Tutorial Sistema Porto Sem Papel

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tutorial Sistema Porto Sem Papel"

Transcrição

1 Tutrial Sistema Prt Sem Papel 8 ESTADIA CONVENCIONAL: A estadia cnvencinal é aquela em que a embarcaçã deseja executar uma peraçã de carga, descarga, carga/descarga, embarque/desembarque de passageirs numa área prtuária. Atracaçã Estadia Cnvencinal Situaçã Após cadastrar u atualizar s dads da embarcaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá criar DUV (Dcument Únic Virtual) cm as infrmações da estadia da embarcaçã: Agência de Navegaçã, CPF d Representante da Agência, Prt de Estadia, Natureza da Estadia (esclher a pçã "Cnvencinal"), Estadia Off-Shre (esclher a pçã "Nã"), Data/Hra Prevista de Chegada n Prt (Fundei), Data/Hra Prevista de Atracaçã, Lcal Previst da Atracaçã e Data/Hra Prevista da Desatracaçã. O DUV criad estará na situaçã "Aguardand Envi d Avis de Atracaçã". Em seguida, usuári da Agência de Navegaçã deverá preencher as infrmações referentes a Avis de Atracaçã: Dads d Operadr, Escala e Paradas, Características da Estadia e Características da Embarcaçã. Depis d preenchiment de tdas as infrmações relativas a Avis de Atracaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá enviar Avis de Atracaçã para a Autridade Prtuária. Neste cas, DUV passará para a situaçã "Aguardand Ratificaçã da Autridade Prtuária". Cas a Autridade Prtuária recuse Avis de Atracaçã, DUV se encntrará na situaçã "Aguardand Reenvi de Avis de Atracaçã" e usuári da Agência Marítima deverá atualizar alguma infrmaçã n DUV e reenviar Avis de Atracaçã à Autridade Prtuária. Após receber a ratificaçã d Avis de Atracaçã da Autridade Prtuária, DUV se encntrará na situaçã "Aguardand Slicitaçã de Atracaçã". Nesta situaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá preencher as demais infrmações da estadia cnvencinal da embarcaçã: Lista de Tripulantes, Lista de ageirs, Armas e Munições, Características da Estadia, Características da Embarcaçã, Infrmações Sanitárias, Prvisões de Brd e Manifests de Carga. Cas crra a situaçã de utra agência assumir a estadia da embarcaçã após términ da peraçã, usuári da Agência Marítima deverá infrmar CNPJ desta agência que estará assumind a estadia n menu "Características da Estadia". Após preenchiment das infrmações d DUV, usuári da Agência de Navegaçã deverá cnfirmar a slicitaçã de atracaçã da embarcaçã. Cm a cnfirmaçã da slicitaçã de atracaçã, DUV estará na situaçã "Aguardand Anuências de Atracaçã" e as infrmações prestadas pela Agência de Navegaçã n DUV serã distribuídas as Órgãs Anuentes para análise da autrizaçã da estadia da embarcaçã. Lembrand que smente após a cnfirmaçã da slicitaçã de atracaçã, usuári da Agência de Navegaçã pderá slicitar s certificads da ANVISA (Livre Prática, CCSB/CICSB u Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar a atracaçã u slicitar nvas exigências para a embarcaçã, registrand estas infrmações n DUV. Em cas de exigências, usuári da Agência de Navegaçã deverá registrar as infrmações de cumpriment às exigências de atracaçã as Órgãs Anuentes n DUV. Quand tdas as anuências de atracaçã frem frnecidas, DUV passará para a situaçã "Aguardand Atracaçã". A Autridade Prtuária deverá, entã, prgramar a atracaçã da embarcaçã. Uma vez prgramada a atracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da atracaçã, em virtude de atras u adiantament da embarcaçã, u ainda, em decrrência de mudança d lcal de atracaçã da embarcaçã. Quand a embarcaçã efetivamente atracar n berç u n fundeadur, a Autridade Prtuária deverá registrar a efetivaçã da atracaçã da embarcaçã n sistema. Operaçã Estadia Cnvencinal Situaçã Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar a peraçã u slicitar exigências, registrand estas infrmações n DUV. Em cas de exigências, usuári da Agência de Navegaçã deverá registrar as infrmações de cumpriment às exigências de peraçã as Órgãs Anuentes n DUV. Quand tdas as anuências frem frnecidas, DUV estará na situaçã "Operand". Cas haja necessidade de peraçã em utr lcal, a Agência Marítima pderá slicitar a reatracaçã da embarcaçã em utr berç/bia da Área d Prt. A Autridade Prtuária deverá, entã, infrmar a prgramaçã e a efetivaçã da saída d berç/bia da embarcaçã atracada, além de prgramar e de efetivar a atracaçã da embarcaçã n nv berç/bia (reatracaçã da embarcaçã). Uma vez prgramada a saída d berç/bia da embarcaçã atracada u a reatracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da saída d berç/bia u ainda a reprgramaçã da reatracaçã da embarcaçã. Em virtude de atras u adiantament da embarcaçã, u, ainda, em decrrência de mudança d lcal de atracaçã da embarcaçã. N cas de mais uma peraçã de carga/descarga, a Agência de Navegaçã deverá slicitar peraçã adicinal n DUV, infrmand s dads referentes a esta nva peraçã. Neste cas, as infrmações prestadas pela Agência de Navegaçã n DUV serã distribuídas as Órgãs Anuentes para nva análise de autrizaçã dessa peraçã adicinal. Cas crra a situaçã de uma utra agência assumir a estadia da embarcaçã após términ da peraçã, usuári da Agência Marítima deverá passar a respnsabilidade da estadia para esta agência. A partir daí, esta agência assumirá a respnsabilidade da estadia da embarcaçã e deverá slicitar a desatracaçã da embarcaçã.

2 Situaçã Se nã crrer a situaçã de uma utra agência assumir a estadia da embarcaçã após términ da peraçã, a Agência de Navegaçã deverá slicitar a desatracaçã da embarcaçã, infrmand a data/hra da desatracaçã. Após a cnfirmaçã da slicitaçã de desatracaçã, as infrmações prestadas n DUV irã para análise ds Órgãs Anuentes. Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar a desatracaçã u slicitar exigências, registrand estas infrmações n DUV. Em cas de exigências, usuári da Agência de Navegaçã deverá registrar as infrmações de cumpriment às exigências de peraçã as Órgãs Anuentes n DUV. Desatracaçã Estadia Cnvencinal Situaçã Quand tdas as anuências de desatracaçã frem frnecidas, a Autridade Prtuária deverá infrmar a prgramaçã de desatracaçã da embarcaçã. Uma vez prgramada a desatracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da desatracaçã, em virtude de atras u adiantament da embarcaçã. Quand a embarcaçã efetivamente desatracar d berç u d fundeadur, a Autridade Prtuária deverá registrar a efetivaçã da desatracaçã da embarcaçã n sistema. Neste cas, DUV se encntrará na situaçã "Finalizad". Outrs Prcediments Estadia Cnvencinal Situaçã Cas a Agência Marítima queira registrar qualquer crrência da embarcaçã bservada durante a sua estadia n Prt, usuári pderá infrmar esta crrência n DUV. A Agência de Navegaçã pderá cancelar DUV antes da efetivaçã de atracaçã da embarcaçã, em virtude d cancelament da estadia da embarcaçã naquele prt. Neste cas, DUV ficará na situaçã "Finalizad pr Cancelament". O usuári da Agência de Navegaçã pderá cancelar a slicitaçã de atracaçã antes da efetivaçã de atracaçã da embarcaçã para alterar, incluir u excluir alguma infrmaçã n DUV. Neste cas, DUV retrnará para a situaçã "Aguardand Slicitaçã de Atracaçã". A Agência Marítima pderá cancelar a slicitaçã de desatracaçã antes da efetivaçã de desatracaçã da embarcaçã para acertar alguma infrmaçã relativa à desatracaçã n DUV. ESTADIA OFF-SHORE: A estadia ff-shre é aquela em que a embarcaçã deseja executar uma peraçã de abasteciment, manutençã u de api marítim numa área prtuária. Atracaçã Situaçã Após cadastrar u atualizar s dads da embarcaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá criar DUV (Dcument Únic Virtual) cm as infrmações da estadia da embarcaçã: Agência de Navegaçã, CPF d Representante da Agência, Prt de Estadia, Natureza da Estadia (esclher a pçã "Cnvencinal"), Estadia Off-Shre (esclher a pçã "Sim"), Data/Hra Prevista de Chegada n Prt (Fundei), Data/Hra Prevista de Atracaçã, Lcal Previst da Atracaçã e Data/Hra Prevista da Desatracaçã. O DUV criad estará na situaçã "Aguardand Envi d Avis de Atracaçã". Em seguida, usuári da Agência de Navegaçã deverá preencher as infrmações referentes a Avis de Atracaçã para a estadia Off-Shre: Escala e Paradas, Características da Estadia e Características da Embarcaçã. Se usuári infrmar "Nã" para camp "Operaçã dispensada de peradr" d menu Características da Estadia, ele deverá preencher as infrmações referentes a menu "Dads d Operadr". Cas cntrári, usuári nã precisará prestar as infrmações referentes a peradr prtuári. Depis d preenchiment de tdas as infrmações relativas a Avis de Atracaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá enviar Avis de Atracaçã para a Autridade Prtuária. Neste cas, DUV passará para a situaçã "Aguardand Ratificaçã da Autridade Prtuária". Cas a Autridade Prtuária recuse Avis de Atracaçã, DUV se encntrará na situaçã "Aguardand reenvi de avis de atracaçã" e usuári da Agência Marítima deverá atualizar alguma infrmaçã n DUV e reenviar Avis de Atracaçã à Autridade Prtuária. Após receber a ratificaçã d Avis de Atracaçã da Autridade Prtuária, DUV se encntrará na situaçã "Aguardand Slicitaçã de Atracaçã". Nesta situaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá preencher as demais infrmações da estadia ff-shre da embarcaçã: Tripulantes, Armas e Munições, Características da Estadia, Características da Embarcaçã, Infrmações Sanitárias, Prvisões de Brd e Manifest de Carga. As cargas perigsas nã infrmadas n Manifest de Carga serã registradas n menu Características da Estadia. Após preenchiment das infrmações d DUV, usuári da Agência de Navegaçã deverá cnfirmar a slicitaçã de atracaçã da embarcaçã. Cm a cnfirmaçã da slicitaçã de atracaçã, DUV estará na situaçã "Aguardand Anuências de Atracaçã" e as infrmações prestadas pela Agência de Navegaçã n DUV serã distribuídas as Órgãs Anuentes para análise da autrizaçã da estadia da embarcaçã. Lembrand que, smente após a cnfirmaçã da slicitaçã de atracaçã, usuári da Agência de Navegaçã pderá slicitar s certificads da ANVISA (Livre Prática, CCSB/CICSB u

