Manual de Procedimentos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual de Procedimentos"

Transcrição

1 Manual de Prcediments Prcediments para Submissã de Prjets de MDL à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Secretaria Executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima

2 Prcediments para Submissã de Prjet de MDL à Cmissã Interministerial de Mudanças Glbal d Clima Cm vistas a bter a aprvaçã das atividades de prjet n âmbit d MDL, s prpnentes da atividade de prjet devem enviar à Secretaria Executiva da CIMGC s dcuments listads ns Artigs 3 e 4 da Resluçã n 1 de 11 de setembr de 2003 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima e ns Artigs 1 e 5 da Resluçã n 2 de 02 de agst de 2005 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima /pdf/resluca02p.pdf Cm bjetiv de agilizar prcess de análise das atividades de prjet, fi elabrad Manual para Submissã de Prjets de MDL para aprvaçã da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima que se encntra anexad a este dcument. O Banc Central editu n dia 08 de setembr de 2005 a Circular nº 3.291, que prmveu alterações n Regulament d Mercad de Câmbi e Capitais Internacinais. Uma das nvidades é a previsã expressa de um códig para a realizaçã de perações de câmbi cuja natureza é classificada cm "Serviçs Diverss - Crédits de Carbn 29/(NR) 45500" Observadas as dispsições da Res , quant a legalidade da transaçã, fundamentaçã ecnômica e respnsabilidades definidas na respectiva dcumentaçã, pdem as perações ser cursadas diretamente junt as bancs autrizads a perar n mercad de câmbi. Os dcuments devem ser enviads anexs a uma carta de encaminhament para: Dr. Jsé Dmings Gnzalez Miguez Secretári Executiv Secretaria Executiva da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Crdenaçã Geral de Mudanças Glbais de Clima Ministéri da Ciência e Tecnlgia Esplanada ds Ministéris Blc E Sala Brasília DF. Versã 1 de 18 de utubr de Manual de Prcediment

3 Resluçã n 1 Art. 3 Cm vistas a bter a aprvaçã das atividades de prjet n âmbit d Mecanism de Desenvlviment Limp, s prpnentes d prjet deverã enviar à Secretaria Executiva da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, em mei eletrônic e impress: Tds s dcuments listads a seguir deverã ser apresentads em versã impressa e versã eletrônica para idêntica impressã. Os dcuments devem ser entregues n endereç abaix: Secretaria Executiva da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima Crdenaçã Geral de Mudanças Glbais de Clima Ministéri da Ciência e Tecnlgia Esplanada ds Ministéris Blc E Sala Brasília DF Os dcuments devem ser acmpanhads de uma carta de encaminhament, da qual deve cnstar a lista ds dcuments apresentads, a Dr. Jsé Dmings Gnzalez Miguez, Secretári Executiv da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima. Resluçã n 2 Art. 6º - A Secretaria Executiva da Cmissã Interministerial encaminhará a dcumentaçã submetida pels participantes de atividade de prjets MDL as membrs da Cmissã apenas após verificar que s requisits de dcumentaçã necessária estabelecids nas Resluções da Cmissã fram integralmente cumprids e a dcumentaçã submetida está cmpleta. A data de transmissã para s membrs da Cmissã será cnsiderada a data de recebiment ds dcuments d prjet para análise cnfrme Artig 6º da Resluçã nº 1 da Cmissã. Smente após a verificaçã, pela Secretaria Executiva, da cmpletitude ds dcuments apresentads é que a dcumentaçã d prjet é publicada na página d MCT (www.mct.gv.br/clima), cmeçand a cntar, nesse mment, praz referid n Art. 6º da Resluçã n 1 para que seja prferida a decisã final. Manual de Prcediment 03

4 1 PDD (Prject Design Dcument em inglês) Resluçã n 1 Art. 3 I - O dcument de cncepçã d prjet na frma determinada pel Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp, estabelecid n âmbit da Cnvençã-Quadr das Nações Unidas sbre Mudança d Clima e, para fins de aprvaçã da atividade de prjet pela Cmissã, na frma d Anex II. Adicinalmente, cm element infrmativ à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, deve cnstar n dcument de cncepçã d prjet uma descriçã da cntribuiçã da atividade de prjet para desenvlviment sustentável de acrd cm Anex III à esta resluçã e em cnfrmidade cm Artig 12.2 d Prtcl de Quit à Cnvençã-Quadr das Nações Unidas sbre Mudança d Clima É principal dcument a ser apresentad a Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp pr casiã da slicitaçã de registr d prjet. O dcument deve ser apresentad na versã mais atualizada, riginal em inglês e que fi enviada à Entidade Operacinal Designada para validaçã. Nã serã aceitas utras versões. Existem frmuláris distints em funçã d tip de prjet: prjet de reduçã de emissões (nrmal e pequena escala) e prjet de flrestament e reflrestament (nrmal e pequena escala) Prjet de reduçã de emissões (nrmal): O frmulári para elabraçã desse dcument encntra-se n apêndice B da Decisã 17/CP.7 cntida n dcument FCCC/CP/2001/13/Add.2. Observar a publicaçã de atualizações d PDD na hmepage d Cnselh Executiv d MDL. Atualmente está dispnível a versã 02 de 1/7/2004. Também encntra-se na hmepage da UNFCCC guia de preenchiment d frmulári d PDD ( Guidelines fr cmpleting CDM-PDD), ambs listads a seguir: PDD: Guia: pdf Prjet de reduçã de emissões (pequena escala): Se prjet cair na categria de Prjet de Pequena Escala (Small Scale Prject) dcument de cncepçã de prjet que deve ser apresentad é uma versã simplificada que cnsta n anex II da Decisã 21/CP.8 cntida n dcument FCCC/CP/2002/7/Add.3. Tant PDD cm a rientaçã para seu preenchiment encntram-se ns dcuments listads a seguir: 04 Manual de Prcediment

5 PDD: Guia: Prjet de flrestament e reflrestament (nrmal): A rientaçã para esse tip de prjet encntrase n apêndice B da Decisã 19/CP.9, n dcument FCCC/CP/2003/6/Add.2. Também encntra-se na hmepage d Cnselh Executiv d MDL guia de preenchiment d frmulári, ambs listads a seguir: PDD: Guia: PDD_AR-NMB_AR-NMM.pdf Prjet de reduçã de flrestament e reflrestament (pequena escala): Para prjets de flrestament u reflrestament que se enquadrem na categria de Prjet de Pequena Escala (Small Scale Prject) a rientaçã encntra-se n na decisã 14/CP.10, n dcument FCCC/CP/2004/10/Add.2. Até mment ainda nã fi elabrad PDD específic para esse tip de atividade de prjet. Manual de Prcediment 05

