregeir fará uma rdada de lances, cnvidand autr da prpsta escrita de mair preç classificada a fazer seu lance e, em seguida, s demais classificads na rdem decrescente de preç. d.3) Havend lance, pregeir realizará uma nva rdada, cmeçand pel autr que, n mment, estiver cm a prpsta de mair preç, e, assim sucessivamente, até que, numa rdada cmpleta, nã haja mais lance e se btenha, em definitiv, menr preç. d.4) Smente serã cnsiderads s lances inferires a últim menr preç btid. Página 6 de 61

7 d.5) O licitante que nã apresentar lance numa rdada nã ficará impedid de participar de nva rdada, cas crra. d.6) Nã havend lances verbais na primeira rdada, serã cnsideradas as prpstas escritas de preç classificadas para esta fase. d.7) O pregeir, após declarar encerrada a fase de lances verbais, rdenará s lances em rdem crescente de preç. e) Abertura ds envelpes DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO. e.1) A Cmissã Permanente de Licitaçã prmverá a abertura e a verificaçã da dcumentaçã relativa à habilitaçã d licitante que, na rdenaçã feita pel pregeir, apresentu menr preç. e.2) Na hipótese de inabilitaçã, pr descumpriment de qualquer exigência estabelecida n Edital, a Cmissã Permanente de Licitaçã autrizará pregeir a cnvcar autr d segund menr lance e, se necessári, bservada a rdem crescente de preç, s autres ds demais lances, desde que atendam a critéri de aceitabilidade estabelecid pel Edital. e.3) Declarad licitante vencedr, é encerrada a reuniã, após a rubrica das prpstas e dcuments de habilitaçã pels presentes e a leitura, aprvaçã e assinatura da ata pels presentes. 5.2 HOMOLOGAÇÃO DA LICITAÇÃO E ADJUDICAÇÃO AO LICITANTE VENCEDOR PELA AUTORIDADE COMPETENTE. 5.3 CONVOCAÇÃO DO LICITANTE VENCEDOR PARA ASSINATURA DO CONTRATO, NO PRAZO DE 03 (TRÊS) DIAS ÚTEIS, A CONTAR DA DATA DA CONVOCAÇÃO. 6 JULGAMENTO 6.1 O julgament desta licitaçã será feit pel critéri de menr preç pr lte, bservadas as demais cndições deste edital e seus anexs, inferind-se, prtant, que é brigatória a ctaçã de tds s itens ds ltes para s quais licitante tenha apresentad prpsta. 6.2 Os lances apresentads, cnfrme subitem 5.1, deverã referir-se a valr glbal da prpsta, incluind tds s itens ds ltes ctads, cm valr ttal da quantidade cnstante em cada item d lte. 7 PENALIDADES 7.1 A recusa d licitante vencedr em assinar Instrument Cntratual u dcument equivalente, n praz de 03 (três) dias úteis, a partir da cnvcaçã (Subitem 5.3), dará a SESC/ARRJ direit de hmlgar e adjudicar esta licitaçã a próxim clcad e suspender licitante em até 02 (dis) ans, d direit de licitar e cntratar cm SESC/ARRJ. 7.2 O inadimplement, ttal u parcial, em relaçã às cndições cntratuais, cnsiderand-se também cm inadimplement as hipóteses de atras da entrega de material, pendência da dcumentaçã acrdada para pagament, assim cm recusa u demra na substituiçã d material cm defeit, dará a SESC/ARRJ direit de rescindir unilateralmente cntrat u instrument equivalente, sem prejuíz da aplicaçã das penalidades abaix previstas: Página 7 de 61

8 a) Perda d direit à cntrataçã cm SESC/ARRJ; b) Impediment de licitar e cntratar cm SESC/ARRJ pr até 02 (dis) ans; c) Multa administrativa, nã excedente, em seu ttal, a equivalente a 10% (dez pr cent) d valr glbal d cntrat u instrument equivalente; d) Retençã d(s) pagament(s) até a regularizaçã da entrega d prdut (mercadria u serviç) e/u da dcumentaçã necessária para liberaçã d pagament; N cas deste item a justificativa para eventual atras só será cnsiderada, a critéri d SESC/ARRJ, em cass frtuits u de frça mair, devend ser apresentada pr escrit, até 24 (vinte e quatr) hras antes d términ d praz para a entrega d prdut (mercadria u serviç). 7.3 Para fins de penalidade, lance é cnsiderad prpsta. 7.4 A critéri d SESC/ARRJ, e de acrd cm a sua gravidade, as sanções pderã ser cumulativas. 8 DISPOSIÇÕES GERAIS 8.1 As decisões relativas a esta licitaçã serã cmunicadas pr mei d mural de infrmações d SESC/ARRJ e d site 8.2 Nã serã levads em cnsideraçã s dcuments e prpstas que nã estiverem de acrd cm as cndições deste Edital e seus Anexs, quer pr missã, quer pr discrdância. 8.3 Os prpnentes assumirã tds s custs de preparaçã e apresentaçã de dcuments e prpstas. 8.4 A Cmissã Permanente de Licitaçã pderá, n interesse d SESC/ARRJ em manter caráter cmpetitiv desta licitaçã, relevar missões puramente frmais ns dcuments e prpstas apresentadas pels licitantes. Pderá, também, realizar pesquisa na Internet, quand pssível, para verificar a regularidade/validade/existência de dcuments u fixar praz as licitantes para dirimir eventuais dúvidas. O resultad de tal prcediment será determinante para fins de habilitaçã. 8.5 Na cntagem ds prazs estabelecids n presente edital, excluir-se-á dia d iníci e incluir-se-á d venciment, e cnsiderar-se-á dias cnsecutivs, excet quand fr explicitamente dispst em cntrári. Só se iniciam e vencem s prazs aqui referids em dia de funcinament d SESC/ARRJ. 8.6 O licitante vencedr e seus sucessres se respnsabilizarã pr tds e quaisquer dans e/u prejuízs que, a qualquer títul, venham causar à imagem d SESC/ARRJ e/u terceirs, em decrrência da execuçã indevida d bjet da licitaçã. 8.7 Qualquer pedid de esclareciment em relaçã a eventuais dúvidas de interpretaçã d presente edital e seus anexs, deverá ser encaminhad pr escrit à Gerência de Lgística e Cntrats d SESC/ARRJ, pel crrei eletrônic até as 10 hras d dia 18/08/2015. antes da data de entrega ds envelpes cm as prpstas e dcuments de habilitaçã, cnfrme Subitem 5.1. Nã send feit nesse praz, pressupõe-se que s elements frnecids sã suficientemente Página 8 de 61

9 clars e preciss para permitir a apresentaçã de prpsta e dcuments, nã cabend a licitante direit a qualquer reclamaçã psterir. 8.8 Independentemente de declaraçã expressa, a apresentaçã de prpsta cmercial e de dcuments implica a aceitaçã plena e ttal das cndições e exigências deste edital e seus anexs, a veracidade e autenticidade das infrmações cnstantes na prpsta cmercial e dcuments apresentads, e ainda, a inexistência de fat impeditiv à participaçã da empresa, qual, na incidência, briga licitante a cmunicar a SESC/ARRJ quand crrid durante certame. 8.9 A Cmissã Permanente de Licitaçã pderá, a seu exclusiv critéri, a qualquer mment, slicitar frmalmente as licitantes, pr escrit, infrmações adicinais sbre a prpsta cmercial e dcumentações apresentadas. O nã atendiment da slicitaçã n praz estabelecid pderá, a critéri da Cmissã Permanente de Licitaçã, implicar na desclassificaçã d licitante Da decisã que desclassificar as prpstas de preçs smente caberá pedid de recnsideraçã à própria Cmissã Permanente de Licitaçã, cm a justificativa de suas razões, a ser apresentad, de imediat, ralmente u pr escrit, na mesma Sessã Pública em que vier a ser prferida A Cmissã Permanente de Licitaçã analisará e decidirá de imediat pedid de recnsideraçã, send-lhes facultad, para tant, suspender a Sessã Pública Da decisã da Cmissã Permanente de Licitaçã relativa a pedid de recnsideraçã nã caberá recurs Da decisã que declarar licitante vencedr, caberá recurs fundamentad dirigid à Gerência de Lgística e Cntrats d SESC/ARRJ, pr escrit, pr mei da Cmissã Permanente de Licitaçã, n praz de 02 (dis) dias úteis, a cntar da data da divulgaçã da decisã Quand nã fr pssível realizar at d recebiment ds envelpes desta licitaçã, a Cmissã Permanente de Licitaçã marcará nva data e hra a ser cmunicada cnfrme previst n Subitem Nã serã aceits, para análise, s recurss que chegarem fra ds prazs prevists acima Tdas as referências a hrári neste edital cnsideram hrári de Brasília-DF O SESC/ARRJ se reserva direit de adiar, cancelar, revgar, anular, suspender u trnar sem efeit, n td u em parte, a presente licitaçã, bem cm desclassificar licitantes, cas tenha cnheciment de fat que desabne a idneidade, a capacidade financeira, técnica u administrativa, inclusive incrreções que venham a ser detectadas na dcumentaçã u prpstas, sem que caibam quaisquer reclamações, direits, vantagens u indenizações as licitantes É parte integrante deste Edital: Anex I Prpsta de Preçs Anex II Especificações ds Serviçs Anex III - Especificaçã Funcinal e Fluxs d Sistema Anex IV - Melhrias d Sistema Cntrle de Prgramaçã de atividades e events (CtrlPAE) Anex V Flux d Planejament Página 9 de 61

10 Anex VI Flux para Aprvaçã para execuçã AnexVII Mdels de Relatóris Anex VIII Mdel de Credenciament Anex IX Cndições Gerais para a Cntrataçã Anex X Relaçã das Unidades Operacinais d SESC/ARRJ Anex XI Minuta d Cntrat Ri de Janeir, 03 de agst de 2015 Kleitn Antunes Gerente de Lgística e Cntrats d SESC/ARRJ Página 10 de 61