3 8 Situaçã Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar a atracaçã u slicitar nvas exigências para a embarcaçã, registrand estas infrmações n DUV. Em cas de exigências, usuári da Agência de Navegaçã deverá registrar as infrmações de cumpriment às exigências de atracaçã as Órgãs Anuentes n DUV. Quand tdas as anuências de atracaçã frem frnecidas, DUV passará para a situaçã "Aguardand Atracaçã". A Autridade Prtuária deverá, entã, prgramar a atracaçã da embarcaçã. Uma vez prgramada a atracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da atracaçã, em virtude de atras u adiantament da embarcaçã, u, ainda, em decrrência de mudança d lcal de atracaçã da embarcaçã. Quand a embarcaçã efetivamente atracar n berç u n fundeadur, a Autridade Prtuária deverá registrar a efetivaçã da atracaçã da embarcaçã n sistema. Após registr da efetivaçã da atracaçã, DUV ficará na situaçã "Aguardand Anuências de Operaçã". Operaçã Estadia Off-Shre Situaçã Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar a peraçã u slicitar exigências, registrand estas infrmações n DUV. Em cas de exigências, usuári da Agência de Navegaçã deverá registrar as infrmações de cumpriment às exigências de peraçã as Órgãs Anuentes n DUV. Quand tdas as anuências frem frnecidas, DUV estará na situaçã "Operand". Cas haja necessidade de peraçã em utr lcal, a Agência Marítima pderá slicitar a reatracaçã da embarcaçã em utr berç/bia da Área d Prt. A Autridade Prtuária deverá, entã, infrmar a prgramaçã e a efetivaçã da saída d berç/bia da embarcaçã atracada, além de prgramar e de efetivar a atracaçã da embarcaçã n nv berç/bia (reatracaçã da embarcaçã). Uma vez prgramada a saída d berç/bia da embarcaçã atracada u a reatracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da saída d berç/bia u ainda a reprgramaçã da reatracaçã da embarcaçã. Em virtude de atras u adiantament da embarcaçã, u ainda, em decrrência de mudança d lcal de atracaçã da embarcaçã. N cas de mais uma peraçã de carga/descarga, a Agência de Navegaçã deverá slicitar peraçã adicinal n DUV, infrmand s dads referentes a esta nva peraçã. Neste cas, as infrmações prestadas pela Agência de Navegaçã n DUV serã distribuídas as Órgãs Anuentes para nva análise de autrizaçã dessa peraçã adicinal. A Agência de Navegaçã deverá slicitar a desatracaçã da embarcaçã, infrmand a data/hra da desatracaçã. Após a cnfirmaçã da slicitaçã de desatracaçã, as infrmações prestadas n DUV irã para análise ds Órgãs Anuentes. Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar a desatracaçã u slicitar exigências, registrand estas infrmações n DUV. Em cas de exigências, usuári da Agência de Navegaçã deverá registrar as infrmações de cumpriment às exigências de peraçã as Órgãs Anuentes n DUV. Desatracaçã Estadia Off-Shre Situaçã Quand tdas as anuências de desatracaçã frem frnecidas, a Autridade Prtuária deverá infrmar a prgramaçã de desatracaçã da embarcaçã. Uma vez prgramada a desatracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da desatracaçã, em virtude de atras u adiantament da embarcaçã. Quand a embarcaçã efetivamente desatracar d berç u d fundeadur, a Autridade Prtuária deverá registrar a efetivaçã da desatracaçã da embarcaçã n sistema. Neste cas, DUV se encntrará na situaçã "Finalizad". Outrs Prcediments Estadia Off-Shre Situaçã Cas a Agência Marítima queira registrar qualquer crrência da embarcaçã bservada durante a sua estadia n Prt, usuári pderá infrmar esta crrência n DUV. A Agência de Navegaçã pderá cancelar DUV antes da efetivaçã de atracaçã da embarcaçã, em virtude d cancelament da estadia da embarcaçã naquele prt. Neste cas, DUV ficará na situaçã "Finalizad pr Cancelament". O usuári da Agência de Navegaçã pderá cancelar a slicitaçã de atracaçã antes da efetivaçã de atracaçã da embarcaçã para alterar, incluir u excluir alguma infrmaçã n DUV. Neste cas, DUV retrnará para a situaçã "Aguardand Slicitaçã de Atracaçã". A Agência Marítima pderá cancelar a slicitaçã de desatracaçã antes da efetivaçã de desatracaçã da embarcaçã para acertar alguma infrmaçã relativa à desatracaçã n DUV.