6 2 DCP (Dcument de Cncepçã d Prjet em prtuguês) Resluçã n 1 Art. 3 I - O dcument de cncepçã d prjet na frma determinada pel Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp, estabelecid n âmbit da Cnvençã-Quadr das Nações Unidas sbre Mudança d Clima e, para fins de aprvaçã da atividade de prjet pela Cmissã, na frma d Anex II. Adicinalmente, cm element infrmativ à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, deve cnstar n dcument de cncepçã d prjet uma descriçã da cntribuiçã da atividade de prjet para desenvlviment sustentável de acrd cm Anex III à esta resluçã e em cnfrmidade cm Artig 12.2 d Prtcl de Quit à Cnvençã-Quadr das Nações Unidas sbre Mudança d Clima Resluçã n 2 Art. 1 O dcument de cncepçã d prjet, na frma determinada pel Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp, cntid n Anex II da Resluçã nº1 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, passa a vigrar na frma d Anex I desta resluçã (versã nº 02 d dcument de cncepçã de prjet d Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp) Resluçã n 2 Art. 5º - Cm vistas a bter a aprvaçã das atividades de prjets de flrestament e reflrestament, dcument de cncepçã d prjet na frma determinada pel Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp, de que trata artig 3º, incis I, da resluçã nº 1 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, passa a vigrar na frma d Anex IV desta resluçã (versã nº 01 d dcument de cncepçã de prjet d Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp para as atividades de prjet de flrestament e reflrestament), permanecend válidas as demais exigências d artig 3º da resluçã nº 1 desta Cmissã para essas atividades. O dcument a ser apresentad é a traduçã para prtuguês d dcument que será encaminhad a Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp pr casiã da slicitaçã de registr d prjet, referid n item anterir. N Brasil dcument que tem validade legal é a versã em prtuguês e, prtant, essa é a versã a ser analisada pela Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima. Send assim, pede-se especial atençã para que a traduçã seja fiel à versã em inglês e que seja utilizada a nmenclatura ficial para as instituições e para s terms criads n âmbit d prtcl de Quit e devidamente internalizads para prtuguês ns dcuments dispnibilizads na hmepage d MCT: A seguir as traduções para prtuguês ds frmuláris listads n item anterir: 06 Manual de Prcediment

7 Prjet de reduçã de emissões (nrmal): O frmulári para elabraçã desse dcument encntra-se n apêndice B da Decisã 17/CP.7 cntida n dcument FCCC/CP/2001/13/Add.2. Observar a publicaçã de atualizações d PDD na hmepage d Cnselh Executiv d MDL. Atualmente está dispnível a versã 02 de 1/7/2004. Também encntra-se na hmepage da UNFCCC guia de preenchiment d frmulári d PDD ( Guidelines fr cmpleting CDM-PDD), ambs listads a seguir: PDD: Guia: pdf Prjet de reduçã de emissões (pequena escala): Está send traduzid e ainda nã fi publicad. Prjet de flrestament e reflrestament (nrmal): A versã para prtuguês encntra-se n Anex II da Resluçã n 2 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima e pde ser btid na hmepage d Ministéri da Ciência e Tecnlgia: Prjet de reduçã de flrestament e reflrestament (pequena escala): As mdalidades e prcediments simplificads para atividades de prjets de pequena escala de flrestament e reflrestament n âmbit d Mecanism de Desenvlviment Limp d Prtcl de Quit e medidas para facilitar a sua implementaçã passam a vigrar na frma d Anex III da Resluçã n 2 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima. Até mment ainda nã fi elabrad PDD específic para esse tip de atividade de prjet e, cnsequentemente nã fi traduzid. As atualizações ds frmuláris acima referids, assim cm s guias de preenchiment e s frmuláris específics serã traduzidas e cnstarã d endereç eletrônic Manual de Prcediment 07

8 3 Anex III Resluçã n 1 Art. 3 I - O dcument de cncepçã d prjet na frma determinada pel Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp, estabelecid n âmbit da Cnvençã-Quadr das Nações Unidas sbre Mudança d Clima e, para fins de aprvaçã da atividade de prjet pela Cmissã, na frma d Anex II. Adicinalmente, cm element infrmativ à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, deve cnstar n dcument de cncepçã d prjet uma descriçã da cntribuiçã da atividade de prjet para desenvlviment sustentável de acrd cm Anex III à esta resluçã e em cnfrmidade cm Artig 12.2 d Prtcl de Quit à Cnvençã-Quadr das Nações Unidas sbre Mudança d Clima. As rientações para preenchiment d Anex III da Resluçã n 1 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima estã na última página d text da Resluçã: ( A análise deve enfatizadas as cntribuições da atividade de prjet para cada um ds cinc aspects listads n Anex III. É imprtante fcar nas cntribuições que pdem ser de fat atribuídas à implantaçã da atividade de prjet adicinalmente a utras atividades das empresas prpnentes d prjet. A cntribuiçã da atividade de prjet para desenvlviment sustentável será analisada a partir d Anex III e nã serã cnsideradas as infrmações cntidas em utrs dcuments (DCP u Relatóri de Validaçã). Buscar desenvlver s itens de frma clara e bjetiva. 4 Cartas Cnvite Resluçã n 1 Art. 3 II - As cópias ds cnvites de cmentáris enviad pels prpnentes d prjet as seguintes agentes envlvids e afetads pelas atividades de prjet de acrd cm alínea b d parágraf 37 d Anex I referid n Art. 1º, identificand s destinatáris: - Prefeitura; - Câmara ds vereadres; - Órgã Ambientais Estadual; - Órgã Ambiental Municipal; - Fórum Brasileir de ONG s e Mviments Sciais para Mei Ambiente e Desenvlviment; (veja endereç para crrespndência) - Assciações cmunitárias; - Ministéri Públic. 08 Manual de Prcediment