11 ANEXO I PROPOSTA DE PREÇOS LOTE 01 ITEM DESCRIÇÃO QTDE DESENVOLVIMENTO DE FLUXOS DE APROVAÇÕES DE PROPOSTAS E PROJETOS (SGPP) E MELHORIAS NO SISTEMA DE CONTROLE DE PROGRAMAÇÃO DE ATIVIDADES E EVENTOS (CtrlPAE) DO SESC/ARRJ, cnfrme edital e seus anexs. PLANO DE MANUTENÇÃO COM 200 HORAS, DESTINADA A COBRIR NECESSIDADES PONTUAIS DE CORREÇÕES, PEQUENOS DESENVOLVIMENTOS DE MELHORIAS A SEREM SOLICITADOS PELA ÁREA DE SISTEMAS (SUPORTE TÉCNICO) COM FOCO TÉCNICO E FUNCIONAL pel períd de até 12 meses, cnfrme item 2.1 d Anex II. VALOR UNITÁRIO 01 R$ R$ VALOR HORA 200 R$ R$ SOMA DOS VALORES TOTAIS (Item 1 + item 2) R$ Valr Ttal d Lte 01 Pr Extens: VALOR TOTAL VALOR TOTAL Ntas: 1) Especificações Básicas: Cnsiderand que esta licitaçã tem cm critéri de julgament menr preç, s frnecedres deverã atender as especificações básicas apresentadas. 2) Detalhament de Descriçã de Itens: As descrições apresentadas neste prcess de cmpra sã básicas, cnsequentemente detalhes técnics deverã ser apresentads pels licitantes em suas prpstas. 3) A prpsta a ser apresentada deverá cnter crngrama detalhad das etapas a serem executadas, uma vez que s pagaments serã efetuads mediante a cnclusã de cada etapa. (carimb e assinatura d representante legal) OBSERVAÇÃO: A prpsta de preç deverá ser apresentada em papel timbrad da empresa licitante, estar devidamente assinada, cnstand a razã scial, CNPJ, endereç cmplet, e cntats telefônics. Página 11 de 61

12 ANEXO II 1/5 ESPECIFICAÇÕES DOS SERVIÇOS 1. PLANO DE TRABALHO 1.1 Deverá ser apresentad um plan de trabalh, cntend a ttalidade das etapas d prjet. Para cada etapa, deverã ser descritas as atividades e entregas previstas (Marcs). O Plan de trabalh deverá cnter a mens as seguintes etapas: Planejament; Cnstruçã - Desenvlviment Iterativ e Incremental; Hmlgaçã; Suprte Pós Prduçã; Plan de Manutençã. 1.2 A etapa de Planejament deverá cntemplar n mínim: Crngrama das atividades e de marcs; Riscs e gaps identificads; A frma utilizada para definir e cntrlar a cbertura das funcinalidades; A maneira cm se dará a identificaçã e gerenciament ds riscs de prjet; A rtina e s artefats que serã utilizads para cmunicaçã durante prjet (incluind a quantidade de reuniões presenciais). 1.3 Para as etapas de Cnstruçã e Hmlgaçã, deverá ser descrit, em detalhes, a metdlgia de trabalh que se pretende adtar, incluind testes interns e btençã de validaçã/aceite junt às áreas d SESC/ARRJ. Esta etapa deve perdurar até que prjet tenha sid frmalmente aceit pel SESC/ARRJ, e funcinament esteja em cnfrmidade cm as especificações funcinais. 1.4 A etapa de Suprte Pós Prduçã deverá ter duraçã de 4 semanas a cntar da ativaçã em prduçã. Durante este períd, deverá ser dad cnheciment a SESC sbre tdas as infrmações necessárias para a utilizaçã da ferramenta, d pnt de vista de administraçã e utilizaçã da ferramenta. Este suprte pderá ser remt u presencial dependend da necessidade d SESC/ARRJ. 2. PLANO DE MANUTENÇÃO 2.1 Plan de Manutençã cm 200 hras, destinada a cbrir necessidades pntuais de crreções, pequens desenvlviments de melhrias a serem slicitads pela área de Sistemas (Suprte técnic) cm fc Técnic e Funcinal, que pderá ser utilizada em até 12 meses, iniciand-se após encerrament da garantia d prdut, descrita n item 7.1. Página 12 de 61

13 ANEXO II 2/5 2.2 Serã cnsiderads pequens desenvlviments ajustes que nã ultrapassem 40h de desenvlviment. Melhrias cm mair cmplexidade e esfrç serã tratadas cm um prjet à parte, nã fazend parte d Plan de Manutençã. 2.3 O atendiment deverá ser n frmat 5x8, cnsiderand dias úteis e hrári cmercial. 2.4 Os serviçs de Manutençã deverã ser cntrlads cm base em um flux de atendiment a ser prpst pel frnecedr e acrdad cm SESC/ARRJ. As demandas deverã ser registradas e classificadas, nde atendiment deverá ser dentr d períd acrdad (SLA). 2.5 Antes da execuçã, as definições e vlume de hras estimadas a serem gastas em cada demanda deverã ser aprvadas pel SESC/ARRJ. 2.6 As melhrias e crreções estarã sujeitas à btençã d aceite ds slicitantes para que sejam atualizadas em ambiente de prduçã. 2.7 Deverá ser enviad um relatóri mensal de tds s serviçs executads n períd. 2.8 Na prpsta, deverá ser descrit flux previst para atendiment, capacidade alcada, e utrs parâmetrs que julgar relevantes. 3. EQUIPE DE TRABALHO 3.1 A equipe d prjet deve cnter n mínim s integrantes listads abaix cm as seguintes qualificações: 1 Gerente de Prjets cm certificaçã PMP (Prject Management Prfessinal) u PMI Agile Certified Practitiner (PMI-ACP) u Prfessinal Scrum Master II e cm experiência mínima de 5 (cinc) ans na funçã e n mínim 3 (três) prjets d mesm prte d bjet descrit; 1 Líder Técnic de Desenvlviment cm experiência mínima de 5 (cinc) ans na funçã e 3 (três) ans em prjets d mesm prte d bjet descrit; 1 Prgramadr/designer.NET Sênir cm experiência mínima de 5 (cinc) ans na funçã; 1 Analista de Negócis Sênir cm experiência mínima de 5 (cinc) ans na funçã; 1 Analista de Testes Sênir cm experiência mínima de 5 (cinc) ans na funçã. Página 13 de 61

14 ANEXO II 3/5 4. QUALIFICAÇÃO TÉCNICA DA EQUIPE DE TRABALHO 4.1 As certificações exigidas n item 4.3 d edital, para s prfissinais, deverã ser cmprvadas através de cópias autenticadas ds riginais emitids pelas instituições cmpetentes, que atesta a frmaçã, experiência e cmpetência. 4.2 Os prfissinais cujs atestads venham atender a dispst acima, nã pderã ser substituíds pr utr prfissinal sem a prévia aprvaçã frmal d SESC/ARRJ. 5. DOCUMENTAÇÃO TÉCNICA DE DESENVOLVIMENTO 5.1 O sistema será de prpriedade d SESC/ARRJ, cm iss, abaix é apresentad uma lista de artefats a serem entregues na execuçã ds serviçs: Dicinári de dads; Analise de Requisits; Ficha de requisits e Matriz de Requisits; Mdel de Cas de Negóci: Identifica tds s cass de us de negóci que fazem parte d escp da slicitaçã (SESC RJ); Mdel de Dmíni: Englba s Diagramas de Objets e de Classe (Nível Cnceitual) Diagrama de classes; Glssári: Identifica s terms técnics d prjet; Cmpnentes/Códigs-fnte: Endentad e cmentad. Cmpnentes e prgramas d sftware (códigs fnte, sub-rtinas, cmpnentes e scripts de carga e de teste); Laud de Avaliaçã da Qualidade: Dcument emitid pela equipe de Cntrle de Qualidade da CONTRATADA indicand que s artefats entregues passaram pela avaliaçã de qualidade; Manual d Usuári: Descreve usualmente td prcess de execuçã d sistema (Material para treinament de clientes / usuáris). 6. TREINAMENTO 6.1 Tds s materiais para treinament devem ser frnecids, sem qualquer cust, para SESC/ARRJ, e que pderã ser utilizads após as sessões d treinament. As hras para desenvlviment d material de treinament devem ser previstas n plan de prjet. 6.2 Caberá à CONTRATADA frnecer treinament funcinal e peracinal, a respeit da sluçã, as perfis descrits na tabela abaix, que serã respnsáveis pela administraçã, parametrizaçã, inserçã de cnteúd e multiplicadres de cnheciment. 6.3 Os materiais deverã ser entregues de frma digital e impressã clrida (encadernadas cm espiral e cnter capa de plástic), ttalmente em prtuguês, e para cada participante de frma impressa e clrida antes da realizaçã d treinament. Página 14 de 61

15 ANEXO II 4/5 Perfil Administradr (TI/área de Negóci) Quantidade de pessas 15 Usuáris (peradres em geral das unidades) 50 Gerencial (aprvadres) 20 Ttal A infraestrutura necessária as treinaments (sala, estações de trabalh, cnexões de rede, prjets, flip-chart, Prjetr e etc.) será frnecida pel SESC/ARRJ. 6.5 A quantidade de pessas pr turma nã deve exceder a 20 pessas. 6.6 Tds s treinaments deverã ser presenciais e executads pela CONTRATADA n Ri de Janeir RJ em lcal a ser determinad pel SESC/ARRJ. O crngrama e distribuiçã das hras destes treinaments deverã ser acrdads anterirmente estre as partes. 6.7 A CONTRATADA deverá apresentar um plan de treinament que será validad pel SESC/ARRJ e incluíd n crngrama de cnstruçã e implantaçã. N plan de treinament estarã previstas tdas as etapas de treinament necessárias para rientaçã e capacitaçã das equipes d prjet, incluind a prgramaçã e cnteúd ds treinaments (que serã acrdads entre as partes), cm prpósit de prepará-ls para utilizaçã de tds s recurss dispníveis da aplicaçã. 6.8 O treinament deverá abranger n mínim as pções abaix: Interface cm usuári; Frma de navegaçã; Cnfigurações; Entrada de dads; Emissã de relatóris. 6.9 Deverá ser apresentad, n mínim, s seguintes materiais para treinament: Manual geral da ferramenta; Manual para cada públic a ser treinad; 6.10 A final de qualquer um ds treinaments ministrads deverã ser aplicadas avaliações de cnheciments acerca da pauta d treinament em questã A final de qualquer um ds treinaments ministrads deverã ser aplicadas avaliações de satisfaçã sbre treinament em questã. Página 15 de 61

16 ANEXO II 5/5 7. GARANTIA 7.1 A garantia será de 90 dias, e terá seu iníci juntamente cm Suprte Pós Prduçã, descrit n item 1.4. A garantia cntempla crreções e ajustes relacinads a escp riginal cntratad. 8. PROPRIEDADE INTELECTUAL 8.1 Tds s direits de prpriedade gerads em funçã d prjet deverã ser de prpriedade d SESC/ARRJ. O códig fnte deverá fazer parte das entregas d prjet, bem cm tda a dcumentaçã gerada durante sua execuçã. 9. CONSIDERAÇÕES GERAIS 9.1 Os ambientes para peracinalizaçã ds sistemas (servidres, licenças de sistemas e cnfiguraçã de tplgia) serã prvids pel SESC/ARRJ. 9.2 A frma de pagament ds serviçs deverá estar atrelada a percentual cncluíd da etapa de execuçã, cnfrme crngrama d prjet. Os valres crrespnderã a 30%, 60% e 100% de cnclusã da etapa de execuçã. 9.3 O SESC/ARRJ se exime da brigaçã u necessidade de adquirir qualquer tip de hardware e licenças de us de sftwares que se façam necessáris para a implantaçã d sistema nas instalações da CONTRATANTE. 9.4 A identidade visual ds sistemas deverá bedecer a identidade visual d SESC/ARRJ. A custmizaçã deverá ser indicada e aprvada pel SESC. 10. FERRAMENTA DE DESENVOLVIMENTO 10.1 O sistema deverá ser desenvlvid em ambiente web. As páginas d site deverã ser cmpatíveis cm s brwsers Internet Explres 9.0 u superir, Firefx 8 u superir e Ggle Chrme. Abaix seguem as ferramentas de desenvlviment: Banc de dads MS SQL SERVER 2008 u superir; Platafrma de desenvlviment MS Framewrk.NET; Platafrma de desenvlviment MS Sharepint; MS Prject para acmpanhament d prjet. Página 16 de 61