4 ARRIBADA EM CAIS: A Arribada é uma estadia nã prgramada numa área prtuária pr mtiv de frça mair. Neste cas, a atracaçã da embarcaçã crrerá n cais. Atracaçã Arribada em Cais Situaçã Após cadastrar u atualizar s dads da embarcaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá criar DUV (Dcument Únic Virtual) cm as infrmações da estadia da embarcaçã: Agência de Navegaçã, CPF d Representante da Agência, Prt de Estadia, Natureza da Estadia (esclher a pçã "Arribada em Cais"), Data/Hra Prevista de Chegada, Área d Prt Prevista para Atracaçã, Berç Previst para Atracaçã, Arribada Cmercial (esclher entre "Sim" u "Nã"), Mtiv da Arribada e Data/Hra Prevista da Saída. O DUV criad estará na situaçã "Aguardand Slicitaçã de Arribada". Lg em seguida, usuári da Agência de Navegaçã deverá preencher as demais infrmações da estadia de Arribada em Cais da embarcaçã: Escala e Paradas, Lista de Tripulantes, Características da Estadia, Características da Embarcaçã, Infrmações Sanitárias e Prvisões de Brd (pcinal). Após preenchiment das infrmações d DUV, usuári da Agência de Navegaçã deverá cnfirmar a slicitaçã de arribada da embarcaçã. Cm a cnfirmaçã da slicitaçã de arribada, DUV estará na situaçã "Aguardand Autrizaçã para Arribada" e as infrmações prestadas pela Agência de Navegaçã n DUV serã distribuídas as Órgãs Anuentes para análise da autrizaçã da estadia da embarcaçã. Lembrand que smente após a cnfirmaçã da slicitaçã de arribada, usuári da Agência de Navegaçã pderá slicitar s certificads da ANVISA (Livre Prática, CCSB/CICSB u Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar u nã a arribada em cais da embarcaçã. Em cas de Arribada Cmercial, as Autridades Sanitária, Prtuária e de Plícia Marítima deverã autrizar a arribada para que a embarcaçã pssa atracar n cais. Já para Arribada Nã Cmercial, as Autridades Sanitárias, Marítima, Prtuária e de Plícia Marítima deverã autrizar a arribada para que a embarcaçã pssa atracar n cais. Se qualquer um ds Anuentes nã autrizar a arribada, a embarcaçã estará impedida de atracar n cais. Quand tds s Anuentes frnecerem autrizaçã, DUV ficará na situaçã "Aguardand Atracaçã para Arribada". A Autridade Prtuária deverá, entã, prgramar a atracaçã da embarcaçã. Uma vez prgramada a atracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da atracaçã, em virtude de atras u adiantament da embarcaçã, u ainda, em decrrência de mudança d lcal de atracaçã da embarcaçã. Quand a embarcaçã efetivamente atracar n cais, a Autridade Prtuária deverá registrar a efetivaçã da atracaçã da embarcaçã n sistema. Após registr da efetivaçã da atracaçã da embarcaçã n berç, DUV se encntrará na situaçã "Operand Arribada". Operaçã Arribada em Cais Situaçã A Agência de Navegaçã deverá slicitar a desatracaçã da embarcaçã, infrmand a data/hra da desatracaçã. Após a cnfirmaçã da slicitaçã da desatracaçã, DUV estará na situaçã "Aguardand Desatracaçã para Arribada". Desatracaçã Arribada em Cais Situaçã A Autridade Prtuária deverá infrmar a prgramaçã de desatracaçã da embarcaçã. Quand a embarcaçã efetivamente desatracar d berç, a Autridade Prtuária deverá registrar a efetivaçã da desatracaçã da embarcaçã n sistema. Neste cas, DUV se encntrará na situaçã "Finalizad". Outrs Prcediments Arribada em Cais Situaçã Cas a Agência Marítima queira registrar qualquer crrência da embarcaçã bservada durante a sua estadia n Prt, usuári pderá infrmar esta crrência n DUV. A Agência de Navegaçã pderá cancelar DUV antes da efetivaçã de atracaçã da embarcaçã, em virtude d cancelament da estadia da embarcaçã naquele prt. Neste cas, DUV ficará na situaçã "Finalizad pr Cancelament". A Agência Marítima pderá cancelar a slicitaçã de desatracaçã antes da efetivaçã de desatracaçã da embarcaçã para acertar alguma infrmaçã relativa à desatracaçã n DUV.

5 ARRIBADA EM FUNDEIO: A Arribada é uma estadia nã prgramada numa área prtuária pr mtiv de frça mair. Neste cas, a atracaçã da embarcaçã crrerá n fundeadur. Atracaçã Arribada em Fundei Situaçã Após cadastrar u atualizar s dads da embarcaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá criar DUV (Dcument Únic Virtual) cm as infrmações da estadia da embarcaçã: Agência de Navegaçã, CPF d Representante da Agência, Prt de Estadia, Natureza da Estadia (esclher a pçã "Arribada em Fundei"), Data/Hra Prevista de Chegada, Área d Prt Prevista para Atracaçã, Berç Previst para Atracaçã, Arribada Cmercial (esclher entre "Sim" u "Nã"), Mtiv da Arribada e Data/Hra Prevista da Saída. O DUV criad estará na situaçã "Aguardand Slicitaçã de Arribada". Lg em seguida, usuári da Agência de Navegaçã deverá preencher as demais infrmações da estadia de Arribada em Fundei da embarcaçã: Escala e Paradas, Lista de Tripulantes, Características da Estadia, Características da Embarcaçã e Infrmações Sanitárias. Após preenchiment das infrmações d DUV, usuári da Agência de Navegaçã deverá cnfirmar a slicitaçã de arribada da embarcaçã. Cm a cnfirmaçã da slicitaçã de arribada, DUV estará na situaçã "Aguardand Autrizaçã para Arribada" e as infrmações prestadas pela Agência de Navegaçã n DUV serã distribuídas as Órgãs Anuentes para análise da autrizaçã da estadia da embarcaçã. Lembrand que smente após a cnfirmaçã da slicitaçã de arribada, usuári da Agência de Navegaçã pderá slicitar s certificads da ANVISA (Livre Prática, CCSB/CICSB u Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar u nã a arribada em fundei da embarcaçã. Em cas de Arribada Cmercial, as Autridades Sanitária, Prtuária e de Plícia Marítima deverã autrizar a arribada para que a embarcaçã pssa atracar n fundeadur. Já para Arribada Nã Cmercial, as Autridades Sanitária, Marítima, Prtuária e de Plícia Marítima deverã autrizar a arribada para que a embarcaçã pssa atracar n fundeadur. Se qualquer um ds Anuentes nã autrizar a arribada, a embarcaçã estará impedida de atracar n fundeadur. Operaçã Arribada em Fundei Situaçã Quand tds s Anuentes frnecerem autrizaçã para a arribada em fundei, DUV estará na situaçã "Operand Arribada". Nesta situaçã, a Autridade Prtuária deverá registrar infrmações d fundei n DUV (Mtiv d Fundei, Data/Hra de Entrada, Data/Hra de Saída e Fundeadur). Após a Autridade Prtuária registrar as infrmações d fundei n DUV, usuári da Agência de Navegaçã deverá finalizar arribada, infrmand a Data/Hra da Saída d Prt. Após usuári da Agência de Navegaçã slicitar a finalizaçã da arribada, DUV estará na situaçã "Finalizad". Outrs Prcediments Arribada em Fundei Situaçã Cas a Agência Marítima queira registrar qualquer crrência da embarcaçã bservada durante a sua estadia n Prt, usuári pderá infrmar esta crrência n DUV. A Agência de Navegaçã pderá cancelar DUV até que tds s Anuentes tenham frnecid autrizaçã para arribada em fundei. Neste cas, DUV ficará na situaçã "Finalizad pr Cancelament". USO DO CANAL: Esta estadia é utilizada quand a embarcaçã precisa fazer us d canal de uma área prtuária para atracar num terminal privativ. Atracaçã Us d Canal Situaçã Após cadastrar u atualizar s dads da embarcaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá criar DUV (Dcument Únic Virtual) cm as infrmações da estadia da embarcaçã: Agência de Navegaçã, CPF d Representante da Agência, Prt de Estadia, Natureza da Estadia (esclher a pçã "Us d Canal"), Data/Hra Prevista de Chegada a Prt (Fundei), Data/Hra Prevista de Atracaçã, Lcal de atracaçã é gerenciad pela autridade prtuária (esclher entre "Sim" u "Nã"), Lcal Previst de Atracaçã, Data/Hra Prevista de Desatracaçã, A embarcaçã está a larg (esclher entre "Sim" u "Nã"), Calad de Entrada da Embarcaçã (Pra), Calad de Entrada da Embarcaçã (Ppa), Calad de Saída da Embarcaçã (Pra) e Calad de Saída da Embarcaçã (Ppa). Depis d preenchiment de tdas as infrmações relativas a Avis d Us d Canal, usuári da Agência de Navegaçã deverá enviar Avis d Us d Canal para a Autridade Prtuária. Neste cas" DUV passará para a situaçã "Aguardand Ratificaçã da Autridade Prtuária d Us d Canal". Após receber a ratificaçã d Us d Canal, DUV se encntrará na situaçã "Finalizad". Cas a Autridade Prtuária recuse Avis d Us d Canal, DUV se encntrará na situaçã "Aguardand reenvi d us d canal" e usuári da Agência de Navegaçã deverá atualizar alguma infrmaçã n DUV e reenviar Avis d Us d Canal à Autridade Prtuária.

6 Outrs Prcediments Us d Canal Situaçã A Agência de Navegaçã pderá cancelar DUV até que a Autridade Prtuária ratifique Us d Canal. Neste cas, DUV ficará na situaçã "Finalizad pr Cancelament". ASSUMINDO DE OUTRA AGÊNCIA: Esta situaçã é usada quand uma Agência de Navegaçã assume a estadia cnvencinal iniciada pr utra Agência Marítima para executar uma peraçã de carga/descarga. Enquant a primeira agência é respnsável pela atracaçã, a desatracaçã da embarcaçã será de respnsabilidade da segunda agência. Atracaçã Assumind de Outra Agência Situaçã Após cadastrar u atualizar s dads da embarcaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá criar DUV (Dcument Únic Virtual) cm as infrmações da estadia da embarcaçã: Agência de Navegaçã, CPF d Representante da Agência, Prt de Estadia, Natureza da Estadia (esclher a pçã "Assumind de Outra Agência"), Númer d DUV que terá a estadia assumida (esclher DUV que iniciu a estadia da embarcaçã n prt), Data/Hra Prevista de Desatracaçã. O DUV criad estará na situaçã "Aguardand Envi d Avis de Atracaçã". Em seguida, usuári da Agência de Navegaçã deverá preencher as infrmações referentes a Avis de Atracaçã: n mínim as infrmações d menu Características da Estadia. Depis d preenchiment de tdas as infrmações relativas a Avis de Atracaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá enviar Avis de Atracaçã para a Autridade Prtuária. Neste cas, DUV passará para a situaçã "Aguardand Ratificaçã da Autridade Prtuária". Cas a Autridade Prtuária recuse Avis de Atracaçã" DUV se encntrará na situaçã "Aguardand reenvi de avis de atracaçã" e usuári da Agência Marítima deverá atualizar alguma infrmaçã n DUV e reenviar Avis de Atracaçã à Autridade Prtuária. Após receber a ratificaçã d Avis de Atracaçã da Autridade Prtuária, DUV se encntrará na situaçã "Aguardand Slicitaçã de Atracaçã". Nesta situaçã, usuári da Agência de Navegaçã deverá infrmar s manifests de carga e as prvisões de brd (se huver) de respnsabilidade da agência. Após usuári da Agência Marítima cnfirmar a slicitaçã de atracaçã, DUV se encntrará na situaçã "Aguardand Anuências de Operaçã". Operaçã Assumind de Outra Agência Situaçã Após análise, s Órgãs Anuentes (Autridades Sanitária, Marítima e de Plícia Marítima) pderã autrizar a peraçã u slicitar exigências, registrand estas infrmações n DUV. Em cas de exigências, usuári da Agência de Navegaçã deverá registrar as infrmações de cumpriment às exigências de peraçã as Órgãs Anuentes n DUV. Quand tdas as anuências frem frnecidas, DUV estará na situaçã "Aguardand ar Respnsabilidade" se a agência que iniciu a estadia ainda nã passu a respnsabilidade u na situaçã "Operand". Cas haja necessidade de peraçã em utr lcal, a Agência Marítima pderá slicitar a reatracaçã da embarcaçã em utr berç/bia da Área d Prt. A Autridade Prtuária deverá, entã, infrmar a prgramaçã e a efetivaçã da saída d berç/bia da embarcaçã atracada, além de prgramar e de efetivar a atracaçã da embarcaçã n nv berç/bia (reatracaçã da embarcaçã). Uma vez prgramada a saída d berç/bia da embarcaçã atracada u a reatracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da saída d berç/bia u ainda a reprgramaçã da reatracaçã da embarcaçã em virtude de atras u adiantament da embarcaçã, u ainda, em decrrência de mudança d lcal de atracaçã da embarcaçã. N cas de mais uma peraçã de carga/descarga, a Agência de Navegaçã deverá slicitar peraçã adicinal n DUV, infrmand s dads referentes a esta nva peraçã. Neste cas, as infrmações prestadas pela Agência de Navegaçã n DUV serã distribuídas as Órgãs Anuentes para nva análise de autrizaçã dessa peraçã adicinal. A Agência de Navegaçã deverá slicitar a desatracaçã da embarcaçã, infrmand a data/hra da desatracaçã. Após a cnfirmaçã da slicitaçã de desatracaçã, as infrmações prestadas n DUV irã para análise ds Órgãs Anuentes. Após análise, s Órgãs Anuentes pderã autrizar a desatracaçã u slicitar exigências, registrand estas infrmações n DUV. Em cas de exigências, usuári da Agência de Navegaçã deverá registrar as infrmações de cumpriment às exigências de peraçã as Órgãs Anuentes n DUV. Desatracaçã Assumind de Outra Agência Situaçã Quand tdas as anuências de desatracaçã frem frnecidas, a Autridade Prtuária deverá infrmar a prgramaçã de desatracaçã da embarcaçã. Uma vez prgramada a desatracaçã da embarcaçã, usuári da Agência Marítima pderá slicitar a reprgramaçã da desatracaçã em virtude de atras u adiantament da embarcaçã.

7 Situaçã Quand a embarcaçã efetivamente desatracar d berç u d fundeadur, a Autridade Prtuária deverá registrar a efetivaçã da desatracaçã da embarcaçã n sistema. Neste cas, DUV se encntrará na situaçã "Finalizad". Outrs Prcediments Assumind de Outra Agência Situaçã Cas a Agência Marítima queira registrar qualquer crrência da embarcaçã bservada durante a sua estadia n Prt, usuári pderá infrmar esta crrência n DUV. A Agência de Navegaçã pderá cancelar DUV até a passagem de respnsabilidade da agência que iniciu a estadia da embarcaçã naquele prt. Neste cas, DUV ficará na situaçã "Finalizad pr Cancelament". O usuári da Agência de Navegaçã pderá cancelar a slicitaçã de atracaçã antes de tdas as anuências de peraçã serem frnecidas. Neste cas, DUV retrnará para a situaçã "Aguardand Slicitaçã de Atracaçã". A Agência Marítima pderá cancelar a slicitaçã de desatracaçã antes da efetivaçã de desatracaçã da embarcaçã para acertar alguma infrmaçã relativa à desatracaçã n DUV. As rientações às Agências de Navegaçã estã dispníveis após lgin d usuári em n Tutrial d Usuári, ícne Cncentradr de Dads, na aba Funcinalidades e Telas de Apresentaçã. Elabrad pr: Fernand Baptista Abbtt Crdenaçã d Sistema Prt Sem Papel / SPH

Novo Sistema Almoxarifado

Novo Sistema Almoxarifado Nv Sistema Almxarifad Instruções Iniciais 1. Ícnes padrões Existem ícnes espalhads pr td sistema, cada um ferece uma açã. Dentre eles sã dis s mais imprtantes: Realiza uma pesquisa para preencher s camps

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA Manual de Us (Para Detentres de Bens) Infrmações adicinais n Prtal da Crdenaçã de Patrimôni: www.cpa.unir.br 2013 Cnteúd O que papel Detentr de Bem pde fazer?... 2 Objetiv...

Leia mais

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS

WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS WEBSITE LOJAS JOMÓVEIS Manual d Usuári Elabrad pela W3 Autmaçã e Sistemas Infrmaçã de Prpriedade d Grup Jmóveis Este dcument, cm tdas as infrmações nele cntidas, é cnfidencial e de prpriedade d Grup Jmóveis,

Leia mais

MANUAL DOS GESTORES DAA

MANUAL DOS GESTORES DAA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI NÚCLEO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO - NTI MANUAL DOS GESTORES DAA MÓDULOS: M atrícula e P rgramas e C DP [Digite resum d dcument aqui. Em geral, um resum é um apanhad

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOS DOS CONVÊNIOS...

Leia mais

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário

MTUR Sistema FISCON. Manual do Usuário MTUR Sistema FISCON Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 5 4.1. CADASTRAR CONVENENTE... 5 4.2. INSERIR FOTOGRAFIAS/IMAGENS

Leia mais

Operação Metalose orientações básicas à população

Operação Metalose orientações básicas à população Operaçã Metalse rientações básicas à ppulaçã 1. Quem é respnsável pel reclhiment de prduts adulterads? As empresas fabricantes e distribuidras. O Sistema Nacinal de Vigilância Sanitária (Anvisa e Vigilâncias

Leia mais

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0

Manual do Novo Pátio. Revenda. Versão 2.0 Manual d Nv Páti Revenda Versã 2.0 1 Cnteúd INTRODUÇÃO... 3 1.LOGIN... 4 2.ANUNCIANTE... 4 2.1 Listar Usuáris... 4 2.2 Criar Usuári... 5 2.2.1 Permissões:... 6 3.SERVIÇOS... 7 3.1 Serviçs... 7 3.2 Feirã...

