Preço especial do conjunto 35,00

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Preço especial do conjunto 35,00"

Transcrição

1 Autora: Janet Ramage Nº Pág: 310 ISBN: Ambiente e Energia GUIA DA ENERGIA Este guia prático descreve o universo da energia colocando várias questões pertinentes acerca dos próximos cinquenta anos. Se os poços de petróleo se esgotarem e se a corrida ao gás natural extinguir este recurso quais são as alternativas? A energia nuclear? O carvão? Os biocombustíveis? O que será do ambiente? Que evidências reais existem para o aquecimento global? A autora conduz o leitor através de noções básicas até relatos detalhados de sistemas de energia presentes e futuros. PARTE I - O PRESENTE 1. Panorâmica Geral 2. Energia Primária 3. Padrões de Consumo PARTE II - AS TECNOLOGIAS 4. Combustíveis 5. Conversão da Energia 6. A Utilização da Energia 7. Electricidade 8. Energia Nuclear 9. A Energia da Água 10. Energia Eólica 11. Energia Solar PARTE III - O Futuro 12. Recursos 13. As Penalidades 14. Custos e s 15. Alternativas para o Futuro Apêndice A e B GUIA DO AMBIENTE Desenvolvimento Sustentável: Oportunidade Inadiável O Guia do Ambiente tem como finalidade proporcionar às empresas um meio seguro e rápido de identificação das principais questões ambientais. São aqui tratadas as áreas normativas do ambiente, ou seja, os Resíduos e o caso específico das embalagens, as Emissões Atmosféricas, a Água e o Ruído. Sendo esta obra destinada, sobretudo às Empresas e àqueles que as virão a integrar, são dedicados capítulos à Energia, à Prevenção de Acidentes Graves devidos a Substâncias Perigosas, aos Sistemas Voluntários Europeus de Gestão Ambiental e do Rótulo Ecológico, e também ao licenciamento das actividades, matéria essencial ao funcionamento das empresas O Novo Contexto Normativo Europeu sobre o Ambiente 3. Desenvolvimento Sustentável 4. Áreas Normativas do Ambiente: 4.1 Resíduos; 4.2 Gestão de Embalagens; 4.3 Emissões Atmosféricas; 4.4 Água 4.5 Ruído; 4.6 Energia; 4.7 Acidentes Graves Associados a Actividades Industriais ou de Amazenagem de Alto Risco 5. Licenciamento Industrial 6. Sistemas Voluntários Europeus de Gestão Ambiental e do Rótulo Ecológico 7. Guia de Procedimentos Anexo: Diplomas sua caracterização sintética Autor(es): Jaime Braga; Eduardo Morgado Nº Pág: 308 ISBN: Ambiente e Energia ENERGIA PARA O FUTURO Como Resolver a Crise Energética e Abastecer a Sociedade do Futuro Robert Laughlin, prémio Nobel da Física e autor desta obra, reflecte acerca do fim dos combustíveis fósseis, antevendo o nascimento da indústria do combustível sintético. Entretanto, a energia proveniente do sol e do vento tornar-se-á provavelmente mais barata do que a energia produzida pela biomassa. As escolhas que as pessoas devem fazer em relação à energia estão a tornar-se mais claras, e o autor revela-nos a verdade daquilo que se aproxima. Esta obra é uma digressão objectiva mas optimista, pelos recursos combustíveis alternativos, conduzida num mundo onde a última gota de petróleo e a última pazada de carvão já foram queimadas. 1. Viagem ao Futuro ; 2. Tempo Geológico ; 3. A Lei da Selva 4. Carbono para Sempre; 5. Os Pipelines de Energia; 6. Para Inspirar os Mamutes 7. Apelo a Todas as Vacas ; 8. Lixo e Cinzas 9. Viva Las Vegas ; 10. No Fundo do Mar 11. Véspera de Inverno Autor: Vaclav Smil Nº Pág: 208 ISBN: Autor: Robert B. Laughlin Nº Pág: 220 ISBN: ENERGIA - MITOS E REALIDADES A Ciência ao Serviço do Debate sobre a Política Energética O autor desacredita as opiniões mais falaciosas e abre o caminho a uma abordagem construtiva e científica das questões do desafio global da energia. Quando é que o mundo ficará sem petróleo? Será que a energia nuclear deve ser adoptada em larga escala? Serão o etanol e a energia eólica fontes fiáveis de energia no futuro? Vaclav Smil aconselha o público a desconfiar das pretensões exageradas e das promessas impossíveis. A transição global da energia será prolongada e dispendiosa, estando articulada com o desenvolvimento de uma extensa infraestrutura nova. As fontes de energia tradicionais e as conversões energéticas estabelecidas são persistentes e adaptáveis o suficiente para acompanharem o mundo nessa transição. Esta obra oferece uma perspectiva científica a uma questão muitas vezes dominada por afirmações e pretensões infundadas e pelo pensamento não-crítico. Antes de podermos criar políticas sólidas de energia para o futuro, temos de rejeitar mitos populares que toldam o nosso raciocínio e impedem o verdadeiro progresso. PARTE I: Ensinamentos do Passado 1. O Futuro Pertence aos Veículos Eléctricos 2. A Electricidade Nuclear Vai Ser Tão Barata que Não Valerá a Pena Ser Medida 3. As Ilusões Sobre os Modos Suaves de Produção de Energia PARTE II: Os Mitos nos Grandes Títulos dos Media 4. O Fim: o Pico do Petróleo e o Seu Significado; 5. O Sequestro do Dióxido de Carbono 6. Os Combustíveis Líquidos de Origem Agrícola 7. A Electricidade Eólica 8. O Ritmo das Transições de Energia Conclusão: Ensinamentos e Implicações Políticas ; Referências