17 ANEXO III 1/10 Especificaçã Funcinal e Fluxs d Sistema 1.1 Descriçã das funcinalidades a serem ajustadas e/u desenvlvidas dentr d atual sistema presente na empresa, denminad Cntrle de Prgramaçã de Atividades e Events (CtrlPAE). Estas nvas funcinalidades (SGPP) e ajustes (CtrlPAE) deverã ser agrupadas em pactes, para serem entregues em marcs definids n item 1.1 d Anex II. 1.2 Para a apreciaçã ds cass de us é imprtante cnheciment ds diagramas ds flux de Planejament (Anex V - Planejament) e Aprvaçã para Execuçã (Anex VI). 2. CASO DE USO DO SISTEMA 2.1 DESCRIÇÃO DOS FLUXOS DE APROVAÇÕES DAS PROPOSTAS Inicialmente um determinad grup de trabalh pré-definid, analisará e frmulará prpstas de trabalh/prjets, para serem inserids n sistema. Este grup criará n sistema prpstas em um nível cnceitual, sem ainda prever valres. Após esta etapa, as prpstas ficarã dispníveis para que as Unidades e Sede pssam aderir às prpstas criadas e, assim, inserir valres de atendiments e rçaments prevists. Estas prpstas serã direcinadas para cadastrs pr um técnic da Unidade u Sede, dependend se é uma prpsta de área mei u área fim. A ser criada uma prpsta de Prjet, brigatriamente deverá ser preenchida uma prpsta de prgramaçã, devid a fat, que para cada prjet, deverems ter a mens uma prgramaçã atrelada. Onde entende-se que quand cadastrarms uma prpsta de prjet n sistema, n mesm cadastr, terems a mens uma prpsta de prgramaçã cadastrada. Tda alteraçã de status e/u mdificaçã de prpstas deve disparar de alerta para s envlvids PROPOSTA PARA A ÁREA FIM A prpsta cadastrada a ser submetida, entra para aprvaçã d seu gerente diret na unidade, que pderá slicitar sua revisã, reprvaçã u simplesmente aprvála. Em seguida, será feita a análise pela Gerência de Planejament e Orçament (GPO). Esta gerência analisa tdas as prpstas n âmbit de enquadrament d rçament e classificaçã funcinal prgramática, realizand as devidas mdificações. A final desta análise, a prpsta será nvamente submetida para análise d gerente de prgrama (Gerente da Sede/SPS) que fará a avaliaçã das demais infrmações d frmulári. O gerente de prgrama pderá slicitar revisã desta prpsta, reprvaçã u simplesmente aprvá-la. Após a última aprvaçã, tda prpsta será direcinada à GIP (Gerência de Integraçã da Prgramaçã), para análise a respeit da prtunidade da prpsta pssuir integraçã cm utra área, e/u um parecer de uma utra área nã mencinada n primeir mment de cadastr. Cas a GIP entenda a necessidade de uma utra área ter Página 17 de 61

18 ANEXO III 2/10 participaçã na devida prpsta, é realizad um parecer e encaminhament desta prpsta para a área emitir seu parecer. Lg após, esta prpsta retrna nvamente à GIP, nde autmaticamente tant parecer da GIP, quant parecer da utra área, sã encaminhads ntificações as envlvids na prpsta PROPOSTA PARA A ÁREA MEIO A prpsta cadastrada pel técnic da Sede, a ser submetida, fica aguardand a aprvaçã d seu gerente diret na Sede, que pderá slicitar sua revisã, reprvaçã u simplesmente aprvá-la. Em seguida, será feita a análise pela Gerência de Planejament e Orçament (GPO). Esta gerência analisa tdas as prpstas n âmbit de enquadrament d rçament e classificaçã funcinal prgramática, realizand as devidas mdificações. A final desta análise, a prpsta pderá retrnar para revisã u seguir para aprvaçã d superir hierárquic (Superintendente, Assessr u DIREG). Neste pnt, a prpsta pderá ser aprvada, reprvada u encaminhada para revisã. Além da revisã e da aprvaçã, terems a pçã de reprvaçã da prpsta. Neste cas, a prpsta ficará armazenada cm prpsta nã aprvada, ficand dispnível para análises e pssíveis mdificações ds seus status, após visualizações através de relatóris gerenciais. 2.2 RANQUEAMENTO DAS PROPOSTAS Tdas as prpstas cadastradas e aprvadas n sistema, serã agrupadas pr área de negóci. Em seguida serã submetidas para seus gerentes crrespndentes (área mei e área fim) para avaliaçã ds custs das prpstas. Uma vez aprvads s valres, s gerentes vã pririzar as prpstas de frma manual, segund critéris e rientações d SESC. Esses critéris serã descrits n sistema através de um cadastr (Camps Parametrizáveis), nde na tela de Ranqueament das Prpstas, cada gerente de área pderá realizar devid ranqueament e bter visualizações de seus resultads. O próxim pass será a avaliaçã e seleçã das prpstas de prjets pel Cmitê de Gestã (Interventr, DIREG, Superintendentes e ASP). Este cmitê pderá reprvar u aprvar estas prpstas. Cm base neste ranqueament das prpstas aprvadas, a GPO imputará n sistema s mtivs das prpstas aprvadas e reprvadas de acrd cm resultad d Cmitê de Gestã e gerará relatóri d Prgrama de Trabalh d reginal cntend tdas as infrmações sbre as prpstas aprvadas. As prpstas de prjets aprvadas sã reunidas e cnslidadas em um Plan de Trabalh (PT) para envi a SESC DN. Cas tenhams críticas pr parte d Departament Nacinal, acerca das prpstas de prjets aprvads, estas vltarã para revisã a ser realizada exclusivamente pela GPO e s respnsáveis receberã uma ntificaçã pr e- mail acerca ds ajustes necessáris. Cas cntrári, u seja, sem críticas pr parte d Departament Nacinal, será disparad um da mesma frma as respnsáveis, entretant, apenas para a ntificaçã que seu prjet já se encntra apt para a inserçã das devidas prgramações, ns cass de prjets de área fim, u que prjet já se encntra apt para a execuçã, ns cass de prjets de área mei. Página 18 de 61

19 ANEXO III 3/10 As prpstas aprvadas deverã ser atualizadas de frma autmática n ERP Datasul, n Sistema de Estatística e n sistema CtrlPAE (smente prpstas de área fim). 2.3 RECURSOS DO MÓDULO SGPP TELA DE ABERTURA Assim cm crre atualmente n sistema Cntrle de Prgramaçã de Atividade e Events (CtrlPAE), a ser visualizada a tela de abertura, terems alguns dashbards (painéis de cntrle) de caráter pessal, direcinadas a usuári lgad, cntend infrmações sbre quantidade de prpstas, prjets e prgramações ns quais tem participaçã, prjets pr gerência, atendiments prevists e realizads pr prjet, prjets aprvads e reprvads, permitind filtragens pr an e mês. Além d dashbard mencinad, deverá ser exibid um quadr cntend tdas as mensagens e ntificações direcinadas a usuári lgad. Estas mensagens serã as alterações de status ds prjets e infrmações sbre tarefas a serem realizadas, cm pr exempl rever prpsta. Neste últim cas, a ser selecinada este tip de mensagem, usuári deverá ser direcinad à tela crrespndente para a execuçã da açã. A seguir estã alguns exempls de mensagem: Prgramaçã revisada; Aprvada UO; Aprvada sede; Aprvada GPO; Pendente iníci de realizaçã; Pendente preencher realizad (área mei); Prpsta reprvada; CADASTRO DE PROPOSTAS O cadastr de prpstas deverá crrer em duas etapas e cnter s seguintes camps: Etapa 1 Definiçã Cnceitual da Prpsta (Usuáris da SPS) Tip de Prpsta (PT, Retificativ u Extra PT Cmbbx: Cnteúd Fix) Nme da Prpsta (camp text livre: 100 caracteres); Dashbard Pequen painel de cntrle demnstrand valres rçads e realizads para prjet crrente; Página 19 de 61

20 ANEXO III 4/10 Períd de Realizaçã iníci e fim - brigatriamente dentr d mesm an (camp frmatad). Ocrre cm a abertura d calendári; Área Prpnente (Aut Preenchiment: Cnteúd cadastrad previamente e assciad a usuári); Setr Respnsável (Cmbbx: Cnteúd cadastrad previamente); Tip d Prjet (Sistemátic u Nã Sistemátic Cmbbx: Cnteúd fix Cndicina preenchiment u nã de determinads camps); Classificaçã d Prjet (Habilita camp n cas da pçã tip d Prjet fr classificada cm Nã Sistemátic. Cmbbx: Cnteúd cadastrad previamente: Intern, Institucinal, Replicável e Datas Cmemrativas; CtrlPAE Área Mei u área Fim (Assciaçã cm Sistema CtrlPAE Cmbbx: Cnteúd fix: Sim u Nã); Alinhament DGA (Diretrizes Gerais de Açã (camp text livre: 500 caracteres)); Diretrizes d Quinquêni (Cmbbx: Cnteúd cadastrad previamente); Justificativa das Diretrizes d Quinquêni (camp text livre: 500 caracteres); Enquadrament Plan de Metas (Cmbbx: Cnteúd cadastrad previamente); Justificativa d Plan de Metas (camp text livre: 500 caracteres); Justificativa da Prpsta (camp text livre: 500 caracteres); Objetiv da Prpsta (camp text livre: 500 caracteres); Metdlgia da Prpsta (camp text livre: 500 caracteres); Crngrama Macr (Grid cntend preenchiment ds camps (apenas para prpstas de área mei): Açã, Respnsável, Data Iníci e Fim e Observaçã); Etapa 2 Cadastr de métricas e necessidades (Usuáris de perfil peradr ) Estabeleciment (Cmbbx: Cnteúd ligad a perfil d usuári) Divulgaçã (Grid cntend camps de uma Cmbbx previamente cadastrada); Mtiv de Divulgaçã (camp text livre: 500 caracteres); Descritiv Orçamentári (Grid cntend preenchiment ds camps (Cmbbx): Prgrama, Atividade, Unidade de Negóci, Centr de Cust, Subcnta Cntábil, Item, Valr Unitári, Quantidade, Valr Ttal, Frma de Cntrataçã e Observaçã); Previsã de Atendiments (Grid cntend preenchiment ds camps (Cmbbx): Prgrama, Atividade, Mdalidade, Realizaçã, Lcal e Quantidade) Avaliaçã (CheckBx: Pesquisa de Satisfaçã, Relatóri e Outrs (Abrind um camp para preencher quais sã)). Habilitaçã d Camp smente n final d prjet (Avaliaçã Quantitativa e Qualitativa). Tds s camps acima, ns quais deverems realizar um cadastr prévi, u seja, cnteúds listads em cmbbx, deverã de fat pssuir uma tela de Cadastr, cm apenas códig, nme e descriçã, cm ns cass de Área Prpnente, Setr Respnsável, entre utrs. Além dist, tds s camps d cadastr acima sã brigatóris. Página 20 de 61