Leia mais

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas

Sistema OnixNet / TrucksNet Contagem de Estoque pelas oficinas Versã: 3.0.0.48 Empresa: TrucksCntrl Slicitante: Diretria Respnsável: Fernand Marques Frma de Slicitaçã: e-mail/reuniã Analista de Negóci: Fábi Matesc Desenvlvedr: Fabian Suza Data: 24/09/2012 Sistema

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS

MANUAL DO USUÁRIO ANTECEDENTES CRIMINAIS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Data: 11/09/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Antecedentes_Criminais.dc

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO - DIVULGAÇÃO DE PESSOAS E OBJETOS

MANUAL DO USUÁRIO - DIVULGAÇÃO DE PESSOAS E OBJETOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Referencia: Help_Online_Divulgaçã_Pessas_Objets.d c Versã: 01.00 Data: 27/08/2008 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã

Leia mais

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário

MTur Sistema Artistas do Turismo. Manual do Usuário MTur Sistema Artistas d Turism Manual d Usuári Índice 1. INTRODUÇÃO... 3 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 3 3. ACESSAR O SISTEMA... 4 4. UTILIZANDO O SISTEMA... 9 4.1. CADASTRAR REPRESENTANTE... 9 4.2. CADASTRAR

Leia mais

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão

Manual de Operação WEB SisAmil - Gestão Manual de Operaçã WEB SisAmil - Gestã Credenciads Médics 1 Índice 1. Acess Gestã SisAmil...01 2. Autrizaçã a. Inclusã de Pedid...01 b. Alteraçã de Pedid...10 c. Cancelament de Pedid...11 d. Anexs d Pedid...12

Leia mais

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA

SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA SMART CONTROLE DO ESTOQUE DE GONDOLA O prcess de cntrle de estque de gôndla fi desenvlvid cm uma prcess de auxili a cliente que deseja cntrlar a quantidade de cada item deve estar dispnível para venda

Leia mais

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP

Dissídio Retroativo. Cálculos INSS, FGTS e geração da SEFIP Dissídi Retrativ Cálculs INSS, FGTS e geraçã da SEFIP A rtina de Cálcul de Dissídi Retrativ fi reestruturada para atender a legislaçã da Previdência Scial. A rtina de Aument Salarial (GPER200) deve ser

Leia mais

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação

Guia Sphinx: Instalação, Reposição e Renovação Guia Sphinx: Instalaçã, Repsiçã e Renvaçã V 5.1.0.8 Instalaçã Antes de instalar Sphinx Se vcê pssuir uma versã anterir d Sphinx (versões 1.x, 2.x, 3.x, 4.x, 5.0, 5.1.0.X) u entã a versã de Demnstraçã d

Leia mais

Manual. Autorizador da UNIMED

Manual. Autorizador da UNIMED Manual Prtal Autrizadr da UNIMED Pass a Pass para um jeit simples de trabalhar cm Nv Prtal Unimed 1. Períd de Atualizaçã Prezads Cperads e Rede Credenciada, A Unimed Sul Capixaba irá atualizar seu sistema

Leia mais

Sistema de Comercialização de Radiofármacos - Manual do Cliente

Sistema de Comercialização de Radiofármacos - Manual do Cliente Sistema de Cmercializaçã de Radifármacs - Manual d Cliente O IEN está dispnibilizand para s seus clientes um nv sistema para a slicitaçã ds radifármacs. Este nv sistema permitirá a cliente nã só fazer

Leia mais

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade)

Legenda da Mensagem de Resposta à Verificação de Elegibilidade (respostaelegibilidade) Legenda da Mensagem de Respsta à Verificaçã de Elegibilidade (respstaelegibilidade) Mensagem : Respta à verificaçã de elegibilidade (respstaelegibilidade) - Flux : Operadra para Prestadr Códig da mensagem

Leia mais

Acesso ao menu da presença de Carga Exportação WEB

Acesso ao menu da presença de Carga Exportação WEB Manual de Utilizaçã Presença de Carga Exprtaçã WEB Acess a menu da presença de Carga Exprtaçã WEB Acessar site d TECON RG (HTTP://www.tecn.cm.br); Clicar em Tecn Online; Infrmar usuári e senha de acess

Leia mais

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO

Código: Data: Revisão: Página: SUMÁRIO UC_REQ-MK_ACF-001 27/01/2015 00 1 / 12 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 Objetiv... 2 Públic Alv... 2 Escp... 2 Referências... 2 DESCRIÇÃO GERAL DO PRODUTO... 2 Características d Usuári... 2 Limites, Supsições e

Leia mais

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30

^i * aesíqn e=> ~omunícc3ç:c30 ^i * aesíqn e=> ~munícc3ç:c30 CONTRATO DE LICENÇA DE USO DO SISTEMA - SUBMIT CMS Web Site da Prefeitura de Frei Martinh - Paraíba 1. IDENTIFICAÇÃO DAS PARTES CONTRATANTE Prefeitura Municipal de Frei Martinh

Leia mais

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte

Manual do DEC Domicílio Eletrônico do Contribuinte GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DA FAZENDA Crdenadria da Administraçã Tributária Diretria Executiva da Administraçã Tributária Manual d DEC Dmicíli Eletrônic d Cntribuinte Manual DEC (dezembr

Leia mais

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário

CRC-MG Central de Registro Civil de Minas Gerais Certidão Online - Serventia. Manual do usuário CRC-MG Central de Registr Civil de Minas Gerais Certidã Online - Serventia Manual d usuári Prefáci Data: 30/01/2015 Versã dcument: 1.0 1. COMO ACESSAR O MÓDULO DA CERTIDÃO ONLINE... 04 2. OPÇÕES DE PEDIDOS

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Etapa 3 Cadastr d Prcess Seletiv O Presidente da CRM cadastra s dads d prcess n sistema. O prcess seletiv é a espinha drsal d sistema, vist que pr mei dele regem-se tdas as demais

Leia mais

nddcargo Manual de Utilização Portal Gratuito

nddcargo Manual de Utilização Portal Gratuito nddcarg 4.2.6.0 Manual de Utilizaçã Prtal Gratuit Históric de alterações Data Versã Autr Descriçã 15/04/2014 1 Deiviane F. R. de Suza Criaçã d dcument. 2 1. Intrduçã... 4 2. Funcinalidades d Prtal nddcarg...

Leia mais

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social;

H. Problemas/outras situações na ligação com a Segurança Social; Mdel de Cmunicaçã Certificads de Incapacidade Temprária Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes n âmbit ds CIT Certificads de Incapacidade Temprária.

Leia mais

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas

Perguntas frequentes sobre o Programa Banda Larga nas Escolas Perguntas frequentes sbre Prgrama Banda Larga nas Esclas 1. Qual bjetiv d Prgrama Banda Larga nas Esclas? O Prgrama Banda Larga nas Esclas tem cm bjetiv cnectar tdas as esclas públicas à internet, rede

Leia mais

Sistema Hospitalar - Módulo Diagnóstico

Sistema Hospitalar - Módulo Diagnóstico Sistema Hspitalar - Módul Diagnóstic Manual d usuári Versã 2.3 [Este template faz parte integrante d Prcess de Desenvlviment de Sistemas da DTI (PDS-DTI) e deve ser usad em cnjunt cm as recmendações d

Leia mais

Processo TCar Balanço Móbile

Processo TCar Balanço Móbile Prcess TCar Balanç Móbile Tecinc Infrmática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centr Cascavel PR 1 Sumári Intrduçã... 3 Funcinalidade... 3 1 Exprtaçã Arquiv Cletr de Dads (Sistema TCar)... 4 1.1 Funcinalidade...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CRIMINALÍSTICA EXAME PERICIAL

MANUAL DO USUÁRIO CRIMINALÍSTICA EXAME PERICIAL SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Referencia: Help_Onlinel_criminalística_exame_pericial.dc Versã: 01.00 Data: 14/03/2008 Data: 10/02/2009 Data: A autenticaçã

Leia mais

Secretaria Municipal de Finanças Secretaria Municipal Adjunta de Arrecadações Gerência de Tributos Mobiliários Prefeitura de Belo Horizonte