2 Autor: H. S. Kindler Nº Pág: 100 ISBN: X : 10,09 Comportamental COMO VENCER A ANSIEDADE E A DEPRESSÃO Auto-Treino A GESTÃO CONSTRUTIVA DOS DESACORDOS Os Conflitos de Gestão nas Organizações Uma visão detalhada da forma como se deve fazer uma aproximação sistemática para ajudar as pessoas a conseguir crescer e as organizações a construir um clima para trabalho produtivo em equipa. O que é necessário é gerir o conflito e mantê--lo a níveis toleráveis para a organização e para cada um de nós. Prefácio Princípios Orientadores Aspectos Gerais I. Diagnóstico; II. Planear; III. Preparar IV. Implementação; Reflexão Revisão Sumária Outras fontes de informação TREINO EM ASSERTIVIDADE Comportamental O treino em assertividade capacita as pessoas no sentido de obterem poder, com consequente desenvolvimento pessoal e realização de mudanças significativas na sua vida. Os materiais disponíveis neste manual foram concebidos para servirem de apoio no treino da assertividade e facilitarem todo este processo. São apresentadas no manual 40 Actividades para o treino da assertividade, um guia de boas práticas de treino, instruções pormenorizadas para o formador e material teórico de apoio ao formando, bem como sugestão de programas-modelo para cursos de formação. Público destinatário: Formadores, Coaches, Gestores, Responsáveis da área de Recursos Humanos. Registo de Tempos de Actividades Parte I - Guia de Boas Práticas de Treino Parte II - Actividades Parte III - Cursos e Recursos Sugestões de programas Recursos e leituras Autora: Lucy Seifert Nº Pág: 300 ISBN: : 23,32 Se está ansioso ou deprimido, este livro inovador chegou para ensiná-lo a mudar a sua maneira de pensar e melhorar a sua vida. Utilizando o conceito revolucionário de self-coaching (auto-treino) aprenderá a seguir passos simples para se libertar dos padrões de pensamento que conduzem à ansiedade e à depressão. À medida que alcança uma perspectiva positiva, aprenderá a manter o seu equilíbrio mental, clareza e espontaneidade na sua vida dentro do lar, no trabalho e nos relacionamentos pessoais. Sinta-se inpirado, motivado e liberto com o Auto-Treino! A abordagem do Dr. Luciani vem sendo repetidamente comprovada junto dos seus pacientes. Agora está também disponível neste livro para ajudá-lo a si! Com o Auto-Treino veja como: Desenvolver uma nova forma de pensamento que conduz a um modo de vida saudável e adaptado; Percorrer estratégias vencedoras para realizar o que mais deseja na vida; Utilizar a técnica do diálogo interior para se sentir novamente saudável. PARTE I - O que é o auto-treino? PARTE II - Os problemas que o auto-treino pode curar PARTE III - Auto-treino: o programa e como realizá-lo PARTE IV - Auto-treino: Curar tipos específicos de personalidade PARTE V - Auto-treino para a vida Apêndice: Modelo do programa de treino Autor: Joseph J. Luciani Nº Pág: 260 ISBN: O PODER DA MEDITAÇÃO A oração e a meditação estão ao dispor de todos nós. Este livro dá-nos uma vasta perspectiva da natureza deste processo sob vários pontos de vista. Embora tendo presente que cada pessoa reza de uma forma única, é todavia útil, ouvir o que os outros nos podem dizer, especialmente aqueles que têm experiência. Há muita sabedoria nestas páginas, ficando ao critério de cada um ler, reflectir, retirar os ensinamentos adequados e integrá-los nos seus próprios hábitos. Não há obrigações na oração ou na meditação, para além de se ter o espírito aberto e receptivo. Numa análise mais aprofundada, ambas envolvem o abandono das ideias a que nos agarramos para permitir a revelação da vida. É por isso que convidamos o leitor a deixar-se entrar neste livro, utilizar os conceitos que se aplicam directamente à sua vida e colocar de lado os que não se aplicam. Ouça a sua voz interior, respeite-a e siga o seu próprio caminho. Autor: Michael Toms Nº Pág: 182 ISBN: : 17,16 1. Medicina, Significado e Oração: 2. A Tomada de Consciência Através da Meditação 3. A Verdadeira Natureza da Mente; 4. O Caminho da Consciência Plena 5. Inteligência Espiritual; 6. Meditação: Escapar para Dentro da Vida 7. O Poder das Imagens Curativas: 8. Uma Abordagem Consciente da Respiração 9. Um Diálogo sobre Conversas com Deus; 10. A Unidade Total

3 Formação Formação Autores: Kimberley Hare; Larry Reynolds Nº Pág: 240 ISBN: INSTRUMENTOS PARA TRANSFORMAR A FORMAÇÃO A APRENDIZAGEM DE ACORDO COM AS PREFERÊNCIAS DO CÉREBRO consiste numa nova geração de métodos de aprendizagem acelerada cujos princípioschave são os seguintes: Mantenha a formação real! Facilite o fluxo Honre a singularidade Torne-a rica e multisensorial O estado emocional é (quase) tudo Neste livro é-lhe explicada a teoria por detrás da aprendizagem de acordo com as preferências do cérebro: conceitos e modelos de aprendizagem de que necessita para fazer a sua abordagem, juntamente com uma viagem através da estrutura mais complexa do universo - o espantoso CÉREBRO! É um guia conciso para apoiá-lo no desenho de eventos de aprendizagem estando repleto de instrumentos que irão transformar e inovar a sua formação! JOGOS PARA FORMADORES Desenvolvimento de Equipas Os 59 jogos aqui apresentados são baseados na experiência pessoal do autor com diferentes tipos de organização e de formandos, abrangendo a totalidade das competências associadas ao desenvolvimento de equipas incluindo a assertividade, a comunicação, a criatividade, o processo de tomadas de decisão, a persuasão, o saber ouvir, o planeamento, a resolução de problemas e a gestão do tempo. Cada actividade é apresentada num formato padrão, com a indicação dos objectivos, duração e número de participantes, acompanhada de uma explicação detalhada passo-a-passo destina ao formador ou líder de equipa Autor: Roderick R. Stuart Nº Pág: 208 ISBN: MÉTODOS DE FORMAÇÃO QUE FUNCIONAM Os novos formadores têm tanto em que pensar, o plano, os materiais, a animação, que, com frequência, os métodos que utilizam não são os mais adequados. Confiam nas experiências anteriores e nas leituras que fizeram. Infelizmente o resultado é um excesso de palavreado do monitor que os participantes geralmente deploram. Quando os programas de formação têm sucesso e são bem acolhidos, os comentários dos participantes geralmente revelam que houve interacção e variedade bastantes. Os participantes seguramente respondem melhor, aprendem mais e têm mais interesse nas sessões quando se usam métodos variados. A formação deve ser variada. Utilizar os métodos de formação; Fundamentos; Preparar e usar métodos de formação; Dezassete métodos de formação que funcionam. PARTE 1: A Formação Deve ser Variada PARTE 2: Utilizar os Métodos de Formação -Fundamentos PARTE 3: Preparar e Usar Métodos de Formação PARTE 4: Dezassete Métodos de Formação que Funcionam Autora: Lois B. Hart Nº Pág: 96 ISBN: : 10,09 Autor: Philippe Rosinski Nº Pág: 312 ISBN: : 23,32 COACHING INTERCULTURAL Novas ferramentas para alavancar as diferenças nacionais, empresariais e pessoais Este livro integra as práticas existentes do coaching com o saber e as sensibilidades da interculturalidade. Organizada com clareza, é uma obra eminentemente prática e perspicaz, baseada na vasta experiência e profunda humanidade do autor. Philippe Rosinski mostra como alavancar o potencial humano e toda a riqueza da diversidade cultural para benefício dos colaboradores, clientes, accionistas e da sociedade em geral. Explica a forma de desenvolver uma nova liderança, tão necessária para se alcançar um alto e sustentado desempenho no actual contexto global e multicultural em que vivemos. Público destinatário: Gestores, formadores, coaches, consultores, estudantes e profissionais da área de recursos humanos, bem como todos os leitores interessados no desenvolvimento pessoal e profissional.