21 ANEXO III 5/10 O sistema deverá prever um períd denminad de Retificativ d Plan de Trabalh (PT). As datas de iníci e fim deste períd deverã ser parametrizáveis, cm criaçã de um cadastr. Também deverá ser parametrizável períd para inclusã de prpstas. Prpstas incluídas após este períd seguirã mesm flux padrã e serã categrizadas cm Extra PT. A aprvaçã, revisã u reprvaçã pr parte ds aprvadres, será selecinada através de uma cmbbx, nde lg abaix, cnterá um camp text (500 caracteres) de justificativa da açã crrente (AÇÃO ACERCA DA PROPOSTA/PROJETO) BOTÕES DE AÇÃO DO CADASTRO DE PROPOSTAS Aut Preencher: A clicar neste btã, será abert um Cmbbx para preenchiment através d códig u nme de uma prpsta já existente, nde neste cmpnente a digitarms um númer a partir de 3 caracteres, deverá ser aut preenchid as pssíveis prpstas. A selecinarms a prpsta (códig e descriçã), clicams n btã OK para abrir a prpsta esclhida nde pderems aprveitá-la para criar uma nva. Nã terems preenchiment autmátic de tds s camps, devid a pssível cnfusã cm cadastr de camps, cm exempl Data Iníci e Data Fim ; Gravar: A clicar neste btã, gravarems a prpsta criada, para esta pder ser submetida em um utr mment. Desde que tds s camps brigatóris tenham sid preenchids; Submeter: A clicar neste btã, habilitams a prpsta para entrar/cntinuar n flux de aprvações, desde que tds s camps brigatóris tenham sid preenchids. N cas de cntinuaçã n flux de aprvações, precisams preencher a tela de ações acerca da prpsta (Aprvadr), cnfrme descrit abaix TELA PROPOSTAS/PROJETOS O aprvadr a clicar n menu Prcesss - Prpstas, será aberta a tela PROPOSTAS. Esta servirá para visualizar as prpstas a serem aprvadas, revisadas u reprvadas. A tela inicialmente cnterá alguns camps de filtragem, dis btões de açã e um grid lg abaix. Seguem s camps de filtragem abaix: Códig da Prpsta/Prjet: Camp text para imputar códig da prpsta; Descriçã da Prpsta/Prjet: Camp text para imputar a descriçã da prpsta; Períd de Realizaçã: Camp data para imputar a data de iníci u fim da prpsta; Tip d Prjet: Cmb bx cm cnteúd Sistemátic u Nã Sistemátic; Necessidade de Divulgaçã: Cmb bx cm cnteúd Sim u Nã; CtrlPAE: Cmb bx cm cnteúd Sim u Nã; Página 21 de 61

22 ANEXO III 6/10 Seguem s btões de filtragem: Btã Cnsultar; Btã Limpar Filtrs; Seguem as linhas d grid: Códig da Prpsta/Prjet; Descriçã da Prpsta/Prjet; Períd de Realizaçã; Valres. N final de cada linha d Grid, deverems visualizar um btã para avaliar, abrind a tela AÇÃO ACERCA DA PROPOSTA DE PROJETO, para a realizaçã da aprvaçã, revisã u reprvaçã, cm a devida justificativa. Ou pderems dar um dupl-clique nesta para vê-la pr cmplet, e entã n rdapé da tela pder submetê-la para aprvaçã, revisã u reprvaçã. A lad d Grid descrit, visualizarems td flux de aprvaçã da prpsta selecinada AÇÃO DO APROVADOR ACERCA DA PROPOSTA DE PROJETO O aprvadr a selecinar uma prpsta de prjet para realizar uma açã acerca dela, a clicar em submeter, será aberta uma caixa de diálg denminada AÇÃO ACERCA DA PROPOSTA DE PROJETO, nde nesta terems s seguintes camps descrits: Açã: Cmbbx cm cnteúd Aprvar, Revisar e Reprvar ; Justificativa: Camp text livre brigatóri 500 caracteres para ser inserid a justificativa de tal açã esclhida REGRA DE NEGÓCIO (FLUXO DE APROVAÇÕES DAS PROPOSTAS) A prpsta a entrar n flux de aprvações (FLUXO DE APROVAÇÕES DAS PROPOSTAS), cm infrmad n primeir tópic d dcument, um é disparad para primeir/próxim aprvadr (quem cmete a açã), infrmand que própri entre n sistema e verifique a açã a ser realizada. N enviad, deverems ter um link levand usuári para a TELA INICIAL (LOGIN), e psterirmente para a TELA PROPOSTAS, nde aprvadr visualizará a devida prpsta em questã, junt u nã, às demais prpstas a serem analisadas. Cnfrme mencinad na TELA PROPOSTAS, terems grid cm as prpstas listadas em rdem para aprvaçã, nde pderems dar um dupl-clique nesta para vêlas pr cmplet, e entã n rdapé da tela pder submetê-la para aprvaçã, revisã u reprvaçã. Ou simplesmente n final da linha n grid da prpsta crrespndente, terems um btã para realizar mesm tip de açã, submetê-la para aprvaçã, revisã u reprvaçã. Página 22 de 61

23 ANEXO III 7/ REGRA DE NEGÓCIO (CADASTRO DAS PROGRAMAÇÕES PERTENCENTES AOS PROJETOS): Cnfrme mencinad n primeir tópic deste dcument, após a prpsta passar pr td flux de aprvaçã, inclusive pel criv d Departament Nacinal, esta prpsta, será incrprada a Plan de Trabalh, transfrmand-se autmaticamente em um prjet. Além dist, s envlvids receberã uma ntificaçã ( ) ds prjets validads para serem inseridas as devidas prgramações REGRA DE NEGÓCIO (ÁREA MEIO) Send assim, ns cass de Prpsta para a Área Mei, cnfrme explicad n item 2.1.2, virará um prjet e pderá ser trabalhad a partir d mment da sua data de iníci, explicitad n cadastr. Lembrand que peradr a cadastrar uma prpsta/prjet, brigatriamente deverá preencher uma data de iníci e fim para crrer prjet. Smente a partir da expiraçã da data fim d prjet, pderã ser preenchids s dads realizads, cmpnd td realizad d prjet, u seja, que de fat acnteceu neste prjet. Cm exempl, s dads de cust e praz que fram descrits na criaçã da prpsta/prjet. Este cadastr de preenchiment ds dads realizads, será explicad n item REGRA DE NEGÓCIO (ÁREA FIM) Ns cass de Prpsta para a Área Fim, crrerá uma diferença, tend preenchiment da prgramaçã, cm crre ns dias de hje n sistema CtrlPAE. Tda prpsta/prjet setada cm Área Fim, brigatriamente terá psterirmente cadastr de uma prgramaçã (realizad hje n CtrlPAE), pis descreverá um event que crrerá em uma determinada unidade, gerand atendiment a usuáris d SESC. O peradr a ser ntificad sbre prjet da sua unidade, estará apt para inserçã de uma u mais prgramações, a um determinad prjet. O que nrmalmente é feit hje, n entant, prjet já estará prnt para ser esclhid em um cmb bx n iníci d cadastr da prgramaçã. A esclher determinad prjet, alguns camps preenchids anterirmente na prpsta, autmaticamente alimentará a prgramaçã a ser cadastrada. A términ d preenchiment da prgramaçã, cm de praxe, peradr a salvará para armazená-la, u simplesmente a submeterá diretamente para a prgramaçã entrar n flux de aprvaçã. O gerente da unidade receberá uma ntificaçã via sistema e via a respeit da prgramaçã para aprvaçã. Onde própri pderá esclher um ds três passs, slicitar uma revisã a peradr, reprvar u aprvar a prgramaçã. Lembrand que a ntificaçã terá um link diret para a prgramaçã, cntud, cm existente hje n sistema, aprvadr pderá adentrar a sistema e filtrar as prgramações da sua unidade que se encntram faltantes de sua aprvaçã. Cntinuand flux, cas a prgramaçã seja aprvada na unidade, aprvadr técnic da SPS (Superintendência de Prgramas Sciais, que cntém as seguintes gerências: Açã Scial, Educaçã, Turism Scial, Saúde, Esprte, Sustentabilidade e Página 23 de 61

24 ANEXO III 8/10 Cultura), realizará mesm trâmite explicad n cas d gerente da unidade. Ou seja, pderá slicitar uma revisã a peradr, reprvar u aprvar a prgramaçã. Cm hje crre n sistema CtrlPAE, ainda terems neste nv sistema, u seja, a prgramaçã a ser cadastrada, pderá ser setada cm SIMPLES, PCG, GRP u PCG+GRP. Esta parametrizaçã será realizada na prpsta/prjet, pdend ser alterada u nã n cadastr da prgramaçã. Entretant, cnfrme crre atualmente, dependend da parametrizaçã desejada, a prgramaçã terá uma avaliaçã pr parte da GIP (Gerência de Integraçã da Prgramaçã) a respeit da prgramaçã ser setada cm PCG, e uma avaliaçã pr parte da GRP (Gerência de Relacinament cm Públic) n cas da prgramaçã seja setada cm GRP. Tend n final da avaliaçã da prgramaçã, a mesma pssibilidade cm s demais fluxs anterires, pdend slicitar uma revisã a peradr u simplesmente aprvá-la. N cas da GIP e da GRP, em particular, essas gerências, hje, nã têm acess a reprvar uma prgramaçã. As prgramações reprvadas ficarã armazenadas para efeit de cnsultas e estatísticas. Neste mment, cas a prgramaçã seja setada em seu iníci para ser divulgada na Revista, s editres recebem a prgramaçã para realizar a ediçã ds dads da Revista, e lg após, Revisr realiza a revisã desses dads e s encaminha para a diagramaçã da Revista. Paralel a iss, a prgramaçã é encaminhada à área de Cmunicaçã, nde a própria, após uma análise acerca da prgramaçã, insere um valr que significa cust que a área de Cmunicaçã terá cm aquela prgramaçã, gerand assim, um cust ttal da prgramaçã. A partir daí a prgramaçã entra em um nv e últim flux de aprvaçã. Esta aprvaçã agra é mnetária, nde cas a prgramaçã tenha cm rçad valr de até R$ ,00 gerente da unidade u da Sede (Área Mei) receberá um slicitand a análise da prgramaçã em questã, para efetuar a açã de Aprvaçã, Revisã u Reprvaçã, justificand tal atitude. Cas a prgramaçã tenha um valr rçad entre R$ ,01 e R$ ,00, gerente d prgrama (Gerente da Sede) receberá um slicitand a análise da prgramaçã em questã, para efetuar a açã de Aprvaçã, Revisã u Reprvaçã, justificand tal atitude. O mesm cas crrerá cas a prgramaçã tenha um valr rçad entre R$ ,01 e R$ ,00. Neste cas, a Superintendência receberá um slicitand a análise da prgramaçã em questã, para efetuar a açã de Aprvaçã, Revisã u Reprvaçã, justificand tal atitude. Cas a prgramaçã tenha um valr rçad entre R$ ,00 e R$ ,00, terems as mesmas aprvações mencinadas anterirmente, além da aprvaçã da Direçã. Pr fim, cas prjet seja rçad acima de R$ ,00, terems as mesmas aprvações mencinadas anterirmente, mais a mesma açã pr parte da Presidência. Abaix segue um resum das alçadas de aprvaçã descritas acima: Página 24 de 61