9 A carta cnvite, deve ser endereçada a cada um ds agentes acima listads. A carta deve ser enviada pr crrei (nã será aceit utr tip de mei de cmunicaçã cm esses atres), e na cópia enviada à Cmissã deverá cnstar cmprvante de recepçã pel destinatári. Se eventualmente nã huver algum ds atres (órgã ambiental municipal u assciações cmunitárias), deve ser anexada uma carta justificand essa ausência. Devem cnstar, na carta cnvite, nme d prjet, lcalizaçã e seu bjetiv principal. Deve cnstar também tda a infrmaçã necessária para que s agentes tenham acess as relatóris técnics, sciais e ambientais d prjet assim cm tda a infrmaçã relevante para que s agentes pssam se prnunciar em relaçã a prjet. Deve cnstar de frma clara para qual ds atres acima está send endereçada a carta cnvite. Quand huver, anexar s cmentáris recebids das partes. 5 Validatin Reprt Resluçã n 1 Art. 3 III -O relatóri de Entidade Operacinal Designada, autrizada a perar n país cnfrme art. 4º, de validaçã da atividade de prjet na frma a ser submetida a Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp n âmbit da Cnvençã-Quadr das Nações Unidas sbre Mudança d Clima e em prtuguês. É relatóri de validaçã elabrad pela Entidade Operacinal Designada que será apresentad a Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp pr casiã da slicitaçã de registr d prjet. O dcument deve ser apresentad na versã riginal em inglês, deve fazer referência a PDD apresentad a esta Secretaria (n item 1) e dele nã deve cnstar nenhuma ressalva à validaçã da atividade de prjet. Deve ser apresentad também frmulári F-CDM-REG n frmat estabelecid pel Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp, que cnsta da sua hmepage ( e que será encaminhad a Cnselh Executiv para registr da atividade de prjet. Devem cnstar de frma clara e inequívca a versã d PDD que está send analisada e a referênciaà metdlgia utilizada que deve estar aprvada e publicada pel Cnselh Executiv d MDL. 6 Relatóri de Validaçã O dcument a ser apresentad é a traduçã para prtuguês d relatóri de validaçã elabrad pela Entidade Operacinal Designada e frmulári F-CDM-REG que serã encaminhads a Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp pr casiã da slicitaçã de registr d prjet, referids n item anterir. N Brasil dcument que tem validade legal é a versã em prtuguês e, prtant, essa é a versã a ser analisada pela Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima. Send assim, pede-se especial atençã Manual de Prcediment 09

10 para que a traduçã seja fiel à versã em inglês e que seja utilizada a nmenclatura ficial para as instituições e para s terms criads n âmbit d prtcl de Quit e devidamente internalizads para prtuguês ns dcuments dispnibilizads na hmepage d MCT: 7 Declaraçã ds Participantes d Prjet Resluçã n 1 Art. 3 IV - uma declaraçã assinada pr tds s participantes d prjet estipuland respnsável e md de cmunicaçã cm a secretaria executiva da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima e term de cmprmiss d envi de dcument de distribuiçã das unidades de reduçã certificada de emissões que vierem a ser emitidas a cada verificaçã das atividades d prjet para certificaçã; A declaraçã e term de cmprmiss de cada uma das empresas participantes d prjet, em papel timbrad, devem ser endereçads à secretaria executiva da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima cnfrme s mdels a seguir: 10 Manual de Prcediment

11 DECLARAÇÃO (O participante d prjet), em atendiment a Artig 3 IV da Resluçã n 1 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, vem declarar que: 1) O respnsável pela cmunicaçã cm a secretaria executiva da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima d prjet (nme d prjet e lcalizaçã), é ( nme da Empresa), representada pr (Nme, nacinalidade, estad civil, prfissã, endereç, crrei eletrônic) 2) O canal de cmunicaçã cm a secretaria executiva da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima será: (Nme; Endereç; Telefnes; Fax; Crrei Eletrônic...) Data Assinatura ds Respnsáveis pel Prjet TERMO DE COMPROMISSO (O participante d prjet) em atendiment a Artig 3 IV da Resluçã n 1 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, reafirma seu cmprmiss em enviar à Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima s dcuments de distribuiçã das unidades de reduçã certificada de emissões que vierem a ser emitidas a cada verificaçã d prjet (Nme d prjet) para certificaçã. Data Assinatura ds Respnsáveis pel Prjet Para cada participante da atividade de prjet esclarecer quem sã s seus representantes legais e encaminhar dcuments que cmprvem a legitimidade ds ats de tais representantes para assinatura de dcuments. Manual de Prcediment 11

12 8 Cnfrmidade cm a Legislaçã Ambiental e Trabalhista Resluçã n 1 Art. 3 V - s dcuments que assegurem a cnfrmidade da atividade de prjet cm a legislaçã ambiental e trabalhista em vigr, quand fr cas. A declaraçã da empresa respnsável pel prjet, em papel timbrad, deve ser endereçada à secretaria executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima e seguir seguinte mdel: DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO AMBIENTAL (A Empresa Respnsável pel Prjet), em atendiment a Artig 3 V da Resluçã n 1da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, vem declarar que: 1) Tem cnheciment da legislaçã ambiental em vigr pertinente a prjet (nme d prjet e lcalizaçã) nas suas diversas fases de (estud, implantaçã, peraçã, desativaçã). 2) Encntram-se anexadas a esta declaraçã as cópias das licenças ambientais e dcuments que atestam a cnfrmidade cm a legislaçã ambiental até presente mment. Data Assinatura ds Respnsáveis pel Prjet DECLARAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO TRABALHISTA (A Empresa Respnsável pel Prjet), em atendiment a Artig 3 V da Resluçã n 1 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, vem declarar que: 1) Tem cnheciment da legislaçã trabalhista pertinente a prjet (nme d prjet e lcalizaçã) e que está em cnfrmidade cm a legislaçã trabalhista em vigr. Data Assinatura ds Respnsáveis pel Prjet 12 Manual de Prcediment