4 Marketing Marketing AS PALAVRAS QUE FAZEM VENDER MAIS Os Segredos dos Melhores Vendedores SERVIÇO AO CLIENTE Jogos para Formadores Autores: Dominic Gilbert; Christophe Compan Nº Pág: 124 ISBN: X : 17,16 Alguns vendedores têm sucesso Outros não. Então qual é o segredo dos melhores vendedores? No decorrer dos anos os vendedores criam uma linguagem do sucesso, experimentada e rodada no terreno. Há 10 anos, no terreno e em acções de formação. Dominic Gilbert e Christophe Compan estão em contacto com vendedores, chefes de vendas, inspectores de vendas, agentes comerciais, promotores de vendas e tantos outros, de empresas de todas as dimensões. A partir desta experiência excepcional elaboraram um método prático, simples e eficaz para vender mais e melhor. Tentar é Adoptar; As 5 Fases da Entrevista de Venda com Sucesso; O Que Tu És Fala Tão Alto Que Não Ouço o Que Tu Dizes; As Palavras Para Marcar uma Entrevista; Marcar Entrevista pelo Telefone; As Palavras do Primeiro Contacto; As Palavras da Descoberta; Perguntas de Descoberta; Atitudes e Transacções; Motivações; As Palavras da Argumentação; Decisão de Compra: 3 Cenários para a Balança; Sistema de Argumentação: o Lanço de Escada; As Boas Referências em Apoio da Argumentação; Garrafa Meia-Cheia ou Meia-Vazia? Linguagem Positiva; As Palavras para Tratar as Objecções; Técnica do Mergulho Submarino; As Palavras da Conclusão; Pré-Concluir em 6 Etapas... até ao Esgotamento do Stock; Conclusão Directa, Alternativa ou Indirecta: É Preciso Partir com a Encomenda; Conclusão. Existem quatro aspectos essenciais no desenvolvimento de competências no serviço ao cliente que todo o formador deve ter presente: Relevância; Interesse; Rapidez de execução; Enfoque no apoio ao pessoal do serviço ao cliente para este encontrar as suas próprias soluções. Neste livro encontra uma série de jogos, exercícios de brainstorming, questionários, actividades práticas e planos de acção.todos têm em comum o mesmo objectivo: encorajar as equipas de serviço ao cliente a reflectir e a compreender as questões-chave que os ajudarão a melhorar as suas competências. Quem são os nossos clientes? Porque são nossos clientes? Qual o papel que temos neste processo? O que torna os clientes frustrados ou deliciados? Que medidas práticas podem ser tomadas individualmente ou em equipa para melhorar o serviço? Estes jogos e exercícios são ideais para acções de formação sobre Serviço ao Cliente, workshops de formação e especialmente indicados para reuniões de trabalho das equipas de serviço ao cliente. Autor: Graham Roberts- Phelps Nº Pág: 175 ISBN: : 17,16 O GÉNIO DO MARKETING Actualmente os profissionais de marketing necessitam de possuir capacidades de génio. Os mercados são demasiado complexos, as necessidades dos clientes cada vez maiores e a concorrência é muito intensa. O autor Peter Fisk, especialista reconhecido na área de marketing, apresenta uma obra reveladora, que cariz provocador, que pretende ser uma fonte de inspiração para o leitor. Reunindo um de oportunidades e desafios para o marketing actual, demonstra como o leitor poderá introduzir o génio em marketing na sua empresa e conseguir resultados superiores. PARTE 1 - O Engenho: A Criação de um Génio em Marketing PARTE 2 - O Pensamento: A Mente de um Génio em Marketing PARTE 3 - Competir: O Toque de um Génio em Marketing PARTE 4 - Liderar: O Impacto de um Génio em Marketing PARTE 5 - A Genialidade: Transformar-se num Génio em Marketing Autor: Peter Fisk Nº Pág: 328 ISBN: : 25,24 Autor: Camille Vert Nº Pág: 180 ISBN: : 17,16 MARKETING INTEGRADO Chave da Competitividade Industrial A competitividade da indústria é cada vez mais uma questão de Marketing. Como é que o marketing industrial se deve demarcar com mais nitidez do marketing de bens de grande consumo? Como implementar a função Marketing na indústria? Contrariamente a uma crença solidamente enraizada, não se aumentam as vendas dos produtos industriais baixando os preços. Aanimação das cadeias industriais, porém, ao apoiar-se nos clientes dos clientes, dá resultados espetaculares, como por exemplo: +30% em volume e +15% em preço, a partir do primeiro ano, para um produto cujas vendas estagnavam. A partir de casos reais, o autor elabora uma abordagem completamente nova do Marketing Industrial. Após examinar o que, na cultura industrial, se opõe ao Marketing, mostra sucessivamente como praticar a Análise de Marketing nas empresas industriais, como elaborar Estratégias e como implantá-las. Depois, elabora a organização e os dispositivos comerciais que permitem consolidar e desenvolver o Marketing na indústria. Esta obra inovadora propõe aos dirigentes e aos responsáveis de Marketing, técnicos ou comerciais das empresas, uma abordagem coerente, eficaz e dinâmica. Rica e densa, interessa aos profissionais, aos estudantes universitários e a todos quanto se preocupam com competitividade industrial.

5 Autor: James G. Patterson Nº Pág: 84 ISBN: : 10,09 Qualidade CONCEITOS FUNDAMENTAIS DE BENCHMARKING À Procura de um Melhor Caminho Leia e aprenda: - Como utilizar o benchmarking para melhorar continuamente o desempenho; - Como estabelecer padrões de qualidade baseados nas necessidades dos clientes; - Como identificar e adaptar os melhores métodos organizacionais; - Como encontrar a forma de benchmarking mais adequada à sua organização PARTE I: O que é o Benchmarking PARTE II: Porquê fazer Benchmarking? PARTE III: Tipos de Benchmarking PARTE IV: Partida, Largada, Fugida! PARTE V: Apêndice Referências sobre Qualidade e Benchmarking 20,00 Qualidade MEDIR A QUALIDADE E A SATISFAÇÃO DO CLIENTE Um Guia para Gerir um Serviço de Qualidade Todos nós estamos cientes da importância em satisfazer os nossos clientes. Só saberemos se estamos ou não a satisfazer bem os nossos clientes se medirmos os seus níveis de satisfação. Vital para o nosso êxito na medição da qualidade e da satisfação ao cliente é saber o que medir, quando e como o fazer, como analisar os dados e o que fazer com os resultados. A primeira parte do livro debruça--se na definição de satisfação do cliente, os custos de um serviço pobre e de má qualidade e como estes afectam a sua empresa e o desenvolvimento de um bom sistema de serviço ao cliente. A segunda parte diz-nos por que devemos medir a qualidade como parte do programa de satisfação do cliente e ensina-nos a utilizar as sete ferramentas básicas de medição da melhoria de qualidade. A terceira parte engloba os métodos de investigação da satisfação do cliente, incluindo técnicas de recolha de dados, técnicas de medição e análise. A quarta parte aborda detalhadamente a importância em gerir a satisfação do cliente e o Apêndice dá-lhe exemplos de sondagens e relatórios da satisfação do cliente. Autor: Richard F. Gerson Nº Pág: 118 ISBN: : 10,09 QUALIDADE NO SERVIÇO AO CLIENTE Um Guia Positivo para um Serviço Superior Depois da leitura e de ter feito os exercício, estará melhor preparado para pôr em prática os segredos do serviço ao cliente. O que aprender e as subsequentes mudanças que o conteúdo do livro envolverem, valem muito mais que o tempo dispendido na leitura. Leia calmamente e reflicta sobre cada um dos temas apresentados porque é a si que se destinam. PARTE I: Tem Condições para Garantir Qualidade no Serviço ao Cliente PARTE II: Quatro Pontos Essenciais para a Capacidade no Serviço ao Cliente PARTE III: Notas e Comentários Autor: William B. Martin Nº Pág: 84 ISBN: : 10,09 Autores: Diane Bone; Rick Griggs Nº Pág: 90 ISBN: X : 10,09 QUALIDADE NO TRABALHO Guia Pessoal para Atingir Padrões Profissionais A qualidade é a craveira pela qual avaliamos o nosso trabalho. É a medida que determina se o nosso objectivo foi ou não alcançado e é o padrão pelo qual se regulam os consumidores de produtos e serviços. Para estabelecer parâmetros de qualidade necessitamos de um ponto de partida e de critérios racionais. Um programa sobre qualidade deve também ser estimulante e divertido de modo a suscitar aceitação. Esta obra é inovadora na medida em que apresenta os pressupostos básicos da qualidade de uma forma simples de entender, vocacionada para auxiliar gestores e colaboradores a atingirem padrões de qualidade simples e eficazes. Os Capítulos 1-3 auxiliam o leitor a identificar quais as condicionantes pessoais em termos de qualidade e objectivos que agem como suporte da qualidade no trabalho. Os Capítulos 4-7 tratam mais directamente das questões relacionadas com o trabalho. Este livro destina-se a pessoas que se preocupam com a qualidade. Obviamente, ninguém é contra a qualidade. No entanto, a implementação de parâmetros de qualidade a nível pessoal e profissional pode revelar-se difícil. Fique a saber a resposta à pergunta: Como é possível estabelecer padrões de qualidade que proporcionem satisfação pessoal e que ao mesmo tempo auxiliem a nossa empresa a fazer o que nos propomos fazer e quando nos propomos fazê-lo, de forma a ir ao encontro das necessidades dos nossos clientes?