25 ANEXO III 9/10 Até R$ ,00: Aprvaçã da Gerência da Unidade u Sede; Entre R$ ,00 e R$ ,00: Aprvadr anterir mais a aprvaçã da Gerência de prgrama (Gerente da Sede); Entre R$ ,00 e R$ ,00: Aprvadres anterires mais a aprvaçã da Superintendência; Entre ,00 e R$ ,00: Aprvadres anterires mais a aprvaçã da Direçã; Acima de R$ ,00: Aprvadres anterires mais a aprvaçã da Presidência. Após a aprvaçã final de um ds níveis descrits acima, terems a prgramaçã apta para crrer fisicamente. O mesm trâmite de flux de aprvaçã mnetária, crrerá para s prjets da Área Mei CADASTRO DO PREENCHIMENTO DO REALIZADO Prpsta aprvada, Plan de Trabalh definid e Prjets aprvads. Lg após iniciam-se fisicamente s devids prjets, uns cm assciaçã cm sistema CtrlPAE, nde prgramações sã criadas para prjets criads n SGPP, e uns nã tend assciaçã, send apenas manipuladas n própri SGPP. Entretant a términ físic desses prjets, precisams imputar s dads realizads. Tems definids dis (2) tips de prpstas; as prpstas de área MEIO e as de área FIM, cnfrme classificad n item 2.1 DESCRIÇÃO DOS FLUXOS DE APROVAÇÕES DAS PROPOSTAS. As prgramações definidas cm área FIM, tem de fat, assciaçã cm sistema CtrlPAE. Mensalmente as prgramações terã um fechament parcial, nde autmaticamente s dads realizads destas prgramações (que nã pdem ser alterads), sã riunds ds demais sistemas da empresa, cm Datasul, Estatística e Bilheteria, u de frma manual, e deverã alimentar Cadastr d Preenchiment d Realizad (Prgramaçã). E pr fim, preenchiment autmátic da tela PREENCHIMENTO DO REALIZADO (Prjet), d devid prjet previamente cadastrad. Send cmpst ds seguintes camps que atualmente tems n sistema CtrlPAE. Diferentemente de um prjet que nã tenha assciaçã cm sistema CtrlPAE, u seja, as prpstas da área MEIO. Neste cas, deverems imputar manualmente s dads realizads na tela d PREENCHIMENTO DO REALIZADO. Cm exceçã ds valres e centrs de cust, nde através da integraçã cm sistema Datasul, terems s dads preenchids de frma autmática. Esses dads sã cmpsts de tds s camps d item Cadastr de Prpstas. Tds s camps serã autmaticamente repetids, entretant, cnfrme mencinad acima, pderems alterar de frma manual s demais camps. Diante d expst acima, fica evidente que terems telas distintas para inserçã ds dads realizads. Ou seja, além da tela, que atualmente existe n sistema CtrlPAE, Página 25 de 61

26 ANEXO III 10/10 para s dads realizads das prgramações, terems também mais duas telas de cadastr para preenchiment d realizad; para prjets da área MEIO e para prjets de área FIM. Neste últim cas, mensalmente, s realizads das prgramações, alimentarã cadastr d realizad d prjet da área FIM RELATÓRIOS Assim cm tems atualmente n sistema CtrlPAE, deverems ter relatóris dinâmics neste nv sistema, nde deverems dispnibilizar s mais variads camps para livre esclha pr parte d usuári, tant na parte de cnteúd a ser vist, cm na parte de filtragens e agrupaments. Imprtante mencinar que deverems ter quebra de páginas pr sessões de relatóris. Ou seja, cm exempl, cas tenhams uma visã de prgramações para um determinad prjet, quand mudarms de prjet, deverems ter uma quebra de página, para uma melhr visualizaçã. Abaix seguem alguns exempls essenciais de relatóris: ATENDIMENTO: Ttal pr prgramaçã/atividade, ttal pr estabeleciment; Ttal pr prgramaçã/atividade x unidade (1 quadr pr prgramaçã) ORÇAMENTO: planilha em Excel cm tds s registrs de valr (filtragem pr mês), cntend as clunas as nvas clunas de cadastrs de prjet. Tds s relatóris deverã ter a pssibilidade de exprtar para Excel e/u imprimir cnfrme cnsultas. Para melhr entendiment ds principais relatóris, cnsultar anex VI. 3. CONSIDERAÇÕES GERAIS 3.1 LOGS DE AUDITORIA Tdas as ações deverã ser registradas em arquiv para futuras necessidades de auditrias técnicas e administrativas. Cm exempl tems a tela de auditria d CtrlPAE, que necessita de melhrias para ficar padrnizad cm nv sistema. 3.2 PERFIL DE ACESSO O acess às áreas d sistema deverá ser liberad de acrd cm perfil de acess definid para cada usuári numa interface parametrizável. Cm exempl tems a tela de Perfil de Acess presente n CtrlPAE. 3.3 ACESSO AO SISTEMA Assim cm pssuíms atualmente n sistema CtrlPAE, para acess a sistema, deverems utilizar lgin e senha de rede, integrad a AD (Active Directry). Página 26 de 61

27 ANEXO IV 1/7 1 Melhrias d Sistema Cntrle de Prgramaçã de atividades e events (CtrlPAE) 1.1 Descriçã das funcinalidades a serem ajustadas e/u desenvlvidas em rdem de priridade. Estas funcinalidades deverã ser agrupadas em pactes, para serem entregues em marcs a serem definids: Integraçã cm sistema de Estatística; - Dispnibilizaçã ds dads em tabela temprária ds devids itens abaix: Códig d CtrlPAE (Prgramaçã); Unidade de Negóci; Centr de cust; Códigs de Prgrama, Atividade, Mdalidade e Realizaçã; O arquiv a ser extraíd d CtrlPAE cnterá tds s events, além da revista. Integraçã cm sistema SCA; - Dispnibilizaçã ds dads em tabela temprária ds devids itens abaix: Códig d CtrlPAE (Prgramaçã); Unidade de Negóci; Centr de cust; Códigs de Prgrama, Atividade, Mdalidade e Realizaçã; Tip da Atividade; Integraçã cm sistema STUR; - Dispnibilizaçã ds dads em tabela temprária ds devids itens abaix: Códig d CtrlPAE (Prgramaçã); Unidade de Negóci; Centr de cust; Códigs de Prgrama, Atividade, Mdalidade e Realizaçã; Tip da Atividade; Permitir que seja cadastrad uma prgramaçã cm mais de 1 mês, cm quebras mensais, para preenchiment parcial ds dads quantitativs reais (Dads Reais); Pequen painel de cntrle (Dashbard) demnstrand valres rçads e realizads, a ser visualizad n cadastr d prjet crrente, prgramações de um determinad prjet e preenchiment d realizad; Os relatóris dinâmics deverã apresentar esta diferença n item descrit acima, u seja, cas tenhams prgramações percrrend mais de um mês, relatóri brigatriamente deverá externar valres referentes a range de data mencinad na filtragem, sem a realizaçã de acúmul de valres e quantidades; Funcinalidade de cadastr de recrrência de events, pssibilitand criar váris events em determinadas datas de frma simplificada, esclhend a hra de iníci e fim e na agenda d camp data, pdend esclher inúmeras datas (Calendári); Capacidade Máxima vir nesta tela denminada acima; Adequar s públics para ficar cerente cm Sistema de Estatística e de Bilheteria; Página 27 de 61

28 ANEXO IV 2/7 Na Revista, cnsiderar cm data de iníci e fim da prgramaçã que está descrit n grid e nã a data e iníci e fim da prgramaçã descrita na primeira tela; Cnsiderar um mecanism de cancelament da atividade, nde tds s envlvids sã cmunicads. Dessa frma, evitarems que atividades canceladas sejam divulgadas na Revista. Na funcinalidade de Agenda, diferenciar a cr das prgramações pr Status; Encaminhar diretamente da Agenda para Cadastr de Prgramaçã em questã cm um dupl clique d muse; Criaçã de tela de cadastr para as Unidades de Negóci, cnfrme mencinad n quadr abaix; Mdificar tdas as siglas d sistema para a frma crreta de acrd cm a tabela abaix; ESTRUTURA ORGANIZACIONAL UNIDADE ORÇAMENTÁRIA Unidade de Negóci Centr de Cust SUPERINTENDÊNCIA DE PROGRAMAS SOCIAIS Superintendência de Prgramas Sciais SPS A500 Gerência de Açã Scial GAS A510 Gerência de Educaçã GED A520 Gerência de Turism Scial GTS A530 Gerência de Saúde GSA A540 Gerência de Esprte e Recreaçã GER A550 Gerência de Integraçã da Prgramaçã GIP A560 Gerência de Sustentabilidade GSU A570 Gerência de Cultura GCT A580 SUPERINTENDÊNCIA DE COMUNICAÇÃO Superintendência de Cmunicaçã SCO A700 Gerência de Cmunicaçã Interna GCI A710 Gerência de Relacinament cm Públic GRP A720 Gerência de Mídias Digitais GMD A730 Gerência de Cmunicaçã e Publicidade GCP A740 Gerência de Events GEV A750 Gerência de Assessria de Imprensa GAI A760 Mdificar a nmenclatura d camp "Gerência" (Gerência Respnsável); A digitarms usuári e senha, a clicarms n btã Enter, sistema deverá entrar na tela principal cm se tivesse clicad n btã "Acessar". Nã precisand apertar btã TAB u clcar cursr d muse n btã; Uma prgramaçã pde ter uma u tdas as áreas de atuaçã (açã cmunitária); Mdificar a nmenclatura para "Sistemátic" e " Nã Sistemátic"; Página 28 de 61