Secretaria Municipal de Finanças Secretaria Municipal Adjunta de Arrecadações Gerência de Tributos Mobiliários Prefeitura de Belo Horizonte Versã 1.01 Página 2 de 68 BHISS Digital - Manual de prcediments... 4 1 Cadastrament de usuári... 4 1.1 Cadastrament presencial... 4 1.2 Cadastrament pela web... 5 2 Credenciament... 6 2.1 Ccredenciament

Leia mais

Excluídas as seguintes definições:

Excluídas as seguintes definições: Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Entre PM AM.08 APLICAÇÃO DE PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE CONTRATAÇÃO E PENALIDADE POR INSUFICIÊNCIA DE LASTRO DE VENDA & PdC AM.10 MONITORAMENTO DE INFRAÇÃO

Leia mais

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização

Boletim Técnico. CAGED Portaria 1129/2014 MTE. Procedimento para Implementação. Procedimento para Utilização Bletim Técnic CAGED Prtaria 1129/2014 MTE Prdut : TOTVS 11 Flha de Pagament (MFP) Chamad : TPRQRW Data da criaçã : 26/08/2014 Data da revisã : 12/11/2014 País : Brasil Bancs de Dads : Prgress, Oracle e

Leia mais

NFS-e. Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual Operacional do Prestador de Serviços

NFS-e. Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual Operacional do Prestador de Serviços te 2012 NFS-e Nta Fiscal de Serviçs Eletrônica Manual Operacinal d Prestadr de Serviçs Este manual tem cm bjetiv rientar s usuáris, sbre s prcediments relativs a crret manusei de td sistema, detalhand

Leia mais

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br

Vensis Manutenção. Rua Américo Vespúcio, 71 Porto Alegre / RS (51) 3012-4444 comercial@vensis.com.br www.vensis.com.br Vensis Manutençã Vensis Manutençã É módul que permite gerenciament da manutençã de máquinas e equipaments. Prgramaçã de manutenções preventivas u registr de manutenções crretivas pdem ser feits de frma

Leia mais

TransactionCentre Guia Referência Rápida Troca de Mensagens. Cancelamento

TransactionCentre Guia Referência Rápida Troca de Mensagens. Cancelamento TransactinCentre Guia Referência Rápida Trca de Cancelament Este dcument cntém a especificaçã ds ajustes necessáris para que seu Sistema de Autmaçã cumpra as tarefas de Cancelament de Transaçã Benefíci

Leia mais

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo

GT-ATER: Aceleração do Transporte de Dados com o Emprego de Redes de Circuitos Dinâmicos. RT3 - Avaliação dos resultados do protótipo GT-ATER: Aceleraçã d Transprte de Dads cm Empreg de Redes de Circuits Dinâmics RT3 - Avaliaçã ds resultads d prtótip Sand Luz Crrêa Kleber Vieira Cards 03/08/2013 1. Apresentaçã d prtótip desenvlvid Nesta

Leia mais

Cadastrar Proposta de Evento

Cadastrar Proposta de Evento Pró-Reitria de Extensã e Cultura events@ufersa.edu.br Cadastrar Prpsta de Event Sistema Módul SIGAA Extensã Última Atualizaçã 25.03.2015 Esta funcinalidade permite a usuári cadastrar ações de extensã d

Leia mais

Segue abaixo projeto para desenvolvimento de novo website para loja Virtual

Segue abaixo projeto para desenvolvimento de novo website para loja Virtual Lja Virtual Desenvlviment FrmigaNegócis Orçament: /2012 Cliente: Respnsável: Prjet: Lja virtual Telefne: Frmiga (MG), de de 2012 Intrduçã Segue abaix prjet para desenvlviment de nv website para lja Virtual

Leia mais

Integração Ayty CRM e Altitude

Integração Ayty CRM e Altitude Dcumentaçã Elabrada pr: Ayty CRM Data / Lcal: 30/10/2011 Prjet: Ayty CRM cm Discadr Altitude Versã: 1.0 Dcument: Integraçã AytyCRM e Discadr Altitude Integraçã Ayty CRM e Altitude Sumári: Principais Fluxs:...

Leia mais

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL

AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL AGÊNCIA REGULADORA DE AGUAS, ENERGIA E SANEAMENTO BÁSICO DO DISTRITO FEDERAL PUBLICADA NO DODF Nº 158 DE 05 DE AGOSTO DE 2014 ALTERADA POR MEIO DA PORTARIA Nº 112, DE 13 DE AGOSTO DE 2014, PUBLICADA NO

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS INDICE Descriçã básica...3 A. Quem pde acessar módul?... 3 Relações Ministeriais, Prcess...4 B. Etapas e Agentes... 4 C. Duraçã d prcess... 4 Atividades Permitidas as Usuáris d

Leia mais

Controle de Atendimento de Cobrança

Controle de Atendimento de Cobrança Cntrle de Atendiment de Cbrança Intrduçã Visand criar um gerenciament n prcess d cntrle de atendiment de cbrança d sistema TCar, fi aprimrad pela Tecinc Infrmática prcess de atendiment, incluind s títuls

Leia mais

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico

Legenda da Guia de Tratamento Odontológico Legenda da Guia de Tratament Odntlógic Term Registr NS Nº da n prestadr Num. d Camp na Númer da principal 3 Data da autrizaçã Senha senha 1 2 4 5 6 Nme d camp na Registr NS Númer da n prestadr Númer da

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs)

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE. Técnicos de Instalação e Manutenção de Edifícios e Sistemas. (TIMs) MANUAL DE PROCEDIMENTOS PARA REGISTO DE Técnics de Instalaçã e Manutençã de Edifícis e Sistemas (TIMs) NO SISTEMA INFORMÁTICO DO SISTEMA NACIONAL DE CERTIFICAÇÃO ENERGÉTICA NOS EDIFÍCIOS (SCE) 17/07/2014

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO - OCORRÊNCIA PC

MANUAL DO USUÁRIO - OCORRÊNCIA PC SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Aprvad: Referencia: Help_Online_crrencia_PC.dc Versã: 01.00 Data: 19-10-2007 Data: 10/10/2008 Data: A autenticaçã d dcument

Leia mais

1 Acesso ao SIIFSE. 1.1 Homepage do SIIFSE. SIIFSE - Manual do Utilizador QREN. O acesso ao Sistema é efectuado através do endereço siifse.igfse.pt.

1 Acesso ao SIIFSE. 1.1 Homepage do SIIFSE. SIIFSE - Manual do Utilizador QREN. O acesso ao Sistema é efectuado através do endereço siifse.igfse.pt. SIIFSE Manual d Utilizadr QREN Versã 1.0 21 de Dezembr de 2007 SIIFSE - Manual d Utilizadr QREN 1 Acess a SIIFSE 1.1 Hmepage d SIIFSE O acess a Sistema é efectuad através d endereç siifse.igfse.pt. Na

Leia mais

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA

MANUAL dos LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA MANUAL ds LABORATÓRIOS De INFORMÁTICA Objetiv 1. Oferecer as aluns a infra-estrutura e suprte necessári à execuçã de tarefas práticas, slicitadas pels prfessres, bservand s prazs estabelecids. 2. Oferecer

Leia mais

Processo de envio de e-mail de marketing

Processo de envio de e-mail de marketing Prcess de envi de e-mail de marketing Intrduçã Visand um melhr gerenciament ns prcesss de marketing das empresas, fi desenvlvid uma nva funcinalidade para sistema TCar, que tem pr finalidade realizar envis

Leia mais

Eventos Extras - Descontos PP - Contestação PP - Faturas Avulsas - Eventos Programados FP x PEONA 12.1.5. maio de 2015. Versão 1.0

Eventos Extras - Descontos PP - Contestação PP - Faturas Avulsas - Eventos Programados FP x PEONA 12.1.5. maio de 2015. Versão 1.0 Events Extras - Descnts PP - Cntestaçã PP - Faturas Avulsas - Events Prgramads FP x PEONA 12.1.5 mai de 2015 Versã 1.0 1 Sumári 1 Intrduçã... 3 2 Seleçã de Dads... 4 2 1 Intrduçã Emitir n relatóri d PEONA,

Leia mais

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico

COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Suporte técnico COORDENADORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Suprte técnic O serviç de suprte técnic tem pr bjetiv frnecer atendiment as usuáris de prduts e serviçs de infrmática da Defensria Pública. Este serviç é prvid

Leia mais

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA

Orientações para a Escrituração Contábil Digital (Sped Contábil) Versão 14.01 Soluções SPDATA 2015 Orientações para a Escrituraçã Cntábil Digital (Sped Cntábil) Versã 14.01 Sluções SPDATA Equipe SAT Análise Desenvlviment e Qualidade de Sftware 07/04/2015 Sumári Objetiv... 3 Cnsiderações gerais...