6 Recursos Humanos 35 QUESTIONÁRIOS DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Recursos Humanos AUDITORIAS DA EFICÁCIA ORGANIZACIONAL Autor: Ian McKay Nº Pág: 184 ISBN: : 17,16 No âmago de toda a gestão estão as pessoas os recursos humanos. Se conseguir resolver os seus problemas de pessoal, está no caminho certo para o sucesso da empresa. Os questionários apresentados neste livro estão concebidos como um trampolim papa a acção e contemplam todas as rubricas da Gestão da Recursos Humanos, incluindo aspectos críticos como recrutamento, avaliação de desempenho, planeamento e formação. O texto não fornece respostas fáceis nem fórmulas simplistas. Pelo contrário, a abor-dagem dos tópicos vai forçá-lo a pensar rigorosamente sobre as suas próprias atitudes e comportamentos. As respostas que obtiver servirão de base para alargar as suas próprias capacidades a as de outras pessoas de responder a exigências correntes e potenciais. Este livro será útil a gestores de todos ao níveis e tipos organizativos mas, sêlo-á particularmente para especialistas em pessoal e formação. DESENVOLVIMENTO ESTRATÉGICO EM RECURSOS HUMANOS Esta obra é dirigida a especialistas de desenvolvimento organizacional e formadores, fornecendo um de ferramentas de avaliação que cobrem oito temas-chave de áreas não financeiras do desempenho organizacional, vitais para a eficácia da empresa: Agilidade, Comunicação Eficaz, Trabalho Interdepartamental, Capacidade de Inovação, Gestão da Informação e do Conhecimento, Valores da Organização, Eficácia da Equipa. Os autores desenvolvem cada processo de auditoria não apenas com o propósito de executar a avaliação mas também como experiência conjunta de formação destinada a apoiar os responsáveis na obtenção de formas para melhorar o desempenho da organização. Prefácio à edição em Língua Portuguesa Auditoria à Agilidade Auditoria à Eficácia da Comunicação Auditoria à Eficácia do Trabalho Interfronteiras Auditoria à Capacidade de Inovação Auditoria à Gestão da Informação e do Conhecimento Auditoria aos Valores Organizacionais Auditoria à Eficácia das Equipas Auditoria ao Envolvimento Autores: Dave Francis; Mike Woodcock Nº Pág: 256 ISBN: : 23,32 Os Recursos Humanos têm procurado reposicionar-se como contribuinte estratégico das organizações. Para tal, têm vindo a reorganizar-se envolvendo-se em serviços partilhados, com parceiros de negócio e com centros especializados ao mesmo tempo que têm vindo a simplificar-se, automatizando e racionalizando processos, delegando algumas actividades a gestores e outras através de outsourcing. Falta-lhes ainda dedicarem maior atenção à capacidade de implementarem propostas de valor acrescentado. Esta obra focaliza-se nos aspectos do processo evolutivo dos RH até à presente data, indicando caminhos futuros que incluem a definição de papéis e actividades. Identifica ainda os vários desafios que os Recursos Humanos enfrentam para serem eficazes tais como competências, os problemas estruturais e os relacionamentos com os stakeholders. Os autores destacam ainda a forma de monitorizar o desempenho dos RH e de demonstrar o seu valor. No seu todo, a obra apresenta-se como um guia de referência dirigido a directores de RH que procuram definir o seu papel e objectivos futuros. É também dirigido a estudantes universitários e àqueles que, sendo novos na função enfrentam desafios vários e ainda aos executivos seniores que pretendem saber o valor acrescentado que decorre da função RH. Autores: Peter Reilly; Tony Williams Nº Pág: 264 ISBN: : 23,32 Autor: R. B. Maddux Nº Pág: 80 ISBN: : 10,09 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Um Guia Prático para uma Avaliação de Desempenho mais Produtiva e Positiva As avaliações de desempenho não são procedimentos adversos, são antes oportunidades para melhor comunicação entre quem orienta e quem executa; como se preparar para avaliações mais consequentes; como conduzir a avaliação de desempenho; como fazer o acompanhamento. PARTE I Está Pronto para uma Melhor Avaliação? PARTE II Como Preparar-se para Avaliações Mais consequentes PARTE III Condução de Avaliação PARTE IV Acompanhamento Avaliação de desempenho Check-List para gestores Plano de acção pessoal Contrato Voluntário

7 Autores: Vivien Martin; Euan Henderson Nº Pág: 344 ISBN: : 23,32 Saúde GESTÃO DE UNIDADES DE SAÚDE E DE SERVIÇOS SOCIAIS Este livro tem como objectivo o desenvolvimento de competências para a gestão e melhoria dos serviços prestados em unidades de saúde e de serviços sociais e concentra-se no papel que o gestor pode desempenhar como garante de uma prestação efectiva de serviços de elevada qualidade aos utilizadores finais. Apresentam-se casos retirados do contexto de unidades de saúde e cuidados sociais, de modo a exemplificar como as técnicas expostas podem ser aplicadas para dirigir pessoas e gerir recursos, informação, projectos e a mudança. Neste livro são ainda discutidas as formas como os gestores podem marcar a diferença no trabalho desenvolvido pelas organizações prestadoras de cuidados de saúde e serviços sociais. Analisa-se o conceito de eficácia em termos de gestão dos serviços de saúde, os valores subjacentes a este tipo de serviços, o papel desempenhado pelos líderes e pelos gestores no desenvolvimento de uma prestação de serviços de elevada qualidade, assim como as competências específicas e os sistemas necessários a possibilitarem que os utilizadores desses mesmos serviços possam contribuir para o planeamento e avaliação dos mesmos. GESTÃO DE UNIDADES DE SAÚDE E DE SERVIÇOS SOCIAIS é um manual prático para todos aqueles com responsabilidades de gestão nas unidades de saúde e de serviços sociais. São incluídos casos comentados de modo a reforçar a aprendizagem, Actividades, Referências importantes, assim como explicações claras dos principais conceitos e ferramentas de gestão. GESTÃO DA QUALIDADE EM CUIDADOS DE SAÚDE Saúde SAÚDE E COMUNICAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM REDE O Caso Português Esta obra apresenta as conclusões de um estudo de investigação levado a cabo pela autora com o apoio do Serviço de Saúde e Desenvolvimento Humano da Fundação Calouste Gulbenkian cujo objectivo era identificar e compreender o significado das práticas quotidianas de informação e comunicação para a gestão individual da problemática da saúde, no que concerne à construção e desenvolvimento de processos de autonomia individual no campo da saúde. Público destinatário: Profissionais de saúde e dos media, estudantes de cursos na área da Comunicação Social e TI, leitores interessados nas diversas fontes de informação sobre saúde e medicina actualmente disponíveis na sociedade em rede. 1 - Os Processos de Autonomia na Gestão Quotidiana da Saúde O Papel dos Media 2 - Comunicação, Saúde e Autonomia 3 - Comunicação em Saúde e Televisão 4 - Internet e Saúde 5 - Os Profissionais de Saúde e a Comunicação em Saúde: O Caso dos Médicos 6 - A Autonomia na Saúde e a Comunicação Mediada Bibliografia Autora: Rita Espanha Nº Pág: 188 ISBN: : 17,16 A presente obra, sustentada em vários textos de referência, pretende com abordagens diferentes e diferenciadas cobrir vários aspectos da Gestão da Qualidade em Unidades de Saúde. O primeiro texto O Essencial em Qualidade nos Cuidados de Saúde, do National Committee for Quality Assurance (NCQA), foi elaborado para proporcionar aos decisores políticos e aos stakeholders nos serviços de saúde um entendimento claro das questões, iniciativas e organizações que estão activamente a tentar melhorar a qualidade dos serviços de saúde. O segundo texto, Estratégias da Qualidade na Saúde, do European Observatory on Health Systems and Policies, emergiu da investigação desenvolvida pelo projecto Europe for Patients. Este texto pretende fornecer aos intervenientes políticos da União Europeia uma melhor compreensão e clareza para tomarem melhores decisões políticas que em última instância trarão benefícios a todos os cidadãos europeus. É traçada uma panorâmica geral da garantia da qualidade na saúde situando o que afecta a qualidade na saúde. O terceiro texto, Gestão da Qualidade na Saúde de Brent James The Hospital Research and Educational Trust, fornece o enquadramento de apoio aos hospitais no sentido destes comunicarem, monitorizarem e melhorarem continuamente todos os aspectos dos cuidados de saúde. Nesse plano, considera dois vectores de desenvolvimento: um modelo de melhoria contínua da qualidade e um modelo de garantia da qualidade. O quarto texto, Melhoria da Qualidade em Unidades de Saúde, elaborado por Carla Gonçalves Pereira, da SINASE, pretende estabelecer uma metodologia de melhoria de cuidados de saúde. Num primeiro passo, é estabelecida uma síntese dos principais referenciais de Certificação e Acreditação Hospitalar. Seguese um levantamento dos instrumentos de gestão da qualidade em Saúde, sendo finalmente apresentada uma proposta de metodologia de melhoria da qualidade numa unidade de saúde. Autor(es): Vários Nº Pág: 196 ISBN: : 18,68 Autor: Graham Roberts- Phelps Nº Pág: 228 ISBN: SEGURANÇA, HIGIENE E SAÚDE NO TRABALHO Jogos para Formadores Trata-se de cerca de 100 jogos, puzzles e exercícios simples e fáceis de realizar que podem ser muito úteis no decurso de reuniões de trabalho sobre SHST e servir para alterar o ritmo ou introduzir ou concluir tópicos durante uma sessão de formação. São abordados todos os aspectos da Saúde, Higiene e Segurança no Trabalho, nomeadamente: consciência de segurança, como gerir em segurança, segurança nos escritórios, primeiros socorros, equipamentos dotados de visor, avaliação de riscos, preocupação ambiental, movimentação manual de cargas com segurança; segurança contra incêndios, equipamentos de protecção individual e substâncias perigosas para a saúde Questionários Verdadeiro/Falso 3. Avaliação de conhecimentos 4. Questionários de auto-avaliação 5. Questionários para avaliação do local de trabalho 6. Iniciação 7. Dinamizadores de grupo 8. Grupos de estudo de casos particulares de segurança e de legislação 9. Palavras cruzadas e puzzles de palavras 10. Respostas