29 ANEXO IV 3/7 O Camp "Nme Prgramaçã" passar a ser brigatóri; O camp "Itens de Alinhament Estratégic" vai para Cadastr de Prjets; Pder ser anexad mais de um arquiv pr prgramaçã, sem ter a necessidade de ser zipad, entretant tamanh d arquiv será determinad n cadastr de Parâmetrs d Sistema, nde administradr d sistema pderá determinar tamanh ideal para s usuáris inserirem arquivs; Descrever significad de cada camp n sistema para ajudar peradr (texts explicativs); Td sistema da Revista deve ser levad para a nva versã; Deverá permitir a pçã pr mais de um cnteúd n camp Clientela; Retirar camp Cndiçã Prpsta e camp de Vulnerabilidade Scial; Ntificar a Aprvadr da Unidade tda vez que uma prgramaçã fr psta para revisã; A gerência PCG pderá negar prgramações; Alterações em camps d sistema para uma evluçã da Ficha Resum, trnand a uma geraçã de Ofíci e Memrand: Centr de cust, valr, receita, cust pr atendiment, bilheteria e diretrizes da açã, uma vez que sã infrmações essenciais para cnferência ds prcesss de aprvaçã ds prjets; Permitir cadastrar cessã de espaç u utr qualquer event que nã necessite pssuir prgramaçã atrelada e cm a inserçã d recurs e quantidade necessária, atualizand a Agenda presente n sistema; Cadastr de Recurss. Serve para cadastrar recurss das unidades (Ex: Cadeira, Mesa, entre utrs bjets) e quantidade dispnibilizada, nde serã atrelads as espaçs cadastrads acima; Especificar as despesas n cadastr d estimad (Cntrle Orçamentári); Clcar um mecanism de desfazer a transferência da prgramaçã de um clabradr para utr, devid s cass de muitas prgramações; Desfazer a transferência da prgramaçã através também de data iníci e data fim; O sistema nã pde permitir a transferência de prgramações para perfis diferentes; Melhria nas mensagens de err n sistema, inclusive para aparecer na auditria. Nã pderems mais ter mensagens de errs em inglês; Atualizar manual d sistema; Permitir salvar e submeter (cm n estimad) uma prgramaçã a preencher s dads reais (nã ter intervençã humana); Adicinar s mesms (demais) camps que se encntram na parte de Dads de Públic n pass 2; Alertar usuári, cas preenchiment d Realizad deste para mais d cadastr d Estimad (Autmátic); Enriquecer s relatóris cm s nvs camps a serem criads; O camp Destaque na unidade virá aparecend n mment da aprvaçã da prgramaçã pr parte d aprvadr da Unidade e da Sede, tend junt, um camp de justificativa, prevalecerá que definir aprvadr da Sede; Acrescentar relatóri para a área de Cmunicaçã (Destaque na unidade). Página 29 de 61

30 ANEXO IV 4/7 CONTROLE DE COMERCIÁRIOS E NÃO COMERCIÁRIOS PCG: FUNCIONAMENTO ATUAL (Enquadrament PCG X Atividades): Usuári PCG matriculad: Um usuári quer participar de uma determinada atividade, send que própri é enquadrad cm PCG, cas ele tenha a carteira em mãs, u seja, send um usuári PCG, nã terems prblemas. Usuári nã matriculad: Um usuári tend ptencial para ser enquadrad cm PCG, deverá se dirigir até Setr de Matrícula, nde cas pssua dcuments que cmprvem que ele pde ser enquadrad cm PCG, basta se matricular. Usuári nã matriculad (Autdeclaraçã): Este cas se remete a fat d usuári nã precisar se matricular, apenas preencher um dcument na unidade denminad Autdeclaraçã, enquadrand- cm PCG. Prém, atualmente este dcument é em frma de papel, nde usuári preenche para participar de uma atividade PCG em um determinada unidade, send que se própri quiser participar de uma próxima atividade, em um utra unidade, u até na mesma, mas em utr ambiente, ele acabará preenchend nvamente este dcument ( Autdeclaraçã ), gerand assim, duplicidade de infrmaçã, pel fat da impssibilidade das áreas e unidades nã se cmunicarem. Nã pssuíms um sistema centralizadr, nde através de cnsultas, pderíams verificar a existência de uma Autdeclaraçã eletrônica. Usuári representad pr esclas: Este últim cas, se deve à atividade de esclas nas unidades, nde prfessres, rientadres u crdenadres já levam até as unidades, uma listagem ds aluns presentes para a determinada atividade. FUNCIONAMENTO SOLICITADO (Enquadrament PCG X Atividades): N menu Etapas d sistema CtrlPAE, terems acréscim de dis nvs cadastrs e n menu Relatóris, um nv relatóri acerca desta sluçã, apenas send mstrad para determinads perfis. Cadastr d Usuári PCG: Terems um cntrle direcinad a CPF d usuári, servind cm chave validadra. Este cadastr substituirá a frma física da Autdeclaraçã de Renda Familiar. Cadastr de Atendiment: nde serã cmputads s atendiments pr usuári PCG. Cada usuári cadastrad n Cadastr d Usuári PCG, pderá ser inserid n Cadastr de Atendiment, uma u mais vezes, dependend de quantas atividades a lng d an, usuári participar. Página 30 de 61

31 ANEXO IV 5/7 Flux d sistema: Funcinará da seguinte frma, cadastr a ser realizad n Cadastr d Usuári PCG, pderá crrer a qualquer instante, mas para a realizaçã de um cadastr n Cadastr de Atendiment, smente pderá crrer após a criaçã de uma prgramaçã n sistema CtrlPAE. Pel simples fat que terems brigatriamente que preencher camp Códig CtrlPAE. Integraçã Cadastr d Realizad d CtrlPAE: N preenchiment d Cadastr d Realizad, ns Dads de Públic, autmaticamente númer de pessas e atendiments d PCG Gratuidade, pderá ser preenchid, através d cadastr realizad previamente na tela de Cadastr de Atendiment. Camps que cmprã Cadastr d Usuári PCG (integraçã SCA): CPF; Nme Cmplet; Data de Nasciment; Data de Cadastr / Data de Alteraçã (Desabilitads preenchids autmaticamente); RG; Órgã Expedidr; UF; Endereç; Cmplement; Bairr; Cidade; CEP; UF; Telefne; Celular; ; Camps que cmprã Cadastr de Atendiment: Códig CtrlPAE (Cmb bx camp previamente cadastrad); Unidade (Preenchid autmaticamente riund d CtrlPAE); Lcal na Unidade (Preenchid autmaticamente riund d CtrlPAE); Prgrama (Preenchid autmaticamente riund d CtrlPAE); Atividade (Preenchid autmaticamente riund d CtrlPAE); Realizaçã (Preenchid autmaticamente riund d CtrlPAE); CPF (Cmb bx preenchiment autmátic na medida que fr digitad); Nme Cmplet (Preenchid autmaticamente riund d Cadastr d Usuári PCG); Data de Nasciment (Preenchid autmaticamente riund d Cadastr d Usuári PCG); RG (Preenchid autmaticamente riund d Cadastr d Usuári PCG); Página 31 de 61

32 ANEXO IV 6/7 REGRAS DE NEGÓCIO - Cadastr d Usuári PCG: Tds s camps serã brigatóris, cm a exceçã ds camps: telefne e . Alerta infrmand a brigatriedade de preenchiment ds camps. Terems máscaras e validadres ns camps, cm CPF, Data de Nasciment, CEP, Telefne e Celular. Inicialmente terems um btã Gravar, para inserir s dads d usuári n sistema. Onde uma caixa exibirá uma mensagem, infrmand sucess d cadastr. Após a gravaçã de um usuári, sistema autmaticamente limpa tds s camps e psicina cursr n primeir camp da tela (CPF), para um nv cadastr ser inserid. Cas seja digitad um CPF u um nme existente, sistema autmaticamente cmpletará s demais camps d cadastr. Cnfrme crra item acima, camps pderã ser mdificads (cm exceçã ds camps CPF, Nme Cmplet, Data de Nasciment e RG ), bastand a términ da mdificaçã, nvamente apertar btã Gravar. Onde uma caixa exibirá uma mensagem, questinand a alteraçã. Integraçã BILATERAL cm sistema SCA. A tecla TAB d teclad, passeará pr entre s camps de maneira rdenada (Tp-Dwn) O sistema nã permitirá a gravaçã de CPFs iguais (chave primária). REGRAS DE NEGÓCIO - Cadastr de Atendiment: Os camps Códig CtrlPAE e CPF serã manual, s demais serã preenchids autmaticamente. Alerta infrmand a brigatriedade de preenchiment ds camps brigatóris: Códig CtrlPAE e CPF. Terems máscaras e validadres n camp CPF. Terems um btã Gravar, para inserir s dads d atendiment a usuári n sistema. Onde uma caixa exibirá uma mensagem, infrmand sucess d cadastr. Após a gravaçã de um atendiment a usuári n sistema, sistema autmaticamente limpa tds s camps e psicina cursr n camp CPF, para um nv cadastr ser inserid. A tecla TAB d teclad, passeará pr entre s dis principais camps ( Códig CtrlPAE e CPF ) de maneira rdenada (Tp-Dwn). RELATÓRIOS: - Assim cm tems atualmente n sistema CtrlPAE, deverems ter relatóris dinâmics neste nv sistema, nde deverems dispnibilizar s mais variads camps para livre esclha pr parte d usuári, tant na parte de cnteúd a ser vist, cm na parte de filtragens e agrupaments. Imprtante mencinar que deverems ter quebra de páginas pr sessões de relatóris. Ou seja, cm Página 32 de 61

33 ANEXO IV 7/7 exempl, cas tenhams uma visã de prgramações para um determinad prjet, quand mudarms de prjet, deverems ter uma quebra de página, para uma melhr visualizaçã. LOGS DE AUDITORIA - Tdas as ações deverã ser registradas em arquiv para futuras necessidades de auditrias técnicas e administrativas. Cm exempl tems a tela de auditria d CtrlPAE, que necessita de melhrias para ficar padrnizad cm nv sistema. PERFIL DE ACESSO - O acess às áreas d sistema deverá ser liberad de acrd cm perfil de acess definid para cada usuári numa interface parametrizável. Cm exempl tems a tela de Perfil de Acess presente n CtrlPAE. ACESSO AO SISTEMA - Assim cm pssuíms atualmente n sistema CtrlPAE, para acess a sistema, deverems utilizar lgin e senha de rede, integrad a AD (Active Directry). Página 33 de 61