Leia mais

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde

Anexo V. Software de Registro Eletrônico em Saúde. Implantação em 2 (duas) Unidades de Saúde Anex V Sftware de Registr Eletrônic em Saúde Implantaçã em 2 (duas) Unidades de Saúde Índice 1 INTRODUÇÃO... 3 2 ESTRATÉGIAS E PROCEDIMENTOS DE IMPLANTAÇÃO... 3 4 INFRAESTRUTURA NAS UNIDADES DE SAÚDE -

Leia mais

BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO

BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO O QUE É O BENEFÍCIO AUXÍLIO CUIDADOR DO IDOSO? É um auxíli financeir que tem cm bjetiv cntribuir para, u pssibilitar, a cntrataçã de um cuidadr para auxiliar beneficiáris

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS

MANUAL DO USUÁRIO EVENTOS SISTEMA DE INFORMAÇÃO E GESTÃO INTEGRADA POLICIAL Elabrad: Equipe SAG Revisad: Data: 17-09-2008 Data: Aprvad: Data: A autenticaçã d dcument cnsta n arquiv primári da Qualidade Referencia: Help_Online_Events.dc

Leia mais

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS.

1. Objetivo: Lançar novo produto para bloqueio do veículo via celular GSM e rastreador GSM com localização por GPS. Históric de Revisões Revisã Data Descriçã da Revisã Mtiv da Revisã 11 20/08/09 Ajustes de hardware dispar Sirene PST 12 14/11/09 AJUSTES SOFTWARE 13 25/11/09 Ajustes de hardware, falha n mdul GSM na trca

Leia mais

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013.

PORTARIA N. 8.605 de 05 de novembro de 2013. PORTARIA N. 8.605 de 05 de nvembr de 2013. Altera a Plítica de Segurança da Infrmaçã n âmbit d Tribunal Reginal d Trabalh da 4ª Regiã. A PRESIDENTE DO, n us de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalaçã Prdut: n-hst Versã d prdut: 4.1 Autr: Aline Della Justina Versã d dcument: 1 Versã d template: Data: 30/07/01 Dcument destinad a: Parceirs NDDigital, técnics de suprte, analistas de

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Dcumentaçã de Versã Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 6 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.1 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.1... 2 PRESTADOR... 2 CLIENTE...

Leia mais

INFORMATIVO. Assunto: Informações sobre o Programa Banda Larga nas Escolas, listagem de previsão de instalação do 2 o trimestre de 2010.

INFORMATIVO. Assunto: Informações sobre o Programa Banda Larga nas Escolas, listagem de previsão de instalação do 2 o trimestre de 2010. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Esplanada ds Ministéris, Blc L, Ed. Sede, 1º andar, Sala 119 Asa Nrte Brasília/DF - CEP: 70047-900 INFORMATIVO Brasília, 02 de març de 2010. Assunt:

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL

CERTIFICAÇÃO DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 00 Pól Mveleir de Arapngas PR Revisã: 01 TERMOS DE USO DO ECOSELO EQUIPE TÉCNICA RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DESTE DOCUMENTO: Irineu Antni Brrasca Presidente d CETEC

Leia mais

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação

Âmbito do Documento. Modelo de Comunicação. Modelo de Comunicação. Prescrição Eletrónica Médica - Aplicação Mdel de Cmunicaçã Prescriçã Eletrónica Médica - Aplicaçã Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes da aplicaçã de Prescriçã Eletrónica Médica

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO

DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO DOCUMENTAÇÃO DA VERSÃO V2.04 S4 Página 1 de 14 INDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.04 DO SST...3 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.04...3 PRESTADOR...3 Relatóri de Metas...3 CLIENTE...4 Tela

Leia mais

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho

Documentação de Versão Projeto Saúde e Segurança do Trabalho Prjet Saúde e Segurança d Trabalh DATA: tt/3/yy Pág 1 de 8 ÍNDICE ALTERAÇÕES IMPLEMENTADAS NA VERSÃO 2.2 DO SST... 2 ITENS DE MENU CRIADOS PARA A VERSÃO 2.2... 2 SEGURANÇA... 2 SAÚDE... 2 SAÚDE/AUDIOMETRIA...

Leia mais

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento

Inscrição do Candidato ao Processo de Credenciamento Inscriçã d Candidat a Prcess de Credenciament O link de inscriçã permitirá que candidat registre suas infrmações para participar d Prcess de Credenciament, cnfrme Edital. Após tmar ciência de td cnteúd

Leia mais

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9

Channel. Colaboradores. Tutorial. Atualizado com a versão 3.9 Channel Clabradres Tutrial Atualizad cm a versã 3.9 Cpyright 2009 pr JExperts Tecnlgia Ltda. tds direits reservads. É pribida a reprduçã deste manual sem autrizaçã prévia e pr escrit da JExperts Tecnlgia

Leia mais

Manual Pedido de Certidão Online

Manual Pedido de Certidão Online 17 de utubr de 2016 Manual Pedid de Certidã Online Rua Bela Cintra, 746-11º andar - CEP 01415-000 - Sã Paul - SP Telefne: (11) 3122-6277 17 de utubr de 2016 Cntrle de Versã de Dcument Versã Data Autres

Leia mais

Cronograma Geral da Contabilização. PdC Versão 2 PdC Versão 3

Cronograma Geral da Contabilização. PdC Versão 2 PdC Versão 3 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Crngrama Geral da Cntabilizaçã PdC Versã 2 PdC METODOLOGIA DO CONTROLE DE ALTERAÇÕES Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã. Text tachad refere-se

Leia mais

CRONOGRAMA DELPHI para turmas Aproximadamente 84 horas - aulas de 2 horas

CRONOGRAMA DELPHI para turmas Aproximadamente 84 horas - aulas de 2 horas CRONOGRAMA DELPHI para turmas Aprximadamente 84 hras - aulas de 2 hras Primeira Parte Lógica de Prgramaçã 5 aulas 10 hras AULA 1 OBJETIVO 1. Cnceits básics: Algritm, Tips de Variáveis, Tips e Expressões

Leia mais

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde

CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativo Centro de Saúde Cnsulta a Temp e Hras CTH - ALERT REFERRAL NOVAS FUNCIONALIDADES/Perfil Administrativ Centr de Saúde 2013 ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.. Tds s direits reservads. A ALERT Life Sciences Cmputing, S.A.

Leia mais

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição

Procedimentos para aceitação de materiais e equipamentos fornecidos à EDP Distribuição Julh 2010 Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids à EDP Distribuiçã DGF/Departament Gestã de Materiais e Equipaments Prcediments para aceitaçã de materiais e equipaments frnecids

Leia mais

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR A pertinência e valr demnstrad das valências d Cartã de Saúde Cfre, em razã d flux de adesões e pedids de esclareciment, trnam essencial dar evidência e respsta a algumas situações

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO

ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO ORIENTAÇÕES AOS CANDIDATOS CONTEMPLADOS NO Prezad(a) Alun(a) A mbilidade acadêmica internacinal é uma prtunidade valisa para seu cresciment individual, acadêmic e prfissinal. Nã permita que a falta de

Leia mais

Estácio. Manual Visualizador

Estácio. Manual Visualizador Estáci Manual Visualizadr Versã Data da Mdificaçã Mdificad Pr Cmentáris 1.0 29/09/2015 Lrena Rangel Versã Inicial Visualizadr 2 Cnteúd... 1 1. Cnsultar Requisiçã... 5 2. Cnsultar Pedid... 7 3. Cnsultar

Leia mais

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas

Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Guia d Prcess de Sftware d MAPA Metdlgia de Desenvlviment de Sistemas Versã 1.0 Dcument cnfidencial e prprietári Versã d mdel: 1.1 Históric das Revisões Data Versã Descriçã Autr 24/03/2008 1.0 Iníci da