13 9 Situaçã da EOD Resluçã n 1 Art.4º A validaçã e a verificaçã/certificaçã ds prjets n âmbit d Mecanism de Desenvlviment Limp deverá ser feita pr Entidade Operacinal Designada que: I seja credenciada junt a Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp n âmbit da Cnvençã-Quadr das Nações Unidas sbre Mudança d Clima, II esteja plenamente estabelecida em territóri nacinal e tenha capacidade de assegurar cumpriment ds requeriments pertinentes da legislaçã brasileira. A declaraçã da Entidade Operacinal Designada, em papel timbrad, deve ser endereçada à secretaria executiva Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima e seguir seguinte mdel: DECLARAÇÃO DA ENTIDADE OPERACIONAL DESIGNADA (A Entidade Operacinal Designada), em atendiment a Artig 4 da Resluçã n 1 da Cmissã Interministerial de Mudança Glbal d Clima, vem declarar que: 1) Fi credenciada junt a Cnselh Executiv d Mecanism de Desenvlviment Limp em (data) e que está em vigr na presente data. 2) É plenamente estabelecida n Brasil, desde (data), n endereç (endereç telefne). 3) Tem capacidade de assegurar cumpriment ds requeriments pertinentes da Legislaçã Brasileira. Data Assinatura ds Respnsáveis pela Entidade Operacinal Designada 10 Dcuments Cmplementares Incluir s dcuments cmplementares que fundamentam as cntribuições d prjet a desenvlviment sustentável, relatadas n Anex III. Qualquer utr dcument que s respnsáveis pel prjet desejarem incluir para um melhr entendiment ds itens anterires deve ser incluíd cm dcument cmplementar. Manual de Prcediment 13

14 CHECK LIST A tabela abaix é um resum ds dcuments que devem ser apresentads e serve cm um check list. Os númers entre parênteses na primeira cluna estã relacinads cm s númers utilizads neste Manual para detalhar cada dcument. A última cluna faz referência a artig da Resluçã n 1 relacinad a dcument em questã. As últimas linhas, referentes as dcuments cmplementares, devem ser preenchidas cm s nmes ds dcuments cmplementares, cada um em uma linha. Dcuments Versã Impressa Versã Eletrônica Art. (Resl.) Carta de Encaminhament d Prjet (1) Dcument de Cncepçã d Prjet riginal em inglês PDD 3.I (1) (2) Dcument de Cncepçã d Prjet (DCP) Anex II 3.I (1) (3) Anex III 3.I (4) Cnvites de cmentáris.prefeitura.câmara de Vereadres.Órgã Ambiental Estadual.Órgã Ambiental Municipal.Fórum Brasileir de ONGs e Mviments Sciais para Mei Ambiente e Desenvlviment.Assciações Cmunitárias.Ministéri Públic (5) Validatin Reprt da DOE (Inglês) 3.III.F-CDM-REG (6) Relatóri de Validaçã da EOD (Prtuguês) 3.III.F-MDL-REG (7) Declaraçã ds participantes.respnsabilidade.md de cmunicaçã.term de cmprmiss 3.IV (8) Cnfrmidade da AP cm a legislaçã trabalhista e ambiental.legislaçã trabalhista 3.V.Legislaçã Ambiental 3.V (9) Situaçã da EOD.Credenciada junt a EB/CDM 4.I.Plenamente estabelecida n Brasil 4.I.Capaz de cumprir s requeriments da legislaçã 4.I (10) Dcuments Cmplementares 3.II 3.II 3.II 3.II 3.II 3.II 3.II 3.III 3.III 3.IV 3.IV 14 Manual de Prcediment

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇÃO DE CONTRATO INICIAL E DE ENERGIA ASSEGURADA PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DE REDES E CRONOGRAMAS SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 1 / 5 SUMÁRIO 1 OBJETIVO...2 2 ELABORAÇÃO...2 2.1 PLANEJAMENTO...2 2.1.1 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DO CRONOGRAMA DE BARRAS TIPO GANTT:...2 2.1.2 CRITÉRIOS PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO

Leia mais

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento para realização do Trabalho de Conclusão de Curso Universidade Federal d Ceará Campus de Sbral Curs de Engenharia da Cmputaçã Regulament para realizaçã d Trabalh de Cnclusã de Curs Intrduçã Este dcument estabelece as regras básicas para funcinament das

Leia mais

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores;

OBJECTIVO. Ligação segura às redes públicas de telecomunicações, sob o ponto de vista dos clientes e dos operadores; Prcediments de Avaliaçã das ITED ANACOM, 1ª ediçã Julh 2004 OBJECTIVO De acrd cm dispst n nº 1, d artº 22º, d Decret Lei nº 59/2000, de 19 de Abril (adiante designad cm DL59), a cnfrmidade da instalaçã

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia).

IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR (fotocópia). DOCUMENTAÇÃO PARA O PROUNI Cmprvaçã de dcuments Ensin Médi; Ficha de Inscriçã, Identificaçã d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de Endereç d Candidat e d Grup Familiar; Cmprvaçã de renda d Candidat

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social

Anexo 03 Recomendação nº 3: estatuto padrão, estatuto fundamental e contrato social Anex 03 Recmendaçã nº 3: estatut padrã, estatut fundamental e cntrat scial 1. Resum 01 Atualmente, Estatut da Crpraçã da Internet para a atribuiçã de nmes e númers (ICANN) tem um mecanism únic para alterações.

Leia mais

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 1 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PdC CZ.01 PM 3.5 Versã 1 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid índice. Alterada

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Escrituração Contábil Digital ECD Parecer Cnsultria Tributária Segments Escrituraçã Cntábil Digital ECD 23/12/2013 Parecer Cnsultria Tributária Segments Títul d dcument Sumári Sumári... 2 1. Questã... 3 2. Nrmas Apresentadas Pel Cliente...

Leia mais

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO

REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO REP REGISTO DOS PROFISSIONAIS DO EXERCICIO Um prject eurpeu em clabraçã cm a EHFA Eurpean Health and Fitness Assciatin, cm sede em Bruxelas Regist ds Prfissinais Intrduçã Estams numa fase em que a Tutela

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO

Resumo Executivo - Funcionalidades 1 INTRODUÇÃO 1 INTRODUÇÃO A crescente cmplexidade ds prjets, a quantidade de infrmaçã que lhes está assciada e aument d númer de intervenientes n prcess cnstrutiv, transfrmaram a indústria da cnstruçã numa indústria

Leia mais

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU

Consulta Serviços de conceção e desenvolvimento criativo, produção e montagem do Fórum PORTUGAL SOU EU Cnsulta Serviçs de cnceçã e desenvlviment criativ, prduçã e mntagem d Fórum PORTUGAL SOU EU Julh 2014 Cnteúd 1. Intrduçã... 2 2. Enquadrament... 2 3. Públic-Alv... 2 4. Objetivs da Cnsulta... 3 5. Cndições

Leia mais

METAS DE COMPREENSÃO:

METAS DE COMPREENSÃO: 1. TÓPICO GERADOR: Vivend n sécul XXI e pensand n futur. 2. METAS DE COMPREENSÃO: Essa atividade deverá ter cm meta que s aluns cmpreendam: cm se cnstrói saber científic; cm as áreas d saber estã inter-relacinadas

Leia mais

Introdução: marco normativo internacional e nacional

Introdução: marco normativo internacional e nacional Cidade d Panamá, 21 de abril de 2014 A Assciaçã para a Prevençã da Trtura vem pr mei desta, em respsta a fíci n. 122/2014/CAO-DH enviad pel Centr de Api Operacinal das Prmtrias de Justiça de Defesa ds

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

Manual para Submissão de Atividades de Projeto no Âmbito do MDL

Manual para Submissão de Atividades de Projeto no Âmbito do MDL Manual para Submissão de Atividades de Projeto no Âmbito do MDL à Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima, visando à obtenção da Carta de Aprovação do Governo Brasileiro Ministério da Ciência

Leia mais

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos

Guia Prático do Estágio. Seu Estágio em 5 Passos Guia Prátic d Estági Seu Estági em 5 Passs O que é Estági? A atividade de estági é um fatr significativ na frmaçã d prfissinal, pr prprcinar a interaçã d alun cm a realidade da prfissã e a cmplementaçã

Leia mais

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital

Banco Industrial do Brasil S.A. Gerenciamento de Capital Banc Industrial d Brasil S.A. Gerenciament de Capital 2014 1 Sumári 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE CAPITAL... 4 4. PLANO DE CAPITAL... 5 5. RESPONSABILIDADES... 6

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO II PROJETO BÁSICO: JORNADA AGIR 1. Históric da Jrnada AGIR Ns ambientes crprativs atuais, a adçã de um mdel de gestã integrada é uma decisã estratégica n api às tmadas

Leia mais

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais:

O Certificado é um dos documentos exigidos para solicitar as seguintes isenções de contribuições sociais: PROCEDIMENTOS PARA CERTIFICAÇÃO E/OU RENOVAÇÃO DO CEBAS CNAS CERTIFICAÇÃO/RENOVAÇÃO O Certificad é um ds dcuments exigids para slicitar as seguintes isenções de cntribuições sciais: Parte patrnal da cntribuiçã

Leia mais

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014

PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 QUALIDADE RS PGQP PROGRAMA GAÚCHO DA QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP 2014 GUIA PARA CANDIDATURA SUMÁRIO 1. O PRÊMIO INOVAÇÃO PGQP... 3 1.1 Benefícis... 3 2. PREMIAÇÃO... 3 2.1 Diretrizes

Leia mais

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal.

Promover a obtenção de AIM (Autorização de Introdução no Mercado) no estrangeiro de medicamentos criados e desenvolvidos em Portugal. SIUPI SISTEMA DE INCENTIVOS À UTILIZAÇÃO DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL FICHA DE MEDIDA Apia prjects que visem estimular investiment em factres dinâmics de cmpetitividade, assciads à invaçã tecnlógica, a design

Leia mais

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2

EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 EIXO 3 CONECTIVIDADE E ARTICULAÇÃO TERRITORIAL REGULAMENTO ESPECÍFICO: EQUIPAMENTOS PARA A COESÃO LOCAL AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO N.º 2 Ns terms d regulament específic Equipaments para a Cesã Lcal,

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL DEPARTAMENTO DO RIO DE JANEIRO 52ª PREMIAÇÃO ANUAL IAB RJ EDITAL 2014 INTRODUÇÃO O Institut de Arquitets d Brasil - IAB-RJ cnvca arquitets e urbanistas a participarem da 52ª Premiaçã Anual ds Arquitets que, em 2014, agrega às categrias

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Inserid

Leia mais

Diretoria de Regulação de Emissores (DRE)

Diretoria de Regulação de Emissores (DRE) Diretria de Regulaçã de Emissres (DRE) Principais alterações a Regulament e Manual d Emissr 14/03/2016 x Cnfidencial Us Us Intern Públic 1 Regulament e Manual: principais alterações Divulgaçã: até 31/març.

Leia mais

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s)

Proposta. Projeto: VENSSO. Data 25/05/2005. Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes. Responsável. Autor (s) Prpsta Prjet: Data 25/05/2005 Respnsável Autr (s) Dc ID Andrade Lima Damires Fernandes Andrade Lima Damires Fernandes Lcalizaçã Versã d Template

Leia mais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais

Novas Salvaguardas Ambientais e Sociais Nvas Salvaguardas Ambientais e Sciais Discussões Técnicas de Gvern ESS1 Avaliaçã e Gerenciament de Riscs e Impacts Sciais e Ambientais 15 de utubr, 2014 Objetivs da ESS1 Identificar, avaliar e gerir s

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO

DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO DISSERTAÇÃO NOS MESTRADOS INTEGRADOS NORMAS PARA O SEU FUNCIONAMENTO 1. PREÂMBULO... 1 2. NATUREZA E OBJECTIVOS... 1 3. MODO DE FUNCIONAMENTO... 2 3.1 REGIME DE ECLUSIVIDADE... 2 3.2 OCORRÊNCIAS... 2 3.3

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2014

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA EDITAL Nº 01/2014 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMPUTAÇÃO APLICADA PARA O CURSO DE MESTRADO PROFISSIONAL PARA O SEGUNDO PERÍODO LETIVO DE 2014. 1. PREÂMBULO 1.1. O Crdenadr d Prgrama de

Leia mais

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito*

Capítulo VII Projetos de eficiência energética em iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* 20 Api O Setr Elétric / Julh de 2009 Desenvlviment da Iluminaçã Pública n Brasil Capítul VII Prjets de eficiência energética em iluminaçã pública Pr Lucian Haas Rsit* Neste capítul abrdarems s prjets de

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

APRESENTAÇÃO. João Pessoa, 22 de outubro de 2007. RICARDO VIEIRA COUTINHO Prefeito

APRESENTAÇÃO. João Pessoa, 22 de outubro de 2007. RICARDO VIEIRA COUTINHO Prefeito APRESENTAÇÃO Este manual tem bjetiv de servir cm base de infrmaçã e rientaçã as órgãs setriais de pessal da Administraçã Direta, assim cm as servidres, nde irã encntrar n Manual d Servidr(a) Apsentável