34 PLANEJAMENTO ANEXO V 1/5 Página 34 de 61

35 ANEXO V 2/5 Página 35 de 61

36 ANEXO V 3/5 Página 36 de 61

37 ANEXO V 4/5 Página 37 de 61

38 ANEXO V 5/5 Página 38 de 61

39 APROVAÇÃO PARA EXECUÇÃO ANEXO VI 1/3 Página 39 de 61

40 ANEXO VI 2/3 Página 40 de 61

41 ANEXO VI 3/3 Página 41 de 61

42 ANEXO VII 1/8 RELATÓRIOS PREVISÃO DE ATENDIMENTOS POR PROGRAMA E ATIVIDADE Prgrama/Atividade Previsã 2014 Previsã 2015 % 2015/ EDUCAÇÃO % 001-Educaçã Infantil Educaçã de Jvens e Adults Educaçã Cmplementar % 006-Curss de Valrizaçã Scial % 02 - SAÚDE % 007-Nutriçã % 008-Assistência Odntlógica % 009-Educaçã em Saúde % 03 - CULTURA % 011-Bibliteca % 012-Apresentações Artísticas % 013-Desenvlviment Artístic e Cultural % 04 - LAZER % 014-Desenvlviment Físic-Esprtiv % 015-Recreaçã % 016-Turism Scial % 05 - ASSISTÊNCIA % 017-Trabalh cm Grups % 018-Açã Cmunitária % Ttal % Página 42 de 61

43 ANEXO VII 2/8 Unidade Previsã 2015 SESC NOGUEIRA SESC SANTA LUZIA SESC COPACABANA SESC TIJUCA SESC ENGENHO DE DENTRO SESC MADUREIRA SESC RAMOS SESC NITEROI SESC CAMPOS SESC NOVA FRIBURGO SESC NOVA IGUACU SESC SAO JOAO DE MERITI SESC TERESOPOLIS SESC TRES RIOS SESC BARRA MANSA SESC SAO GONCALO ESPAÇO SESC SESC GINÁSTICO SESC DUQUE DE CAXIAS SESC QUITANDINHA MESA BRASIL UNIDADES MÓVEIS SESC SESC CASA DA GAVEA 0 Ttal Página 43 de 61

44 Prgrama Educaçã ANEXO VII 3/8 PREVISÃO DE ATENDIMENTOS EDUCAÇÃO Unidade Educaçã Infantil Educaçã de Jvens e Adults Educaçã Cmplementar Curss de Valrizaçã Scial Ttal 08- SESC NOGUEIRA SESC SANTA LUZIA SESC COPACABANA SESC TIJUCA SESC ENGENHO DE DENTRO SESC MADUREIRA SESC RAMOS SESC NITERÓI SESC CAMPOS SESC NOVA FRIBURGO SESC NOVA IGUAÇU SESC SÃO JOÃO DE MERITI SESC TERESÓPOLIS SESC TRÊS RIOS SESC BARRA MANSA SESC SÃO GONÇALO SESC DUQUE DE CAXIAS SESC QUITANDINHA Ttal Página 44 de 61

45 ANEXO VII 4/8 Prgrama Saúde PREVISÃO DE ATENDIMENTOS SAÚDE Unidade Nutriçã Assistência Odntlógica Educaçã em Saúde Ttal 08- SESC NOGUEIRA SESC SANTA LUZIA SESC COPACABANA SESC TIJUCA SESC ENGENHO DE DENTRO SESC MADUREIRA SESC RAMOS SESC NITERÓI SESC CAMPOS SESC NOVA FRIBURGO SESC NOVA IGUAÇU SESC SÃO JOÃO DE MERITI SESC TERESÓPOLIS SESC TRÊS RIOS SESC BARRA MANSA SESC SÃO GONÇALO GINASTICO SESC DUQUE DE CAXIAS UNIDADES MÓVEIS SESC Ttal Página 45 de 61

46 ANEXO VII 5/8 Prgrama Cultura PREVISÃO DE ATENDIMENTOS CULTURA Unidade Bibliteca Apresentações Artísticas Desenvlviment Artístic e Cultural Ttal 08- SESC NOGUEIRA SESC SANTA LUZIA SESC COPACABANA SESC TIJUCA SESC ENGENHO DE DENTRO SESC MADUREIRA SESC RAMOS SESC NITERÓI SESC CAMPOS SESC NOVA FRIBURGO SESC NOVA IGUAÇU SESC SÃO JOÃO DE MERITI SESC TERESÓPOLIS SESC TRÊS RIOS SESC BARRA MANSA SESC SÃO GONÇALO ESPAÇO SESC GINÁSTICO SESC DUQUE DE CAXIAS SESC QUITANDINHA UNIDADES MÓVEIS SESC Ttal Página 46 de 61

47 Prgrama Lazer ANEXO VII 6/8 PREVISÃO DE ATENDIMENTOS LAZER Unidade Desenvlviment Físic-Esprtiv Recreaçã Turism Scial Ttal 08- SESC NOGUEIRA SESC SANTA LUZIA SESC COPACABANA SESC TIJUCA SESC ENGENHO DE DENTRO SESC MADUREIRA SESC RAMOS SESC NITERÓI SESC CAMPOS SESC NOVA FRIBURGO SESC NOVA IGUAÇU SESC SÃO JOÃO DE MERITI SESC TERESÓPOLIS SESC TRÊS RIOS SESC BARRA MANSA SESC SÃO GONÇALO SESC DUQUE DE CAXIAS SESC QUITANDINHA Ttal Página 47 de 61

48 Prgrama Assistência ANEXO VII 7/8 PREVISÃO DE ATENDIMENTOS ASSISTÊNCIA Unidade Trabalh cm Grups Açã Cmunitária Ttal 08- SESC NOGUEIRA SESC SANTA LUZIA SESC COPACABANA SESC TIJUCA SESC ENGENHO DE DENTRO SESC MADUREIRA SESC RAMOS SESC NITERÓI SESC CAMPOS SESC NOVA FRIBURGO SESC NOVA IGUAÇU SESC SÃO JOÃO DE MERITI SESC TERESÓPOLIS SESC TRÊS RIOS SESC BARRA MANSA SESC SÃO GONÇALO SESC DUQUE DE CAXIAS SESC QUITANDINHA MESA BRASIL SESC Ttal Página 48 de 61

49 ANEXO VII 8/8 Página 49 de 61

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI

CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI CONSIDERAÇÕES DA CAPGEMINI 6.1 Requisits de Capacidade e Experiência d Prestadr A ANEEL deveria exigir um puc mais quant a estes requisits, de frma a garantir uma melhr qualificaçã da empresa a ser cntratada.

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL

INSTITUTO SUPERIOR POLITÉCNICO DE VISEU ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE LAMEGO EDITAL EDITAL CANDIDATURA AOS CURSOS TÉCNICOS SUPERIORES PROFISSIONAIS (CTeSP) 2015 CONDIÇÕES DE ACESSO 1. Pdem candidatar-se a acess de um Curs Técnic Superir Prfissinal (CTeSP) da ESTGL tds s que estiverem

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010

Glossário das Metas Prioritárias 2010 Versão 1.2.14 Agosto/2010 Meta Priritária 5 Implantar métd de gerenciament de rtinas (gestã de prcesss de trabalh) em pel mens 50% das unidades judiciárias de 1º grau. Esclareciment da Meta Nã estã sujeits a esta meta s tribunais

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013. Item 01. Requisitos básicos com justificação

PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013. Item 01. Requisitos básicos com justificação PROJETO BÁSICO DE LICITAÇÃO PARA CONTRATAÇÃO DE ASSESSORIA CONTÁBIL 002/2013 Item 01. Requisits básics cm justificaçã a. Serviç a ser licitad:. Escrituraçã mensal d livr diári; Escrituraçã mensal d livr

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios.

Art. 2º. Trata-se de uma promoção de caráter exclusivamente de estimulo cultural, profissional e acadêmico sem vínculo com sorteios. Prêmi Data Pint de Criatividade e Invaçã - 2011 N an em que cmpleta 15 ans de atuaçã n mercad de treinament em infrmática, a Data Pint ferece à cmunidade a prtunidade de participar d Prêmi Data Pint de

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

SCPI 8.0 - Módulo Compras

SCPI 8.0 - Módulo Compras SCPI 8.0 - Módul Cmpras Guia d usuári Junh / 2014 Versã: 8.21.14.1396 script: 7116 Firilli Sc. Civil Ltda. Sftware Assistência e Cnsultria Municipal. Av. Marginal, 65 Distrit Industrial CEP 15.140-000

Leia mais

Manual de Procedimentos

Manual de Procedimentos Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Prcediments para

Leia mais

Regulamento do programa de bolsas de estudos

Regulamento do programa de bolsas de estudos Regulament d prgrama de blsas de estuds Unidades Ri de Janeir e Sã Paul Data de publicaçã: 13/05/2015 Regulament válid até 30/08/2015 1 1. Sbre prgrama Através de um prcess seletiv, prgrama de blsas de

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu MBA em Gestã de Prjets A Faculdade de Tecnlgia SENAI/SC em Flrianóplis

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL Cntratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessa jurídica de direit públic cnstituída sb a frma de autarquia fiscalizadra,

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOS DOS CONVÊNIOS...

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOGRAFIAS/IMAGENS

Leia mais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais

3 Formulação da Metodologia 3.1. Considerações Iniciais 53 3 Frmulaçã da Metdlgia 3.1. Cnsiderações Iniciais O presente capítul tem cm finalidade prpr e descrever um mdel de referencia para gerenciament de prjets de sftware que pssa ser mensurável e repetível,

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11

ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 ARQUITETURA E INSTALAÇÃO PROTHEUS 11 OBJETIVO Infraestrutura e tecnlgia d Prtheus sã a base de uma sluçã de gestã empresarial rbusta, que atende a tdas as necessidades de desenvlviment, persnalizaçã, parametrizaçã

Leia mais

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física)

Lista de Documentos o Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de alimentos Documentos para estabelecimentos comerciais (pessoa física) Lista de Dcuments Abertura de Empresas Abertura de empresas na área de aliments Dcuments para estabeleciments cmerciais (pessa física) 1) Ficha de Inscriçã Cadastral, preenchida na própria VISA; 2) Cópia

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR?

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Criad em 16.10.2014 Revisad em 19.02.2015 1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Para se cadastrar, junt a Cadastr Unificad de Frnecedres d Estad CADFOR, interessad

Leia mais

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA EIKON DOCUMENTS - ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA VERSÃO Eikn Dcuments 2007 Service Pack 5 (2.9.5) Fevereir de 2010 DATA DE REFERÊNCIA DESCRIÇÃO Sftware para implantaçã de sistemas em GED / ECM (Gerenciament Eletrônic

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION

ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION ALTERAÇÕES NO SISTEMA ORION Orin Versã 7.74 TABELAS Clientes Na tela de Cadastr de Clientes, fi inserid btã e um camp que apresenta códig que cliente recebeu após cálcul da Curva ABC. Esse btã executa

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA

DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA DESENVOLVIMENTO DE UM WEB SITE PARA A BASE DE CONHECIMENTOS DO PROGRAMA DE APOIO AOS ACTORES NÃO ESTATAIS ANGOLA REQUISITOS TECNICOS O Prgrama de Api as Actres Nã Estatais publica uma slicitaçã para prestaçã

Leia mais

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI

GESTÃO DE PROJETOS. Uma visão geral Baseado nas diretrizes do PMI GESTÃO DE PROJETOS Uma visã geral Bead n diretrizes d PMI 1 Intrduçã Objetiv da Apresentaçã O bjetiv é frnecer uma visã geral ds prcesss de Gestã de Prjets aplicads à Gestã de Empreendiments. O que é Prjet?