Leia mais

Manual de Configuração

Manual de Configuração Manual de Cnfiguraçã Pnt de Venda (PDV) Versã: 1.1 Índice 1 EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.1 INSTALANDO O TERMINAL EASYASSIST PONTO DE VENDA (PDV)... 3 1.2 CAPTURANDO O NÚMERO DE SÉRIE E O GT DO

Leia mais

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT

PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT PROCESSO DE ATENDIMENTO AO CLIENTE DO GRUPO HISPASAT GRUPO HISPASAT Mai de 2014 PRIVADO PRIVADO E CONFIDENCIAL E Dcument Dcument prpriedade prpriedade HISPASAT,S.A. da 1 Prcess de atendiment a cliente

Leia mais

PROGRAMA CLIENTE REFERÊNCIA FH REGULAMENTO

PROGRAMA CLIENTE REFERÊNCIA FH REGULAMENTO PROGRAMA CLIENTE REFERÊNCIA FH REGULAMENTO Última Revisã: 02/06/2014 1. RESUMO CADASTRO Cliente preenche Frmulári de Cadastr CONFIRMAÇÃO DE CADASTRO A FH envia um e-mail de cnfirmaçã de cadastr para cliente

Leia mais

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores

Requisitos técnicos de alto nível da URS para registros e registradores Requisits técnics de alt nível da URS para registrs e registradres 17 de utubr de 2013 Os seguintes requisits técnics devem ser seguids pels peradres de registr e registradres para manter a cnfrmidade

Leia mais

SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING

SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING SERVIÇOS DISPONÍVEIS ATRAVÉS DO BANRISUL OFFICE BANKING EXTRATOS: Cnta Crrente: sald d dia, extrat mês atual, extrat de cheques, extrat d mês anterir e extrat n períd. Empréstims/Crédits Cnta Investiment:

Leia mais

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS

ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS ANEXO CONDIÇÕES OU RESTRIÇÕES RESPEITANTES À UTILIZAÇÃO SEGURA E EFICAZ DO MEDICAMENTO A SEREM IMPLEMENTADAS PELOS ESTADOS-MEMBROS 1 Os Estads-Membrs devem garantir que tdas as cndições u restrições relativas

Leia mais

Definições Relacionadas à Política de Segurança da Informação

Definições Relacionadas à Política de Segurança da Informação Definições Relacinadas à Plítica de Segurança da Infrmaçã Área respnsável Versã Data de emissã Data de revisã Data de vigência Infrmática Crprativa - Segurança 1.2 20/08/2009 30/10/2013 01/02/2014 Objetiv

Leia mais

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1

PM 3.5 Versão 2 PdC Versão 1 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações PM 3.5 Versã 2 PdC Versã 1 Alterad Layut d dcument. Alterad term de Prcediment de Mercad para Prcediment de Cmercializaçã. Alterad nme deste Prcediment

Leia mais

www.datapar.com.br Descrição Este manual tem como principal finalidade, ajudar os usuários do setor de Patrimônios nos cadastros e movimentação.

www.datapar.com.br Descrição Este manual tem como principal finalidade, ajudar os usuários do setor de Patrimônios nos cadastros e movimentação. Página 1 de 8 Descriçã Este manual tem cm principal finalidade, ajudar s usuáris d setr de Patrimônis ns cadastrs e mvimentaçã. Relaçã ds Tópics a serem vists neste manual - Cadastr Departaments Itens

Leia mais

1 Criando uma conta no EndNote

1 Criando uma conta no EndNote O EndNte Basic (anterirmente cnhecid pr EndNte Web), é um sftware gerenciadr de referências desenvlvid pela Editra Thmsn Reuters. Permite rganizar referências bibligráficas para citaçã em artigs, mngrafias,

Leia mais

MANUAL QUERO UM BICHO - ONG ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS

MANUAL QUERO UM BICHO - ONG ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS MANUAL QUERO UM BICHO - ONG ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS 2007 1 MISSÃO A missã d Quer Um Bich é a preservaçã da vida e ds direits básics de subsistência, independentemente da espécie. Cabe as mais afrtunads,

Leia mais

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2

Adesão à CCEE. Versão 1 -> Versão 2 Prcediment de Cmercializaçã Cntrle de Alterações Adesã à CCEE Versã 1 -> Versã 2 Versã 2 METODOLOGIA DO Text em realce refere-se à inserçã de nva redaçã Text tachad refere-se à exclusã de redaçã. Alterações

Leia mais

Evidência de Testes. Evidência de Testes. Produto/Versão Integrado:

Evidência de Testes. Evidência de Testes. Produto/Versão Integrado: Evidência de Testes Prdut: Versã: Prdut/Versã Integrad: Banc de Dads: SIGALOJA/SIGAFAT P11 Prgress, Oracle, SQL, Infrmix 1. Evidência e sequência d pass a pass Teste Unitári (Cdificaçã) Pré-Requisit: http://tdn.ttvs.cm.br/pages/viewpage.actin?pageid=223161461

Leia mais

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7

Número de cédula profissional (se médico); Nome completo; 20/06/2014 1/7 Mdel de Cmunicaçã Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e clientes d Sistema Nacinal de Vigilância Epidemilógica.

Leia mais

NORMATIVA ADMINISTRATIVA

NORMATIVA ADMINISTRATIVA Assunt: DIRETRIZES PARA COMPRA E APROVEITAMENTO DE Data de Emissã: Data de Revisã: De: 18/12/2013 Assunts Estratégics Tdas as áreas d 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estabelecer regras e parâmetrs que

Leia mais

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do

O Centro Universitário UNINOVAFAPI, situado à rua Vitorino Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairro do CENTRO UNIVERSITÁRIO UNINOVAFAPI EDITAL Nº 010/ DE 11 DE JUNHO DE VESTIBULAR /02 O Centr Universitári UNINOVAFAPI, situad à rua Vitrin Orthiges Fernandes, nº 6123, Bairr d Uruguai, CEP 64.073-505, Telefne:

Leia mais

API de Integração E-Zoop Documentação de uso

API de Integração E-Zoop Documentação de uso API de Integraçã E-Zp Dcumentaçã de us Data de Atualizaçã: 10/06/2015 Índice 1. Intrduçã... 1 2. Características... 2 Cadastr de características... 2 Exclusã de características... 4 Listagem de características...

Leia mais

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014

EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Núcle de Intercâmbi e Cperaçã Institucinal EDITAL Nº 01/NIC/ 2014 Seleçã de acadêmics para Intercâmbi n primeir semestre de 2015 d Prgrama de Blsas Iber-Americanas Santander Universidades 2014 A Universidade

Leia mais

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral

Modelo de Comunicação. Programa Nacional para a Promoção da Saúde Oral Mdel de Cmunicaçã Prgrama Nacinal para a Prmçã da Saúde Oral Âmbit d Dcument O presente dcument traduz mdel de cmunicaçã entre Centr de Suprte da SPMS e utilizadres d Sistema de Infrmaçã para a Saúde Oral

Leia mais

Todos os direitos reservados Versão 1.2

Todos os direitos reservados Versão 1.2 Guia de Relatóris Tds s direits reservads Versã 1.2 1 Guia de Relatóris Índice 1 Pedids... 3 1.1 Mnitr de Pedids... 3 1.2 Pedids... 4 1.3 Estatísticas de Pedids... 5 1.4 Acess e Cnsum... 7 1.5 Pedids pr

Leia mais

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR?

1. COMO SE CADASTRAR JUNTO AO CADASTRO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Criad em 27.01.2014 Revisad em 19.02.2015 1. COMO SE CADASTRAR JUNTO UNIFICADO DE FORNECEDORES DO ESTADO - CADFOR? Para se cadastrar junt a Cadastr Unificad de Frnecedres d Estad CADFOR/SEGPLAN-GO, a entidade

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO

MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO SIGIO Sistema Integrad de Gestã de Imprensa Oficial MANUAL DO USUÁRIO FINANCEIRO S I G I O M A N U A L D O U S U Á R I O P á g i n a 2 Cnteúd 1 Intrduçã... 3 2 Acess restrit a sistema... 4 2.1 Tips de

Leia mais

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA

ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS FGV DIREITO RIO EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA ESCOLA DE DIREITO DO RIO DE JANEIRO DA FUNDAÇÃO GETULIO VARGAS EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DOS CURSOS DE EDUCAÇÃO CONTINUADA 2º semestre / 2012 O Prgrama de Educaçã Cntinuada da trna públic, para cnheciment

Leia mais