Uma Questão de Atitude...

Uma Questão de Atitude... Uma Questão de Atitude... Catálogo de Formação 2014 1 Introdução 3 Soluções de Formação 3 Áreas de Formação 4 Desenvolvimento Pessoal 5 Comercial 12 Secretariado e Trabalho Administrativo 15 Indústrias

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 8.10.2007 SEC(2007)907 DOCUMENTO DE TRABALHO DOS SERVIÇOS DA COMISSÃO documento de acompanhamento da Comunicação da Comissão sobre um programa para ajudar as

Leia mais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais

Carteira. de formação. análise às nossas oportunidades e recursos. Missão, Visão e Objectivos. Desenvolver competências técnicas e transversais conteúdos: Programa de formação avançada centrado nas competências e necessidades dos profissionais. PÁGINA 2 Cinco motivos para prefirir a INOVE RH como o seu parceiro, numa ligação baseada na igualdade

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

T&E Tendências & Estratégia

T&E Tendências & Estratégia FUTURE TRENDS T&E Tendências & Estratégia Newsletter número 1 Março 2003 TEMA deste número: Desenvolvimento e Gestão de Competências EDITORIAL A newsletter Tendências & Estratégia pretende ser um veículo

Leia mais

Tipologia de Intervenção 6.4

Tipologia de Intervenção 6.4 Documento Enquadrador Tipologia de Intervenção 6.4 Qualidade dos Serviços e Organizações Acções de consultoria inseridas no processo que visa conferir uma certificação de qualidade às organizações que

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes

A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A NORMA PORTUGUESA NP 4427 SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS REQUISITOS M. Teles Fernandes A satisfação e o desempenho dos recursos humanos em qualquer organização estão directamente relacionados entre

Leia mais

PROGRAMA DE FORMAÇÃO

PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROGRAMA DE FORMAÇÃO 1. Identificação do Curso Pós-Graduação em Gestão Estratégica de Recursos Humanos 2. Destinatários Profissionais em exercício de funções na área de especialização do curso ou novos

Leia mais

Qual é o seu desafio?

Qual é o seu desafio? APRESENTAÇÃO Qual é o seu desafio? Quer concretizar uma grande mudança que lhe trará mais sucesso pessoal, profissional ou no seu negócio? Está a lutar com o stress, com a gestão de tempo, quer um maior

Leia mais

O DESAFIO DOS EXECUTIVOS

O DESAFIO DOS EXECUTIVOS COACHING EXECUTIVO O DESAFIO DOS EXECUTIVOS Os executivos das empresas estão sujeitos a pressões crescentes para entregarem mais e melhores resultados, liderando as suas organizações através de mudanças

Leia mais

Inteligência Emocional. A importância de ser emocionalmente inteligente

Inteligência Emocional. A importância de ser emocionalmente inteligente Inteligência Emocional A importância de ser emocionalmente inteligente Dulce Sabino, 2008 Conceito: Inteligência Emocional Capacidade de identificar os nossos próprios sentimentos e os dos outros, de nos

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE?

O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? 1 O QUE É A CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE? A globalização dos mercados torna cada vez mais evidente as questões da qualidade. De facto a maioria dos nossos parceiros económicos não admite a não qualidade.

Leia mais

CONSULTORIA POSITIVA

CONSULTORIA POSITIVA O consultor é uma pessoa que, pela sua habilidade, postura e posição, tem o poder de influenciar as pessoas, grupos e organizações, mas não tem o poder directo para produzir mudanças ou programas de implementação.

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI GUIA PARA MELHORAR O SEU Principais Práticas para a Proteção de PI PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI 2013 Centro para Empreendimento e Comércio Responsáveis TABELA DE CONTEÚDO CAPÍTULO 1: Introdução à Proteção

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO EFECTIVIDADE DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS PROJECTO ESSE Indicadores de qualidade I Introdução Baseado em investigação anterior e na recolha de informação

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

SEMINÁRIO A EMERGÊNCIA O PAPEL DA PREVENÇÃO

SEMINÁRIO A EMERGÊNCIA O PAPEL DA PREVENÇÃO SEMINÁRIO A EMERGÊNCIA O PAPEL DA PREVENÇÃO As coisas importantes nunca devem ficar à mercê das coisas menos importantes Goethe Breve Evolução Histórica e Legislativa da Segurança e Saúde no Trabalho No

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004)

DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004) DESENVOLVER E GERIR COMPETÊNCIAS EM CONTEXTO DE MUDANÇA (Publicado na Revista Hotéis de Portugal Julho/Agosto 2004) por Mónica Montenegro, Coordenadora da área de Recursos Humanos do MBA em Hotelaria e

Leia mais

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL

CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL CONSULTORIA DE DESENVOLVIMENTO ORGANIZACIONAL Somos especializados na identificação e facilitação de soluções na medida em que você e sua empresa necessitam para o desenvolvimento pessoal, profissional,

Leia mais

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005.

Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. Cooperação empresarial, uma estratégia para o sucesso Nota: texto da autoria do IAPMEI - UR PME, publicado na revista Ideias & Mercados, da NERSANT edição Setembro/Outubro 2005. É reconhecida a fraca predisposição

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão. Evento IDC PME 24.set.2008. Carlos Neves

Sistema Integrado de Gestão. Evento IDC PME 24.set.2008. Carlos Neves Sistema Integrado de Gestão Evento IDC PME 24.set.2008 Carlos Neves Agradecimentos Carlos Neves - 24.Set.08 2 Sumário 1. Oportunidades e desafios para as PME 2. Os projectos SI/TI e a Mudança 3. Perspectivas

Leia mais

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013

Política de Responsabilidade Corporativa. Março 2013 Política de Responsabilidade Corporativa Março 2013 Ao serviço do cliente Dedicamos os nossos esforços a conhecer e satisfazer as necessidades dos nossos clientes. Queremos ter a capacidade de dar uma

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial

Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Desenvolvimento Sustentável da Inovação Empresarial Inovar para Ganhar Paulo Nordeste Portugal tem apresentado nos últimos anos casos de sucesso em inovação; como novos produtos, serviços e modelos de

Leia mais

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo)

PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) PROGRAMA: A FAMÍLIA (1º ano do 1º ciclo) Duração: 5 Sessões (45 minutos) Público-Alvo: 6 a 7 anos (1º Ano) Descrição: O programa A Família é constituído por uma série de cinco actividades. Identifica o

Leia mais

LEARNING MENTOR. Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219. Perfil do Learning Mentor. Módulos da acção de formação

LEARNING MENTOR. Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219. Perfil do Learning Mentor. Módulos da acção de formação LEARNING MENTOR Leonardo da Vinci DE/09/LLP-LdV/TOI/147 219 Perfil do Learning Mentor Módulos da acção de formação 0. Pré-requisitos para um Learning Mentor 1. O papel e a função que um Learning Mentor

Leia mais

Construint ponts de convivència i camins alternatius per a la gestió de conflictes. Trabalho de Equipa em Sala de Aula Inclusiva

Construint ponts de convivència i camins alternatius per a la gestió de conflictes. Trabalho de Equipa em Sala de Aula Inclusiva Construint ponts de convivència i camins alternatius per a la gestió de conflictes Trabalho de Equipa em Sala de Aula Inclusiva CONTEÚDO Porque é o trabalho de equipa importante em salas de aula inclusivas?

Leia mais

Selling Tools. Dale Carnegie Training Portugal www.dalecarnegie.pt customerservice@dalecarnegie.pt

Selling Tools. Dale Carnegie Training Portugal www.dalecarnegie.pt customerservice@dalecarnegie.pt Dale Carnegie Training Portugal www.dalecarnegie.pt customerservice@dalecarnegie.pt Enquadramento As vendas têm um ambiente próprio; técnicas e processos específicos. A forma de estar, o networking, os

Leia mais

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução:

EDIÇÃO 2011/2012. Introdução: EDIÇÃO 2011/2012 Introdução: O Programa Formação PME é um programa financiado pelo POPH (Programa Operacional Potencial Humano) tendo a AEP - Associação Empresarial de Portugal, como Organismo Intermédio,

Leia mais

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural Engenharia Florestal Desenvolvimento Rural 2/05/2010 Trabalho realizado por : Ruben Araújo Samuel Reis José Rocha Diogo Silva 1 Índice Introdução 3 Biomassa 4 Neutralidade do carbono da biomassa 8 Biomassa

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006

O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal. Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O Relatório da OCDE: A avaliação do sistema de ensino superior em Portugal Lisboa, 13 de Dezembro de 2006 O relatório de avaliação do sistema de ensino superior em Portugal preparado pela equipa internacional

Leia mais

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A.

AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. AUDITORIAS DE VALOR FN-HOTELARIA, S.A. Empresa especializada na concepção, instalação e manutenção de equipamentos para a indústria hoteleira, restauração e similares. Primeira empresa do sector a nível

Leia mais

Diagnóstico de Competências para a Exportação

Diagnóstico de Competências para a Exportação Diagnóstico de Competências para a Exportação em Pequenas e Médias Empresas (PME) Guia de Utilização DIRECÇÃO DE ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL Departamento de Promoção de Competências Empresariais Índice ENQUADRAMENTO...

Leia mais

APRESENTAÇÃO. www.get-pt.com 1

APRESENTAÇÃO. www.get-pt.com 1 APRESENTAÇÃO www.get-pt.com 1 -2- CULTURA GET -1- A nossa Visão Acreditamos que o elemento crítico para a obtenção de resultados superiores são as Pessoas. A nossa Missão A nossa missão é ajudar a melhorar

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA

A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA A GESTÃO DAS VENDAS COMO UMA FONTE DE VANTAGEM COMPETITIVA DE QUE FORMA OS GESTORES DE VENDAS ADICIONAM VALOR À SUA ORGANIZAÇÃO? Desenvolver Gestores de Vendas eficazes tem sido uma das grandes preocupações

Leia mais

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Monitorização e Avaliação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE 3. Sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete 65 66 3.1 Objectivos e Princípios Orientadores O sistema de Monitorização e Avaliação da Rede Social de Alcochete, adiante designado

Leia mais

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO

CARTA EUROPEIA DO DESPORTO CARTA EUROPEIA DO DESPORTO Objectivo da Carta... 3 Definição e âmbito de aplicação da Carta... 3 O movimento desportivo... 4 Instalações e actividades... 4 Lançar as bases... 4 Desenvolver a participação...

Leia mais

Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260

Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260 Ref: 2013-1-ES1-LEO05-66260 Boas práticas na utilização de plataformas de aprendizagem colaborativa como modo de incentivar a criatividade e identificar boas práticas no setor da metalúrgica Relatório

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ

Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Um jeito Diferente, Inovador e Prático de fazer Educação Corporativa Ementa do MBA Executivo em Gestão Empresarial com ênfase em Locação de Equipamento Turma: SINDILEQ Objetivo: Auxiliar o desenvolvimento

Leia mais

Kit de Auto-Diagnóstico de Necessidades, Auto-Formação e Auto-Avaliação da Formação em Gestão

Kit de Auto-Diagnóstico de Necessidades, Auto-Formação e Auto-Avaliação da Formação em Gestão CARACTERIZAÇÃO DO PRODUTO Kit de Auto-Diagnóstico de Necessidades, Auto-Formação e Auto-Avaliação da Formação em Gestão Produção apoiada pelo Programa Operacional de Emprego, Formação e Desenvolvimento

Leia mais

Princípios Gerais de Negócio da Shell

Princípios Gerais de Negócio da Shell Princípios Gerais de Negócio da Shell Royal Dutch Shell plc Introdução Os Princípios Gerais de Negócio da Shell regem a forma como cada uma das empresas que constituem o Grupo Shell* deve conduzir as suas

Leia mais

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO EFECTIVIDADE DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS PROJECTO ESSE Orientações para as visitas às escolas 1 Introdução As visitas às escolas realizadas segundo o modelo

Leia mais

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO

ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO ASSISTÊNCIA EMPRESARIAL DO IAPMEI NA ÁREA DA INTERNACIONALIZAÇÃO E DA EXPORTAÇÃO Como fazemos 1. Através do Serviço de Assistência Empresarial (SAE), constituído por visitas técnicas personalizadas às

Leia mais

EDIÇÃO ESPECIAL 2009

EDIÇÃO ESPECIAL 2009 EDIÇÃO ESPECIAL 2009 BUSINESS COACHING Curso Profissional de Formação de Coach Certificação Internacional em Coaching MORE E ECA (Para Reconhecimento pela ICI contactar-nos.) Entidade: MORE Institut, Ltd

Leia mais

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/02397 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Identificação

Leia mais

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação

Curso Geral de Gestão. Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Curso Geral de Gestão Pós Graduação Participamos num processo acelerado de transformações sociais, políticas e tecnológicas que alteram radicalmente o contexto e as

Leia mais

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA

POLÍTICA DE AMBIENTE, QUALIDADE E SEGURANÇA HOMOLOGAÇÃO: José Eduardo Carvalho 14-03- Pág. 2 de 5 A Tagusgás subscreve a Política AQS da Galp Energia. A Política AQS da Tagusgás foi definida tendo em consideração os Objectivos Estratégicos do Grupo

Leia mais

SQUADRA TRAINING IMPROVE YOUR BUSINESS PERFORMANCE! ÍNDICE CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2014 APRESENTAÇÃO PORTFÓLIO CONTACTOS E INFORMAÇÕES