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS OESTECIM A MINHA EMPRESA 1. Intrduçã e Objetivs a) O Cncurs de Ideias OESTECIM a minha empresa pretende ptenciar apareciment de prjets invadres na regiã d Oeste sempre numa perspetiva de desenvlviment ecnómic e scial. b) O Cncurs

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO Prezad(a) Alun(a) A mbilidade acadêmica internacinal é uma prtunidade valisa para seu cresciment individual, acadêmic e prfissinal. Nã permita que a falta de

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE

SEGURANÇA NO TRABALHO CONTRATADOS E TERCEIROS DO CLIENTE Flha 1 de 8 Rev. Data Cnteúd Elabrad pr Aprvad pr 0 16/06/2004 Emissã inicial englband a parte técnica d GEN PSE 004 Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade 1 31/01/2006 Revisã geral Luiz C. Sants Cmitê da Qualidade

Leia mais

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01.

Agenda. A interface de Agendamento é encontrada no Modulo Salão de Vendas Agendamento Controle de Agendamento, e será apresentada conforme figura 01. Agenda Intrduçã Diariamente cada um ds trabalhadres de uma empresa executam diversas atividades, muitas vezes estas atividades tem praz para serem executadas e devem ser planejadas juntamente cm utras

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30)

PIM TECNOLOGIA EM GERENCIAMENTO DE REDES DE COMPUTADORES (GR3P30) UNIP Brasília - Crdenaçã CG/CW/GR/AD Senhres Aluns, Seguem infrmações imprtantes sbre PIM: 1. O QUE É? - Os PIM (Prjet Integrad Multidisciplinar) sã prjets brigatóris realizads els aluns ds curss de graduaçã

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo:

Gestão do Escopo 1. Planejamento da Gestão do Escopo: 2. Definição do Escopo: 3. Elaboração da EDT(EAP): 4. Verificação do Escopo: Gestã d Escp 1. Planejament da Gestã d Escp: i. Autrizaçã d prjet ii. Definiçã d escp (preliminar) iii. Ativs em cnheciments rganizacinais iv. Fatres ambientais e rganizacinais v. Plan d prjet i. Plan

Leia mais

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos

GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM. Solução de Gestão Eletrônica de Documentos Acadêmicos GERENCIAMENTO DE DOCUMENTOS, CONTEÚDO E PROCESSOS GED/ECM Sluçã de Gestã Eletrônica de Dcuments Acadêmics OBJETIVOS DA SOLUÇÃO BENEFÍCIOS GERAIS A Sluçã ECMDOC de Gestã de Dcuments Acadêmics, tem cm principais

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR?

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Criad em 27.01.2014 Revisad em 19.02.2015 1. COMO SE CADASTRAR JUNTO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Para se cadastrar junt a Cadastr Unificad de Frnecedres d Estad CADFOR/SEGPLAN-GO, a entidade

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP I - AJUDA DE CUSTO A ALUNOS DE DOUTORADO DA CAP, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS FORA DO PAÍS Eligibilidade Aluns de dutrad da CAP que preencham,

Leia mais

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas Versã: 3.0.0.48 Empresa: TrucksCntrl Slicitante: Diretria Respnsável: Fernand Marques Frma de Slicitaçã: e-mail/reuniã Analista de Negóci: Fábi Matesc Desenvlvedr: Fabian Suza Data: 24/09/2012 Sistema

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

Relatório de Gerenciamento de Riscos

Relatório de Gerenciamento de Riscos Relatóri de Gerenciament de Riscs 2º Semestre de 2014 1 Sumári 1. Intrduçã... 3 2. Gerenciament de Riscs... 3 3. Risc de Crédit... 4 3.1. Definiçã... 4 3.2. Gerenciament... 4 3.3. Limites de expsiçã à

Leia mais

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO

PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO PRÊMIO AUTOMAÇÃO - CATEGORIA DE JORNALISMO REGULAMENTO 1. DOS OBJETIVOS DO PRÊMIO O PRÊMIO NA CATEGORIA DE JORNALISMO tem cm bjetiv premiar matérias veiculadas na imprensa nacinal relativas a temas ligads

Leia mais

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO

Faculdade de Tecnologia SENAI Florianópolis e Faculdade de Tecnologia SENAI Jaraguá do Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Faculdade de Tecnlgia SENAI Flrianóplis e Faculdade de Tecnlgia SENAI Jaraguá d Sul EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Pós-Graduaçã Lat Sensu em Gestã da Segurança da Infrmaçã em Redes de Cmputadres A Faculdade

Leia mais

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis PCP. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis PCP Vensis PCP O PCP é módul de planejament e cntrle de prduçã da Vensis. Utilizad n segment industrial, módul PCP funcina de frma ttalmente integrada a Vensis ERP e permite às indústrias elabrar

Leia mais

INTEGRAÇÃO Gestão de Frete Embarcador x Datasul 11.5.3

INTEGRAÇÃO Gestão de Frete Embarcador x Datasul 11.5.3 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet INTEGRAÇÃO Gestã de Frete Embarcadr x Datasul 11.5.3 PLANO DO PROJETO 24/01/2013 Respnsável pel dcument: Jã Victr Fidelix TOTVS - 1 Prdut: GFE - Prtheus Plan d Prjet ÍNDICE

Leia mais

Roteiro de Implantação Estoque

Roteiro de Implantação Estoque Rteir de Implantaçã Estque Revisã: 23/07/2004 Abrangência Versã 7.10 Cadastrs Básics Dicas: Explique a necessidade d preenchiment ds brigatóris (camps na cr azul). Verifique se cliente necessita que mais

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

NORMATIVA ADMINISTRATIVA

NORMATIVA ADMINISTRATIVA Assunt: DIRETRIZES PARA COMPRA E APROVEITAMENTO DE Data de Emissã: Data de Revisã: De: 18/12/2013 Assunts Estratégics Tdas as áreas d 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estabelecer regras e parâmetrs que

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE

REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE REGULAMENTO TOP CIDADANIA ABRH-RS EDIÇÃO 2015 CATEGORIA ESTUDANTE ARTIGO I DEFINIÇÃO E NATUREZA O Prêmi Cidadania, categria Estudante, premia trabalhs de caráter técnic u científic, referente a implementaçã

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 005/2014 DE 07 DE ABRIL DE 2014 PROCESSO SELETIVO O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP.: 64.073-505,

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE

FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE FACULDADE DE EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE (Prt. MEC nº 797/14, de 11/09/2014, publicada n DOU em 12/09/2014) EDITAL 2015 PROCESSO SELETIVO O Diretr Geral da Faculdade de Educaçã em Ciências da Saúde (FECS),

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA 2015 Orientações para a Escrituraçã Cntábil Digital (Sped Cntábil) Versã 14.01 Sluções SPDATA Equipe SAT Análise Desenvlviment e Qualidade de Sftware 07/04/2015 Sumári Objetiv... 3 Cnsiderações gerais...

Leia mais

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014

EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA. Seleção de Bolsistas para o Programa de Bolsa Socioeconômica para o período de 2014 EDITAL BOLSA SOCIOECONÔMICA Seleçã de Blsistas para Prgrama de Blsa Sciecnômica para períd de 2014 O Reitr d Centr Universitári Tled Unitled, ns terms d Regulament aprvad pel CONSEPE, cm vistas à seleçã

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL

MANUAL DE PROCEDIMENTOS REALIZAR MANUTENÇÃO PREDIAL Códig: MAP-DILOG-002 Versã: 00 Data de Emissã: 01/01/2013 Elabrad pr: Gerência de Instalações Aprvad pr: Diretria de Lgística 1 OBJETIVO Estabelecer cicl d prcess para a manutençã predial crretiva e preventiva,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS INDICE Descriçã básica...3 A. Quem pde acessar módul?... 3 Relações Ministeriais, Prcess...4 B. Etapas e Agentes... 4 C. Duraçã d prcess... 4 Atividades Permitidas as Usuáris d

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS Manual d Usuári Elabrad pela W3 Autmaçã e Sistemas Infrmaçã de Prpriedade d Grup Jmóveis Este dcument, cm tdas as infrmações nele cntidas, é cnfidencial e de prpriedade d Grup Jmóveis,

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO V2.04 S4 Página 1 de 14 INDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.04 DO SST...3 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.04...3 PRESTADOR...3 Relatóri de Metas...3 CLIENTE...4 Tela

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Guia d Prcess de Sftware d MAPA Metdlgia de Desenvlviment de Sistemas Versã 1.0 Dcument cnfidencial e prprietári Versã d mdel: 1.1 Históric das Revisões Data Versã Descriçã Autr 24/03/2008 1.0 Iníci da

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE RESOLUÇÃO N 379, DE 19 DE OUTUBRO DE 2006 Cria e regulamenta sistema de dads e infrmações sbre a gestã flrestal n âmbit d Sistema Nacinal

Leia mais

Todos os direitos reservados Versão 1.2

Todos os direitos reservados Versão 1.2 Guia de Relatóris Tds s direits reservads Versã 1.2 1 Guia de Relatóris Índice 1 Pedids... 3 1.1 Mnitr de Pedids... 3 1.2 Pedids... 4 1.3 Estatísticas de Pedids... 5 1.4 Acess e Cnsum... 7 1.5 Pedids pr

Leia mais

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL MINISTÉRIO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL SECRETARIA DA RECEITA PREVIDENCIÁRIA - SRP DEPARTAMENTO DE FISCALIZAÇÃO - DEFIS CARTILHA PARA ORIENTAÇÃO ACERCA DAS OBRIGAÇÕES PREVIDENCIÁRIAS PARA O PERÍODO ELEITORAL

Leia mais

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva

Proposta. Treinamento Lean Thinking Mentalidade Enxuta. Apresentação Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta www.masterhuse.cm.br Prpsta Cm Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Apresentaçã Executiva Treinament Lean Thinking Mentalidade Enxuta Cpyright 2011-2012

Leia mais

Academia FI Finanças

Academia FI Finanças Academia FI Finanças A Academia é melhr caminh para especializaçã dentr de um tema n ERP da SAP. Para quem busca uma frmaçã cm certificaçã em finanças, mais indicad é participar da próxima Academia de

Leia mais