Leia mais

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco

Orientações e Recomendações Orientações relativas à informação periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de notação de risco Orientações e Recmendações Orientações relativas à infrmaçã periódica a apresentar à ESMA pelas Agências de ntaçã de risc 23/06/15 ESMA/2015/609 Índice 1 Âmbit de aplicaçã... 3 2 Definições... 3 3 Objetiv

Leia mais

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões:

Pessoal, vislumbro recursos na prova de conhecimentos específicos de Gestão Social para as seguintes questões: Pessal, vislumbr recurss na prva de cnheciments específics de Gestã Scial para as seguintes questões: Questã 01 Questã 11 Questã 45 Questã 51 Questã 56 Vejams as questões e arguments: LEGISLAÇÃO - GESTÃO

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

Instruções para as apresentações científicas

Instruções para as apresentações científicas Instruções para as apresentações científicas As apresentações pderã ser realizadas na frma de PÔSTER u ORAL, dentr das especialidades dntlógicas: Ciências Básicas, Estmatlgia/Radilgia/Patlgia, Cirurgia,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO Prezad(a) Alun(a) A mbilidade acadêmica internacinal é uma prtunidade valisa para seu cresciment individual, acadêmic e prfissinal. Nã permita que a falta de

Leia mais

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013.

Versões Todos os módulos devem ser atualizados para as versões a partir de 03 de outubro de 2013. Serviç de Acess as Móduls d Sistema HK (SAR e SCF) Desenvlvems uma nva ferramenta cm bjetiv de direcinar acess ds usuáris apenas as Móduls que devem ser de direit, levand em cnsideraçã departament de cada

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

FESTIVAL DA CANÇÃO FRANCESA 2014 O MELHOR DA MÚSICA FRANCESA (INCLUINDO O REPERTORIO FRANCÓFONO)

FESTIVAL DA CANÇÃO FRANCESA 2014 O MELHOR DA MÚSICA FRANCESA (INCLUINDO O REPERTORIO FRANCÓFONO) FESTIVAL DA CANÇÃO FRANCESA 2014 O MELHOR DA MÚSICA FRANCESA (INCLUINDO O REPERTORIO FRANCÓFONO) CALENDÁRIO DO FESTIVAL DA CANÇÃO FRANCESA DA ALIANÇA FRANCESA 2014 13 de julh de 2014 Lançament e publicaçã

Leia mais

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017

Florianópolis, 25 de janeiro de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 Flrianóplis, 25 de janeir de 2016 EDITAL PARA CANDIDATURA À SEDE DO 6º ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDANTES DE ENGENHARIA CIVIL 2017 1) Cnsiderações Gerais: A Federaçã Nacinal ds Estudantes de Engenharia Civil

Leia mais

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização

CIRCULAR. Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007. Gestão do Currículo na Educação Pré-Escolar. Contributos para a sua Operacionalização CIRCULAR Data: 2007/10/10 Númer d Prcess: DSDC/DEPEB/2007 Assunt: GESTÃO DO CURRÍCULO NA EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR Circular nº 17/DSDC/DEPEB/2007 Para: Inspecçã-Geral de Educaçã Direcções Reginais de Educaçã

Leia mais

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre:

Apresentamos abaixo, os procedimentos que deverão ser seguidos por todos os (as) Professores (as) durante este semestre: Circular / (CA) nº 18 / 2015 Unaí-(MG), 03 de agst de 2015. ASSUNTO: Faculdade CNEC Unaí Prcediments necessáris para iníci d 2º Semestre de 2015. Prezads (as) Prfessres (as), Apresentams abaix, s prcediments

Leia mais

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ

SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ SOLICITAÇÃO DE COTAÇÃO - RFQ Ref.: 0084/24 (Favr referir-se a este númer em tdas as crrespndências) Esta empresa está cnvidada a apresentar prpsta à UNESCO de Elabraçã de Prgrama Editrial para Institut

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT

REGULAMENTO GERAL DOS ESTÁGIOS FAFIT O significad das cisas nã está nas cisas em si, mas sim em nssa atitude em relaçã a elas. (Antine de Saint-Exupéry, 1943) CURSOS bacharelads: Administraçã Geral Ciências Cntábeis Direit Educaçã Física

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Guia d Prcess de Sftware d MAPA Metdlgia de Desenvlviment de Sistemas Versã 1.0 Dcument cnfidencial e prprietári Versã d mdel: 1.1 Históric das Revisões Data Versã Descriçã Autr 24/03/2008 1.0 Iníci da

Leia mais

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000

ISO 9001:2008 alterações à versão de 2000 ISO 9001:2008 alterações à versã de 2000 Já passaram quase it ans desde que a versã da ISO 9001 d an 2000 fi publicada, que cnduziu à necessidade de uma grande mudança para muitas rganizações, incluind

Leia mais

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS

DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS DIRETRIZES E CRITÉRIOS PARA APLICAÇÃO DOS RECURSOS Prjets n Bima Amazônia A Critéris Orientadres B C D E F Cndicinantes Mínims para Prjets Mdalidades de Aplicaçã ds Recurss Restriçã de Us ds Recurss Critéris

Leia mais

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA

RELATOR: Senador EUNÍCIO OLIVEIRA De Plenári, err1 substituiçã à COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, sbre Prjet de Lei da Câmara 209, de 2015, de autria d Deputad Aeltn Freitas, que altera a Lei n 8.906, de 4 de julh de 1994

Leia mais

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014

Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 Edital de Chamada Pública nº 01/2012 SEBRAE 2014 A Diretria d SEBRAE/RS trna públic presente edital e cnvida Artesãs representads pr Assciações e/u Cperativas de Artesanat d Ri Grande d Sul a inscreverem-se

Leia mais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais

Alteração à Linha de Crédito para apoio às Empresas de Produção, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Pecuários e Florestais Inf - Estruturas Infrmaçã Mensal d Sectr Linha de Crédit PME 2009 Alteraçã à Linha de Crédit para api às Empresas de Prduçã, Transfrmaçã e Cmercializaçã de Prduts Agríclas, Pecuáris e Flrestais A Linha

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008

PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 PROJECTO EDUCATIVO ANO LECTIVO 2007-2008 INTRODUÇÃO Prject educativ dcument que cnsagra a rientaçã educativa da escla, elabrad e aprvad pels órgãs de administraçã e gestã, n qual se explicitam s princípis,

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO. Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2016 Sua hra chegu. Faça a sua jgada. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 Salvadr, nvembr de 2015. REGULAMENTO Prêmi de Empreendedrism James McGuire 2016 é uma cmpetiçã interna da Laureate

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL REGULAMENTO DE ESTÁGIO DE INICIAÇÃO PROFISSIONAL Intrduçã O presente Regulament cnstitui um dcument intern d curs de Ciências Cntábeis e tem pr bjetiv reger as atividades relativas a Estági de Iniciaçã

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSESSORIA CONTÁBIL Cntratante: O CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL - 12º REGIÃO, pessa jurídica de direit públic cnstituída sb a frma de autarquia fiscalizadra,

Leia mais

GESTÃO DE LABORATÓRIOS

GESTÃO DE LABORATÓRIOS Seminári Luanda, 26,27,28,29 e 30 de Mai de 2014 - Htel **** Guia Prática GESTÃO DE LABORATÓRIOS Finanças Assegure uma gestã eficaz de tdas as áreas 40 hras de Frmaçã Especializada Cnceits ecnómic-financeirs

Leia mais

As cópias dos contratos, assim como outros documentos do projeto, a seguir relacionados serão fornecidos após celebração do contrato dos serviços:

As cópias dos contratos, assim como outros documentos do projeto, a seguir relacionados serão fornecidos após celebração do contrato dos serviços: Term de Referência para cntrataçã de Auditres Externs A Rede Nrte-Sul http://www.nrd-sued-netz.de é um departament da DGB Bildungswerk BUND, instituiçã educacinal pertencente à Cnfederaçã ds Sindicats

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 00 Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 01 TERMOS DE USO DO ECOSELO EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DESTE DOCUMENTO: Irineu Antni Brrasca Presidente d CETEC

Leia mais

RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA AQUISIÇÃO DE IMAGENS RADIOLÓGICAS PARA CRIAÇÃO DE RÉPLICAS FETAIS ATRAVÉS DE IMPRESSÃO 3D

RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA AQUISIÇÃO DE IMAGENS RADIOLÓGICAS PARA CRIAÇÃO DE RÉPLICAS FETAIS ATRAVÉS DE IMPRESSÃO 3D RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA AQUISIÇÃO DE IMAGENS RADIOLÓGICAS PARA CRIAÇÃO DE RÉPLICAS FETAIS ATRAVÉS DE IMPRESSÃO 3D ULTRASSONOGRAFIA OBSTÉTRICA RESSONÂNCIA MAGNÉTICA FETAL ANEXO 1 TUTORIAL PARA EXPORTAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1

REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 REGULAMENTO DA CAMPANHA DO DIA MUNDIAL DE COMBATE A PÓLIO 2015 1 DISPOSIÇÕES GERAIS A campanha d Dia Mundial de Cmbate à Plimielite (também cnhecida cm paralisia infantil), celebrad n dia 24 de utubr,

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações SAZONALIZAÇAO DE CONTRATO DE LEILÃO DE VENDA EDITAL DE LEILÃO Nº 001 / 2002 - MAE PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment

Leia mais

DÚVIDAS SOBRE OS BENEFÍCIOS ATRIBUÍDOS AOS ANTIGOS COMBATENTES?

DÚVIDAS SOBRE OS BENEFÍCIOS ATRIBUÍDOS AOS ANTIGOS COMBATENTES? DÚVIDAS SOBRE OS BENEFÍCIOS ATRIBUÍDOS AOS ANTIGOS COMBATENTES? ÂMBITO PESSOAL O regime jurídic d serviç militar prestad em cndições especiais de dificuldade u perig, aprvad pela Lei n.º 9/2002, de 11

Leia mais

Formação nzeb nos países do Sul da UE Mantendo as tradições de construção

Formação nzeb nos países do Sul da UE Mantendo as tradições de construção Frmaçã nzeb ns países d Sul da UE Mantend as tradições de cnstruçã SuthZEB WP4 Desenvlviment d prtal SuthZEB D4.1: Prtal SuthZEB visã geral d desenvlviment d prtal e suas seções, integraçã e aceitaçã d

Leia mais

Projetos, Programas e Portfólios

Projetos, Programas e Portfólios Prjets, Prgramas e Prtfólis pr Juliana Klb em julianaklb.cm Prjet Segund PMBOK (2008): um prjet é um esfrç temprári empreendid para criar um nv prdut, serviç u resultad exclusiv. Esta definiçã, apesar

Leia mais

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000

GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisão: 000 GUIA DE RELACIONAMENTO MT-COR: 001 Revisã: 000 A Mercur S.A., empresa estabelecida desde 1924, se precupa em cnduzir as suas relações de acrd cm padrões étics e cmerciais, através d cumpriment da legislaçã

Leia mais

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas

10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensão Universitária e Políticas Públicas SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO 10ª JORNADA DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Extensã Universitária e Plíticas Públicas Períd 05 a 07 de dezembr de 2007 A 10ª Jrnada

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO

TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TREINAMENTO Term de Referência Anex I - Especificaçã técnica Cntrataçã de Empresa para prestaçã de Serviçs de Treinament na suíte Libreffice TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUITE LIBREOFFICE: CONTRATAÇÃO

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO - OCORRÊNCIA PC

MANUAL DO USUÁRIO - OCORRÊNCIA PC SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Referencia: Help_Online_crrencia_PC.dc Versã: 01.00 Data: 19-10-2007 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument

Leia mais

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas

Processo/Instruções de Pagamento para Aplicação no Programa de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Prcess/Instruções de Pagament para Aplicaçã n Prgrama de Sustentabilidade de Pequenas Empresas Requisits de Elegibilidade 1. A empresa deve estar lcalizada em znas de cnstruçã activa na Alum Rck Avenue

Leia mais

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários.

Este documento tem como objetivo definir as políticas referentes à relação entre a Sioux e seus funcionários. OBJETIVO Este dcument tem cm bjetiv definir as plíticas referentes à relaçã entre a Siux e seus funcináris. A Siux se reserva direit de alterar suas plíticas em funçã ds nvs cenáris da empresa sem avis

Leia mais

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Pedido de Providências 0.970,

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Pedido de Providências 0.970, 1 Pedid de Prvidências n" 970 Requerente: Escla Nacinal da Magistratura e Assciaçã ds Magistrads d Brasil. Assunt:Resluçã n 11/2006 CNJ - Atividade jurídica - Curss de Pósgraduaçã - Ediçã de nrma de transiçã.

Leia mais

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016

PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 PROGRAMA DE AÇÃO PARA O ANO 2016 Tend presente a Missã da Federaçã Prtuguesa de Autism: Defesa incndicinal ds direits das pessas cm Perturbações d Espectr d Autism e suas famílias u representantes. Representaçã

Leia mais

Apresentação do Curso

Apresentação do Curso At endi m ent acl i ent e Apr es ent aç ãdc ur s Apresentaçã d Curs O curs Atendiment a Cliente fi elabrad cm bjetiv de criar cndições para que vcê desenvlva cmpetências para: Identificar s aspects que

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP

REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP REGRAS PARA USO DE RECURSOS PROAP/CAP I - AJUDA DE CUSTO A ALUNOS DE DOUTORADO DA CAP, PARA PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS CIENTÍFICOS INTERNACIONAIS FORA DO PAÍS Eligibilidade Aluns de dutrad da CAP que preencham,

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão FMUSP - HC. Faculdade de Medicina da USP Diretoria Executiva da FMUSP e Diretoria Executiva dos LIMs

Procedimento Operacional Padrão FMUSP - HC. Faculdade de Medicina da USP Diretoria Executiva da FMUSP e Diretoria Executiva dos LIMs 1. OBJETIVOS: fixar nrma para realizaçã ds prcediments de cleta interna de carcaças de animais de experimentaçã n Sistema FMUSP-HC, bservand-se as devidas cndições de higiene e segurança. 2. ABRANGÊNCIA:

Leia mais

WORKSHOP ANCORD AUTORREGULAÇÃO ABERTURA

WORKSHOP ANCORD AUTORREGULAÇÃO ABERTURA Organizaçã: Parceria: I WORKSHOP ANCORD AUTORREGULAÇÃO ABERTURA EXAMES DE CERTIFICAÇÃO DE AGENTES AUTÔNOMOS DE INVESTIMENTO A ANCORD já certificu mais de 14.000 Agentes Autônms de Investiment. Obs.: A

Leia mais

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas

Unidade 7: Sínteses de evidências para políticas Unidade 7: Sínteses de evidências para plíticas Objetiv da Unidade Desenvlver um entendiment cmum d que é uma síntese de evidências para plíticas, que inclui e cm pde ser usada 3 O que é uma síntese de

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463

Modelo de Negócios. TRABALHO REALIZADO POR: Antonio Gome- 2007009 // Jorge Teixeira - 2008463 Mdel de Negócis Trabalh n âmbit da disciplina de Mdelaçã de dads. Criaçã de uma platafrma utilizand as tecnlgias SQL PHP e Javascript.. TRABALHO REALIZADO POR: Antni Gme- 2007009 // Jrge Teixeira - 2008463

Leia mais

Admissões para Creche e Pré-escolar 2016 / 2017

Admissões para Creche e Pré-escolar 2016 / 2017 Admissões para Creche e Pré-esclar 2016 / 2017 1ª Fase: Pré-candidatura Decrre entre 4 a 29 de Janeir (2016): - Ficha de candidatura devidamente preenchida e assinada (dispnível na Secretaria u n site:

Leia mais

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO

PROCESSO EXTERNO DE CERTIFICAÇÃO 1 de 7 1. OBJETIVO Este prcediment estabelece prcess para cncessã, manutençã, exclusã e extensã da certificaçã de sistema de segurança cnfrme ABNT NBR 15540. 2. DOCUMENTOS COMPLEMENTARES - ABNT NBR 15540:2013:

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES SOBRE ESTÁGIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Missã d Institut Federal de Educaçã, Ciência e Tecnlgia

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÕES ON-LINE N prcess de renvaçã de matrículas para an lectiv 2010/2011, e na sequência d plan de melhria cntínua ds serviçs a dispnibilizar as aluns, IPVC ferece, pela

Leia mais

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa

Plano de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Plan de aulas 2010 1ª série 1ª aula 2ª etapa Escla Clégi Eng Juarez Wanderley Prfessr Fernand Nishimura de Aragã Disciplina Infrmática Objetivs Cnstruçã de um website pessal para publicaçã de atividades

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil;

Software Utilizado pela Contabilidade: Datasul EMS 505. itens a serem inventariados com o seu correspondente registro contábil; TERMO DE REFERÊNCIA CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS ESPECIALIZADOS DE ANÁLISE DA REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVO PARA CÁLCULOS DO VALOR DO IMPAIRMENT E VIDA ÚTIL RESIDUAL, EM CONFORMIDADE COM O DISPOSTO

Leia mais

CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO

CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO CADASTRAMENTO 1 INTRODUÇÃO O cadastrament, previst ns editais de Vestibular da UFCG, é um mecanism para garantir a timizaçã das chamadas ds candidats para a matrícula. Esse é um mecanism imprtantíssim

Leia mais

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops

Resultado do Inquérito On-line aos Participantes dos Workshops Realizados pela Direção-Geral das Artes. Avaliação da Utilidade dos Workshops Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps Realizads pela Direçã-Geral das Artes Avaliaçã da Utilidade ds Wrkshps Títul: Resultad d Inquérit On-line as Participantes ds Wrkshps realizads pela

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região

Ministério da Justiça. Orientações para a preparação dos Policiais que atuam na Região Ministéri da Justiça Departament da Plícia Federal Academia Nacinal de Plícia Secretaria Nacinal de Segurança Pública Departament de Pesquisa, Análise da Infrmaçã e Desenvlviment Humanan Orientações para

Leia mais

Descrição do serviço. Visão geral do serviço. Escopo dos serviços Copilot Optimize. Copilot Optimize CAA-1000. Escopo

Descrição do serviço. Visão geral do serviço. Escopo dos serviços Copilot Optimize. Copilot Optimize CAA-1000. Escopo Descriçã d serviç Cpilt Optimize CAA-1000 Visã geral d serviç Esta Descriçã d serviç ( Descriçã d serviç ) é firmada pr vcê, cliente, ( vcê u Cliente ) e a entidade da Dell identificada na fatura de cmpra

Leia mais

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013

FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 FORMULÁRIO COLETA CAPES DISCENTE 2013 Este frmulári deve ser preenchid pr tds s aluns matriculads n Mestrad em Atençã à Saúde n an de 2013. Os dads servirã para atualizar, n Cleta Capes, as atividades

Leia mais