SQUADRA TRAINING IMPROVE YOUR BUSINESS PERFORMANCE! ÍNDICE CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2014 APRESENTAÇÃO PORTFÓLIO CONTACTOS E INFORMAÇÕES SQUADRA TRAINING ÍNDICE 2 CALENDÁRIO 2º SEMESTRE 2014 3 APRESENTAÇÃO 5 PORTFÓLIO 14 1 CONTACTOS E INFORMAÇÕES IMPROVE YOUR BUSINESS PERFORMANCE SQUADRA TRAINING CALENDÁRIO 2º SEM. 2014 2 VENDER COM SUCESSO

Leia mais

Auto-formação para colaboradores

Auto-formação para colaboradores Formação e familiarização directa com o posto de trabalho é, muitas vezes, da responsabilidade da organização. Para uma organização eficaz desta tarefa, o instrutor/tutor necessita não só do conhecimento

Leia mais

OS PROJECTOS EDUCATIVOS A PARTIR DA CRECHE O Projecto Pedagógico na Creche. Maria Teresa de Matos

OS PROJECTOS EDUCATIVOS A PARTIR DA CRECHE O Projecto Pedagógico na Creche. Maria Teresa de Matos OS PROJECTOS EDUCATIVOS A PARTIR DA CRECHE O Projecto Pedagógico na Creche Maria Teresa de Matos Projecto Pedagógico de Sala Creche Princípios Orientadores Projecto Pedagógico de Sala * Projecto Curricular

Leia mais

Braga, 10 de Janeiro de 2011.

Braga, 10 de Janeiro de 2011. Braga, 10 de Janeiro de 2011. Página 1 de 20 INDICE INTRODUÇÃO... 3 Págs. CARACTERIZAÇÃO DO SERVIÇO DE FORMAÇÃO... 10 BALANÇO DAS ACTIVIDADES DEP. FORMAÇÃO.11 PRIORIDADES DE MELHORIA. 15 CONCLUSÃO.. 16

Leia mais

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre

Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação. 1.º Ano / 1.º Semestre Sinopse das Unidades Curriculares Mestrado em Marketing e Comunicação 1.º Ano / 1.º Semestre Marketing Estratégico Formar um quadro conceptual abrangente no domínio do marketing. Compreender o conceito

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO PÓS-GRADUAÇÃO/ESPECIALIZAÇÃO EM SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO QUALIDADE, AMBIENTE, SEGURANÇA E RESPONSABILIDADE SOCIAL FORMAÇÃO SGS ACADEMY PORQUÊ A SGS ACADEMY? Criada, em 2003, como área de negócio da

Leia mais

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que:

(2006/C 297/02) considerando o seguinte: constatando que: C 297/6 Resolução do Conselho e dos Representantes Governos dos Estados-Membros, reunidos no Conselho, relativa à realização dos objectivos comuns em matéria de participação e informação dos jovens para

Leia mais

PRINCÍPIOS ESSILOR. Os nossos princípios têm origem em características que definem a Essilor:

PRINCÍPIOS ESSILOR. Os nossos princípios têm origem em características que definem a Essilor: PRINCÍPIOS ESSILOR Cada um de nós, na nossa vida profissional, participa na responsabilidade e na reputação da Essilor. Por isso devemos conhecer e respeitar princípios que se aplicam a todos. O que significa

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XIX Gestão da Prevenção um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA

INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA INOVAÇÃO E SOLUÇÃO INTEGRADA A Formação no ISQ A actividade de Formação do ISQ tem sido uma forte aposta enquanto factor determinante para o desenvolvimento e melhoria de desempenho dos sectores tecnológicos

Leia mais

Conceito O2. O futuro tem muitos nomes. Para a Conceito O2 é Coaching. Sinta uma lufada de ar fresco. :!:!: em foco

Conceito O2. O futuro tem muitos nomes. Para a Conceito O2 é Coaching. Sinta uma lufada de ar fresco. :!:!: em foco :!:!: em foco Conceito O2 Sinta uma lufada de ar fresco Executive Coaching Através do processo de Executive Coaching a Conceito O2 realiza um acompanhamento personalizado dos seus Clientes com objectivo

Leia mais

José Perdigoto Director Geral de Energia e Geologia. Lisboa, 20 de Junho de 2011

José Perdigoto Director Geral de Energia e Geologia. Lisboa, 20 de Junho de 2011 O papel dos biocombustíveis na política energética nacional Seminário Internacional sobre Políticas e Impactes dos Biocombustíveis em Portugal e na Europa José Perdigoto Director Geral de Energia e Geologia

Leia mais

ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL A profissionalização dos membros da Organização, enquanto factor determinante da sua eficácia na prevenção e no combate aos incêndios florestais, requer a criação de um programa

Leia mais

Relatório da. Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59.

Relatório da. Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59. Relatório da Avaliação intercalar da execução do Plano de Acção da UE para as Florestas Contrato de Serviço N.º 30-CE-0227729/00-59 Resumo Novembro de 2009 Avaliação intercalar da execução do Plano de

Leia mais

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE

MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE MÓDULO III HELP DESK PARA FORMAÇÃO ONLINE Objectivos gerais do módulo No final do módulo, deverá estar apto a: Definir o conceito de Help Desk; Identificar os diferentes tipos de Help Desk; Diagnosticar

Leia mais

Cultura de Segurança

Cultura de Segurança Cultura de Segurança Importância do Ensino das Temáticas de SHST em Engenharia João Carlos Matias (UBI) Ana Pinto (ISEL) Sessão de Encerramento Comemorações do Dia Nacional de Prevenção e Segurança no

Leia mais

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos

A VISÃO do ENERGYIN Motivos da sua criação & Objectivos Pólo da Competitividade e Tecnologia da Energia (PCTE) O papel do PCTE na energia solar em Portugal 8 e 9 de Fevereiro de 2010 António Mano - EDP Antonio.ermidamano@edp.pt A VISÃO do ENERGYIN Motivos da

Leia mais

ÁREA A DESENVOLVER. Formação Comercial Gratuita para Desempregados

ÁREA A DESENVOLVER. Formação Comercial Gratuita para Desempregados ÁREA A DESENVOLVER Formação Comercial Gratuita para Desempregados Índice 8. Sobre nós 7. Como pode apoiar-nos 6. Datas de realização e inscrição 5. Conteúdos Programáticos 4. Objectivos 3. O Workshop de

Leia mais

= e-learning em Educação Ambiental =

= e-learning em Educação Ambiental = Agência Regional de Energia e Ambiente do Norte Alentejano e Tejo = e-learning em Educação Ambiental = PRINCIPAIS RESULTADOS DO RELATÓRIO FINAL Dezembro de 2010 Título: Financiamento: Plataforma de e-learning

Leia mais

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO

NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NP EN ISO 9001:2000 LISTA DE COMPROVAÇÃO NIP: Nº DO RELATÓRIO: DENOMINAÇÃO DA EMPRESA: EQUIPA AUDITORA (EA): DATA DA VISITA PRÉVIA: DATA DA AUDITORIA: AUDITORIA DE: CONCESSÃO SEGUIMENTO ACOMPANHAMENTO

Leia mais

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos

Serviço Comunitário na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos na licenciatura em Psicologia: Um programa com reconhecidas vantagens na qualidade da formação dos futuros psicólogos 1.º Congresso Nacional da Ordem dos Psicólogos 18 a 21 abril 2012 Luísa Ribeiro Trigo*,

Leia mais

Ficha Técnica. Título: Educação Pré-Escolar e Avaliação

Ficha Técnica. Título: Educação Pré-Escolar e Avaliação Ficha Técnica Título: Educação Pré-Escolar e Avaliação Edição: Região Autónoma dos Açores Secretaria Regional da Educação e Ciência Direcção Regional da Educação Design e Ilustração: Gonçalo Cabaça Impressão:

Leia mais

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT

Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Cerimónia de lançamento do contrato de colaboração entre o Estado Português e o Massachusetts Institute of Technology, MIT Centro Cultural de Belém, Lisboa, 11 de Outubro de 2006 Intervenção do Secretário

Leia mais

Recursos Humanos e Qualidade

Recursos Humanos e Qualidade K Recursos Humanos e Qualidade na Gestão das Organizações do 3.º Sector S. Brás de Alportel, 11 de Dezembro de 2009 S. l Brás de Alportel, 11 de Dezembro de 2009_Isaque Dias O que é que fazem as Organizações

Leia mais

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho

Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho Política da Nestlé sobre Saúde e Segurança no Trabalho A Segurança não é negociável Na Nestlé, acreditamos que o sucesso sustentável apenas poderá ser alcançado através dos seus Colaboradores. Nenhum

Leia mais

Orientação Metodológica nº 1. 07/outubro/2015

Orientação Metodológica nº 1. 07/outubro/2015 Implementação de Sistemas de Garantia da Qualidade em linha com o Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade para a Educação e Formação Profissionais (Quadro EQAVET) Orientação Metodológica

Leia mais

Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N.

Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N. Trabalho Elaborado por: Paulo Borges N.º 21391 Vítor Miguel N.º 25932 Ariel Assunção N.º 25972 João Mapisse N.º 31332 Vera Dinis N.º 32603 INTRODUÇÃO Na área do controlo de gestão chamamos atenção para

Leia mais

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências.

Competitividade e Resultados: conseqüência do alinhamento de estratégia, cultura e competências. 1 Programa Liderar O Grupo Solvi é um conglomerado de 30 empresas que atua nas áreas de saneamento, valorização energética e resíduos. Como alicerce primordial de seu crescimento encontrase o desenvolvimento

Leia mais

Cegoc Moçambique O MAIOR GRUPO EUROPEU DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGORA EM MOÇAMBIQUE. cegoc.co.mz

Cegoc Moçambique O MAIOR GRUPO EUROPEU DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGORA EM MOÇAMBIQUE. cegoc.co.mz Cegoc Moçambique Formação e Consultoria em Capital Humano O MAIOR GRUPO EUROPEU DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL AGORA EM MOÇAMBIQUE cegoc.co.mz O maior grupo europeu de formação profissional agora em Moçambique

Leia mais

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II

Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II Número 7/junho 2013 O PROGRAMA URBACT II PARTILHA DE EXPERIÊNCIAS E APRENDIZAGEM SOBRE O DESENVOLVIMENTO URBANO SUSTENTÁVEL O URBACT permite que as cidades europeias trabalhem em conjunto e desenvolvam

Leia mais

www.pwc.com/ao Auditoria interna Os desafios da Auditoria Interna em Angola 09 de Junho de 2014

www.pwc.com/ao Auditoria interna Os desafios da Auditoria Interna em Angola 09 de Junho de 2014 www.pwc.com/ao Auditoria interna Os desafios da Auditoria Interna em Angola Estrutura 1. Introdução ao tema 2. Estado actual da profissão 3. Definindo o caminho para aumentar o valor da auditoria interna:

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ACREDITAÇÃO EM SAÚDE

PROGRAMA NACIONAL DE ACREDITAÇÃO EM SAÚDE PROGRAMA NACIONAL DE ACREDITAÇÃO EM SAÚDE 2009 3 ÍNDICE I INTRODUÇÃO 4 II MODELO NACIONAL DE ACREDITAÇÃO EM SAÚDE 5 III ÂMBITO DE APLICAÇÃO 8 IV OBJECTIVO GERAL 8 V OBJECTIVOS ESPECÍFICOS 8 VI ESTRATÉGIAS

Leia mais

Margarida Eiras. margarida.eiras@ensp.unl.pt

Margarida Eiras. margarida.eiras@ensp.unl.pt Qualidade, Gestão do Risco e Segurança do Doente na Prestação de Cuidados de Saúde Margarida Eiras margarida.eiras@ensp.unl.pt Beja, 25 de Março 2009 Índice Conceitos de Qualidade em Saúde da Qualidade

Leia mais

VIII Congresso da EUROSAI Lisboa, 30 de Maio 2 de Junho de 2011 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES

VIII Congresso da EUROSAI Lisboa, 30 de Maio 2 de Junho de 2011 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES VIII Congresso da EUROSAI Lisboa, 30 de Maio 2 de Junho de 2011 CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES 1 Preâmbulo O VIII Congresso da EUROSAI realizado em Lisboa entre 30 de Maio e 2 de Junho de 2011 concentrou-se

Leia mais

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais?

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais? TEMA - liderança 5 LEADERSHIP AGENDA O Que fazem os LÍDERES eficazes Porque é que certas pessoas têm um sucesso continuado e recorrente na liderança de empresas ou de organizações de todos os tipos? O

Leia mais

Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais. Procedimentos

Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais. Procedimentos Certificação da Qualidade dos Serviços Sociais EQUASS Assurance Procedimentos 2008 - European Quality in Social Services (EQUASS) Reservados todos os direitos. É proibida a reprodução total ou parcial

Leia mais

Principais conclusões do Encontro de Voluntariado Universitário da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra 1

Principais conclusões do Encontro de Voluntariado Universitário da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra 1 Principais conclusões do Encontro de Voluntariado Universitário da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra 1 Dos contributos dos diferentes intervenientes do evento

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO DE INTERVENÇÃO (PEI)

PLANO ESTRATÉGICO DE INTERVENÇÃO (PEI) PLANO ESTRATÉGICO DE INTERVENÇÃO (PEI) Setembro de 2009/ Dezembro de 2010 Índice Introdução.. 3 Etapas de intervenção... 4 Âmbito de intervenção.. 5 Objectivos estratégicos..... 5 Metas.. 5 Equipa....

Leia mais

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende

Como transformar a sua empresa numa organização que aprende Como transformar a sua empresa numa organização que aprende É muito interessante quando se fala hoje com profissionais de Recursos Humanos sobre organizações que aprendem. Todos querem trabalhar em organizações

Leia mais

Avaliação do Projecto Curricular

Avaliação do Projecto Curricular Documento de Reflexão Avaliação do Projecto Curricular 2º Trimestre Ano Lectivo 2006/2007 Actividade Docente desenvolvida Actividade não lectiva Com base na proposta pedagógica apresentada no Projecto

Leia mais

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - RESPOSTA A PEDIDO DE CREDITAÇÃO

ORDEM DOS FARMACÊUTICOS - RESPOSTA A PEDIDO DE CREDITAÇÃO Filipe Leonardo De: suporte@sensocomum.pt Enviado: sexta-feira, 16 de Novembro de 2012 17:40 Para: mguedes.silva@mjgs.pt ; joanaviveiro@ordemfarmaceuticos.pt; joaomartinho@ordemfarmaceuticos.pt Assunto:

Leia mais

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações

Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Contributo do Balanced Scorecard para Competitividade Sustentável das Organizações Rita Almeida Dias 18 Setembro de 2012 2012 Sustentare Todos os direitos reservados Anterior Próximo www.sustentare.pt

Leia mais

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância:

Nisto poderemos perguntar, por que pensar em liderança: Vejamos alguns pontos de vital importância: LIDERANÇA EMPRESARIAL EVIDÊNCIAS DO COACHING COMO ESTRATÉGIA DE SUCESSO Prof. Dr. Edson Marques Oliveira, Doutor em Serviço Social pela Unesp-Franca-SP, mestre em Serviço Social pela PUC-SP e bacharel

Leia mais

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS SISTEMAS DE INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Sistema de Incentivos às Empresas O que é? é um dos instrumentos fundamentais das políticas públicas de dinamização económica, designadamente em matéria da promoção da

Leia mais

ANEXO COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

ANEXO COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 2.12. COM() 614 final ANNEX 1 ANEXO da COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU, AO CONSELHO, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES Fechar o ciclo

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais